A Semana Astrológica – No Passo da Boiada…

zodiac artes halawa hwights hawaiiSemana de 25 de abril a 1° de maio

Semana ainda de colheita. A Lua segue na fase cheia, sinalizando um período de tirar o máximo proveito da energia de plenitude. Logo se tornará Disseminadora, sinalizando o momento de propagarmos nossas ideias e nosso aprendizado, divulgando nossa experiência, de modo que outros possam também se beneficiar dela. A Lua será Minguante na primeira hora da madrugada de sábado, mudando o tom para revisões e análises. Será Minguante em Aquário, o signo do desapego… Portanto, é tempo de desapegar!

boiada 2
Reprodução

Por falar em revisões, elas vão ficando ainda mais potencializadas, visto que Mercúrio entra em retrogradação na quinta-feira, voltando ao movimento direto somente em 22 de maio. É hora de rever nossos conceitos! Mercúrio fica retrógrado em Touro e nos convida a rever o excesso de literalismo e talvez até um jeito meio obtuso de pensar, teimoso demais, concreto demais. Touro é um signo do mundo material e de cara já nos questiona como é que temos lidado com a matéria, num sentido muito literal. Como são nossos conceitos acerca daquilo que chamamos de realidade, do que é palpável? Como lidamos com essa matéria que se manifesta em nós, a começar pelo próprio corpo? Como é a relação mente-corpo na nossa vida? Essas duas esferas são vistas como dicotomia ou se afinam com tranquilidade dentro de nós? E como lidamos com a matéria/bens? Dinheiro, posses, valores, propriedades – o que realmente pensamos sobre isso? Será que estamos pensando ainda como mil-novecentos-e-carne-assada porque temos medo de abandonar o conforto de achar que sabemos como pensamos, o que queremos, para onde vamos, quando é claro que agimos de forma muito diversa?

Reprodução
Reprodução

Mercúrio sugere que reavaliemos todas essas questões e outras tantas nas próximas três semanas. Em que área da nossa vida nossos pensamentos estão estagnados e precisando de repaginação; ou, por outro lado, onde precisamos sair do fantasioso e ir para o concreto-literal, ou vice-versa… Reavaliar nossos conceitos do que é lógico ou não, concernentes à área de vida representada pela casa do mapa natal em que Mercúrio retrograda. Sim, é hora de revisão geral! Retroceder para tentar recuperar algo que talvez tenha passado batido porque estávamos cegos para as coisas mais sutis e menos óbvias. Três semanas para repensar, revisar, rever, reanalisar, retroceder, reorganizar, reordenar, refletir, refazer, reler, re-escrever, retomar… Coloque aqui o “RE” que você precisar exercitar! E vamos a eles!

boiada
Reprodução

Ah! E em Touro, a tendência é que ocorram mais atrasos e lentidão – já sabemos que Touro não faz nada com pressa, não é? Alguma vez você já topou com uma boiada sendo levada estrada afora? Já virou uma ilha de metal cercado de bois por todos os lados? Se você é do Sudeste é provável que não, mas você precisa saber que não adianta buzinar, ficar de mau humor, ficar irritado… O gado vai no passo dele… E ai de quem tiver pavio curto – infarta ali mesmo. O jeito é esperar! Eu vivi isso demais na minha época de estradeira – trabalhei nove anos como representante comercial e chegava a rodar seis mil quilômetros por mês! E adorava! Vivia na correria da estrada, com prazos e metas enlouquecedores a cumprir e quando topava com uma boiada na estrada eu me permitia relaxar, curtir e aproveitava aquele momento de desaceleração para olhar a paisagem, curtir a natureza ao meu redor, ir no passo da boiada – eu simplesmente adorava aquilo e tenho saudades desses momentos! Armemo-nos, pois, de muita paciência, flexibilidade, bom humor e muita presença de espírito para esperar essa boiada passar! Desaceleremos! O melhor que fazemos é curtir a paisagem inusitada! E se o trânsito está congestionado, seja por bois ou por máquinas, que tal pensar nos congestionamentos da própria vida? Mercúrio fica retrógrado de 28 de abril a 22 de maio, indo do grau 23°35 até o grau 14°201 de Touro. Pessoas com planetas entre estes graus nos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) são convidadas a rever seus conceitos no que tange aos significados dos planetas em questão e os assuntos que eles regem.

Veja onde Mercúrio vai ficar retrógrado no seu mapa natal e quais as implicações disso na sua vida prática e emocional!!  Agende uma consulta comigo: psicologica.astrologia@gmail.com

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

E continuamos a falar de bois e de vacas, especificamente, falamos daquela que tinha Olhos de Vaca, Vênus-Afrodite, que tinha esse apelido porque seus olhos eram belos, profundos e cativantes, como os olhos dos bovinos – já reparou como bovinos têm olhos lindos? Da mesma forma, os nativos de Touro, tanto de Sol quanto de Ascendente, costumam ter olhos belíssimos, hipnotizantes e extremamente sedutores. Pois Vênus-Afrodite, a dos Olhos de Vaca, chega em casa, cansada das muitas batalhas que travou em Áries. Agora ela descansa, refestela-se e rejubila-se no conforto da sua mansão Taurina! Vênus ingressa em Touro na sexta-feira, que por sinal é o seu dia! Com Vênus em Touro as relações tendem a ficar mais estáveis. Buscamos mais segurança e valorizamos a tradição. Também buscamos o conforto de texturas agradáveis ao tato, perfumes pungentes e aprazíveis às narinas, melodias doces e maviosas para os ouvidos, belezas que inundem nossos olhos e, principalmente, sabores deleitosos que regalem nosso paladar e nos faça sentir que encontramos o céu na terra. Claro, para bancar tudo isso, focamos muito mais na segurança material e em como conseguir o máximo trabalhando o mínimo! Vênus em Touro também favorece a sensualidade e o romance entre os casais – os momentos a dois ficam mais prazerosos e calientes! Nas finanças, este posicionamento sugere investimentos mais conservadores, concentrados em mercados seguros, que já tenham resistido aos testes do tempo. É um bom momento também para cuidar melhor do corpo, da autoestima e da beleza física.

Ruth Cadden - Reprodução
Ruth Cadden – Reprodução

Com Sol, Mercúrio e Vênus em Touro estamos no período do ano em que precisamos ser pragmáticos, simples, cautelosos, convencionais, responsáveis e fincar firme os pés na terra, para termos segurança em tudo o que formos fazer. Ponto de atenção: ainda de Áries, Vênus fará sesqui-quadratura a Júpiter em Virgem e logo que ingressar em Touro, fará outra sesqui-quadratura a Saturno em Sagitário. Isso se dará entre a quinta e o sábado, sugerindo complicações na maneira como equilibramos nossa autoestima, nosso senso de valor e proporção, influenciando, consequentemente nas nossas relações, que podem ficar sujeitas a rusgas causadas por questões puramente inconscientes neste período. Podemos ter, também, dificuldade em avaliar adequadamente um bem que precisamos comprar, porque não conseguimos decidir o que é mais importante, se a utilidade e funcionalidade ou se a beleza e significado.

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

O Sol faz sextil a Netuno trazendo maior sensibilidade ao pragmatismo Taurino, maior compaixão e compreensão a um Sol, que do contrário, seria por demais rústico, teimoso e talvez até um pouco rude. Netuno traz um pouco de poesia e agrega um potencial de flexibilidade. Mas o Sol também se indispõe com Marte retrógrado em Sagitário sugerindo que temos dificuldade de traduzir para o mundo real os sonhos ardentes de grandeza desse Marte fervoroso… No plano prático isso sugere dificuldade em alinhar nossos propósitos e sua execução. Lutamos e parece que não método adequado para concretizar nossos planos e intentos, aliás, parece mesmo que nos autossabotamos e damos sucessivos tiros no pé, sem perceber. Como resultado ficamos mais irritados e espinhosos, dando coices e patadas até no vento! Nessas horas é melhor parar tudo, ir beber uma água, tomar um ar fresco e simplesmente entrar em contemplação… É isso ou teremos prejuízos na certa! Talvez até materiais! Esse é o primeiro round da batalha entre  Sol e Marte, que culminará em 22 de maio, quando os dois estiverem em oposição exata – e olha que “coincidência”: é o dia que Mercúrio volta ao movimento direto! E o sol estará em Gêmeos, regido por Mercúrio!! Esse dia promete!

Veja o significado de todos estes trânsitos e movimentos astrológicos no seu mapa natal e quais as implicações disso na sua vida prática e emocional!!  Agende uma consulta comigo: psicologica.astrologia@gmail.com

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana na fase Cheia em Sagitário, onde se torna Disseminadora na terça-feira. Leva uma mensagem de austeridade e responsabilidade em Capricórnio e torna-se Minguante em Aquário /na madrugada de sábado. Fecha a semana já em Peixes, romântica e sonhadora, no domingo!

Blackmnml.tumblr - Reprodução
Blackmnml.tumblr – Reprodução

A Lua está em Sagitário e abre o dia em conjunção a Marte retrógrado na SEGUNDA-FEIRA. Ao longo do dia faz quadratura a Netuno em Peixes e a Júpiter em Virgem e, junto com Saturno, vira foco de uma T-Square mutável. A Lua fica boa parte do dia enquadrada (ladeada) por Marte e Saturno. Mercúrio segue em marcha lenta. Dia cheio de contradições, que nos esticam e puxam para lá e para cá, gerando muitas frustrações e irritação. Queremos muitas coisas e queremos fazer do nosso jeito, no nosso tempo, mas por mais que tentemos, deparamo-nos com muitos bloqueios e impedimentos, de modo que temos que nos dobrar e aguardar o tempo dos outros, a vontade dos outros, ou mesmo do acaso. Além de tudo isso, temos muitos quereres e o dobro de obrigações, que nos espremem, comprimem e assoberbam. Assim, ao invés de avançar, hesitamos, inseguros e cheios de dúvidas, oscilando entre euforia e pessimismo, com grande dificuldade de achar um equilíbrio ou o fio da meada que nos tire do redemoinho emocional em que nos encontramos. Fácil não é, mas é preciso achar esse eixo que nos dê algum centramento ou então num piscar de olhos podemos pôr muito a perder com nosso estouvamento e destempero. A primeira coisa que precisamos fazer é lembrar de nossas limitações humanas e aceitá-las com humildade – Roma não foi feita em um dia! Depois disso precisamos ser extremamente sóbrios quanto às nossas capacidades e prioridades e atermo-nos a elas. O passo seguinte é ser flexíveis caso algo saia do eixo ou do programa prévio – imprevistos acontecem, nada de bater a cabeça na parede por causa disso! E, claro, sempre podemos recorrer ao bom e velho otimismo e confiar que o caos aparente pode ter alguma razão de ser e, mesmo que não tenha, ainda estamos vivos e operantes! Tudo tem um sentido e se não tiver a gente inventa um! Como diz aquela frase, “espere o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier!” – filosofia de para-choque de caminhão. Ah! E não esqueçamos de respirar. Verdadeiramente. Faz uma diferença enorme!

borzuitumblr
Borzui.tumblr – Reprodução

O clima está ligeiramente mais animado na TERÇA-FEIRA, visto que a Lua faz trígono a Urano em Áries. Porém, ela faz também quincunce a Mercúrio em Touro, quadratura a Quíron em Peixes e sesqui-quadratura ao Sol, entrando então na fase Disseminadora. Por fim, faz trígono também a Vênus em Áries, ficando vazia logo depois, às 12h53min. Ingressa em Capricórnio às 20h55min. Depois de nos sentirmos comprimidos entre desejos e deveres no dia de ontem, hoje podemos ficar um pouco mais livres e soltos, indo atrás do que realmente queremos, sem desculpas. Contudo, (é, eu sei, sempre tem um ‘mas’) ainda precisamos cuidar para que o sabotador interno não ponha tudo a perder, especialmente na primeira parte da manhã. Isso porque a despeito de nosso grande entusiasmo, há uma sombra a turvar o horizonte. Uma tristeza ou dissabor que nos lembra que ainda temos que lidar com alguns espinhos entranhados na carne. Mas isso, é questão aceitar para que a cura aconteça. E ainda: parece que falamos com o pé na boca: dizemos a coisa errada, na hora errada, soando sem tato, até grosseiros… Resultado de um certo descompasso entre a cabeça e o coração. Se conseguimos identificar tal descompasso a tempo, podemos evitar que ele nos dê uma rasteira e nos concentrar nas novidades que nos aguardam logo ali e de fato aproveitar o dia no que ele traz de melhor: alegria, desenvoltura, aventura, liberdade… E vislumbrar um novo horizonte, que pode até estar distante, mas é visível para os olhos da alma! A tarde pede programas mais leves e uma agenda mais flexível, de preferência realizando atividades na rua, ao ar livre ou inusitadas. As coisas sérias e objetivas podem esperar para amanhã.

Norman Duenas, artista americano - Reprodução
Norman Duenas, artista americano – Reprodução

QUARTA-FEIRA é dia de Mercúrio e ele estaciona às 14h19min a 23° de Touro. A Lua Capricorniana dissemina uma mensagem de trabalho duro, sobriedade, responsabilidade. Faz sextil a Netuno em Peixes, trígono ao Sol Taurino a Júpiter em Virgem, formando um Grande Trígono de Terra. O Sol faz quincunce pleno a Marte. O dia está lento, demorado, as coisas funcionando como que em câmera lenta. Fazemos tudo com mais vagar porque parecemos intuir que o momento assim o demanda. É um dia para nos atentarmos aos pequenos detalhes, aqui e ali; para observarmos, cautelosos, o rumo que o vento sopra, para onde as folhas são levadas… A direção do vento está mudando. A direção da nossa mente, do nosso olhar e da nossa atenção, também – para dentro. Felizmente temos solo firme sob nossos pés que ajuda a conter uma certa ansiedade e irritação que nos achegam inesperadamente, que vêm e vão, incongruentes, perturbando a clareza do que buscamos e realizamos. Com vagar deixamos nossas armas de combate prontas porque logo precisaremos delas e uma das armas mais importantes é a mente e nossa forma de ver o mundo. O Sol fará oposição a marte já em Gêmeos, e Mercúrio, regente de Gêmeos, estaciona bem no dia que estes dois travam seu primeiro embate, ficando direto de novo no dia da batalha principal. Quer dizer, essa não é uma guerra corpo a corpo. Essa é uma guerra de nervos, uma guerra mental. Quem conhecer melhor o inimigo e, sobretudo, a si mesmo e às próprias fraquezas e sombras, ganhará. Estamos falando de nós lutando conosco mesmos. Nós e nossa força de vontade; nós e nossa preguiça mental; nós e nosso medo de mudar; nós e nossa grande teimosia; nós e nossa visão tacanha das coisas; nós e nosso modo retrógrado de pensar… O que mais precisamos combater dentro de nós?

Da página Manifesto das Minas - Reprodução
Da página Manifesto das Mina – Reprodução

Mercúrio está oficialmente retrógrada na QUINTA-FEIRA, a partir das 14h19min. Para combinar com esse clima de introspecção, Dona Lua faz conjunção a Plutão, quadratura a Urano e mais tarde, se congratula com este Mercúrio estacionário-retrógrado. Vênus faz sesqui-quadratura a Júpiter. O dia está deveras portentoso! Estamos super concentrados e determinados a conseguir nossos intentos, quaisquer que sejam eles. Tão determinados que não hesitamos em passar por cima do que ou de quem for necessário para chegar onde queremos, para realizar o que precisamos. Mas nem tudo sai conforme o planejado ou conforme nossa vontade – precisamos nos dobrar, dobrar os joelhos diante daquilo que não controlamos, reconhecendo que há, na vida, autoridades mais elevadas e mais poderosas que nós e se não fazemos isso, teremos que nos ajoelhar não voluntariamente, mas de maneira humilhante para nós. Se formos espertos, porém, usaremos todo esse poder inteligentemente, cedendo antes, para ganhar depois. Lembremo-nos de Hércules: às vezes a gente ganha quando perde. O dia oferece a possibilidade de domarmos nosso orgulho e inflexibilidade e mergulharmos resolutamente naquilo que, de fato, transformará as situações e problemas com os quais estamos lidando. Parte dessa solução passa por aceitar que às vezes, simplesmente não sabemos o que fazer; que às vezes nos sentimos completamente impotentes e precisamos lidar com isso também. Somente conseguimos ser verdadeiramente poderosos quando confrontamos nossa pior vulnerabilidade.

Mirage - Brooke Shaden Photography - reprodução
Mirage – Brooke Shaden Photography – reprodução

A Lua Caricorniana faz quadratura a Vênus, ainda em Áries, na madrugada de SEXTA-FEIRA, ficando vazia logo depois às 04h09min. Ingressa em Aquário em seguida, às 05h47min. Mercúrio já engatou a ré e começa a se mover para para trás. Durante o dia faz sextil a marte Rx em Sagitário. Mas SEXTA também é dia de Vênus, que ingressa em seus domínios, o signo de Touro, às 21h35min, onde fica até 24 de maio. A outra mulher, essa rival sombria e poderosa vem nos visitar em nossa sonhos, duelar conosco em nossos pesadelos. Pelo quê duelamos? Pelo nosso amado? Por posses; por jóias? Não importa! O que importa é que essa “outra” é também uma face nossa, obscura e desconhecida… Aquilo pelo quê brigamos nos dá pistas sobre o que é realmente valoroso para nós. Depois de possíveis sonhos turbulentos, o dia fica mais leve e nos descortina oportunidades de encontrar pessoas, amigos, novidades e alternativas para a mesma velha rotina… Que tal fazer algo diferente, só para variar? Almoçar em outro restaurante, pedir café ao invés de coca-cola, ir de bicicleta, ao invés de carro, inverter a ordem das coisas, fazer diferente… Às vezes nosso cérebro fica entorpecido, embotado pela repetição, por fazer tudo igual, pelo “de sempre”… Por isso, de vez em quando é bom alterar o caminho, alterar a rotina, alterar a vida… Deixar-se surpreender, pagar para ver. Porque muitas vezes, mesmo quando as coisas parecem dar errado, aprendemos muito com os equívocos e colocamos nossa criatividade e capacidade de improviso em ação. Que tal corrermos algum risco, mesmo que seja um risco calculado, já que Mercúrio está retro? Sigamos nossos instintos!Vênus entra em touro inaugurando uma nova fase romântica. É hora de ter mais prazer, de andar com mais vagar e sensualidade, de parar para sentir o perfume das flores, para admirar a cor do céu… E para beijar… Muito!

Winds-of-Change-1A Lua entra na fase Minguante na primeira hora da madrugada de SÁBADO, precisamente à 00h29min. De Aquário a Lua ainda se irrita com Júpiter em Virgem, enquanto se harmoniza com seus dois dispositores, Saturno e Urano. À noite faz quadratura a Mercúrio, ficando fora de curso em seguida, às 23h56min. Vênus faz quincunce pleno a Saturno. A Lua fica minguante em Aquário, o signo mor do desapego. Precisa dizer mais? É hora de desapegar geral de tudo quanto é entulho que atravanca a vida e o livre fluir de sentimentos e emoções: pessoas, coisas, rancores, azedumes, sofrimentos, raivas, mágoas… Especialmente, nos desapegar dos pensamentos e conceitos retrógrados e estagnados. Assim liberamo-nos para novas aventuras. A Lua fica minguante também num ciclo em que muitos planetas estão retrógrados, sinalizando que, mais do que nunca, as análises e avaliações se fazem vitais, imprescindíveis. Nos próximos dias estaremos ponderando e mensurando as realizações do ciclo, tanto do ciclo em questão quanto deste ciclo em relação aos ciclos maiores que se desdobram em nossa vida. Em que pé estamos versus onde queremos chegar… Que ferramentas precisamos substituir, quais podemos descartar, quais podemos manter, que outras precisamos agregar… Essas avaliações precisam levar em consideração, especialmente, como faremos para implantar as reformas visionárias ou as visões reformadoras que nos são tão caras, sem implodir a segurança necessária. Os próximos dias serão de maior quietude e introspecção. À noite há grande propensão a rigidez de opiniões que podem levar a discussões ou atritos. Se ambos os lados forem respeitosos e cuidadosos, poderão dialogar sem precisar recorrer à cutelaria.

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

O DOMINGO traz a Lua vazia em Aquário – Oh! Que maravilha! Podemos dormir até tarde, sem culpa! A Lua ingressa em Peixes às 11h34min, de onde conversa afinadamente com Vênus em Touro. Fecha a noite e a semana já próxima da quadratura a Marte em Sagitário. Um dia de sossego até o meio-dia, que oferece a chance de refletirmos com mais tranquilidade sobre nossas posturas mentais, algumas excessivamente rígidas, na esteira dos atritos da noite anterior. Podemos rememorar o que deu errado e assumir nossa parcela de responsabilidade, ao invés de apenas acusar o outro lado. Enquanto não somos capazes de assumir nossos erros diante dos outros, ainda somos apenas crianças emburradas brincando de adultos.

Kindra Nikole
Kindra Nikole – Reprodução

De meio-dia à tarde o dia é colorido de sensibilidade e nostalgia, estimulando nossa criatividade e imaginação. Estamos mais suscetíveis e aptos a captar as mudanças sutis no ambiente ao nosso redor , podendo ir em socorro de quem precisar de um bom ouvinte ou mesmo de colo. Às vezes nem precisamos nos preocupar em dizer a coisa certa, só precisamos escutar realmente, estar presentes, estar ali. O dia favorece a programas mais intimistas e tranquilos, como apreciação de uma boa música, de obras de arte ou da simples beleza de um por do sol em boa companhia. Consumo de álcool e outras drogas fica desaconselhado, uma vez que a sensibilidade já está super aflorada. Aliás, quem precisa de drogas num dia como este? Só se for para se anestesiar, mas daí, se chegamos ao ponto em que temos que anestesiar também à beleza… Melhor voltar a fita toda e questionar tudo. Boas companhias, boa musica, boa comida, bom papo ou simplesmente o dom de estar junto… que mais se pode querer?

Desejo que sua semana seja serena e abençoada!

E vamos nós para nossas revisões, com paciência, vagar e serenidade!

Crilleb50 Phor Manipulation - Reprodução
Crilleb50 Phor Manipulation – Reprodução

Lua Cheia em Escorpião – A Sombra e a Escuridão

full posse
Reprodução

A Lua foi Cheia esta madrugada, às 02h23min no horário de Brasília e às 06h23min no horário de Lisboa. A culminação e apogeu do ciclo que foi iniciado na energia pioneira e individualista de Áries. Há vários temas básicos ressaltados por essa Lua Cheia: a confrontação da sombra pessoal; o combate ao egoísmo e individualismo; eliminação de tudo o que não nos serve mais. Vamos olhar cada um deles em detalhe.

darkersideoftemptation
Darkersideoftemptation – Reprodução

O eixo Touro-Escorpião é fixo e vem falar de desejo, sexo e posse. Tem a ver com poder, o poder material (Touro) e o poder emocional/espiritual (Escorpião). Mas este eixo também fala da vida instintiva, sentida profundamente no corpo para Touro e via sentimentos viscerais para Escorpião. Este par lida com a necessidade de construir algo (Touro) e depois destruir (Escorpião) quando a segurança e a estabilidade viraram  estagnação.  Posse e controle são dois predicados deste eixo, mas se Touro quer possuir (em todos os sentidos da palavra) e acumular coisas, especialmente bens materiais, Escorpião preocupa-se com a posse e controle através dos sentimentos e emoções. Touro é sensorial e sensual, agudamente sintonizado com o corpo e seus sentidos: ver, ouvir, cheirar, degustar, tocar, por isso desejo e sexo são tão naturais para o signo, que se refestela nos prazeres da carne, literal e figurativamente, pois seu foco é o prazer. Já para Escorpião, sexo é uma maneira de se conectar com e possuir o outro da maneira mais íntima e profunda possível e uma forma de conhecer-se a si mesmo e à profundeza abissal da própria alma – o prazer e o gozo são mera consequência disso e potencializados por isso. Especificamente, Escorpião é o signo da transformação, da morte e renascimento, eliminação e regeneração e nos remete à sombra e toxicidade da alma humana.

Lua Cheia em Escorpião - 22 de abril, 02h23min, Brasília-DF.
Lua Cheia em Escorpião – 22 de abril, 02h23min, Brasília-DF.

E por falar em Sombra e em conhecer as profundezas abissais da própria alma, chegamos ao primeiro tema desta Lua Cheia: a Sombra. É interessante notar que Lua e Sol estão praticamente em dueto no mapa da Lua Cheia, ou seja, fazem aspectos apenas entre si, como se totalmente hipnotizados um pelo outro. A Lua faz apenas um trígono super amplo, de quase 10 graus, a Netuno em Peixes e o Sol só se conecta com a Lua.  Isso super enfatiza os temas do eixo Touro-Escorpião e nos diz que não há escapatória, temos que enfrentar seus desafios, mesmo que a integração desses temas seja particularmente difícil. E se não fazemos isso voluntariamente, invocaremos experiências duras e desagradáveis que nos façam entrar em contato isso com isso. Estejamos atentos aos insights, sonhos e sensações que surgirem nos próximos dias – podem nos dizer muito sobre esta sombra.

Gustave Moreau - Reprodução
Gustave Moreau – Reprodução

Essa Lua Cheia me lembra, de maneira bem contundente, o mito da Hidra de Lerna, um dos mais conhecidos mitos associados a Escorpião. A Hidra de Lerna era um monstro que tinha corpo de cachorro e nove cabeças, uma delas imortal. Seu veneno era tão letal que destruía toda a vida ao seu redor. Ela habitava um pântano fedorento e obscuro e aterrorizava a região. Era quase impossível destruir o monstro porque quando se cortava uma cabeça, três outras nasciam no lugar. Hércules batalhou muito com a Hidra e para vencê-la, primeiro ele teve que fazer o monstro sair da caverna escura em que se escondia atirando flechas de fogo, enquanto segurava a respiração para não respirar seu veneno. Mesmo assim, ele estava quase perdendo a batalha quando lembrou-se dos conselhos de seu mestre: “nós nos elevamos ajoelhando-nos, conquistamos nos rendendo e ganhamos, desistindo”. Assim, ele ajoelhou-se e levantou a hidra por uma de suas cabeças, tirando-a da água e elevando-a no ar, em direção ao sol. Afastada da água a hidra perdeu sua força e poder e encolheu de tamanho, permitindo que Hércules cortasse suas cabeças e as cauterizasse, especialmente, a principal delas. No seu lugar surgiu uma joia preciosa que ele enterrou debaixo de uma rocha.

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

Este mito é emblemático dos temas de Escorpião, que precisa trazer à luz da consciência os conteúdos virulentos e obscuros do inconsciente pessoal e às vezes, familiar e coletivo. Se ele não faz isso, essa energia inconsciente e putrefata o envenena, intoxicando também a tudo o que ele toca. Quando decide enfrentar o monstro, o resultado é a transformação de tais conteúdos na joia preciosa da consciência e do domínio de mais uma parcela de si mesmo. O fato de Hércules se ajoelhar e abaixar diante do monstro indica a cautela e o cuidado que temos que ter ao nos aproximar do Inconsciente e da Sombra, que são extremamente poderosos e se nos aproximamos de forma descuidada e leviana, podemos ser destruídos no processo, portanto, é preciso muita humildade.

Miasma - Austen Mengler - Reprodução
Miasma – Austen Mengler – Reprodução

Essa Lua Cheia salienta fortemente o tema desse mito e algo que chama bastante a atenção é que os dois planetas que regem Escorpião, Marte e Plutão, ficaram ambos retrógrados há menos de uma semana, ambos mudando de direção em menos de 24 horas entre si. Isso nos lança, de forma mais contundente e entranhada no desafio maior de todos: o monstro com o qual temos que lidar não está lá fora, está aqui dentro. Mais do que nunca, não temos nada a ganhar em culpar ou acusar a outros ou ao mundo por nossas dores, problemas e fracassos. Precisamos reconhecer e combater a Hidra venenosa dentro de nós. Com muita humildade, perscrutar nossas sombras, nossa toxicidade, nossa lado mais baixo e instintivo, a ambição e o desejo de poder, o ceticismo e o cinismo, a fixidez e estagnação da vida, nossa própria destrutividade, tanto em relação a nós mesmos quanto àquilo que nos cerca. Se formos bem sucedidos no combate, descobriremos que junto com o lixo e os conteúdos reprimidos que foram jogados no inconsciente, também há tesouros preciosos que podem ser restaurados e enriquecer nossa vida emocional. Mais: ao confrontar tais conteúdos sombrios, empoderamo-nos verdadeiramente, manifestando nossa luz e potencial criativo com mais segurança.

Fausto - Água Forte de Rembrandt - Reprodução
Fausto – Água Forte de Rembrandt – Reprodução

Uma outra estória a que nos remete esta Lua Cheia é a de Fausto, uma lenda alemã recontada magistralmente por Goethe, que tinha, ele mesmo, Escorpião no Ascendente e que é trazida para ilustrar o capítulo sobre Escorpião no Livro A Astrologia do Destino, de Liz Greene (1). “Fausto era um médico comum e obscuro, que tinha anseios de prestigio e sede de poder, riqueza e reconhecimento. Ele faz um pacto de sangue com o demônio Mefistófeles: em troca de seus desejos de poder mundano, Mefistófeles terá sua alma. E de fato, ele conquista e consegue tudo o que ambiciona. O foco de Goethe é o egoísmo de Fausto, que é a porta de entrada para Mefistófeles, o demônio símbolo do espírito da negação, aquele que murcha toda a inocência. Fausto negou a Deus, desprezando-o – uma atitude de cinismo e de negação da vida, um dos males que Escorpião tem que combater dentro de si mesmo, mas que às vezes, nem ele mesmo percebe, pois está inconsciente dessa negatividade destrutiva da vida.  É como uma apatia, um tipo de depressão, uma convicção de que, em ultima análise, nada vai funcionar.

Fausto - Harry Clarke - Reprodução
Fausto – Harry Clark -Reprodução

Mefistófeles poderá levar a alma de Fausto se ele tentar, em qualquer momento, parar a vida e agarrar-se ao momento presente ao invés de permitir a mudança e o fluxo da vida, essa é a barganha, algo que tem a ver com a fixidez de Escorpião, que geralmente tenta possuir algo bonito e prazeroso ao invés de deixar a vida fluir, daí nasce realmente a possessividade e o ciúme associado a este signo. No fim, Fausto quase incorre neste erro fatal, mas seu espírito inquieto o salva e embora ele tenha sujado suas mãos e se corrompido, este é um aspecto necessário de sua busca não apenas por poder, mas pela iluminação e pelo amor. Portanto, ele é perdoado”. Quando se fala de Escorpião aqui, isso não se refere somente aos nativos do signo. Escorpião e todos os signos são arquétipos da experiência humana, ou seja, todos nós vivenciamos isso em alguma instância em nossa alma e um retrato disso é que todos temos Escorpião em algum lugar do nosso mapa natal – mesmo que não haja planetas ali, a energia escorpiônica governa aquela área de vida e é ali que nos defrontamos mais fortemente com nossa sombra mais profunda.   

Desconheço o autor - Reprodução
Boris Vallejo – Reprodução

Os mitos da Hidra e de Fausto nos lembram que a sombra deve ser confrontada pelo espírito humano e é em Escorpião que essa batalha se dá de forma mais fatídica e decisiva. Escorpião, ao olhar e lidar com todos estes materiais sombrias, em si mesmo e no coletivo, redime não só a si, mas traz à tona conteúdos ancestrais que precisam ser purgados e purificados, para que uma transmutação possa ocorrer. E repetindo, com Marte e Plutão retrógrados, o exercício da vez é confrontar esta sombra em nível pessoal e individual, olhar para dentro, para o mais fundo de nós mesmos, com honestidade e coragem e reconhecer que temos um lado demoníaco, a capacidade para o mal. Assumir que, embora tenhamos a escolha de não atuar e nem agir a partir de tais sentimentos, todos nós temos a mesma capacidade para o egoísmo, a mentira, a vilania, a desonestidade, a inveja, o ciúme, o ódio, o desejo de matar e de ferir, o rancor, e todos os mais baixos sentimentos e instintos humanos, inclusive o desejo de poder e a capacidade para corromper e ser corrompidos, uma reflexão extremamente pertinente no momento atual do Brasil em que os políticos personalizam todos estes conteúdos sombrios que não assumimos em nós.

Reprodução
Reprodução

Esta Lua Cheia de Escorpião é o ápice do ciclo iniciado em Áries e, de formas diferentes, Áries e Escorpião são signos que falam de egoísmo e individualismo, provavelmente porque têm em comum o mesmo regente, Marte, o princípio da agressividade e da afirmação do indivíduo. Assim, a meu ver, o primeiro tema se desdobra no segundo: um dos maiores desafios no confronto com nossa sombra é reconhecer e combater nosso grande egoísmo e individualismo, algo que vemos claramente na cultura vigente mas, convenientemente, esquecemos que a cultura é reflexo do inconsciente individual e que agrupado ao inconsciente dos demais indivíduos, forma o inconsciente coletivo. Assim, é fácil reconhecer que a cultura é egoísta, mas eu? Imagina, claro que não! É a cultura individualista e de  violência em que estou inserido que não deixa eu expressar minha compaixão e altruísmo!

Reprodução
Reprodução

Por sinal, este é o tema do Símbolo Sabiano para o grau 03 de Escorpião (02°30’): Vizinhos ajudam num mutirão para construir uma casa numa pequena vila. O símbolo vem reforçar essa necessidade de combatermos o individualismo dentro de nós e em contraponto, desenvolvermos a cooperação como um valor. Vizinhos se juntam num mutirão para construir algo, num verdadeiro espírito de comunidade, ao invés de se manterem isolados, cuidando somente de seus próprios interesses, protegendo-se, paranoicamente, uns dos outros. As tarefas mais difíceis e mais desafiadoras geralmente são melhor executadas em cooperação, afinal, como diz o antigo ditado, “duas cabeças pensam melhor que uma”, imagine então várias cabeças! Ou seja, vários talentos e habilidades somados podem conseguir, em menos tempo e usando menos recursos o que, para um indivíduo sozinho, demandaria muita luta e esforço. A percepção de que precisamos uns dos outros está bastante clara aqui, assim como a necessidade de renovarmos o sentido de comunidade e ajuda mútua, de criarmos uma cultura de cooperação – algo que parece bastante esquecido na vida urbana e super ocupada que levamos.

Reprodução
Reprodução

Este símbolo também nos diz que, confrontar nossa sombra individual, especialmente no que tange ao egoísmo, pode nos levar a um senso de um renovação, da construção de algo novo e sólido, de algo que, por sua própria natureza, tem o propósito de unir as pessoas e fazê-las se perceberem umas às outras novamente, a saírem um pouco do seu isolamento, cinismo e ceticismo quanto à nobreza da alma humana, algo que o Escorpião às vezes esquece por estar tão entranhado na própria escuridão: na alma humana também há luz, uma verdade simbolizada pela flor de lótus nascendo na lama do pântano! A adequada e necessária integração entre Sombra e Luz é que nos fará mais genuinamente humanos e compassivos e mais capacitados a exercer, viver e ser o amor verdadeiro.

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

Além de confrontar esta Sombra, purgar seus conteúdos tóxicos e integrá-los à consciência, a  Lua Cheia de Escorpião convida a identificar tudo o que morreu em nós e nossa vida para que possamos eliminar e nos livrar desses conteúdos putrefatos – sem equívocos: essa eliminação não é da Sombra, a Sombra não se elimina, apenas se integra! O problema é que Marte, o regente tradicional de Escorpião, está envolvido numa configuração super confusa e que tira a clareza e a lucidez: Marte é foco de uma T-Square mutável que tem por base a oposição Júpiter-Netuno. Ao fazer quadratura a Júpiter, seu dispositor, Marte fica mais inflado e tem mania de grandeza e talvez tente super compensar a sensação de impotência, simbolizada pela retrogradação, com bravatas e quixotadas; já a quadratura a Netuno potencializa a impotência porque traz apatia, insegurança, medo, dúvidas e vontade de desistir, visto que Netuno mina a resistência Marciana de maneira insidiosa. Portanto, é preciso ter cautela para não nos deixarmos abater no confronto com esta sombra: embora tenhamos potencial para a monstruosidade, não seremos monstros, se nos fizermos conscientes. Assim, é necessário olhar nossas fraquezas como adubo rico que transforma a escuridão em beleza – a lótus nascendo do lodo.

Tomaz Alen Kopera - Reprodução
Tomaz Alen Kopera – Reprodução

Também é preciso cuidado para não confundirmos o que deve ser eliminado e o que ainda pode ser reciclado e se temos dificuldade em identificar as partes mortas, podemos simbolizar fazendo limpezas práticas na nossa casa, liberando tudo aquilo que já não usamos mas que está jogado/guardado em algum canto, como símbolo de algo que vivemos e que ficou estagnado na lembrança. Essas coisas geralmente funcionam como bloqueios e entulhos energéticos, porque ali está estagnado o sentimento original ao qual nos apegamos e que nos prende à coisa toda, à história original que nos remete ao pecado maior de Escorpião: o desejo de parar o tempo e fixar o momento, para jamais se desfazer de seu poder e beleza. Aliás, às vezes, temos grande dificuldade de esquecer um relacionamento desfeito porque não queremos nos desapegar no próprio sofrimento, já que ele foi a única coisa que restou – é, parece doido, mas as pessoas fazem isso. Portanto, o outro grande desafio é eliminar e deixar morrer todas essas coisas, eliminar a estagnação e aquilo que realmente não está funcionando, para podermos voltar a fluir com a vida – isso é particularmente aplicável para a área dos relacionamentos, então, se você quer se livrar de relações tóxicas e mal sucedidas, a hora é esta!

Feliz Lua Cheia para você! Esteja pronta/o para lidar com os conteúdos sombrios que surgirão nas próximas duas semanas. Não fuja deles, confronte-os! E que os confrontos nos amadureçam e nos levem à regeneração!

Carrie Ann Baade - Reprodução
Carrie Ann Baade – Reprodução

 

(1) The Astrology of Fate – Liz Greene – Weiser Books

A Semana Astrológica – Devagar e sempre… Chegaremos lá!

Reprodução
Reprodução

Semana de 18 a 24 de abril 

Semana de Lua Cheia, que indica um período de culminância, de frutificação e colheita de tudo o que andamos empreendendo e daquilo onde colocamos nossos esforços e investimentos energéticos, emocionais, materiais e objetivos. A Lua Nova de Áries culmina na Lua Cheia de Escorpião. E é uma semana deveras potente, com dois planetas importantes entrando em retrogradação e o Sol ingressando em Touro. É tempo de avançar, mesmo que seja a passos cautelosos de tartaruga. Devagar e sempre

Laurie Kaplowitz - Reprodução
Laurie Kaplowitz – Reprodução

Marte Plutão entram em retrogradação num período de menos de 24 horas entre um episódio e outro. Dois planetas super importantes, diretamente relacionados ao tema da sobrevivência (Marte=sobrevivência do indivíduo; Plutão=sobrevivência da espécie) mudando de direção, nos faz pensar e nos obriga a reavaliar o modo como estamos vivenciando seus temas, como sobrevivemos no mundo, pessoal e coletivamente; como lidamos com a agressividade em nós, com nossa raiva pessoal e consciente e também com a raiva global, primitiva, primal, ligada aos tabus reprimidos e jogados no inconsciente, transformados em sombra e em terror. Requer muita reflexão! No caso específico de Plutão, sua retrogradação  simboliza que precisamos parar um pouco para digerir todas as grandes transformações que aconteceram dentro de nós e no mundo ao nosso redor nos últimos meses. Períodos de retrogradação são providenciais para que “internalizemos e incorporemos as experiências externas e as questões conscientes”* na esfera regida por aquele planeta. Assim, de 18 de abril a 26 de setembro estaremos internalizando e absorvendo mais profundamente os resultados das grandes revoluções e tormentas existenciais que vivenciamos conscientemente desde setembro passado – é, Plutão fica mais de seis meses retrógrado. Assim, é período de digestão – lenta, gradual e profunda! A descida ao Mundo Inferior avança para um novo nível de abismo! Mais: temos atualmente retrógrados nos céus Marte, Júpiter, Saturno e Plutão, com Mercúrio também já na zona de retrogradação – fica retrógrado dia 28 de abril – quer dizer, as coisas ficam mais morosas, em modo de assimilação e digestão, de recepção e maior passividade e não de ação direta e objetiva. Um grande desafio para os apressadinhos de plantão!

Rhed Fawell - Reprodução
Rhed Fawell – Reprodução

Neste cenário moroso Vênus em Áries faz trígono a Saturno, aspecto favorável à solidificação nas relações, comprometimento e seriedade. Contudo, no dia seguinte a mesma Vênus faz quadratura a Plutão em Capricórnio e conjunção a Urano na sexta. Na verdade, precisamos nos alinhar com nossos valores mais sólidos e substanciais para irmos para o enfrentamento que demanda que nos  livremos daquilo que não é tão importante assim  perceber o que é uma real estabilidade e o que é estagnação; diferenciar entre aquilo que nos dá segurança verdadeira nas relações, daquilo que é mera fachada e que prende nosso potencial afetivo e criativo – tema super realçado pela Lua Cheia de Escorpião. E, é claro, encarar nossas ambiguidades dentro das relações, assumir que gravitamos prazerosamente em direção ao outro, ao mesmo tempo em que nos ressentimos disso e desejaríamos cortar todos os cordões que nos prendem a ele. Tendo executado estas tarefas, poderemos ser realmente livres e inovar na expressão dos nossos valores, abrirmo-nos a novas experiências e vivências neste campo. Em termos materiais, estes aspectos feitos por Vênus sugerem que ordenemos e organizemos nossa vida financeira, a gestão dos negócios e dos recursos em geral, para empreendermos as transformações que se fizerem necessárias nesta área de vida. A quadratura a Plutão e a conjunção a Urano requerem muita cautela na gestão financeira, sugerindo que se aguarde momentos mais propícios para contratos e investimentos de risco.

Ruth Cadden - Reprodução
Ruth Cadden – Reprodução

O Sol ingressa em Touro na terça-feira, às 12h30min no horário de Brasília e às 16h30min no horário de Lisboa, indicando uma fase do ano em que focamos mais na segurança material, na sustentação dos nossos projetos de longo prazo e também em buscar uma vida de maior conforto e tranquilidade. Touro é o primeiro signo de Terra, a Terra mais primitiva, Terra Fixa. É profundamente pragmático, convencional, o signo do bom senso. Precisa ver, tocar, ouvir, cheirar, sentir para crer, para poder concordar com alguma mudança – é, ele detesta mudar! Touro não se joga em nada que não tenha lastro, aliás, ele NÃO se joga, isso é coisa de Áries. Ele se aproxima de tudo vagarosa e cautelosamente, testando, experimentando, averiguando, até que sinta um solo firme e seguro sob os pés. É muito sensorial, o signo que rege os sentidos corporais, do ver, ouvir, cheirar, degustar e tocar, por isso ele é muito focado no conforto e no prazer, além de esbanjar sensualidade. Parabéns a todos os Taurinos!

Pixfaus - Reprodução
Pixfaus – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Corcunda, em Virgem. Equilibra-se e se arrendonda mais em Libra e é Cheia em Escorpião na sexta-feira. Fecha o período já em Sagitário, onde adquire uma qualidade catequética e fervorosa!

Dean Herlihy Art - Reprodução
Dean Herlihy Art – Reprodução

Plutão entra em retrogradação na SEGUNDA-FEIRA. Vênus está em trígono exato a Saturno. A Lua abre o dia em conjunção exata a Júpiter em Virgem e os dois fizeram um belíssimo par nos céus da madrugada. A Lua ainda faz quadratura a Saturno e oposição a Quíron, formando uma T-Square mutável. Também faz quincunce a Vênus e a Urano e trígono a Plutão e Mercúrio, formando um Grande Trígono de Terra e ficando vazia logo depois, às 09h30min. A Lua só ingressa em Libra na terça de manhã, portanto, temos quase 24 horas de Lua vazia. O dia até que começa industrioso, mas logo entramos na retranca e tudo parece parar ou ficar em standby. E não adianta nem esquentar a cabeça porque o dia fica meio pasmacento, indo no seu próprio ritmo e não no nosso ou naquele que gostaríamos. O ideal é tirarmos o dia para organizar a agenda, cuidar dos afazeres rotineiros, colocar a casa, a mesa ou o escritório em ordem, ordenar a vida! Vigiar para não perdermos tempo e energia imersos em preocupações inúteis ou tentando controlar o incontrolável – isso somente nos levará a muita dispersão, desperdício de energia e frustração. É mais inteligente fluir e permanecer abertos e flexíveis para as surpresas do dia – algumas delas podem ser até agradáveis! Vênus em trígono a Saturno sugere um dia de estabilidade nas relações, contudo, tal estabilidade seria melhor utilizada para fazermos um exame de nossos valores mais profundos, aqueles que nos sustentam, para nos prepararmos os grandes enfrentamentos que nos aguardam nos próximos dias.

Reprodução
Reprodução

Vênus está em quadratura plena a Plutão na TERÇA-FEIRA. A Lua abre o dia fora de curso em Virgem, de onde faz quincunce ao Sol ainda em Áries. A Lua ingressa em Libra somente às 08h24min e faz sesqui-quadratura a Mercúrio em Touro.  O Sol ingressa em TOURO às 12h30min. Estamos meio fora de sincronia conosco mesmos e nossas necessidades básicas. Mordazes, cuspimos fora o veneno que nos corrói por dentro, tentando parecer civilizados, inutilmente porque a baba viperina nos escorre pelo queixo – o que não atentamos é que talvez nossa selvageria tenha razão de ser e possivelmente surja dos longos períodos em que, em nome da estabilidade, tentamos fingir que estava tudo bem, que tudo estava “em ordem”. Pois bem, acordamos e parece que está tudo fora do lugar – café sem açúcar, dança sem par – para desgosto de nossa alma que almeja por equilíbrio e finesse. Vênus, regente da Lua e do Sol, está em quadratura a Plutão e demanda que reconheçamos as muitas mudanças por que passaram nossas relações e interações recentemente, apesar de querermos estabilidade a qualquer custo. É isso ou uma ruptura real e dolorosa poderá recair sobre nós, caso resolvamos ignorar os apelos de nossa alma e a verdade das nossas relações.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Estes conflitos estão mais agudos na QUARTA-FEIRA. A Lua Libriana até que começa o dia em harmonia: faz sextil a Marte e a Saturno, mas também se indispõe com Netuno e, principalmente, arma uma grande crise dramática ao quadrar Plutão e se opor a Vênus-Urano, que também estão em quadratura a Plutão, formando uma T-Square Cardinal explosiva, cujo impacto maior é nos relacionamentos. O Sol Taurino está em sesqui-quadratura a Saturno. Dia de grandes conflitos, internos e externos. Entre insistir nos nossos quereres e reconhecer a necessidade do outro em nossa vida, optamos pela ambiguidade e esticamos o elástico a mais não poder, tentando ganhar tempo e adiar as escolhas vitais. Mas quanto mais ficamos em cima do muro, mais tensão acumulamos e mais esticada fica a corda entre desejo e necessidade. O resultado é que ficamos irritadiços e melindrosos, suscetíveis a críticas e sujeitos a atitudes abruptas que contradiz o discurso conciliador que tentávamos manter. Em algum momento, algo tem que ceder dentro de nós, assim como alguma das partes nos conflitos externos. É fundamental achar o ponto de convergência, onde tais desejos e necessidades discrepantes se encontram: o ponto da honestidade consigo mesmo e com os outros, da maturidade e integridade emocional. Reconhecer nossas muitas disparidades, olhá-las de frente; negociar para integrá-las, achar o caminho do meio que ajude a conter a tensão, ao invés de externá-la desenfreada e destrutivamente – é o que nos é pedido.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

A Lua Libriana faz oposição a Urano em Áries nas primeiras horas da QUINTA-FEIRA. Faz também quincunce a Mercúrio em Touro e a Quíron em Peixes, virando foco de um Yod por algumas horas. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a Netuno e fica vazia depois do contato com Urano, às 03h14min, ficando vazia o dia inteiro, pois só entra em Escorpião às 21h18min. Vênus, regente da Lua, está conjunta, conjunção quase exata, a Urano. É, o sono fica agitado e sujeito a interrupções ou pesadelos nesta madrugada. Talvez a mente esteja inquieta demais de modo que o corpo não consegue relaxar completamente? E já que é feriado, talvez possamos adiar a hora de levantar da cama e quem sabe rememorar, com vagar, os sonhos e as mensagens que recebemos enquanto estávamos nos braços de Orfeu… Ah! Que maravilha – eu sempre digo – quando o calendário oficial combina com o estelar! Pois é, porque as horas de vigília ficam mais pesadas e continuamos um tanto inquietos, com questionamentos pululando lá no segundo plano da mente e do coração… E se chutássemos o pau da barraca, o que aconteceria? E se ousássemos pular aquela cerca do previsível e do estável? Como seria abraçar nossa porção selvagem para variar, em detrimento do nosso lado mais civilizado e contido? Elucubrações de uma Lua Vazia em Libra. O dia traz um estado de expectativa latente, embora não saibamos definir com clareza a origem de tais expectativas. Mas é momento mais que oportuno de uma profunda reflexão acerca da nossa necessidade de estabilidade e segurança, especialmente no que tange aos relacionamentos, versus o reconhecimento da necessidade de virar a mesa e eliminar comportamentos e atitudes congelados e rígido que têm nos impedido de amar verdadeiramente as pessoas, ao invés de tentar possuí-las e controlá-las. Em termos práticos, o dia sugere uma busca de equilíbrio e harmonia nas interações com as outras pessoas; negociações civilizadas na ocupação dos espaços diários, literais ou figurativos e pede para pegarmos leve, pois muita coisa pode mudar no espaço de horas. A objetividade dá lugar à subjetividade, portanto, estejamos abertos àqueles palpites que aparecem do nada e que podem se revelar preciosos. Estejamos abertos, principalmente ao imponderável, com quem podemos dar de cara bem ali, ao virar da esquina!

Carrie Ann Baade - Reprodução
Carrie Ann Baade – Reprodução

A Lua é Cheia a 02°31’ de Escorpião às 02h24min (06h24min para Lisboa) da SEXTA-FEIRA e durante o dia faz trígono a Netuno e sextil a Júpiter já à noite. Vênus está em conjunção plena a Urano e ainda em quadratura a Plutão. A Lua cheia de Escorpião exacerba a intensidade da culminação do ciclo, que já é intenso por si só. Nesta Lunação, Sol e Lua estão praticamente em dueto, pois a Lua faz apenas um trígono distante a Netuno, além da oposição ao Sol – isso enfatiza o extremismo da configuração da oposição Lua-Sol. É hora de reciclar e se não der mais para reciclar, eliminar de vez, transformar. O convite é para passarmos do plano do meramente físico e material às camadas mais profundas da vida e da psique, desenterrando tabus e cadáveres que assombram ainda nossa vida, para purgá-los, redimi-los e deixá-los ir – só assim estaremos liberados para nos comprometer profundamente com nossa transformação e das nossas relações. É momento de perscrutar, dentro de nós, que atitudes se tornaram por demais egoístas e individualistas (Lua Nova de Áries) e nos afastam da criação de vínculos verdadeiros e transformadores (Lua Cheia de Escorpião) e eliminar tais atitudes de nosso comportamento e alma. No plano positivo, os projetos iniciados solitária e pioneiramente em Áries, agora precisam ser compartilhados com nossos pares mais próximos, de modo que nos demos conta de que o lobo solitário ainda precisa pertencer a uma matilha, a uma comunidade. O fato de os dois dispositores da Lua Cheia terem ficado retrógrados praticamente no mesmo dia requer reflexão mais profunda no que tange às eliminações que precisamos fazer e aqui, eu lembro uma expressão idiomática maravilhosa da língua inglesa que ilustra esse tema: “to throw the baby with the bathwater” que, em tradução livre quer dizer “não jogue fora o bebê junto com a água do banho”, ou seja, não jogue fora o que é essencial, a coisa mais importante, só porque tem que jogar aquilo que não serve mais. Touro precisa aprender a possuir as coisas sem deixar que elas o possuam e é isso que Escorpião vem ensinar a ele; já Escorpião precisa aprender que possuir e controlar alguém não é sinônimo de amar.

Martin Stranka - Reprodução
Martin Stranka – Reprodução

O SÁBADO chega igualmente intenso, ainda na esteira da Lua Cheia. A Lua faz sextil a Júpiter e a Plutão, quincunce a Vênus e Urano em Áries, trígono a Quíron em Peixes e oposição a Mercúrio, ficando fora de curso logo depois, às 18h47min. Um dia para processar e digerir a intensidade dos últimos insights que nos pegaram de assalto e podem ter surpreendido até a nós mesmos, com a violência de sua veemência. Estamos introspectivos, sondando a própria alma para ter maior clareza daquilo com que estamos lidando. Entretanto, há incongruências demandando ajustes; desconfortos exigindo adaptação. No meio de tanta introspecção e necessidade de solitude, um outro lado pede para ousarmos e nos rebelarmos contra este isolamento. Em ultima instância é outro daqueles dias em que sentimentos e pensamentos estão em dissonância e precisaremos ter paciência conosco mesmos, para não enxergarmos conflitos onde não existem no mundo lá fora. Tal atrito interno pode gerar tensão nas nossas interações, com propensão a bate-bocas cáusticos e azedos, o sarcasmo correndo livre e acerado. O dia oferece chances de pararmos e analisarmos nosso humor azedo e suas origens, aceitando nosso azedume poderemos fazer as pazes com ele e transformá-lo. Não temos obrigação de estar sempre lindos risonhos, mas precisamos lembrar que os outros também não têm obrigação de tolerar nosso mau humor gratuito. Assim, talvez o melhor seja sinalizar para o mundo nosso estado de espírito, antes que outros corram o risco de se espetar, inadvertidamente nos nossos espinhos pontiagudos – todo mundo tem seus dias meio intratáveis, nós também. Só precisamos estar cientes que o outro não é responsável pelo modo como nos sentimos e então cuidar de nossa higiene psíquica.

Vi.sualise.us - Reprodução
Vi.sualise.us – Reprodução

A Lua Cheia ingressa em Sagitário às 09h47min do DOMINGO, de onde faz quincunce ao Sol em Touro. Fecha a noite e a semana em conjunção a Marte retrógrado e também a Saturno, em orbe ampla. O dia está venturoso e dinâmico e pede que saiamos de casa para explorar novos caminhos e atividades, que talvez ajudem a expandir nossa visão do cotidiano. Aventurar-se, dispor-se a ser surpreendido e a ver o mundo sob uma visão mais ampla do que a que estamos acostumados. Estão favorecidas as atividades esportivas e campestres, que nos coloquem em contato com a natureza, com animais e propiciem talvez, uma diversão extravagante mas inofensiva. Por outro lado, também estão beneficiados os encontros filosóficos e as conversas espirituais com grupos de orientação diversa – desde que, que fique bem claro, tenhamos maturidade para respeitar os pontos de vistas e crenças alheios, encarando nossos interlocutores com mente aberta e disposta a aprender. É bom darmos um jeito de realmente descansar, relaxar e espairecer porque a segunda-feira nos espera logo ali, cheia de afazeres, dilemas e desafios – precisaremos estar prontos para eles! Talvez seja possível ver Lua-Marte-Saturno em conjunção tripla à noite e na madrugada de domingo para segunda. Marte, uma estrela de brilho avermelhado e Saturno um brilho mais branco-amarelado. É fácil diferenciar entre planetas e estrelas porque os planetas têm brilhos constante, enquanto as estrelas piscam de forma intermitente.

Eu desejo a você uma semana de plenitude e inteireza! Que seus projetos frutifiquem maravilhosamente!

Abaixo as sugestões da terapeuta de florais, Patrícia Vilela para nos ajudar a lidar com as tensões e desafios desta semana.

Reprodução
Tansy – Reprodução

Em uma semana com tantos movimentos expressivos, e com tantas possibilidades de dispersão, as primeiras sugestões de essências florais são para nos auxiliar a manter o foco e não procrastinar aquilo que deve ser feito. A primeira essência faz parte dos florais da Califórnia, é o Tansy, o padrão de desequilíbrio que ele vem auxiliar é o da letargia, procrastinação, incapacidade de agir de modo direto, e quando ainda temos hábitos que minam ou subvertem a verdadeira intenção do Eu. As qualidades que essa essência nos auxilia a mobilizar é a da ação deliberada e cheia de propósito, o auto direcionamento, o de uma pessoa decidida e orientada por metas.

Reprodução
Hornbean – Reprodução

A segunda essência pertence ao sistema de Bach é o Hornbeam, ela vem trazer o entusiasmo, a alegria e o nosso envolvimento e comprometimento com nossas tarefas diárias. É uma essência maravilhosa quando estamos saturados da rotina – e porque não deixar para amanhã o que podemos fazer depois de amanhã, não é mesmo? A essência floral Hornbeam, vem nutrir a alma com força e vitalidade renovadas, para que ela possa viver no mundo de forma alegre e eficaz.

Chuva de ouro - Reprodução
Chuva de ouro – Reprodução

Nesta terça-feira o Sol ingressa no signo de Touro, signo regido por Vênus. Em tempos tão difíceis, a sugestão é um bálsamo para esta Vênus que atualmente encontra-se com aspectos tão tensos. E a essência floral é a Chuva de Ouro do Sistema Filhas de Gaia. “Ajuda–nos a manter o foco na abundância do Amor que se expressa através da beleza da vida que nos envolve, em cada situação ou momento de nossas vidas. Favorece ao processo de reaprender a nutrir–se deste Amor que emana da beleza de uma flor, do canto de um pássaro, do movimento das nuvens, do sorriso de uma criança. Facilita o discernimento e clareza sobre a real qualidade das emoções com as quais nos nutrimos, muitas vezes, de uma maneira inconsciente. Este movimento favorece nossa libertação do vício de nutrição emocional e mental negativa. Nutrir–se na abundancia do Amor que sustenta a Vida que nos cerca, para libertar–se do vício de nutrir–se de medo, carência, pena, hostilidade, dificuldades econômicas, auto piedade, tristeza, adrenalina e tantos outros sentimentos ou pensamentos mal qualificados que nos mantém alienados de nossa Verdade.”

Scarlet Monkey Flower - Reprodução
Scarlet Monkey Flower – Reprodução

E para a Lua Cheia em Escorpião a essência sugerida faz parte do Sistema da Califórnia, e a Scarlet Monkeyflower, ela vem nos auxiliar a lidar com o medo de sentimentos intensos, ou com a repressão das emoções fortes, bem como a incapacidade de resolver as questões relacionadas à raiva e à impotência. Ela nos auxilia na honestidade emocional e na comunicação clara e direta dos sentimentos profundos, assim como na “integração” da nossa “sombra” emocional.

 

Patrícia Vaz Vilela
Terapeuta Floral – ASTERFLOR/MS 43
Rua Dourtor Arthur Jorge, 2455
Bairro Monte Castelo
Cep 79010-210
(67) 9245-6604
Campo Grande – MS

 

Rhed Fawell - Reprodução
Rhed Fawell – Reprodução

A Semana Astrológica – Devagar quase parando… Parou!

Topit.me - Reprodução
Topit.me – Reprodução

Semana de 11 a 17 de abril 

Embora seja um período produtivo, de expansão e crescimento, como representado pela fase do Quarto Crescente, esta semana inaugura um dos períodos mais tensos do ano, representado pela retrogradação de Marte entre os signos de Sagitário e Escorpião, conjugada com a retrogradação de Plutão, que também estaciona no domingo, e com Mercúrio cruzando sua própria zona sombria de retrogradação. Marte estaciona no sábado e fica retrógrado no domingo, voltando ao movimento direto somente em 29 de junho. Plutão estaciona no domingo e fica retrógrado de 18 de abril a 26 de setembro. Mercúrio entra na zona sombria de sua próxima retrogradação no dia 14 e ficará retrógrado de 28 de abril a 22 de maio, retornando do grau 23°36 a 14°20 de Touro. Quando ele cruzar o grau 14°20’ de Touro, estará oficialmente na zona de retrogradação. Isso se dará na quinta-feira. Quer dizer que logo Mercúrio começará a desacelerar para estacionar e isso simboliza que a comunicação e processos mentais já passam por alterações sutis, demandando maior atenção.

IMG_0492 - Cópia
Maria Eunice Sousa

Marte fica retrógrado de 60 a 80 dias a cada 26 meses, aproximadamente. Sua retrogradação será sentida nas áreas de vida simbolizadas pela casa do mapa natal em que ocorre a retrogradação e o efeito será mais intenso e potente caso Marte faça algum aspecto tenso a planetas do mapa natal, especialmente se este aspecto ocorrer três vezes, direto, retrógrado, direto. A retrogradação implica diretamente em REVISÃO dos assuntos regidos pelo planeta em questão, na área de vida em que o movimento se dá. No caso de Marte, o chamado é para revisarmos decisões, atitudes e a maneira como executamos nossa ação, nosso modus operandi naquela área de vida. REVER e REAVALIAR a maneira como afirmamos nossa identidade, nossa assertividade – ou falta de – e como isso impacta na nossa realização pessoal e nas nossas relações. Há tendência de atrasos, bloqueios e entraves nos assuntos desta casa, o que pede de nós muita paciência e tolerância. Sendo Marte um planeta que se expressa no corpo, fisicamente, podemos canalizar as frustrações numa caminhada vigorosa, mas, ao mesmo tempo, recomenda-se pegar leve nas atividades físicas em geral, pois podemos nos exaurir e até adoecer ou nos expor a acidentes, principalmente se Marte retrógrado faz aspectos tensos a Mercúrio, Saturno ou Urano no mapa natal. Parece que tudo começa a desandar, vamos perdendo a energia e a vontade e coisas que antes fluíam tranquilamente agora demandam grande esforço para serem executadas, o que nos deixa com os ânimos alterados, o pavio fica mais curto e qualquer coisa tola pode ser o estopim para discussões sérias ou conflitos graves, sobretudo para indivíduos que já têm dificuldades de gestão da própria agressividade, ou seja, quem já tem um Marte muito desafiado no mapa natal. É recomendável manter em cheque as frustrações e ser bastante honesto a respeito delas, evitando que espirrem em outros que talvez não tenham nada a ver com nossos problemas. Arianos e Escorpianos, de Sol, Ascendente e Lua são mais “afetados” pela retrogradação de Marte, assim como pessoas cujos planetas natais recebam aspectos tensos desta retrogradação, ou seja, pessoas que tenham planetas natais entre os graus 0 a 09 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) e dos graus 23 a 30 dos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário). Leia sobre Marte retrógrado.

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

Depois de ter se engalfinhado na briga Urano-Plutão na semana que passou, o Sol vai assimilando os insights e resultados destes embates e não faz mais aspectos até sair de Áries, apenas recebendo os aspectos da Lua. Por outro lado, Mercúrio e Vênus estão bastante ativos por estes dias. Mercúrio faz sextil a Netuno, trígono a Júpiter, quincunce a Saturno e trígono a Plutão. A mente tem uma trégua benfazeja, visto que a maioria destes aspectos é harmoniosa, uma trégua bem vinda antes da retrogradação mercurial. O período fica favorável para para nos expressarmos com mais sensibilidade e sermos mais imaginativos em nossos planos (Netuno), para fazermos novas conexões e sermos mais otimistas, abrindo o leque de nossas perspectivas (Júpiter), e usando nosso poder mental concentrado para estudar, planejar ou transformar a forma como nos comunicamos (Plutão). Precisamos ficar atentos às agulhadas de insegurança que poderão nos assaltar vez por outra e à possibilidade de termos uma visão muito estreita e literal das coisas, pontos de vista meio obtusos ou míopes. Mas algo muito interessante é que teremos um Grande Trígono de Terra armado por praticamente toda a semana, formando por Mercúrio, Júpiter e Plutão, sugerindo que há grandes recursos mentais, grandes potenciais de colocarmos nossas ideias em prática, ideias poderosas de expansão e crescimento, embora tal crescimento talvez venha a se manifestar no longo prazo e não imediatamente. Considerando que também teremos a formação de vários Grandes Trígonos de Fogo, esse Grande Trígono de Terra traz equilíbrio ao Fogo, equipando-nos com um visão e um ideal que são pragmáticos e também dá sustentação e praticidade aos nossos planejamentos, de modo que há poucas probabilidades de “viajarmos na maionese” por estes dias, visto que ficamos mais centrados, focados e bem enraizados.

Heather Nevay - Reprodução
Heather Nevay – Reprodução

Vênus em Áries também se prepara para o embate com Urano-Plutão, que se dará daqui a alguns dias. Nesta semana ela se harmoniza com seu dispositor, Marte, sugerindo uma harmonia entre masculino e feminino, entre os desejos e a execução. Estando Vênus em Áries e em contato com Marte, ficamos naturalmente mais independentes, sem que isso chegue a representar grandes problemas no relacionamento, visto que o outro parecer precisar de tanta autonomia quanto nós. Mas Vênus tem também um desentendimento leve com Júpiter e embora isso não represente um problema grave, pode significar uma tendência à preguiça, à folga demasiada, à procrastinação e a uma insatisfação que não tem uma origem muito clara, apenas sentimos que algo está faltando, que poderíamos estar mais felizes e contentes, apenas se… Estaremos com inveja de alguém? Podemos também nos tornar meio erráticos na expressão de nossos afetos, uma hora sendo extremamente efusivos e entusiasmados, para, no momento seguinte não darmos a mínima, nem para a pessoa nem para a relação em si, o que confunde aqueles com quem interagimos, causando problemas na relação e então nos pegamos ansiando por aquilo que mandamos embora. Aspectos entre Vênus-Júpiter sinalizam uma qualidade meio compulsiva, de querer sempre “mais”. No caso do quincunce isso não é sentido abertamente, de modo que é possível pularmos de um flerte a outro sem prestarmos muita atenção aos efeitos e espanto que causamos na esteira do nosso comportamento. Desnecessário dizer que para lidarmos com isso precisamos encarar nossas inseguranças e ambivalências, entre elas, como manter vínculos fortes e verdadeiros, sem que isso signifique abrir mão de nosso crescimento individual. Inconscientemente talvez acreditemos que é impossível conciliar relações duradouras com expansão pessoal. Conscientizar-se dessas incongruências pode ser bastante libertador.

Sigfried Zademack - Reprodução
Sigfried Zademack – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Crescente em Gêmeos e oficializa o Primeiro Quarto em Câncer, na quinta-feira. Brinca serelepe em Leão e fecha o período em ficando Corcunda em Virgem, no domingo. Nesta jornada ela faz contatos, harmoniosos ou tensos, com todos os demais corpos celestes e será, muitas vezes, o único contato que alguns planetas fazem com o resto do mapa, como é o caso do Sol, que apenas se separa dos aspectos últimos que fez, As fases Crescente, Primeiro quarto e Corcunda indicam uma semana dinâmica, de avançarmos em nossos propósitos e objetivos de forma aguerrida e determinada! Mãos à obra!

Borzui - Reprodução
Borzui – Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA recebe a Lua Geminiana ainda separando-se da quadratura a Netuno, em oposição a Saturno e quadratura a Júpiter, formando uma Grande Cruz Mutável, que se estende por todo o dia, visto que mais tarde a Lua também faz quadratura a Quíron em Peixes. A Lua ainda faz quincunce a Plutão em Capricórnio, sextil a Urano e ao Sol em Áries, ficando vazia depois do contato com o Sol, às 15h58min. Ingressa em Câncer às 05h07min da terça-feira. Mercúrio, dispositor da Lua, está em touro e ajuda na ancoragem. O dia está super ocupado e movimentado, exigindo muita mobilidade e, conversamente, muito centramento também, para conseguirmos dar conta de toda a excitação mental, das obrigações profissionais, contatos sociais e ainda cuidar da vida e das necessidades pessoais.  Ufa! Quanta correria! Em meio ao turbilhão, quando sentirmos que vamos nos esbandalhar em vários pedaços, podemos respirar fundo, tirar os calçados e colocar os pés na terra, fazendo algum exercício de enraizamento que nos ajude a conter a energia, a ansiedade e os excessos mentais ou emocionais. Algo que também pode nos ajudar no frenesi caótico desse dia é lembrar dos nossos limites e humanidade: é impossível estar em dois lugares ao mesmo tempo – embora esta seja uma fantasia constante de Gêmeos! – portanto, voltemos ao básico e atenhamo-nos aos limites e prioridades para poder ter um mínimo de foco. Criar um ponto de foco diante de si, á frente da mesa no escritório ou acima da tela do computador pode ajudar a conter a dispersão. Esse ponto de foco pode ser uma imagem, uma frase ou qualquer coisa que nos faça voltar ao que é essencial: o porquê de estarmos fazendo o que fazemos, no prazo que precisamos fazer. Esse ponto de foco pode ser também uma promessa de recompensa para quando tivermos concluído nossas tarefas.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio está em sextil a Netuno na  TERÇA-FEIRA. A Lua começa o dia ainda vazia em Gêmeos e ingressa em Câncer às 05h07min, de onde faz quincunce a Marte em Sagitário, quadratura a Vênus em Áries e trígono a Netuno em Peixes. Outro dia de dilemas, embora os de hoje sejam de outra ordem. Há uma cisão na alma feminina: há demandas familiares, domésticas e necessidades emocionais com as quais precisamos lidar, mas outra parte de nós deseja eliminar quaisquer “distrações” e simplesmente ir atrás dos próprios desejos decidida e ostensivamente. Esse dilema fica muito agudo especialmente para mulheres com jornadas duplas: profissional x esposa ou profissional x mãe… A mãe sente-se culpada ao sair para o trabalho deixando um filho que não está bem; de outra forma, a mesma mãe pode, ao contrário se ressentir de recusar um projeto importante porque já está comprometida com atividades que envolvem os rebentos… Não tem jeito! Há que se achar uma conciliação porque ambas as atividades e facetas da vida são igualmente importantes. O que está em jogo realmente? O que é mais importante para nós? O que é secundário? Se tivermos clareza dessas questões as decisões se tornam mais simples. Se não estamos cientes dessas ambiguidades internas, ficamos propensos a nos engajar em conflitos externos e um conflito clássico simbolizado por estas configurações é aquele da mulher casada versus a solteira, cada uma delas morrendo de inveja da outra achando que a vida daquela é muito mais interessante e feliz. Ou ainda, pode ocorrer a clássica rivalidade feminina entre os tipos mais tradicionais e os tipos mais independentes… Não esqueçamos, os conflitos externos são apenas representações dos nosso dilemas íntimos mal resolvidos.

Katerina Chadoulou - Reprodução
Katerina Chadoulou – Reprodução

O trígono Lua-Netuno fica exato na primeira hora da QUARTA-FEIRA. Dona Lua também conversa tranquila com Júpiter e com Mercúrio, se harmoniza com Quíron, mas briga feio com Plutão em Capricórnio e com Urano em Áries, além de se desentender, também, com Saturno em Sagitário. Dia de pipoco e pequenas explosões, sejam elas de cólera, de choro, de humor… As emoções oscilam vertiginosamente, deixando-nos inseguros e instáveis feito bomba-relógio! Mas fazer drama não vai adiantar. Precisamos mesmo é olhar o demônio no olho e sondar o que ele tem a nos contar sobre nós mesmos e nossas pequenas crises. Por que estamos tão inseguros, insatisfeitos, chorosos e irritados? Por que precisamos criar pequenos terremotos ao nosso redor para nos fazer ouvir ou respeitar? – método, aliás, totalmente contraproducente porque resultará exatamente no oposto. Talvez, em nossa grande vulnerabilidade teçamos fantasias de um super-humano que consegue controlar tudo, mas esquecemos que existem fatores incontroláveis: os outros seres humanos e, pasme! nossos próprios sentimentos desenfreados que colocam tudo a perder e desnudam nossas intenções para os outros.  Se formos honestos e honrarmos nossos sentimentos, não precisaremos ficar à mercê deles nem atuá-los compulsivamente. Reconhecer nossa fragilidade e impotência também nos colocará em contato com a raiz de muitos problemas que criamos para nós e para nossas relações. O dia traz esse potencial de transformar a maneira como lidamos com nossas emoções desencontradas, selvagens e irracionais, propiciando aceitação e uma consequente maturidade. Mas também podemos dar pitis e showzinhos para chamar a atenção para a nossa criança emburrada que quer tudo a seu modo… O que vai ser? Depende de nós!

John Janaro - Reprodução
John Janaro – Reprodução

A Lua Canceriana oficializa a fase do Primeiro Quarto, chamada Quarto Crescente nas primeiras horas da QUINTA-FEIRA, ao fazer quadratura ao Sol Ariano, ficando fora de curso logo depois, à 01h00min. Ainda em Câncer faz sesqui-quadratura a Netuno. Ingressa em Leão às 10h53min, de onde se indispõe com Saturno. Se alinhando mais tarde a Marte, por um trígono não exato. Mercúrio cruza o portal da zona de retrogradação hoje, em trígono a Júpiter. As sementes que plantamos na Lua Nova começam a crescer e agora demandam maiores cuidados, atenção e nutrição. Há ervas daninhas para serem arrancadas, galhos a serem podados, adubo a ser colocado… É isso ou nossa colheita será apenas “mais ou menos” e não cumprirá seu potencial máximo de frutificação. Assim, precisamos olhar com cuidado para o que estamos fazendo e perceber quais são os ajustes que precisam ser feitos, para nos assegurar de que os objetivos se realizarão plenamente. O dia traz um grande potencial criativo, de realizarmos as mesmas atividades de sempre com alegria, dispostos a nos divertir e brincar, ao invés de reclamar. Afinal, ninguém está nos obrigando a nada e as recompensas do esforço serão nossas… Ou não? Tudo é sempre uma questão de perspectiva: podemos escolher soltar nossa imaginação feito criança feliz ou podemos resmungar feito um velho chato que só vê problema em tudo… O que vai ser?

Hi-Fructose Magazine - Reprodução
Hi-Fructose Magazine – Reprodução

Mercúrio faz quincunce exato a Saturno na SEXTA-FEIRA e recebe também a quadratura da Lua Lua Leonina, que por sua vez faz trígono a Vênus em Áries e a Marte em Sagitário, formando um Grande Trígono de Fogo por praticamente todo o dia. A Lua ainda faz  trígono a Saturno, quincunce a Plutão e sesqui-quadratura a Quíron. Cabeça e coração estão em grande descompasso hoje. A razão quer uma coisa e o coração quer outra e divididos como estamos tendemos a ficar irritados, como se o mundo fosse culpado do nosso conflito insolúvel, que aliás, tem várias camadas, porque parte de nós também quer sombra e água fresca, sossego e certezas, enquanto um outro lado nos diz que para crescer precisamos buscar novos caminhos e nos responsabilizar por este crescimento, sem falar naqueles anseios indefiníveis que volta e meia aparecem do nada para nos perturbar… Entretanto, também há muito otimismo e alegria no ar, uma sensação de que, apesar dos conflitos, das dificuldades, há compensações e sempre podemos nos divertir um pouco. Uma grande energia e vigor nos impulsionam e tornam o dia estimulante e interessante, de modo que mesmo os conflitos funcionam como uma aventura a qual abraçamos calorosamente. Assim, conseguimos equilibrar a irritação e talvez ela se torne um combustível que alimenta nossa energia realizadora. Ponto de atenção: Com todo esse fogo ativado e mais a quadratura Lua-Mercúrio convém ficarmos atentos para não corrermos riscos desnecessários ou levianos, que podem estragar completamente o que era para ser um dia animado e venturoso!

Arduinna, Deusa da Floresta - Jedijack-his-history - Reprodução
Arduinna, Deusa da Floresta – Jedijack-his-history – Reprodução

Marte estaciona a 08°53’ de Sagitário, às 09h14min do SÁBADO, para ficar  retrógrado amanhã, no mesmo horário. A Lua forma outro Grande Trígono de Fogo por boa parte do dia ao fazer trígonos a Saturno em Sagitário e a Urano em Áries. Ela também faz quincunce a Quíron e trígono ao Sol Ariano, ficando vazia logo depois, às 14h49min. Ingressa em Virgem às 20h23min. Vênus faz quincunce exato a Júpiter. Há uma mudança no ar, que embora sutil, é sentida de maneira potente hoje. De repente, coisas que pareciam estar indo bem e fluindo perfeitamente parecem dar um tranco e morrer abruptamente, como o motor do carro que apaga sem motivo aparente. Nossa energia está mais lenta e a ignição demora para se efetivar. Isso acaba por afetar nossos interesses e entusiasmo e ficamos meio desconectados de tais interesses, como se de repente já não fizessem muito sentido. Assim, sentimos uma energia potente na atmosfera, mas a experimentamos com cautela, como se não confiássemos prontamente de que podemos utilizá-la e de que não nos deixará na mão. De qualquer forma, mesmo que em modo mais observador, o dia nos instiga a avançar um pouco e alterar nossa rotina, só para variar; a superar alguns receios em direção a formas novas de interação com o mundo e também na maneira como lidamos com nossos sentimentos e necessidades. Mas há uma hesitação cautelosa, como se tudo se movesse em câmera lenta, como se o tempo estivesse congelando para observamos melhor o que se passa ao nosso redor. Como o silêncio ensurdecedor antes da bomba explodir. É, de fato, um momento potente, e fazemos bem em observar a energia e alinharmo-nos com nosso feeling mais profundo para saber qual a direção e qual atitude tomar.

Behance - Reprodução
Behance – Reprodução

O DOMINGO está deveras portentoso: Marte entra em movimento retrógrado enquanto Plutão estaciona para também ficar retrógrado. Mercúrio está em trígono pleno a Plutão, aspecto que ele fará por três vezes, devido ao ciclo de retrogradação. A Lua Virginiana faz sesqui-quadratura a Plutão e a Urano e depois ao Sol, entrando na fase Corcunda. Dona Lua também faz oposição a Netuno em Peixes e quadratura ao Marte estacionário, tornando-o foco de uma T-Square mutável porque Marte também está em quadratura a Netuno. À noite a Lua faz conjunção a Júpiter e reforça o Grande Trígono de Terra. Lua e Júpiter farão uma bela conjunção no céu da noite de domingo, vale a pena ficar de olho! O dia pede uma percepção refinada da sutileza da atmosfera. Algo está mudando: a direção do vento, a coloração das árvores, os sons no mundo lá fora… Sim, uma mudança na perspectiva ocorre e agora precisamos nos sintonizar com tal mudança de direção, para nos alinharmos com ela, funcionar a seu favor e não contracorrente. O dia traz uma irritação muito indefinível, como um pressentimento de que algo está prestes a acontecer, quer nos preparemos ou não… Na verdade, o maior desconforto vem exatamente da certeza de que não há nada a fazer, a não ser estar completamente presentes em nós mesmos. Frustrações que pareciam resolvidas emergem ferozes; hostilidades incompreensíveis surpreendem até a nós mesmos e nos sentimos um pouco à mercê de nossa própria raiva e rompantes. Mas ao invés de cedermos a tais rompantes e indulgirmos num ataque de cólera, fazemos melhor se olharmos nossa raiva com lentes de aumento para ver o que ela pode nos contar sobre nós mesmos que ainda ignoramos. E daqui em diante, a observação será nossa arma mais preciosa e efetiva para lidar com nossa própria raiva e frustração quando as coisas parecerem sair do controle, e com a hostilidade alheia que for dirigida a nós, mesmo que inadvertidamente. Está oficialmente inaugurado o período bienal de abusar das virtudes da paciência, tolerância, transigência e flexibilidade.

Uma linda semana para você! Que tenhamos toda a paciência de que vamos precisar!

Alessio Andreani - Reprodução
Alessio Andreani – Reprodução

Marte Retrógrado – Quando o Pai é o Inimigo

gaiola
Reprodução

Qual o significado dos planetas retrógrados em trânsito e no mapa natal? A Astrologia tradicional e contemporânea costuma atribuir debilidade, fragilidade e às vezes, dificuldades nefastas aos planetas retrógrados. Mas, para além dessas definições reducionistas, qual o significado mais profundo de um planeta retrógrado? Que dinâmica psicológica é simbolizada por este posicionamento? Sabemos que o movimento de retrogradação já implica numa mudança da direção, numa alteração na forma como este planeta se expressa e certamente representa desafios à sua integração. Mas isso tem que ser, necessariamente, ruim? Neste artigo vamos falar sobre a retrogradação de Marte no mapa natal. Antes, vamos entender os princípios da retrogradação:

Princípios Básicos

Antes de falarmos do ciclo de Marte, alguns princípios básicos precisam ser levados em conta quando se fala de planetas retrógrados:

a)      Sol e Lua nunca ficam retrógrados;

b)      o movimento de retrogradação é uma ilusão de ótica que nos faz perceber o planeta deslocando-se para trás e isso acontece devido ao relacionamento do planeta em questão com o Sol, e devido às diferentes velocidades de rotação da Terra e dos demais planetas, assim, para os planetas interiores, Mercúrio e Vênus, a retrogradação ocorre em períodos próximos à conjunção inferior com o Sol, enquanto que no caso dos planetas exteriores (posicionados depois da Terra no sistema solar), a partir de Marte, o ciclo retrógrado está diretamente relacionado à oposição com o Sol;

c)       os planetas exteriores Urano, Netuno e Plutão, devido à lentidão de seu movimento e à distância do Sol, passam boa parte do tempo em movimento retrógrado e seu impacto no mapa natal é menos perceptível, principalmente por serem eles planetas coletivos, a não ser que estejam próximos do ponto estacionário, quando adquirem ênfase especial, pois além de ter sua ação e significado realçados, provavelmente mudarão de direção nas progressões secundárias. Com Júpiter e Saturno não é muito diferente – aliás, de Júpiter em diante a retrogradação tem impacto mais definido em Astrologia Mundial e em Astrologia Horária e Eletiva;

d)      assim, os planetas cujos ciclos de retrogradação são mais perceptíveis em Astrologia Natal são Marte, Vênus e Mercúrio e considerando que Mercúrio fica 20% do tempo retrógrado (três vezes ao ano, em períodos de aproximadamente três semanas), isso não chega a ser tão traumático, com exceção de situações específicas em áreas regidas pelo planeta – o impacto também é menor porque certamente Mercúrio mudará de direção nas Progressões Secundárias. De forma que em Astrologia Natal os planetas cuja ação é alterada de forma significativa quando retrógrados são Vênus e Marte, dois planetas relacionados ao simbolismo do masculino e feminino. Vênus fica retrógrado cerca de 40 a 45 dias a cada 18 meses e Marte parece mover-se para trás de 60 a 80 dias, a cada 2,13 anos (3). Leia sobre Vênus Retrógrada.

IMG_0492 - Cópia
Maria Eunice Sousa

Retrogradação, um malefício?

A literatura sobre planetas retrógrados no mapa natal ou em tempo real varia de forma extrema, desde um autor dizendo que “Eu pessoalmente não acho o movimento retrógrado muito importante na maioria dos casos” (1), ao ensinamento tradicional em que “atribuíam-se aos planetas retrógrados características tais como debilitação, fraqueza, infortúnio e outros significados terríveis”. (2) No meio, alguns conceitos vagos e outros acurados. A Astrologia Tradicional vê a retrogradação como debilidade acidental, mudando a força do planeta; é certamente considerada em mapas de Astrologia Horária e Eletiva. Já a Astrologia Védica, contrariamente, atribui grande força e potência a planetas retrógrados. Na Astrologia Psicológica, diz-se, entre outras coisas, que as qualidades representadas pelo planeta são introvertidas, voltam-se para dentro e são mais difíceis de ser acessadas, exigindo trabalho interior especial na esfera regida pelo planeta ao longo da vida.

Na retrogradação de Marte, muitas vezes o impulso agressivo se volta contra a própria pessoa, pois ela, inconscientemente escolhe "implodir", direcionando a raiva para dentro, ao invés de para fora.
Na retrogradação de Marte, muitas vezes o impulso agressivo se volta contra a própria pessoa, pois ela, inconscientemente escolhe “implodir”, direcionando a raiva para dentro, ao invés de para fora.

É muito difícil dizer algo realmente novo em Astrologia, um corpo de conhecimento milenar, que desenvolveu-se concomitantemente à evolução e progresso humanos, particularmente nos últimos 200 anos, com o desenvolvimento da consciência individual – lembre-se, num passado não muito distante somente nobres (muito nobres) podiam ser indivíduos, e certamente não da forma como pensamos o indivíduo hoje, todo o resto era uma massa disforme chamada plebe e nesse contexto horóscopos eram erigidos apenas para reis, papas e figuras muito influentes – portanto, não tenho a pretensão, neste artigo, de acrescentar nada de novo a respeito de Marte Retrógrado que já não tenha sido dito pelos Grandes que escrevem e ensinam sobre o assunto, contudo, agrego o que tenho visto na minha prática com clientes e que geralmente confirma os preceitos dos autores no qual me fundamento. Baseio este artigo particularmente em quatro autores: Howard Sasportas, Liz Greene, Melanie Reinhart e Erin sullivan, cujo livro Retrograde Planets, permanece, em minha opinião, como o melhor e mais completo estudo sobre planetas retrógrados já editado, livro que definitivamente recomendo caso o leitor queira entender mais sobre o assunto (veja referências bibliográficas completas ao final do artigo).

mars1
Marte – Reprodução

Marte, o Embaixador da Identidade

O primeiro dos planetas exteriores, Marte é considerado o embaixador da Tríade da identidade: Sol, Mercúrio e Vênus. Marte é a força da vida, o puro instinto de sobrevivência, aquilo que nos faz levantar da cama de manhã e atuar no mundo. É primitivo, é instintivo e intrinsecamente ligado ao corpo e sentido nele. O relacionamento entre Sol e Marte é um dos mais importantes no horóscopo porque a energia e ação de Marte são instrumentais para que o Sol possa se expressar. Sol e Marte são as duas figuras masculinas por excelência na astrologia e, de formas diferentes, apontam para o arquétipo do pai como figura masculina primeira na psique do menino ou menina. Marte, especialmente, como representante da figura do herói que toda criança pequena enxerga no pai, mas Sol e Marte também simbolizam o herói em cada um de nós, lutando batalhas particulares, simbolizadas pelo signo e casa em que caem no horóscopo, assim como pelos aspectos que fazem entre si e com outros planetas.

A Batalha entre o Rei e seu Embaixador

Reprodução
Reprodução

Uma vez que o movimento retrógrado aqui implica, necessariamente, em oposição, o ciclo de retrogradação seria então uma batalha entre o embaixador, Marte, e seu Rei, o Sol. “Essa batalha como vista através da função da retrogradação no mapa natal freqüentemente se manifesta nas pessoas como uma sensação de que sua energia e etos heroico foram roubados ou suprimidos. Elas têm que cavar mais fundo para achar seu senso de superioridade individual e freqüentemente se vêem perdidas no desempenho desta tarefa” diz Erin Sullivan(4).

O som ao redor 5
Irandhir Santos e W. J. Solha no filme “O Som ao Redor” Reprodução

O Pai como Inimigo

Geralmente o pai é visto como o ladrão que roubou essa energia e, de fato, verifica-se um distanciamento entre a pessoa e o pai biológico, de quem se busca compulsivamente atenção e aprovação. Obviamente o pai biológico não necessariamente é um carrasco, ou frio e distante de propósito, menos ainda um pai roubaria “conscientemente” a força de vida do filho ou filha. O que acontece com freqüência é que o próprio pai tem problemas com seu Marte e com sua força de vontade e senso de potência. “Sua própria vontade pode ter sido subordinada ou minada por circunstancias que a criança constela como um tipo de sina e que deve reivindicar de alguma forma”, aponta Sullivan (4). Com o tempo, a batalha com o Pai torna-se uma batalha com o mundo e como é comum em configurações de oposição, a psique utiliza-se do fenômeno da projeção e o Pai que nos impede e se interpõe em nosso caminho é vivenciado de novo através de figuras de autoridade ou de relacionamento próximo: o chefe, um policial, um professor, o marido, a esposa, e assim por em diante.

oposição
Reprodução

Howard Sasportas, falando sobre a oposição Sol-Marte no mapa natal diz o seguinte:

Com a oposição de Sol e Marte surge a tendência de projetar Marte sobre os outros. Sente-se um forte desejo de auto-expressão, mas a força de vontade de outra pessoa parece afrontar esse desejo (a oposição de Marte). Você pode ter a sensação de que alguém está tentando impedi-lo de ser autêntico. A impressão é de que seu desejo de ser você mesmo está em oposição com o desejo da outra pessoas de ser ela mesma. (…) O individuo acha que os outros o estão desafiando ou então provocam brigas a fim de justificar a manifestação da própria vontade e força. O conflito pode se dar com um dos pais, muitas vezes com o pai.  (5)

Outros São heroicos – Eu Sou Heroico

AttheAbyss
At the Abyss – Reprodução

Como disse acima, oposições são um prato cheio para projeções. No plano simbólico como no real há uma batalha de vontades. Sullivan lembra que o pai, ausente ou presente, é essa imagem projetada do herói-lá-fora e ele é uma figura dominante no período em que o ego está mais vulnerável no seu desenvolvimento, dos três aos sete anos. Gradativamente, se tudo corre bem, a criança, depois adolescente, vai aprendendo a internalizar a figura do herói e aprende a vê-la como parte de si mesma. O problema com Marte retrógrado é que há dificuldades maiores nesse processo de internalização da imagem do herói e o individuo continua a projetá-la em figuras exteriores. Mas a autora estressa que a transmutação de outros-são-heroicos em eu-sou-heroico pode ser feita, mesmo por indivíduos com Marte retrógrado no mapa natal. Em algum momento essa figura super poderosa precisa parar de ser a força controladora na vida da pessoa e ela finalmente se dá conta de que a batalha lá fora, é na verdade, uma batalha interna.

481671_2601460652925_1097029976_n
Herê Fonseca, artista de Mato Grosso Reprodução

Melanie Reinhart afirma algo na mesma linha:

Se alguém nasce com o Sol em oposição a Marte retrógrado, aplicando para uma futura conjunção, um dos grandes temas na vida será a conclusão de algo, talvez uma tarefa ou luta interna, então, com freqüência há uma qualidade de energia removida a respeito daquela pessoa. Ou talvez às vezes ela exploda violentamente. A energia vital de Marte está atada a conflitos de família ou talvez esteja lutando uma batalha de dificuldades e privações ou dificuldades físicas ou ainda psíquicas. Elas podem ainda estar emaranhadas lutando a batalha de outras pessoas ou então sentem a agressividade do ambiente imposta sobre elas (6)

Uso e Abuso de Poder

Reprodução
Reprodução

Reinhart afirma que com Marte retrógrado outro grande tema é o uso e abuso de poder, já que o inicio da vida é geralmente marcado pela sensação de impotência e a conexão com a vontade e a iniciativa tem que ser construída com o tempo, experiência e introspecção. Quando se tem essa sensação de impotência – e um dos sinais mais óbvios é a dificuldade de dizer “não” – e se começa a trabalhar a questão, normalmente vai-se para o extremo oposto, e de uma “ovelhinha dócil” que não incomoda ninguém, a pessoa pode passar a comprar brigas desnecessárias e ver oposição onde não existe, talvez como forma de exercitar a incipiente assertividade – se a pessoa não se observa com cuidado, ela pode sim, passar a abusar do poder recém adquirido, seja em relacionamentos íntimos ou em esferas mais públicas. É sabido já há tempos que pessoas vítimas de abuso muitas vezes tornam-se abusadores depois. É uma espécie de super compensação.

Angry Man And Woman
Reprodução

Agressividade Passiva

Isso nos leva a outra manifestação possível com Marte retrógrado, a agressividade passiva. Não, não é exclusividade de Marte Retrógrado; pode ser simbolizada também por Marte em Peixes, Marte em Capricórnio, Marte-Saturno, Lua-Marte-Plutão, etc. Agressão passiva, diz Sullivan,  “é um jeito muito especial de ser ofensivo e defensivo ao mesmo tempo – alguns até podem achar que é econômico – não apenas você pode ficar zangado, como pode evitar que o outro retalie abertamente! É um beco sem saída, não apenas interno, mas externo também (…) um sentimento de raiva exalado, mais do que explicitado, a retrogradação provê um método para controlar os outros pela manipulação sutil e não pelo comando direto”(4).

escondido em palavras blogspot
Reprodução a partir do Blog Escondido em Palavras

Competição, Ressentimento e Inveja

A competição aberta, traço inequívoco de um Marte bem disposto fica disfarçada de falta de interesse, ou pior ainda, de ciúme, inveja, ressentimento e rivalidade – dinâmica iniciada lá, com o pai. Claro, todos nós sentimos esses sentimentos sombrios de vez em quando, e são naturais, inerentes à natureza humana, “são expressões do ímpeto natural de ser o Número Um” (4). Mas um Marte potente é capaz de reconhecer seus limites; sabe reconhecer quando vale a pena ir atrás de um objetivo ou ceder quando percebe que é uma causa perdida. E sabe fazer isso graciosamente. Com Marte Rx, é comum a pessoa se sentir corroída por estes sentimentos de inveja e ressentimento, culpando o outro por ter ou tirar algo que ela julga seu por direito; ela tende a sentir-se pior ainda por ter tais sentimentos e a coisa toda pode virar um ciclo vicioso muito doloroso. “O que ela precisa perceber é que é ela que não está externalizando e expressando aquilo que ela sabe ser seu próprio poder, único e individual.” (4)

Tim French
Tim French – Reprodução

Casos de Abuso

E ainda que não seja regra, e que Marte retrógrado não signifique necessariamente abuso sexual, a questão não deixa de entrar como possibilidade neste quadro. Uma vez que o individuo não se sente capaz de se defender aberta e saudavelmente, ele/ela pode se achar vitimado por um namorado que não respeita o seu “não”, por um familiar abusador que se aproveita da relação de poder, ou mesmo por assédio vindo de estranhos, como exemplificado por um caso de estudo citado em Retrograde Planets, em que a pessoa em questão passou por duas destas situações de abuso. As repercussões, sobre as quais não vou me estender aqui, obviamente, são nefastas e difíceis de se lidar e exigirão da pessoa um trabalho longo, árduo e provavelmente penoso no processo de recuperação do senso de poder pessoal.

SONY DSC
Rodolfo Ledel – Artista Brasileiro – Reprodução

A Oposição Sol-Marte nas Progressões Secundárias

Com Marte Rx no mapa natal, Melanie Reinhart sugere que se observe em que estágio do ciclo de retrogradação a pessoa nasceu, se a oposição Sol-Marte já ocorreu ou ainda vai ocorrer e se Marte mudará de direção nas Progressões Secundárias. Quanto mais próximo da oposição exata, mais agudamente se vivencia estes temas. O período pré-oposição é mais marcado por uma tensão permanente, uma necessidade de estar sempre em guarda; e o período após o aspecto exato tenderia a ser um pouco mais facilitado, pois o indivíduo talvez intua mais rapidamente que o problema é na verdade interno, já que o aspecto é separativo. Já nas progressões, se Marte muda de direção, isso significa um grande ponto de mutação na vida. Os três anos em que Marte estaciona e depois fica direto são marcados por uma descarga extrema de energia reprimida e os conflitos tornam-se mais intensos que nunca. Reinhart diz que pode ser um período, a princípio, muito destrutivo, já que a pessoa não está acostumada a lidar com a energia, e de repente, ela pode entrar em contato com uma raiva antiga e visceral, pode ter recordações de fatos esquecidos e se meter em muita confusão no mundo exterior, pois é muito difícil determinar quem de fato é o inimigo. No fim, isso acaba levando a uma fase de renovada energia, novos projetos e a pessoa sente-se empoderada, dona de si, sem precisar pisar nos calos dos outros para se fazer notada.

qiu-anxiong
Qiu Anxiong – Reprodução

Sabe Aquele Belo Trígono Sol-Marte?

Mas não é só Marte retrógrado que pode causar problemas. No caso de Sol-Marte, trígonos também podem se revelar enganosos. Todos os outros planetas superiores estão em trígono quando retrógrados, e embora o mesmo não ocorra com Marte, é importante notar que, no caso de um trígono aplicativo, muito provavelmente Marte ficará retrógrado por Progressão Secundária. Sullivan afirma que o trígono Sol-Marte é extremamente enganador, porque quando em trígono com o Sol, Marte está no seu movimento mais lento, ou ficará retrógrado em cerca de 15 ou 20 dias ou terá retornado ao movimento direto 15 ou 20 dias antes do nascimento e estará ainda se recuperando da batalha. “Este trígono produz uma teimosia que não é normalmente associada com trígonos, que são geralmente considerados harmoniosos e confluentes (…) as qualidades do trígono podem até se manifestar, mas o impasse que um Marte lento pode gerar no desejo de se expressar produz frustração intensa na pessoa. De fato, a energia pode fluir entre Sol e Marte com graça e facilidade mas quão fácil é para a pessoa expressar assertividade e agressão? Há geralmente um curto-circuito entre o conhecimento interior da própria superioridade  e a manifestação concreta disso. O aspecto pode se manifestar como fantasias irreais de grandes realizações, um tipo de megalomania.” (4) Por progressão Marte ficará retrógrado entre os 14 e os 20 anos e este ano será muito importante. A oposição que ocorrerá entre Sol e Marte desafiará a “facilidade” do trígono natal, obrigando a pessoa a buscar força interior e a se auto-afirmar. Quando oposição em si ocorre, as coisas ficam realmente “quentes” internamente e o ano é marcado por uma rebelião à vida ou caminho anteriormente escolhidos.

Gérard Di-Maccio
Gérard Di-Maccio – Reprodução

Pessoalmente Falando…

Na minha experiência com clientes tenho visto casos de Marte Rx no mapa natal ou progredido que exemplificam o que todos estes autores dizem, com algumas diferenças em detalhes. E em períodos em que o planeta está retrógrado, como agora, o número de clientes que o têm natalmente buscando consulta aumenta. É particularmente digno de nota a luta com o pai, que normalmente não é mais apenas um pai, mas O Pai, porque no pai humano, biológico, vê-se na verdade o Pai Arquetípico, geralmente travestido com as cores do Pai Terrível ou Tirânico. Um pai super poderoso ou abusador que, consciente ou inconscientemente, suprime a expressão da individualidade do filho ou filha. Em outros casos, o pai é impotente de alguma forma: fracassou na profissão, faliu completamente deixando a família em dificuldades, ou teve sua vontade suplantada por forças maiores que ele, o que causa uma frustração e senso de fracasso enormes, sentimentos aos quais o filho ou filha é agudamente sensível. Às vezes, a sensação de impotência vem de antes do pai, em gerações anteriores na linhagem masculina, com sucessões de homens que se sentiram emasculados de alguma forma. A luta do pai, do avô e talvez de várias outras gerações, torna-se então a luta do filho, uma busca por reaver o poder pessoal perdido, especialmente quanto Marte retrógrado cai na casa 12 ou em Peixes. Então a luta adquire nuances de Redenção do Pai e de redenção do masculino na família. Não necessariamente da forma como ocorre com Sol-Netuno ou Sol em Peixes, mas algo relacionado especificamente com a potência e a vontade masculinas e com o uso adequado do poder pessoal.

Reprodução
Reprodução

Escolhendo Batalhas Apropriadas Para  se Travar

Que a pessoa com Marte retrógrado no mapa natal vai enfrentar muitas batalhas ao longo da vida, isso é fato, é inegável. É uma necessidade básica para seu desenvolvimento como indivíduo. Talvez ela demore a perceber que a batalha é primeiramente interna, consigo mesma; e que o pai provavelmente não quis de fato “roubá-la” de sua força e potência. Mas em algum momento ela terá que perceber que a luta é essencial para seu senso de identidade, de “eu”; que ela floresce e frutifica em tempos de guerra e é no campo de batalha, qualquer que seja ele, que ela dá o seu melhor. Ao invés de reclamar e se lamentar que o pai, o chefe, o prefeito, o governo, o professor, o marido, a esposa estão sempre lhe impedindo de ser quem é, ou de fazer o que quer, essa pessoa “deveria aceitar que sua visão de mundo é predisposta a batalhas e que ela deve achar batalhas apropriadas para lutar. Uma vez que o oponente é na verdade interno, o oponente deveria ser a própria pessoa – em termos atléticos, por exemplo, lutar para alcançar o seu melhor desempenho pessoal é a forma mais efetiva de satisfazer sua própria agressão” (4).

liberdade-revolucao-francesa
A Liberdade Guiando o Povo – Delacroix (1798-1863) – Reprodução

Concluindo…

Então é isso: escolher cuidadosamente batalhas e guerras que valham a pena lutar, de forma consciente, aberta e limpa, como por exemplo nos esportes, na política, no Direito, na Segurança Pública, nas questões ambientais, etc. Não que seja algo fácil e simplista, mas dessa maneira, a energia da oposição e da luta, será aplicada de forma criativa e poderá produzir resultados formidáveis, estupendos e não só na vida pessoal. Em maior escala, as vitórias poderão representar ganhos e melhorias para todo o coletivo onde se esteja inserido.

Certamente Marte Retrógrado é uma excelente arma de guerra – só se leva mais tempo para aprender a usá-la de forma inteligente e efetiva. Mas é possível!

Marte retrógrado em trânsito no mapa natal

nicolettaceccoli comMarte fica retrógrado de 60 a 80 dias a cada 26 meses, aproximadamente. Sua retrogradação será sentida nas áreas de vida simbolizadas pela casa do mapa natal em que ocorre a retrogradação e o efeito será mais intenso e potente caso Marte faça algum aspecto tenso a planetas do mapa natal, especialmente se este aspecto ocorrer três vezes, direto, retrógrado, direto. A retrogradação implica diretamente em REVISÃO dos assuntos regidos pelo planeta em questão, na área de vida em que o movimento se dá. No caso de Marte, o chamado é para revisarmos decisões, atitudes e a maneira como executamos nossa ação, nosso modus operandi naquela área de vida. REVER e REAVALIAR a maneira como afirmamos nossa identidade, nossa assertividade – ou falta de – e como isso impacta na nossa realização pessoal e nas nossas relações. Há tendência de atrasos e entraves nos assuntos desta casa, o que pede de nós muita paciência e tolerância. Sendo Marte um planeta que se expressa no corpo, fisicamente, podemos canalizar as frustrações numa caminhada vigorosa, mas, ao mesmo tempo, recomenda-se pegar leve nas atividades físicas em geral, pois podemos nos exaurir e até adoecer ou nos expor a acidentes, principalmente se Marte retrógrado faz aspectos tensos a Mercúrio, Saturno ou Urano no mapa natal. Os ânimos ficam alterados, o pavio está mais curto e qualquer coisa tola pode ser o estopim para discussões sérias ou conflitos graves, sobretudo para indivíduos que já têm dificuldades de gestão da própria agressividade. É recomendável manter em cheque as frustrações e ser bastante honesto a respeito delas, evitando que espirrem em outros que talvez não tenham nada a ver com nossos problemas.

OBS: Para saber se você tem Marte retrógrado no mapa natal, veja aqui. A retrogradação é representada no mapa por um R em vermelho, com a perna cortada junto ao símbolo do planeta. Para saber mais sobre Marte no seu mapa natal, se ele é forte ou se há dificuldades na sua expressão e quais as implicações disso na sua vida prática e emocional, agende uma consulta comigo: psicologica.astrologia@gmail.com

Oposição Sol-Marte 2016. Exata em 22 de maio de 2016, Algumas horas depois da Lua Cheia de Sagitário.
Oposição Sol-Marte 2016, a 01°47′ de Gêmeos-Sagitário. Exata em 22 de maio de 2016, algumas horas depois da Lua Cheia de Sagitário.

Vale a pena lembrar que por estar em oposição ao Sol, Marte está visível a olho nu no período de retrogradação. É uma estrela de brilho vermelho e incessante e que aparece não muito distante de Saturno, também muito brilhante, só que este tem brilho azulado. 

BIBLIOGRAFIA

(1)    ARROYO, Stephen – Relacionamentos e Ciclos de Vida, Ed. Pensamento, São Paulo

(2)    MARCH, Marion De & McEVANS, Joan – Curso Básico de Astrologia Vol II., Ed. Pensamento, São Paulo

(3)    FALLON, Astrid – Planetary Cycles at a Glance, Fallon Astrographics, London, UK

(4)    SULLIVAN, Erin – Retrograde Planets – Traversing the Inner LandscapeSamuel Weiser,Inc, York Beach, Maine, United States

(5)    SASPORTAS, Howard – A Astrologia e a Psicologia da Agressão, em A Dinâmica do Inconsciente- Ed. Pensamento, São Paulo, SP

(6)    REINHART, Melanie – The Best and the worst of Mars, in The Mars Quartet – Four Seminars on the Astrology of the Red Planet – CPA Press, London, UK

(7)    GREENE, Liz – Thugs and Warriors, in The Mars Quartet – Four Seminars on the Astrology of the Red Planet – CPA Press, London, UK

 

Quar

A DINÂMICA DO INCONSCIENTE - LIZ GREENE E HOWARD SASPORTASerin

Lua Nova em Áries – Morrer para Renascer

Frank Mara - Reprodução
Frank Mara – Reprodução

A Lua foi nova hoje, 07 de abril, às 08h23min no horário de Brasília e às 11h23min no horário de Lisboa. A Lua Nova de Áries marca o começo definitivo deste ano astrológico, que foi iniciado com a ingressão do Sol em Áries, mas ainda no ciclo de Peixes. Portanto, se estávamos precisando de energia, impulso ou mesmo um “empurrão” para acordar e renascer, o momento é agora! Esta é a nossa deixa para sair da coxia, passar pelo doloroso canal do parto e entrar no palco central da vida, berrando e esperneando. Ruidosamente, desabridamente, começar de vez este ano que até agora parece ter apenas se arrastado!

1865 Hand-Colored Medical Print Baby Fetus Birth Canal Uterus Vagina Ovaries in Prints
Reprodução

Áries é o signo da iniciação, que traz presente o arquétipo do parto, o momento primeiro da nossa entrada na encarnação, nesta experiência humana, terrena e material. Flávio Gikovate diz que o parto é uma “evolução para pior”, porque no útero já estávamos naquele estado de felicidade urobórica, em perfeita unidade com a mãe-vida-Deus, no êxtase e beatitude da unidade com o Todo. E então a gente é expulso desse Paraíso! “Vá nascer!”, “Cabô moleza!”. À semelhança do mito da criação, somos expulsos do Paraíso e jogados neste Vale de Lágrimas. “Com o suor da fronte comerás o pão, até que voltes à terra, porque dela te tiraram; pois és pó e ao pó voltarás”. E Adão foi povoar o mundo junto com Eva, lutando permanentemente contra o impulso de morte e contra o desejo de retornar ao Paraíso, que no fundo são a mesma coisa. E lá vamos nós, nascer na vida, no Vale de Lágrimas!

Reprodução
Reprodução

Áries nasce das Águas Ulteriores de Peixes que, exatamente por serem as Derradeiras, voltam a ser as Águas Primordiais, de onde surge toda a Vida. Para renascermos em Áries, precisamos morrer em Peixes e assim a Roda da Vida segue seu ciclo, a exemplo da grande serpente Uroboros, eternamente engolindo a própria cauda, na autofagia que leva ao renascimento e ao novo ciclo. Assim, Áries encerra em si esse grande paradoxo: ele surge da Fonte Divina da vida, surge da Unidade, para se diferenciar e individualizar na experiência terrena, individualização que começa pela luta de vida e morte do parto e que se consubstancia no corte do cordão umbilical, a cisão que que corresponde ao click da chave sendo girada no portão do paraíso que acabou de ser cerrado às nossas costas. Agora estamos por nossa conta e risco! Temos a grande missão de ser, de nos individuar. Conseguiremos? A vida dirá!

Reprodução
Reprodução

Este dilema do nascer-morrer-renascer surge, agudo e potente, nesta Lua Nova de hoje. Ser expulsos do Paraíso para uma realidade que é qualquer coisa, menos paradisíaca e ainda assim, recuperar essa memória primordial da perfeição dos mundos, para tentar criar um paraíso na terra, forjado a cutelo, à força do nosso braço, trabalho e suor, abrindo picadas na selva bravia do mundo manifesto, mero reflexo da selva ainda mais selvagem e inescrutável que é a  nossa alma densa.

Lua Nova em Áries - Brasília, 07 de abril de 2016, 08h23min
Lua Nova em Áries – Brasília, 07 de abril de 2016, 08h23min

A Lua Nova ocorre a 18°04’ de Áries, em conjunção aplicativa a Urano e em quadratura separativa a Plutão em Capricórnio. Sol e Lua ainda fazem um trígono separativo a Saturno, o Senhor da Separação por excelência. Urano é o Grande Despertador Cósmico, aquele raio que cai abruptamente, estrepitosamente diante de nós, aluminado tudo em volta, às vezes ao ponto de nos cegar temporariamente, tal a potência e fulgor dessa luz. Essa luz tem o poder iluminar a mente e a realidade, de modo que a percebemos de uma maneira inteiramente nova, como jamais a tínhamos enxergado, mesmo que ela tenha estado diante de nosso nariz por muito tempo. Assim, essa luz traz uma “revelação”. Mas para captarmos e assimilarmos tal “revelação” precisamos estar abertos a ela. Quem tem olhos para ver que veja, quem tem ouvidos para ouvir, que ouça. Urano também sugere que o corte do cordão umbilical é ainda mais rápido, a tesoura de aço inoxidável é também inexorável: a separação, o despertar da névoa e das brumas em que estivemos envoltos precisa ocorrer para já, para ontem! A quadratura a Plutão indica que já morremos muitas vezes antes, que enfrentamos muitos de nossos medos e demônios, já sabemos que eles irão conosco aonde formos porque são parte de nós e agora, de posse da força gerada por este enfrentamento, precisamos renascer, reviver, reinventar-nos completamente. Despertar para a nova realidade, sem anseios regressivos de uma salvação trazida por outrem, mas dispostos a sermos, nós mesmos, os únicos protagonistas da saga heroica que é a nossa história, mesmo que essa seja uma história anônima e comum, longe de holofotes e pós mágicos de celebritismos instantâneos – isso porque, em última instância, essa saga mítica que é nossa, esse mito pessoal, interessa somente a nós mesmos e não deve ser produção em série para ser vendida a troco da validação do olhar alheio. Despertar para nosso mito pessoal e vivê-lo verdadeiramente, com audácia, coragem, vigor e autenticidade, é o chamado dessa Lua Nova!

Reprodução
Reprodução

Contudo, as brumas que deixamos para trás teimam em nos seguir e alcançar. O regente da Lua Nova, Marte, está irremediavelmente engolfado nessas brumas. Marte está em Sagitário, numa conjunção ampla a Saturno, ambos em quadratura a Netuno de um lado e a Júpiter de outro. Temos aqui o planeta da vontade e da individualidade envolvido com companhias complicadas. Dois destes planetas negam, de formas diferentes, os intentos de Marte. Netuno nega pela dissolvição da vontade e das certezas, portanto, precisamos lidar com nosso próprio desânimo e letargia, nossa própria insegurança e falta de rumo representados por Netuno. Muito esforço é requerido para termos uma noção clara das nossas reais possibilidades, já que envolvido com Júpiter-Netuno, este Marte Sagitariano torna-se mais inflado (já é meio inflado em Sagitário) e pode ser apenas um balão de gás, vazio de substância real. Neste contexto, Saturno torna-se um grande amigo, a âncora da realidade no mar bravio dos excessos Jupiterianos e da ilusão Netuniana. Saturno nega porque representa limites e restringe o anseio desse Marte desabrido de “abraçar o mundo com as pernas”, dizendo-lhe que ele poderá até conseguir realizar tais intentos, mas somente à custa de muito trabalho e esforço, de renúncia, estoicismo, disciplina, perseverança. A situação fica um pouco mais complicada: Marte está a exatos nove dias de estacionar para entrar em movimento retrógrado e já trafega o grau em que estacionará. Hesitação. Vacilação. “Estou perdido. Vou, fico ou retorno? A névoa me impede de ver a direção certa. Perdi algo lá atrás, mas não sei direito o que foi, preciso voltar e recuperar… Acho que foi minha vontade que perdi, a conexão com o que realmente sou e quero, o desejo de ser e de me diferenciar. Mas não tenho certeza, porque também perdi todas as certezas. No caminho do regresso, ao encontrar o que foi perdido, saberei do que se trata”. Sem certezas. Assim vamos nós.

Reprodução
Reprodução

A situação de Marte indica que há muita ambivalência no nosso renascimento, que já não temos muita certeza se queremos, de fato, renascer – seria tão fácil desistir e nos deixar arrastar pela correnteza, tão mais simples e menos dispendioso… Para quê tanto esforço? Marte hesita. Hesitamos nós. Para lá ou para cá? Marte, como dispositor e regente da Lua Nova sugere o desejo regressivo de voltar ao Paraíso Perdido, como se o bebê hesitasse em tomar o canal do parto e se delongasse no útero, adiando a cisão, adiando o nascimento; ou como nosso despertar de manhã cedo, em que dizemos “só mais cinco minutinhos e eu levanto”. Mas sabemos aonde a hesitação do bebê nos leva: à morte! De fato, precisamos lidar conscientemente com este impulso de morte, o desejo de desistir, de parar a luta, o desejo de não ser, que está presente neste ciclo, indireto, mas insidioso. Conscientemente marchamos na infantaria, peito aberto, aparentemente dispostos à luta e a fazer o que for necessário para nos mantermos vivos. Mas lá na frente, quando já divisamos o inimigo diante de nós, tememos e trememos e, ao invés de lutar, ansiamos por simplesmente nos render, porque temos dúvidas se tal luta valerá o esforço, se valerá a pena todo o sacrifício, se temos qualquer chance de ganhar. Será? Contudo, Marte envolvido com Netuno e Júpiter também pode representar prodígios e benesses, se soubermos tirar proveito do posicionamento e ficarmos atentos às suas armadilhas: Marte-Netuno-Júpiter, que são os aspectos mais próximos aqui, indicam grande sensibilidade, imaginação rica e ilimitada e uma vontade que se move pela compaixão e pela fé mais do que pelo desejo egoísta de realização individual. Então, é claro que este Marte também traz potenciais de poesia e rica sensibilidade.

Ambivalencia1
Reprodução

Nota rápida: é interessante que, falando particularmente da situação do Brasil, quando olhamos o mapa levantado para Brasília, vemos que A Lua Nova cai na cúspide da Casa 12, apontando, de novo, para esse paradoxo Peixes-Áries, dissolver-se ou diferenciar-se; morrer ou renascer; render nossa vontade, render-nos nos braços de um “salvador”, ou assumir nossa responsabilidade pelo que queremos realizar. O que isso diz sobre o momento do Brasil? Deduza você!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

Há outras dificuldades inerentes a este ciclo, simbolizados pela falta de Ar neste mapa. Tudo aqui é Fogo e Terra. Há apenas Netuno e Quíron em Água e nada em Ar. Mercúrio, o planeta da mente e do raciocínio, está em Touro e praticamente sem aspectos, a não ser por uma sesqui-quadratura muito ampla a Saturno. Uma mente literal e obtusa, que só vê o que quer ver. Rigidez e fixação de ideias e pontos de vista. De modo geral, há dificuldade em planejar, em projetar adequadamente a  ação e em nos distanciar para ter uma visão ampla daquilo que tentamos construir. É como imaginar e idealizar algo (Fogo) e SEM se dar ao trabalho de planejar ou ponderar sobre sua viabilidade, já nos lançarmos à sua execução e concretização. Todo mundo que já tentou realizar algo desta maneira teve que parar no meio da história porque faltou material, tempo, dinheiro ou qualquer outro recurso ou porque simplesmente surgiram toda a sorte de problemas não cogitados. Falta de planejamento e elucubração. Falta de Ar.  Mercúrio sem aspectos demanda cautela para não nos tornarmos obsessivos e obtusos em nossas ideias, sem dar ouvidos a ninguém. Este é um dos grandes riscos do ciclo: falta de planejamento adequado naquilo em que nos lançamos e desejamos realizar. E sem planejamento, ficamos presos entre uma visão grandiosa (Fogo) e as muitas limitações para realizar tal visão (Terra). A Terra, que simboliza a capacidade de realização e concretização, pode tornar-se apenas símbolo de limites e de imperfeição. E voltamos ao dilema da expulsão do Paraíso.

É engraçado que eu não tinha analisado o Símbolo Sabiano previamente, antes de construir minha linha de raciocínio para este artigo. Às vezes eu faço isso de propósito, para me deixar surpreender ou para me desafiar a encontrar maneiras de “costurar” o Símbolo dentro da minha argumentação. Ele confirma ou contradiz a minha análise? Este símbolo é uma grata surpresa: “Um tapete mágico paira sobre a realidade depressiva do cotidiano numa área industrial”.

Reprodução
Reprodução

Um tapete mágico é algo que permeia nossas fantasias e que sugere a ideia de escapar para terras também mágicas, onde tudo é possível. Este tapete, símbolo da capacidade de escapar pela magia e imaginação, paira sobre uma área industrial depressiva, símbolo da competição humana e do desenvolvimento industrial com suas consequências nefastas de depredação e obsolescência da vida como um todo, ou da “vida baseada na produção e consumo material, com a resultante poluição”* . O tapete representa a capacidade de nos distanciarmos e observarmos as situações de fora, refletindo sobre elas mais impessoalmente, sem nos deixar contaminar por elas, sem nos envolver demasiadamente – talvez este símbolo enfatize com isso a necessidade de analisarmos as coisas de fora e nos reporta à falta de Ar desta Lua Nova, já analisada acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Reprodução

O tapete pairando sobre esta realidade sombria de uma área devastada pela ação humana, em nome do “progresso”, remete-nos novamente, para o tema do nascimento e enfrentamento da realidade em que nos encontramos (Sol-Lua em Áries-Saturno + Lua-Plutão) versus os apelos regressivos e escapistas representados pela situação “grudenta” e capciosa de Marte-Júpiter-Netuno… Obviamente esta é uma leitura negativa deste Símbolo. Entretanto, o Símbolo, como tudo na Astrologia e na vida, também tem uma interpretação auspiciosa: o tapete vem simbolizar que, não importa quão depressiva e feia esteja a situação, ainda podemos nos elevar acima de tal realidade e transcendê-la.

Reprodução
Reprodução

Faço questão de trazer na íntegra o texto de Lynda Hill* sobre este símbolo: “’Um Tapete Mágico’ talvez seja o que é necessário agora. Ao nos elevar acima das ‘realidades depressivas’ ao nosso redor, podemos ter uma melhor perspectiva sobre as questões mais difíceis da nossa vida. O ‘Tapete Mágico’ é, na verdade, um veículo para a imaginação e usar a imaginação pode elevar nosso entendimento, consciência e existência às místicas, às vezes fantásticas esferas. Há uma mensagem clara de que você tem a habilidade de se elevar acima de ou mesmo transcender, preocupações e contendas. As coisas serão reveladas a você se você permitir que as verdades espirituais e criativas aflorem à sua consciência. é preciso cautela para não subestimar o poder em potencial nas coisas mais prosaicas e mundanas, porque pode haver sinas ‘mágicos’ nelas. Talvez você esteja sendo escapista ou sonhando com o impossível. Você está tentando usar o ‘Tapete Mágico’ para ver uma Verdade Maior? Quais novas ideias você pode materializar na sua vida para se elevar acima de onde você está agora? Palavras-chave: Visões e perspectivas elevadas. Achar um veículo para a transcendência. Elevar-se acima dos problemas. Meditação. Pensamento lateral e criativo. RISCOS: incapacidade de lidar com a realidade. Escapismo. Anseio por se perder. Perder-se completamente em fantasias irreais. Drogas e álcool para escapar da realidade. Poluição. Sentir-se estagnado”. Sim, o símbolo é mágico e magicamente confirma os temas da Lua Nova.

Reprodução
Reprodução

Como vemos, a Lua Nova aponta em duas direções básicas: escapar, desistir e morrer, abrir mão da vontade e dissolver-se no caos por não conseguir enfrentar a dureza e a imperfeição da realidade; ou renascer corajosamente e abrir-se à revelação que será instrumental para o nosso despertamento pessoal. E há, ainda, uma terceira via: enfrentar a visão sombria dessa realidade fumacenta e elevar-se acima dela, não para escapar, mas para transformá-la. Nascer nessa realidade para transformá-la e buscar a transcendência. Usar os insights e revelações gerados pela rica imaginação e pelos flashes Uranianos para criar uma outra realidade, de maior consciência e verdade. Como respondemos a este desafio? Renascemos ou nos deixamos perecer?

Chechetta - Reprodução
Chechetta – Reprodução

*Lynda Hill é uma astróloga australiana que se dedica ao estudo dos Símbolos Sabianos e escreveu um livro sobre sua interpretação: Sabian Symbols – 360 degrees of Wisdom

 

Frank Mara - Reprodução
Frank Mara – Reprodução

A Semana Astrológica – Tempo de renascer!

Reprodução
Lua Balsâmica – Reprodução

Semana de 04 a 10 de abril 

Esta semana começa com a Lua ainda Minguante, ficando Balsâmica na segunda e renovando-se na quinta-feira, na Lua Nova de Áries, abrindo um novo ciclo de iniciação, ação e conquistas! Esta Lua Nova ocorre em conjunção a Urano e em quadratura a Plutão, ativando essa configuração que está operante desde 2010 e que ficou exata por sete vezes entre 2012 e 2015. Diferentemente dos últimos meses, em que temos tido muita hesitação e pasmaceira, muita energia mutável ativada devido à T-Square Júpiter-Saturno-Netuno, este ciclo/mês traz uma coloração de crises mas também de maior resolução e atitude, simbolizadas pela Lua Nova ocorrendo em contato com Urano-Plutão, além do fato de ocorrer em Áries. É provável que muitos dos dilemas e conflitos que têm se arrastado sem solução aparente nos últimos meses cheguem finalmente a um apogeu nas próximas semanas e sejam finalmente resolvidos. As lunações do ciclo de Áries podem ser gatilhos para novas liberações das energias dos últimos eclipses.

Imgfave.com - Reprodução
Imgfave.com – Reprodução

Parte dessas resoluções já se desenham por estes dias pois o Sol, a maior autoridade do nosso sistema, brilha como nunca e toma o palco central para protagonizar o grande drama da semana ao fazer quincunce a Júpiter, trígono a Saturno, quadratura a Plutão e conjunção a Urano. O Sol vem preparado, visto que Mercúrio já lhe enviou os relatórios e análises de como lidar com tudo isso, uma vez que Mercúrio fez exatamente estes mesmos movimentos na semana passada – nós já estamos cientes do que precisamos fazer e se estivermos atentos, não precisaremos sofrer com os desafios, pelo contrário tiraremos proveito deles, porque já não são nenhuma novidade para nós! O Sol envolvido nestes conflitos simboliza uma nova fase de mudanças importantes que precisamos empreender em nós mesmos, em nossos propósitos e objetivos. A conjunção a Urano é apoiada pelo trígono a Saturno, sugerindo a capacidade de implantação das inovações alinhadas com as estruturas que ainda são válidas e necessárias, de sermos capazes de usar tais estruturas para dar o salto inovador em direção à mudança e ao novo. O duelo se dá mesmo na quadratura a Plutão em Capricórnio que requer honestidade e integridade e uma percepção altamente refinada de quais dessas estruturas são realmente válidas e quais estão completamente anacrônicas, bitoladas, verdadeiros fósseis do atraso e do medo. Os desafios são muitos e grandes e sinalizam uma semana tensa mas muito enérgica e movimentada.

Andrej Pejic fotografada por Mert Marcus - Reprodução
Andrej Pejic fotografada por Mert Marcus – Reprodução

Outras movimentações interessantes ficam a cargo de Mercúrio e Vênus, que mudam de signo no mesmo dia. Mercúrio ingressa em Touro e Vênus entra em Áries, ambos na terça-feira. Depois de duas semanas de falas impulsivas e afoitas, Mercúrio em Touro torna a comunicação mais ponderada e deliberada, fazendo um contraponto aos destemperos mentais do trânsito de Mercúrio por Áries. As análises mentais demandam tempo e nada é decidido sem muita ruminação interna. Mercúrio em Touro agrega uma voz suave e aveludada a uma comunicação econômica e cautelosa, do tipo que só se abre a boca quando se tem certeza e quando se percebe que há algo de valor a ser agregado… Mercúrio em Touro não é de ficar falando à toa. Negativamente, o posicionamento de Mercúrio neste signo pode deixar a mente excessivamente literal e rígida, com tendências a opiniões inflexíveis e dogmáticas, dependendo dos aspectos que este Mercúrio fizer.

Fundraw - Reprodução
Fundraw – Reprodução

Já de Vênus em Áries diz-se que está em queda. Mas por que? Porque o princípio básico de Vênus é gerar relacionamento, é conciliar, visto que Vênus é um planeta super gregário e em Áries ela é menos gregária, tornando-se super independente e valorizando mais a autonomia e a liberdade do que a vinculação na sua forma tradicional. Áries é o signo do “eu”, oposto de Libra, o signo do outro, regido por Vênus. Não é que ela não queira se relacionar, é que essas relações se baseiam em outros valores e ela não está disposta a abrir mão dos seus desejos pessoais só para se relacionar. Em Áries Vênus sugere o amor à independência, à livre expressão dos desejos e da individualidade. Para esta Vênus, amor e relacionamento podem até ser equacionados com competição e luta porque é uma guerreira destemida; ao invés de esperar o príncipe do cavalo branco, ela mesma resolve matar o dragão salvando-se a si mesma e ao príncipe também; ou talvez ela apenas ache que o príncipe está demorando demais e não tem paciência para esperar por ele porque acabará se atrasando para a próxima batalha! Vênus em Áries também adora esportes e atividades físicas, tendendo a ser prática na sua estética, que visa expressar esse desejo por liberdade e independência.

Rodolfo Ledel - Reprodução
Rodolfo Ledel – Reprodução

Marte segue devagar, quase parando em Sagitário, preparando-se para depor as armas e entrar em repouso. Estaciona daqui a 12 dias pra entrar em movimento retrógrado, indicando revisão da nossa ação executiva, dos nossos desejos e do modus operandis que empregamos para realizar tais desejos. Ficará retrógrado de 17 de abril até 29 de junho e durante este período precisaremos recorrer a toda a nossa tolerância e paciência para lidar com os inúmeros desafios à execução de nossa vontade. Com marte retrógrado precisamos lembrar da oração da humildade máxima: “que não se faça a minha, mas sim a Tua vontade”.

Rene Magritte - Reprodução
Rene Magritte – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica em Aquário. Intui o futuro em Peixes e se renova em Áries na quinta-feira. Testa a sustentabilidade e o pragmatismo dos projetos Arianos em Touro e fecha a semana comunicando e divulgando esses projetos, ideias e sentimentos em Gêmeos.

Eugenia Loli - Rayguns - Reprodução
Eugenia Loli – Rayguns – Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA começa com a Lua ainda fora de curso em Aquário. Ingressa em Peixes às 02h46min e logo faz semi-quadratura ao Sol, ficando Balsâmica. Ao longo do dia a Lua faz quadratura a Marte em Sagitário e conjunção a Netuno, fechando a noite numa armação de Grande Cruz mutável, já em oposição a Júpiter e quadratura a Saturno. O dia traz uma sensibilidade muito apurada e aguda. Como se tivéssemos olhos de lince, podemos ver longe, no túnel do tempo, olhando para o futuro e suas diversas possibilidades e devires. Essa grande e especial sensibilidade pode nos ajudar especialmente em nossos planejamentos do próximo ciclo, mas ainda precisamos aterrar os pés na terra, para canalizar e centrar essa receptividade e utilizá-la adequadamente.Isso porque com o passar das horas conflitos surgem e demandam pé no chão para que não entremos no “mode” do melindre e da irritação gratuita, que só nos fará desgastar energia desnecessariamente. O melhor que fazemos é perceber que a irritação vêm de um descompasso interior que se reflete fora de nós e não o inverso. Assim, precisamos alinhar as incongruências internas para harmonizar o mundo ao nosso redor. A energia gerada pela irritação e raiva podem muito bem ser canalizadas para o trabalho de maneira criativa, mobilizando-as efetivamente naquilo que precisa ser feito, nas diversas tarefas e compromissos da nossa agenda lotada. O desafio é conseguir optar pela ação efetiva de maneira sutil e não ruidosa, lembrando que, por enquanto, esta ação ainda deve ser orientada para as finalizações e encerramentos e não para novos começos. Para abraçar o novo precisamos criar espaço para ele na vida e no coração!

Homako, on /flickr - Reprodução
Homako, on Flickr – Reprodução

Na TERÇA-FEIRA a energia está bem caótica e gera tensões que demandam muita flexibilidade. A Lua Pisciana faz oposição a Júpiter em Virgem, quadratura a Saturno em Sagitário e conjunção a Quíron. Como ajuda ela busca o apoio de Plutão em Capricórnio, aspecto depois do qual fica vazia, às 07h34min – ingressa em Áries somente na quarta. O Sol está em trígono pleno a Saturno, mas quase exato na quadratura a Plutão. Vênus ingressa em Áries às 13h51min e Mercúrio adentra os domínios Taurinos às 20h10. Um dia inteiro de Lua vazia e ainda por cima, em Peixes, na fase Balsâmica. Chamada geral para se finalizar quaisquer coisas que porventura estejam pendentes na vida ou penduradas na memória, ocupando energias que poderiam ser utilizadas de formas mais benéficas e produtivas. O tumulto emocional maior se dá na madrugada e se tivermos sorte, será processado e assimilado por meio dos sonhos… Durante o dia precisamos lidar com a dispersão extremada, a sensação de irrealidade que prejudica a concentração e o anseio profundo por desaparecer na névoa do tempo, deixando para trás as demandas mundano-funcionais… A princípio bastante confuso, o dia vem favorecer as limpezas e encerramentos que possam nos liberar para os novos começos. Arquivamento e organização de papéis e de materiais podem ajudar a por a cabeça e o coração em ordem, ritualizando e metaforizando a faxina mais essencial de todas: a da alma. Contudo, este é apenas um dos muitos meios de se empreender tal limpeza e de se aplicar tal energia porque, estando a criatividade tão favorecida, podemos expurgar o que precisa ser liberado também através de artes diversas: escrita, pintura, música, artesanato, poesia… Não propícias estão mesmo as atividades objetivas e mundanas, estas, fazemos melhor se pudermos aguardar para correr atrás delas depois, ou pelo menos precisamos estar muito flexíveis para nos ajustarmos às guinadas abruptas e inadvertidas que vão dobrando as quinas do dia de forma impensável… Se permanecermos abertos, poderemos tirar muito proveito de tais guinadas!

Akira Kirai - Reprodução
Akira Kirai – Reprodução

O Sol está em quadratura exata a Plutão na QUARTA-FEIRA. A Lua abre o dia ainda fora de curso em Peixes e ingressa em Áries às 03h36min, de onde faz trígono a Marte em Sagitário. Mercúrio está em sesqui-quadratura a Saturno. Dia de grandes e importantes confrontos, especialmente conosco mesmos. A batalha maior e imprescindível é sempre interna e nossos demônios interiores têm o péssimo hábito de escapulirem para fora quando não conseguimos lidar com eles adequadamente, vindo nos assombrar na forma de chefes, maridos/esposas, ou quaisquer pessoas que tenham poder/influência sobre nós. A energia direta e honesta de Sol e Lua em Áries ganha mais honestidade hoje e oferece a oportunidade de rompermos com o passado e quitarmos nossas inadimplências conosco mesmos, ajustando nossa vontade com as necessidades e obrigações, lidando com maturidade com estes desafios, que ajudarão a forjar maior comprometimento com os propósitos mais autênticos que se revelam agora para nós agora. Precisamos encarar com justeza e verdade nosso anseio de poder e de domínio sobre outros; geralmente, desejos de manipulação e controle nascem da sensação de impotência extrema vivenciada no passado, mas de que nos vale a sensação de poder sobre outros quando não passamos nem mesmo no enfrentamento conosco mesmos e nossos próprios medos?  O verdadeiro poder nasce do enfrentamento dos demônios interiores – não da sua aniquilação, mas do seu reconhecimento e integração e quem sabe eles possam nos brindar com seus infinitos dons. Como diz Mia Couto, “cada um descobre seu anjo tendo um caso com o demônio”.

Rgul-osr1113.deviantart - Reprodução
Rgul-osr1113.deviantart Reprodução

QUINTA-FEIRA é dia de Lua Nova, ocorrendo a 18° de Áries, às 08h23min. Antes de ser nova a Lua faz quadratura a Plutão e quincunce a Júpiter, aspectos que influenciam esta lunação. Dona Lua, já renovada, faz conjunção a Urano e fica fora de curso logo depois, às 11h58min. Mercúrio está completamente isolado no início de Touro. A Lua Nova de Áries dá o empurrão que faltava para acionar, de uma vez por todas, a energia de iniciação e ignição que porventura estivesse nos faltando. É tempo de renascer para uma vida nova e transformada! De inaugurar modelos novos de existência, que permitam a continuidade da vida, que promovam sua sustentação e não sua falência ou decadência. Para isso, precisamos voltar no tempo e questionar os projetos de futuro, as verdades que nos venderam e que compramos de bom grado, porque queríamos muito acreditar nelas, fechando os olhos e as narinas para aquelas coisas que não pareciam “cheirar muito bem”, mas que demandariam tempo para serem investigadas. Sempre é tempo de mudar os paradigmas, de rever posturas e conceitos, de mudar a ação individual, que repercutirá na atitude coletiva. Precisamos inaugurar maneiras mais livres e honestas de ser e de agir, conciliando as responsabilidades e obrigações inerentes à condição de sermos humanos, neste tempo, neste planeta tão depredado pelas campanhas pioneiras do passado. É possível ser inovador e pioneiro sem depredar, aliás, este é o grande desafio do século XXI, como prosperar sem depredar; como conquistar sem aniquilar, sem que isso seja ao altíssimo custo da vida do planeta. O que talvez falhamos em perceber, repetidamente, é que a conquista maior de todas é a conquista de si mesmo, da nossa própria força primitiva e selvagem. Mais sobre a Lua Nova na quinta-feira.

Andy Prokh - Reprodução
Andy Prokh – Reprodução

Renovada, Dona Lua ingressa em Touro às 03h11min da SEXTA-FEIRA, de onde faz sesqui-quadratura a Saturno, quincunce a Marte e sextil a Netuno. Mas o ponto alto do dia é a conjunção Lua-Mercúrio, que promete trazer centramento e praticidade aos nossos planejamentos. O Sol está em conjunção quase exata a Urano. Pés no chão, olhos nos céus! O dia está assim e propicia o alinhamento entre o corpo, coração, mente e espírito, a possibilidade de visionarmos propósitos elevados mas que possam ser realizados, de maneira prática e palpável. Os sentidos estão aguçados e despertos e oferecem pistas de como elucidar a equação misteriosa da impregnação do espírito na matéria, que frutificará e alimentará nossa fome por soluções concretas para os dilemas básicos que nos confundem tanto quanto essa equação original. Como superar a distância entre o plano do agora e a realização futura; como sair do plano teórico e da visão espiritual para a versão encarnada e materializada de tal visão; como integrar o espírito e a matéria, num mundo que teima em colocá-los como antagônicos inconciliáveis… São equações sem soluções fáceis ou definitivas, que demandam sutileza na sua interpretação, no dia a dia, um pouco hoje, outro tanto amanhã e que dispensam a pressa dos afoitos, em favor da paciência dos que estão dispostos ao engajamento amoroso com os mistérios da vida, deixando-se seduzir por eles, sem necessidade alguma de desvendá-los completamente porque isso, ainda que fosse possível, seria finalizar o jogo deixando escapar sua melhor parte: o jogo em si mesmo e não o seu final. De pés firmes no chão e olhar nas alturas, podemos aproveitar o que o dia tem de melhor: prazer e ousadia!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

O Sol está em conjunção plena a Urano no SÁBADO, enquanto ainda se afasta da quadratura a Plutão! Como contraponto a essa energia extremamente rebelde, a Lua viaja por Touro e forma um Grande Trígono terroso com Júpiter em Virgem e Plutão em Capricórnio. A Lua ainda faz sextil a Netuno e fica fora de curso depois do aspecto a Plutão, às 06h50min. Novamente somos beneficiados por um chão firme que nos ancora e dá suporte num dia em que há forças voláteis e extremistas no ar. O desafio de hoje é rebelarmo-nos contra as forças obscuras e arcaicas dentro de nós, permitindo-nos uma liberação daquilo que nos cerceia sem que isso se dê de forma destrutiva e desnecessariamente agressiva. Temos grande energia para atacar aquilo que nos prende e limita, mas principalmente, para perceber que as verdadeiras limitações começam em nós, na maneira como nos vemos e como agimos, naquilo que escolhemos acreditar a respeito de nós mesmos e de nossos potenciais – em resumo, perceber que estamos presos dentro de nós mesmos! O dia está propício a questionar todos os “não posso”, “não consigo”, “não devo”, “não mereço”, “não é possível” que carregamos conosco ao longo da vida e que podem ser fonte de grandes frustrações. Será que “não posso” e “não consigo” mesmo ou estou apensas com medo de falhar? É bom sairmos da rotina e nos expormos a novos ambientes, situações, propostas e perspectivas, do contrário estaremos por demais inquietos, ressentidos e frustrados, o que poderá nos levar a agir impulsiva e destrutivamente. Felizmente a Lua Taurina dá um pouco de freio e bom senso a toda a energia impulsiva e rebelde de Sol-Urano em Áries, de modo que podemos tirar grande proveito dessa combinação, é só estarmos abertos e nos deixarmos surpreender!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

No DOMINGO a Lua ainda está em Touro, fora de curso. Ingressa em Gêmeos às 02h59min e logo faz sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio. Ao longo do dia ela ainda se opõe a Marte em Sagitário, faz sextil a Vênus em Áries e quadratura a Netuno em Peixes, fechando o dia já armando uma Grande Cruz mutável que se prolongará por toda a segunda-feira. Mercúrio está em quincunce a Marte. Domingo é dia de descanso, de relaxar e por as pernas para o ar, mas hoje as energias discordam disso, tornando o dia super movimentado e caótico, de modo que descansar talvez seja a última coisa que consigamos fazer. Estamos inquietos, ansiosos, envolvemo-nos com inúmeras atividades sem conseguir driblar a inquietude ou insatisfação que paira no fundo da mente e do coração. Nada parece ser suficiente ou capaz de acalmar os anseios e vamos de um ponto a outro, de uma atividade a outra sem conseguir encontrar o alívio para aquilo que nos corrói por dentro. Queremos fazer várias coisas ao mesmo tempo e o conflito gera irritação, embora isso não seja claro para nós imediatamente, predispondo-nos a discussões e beligerâncias verbais. Entretanto, a verborragia está apenas denunciando a ansiedade da alma e neste contexto, antes de falar pelos cotovelos espalhando e dispersando energias sem necessidade, cabe um exame interno rápido que nos faça voltar ao cerne de nossas motivações básicas. A partir disso, podemos lidar com toda a necessidade de movimento programando atividades ao ar livre ou ainda passeios urbanos que propiciem a satisfação da grande curiosidade e onde possamos canalizar nossa inquietude e frustração de forma positiva. Bate-papos e programas que nos permitam a troca de ideias também são uma boa pedida, desde que tenhamos maturidade suficiente para não nos identificarmos demais com nossos pontos de vistas nem ficarmos melindrados com as discordâncias a eles. A noite demanda mais cautela nas interações porque todos estamos mais sensíveis e suscetíveis a nos sentir rejeitados e isolados, mesmo não intencionalmente.

Desejo a você uma semana de soluções e belos recomeços! Que possamos nos livrar das amarras que criamos para nós mesmos e que impedem nossa verdadeira realização!

Chechetta - Reprodução
Chechetta – Reprodução

Para lidar com os desafios da semana, Patrícia Vilela, terapeuta de florais, traz as seguinte sugestões:

Beijinho
Beijinho

“Para a mudança de signo de Vênus, a essência floral indicado pertence ao sistema filhas de Gaia, é o doce “Beijinho” – ele reaviva a capacidade de fluir na vida com leveza, sem resistir às marés, nem remar contra a correnteza. Traz a leveza necessária para lidar com o ritmo estressante da vida, mantendo uma atitude de eficiência e comprometimento, porém sem ser envolvido pela sensação de urgência e sem mergulhar em um turbilhão de intensidades. Favorece o estabelecimento de um ritmo de vida produtivo e eficiente, porém descontraído, no qual há espaço físico e psíquico para se usufruir as belezas da vida e os momentos prazerosos. Pegar leve! Ajuda a reconhecer, aceitar e conviver com os ritmos e ciclos próprios a cada situação e pessoa sem se irritar, impacientar ou estressar, através de uma atitude bem humorada, leve e cooperativa.”

Blackberry
Blackberry

 

“Para a mudança de Mercúrio e para os momentos em que a Lua ficará fora de Curso durante a semana, a sugestão para termos foco e evitar a procrastinação é o Blackberry e o Tansy do sistema da Califórnia. A qualidade que a essência floral Blackberry traz é a da vontade claramente direcionada no mundo, com uma ação decidida, afinal de contas temos que aproveitar a manifestação de um Marte que ainda encontra-se direto. E o Tansy vem combater a letargia, a procrastinação e a incapacidade de agirmos de modo direto, quando temos hábitos que subvertem a nossa verdadeira vontade.”

tansy
Tansy

Patrícia Vaz Vilela
Terapeuta Floral – ASTERFLOR/MS 43
Rua Dourtor Arthur Jorge, 2455
Bairro Monte Castelo
Cep 79010-210
(67) 9245-6604
Campo Grande – MS

Rgul-osr1113.deviantart - Reprodução
Rgul-osr1113.deviantart – Reprodução