Lua Nova e Eclipse Anular do Sol: É o que é e não o que você gostaria que fosse

Eclipse Solar em Virgem: o sol, a Lua Nova e o Nodo Norte em Virgem - Birth Chart Painting - Reprodução
Eclipse Solar em Virgem: o sol, a Lua Nova e o Nodo Norte em Virgem – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua é nova nesta quinta-feira, dia 1° de setembro às 06h03min no horário de Brasília e às 11h03min no horário de Lisboa. Esta lunação é também um Eclipse Anular ou Anelar do Sol, um eclipse que é total, mas devido ao fato de a Lua estar no seu apogeu, ou seja, no ponto mais distante da Terra, não cobre totalmente o círculo do Sol, ficando uma espécie de anel de fogo, magnífico, fascinante e ao mesmo tempo, assustador, ao redor da Lua daí o nome anelar ou anular.

Este é um eclipse bastante tenso, porque ocorre no mesmo dia em que o Sol faz quadratura exata, ou seja, ocorre em quadratura a Saturno em Sagitário e também em oposição a Netuno em Peixes, acionando mais uma vez essa configuração que tem estado ativa nos céus desde 2014. Saturno faz uma quadratura minguante a Netuno, uma quadratura que vai fechando o ciclo iniciado entre os anos de 1989 e 1990. Essa configuração simboliza um momento de grande depressão coletiva, de desalento e desânimo coletivos em relação à economia, à política às questões religiosas e espirituais; há uma sensação de grande desapontamento e desilusão no que tange a esses assuntos e esse aspecto está relacionado à depressão econômica. Também é associado a mortes nos cenários artísticos, musicais e de entretenimento em geral. Para entender melhor os significados dessa configuração, leia este texto.

Lua Nova e Eclipse Solar em Virgem - 1° de setembro de 2016, Brasília, 06h03min
Lua Nova e Eclipse Solar em Virgem – 1° de setembro de 2016, Brasília, 06h03min

Então, Lua e Sol fazem oposição a Netuno, um aspecto também bastante próximo, de pouco mais de um grau e fazem quadratura a Saturno, aspecto de menos de um grau. Como se não bastasse, Marte está envolvido na equação, tendo iniciado um novo ciclo Marte-Saturno na semana passada e ambos, Marte e Saturno são o ponto focal da configuração de Cruz T ou T-Square que nasce da oposição Lua-Sol-Netuno. Esse eclipse vem acionar grandemente os temas da configuração, como eu já disse várias vezes, uma semana antes de a última quadratura exata entre Saturno e Netuno ocorrer. A partir de outubro essa configuração vai se desfazendo e as coisas começam a ficar um pouco mais leves. No mapa do eclipse levantado para Brasília, essa grande configuração cai exatamente nos ângulos: Sol e Lua no Ascendente, Netuno no Descendente e casa 7 e Marte-Saturno caindo no IC, Saturno vindo da casa 3 e Marte já na casa 4. Há um tom básico muito claro a respeito dessa configuração: Caia na real! Os véus caem e agora finalmente podemos ver o que de fato está em jogo, agora enfrentamos nossas ilusões e fantasias tolas e vãs e não há para onde correr, ou enfrentamos e crescemos ou crescemos e enfrentamos. Há uma sensação de dor e lamentação diante de uma realidade que é muito fria e muito dura, mais do que podemos suportar, mas não tem jeito.

Por outro lado, Sol e Lua estão conjuntos ao Nodo Norte, que representa o futuro e a direção que devemos tomar. O Nodo Norte em Virgem nos diz que devemos empreender um esforço consciente para discriminar as informações, para trazer um senso de ordem ao nosso cotidiano, para darmos adeus às ilusões infantis de esperar que um salvador ou uma mãe boazinha venham tomar conta de nós e resolver nossos problemas. Sol e Lua junto ao NN nos apontam a necessidade de desenvolvermos autossuficiência, realismo, discriminação e seleção criteriosa dos fatos. Netuno está conjunto ao Nodo Sul, sugerindo esse desejo, esse anseio de salvação e de continuar vivendo no engodo, porque é mais fácil: prefiro continuar vivendo essa mentira dourada a ter que lidar com essa realidade cinzenta… prefiro não saber, prefiro continuar na névoa… Mas, sinto muito, não vai dar! Não vai dar, não! The game is over! Se insistimos em não ver, seremos patrolados pela vida, por essa realidade que está aí e a cada round a coisa se tornará mais e mais difícil, portanto, a hora de crescer é essa! Nos últimos dois anos viemos lidando com isso: com uma aterrissagem forçada na terra das duras realidades; caindo do mais alto dos céus, no mais duro dos chãos, expulsos do paraíso, sem chances de retorno, sem apelação.

Pawel Kuczynski - Reprodução
Pawel Kuczynski – Reprodução

Mercúrio, regente da Lua Nova e do eclipse, está no fim de Virgem, retrógrado, começando sua descida trimestral ao Mundo Inferior; começando sua recapitulação do processamento de informações dos últimos três meses. Mercúrio retrógrado em Virgem sugere um período em que precisamos rever nossos métodos e nossa técnica, a forma como trabalhamos e como nos comunicamos na esfera do trabalho; a maneira como organizamos nosso cotidiano e como cuidamos do corpo e da saúde; como selecionamos o que é útil e o que não é na nossa vida… Tudo isso passa por uma grande revisão e reavaliação e essa retrogradação dá ênfase ao eclipse – ou seria o eclipse que dá ênfase à retrogradação? É um caso de retroalimentação, na verdade. Porque eclipses sinalizam conclusões e encerramentos na área de vida em que ocorrem, um momento em que podemos tomar atitudes e nos liberar de atavismos e comportamentos ocos e sem sentido e se Mercúrio já está fazendo uma revisão geral sobre tudo isso, então, aproveitamos a chance! É unir a fome com a vontade de comer! Felizmente para nós Mercúrio está enquadrado neste mapa por Júpiter e Vênus, os dois queridinhos chamados de Grande Benéfico (Júpiter) e Pequena Benéfica (Vênus). Essa configuração de enquadramento em que se encontra Mercúrio talvez queira nos dizer que no fim, isso é para um Bem Maior, por mais doloroso e amargo que o remédio seja agora – Mercúrio também faz oposição a Quíron em Peixes – o resultado final é positivo, ou seja, lá na frente talvez percebamos o porquê de tudo isso, e talvez as coisas façam sentido, mesmo que isso não ocorra agora.

Visibilidade do eclipse - não será visível no Brasil, a não ser, parcialmente, em João Pessoa, segundo algumas fontes.
Visibilidade do eclipse – não será visível no Brasil, a não ser, parcialmente, em João Pessoa, segundo algumas fontes. Esta imagem é captada do site da Nasa.

Como já sabemos, eclipses não acontecem de maneira fortuita, saídos do nada. Eles pertencem a famílias, as chamadas Séries Saros e analisar a família à qual o eclipse pertence adiciona mais pistas sobre seus temas e possíveis manifestações. Este eclipse pertence à Série Saros 135 na nomenclatura da Nasa (Série Saros 19 Norte, na nomenclatura da Dra. Bernadette Brady, astróloga estudiosa de eclipses da Inglaterra). O primeiro eclipse desta série ocorreu em 5 de julho de 1331, no Polo Norte. E olha só – é por isso que eu adoro astrologia! – como as coisas se repetem: neste mapa do primeiro eclipse, Netuno está também conjunto ao Nodo Sul, só que desta vez, em Capricórnio! Há também uma T-Square Mutável que tem por base Vênus e Júpiter em oposição, desembocando em Saturno em Virgem (o eclipse desta quinta faz conjunção a este Saturno!). Saturno e Netuno estão em trígono bastante próximo e poucas semanas antes houve também uma conjunção Marte-Saturno, uma vez que Marte está em conjunção ampla, de 9 graus, e separativa a Saturno. Se consideramos Quíron em Peixes, temos formada, na verdade, uma Grande Cruz Mutável, pois Quíron está em oposição a Saturno – lembra que no mapa do eclipse atual Quíron também está proeminente recebendo a oposição de Mercúrio? – quer dizer, os temas são muito parecidos! Embora haja alguma diferença nos cenários e nos figurinos, os atores são os mesmos! A Dra. Bernadette Brady, em seu livro The Eagle and the Lark, diz que esta série de eclipses fala de “realismo, uma volta à realidade. O indivíduo se torna consciente de uma situação antiga e a percebe como ela é, ao invés de como ele/ela achava que era. Esse pode ser um momento construtivo de enfrentar a verdade”. Então, o tema principal desta família de eclipses é o enfrentamento da realidade; o fim de ilusões seguido de novos começos baseados na verdade. Situações antigas têm grande potencial de serem esclarecidas e finalizadas. E o resultado é a liberação e a leveza.

Série Saros 135 - 5 de julho de 1331, 19h45min, horário de Brasília
Série Saros 135 – 5 de julho de 1331, 19h45min, horário de Brasília

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 4 e 14 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) sentem mais fortemente as energias deste eclipse. Vale a pena desacelerar, fazer exercícios de ancoragem e aterramento, porque em períodos de eclipses tendemos a ficar mais irritadiços, tensos e há propensão às coisas saírem do nosso controle, porque é uma energia que não se controla. No final texto geral sobre eclipses há uma parte sobre os efeitos dos eclipses nas casas do mapa natal – dê uma olhada. Além disso, você pode também verificar o que estava acontecendo na sua vida em 1° de setembro de 1997, que foi a última vez que ocorreu um eclipse no grau 9° de Virgem. Outra data que vale a pena checar é 22 de agosto de 1998, a última vez que ocorreu um eclipse da Série Saros 135, que traz esses mesmos temas de agora. Não necessariamente você precisa lembrar do que ocorreu no dia exato, mas sim no período, semanas antes e depois. Os temas certamente estão interligados.

Martin Stranka - Reprodução
Martin Stranka – Reprodução

A temporada de eclipses é aberta com este Eclipse Solar na quinta-feira e é encerrada com o Eclipse Penumbral da Lua no dia 16 de setembro, a 24° de Peixes. Durante este período de duas semanas, precisamos ser mais cautelosos porque estamos mais suscetíveis. É um tempo estranho, em que parece que transitamos entre mundos, o tempo adquire uma qualidade diferente e o ar fica mais denso. O eclipse solar nos predispõe a agir de forma mais inconsciente e instintiva, visto que é o Sol que é eclipsado e o Sol representa a consciência, enquanto a Lua é a reatividade e a instintividade. Portanto, se pudermos nos poupar de estresses e pressões desnecessários, fazemos muito bem. Precisamos fazer o que nos é requerido: encerrar o que precisa ser encerrado, enfrentar o que deve ser enfrentado. Lidar com as coisas como elas são, sem tentar encobri-las ou dourar a pílula, porque por mais tensos que estes eclipses sejam, eles trazem um momento de crescimento e maturidade no nosso processo evolutivo. “Aceita, que dói menos”, diz aquela frase e é assim que precisamos encarar este momento porque há coisas que são maiores do que nós e resistir e lutar contra elas só irá nos desgastar e convenhamos, é insanidade. Precisamos também ser humildes e lembrar que somos apenas uma gotinha no oceano que logo irá se evaporar e nem rastros deixaremos para trás… Então, percebamos tudo como um grande processo de evolução e aprendizado para nós como seres humanos, mas principalmente, percebamos que o universos é muito maior do que nós e não podemos ter a pretensão de entender o que acontece na faixa de tempo  de uma mera vida humana, quando a vida em si mesma é infinita e trata de ciclos milenares. Encarar nossa pequenez e insignificância nessa escala de coisas também é parte desse enfrentamento. E, por incrível que pareça, torna tudo mais leve. Como deve ser. Basta de adicionarmos peso extra desnecessário. Cuidemos do que os cabe, do que é da nossa alçada. Se nos responsabilizamos por nós e nossas escolhas, por sermos mais íntegros, já estamos a meio caminho andado. O resto, vamos aprendendo no que sobra do caminho! Busquemos a leveza, simplifiquemos a vida. Aceitemos essa realidade, porque só assim seremos capazes de mudá-la!

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal
Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal – Clique na imagem para ampliá-la

Feliz Novo Ciclo para você! Que seja leve e que traga as liberações e amadurecimentos necessários!

Jialu-d374z6i - Reprodução
Jialu-d374z6i – Reprodução

A Semana Astrológica Enxergando a Realidade Como Ela é

balsamic buzzSemana de 29 de agosto a 04 de setembro: tempo de eliminar o velho para dar abertura ao novo; tempo de encarar a dura realidade e crescer com ela

Nesta semana o Sol percorre o caminho já trilhado por Mercúrio e Vênus e se defronta com o imbróglio Saturno-Netuno (o Sol faz quadratura a Saturno e oposição a Netuno), além de conflituar também, mais à frente, com Marte em Sagitário. É curioso que o Sol venha fazer aspectos a estes dois planetas exatamente uma semana antes da última quadratura exata entre eles, que se dará no dia 10 de setembro. É como se o Sol estivesse a iluminar poderosamente tudo o que esta configuração simboliza para nós, última chance de apreender seus sentidos e significados e fazer as devidas modificações ou soltar o que precisa ser soltado, especialmente porque o Sol faz quadratura exata a Saturno no mesmo dia em que é eclipsado pela Lua Lua Nova e Eclipse Anular Solar – Entenda melhor os significados gerais dos eclipses. O Astro Rei também se indispõe com Urano por sesqui-quadratura, sugerindo irritações e lapsos de incoerência que vêm e vão, mas que nos tiram o sossego, como algo que fica ali, na sombra do coração, a querer nos alertar, embora não consigamos lembrar em cheio do que se trata. Esse aspecto nos deixa predispostos a agir por impulso, a replicar de forma crítica e inconsciente, à ordem rígida em que estamos inseridos. O Sol também faz conjunção ao Nodo Norte que atualmente trafega Virgem, apontando o tempo dos eclipses. Mas o Sol também faz mais, ele traz a oportunidade de nos conscientizarmos uma vez mais sobre nosso destino e nossos propósitos maiores. Isso é particularmente válido para aquelas pessoas que têm o Nodo Norte em Virgem (e o Sul em Peixes), que estão vivenciando um Retorno Nodal, tendo a chance de se realinharem com seus propósitos e a direção de vida escolhida por sua alma para esta encarnação.

River Bank of Truth
River Bank of Truth

Mercúrio entra em retrogradação em Virgem no dia 30 de agosto. Nesta semana ele retorna e se abraça afetuosamente a Vênus e a Júpiter logo após estacionar e engatar a marcha a ré. Na verdade, ocorre um movimento interessante: Mercúrio fez conjunção a Vênus no dia 16 de julho, a 05° de Leão. Passou por ela bem afobado, na carreira… Agora no dia 29 ele estaciona e Vênus o ultrapassa – quase que lembra a estória da lebre e da tartaruga – Mercúrio ficando estacionário a apenas 20 minutos de distância de Vênus e a cerca de um grau e meio de Júpiter, um fato que eu acredito, seja bastante auspicioso para este ciclo de retrogradação, que se concluirá em trígono exato a Plutão, no dia 22 de setembro. Então, em termos gerais, está aberta a temporada trimestral de revisão de pensamentos, processos mentais, comunicação, conceitos, ideias e pontos de vista e opiniões. Especificamente em Virgem, a retrogradação convida a revisar nossa técnica e a maneira como exercemos o sagrado ofício do nosso trabalho. Leia mais sobre Mercúrio retrógrado em Virgem.

venusVênus, depois de ficar em queda por algumas semanas, ingressa em Libra, signo de sua dignidade. Em Libra Vênus traz presente o mito do seu nascimento, a partir do sêmen de Urano no mar. Urano é da primeira geração dos deuses gregos. Deitou-se com Gaia e nasceram os Titãs. Mas Urano, o Deus Celeste hiper idealista, rejeitou seus filhos, que ofendiam seu olhar reformador por serem excessivamente ctônicos e terrosos, imperfeitos como Gaia, a Mãe Terra. Então ele os prendeu no tártaro. Saturno, um dos seus filhos conspirou com sua mãe e uma noite, quando Urano veio se deitar com Gaia, Saturno o castrou com uma foice. Atirou os genitais ao mar e do sêmen nasceu Afrodite, a deusa do amor e da beleza. Do sangue que caiu na Terra nasceram as Fúrias. A Vênus Libriana é a própria Afrodite nascendo do sêmen Uraniano, da castração de um Deus Celeste que primava por ideais de Perfeição. Assim também é Vênus em Libra: sempre em busca do relacionamento perfeito, da parceria de perfeito equilíbrio. Nessa equação não necessariamente há amor. Há, sim, equidade, parceria, afinidades. Vênus em Libra tem senso estético apurado, sendo extremamente graciosa, refinada, classuda e muito sintonizada com as regras sociais e com aquilo que é aceitável. É apaixonada pela ideia da parceria, de ser um casal, talvez mais do que pela própria pessoa à sua frente, assim, nem sempre ela se relaciona com a pessoal real, mas sim com uma imagem que tem dessa pessoa, especialmente quando Netuno está presente. Seu senso de justiça também é muito acentuado e ela vai esperar que haja reciprocidade em absolutamente tudo, a ponto de às vezes se ter a impressão de que há uma conta corrente do dar-e-receber na relação. De fato, as relações laterias implicam equilíbrio no dar e receber, mas Vênus leva isso bem ao pé da letra e vai ficar esperando o retorno quando faz algo bom. Valoriza muito a paz, a harmonia e por causa disso tende a evitar confrontos, a ponto de parecer que carece de personalidade ou de caráter em algumas situações. É que Libra realmente tem essa capacidade de ver todos os ângulos de uma questão, mas essa tendência de evitar conflitos pode ter como resultado exatamente o oposto: ela acaba por se indispor com todos aqueles que tentou agradar, a todo custo. No fim, quando esses conflitos se tornam inevitáveis, Vênus em Libra pode ser tão ou mais feroz do que o pior dos Arianos: torna-se competitiva e vingativa – não esqueçamos que foi Afrodite quem iniciou a Guerra de Tróia! E aqui, nessa faceta menos nobre, ela encarna Hathor, a Deusa Egípcia da alegria, da maternidade, do feminino e da beleza, mas que virava uma guerreira sanguinária quando entrava em batalha – Vale lembrar também das Fúrias, que nasceram do mesmo evento que deu origem a Afrodite. Vênus em Libra precisa aprender a valorizar-se, independentemente do olhar do outro e precisa aprender a ver o outro como ele realmente é, para além da possibilidade de ser um parceiro afetivo. Esse posicionamento confere também gosto refinado e olhar clínico para coisas de valor, gosto para a arte, a música e também para as leis, além de grande senso de justiça.

Annibale Carracci - Júpiter e Juno
Annibale Carracci – Júpiter e Juno

Marte já ganhou velocidade e vai gradativamente se separando a passos largos de Saturno. Agora ele se prepara para confrontar Quíron, movimento que ocorre em algumas semanas. Enquanto isso, vamos fortalecendo nossa vontade e recuperando nosso senso de potência. Júpiter, por outro lado, chega ao fim de Virgem e se despede do signo de sua debilidade. Certamente ele estará bem mais confortável em Libra, já que Libra é um signo que prima também pela justiça, um tema que está sob a alçada de Júpiter. E se em Virgem a justiça e expansão Jupiterianas acontecem por meio das coisas pequenas e prosaicas, concretas e palpáveis, em Libra isso se dá através de conceitos mais refinados e abstratos, através da civilidade e da capacidade de viver em sociedade e respeitar as regras do convívio social. Em Libra Júpiter também favorece os casamentos, já que este é o signo das uniões oficiais, o que nos lembra da união de Júpiter e Juno, sua parceira oficial com quem ele vivia em pé de guerra, devido às suas infinitas escapadas e traições, ás quais Juno/Hera não perdoava. Júpiter ingressa em Libra no dia 09 de setembro, onde fica até 10 de outubro de 2017.

eclipse milky way
Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica em Câncer. Finaliza o ciclo em Leão e se renova em Virgem, na quinta-feira, numa Lunação que é também Eclipse Total do Sol e que vem nos desafiar a deixar de vez o passado para trás e a olhar para o futuro, para o Norte das nossas aspirações, para o Norte do nosso desenvolvimento.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 29 de agosto – Mercúrio estaciona às 10h03min, a 29°01’ de Virgem para entrar em retrogradação, enquadrado por Júpiter e Vênus, os dois Benéficos. Vênus, que tinha recebido a conjunção de Mercúrio em 16 de julho, agora o ultrapassa em direção a Libra e faz uma conjunção meio reversa, em que é Vênus quem vai ao encontro dele. A Lua está Balsâmica em Câncer e se harmoniza com Júpiter, Mercúrio e Vênus em Virgem, ficando vazia depois do contato com Mercúrio, às 03h24min. A Lua ainda se desafina com Marte e ingressa em Leão às 05h12min, de onde faz trígono a Saturno já à noite. Vênus ingressa em Libra às 23h07min, onde ficará até o dia 23 de setembro. O dia traz uma harmonia calma ou uma calma harmônica, mas é uma calma talvez enganosa, porque intuímos que é apenas uma trégua temporária, que nos permite respirar um pouco antes do próximo round – esta semana tem Eclipse Total do Sol! Paramos e olhamos ao redor para identificar onde estamos, para guardar na memória detalhes que funcionem como pontos de referência, um tipo de mapeamento – ou talvez, como João e Maria, saímos deixando pistas na trilha, para conseguir encontrar o caminho de volta. Temos, pois, uma influência favorável para começar a semana de maneira organizada, coesa e estruturada; para fazer nossos back-ups e check-ups e para analisar, pausadamente, o que é que precisa mais da nossa atenção e que tenta atraí-la de forma gritante. O dia traz insights claros e muito lúcidos sobre o que precisamos fazer e onde precisamos ir, qual é o próximo passo, subir ou descer. Revisão de ideias, caminhos, tarefas e métodos estão na lista. É como uma voz que grita: “para tudo!” E nós paramos para ouvi-la, porque vale a pena escutar! Essa é a voz interna, poderosa, nítida e lúcida. A voz da sabedoria, ancestral, arcaica… A voz da Lua Balsâmica olhando para o futuro: o que nos espera? Meditamos e contemplamos no silêncio do nosso coração e decidimos que não vamos esperar que nada aconteça a nós – nós é que iremos acontecer ao que quer que encontremos pelo caminho! Não desperdice essa vibe!

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 30 de agosto – De Leão, a Lua Balsâmica se desentende com Netuno em Peixes e com Plutão em Capricórnio, mas se afina com Marte em Sagitário, fechando a noite em trígono a Urano e quincunce a Quíron. Mercúrio está oficialmente retrógrado a partir das 10h03min. Um dia de contradições profundas e desconcertantes. Queremos brilhar e chamar a atenção para nossos feitos, mas algo parece estar fora de lugar, porque não parece legítimo e nos vemos pressionados internamente a ceder o holofote ou a atenção para alguém mais, o que nos deixa ressentidos e inseguros internamente. Mas, longe de isso nos fazer parar, talvez resolvamos encarnar a prima-dona e encenar grandes dramas no melhor estilo “falem mal, mas falem de mim”, até que a ficha caia e percebamos que nos enredamos numa teia intricada e difícil de desemaranhar, o que nos deixa meio tímidos e desengonçados, porque nos sentimos agudamente expostos. Sim, comportamento meio infantil, mas que é iluminado para ser eliminado. Contudo, fazemos melhor se utilizamos todas essas energias e influências para uma autorreflexão, para iluminar nossos próprios processos e proceder com as devidas finalizações e conclusões, ao invés de investir nos dramas desnecessários. Podemos nos sintonizar com uma reserva de autoconfiança e motivação, para concluir pendências de modo satisfatório, que trazem um senso de realização concreta pela coisa em si, como também pela liberação que a conclusão traz. E então concentramos grande energia e vigor nesse intento. Mas precisamos de atenção, porque, se antes era a insegurança, agora é a obsessividade pode nos fazer perder em objetividade e quando vemos, não sabemos mais porque nos lançamos com tanto empenho em todas essas situações – será que estamos ritualizando outras conclusões além daqueles visíveis diante de nós? Se assim for, talvez a ideia até seja válida, mas ainda é preciso ter consciência e clareza de porquê o fazemos. Bom senso é fundamental! O dia pede alguma cautela porque há necessidade de contenção e de se poupar energias para a próxima etapa. É inútil fazer investimentos grandiosos, além do estritamente necessário, porque a terra descansa, é inverno, os dias são propícios ao recolhimento e à limpeza. Lembremos disso antes de nos empenharmos em ideias afoitas que talvez não levem a lugar nenhum. É mais útil eliminar aquilo que não serve mais, abrindo espaço para o novo entrar.

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 31 de agosto – A Lua Leonina e Balsâmica formaliza o quincunce a Quíron e o trígono a Urano, ficando vazia logo depois, à 01h20min. Ingressa em Virgem somente às 12h22min e faz apenas uma sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio, aproximando-se aos poucos depois da conjunção ao Sol, que está em sesqui-quadratura plena a Urano. A Lua olha mais profundamente para o futuro e os nossos sonhos podem trazer visões e presságios poderosos nesta noite. Que mudanças precisamos fazer em nós mesmos, nossas atitudes e comportamentos que ainda não ficaram claros até aqui? Que parte dessa criança que nós somos precisa ser deixada para trás? Certamente aquela parte birrenta e irascível, a parte que gosta de se quedar vítima do sofrimento – criado por nós mesmos – e das próprias queixas lamuriosas. Quando é possível, a mudança deve ser providenciada; quando não é, a situação deve ser aceita, com humildade e maturidade, do contrário, nossa vida fica miserável e vai parecer sempre fora do nosso controle. Assim, o dia traz essas visões de futuros possíveis a partir das muitas possibilidades de mudanças, mudanças empreendidas por nós, madura e consistentemente. Entretanto, precisamos estar cientes de nossas contradições internas no que tange ao comprometimento que empenhamos nos nossos objetivos – será que são mesmo esses objetivos que alimentam o nosso coração? – do contrário, quando menos esperamos resolvemos chutar o balde num rasgo de autossabotagem que põe tudo a perder no momento crucial. A manhã fica propícia a essas reflexões e às elucubrações sobre como manifestar os potenciais criativos no próximo ciclo; já a tarde fica mais industriosa e prática, de modo que procedemos com as últimos limpezas e aragem do terreno onde lançaremos a rica semeadura dos nossos sonhos e projetos na Lua Nova de Virgem.

Eclipse Anelar do Sol - Reprodução
Eclipse Anelar do Sol – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 1° de setembro – A Lua faz conjunção ao Sol a 09°21’ de Virgem, às 06h03min, num Eclipse Anelar do Sol – que é também total, mas como a Lua está muito distante do Sol, temos um anel ao redor do eclipse. O eclipse ocorre em quadratura de menos de um grau a Saturno – o Sol está em quadratura exata a ele hoje – e oposição muito próxima a Netuno e quadratura mais ampla a Marte. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a Urano e trígono a Plutão e estes aspectos também são importantes nesta Lua Nova. Um eclipse que vem jogar ênfase sobre a quadratura pesada e dolorosa de Saturno e Netuno, que perdura nos céus desde 2014 é tudo o que precisávamos para fechar com chave de ouro essa configuração. Um novo ciclo é inaugurado, em que precisamos nos sincronizar com a ordem da natureza, que traz intrínseca em si a semente do caos e da desconstrução das verdades nebulosas, que nem sempre são condizentes com a realidade.

Tiia Reijonen on Behance - Reprodução
Tiia Reijonen on Behance – Reprodução

Este eclipse fala de deixar para trás as ilusões infantis e de encarar a realidade como ela é. De abrir bem os olhos e ver. Ver com os olhos físicos, com os olhos da alma, com os olhos da intuição, com os olhos internos que enxergam mais longe e que só estiveram fechados porque assim nos escolhemos. Abrimos os olhos e vemos a luz excruciante da verdade de dilacera nossa visão. E abrimos os ouvidos. E  ficha cai, finalmente. E cai de forma estridente, a tinir no tímpano dolorosamente. Esse momento de cair na real pode ser muito duro, porque os véus são descerrados e podemos finalmente ver o que antes eram apenas borrões obscuros. Infelizmente, o que vemos não é nada agradável, mas talvez seja tarde demais para voltar atrás, porque o leite já se derramou e não há retorno. Contudo, há aprendizados que, embora sejam duros como sopapos bem dados no meio das nossas fuças, são bastante válidos e talvez agora aprendamos a dura lição. É preciso deixar as ilusões tolas e o passado fossilizado e oco para trás e inaugurar uma vida nova de cara limpa. Por mais difícil que seja a realidade, pode ser um momento construtivo de lidar com a verdade e de crescer. Em termos práticos, a Lua Nova e Eclipse em virgem favorece a eliminação de maus hábitos e comportamentos nocivos que afetam nosso corpo e saúde negativamente – pode ser um ótimo momento para deixar de fumar, por exemplo, ou para eliminar quaisquer outros hábitos que prejudicam a qualidade de vida – e também nosso trabalho e vida cotidiana em geral. É hora de inaugurar hábitos novos e mais saudáveis, de forma que possamos ter uma vida de mais qualidade e muito mais sentido.

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal
Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal
Kirrei.com - Reprodução
Kirrei.com – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 2 de setembro – O Sol Virginiano faz oposição plena a Netuno em Peixes, enquanto Mercúrio faz sua segunda conjunção a Júpiter. A Lua segue renovada por Virgem e hoje faz oposição a Quíron, quincunce a Urano e conjunção a Mercúrio e a Júpiter, ficando vazia às 19h13min depois deste contato. A Lua ingressa em Libra às 21h56min. Nosso desejo e necessidade por ordem e perfeição são desafiados ao máximo hoje e nos encontramos miseravelmente dispersos, incoerentes e fragmentados em muitas direções. Além do senso de ordem e estrutura, falta-nos a confiança que nos permitiria ir atrás de nossos objetivos de forma destemida e, como não conseguimos ser suficientemente assertivos e seguros, nossa autoestima fica ainda mais vacilante, de modo que se não vigiarmos, entramos num círculo vicioso doentio e de difícil saída, porque sentimo-nos bastante impotentes para modificar traços em nós mesmos e situações ao nosso redor. Podemos ficar nessa espiral destrutiva por horas e dias. Mas, a sensibilidade que nos faz vacilar é a mesma que nos permite manifestar nossos dons criativos e nosso grande altruísmo, de modo que podemos usá-la em benefício de outros, o desafio é exatamente fazer isso de maneira coesa, como um serviço que oferecemos de bom grado, em lugar de nos sentir vítimas das circunstâncias e até de nós mesmos. A consciência aguda de nossas limitações pode, ao invés de nos colocar para baixo, ser o trampolim de onde damos impulso para mergulhar fundo naquilo que podemos realmente transformar e manifestar criativamente. O pano de fundo mental absorve todas as nuances e variáveis, mas consegue rever onde podemos ter errado no passado, de modo que agora podemos usar esses mesmos erros como lições e aprendizados que nos estimulam a fazer melhor e mais conscientemente desta vez. Sobretudo, precisamos ser humildes e nos ater ao que é possível, sem exigir de nós mesmos ideais de perfeição irrealizáveis e, por isso mesmo, frustrantes. Viemos de uma fonte divina e para lá voltaremos, mas, por enquanto, ainda precisamos lidar com esse plano de limitações que devem ser aceitas, mas isso não deve embotar a fé em nós mesmos, porque a principal lição é acreditar em nós próprios, a despeito de todas as nossas dificuldades e falhas. Olhar para dentro e perceber que a despeito de todos os erros e defeitos que percebemos em nós, no centro há o núcleo indestrutível e perfeito e é esse senso de integridade que deve nos guiar.

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 3 de setembro – A Lua está em Libra e faz conjunção com a dona da casa, Vênus. Mais tarde a Lua também se afina com Saturno enquanto se desentende com Netuno. O Sol segue em oposição a Netuno e quadratura a Saturno e Mercúrio vai seguindo seu caminho descendente no Mundo Inferior, incitando-nos a fazer nossas revisões profundas de pensamentos e ações. Um momento de calmaria e análises mais desapegadas de todas as confrontações por quê passamos: talvez consigamos digerir os resultados sem tantos dramas e com alguma sobriedade, sem ficar chorando ou nos lamentado, afinal, agora é bola para a frente, é acordar para o que dá para consertar e eliminar o que não tem conserto. Em termo práticos e pontuais o dia favorece encontros leves que dispensem os assuntos densos, porque nem nós nem o outro temos muita clareza de nossos sentimentos e reações, de modo que estamos suscetíveis a nos sentir ofendidos ou ignorados num assunto que seja mais sensível, portanto, se não temos certeza de que nossa audiência irá respeitar o que temos a dizer, melhor guardar o assunto para outra ocasião ou para ouvidos mais atentos e respeitosos e ficar nas trivialidades leves, mas seguras.

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 4 de setembro – A Lua Libriana conversa animada com Marte em Sagitário, mas arruma uma baita confusão com Plutão e com Urano. Como se não bastante, ela ainda se irrita com Quíron e fica vazia às 21h32min, depois da briga com Urano. O Sol está em conjunção exata ao Nodo Norte em Virgem. O amanhecer traz tensões difíceis de digerir e impossíveis de evitar: precisam ser encaradas e resolvidas na lata! Com o dia começando já neste clima tenso, ficamos estressados e indóceis, porque lutamos por uma harmonia e uma conciliação que parecem distantes, uma distância inversamente proporcional ao esforço com que buscamos essa harmonia. Precisamos usar de honestidade emocional nas nossas crises e dilemas, especialmente naqueles que envolvem os afetos e as relações em geral: será que secretamente não investimos em tais crises para nos sentir vivos e importantes para aqueles das nossas relações? O dia também requer muita cautela porque estamos impulsivos, de modo que podemos agir precipitadamente, piorando as situações com nosso comportamento imprevisível, altamente reativo e talvez um tanto infantil. No fundo, desconfiamos de nossas emoções e sentimentos, que hoje são intensos e voláteis e só nos impulsionam em direção à criação de mais drama e mais conflito. O que precisamos é perceber essa necessidade de nos sentirmos realmente vivos, com toda a intensidade a que achamos que temos direito e para isso, podemos nos engajar em atividades estimulantes e criativas, que nos façam entrar em contato com as emoções tumultuadas e selvagens que convulsionam o coração, de modo que elas sejam canalizadas construtiva e visceralmente, a ponto de transformar a forma como enxergamos a nós mesmos e aos nossos processos emocionais mais profundos. Podemos convidar as mesmas pessoas com quem travávamos os embates acalorados e descobrimos que a briga a favor é tão ou mais estimulante do que a briga contra e de quebra, ainda aprendemos mais uns sobre os outros e isso, ao invés de nos afastar, nos aproxima porque percebemos que o outro está atrás do mesmo que nós: harmonia e crescimento, então, por que não podemos buscar isso juntos? Por todos os motivos descritos acima, em termos práticos o dia requer cautela nas interações devido à propensão a conflitos e também no trânsito, devido à grande impetuosidade e precipitação.

Desejo a você uma semana de bênçãos e crescimento! Que essa realidade tão dura seja administrável e nos faça, de fato crescer! ótima semana!

Andrea Clare

Tiia Reijonen on Behance - Reprodução
Tiia Reijonen on Behance – Reprodução

Mercúrio Retrógrado em Virgem Tempo de Serendipidade!

Reprodução
Reprodução

Mercúrio ficará 69 dias em Virgem, de 30 de julho a 7 de outubro, o que traz uma ênfase soberba a Mercúrio e a Virgem, visto que este signo é regido por ele. Mas a ênfase se dá também devido ao ciclo de retrogradação de Mercúrio, um dos mais longos dos últimos tempos. Mercúrio estaciona no dia 29 de agosto às 10h04min e ficará retrógrado de 30 de agosto a 22 de setembro, retrogradação que se dará entre os graus 29°01’ e 14°51’ de Virgem – já estamos na zona sombria desde o dia 10 de agosto! É, pois, chegada aquela época trimestral do ano em que olhamos para os últimos capítulos da novela que é nossa vida e checamos se está tudo em ordem, se precisamos retificar alguma coisa ou reformular outras tantas. Recapitular e, se necessário, reescrever algumas partes! E não, não precisa ser um período de dramas, perdas e caos absoluto! Pelo contrário, essa retrogradação ocorre com Mercúrio enquadrado por Júpiter e Vênus, uma condição a meu ver, bastante venturosa e auspiciosa, que nos convida a nos abrir às situações fortuitas, ao invés de temê-las. Entenda melhor a mitologia de Mercúrio e seu simbolismo na Astrologia.

Virgem é o segundo signo regido por Mercúrio. É a Terra Mutável, mais uma areia do que terra. Em Virgem a inteligência mercurial encontra um foco e um uso específico e eficiente, diferentes da expressão de Mercúrio quando em Gêmeos, o outro signo de sua regência. Em Virgem menos é mais. Minimalista, enxuto e sintético, no signo da Donzela Mercúrio estuda muito a ponto de se tornar especialista nos assuntos que lhe interessam. E em Virgem todas as ideias brilhantes nascidas em Gêmeos podem se manifestar no plano concreto, é a encarnação material da ideia abstrata, por isso ambos os signos estão em quadratura natural, porque para que a ideia saia do abstrato e vá para o concreto é necessário passar por ajustes para se adequar às limitações dos materiais, do tempo, da utilidade, da funcionalidade, da técnica.

Fernando Bergamaschi - Reprodução
Fernando Bergamaschi – Reprodução

Virgem também é o signo do trabalho, o ofício que nos permite sobreviver e nos tornar pessoas melhores na execução de uma tarefa fora de nós, que muitas vezes é uma metáfora para o trabalho interior – por isso o trabalho que desenvolvemos diz tanto sobre nós e o que somos, assim como a forma como trabalhamos também revela muito de nosso caráter, porque no fim, se fazemos o que fazemos com amor, se o ofício é executado com alma, isso também dá sentido aos nossos dias. Virgem é o ofício para o qual precisamos estudar e desenvolver uma técnica, um método, um sistema de execução e desenvolvimento; um ofício que é realizado com a eficiência e a eficácia que levam à perfeição.

River Bank of Truth
River Bank of Truth

Quando um planeta fica retrógrado, simboliza um momento em que precisamos rever nossas posições e posturas nos assuntos governados por aquele planeta, assim como a forma como nos colocamos de acordo com o signo, na área de vida representada pela casa em que tal retrogradação se dá no mapa natal. Considerando, pois, todas essas atribuições e simbolismos de Virgem, mais as atribuições de Mercúrio, vemos claramente que temos pela frente um período de revisão e reavaliação das formas como trabalhamos; de fazer uma parada estratégica para reavaliar os métodos e sistemas com que abordamos aquela área de vida em que temos o signo de Virgem. Revisar nosso ofício e nossa técnica para redefini-los e torná-los mais adequados ao nosso momento atual – vai ver nós estruturamos nossas práticas lá atrás, quando ainda estávamos começando… mas tanto tempo se passou… não é hora de rever tudo isso? Reorganizar nossos métodos e nosso pensamento; reordenar nosso cotidiano e nossos planejamentos dentro dele; reconsiderar nossos métodos de comunicação, seja falada, escrita ou mesmo não verbal; repensar nossa relação com as redes sociais e o uso que fazemos delas; reexaminar a forma como processamos e julgamos as informações e, principalmente, nosso senso crítico, análise e visão de mundo, especialmente no que tange às relações de trabalho, com o trabalho em si e com as pessoas que ele nos propicia encontrar.

Virgem também fala do cotidiano e dos rituais diários, incluindo-se aí nossa relação com o corpo e seus ritmos orgânicos. Assim, a retrogradação de Mercúrio é um chamado também a revermos essas questões: revermos nossos rituais e, se for o caso, reorganizarmos algumas coisas; reexaminar a relação com nosso corpo e seus ritmos, corrigindo o que for necessário para que tenhamos mais qualidade de vida, uma vida purificada dos excessos mentais ou dos detalhes dispensáveis; purificada, sobretudo, dos ritualismos vazios, mecânicos e sem valor nos quais talvez tenhamos resvalado sem perceber.

Classicamente os textos astrológicos atribuem atrasos e problemas às retrogradações de Mercúrio. Mas não precisa ser assim. A retrogradação é um momento em que, do nosso ponto de vista na Terra, parece que o planeta para e volta atrás – minha colega Vanessa Couto chama de Moon Walk, aquela dança popularizada pelo Michael Jackson. Assim como na dança Moonwalk, a retrogradação envolve uma certa ilusão, porque o que vemos não é o que acontece realmente. O que parece, não é. Ainda assim, do mesmo modo, nós precisamos parar e voltar sobre nossos passos na última parte do trajeto que viemos percorrendo – e é claro que nós também não vamos sair pelas ruas, literalmente, andando de ré percorrendo os caminhos todos que trilhamos nos últimos meses! E – aí sim! – se nos recusamos a seguir nossa bússola interna e fazer essa parada e esse retorno, se insistimos em manter o mesmo ritmo enlouquecedor de sempre, podemos sim, ter situações de atraso, questões delongadas, atrapalhadas, que nos tiram do eixo e nos obrigam a parar de qualquer jeito.  Já que não paramos por bem, agora paramos por mal. Portanto, o período requer que o naveguemos com paciência e tranquilidade; que sejamos flexíveis e estejamos dispostos a encarar os imprevistos com espírito de curiosidade. Mercúrio é uma criança marota e mesmo em Virgem, pode brincar um pouco, portanto, precisamos olhar para alguns reveses, atrasos, contratempos, adversidades e imprevistos com bom humor e espírito de aventura, como quando nos achamos perdido num lugar e ao invés de nos irritar, resolvemos explorar a região.

Reprodução
Reprodução

A língua inglesa tem uma palavra que eu adoro e que tem muito da qualidade de Mercúrio retrógrado e desse espírito de situações fortuitas: SERENDIPITY. É uma palavra difícil de traduzir e até onde eu sei não há um termo exato para ela no português – já vi o anglicismo serendipidade ou serendipismo, mas não sei se são considerados formais. Significa descobertas afortunadas feitas completamente ao acaso, ou o ato ou faculdade de descobrir coisas agradáveis ao acaso, acontecimentos venturosos e totalmente inesperados. Encontrar algo bom sem estar procurando por isso – como quando a gente se perde em algum lugar e descobre algo incrível exatamente ali naqueles arredores, onde jamais teríamos ido se não tivéssemos nos perdido tolamente. Eu gosto muito dessa palavra e acho que ela tem um quê de magia. Alguns dizem que serendipidade é Deus agindo anonimamente e eu acho que está correto, nem que seja o Deus Mercúrio aprontando das suas! – aliás, muitas descobertas científicas são atribuídas à serendipidade e há uma série da BBC que trata exatamente disso: The Serendipity of Science! Para você ter ideia, veja este texto e este, que falam de descobertas que ocorreram totalmente por acaso – Pasme! Até aquela famosa pílula azul foi descoberta assim!

touch of Lavender - Reprodução
touch of Lavender – Reprodução

A meu ver, quando Mercúrio está retrógrado, precisamos nos sintonizar com essa faculdade de descobrir coisas boas que não estavam nos nossos planos bem desenhados e creio que isso tem muito a ver com nossa vibração e a maneira com que reagimos à descoberta de que algo saiu do plano original e vamos ter que improvisar. Traquinas do jeito que Mercúrio é, acho que ele tende a ser mais gentil e favorável se nos dispusermos a entrar na brincadeira com ele, estando abertos e dispostos a ser surpreendidos – isso se aplica particularmente a esse ciclo de retrogradação atual, que começa em conjunção a Júpiter e a Vênus e termina em trígono exato a Plutão – oportunidades poderosas de encontrar a sorte ao dobrar da esquina! Claro, isso pode ser um pouco complicado para Virgem, um signo que gosta muito de controle, de planos e esquemas milimetricamente formulados… Mas este é exatamente o grande desafio dessa retrogradação: abrir mão, temporariamente, dos planos milimetricamente elaborados. Mesmo que tudo pareça voar em tornar de nós, num caos impensável, perceber que, quando tudo voltar ao seu lugar, talvez tenhamos um senso de ordem mais criativo, menos rígido, menos rigoroso e insosso e mais cheio de vida e alma! Isso vale particularmente para pessoas fortemente Virginianas, mesmo que o Sol não esteja neste signo! Permitir-se ficar sem planos provisoriamente e, no meio tempo, repensar os métodos e planos usuais de se fazer as coisas.

Eliana Esquivel - Reprodução
Eliana Esquivel – Reprodução

Como Virgem é também um signo extremamente crítico, criterioso e detalhista, Mercúrio ficando retrógrado aqui sugere um período em que ficamos, talvez, ainda mais meticulosos, o que pode ser extremamente proveitoso e rico para certos tipos de atividades. Donna Cunningham, astróloga americana, sugere que façamos exatamente isso, que usemos este período para nos engajar em projetos que exijam o apuro da nossa crítica e o rigor da nossa análise. Por exemplo, supondo que você seja escritor, acadêmico, jornalista, pesquisador, etc… este seria um ótimo momento para revisar todos os manuscritos, os apontamentos, as informações coletadas, os dados levantados, etc. Qualquer que seja a nossa ocupação, podemos, sim, encontrar algo em que podemos aplicar essa energia de revisão e reavaliação – pode ser exatamente aquilo que está naquela gaveta há meses! Ou a bagunça aparente daquela caixa!

Rprodução
Rprodução

Por fim, normalmente se aconselha também que não se assine contratos e se tenha cuidado na lida com papéis em geral. Sim, de fato, nossa mente não está funcionando no modo normal, então, no mínimo, precisamos levar em conta que detalhes importantes talvez sejam ignorados – lembra que na retrogradação existe uma ilusão e o que parece, não necessariamente, é? – e é por isso que é melhor checar tudo duplamente e adiar, quando possível, aquelas assinaturas de documentos delicados… Mas, já que a retrogradação traz para a pauta do dia o prefixo RE, podemos também incluir uma cláusula nos contratos e documentos – naqueles em que temos poder para tal, pelo menos – de que aquele contrato sofrerá uma REvisão dali a “x” meses. Claro, precisamos lembrar que Mercúrio é um deus ambíguo, então, a revisão pode favorecer tanto a nós quanto à outra parte – mas isso não é necessariamente um problema, certo? visto que talvez a coisa fique até mais justa! O que eu quero dizer é que Hermes-Mercúrio é um deus escorregadio que não oferece certezas, mas ainda assim, promete grandes aventuras, se apenas estivermos abertos!

Então, abra-se a uma nova temporada de serendipidade e antes de reclamar de um atraso ou imprevisto, lembre-se de que pode ser a vida – e Mercúrio – chamando-o a rever seus conceitos, métodos, fórmulas e certezas! E claro, ache um projeto ou ideia que esteja precisando ser revisado e revisitado e… mãos à obra!

Nota: em termos práticos, não acho que Mercúrio seja responsável por todo o drama e caos atribuído à sua retrogradação, até porque, atrasos e desastres também acontecem quando Mercúrio NÃO está retrógrado, assim como computadores estragam e redes de informações entram em pane – não, nem tudo é “culpa” de Mercúrio retrógrado! Geralmente há outras coisas ocorrendo envolvendo outros planetas como Netuno e Urano, por exemplo. Para quem quer se prevenir, vale a pena fazer back-up nos computadores e aparelhos de tecnologia; revisar planos, projetos, apresentações; checar bagagens e documentos de viagem duplamente e, claro, se é realmente importante, saia de casa mais cedo!

Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução

A Semana Astrológica – Você é grafite ou diamante?

 Halawa heights, Hawaii - Desconheço o autor - Reprodução
Halawa heights, Hawaii – Desconheço o autor – Reprodução

Semana de 22 a 28 de agosto – Semana de alta pressão e extraordinária tensão, mas também de formidáveis oportunidades de sincronizarmos nosso tempo pessoal com o universal. O período é propício a análises, avaliações, encerramentos, descartes e limpezas físicas e energéticas e de visualização do futuro.

Jules Breton - Reprodução
Jules Breton – Reprodução

Movimentos importantes ocorrem nestes dias. O primeiro deles é a ingressão do Sol em Virgem na segunda-feira, inaugurando o período de sermos mais precisos, acurados, de refinarmos nossa técnica e método; de purificarmos nossos propósitos, de modo que reflitam os anseios mais profundos de nossa alma. Tempo também de trabalhar a integridade interior, o senso de inteireza e de autossuficiência. Virgem é o signo do trabalho, do ofício que nos permite não só ganhar a sobrevivência, mas colocar nossos dons a serviço do outro, a serviço do todo. Mas o trabalho, quando não tem esse sentido do sacrifício, ou ofício tornado sagrado, pode se tornar escravidão ou sacrifício involuntário e doloroso. Virgem sabe bem o que é usar o trabalho para fugir de questões cruciais, para fugir de si mesmo e dos próprios dilemas. Parece que Nietzche falava diretamente a essa Virgem negativa quando disse “todos vós, que amais o trabalho desenfreado, o vosso labor é maldição e desejo de esquecerdes quem sois” – Nietzche, em Assim falou Zaratustra.

Jules Breton - Reprodução
Jules Breton – Reprodução

O trabalho enobrece o homem, diz aquele antigo provérbio, mas nobre também é a desculpa do trabalho, quando o usamos para mascarar nossos problemas familiares, emocionais, quando o usamos para nos defender do mundo. E numa semana em que temos toda essa energia Virginiana ativada (Sol, Vênus, Mercúrio, Júpiter), somada à conjunção Marte-Saturno em Sagitário, vale também lembrar Fernando Pessoa: “não é o trabalho, mas o saber trabalhar, que é o segredo do êxito no trabalho. Saber trabalhar quer dizer: não fazer um esforço inútil, persistir no esforço até ao fim e saber reconstruir uma orientação quando se verificou que ela era, ou se tornou, errada”. É isso ou podemos nos encontrar frustrados e doentes em algum momento, por não saber discernir entre o trabalho que liberta e aquele que escraviza, entre a hora de esperar, a hora de desistir e a hora de continuar.

Jules Breton - Reprodução
Jules Breton – Reprodução

Temos atualmente Sol, Vênus, Mercúrio, Júpiter em Virgem; Plutão em Capricórnio; e ainda a Lua trafegando Touro por cerca de três dias – ou seja, uma quantidade massiva de Terra ativada nos céus, incitando-nos a sermos práticos, a buscar e focar na segurança, nas coisas palpáveis, no que podemos ver e tocar. Estabilidade e previsibilidade tornam-se coisas de suma importância e isso pode nos levar ao comportamento de retranca, em que evitamos a mudança por medo de comprometer a estabilidade, pelo mero medo de mudar. Também há pouca energia cardinal e fixa, sendo preponderante a energia mutável, o que pode nos deixar dispersos, ocupados com coisas menores, com detalhes, perdendo a perspectiva maior das coisas. Ou, podemos simplesmente procrastinar e enrolar e nisso perdemos um tempo precioso. Portanto, precisamos ficar vigilantes quanto às nossas justificativas para fazer – ou não fazer – o que fazemos. O tempo é precioso e o elemento Terra sabe disso, mas nesta semana pode se perder nos detalhes – não podemos nos dar a esse luxo, porque a determinação a que podemos recorrer precisa e deve ser usada para coisas maiores, sob pena de nos desgastarmos e perdermos o fio da nossa meada.  Além da forte energia de Terra ativada nos céus, não há nada nos signos de Ar, a não ser quando a Lua trafegar o signo de Gêmeos (quarta a sexta). Se, por um lado isso traz pragmatismo, senso acurado de realismo, pé no chão como já enfatizamos acima, por outro, adiciona peso e talvez pessimismo, principalmente por causa dos aspectos que os planetas Virginianos fazem a Saturno e a Netuno. Portanto, precisamos vigiar as lentes através das quais olhamos para a vida, para que não sejam sombrias demais e nem sejam um caleidoscópio desvairado que perturba o julgamento apropriado das coisas.

conflito internoMarte faz conjunção a Saturno em Sagitário (aspecto partil na quarta-feira) e quadratura a Netuno em Peixes (aspecto exato na sexta), enfatizando o fechamento dessa configuração, que se dará daqui a algumas semanas e precedendo a segunda temporada de eclipses do ano. Marte simboliza nossa vontade, a força realizadora individual, nossas ambições pessoais e o princípio de auto-afirmação, da agressividade no seu sentido mais neutro, da agressividade necessária à sobrevivência. Quando em contato com dois planetas tão contraditórios entre si, representa um tempo em que nós nos percebemos muito contraditórios em nossos desejos, vontade e no nosso modus operandi: “Quero, mas não quero… Será que quero? Talvez não queira… Quero, com toda a força de cada gota do sangue que circula em minhas veias… ah! Mas será que vale a pena, será que consigo?” Esse diálogo interno segue, ora nos enchendo de resiliência, ora minando a autoconfiança e se não estamos perfeitamente cientes dos nossos processos internos, de toda essa oscilação, temos a sensação de que é o mundo que nos bloqueia e obstrui. No meio disso tudo, a consciência precisa discernir e identificar o essencial: há um tempo para tudo. Qual é o meu tempo? Será que ele está alinhado com o tempo da vida e do universo? Como transferir um ideal etéreo, excelso e intangível para o plano do tangível-temporal? Pode ser muito frustrante lidar com as limitações que o real impõe aos nossos anseios pelo sublime… Mas a nossa tarefa é achar meios de conciliá-los.

Reprodução
Reprodução

Marte, ao fazer contato com essa quadratura Saturno-Netuno, e que estão num embate colossal atualmente, representado pela quadratura cíclica minguante Saturno-Netuno, traz para o plano pessoal e individual os efeitos dessa configuração, tornando a sensação de desamparo e desilusão lancinantes em alguns momentos; a sensação do peso do mundo a nos alquebrar e esmagar. Mas também significa que temos o compromisso pessoal e intransferível de tentar mudar aquilo que nos desilude e abate tanto, seja em nós mesmos e no mundo ao nosso redor. Se identificamos que estamos muito infelizes na situação em que nos encontramos, temos que fazer algo para mudar, ao invés de reclamar. Se nos vemos impossibilitados de mudar a situação, mudamos a nós mesmos, à nossa postura e atitude, ou a forma como enxergamos a situação toda. É isso que Urano nos responde ao ser cutucado por Marte através dessa sesqui-quadratura: a verdadeira reforma acontece de dentro para fora e é centrada no indivíduo! Claro, podemos nos fazer de sonsos e simplesmente continuar a reclamar, até que a bomba caia na nossa cabeça – quem sabe assim a gente acorda!

Reprodução
Reprodução

Com essa configuração Marte-Saturno-Netuno ficando exata por toda a semana, sentimos dificuldade de expressar nossa energia e vontade de forma satisfatória, porque parece que sempre há algo a nos bloquear e impedir. Queremos avançar e realizar, mas lidamos com toda a sorte de coisas nos segurando e atrasando. Obviamente isso dá nos nervos e gera muita irritação, intolerância, frustração, impaciência azedando o humor e deixando-nos predispostos a embates e a rebater as menores bobagens com grande agressividade, especialmente porque Marte está, atualmente, Fora de Limites por declinação, ou seja, está mais selvagem e descontrolado do que nunca, demandando ainda mais cabeça fria da nossa parte. Só que essa besta selvagem, ao pular os muros da prisão que o cerceava, descobre lá fora um domador intransigente – o que é mais forte, a besta selvagem ou o domador? Nessa briga, Saturno sempre leva a melhor, é questão de hierarquia e o fato de Marte estar Fora de Limites apenas adiciona mais tensão, portanto, cautela para não sair batendo a cabeça nas paredes por aí! Marte-Saturno é um contato que sugere tamanha frustração, que sentimos o impulso de bater a cabeça na parede. Outra analogia geralmente utilizada para este contato é a sensação de se dirigir com o freio de mão puxado. Marte em contato tenso com Saturno também aponta para o perigo de acidentes, especialmente aqueles causados por falta de atenção e de irritação e frustração. A propensão a discussões e agressividade também fica bastante acentuada, portanto, é preciso cautela em tudo o que fazemos, principalmente no trânsito. Atividades físicas que não envolvam grandes riscos podem funcionar como escape para toda essa energia represada. Pessoas hipertensas ou que têm problemas cardíacos também precisam ficar atentas à sua medicação, porque Marte rege o sangue e Saturno tende a enrijecer e comprimir as artérias.

Lissy Elle Larichia - Reprodução
Lissy Elle Larichia – Reprodução

A adição de Netuno piora um pouco o quadro. Mas Marte-Saturno também traz as qualidades da determinação, da persistência e da resiliência, somadas à disciplina e ao esforço concentrado e estratégico e o que nós precisamos fazer é ficar atentos a nós mesmos para nos afinarmos com a expressão mais elevada dessas influências. Para isso, precisamos olhar para dentro e ver qual é a ferida aberta da vez e, se estivermos afinados, perceberemos que não é o mundo que nos bloqueia, mas a nossa própria insegurança e ambivalência que invoca as obstruções externas; visto de outra forma, talvez estejamos fora de sincronia com o tempo certo das coisas e a vida vem e nos diz: “Calma! É devagar que as coisas vão dando certo. Confie em mim, no meu tempo e jeito é melhor!” Assim, precisamos lidar e sanar essas frustrações, ao invés de culpar os outros por nossos próprios dissabores; sintonizar com nossas maiores ambições e insistir nelas, aguardando o tempo certo de agir; todas as travas e obstáculos servirão para forjar nossa vontade. Os atrasos e barreiras aparentes oferecem oportunidade de nos organizarmos melhor, de trabalharmos com mais disciplina, sem deixar espaço para equívocos – dessa forma, o sucesso será garantido, a despeito dos embaraços e obstruções.

Reprodução
Reprodução

Como que para equilibrar toda essa frustração, temos Júpiter também super ativado nos céus da semana. Prestes a deixar o signo de Virgem (ingressa em Libra no dia nove de setembro), Júpiter recebe as conjunções de Vênus e Mercúrio – três vezes, no caso de Mercúrio, devido à retrogradação. Esses movimentos vêm nos estimular e animar a seguir em frente, a despeito de todas as dificuldades, obstáculos e frustrações e da aridez do ambiente em que nos encontramos. É como o papai acenando de braços abertos lá na frente para a criancinha que está aprendendo a andar e sai trôpega, cai aqui, cai acolá, feliz, ansiosa, amedrontada, mas insistindo, porque afinal, tem um prêmio ali na frente: o papai a me aplaudir e a euforia gerada pelo próprio senso de realização e conquista que esses pequenos passos significam. Então, Júpiter vem equilibrar o pessimismo e a descrença. A oposição a Quíron sugere que temos que lidar com limitações incontornáveis, que desafiam essa fé, mas ainda assim, não precisamos ficar amargos e azedos; antes, nos humanizamos e atribuímos significado a essas limitações, que no fundo, também são parte daquilo que somos, são parte dos aprendizados que viemos vivenciar nesta dimensão e nesta vida que nos foi dada.

Jason Levesque - Reprodução
Jason Levesque – Reprodução

Vênus, que é extremamente reservada e seletiva em Virgem, torna-se mais leve e espontânea nesse contato com Júpiter. Contudo, Vênus também faz quincunce a Urano em Áries e oposição a Quíron em Peixes. Esses contatos sugerem um período em que nos percebemos mais generosos e magnânimos nas nossas relações, mas há um tom agridoce colorindo os afetos: apesar de toda a minha generosidade, eu ainda preciso lidar com as fragilidades e imperfeições do outro diante de mim e isso é doloroso duplamente, porque me lembra da minha limitação na ajuda que ofereço – eu não posso ajudar quem não quer ser ajudado – e me lembra também das minhas próprias limitações e fragilidades. A autoestima fica comprometida porque temos afloradas algumas inseguranças antigas e a dúvida primal que nos faz questionar se somos dignos de ser amados a despeito desse nosso lado torto e sem conserto. Se não conseguimos entrar em contato com nossa própria dor e inadequação, atraímos pessoas que parecem frágeis e quebradiças, que precisam ser resgatadas e nós imediatamente assumimos o encargo de resgatar e curar essa alma ferida, às vezes sem perguntar se ela quer ser resgatada. Já sabemos o desfecho possível desse enredo: tentamos impor ao outro nossos métodos de salvação, com a melhor das intenções; apaixonamo-nos pela possibilidade do resgate e do que isso fará por nós e talvez nos desapontemos quando o outro se recusar a ser resgatado, ou até mesmo, quando o outro se negar a admitir que tem um problema e precisa de ajuda. Podemos magoar e ser magoados dolorosamente, quando só queríamos cuidar. A regra de ouro da ajuda é respeitar a vontade e o limite do outro, confirmar se ele quer nossa atenção e amparo – só assim nossos préstimos poderão ser salutares e curadores, do contrário, só criaremos mágoas, para nós e para os outros. Aceitar nossos limites se faz mais que necessário nesta semana. Muitas vezes, achar alguém que parece mais frágil do que nós nos faz sentir fortes e, se de fato precisamos ser gratos pelos privilégios que temos, há que se vigiar o investimento que se faz na relação de poder que se estabelece entre o aparentemente fraco e o pretensamente forte. Quem ajuda quem? Quem precisa ser resgatado, realmente?

LifeIsTooShort - Reprodução
LifeIsTooShort – Reprodução

A semana começa com a Lua ainda na fase Cheia/Disseminadora em Áries, mas ficando Minguante na quinta-feira em Gêmeos, o que sinaliza um  período de finalizações e revisões do que foi realizado no período e também do quanto nos perdemos nos meandros das muitas ideias e detalhes que povoam nossa mente. A Lua encerra o período ficando Balsâmica em Câncer, no domingo. Na sua jornada cíclica, ela se relaciona com todos os demais corpos celestes, seja de forma sensível, harmoniosa, conciliadora, cooperativa ou de maneira desastrada, zangada, manipuladora, beligerante, incoerente, frustrada… Refletindo a gangorra dos nossos sentimentos e emoções. Nota: Ainda é possível ver o alinhamento planetário após o por do Sol: Vênus, Júpiter, Mercúrio bem próximos e logo acima, mais no alto do céu, Marte e Saturno. Vale a pena olhar o céu da boca da noite por estes dias!

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 22 de agosto – O Sol ingressa em Virgem hoje, às 13h31min. A Lua Ariana fez conjunção a Urano, quincunces a Vênus, Júpiter e Mercúrio em Virgem. Ficou vazia às 8h50min e ingressa em Touro somente às 18h20min, de onde fará trígono ao Sol já em Virgem. Mercúrio está em conjunção plena a Júpiter hoje. Embora haja grande impulso para a ação e a iniciativa, o dia está mais propício a dar cabo às coisas inacabadas que a energia Ariana deixou por finalizar na sua pressa e impaciência. A Lua fica vazia por todo o dia, sugerindo que peguemos leve com os “que fazer”, porque não há objetividade suficiente para começarmos coisas ou irmos atrás de resoluções e definições, principalmente porque não há nenhum planeta em Ar no dia de hoje. Se insistimos, podemos apenas nos irritar e nos deparar com situações inesperadas que talvez nos façam perder tempo e recursos e percebemos que erramos na decisão e na medida das coisas, de modo que somos obrigados a prender do jeito mais difícil. Com essa tripla conjunção Vênus-Mercúrio-Júpiter em Virgem, fazemos melhor se tiramos o dia para vivenciar o amor pelo conhecimento de alguma forma, que pode expandir as fronteiras da nossa mente e também nossas perspectivas. Podemos também colocar algumas ideias e planos no papel para que possamos elaborá-las melhor, analisando seus aspectos mais positivos e luminosos e também suas inadequações, percebendo que as inadequações das ideias não são necessariamente inadequações nossas, portanto, não precisamos ficar inseguros e defensivos.

Photobox - Reprodução
Photobox – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 23 de setembro – A Lua está em Touro e faz sesqui-quadratura a Vênus, sextil a Netuno e quincunces a Marte e Saturno, que estão em conjunção quase exata, em Sagitário. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a Mercúrio e Júpiter e depois forma um Grande Trígono de Terra com Vênus e Plutão. Mercúrio já está bem desacelerado e prepara-se para sua retrogradação, que começa na semana que vem. Vênus está próxima da oposição exata a Quíron. O dia se desenrola então, com um vagar e uma preguiça paralisantes, e que, se não percebermos a tempo, podem nos cobrar um preço alto depois. Ao mesmo tempo que temos um grande impulso de realização, o impulso igualmente forte pela inercia de faz presente, de modo que é necessário muito força de vontade para irmos a campo, para entrar em ação. Somado ao excesso de cautela e à hesitação, podemos perder oportunidades, porque não levantamos a tempo ou porque não nos esforçamos o suficiente… E o pior: nosso lapso gera uma grande irritação, culpa e auto-rejeição, de modo que podemos ficar de maus bofes pela falta de gerenciamento do tempo e dos recursos. O fim do dia traz maior possibilidade de mudarmos a vibração e nos afinarmos com o que precisa ser modificado, de modo que nos engajamos com as atividades com maior disposição e determinação. É preciso vigilância, ou viramos pedra de sal!

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 24 de agosto – Marte faz a conjunção partil a Saturno, culminado uma tensão que vem se acumulando há várias semanas. Vênus está em oposição, também partil, a Quíron em Peixes. A Lua Taurina faz sextil a Quíron e trígono a Vênus, Júpiter e Mercúrio em Virgem, ficando vazia às 16h38min, depois do contato a Mercúrio. Ingressa em Gêmeos às 20h40min. Toda a Terra ativada vem nos dar suporte e ancoragem no dia de hoje, de modo que conseguimos contenção e firmeza para lidar com os desafios vários que o dia e o período nos trazem: insegurança, medo, fragilidade, somados a grande tensão, pressão elevadíssima e muita frustração – até em termos literais a Terra pode nos ajudar: se sentirmos que estamos prestes a explodir ou implodir sob toda a pressão, uma caminhada de pés descalços pela terra pode deveras nos ajudar! O dia traz a chance de observarmos nossas frustrações bem de perto e de percebermos quais são os gatilhos que acionam nossa ira e cólera. A forte energia corre por nossas veias feito lava incandescente de vulcão, mas tanta cólera pode ser usada e canalizada para fins benéficos, se conseguirmos parar na fração de segundos que precede a grande explosão, mobilizando a mesma energia de forma estratégica e astuta, ao invés de ficar à mercê dela e da nossa raiva infantil e destrutiva.

Almagnus - Reprodução
Almagnus – Reprodução

Como não há nenhuma Ar ativado, não há objetividade, clareza ou distanciamento e levamos tudo para o pessoal, enfurecendo-nos mais facilmente, assim, é essencial respirar, e respirar, e respirar de novo, profunda e pausadamente. A respiração oxigena o sangue e os glóbulos vermelhos e, consequentemente, todo o organismo, procedendo com a limpeza do gás carbônico que envenena o corpo e a mente, além de propiciar esse distanciamento e reflexão mínimos antes da ação. Por falar em carbono, este elemento origina dois minerais muito diferentes, tanto em uso quanto em valor: o grafite e o diamante. A diferença fundamental entre o grafite e o diamante está diretamente ligada à pressão e ao calor a que os minerais foram expostos. O diamante se forma em condições de de altíssima pressão e calor, a partir do magma no interior da Terra: camadas e camadas de magma depositadas umas sobre as outras ao longo de séculos e milênios, que resultam nessa pedra preciosíssima, símbolo de resistência, beleza e luxo. No diamante, os átomos são extremamente condensados, no grafite eles são frouxos, já que foram expostos a muito menos pressão e calor. Assim é Marte quando misturado a Saturno e a Netuno: podemos virar grafite, que tem suas qualidades e usos ou podemos virar diamante, que tem outras qualidades, além de valor mais elevado – tudo depende de quanta pressão nós aguentamos. Então, quando pensarmos em toda a pressão e tensão que estamos experienciando e aguentando, em lugar de reclamar, lembremos que estamos expostos a uma pressão que pode nos tornar diamantes: pedras preciosas, resistentes, de valor inestimável. Tornar a dificuldade em aprendizado, tornar a fragilidade em fortaleza: burilemos o diamante que somos nós! Conseguimos aguentar a pressão sem sucumbir a ela?

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 25 de agosto – A Lua Geminiana fica minguante ao fazer quadratura ao Sol Virginiano. Mas, uma vez que o Sol já está em orbe de oposição a Netuno e de quadratura a Marte-Saturno, temos formada uma ampla Grande Cruz Mutável, pois Dona Lua se opõe quadra Netuno e se opõe a Marte-Saturno. A Lua ainda faz quincunce a Plutão e Vênus faz outro quincunce a Urano, enquanto ainda se afasta da oposição a Quíron. Marte está a menos de um grau da quadratura a Netuno. A Lua vem adicionar mais turbulência à tempestade Marte-Saturno, criando um circuito fechado, sem saída, em que ou lidamos ou lidamos com qualquer que seja a crise em que nos percebemos. É um beco sem saída e só nos resta enfrentar aquilo que nos amedronta – a parte boa é que podemos descobrir que nossos medos faziam o bicho parecer maior e mais feio do que de fato é! O dia traz, pois, grande conflito entre nossa natureza interna e as necessidades emocionais, de modo que temos dificuldade em expressar o que realmente queremos, porque nem nós temos clareza disso. Como se não bastasse, sentimo-nos abandonados, negligenciados e isolados, o que resulta num humor depressivo, que oscila vertiginosamente na tentativa de provar a nós mesmos que estamos bem – montanha russa é pouco para descrever tantos altos e baixos.

Reprodução
Reprodução

As interações estão contaminadas de insegurança, equívocos, confusões, irritação, defensividade, senso de menos-valia, verborragias e ansiedade – receita de desastre! Assim, antes de sairmos para o mundo, hoje faz-se mais que essencial termos clareza de quem somos e do queremos, além das possíveis ambiguidades inerentes a isso; termos ciência de nossas dificuldades e inseguranças, para não imputá-las aos outros; acharmos nosso centro; para não ficarmos paralisados nas encruzilhadas e armadilhas mentais que dispersam energia e tempo. Também precisamos checar nossas sensibilidades, para que elas estejam a nosso favor, e não contra nós. É difícil, mas é possível e a respiração adequada ajuda a manter um mínimo de salubridade mental e emocional e nos auxilia, de modo que não espiralamos no caos, especialmente quando nos deparamos com toda a sorte de imprevistos que nos tiram do eixo ainda mais. Manter as coisas em perspectivas também é fundamental: perceber a transitoriedade da vida e das coisas faz com que percebamos o que é essencial e o que é supérfluo. A Lua ficando minguante na quadratura Gêmeos-Virgem oferece a chance de nos livrarmos do excesso de pensamentos, opiniões e conceitos que assoberbam e atrapalham nossa realização; como anda nossa comunicação, nossos estudos e a forma como mudamos nossos conceitos; ajuda na filtragem que separa a borra do líquido precioso; o detrito inútil, da quintessência primordial. Livremo-nos dos excessos mentais, dos detalhes insignificantes e fiquemos com a substância nuclear – o que é isso? Só você pode saber!

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 26 de agosto – Marte finaliza sua Via Sacra hoje ao fazer a famigerada quadratura a Netuno, exata hoje, que tanto tem doído e frustrado nossos desejos. A Lua está minguante em Gêmeos e faz quadratura a Vênus, Júpiter e Mercúrio em Virgem e a Quíron em Peixes, formando uma Cruz T bem chatinha e difícil de lidar. A única ajuda vem um tímido sextil a Urano, que realmente não é páreo para tanto caos. A Lua fica vazia às 21h32min, depois da quadratura a Mercúrio. Excessos mentais, verbais e emocionais tornam o dia um turbilhão, um furacão. Temos pouca qualidade cardinal e nada em signos fixos, quase tudo é mutável, então, estamos soltos, largados, sem nada onde nos agarrar, a não ser nossa própria substância e sanidade, que é posta à prova repetidamente. Cabeça, corpo e coração estão em descompasso e isso nos torna super indecisos sobre os rumos a tomar; os afetos também oscilam, trazendo mais discrepâncias; estamos mais que suscetíveis emocionalmente, reagindo desmesuradamente à menor brincadeira, porque nos sentimos incompreendidos e rechaçados. Nesse cenário, o caminho de menor resistência, o mais tentador, é simplesmente não fazer nada e tentar enfiar a cabeça na areia para fugir do mundo, tal é o desânimo e a confusão. Contudo, se por um lado poderia ser aconselhável esperar o turbilhão passar, por outro, nem sempre podemos nos dar a tal luxo e temos que resolver as coisas na hora.

Mihai Christe - reprodução
Mihai Christe – reprodução

Antes de tudo, uma dose enorme de humildade para percebermos que não damos conta de tudo e que nosso desejo de onipotência é apenas fuga da insegurança colossal que nos acomete. Segundo, eleger nossas prioridades, buscar a conciliação nos conflitos internos e externos, até que possamos nos elevar acima do caos aparente e da dor aguda emocional. O tempo todo respirando de forma consciente, contendo a defensividade, mantendo em cheque a reatividade e buscando nos afinar com a sensibilidade que aproxima ao invés de afastar; com a compaixão e solidariedade que nos fazem ver que estamos todos no mesmo barco, então, o outro já não é um inimigo, mas um parceiro; e ainda, com a grande imaginação que, em lugar de devaneios irrealizáveis, pode fornecer as chaves não óbvias que finalmente abrem a porta que esteve o tempo todo ali, mas que não víamos, porque estávamos perdidos demais olhando para nosso próprio umbigo e pequenos problemas. Se nada disso funcionar, ainda vale lembrar: isso também vai passar!

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

SÁBADO, 27 de agosto – A Lua ingressa em Câncer, seu domicílio, à 00h07min, de onde se afina com o Sol em Virgem. Depois disso a Lua entra numa sensível e amorosa sincronia com Netuno em Peixes, mas cutuca, irritantemente, a Marte e a Saturno em Sagitário. Fecha a noite em oposição não exata a Plutão em Capricórnio. Vênus faz conjunção plena a Júpiter. Aos poucos vamos conseguindo assimilar e processar as crises que experimentamos nos últimos dias, ganhando acesso a um maior entendimento de nós mesmos e de nossas emoções. Hoje elas parecem fazer mais sentido e talvez nos perguntemos porque agimos como agimos. Mas, como diz o ditado, não adianta chorar sobre o leite derramado! O que nos resta agora é limpar o fogão e procurar outro leite ou substituto que o valha! Assim, o dia traz uma vibração sensível e delicada, que expõe a vulnerabilidade emocional, ao mesmo tempo em que nos permite digerir o turbilhão da semana. Mesmo assim, ou, talvez exatamente por isso, há que se ter cautela porque ainda há muita tensão e irritabilidade que se prolonga na atmosfera, deixando-nos predispostos a alguns rompantes que ocorrem repentina e inesperadamente, deixando o clima carregado e turvo. É necessário nos acalmarmos e desacelerarmos a mente e o coração, para que possamos nos sintonizar com a intuição mais acurada, permitindo que a cura interna possa se dar. Resguardo e solitude podem ser profundamente curadores e regeneradores, assim como aquela comidinha que traz conforto e que aquece o coração. Fica a dica!

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 28 de agosto – A Lua Canceriana e Minguante faz oposição a Plutão em Capricórnio e semi-quadratura ao Sol em Virgem, entrando na fase Balsâmica. A Lua faz ainda sesqui-quadraturas a Marte e Saturno e também a Netuno, virando foco de um Martelo de Thor por várias horas. Faz trígono a Quíron e quadratura a Urano, fechando a noite em sextil a Júpiter, Vênus e Mercúrio em Virgem. O dia traz uma atmosfera tensa e dramática e, embora sejam de natureza diferente, traz também novas crises e conflitos, com os quais precisamos lidar. Sentimo-nos ameaçados por nossas próprias emoções contraditórias e, se inconscientes por demais, podemos projetá-las sobre os outros das nossas relações, antecipando abandono, rejeição e ódio, que nada mais são do que reflexo do que sentimos em relação a nós mesmos. Isso nos faz agir de maneira errática, extremista, manipuladora e infantil, de modo que podemos criar exatamente as situações que tentamos evitar. Entretanto, também podemos nos afinar com o espectro mais positivo e criativo de todas essas influências, permitindo que o lado maternal e cuidador, saudável e maduro venha à tona, curando e aliviando dores e sofrimentos, não só os nossos, mas dos outros também. Podemos, ao invés de manipular, usar de honestidade emocional para falar abertamente sobre como nos sentimos, aprofundando vínculos e laços, em lugar de afastar as pessoas. Usar nossa amorosidade e generosidade para construir relações mais transparentes e genuínas, que sejam, de fato nutritivas e viçosas, maduras e sãs e não artificiais ou baseadas em dependências opressoras.

Reprodução
Reprodução

E, ao chegarmos ao final desta semana extraordinariamente desafiadora, perceberemos algo ainda mais extraordinário: sobrevivemos! E nos damos conta de que somos mais fortes e resilientes do que imaginávamos! Portanto, é com isso que precisamos nos sintonizar: com nossa fortaleza e capacidade de lidar com a vida do jeito que ela se apresenta, com seus altos e baixos, seus desafios e oportunidades, sem nos apegarmos excessivamente nem a um nem a outro. E talvez, o principal aprendizado de todos seja esse: TUDO PASSA! “E todos estes que aí estão, atravancando o meu caminho, eles passarão. eu passarinho!” (Mário Quintana)

Linda semana para você! Que seja serena e cheia de c-alma!

Reprodução

Reprodução
Reprodução

Lua Cheia em Aquário – Experimente!

 

Experimente algo novo! Reinvente a roda, a roda da sua vida!

Aquário é o signo das experimentações. Então, cá estou eu experimentando!

Hoje não tem texto, tem vídeo! Não ficou perfeito, afinal é o primeiro, mas eu queria fazer algo diferente.

Esse é o resultado! Espero que vocês gostem!

(Desculpem o atraso. É a primeira vez que faço um vídeo assim e estou envolvida com isso dede a terça-feira. Concluí a edição já hoje, mas demorou demais para fazer o upload, e quando terminou o upload eu estava em consulta… De modo que só agora consigo publicar! )

 

 

A Semana Astrológica – Defina as prioridades e mire no alvo!

Lua Corcunda - Creuza Medeiros, em Chapada dos Guimarães-MT
Lua Corcunda – Creuza Medeiros, em Chapada dos Guimarães-MT

Semana de 15 a 21 de agosto – é tempo de Lua Cheia, que simboliza a colheita, o pináculo do ciclo, portanto, é tempo de expansão e frutificação, que vêm nutridos de muita determinação e de objetivos mais definidos!

Queridos, consegui escrever sobre os principais movimentos da semana, aqueles que dão o tom geral do período. Só não consegui escrever o dia a dia e essa parte será escrita nos próximos dias, dia a dia mesmo, desculpem o trocadilho – então, quem tiver paciência, pode voltar aqui para ver todos os dias.

Reprodução
Reprodução

Saturno voltou ao movimento direto e agora arregaçamos as mangas e retomamos as tarefas sobre as quais refletimos tanto! Agora vamos para o último round do embate com a nossa desesperança, com a nossa desilusão, mas vamos preparados e munidos de muita resiliência. Principalmente, agora as coisas se tornam mais definidas e claras, tanto no campo dos nossos objetivos e ambições maiores, quanto no campo das relações – especialmente para quem tem Vênus ou os Ângulos em signos mutáveis. Depois de definirmos nossas prioridades, a partir dos muitos aprendizados, estamos dispostos a abrir mão e nos livrar de tudo o que não contribui e não nos acrescenta, de tudo o que nos puxa para trás e se isso incluir relacionamentos, que seja! Bye bye, so long, farewell! É tempo de ser pragmáticos,  de afinar e refinar nossa determinação, coragem e foco, representados pela conjunção de Marte a Saturno no grau 10 de Sagitário, exata na próxima semana – aliás, merece nota o fato de Marte estar atualmente Fora dos Limites do Sol e eu vou falar disso na semana que vem, quando falar da conjunção Marte-Saturno. Elejamos o foco da nossa determinação e da nossa paixão, miremos o target com concentração máxima e finalmente disparemos a flecha, certeira, matadora, vitoriosa! Tudo isso no ritmo da galopada vertiginosa, porque o mundo continua a girar! LEMBRETE: Marte em contato com Saturno também indica riscos de acidentes, principalmente quando ambos estão em aspecto também co Urano! CAUTELA!!!!

Doctor Ojiplatico - Reprodução
Doctor Ojiplatico – Reprodução

O Sol faz trígono a Urano em Áries nesta semana e também quincunce a Quíron, indicando um período de inovarmos, de progredirmos, de sairmos das caixinhas limitadoras em que nos colocamos, dando um basta nos rótulos, ao mesmo tempo em que lidamos com o desconforto daquilo que não pode ser mudado. Como é isso? É preciso sabedoria, autoconhecimento, olhar crítico, porém amoroso para si mesmo para identificar em qual categoria nossos problemas estão: daquilo que é não só passível de se mudar, mas que demanda mudança de postura, e daquelas coisas que demandam aceitação humilde da impossibilidade humana.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio faz oposição a Quíron e quincunce a Urano no mesmo dia ainda e conjunção a Júpiter no outro, quase a nos dizer que, depois de confrontarmos nossas mazelas, de cair a ficha que a mente não dá conta de tudo – pelo contrário, pode ser bastante traiçoeira – ainda podemos nos imbuir de novo ânimo e, mais sábios, projetar novo ciclo de expansão que inclua o reconhecimento de nossas fragilidades e também nosso grande potencial de cura e de ajuda aos outros, seja pela comunicação de nossas ideias, seja pela modificação de nossos conceitos, seja de forma mais direta, pela energia de cura que carregamos em nossas mãos e voz! Mercúrio em oposição a Quíron também nos lembra que a cura está na forma como encaramos nossos problemas, nos deixamos abater por eles e nos vitimizamos? Fugimos deles ao nos imolar no sacrifício da dedicação extremada ao outro? Encaramo-los como parte da trajetória, como parte do nosso aprendizado nessa vida? Permitimos que nos tornem mais humanos, compassivos e amorosos para conosco mesmos e com os outros, ou deixamos que nos tornem amargos, azedos, pessimistas e niilistas? Mercúrio fará todos esses contatos três vezes (Quíron, Urano, Júpiter e Plutão), devido ao ciclo de retrogradação, que se inicia no dia 30 de agosto – um tempo de rever os métodos pelos quais resolvemos nossos problemas e dificuldades.

Barbed Wire Art - Reprodução
Barbed Wire Art – Reprodução

Vênus, depois de embate doloroso com Saturno e Netuno, regenera-se na amizade com Plutão e enche-se de uma força renovada, renascendo das cinzas, simbolizando a percepção do sentido mais profundo de todas as feridas, dores, rompimentos e transformações pelas quais viemos passando nos últimos tempos. É, a vida não para e não dá tempo nem espaço de chorarmos por muito tempo, porque as demandas continuam – tem que trocar o pneu com o carro andando, por mais insano que possa parecer! Podemos tirar um tempo para nós, um retiro ou sabático afetivo, mas ainda precisamos continuar funcionando no mundo, ainda precisamos existir afetivamente, nem que seja para os amigos, a família, o bicho de estimação – que certamente contribuem com nossa cura e recuperação! Aliás, é providencial que Vênus faça esse contato com Plutão, para se fortalecer, antes de dar de cara também com Quíron, na semana que vem. A exemplo de Mercúrio, Vênus encontra com Júpiter depois do confronto com Quíron e isso também será um bálsamo curativo para as feridas e vulnerabilidades com que teremos que lidar.

Reprodução
Reprodução

Finalmente, a Lua abre a semana na fase Corcunda, plenamente grávida, em Capricórnio. Será Cheia a 25°51 de Aquário, na quinta-feira, dia 18, às 06h26min, em sextil a Urano e quincunce a Júpiter. Um momento de crise, de iluminação, de frutificarmos nossa singularidade em prol do coletivo, dos grupos, do mundo – a obra maior que somos nós mesmos não pode ser cultivada e burilada somente para enaltecer nosso próprio ego e vaidade, antes, deve iluminar nosso entorno, deve jogar luz sobre a vida e sobre o mundo, senão, nossa realização criativa ocorrerá pela metade, será vivida com o intuito único de atrair o olhar do outro, a mando de nossa grande insegurança. O tanto que somos especiais e únicos é o mesmo tanto que precisamos nos lembrar que ainda pertencemos a uma comunidade, que deve se beneficiar de todos esses talentos que carregamos e que julgamos tão extraordinários!

A Lua fecha a semana já em Áries!

keep-calm-and-sem-mimimi-4

SEGUNDA-FEIRA, 15 de agosto – O Sol em Leão está em trígono a Urano em Áries e em quincunce a Quíron em Peixes, aspectos exatos amanhã. A Lua está Corcunda em Capricórnio e hoje está corridíssima, ocupadíssima: faz sextil a Netuno, conjunção a Plutão, quincunce ao Sol, quadratura a Urano, sextil a Quíron e ainda trígono a Vênus, Mercúrio e Júpiter em Virgem, ficando vazia depois do aspecto a Júpiter, às 23h46min. Vênus segue se afastando da T-Square mutável que formou com Saturno e Netuno. Uau! Que tal isso para uma segunda-feira? Temos gás o bastante? Temos! Com certeza! O dia está colorido de muita determinação, disposição e capacidade realizadora. Conseguimos atacar problemas de frente e não temos o menor interesse em fugir de nada, pelo contrário, a política é: ou resolve ou me despacha porque não tenho tempo para ficar empacado aqui esperando por quem não tem comprometimento com nada! Sim, é curto e grosso, mas é também pragmático. Não é queiramos brigar ou conflituar com ninguém – é que nem mesmo temos tempo ou paciência para isso, então, vamos fazer a fila andar, seja a fila do banco, a da repartição, a da pilha de trabalho, a fila da vida! Com tal disposição de ânimo, podemos aproveitar para olhar nossa própria vida e tirar algumas lições e aprendizados. Podemos nos lembrar do que é que acende toda essa determinação dentro de nós e nos lembrar disso no futuro, em momentos em que talvez duvidemos dos nossos intentos. Podemos também abandonar o mimimi e as ladainhas reclamatórias que temos a respeito dos nossos próprios problemas e encará-los com sobriedade e resiliência: o que não me mata me fortalece, então, se não morri, se isso tudo que me acontece é duro, pesado e avassalador mas ainda estou vivo e atuante, então, eu dou conta, aos trancos e barrancos, eu dou conta! E vou vencer essa parada! Porque sobretudo, somos sobreviventes!

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 16 de agosto – Dona Lua abriu o dia vazia em Capricórnio, depois de ter feito trígono a Júpiter em Virgem, no fim da noite de ontem. Ingressou em Aquário, signo onde vai ser cheia, às 08h53min. Faz sextil a Marte, enquanto se indispõe de maneira bem inconsciente com Mercúrio e depois também com Júpiter. Fecha a noite em harmonia com Saturno, seu dispositor.

Depois de começarmos o dia ainda concluindo coisas de ontem que porventura tenham carecido de finalização, pelo meio da manhã a energia muda e sentimos vontade de sair da rotina. Pois sim, é dia de inventar, fazer algo diferente, experimentar, buscar olhar as mesmas coisas com olhar novo, ou simplesmente ir atrás de novos ares.

O dia traz uma energia sociável e muito mental, propiciando um bom distanciamento e objetividade. Ótimo para focar em atividades mais mentais que exijam raciocínio lógico, desprendimento e pouco envolvimento emocional – podemos, inclusive, olhar nossos próprios dilemas de maneira mais solta, como se assistíssemos a um filme porque isso pode ajudar a perceber outras possibilidades e perspectivas que antes não enxergávamos porque estávamos próximos e envolvidos demais.

Se insistimos em fazer tudo igual, tudo como sempre, mecanicamente, podemos ter imprevistos e surpresas, algumas delas irritantes, portanto, o ideal é buscarmos o novo e o diferente voluntariamente, com espírito de curiosidade

 

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

QUARTA-FEIRA, 17 de agosto – A Lua segue por Aquário, signo onde vai ser cheia, amanhã. Hoje ela faz sextil aSaturno, seu dispositor e sesqui-quadratura a Júpiter em Virgem. Faz quincunce a Vênus e fecha a noite já em orbe de sextil a Urano e oposição ao Sol. Vênus está em trígono pleno a Plutão. Mercúrio, que já está na zona de retrogradação, também já se opõe a Quíron, estando muito próximo da conjunção a Júpiter – uma manifestação disso são as notícias equivocadas que se alastram pelas redes, causando problemas reais ou, no mínimo, difamando pessoas, como foi o caso do técnico francês que NÃO disse que o atleta brasileiro ganhou graças ao Candomblé e o caso da mulher americana que foi fotografada olhando o celular enquanto seu bebê dormia no chão do aeroporto. Notícias não checadas, não averiguadas que se alastram feito pólvora causando estragos nas vidas das pessoas.

A princípio, as energias continuam favoráveis à abordagem desapegada da vida e das emoções. Estamos leves e sentimo-nos independentes. Entretanto, lá no fundo da alma já sentimos uma trepidação, uma espécie de antecipação de algo prestes a acontecer… E um outro lado de nós, contraditoriamente, gostaria de mergulhar mais profundamente nessas situações e elucidá-las apaixonadamente, porque sabemos que logo precisaremos nos posicionar a respeito de todas estas questões. Logo chegaremos à confrontação das situações que vieram se prolongando nas duas últimas semanas. Mas, se por um lado estamos distanciados, por outro, temos exatamente a disposição necessária para todos os confrontos e nos sentimos capazes e fortes o bastante para lidar com estes dilemas, de forma madura.

A alma feminina, particularmente, pode se ver dividida entre a entrega apaixonada versus a independência e a autonomia; dito de outro modo, o que é mais importante, a afinidade intelectual e de ideais ou a paixão intensa, pura e ardente? Podemos estreitar nossas relações de forma intensa e verdadeira, aprofundando a intimidade, conhecendo e dando-nos a conhecer… Mas vem a dúvida: será que realmente queremos isso? Será que podemos confiar nesse outro? Será que não é melhor nos mantermos livres e soltos ao invés de apaixonados e entregues? O que queremos realmente?

A alma masculina, por outro lado, pode experimentar essas influências na relação com as mulheres, que poderão parecer particularmente contraditórias hoje.

Em termos mais gerais o dia favorece o contato com amigos e com pessoas com quem temos afinidades intelectuais; para tomar decisões motivadas pela razão e não pela emoção; e, se der tempo, para ir ao parque ou outras áreas naturais onde possamos relaxar, nos refazer e regenerar.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 19 de agosto – A Lua Cheia trafega hoje por Peixes. Fez quadratura a Marte nas primeiras horas do dia e depois também a Saturno. Durante o dia faz conjunção a Netuno e oposição a Vênus em Virgem, enquanto se harmoniza com Plutão em Capricórnio. Mercúrio está hoje em quincunce exato a Urano, enquanto Marte segue decidido em direção a Saturno.

O dia traz conflitos delicados, especialmente para o feminino, mas não somente. Sentimo-nos divididos entre as atribuições e obrigações mundanas, laborais, cotidianas e práticas e as necessidades mais sutis por um descanso, um retiro, uma introspecção. A exposição ao mundo é massacrante, porque estamos muito sensíveis, sensitivos até, de modo que sentimos na pele dores que nem são nossas e isso nos faz impotentes, porque, ao mesmo tempo em que isso aciona nossa compaixão, percebemos imediatamente que a tarefa está além do nosso alcance e da nossa capacidade. Assim, há uma sensação de vulnerabilidade e impotência permeando tudo.

Para fugir dessa sensação tão desconfortável, talvez nos enchamos de tarefas que visam “salvar” esse outro, que decidimos prontamente que precisa muito de nós. Entretanto, podemos nos deparar com o que chamamos de “ingratidão” e falta de reconhecimento aos nossos esforços. Ao invés de dar boas vindas à nossa “ajuda”, o “ajudado” pode se indispor e se sentir invadido, enfraquecido, desrespeitado e não recebe de bom grado os nossos préstimos. Antes de ficarmos ressentidos e vociferar contra a ingratidão alheia, vale olhar para si mesmo e averiguar se realmente não fomos desrespeitosos, invasivos, pressupondo que o outro quer nossa ajuda sem pergunta se isso é verdadeiro.

No fundo, é mais fácil lidar com os problemas alheios do que com os nossos próprios e nisso que investimos, algumas vezes, quando ajudamos tanto. Então, vale nos questionarmos hoje – e sempre – por que nos ocupamos tanto, por “ajudamos” tanto, por que tanto empenho em salvar este outro, quem quer que seja ele. Claro que todas essas ações são louváveis e de fato podem fazer a diferença. Mas não podemos nos enganar e ignorar nossas motivações mais íntimas e profundas para fazer o que fazemos, que muitas vezes, é ganhar o senso de validação que vem da necessidade que o outro tem de mim; às vezes também tem a ver com relações de poder, em que eu me sinto mais forte e ao outro resta ser o fragilizado, quando na verdade, talvez ele não seja nada disso.

Assim, vale a pena mantermos nossos julgamentos das situações em cheque, porque nem tudo é o que parece e, em lugar de ajudar, podemos na verdade arrumar problemas com quem não pediu e não quer a nossa ajuda, porque é perfeitamente capaz de cuidar de si mesmo. E pior: os esforço que colocamos em ajudar o outro, poderiam muito ser aplicados em lidar com nossas próprias questões.

Uma linda, produtiva e super determinada semana para você!

Reprodução a partir de Daily Mail - Guerreiros da etnia Awá, na Amazônia, demonstram suas habilidades com o arco e flecha
Reprodução a partir de Daily Mail – Guerreiros da etnia Awá, na Amazônia, demonstram suas habilidades com o arco e flecha

A Semana Astrológica – E por falar em ciclos…

Reprodução
Reprodução

Semana de 8 a 14 de agosto – semana de Quarto Crescente, que sugere desafios, pedindo bastante cautela e ponderação, porque há influências tensas, mas também abertura e ímpeto de crescer e realizar.

Os corpos celestes vão seguindo seu curso e ciclos, em espiral, simbolizando as oportunidades, desafios, mudanças e transformações aqui no velho e alquebrado planeta Terra. Os ciclos maiores, executados pelos planetas lentos, Júpiter, Saturno, urano, Netuno, Plutão e ainda o asteroide Quíron, simbolizam essas mudanças maiores, que vão além do indivíduo e que, muitas vezes, parecem se dar fora dele, mas na verdade, começa nele e ele, somado a todos os outros indivíduos, gera massa crítica que torna os movimentos sociais e coletivos inexoráveis.

Reprodução
Reprodução

Atualmente temos vários ciclos maiores em desdobramento, o mais intenso deles, o de Saturno-Netuno, que tem sua quadratura minguante ocorrendo entre 2014 e 2016 e que teve a adição de Júpiter em Virgem fazendo quadratura (Saturno) e oposição (Netuno) a eles nos últimos meses. A última quadratura exata entre Saturno e Netuno se dará no dia 10 de setembro, bem no meio da segunda temporada de eclipses do ano, com o eclipse do dia 1° de setembro caindo em oposição e quadratura de menos de um grau a estes dois planetas, como se fechassem, com chave de ouro, essa última quadratura – As dissoluções e desconstruções prometidas por Saturno-Netuno podem ser catalisadas e manifestadas soberbamente por esse eclipse, sugerindo um setembro bastante tenso nos meios políticos, econômicos e religiosos. Contudo, depois de finalizada a temporada de eclipses, é provável que tenhamos um ar mais limpo, um céu mais claro e maior nitidez e lucidez para olhar à frente. Talvez nos sintamos também mais confiantes para olhar para o futuro. E, talvez, nos sintamos capazes de finalmente começar este ano, na hora em que ele se encaminha para seu ocaso.

Reprodução
Reprodução

Outro ciclo atualmente ativado é o de Urano-Plutão que começou em 2010 e que já está sendo finalizado, embora até 2018 ainda fiquem em quadratura de orbe de 5 graus em alguns períodos. A partir de 2019 teremos o início de um novo ciclo Saturno-Plutão (e o fim do ciclo velho), com a conjunção de Saturno e Plutão no grau 22 de Capricórnio, seguida, algumas semanas depois, por uma conjunção não exata de Júpiter, Plutão e Saturno, no mesmo signo. Atualmente, Júpiter, depois de se afastar de Saturno-Netuno, faz uma sesqui-quadratura a Urano, a terceira, devido à retrogradação. Os ciclos menores dos planetas mais rápidos e dos luminares vão sendo os gatilhos que manifestam os “eventos” que catalisam essas mudanças. Teremos um eclipse Anular do Sol no dia 1° de setembro, às 06h03min no grau 9 de Virgem (não visível no Brasil, porque o sol não terá nascido ainda, exceto por João Pessoa) e no dia 16 de setembro teremos um Eclipse Penumbral da Lua, às 16h04min, a 24°19 de Peixes (também não visível no Brasil, pois aqui ainda será dia).

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

E falando em ciclos menores olhamos para os próximos dias. Mercúrio se afasta de Netuno, mas esta semana faz trígono a Plutão, indicando um momento propício para olharmos além da superfície das coisas, para cavarmos fundo as questões e descobrirmos o que jaz sob suas raízes, o que está por trás de todos os dilemas e segredos, de forma a podermos dar um passo à frente e modificarmos a maneira como lidamos com nossa mente racional, que pode então, assimilar as influências inconscientes, integrando-as ao consciente. É uma boa semana para lidarmos com quaisquer assuntos que requeiram estamina mental, arguteza de espírito e sagacidade. Em termos mundanos, as comunicações em geral tendem a ser mais sérias e tratar de assuntos mais profundos do que normalmente vemos na mídia.

Reprodução
Reprodução

Vênus, depois da contenda com Marte em Sagitário, depara-se com outros contendores ainda mais pesados: Saturno, a quem faz quadratura e Netuno, a quem faz oposição. Estes movimentos sugerem dias em que a autoestima fica meio capenga. De modo geral, as pessoas estão mais ressabiadas, defensivas, tímidas e reservadas, especialmente porque Vênus está em Virgem. Temos dificuldade em julgar e ter clareza sobre nossos próprios desejos e afetos e, da mesma maneira, também não temos certeza de como lidar com o outro, de modo que é difícil nos abrir e demonstrar nosso desejo, nosso afeto, porque tememos rejeição, então colocamos uma máscara de frieza que pode atrapalhar a saúde das relações e nos fazer sentir meio desenxabidos e estéreis, talvez até um pouco deprimidos, porque tendemos a ver as coisas piores do que realmente são, e assim, nos colocamos para baixo, achando que nada vai melhorar – não é assim! Periodicamente Vênus se depara com Saturno e com os outros planetas pesados. Estes contatos sinalizam um período em que precisamos fazer um novo check-up da nossa autoestima, senso de valor e de como isso impacta nas nossas relações, para o melhor ou para o pior. São ótimas oportunidades de perceber nossas fragilidades e lidar com elas, novamente – porque as coisas nunca se resolvem de forma definitiva, antes, nós vamos nos trabalhando em níveis, em camadas, como a metáfora da cebola, ou, em espiral, na melhor das hipóteses, uma espiral ascendente. Assim, nesta semana temos chances, de novo, de olhar nossos complexos de rejeição e de menos-valia e junto com isso, temos a chance de ganhar mais um pouquinho de segurança e autoestima no confronto com nossos medos e demônios afetivos. No meio disso tudo, Vênus ainda faz sesqui-quadratura a Urano em Áries e, sendo este um aspecto que simboliza forças inconscientes, é possível que, atormentados por nossos medos e inseguranças, resolvamos romper com tudo, convencendo-nos a nós mesmos de que o melhor é ir embora e ficar só e livre. Vale lembrar: liberdade não é fuga! Talvez seja melhor tirarmos um tempo para nós para usufruirmos de alguma introspecção, ao invés de reclamar de solidão e abandono. Em termos práticos e mundanos, esses contatos de Vênus sugerem um período de ter cautela nos investimentos, que precisam ser sóbrios e austeros, especialmente porque as influências de Netuno sugerem falta de clareza e propensão a erros de julgamento. Se possível, o melhor é esperar antes de fazer negócios de grande montante. A economia e os negócios passam por uma retração.

Reprodução
Reprodução

Júpiter faz sesqui-quadratura a Urano pela terceira vez, indicando grande inquietude, irritação e impaciência quanto às obrigações e deveres, pois ansiamos de nos livrar de todos eles como se fossem amarras e grilhões atados a nossas mãos e pés. Há grande dificuldade de conciliar o desejo de liberdade com o comprometimento necessário para nos expandir e solidificar nosso crescimento. Podemos soar muito contraditórios, ora dizendo e querendo algo, para, algum tempo depois, querermos algo muito diferente, até mesmo oposto ao que disséramos antes. Caso não estejamos cientes dessas contradições internas, podemos não só perder boas oportunidades, como por em risco avanços que já estavam bem encaminhados, tudo por causa de laivos de rebeldia que surgem do nada, de forma completamente abrupta e imprevisível. Por outro lado, se nos conscientizamos desses paradoxos, podemos ter grandes melhorias, não só em termos concretos, mas principalmente na percepção e transformação de nossa realidade e de como lidar melhor com ela. Resta aprender a conter esses relâmpagos voluntariosos e indomáveis de criatividade dentro de nós. São indomáveis, mas ainda podemos utilizá-los a nosso favor. Consciência é o primeiro passo para isso.

Reprodução
Reprodução

Saturno estaciona na sexta-feira para voltar ao movimento direto no sábado e finalmente, a construção que estava parada há alguns meses, fosse por causa da falta de alvará, da falta de materiais, ou porque o pedreiro ficou doente, volta a se movimentar! Aleluia! Saturno simboliza as estruturas que criamos e que nos dão sustentação. Quando entra em retrogradação, essas estruturas precisam ser revisadas e revistas. Será que esses andaimes estão mesmo seguros? Será que esse material é de primeira? Será que as licenças e alvarás estão em ordem? Então, paramos estrategicamente para fazer tudo isso e, embora pareça perda de tempo e gere frustração, não é! São ações necessárias que asseguram o sucesso e a segurança da obra no final. A retrogradação de Saturno, assim como de todos os demais planetas a partir de Marte, está diretamente ligada ao Sol e à oposição a ele, assim, antes da retrogradação, o Sol vinha num ciclo crescente pós-conjunção. Erin Sullivan (1) diz que “a oposição é o ponto de mutação do ciclo, marcando o fim da fase de resistência selvagem e o começo da incorporação gradual de novas formas de vivência do poder central”. No período de oposição – que ocorreu em três de junho – tivemos a percepção de quão ultrapassadas eram nossas suposições básicas sobre a vida, diz ela, e agora desaceleramos novamente, recapitulamos, até que o Sol fez um trígono na semana passada, indicando a integração de todo esse material. Agora, mais conscientes de nossos bloqueios internos e externos, das nossas dificuldades com autoridades e em lidar com nossas inseguranças, avançamos resolutos e retomamos a construção. Saturno fica cerca de 48 horas estacionário, entre 05h49min do dia 12 de agosto até 05h49min do dia 14, quando volta a se movimentar. Tecnicamente, ele já está direto no dia 13.

Reprodução
Reprodução

É interessante notar que Saturno estaciona em conjunção à estrela Fixa Antares e a conjunção Marte-Saturno, que acontecerá no dia 24/08 também ocorre praticamente exata a ela. Essa estrela é bastante controversa. Muitos dizem que é maléfica e outros sugerem que é afortunada. Algumas das interpretações sugerem que essa estrela representa malevolência, destrutividade, maus presságios, perigos fatais, mas também abertura da mente e liberalidade. Ela está relacionada ao Arcanjo Uriel e, junto com Aldebaran, Regulus e Formalhaut, é uma das Estrelas Reais, a Sentinela do Oeste. Agrega o espírito de obstinação, aventura, honra, mas também perdas abruptas, feridas nos olhos, teimosia, suspeita, violência.  Alguns textos dizem que ela ativa uma vontade de aço e leva ao sucesso, mas um sucesso conseguido às custas de obsessão. Considerando-se que Marte fala de vontade e Saturno de determinação, a adição de Antares na equação pode significar uma vontade resoluta, de ferro, que nada pode dobrar. É importante checarmos nossos intentos nas próximas semanas, porque, se é para ficar obcecado, que seja por algo que valha a pena e que não nos coloque em rota de colisão com o desastre.

Daniel Dalonso - Reprodução
Daniel Dalonso – Reprodução

A Lua começa a semana na fase Crescente em Libra. Ingressa em Escorpião onde oficializa o Primeiro Quarto na quarta-feira. Expõe-se a muita pressão em Sagitário e finaliza a semana já em Capricórnio. Conversa com todos os demais corpos celestes, harmoniosa ou belicosamente.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 8 de agosto – A Lua Crescente está em Libra e o único aspecto maior que faz hoje é a oposição a Urano, ficando vazia logo depois, às 14h44min, de modo que temos quase a tarde toda Lua fora de curso – um bom período para refletir sobre o eixo- Áries-Libra! Ela faz aspectos menores, um semi-sextil a Júpiter e uma semi-quadratura a Saturno. Dia de se buscar a harmonia e a conciliação. De se trabalhar o equilíbrio. Mas para isso é preciso fazer as escolhas, algumas delas bastante ingratas. Libra teima em agradar a todos e nisso acaba por desagradar a muitos, principalmente a si mesmo. É clássico aquele cenário em que o casal vai sair para jantar e ele pergunta:

  • Onde vamos?

E ela responde:

  • Ah! Escolhe você!

  • Tem certeza?

  • Claro!

E ele escolhe e talvez escolha bem, de acordo com seus próprios parâmetros – afinal ela falou para ele escolher. Mas ao chegar lá, ela dispara:

  • Mas não era aqui que eu queria vir! Você é muito egoísta, só pensa no que você quer, blá, blá!

Estou colocando um cenário em que ele escolhe e ela reclama, mas pode ser vice-versa, pode ser ela-ela, ele-ele, pode envolver amigos, etc. O ponto é que entregamos ao outro a responsabilidade pela escolha, porque no fundo não queremos arcar com o ônus de que talvez nossa escolha não agrade ao outro ou a todo mundo. No fundo, sabemos o que queremos, mas temos receio de que o queremos desagrade e isso nos deixe mal na foto. Então, de bom grado, entregamos esse ônus – e o bônus – da escolha para o outro e depois nos indispomos porque percebemos que talvez nossa escolha teria sido a melhor. Oi? Melhor para quem? Para nós, é claro, porque o outro foi direto, de uma forma que não conseguimos ser. E nós o chamamos de egoísta, quando no fundo, gostaríamos de ter tido a coragem de fazer o mesmo. E durma com isso!

Esse nosso lado Libriano – sim, todos nós temos um – precisa aprender a arcar com o ônus que cada escolha representa. Somente quando aceitamos isso, podemos usufruir dos bônus e achar o equilíbrio e a harmonia internos tão perseguidos e ao mesmo tempo tão elusivos. E o egoísmo? Bom, quando não somos diretos e honestos naquilo que queremos, inconscientemente acabamos por manobrar a tudo e a todos para que nossos desejos sejam satisfeitos, indiretamente e, no fim, isso se revela não só egoísta, mas também manipulador. O egoísmo extremo e puro é parte da sombra de Libra, é um dos seus pontos-cegos. Libra, quando negativo, pode ser tão ou mais egoísta que o mais puro Ariano, sob o verniz do agrado e daquilo que é “melhor para todos”.

Hoje temos uma boa oportunidade para refletir sobre as manobras que fazemos para mascarar aquilo que realmente queremos; o quanto acusamos aos outros de serem egoístas, quando no fundo, gostaríamos de ter feito o mesmo. Ou, dito de outra forma, “egoísta é aquele que não faz o que você quer”, que é um dos cenários possíveis com que podemos nos deparar hoje: egoístas que se recusam a fazer o que queremos ou esperamos. Como sempre, este “egoísta” está a nos mostrar aquilo que ainda não vencemos em nós.

Paula Karayel Fine Art - Reprodução
Paula Karayel Fine Art – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 09 de agosto – A Lua abre o dia fora de curso em Libra. Ingressa em Escorpião à 01h52min, de onde se harmoniza com Vênus em Virgem e se desilude com Quíron em Peixes por uma sesqui-quadratura, tudo pela manhã. Fecha a noite já em trígono a Netuno. Depois das crises e incêndios de ontem, as quais fomos chamados para apaziguar e mediar, hoje o dia está mais concentrado. Precisamos nos envolver profundamente em tudo o que fazemos, algo que mobilize nossa atenção e nossa paixão. Há grande sagacidade e perspicácia, de modo que podemos lidar com aqueles problemas que antes nos escapavam à compreensão. Também temos à nossa disposição muita sensibilidade e estamina emocional para lidar com os sentimentos sombrios que antes pareciam pesados para darmos conta deles. Hoje podemos processá-los, perceber porque estão aqui e o que fazer com eles, transformando-os e transmutando-nos, na melhor das hipóteses, como o alquimista que transforma a matéria inferior em ouro alquímico, ou o reciclador que transforma lixo em preciosidades. O dia está propício também para aprofundar a intimidade com os nossos bem-amados!

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 10 de agosto – A Lua se adensa em Escorpião e se sensibiliza um pouco mais ao fazer um contato harmônico com Netuno em Peixes. Conversa de forma econômica com Mercúrio e mais econômica ainda com Plutão, um de seus regentes, fazendo a ponte entre eles, que estão hoje em trígono exato. À tarde a Lua quadra o Sol Leonino e oficializa a fase do Primeiro Quarto, o Quarto Crescente. Fecha a noite em harmonia com Júpiter. O dia está denso, mas favorável aos contatos íntimos e profundos, às conversas que tenham propósito específico – nada de jogar conversa fora ou bater pernas por aí! Tudo hoje precisa ter um objetivo definido porque não queremos desperdiçar energias com o que não útil ou essencial. Não estamos interessados em firulas, apenas em contatos verdadeiros. Também identificamos uma crise no desenvolvimento dos projetos que tínhamos começado recentemente e percebemos que precisamos fazer alguns ajustes. Podemos nos recolher e proceder com as devidas limpezas de detritos e ervas daninhas que possam estar atrapalhando o pleno crescimento dessa plantação (projetos). Além das ervas daninhas, também é um bom dia para poda, para aparar arestas e galhos que não são essenciais à planta, assim a energia que seria dissipada, torna-se mais concentrada e será aplicada na floração e frutificação dos nossos objetivos. Depois da poda, vem a subsequente regeneração. É possível que nos envolvamos em algumas crises, mas não estamos dispostos a apaziguar nada. Pelo contrário, chegamos para entornar o caldo e funcionar como catalizadores para que a crise leve a mudanças concretas, às limpezas necessárias e à consequente transformação. Depois de limpar os tanques emocionais, a água volta a ser cristalina, embora ainda seja de profundidade ímpar!

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 11 de agosto – A Lua Escorpiana se afina com Júpiter nas primeiras horas do dia e fica fora de curso depois, às 02h24min. Procede a fazer quincunce a Urano, tornando-o foco de um Yod-Dedo de Deus, já que Júpiter também está em quincunce a Urano, aspecto exato no sábado. Dona Lua ainda contacta Quíron em Peixes e ingressa em Sagitário às 14h24min, onde encontra Marte. A manhã fica propícia ao olhar interior, a burilarmos em nós aqueles aspectos que precisam ser transformados para que nossa expansão aconteça realmente, não só a material, mas também a emocional e espiritual. Se desafiarmos o instinto de começar o dia sem alvoroços, poupando energia e simplesmente sentindo e intuindo o próximo passo, corremos o risco de nos envolver em situações imprevistas que geram desgastes e irritações, ou até mesmo incidentes desagradáveis. À tarde o dia mudar de cor e fica, de repente cheio de gás. Toda a cautela da manhã voa pelos ares e nós nos jogamos com tudo na estrada – ou no que quer que seja – à nossa frente, encarando os desafios como novos aprendizados, afoitos e ansiosos para viver nossos impulsos até onde aguentarmos. Em termos práticos, a tarde fica um pouco mais entusiasmada, além de cheia de energia, propiciando novos olhares e novo ânimo para seguir adiante.

cavalo2
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 12 de agosto – A Lua fica algumas horas enquadrada por Marte e Saturno em Sagitário. Além das conjunções a estes dois planetas, a Lua faz quadratura a Vênus e a Netuno e temos formada uma T-Square mutável, já que Vênus faz oposição a Netuno e também quadra Saturno, aspecto quase exato. Depois de tudo isso Dona Lua ainda faz sesqui-quadratura a Urano e fecha a noite em orbe de quadratura a Mercúrio. Saturno estaciona às 06h50min, a 9°46’ de Sagitário, conjunto à estrela fixa Antares – Tenso, o dia está muito tenso! Mesmo que tentemos, há muita dificuldade em se chegar a acordos e conciliações, e quando conseguimos alguém necessariamente se sente lesado ou perdedor, ponderando que sacrificou mais do que gostaria. Entre obrigações, desejos e aspirações, ficamos entre a cruz e a espada. Insegurança, intranquilidade, receio e muita frustração estão super aflorados hoje levando-nos a ficar irritáveis e até mesmo explosivos, dando coice no vento! Para onde nos viramos nos deparamos com algum impedimento e a pressão sobre nós fica muito pesada. Talvez, como mecanismo de defesa escondemos nossas incertezas sob verdades inquestionáveis e, intolerantes ao extremo, bradamos nossas opiniões com grande ênfase ignorando a educação, o tato e qualquer regra de cordialidade. Tentando nos afirmar acima de nossa frustração, tornamo-nos ditadores, sem meias medidas. Pressionados, explodimos nossa frustração sobre os incautos que cruzam nosso caminho, e não paramos até ser tarde demais. Pode ser que sejam outros ao nosso redor que reagem dessa maneira, o certo é que o dia requer muita cautela, porque a raiva ferve fácil e na hora da raiva, como sabemos, não pensamos nem raciocinamos, apenas agimos no impulso e na precipitação. Com essa energia tão concentrada e tão explosiva, o melhor que fazemos é nos jogar em atividades que requeiram descarga motora, concentração, determinação e foco, ao invés de nos espalhar nas muitas direções da nossa insegurança e hesitação. Se tivermos presença de espírito bastante, também podemos aproveitar para observar essa frustração e raiva e atinar em quais gatilhos disparam nossa destrutividade, de maneira que podemos aprender um pouco mais sobre nossas próprias reações e dinâmicas. Em termos práticos, o dia pede muita cautela, porque com energias tão voláteis, podemos nos expor a acidentes ou nos envolver em conflitos destrutivos, que podem, inclusive, chegar à violência física. Precisamos de muito centramento, que pode ser conseguido com meditação, yôga, atividade física, exercícios de aterramento – Imagine uma Revolução Solar com tudo isso! Olha o ano que eu tenho pela frente (rsrsrs). Parabéns para mim!

Anja Millen
Reprodução

SÁBADO, 13 de agosto – A Lua Sagitariana faz trígono ao Sol Leonino e também a Urano em Áries, formando um Grande Trígono de Fogo. A Lua também faz quadraturas a Mercúrio e Júpiter em Virgem e a Quíron em Peixes, virando foco de outra T-Square mutável. Vênus está em quadratura exata a Saturno e em sesqui-quadratura a Urano, aspecto também exato, formando um Martelo de Thor do qual Urano é o foco. A Lua fica vazia às 14h38min, depois da quadratura a Júpiter. O clima continua volátil e bastante tenso e melindroso O tato simplesmente não existe e não hesitamos em dizer tudo o que pensamos, em alto e bom som a deus e todo mundo, resultando em conflitos abertos, discussões, pampeiros vários, muitas mágoas e egos arranhados. Magoamos, ofendemos mas fazemos de conta que está tudo bem, afinal, estávamos querendo dizer essas verdades havia muito tempo, certo? No fundo, estamos mesmo é nos defendendo, jogando para fora a dor latejante que nos massacra por dentro – por que outros têm que estar de bom humor quando eu estou dilacerado? Sim, tudo começa na fragilidade, na insegurança profunda, no sentimento de menos-valia, que tentamos mascarar através das “brincadeiras” gritadas e histriônicas – de mau gosto, diga-se de passagem – pisando nos calos dos outros sem nem nos dar conta. Na área dos afetos não está muito diferente. Ocorre que avaliamos nossas relações e percebemos que elas deixam muito a desejar, seja pela dificuldade de comunicação, pelos valores diferentes, pelas idealizações que tínhamos e que agora percebemos serem fantasias e ainda pelos anseios de perfeição que teimamos em carregar conosco… De fato, precisamos encarar a realidade e dar adeus às ilusões, mas isso não quer dizer que as relações sejam ruins ou inadequadas, então, antes de julgar a situação pior do que ela realmente é, vale dar um passo atrás e avaliar se não estamos exagerando, afinal, todos nós temos nossas imperfeições e problemas e isso não faz de nós um caso perdido, nos faz apenas humanos. É, o dia vai demandar de nós muito sangue frio e contenção para moderar essas várias influências explosivas e delicadas. Sobretudo, precisamos lembrar que isso tudo vai passar, portanto, não levemos a sério demais! A sugestão de meditação e exercícios de ancoragem continua valendo!

Charles Webster Hawthorne - Reprodução
Charles Webster Hawthorne – Reprodução

DOMINGO, 14 de agosto – A Lua entra o dia fora de curso em Sagitário e ingressa em Capricórnio à 01h12min, onde fica muitas horas taciturna e sem contatos. À tarde a Lua conversa muito séria, mas harmônica com Vênus em Virgem e, de forma mais contida, com Netuno em Peixes. Vênus em Virgem está hoje em oposição exata a Netuno, enquanto ainda muito próxima da quadratura a Saturno. Há influências sugerindo anseios indefiníveis no coração, que hoje almeja o inalcançável, o inatingível e exatamente por isso, nos põe para baixo, deixando-nos meio deprimidos e angustiados. As expectativas e ideais são exacerbados, de modo que precisamos ter cuidado com promessas que fazemos ou que ouvimos, porque podem levar a decepções. No fundo, intuímos que nossas esperanças podem ser vãs, mas ainda assim, embora gato escaldado tenha medo de água fria, ainda podemos cair presas de nossas próprias armadilhas e idealizações. No sentido contrário, talvez estejamos tão ressabiados, tão feridos e sensíveis, que evitamos a coisa toda, como medida preventiva e dizemos a nós mesmos que não ansiamos por nada, numa negação estoica que faria inveja a Zenão de Cítio. Sim, a sobriedade e comedimento da Lua Capricorniana vêm em boa hora e nos ajudam a avaliar com um pouco de frieza os arroubos e exageros dos últimos dias, assim como a colocar em perspectiva essas idealizações exageradas, de modo que, no fim, talvez corramos na direção oposta e nos convençamos de que não precisamos mesmo de nada nem de ninguém e nos fechamos em nós mesmos, como uma forma de nos proteger. A tarde fica propícia para conversas e contatos sociais mais austeros ou conversas mais sérias e comprometidas, para já cuidarmos da agenda da semana e planejarmos nossos próximos passos.

Que sua semana seja tranquila e serena!

Reprodução
Reprodução

Caríssimos, é possível que não haja publicação do texto da semana que vem. Eu ando muito cansada, com muitas coisas em atraso (como percebem, praticamente toda semana estou publicando na terça, quando gostaria de publicar no sábado ou domingo). Tenho uma relação meio complicada com o tempo e acho que vou ter que parar uma semana para poder alinhar esse calendário. Farei o possível! Gratidão pela compreensão!

(1) Erin sullivan – Retrógrade Planets, Weiser Books