A Semana Astrológica: de pernas pro ar!

brookeshadenupsiddown
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Semana de 25 a 31 de maio

Semana plena de atividades e mobilidade, bem ao gosto dos Geminianos, que ganham carga extra de energia com o passeio de Marte, Sol e Mercúrio (retrógrado) por este signo, isso se conseguirem lidar com a sensação de abarrotamento. Esta semana vê Sol e Mercúrio em Gêmeos quadrarem Netuno em Peixes e como Marte também ainda está bem próximo deste aspecto ao mesmo Netuno, temos uma semana extremamente mutável, cheia de novidades, mas também de flutuações e muita instabilidade, especialmente entre segunda e quarta (a Lua está super lenta) com a Lua passeando por Virgem, outro signo mutável, armando várias T-Squares mutáveis.

designinspiration smoking portrait
Smoking Portrait Designinspiration – Reprodução

O tom da semana é de inquietação e ansiedade, buscamos grande mobilidade, mas corremos o risco de nos perder e dispersar energia, desperdiçando no processo, também tempo, recursos e talvez dinheiro. Toda atenção é pouca porque está difícil manter o foco – Veja você, eu comecei a escrever este texto no domingo e só conseguir publicar hoje (!!!!) Há propensão a equívocos e decisões erradas ou precipitadas, fraudes e engodos… A realidade está camuflada de muitos tons e nuances ilusórios, inverdades e análises equivocadas, portanto, não julguemos pelas aparências e tenhamos muita cautela nas decisões e ações. Obviamente, em tal cenário a comunicação requer muitso cuidados e quanto mais econômicos formos, melhor, mesmo que o impulso seja afundar no palavrório vazio. Lembre-se, em boca fechada não entra mosquito! A sensação é de que está tudo de pernas para o ar, mas se pensarmos bem, às vezes, ficar de ponta-cabeça ajuda a ver as coisas de outros ângulos… Já que não pode com o caos, use-o a seu favor!

boca de siri

Marte ainda está muito próximo da quadratura plena a Netuno e Mercúrio se aproxima de ré para também quadrar este planeta. Ufa!!! Dá pra ver que a semana está para lá de intensa, não? Haja dias e horas para tantos desafios! Considerando que estas energias mutáveis estão ativadas por muitos dias, temos sinalizada uma semana muito caótica! Mas aqui, ao invés de nos estressarmos, é melhor dar um lugar para a desordem, parar de resistir… Uma hora as coisas voltam para o lugar.

coconut jam
Coconut jam – Reprodução

Vênus fez quadratura plena a Urano na segunda sinalizando que a expressão de nossos afetos e a gestão dos nossos valores ficam “fora da caixinha”, como dizem os ingleses. Essa T-Square cardinal talvez seja de grande ajuda para sairmos do turbilhão mental gerado pelas T-Squares mutáveis (ou Grande Cruz). A energia cardinal exige ação e atitude, ao invés de ficarmos só na elucubração. O desafio é olhar para nossos valores, para aquilo que define nossa ação no mundo. Com Urano de foco, é preciso levar em conta as demandas familiares, domésticas e emocionais (Câncer), como também as profissionais e sociais (Capricórnio), mas no fim, decidir pelo que é melhor para nós individualmente (Urano em Áries), do contrário, a frustração gerada pode se tornar uma bomba relógio. Vênus, aliás, continua Fora dos Limites do Sol, sinalizando uma expressão errática e imprevisível deste planeta… Pior: Vênus faz uma sesqui-quadratura a Netuno em Peixes, indicando uma tendência à auto-ilusão, tudo muito inconsciente. Decisões a respeito de investimentos de grande porte precisam ser tomadas com muita cautela, se possível, adiadas, especialmente com Mercúrio envolto na névoa Netuniana – pelo ele, Mercúrio, já não está Fora de Limites.

adriana Yampey
Adriana Yampey – Reprodução

A Lua viaja entre nas fases Crescente, Primeiro Quarto e Corcunda. Trafega pelos signos de Leão, Virgem, Libra e Escorpião, fazendo aspectos diversos com todos os demais corpos celestes. No fim de semana só temos Plutão em Terra, o que requer cuidados pra não sairmos flutuando por aí, sem substancia nenhuma.

post it
Google Imagens – Reprodução

Na SEGUNDA-FEIRA a Lua está em Virgem toda laboriosa, fazendo quadratura a Saturno em Sagitário e ao Sol Geminiano, oficializando o Primeiro Quarto e virando foco de uma T-Square Mutável. À noite a Lua se opõe a Netuno em Peixes e os dois tornam Sol, Marte e Mercúrio foco de outra T-Square – na verdade, se permitirmos uma orbe bem ampla, Saturno ainda está em quadratura a Netuno, então temos na verdade uma Grande Cruz. Vênus em Câncer quadra Urano em Áries, que forma outra T-Square, desta vez, Cardinal. Quantos braços e pernas você tem? Quantos olhos e ouvidos? São poucos para todas as demandas do dia, é o que achamos, pelo menos (bom lembrar que só temos uma boca: falar menos é essencial). Estamos sobrecarregados, tudo parece acontecer ao mesmo tempo e sem perceber entramos num frenesi de atividades simultâneas que fica difícil de administrar depois. Como quando abrimos inúmeras janelas na tela do computador ou na internet e o computador simplesmente trava, incapaz de gerir tanta coisa ao mesmo tempo. Assim pode ficar nosso HD, nosso “hard-drive” hoje se não tomamos cuidado. Demandamos demais de nós mesmos, talvez ao ponto da pane mental e até física. Inquietude, ansiedade e uma preocupação galopante tomam conta de nós. Como lidar com tudo isso? Primeiro, respirar, respirar, respirar! Sem respiração, não há solução! Respirando chegamos ao centro e a uma ilha de paz interior. Nesta clareira de lucidez talvez tenhamos a serenidade para identificar o que é importante daquilo que pode esperar, separar o joio do trigo, que é o que Virgem saberia fazer muito bem, não estivesse tão assoberbada pelas cobranças de Saturno e o caos de Gêmeos-Peixes. O mundo não vai acabar se não conseguirmos fazer tudo hoje, a nossa saúde, por outro lado, pode se ressentir se abusamos do corpo e da mente. É preciso parar esse diálogo enlouquecido que contamina a cabeça e humildemente aceitar as limitações do tempo-espaço. E se possível, tentar não levar tudo tão a sério – Virgem às vezes tem dificuldade de rir e tem horas que o riso quebra a tensão e nos ajuda a por as coisas em perspectiva. Mercúrio RETRÓGRADO, regente da Lua e de toda essa galera Geminiana nos diz que uma saída é buscar soluções alternativas, fazer as coisas de jeitos menos óbvios e menos literais. Pensar fora da caixinha, como dizem os ingleses.

hybridlava
Hybrilava.com – Reprodução

A Lua Virginiana abre o dia em oposição a Netuno em Peixes e quadrando o Sol, Marte e Mercúrio retrógrado em Gêmeos, tornando todos estes planetas focos de T-Squares mutáveis na TERÇA-FEIRA. Faz trígono a Plutão em Capricórnio, se irrita com Urano e se afina com Vênus, que segue ainda aproxima da quadratura ao mesmo Urano, formando outra T-square, esta cardinal (oposta a Plutão). Marte e Mercúrio Rx em Gêmeos caminham um ao encontro do outro e estão em conjunção amanhã. A Lua fica vazia depois do sextil a Vênus em Câncer, às 23h23min e faz depois oposição a Quíron. A mente mente, iludida-mente, portanto, não tenhamos preguiça de pensar, de levar tempo sondando as coisas… No momento, nada é o que parece e tudo tem que ser ouvido, lido, recebido e apreendido com cautela – nada de julgar o livro pela capa! Há muitos véus cobrindo as coisas e as situações, assim como há outros tantos sendo desvelados neste momento. Antes de nos desesperar e tomar atitudes impensadas, adotemos a atitude meditativa, da observação desapegada: apenas observo, sem me apegar, sem criticar nem elogiar, sem julgar. Deixemos vir e deixemos ir, sem apegos ou identificações, inclusive com opiniões. Também não é momento de se sentir ofendido por qualquer coisa – é melhor dar o benefício da dúvida e aguardar que mais fatos venham à tona! Aguarde mais revelações. Até 28 de junho muita ventania ainda vai tirar coisas do lugar, bagunçando a ordem natural das coisas, para que vejamos o que não estávamos vendo, por medo ou descuido mesmo… No mínimo, é tempo de ficar descabelado! Mas não adianta insistir em manter o penteado impecável, talvez seja hora de experimentar um pouco de desordem – porque até ela às vezes precisa ter lugar na nossa vida. Solte! Abra mão da necessidade de ordem e controle – nem sempre as coisas precisam fazer sentido!

docto ojiplático surrealistic dominoes #5
Doctor Ojiplático – Reprodução

A QUARTA-FEIRA, dia de Mercúrio, vê a Lua Mercurial abrir o dia vazia em Virgem, depois de ter se alinhado com Vênus em Câncer. Faz oposição a Quíron na primeira hora do dia e segue fora de curso até as 18h42min, quando entra em Libra, logo afinando-se com Saturno em Sagitário. Vênus está em trígono pleno a Quíron hoje. O Sol segue se afastando da oposição a Saturno e caminhando em direção à conjunção com Mercúrio e quadratura a Netuno. Mercúrio, regente da Lua, segue retrógrado e quadrando Netuno, em conjunção a Marte. Lua vazia, dia vazio, cabeça vazia? Nem tanto. A cabeça continua a mil por hora, o que não quer dizer que devamos seguir seu fluxo errático. Cabeça vazia é oficina do Diabo, diz o ditado… Nem tanto também porque o oposto poderia ser mais que verdadeiro, ou seja, uma mente atopetada de preocupações só pode levar à exaustão e a um possível colapso – coisa que também deixaria o Diabo mais que satisfeito, já que ele perde tanto tempo atazanando os humanos incautos, né? O dia provavelmente também não fica vazio, porque afinal, o mundo não para nesse calendário capitalista. Mas se não podemos parar as engrenagens mercadológicas e laborais, podemos pelo menos levar o dia de forma mais meditativa, tentar ritualizar e sacralizar atividades cotidianas obrigatórias, já que o ócio é tão condenado na sociedade em que vivemos, gerando uma culpa horrorosa que estragaria de qualquer forma o intento de desligar-se dos afazeres mundanos – Virgem adora se preocupar e se sentir culpado. O desafio é, pois, fazer o mínimo possível sem cair no vício da culpa que sabota qualquer diversão, prazer, relaxamento, meditação… Na verdade a culpa sabota qualquer coisa! A Lua ficou vazia depois de contato com Vênus em Câncer, que está hoje em trígono a Quíron em Peixes. Cabe a nós filtrar e selecionar o que realmente é importante, o que tem valor para nós (Vênus) nessa enxurrada babélica que ameaça nos levar de roldão. A falta do devido descanso e lazer pode muito bem nos levar a estados doentios e o remédio primeiro para qualquer cura, todos sabemos, é o repouso. O repouso cura o corpo, cura a mente, cura a alma de muitos males, sem necessidade de quaisquer outros “medicamentos” ou drogas. Resta saber se damos conta de nos livrar ou desligar das drogas potentes e viciantes da preocupação e do trabalho excessivo – que além de tudo, ainda ganham status nobre no mundo em que vivemos… E a corrente caótica de pensamentos? Façamos da mente um altar onde oferecemos ao divino tudo o que se passa nela: preocupações, ansiedades, insights magníficos, pensamentos elevados ou idéias sombrias… Tudo pode ser um altar perfeito onde deitamos nossa oração e oferta ao deus, inclusive a mente. Discordando do adágio popular, eu diria que mente vazia não precisa ser, necessariamente, oficina do Diabo; pode, ao contrário, ser a oficina também do divino. O vácuo, o Vazio, assim como o caos, está na verdade pleno de potenciais e do vir a ser.

11201166_1438450446461526_3498882242549835719_n
Desconheço o autor – Reprodução

Em Libra a Lua finalmente nos ajuda a realizar alguma coisa na QUINTA-FEIRA. Signo Cardinal, Libra provê um pouco mais foco que nos ajude a recuperar-nos da imensa dispersão dos últimos dias. Quer dizer, mais ou menos, porque Mercúrio retrógrado está muito próximo da quadratura plena a Netuno… Ai, ai, ai! De qualquer forma, a Lua se alinha por trígono com o Sol, este Mercúrio e Marte, todos em Gêmeos, enquanto faz quincunce a Netuno, ficando, no fim do dia, próxima a Urano-Plutão. A necessidade da Lua Libriana por simetria e equilíbrio pode ficar um pouco frustrada hoje, a menos que consigamos ver beleza no caos. Sentir também se mistura com pensar e os excessos racionais podem na verdade nos tirar do eixo, ao invés de nos dar um norte. O remédio, além de respirar fundo e expandir os pulmões, é ir à busca da beleza como bálsamo que nos cure dessa racionalização excessiva e da turbulência mental. Se conseguirmos achar, dentro ou fora de nós, uma ilha de harmonia e proporção, podemos recuperar o equilíbrio e a tranqüilidade emocionais, algo que nos dê o distanciamento necessário para pesar com justeza todas as situações diante de nós. Meditar para mediar com justiça.

upside down
Reprodução de Google Imagens

Na SEXTA-FEIRA temos a formação de uma Grande Cruz Cardinal, com a Lua Libriana se opondo a Urano em Áries e quadrando simultaneamente Plutão em Capricórnio e sua dispositora Vênus em Câncer. Torna-se Corcunda às 17:05 ao fazer sesqui-quadratura ao Sol e fica vazia depois do contato com Vênus, às 17h22min. Como se não bastasse, Mercúrio retrógrado está em quadratura exata a Netuno hoje, que também já recebe a quadratura próxima do Sol Geminiano. Affffff! Quanta crise, minha gente! Será que damos conta? Se conseguirmos respirar e dar às coisas sua devida proporção, sim, sobreviveremos. Mercúrio-Netuno alertam para termos muita cautela na comunicação hoje, assim como na lida com documentos e papeis em geral. Foco, de novo, é difícil de conseguir, e como vamos agir se a mente que elabora os planos está tão confusa? Plutão é o único planeta em Terra e nos dá uma pista de como acalmar um pouco o turbilhão que se tornou a mente: botemos, literalmente, os pés no chão, ou quem sabe, seria melhor botar a cabeça? Ancoremos a energia caótica e solta com exercícios de enraizamento e respiração. Tolerância, paciência (inclusive consigo mesmo), generosidade e compreensão são essenciais para atravessarmos esse dia sem nos perdermos nos labirintos mentais ou relacionais.

BROOKE SHADENN THE WEEPING TREE
Brooke Shaden Photography – Reprodução

O fim de semana começa com a Lua entrando o SÁBADO fora de curso em Libra. Entra em Escorpião às 06h34min, fazendo apenaa um trígono longínquo a Netuno em Peixes. Mercúrio está no Coração do Sol, fazendo uma Conjunção Inferior ao luminar do dia e sincronizando-se com os propósitos solares para os próximos três meses. Dia propício para processar e reciclar os sentimentos densos e confusos que permearam a semana. Regurgitar, talvez alguns venenos na solidão benfazeja das primeiras horas da manhã, algo recomendável para recuperamos o alinhamento interno. Ou mesmo despejar descarga abaixo todo o lixo que contaminou mente e coração recentemente. Um dos regentes da Lua, Marte, entra hoje em orbe de quincunce ao outro dispositor de Escorpião, Plutão. Normalmente tenso, este aspecto vem, desta vez dar uma ajuda extra e oferecer a Marte mais foco, concentração e uma vontade mais determinada, combatendo um pouco a dispersão de Gêmeos e da influência Netuniana. O senso de propósito apaixonado da Lua Escorpiana também ajudam a diminuir a dissipação geral de energia.

alexandra manukian10
Alexandra Manukian – Reprodução

No DOMINGO a Lua realiza trígono a Netuno em Peixes e quincunces consecutivos a Mercúrio retrógrado, ao Sol e a Marte em Gêmeos. Como se afina por sextil a Plutão em Capricórnio, torna Marte foco de um Yod-Dedo de Deus. Marte, por sua vez, estando em sextil a Júpiter, também torna Plutão foco de outro Yod. À tarde a Lua quadra Júpiter em Leão e fecha a noite e a semana em trígono a Quíron em Peixes. Domingo denso e intenso, de sentimentos e emoções carregados. Temos uma necessidade e urgência de penetrar, de forma precisa e cirúrgica, em nossas motivações, no intuito de compreender a loucura da semana que finda. As interações ficam menos soltas e se forem norteadas pelo coração ao invés de pela mente, podem ser mais honestas e ao mesmo tempo, mais econômicas, sem a necessidade da verborragia confusa e capciosa a que estivemos expostos. O aspecto a Júpiter pode adicionar sentido e significado, além de perspectiva e talvez possamos, finalmente, compreender e agregar significado ao rodamoinho e ao vendaval que foi essa semana. Contatos precisam ser intensos e verdadeiros para valerem a pena hoje!

Uma linda e serena semana para você! Que consigamos nos manter em nosso centro. Respiremos!

Body as Temple
Body as Temple Mindbodygreen.com – Reprodução

Marte e Netuno: a força da gentileza

eventrue.deviantart
Eventrue.deviantart – Reprodução

Estou aqui, desde as 10 da manhã, tentando escrever algo que valha a pena. Em vão. Não consegui escrever ontem também. Distraio-me com tudo, especialmente com anseios longínquos de algo indefinível… Uma vontade de ultrapassar as barreiras e os limites da tal da realidade que me dizem que não posso estar em certos lugares… Na verdade, de estar em vários lugares ao mesmo tempo, com pessoas diferentes… Aqui, ali, acolá… Um desejo por algo que já sei de antemão, inatingível. Por enquanto venceu a vontade de estar só. Além da Lua Leonina conjunta a Júpiter na abertura do dia, fazendo trígono a urano logo depois, temos hoje Marte em quadratura plena a Netuno – para não mencionar a quadratura Vênus-Urano, exata amanhã…

Marte envolvido com Netuno traz essa enxurrada de interesses, às vezes coincidentes, às vezes díspares. Queremos abraçar o mundo com as pernas – especialmente em Gêmeos, onde Marte já é multifacetado. Com quereres tão diversos, fica difícil ter foco e realizar algo de fato.

Mas para além dessa manifestação prática de dispersão, Marte-Netuno nos fala de um desejo pelo inefável, por algo não palpável e indefinível. Um desejo de dissolver o ego e render-se. E como dificilmente estamos plenamente conscientes de tais impulsos, deparamo-nos com situações em que nos auto-sabotamos continuamente, ou que parecem estar além de nossas parcas possibilidades; ou vemos nossos esforços malogrados, tendo nossas conquistas tiradas de nós quando estávamos prestes a realizá-las. Sacrifício. O que precisamos perceber, quando Marte, o princípio da agressão, assertividade e vontade pessoal está ligado a Netuno, é que a fé na Vontade Maior se faz necessária, abrir mão dos desejos meramente egoístas por conquista de glória pessoal e colocar a assertividade em defesa também de outros, de causa que valham a pena lutar. Em Gêmeos, Marte luta com a mente, sua espada é a palavra, o argumento. Um guerreiro civilizado, racional, que usa argumentos lógicos para vencer suas batalhas mentais. Mas com Netuno na dança nada é tão lógico ou racional assim… A imaginação entra em cena e muitas vezes criamos inimigos imaginários, temos dificuldade de identificar onde está o perigo, espalhamo-nos em várias direções, desgastando energia e estamina, às vezes desenvolvendo mesmo, anemia.

A imaginação é o combustível deste Marte que tem desejos ilimitados, embora sua força às vezes pareça enfraquecida e dissolvida. Mas não é que este Marte seja fraco, é que a força aqui não é direta, não é bruta… Pelo contrário, é disfarçada de muitas maneiras – já tentou mover uma faca na água? Ela nunca segue o movimento reto, intencionado pela mão e parece adquirir vida própria, mover-se por vontade própria, sendo até perigoso manuseá-la. É questão de se sintonizar com formas diferentes de manifestação desta força, duas delas sendo a gentileza e a compaixão. Se conseguir vencer a auto-dúvida, o receio de parecer fraco, a própria dispersão e desânimo, a auto-sabotagem nascida do desejo regressivo de permanecer sem forma e “amado” por todos, Marte-Netuno pode, como diz Lynn Bell, construir uma ponte para o infinito, “abrir-se para o ilimitado, agir sem limites, mas sem perder o rumo”. Permitir-se sentir compaixão, permitir-se ser sensível sem se sentir enfraquecido por isso.

Com Mercúrio retrógrado e Marte em Gêmeos, ambos em quadratura a Netuno podemos nos perder construindo castelos no ar, sonhos fantasiosos realizados apenas na imaginação alienada e completamente desconectada da realidade. Podemos também criar intrigas, ilusões, confundir, usar todo esse talento para criar fraudes menores ou maiores, de acordo com nosso senso de vitimização. Isso se nos limitarmos a seguir a mente ilusória, o palco de maia. Porém, se conseguirmos nos desapegar suficientemente desta mente, se conseguirmos nos dês-indentificar dela, percebendo que é um instrumento a serviço do Self, do Centro, se não nos reduzimos a ela, podemos usar esse ilimitado manancial de criatividade e manifestá-lo em atos de bondade e gentileza ao nosso redor; podemos realizar grandes feitos criativos. Se vencermos a preguiça e o desânimo, poderemos finalmente escrever aquele poema, aquela prosa, compor aquela canção, pintar aquela tela, usar a palavra a serviço do bem e em defesa de outros menos potentes e talvez sem voz para se defender. Netuno estando ligado também às artes curativas, fornece a Marte (e Mercúrio)força e poder de cura, que também pode ser manifesto pelas palavras.

A Semana Astrológica

new moon flickr
Do Flickr – Reprodução

Semana de 18 a 24 de maio

Temos nesta semana vários movimentos marcantes sinalizando uma semana dinâmica e intensa. Já na segunda tivemos a Lua Nova em Touro à 01h13min no horário de Brasília e às 05h13min no horário de Lisboa – leia sobre a Lua Nova aqui. Ainda na segunda-feira Mercúrio entrou em retrogradação e viaja de marcha a ré até o dia 11 de junho. Período de voltar-se para dentro e rever como nossa mente tem funcionado desde fevereiro último. Possibilidade de comunicação truncada e atrasos em geral, mas isso apenas se não nos alinharmos com o tempo dos deuses e insistirmos em nos desconectar dos apelos da alma que pede desaceleração.

Outro acontecimento importante é o  Sol ingressando em Gêmeos às 5:44 da quinta-feira. DE Gêmeos o Sol se opõe a Saturno, indicando uma semana em que inseguranças e receios pulam na nossa cara ameaçando desmascarar nossas defesas muito bem construídas; conflitos com autoridades e aumento nas cobranças também estão no cardápio da semana por conta desta oposição. Embora só fique perfeita na semana que vem, já temos um vislumbre também da quadratura Sol-Netuno, o que aumenta a insegurança e a sensação de se estar meio à deriva.

Aja - Apa Soura
Aja – apa Soura – Reprodução

Vênus navega pelas Águas de Câncer e nesta semana se envolve de novo na quadratura Urano-Plutão, indicando a necessidade de checar nossos relacionamentos e parcerias e de rever, reiterar ou transformar completamente nossos valores. Tempo de reavaliar também nossa expressão afetiva, de buscar mais independência e maturidade emocional.  Relacionamentos existentes passam por provas e é hora de descobrir se eles realmente valem a pena, se estão apenas ocupando nosso tempo e espaço, ou, pior ainda, se servem de muletas emocionais. Como estão os seus? O pior de tudo é que ainda temos de lidar com uma insegurança latente, inconsciente, simbolizada por uma sesqui-quadratura que Vênus também faz a Saturno. Haja serenidade!

Bertha_Worms_-_Saudades_de_Nápoles,_1895
Bertha Worms – Saudades de Nápoles,1895 – Reprodução

Marte vai se afastando da oposição a Saturno, mas se aproxima da quadratura a Netuno, que fica plena na próxima segunda-feira. Sensação de sacrifícios, de termos que abrir mão de nossos objetivos pessoais em nome de algo maior que nós; desapontamentos ou sentimento de derrota, de nos tirarem algo pelo qual lutamos muito justamente quando estávamos prestes a conseguir… Fraqueza, letargia, indisposição e desorientação sobre os rumos que devemos tomar também nos afetam e na horas mais difíceis vale lembrar a antiga oração: “que não se faça a minha, mas sim a Tua vontade” porque nem sempre sabemos o que estamos pedindo – o Universos sabe mais. Agradecer, mesmo nos momentos de dificuldade é sinal de humildade, serenidade e confiança no Bem Maior.

fineartamerica
Fineartamerica – Reprodução

Júpiter em Leão faz quincunce a Plutão em Capricórnio pela terceira e última vez nesta temporada. Ambição, vontade de poder, expansão desmedida deixam-nos em ebulição por muitos dias. Se acreditamos que o poder maior é controlar aos outros ou abocanhar riquezas, bens ou o que seja, podemos nos meter em muita confusão, pois, sem perceber, incorremos na máxima maquiavélica de que os fins justificam os meios. Este quincunce ganha portento porque Mercúrio retrógrado também cutuca Plutão, formando um Yod ou Dedo de Deus, indicando um momento poderoso de transformação de crenças e hábitos mentais atávicos – desde que utilizemos esta energia de forma responsável e de que nos demos conta de que o verdadeiro poder nasce de dentro, de ter-se exposto a si mesmo às tentações e vencido. Cristo foi tentado três vezes na solidão do deserto num confronto que era mais consigo mesmo e com seus próprios demônios do que com o mundo lá fora… E nós, que tentações desvairadas precisamos vencer para adquirir tal senso de poder interior? Esse tema do poder ganha mais força porque Plutão também é ativado por uma sesqui-quadratura que vem do Sol, logo que entrar em Gêmeos.

luavenus2
Reprodução de google Imagens

A Lua viaja na fase Nova pelos signos de Touro, Gêmeos, Câncer e Leão e conversa, dissonante ou harmoniosamente com todos os demais corpos celestes. Na noite da quinta-feira fará novamente um belo par com Vênus em Câncer no céu após o por do Sol; o espetáculo se repete novamente no sábado, desta vez com Júpiter, em Leão.

corpo altar
Reprodução

Na SEGUNDA-FEIRA temos a Lua Nova em Touro, abrindo um ciclo que pede renovação de intenções e de valores. Período favorável também para continuarmos a consolidar nossos objetivos, especialmente os materiais. Depois de ser nova a Lua ingressa em Gêmeos e se opõe a Saturno em Sagitário, além de unir-se a Marte e depois ainda quadrar Netuno em Peixes. Mercúrio entra em movimento retrógrado. O dia fica ativo e dinâmico, até de forma excessiva. Assoberbados de idéias, estamos impulsivos e instintivos e urge ter cuidado porque há dificuldade em terminar as coisas iniciadas e nos espalhamos em várias direções. Ao invés de dispersar energia para todo lado, é hora de fechar os olhos e voltar-se para dentro, para as motivações interiores, para podermos reconhecer o que é mais importante neste momento.

língua
Photobox – Reprodução

Já na TERÇA-FEIRA A Lua está conjunta a seu dispositor, Mercúrio, que está engatando a marcha a ré. A Lua ainda se afina com Júpiter em Leão e Urano em Áries, mas quadra Quíron em Peixes e faz quincunce a Plutão em Capricórnio. A Lua fica fora de curso às 14h59min, depois de sextil a Urano. A Lua nova e super impulsiva, Geminiana e conjunta a Mercúrio,  sugere emoções e sentimentos superacionalizados, excessos mentais, um desejo caótico e talvez compulsivo de expressão e verbalização, como se o mundo fosse acabar a qualquer momento e precisássemos dizer milhões de coisas a qualquer custo… Será que o que temos a dizer é assim tão importante e tão significativo? Melhor verificar se não nos desgastamos energeticamente e se talvez não parecemos até meio “abilolados” com toda essa “diarréia mental”. Utilizar esse “furor” mental de forma criativa pode ser bem mais interessante e talvez ganhemos acesso a alguns portais que se abrem nesse limiar da retrogradação mercurial. Talvez ganhemos mais clareza do que é preciso dizer realmente e do que é melhor calar, assim não queimamos a língua nem incorremos no pecado da omissão.

banhup teh phtography
Banhup Teh Phtography – Reprodução

A Lua entra o dia vazia em Gêmeos na QUARTA-FEIRA. Entra em Câncer às 10h56min e logo faz quincunce a Saturno, ficando depois muitas horas sem maiores contatos com outros planetas. Dia em que podemos nos concentrar no trabalho se conseguirmos driblar algumas dúvidas e as oscilações de humor. Entrar em contato com os próprios sentimentos e alinhar-se com o coração pode nos trazer a serenidade necessária que nos ajude a entender tais oscilações de humor. Dia sensível e delicado. Estamos sensíveis e amorosos e os contatos com família e entes queridos são mais que beneficiados. Queremos cuidar e ser cuidados e o alinhamento com os sentimentos fica beneficiado, a ponto de percebermos o quanto andamos desconectados de nós mesmos devido aos excessos mentais recentes e ao vômito compulsivo das idéias. O dia pede que cuidemos da alma, que a alimentemos e nutramos de formas diversas: pelo contato profundo e genuíno com nossos amados ou mesmo pela apreciação de uma emotiva peça musical ou por um belo poema.

self portrait hannah hoch
Hannah Hoch – Auto Retrato – Reprodução

O Sol ingressa em Gêmeos na QUINTA-FEIRA, às 05h44min. A Lua faz trígono a Netuno em Peixes e conjunção à sua tutelada Vênus e as duas enfrentam juntas o poder sombrio de Plutão em Capricórnio e o radicalismo de Urano em Áries. Quinta também é dia de Júpiter e ele está em quincunce exato ao mesmo Plutão, que ainda recebe sesqui-quadratura do Sol Geminiano. A Lua fica vazia a partir das 21h37min. Dia deveras plutônico, com este planeta sendo ativado por todos os lados. Lua e Vênus formaM um belo par no céu noturno, mas tal espetáculo talvez não seja suficiente para aplacar a tensão que se acumula durante o dia, já que elas duas estão envolvidas com Urano-Plutão. O feminino se colore de sombras e tons dramáticos. A atmosfera fica pesada. Há uma cisão entre nossas necessidades emocionais e demandas externas que exigem maturidade, desprendimento, responsabilidade. Demandas profissionais criam pressão extra sobre assuntos e papeis familiares e diante de tantos desafios de “gente grande”, tecemos fantasias um tanto bipolares e, por que não dizer, esquizofrênicas, uma hora almejando ceder a impulsos regressivos de ser cuidados feito bebês no colo da mamãe, para no momento seguinte desejarmos onipotência e onisciência de super-homens e mulheres-maravilha. Desejos tão díspares e tão antagônicos apenas revelam seres humanos confusos diante da própria fragilidade e humanidade. É importante lembrar que fazemos escolhas diariamente e elas também nos moldam. Maturidade implica em fazer essas escolhas cientes dos sacrifícios que elas significam, mas que mesmo assim as fazemos porque os ganhos geralmente suplantam as renúncias e renúncias e frustrações também são determinantes nesse processo de maturação emocional e daquilo que nos tornamos como pessoas. Tendo isso em perspectiva fica mais simples lidar com certas crises e perceber que nem tudo precisa ser uma tragédia grega.

guilty
Photobox – Reprodução

SEXTA-FEIRA é dia de Vênus, que está em oposição exata a Plutão. A Lua, fora de curso em Câncer por todo o dia, realiza trígono a Quíron em Peixes e sextil ao Sol Geminiano, que hoje se opõe a Saturno. A Lua ingressa em Leão às 18h43min e já faz trígono a Saturno e também sextil com o Sol. Continuamos melindrosos depois dos rompantes emocionais de ontem. A sensação de opressão e compulsão continuam e na verdade se acentuam porque há também sentimento de cobrança excessiva e absurda. Sentimentos também de reprovação e inadequação, de sermos insuficientes, e não sermos bons o bastante para nossas funções, nossas relações e entes queridos… Voracidade e carência também nos fazem presa de muita insegurança e ficamos meio feito cão sem dono ou cão que sabe que fez mal feito… Choques com autoridades, chefes e afins lembram embates com a figura arquetípica do pai severo e judicioso que duvida de nossas intenções e propósitos, levando-nos, talvez, a uma verborragia inútil e caótica na tentativa de nos justificar diante deste pai tão austero. Entretanto, ao invés de nos sentirmos diminuídos podemos perceber a oportunidade de superar tais limitações e sentimentos de inferioridade através do comprometimento sincero e da disciplina aplicada, o que resultará e num sentimento de auto-respeito e auto-aprovação, onde o aplauso exterior se torna apenas conseqüência da ordem e da responsabilidade que adotamos como conduta pessoal.  A Lua entrando em Leão à noite e se afiando com Saturno vem confirmar que a brincadeira é melhor saboreada depois do dever cumprido.

10013327_894800163904206_8213806052775963693_n
Photobox – Reprodução

O fim de semana chega com a Lua em Leão fazendo sextil a Marte e a Mercúrio em Gêmeos no SÁBADO. A Lua ainda faz quincunce a Netuno, enquanto Vênus faz sesqui-quadratura a Saturno. Apesar das pontadas inconvenientes de incerteza que vêm e vão, o sábado está mais alegre e bonito, propiciando momentos agradáveis de relaxamento e favorecendo atividades dinâmicas e animadas, especialmente se forem ao ar livre. Isso se tivermos a coragem de assumir nossa alegria juvenil sem culpa – aí sim, podemos contagiar o mundo de cor e calor. Teremos coragem de viver esses momentos fortuitos de felicidade espontânea no meio do caos ou vamos demandar que a felicidade assine contrato para poder se manifestar?

1016578_579545688762990_1872915549_n
Photobox – Reprodução

Já no DOMINGO A Lua está toda prosa conjunta a Júpiter e em trígono a Urano, ficando vazia às 07h52min depois do contato com Urano. Marte está muito próximo da quadratura exata a Netuno. Domingo que teria tudo para ser luminoso e feliz, não fosse uma sensação de derrota e de mau pressentimento que fica se imiscuindo em nosso coração e mente. É preciso ficar atento para que nossa alegria genuína e inocente não nos torne presa de lobos maus ou bruxas malvadas que visam abusar de nossa boa fé. Alegria e generosidade tornam a vida mais afável e menos dura, mas não pode nos fazer cegos para o fato de que ainda teremos que lidar com dissabores e com a maldade alheia. Ainda haverá momentos em que teremos que abrir mão de certos desejos em nome de coisas maiores e mais importantes e nem por isso precisamos nos tronar sisudos ou amargos e cínicos, duvidando até de nossa sombra ou maldizendo nosso destino. Olhando por outro ângulo, o dia fica especialmente favorável para as artes criativas, para pintar, brincar, bordar, jogar…

Que sua semana seja bela, leve e luminosa!

balançoo
Google Imagens – Reprodução

Lua Nova em Touro: a transformação a partir dos valores e crenças

Crescent-Moon-GoddessA Lua é nova em Touro na madrugada de segunda-feira, 18 de maio, à 01h13min no horário de Brasília e às 05h13min no horário de Lisboa.

Uma coisa muito interessante que tem ocorrido nas recentes lunações é que elas estão ocorrendo na ordem inversa, isto é, normalmente teríamos a Lua Nova em Touro e 14 dias depois teríamos a Lua Cheia em Escorpião. Neste caso, tivemos primeiro a Lua Cheia em Escorpião no dia 04 de maio e só agora estamos tendo a Lua Nova em Touro, abrindo um ciclo cujo apogeu se dará com a Lua Cheia de Sagitário. É um recado bem óbvio o que recebemos com esta lunação “invertida”: para construirmos algo realmente sólido, durável e que valha a pena nosso esforço, consolidando isso no futuro (Touro), precisamos primeiro eliminar as estruturas arcaicas e podres, aquilo que nos impede de chegar ao âmago da nossa essência, da nossa verdade e do amor puro (Escorpião).  Esse “recado” fica especialmente forte quando olhamos o mapa da Lua Nova e vemos que Plutão está super destacado como foco de um Yod recebendo quincunces de Mercúrio estacionário em Gêmeos e Júpiter em Leão.

Lua Nova em Touro 2015O mapa dessa Lua Nova traz movimentos interessantes e que apontam mais um ciclo intenso à frente: a Lua Nova ocorre em oposição a Saturno retrógrado em Sagitário. Sim, é uma oposição fora de signo, com cinco graus de orbe, mas ainda assim, Saturno não é planeta que se possa ignorar impunemente. Principalmente porque a Lua Nova ocorre a um grau de oposição ao ponto em que Saturno estacionará em agosto, a 28 de Escorpião. Trabalho duro, sério e comprometido nos é pedido, como sempre; trabalho coeso quanto às nossas crenças empedernidas; trabalho de liberação do velho representado pela retrogradação de Saturno a Escorpião (sim, de novo, novamente, mais uma vez).

boca de siriAlém da oposição a Saturno, outra coisa que chama muito a atenção é o fato de Mercúrio estar estacionário, a algumas horas de se tornar retrógrado em Gêmeos, sendo uma das pernas que forma o Yod a Plutão. É momento de falar menos, de calar mais, de falar pouco e dizer muito; voltar-se pra dentro, buscar a lucidez interior, ao invés das luzes ilusórias dos letreiros lá de fora, que nos poluem com excessos de informação que nada ensinam, apenas assoberbam a mente de coisas inúteis e efêmeras. Desacelerar. Mercúrio também está fora dos limites do Sol, o que demanda mais atenção quanto aos processos mentais e à comunicação, porque nesta situação a ação do planeta é imprevisível: pode ser incrivelmente boa e benéfica ou absolutamente desastrosa. Estacionário-retrógrado e Fora de Limites! O que esperar deste Mercúrio? Insights magníficos guiados pelo Hermes mágico-Psicopompo ou idéias obtusas e absurdas de um trickster que pode nos levar ao desastre completo? Um ou outro, precisamos ficar atentos!

Guillemot Alexandre Charles, Mars and Venus Surprised by Vulcan detail 1827.Vênus, regente da Lua Nova, está em Câncer, aproximando-se do confronto com Urano-Plutão. Continua Fora dos Limites do Sol por declinação, a 25°44’ ao Norte. Continua tendo sua expressão extremada, só que agora, ao invés de extrapolar na superficialidade como quando estava em Gêmeos, Vênus pode se desmesurar nos cuidados e no desejo de vinculação, ou ainda, a dependência emocional fica exacerbada, aumentando o conflito entre independência e intimidade, já sinalizado pela T-Square que já está bem evidenciada neste mapa, mas que se efetivará daqui a quatro dias quando a oposição a Plutão ficar plena. Sendo a Lua Nova em Touro, a posição de Vênus é ainda mais importante: nossos relacionamentos precisam ser mais genuínos e acompanhar nosso desenvolvimento e evolução, ao invés de tentarmos congelá-los por receio de perder o amor do outro, ou pior ainda, de perder o outro, o que conota a necessidade da posse. Isso me lembra aquela citação: “não somos mais a pessoa do ano passado, nem o são as pessoas que amamos; que feliz coincidência que nós, tendo mudado, continuemos a amar a outra pessoa mudada” ( S. Maughan). É isso que precisa ficar claro com Vênus na berlinda: relacionamentos são coisas dinâmicas e vivas, orgânicas, assim como o são as pessoas; é insanidade esperar que eles permaneçam sempre os mesmos, que não se modifiquem e se alteram, já que nos nos modificamos e nos transformamos continuamente. Vênus aponta ainda para a necessidade de vivermos de forma mais autentica, a partir de nossos valores mais profundos, e não a partir do verniz e daquilo que os outros esperam de mim. Vale se perguntar de novo: quais valores norteiam minhas relações hoje?

Inconsciente – Transformação é a palavra chave com Plutão espremido nesse Yod, recebendo quincunces de Mercúrio e Júpiter; transformação que nasce de uma mudança nas nossas crenças; na percepção dos vícios mentais que tornam a mente uma prisão e não uma ferramenta de evolução, desenvolvimento e sabedoria. A mente inferior e a mente superior precisam se alinhar, precisam estar de acordo, em sintonia, do contrário nossos desejos de transformação serão apenas idéias fantasiosas de que tudo se resolva sem esforço, num passe de mágica. Interessante é que os mesmos Mercúrio e Júpiter, além de se comunicarem com Plutão, também conversam com Urano, Júpiter por trígono e Mercúrio por um sextil amplo. A mente é sempre a peça chave na transformação pessoal que precisa ocorrer na vida. A mente pode ser elemento de ilusão ou de despertamento.

corpo altarTouro nos fala dos sentidos, da experiência de se descobrir encarnado num corpo que tem muitas necessidades fisiológicas, mas que também pode ser fonte de prazer e gozo, de talentos e habilidades que nos dão um senso de valor e amor próprio, auto-estima, que nos faz perceber valor também no outro, reconhecer o outro também como portador de talentos que agregam valor à experiência e às trocas humanas.  Um corpo fecundo e que propicia nossa realização no mundo. O Símbolo Sabiano do grau 27 de Touro (26°55’) traz uma imagem que remete exatamente a esses talentos e habilidades: “Uma velha índia vendendo miçangas e cordões”. Não importa quão simples nossas habilidades e talentos possam ser, quão “primitivos” pareçam ser, o que importa é o valor que damos a eles, assim como a auto-estima e o amor próprio reverberam e encontram eco na forma como somos tratados pelos outros. No sentido contrário, às vezes nos deixamos levar pelo olhar que diminui e inferioriza, mas esse olhar somente tem poder se nós permitimos que tenha. Falando deste símbolo, Lynda Hill alerta exatamente para isso, para a necessidade de nos valorarmos adequadamente e não nos subestimarmos a partir de avaliações detrimentais dos outros. Ela fala ainda que nossas limitações muitas vezes apontam talentos escondidos e aos quais não damos o devido valor, um tema bastante Saturnino.

Esta Lua Nova nos convida, pois, a renovar intenções acerca dos valores que norteiam nossas ações; a fortalecer a auto-estima a partir da valorização dos nossos talentos e habilidades; a transformar a vida a partir da transformação das crenças e de um despertamento para os mais potentes e belos potenciais da mente; e também a celebrar o corpo, não pela alienação dos sentidos , mas pela aceitação e uma encarnação plena, o único lugar possível da experiência humana, onde podemos buscar nosso melhoramento e evolução; celebrar o corpo no prazer responsável, que também pode ser vetor de transformação pessoal positiva – antes, porem, precisamos nos livrar da pele velha para poder celebrar este corpo novo, cheio de talentos e habilidades, alguns dos quais talvez até desconhecêssemos. Touro, sendo o primeiro signo de Terra, também aponta para possibilidades de materializar e de consolidar essas intenções de forma real e palpável no mundo.

Feliz Lua Nova, feliz encarnação para você!

jason levesque - stuntkid

Pessoal, estou com conexão limitadíssima de internet, por isso não
Coloquei créditos nas fotos. Assim que voltar para casa edito tudo por aqui. Grata pela compreensão!

A Semana Astrológica: Simplifique e desobstrua!

lua crescente 1
Christian Schloe Digital Art – Reprodução

Semana de 11 a 17 de maio

A semana começa com a Lua ficando Minguante às 07h53min da segunda-feira, emprestando um tom mais analítico e introspectivo aos dias adiante. O minguante acontecendo na quadratura Aquário-Touro sugere desapego redobrado e reavaliações na área das amizades e networking. Convida a simplificar a vida de todas as formas possíveis; que identifiquemos apegos a coisas físicas ou visões obtusas que impedem nossa evolução, ou que impedem nossa liberdade e movimento no mundo; verificar também de onde derivamos nosso senso de segurança e se isso continua válido ou se nos dá apenas uma pseudo estabilidade. Mais ainda, como nosso estilo de vida materialista e consumista pode estar afetando e impactando na saúde geral do planeta, no uso dos recursos e na nossa própria saúde psiquíca. Se algo está velho mas ainda tem serventia, também podemos reciclar. Simplificar é o verbo da semana.

anttonio mora
Antonio Mora – Reprodução

As reflexões de fato ganham peso extra nesta semana pois Mercúrio está super realçado desacelerando em Gêmeos para estacionar no domingo, além de fazer vários aspectos interessantes: ensaia sextil a Júpiter em Leão e quincunce a Plutão em Capricórnio, formando um Yod, aspectos e configuração que não se completarão antes que ele retorne do período de retrogradação  – Mercúrio já está na sombra da retrogradação desde o dia 4 de maio. A quadratura Mercúrio-Netuno foi exata no sábado, mas se arrasta por muitas semanas mais por causa da retrogradação, portanto, fiquemos atentos às armadilhas causadas pela mente confusa e dispersa.Nem tudo é o que parece. Estmos indo ou voltando? Embustes estão propícios de acontecerem, arquitetados por nós ou contra nós, mesmo que inconscientemente. O “mundo de maia” é uma realidade por estes dias, se é que esse paradoxo faz qualquer sentido. Distorção da realidade, enredos fantasiosos, comunicação truncada e cheia de coisas não ditas nem verbalizadas claramente podem atrapalhar o andamento de negócios e realizações de projetos pelas próximas semanas.

lightworkersworld
Lightworkersworld – Reprodução

O Sol segue pelo último decanato de Touro, fazendo sextil a Quíron nesta semana, favorecendo processos de cura e o auto-perdão, assim como a aceitação dos aspectos menos luminosos da personalidade e identidade.

Vênus anda um pouco solitária no início de Câncer, fazendo apenas um trígono a Netuno por estes dias, o que aumenta seu anseio por inclusão e vinculação. Romantismo e sensibilidade permeiam toda a semana, exacerbado ainda mais porque Netuno também é ativado por Mercúrio. Saudades de casa, saudades de um tempo que não volta, saudades da mãe, saudades de um não sei o quê… Saudades do útero.

pattyenglish
Pattyinglishms.hubpages – Reprodução

Marte acelera e ganha velocidade entrando em Gêmeos às 23h41min da segunda-feira, inaugurando um período em que nossa espada é a palavra, lutamos com o verbo e a com mente, mas talvez essas lutas não sejam muito claras, ou talvez não haja clareza de quem é o “inimigo” ou qual é a “causa”, já que Mercúrio logo ficará retrógrado na quadratura a Netuno – de novo esse trickster sendo realçado! Ao entrar em Gêmeos, Marte se opõe a Saturno em Sagitário, sinalizando uma semana bastante travada e propensa a bloqueios que dificultam o andamento das coisas, das decisões e do trabalho em geral. Sensação de se estar sendo esmagado pelas crenças, opiniões e atitudes alheias ou de que o mundo se coloca no  nosso caminho impedindo nosso caminhar. É melhor não “bater de frente” com ninguém, porque os egos estão inflamados e a tendências é nos envolvermos em jogos de perde-perde. Nem tudo acontece por minha causa porque eu não sou o centro do mundo, sempre é bom ter isso em perspectiva.

Júpiter está em quincunce a Plutão, exato na semana que vem, enquanto se aproxima também do trígono a Urano, aspecto este perfeito somente em 22 de junho.

Isaac.tumblr
Isaac.tumblr – Reprodução

A Lua, como já disse, segue na fase Minguante-Balsâmica, fazendo aspectos com o Sol e os demais planetas, enquanto viaja pelos signos de Aquário, Peixes, Áries e Touro. Será nova na madrugada da segunda, 18, à 01h13min no horário de Brasília e às 06h13min no horário de Lisboa.

bird-heder
Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA reflete bem a energia da semana com a Lua em quadratura ao Sol e oficializando o minguante às 07h35min, ficando fora de curso logo depois deste aspecto com o Sol. Dia difícil de acionar as engrenagens para trabalharem a todo vapor. O clima é de placidez e morosidade, o que sugere organizarmos a agenda de forma a trazer para a linha de frente os assuntos que demandam reavaliações e análise mais aprofundadas das coisas que desejamos conhecer melhor. O minguante também favorece encerramentos e finalizações de situações diversas, que busquemos o destravamento das coisas empacadas para podermos nos liberar para as próximas fases. O minguante é análogo ao inverno, um período em que a terra descansa e se refaz, se recupera para a próxima safra, é momento, pois, de preparar e arar o terreno para o próximo plantio. Assim, não é propício para nos lançarmos em novos projetos que sejam muito audaciosos e que demandem força e energia definida, mas para projetarmos as movimentações futuras.

intransigente
Reprodução

TERÇA-FEIRA é dia de Marte, que recém entrou em Gêmeos, regido por Mercúrio, que anda bem capcioso por estes dias. Marte se opõe a Saturno em Sagitário e a entrada da Lua em Peixes forma uma T-Square mutável e ultra-melindrosa, ativa na madrugada e piorada pela influência, mesmo que distante, de Netuno. A Lua se harmoniza com Vênus em Câncer durante a manhã, mas no fim do dia, aliada a Netuno, faz quadratura a Mercúrio em Gêmeos. Dia em que nos sentimos encurralados e o perigo parece vir de toda parte. Sentimo-nos expostos, vulneráveis e desprotegidos e por não conseguirmos nos defender de forma efetiva, talvez recorramos a métodos pouco honestos de contra-ataque ou talvez tentemos manipular aos outros, tiro que pode bem sair pela culatra. Sentimo-nos vítimas de bullying e enquanto pode haver, de fato, pitadas de crueldade e intimidação no ar, muito também pode ser fruto da nossa imaginação e sensibilidade exagerada, o que nos torna suscetíveis de nos sentir ameaçados e punidos pessoalmente mesmo quando as medidas amargas são dirigidas a todos. Conflitos, discussões e entraves fazem o dia ficar difícil e irritante. A saída é buscar conciliação e dar o benefício da dúvida ao outro antes de concluir de tirar conclusões precipitadas. Armar-se de doses extras de paciência e não levar tudo para o pessoal também pode ajudar a evitar muitos mal-entendidos.

cookiepeste.tumb
Cookiepeste.tumblr – Reprodução

A Lua Minguante e Pisciana está em conjunção a Quíron na QUARTA-FEIRA. Antes disso, porém, se alia a Plutão em Capricórnio e os dois encurralam Júpiter num Yod por algumas horas. A Lua ainda se harmoniza com o Sol em Touro, ficando vazia após este contato, às 13h55min. Antes de entrar em Áries ela ainda se irrita de novo com Júpiter por uma sesqui-quadratura. Introspecção extrema, vulnerabilidade e delicadeza dão o tom do dia. Além de grande abertura psíquica, a energia propicia um exame mais acurado de nossas sensibilidades e a forma como lidamos com nossas mágoas e feridas. Momento favorável ao auto-perdão e a curar a nós mesmos com o bálsamo da auto-compaixão. Estamos muito sensíveis às influencias externas porque as barreiras entre nós e os outros estão tênues e diluídas, assim, é bom ficar atento também quanto à instabilidade de humor porque certas tristezas e angustias talvez não sejam exatamente nossas, mas apenas as captamos na atmosfera ao nosso redor. Possivelmente alguém pode precisar de nossa ajuda, mas antes de irmos às vias de fato, é preciso ter certeza se estamos fortes o bastante para ajudar e se o outro quer ser ajudado, ou corremos o risco de ser invasivos e desrespeitosos e pior ainda, de nos contaminar com coisas que não damos conta de administrar.

female boss
Do Pinterest – Reprodução

A Lua ingressa em Áries às 02h14min da QUINTA-FEIRA. Faz trígono a Saturno em Sagitário e sextil a Marte em Gêmeos, funcionando como mediadora dos conflitos entre estes dois. Entretanto a Lua tem seus próprios conflitos para dirimir, pois quadra sua tutelada Vênus em Câncer. No fim do dia se afina com Mercúrio, que entra em orbe de quincunce a Plutão, tornando-o foco de um Yod que tem por base o sextil Mercúrio-Júpiter.  A Lua fica Balsâmica neste dia ao fazer semi-quadratura ao Sol. Dia mais fluido e dinâmico do que os anteriores. Estamos mais enérgicos e cheios de atitude, dispostos a levantar cedo da cama e correr atrás do que for necessário para desobstruir a vida. Cientes das limitações que nos cercam, não nos fazemos de rogados e trabalhamos de maneira a contorná-las levando em consideração suas lições. Entretanto, nem tudo é tão simples assim e embora estejamos cheios de boas intenções o mundo parece nos apontar o dedo, discordando de nós de forma veemente: muitos de nossos objetivos para o dia talvez não se realizem deixando-nos frustrados feito criança de quem roubaram o doce ou criança que levou um pito. Subordinados ficam sujeitos a serem vitimas do mau humor do chefe, especialmente se ela for mulher – competição entre amigas e mulheres em geral também é possível, especialmente entre mães e filhas. Como diz o ditado, “manda quem quer, obedece quem tem juízo”. Paciência, paciência, paciência. Oremos!

io9
Io9.com, via Pinterest – Reprodução

Na SEXTA-FEIRA a Lua Ariana se afina lindamente com Júpiter em Leão, mas está em conjunção a Urano e brigando com Plutão em Capricórnio. Fica fora de curso às 09h05min, trazendo outro dia inteiro sem propósitos objetivos claros. Mas pior mesmo é que Marte, regente desta Lua Balsâmica e esquentada, está em oposição plena a Saturno hoje e a sensação de bloqueio e de nos sentirmoss emagados fica super aguda. Dia tenso, complicado, difícil. Agressividade passiva deixa o dia carregado de hostilidade, embora não necessariamente expressa de forma aberta e clara, o que torna tudo ainda mais difícil, porque não temos certeza se fomos mesmo ofendidos ou não… Sentimo-nos diminuídos e talvez até humilhados, sem conseguir entender direito o porquê. A raiva se acumula internamente aumentando a sensação de frustração e conseqüentemente a propensão a acidentes idiotas, mas potencialmente graves, especialmente porque a atenção está dispersa  e os caminhos mal sinalizados. Embora as energias estejam super inflamáveis, é recomendável que se ventile os agravos, da forma mais madura possível, do contrário a raiva interior nos corroerá por dentro trazendo efeitos ainda mais destrutivos do que poderíamos supor. Obviamente, antes de qualquer conversa é recomendável muita tolerância e paciência. Se quisermos evitar as manifestações negativas deste trânsito, podemos imergir num trabalho que demande grande concentração e estamina mental – assim possivelmente evitaremos as disputas mesquinhas de ego que só diminuem e minam a confiança mútua entre os envolvidos.

comadres
Do Flickr – Reprodução

O fim de semana chega com a Lua Balsâmica e escura fechando a última fase do ciclo ao ingressar em Touro no SÁBADO. De lá ela faz quincunce a Saturno, mas conversa harmoniosa com Netuno e fica em recepção mútua com Vênus em Câncer – as duas estão feito duas comadres trocando receitas de bolo! O dia fica mais afável e harmonioso do que os que o precederam. Clima caseiro favorável para limparmos e harmonizarmos o lar com coisas bonitas e agradáveis e também para conversas intimistas com gente muito próxima ao redor de um belo café ou bule de chá, que aqueça o coração e nos faça sentir aconchegados, confortáveis e amados. Olhamos para o futuro e fazemos planos com aqueles que amamos e confiamos.

Vladimir Ovtcharov
Vladmir Ovtcharov – Reprodução

O DOMINGO chega com uma energia super introspectiva que nos convida a solilóquios conosco mesmos. A Lua Taurina faz quadratura a Júpiter em Leão, mas também se harmoniza com Plutão em Capricórnio, o que adensa sua busca de reflexão e exame interior. É dia de ficar no casulo, de voltar a ser semente, mas se quisermos alguma atividade, podemos cavoucar o jardim e preparar vasos e mudas para usar bem esta energia. Caminhar no parque ou em locais de natureza exuberante e vicejante também podem nos ajudar a sentir mais vivos e revigorados, além de nos fazer entrar no clima de renascimento e regeneração trazidos pela Lua Nova em Touro que acontece na madrugada de segunda. A esta altura já deveremos ter nos desobrigados e liberado das avaliações do fim do ciclo e devemos estar em standby, em repouso , usufruindo de um  merecido descanso. O dia está mais pacifico, embora não exatamente favorável para grandes reuniões ou encontros tagarelas. Programas mais caseiros ou rurais são mais recomendáveis. Aproveite!!

Que sua semana seja de alegria, compreensão, tolerância e muita paciência – porque vamos precisar!

OBS> Para qem acompanha a página do Facebook: nesta semana estarei em viagem (Bah, Thê, vou finalmente conhecer o Rio Grande!!) e vou aproveitar para tirar uns dias de descanso. Portanto, as postagens diárias serão apenas recortes dos dias já interpretados aqui neste post de A Semana. Grata pela compreensão!

But a Dream Within a Dream kingabritschgi.deviantart
Kingabritschgi.Deviantar – But a Dream Within a Dream – Reprodução

Mãe: padecer no paraíso?

Mãe
Do Google Images – Reprodução

Vênus está em Câncer neste dia das mães (10/05/2015), parecendo favorecer a celebração desta data tão importante para a cultura ocidental. Como eu dizia no post sobre Vênus em Câncer, este é um posicionamento que nos remete não só à figura da Mãe, mas também à da parteira, aquela que ajuda a trazer vida nova ao mundo, aquela que media a vida, que tem um pé no outro mundo, já que vai lá agarrar a criança do “outro lado” da fronteira, na dimensão da pré-vida, para trazê-la para o mundo da encarnação e da matéria, sejam estas crianças de carne e osso ou feitas de qualquer outro material que não a carne humana.

Neste artigo uma leitora comentou algo que achei muito pertinente e que trago aqui: “Não tenho duvidas que para canalizar positivamente esta posição (Vênus em Câncer) é preciso muito labor quanto à construção da sua própria identidade. Assim temos um reposicionamento: saímos do cuidado infantil, super protetor e dependente, para de fato construir-se num lugar de cuidado maduro, ainda compassivo, mas firme e seguro com o outro. Penso que a figura simbólica da parteira que você utilizou no aprofundamento desta posição foi também tão adequado para este momento: final de semana do dia da mães. Em termos sociais e políticos há uma discussão intensa sobre as novas configurações familiares e seus papeis, sobre o papel da maternar que não precisa ser somente de um gênero, da importância de se dispor a conhecer uma nova lógica de cuidado na saúde, enfim toda uma ampliação de conceitualização sobre cuidar. De fato uma re-significação.” Sim, Taís, concordo com você. A maternidade e a nova família em suas diversas configurações precisam vir para a pauta do dia, precisam ser discutidas. Por outro lado, a maternidade, per si, é uma prerrogativa da fêmea, assim como a doação do semen é prerrogativa do macho. Falo do ato de gerar e de parir e seus desdobramentos, no caso da mulher, na espécie humana, sobre a vida e a psique femininas.

Catherine Abel
Catherine Abel – Reprodução

As configurações deste domingo das mães parecem dar pano pra manga para adensar esta discussão. Eu diria que são, no mínimo, provocativas. A Lua em Aquário é a menos maternal das Luas, desejando se expressar de forma livre e desprendida, livre de responsabilidades amorosas, desapegada e distanciada. Busca maternar a humanidade e não a um filho carne da sua carne, sangue do seu sangue (estou falando de um arquétipo puro, no casa de Lua natal, obviamente essa Lua sofre a influência de aspectos e o resto do mapa também deve ser levado em consideração). Vênus em Câncer, que poderia ser super maternal e doce, está em quincunce exato a Saturno, adicionando ainda mais ambivalência a essa questão.  Aliás, o quincunce natural formado por Câncer-Aquário, salientado por Lua e Vênus, aponta imediatamente para esse dilema entre maternagem e liberdade, criar vínculos ou preservar a individualidade.

parto (2)

O que me leva a uma reflexão sobre o peso da maternidade na nossa sociedade. Na nossa cultura as mães são endeusadas e mistificadas há séculos, postas num pedestal. Sim, devemos tudo a elas, uma vez que lhes devemos a vida. O ponto é que sendo a mãe colocada num altar, a maternidade corre o risco de se tornar um fardo enorme para essas mulheres, que são apenas pessoas comuns e humanas, sujeitas a sentir raiva, ressentimento, tristeza, desamor, a ter dias ruins, como todo mundo. Os clichês nos dizem que “ser mãe é padecer no paraíso”, que mãe é toda amor, proteção e ternura. Sempre. Enquanto não estou duvidando que o amor materno seja incondicional e incomensurável, isso me lembra que a essas mulheres não é permitido admitir suas ambivalências acerca da maternidade.

mae e bebe
Do Google Images – Reprodução

Pense comigo: ter um filho é um rito de passagem que significa uma morte. A mulher morre como filha e jamais será a mesma; sua vida livre e solta se acaba de forma definitiva porque haverá, para sempre, um ser (ou mais de um) que lhe ocupará pensamentos, tempo, atenção e por um longo tempo este ser será completamente dependente dela para absolutamente tudo. Ela não conseguirá mais sequer ir ao banheiro sozinha – momento que simboliza o cúmulo do conceito moderno de privacidade – porque um filho estará com ela a demandar sua atenção. Crianças são seres tirânicos que demandam atenção e energia em tempo integral, permanentemente. E eu tenho certeza que todas as mães, absolutamente todas, já sentiram, em algum momento de suas vidas, vontade de desaparecer, ou melhor, de fazer aquela criança desaparecer, nem que fosse momentaneamente – algumas talvez tenham tido ímpetos assassinos em alguns momentos; outras às vezes têm ataques de raiva e fúria, ressentem-se da falta de tempo e liberdade, do excesso de cobranças… E depois morrem de culpa e se sentem mães desnaturadas, mães terríveis, quando talvez tenham apenas sido humanas nas suas reações diante de criaturas extremamente exigentes que literalmente lhes sugam todas as energias. Muito disso é porque na nossa cultura não é dado à mulher reconhecer suas ambivalências, reconhecer que não importa quão infinito e incondicional o amor por aquele filho seja, em alguns dias ela gostaria de ter um tempo só para si, de não ter responsabilidades, de não ter filhos lhes puxando as saias… De voltar a ser uma filha sem maiores compromissos que não fosse o de cuidar de si mesma.

Mae negra
Desconheço o autor – Reprodução

Lua em Aquário vem nos convidar a refletir sobre isso no dia das mães. Vênus em Câncer em quincunce a Saturno em Sagitário aponta para esta ambivalência de forma gritante: a responsabilidade que o amor implica, as renúncias à liberdade e o peso do compromisso com o ser amado, seja ele um filho ou o parceiro. Lua e Vênus em signos tão antagônicos também vêm nos falar do conflito entre ser mulher independente e ser mãe; do quanto sacrificam de seus desejos femininos e pessoais em função da maternidade.

parto
Reprodução

Eu não sou mãe – por motivos diversos e conjunturas que não vêm ao caso mencionar aqui – e talvez, apenas talvez, jamais parirei um filho de carne e osso que saia do meu ventre. E embora eu possa dizer que não fui mãe até hoje por questões circunstanciais, essas ambivalências para mim sempre foram muito evidentes. Filho é algo para sempre, não tem retorno. Assim como o mapa natal, não dá para dizer para o divino: “olha só, não gostei, dá pra trocar?” Ou então “Deus, cansei da brincadeira, posso devolver?”. Embora a maternidade represente delícias impossíveis de serem postas em palavras e que somente a vivência é capaz de explicar, pela minha observação da vida de amigas, irmãs e outras mulheres importantes para mim, sei que ser mãe também tem suas agruras muito além das noites mal dormidas porque o filho tem dor de barriga, mas o fato é que pouco se fala disso, da ambivalência que toda mulher provavelmente sente acerca da maternidade, embora, no fim do dia, ao por o filho na cama ela perceba e sinta que faria tudo de novo para ter nos braços aquela pequena criatura, aquele pequeno tirano, que preenche tanto a sua vida de tantas maneiras. “Ser mãe é padecer no paraíso”. Sim, parece que o clichê, afinal, reflete brilhantemente a dubiedade que cerca a maternidade. Contudo, penso que nos dias atuais não se pensa muito sobre seus significados mais profundos. Infelizmente.

Montserrat Gudiol
Montserrat Gudiol – Reprodução

De novo: eu não sou mãe, não tenho autoridade nenhuma para falar disso. Estou falando a partir da minha experiência com clientes, da forma como experimentaram suas mães, das expectativas que tinham sobre elas, e de quanta confusão foi criada em função disso, de essas mulheres talvez não poderem admitir suas ambigüidades sem culpa, nem que seja apenas para elas mesmas; de não perceberem que não há nada de errado em duvidar, às vezes; que não são monstros por quererem sumir de vez em quando, por questionarem suas escolhas… Porque quando admitimos nossas dúvidas, elas deixam de ser um bicho-papão e param de nos assombrar; e então não precisamos ter rompantes de fúria cega que amedrontam todos à nossa volta, filhos ficando aterrorizados com aquela mãe terrível que abduziu sua mãe amorosa e compreensiva, tomando o seu lugar; e certas mães não precisariam atuar essa dúvida na forma extremada do abandono de recém-nascidos, ou mesmo em maus tratos absurdos infligidos  a seus rebentos – sim, eu sei que a questão da violência materna não é tão simplista assim, apenas desconfio que essas mulheres atuam e manifestam energias e frustrações que não são somente delas como indivíduos, mas que pertencem a todo o coletivo. Mulheres cuja ambigüidade é maior do que o amor materno – isso me lembra a Mrs. Dalloway de Virginia Wolf. Não sei o que dizer sobre isso. Não sou mãe, não sou psicóloga nem nunca estudei o assunto a fundo – como disse, estou tecendo provocações. Mas admitir para elas mesmas seus sentimentos já é muita coisa, assim talvez percebam que o filho não tem culpa de nada. E poderão, penso eu, se responsabilizar sem tanto peso, pelas escolhas sem volta que fizeram.

blogs.babble
Do blog blogs.babble – Reprodução

Enfim, eu estava escrevendo sobre o céu do fim de semana quando tudo isso me ocorreu ao olhar Vênus-Saturno e a Lua Aquariana. Acho que as famílias seriam mais saudáveis se as mulheres pudessem admitir suas ambivalências sem tanta culpa e tanto peso. E se os filhos se lembrassem que suas mães erram, que são falíveis, que são apenas humanas e não santas perfeitas como quer nos fazer acreditar a cultura e o comércio no afã de vender mais. E se os mesmos filhos lembrassem também que, a despeito de todas as dificuldades e sacrifícios, de toda a ambivalência, admitida ou não, elas resolveram trazê-los à luz, renunciando a tanta coisa e a outras formas de vida, porque na balança do que vale a pena, elas escolheriam tê-los de novo, simplesmente porque o amor não tem explicação nem medidas, porque a maternidade tem, sim, compensações que as palavras jamais conseguirão traduzir. E lembrassem ainda que na hora do sufoco, por causa de um filho, uma mulher vira um bicho feroz e é mesmo capaz de matar, se necessário for, para defendê-lo.

Eu tive o enorme privilégio de ter duas mães. Minha mãe biológica morreu quando eu tinha quatro meses de nascida. Tinha apenas 35 anos e eu não a conheci – não tenho sequer fotografias, absolutamente nada. Mas a tenho no meu coração e a ela sou e serei profundamente grata por toda a vida, por ter escolhido me ter, a despeito da vida dura e cheia de incertezas que ela teve. Também sou profundamente grata, e sempre serei, à minha tia, que me criou como filha e que me deu tudo o que tinha, que fez tudo o que podia para eu ser o que sou. A essas mulheres simples, comuns e profundamente humanas, eu reverencio e honro. Diante delas me dobro e me curvo e lhes apresento toda a minha mais profunda gratidão!

Obrigada, Mãe! Obrigada Mães!

OBSERVAÇÃO / EDITADO:

Algumas/alguns leitoras ou leitores podem achar que carreguei nas tintas, como me apontou uma leitora na página do Facebook. Sim, é verdade que carreguei nas tintas falando de filhos tirânicos e mães que desejam desaparecer. Talvez esses sejam os extremos da polaridade, mas a sombra é mesmo uma figura de extremos. Se a cultura e a sociedade alimentam e reforçam a fantasia da super mãe e da mãe perfeita e as mulheres se cobram caber nestes modelos, no fim do espectro, para compensar, teremos sim, a imagem da Mãe Terrível e Tirânica como sombra, ameaçando irromper a qualquer momento de descuido. Portanto, quanto mais nos reconhecermos como comuns e assimilarmos e admitirmos as ambivalências, como já repeti tanto acima, menos propensos estaremos a cair presas do complexo materno da Mãe Terrível.

Mother - Margarita Sikorskaia
Margarita Sikorskaia – Reprodução

Vênus em Câncer: parteira e mediadora.

Arnold_Böcklin-Venus-Anadyomene-venus rising from the sea-1872
Arnold Böcklin – Venus Anadyomene Venus   elevando-se do mar Reprodução

Assim como em Virgem, Câncer é outro posicionamento de Vênus pouco explorado e sujeito a clichês e frases feitas: boa cozinheira, grudada na mãe, sensível e cuidadora, sentimental, etc., etc. Mas será que é só isso? Confesso que tendo eu mesma Vênus em Câncer – e eu adoro minha Vênus! – essas definições sempre me frustraram. Não porque não sejam verdadeiras – olha, pode apostar que eu sou uma excelente cozinheira, algumas das minhas especialidades são famosas aqui pelas bandas de Cuiabá, quem provou que o diga – mas porque acho que são superficiais, só contam parte da história.

Câncer é sim, um signo romântico, sensível e compassivo, de natureza introspectiva e de sentimentos profundos. Vênus aqui busca vínculos duradouros, expressa afeto cuidando e nutrindo de formas diversas, fazendo o outro sentir que pertence, seja ao redor de uma mesa abundante, seja ao oferecer compreensão e colo num momento difícil ou mesmo através do riso compartilhado – sim, ela tem humor! E você já viu coisa que favoreça mais o criar laços do que o riso compartilhado? Rir junto das mesmas coisas definitivamente une as pessoas, às vezes mais do que compartilhar momentos tristes ou lágrimas (1).

erika craig
Erika Craig – Reprodução

Tímida, quando atraída por alguém, vai “comer pelas beiradas” e dificilmente usará a abordagem direta – a não ser que haja outros posicionamentos no mapa indicando o contrário – por receio de se machucar. Sim, pode ser um posicionamento defensivo e o receio de se entregar existe porque o indivíduo sabe que uma vez entregue, não tem volta: a entrega é profunda, por inteiro, corpo e alma – daí a necessidade de se preservar, porque da mesma maneira, se a entrega é tão profunda, as marcas serão indeléveis e caso a relação dê errado, será muito difícil se desvincular e superar a perda. Não existe estar “mais ou menos envolvido com alguém”, ou se envolve ou não – algo muito diferente da Vênus Geminiana. Vulnerável, vai fazer muito para esconder o que realmente sente para não se expor e só se revelará realmente se se sentir em águas seguras.

homem e mulher
Reprodução

Segurança emocional, vínculos duradouros, pertencimento, compaixão, intimidade profunda são certamente valores desta Vênus tão tenaz quanto sensível. Mas para além dos vínculos afetivos e dos sentimentos profundos, o que mais expressa e significa essa Vênus? Vênus em Câncer, diz Liz Greene (2), é uma parteira, uma mediadora que se conecta com os reinos oceânicos da imaginação e que busca trazer à luz e dar forma a essa riqueza oceânica de imensa e infinita criatividade. Ela tem uma conexão profunda com esses tesouros ancestrais e oceânicos e quer ser amada de maneiras várias que a ajudem a manter essa conexão, a trazer toda essa fecundidade à luz, que a ajudem a ser essa parteira que dá vida a esses elementos incorpóreos, a mediar os reinos invisíveis para o reino do visível. Dar forma à incomensurável criatividade e imaginação. Esse é o seu valor mais profundo: a fecundidade da natureza e da vida, por isso seu instinto de proteção é tão aguçado.

Robert Hagan, Australia
Robert Hagan, artista australiano – Reprodução

Câncer é regido pela Lua e Lua e Vênus têm muitas afinidades: as duas querem vinculação, as duas são gregárias, portanto, não é à toa que a Lua está exaltada em Touro. A Lua é o luminar que representa tanto os sentimentos quanto o corpo, e em Câncer, Vênus conecta-se de forma visceral, tanto a partir do sentimento quanto a partir do contato físico, do corpo – daí sua sensualidade também enorme, embora não tão explícita quando em Touro – porque o corpo é o templo do sentir e através do qual, sendo ela parteira, tantos “filhos” e criações são paridos, sejam filhos de carne e osso, sejam eles poemas derramados, canções enlevadas ou telas carregadas de sentimentos, não importa, o importante é que serão conteúdos que tocam o cerne da alma das pessoas de uma forma difícil de definir – como indefinível e misteriosa pode ser também essa Vênus.

Reprodução
Reprodução

Câncer é o signo também da memória e aqui Vênus guarda lembranças preciosas de todas as relações. Gosta de guardar objetos de valor sentimental e às vezes pode ser difícil se desfazer deles, assim como pode ser difícil esquecer os amores. Há grande dificuldade de se desapegar dessas recordações palpáveis, como cartas, presentes, bilhetes, uma flor, um artefato qualquer que lembre aquele encontro ou aquele dia especial… E como tal, vai ter dificuldade de dizer adeus, apegada a todas essas lembranças. Às vezes, Vênus em Câncer luta para esquecer um amor que não deu certo, uma relação desfeita, mas sabota a si mesma porque apega-se ao próprio sofrimento, porque paradoxalmente sente que depois de tudo terminado, o sofrimento que restou é a única coisa que a liga ao bem amado, agora fora do seu alcance… Até que ela perceba que se apega ao sofrimento como forma de manter viva a memória do amor perdido, chorará rios de lágrimas, delongando, desnecessariamente, sua dor. É, definitivamente desapego não é o seu forte (2).

Reprodução
Reprodução

Dependência emocional pode ser um problema, mas apenas se o indivíduo não descobriu e solidificou um senso de valor e auto-estima próprios; se a parteira não está de fato trazendo `à luz vida nova, se não é a medium, o canal que contribui de uma forma toda sua com a beleza no mundo. É necessário manifestar o potencial criativo, sentir-se fecunda e doadora de vida, sentir que tem valor em si mesma, independente do outro estar ou não na sua vida. Porque dependência emocional e apego estão diretamente relacionados com falta de autoconfiança e de auto-estima sólida e saudável. A dependência também é equilibrada caso haja Fogo e Ar suficientes no mapa ou um Saturno ou Urano fortes para contrabalançar uma possível necessidade excessiva de vinculação, se for o caso – para traçar um retrato completo de Vênus, ou de qualquer outro planeta, sempre é preciso levar em conta signo, casa e os aspectos. Vênus em Câncer ligada a Urano dá uma coloração bem diferente, assim como aspectos a Plutão ou a Saturno, e assim sucessivamente.

Christian Schloe voyage
Christian Schloe – Voyagem – Reprodução

Em termos práticos, Vênus em Câncer costuma gastar dinheiro criando um lar aconchegante, agradável, um verdadeiro ninho, já que tem talento de sobra para tanto e se outros aspectos no mapa concordarem, pode até dispensar o decorador. Pode ser sim, ótima cozinheira e cuida dos outros nutrindo-os literal ou figurativamente, mas isso também vai ser expressão dessa conexão com a natureza profunda das coisas, um ato criativo que se disfarça de prosaico. Segurança financeira é importante, tanto quanto a emocional e dependendo do resto do mapa, também pode ser ótima poupadora, tendo um feeling admirável para saber a hora de investir e a hora de esperar.

Vênus trafegando por Câncer favorece especialmente aos Cancerianos de Sol, Lua ou Ascendente. É um período propício para dar uma repaginada no visual, para encontrar amigos e ganhar presentes; para embelezar o lar e fortalecer os laços amorosos.

E você, que tem Vênus em Câncer, se reconheceu nesta descrição? Deixe aqui seus comentários!  E viva essa Vênus romântica, mas também extremamente rica, possuidora de grandes tesouros escondidos, inescrutáveis e inefáveis!

journeytothegoddess
Reprodução de Journeytothegoddess

Fontes:

(1) Sue Tompkins – The Astrologers Handbook – Flare Publications

(2) Liz Greene – Venusian Mysteries – Seminário proferido no CPA, no Outono de 2009, Londres, UK

(3) Stephen Arroyo – Chart Interpretation – ACRCS Publications