Arquivo da categoria: Signos

PEIXES – A Saudade da Unidade

PEIXESA professora Edna Andrade, no site Festas Cristãs (1) quando fala sobre o signo de Peixes dentro do programa das 12 Noites Sagradas, idealizado por Rudolf Steiner, nos diz o seguinte: “A sabedoria antiga nos conta que foram as forças espirituais de Peixes que configuraram os pés humanos – regidos por Peixes. Quando observamos os pés verificamos que eles são formados em forma de uma abobada que vai propiciar, simultaneamente com a verticalização da coluna, o andar ereto, primeiro grande aprendizado da vida. Quando criança nos arrastamos, engatinhamos e finalmente nos erguemos e nos apoiamos nos nossos próprios pés superando as forças da gravidade, significando isto uma grande conquista e a condição para o desenvolvimento do pensamento, sendo o pensar o que diferencia o Humano dos outros reinos da natureza”.

dalizodiac_pisces
Salvador Dali – Peixes – Reprodução

Ao longo da vida seguidamente fazemos uma analogia íntima com este fato: ‘andar nos meus próprios pés, saber por onde ando, seguir os meus próprios passos, não vou andar nos passos de ninguém’. São expressões que exprimem uma correta relação com a terra e com o destino em termos de liberdade pessoal.” (1)

De Peixes recebemos “os impulsos para nos firmarmos nos próprios pés e nos erguermos, condições básicas para alcançar a liberdade individual, meta à qual nos destinamos como seres individualizados”.

pisces (2)
Peixes – Vitrais da Catedral de Chartres França

Em PEIXES chega-se ao fim do ciclo zodiacal e encerra-se o escopo arquetípico da experiência humana. Por isso se diz que Peixes, de certa forma, é a síntese de todos os outros signos. Por ser tão inclusivo e abarcar tanto dos outros, é muito difícil definí-lo. É um signo extremamente impessoal, em que o Ego, que levou os outros 11 signos para se definir, agora busca sua dissolução completa. Mas por ser o último, também é o primeiro, é o material e a promessa de onde nasce o novo ciclo e a Casa 12 no mapa natal, a casa natural de Peixes, é considerada a casa pré-natal, porque é a casa imediatamente anterior ao Ascendente, que marca o arquétipo do parto.

240px-Pisces2
Peixes – coleção antiga – Reprodução

Signo de ÁGUA MUTÁVEL, NEGATIVO, FEMININO, PASSIVO, YIN, Peixes absorve as influências do ambiente com facilidade, assim como a água, que se mistura a tudo o que toca e está sempre mudando de forma conforme o recipiente que a contém. Pessoas com grande ênfase em Peixes são como “ESPONJAS PSÍQUICAS”, diz Clare Martin: “Se alguém deprimido ou zangado entra na sala, o Pisciano pode facilmente começar a se sentir deprimido, zangado ou infeliz, sem saber porquê. Se essa capacidade para a fusão simbiótica é conscientemente reconhecida e aproveitada, pode ser um dom extremamente útil nas profissões de AJUDA e de CURA”. (2) Peixes não julga e sua compaixão e altruísmo imensos podem ser dirigidas a qualquer coisa ou pessoa que precise.

Pisces-Larger_600
Atlas Coelestis – Reprodução

Porém, quando não vivenciadas conscientemente, essas qualidades podem causar problemas, porque a pessoa tem dificuldade em estabelecer limites saudáveis entre seus conteúdos e os dos outros, ou até mesmo em separar realidade do que percebe de outras dimensões e esferas.  Ele é INCLUSIVO, porque não percebe barreiras entre as pessoas e é ABSORVENTE de tudo o que “boia” ao redor e por isso mesmo, pode ser muito influenciável pelas correntes invisíveis na atmosfera, sendo necessário que aprenda a erigir limites e barreiras que o protejam da invasão exterior ou mesmo de se misturar excessivamente com os conteúdos alheios. Peixes é famoso por sua SENSITIVIDADE e MEDIUNIDADE, e muitos, ao não entender, ou não conseguir lidar com isso, bloqueiam esse dom cedo na vida, tornando-se CÉTICOS depois – falamos deles mais abaixo.

Pisces
Birth Chart Paiting

E por que ele é tão inclusivo? Porque para Peixes não existe melhor ou pior, superior ou inferior, tudo são condições transitórias, ditadas pela impermanência e pelo estágio de evolução particular de cada um, por isso Peixes não julga nem separa e para este signo tanto faz se a pessoa é prostituta, pobre, presidente da empresa ou do país, um mendigo na rua, um adicto, um louco ou deficiente mental, uma pessoa comum, um trabalhador, uma criança ou um velho, negro ou branco… Todos são iguais, assim como todos eram iguais para o Cristo. Em sua compaixão ele não vê separação ou diferença porque, afinal, todos viemos da mesma fonte e para lá voltaremos um dia. Somo todos partes do mesmo todo, interconectados, interdependentes numa rede infinita que liga todas as formas de vida e de energia. Essa tendência a abraçar e incluir a tudo e a todos frequentemente o coloca em confusão e o torna influenciável, muitas vezes CRÉDULO e IMPRESSIONÁVEL, podendo ser uma presa fácil para espertalhões, porque toda essa inclusão o torna também muito IDEALISTA e incapaz de perceber as pessoas pelo que elas realmente são, na sua versão humana mais primitiva. Vê o mundo sob lentes cor-de-rosa e é claro, quando se é muito idealista, está-se fadado a decepções e desapontamentos.

the fool
O Louco – Arcano do Tarô

Peixes é o signo menos “mundano” de todos e aquele que tem o senso mais frágil de “self”, de si mesmo e até de ego, porque em primeiro lugar, ele nem mesmo queria estar encarnado! A experiência da encarnação na matéria é extremamente dura e difícil para Peixes, mais do que para qualquer outro signo. Ele é de outro mundo, de outra dimensão, de outra galáxia. Ele vem de um mundo onde tudo é perfeito, onde não há separação, doença, morte, onde tudo é belo, tudo é unidade e amor, onde o universo respira em uníssono. E quando se vem de um tal mundo perfeito, a experiência humana é realmente dolorosa e sem muito sentido, por isso Peixes odeia a sordidez e a mesquinhez da vida mundana, das contas a pagar, do emprego, da competição desenfreada, da miséria e escassez de amor que muitas vezes personifica a vida na terra. Estar encarnado num corpo para Peixes é pesado demais e por isso mesmo é um dos signos que mais tem propensão para adicções porque através delas ele tentar voltar para o Paraíso Perdido do Éden, da Unidade com o Pai e a Fonte da Vida.

ce47a332af018b21f585d2a1860376b2Dizem que o rio sente saudades do mar, assim como a alma sente saudades de Deus, da Unidade. E Peixes é o signo onde essa saudade é mais aguda e mais doída. Essa nostalgia e essa saudade de algo indefinido e inominável é a saudade do Inefável, mas que Peixes leva uma vida inteira para reconhecer. Neste anseio e nesta fome, ele vai pela vida tentando encontrar o objeto da sua saudade em coisas, pessoas, situações, em vão. Daí desenvolvem-se as adicções de todo o tipo. Outros talvez busquem em caminhos menos tortuosos, pela arte ou pelo misticismo. Outros ainda, sem um ego forte o bastante que suporte e contenha as forças do Inconsciente, simplesmente sucumbem a ele e entram em estados de psicose. E ainda tem os que, ao perceber o mundo de imperfeição em que caíram, emprestam seus dons para ajudar e curar, porque sua grande compaixão e altruísmo demandam que façam algo concreto para minimizar o sofrimento e essa imperfeição que vêem no mundo, são os curadores e os servidores. Assim, o drogado, o alcoólatra o louco, o místico, o artista, o curador… Todos estão buscando a mesma coisa, só que de formas diferentes: todos estão tentando ESCAPAR da miséria humana, todos buscam voltar a Deus, retornar à fonte, mas alguns o fazem de maneira muito destrutiva. Isabel Hickey, astróloga americana dizia a respeito de indivíduos com fortes posicionamentos em Peixes ou na casa 12: “Ou sirva ou sofra!”. E assim é. Peixes é o grande mártir do Zodíaco, porque capta o sofrimento de toda a humanidade e os vivencia, tornando-se, muitas vezes, o paciente identificado, a vítima ou a ovelha sacrificial. Ou ele se identifica com o salvador ou com a vítima, ou com o Redentor ou com o redimido.

sacrificio2
Reprodução

Mas claro, há o Peixes cético. Aquele que, ao ser confrontado com os limites tênues da “realidade” e perceber outras realidades espirituais, algumas delas absurdamente assustadoras, erigiu defesas extremamente eficientes contra os poderes do inconsciente, contra as forças irracionais e incompreensíveis que ele não controlava e foi para o extremo oposto da ultra-racionalidade, negando suas percepções e dons, abafando-os completamente até que eles se extinguiram ou viraram apenas uma lembrança borrada de um passado distante. Esse tipo de Peixes costuma se dar muito bem nos meios acadêmicos que endeusam a lógica e a razão, ele se sobressai nos mercados financeiros, porque inconscientemente usa seu feeling para intuir o caminho certo. Mas ele não acredita em nada. Ele nega veementemente que sinta coisas diferentes. E costuma ter insônia. E se dorme, jamais sonha. Tudo como parte de um elaborado e super eficiente sistema de defesa. Mas um dia ele terá que se render. O Inconsciente encontrará maneiras de minar essa barragem e então o dilúvio e a inundação virão. É quando o indivíduo se encontra muito infeliz na sua vida super ajustada, mas completamente árida e sem sentido – então ele terá que voltar aos braços da Grande Mãe e fazer as pazes com ela e com tudo o que ela representa.

jupiter maria
Júpiter, regente tradicional de Peixes – Maria Eunice Sousa

Devido a tudo isso Peixes geralmente evita se comprometer. São indivíduos extremamente ELUSIVOS, como elusivo é Netuno, seu co-regente. São INDEFINÍVEIS, como indefinível é o grande mar. Sue Tompkins cita Richard Idemon em seu livro The Astrologer’s Handbook, que dá uma definição sobre Peixes: “Não eu, Não aqui, Não agora” (3). Não é perfeito? Ele não quer ser, nem quer estar, não está aqui, nem lá. Quando? Não sei, um dia, talvez…

MERMAID
Reprodução

E quais os mitos de Peixes? São muitos, mas invariavelmente envolvem uma mãe e seu filho redentor. Os parágrafos a seguir são uma tradução livre e resumida de parte do texto sobre Peixes, do livro A Astrologia do Dsstino, de Liz Greene, no capítulo Mith and Zodiac (4), que coloco em itálico para destacar a fonte:

babytammuz1
O Infante Tammuz – Reprodução

Como ocorre com os demais signos, há muitos mitos, antigos e variados, relacionados a Peixes, alguns deles bem mais antigos do que os mitos gregos. Invariavelmente esses mitos nos levam ao arquétipo da Grande Mãe, de onde tudo nasce e para onde tudo retorna. Há muitas versões, em culturas diferentes, da estória de dois peixes celestiais, associados com o culto da deusa Atargatis, que também está conectada ao signo de Virgem, oposto complementar de Peixes. Seus templos tinham piscinas onde nadavam peixes sagrados, que só podiam ser tocados ou comidos ritualisticamente. Atagartis tinha um filho chamado Ichtis, que era, ele mesmo, um peixe e que depois evoluiu para Ea, a cabra-peixe que encontramos em Capricórnio. Outras versões desse par são Ishtar e Tamuz, Cibele e Átis, Afrodite e Adônis. O mito babilônico conta que um ovo gigante foi encontrado no Eufrates por dois peixes, que o empurraram para a terra, onde uma pomba pousou sobre ele. Deste ovo surgiu Atagartis, que honrou os peixes colocando-os nos céus. Na versão grega do mito, Afrodite e seu filho Eros fugiam do monstro Tifão disfarçados como peixes, ou teriam sido salvos por eles e foram também honrados pela gentileza sendo colocados nos céus como constelação. Os peixes geralmente aparecem amarrados juntos e jamais se separam, embora aparentemente pareçam nadar em direções opostas. Um dos peixes é a Grande Mãe, a deusa da fertilidade que representa a origem de toda a vida. “Ela é devoradora, lasciva e destrutiva, o mundo primordial dos instintos. Ele é o Redentor, ichtis, o Cristo. Estão unidos pra sempre e não podem fugir um do outro. Ele é tanto o filho como o amante, e deve ser sacrificado ritualisticamente, ano a ano. O filho é desmembrado e morto pela própria mãe ou por um dos seus animais totens: um lobo, uma serpente monstro, um javali. Depois ressuscita. As sereias são associações consequentes dessas deusas-peixe, e assim como a Grande Mãe-Amante, seu apelo e canto são irresistíveis, porque não são desse mundo, falam de imagens etéreas e oníricas. No capítulo sobre Peixes Liz Greene cita Jung:

AdonisAwakeningWaterhouse
The awakenig of Adonis – John William Waterhouse Reprodução

“As Grandes Mães mitológicas são geralmente um grande perigo para seus filhos. Jeremias menciona a representação de um peixe numa lâmpada cristã, que traz um peixe devorando outro. O nome da maior estrela da constelação conhecida como Peixes do Sul, Formalhaut, que é ‘a boca do peixe’ – pode ser interpretada neste sentido, justamente como no simbolismo, toda forma de concupiscência devoradora é atribuída aos peixes, que são tidos como ‘ambiciosos, libidinosos, vorazes, lascivos, avaros – em suma, um emblema da vaidade do mundo e dos prazeres terrenos (voluptas terrena). Eles devem essas más qualidades ao relacionamento com a mãe e deusa do amor, Ishtar, Atagartis e Afrodite. Não por acaso, Vênus tem sua exaltação em Peixes.” (4)

Desenho-símbolo-peixe-cristão
O Peixe como Símbolo Cristão

A associação chega à era Cristã e temos a Virgem Mãe e o Cristo, que tem o peixe como um de seus símbolos principais e que disse aos discípulos que os faria “pescadores de homens”, enquanto os Evangelhos estão cheios de referências a peixes e pescadores. O próprio Cristo é desmembrado e ritualisticamente comido na Eucaristia, seu sangue bebido pelos fiéis. O tema da vítima e do redentor é muito caro a Peixes, que pode vivenciá-lo num extremo ou outro da polaridade, já que são duas face da mesma moeda. Nenhum outro signo se presta tanto ao papel de vítima sofredora e perdida, como também nenhum outro é tão genuinamente altruísta e compassivo pelo sofrimento alheio.

signo_de_peixes
Reprodução

Outra figura mítica associada com Peixes é Dionísio, o deus da dissolução, do vinho e dos cultos orgiásticos. Dionísio aparece como filho de Demeter, outras vezes como filho de Perséfone. Mas a versão mais comum é que era filho de Zeus com Semele, filha do Rei Cadmos de Tebas. Hera, ciumenta ao extremo, aparece para a jovem ingênua disfarçada de velha e a convence a exigir que Zeus aparecesse para ela em toda a sua força e glória. Sem perceber que isso a destruiria, Semele faz Zeus prometer que atenderia a qualquer um de seus pedidos e preso pela promessa, é obrigada a aparecer para ela tal qual era, como Raio e Trovão, no que a jovem é instantaneamente fulminada. Semele estava grávida de Dionísio e Hermes conseguiu salvá-lo e costurou-o na coxa de Zeus, por isso ele era chamado “nascido duas vezes”.

dionisio
Dionísio – Reprodução

Ele era um macho nascido de outro macho, mas era um deus extremamente feminino, um deus das mulheres, geralmente retratado com feições femininas e jovens. Hera o odiava, como fazia com todos os filhos bastardos de seu marido. Hera o perseguia constantemente e ordenou que os Titãs o pegassem e rasgassem em pedaços, que foram cozidos num caldeirão. Uma árvore de romã nasceu no lugar onde seu sangue caiu. Porém sua avó, Rhea, o salvou e o trouxe de volta à vida. Ele cresceu escondido, mas de novo Hera o encontrou e o tornou louco. Louco, ele saiu pelo mundo acompanhado pelo seu tutor Silenos (um sátiro) e pelo séquito de selvagens mênades. Era um deus dissoluto e onde ele passava as mulheres enlouqueciam e o seguiam. Um dia ele chegou a Tebas, a terra de sua mãe. O então Rei de Tebas, Penteus, não gostou nada da idéia de ter aquele deus dissoluto em suas terras e mandou prendê-lo e a seus acompanhantes. Dionísio fez o rei ficar louco e achou que tinha prendido um boi ao invés do deus. As mênades escaparam e desapareceram nas montanhas, onde rasgavam animais e destruíam tudo o que viam pela frente. A própria mãe do Rei Penteus liderava o grupo de mênades, completamente enlouquecida, e, quando o rei tentou pará-las, elas o desmembraram totalmente, empalando sua cabeça e fixando-a nas montanhas. A grande ironia é que o rei teve o mesmo fim trágico do deus que ele se recusou a receber.

Supplizio_di_Penteo
O suplício de Penteo – Reprodução

Esse é um mundo muito próximo para os piscianos: o êxtase orgiástico, a loucura mística que pode ser encontrada tanto no mosteiro, quando através das drogas ou da própria insanidade. O impulso que faz o artista compor verdadeiras obras-primas, seja na música ou nas belas artes é o mesmo que torna outros terrivelmente autodestrutivos, a se afundarem na dissolução das drogas ou do álcool; outros podem, de fato, sucumbir ao poderio imenso do inconsciente e resvalar na loucura, enquanto outros ainda vão vivenciar isso numa religiosidade profunda e mística, como foi a vida de muitos santos, uma entrega completa ao divino e à Grande Mãe. Não é à toa que vemos tantos Piscianos se refugiarem num intelectualismo estéril, porém seguro, encastelando-se na mente o no mundo racional, uma tentativa de fugir desse impulso primitivo de vida, mas que pode ser muito destrutivo. Nos mitos, cada figura representa uma faceta do mesmo tema, assim, Peixes é, a um só tempo, Dionísio, as mênades, Zeus, Hera, e até o próprio Rei Penteus, que o rejeita.

IMG_0006
Símbolo de Netuno – Regente de Peixes Maria Eunice Sousa

Mas, como já dissemos, acontece que Peixes não é desse mundo. Ele está ainda muito próximo à fonte divina, onde tudo é uno, onde tudo é Unidade. Para lá ele almeja voltar e por isso essa destrutividade e o impulso de morte. Há uma saudade indefinida e um desgosto pela realidade da carne e das contas a pagar no dia a dia, porque ele preferia estar em outra dimensão menos densa e menos pesada. Por isso é constantemente acusado de ser aéreo e distraído. “A carne pode ser uma prisão e uma devoradora do espírito, mas o espírito, da mesma forma, é não só o redentor, mas um devorador da carne”. Em Peixes é onde essa dicotomia corpo-espírito é mais desconfortável e a adicção a drogas e substancias é nada mais que uma tentativa de desmembrar esse corpo-prisão e voltar para os braços da Grande-Mãe-Amante. Porem, o destino de Peixes é mediar esse mundo, sem sucumbir a ele de forma destrutiva e sem repudiá-lo, o que é igualmente perigoso. Muitos grandes artistas – e cientistas, como Einstein! – conseguiram e no processo premiaram a humanidade com obras-primas magistrais – o que não quer dizer que tenha sido fácil para eles, ou simples – que o diga Bach, que tinha quatro planetas em Peixes, incluindo a Lua conjunta a Netuno. A proximidade com este mundo aquático é perigosa, mas muito frutífera, já que dá acesso a conteúdos universais e a uma infinita criatividade só igualável com a própria fecundidade da vida. Mas para isso é preciso ter um ego forte e bem estruturado que possa ser capaz de mediar imagens e conteúdos tão poderosos sem se destruir no processo. Isso pode ser feito por diversos canais: música, artes, profissões de cura e ajuda, religiosidade, serviço… Também há que se permanecer atento à tentação da identificação messiânica, de ser redentor ou vítima; de oferecer-se em libação ou de recusar a vivência dos sentimentos e a intermediação desses conteúdos de uma vez. Achar o caminho do meio nunca é fácil, mas é o que precisa ser feito.

As figuras arquetípicas ligadas a Peixes são:

O Salvador, O Redentor, A Vítima, O Curador, O Sonhador, O Artista, O Místico, O Religioso, O Santo, O Dissoluto, O Alcóolatra, O Louco, O Adicto

menades2
As Mênades – Gustav Doré – Reprodução

Peixes, como já foi dito, tem grande sensitividade e habilidade psíquica. Mas às vezes é difícil lidar com estes dons, especialmente na primeira parte da vida, quando os conteúdos podem ser assombrosos. Para mediar e nos ajudar a lidar com tal dom, podemos invocar nosso Guia Interior, e a ele que vamos encontrar na meditação de hoje, que pego emprestada de Elizabeth Broke, do livro A Woman’s Book of Shadows (4):

MEDITAÇÃO PARA PEIXES

Primeiro, concentre-se nas imagens simbólicas de Peixes. Deixe que conversem com você! Observe-as sem pressa. Em seguida, contemple o sentido desta frase: Eu deixo a casa do Pai e, voltando atrás, eu salvo. E a Palavra disse: Ide encarnar na matéria. (5)

Deite-se no chão; faça-se confortável e solte qualquer peça de roupa que esteja apertada ou incomodando. Deixe que o chão segure seu peso e respire fundo algumas vezes para liberar tensões no corpo… Imagine que está num prado verdejante, num dia quente de verão, Olhe as plantas crescendo ao seu redor, sinta a brisa suave na sua pele. Ali perto há um portão. Caminhe para o portão e passe pra o outro lado… Do outro lado há um caminho. Olhe para o caminho e decida se você quer seguí-lo. Se você decidir seguir o caminho, comece a caminhar. Ele vai subindo gentilmente, contornando uma montanha. Enquanto caminha observe o que há ao seu redor: plantas, árvores, animais, como é o ar e a atmosfera… Conforme você sobre o sol ainda brilha, caminhe no seu próprio ritmo. Conforme avança, você percebe que o ar fica mais claro, mais refinado e que há, ao longe, um eco de música… Quanto mais avança, mais alta a música se torna, é como o gotejar de água numa fonte… finalmente você chega ao cume. Você passa sob um arco e chega ao pátio de um templo, que tem uma fonte ao centro. Você pára para descansar na fonte… Quando faz isso, você se torna consciente de uma figura que vem em sua direção… Este é o seu guia. Saúde-o e escute o que ele tem a lhe dizer. Você pode perguntar a ele/ela qualquer pergunta que queira… Leve o tempo que for necessário para conhecê-lo/a… (permita que a imagem evolua e se desenvolva sem esforço mental da sua parte). Então perceba que é hora de ir embora… Seu guia lhe dará um presente de despedida e confirmará que você pode voltar quando quiser… Devagar, faça o caminho de volta descendo a montanha, trazendo seu presente, volte ao prado inicial. Então abra os olhos e volte pra onde estava inicialmente. Escreva sua experiência. Você pode optar por ouvir música, tocar um instrumento (se for o caso), escrever poesia… Guarde o presente com você, ele será um talismã que lhe dará conforto quando você se sentir desenraizado/a na vida. Este guia é um Mestre Interior que poderá ser consultado sempre que você precisar de ajuda ou clareza sobre qualquer assunto ou questão. Quanto mais você o/a visitar, mais profunda será a relação com ele/ela, Ele/ela poderá lhe ajudar com questões práticas ou com assuntos espirituais profundos e esotéricos.

Música para Peixes:

Osvaldo Montenegro – Aos Filhos de Peixes

 

Zeca Baleiro – Brigitte Bardot

Peixes Voadores – Álcool, Carne e Rock’Roll

Zeca Baleiro – Minha casa

Mariana Aydar – Peixes

Daft Punk – Lose Yourself to Dance

Cat Power – Sea of Love

Mika – One foot boy

Guillemots – Sea out

Faça suas sugestões! que músicas você acha que traduzem Peixes?

Johfra-Bosschart-Pisces-3x4.1@150
Peixes – Johfra Bosschart – Reprodução

Amanhã será o dia/noite de Áries. Conecte-se com essa energia desde cedo e observe como o seu dia se desdobra.

Programação das 12 Noites Sagradas:

 

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Edna Andrade, Festas Cristãs 

(2) Clare Martin – Mapping the Psyche

(3) Sue Tompkins – The Astrologer’s handbook

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(5) Elizabeth Broke – A woman’s Book of Shadows

(6) Alice Bailey ‘Esoteric Astrology’, Lucis Press 1951, p. 653

 

AQUÁRIO – Roubando o Fogo dos Deuses

AQUÁRIO

Aguadeira
Reprodução – Desconheço o Autor

Aquário é um signo de desapego e sendo início de ano, se estiver com tempo, aproveite para se desapegar de coisas que sabe que não precisa mais. Limpe a vida, limpe o coração e desapegue-se para estar livre para as novidades que virão! Sue Tompkins (1) nos diz que o símbolo de Aquário, o Aguadeiro era representado antes também por uma mulher e o conteúdo da ânfora que ele ou ela despeja produz as duas linhas do glifo do signo. Corresponde ao mês de fevereiro, um tempo, segundo ela, que os Romanos separavam para limpar suas casas e anexos ou edícolas. A palavra fevereiro, diz Tompkins, significa, literalmente, “mês de purificação”, “assim, o Aguadeiro pode ser interpretado como lavando o passado para ficar pronto para uma novo começo, fresco e limpo. Uma imagem muito apropriada para um signo reformador, progressista e orientado para o futuro”. As linhas do glifo também fazem referência às ondas do mar, às ondas elétricas, afinal, Aquário é associado com a eletricidade,  e às energias eletromagnéticas e às próprias energias da terra, complementa ela.

aquario simParticularmente, acho que as ondas do glifo de Aquário também lembram as ondas dos raios, que eu associo com o planeta Urano. Sei que na antiguidade Zeus-Júpiter era o deus associado com raios e trovões. Mas acho que a forma como Urano se manifesta como energia psíquica é muito semelhante à descarga ou queda de um raio: é completamente imprevisível, você não sabe onde vai cair, quanto tempo vai durar nem quando irá ocorrer novamente. É uma liberação de energia fulminante, que tanto pode iluminar quanto destruir. E o Aguadeiro a derramar a água da sua ânfora sempre me chama a atenção para o fato de ele ter a água (sentimentos) contida num recipiente fora dele mesmo e ele derrama essa água sem entrar em contato com ela, daí a tendência a racionalizar as emoções e os sentimentos – é mais fácil analisá-los, percebê-los de longe do que senti-los.

aquario1
Reprodução

Signo de AR, Aquário é FIXO, MASCULINO, ATIVO, POSITIVO, YANG. Ideal é palavra chave quando se trata de Aquário, também chamado de Aguadeiro, já que é retratado como uma figura humana com uma ânfora. Pessoas com muitos planetas ou ângulos em Aquário e ainda com forte ocupação da Casa 11, a casa natural deste signo, são naturalmente voltadas para as causas sociais e humanitárias. Elas desejam transformar o mundo e o ser humano na sua melhor versão. Elas têm um IDEAL e se guiam por ele, pela visão da melhor versão daquela pessoa, situação, mundo. Assim como Prometeus, cujo mito exploramos abaixo, elas conseguem enxergar potenciais onde outros só percebem problemas e limitações – às vezes estão tão sintonizadas com este ideal que esquecem de perceber a pessoa real a seu lado. O folclore astrológico diz que é o mais sociável dos signos, o signo dos amigos.

Jordaens_-_Aquarius
Jacob Jordaens – Aquário – Reprodução

PROGRESSISTA, inovador, inventivo e amante da LIBERDADE, é extremamente mental e OBJETIVO, já que é o signo que traz o elemento AR na sua forma mais refinada, mais burilada. Civilizado e desapegado, Aquário tem uma grande facilidade de ver as coisas de fora, de longe, como se não fizesse parte do quadro, daí sua capacidade de prever as tendências. Tanto desapego e amor à liberdade pode implicar em alguma dificuldade com a intimidade e a vivência dos sentimentos, que podem ser sentidos, às vezes, como ameaçadores, já que, ao contrário da mente e da razão, sentimentos são coisas incontroláveis e incompreensíveis. Terrivelmente RACIONAL, Ele detesta tudo o que é ou parece irracional, porque a RAZÃO é a coisa mais lógica pela qual o ser humano deveria se pautar. Muitas vezes, ele é tão correto, tão racional e resolvido, que são as outras pessoas ao seu redor que perdem as estribeiras ou têm atitudes loucas, só para ver se provocam alguma reação “humana” nessa pessoa de emoções super controladas!

SONY DSC
Aquário – Vitrais da Catedral de Chartres, Chartres, França – Wikimedia Commons Reprodução

Pode ser o melhor dos amigos e a mais animada das companhias, desde que os temas sejam leves ou abstratos, porque se vier com choros e dramas, esqueça, pernas para que te quero! De modalidade Fixa, ele, que é um catalisador de mudanças na vida de outros, muitas vezes pode ser extremamente conservador e avesso a mudanças na própria vida – ele muda, se for nos seus próprios termos, no seu próprio tempo. Isso reflete uma ambivalência que nasce da dupla regência do signo: Aquário é regido tanto por Saturno quanto por Urano, dois arqui-inimigos, portanto, não poderia ser diferente, este é um signo bastante contraditório e cheio de surpresas. A regência de Urano lhe dá o amor pela liberdade, igualdade, fraternidade, além da inventividade, excentricidade e aquele ar meio elétrico e diferente que lhe é bem característico. O outro regente, Cronos para os gregos e Saturno para os romanos, nós já encontramos em Capricórnio. Urano era seu pai, o deus dos céus estrelados, aquele que deu origem às gerações de deuses olímpicos ao se deitar com Gaia, a Mãe Terra.

Drawing of Aquarius, the eleventh zodiacal sign, appearing in William Hone's Hone's Everyday Book.
Desenho de Aquarius, no Livro de Todos dos Dias de William Hone – Reproduçao de Wikimedia Commons

LIBERDADE e IGUALDADE são duas de suas palavras-chave, assim como JUSTIÇA. Aquário vem depois de Capricórnio e busca destruir as estruturas e hierarquias tão amadas pelo signo da Cabra, porque a seu ver, essas estruturas impedem a igualdade e a justiça. Profundamente afinado com a VERDADE, mesmo que seja a verdade como ele a vê, às vezes torna-se difícil para seus pares, amigos ou amores, que esperam dele uma postura mais parcial, que ele simplesmente não pode oferecer, pois quem busca ser justo tem que ser IMPARCIAL. E, claro, assim como Sagitário, outro signo afinado com a verdade, muitas vezes, para defender a verdade, ele se torna grosseiro, frio, sem tato e franco por demais, ferindo os brios de corações mais sensíveis.

Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender Aqua
Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender – Reprodução

Aquário é o signo da pessoa comum, do Zé das Couves ali da esquina, da Dona Maria sua vizinha, do Fulano  ou do Beltrano qualquer, ou seja, é o signo da pessoa ordinário, que detesta os privilégios das classes dominantes tão adorados por Capricórnio. Para ele todos são iguais e têm os mesmos direitos. É o signo dos ideais humanitários, cristalizados nas três palavras de ordem da Revolução Francesa, período em que Urano foi descoberto: LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE. Aqui encontramos a grande família humana  no seu conceito mais abstrato e de fato, é um signo seriamente preocupado com a melhoria da vida para todos, com uma visão de mundo mais justo para todos.

Stamp_of_Ukraine_s892
Selo da Ukrania – Reprodução

Ao contrário de Capricórnio, Aquário não acredita em “deveres” ou coisas chamadas “obrigações”, nem mesmo em relação á própria família ou aos laços de sangue. Ele manda às favas todos os “tem que” da vida e se você quiser que ele NÃO faça algo, é só dizer que ele “tem que” fazer. Ele é o grande REBELDE do Zodíaco e está pouco se lixando para o que você pensa ou deixa de pensar sobre ele. Aliás, outra de suas frases famosas é aquela “o que você pensa sobre mim não é problema meu”. Entendeu? E não espere que ele vá se explicar ou se justificar por qualquer coisa que tenha feito ou dito, fez, tá feito; disse, tá dito! Ao invés de obrigações, o que ele se preocupa mesmo é com PRINCÍPIOS e CONVICÇÕES, que norteiam sua forte CONSCIÊNCIA SOCIAL. No lugar das tais obrigações e deveres ele se vale da cooperação e da livre escolha, mas o problema é que o ideal nem sempre se sai bem nas situações cotidianas e é comum se ver o Aguadeiro agindo de forma dogmática ou autoritária, exatamente da mesma forma que aqueles tiranos ditadores que ele tanto critica!

AQUÁRIO
Aquário – Reprodução

INDEPENDENTE, OBSTINADO, inconvencional, não ortodoxo, às vezes chegando a ser excêntrico, ele vai lutar com unhas e dentes para defender sua própria liberdade e também a dos outros e liberdade de expressão é uma das suas mais nobres bandeiras. Paradoxalmente, é um dos signos mais tolerantes que há, vivendo de acordo com o mote “viva e deixe viver”, mas ao mesmo tempo, para defender suas caras convicções e princípios, pode se tornar EXTREMISTA e RADICAL nas suas posturas e opiniões, personificando a própria INTOLERÂNCIA que tanto combate. Ele também é completamente IMPREVISÍVEL e quando você pensa que finalmente o conhece, ele aparece com outra faceta totalmente diferente de si mesmo. Está sempre surpreendendo e adotando posturas antes impensáveis! Por isso Aquário também está associado ao imprevisível e inusitado e isso está relacionado a Urano.

Aqu book of hours
Livro das Horas – Reprodução

E sim, como signo de Ar, é ultra-sociável e profundamente interessado em pessoas, em gente, embora isso se dê muito mais do ponto de vista intelectual do que emocional – é quase um interesse científico no ser humano como objeto de estudo. Verdade seja dita, ele muitas vezes é visto mesmo como INDIFERENTE e frio, mas, de novo,  isso nasce do desejo de ser sincero e imparcial. Ele é extremamente amigável sim e se interessa muito na humanidade como um todo, porém, quando se trata de intimidade, ele é muito seletivo e deixa pouquíssimas pessoas chegarem perto – contato físico, por exemplo, é algo que pode ser muito perturbador e desagradável para ele, portanto, respeite seu espaço pessoal, dê-lhe espaço físico e, principalmente, emocional! Não o sufoque ou você nunca mais o verá! Sue Tompkins diz que muitas pessoas que pensam que Aquarianos são frios simplesmente não perceberam que foram, na verdade, rejeitadas, ou seja, não passaram no crivo seletivo dele. Das coisas que ele mais detesta e que podem fazê-lo rejeitar alguém estão o esnobismo, conversas fúteis, falta de sinceridade ou de propósito ou, pior ainda: estreiteza de pensamento, os chamados pobres de espírito. Mentalidades tacanhas, não, por favor! Mas sim, ele precisa de gente, tem necessidade maior dos amigos do que da própria família, podendo até dizer que sua verdadeira família é composta de seus amigos.

 

IMG_0034
Saturno, regente tradicional de Aquário – Maria Eunice Sousa
IMG_0548
Urano – Símbolo – Maria Eunice Sousa

Um dos mitos associados a Aquário é o de Urano, o DEus dos Céus Estrelados. Urano teve muitos filhos, dentre eles, Saturno e outros titãs, além dos Gigantes, criaturas ctônicas e grotescas de 100 mãos, cuja mera visão causava profundo desgosto ao seu pai, que era altamente idealista e de gosto muito estético. Tão repulsiva era a visão de seus filhos que Urano os aprisionou no Tártaro, as entranhas do Mundo Inferior. Esse costuma ser um padrão comum em Aquário, esse gosto estético refinado e idealista, que detesta ter que lidar com o lado mais animalesco da natureza humana, incluído aí os ritmos orgânicos do próprio corpo, que pode, às vezes, ser sentido como alienígena. Cronos, com a ajuda de sua mãe Gaia, resolveu tomar providências para libertar o irmãos e numa noite, quando Urano veio se deitar com Gaia ele segurou seus genitais com a mão esquerda e com a mão direita empunhando uma foice, cortou-os fora, atirando-os ao mar. Da espuma do sêmen nasceu Afrodite, e não é à toa que ela é a deusa da beleza e do senso estético, tendo nascido de um pai tão idealista. Do sangue derramado na terra nasceram as Erínias, também conhecidas como Fúrias, personificações da vingança e que puniam os mortais. Urano desaparece e não se sabe dele depois disso na mitologia. Cronos assumiu o seu lugar como regente dos deuses.

The_Mutiliation_of_Uranus_by_Saturn
A castração de Urano por Saturno – Afresco de Giorgio Vasari e Cristofano Gherardi, c. 1560 (Sala di Cosimo I, Palazzo Vecchio). Reprodução

Esse mito de Urano já nos diz muito sobre a natureza de Aquário. Mas há outro mito ainda mais emblemático relacionado ao signo, o mito de Prometeus. É uma estória longa, mas vale a pena. Liz Greene (3) diz que Prometeus é o grande “assistente social cósmico”. Prometeus era um titã da mesma geração de Cronos e sua origem é um tanto controversa. Seu nome significa “aquele que prevê”. Ele tinha um irmão chamado Epimeteus, que era o seu oposto nesse sentido, pois seu nome significava “aquele que aprende apenas com o acontecimento”. Na briga entre Cronos e Zeus, porque ele sabia como a encrenca findaria, Prometeus ficou do lado de Zeus. Diz-se que ele o ajudou no parto de Atena, que nasceu da cabeça de Zeus e que era a deusa da estratégia e do pensamento racional. Por causa disso ela o ensinou várias artes, entre elas a agricultura, arquitetura, matemática, artesanato, carpintaria, medicina, astronomia, astrologia, navegação e muitas outras habilidades.

Damon Hellandbrand aquario
Damon Hellandbrand – Aquario – Reprodução

Prometeus ensinou todas essas artes ao homem. Uma das versões de sua origem é a de que ele próprio, Prometeus, teria criado o homem de barro e água, com a permissão de Atena. Liz Greene, em seu livro A Astrologia do Destino (3), diz que o fato de ter ensinado todas essas artes ao homem torna Prometeus o Daimon do impulso cultural. Antes de Prometeus, o homem não podia ver nada com clareza, não percebia os ciclos da natureza, portanto, não conseguia tirar proveito deles com a agricultura, por exemplo; ele também não sabia como criar animais e não enxergava um palmo diante do nariz no sentido de se projetar no futuro. “Então, aqui está a verdade em uma palavra: toda habilidade e ciência humana é um dom de Prometeus”, Greene cita Asclépios, e diz que “esse impulso de boa fé em relação à humanidade é um dos temas dominantes de Aquário”. Por isso Aquário rege a ciência e a tecnologia, porque são coisas que trazem o progresso e os avanços para a humanidade.

Heinrich_fueger_1817_prometheus_brings_fire_to_mankind
Prometeus traz o Fogo à Humanidade Heirich Fueger – 1817 Reprodução

O mito continua. Zeus foi ficando muito zangado com todas essas artes ensinadas ao homem por Prometeus e temia que logo o homem se acharia um deus. Zeus também foi se irritando com Prometeus por outras coisas. Um dia, por exemplo, Prometeus foi convidado a decidir sobre quem deveria ficar com que porções de um boi sacrificado, quais deveriam ser dadas aos homens e quais seriam oferecidas aos deuses. O Titã, que sempre privilegiava os homens, escondeu a carne maciça debaixo do bucho do boi e todos os ossos limpos debaixo de uma rica gordura e disse a Zeus para escolher. Zeus escolheu a sacola de ossos e ficou zangadíssimo ao perceber a trapaça e por isso negou o fogo aos homens, “que comessem a carne crua”, disse ele. Prometeus não acatou a decisão e roubou o fogo sagrado dos deuses e o deu ao homem. Como punição, Zeus acorrentou Prometeus a uma montanha no Cáucaso e todos os dias uma águia, a ave símbolo de Zeus, vinha comer-lhe o fígado. À noite o fígado se regenerava e no dia seguinte o sofrimento se repetia.

Dante Gabriel Rosetti's Pandora
Dante Gabriel Rosetti – Pandora Reprodução

Além de punir Pometeus, Zeus ordenou a Hefestos, o deus da forja, que fabricasse uma mulher de barro e nela inspirou vida através dos Quatro Ventos. Essa era Pandora, que foi enviada a Epimeteus e que, orientado por seu irmão para não receber nenhum presente de Zeus, recusou-a a princípio. Mas, por causa do sofrimento infindável de Prometeus, ele acabou se casando com ela. Pandora abriu aquela famosa caixa, de onde saíram todas as pragas que poderiam perturbar a humanidade: Trabalho, Doença, Velhice, Insanidade, Vício e Paixão. A humanidade teria cometido suicídio coletivo, não fosse Esperança, a enganadora, que também estava na caixa e que mantinha o homem em expectativa de melhorias. Alguns dizem que Esperança é o pior de todos os males, pois nos mantém iludidos. O sofrimento de Prometeus tem fim quando ele é trocado por Quíron, que enfrentava um destino igualmente cruel na forma de uma ferida sem cura que doía de forma excruciante. Zeus concordou com a troca, mas exigiu que Prometeus usasse um anel que o identificasse como um eterno prisioneiro e para que ele jamais esquecesse do pecado que havia cometido.

prometeus e a aguia
Prometeus no Cáucaso – Reprodução

O mito de Prometeus o coloca como o grande benfeitor da humanidade, porque sem o Fogo Sagrado dos Deuses, o homem não teria visão, não intuiria o futuro, não teria a centelha divina que o eleva acima da natureza meramente animal e ctônica. Porém, do ponto de vista dos deuses este roubo foi um grande pecado, um crime, porque a natureza é muito ciumenta de seus segredos. Pesquisadores e cientistas em geral sabem bem o que é isso, e muitas vezes, ao propiciar avanços à humanidade, abrem uma verdadeira Caixa de Pandora, basta lembrar a desilusão de Einstein com o uso que deram à sua Teoria da Relatividade. O roubo também o faz sentir-se isolado de seus pares, assim como Prometeus ficou isolado no Cáucaso, porque ele se diferencia, ele vai além do óbvio, do comum, daquilo que já é conhecido. Assim, a solidão intelectual ou mesmo humana também lhe é característica.

Aquarius --- Image by © Harry Briggs/Corbis
Harry Briggs/Corbis – Reprodução

E um signo tão luminoso, altruísta e imparcial não deve ter Sombra… Será? É claro que tem! Parte desta sombra tem a ver com o signo oposto complementar, Leão. Aquário, como oposto de Leão, tem horror a se sentir egoísta e egoísmo é parte da sua sombra. A estória de George Orwell “A Fazenda dos animais”, ilustra bem essa questão e a frase “todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros” é geralmente utilizada para trazer à tona a questão da igualdade como vista por Aquário quando negativo – a igualdade é ótima para a humanidade, mas não para ele, que tem grande dificuldade em viver o que prega, sendo, quando negativo um grandessíssimo hipócrita, dizendo uma coisa e fazendo outra completamente diferente. No livro Astrology for Lovers, Liz Greene (4) diz que “enquanto Aquário conscientemente se esforça por ser abnegado, seu lado sombrio é completamente auto-centrado; enquanto sua dedicação aos outros é geralmente impecável  na vida ordinária, sua sombra se dedica a a confirmar sua posição de controle” – sim, Aquário é outro signo que tem problemas de controle, mas não poderia ser diferente, sendo ele regido por Saturno, o grande controlador do Universo.

Aquarius_-_Horoscope_from_'The_book_of_birth_of_Iskandar-_Wellcome_L0040148
Aquário -Horóscopo do Livro de Nascimentos de iskandar – Wikimedia Commons

Outro pecado de aquário é a hubris, o sentimento de estar acima do bem e do mal, exatamente por ter conquistado a Natureza e seus segredos. A hubris é a arrogância intelectual, o que nos faz ir além da ética e de valores morais porque achamos que nossos motivos são “justos”, algo na linha do jargão maquiavélico “os fins justificam os meios”. Ocorre que na luta pela evolução, na ânsia de ajudar a humanidade e de melhorá-la, Aquário deixa de ver o individuo humano, a pessoa que está ao seu lado – se for para salvar a humanidade, qual o problema se alguns humanos forem perdidos no processo? Outra frase famosa associada a este signo é “Eu adoro a humanidade, o problema são os humanos”, assim, para ele talvez seja mais fácil se relacionar com a ideia da humanidade do que com o ser humano com quem compartilha a vida, seja este ser humano um filho/a, um parceiro/a, um irmã/o. E há ainda outro pecado: Ele critica tanto o Leão por querer ser especial e chamar a atenção, mas no fundo, apesar do discurso bonito de querer ser simples, ele secretamente, inconscientemente “anseia por ser admirado e adorado por todo mundo, até o grau de de se sentir compelido contra seus próprios princípios, por medo do que possam pensar dele” (4). Mas não, ele não necessariamente se dá conta disso!

dalizodiac_aquarius
Aquarius – Salvador Dali

Entretanto, sem Aquário, o homem ainda estaria naquele nível ctônico, telúrico, morando em cavernas e sujeito ao destino imposto pela sua biologia. Feliz da humanidade que teve Prometeus (Aquário) como seu benfeitor e hoje evoluiu até onde chegamos. Resta-nos esperar (a enganadora Esperança de novo) que na sua hubris, não nos leve também à destruição.

No corpo Aquário rege os tornozelos e as pernas, até logo abaixo dos joelhos. Governa também o sistema circulatório. Urano, o co-regente de Aquário também tem o sistema nervoso, junto com Mercúrio. Rege também todas as doenças relacionadas a essas áreas do corpo.

O Visionário, O Assistente Social, O Cientista, O Revolucionário, O Anarquista, O Futurista, O Viajante do Tempo, O Forasteiro, O Abominável Homem das Neves

Aquariuss

 

MEDITAÇÃO PRA AQUÁRIO

Primeiro, olhe as imagens associadas a Aquário: o Aguadeiro, o próprio símbolo que parece duas ondas sobrepostas, Urano…

Olhe e fixe essas imagens  e deixe que elas conversem com você.

Contemplo o sentido desta frase: “Água da vida eu sou, derramada para os homens sedentos. E a Palavra disse: deixe o desejo em forma ser o governtante” (5).

Quando estiver pronto, faça esta meditação. OBS: A qualquer momento, se sentir qualquer desconforto, receio, mal estar, abra os olhos imediatamente e interrompa o processo!!!

Feche os olhos e faça um exercício respiratório de relaxamento. Gradativamente, solte os pés, pernas, coxas, quadris, tronco, ombros, braços, pescoço, cabeça… Até que você esteja completamente relaxada/o. Então visualize que está em seu lugar favorito de natureza. Sinta-se relaxado, tranqüilo. Qual é o clima? Faz sol, chove, venta? Observe o ambiente: tem mais alguém? Caminhe ao redor e se houver outras pessoas cumprimente-as amigavelmente, mas sem se demorar. Então perceba que se aproxima seu melhor amigo/a. Sinta a alegria de encontrar essa pessoa. Se sentir vontade, abrace-a. Observe sua expressão: está triste, alegre, zangado…? Por que? Olhe com atenção e veja se ele/ela quer lhe dizer alguma coisa. Escute. Ele lhe pede alguma coisa? O que você pode fazer pelo seu/sua amigo/a? Agora seu amigo/a lhe mostra uma grande tela à sua frente: o que você vê? Que ideais essa imagem reflete? São os seus ideais? São imagens desconfortáveis ou tranquilas? Como você se sente com a experiência toda? Agradeça a seu amigo/a e deixe-o/a ir embora. Aos poucos perceba-se de volta ao seu corpo e abra os olhos. Se sentir vontade, escreva ou ilustre o que vivenciou. Se quiser, partilhe sua experiência conosco.

Aquário rege as amizades, os grupos sociais, assim como nossas grandes esperanças, assim, ao terminar a meditação, reveja seus sonhos e metas nesta área de vida. Se necessário, faça ajustes, ou, do contrário, reitere as resoluções anteriores.

Johfra-Bosschart-Aquarius3x4.1
Johfra Bosschart – Aquarius Reprodução

Amanhã trabalharemos o signo de Peixes, portanto fique atento, durante o dia, a como o signo vai se manifestar para você. Até lá!

Música para Aquário:

Osvaldo Montenegro – Aos Filhos de Aquário

Hair – Aquarius

Omar e os Ciganos – Abominável Homem das Neves

Amy Whinehouse – He can only hold her

Ivete, Gil e Caetano – Tá combinado

Marina – Como dois e dois

Taylor Swift – Change

Rebecca Trip – Aquarius

U2 – Walk on

Gwen Stefani – Cool

Suzane Vega – Tom’s Dinner

Arielle Dombasle – Extraterrestre

Programação das 12 Noites Sagradas: 

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Sue Tompkins – the Astrologer’s Handbook

(2) Edna Andrade, em Festas Cristãs

(3) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(4) Liz Greene – Astrology for Lovers

(5) Alice Bailey ‘Esoteric Astrology’, Lucis Press 1951, p. 653

As 12 Noites Sagradas – VIRGEM

virgoHoje é o dia e a noite de Virgem, o signo da Donzela. O que houve de especial hoje? Como reflexo deste signo, que rege o cotidiano e a ordem doméstica, nada de especial aconteceu, mas tentei colocar um pouco de ordem na casa e na minha rotina. E você, conseguiu, finalmente se recuperar do frenesi das festas de fim de ano com alguns rituais diários? (Se você não sabe o que são As 12 Noites Sagradas, clique aqui)

“Sim, todo amor é sagrado, e o fruto do trabalho é mais que sagrado, meu amor”  (Beto Guedes)

kyriotetes
Kyriotetes – Reprodução – Desconheço o autor

Do site Festas Cristãs trago a descrição da Noite de Virgem: “Nesta Noite Santa, através do portal da Virgem recebemos os impulsos espirituais dos  os Seres da Sabedoria. As forças do Signo da Virgem configuraram o ventre, que é um aspecto físico do feminino que pode receber e gerar outro ser. A alma, a nossa vida interna também tem esta qualidade do feminino, de levar para dentro, de acolher no íntimo e de guardar a nossa essência, o nosso Eu, para gerar o Espírito individualizado em nós.”

“A Virgem é a imagem terrestre da Alma cósmica, a Sofia, e ela é considerada virgem porque corresponde a um aspecto de nossa alma que permanece intocada pelas necessidades terrestres, e pode então acolher e gerar o Espírito individualizado em nós. Isto significa um estado de entrega e doação constantes, de cortesia e polidez. “ Edna Andrade (1)

dalizodiac_virgo
Virgem – Salvador Dali – Reprodução

Regido por Mercúrio, Virgem, o signo da Donzela, também busca informação, mas ao contrário de Gêmeos, que quer saber de tudo um pouco, Virgem procura saber muito de poucas coisas, pois para ele a informação tem que ser ÚTIL, por isso, é o signo do ESPECIALISTA.

Virgem é direcionado para SELEÇÃO e DISCRIMINAÇÃO, para separar o joio do trigo. METÓDICO, tem grande habilidade para PRIORIZAR. ACURACIDADE e ANÁLISE também fazem parte do seu modus operandi. É o signo das coisas pequenas e dos microorganismos, por isso ele presta muita atenção aos DETALHES, sendo às vezes, até exagerado em seu ESCRÚPULO e METICULOSIDADE. É muito HABILIDOSO e técnico, por isso é associado com o arquétipo do ARTESÃO. Um de seus grandes méritos é transformar a matéria feia e tosca em algo belo e sublime. Está em busca constante da PERFEIÇÃO.

signo-virgem
Virgem – De um livro Medieval de Astrologia Wikimedia Commons

É direcionado para o TRABALHO, para a eficiência e para a produtividade. ORDEM e limites são essenciais, e embora seja muito preocupado com LIMPEZA, não necessariamente é organizado sempre. Precisa sentir-se útil e o ato de SERVIR faz parte de sua missão. Ele também precisa aprender a pedir ajuda e admitir que também precisa dos outros – ele odeia precisar de alguém, porque isso o faz vulnerável e signos de controle odeiam se sentir vulneráveis.

“E o que é trabalhar com amor? É tecer o tecido  com fios desfiados de vosso próprio coração, como se vosso bem-amado fosse usar esse tecido. O trabalho é o amor feito visível” Khalil Gibran

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Constelação de Virgem – Astrologia Medieval Reprodução

Ao contrário do que se pensa, este signo é extremamente complexo e isso se deve em parte, ao seu regente, Mercúrio, o deus da Alquimia e dos portais, entre outras coisas, assim Virgem é também o signo do ALQUIMISTA, cuja tarefa é purificar, refinar e aperfeiçoar materiais básicos. Essa regência “descreve a natureza inteligente e analítica do signo, mas, como signo de Terra, essa inteligência é usada de forma prática, trabalhando a matéria e a substância para aperfeiçoá-la e curá-la”, diz Clare Martin (2). Por isso Virgem é o signo do cotidiano e está geralmente em sintonia com os ritmos do corpo e sua adequada manutenção, tem necessidade e prazer nos rituais diários, o corpo para ele é um templo sagrado, e através de dietas, rotina e práticas de cura, ele cuida desse templo assim como a Deusa Héstia cuidava do Fogo Sagrado. Por todos esses talentos e tendência ao serviço, também tem grande dom para a cura e para a medicina, especialmente a alternativa. Com tanta habilidade em separar o que é útil do que é mero refugo, Virgem rege no corpo o intestino delgado, que tem como função discriminar o valor de tudo o que foi ingerido, decidindo se absorve ou expurga.

Vierge. Sablière de la nef de l'église Notre-Dame de Runan
Virgem – Sabliere da nave da Igreja de Notre Dame de Runan – Wikimedia Commons

A origem da palavra VIRGEM não tem associações com castidade. Significa apenas mulher solteira, às vezes mesmo com filhos. A palavra refere-se ao estado de completude e inteireza interior, de auto-suficiência, de ser dona de si mesma, esposa da vida e dona de sua própria alma. Por isso, Virgem tem um código moral próprio e não costuma seguir códigos sociais cegamente. Para Virgem, o mais importante é integridade interior. Mas vamos falar disso mais profundamente abaixo.

Stamp_of_Ukraine_s887 virgo
Selo da Ucrânia – Wikimedia Commons

De modo geral é tímido, MODESTO, DISCRETO e RESERVADO – já perceberam como o símbolo de Virgem se parece com o de Escorpião? Eles são parecidos em algumas coisas! E se é muito crítico com os outros, ele o é ainda mais consigo mesmo. Virgem também é o signo dos ANIMAIS DOMÉSTICOS e DE ESTIMAÇÃO. Podemos começar a entender a grande complexidade deste signo, cuja descrição muitas vezes é reduzida à hipocondria, mania de limpeza e de ordem, ao desvendar seus mitos diversos.

hades-persefone-bernini
O Estupro de Prosérpina (Perséfone) – Gian Lorenzo Benini (1621-22) Escultura em Mármore – Galeria Borguese, Roma – Reprodução

O mito mais conhecido relacionado a Virgem é o mito do Rapto de Perséfone por Hades. Perséfone era uma deusa da Primavera: jovem, linda, cheia de vida! A Donzela Arquetípica, pronta para ser colhida e tornar-se mulher. A terra fértil, mas virgem; a vida cheia de possibilidades informes. Da Tríade do padrão de desenvolvimento feminino ela é a jovem, representada pela Lua Crescente, enquanto sua mãe, Demeter é a Lua Cheia e Hécate é a Anciã. Perséfone tinha um vínculo poderoso com a mãe Demeter, o vínculo da mãe e do bebê que encontramos em Câncer, ainda não individualizado porque permanece no abraço urubórico da mãe. Um dia, passeando com as amigas pelos jardins, colhendo flores, ela se afastou para colher narcisos, que tinham sido plantados ali por Hades para atraí-la. No momento em que ela colhe a primeira flor, o chão se abre à sua frente e dele sai uma carruagem assombrosa de cavalos negros e o próprio Senhor dos Infernos à frente. Era Hades em pessoa, que a raptou e levou para o Mundo Inferior, O Grande Lugar Abaixo, onde a estuprou e a fez sua esposa. Demeter, ao dar pela falta da filha saiu a procurá-la e não a encontrando, entrou em desespero, como ficaria qualquer mãe. Ninguém viu, ninguém sabia de nada, nem mesmo as amigas que a acompanhavam. Demeter entrou em luto profundo e praticamente enlouqueceu procurando a filha incessantemente. Ela estava tão zangada quanto triste, mais ainda porque ninguém a ajudava ou dava informação, e os deuses pareciam cegos e moucos.

persephone4
Perséfone e a Romã – Desconheço o autor Reprodução

Um dia ela encontrou um garoto, que ao vê-la em tal estado deplorável, compadeceu-se dela e perguntou se podia ajudar. Ele a reconheceu e contou que tinha visto a filha ser abduzida por Hades – em outras versões diz-se que na verdade foi Hécate quem lhe deu essa informação. Demeter recorreu a Zeus, que não quis interferir. Ora, Demeter era a deusa dos cereais e da agricultura e neste estado de desespero, as plantações já tinham parado de crescer, havendo escassez de alimentos. Ela então resolveu entrar em greve, assim nada mais nasceria, os homens morreriam e não havendo homens, quem honraria os deuses? A estratégia funcionou e Zeus então resolveu interceder, enviando Hermes para negociar a liberação de Perséfone. Zeus, claro, como bom malandro que era, sabia de tudo, e na verdade o rapto foi feito com seu consentimento. Hermes foi então ao Reino de Hades negociar. Hades concedeu que ela fosse embora, desde que ela não tivesse comido nada ali embaixo. De fato, até aquele momento ela não havia comido nada no Mundo Inferior, e estava, na verdade definhando. Mas já na saída ela resolve comer umas sementes de romã. Por causa disso ela fica obrigada a passar metade do ano sobre a terra, com sua mãe e a outra metade com Hades, no Mundo Inferior – esses períodos simbolizam Primavera e Verão, quando ela está sobre a terra, que fica fértil, e Outono e Inverno, quando ela está no Mundo Inferior, o período em que a terra descansa para a próxima temporada de plantações. Assim ela se torna a Rainha dos Infernos e passa a reinar ao lado de seu marido.

Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender virgo
Virgem – Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender – Wikimedia Commons

Esse mito fala daqueles momentos na vida em que compactuamos com o inconsciente para que coisas inimagináveis aconteçam. Ocorre quando já passamos da hora de mudar e não percebemos e a vida vem e nos força a mudar. Perséfone, bonita e jovem como era, pronta pra se casar, já tinha sido cortejada por Hermes, Ares, Apolo e Dionísio, mas sua mãe recusou a todos, querendo que a filhinha continuasse na barra da sua saia. Isso enfureceu a Afrodite, a deusa do Amor, que infligiu uma paixão avassaladora em Hades, que a pediu em casamento a Zeus, seu pai. Zeus, por sua vez, concedeu, sem nada dizer a Demeter. A própria Perséfone é terrivelmente ambivalente, pois primeiro vai colher as tais flores de Hades; segundo, come as sementes de romã já na saída. No fundo, ela mesma estava cansada da sua vida de solteira e de ser a filhinha da mamãe; ansiava por novos desafios. (3).

Esse Destino de Perséfone é um tema muito relevante para Virgem, diz Liz Greene, que explora também outras imagens míticas associadas com este signo (novamente, os parágrafos abaixo, que estão em itálico, são uma tradução livre e resumida desses mitos e da interpretação de Greene, como consta de seu livro A Astrologia do Destino). (4)

AstraeaVSH
Escultura de Astraea/Dike – 1886 – Assinado “A.” possivelmente trabalho de August St. Gaudens. Old Supreme Court Chamber, the Vermont State House, Montpelir, Vermont. August 2007. Reprodução

A Constelação de Virgem foi associada com a deus Astraea ou Dike, que representava o princípio da justiça. Ela era também filha de Zeus e vivia na terra entre os homens, durante a Idade de Ouro, mas com o tempo, a corrupção humana aumentou e ela desgostosa passou a detestar os homens por causa de seus crimes. Ela era a forma de vida manifesta em cada animal, planta ou homem. Ela regulava os ciclos da vida e representava alei, não a lei dos homens, mas a lei da natureza, os ritmos naturais derivados dos movimentos do sol e da Lua. Assim, ela representava a ordem intrínseca da natureza e seu desgosto diante da corrupção humana é o desgosto que virgem expressa normalmente diante da desordem e do caos. 

334px-Artemis_of_Ephesus
Artemis de Efesos. Século I AC – Cópia romana da estátua do Templo de Éfeso – Museu de Éfeso – Turquia – Wikimedia Commons

Para Astraea, tudo tinha um tempo e um lugar e não é de admirar que com tal deidade relacionada ao signo, Virgem seja tão propenso a ritualismos. Astraeas era associada com várias outras deusas da antiguidade, inclusive com a própria Venus. É dito que ela era filha de Aurora, o milho ou trigo em suas mãos a identificam às vezes como Ceres; outros dizem que ela era Fortuna, porque sua cabeça desaparecia entre as estrelas, ela parecia também com Isis… Mas principalmente, ela se parecia com Atagartis, uma deusa Siria adorada sob o nome de Virgo Caelestis Carthage, associada com Urânia e a Lua.

Ela era, pois, fértil e ao mesmo tempo estéril, um caráter profundamente complexo, como é o signo de Virgem. Este signo parece incorporar um grande paradoxo, diz Greene, um paradoxo que mistura a idéia de uma deusa muito correta e severa, ao lado das deusas lunares prostitutas e orgiásticas dos cultos da Ásia Menor.

artemis
A Artêmis negra de cem seios – Não consegui descobrir a localização – Reprodução

Muitas dessas deusas tinham em seus templos sacerdotisas vestais que se prostituíam no culto sagrado da deusa; em algumas regiões, as mulheres comuns, como parte do culto à deusa, precisavam ir ao templo pelo menos uma vez na vida, se prostituir, deitando-se com o primeiro estranho que aparecesse numa realidade em que os homens, na verdade, eram também devotos da deusa e se dirigiam ao templo como forma de honrá-la – as mulheres precisavam fazer isso especialmente antes de casar-se. Não importava a quantia oferecida, a mulher não podia recusar, pois seria uma ofensa à deusa. Depois do intercurso sexual ela se tornava santa aos olhos da deusa e ia embora pra casa. “Assim, as virgens eram iniciadas dentro da santidade do templo, sacrificando sua virgindade e experimentando os primeiros frutos de sua sexualidade” (5). Uma dessas deusas era Ishtar, chamada a Mãe das Prostitutas; havia também Mylitta, Hátor, Atargatis e a própria Artêmis Negra de Éfeso, a de cem seios – todas essas deusas eram prostitutas e eram chamadas deusas virgens, inclusive a própria Afrodite e outras deusas gregas, notadamente de vida sexual intensa. 

Vida-Religiosa
A religiosa casa-se com Cristo e vive para Ele Reprodução

Tanto virgens quanto mulheres casadas precisavam fazer essa oferenda pelo menos uma vez e algumas mulheres que não desejavam levar vida casta nem se casar optavam por se tornar Virgens Vestais, não se casando com nenhum homem, mas tornando-se noivas do deus, que é o mesmo princípio da vida religiosa cristã, que aliás, está também relacionada a este signo: é sabido que as freiras casam-se com Jesus Cristo, enquanto os padres casam-se com a Santa Madre Igreja, que é também a Esposa do Cristo – claro, no Cristianismo há o preceito do celibato. Neste sentido, diz Greene,a prostituta é como a virgem mítica, pois ela é uma imagem arquetípica da mulher livre que é casada primeiro consigo mesma, com seu ser interior, e só depois com um homem. A palavra ‘virgem’ significa então, não castidade, mas seu oposto: a gravidez e a fertilidade da natureza, livre e incontrolável, correspondendo ao amor fora do casamento, em contraste à natureza controlada do amor dentro do casamento.

Shamhat, the first recorded Sacred Harlot
Shamhat, a primeira Prostituta Sagrada de que se tem registro – uma mulher sumeriana de alta classe – Tadarida – Reproduçao

Daí vem a origem da palavra VIRGEM, que nessas línguas antigas e arcaicas, não tinha nenhuma associação com sexualidade, mas sim com o estado civil. A mulher virgem era a mulher solteira, que não tinha marido e nem devia satisfações de seus atos a ninguém. Greene cita o estudiosos John Layard sobre a origem dessa palavra:

“Em primeiro lugar, embora nós hoje pensemos na palavra ‘virgem’ como sinônimo de ‘casto’, este não era o caso nem com a palavra grega parthenos ou com a palavra hebréia almah, da qual ‘virgem’ é a tradução bíblica mais comum. Pois os gregos a usavam para falar de garotas não casadas, fosse ela casta ou não, e Ra, de fato, aplicável a mães solteiras. A palavra hebréia, da mesma forma, significa ‘não casada’, sem referencia a castidade pré-marital” (4).

 

virgem maria
A jovem Virgem Maria – Desconheço o Autor – Reprodução

A associação da palavra virgem se dá a partir do Cristianismo e da introdução da Virgem Maria como único modelo possível para a feminilidade dentro da vida cristã. Na verdade, é mais uma manifestação do patriarcado e seu controle sobre o feminino. Assim, ao longo dos séculos virgem passou a ser associada com intocabilidade sexual, com castidade e “pureza virginal”.

Vierge_-_Méridienne_de_S._Maria_degli_Angeli - Francesco Bianchini
Painel de mármore da Igreja de Santa Maria dos Anjos – Francesco Bianchini – Wikimedia Commons

Por aí se tira de onde vem também a complexidade de Virgem. Esse paradoxo coloca um conflito permanente e é a partir desse conflito que o padrão de desenvolvimento de Virgem aparece, diz Greene. Porque Virgem está eternamente cindido entre esferas de vida aparentemente irreconciliáveis, “seja esse conflito entre a carreira e a vida pessoal; entre o casamento e a independência (um tema comum); entre espiritualidade e o materialismo; entre moralidade e abandono, Virgem luta com estes opostos vida afora, tentando abarcar aos dois lados”. A forma com que o ego resolve esses dilemas normalmente é vivenciar um lado enquanto sacrifica o outro, mas isso traz um problema em si mesmo porque parece que ao signo não é permitida essa divisão “preto e branco” da vida. E aqui, Greene lembra Perséfone, dizendo que seu problema foi exatamente esse, ela escolher permanecer virgem ao invés de abraçar o lado prostituta/cortesã, seu lado não vivenciado representado por Afrodite, o que leva à sua abdução por Hades, ou seja, ela mesma invoca seu destino ao recusar-se a tentar conciliar esses opostos – coisa que Jung sempre nos lembra, aquilo que não reconhecemos em nós, vivenciamos como destino.

628px-banqueters_hetaera_louvre_myr272Hetaera and banqueters, from Myrina, Greece, circa 25 BCE
Hetairas se banqueteam – de Mirna, Grécia, cerca de 25 AC – Museu do Louvre – Reprodução

Toda esse paradoxo cria uma tensão incrível em Virgem, que é conhecido como um signo super controlado. “A moralidade interior de Virgem, quando é genuína e não emprestada do coletivo prevalecente – como é o caso com os nativos mais tímidos do signo – não está em desacordo com o que pode ser considerado um comportamento sexual muito pouco convencional. Ainda, essa moralidade interior pode ser muito forte e não menos baseada num senso de ‘correção’ do que códigos mais convencionais de comportamento”, diz Greene. Greene vai em frente dizendo que em sua prática analítica encontrou muitas prostituas profissionais que tinham grande ênfase no signo de Virgem, e que em todas elas havia esse forte senso de integridade moral, acompanhado de uma profissão que a sociedade considera imoral ou mesmo amoral – ela questiona, quem são de fato as verdadeiras “putas”.

virg
Desconheço o autor – Reprodução

Relembrando o mito de Perséfone e associando-o com estas questões complexas do dizer “sim à vida”, Greene diz que isso não quer dizer que Virgem está fadado a sofrer violência sexual ou abduções de qualquer tipo. Isso ocorre apenas como resposta à escolha de permanecer “inocente” para sempre, repudiando a vida em toda a sua fertilidade, como representada pelas deusas Astraea e todas as outras. Neste caso, a vida irrompe, feito o deus dos infernos e a “força” a experimentar a vida em toda a sua magnitude de sentimentos e experiências. “Obviamente, essa questão não é exclusivamente sexual, mas envolve toda a visão de vida. A prostituição da virgem não quer dizer disponibilidade sexual a qualquer um, não mais do que ‘virgem’ significa castidade. Eu entenderia isso muito mais como uma abertura ao fluxo da vida, uma boa fé de confiar na ordem natural das coisas, uma aceitação da penetração da vida e da mudança. É, pois, o destino da donzela, da Coré ou Perséfone ser sacrificada, para que ela possa ser uma mulher plena e quem sabe, mãe. Esse é seu “destino”, embora não precise ser literal, pois Virgem pode se casar de várias formas e ter filhos diversos, pois “maternidade no sentido mais profundo é a nutrição de potenciais e o trazer à luz um padrão interior para a vida exterior, então, o tema mítico se aplica tanto a Virginianos homens quanto a mulheres.

Ida-Ehre-Schule in Hamburg-Harvestehude Keramik-Relief Jungfrau von Richard Kuöhl.
Relevo em cerâmica na Escola Ida-Ehre em Hamburgo

Virgem é ainda relacionada com a deusa Héstia, a Deusa da Lareira e do Fogo Sagrado. Era uma deusa mais voltada para as questões espirituais. Era também considerada uma deusa virgem, porque nunca foi relacionada a nenhum homem ou deus e, de fato, não há parceiros sexuais associados a ela, que dedicava-se ao templo e seus serviços.

 

vesta
A Deusa Vesta / Héstia – A Deusa da Lareira e do Fogo Sagrado Reprodução

Virgem, como a origem do nome diz, é assim, um signo que vem desenvolver integridade interior. É um o signo que vivencia o maior sentido de inteireza e completude interior. Na minha prática astrológica (eu, Eunice), tenho encontrado muitos virginianos e virginianas divididos neste conflito: a busca de um relacionamento que parece, às vezes, fora de alcance. Normalmente há no mapa natal uma repetição do conflito, pois se de um lado há grande ênfase em Virgem e em algum outro signo independente (Áries, Aquário, etc), de outro, pode haver uma ênfase tão grande quanto em signos ou planetas relacionais, como Câncer, Libra, Escorpião. Freqüentemente a pessoa luta não só com seu dilema interior, mas com uma reclamação dos parceiros de que se sentem “obsoletos” dispensáveis. Isso porque virgem não percebe que na sua inteireza, emite mensagens contraditórias ao parceiro, verbalmente dizendo que o quer, mas, em gestos, deixando claro que privilegia sua autossuficiência mais que ao relacionamento. O que essas pessoas precisam entender é que realmente os relacionamentos “tradicionais” são modelos que não necessariamente  lhes servem e que eles precisam criar seu próprio modelo de relação, um modelo que respeite sua profunda necessidade de privacidade, de auto-suficiência, independência e de espaço e reserva. E obviamente, respeitar a si mesmo e as essas necessidades, reconhecendo-as e honrando-as, para que o parceiro possa fazer o mesmo. O ideal seria encontrar um parceiro com necessidades parecidas.

“As coisas não precisam de você, então por que eu tinha que precisar?” (Marina Lima)

Depois de tudo o que vimos sobre Virgem e sua complexidade e paradoxos, não admira que seus arquétipos e figuras sejam estes abaixo:

A Donzela, A Virgem Grávida, A Freira, O Religioso, A Prostituta, O Artesão, O analista, O Aprendiz, O Carpinteiro, O Alquimista, A Secretária, Ceres e Prosérpina / Demeter e Perséfone,  Astrae / Vesta  / Artêmis.

Virgo-bonatti
A Constelação de Virgem – Guido Bonatti – Wikimedia Commons

A Sombra de Virgem está ligada ao seu oposto complementar que é Peixes e enquanto Virgem traz a ordem, separa, categoriza e cataloga, Peixes simboliza o caos, a falta de limites, a mistura de tudo. Virgem é exclusivo, Peixes é inclusivo. Os dois precisam aprender um com o outro. Virgem precisa aprender a ser mais inclusivo e ver o todo e Peixes aprende com Virgem a discriminar, a ter limites, a ter ordem.

Também faz parte da sombra de Virgem a mania de achar que sabe mais que todo mundo, assim pode tornar-se um chato. Outro elemento é que na busca constante da PERFEIÇÃO, pode perder-se nos detalhes, focando somente no que está errado ou defeituoso, esquecendo-se de olhar o todo, por isso é essencial ter perspectiva.

Virgem é um signo complexo e cheio de paradoxos e quando não consegue conciliar esses opostos dentro de si, torna-se excessivamente racional, deixa de sentir e pode cair em comportamentos ritualísticos obsessivos relacionados à limpeza e alimentação, originados também da necessidade compulsiva de CONTROLE. Outras manifestações podem ser hipocondria, criticismo excessivo e destrutivo, trabalho compulsivo (work-aholic) e o vício mais comum de todos: a preocupação.

virgo3
Virgem – Arte Medieval – Desconheço o Autor – Reprodução

Há um poema gnóstico atribuído a Sofia-Sabedoria, que Liz Greene diz refletir magistralmente o paradoxo de Virgem. É parte de os Evangelhos Gnósticos encontrado em Nag Hammadi, citado em Os Evangelhos Gnósticos de Elaine Pagels (6).

sofia
Sofia alquímica – Google Imagens – Reprodução

Trovão, Mente Perfeita

Pois eu sou a Primeira e a última.

Sou a reverenciada e a escarnecida.

Sou a promíscua e a consagrada.

Sou a esposa e a Virgem.

Sou a mãe e a filha.

Sou os membros de minha mãe.

Sou a estéril e muitos são os seus filhos.

Sou aquela cujas bodas são grandiosas mas não tomei um marido.

Eu sou a parteira e aquela que não pari filhos

Sou o alívio de minhas dores de parto.

Eu sou a noiva e o noivo

E é meu marido quem me gerou.

Sou a mãe do meu pai

e a irmã do meu marido

e ele é a minha prole.

Sou conhecimento e ignorância.

Sou impudica e casta.

Sou força e medo.

Sou néscia e sábia.

Sou ímpia e aquela cujo Deus é grande.

Johfra-Bosschart-Virgo40q

Virgem – Johfra Bosschart Reprodução

Meditação para Virgem:

Observação: A qualquer momento, se sentir qualquer desconforto ou mal estar, interrompa o exercício e abra os olhos.

Recolha-se a um lugar onde não será perturbardo por pelo menos 20 minutos. Afrouxe qualquer peça de roupa e faça-se confortável. Respire profundamente várias vezes até chegar a um estado de relaxamento completo. Então visualise que está num templo sagrado antigo, ancestral, no topo de uma colina. De lá você pode ver a planície abaixo, verdejante, com plantações exuberantes. Respire fundo e sinta-se calmo  e confiante. Entre no templo calmamente. Dirija-se ao altar. Veja as velas acesas, as flores frescas, tudo transmitindo um senso de ordem e sacralidade. Sinta um senso de reverência crescer em seu interior. Reverencie a divindade que está no altar curvando-se respeitosamente. Agora, sinta qual a posição mais adequada para você: em pé, sentado, ajoelhado… E olhe com reverência pra o altar. Quem é a deusa que olha de volta para você? Você tem algum pedido a fazer a ela? Ela tem algo a deizer a você? Escute atentamente.

Agora, caso não esteja sentado, sente-se. Estenda suas mãos para a frente e veja em cada uma das mãos um dos lados do conflito que o divide. Olhe para cada um deles e sinta o conflito. Qual mão pesa mais? Abra os braços, separando as imagens, colocando cada uma delas numa lateral do seu corpo. Agora imagine que você sai do seu lugar e assume a posição da imagem da direita. imagine-se vivendo toda a sua vida a partir dessa escolha; fique alguns momentos sentindo isso. Então saia, volte ao centro e entçao, assuma o lugar da esquerda. Sinta novamente como seria viver a viver somente a partir dessa perspectiva. Volte ao centro novamente e sinta o conflito ainda mais forte. Agora recoloque as imagens nas mãos, como se fossem duas bolas de energia. gradualmente tente aproximar as mãos. Pouco a pouco, sem forçar. Até que você consiga juntar as mãos e fundir as duas bolas, as duas imagens em uma só. Veja se consegue. Sinta o que isso significa. Como VOCÊ se sente? Olhe essa imagem longamente e deixe que ela cale fundo dentro de você. Aos pucos deixe a imagem se desfazer. Levante-se, faça sua reverência à deusa e despeça-se. Saia do templo e olhe novamente o tempo lá fora. Como você se sente? Respire fundo e gradualmente volte ao momento presente e ao ambiente da sua casa. Abra os olhos e seja fiel ao seu desejo: escreva ou pinte, desenhe, etc.

SONY DSC
Virgem – Vitrais da Catedra de Chartres – Chartres, França – Wikimedia Commons

Música para Virgem:

 

(1) Site Festas Cristãs: http://www.antroposofy.com.br/wordpress/as-doze-noites-santas-6a-noite-santa-constelacao-de-libra/

(2) Clare Martin – Mapping the Psyche – CPA Press

(3) Jean Shinoda Bolen – As Deusas e a Mulher – Ed. Paulus

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino – Weiser

(5) Nancy Qualls-Corbett – A Prostitua Sagrada – Ed. Paulus

(6) Elaine Pagels – Os Evangelhos Gnósticos – Ed. Cultrix

Outras Fontes Consultadas:

Sue Tompkins – The Astrologer’s Handbook – Flare Publications – UK

Joanne Wickenburg – Um Guia do Mapa Astral – Ed. Pensamento

As 12 Noites Sagradas – TOURO e o mundo dos sentidos

tourooBom. Hoje é o dia de Touro. Certo.

Vamos devagar, porque não precisamos ter pressa.

Edna Andrade (1), na sua programação das 12 Noites, inspirada por Steiner diz sobre esta noite: “Foram as forças do Touro que configuraram a laringe, o órgão da fala que, segundo o Steiner, está em transformação e que nos estágios evolutivos futuros do ser humano a palavra terá de novo a força plasmadora referida nas Gênesis de todas as religiões. No princípio era o verbo e o verbo estava em Deus.

A palavra será como uma lança sagrada de expressão do amor divino.

Nesta Noite Santa através do portal do Touro o Espírito Santo emana a plenitude do amor divino inspirada como persistência em relação ao que se pretende alcançar.”

 

mae e bebe
Reprodução

Nascemos em Áries e em Touro descobrimos que temos um corpo, descobrimos a textura das coisas. Touro é o bebê brincando com a comida, descobrindo novos sabores, novas texturas. É o bebê brincando com os pés, chupando as mãozinhas, perdido nesse mundo de prazeres sensoriais. Descobrindo que o seio da mamãe não alimenta somente sua barriguinha, mas também lhe dá sensação de conforto, segurança, prazer.

Sidney_Hall_-_Urania's_Mirror_-_Taurus
A constelação de Touro – Do Espelho de Urania, um conjunto de cartões celestiais by Jehoshaphat Aspin – Wikimedia Commons

 

Touro é o primeiro signo de TERRA. É Terra Fixa, Feminina, Passiva, Negativa. Ao contrário de Áries que age de forma rápida, impaciente e decidida, TOURO age de modo totalmente deliberado. Leva muito tempo analisando uma situação antes de tomar decisões. Ele nunca se precipita.  E nem adianta tentar apressá-lo, isso só vai fazer com que ele demore mais ainda. De propósito. Touro é prático, cauteloso, paciente. Aliás, ele não está interessado em “fazer” nada, a ele interessa apenas SER. E TER, claro! Quase nada o tira do sério. Quase nada. Mas quando algo de fato o tira do sério, saia da frente porque é o próprio estouro da boiada. Lembra de Ferdinando, o Touro? Pois é.

touro_feat-672x372
Reprodução

Regido por Vênus-Afrodite, a deusa do Amor, da Beleza e do Sexo,  ele é extremamente charmoso e envolvente. Sensual, sensorial e táctil, vive e interpreta o mundo através dos sentidos, aliás, os sete Pecados Capitais são um problema. Amante da BOA VIDA, dos prazeres e da segurança material, um Taurino de bolso vazio, sem mesa farta e sem SEXO torna-se frustrado e terrivelmente mal humorado. Mas não se preocupe, ambicioso como ele é, esse estado de coisas não dura para sempre e ele logo dá um jeito de reverter a situação. Conservador, não é muito afeito a mudanças bruscas. Gosta da TRADIÇÃO e daquilo que já foi exaustivamente testado. Ser original não é uma de suas preocupações – isso é para Aquário, signo com o qual está em desarmonia. Tudo com ele tem que ser mastigado e digerido lentamente, e principalmente, absorvido, tranquilamente. Seu lema é “devagar e sempre”.

dalizodiac_taurus
Touro – Salvador Dali – Reprodução

O mundo de Touro é o mundo tangível, PALPÁVEL, a realidade do aqui e agora. Por isso é o grande CONSTRUTOR. Seu objetivo é construir algo sólido, de preferência que dure pra sempre e que resista aos mais terríveis terremotos. É PERSEVERANTE, determinado e REALISTA, às vezes vendo o mundo com um excesso de literalismo, exigindo “ver para crer”, o que o faz parecer de pouca poesia e, às vezes, de visão estreita. Ele diria que não é visão estreita, apenas questão de BOM SENSO, afinal, quem é louco de querer correr riscos desnecessários? Sim, ele é TEIMOSO e INFLEXÍVEL, Mas tudo bem, isso é adequado para o Touro, que é completamente orientado para a SEGURANÇA e a ESTABILIDADE. Mas o problema é que tanta estabilidade muitas vezes leva à ESTAGNAÇÃO e ao APEGO, um dos grandes problemas do boi, especialmente o apego a coisas materiais, e às vezes também a pessoas – sim, ele acha que você já é parte do PATRIMÔNIO dele. Essa ROCHA que tanto oferece segurança e que é símbolo de CONFIABILIDADE pode, quando negativo, na verdade bloquear mudanças e avanços necessários. Tem uma pedra no meio do caminho…

67904_506987696004621_1700760124_n
Reprodução

Como ele lida com o mundo dos sentidos, também adora uma MASSAGEM, porque, como já disse, ele é extremamente TÁCTIL e  sensual – dizem que tem o beijo mais quente e mais inesquecível de todo o Zodíaco!!! Adora ser tocado – pelas mãos certas, é claro – assim como sentir sob as mãos texturas diferentes, como a textura da seda, do cetim ou de um simples algodão puro, só não lhe traga essas coisas sintéticas, muito menos imitações baratas, por favor! Perfume é outro de seus prazeres, assim como a boa música, tendo talento para apreciação da beleza na sua expressão mais simples e NATURAL.

SONY DSC
Touro – Vitrais da Catedral de Chartres – Chartre, França

No corpo rege a garganta, a laringe, o pescoço. Geralmente o pescoço se destaca por ser forte e transmitir a impressão de estabilidade e força. Taurinos também costumam ter olhos inconfundíveis, são hipnotizantes, com longos e belos cílios, seja homem ou mulher. Quando você vir um par de olhos fascinantes, dos quais não consegue desviar, está diante de um Taurino/a! Isso, claro, é influência de Vênus-Afrodite, que era chamado “a de olhos de vaca”. Você já olhou dentro dos olhos de um boi ou vaca? São estranhamente belos e tristes, profundos e hipnotizantes… Assim são os olhos do Taurino! Não olhe demais! Você pode ficar enfeitiçado/a!

photobox2 (1)
Photobox – Reprodução

Tudo para ele é descomplicado e gosta da VIDA SIMPLES, especialmente da vida no CAMPO, por isso também é associado à imagem do FAZENDEIRO e do JARDINEIRO. Não que Taurinos não saibam apreciar o luxo. É que eles gostam de qualidade mas não gostam de ostentar. Também não quer dizer que não gostem das cidades, mas é que seu amor pela natureza e seus ciclos é tão grande que ele prefere a placidez das paisagens mais bucólicas – idealmente ele vai manter uma mansão na cidade e uma casa de campo. Touro não  gosta de drama. Como já disse, tudo para ele é muito SIMPLES e CLARO, como as águas do riacho daquela fazenda maravilhosa (ou sítio) que ele trabalhou tanto para conseguir. Sim, seu reino é o MATERIAL, o reino dos sentidos, que também pode ser sua principal armadilha quando se deixa levar somente pelo lado instintivo e indulge excessivamente nos PRAZERES da CARNE, seja a da mesa ou a da cama, quando torna-se indolente e preguiçoso, ou ainda quando tudo é medido apenas pelo valor material e sua preocupação primeira é apenas adquirir mais e mais.

Ferdinand_the_Bull_5
Reprodução

Mencionamos a bucólica estória de Ferdinando acima, mas o mito mais conhecido e associado a Touro é o mito do Minotauro. A estória começa quando o Rei Minos, de Creta, numa contenda com seus irmãos pelo trono de Creta, argumentava que o trono era seu por direito divino. Para comprovar isso, orou ao deus Poseidon que fizesse sair do mar um belo touro branco, que seria prontamente sacrificado como agradecimento e oferenda ao deus, após sua conquista do trono. Poseidon concordou e logo fez aparecer o touro mais belo que já se tinha visto e toda a população aquiesceu, assim como os irmãos de Minos, a que ele tomasse posse do trono. Acontece que ao ver tão belo animal, o rei Minos mudou de ideia e resolveu juntá-lo ao seu rebanho ao invés de sacrificá-lo ao deus conforme havia prometido. Ele achou que seria um desperdício sacrificar uma tão admirável e majestosa besta e que beleza que seria conservá-la para si. Assim, ele a substituiu pelo melhor touro de seu rebanho, achando que Poseidon não se importaria e nem mesmo notaria a troca. Porém Poseidon não só não gostou da troca como resolveu retaliar. Convocou Afrodite, a Vênus grega, deusa do amor e da luxúria, (não por acaso, regente de Touro) a infligir em Parsifae, a mulher do rei Minos, uma paixão compulsiva e ingovernável pelo touro saído do mar. Em sua paixão tresloucada, Parsifae recorreu a Dédalus, o melhor artesão do reino, para que construísse uma vaca de madeira, oca, que permitisse que ela se escondesse em seu interior recebesse o tão desejado touro em intercurso sexual. E assim se deu. Dessa união nasceu então o Minotauro, uma besta horrenda que tinha corpo de homem e cabeça de touro e que se alimentava de carne humana. A população de Creta obviamente condenou a rainha, mas o rei Minos sabia que não podia julgá-la pois tinha sido ele quem havia causado todo aquele imbróglio. Em seu medo e vergonha profunda Minos convocou Dédalos, o mesmo artesão, para que construísse um labirinto no qual a odiosa criatura pudesse ser escondida. Nesse labirinto eram deixados grupos de jovens, rapazes e moças, que tornavam-se alimento para o monstro. A culminação do mito se dá quando Theseu, herói ateniense, se oferece para entrar no labirinto e matar o minotauro. Theseu efetivamente mata a besta e consegue sair do labirinto com ajuda de Ariadne, também filha do rei Minos, que tinha lhe dado um novelo, cuja ponta do fio ele amarrou na entrada do labirinto, para que não se perdesse dentro dele.

800px-Theseus_victor_of_the_Minotaur_mg_0114
Teseus vence o Minotauro – Charles-Édouard Chaise, óleo sobre tela, cerca de 1791 – Wikimedia Commons

De quem é a falta principal dessa estória tão fabulosa? Da rainha Parsifae que atua seu desejo bestial de forma tão crua? Claro que não. Parsifae apenas sofre as consequências da ambição cega de seu marido Minos. Liz Greene (2), ao analisar esse mito, cita o mitólogo Joseph Campbell para explicar porque o pecado de Minos foi tão grave: “a falha primária não foi a da rainha Parsifae, mas a do rei; e ele realmente não a poderia condenar, pois sabia o que ele próprio havia feito: convertera um evento público em proveito próprio quando todo o sentido de sua investidura como rei implicava que ele deixasse de ser pessoa privada. O retorno do touro deveria ter simbolizado sua submissão absoluta e impessoal às funções do cargo. O fato de ele ter mantido o touro em seu poder representava então um impulso de auto engrandecimento egocêntrico. E assim o rei, ‘pela graça de Deus’ tornou-se o perigoso tirano Gancho, aquele que reivindica tudo para si. Assim como os rituais de passagem tradicionais costumavam ensinar ao indivíduo que morresse para o passado e renascesse para o futuro, as grandes cerimônias de posse o privavam de seu caráter de pessoa comum e o vestiam com o manto da sua vocação. Esse era o ideal, fosse o homem um artesão ou um rei. Cometendo o sacrilégio de recusar o ritual, todavia, o indivíduo deixava de fazer parte, como unidade, da unidade mais amplas formada pela comunidade como um todo; e, assim, o Uno tornou-se muitos, passando esses últimos a lutar entre si – cada um por si – tornando-se governáveis, tão somente, pela força.” (2)

mino
Theseu lutando com o Minotauro – Escultura em mármore de Étienne-Jules Ramey (1796–1852). 1826. Nos Jardins Tuileries Paris. Wikimedia Commons

A figura desse monstro-tirano aparece em muitas fábulas, mitos e contos de fadas, simbolizando aquele que se apossa de algo que deveria ser usado para o bem comum. O monstro que só consegue pensar em “meu e para mim”. Esse geralmente é o grande dilema do Touro, a posse, seja de riqueza material, de propriedades, de poder, ou mesmo de pessoas. O esquecer que o Poder e a riqueza, em última instância, têm que estar a serviço de um Bem Maior, e não apenas de seu usufruto pessoal.

O_Minotauro_no_labirinto_Conimbriga
O labirinto do Minotauro – Conimbriga, Portugal 3° Século – Mosaico Romano – Reprodução

Liz Greene analisa que o dilema mais pertinente colocado por essa estória, e com o qual os Taurinos têm que lidar, vida afora, é A QUE DEUS VOCÊ SERVE, aos seus instintos ou a um Bem Maior? Você é um escravo dos seus instintos ou coloca-os a serviço de uma vida íntegra e abundante?
E ela conclui dizendo que o touro, como símbolo dos instintos primitivos humanos, em si mesmo não é mau, mas se nos permitirmos ser regidos por ele, seremos levados à destruição, pois estaremos à mercê unicamente de nossos desejos. O ego, como parte consciente da psique, deve então aprender a dançar com esse touro, cada um respeitando o outro, pois simplesmente reprimir esses instintos, como fez o rei Minos ao trancafiar o Minotauro no labirinto também não é uma boa solução, pois ele se alimentará de nossa energia vital, tornando-se cada vez mais poderoso e ameaçador, até o ponto em que poderá irromper de forma descontrolada e destrutiva.

Edward_Burne-Jones_-_Tile_Design_-_Theseus_and_the_Minotaur_in_the_Labyrinth_-_Google_Art_Project
Edward Burne-Jones – Design em Cerâmica- Teseus e o Minotauro no Labirinto – Wikimedia Commons

Nesse mito, cada uma das personagens é uma faceta diferente do signo de Touro: o deus Poseidon, em sua face magnânima e também vingativa; o ganancioso Rei Minos; a Rainha Parsifae cheia de luxúria; o brilhante artesão Dédalus; o próprio Minotauro como face mais sombria do nosso lado instintivo; o herói Theseu, que vem redimir o reino; e até mesmo Ariadne, que nos dá o fio providencial para sairmos do labirinto.

E você, quem é você nessa estória? O Rei Minos? a Rainha Parsifae? O Herói Theseu? E como você vem lidando com o seu Minotauro interior?

As figuras arquetípicas de Touro são:

O Construtor; O Fazendeiro; O jardineiro; O Banqueiro; O Massagista; O Cozinheiro

240px-Taurus2
Touro – De um livro Medieval de Astrologia – Wikimedia Commons

A Sombra de Touro está ligada ao signo oposto, Escorpião. Enquanto Touro quer construir, quer estabilidade, Escorpião destrói e busca uma crise após a outra, até ter se transformando completamente. Touro precisa aprender com Escorpião a se desapegar e a eliminar aquilo que não serve mais. Mas ambos têm em comum a possessividade, enquanto Touro se dedica a possuir e se apega a coisas, Escorpião possui de forma emocional. Outra parte da Sombra tem a ver com o elemento Terra e o seu oposto, Fogo: o excessivo realismo e pragmatismo do Touro pode jogar a questão espiritual e a imaginação no ponto cego, e, sem perceber, ele pode se tornar um verdadeiro fanático e se dedicar com fervor religioso a causas não religiosas, como por exemplo, o próprio ateísmo. Irônico, não? É A gente faz dessas coisas quando nosso consciente não está olhando… Karl Marx é um caso exemplar. Richard Dawkins é outro – ele não tem o Sol em Touro, mas tem uma conjunção Saturno-Urano em Touro e vejam só o fervor com que o cara ataca a religiosidade dos outros… Outra característica que frequentemente cai no ponto cego do Boi é a intolerância. Em seu grande bom senso, ele tem grande dificuldade de se colocar no lugar dos outros e perceber a validade de pontos de vista diferentes dos seus. E  da intolerância para o preconceito é só um pulinho o o preconceito, nós sabemos, nasce do medo de que a tão amada segurança esteja sendo ameaçada pelo “diferente”, pelo “novo”.  E ainda um outro problema desta sombra também é compartilhado com os outros signos de Terra: a tendência a usar as pessoas. Liz Greene (3) diz ainda que o oportunismo e o fanatismo são distorções do Fogo reprimido em Touro. Como sempre, características relacionadas à sombra são inconscientes e certamente o Touro não se dá conta de que tem esses, hum, “predicados”. mas eles estão lá. E ajuda, se ele apenas se der ao trabalho de se observar um pouco mais…

Damon Hellandbrand Touro
Damon Hellandbrand – Touro

Touro é o signo da simplicidade, como disse acima. Tem a missão de descobrir como ser feliz com pouco e de descobrir o que é essencial, o que é de valor vital. Assim, tirada do oráculo do Osho, nossa meditação de hoje vai buscar exatamente isso. Para esta meditação você deverá estar sentado/a, pés firmemente apoiados no chão, mãos sobre as pernas com as palmas viradas para dentro e com os olhos fechados.Respire calmamente três vezes, lembrando-se que a intenção deste exercício é devolver a agradável sensação da Simplicidade.

E veja, sinta, perceba-se sentado num banco que está sobre uma relva macia e verdejante. Respire profundamente e quando soltar o ar imagine que sai pelo topo de sua cabeça uma camada fina de toda a sua pele. Ela se esvai e desaparece no ar. É a sua pele do orgulho que se foi. Respire mais uma vez e ao expirar sinta que uma outra pele fininha sai pelo topo da sua cabeça e se dilui no Universo: é a sua pele da vaidade. Respire mais uma vez e ao expirar imagine saindo pelo topo de sua cabeça uma outra pele fininha de todo o seu corpo. É a pele da prepotência que se desmancha ao vento.

Agora que está livre daquilo que embaça seu verdadeiro ser, entre em contato com o que há de mais verdadeiro e simples dentro de você. E sentindo que ao fazer este exercício lava sua alma e traz de volta sua verdadeira essência, respire e abra os olhos.

Johfra-Bosschart-Taurus-3x4.1
Johfra Bosschart – Touro – Reprodução

Música para Touro

 

 

E Amanhã é o dia de Gêmeos!

Programação das 12 Noites Sagradas:

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Edna Andrade – Festas Cristãs

(2) Liz Greene – A Astrologia do Destino
(3) Joseph Campbell – O Heróri de Mil Faces

(4) Liz Greende – Astrology for Lovers

As 12 Noites Sagradas – ÁRIES, o Cavaleiro na Armadura Brilhante

ariesss
Reprodução

Hoje dedicamos o dia e a noite a ÁRIES

(Aproveito, já que estamos falando do signo da impaciência, para alertar aos leitores do blog, acostumados a uma ou duas publicações semanais, que as publicações diárias seguirão somente até o dia 06/01, período em que acaba a jornada das 12 Noites Sagradas. Agradeço a compreensão).

“Por que o Ariano atravessou a rua? Para bater boca com alguém lá do outro lado” – Acho que todo mundo já ouviu essa piada, não? Mas será que é justa à personalidade de Áries? Digam vocês, Arianos!

 

carneiro1
Carneiro montanhês – Reprodução

Brincadeiras à parte, hoje é o dia de ÁRIES e eu já comecei com uma provocação. O dia foi corrido, cheio de atividades, e eu chego aqui meio “esbaforida” para publicar este texto com atraso. Esbaforido geralmente é o Ariano, tentando fazer tudo com pressa, tentando acabar antes de todo mundo, tanto que muitas deixa as coisas pela metade, ou faz tudo de qualquer jeito, porque para ele, o importante é ser o primeiro. Então Ariano, uma das tarefas é também aprender as coisas até o fim e cuidar para que fiquem bem feitas, Ok? E no seu dia, algo especial aconteceu?

Para Áries, Rudolf Steiner visualiza: “Este é o portal por onde o filho de Deus, o Eu cósmico adentrou da esfera macrocósmica, da esfera do Brama, Javé, de Alá, da esfera do divino para a nossa existência. Através deste portal ressoa no nosso cosmos vindo das regiões macrocósmicas além do zodíaco a voz do Pai”

“Este é o meu filho muito amado, hoje eu o engendrei.”

Aries or al-ħamal. Page from a manuscript known as Kitab al-bulhan or Book of Wonders held at the Bodelian Library. Shelfmark MS. Bodl. Or. 133
Manuscrito conhecido como Kitab al-bulhan ou Livro das Maravilhas, mantido na Livraria Bodelian – Wikimedia Commons

Áries é o arquétipo da INICIAÇÃO, porque representa o arquétipo do parto, uma luta de vida e morte. O bebê está em êxtase na simbiose perfeita com a mãe no útero (PEIXES) e lá ele seria feliz para sempre, mas o tempo acabou e é hora de nascer, se não nascer morre. E ainda mata a mãe. É hora de deixar o paraíso e encarnar na experiência terrena da vida. Áries é esse bebê e a hora do parto. Da mesma forma, regido por Marte, o mais masculino dos planetas, ele é o poder fálico e inseminador por excelência, estejamos nós falando de homem ou mulher. Onde temos Áries no mapa natal é onde devemos ousar ser nós mesmos, ser pioneiros e nos colocar em primeiro lugar, sem pedir desculpas a ninguém. Aliás, aproveito para esclarecer uma coisa. algumas pessoas me reportam que quando leem sobre seu signo solar elas não se reconhecem, não conseguem perceber as qualidades do signo em si mesmas. Esse é um equívoco comum na Astrologia, gerado, em parte, pelas colunas de horóscopo. Acontece que o signo do Sol, o signo solar representa as qualidades que a pessoa veio desenvolver nesta vida, através do esforço consciente e empenhado. Então essas qualidades NÃO lhe foram dadas de graça. O que lhe é dado de graça é o signo da Lua, que representa as suas reações instintivas, automáticas. A Lua é fácil de reconhecer, mas o Sol… Isso é trabalho consistente, comprometido permanente. A Lua é o passado, o que você já trouxe na bagagem. O Sol é o futuro, aquilo que você veio se tornar e está se tornando. Então, quando a pessoa tem vários planetas nos signo solar, além do Sol, essa tarefa é, digamos, facilitada, mas quando só tem o Sol e tem um monte de outros pontos em outros signos, realmente vai demandar mais esforço. Tendo esclarecido isso, quero lembrar aos Arianos que ter o Sol em Áries significa que vocês vieram SE TORNAR Arianos, vieram trabalhar com afinco para desenvolver as qualidades da CORAGEM, PIONEIRISMO, AUDÁCIA!

butting heads
Carneiros em época de acasalamento – Reprodução

Áries é o FOGO CARDINAL, ATIVO, POSITIVO e MASCULINO, o fogo mais primitivo e mais puro. Tem energia de impulso, de AÇÃO, de ir para a frente. Vai “com a cabeça”, assim como o bebê tem que forçar a cabeça pelo canal do parto para nascer. O CARNEIRO é seu animal e símbolo, um animal que dá “cabeçadas” competindo com outros machos pela fêmea na época do acasalamento. Obviamente Áries rege a cabeça. O símbolo do signo lembra exatamente os chifres do carneiro, ou ainda as sobrancelhas carregadas do Ariano.

IMG_0492
Marte, regente de Áries – Maria Eunice Sousa

Para irmos direto ao ponto, já que ninguém aqui tem paciência para muita conversa nem para perder tempo, relaciono algumas palavras chaves que traduzem a alma do carneiro: enérgico, direto, honesto, imediato, rápido, ágil, impulsivo, instintivo, imaturo, ativo, decidido, heroico, corajoso, impaciente, ansioso, irritado, precipitado, imprudente, brusco, rude, agressivo… Sim, senhoras e senhores, ele é SELVAGEM! A lista é enorme e você pode acrescentar aqui os predicados que já lhe ocorreram nas interações com o Carneiro – muitas vezes almas mais delicadas saem com sérios arranhões das interações com este moço ou moça esquentado. “Parece que ele patrola os sentimentos alheios sem nem mesmo notar, mas não há nada de desonesto ou malicioso neste signo, que é primal e espontâneo demais para isso”, diz Clare Martin (2). Tanto que se lhe contarem que machucou alguém ele ficará mortificado, sem nem saber quando se deu isso e explode zangado muitas vezes, mas é mesmo o “arroto” de um dragão, explode e logo passa, sem ficar nem mágoa nem rancor. O que sobra de honestidade e franqueza, falta em sutileza e tato, mas seu coração é bom, inocente e altaneiro. Ocorre que Áries, como impulso primitivo de vida, nasce para ser o primeiro, para buscar o que quer sem se desculpar por isso.

aries-constellation
Constelação de Áries – Reprodução

Aliás, ele tem o coração dos grandes heróis e HEROICA é sua jornada. Áries tem necessidade de defender e lutar por uma causa, se for uma donzela em perigo que precisa ser salva de um dragão mau, melhor ainda. Há a necessidade, como todos os signos de fogo, de se sentir vivendo um mito, uma estória épica e grandiosa, porque o fogo é dramático, precisa estar no centro do palco, precisa ser o grande protagonista do seu mito pessoal. E sim, como signo de FOGO, ele é um grande romântico, um inocente que acredita na boa fé das pessoas, que vive boa parte da sua vida nesse mito pessoal que se descortina dentro da sua cabeça, como num cenário medieval, de cortes, reis, princesas e cavaleiros. Áries também precisa dessa perspectiva de ter uma donzela em perigo para ser salva, uma causa para defender. Pois ele tem um grande senso de justiça e sempre se coloca ao lados do mais fraco.

Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender (2)
Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender – Wikimedia Commons

Ele tem PAIXÃO e impulso e seu caráter é forjado na BATALHA, sejam elas verbais ou físicas, assim, o pequeno carneiro desde cedo pode se envolver em brigas na escola, porque não gosta de levar desaforo para casa. COMPETITIVO,  ele geralmente se sai bem em atividades físicas e esportes em geral porque Marte, o regente de Áries é um planeta que se expressa essencialmente no corpo, sendo o planeta que rege os glóbulos vermelhos e o próprio sangue, então a energia e a estamina físicas são uma característica marcantes do Ariano que costuma ter corpo de musculatura definida e rija e com tanta energia para gastar, ele precisa mesmo se engajar em algum tipo de esporte afinal, é melhor isso do que se engalfinhar por aí e sair trocando sopapos pelas ruas, certo? E não se engane, além de estamina física, ele também tem grande poder intelectual e grande visão espiritual e parte da sua jornada é buscar a iluminação, porque a luta mais importante de todas, é consigo mesmo. O guerreiro mais forte e mais valente é aquele que venceu os próprios medos, aquele que venceu a si mesmo! O guerreiro, o herói não nasce pronto, ele deve se lançar numa jornada que de autoconhecimento e provações que o transformarão, que o obrigarão ao auto-confronto, que o levarão a descobrir quem ele sempre foi, mas não sabia.

aries alc
Iconografia Medieval – Reprodução

Mas por que ele se envolve em tantas brigas? Por que tantas bravatas? No fundo, é porque ele precisa se provar. No fundo, o Ariano é um medroso, mas é um medo que precisa ser masterizado, então, por isso ele se coloca à prova, para vencer este medo e a covardia. O fato de se jogar de cabeça não quer dizer que não tenha inseguranças – embora ele jamais vá confessar isso para você! – quer dizer apenas que ele não vai se deixar dominar por ela. Ele também se joga de cabeça nessas situações de perigo e de lutas absurdas porque precisa provar sua masculinidade, um tema que lhe é muito caro. E é claro, ele detesta dor e detesta mais ainda ficar doente – vira uma manteiga derretida se tiver que ficar de cama. E sim, tudo isso se aplica tanto ao homem quanto à mulher de Áries!

Aries_zodiac_sign,_Jantar_Mantar,_Jaipur,_India
Aries – Jantar Mantar, Jaipur, India. Século XVIII DC

Quando negativo ou exagerado, pode ser um déspota que sai pisando nos calos de todo mundo. Grosseiro, alienado, de mente estreita, visão curta, desastrado, inconsequente, ineficiente e ineficaz, ele pode se tornar persona non grata num raio de muitos quilômetros de distancia, se não aprende a dominar o próprio gênio. Por outro lado, outra expressão negativa é quando vira um capacho incapaz de se afirmar ou de bancar a própria vontade, se desculpando a todo mundo só pelo fato de existir – aqui é necessário olhar o posicionamento e os aspectos de Marte.

Aries the Ram, from Guido Bonatti Liber Astronomiae
Áries, o Carneiro – Guido Bonatti Liber Astronomiae

Os mitos e heróis relacionados a Áries são muitos, podemos citar, só para começar, Aquiles, o herói grego, Joana D’Arc, Robin Hood ou qualquer outro herói intrépido que se coloca em defesa dos oprimidos. Áries também está associado ao Deus Javé da Bíblia, o Deus criador de todas as coisas, um Deus enérgico e por vezes cruel quando desobedecido. Eu também o associo à estória da Rapunzel, porque essa estória tem todos os elementos de Áries: a princesa presa numa torre que precisa ser salva de uma bruxa malvada; os cabelos longos e todos os demais detalhes. Podemos relacioná-lo ainda a Hércules, Heracles para os Gregos, outro herói grego, embora Hércules tenha desempenhado 12 tarefas, cada uma delas associada a um signo. A tarefa relacionada a Áries foi capturar os cavalos de Diomedes, animais que se alimentavam de carne humana e que semeavam o terror na região. O próprio Diomedes, rei da raça guerreira chamada Bistones, os alimentava assim. Hércules foi encarregado de capturar os quatro cavalos e levá-los para Micenas. E mais uma vez Hércules provou sua força, coragem e valentia.

Tosão de ouro121
O Velo de Ouro carregando Prixus e Helle – Reprodução

Mas o mito mais conhecido é o de Jasão e o Velocino de Ouro, que, em suma, é o encontro com o Pai Terrível, um dos temas mais importantes da vida de Áries. Havia um carneiro sobrenatural que foi enviado por Zeus para salvar Prixus e Helle de sua madrasta malvada e que os carregou nas costas até Colchis. Helle caiu e se afogou no mar, mas Phrixus chegou são e salvo e tornou-se protegido do Rei Aetes, um mago que era filho do Deus. Helio Phrixus sacrificou o carneiro e pendurou sua pele numa caverna sagrada guardada por um dragão, onde virou ouro. Foi a mesma pele, chamada de velocino, que Jasão foi atrás sob grandes perigos. Jasão era o herdeiro do trono de Iolkos, na Tessália, mas seu tio Pelias usurpou o poder colocando a criança em risco. Ele foi enviado então para ser criado e educado por Quíron, o Centauro sábio. Quando Jasão cresceu e chegou à idade de lutar, ele voltou à terra natal disposto a retomar seu lugar de direito. Na viagem ele perdeu uma sandália enquanto ajudava uma velha senhora (Hera disfarçada). Seu tio malvado havia sido avisado para tomar cuidado com um estranho que aparecesse calçado com uma única sandália. Quando confrontado pelo sobrinho, Pelias se fez de desentendido e reconheceu o sobrinho como herdeiro legítimo, mas o enviou numa missão para recuperar o velocino de ouro, para que o espírito de Phrixus pudesse descansar em paz. Claro que ele sabia dos perigos e enviava o sobrinho de propósito. Jasão arregimentou famosa tripulação de Argonautas e seguiu viagem, ajudados por Atena, Poseidon e Hera ruma para a corte do Rei Aetes. Lá, ajudado por sua filha Medeia, uma sacerdotisa e feiticeira,  ele matou o dragão, roubou o velocino e voltou para casa, livrou-se de seu tio Pelias e finalmente tornou-se rei.

Girolamo_Macchietti_002
Jasão e Medeia – Girolamo Macchietti – Reprodução

A estória de Jasão é emblemática do herói, pois há todos os elementos: a criança em perigo que é criada em segredo e se torna um guerreiro e luta para reaver seu trono e poder, no processo superando a si mesmo e suas limitações; e o tio maldoso, que encarna o arquétipo do Pai Terrível. O tio o envia na jornada perigosa certo de que o herói não volta. Esse tio/pai terrível representa o velho sistema que precisa morrer para que o novo surja, o novo sendo representado por Jasão. Liz Greene fala desse mito (3): “O impulso de se lançar contra perigos terríveis para provar a própria potência e coragem é outro tema de Áries, tanto do homem quanto da mulher. O velocino é um emblema desse conjunto interior de valores espirituais, que em ultima instancia é o deus ‘escondido’ em si mesmo”. E parece “destino” de Áries lutar contra esse Pai Terrível vida afora, seja na figura do pai biológico, tios, de professores, de chefes ou outras figuras de autoridade – no caso das mulheres, também contra o marido. Esse padrão de desenvolvimento implica a luta, a competição, e não é necessariamente patológico, é apenas o padrão de Áries.

dalizodiac_aries
Áries – Salvador Dali – Reprodução

Tudo acabaria bem, não fosse Jasão ter sido ingrato com Medeia, que foi instrumental na sua conquista, utilizando seus poderes de feiticeira pra ajudá-lo. Ele tinha se casado com ela e tiveram dois filhos. Mas quando voltou pra Iolkos, anos depois, ele tinha se entediado com ela, o casamento tinha perdido a graça e ele cortejou a filha do Rei de Corinto, Glaucia. E ele desiste de Medeia, que personificava, na verdade a relação com sua anima, com o feminino interior – que aliás o ajuda a estória inteira, na forma de muitas mulheres. Agora, além de uma boa mulher, ele queria poder e fama. Problema básico de Áries, que quer sempre MAIS, a hubris, o desejo de poder. Assim, Medeia ficou muito zangada e ela não era uma mulher qualquer. Para se vingar, Medeia matou Glaucia e os próprios filhos que tinha tido com Jasão, fugindo numa carruagem puxada por dragões alados e amaldiçoando Jasão. Jasão desceu ladeira abaixo depois disso, envelheceu e ficou impotente e morreu com uma paulada na cabeça causada por um pedaço de seu navio podre. No fim, Jasão se tornou, ele mesmo, uma versão do Pai Terrível – e é assim que normalmente se dá, depois que chega ao poder, o herói não quer mais abrir mão dele, nem mesmo quando é evidente que seu tempo já passou e que ele deveria ceder lugar ao novo.

aries
Vitrais da Catedral de Chartes – Reprodução

Outro mito concernente a Áries é o mito de Édipo. Neste mito, o Reio Laios assumiu o reino depois da morte do Rei Amphiom e se casou com a filha de Menoceu, Jocasta. Laios foi alertado por um oráculo para não ter filhos, pois se o fizesse, seu filho seu o mataria e se casaria depois com a própria mãe. mas um dia ele estava muito bêbado e teve relações com Jocasta, que acabou ficando grávida e dando à luz depois a um menino. Laios abandonou o filho no Monte Citara, mas ele foi encontrado por um pastor que levou a criança à Rainha Periboia, de Corinto e por ela ele foi criado. O menino cresceu e se tornou mais forte do que aqueles da sua idade, sendo vítima de ciúmes e inveja e sendo chamado de “falso” filho. Isso o levou a procurar o Oráculo de Delfos onde perguntou quem eram seus verdadeiros pais e o deus lhe disse para não retornar à sua terra natal, pois se o fizesse ele mataria seu próprio pai. Acreditando que o Rei Polibos, de Corinto era seu pai, ele para lá não voltou. Mas, viajando pela região de Phocis em sua carruagem, ele se deparou com o Rei Laios, que também dirigia uma carruagem, num caminho muito estreito. O criado de Laios ordenou a Édipo que desse passagem e quando ele demorou a obedecer, o criado matou um de seus cavalos. Édipo se enfureceu e matou a ambos, o criado e ao Rei Laios. Laios foi enterrado pelo Rei da Plataea e o Creonte o sucedeu.

Gustave_Moreau_005
Gustave Moreau – Édipo e a Esfinge – Reprodução

Durante este reinado Tebas foi acometida de grande desastre porque Hera enviou a Esfinge, que tinha a face de uma mulher, o peito, os pés e a cauda de um leão e asas de pássaro. A esfinge tinha um enigma que desafia o povo de Tebas: “o que é que tem uma única voz e que tem quatro pés, depois dois e depois três pés?”. O povo só livraria da Esfinge quando o enigma fosse resolvido e a Esfinge seguia devorando os homens. Até que Creonte anunciou que daria tanto o reino quanto a viúva de Laios ao homem que resolvesse o enigma, tal a destruição causada pela Esfinge. Édipo ouviu isso e se interessou e de fato, resolveu o enigma, dizendo que a resposta era o homem, que ao nascer engatinha e tinha como que quatro pés; firmava-se em dois pés quando adulto e na velhice adquiria um terceiro pé na forma de uma bengala. Assim, ele ganhou o trono, e, sem perceberu, casou-se com sua mãe, com quem teve dois filhos e duas filhas. Quando a verdade foi descoberta, Jocasta se enforcou e Édipo furou os próprios olhos e foi escorraçado de Tebas amaldiçoando os próprios filhos, que o viram ir embora sem poder ajudá-lo. Édipo levou consigo apenas sua filha, Antígona e morreu no Santuário de Eumenides, não muito tempo depois de lá chegar (4). Liz Greene diz que, ao contrário da análise de Freud sobre este mito, o pecado de Édipo não foi o desejo pela própria mãe que teria gerado o famoso complexo de Édipo – afinal, ele matou o pai muito antes de conhecer a mãe. Seu grande pecado é na verdade, o pecado da ira, da fúria que o dominou. Ele ficou enfurecido porque o Rei quis passar primeiro no estreito caminho. Aqui também nos defrontamos com o Rei que se recusa a ouvir o Oráculo de Apolo e acredita que pode contorná-lo apenas com a própria vontade. A estória trata, na verdade, não de uma competição para ver quem fica com o prêmio, ou a mulher, no caso Jocasta. ocorre que Laios havia cometido um pecado, que deu origem à maldição que caiu sobre sua casa: Laios havia estuprado o filho do Rei Pelops, enquanto os dois eram hóspedes em sua casa, assim, ele violou duas leis sagradas para os gregos: a lei do anfitrião e do hóspede e  também a lei do próprio sexo, uma lei masculina, ao estuprar o filho de seu amigo. Por causa disso Laios foi amaldiçoado e também sua descendência, então, antes de ser um pecado de Édipo, este é novamente, um pecado do pai, e essa é não uma estória a respeito de incesto ou de desejo pela própria mãe, mas uma estória de Pai e Filho.

Damon Hellandbrand Aries
Damon Hellandbrand Aries – Reprodução

Para finalizar, falemos da Sombra de Áries, que, como você já imaginou, está ligada ao signo oposto, Libra. Quando muito negativo, Áries pode se revelar um verdadeiro capacho, incapaz de tomar as próprias decisões, vivendo emburrando, com inveja de todos os outros que conseguem se expressar como ele não o faz.  Outra faceta desta sombra tem a ver com a dificuldade de lidar com o lado material da vida e isso ele compartilha com os outros signos de fogo. Como é um idealista, ele espera que as coisas tomem conta de si mesmas sozinhas, então, não me venha falar de contas a pagar, do uniforme das crianças quando eu tenho tantas coisas “mais importantes” para resolver… então, ele pode se tornar um grande de um folgado, que espera que os outros paguem as contas, afinal, ele é o Grande Cavaleiro na armadura reluzente e do cavalo branco, certo? Sim, ele tem um sonho secreto de achar alguém que patrocine seus sonhos de grandeza, com todas as honras… Ele está tão encantado com sua própria visão e sonho que espera, candidamente, que outras almas menos criativas ou luminosas deveriam lhe dar o suporte necessário, financeiro, claro! Enquanto ele espera esse patrocinador fabuloso, ele senta no sofá em frente à TV e faz nada e os outros estão na corrida, bem à frente dele. Sim, ele pode ser um grande trabalhador, ele gosta de trabalhar! mas uma criatura valente e talentosa como ele não pode trabalhar em qualquer coisa, entende? Isso seria um desperdício indesculpável! A sombra dele também pode ser melindrosa e mesquinha. Ele pode se perder em ninharias, se desgastar em coisas pequenas, usando essas coisas menores como verdadeiras bandeiras de mudanças no mundo, tudo para ter um senso de importância, para se sentir numa grande cruzada contra o mal, ou contra o dragão da maldade. Segundo Liz, Dom Quixote é uma figura emblemática da Sombra de Áries, combatendo seus moinhos de vento: Essa característica peculiar do Cavaleiro na Armadura Brilhante é muito desconcertante, uma vez que Áries normalmente é grande em tudo: no coração, na carteira, na visão. Contudo, ele pode explodir por causa de ninharias. As ninharias são geralmente coisas mundanas, detalhes pequenos e triviais que faria os signos de Terra rirem simplesmente e seguir em frente”, diz Liz. É, Ariano, nada é perfeito neste mundo, nem mesmo o Herói do Cavalo Branco na Armadura Brilhante…

Figuras e temas arquetípicos de Áries:

O Pioneiro, O Guerreiro, O Caçador, O Empreendedor, O bebê, O Parto, A Iniciação, Novos Começos, O Bombeiro, O Soldado, O Militar, O Lutador, O Esportista

vamos_dancar
Reprodução

Meditação para Áries:

Áries não tem muita paciência para ficar meditando da forma tradicional. precisa de ação e dinamismo. Então pensei em uma meditação diferente, ativa. Marte, regente de Áries era o deus da dança. “Dançar é lutar com seu anjo”, alguém já disse. Então sugiro que você coloque uma música de sua preferência, se for dinâmica, melhor. Afaste as cadeiras da sala, feche os olhos e comece a se balançar, sem sair do lugar. Sinta que alguém entrou na sala, sinta a presença forte. Visualize uma figura alta e forte, decidida e vigorosa. Este é o seu anjo. Olhe direto nos olhos dele, perceba, sinta o que eles transmitem. Ele lhe convida para dançar. Aceite, sem desviar o olhos dos olhos dele. Engaje-se nessa dança e esqueça o mundo ao redor. Concentre-se na vivência e dance apaixonadamente, vigorosamente. Escute se ele lhe diz alguma coisa enquanto vocês dançam. Que rítmo é a música? Que sentimentos ela lhe passa? Dance, dance, dance. Seu anjo tem uma lição a lhe ensinar através destes movimentos. Qual é a lição? Aos poucos sinta a música ir diminuindo o ritmo e o volume. Olhe nos olhos do seu anjo. Perceba se ele quer lhe dizer algo, agradeça e deixe-o ir. Abra os olhos e escreva sobre sua experiência.

Johfra-Bosschart-Aries40q3x4.7@150
Johfra Bosschart – Áries – Reprodução

MÚSICA PARA ÁRIES

 

Amanhã é o dia de Touro, energia completamente diferente. Observe como seu dia se desenrola.

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

images (9)
Reprodução

Fontes:

(1) Edna Andrade, em Festas Cristãs 

(2) Clare Martin – Mapping the Psyche

(3) Liz Greene – A AStrologia do Destino

(4) APOLLODORUS – The Library of Greek Mithology

As 12 Noites Sagradas – PEIXES e a Saudade da Unidade

PEIXESHoje dedicamos o dia e a noite a PEIXES.

A jornada idealizada e proposta por Rudolf Steiner é aberta exatamente por Peixes e segue de trás para frente. Edna Andrade, no site Festas Cristãs (1) fala sobre isso: “A sabedoria antiga nos conta que foram as forças espirituais de Peixes que configuraram os pés humanos – regidos por Peixes. Quando observamos os pés verificamos que eles são formados em forma de uma abobada que vai propiciar, simultaneamente com a verticalização da coluna, o andar ereto, primeiro grande aprendizado da vida. Quando criança nos arrastamos, engatinhamos e finalmente nos erguemos e nos apoiamos nos nossos próprios pés superando as forças da gravidade, significando isto uma grande conquista e a condição para o desenvolvimento do pensamento, sendo o pensar o que diferencia o Humano dos outros reinos da natureza”.

dalizodiac_pisces
Salvador Dali – Peixes – Reprodução

Ao longo da vida seguidamente fazemos uma analogia íntima com este fato: ‘andar nos meus próprios pés, saber por onde ando, seguir os meus próprios passos, não vou andar nos passos de ninguém’. São expressões que exprimem uma correta relação com a terra e com o destino em termos de liberdade pessoal.” (1)

De Peixes recebemos “os impulsos para nos firmarmos nos próprios pés e nos erguermos, condições básicas para alcançar a liberdade individual, meta à qual nos destinamos como seres individualizados”.

pisces (2)
Peixes – Vitrais da Catedral de Chartres França

Em PEIXES chega-se ao fim do ciclo zodiacal e encerra-se o escopo arquetípico da experiência humana. Por isso se diz que Peixes, de certa forma, é a síntese de todos os outros signos. Por ser tão inclusivo e abarcar tanto dos outros, é muito difícil definí-lo. É um signo extremamente impessoal, em que o Ego, que levou os outros 11 signos para se definir, agora busca sua dissolução completa. Mas por ser o último, também é o primeiro, é o material e a promessa de onde nasce o novo ciclo e a Casa 12 no mapa natal, a casa natural de Peixes, é considerada a casa pré-natal, porque é a casa imediatamente anterior ao Ascendente, que marca o arquétipo do parto.

240px-Pisces2
Peixes – coleção antiga – Reprodução

Signo de ÁGUA MUTÁVEL, NEGATIVO, FEMININO, PASSIVO, YIN, Peixes absorve as influências do ambiente com facilidade, assim como a água, que se mistura a tudo o que toca e está sempre mudando de forma conforme o recipiente que a contém. Pessoas com grande ênfase em Peixes são como “ESPONJAS PSÍQUICAS”, diz Clare Martin: “Se alguém deprimido ou zangado entra na sala, o Pisciano pode facilmente começar a se sentir deprimido, zangado ou infeliz, sem saber porquê. Se essa capacidade para a fusão simbiótica é conscientemente reconhecida e aproveitada, pode ser um dom extremamente útil nas profissões de AJUDA e de CURA”. (2) Peixes não julga e sua compaixão e altruísmo imensos podem ser dirigidas a qualquer coisa ou pessoa que precise.

Pisces-Larger_600
Atlas Coelestis – Reprodução

Porém, quando não vivenciadas conscientemente, essas qualidades podem causar problemas, porque a pessoa tem dificuldade em estabelecer limites saudáveis entre seus conteúdos e os dos outros, ou até mesmo em separar realidade do que percebe de outras dimensões e esferas.  Ele é INCLUSIVO, porque não percebe barreiras entre as pessoas e é ABSORVENTE de tudo o que “boia” ao redor e por isso mesmo, pode ser muito influenciável pelas correntes invisíveis na atmosfera, sendo necessário que aprenda a erigir limites e barreiras que o protejam da invasão exterior ou mesmo de se misturar excessivamente com os conteúdos alheios. Peixes é famoso por sua SENSITIVIDADE e MEDIUNIDADE, e muitos, ao não entender, ou não conseguir lidar com isso, bloqueiam esse dom cedo na vida, tornando-se CÉTICOS depois – falamos deles mais abaixo.

Pisces
Birth Chart Paiting

E por que ele é tão inclusivo? Porque para Peixes não existe melhor ou pior, superior ou inferior, tudo são condições transitórias, ditadas pela impermanência e pelo estágio de evolução particular de cada um, por isso Peixes não julga nem separa e para este signo tanto faz se a pessoa é prostituta, pobre, presidente da empresa ou do país, um mendigo na rua, um adicto, um louco ou deficiente mental, uma pessoa comum, um trabalhador, uma criança ou um velho, negro ou branco… Todos são iguais, assim como todos eram iguais para o Cristo. Em sua compaixão ele não vê separação ou diferença porque, afinal, todos viemos da mesma fonte e para lá voltaremos um dia. Somo todos partes do mesmo todo, interconectados, interdependentes numa rede infinita que liga todas as formas de vida e de energia. Essa tendência a abraçar e incluir a tudo e a todos frequentemente o coloca em confusão e o torna influenciável, muitas vezes CRÉDULO e IMPRESSIONÁVEL, podendo ser uma presa fácil para espertalhões, porque toda essa inclusão o torna também muito IDEALISTA e incapaz de perceber as pessoas pelo que elas realmente são, na sua versão humana mais primitiva. Vê o mundo sob lentes cor-de-rosa e é claro, quando se é muito idealista, está-se fadado a decepções e desapontamentos.

the fool
O Louco – Arcano do Tarô

Peixes é o signo menos “mundano” de todos e aquele que tem o senso mais frágil de “self”, de si mesmo e até de ego, porque em primeiro lugar, ele nem mesmo queria estar encarnado! A experiência da encarnação na matéria é extremamente dura e difícil para Peixes, mais do que para qualquer outro signo. Ele é de outro mundo, de outra dimensão, de outra galáxia. Ele vem de um mundo onde tudo é perfeito, onde não há separação, doença, morte, onde tudo é belo, tudo é unidade e amor, onde o universo respira em uníssono. E quando se vem de um tal mundo perfeito, a experiência humana é realmente dolorosa e sem muito sentido, por isso Peixes odeia a sordidez e a mesquinhez da vida mundana, das contas a pagar, do emprego, da competição desenfreada, da miséria e escassez de amor que muitas vezes personifica a vida na terra. Estar encarnado num corpo para Peixes é pesado demais e por isso mesmo é um dos signos que mais tem propensão para adicções porque através delas ele tentar voltar para o Paraíso Perdido do Éden, da Unidade com o Pai e a Fonte da Vida.

ce47a332af018b21f585d2a1860376b2Dizem que o rio sente saudades do mar, assim como a alma sente saudades de Deus, da Unidade. E Peixes é o signo onde essa saudade é mais aguda e mais doída. Essa nostalgia e essa saudade de algo indefinido e inominável é a saudade do Inefável, mas que Peixes leva uma vida inteira para reconhecer. Neste anseio e nesta fome, ele vai pela vida tentando encontrar o objeto da sua saudade em coisas, pessoas, situações, em vão. Daí desenvolvem-se as adicções de todo o tipo. Outros talvez busquem em caminhos menos tortuosos, pela arte ou pelo misticismo. Outros ainda, sem um ego forte o bastante que suporte e contenha as forças do Inconsciente, simplesmente sucumbem a ele e entram em estados de psicose. E ainda tem os que, ao perceber o mundo de imperfeição em que caíram, emprestam seus dons para ajudar e curar, porque sua grande compaixão e altruísmo demandam que façam algo concreto para minimizar o sofrimento e essa imperfeição que vêem no mundo, são os curadores e os servidores. Assim, o drogado, o alcoólatra o louco, o místico, o artista, o curador… Todos estão buscando a mesma coisa, só que de formas diferentes: todos estão tentando ESCAPAR da miséria humana, todos buscam voltar a Deus, retornar à fonte, mas alguns o fazem de maneira muito destrutiva. Isabel Hickey, astróloga americana dizia a respeito de indivíduos com fortes posicionamentos em Peixes ou na casa 12: “Ou sirva ou sofra!”. E assim é. Peixes é o grande mártir do Zodíaco, porque capta o sofrimento de toda a humanidade e os vivencia, tornando-se, muitas vezes, o paciente identificado, a vítima ou a ovelha sacrificial. Ou ele se identifica com o salvador ou com a vítima, ou com o Redentor ou com o redimido.

sacrificio2
Reprodução

Mas claro, há o Peixes cético. Aquele que, ao ser confrontado com os limites tênues da “realidade” e perceber outras realidades espirituais, algumas delas absurdamente assustadoras, erigiu defesas extremamente eficientes contra os poderes do inconsciente, contra as forças irracionais e incompreensíveis que ele não controlava e foi para o extremo oposto da ultra-racionalidade, negando suas percepções e dons, abafando-os completamente até que eles se extinguiram ou viraram apenas uma lembrança borrada de um passado distante. Esse tipo de Peixes costuma se dar muito bem nos meios acadêmicos que endeusam a lógica e a razão, ele se sobressai nos mercados financeiros, porque inconscientemente usa seu feeling para intuir o caminho certo. Mas ele não acredita em nada. Ele nega veementemente que sinta coisas diferentes. E costuma ter insônia. E se dorme, jamais sonha. Tudo como parte de um elaborado e super eficiente sistema de defesa. Mas um dia ele terá que se render. O Inconsciente encontrará maneiras de minar essa barragem e então o dilúvio e a inundação virão. É quando o indivíduo se encontra muito infeliz na sua vida super ajustada, mas completamente árida e sem sentido – então ele terá que voltar aos braços da Grande Mãe e fazer as pazes com ela e com tudo o que ela representa.

jupiter maria
Júpiter, regente tradicional de Peixes – Maria Eunice Sousa

Devido a tudo isso Peixes geralmente evita se comprometer. São indivíduos extremamente ELUSIVOS, como elusivo é Netuno, seu co-regente. São INDEFINÍVEIS, como indefinível é o grande mar. Sue Tompkins cita Richard Idemon em seu livro The Astrologer’s Handbook, que dá uma definição sobre Peixes: “Não eu, Não aqui, Não agora” (3). Não é perfeito? Ele não quer ser, nem quer estar, não está aqui, nem lá. Quando? Não sei, um dia, talvez…

MERMAID
Reprodução

E quais os mitos de Peixes? São muitos, mas invariavelmente envolvem uma mãe e seu filho redentor. Os parágrafos a seguir são uma tradução livre e resumida de parte do texto sobre Peixes, do livro A Astrologia do Dsstino, de Liz Greene, no capítulo Mith and Zodiac (4), que coloco em itálico para destacar a fonte:

babytammuz1
O Infante Tammuz – Reprodução

Como ocorre com os demais signos, há muitos mitos, antigos e variados, relacionados a Peixes, alguns deles bem mais antigos do que os mitos gregos. Invariavelmente esses mitos nos levam ao arquétipo da Grande Mãe, de onde tudo nasce e para onde tudo retorna. Há muitas versões, em culturas diferentes, da estória de dois peixes celestiais, associados com o culto da deusa Atargatis, que também está conectada ao signo de Virgem, oposto complementar de Peixes. Seus templos tinham piscinas onde nadavam peixes sagrados, que só podiam ser tocados ou comidos ritualisticamente. Atagartis tinha um filho chamado Ichtis, que era, ele mesmo, um peixe e que depois evoluiu para Ea, a cabra-peixe que encontramos em Capricórnio. Outras versões desse par são Ishtar e Tamuz, Cibele e Átis, Afrodite e Adônis. O mito babilônico conta que um ovo gigante foi encontrado no Eufrates por dois peixes, que o empurraram para a terra, onde uma pomba pousou sobre ele. Deste ovo surgiu Atagartis, que honrou os peixes colocando-os nos céus. Na versão grega do mito, Afrodite e seu filho Eros fugiam do monstro Tifão disfarçados como peixes, ou teriam sido salvos por eles e foram também honrados pela gentileza sendo colocados nos céus como constelação. Os peixes geralmente aparecem amarrados juntos e jamais se separam, embora aparentemente pareçam nadar em direções opostas. Um dos peixes é a Grande Mãe, a deusa da fertilidade que representa a origem de toda a vida. “Ela é devoradora, lasciva e destrutiva, o mundo primordial dos instintos. Ele é o Redentor, ichtis, o Cristo. Estão unidos pra sempre e não podem fugir um do outro. Ele é tanto o filho como o amante, e deve ser sacrificado ritualisticamente, ano a ano. O filho é desmembrado e morto pela própria mãe ou por um dos seus animais totens: um lobo, uma serpente monstro, um javali. Depois ressuscita. As sereias são associações consequentes dessas deusas-peixe, e assim como a Grande Mãe-Amante, seu apelo e canto são irresistíveis, porque não são desse mundo, falam de imagens etéreas e oníricas. No capítulo sobre Peixes Liz Greene cita Jung:

AdonisAwakeningWaterhouse
The awakenig of Adonis – John William Waterhouse Reprodução

“As Grandes Mães mitológicas são geralmente um grande perigo para seus filhos. Jeremias menciona a representação de um peixe numa lâmpada cristã, que traz um peixe devorando outro. O nome da maior estrela da constelação conhecida como Peixes do Sul, Formalhaut, que é ‘a boca do peixe’ – pode ser interpretada neste sentido, justamente como no simbolismo, toda forma de concupiscência devoradora é atribuída aos peixes, que são tidos como ‘ambiciosos, libidinosos, vorazes, lascivos, avaros – em suma, um emblema da vaidade do mundo e dos prazeres terrenos (voluptas terrena). Eles devem essas más qualidades ao relacionamento com a mãe e deusa do amor, Ishtar, Atagartis e Afrodite. Não por acaso, Vênus tem sua exaltação em Peixes.” (4)

Desenho-símbolo-peixe-cristão
O Peixe como Símbolo Cristão

A associação chega à era Cristã e temos a Virgem Mãe e o Cristo, que tem o peixe como um de seus símbolos principais e que disse aos discípulos que os faria “pescadores de homens”, enquanto os Evangelhos estão cheios de referências a peixes e pescadores. O próprio Cristo é desmembrado e ritualisticamente comido na Eucaristia, seu sangue bebido pelos fiéis. O tema da vítima e do redentor é muito caro a Peixes, que pode vivenciá-lo num extremo ou outro da polaridade, já que são duas face da mesma moeda. Nenhum outro signo se presta tanto ao papel de vítima sofredora e perdida, como também nenhum outro é tão genuinamente altruísta e compassivo pelo sofrimento alheio.

signo_de_peixes
Reprodução

Outra figura mítica associada com Peixes é Dionísio, o deus da dissolução, do vinho e dos cultos orgiásticos. Dionísio aparece como filho de Demeter, outras vezes como filho de Perséfone. Mas a versão mais comum é que era filho de Zeus com Semele, filha do Rei Cadmos de Tebas. Hera, ciumenta ao extremo, aparece para a jovem ingênua disfarçada de velha e a convence a exigir que Zeus aparecesse para ela em toda a sua força e glória. Sem perceber que isso a destruiria, Semele faz Zeus prometer que atenderia a qualquer um de seus pedidos e preso pela promessa, é obrigada a aparecer para ela tal qual era, como Raio e Trovão, no que a jovem é instantaneamente fulminada. Semele estava grávida de Dionísio e Hermes conseguiu salvá-lo e costurou-o na coxa de Zeus, por isso ele era chamado “nascido duas vezes”.

dionisio
Dionísio – Reprodução

Ele era um macho nascido de outro macho, mas era um deus extremamente feminino, um deus das mulheres, geralmente retratado com feições femininas e jovens. Hera o odiava, como fazia com todos os filhos bastardos de seu marido. Hera o perseguia constantemente e ordenou que os Titãs o pegassem e rasgassem em pedaços, que foram cozidos num caldeirão. Uma árvore de romã nasceu no lugar onde seu sangue caiu. Porém sua avó, Rhea, o salvou e o trouxe de volta à vida. Ele cresceu escondido, mas de novo Hera o encontrou e o tornou louco. Louco, ele saiu pelo mundo acompanhado pelo seu tutor Silenos (um sátiro) e pelo séquito de selvagens mênades. Era um deus dissoluto e onde ele passava as mulheres enlouqueciam e o seguiam. Um dia ele chegou a Tebas, a terra de sua mãe. O então Rei de Tebas, Penteus, não gostou nada da idéia de ter aquele deus dissoluto em suas terras e mandou prendê-lo e a seus acompanhantes. Dionísio fez o rei ficar louco e achou que tinha prendido um boi ao invés do deus. As mênades escaparam e desapareceram nas montanhas, onde rasgavam animais e destruíam tudo o que viam pela frente. A própria mãe do Rei Penteus liderava o grupo de mênades, completamente enlouquecida, e, quando o rei tentou pará-las, elas o desmembraram totalmente, empalando sua cabeça e fixando-a nas montanhas. A grande ironia é que o rei teve o mesmo fim trágico do deus que ele se recusou a receber.

Supplizio_di_Penteo
O suplício de Penteo – Reprodução

Esse é um mundo muito próximo para os piscianos: o êxtase orgiástico, a loucura mística que pode ser encontrada tanto no mosteiro, quando através das drogas ou da própria insanidade. O impulso que faz o artista compor verdadeiras obras-primas, seja na música ou nas belas artes é o mesmo que torna outros terrivelmente autodestrutivos, a se afundarem na dissolução das drogas ou do álcool; outros podem, de fato, sucumbir ao poderio imenso do inconsciente e resvalar na loucura, enquanto outros ainda vão vivenciar isso numa religiosidade profunda e mística, como foi a vida de muitos santos, uma entrega completa ao divino e à Grande Mãe. Não é à toa que vemos tantos Piscianos se refugiarem num intelectualismo estéril, porém seguro, encastelando-se na mente o no mundo racional, uma tentativa de fugir desse impulso primitivo de vida, mas que pode ser muito destrutivo. Nos mitos, cada figura representa uma faceta do mesmo tema, assim, Peixes é, a um só tempo, Dionísio, as mênades, Zeus, Hera, e até o próprio Rei Penteus, que o rejeita.

IMG_0006
Símbolo de Netuno – Regente de Peixes Maria Eunice Sousa

Mas, como já dissemos, acontece que Peixes não é desse mundo. Ele está ainda muito próximo à fonte divina, onde tudo é uno, onde tudo é Unidade. Para lá ele almeja voltar e por isso essa destrutividade e o impulso de morte. Há uma saudade indefinida e um desgosto pela realidade da carne e das contas a pagar no dia a dia, porque ele preferia estar em outra dimensão menos densa e menos pesada. Por isso é constantemente acusado de ser aéreo e distraído. “A carne pode ser uma prisão e uma devoradora do espírito, mas o espírito, da mesma forma, é não só o redentor, mas um devorador da carne”. Em Peixes é onde essa dicotomia corpo-espírito é mais desconfortável e a adicção a drogas e substancias é nada mais que uma tentativa de desmembrar esse corpo-prisão e voltar para os braços da Grande-Mãe-Amante. Porem, o destino de Peixes é mediar esse mundo, sem sucumbir a ele de forma destrutiva e sem repudiá-lo, o que é igualmente perigoso. Muitos grandes artistas – e cientistas, como Einstein! – conseguiram e no processo premiaram a humanidade com obras-primas magistrais – o que não quer dizer que tenha sido fácil para eles, ou simples – que o diga Bach, que tinha quatro planetas em Peixes, incluindo a Lua conjunta a Netuno. A proximidade com este mundo aquático é perigosa, mas muito frutífera, já que dá acesso a conteúdos universais e a uma infinita criatividade só igualável com a própria fecundidade da vida. Mas para isso é preciso ter um ego forte e bem estruturado que possa ser capaz de mediar imagens e conteúdos tão poderosos sem se destruir no processo. Isso pode ser feito por diversos canais: música, artes, profissões de cura e ajuda, religiosidade, serviço… Também há que se permanecer atento à tentação da identificação messiânica, de ser redentor ou vítima; de oferecer-se em libação ou de recusar a vivência dos sentimentos e a intermediação desses conteúdos de uma vez. Achar o caminho do meio nunca é fácil, mas é o que precisa ser feito.

As figuras arquetípicas ligadas a Peixes são:

O Salvador, O Redentor, A Vítima, O Curador, O Sonhador, O Artista, O Místico, O Religioso, O Santo, O Dissoluto, O Alcóolatra, O Louco

menades2
As Mênades – Gustav Doré – Reprodução

Peixes, como já foi dito, tem grande sensitividade e habilidade psíquica. Mas às vezes é difícil lidar com estes dons, especialmente na primeira parte da vida, quando os conteúdos podem ser assombrosos. Para mediar e nos ajudar a lidar com tal dom, podemos invocar nosso Guia Interior, e a ele que vamos encontrar na meditação de hoje, que pego emprestada de Elizabeth Broke, do livro A Woman’s Book of Shadows (4):

MEDITAÇÃO PARA PEIXES

Primeiro, concentre-se nas imagens simbólicas de Peixes. Deixe que conversem com você! Observe-as sem pressa. Em seguida, contemple o sentido desta frase: Eu deixo a casa do Pai e, voltando atrás, eu salvo. E a Palavra disse: Ide encarnar na matéria. (5)

Deite-se no chão; faça-se confortável e solte qualquer peça de roupa que esteja apertada ou incomodando. Deixe que o chão segure seu peso e respire fundo algumas vezes para liberar tensões no corpo… Imagine que está num prado verdejante, num dia quente de verão, Olhe as plantas crescendo ao seu redor, sinta a brisa suave na sua pele. Ali perto há um portão. Caminhe para o portão e passe pra o outro lado… Do outro lado há um caminho. Olhe para o caminho e decida se você quer seguí-lo. Se você decidir seguir o caminho, comece a caminhar. Ele vai subindo gentilmente, contornando uma montanha. Enquanto caminha observe o que há ao seu redor: plantas, árvores, animais, como é o ar e a atmosfera… Conforme você sobre o sol ainda brilha, caminhe no seu próprio ritmo. Conforme avança, você percebe que o ar fica mais claro, mais refinado e que há, ao longe, um eco de música… Quanto mais avança, mais alta a música se torna, é como o gotejar de água numa fonte… finalmente você chega ao cume. Você passa sob um arco e chega ao pátio de um templo, que tem uma fonte ao centro. Você pára para descansar na fonte… Quando faz isso, você se torna consciente de uma figura que vem em sua direção… Este é o seu guia. Saúde-o e escute o que ele tem a lhe dizer. Você pode perguntar a ele/ela qualquer pergunta que queira… Leve o tempo que for necessário para conhecê-lo/a… (permita que a imagem evolua e se desenvolva sem esforço mental da sua parte). Então perceba que é hora de ir embora… Seu guia lhe dará um presente de despedida e confirmará que você pode voltar quando quiser… Devagar, faça o caminho de volta descendo a montanha, trazendo seu presente, volte ao prado inicial. Então abra os olhos e volte pra onde estava inicialmente. Escreva sua experiência. Você pode optar por ouvir música, tocar um instrumento (se for o caso), escrever poesia… Guarde o presente com você, ele será um talismã que lhe dará conforto quando você se sentir desenraizado/a na vida. Este guia é um Mestre Interior que poderá ser consultado sempre que você precisar de ajuda ou clareza sobre qualquer assunto ou questão. Quanto mais você o/a visitar, mais profunda será a relação com ele/ela, Ele/ela poderá lhe ajudar com questões práticas ou com assuntos espirituais profundos e esotéricos.

Música para Peixes:

Osvaldo Montenegro – Aos Filhos de Peixes

 

Zeca Baleiro – Brigitte Bardot

Peixes Voadores – Álcool, Carne e Rock’Roll

Zeca Baleiro – Minha casa

Mariana Aydar – Peixes

Daft Punk – Lose Yourself to Dance

Cat Power – Sea of Love

Mika – One foot boy

Guillemots – Sea out

Faça suas sugestões! que músicas você acha que traduzem Peixes?

Johfra-Bosschart-Pisces-3x4.1@150
Peixes – Johfra Bosschart – Reprodução

Amanhã será o dia/noite de Áries. Conecte-se com essa energia desde cedo e observe como o seu dia se desdobra.

Programação das 12 Noites Sagradas:

 

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Edna Andrade, Festas Cristãs 

(2) Clare Martin – Mapping the Psyche

(3) Sue Tompkins – The Astrologer’s handbook

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(5) Elizabeth Broke – A woman’s Book of Shadows

(6) Alice Bailey ‘Esoteric Astrology’, Lucis Press 1951, p. 653

 

As 12 Noites Sagradas: AQUÁRIO, aquele que vê o futuro

aquario simAQUÁRIO

Hoje o dia e a noites são dedicados a AQUÁRIO, o signo do Aguadeiro, que faz fluir a água da vida. Observe o seu dia e veja se algo inusitado acontece. Socialize, encontre os amigos! Sim, porque a proposta é observar tudo o que ocorre no dia e na noite de cada signo e perceber se há algo relacionado com os temas e arquétipos do signo. Aquário é um signo imprevisível, o signo do novo… Talvez haja novidades e surpresas no seu dia. Fique atento! (entenda o que são as 12 Noites Sagradas).

Aguadeira
Reprodução – Desconheço o Autor

Aquário é um signo de desapego e sendo domingo, fim de ano, se estiver com tempo, aproveite para se desapegar de coisas que sabe que não precisa mais. Limpe a vida, limpe o coração e desapegue-se para estar livre para as novidades que virão! Sue Tompkins (1) nos diz que o símbolo de Aquário, o Aguadeiro era representado antes também por uma mulher e o conteúdo da ânfora que ele ou ela despeja produz as duas linhas do glifo do signo. Corresponde ao mês de fevereiro, um tempo, segundo ela, que os Romanos separavam para limpar suas casas e anexos ou edícolas. A palavra fevereiro, diz Tompkins, significa, literalmente, “mês de purificação”, “assim, o Aguadeiro pode ser interpretado como lavando o passado para ficar pronto para uma novo começo, fresco e limpo. Uma imagem muito apropriada para um signo reformador, progressista e orientado para o futuro”. As linhas do glifo também fazem referência às ondas do mar, às ondas elétricas, afinal, Aquário é associado com a eletricidade,  e às energias eletromagnéticas e às próprias energias da terra, complementa ela.

aguadeiro
Detalhe da tela Aquário, de Johfra Bosschart – Reprodução

Particularmente, acho que as ondas do glifo de Aquário também lembram as ondas dos raios, que eu associo com o planeta Urano. Sei que na antiguidade Zeus-Júpiter era o deus associado com raios e trovões. Mas acho que a forma como Urano se manifesta como energia psíquica é muito semelhante à descarga ou queda de um raio: é completamente imprevisível, você não sabe onde vai cair, quanto tempo vai durar nem quando irá ocorrer novamente. É uma liberação de energia fulminante, que tanto pode iluminar quanto destruir. E o Aguadeiro a derramar a água da sua ânfora sempre me chama a atenção para o fato de ele ter a água (sentimentos) contida num recipiente fora dele mesmo e ele derrama essa água sem entrar em contato com ela, daí a tendência a racionalizar as emoções e os sentimentos – é mais fácil analisá-los, percebê-los de longe do que senti-los.

formacao_qual-e-o-meu-anjo-940x500
Reprodução

Sobre esta segunda noite, a Prof. Edna Andrade (2) diz: “nasce o Sol, atravessamos o segundo dia, cai a noite e uma nova luz brilha no céu irradiando da Constelação de Aquário o segundo degrau desta escada espiritual. Deste portal emanam para nós as forças espirituais dos Anjos. Os anjos são representados pela figura de um ser que derrama a água, o símbolo da vida e assim eles também são chamados de ‘Filhos da Vida’.  Eles são os seres espirituais imediatamente superiores a nós mantendo conosco uma relação próxima. Encontramo-los logo cedo, no nascimento, quando “parecemos anjos” nosso corpo vital ainda muito latente, cheio de vida”. 

anjos
Reprodução

“Na infância ele é chamado de ‘Anjo da Guarda’ e é sempre representado em todas as culturas protegendo a criança dos perigos sendo o seu guia e como guia ele permanece ao longo de toda a nossa vida. ‘Pergunte ao seu anjo da guarda’ freqüentemente escutamos quando estamos em dúvida em relação ao caminho a seguir, a que decisão tomar. Na vida adulta ele se transforma em nosso Guia Espiritual, nosso verdadeiro Self . ‘Assim deverás ser’ nos fala no íntimo transmutando continuamente forças vitais em forças de consciência fazendo surgir nos pensamentos as imagens orientadoras para a nossa vida.”

Anjo_da_guarda
Anny Hahlbohm – Reprodução

“Nesta segunda Noite Santa recebemos através do Portal da Constelação de Aquário os impulsos dos Anjos para que possamos enxergar e permanecer fieis aos nossos ideais. Os nossos ideais iluminam e protegem o nosso caminho e apontam para onde devemos seguir”. Sintonizemo-nos pois, com a hierarquia dos Anjos, com nosso Anjo da Guarda ou Guia Espiritual para empreender o segundo dia e noite desta Jornada Santa.

 

Rudolf Steiner associa Aquário com a hierarquia dos ANJOS e que através do Portal de Aquário recebemos os impulsos angelicais para permanecermos fieis aos nossos ideais.

aquario1
Reprodução

Signo de AR, Aquário é FIXO, MASCULINO, ATIVO, POSITIVO, YANG. Ideal é palavra chave quando se trata de Aquário, também chamado de Aguadeiro, já que é retratado como uma figura humana com uma ânfora. Pessoas com muitos planetas ou ângulos em Aquário e ainda com forte ocupação da Casa 11, a casa natural deste signo, são naturalmente voltadas para as causas sociais e humanitárias. Elas desejam transformar o mundo e o ser humano na sua melhor versão. Elas têm um IDEAL e se guiam por ele, pela visão da melhor versão daquela pessoa, situação, mundo. Assim como Prometeus, cujo mito exploramos abaixo, elas conseguem enxergar potenciais onde outros só percebem problemas e limitações – às vezes estão tão sintonizadas com este ideal que esquecem de perceber a pessoa real a seu lado. O folclore astrológico diz que é o mais sociável dos signos, o signo dos amigos.

Jordaens_-_Aquarius
Jacob Jordaens – Aquário – Reprodução

PROGRESSISTA, inovador, inventivo e amante da LIBERDADE, é extremamente mental e OBJETIVO, já que é o signo que traz o elemento AR na sua forma mais refinada, mais burilada. Civilizado e desapegado, Aquário tem uma grande facilidade de ver as coisas de fora, de longe, como se não fizesse parte do quadro, daí sua capacidade de prever as tendências. Tanto desapego e amor à liberdade pode implicar em alguma dificuldade com a intimidade e a vivência dos sentimentos, que podem ser sentidos, às vezes, como ameaçadores, já que, ao contrário da mente e da razão, sentimentos são coisas incontroláveis e incompreensíveis. Terrivelmente RACIONAL, Ele detesta tudo o que é ou parece irracional, porque a RAZÃO é a coisa mais lógica pela qual o ser humano deveria se pautar. Muitas vezes, ele é tão correto, tão racional e resolvido, que são as outras pessoas ao seu redor que perdem as estribeiras ou têm atitudes loucas, só para ver se provocam alguma reação “humana” nessa pessoa de emoções super controladas!

SONY DSC
Aquário – Vitrais da Catedral de Chartres, Chartres, França – Wikimedia Commons Reprodução

Pode ser o melhor dos amigos e a mais animada das companhias, desde que os temas sejam leves ou abstratos, porque se vier com choros e dramas, esqueça, pernas para que te quero! De modalidade Fixa, ele, que é um catalisador de mudanças na vida de outros, muitas vezes pode ser extremamente conservador e avesso a mudanças na própria vida – ele muda, se for nos seus próprios termos, no seu próprio tempo. Isso reflete uma ambivalência que nasce da dupla regência do signo: Aquário é regido tanto por Saturno quanto por Urano, dois arqui-inimigos, portanto, não poderia ser diferente, este é um signo bastante contraditório e cheio de surpresas. A regência de Urano lhe dá o amor pela liberdade, igualdade, fraternidade, além da inventividade, excentricidade e aquele ar meio elétrico e diferente que lhe é bem característico. O outro regente, Cronos para os gregos e Saturno para os romanos, nós já encontramos em Capricórnio. Urano era seu pai, o deus dos céus estrelados, aquele que deu origem às gerações de deuses olímpicos ao se deitar com Gaia, a Mãe Terra.

Drawing of Aquarius, the eleventh zodiacal sign, appearing in William Hone's Hone's Everyday Book.
Desenho de Aquarius, no Livro de Todos dos Dias de William Hone – Reproduçao de Wikimedia Commons

LIBERDADE e IGUALDADE são duas de suas palavras-chave, assim como JUSTIÇA. Aquário vem depois de Capricórnio e busca destruir as estruturas e hierarquias tão amadas pelo signo da Cabra, porque a seu ver, essas estruturas impedem a igualdade e a justiça. Profundamente afinado com a VERDADE, mesmo que seja a verdade como ele a vê, às vezes torna-se difícil para seus pares, amigos ou amores, que esperam dele uma postura mais parcial, que ele simplesmente não pode oferecer, pois quem busca ser justo tem que ser IMPARCIAL. E, claro, assim como Sagitário, outro signo afinado com a verdade, muitas vezes, para defender a verdade, ele se torna grosseiro, frio, sem tato e franco por demais, ferindo os brios de corações mais sensíveis.

Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender Aqua
Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender – Reprodução

Aquário é o signo da pessoa comum, do Zé das Couves ali da esquina, da Dona Maria sua vizinha, do Fulano  ou do Beltrano qualquer, ou seja, é o signo da pessoa ordinário, que detesta os privilégios das classes dominantes tão adorados por Capricórnio. Para ele todos são iguais e têm os mesmos direitos. É o signo dos ideais humanitários, cristalizados nas três palavras de ordem da Revolução Francesa, período em que Urano foi descoberto: LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE. Aqui encontramos a grande família humana  no seu conceito mais abstrato e de fato, é um signo seriamente preocupado com a melhoria da vida para todos, com uma visão de mundo mais justo para todos.

Stamp_of_Ukraine_s892
Selo da Ukrania – Reprodução

Ao contrário de Capricórnio, Aquário não acredita em “deveres” ou coisas chamadas “obrigações”, nem mesmo em relação á própria família ou aos laços de sangue. Ele manda às favas todos os “tem que” da vida e se você quiser que ele NÃO faça algo, é só dizer que ele “tem que” fazer. Ele é o grande REBELDE do Zodíaco e está pouco se lixando para o que você pensa ou deixa de pensar sobre ele. Aliás, outra de suas frases famosas é aquela “o que você pensa sobre mim não é problema meu”. Entendeu? E não espere que ele vá se explicar ou se justificar por qualquer coisa que tenha feito ou dito, fez, tá feito; disse, tá dito! Ao invés de obrigações, o que ele se preocupa mesmo é com PRINCÍPIOS e CONVICÇÕES, que norteiam sua forte CONSCIÊNCIA SOCIAL. No lugar das tais obrigações e deveres ele se vale da cooperação e da livre escolha, mas o problema é que o ideal nem sempre se sai bem nas situações cotidianas e é comum se ver o Aguadeiro agindo de forma dogmática ou autoritária, exatamente da mesma forma que aqueles tiranos ditadores que ele tanto critica!

AQUÁRIO
Aquário – Reprodução

INDEPENDENTE, OBSTINADO, inconvencional, não ortodoxo, às vezes chegando a ser excêntrico, ele vai lutar com unhas e dentes para defender sua própria liberdade e também a dos outros e liberdade de expressão é uma das suas mais nobres bandeiras. Paradoxalmente, é um dos signos mais tolerantes que há, vivendo de acordo com o mote “viva e deixe viver”, mas ao mesmo tempo, para defender suas caras convicções e princípios, pode se tornar EXTREMISTA e RADICAL nas suas posturas e opiniões, personificando a própria INTOLERÂNCIA que tanto combate. Ele também é completamente IMPREVISÍVEL e quando você pensa que finalmente o conhece, ele aparece com outra faceta totalmente diferente de si mesmo. Está sempre surpreendendo e adotando posturas antes impensáveis! Por isso Aquário também está associado ao imprevisível e inusitado e isso está relacionado a Urano.

Aqu book of hours
Livro das Horas – Reprodução

E sim, como signo de Ar, é ultra-sociável e profundamente interessado em pessoas, em gente, embora isso se dê muito mais do ponto de vista intelectual do que emocional – é quase um interesse científico no ser humano como objeto de estudo. Verdade seja dita, ele muitas vezes é visto mesmo como INDIFERENTE e frio, mas, de novo,  isso nasce do desejo de ser sincero e imparcial. Ele é extremamente amigável sim e se interessa muito na humanidade como um todo, porém, quando se trata de intimidade, ele é muito seletivo e deixa pouquíssimas pessoas chegarem perto – contato físico, por exemplo, é algo que pode ser muito perturbador e desagradável para ele, portanto, respeite seu espaço pessoal, dê-lhe espaço físico e, principalmente, emocional! Não o sufoque ou você nunca mais o verá! Sue Tompkins diz que muitas pessoas que pensam que Aquarianos são frios simplesmente não perceberam que foram, na verdade, rejeitadas, ou seja, não passaram no crivo seletivo dele. Das coisas que ele mais detesta e que podem fazê-lo rejeitar alguém estão o esnobismo, conversas fúteis, falta de sinceridade ou de propósito ou, pior ainda: estreiteza de pensamento, os chamados pobres de espírito. Mentalidades tacanhas, não, por favor! Mas sim, ele precisa de gente, tem necessidade maior dos amigos do que da própria família, podendo até dizer que sua verdadeira família é composta de seus amigos.

 

IMG_0034
Saturno, regente tradicional de Aquário – Maria Eunice Sousa
IMG_0548
Urano – Símbolo – Maria Eunice Sousa

Um dos mitos associados a Aquário é o de Urano, o DEus dos Céus Estrelados. Urano teve muitos filhos, dentre eles, Saturno e outros titãs, além dos Gigantes, criaturas ctônicas e grotescas de 100 mãos, cuja mera visão causava profundo desgosto ao seu pai, que era altamente idealista e de gosto muito estético. Tão repulsiva era a visão de seus filhos que Urano os aprisionou no Tártaro, as entranhas do Mundo Inferior. Esse costuma ser um padrão comum em Aquário, esse gosto estético refinado e idealista, que detesta ter que lidar com o lado mais animalesco da natureza humana, incluído aí os ritmos orgânicos do próprio corpo, que pode, às vezes, ser sentido como alienígena. Cronos, com a ajuda de sua mãe Gaia, resolveu tomar providências para libertar o irmãos e numa noite, quando Urano veio se deitar com Gaia ele segurou seus genitais com a mão esquerda e com a mão direita empunhando uma foice, cortou-os fora, atirando-os ao mar. Da espuma do sêmen nasceu Afrodite, e não é à toa que ela é a deusa da beleza e do senso estético, tendo nascido de um pai tão idealista. Do sangue derramado na terra nasceram as Erínias, também conhecidas como Fúrias, personificações da vingança e que puniam os mortais. Urano desaparece e não se sabe dele depois disso na mitologia. Cronos assumiu o seu lugar como regente dos deuses.

The_Mutiliation_of_Uranus_by_Saturn
A castração de Urano por Saturno – Afresco de Giorgio Vasari e Cristofano Gherardi, c. 1560 (Sala di Cosimo I, Palazzo Vecchio). Reprodução

Esse mito de Urano já nos diz muito sobre a natureza de Aquário. Mas há outro mito ainda mais emblemático relacionado ao signo, o mito de Prometeus. É uma estória longa, mas vale a pena. Liz Greene (3) diz que Prometeus é o grande “assistente social cósmico”. Prometeus era um titã da mesma geração de Cronos e sua origem é um tanto controversa. Seu nome significa “aquele que prevê”. Ele tinha um irmão chamado Epimeteus, que era o seu oposto nesse sentido, pois seu nome significava “aquele que aprende apenas com o acontecimento”. Na briga entre Cronos e Zeus, porque ele sabia como a encrenca findaria, Prometeus ficou do lado de Zeus. Diz-se que ele o ajudou no parto de Atena, que nasceu da cabeça de Zeus e que era a deusa da estratégia e do pensamento racional. Por causa disso ela o ensinou várias artes, entre elas a agricultura, arquitetura, matemática, artesanato, carpintaria, medicina, astronomia, astrologia, navegação e muitas outras habilidades.

Damon Hellandbrand aquario
Damon Hellandbrand – Aquario – Reprodução

Prometeus ensinou todas essas artes ao homem. Uma das versões de sua origem é a de que ele próprio, Prometeus, teria criado o homem de barro e água, com a permissão de Atena. Liz Greene, em seu livro A Astrologia do Destino (3), diz que o fato de ter ensinado todas essas artes ao homem torna Prometeus o Daimon do impulso cultural. Antes de Prometeus, o homem não podia ver nada com clareza, não percebia os ciclos da natureza, portanto, não conseguia tirar proveito deles com a agricultura, por exemplo; ele também não sabia como criar animais e não enxergava um palmo diante do nariz no sentido de se projetar no futuro. “Então, aqui está a verdade em uma palavra: toda habilidade e ciência humana é um dom de Prometeus”, Greene cita Asclépios, e diz que “esse impulso de boa fé em relação à humanidade é um dos temas dominantes de Aquário”. Por isso Aquário rege a ciência e a tecnologia, porque são coisas que trazem o progresso e os avanços para a humanidade.

Heinrich_fueger_1817_prometheus_brings_fire_to_mankind
Prometeus traz o Fogo à Humanidade Heirich Fueger – 1817 Reprodução

O mito continua. Zeus foi ficando muito zangado com todas essas artes ensinadas ao homem por Prometeus e temia que logo o homem se acharia um deus. Zeus também foi se irritando com Prometeus por outras coisas. Um dia, por exemplo, Prometeus foi convidado a decidir sobre quem deveria ficar com que porções de um boi sacrificado, quais deveriam ser dadas aos homens e quais seriam oferecidas aos deuses. O Titã, que sempre privilegiava os homens, escondeu a carne maciça debaixo do bucho do boi e todos os ossos limpos debaixo de uma rica gordura e disse a Zeus para escolher. Zeus escolheu a sacola de ossos e ficou zangadíssimo ao perceber a trapaça e por isso negou o fogo aos homens, “que comessem a carne crua”, disse ele. Prometeus não acatou a decisão e roubou o fogo sagrado dos deuses e o deu ao homem. Como punição, Zeus acorrentou Prometeus a uma montanha no Cáucaso e todos os dias uma águia, a ave símbolo de Zeus, vinha comer-lhe o fígado. À noite o fígado se regenerava e no dia seguinte o sofrimento se repetia.

Dante Gabriel Rosetti's Pandora
Dante Gabriel Rosetti – Pandora Reprodução

Além de punir Pometeus, Zeus ordenou a Hefestos, o deus da forja, que fabricasse uma mulher de barro e nela inspirou vida através dos Quatro Ventos. Essa era Pandora, que foi enviada a Epimeteus e que, orientado por seu irmão para não receber nenhum presente de Zeus, recusou-a a princípio. Mas, por causa do sofrimento infindável de Prometeus, ele acabou se casando com ela. Pandora abriu aquela famosa caixa, de onde saíram todas as pragas que poderiam perturbar a humanidade: Trabalho, Doença, Velhice, Insanidade, Vício e Paixão. A humanidade teria cometido suicídio coletivo, não fosse Esperança, a enganadora, que também estava na caixa e que mantinha o homem em expectativa de melhorias. Alguns dizem que Esperança é o pior de todos os males, pois nos mantém iludidos. O sofrimento de Prometeus tem fim quando ele é trocado por Quíron, que enfrentava um destino igualmente cruel na forma de uma ferida sem cura que doía de forma excruciante. Zeus concordou com a troca, mas exigiu que Prometeus usasse um anel que o identificasse como um eterno prisioneiro e para que ele jamais esquecesse do pecado que havia cometido.

prometeus e a aguia
Prometeus no Cáucaso – Reprodução

O mito de Prometeus o coloca como o grande benfeitor da humanidade, porque sem o Fogo Sagrado dos Deuses, o homem não teria visão, não intuiria o futuro, não teria a centelha divina que o eleva acima da natureza meramente animal e ctônica. Porém, do ponto de vista dos deuses este roubo foi um grande pecado, um crime, porque a natureza é muito ciumenta de seus segredos. Pesquisadores e cientistas em geral sabem bem o que é isso, e muitas vezes, ao propiciar avanços à humanidade, abrem uma verdadeira Caixa de Pandora, basta lembrar a desilusão de Einstein com o uso que deram à sua Teoria da Relatividade. O roubo também o faz sentir-se isolado de seus pares, assim como Prometeus ficou isolado no Cáucaso, porque ele se diferencia, ele vai além do óbvio, do comum, daquilo que já é conhecido. Assim, a solidão intelectual ou mesmo humana também lhe é característica.

Aquarius --- Image by © Harry Briggs/Corbis
Harry Briggs/Corbis – Reprodução

E um signo tão luminoso, altruísta e imparcial não deve ter Sombra… Será? É claro que tem! Parte desta sombra tem a ver com o signo oposto complementar, Leão. Aquário, como oposto de Leão, tem horror a se sentir egoísta e egoísmo é parte da sua sombra. A estória de George Orwell “A Fazenda dos animais”, ilustra bem essa questão e a frase “todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros” é geralmente utilizada para trazer à tona a questão da igualdade como vista por Aquário quando negativo – a igualdade é ótima para a humanidade, mas não para ele, que tem grande dificuldade em viver o que prega, sendo, quando negativo um grandessíssimo hipócrita, dizendo uma coisa e fazendo outra completamente diferente. No livro Astrology for Lovers, Liz Greene (4) diz que “enquanto Aquário conscientemente se esforça por ser abnegado, seu lado sombrio é completamente auto-centrado; enquanto sua dedicação aos outros é geralmente impecável  na vida ordinária, sua sombra se dedica a a confirmar sua posição de controle” – sim, Aquário é outro signo que tem problemas de controle, mas não poderia ser diferente, sendo ele regido por Saturno, o grande controlador do Universo.

Aquarius_-_Horoscope_from_'The_book_of_birth_of_Iskandar-_Wellcome_L0040148
Aquário -Horóscopo do Livro de Nascimentos de iskandar – Wikimedia Commons

Outro pecado de aquário é a hubris, o sentimento de estar acima do bem e do mal, exatamente por ter conquistado a Natureza e seus segredos. A hubris é a arrogância intelectual, o que nos faz ir além da ética e de valores morais porque achamos que nossos motivos são “justos”, algo na linha do jargão maquiavélico “os fins justificam os meios”. Ocorre que na luta pela evolução, na ânsia de ajudar a humanidade e de melhorá-la, Aquário deixa de ver o individuo humano, a pessoa que está ao seu lado – se for para salvar a humanidade, qual o problema se alguns humanos forem perdidos no processo? Outra frase famosa associada a este signo é “Eu adoro a humanidade, o problema são os humanos”, assim, para ele talvez seja mais fácil se relacionar com a ideia da humanidade do que com o ser humano com quem compartilha a vida, seja este ser humano um filho/a, um parceiro/a, um irmã/o. E há ainda outro pecado: Ele critica tanto o Leão por querer ser especial e chamar a atenção, mas no fundo, apesar do discurso bonito de querer ser simples, ele secretamente, inconscientemente “anseia por ser admirado e adorado por todo mundo, até o grau de de se sentir compelido contra seus próprios princípios, por medo do que possam pensar dele” (4). Mas não, ele não necessariamente se dá conta disso!

dalizodiac_aquarius
Aquarius – Salvador Dali

Entretanto, sem Aquário, o homem ainda estaria naquele nível ctônico, telúrico, morando em cavernas e sujeito ao destino imposto pela sua biologia. Feliz da humanidade que teve Prometeus (Aquário) como seu benfeitor e hoje evoluiu até onde chegamos. Resta-nos esperar (a enganadora Esperança de novo) que na sua hubris, não nos leve também à destruição.

No corpo Aquário rege os tornozelos e as pernas, até logo abaixo dos joelhos. Governa também o sistema circulatório. Urano, o co-regente de Aquário também tem o sistema nervoso, junto com Mercúrio. Rege também todas as doenças relacionadas a essas áreas do corpo.

O Visionário, O Assistente Social, O Cientista, O Revolucionário, O Anarquista, O Futurista, O Viajante do Tempo, O Forasteiro, O Abominável Homem das Neves

Aquariuss

 

MEDITAÇÃO PRA AQUÁRIO

Primeiro, olhe as imagens associadas a Aquário: o Aguadeiro, o próprio símbolo que parece duas ondas sobrepostas, Urano…

Olhe e fixe essas imagens  e deixe que elas conversem com você.

Contemplo o sentido desta frase: “Água da vida eu sou, derramada para os homens sedentos. E a Palavra disse: deixe o desejo em forma ser o governtante” (5).

Quando estiver pronto, faça esta meditação. OBS: A qualquer momento, se sentir qualquer desconforto, receio, mal estar, abra os olhos imediatamente e interrompa o processo!!!

Feche os olhos e faça um exercício respiratório de relaxamento. Gradativamente, solte os pés, pernas, coxas, quadris, tronco, ombros, braços, pescoço, cabeça… Até que você esteja completamente relaxada/o. Então visualize que está em seu lugar favorito de natureza. Sinta-se relaxado, tranqüilo. Qual é o clima? Faz sol, chove, venta? Observe o ambiente: tem mais alguém? Caminhe ao redor e se houver outras pessoas cumprimente-as amigavelmente, mas sem se demorar. Então perceba que se aproxima seu melhor amigo/a. Sinta a alegria de encontrar essa pessoa. Se sentir vontade, abrace-a. Observe sua expressão: está triste, alegre, zangado…? Por que? Olhe com atenção e veja se ele/ela quer lhe dizer alguma coisa. Escute. Ele lhe pede alguma coisa? O que você pode fazer pelo seu/sua amigo/a? Agora seu amigo/a lhe mostra uma grande tela à sua frente: o que você vê? Que ideais essa imagem reflete? São os seus ideais? São imagens desconfortáveis ou tranquilas? Como você se sente com a experiência toda? Agradeça a seu amigo/a e deixe-o/a ir embora. Aos poucos perceba-se de volta ao seu corpo e abra os olhos. Se sentir vontade, escreva ou ilustre o que vivenciou. Se quiser, partilhe sua experiência conosco.

Aquário rege as amizades, os grupos sociais, assim como nossas grandes esperanças, assim, ao terminar a meditação, reveja seus sonhos e metas nesta área de vida. Se necessário, faça ajustes, ou, do contrário, reitere as resoluções anteriores.

Johfra-Bosschart-Aquarius3x4.1
Johfra Bosschart – Aquarius Reprodução

Amanhã trabalharemos o signo de Peixes, portanto fique atento, durante o dia, a como o signo vai se manifestar para você. Até lá!

Música para Aquário:

Osvaldo Montenegro – Aos Filhos de Aquário

Hair – Aquarius

Omar e os Ciganos – Abominável Homem das Neves

Amy Whinehouse – He can only hold her

Ivete, Gil e Caetano – Tá combinado

Marina – Como dois e dois

Taylor Swift – Change

Rebecca Trip – Aquarius

U2 – Walk on

Gwen Stefani – Cool

Suzane Vega – Tom’s Dinner

Arielle Dombasle – Extraterrestre

Programação das 12 Noites Sagradas: 

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Sue Tompkins – the Astrologer’s Handbook

(2) Edna Andrade, em Festas Cristãs

(3) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(4) Liz Greene – Astrology for Lovers

(5) Alice Bailey ‘Esoteric Astrology’, Lucis Press 1951, p. 653