Arquivo da tag: Criatividade

Lua Nova em Gêmeos – O mosaico da verdade

A Lua se renovou nesta quinta-feira, a 04°46 de Gêmeos, às 16h44min no horário de Brasília e às 20h44min no horário de Lisboa. É uma Lua Nova que ocorre em meio a muita tensão e perigos, devido à oposição Marte-Saturno que fica exata na semana que vem, mas que já incendeia os ânimos e, no caso do Brasil, literalmente.

Lynn Skordal – Reprodução

Em Gêmeos nos deparamos com a necessidade de criar conexões, de fazer associações de ideias; buscamos o movimento e as interações. Sendo signo de Ar, Gêmeos também é um signo relacional – não no sentido afetivo, claro, mas no sentido da necessidade de conexões, de contato. É um signo de comunicação e conhecimento e seu ciclo nos convida a olhar mais de perto como estamos agindo nessa área da nossa vida. É o momento, então, de renovarmos nossa comunicação, nossos contatos, a relação com o nosso ambiente imediato. É hora de lançarmos intenções relativas à busca do conhecimento e da superação das dualidades.

Lua Nova em Gêmeos – Brasília, 25 de maio de 2017, 16h44min

O mapa da Lua Nova, traz Lua e Sol em sesqui-quadratura – um aspecto considerado menor, de 135 graus – a Plutão, sendo este o aspecto mais próximo. Além deste, Sol e Lua ainda vão fazer trígono a Júpiter em Libra e quadratura a Netuno em Peixes, ambos os aspectos de quase dez graus, muito amplos. De modo que a Lua Nova ocorre de forma relativamente isolada, o que aumenta o potencial de dualidade e ambivalência do signo, além da extrema atividade mental e verborrágica. O diálogo mais intenso dos luminares é mesmo com Plutão, o Deus dos Infernos e dos processos de transformação, mas esse é um diálogo bastante indireto, pois a mente racional e consciente parece não querer ter muito a ver com a sombra, com a obscuridade densa representada por Plutão – tenta ignorar, mas mesmo assim não se vê capaz. A busca pelo controle e pelo poder é feita pela via sinuosa, oblíqua, através, principalmente, do medo e das medidas ditatoriais, disfarçadas de zelo pela ordem e pelo bem estar do outro – é o típico “faço isso pelo seu próprio bem”, enquanto cerceamos a liberdade do outro, quando na verdade estamos com medo dele. Mais do que nunca, a direita não sabe o que a esquerda faz e acusam-se mutuamente dos mesmos crimes – estou falando do ditado popular associado a Gêmeos, mas bem que isso pode se aplicar à polarização extrema que se dá no país atualmente!

Lola Dupré – Reprodução

Somos pressionados por Plutão, inconscientemente, a transformar nossos contatos, nossas conexões, nossa comunicação, nossa relação com o conhecimento e com os fatos. Mercúrio, regente da Lua Nova, também faz contatos distantes a alguns planetas: sextil a Netuno, trígono a Plutão, quincôncio a Júpiter. Mas está em sesqui-quadratura exata a Saturno em Sagitário. Aliás, é interessante notar que esse mapa – e a semana – está cheio de sesqui-quadraturas, um aspecto dito inconsciente, mas precipitador de acidentes e eventos. O aspecto Mercúrio-Saturno exige que confrontemos a verdade dos fatos e, se não o fizermos, as inseguranças continuarão a nos afligir. Mas o complicado é que estamos num momento difícil de identificar o que seja a verdade, porque parece que ela se multiplica e se desmembra, se fragmenta em muitos pedaços, formando mosaicos, ao invés de uma única imagem incorruptível.

Reprodução

Às vezes, tudo o que temos são os mosaicos, que demandam distanciamento, para que a imagem inteira possa fazer sentido: se ficamos próximos demais, perdemos a perspectiva e não conseguimos divisar nada claramente; se olhamos de muito perto, só acessamos uma parte do todo, que por mais que seja correta, não conta a história toda e essa é uma das dificuldades de Gêmeos: perder-se nos detalhes, nos fragmentos, falhando em captar a visão inteira, o quadro maior. Portanto, para analisarmos os fatos e termos um vislumbre que seja da verdade, é preciso distanciamento e nenhum envolvimento. Do contrário, talvez sejamos parciais. E nosso julgamento não será útil nem fidedigno para tomar as decisões que precisamos tomar. É como montar um quebra-cabeças: demanda tempo e paciência, especialmente quando não temos a referência da imagem que está sendo montada. E por vezes, perdemos a referência da imagem por concentrar-nos no exterior e esquecer do que está dentro, da nossa sabedoria interna.

Reprodução

Gêmeos também é um signo de dualidade, de ambivalência e com a Lua Nova sem muitos aspectos próximos essa qualidade fica acentuada. Sobram polarizações e dualismos, em que dividimos o mundo em preto ou branco, bom ou mau, quem está comigo e quem está contra mim – essa característica não é muito alentadora, quando lembramos que este cenário de dualismos já está instalado no Brasil há algum tempo. Enquanto isso, muita gente se beneficia e lucra com as polarizações, que no fundo desviam a atenção dos temas mais cruciais e, enquanto pessoas se atacam mutuamente, os responsáveis pelo caos vão se safando da confusão que criaram e criam.

Reprodução

Mas além das questões sociais, políticas e coletivas, internamente, há também essa sensação forte de fragmentação, de estarmos estilhaçados e termos dificuldade em fazer sentido do todo que somos nós e este é um sentimento que pode permear todo o ciclo Geminiano, prejudicando o foco nos objetivos e aumentando a busca incessante por coisas fora de nós, quando deveríamos nos concentrar na imagem interior central. As racionalizações são favorecidas, em detrimento da integração dos sentimentos e emoções – temos apenas Netuno e Quíron em Água e não são planetas pessoais, Quíron, aliás, é asteroide – muito Fogo (Vênus, Urano, Saturno) muito Ar (Lua, sol, Marte, Júpiter) e uma quantidade razoável de Terra (Plutão e Mercúrio, sendo Mercúrio planeta pessoal, tem peso maior). Então é muito Ar e Fogo junto, o que alimenta o espírito e a mente racional, mas ignora os instintos e os sentimentos, que podem irromper abruptamente e minar o controle rígido da mente.

Simona Bramati – Reprodução

Por outro lado, Vênus está em quadratura exata a Plutão, que nos obriga a confrontar nosso lado mais passional e visceral e isso cria mais um dilema, vivido principalmente nas relações, mas com grandes chances de imputarmos esses conteúdos densos e instintivos no outro, já que estamos muito identificados com a racionalização objetiva e limpa. O outro se torna então o controlador e o possessivo, talvez até tirano, e não percebemos que são nossas atitudes que precipitam esse controle do outro e, na verdade, ao incorrer no nosso caos pessoal, nós invocamos tal controle, como o extremo da polaridade.

Reprodução

Contudo, o movimento que rouba o show e carrega essa Lua Nova de tensão é a oposição Marte-Saturno, o pico de um ciclo iniciado em agosto de 2016 – ensaiado já em 17 de abril/2016, quando Marte estacionou para entrar em retrogradação, a 08°54’ de Sagitário, a cerca de sete graus de Saturno, que estava no grau 15. Como eu falava no texto da Semana, na conjunção de 24 de agosto de 2016 ambos os planetas haviam acabado de voltar do movimento retrógrado. Essa conjunção ocorreu em conjunção também a Antares, uma estrela considerada maléfica e precursora de catástrofes. De lá para cá, de fato, muitas catástrofes aconteceram, literal e figurativamente – especialmente nos meios políticos e sociais. A conjunção também aconteceu como foco de uma T-Square mutável, que tinha como base a oposição Mercúrio-Netuno – muita confusão e julgamentos errôneos, levando a ações precipitadas, alimentadas também por medos e inseguranças. Agora a oposição ocorre também numa T-Square, só que dessa vez, Marte-Saturno formam a base da T-Square, da qual Quíron é o foco. Outra coisa importante é que Marte está atualmente Fora de Limites, tornando-se mais primitivo e reativo. Esse cenário é bastante perigoso, tanto nas relações e situações pessoais, quanto nas questões sociais e coletivas que estamos vivenciando, porque mais uma vez dá margem a polarizações e extremismos, em que um se vê cerceado pelo outro, que é visto então como o próprio demônio encarnado. Além disso, classicamente, Marte em tensão a Saturno, aponta para a ofensividade, agressividade, repressão violenta da ação individual, que por sua vez, gera uma contrarreação mais violenta ainda, tudo isso temperado e catapultado por muita irritação, frustração e sensação de impotência e impedimento – dá para se ter uma ideia do resultado, certo?

Reprodução

Essa oposição fica ativa por cerca de dez dias, mas terá repercussões por todo o ciclo, já que estava ativa na Lua Nova. Portanto, há que se ter muita paciência e tolerância para que divergências não enveredem por bate-bocas e não descambem para agressões literais e físicas. A frustração é maior porque Gêmeos, signo trafegado por Marte, tem a ver com movimento e deslocamentos e isso requer de nós muita prudência, especialmente no trânsito e nas comunicações – Marte-Saturno é um aspecto famoso por acidentes causados por frustrações.

Reprodução

Por outro lado, a sensação de impotência pode trazer a chance de exercitarmos a humildade e rever nossos desejos – sempre que Marte é bloqueado por Saturno, somos questionados novamente sobre a validade dos nossos desejos e quereres: realmente queremos aquilo pelo que lutamos? Ou será que estamos numa luta mental egoica, por coisas que nem alimentam nossa alma e nosso coração? O “inimigo” geralmente é o nosso melhor mestre e cabe a nós nos questionar, dentro de nossa própria vida, o que os entraves e bloqueios e o “inimigo” estão tentando nos ensinar. Por que continuar na polarização? Por que não perceber que o “inimigo” é parte de mim? Que os adversários ou opositores são pedaços importantes do grande mosaico que compõe aquilo que sou?

Diagrama de Descartes sobre o dualismo – Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 5 de Gêmeos (04°46’) traz uma imagem que corrobora essa análise: “Uma revista revolucionária pedindo ação, exibe uma capa sensacional”. Dane Rudhyar, que analisou extensivamente os Símbolos Sabianos, diz que a nota básica deste símbolo é “a tendência explosiva dos sentimentos reprimidos e emoções viscerais”. Ele nos lembra do perigo das polarizações, em que sempre que privilegiamos um lado, em detrimento de outro, mais cedo ou mais tarde invocamos um movimento contrário no extremo oposto, queiramos ou não. E isso enfatiza a qualidade dual da mente, simbolizada por Gêmeos. “Aquilo que está atado rigidamente à forma e à convenção, pode explodir na ausência completa de formas, seja através da revolução ou, psicologicamente, nas psicoses”, diz ele. “Se a ação revolucionária é violenta ou pacífica, amargamente ressentida ou amorosa, o único desejo é ir além das formas estabelecidas”, completa ele – alguma semelhança com o atual estado de coisas?

Reprodução

Linda Hill, astróloga australiana, também especialista em Símbolos Sabianos, ao analisar o mesmo símbolo diz o seguinte: “Às vezes, a fim de ser levadas a sério ou serem notadas, as pessoas precisam fazer ou dizer algo estimulante, radical ou fora do comum, especialmente quando há uma necessidade, ou um desejo, de mudar as coisas. Há provavelmente um forte sentimento de que a ‘ação’ deve ser tomada – lembre-se, no entanto, de que o status quo pode ser muito difícil de despertar, mudar ou alterar. Como esta é uma “Revista Radical” pode levar a movimentos que são perturbadores ou mesmo ameaçando a estabilidade e segurança em alguma medida. Além disso, a ‘ação’ que está sendo solicitada pode levar a resultados aquém dos desejáveis. Os eventos que se desenrolam podem ser muito carregados emocionalmente” – novamente: qualquer semelhança NÃO é mera coincidência! Ela ainda acrescenta que há propensão a reações exageradas e dramáticas, notícias e mensagens chocantes, revolução, necessidade de reforma, teorias de conspiração, comportamentos ultra-egoístas.

Il segno dei Gemelli nella Rotonda dello Zodiaco – Orodé Deoro – Reprodução

Concluindo, este é um ciclo de muita racionalização e dualidades, que vai requerer de nós um distanciamento desapaixonado para conseguirmos ver a imagem maior do quebra-cabeças que precisamos montar e do mosaico que é a nossa alma, no momento bastante perturbada e conturbado pelas convulsões individuais e sociais. Num sentido mais prático, é hora de lançar as intenções referentes aos assuntos da casa onde você tem Gêmeos no seu mapa natal, além de buscar melhorar a comunicação e renovar as ideias e conceitos nessa área! E já que Gêmeos é o signo da palavra, vale escrever e verbalizar – apenas para você mesmo – o que você deseja realizar neste ciclo, quais são seus objetivos e incluir os detalhes práticos que serão necessários para a realização de tais objetivos! As metas serão muito importantes para mantermos o foco e juntar as diversas partes do grande mosaico que somos nós!

Um ótimo e feliz ciclo para você!

Reprodução

A Semana Astrológica – Na sincronia da alma

Reprodução

Semana de 8 a 14 de maio – Semana de culminação do ciclo, representando expansão e crescimento. Mas há influências que podem trazer desencorajamento e demandam vigilância!

Eu aproveito para dar as boas vindas à nova imagem do blogue. Faz tempo que queria mudar algumas coisas, e não encontrava tempo. Ainda não está como eu gostaria, visto que mudei apenas o formato e a apresentação. Mas devagar, chegamos lá!

Nesta semana temos a culminação do ciclo Taurino, na Lua Cheia de Escorpião, ocorrendo na quarta-feira. O período da Lua Cheia sugere um apogeu, um tempo em que as coisas alcançam um clímax e coisas que estavam se avolumando e acumulando energeticamente, finalmente são liberadas, alcançando uma resolução – é ir ou ficar, comprometer-se ou abrir mão. Assim, podemos ter essa nítida sensação nos próximos dias, de algo está mais definido, mais claro e resoluto – mesmo que não gostemos muito de tais definições.

Carol Beckwith e Angela Fisher – Reprodução

O Sol em Touro faz trígono a Plutão neste período, aspecto que estará ativo na Lua Cheia. Com o Sol em aspecto positivo a Plutão, estamos dispostos a enfrentar nossas sombras e a fazer o que for necessário para nos transformar, uma transformação que pode ser programada, ao invés de ser imposta goela abaixo. Olhamos honestamente para nossas falhas e decidimos o que e como fazer para lidar com a situação. Entretanto, o trígono a Plutão implica, necessariamente, a retrogradação deste e isso nos alerta que além de estarmos mais dispostos a perceber a necessidade da mudança – coisa que normalmente preferiria ignorar – também estamos atentos ao que já foi mudado, ao que funcionou ou não, revemos, reavaliamos e, a partir disso, nos reposicionamos.

Reprodução

Mercúrio faz nova conjunção a Urano, finalizando este ciclo de renovação de ideias – ele fez a primeira conjunção, retrogradou, fez outra conjunção e agora faz a terceira e última desta fase –  em busca de novas iluminações. Teremos dias de novidades e surpresas nas comunicações, mídia, redes sociais e também nas interações pessoais em geral. Mercúrio fecha a semana no último grau de Áries, preparando-se para pular a cerca e entrar no curral de Touro.

Reprodução

Marte faz quadratura a Netuno, na quinta-feira, indicando que o entusiasmo fica um tanto comprometido; podemos cair nas armadilhas da preguiça, da insegurança e da dúvida acerca daquilo que queremos, questionando nossa capacidade de obter ou mesmo a validade do nosso desejo. Entretanto, talvez tal encorajamento, mais do que arrefecer, fique sujeito a oscilações extremas, porque Marte também faz aspecto a Júpiter no dia seguinte. Outra coisa que pode sugerir essa instabilidade na liberação da energia é que partir do dia 14 Marte sai dos limites do Sol por declinação Norte. Quando fora dos limites estabelecidos do Sol, um planeta tem sua ação intensificada e, positivamente, podemos ter mais clareza do que queremos quanto à atuação daquele planeta. No caso de Marte, Steven Forrest, astrólogo americano, diz que que ele “adquire maior liberdade que o normal para realizar suas empreitadas marcianas”. No caso de pessoas que têm Marte natal Fora de Limites, isso leva essas pessoas a quebrarem limites e realizarem grandes feitos, embora possam também se manifestar como muito problemáticas, pelos mesmos motivos. Olhando as influências negativas, isso pode nos levar aos desejos cegos, pois podemos ficar incapazes de questionar aquilo que desejamos, se é ou não adequado para nós, se vale ou não lutar por tais desejos. Steven Forrest argumenta ainda que quando Marte está Fora de Limites, é possível que tomemos atitudes das quais nos arrependamos mais tarde, quando ele voltar aos limites do Sol. Isso porque, classicamente, quando Fora de Limites, um planeta é considerado selvagem e sem controle, visto que está fora da jurisdição do Sol, a autoridade máxima do nosso sistema. Marte fica Fora dos Limites do Sol de 14 de maio a 29 de junho. Neste período terá uma distinta qualidade “selvagem” e sua ação fica intensificada.

Um movimento muito importante acontecendo esta semana é a ingressão do eixo nodal na polaridade de Leão e Aquário. Para muitos astrólogos, essa migração já ocorreu, porque eles trabalham com Mean Node, ou seja, uma variação média do movimento dos nodos. O Nodo Norte Médio já ingressou em Leão na semana passada, mas o True Node (Nodo Verdadeiro), que representa o movimento real dos nodos, migra para Leão na terça-feira, dia nove e fica neste signo até seis de novembro de 2018. Isso representa uma mudança importante, principalmente porque a partir daqui os eclipses vão migrando gradativamente para essa polaridade de Leão-Aquário, depois de ter ficado aproximadamente dois anos ocorrendo em Virgem-Peixes. Agora saem um pouco de cena os temas do serviço e da redenção (Virgem-Peixes) e entram em foco a criatividade, expressão individual, atuação em grupos e o ativismo político e social, tanto em nível da consciência individual quanto coletiva. Leão, é regido pelo Sol e isso pode nos ajudar a nos sintonizar melhor com os propósitos solares, de elevação de consciência e de realização individual.

Reprodução

Outra coisa relevante, é que o trânsito do eixo nodal ativa um par de casas no mapa natal de cada pessoa, trazendo à tona assuntos do passado naquela área de vida, pedindo que essas cosas sejam revisitadas. A última vez que o Nodo Norte esteve em Leão foi entre outubro de 1998 a abril de 2000. Se você sabe onde tem os signos de Leão e Aquário, preste atenção porque as coisas serão reviradas nessa área novamente – não necessariamente num sentido negativo. Quem tem o Nodo Norte em Leão, estará vivendo nos próximos 18 meses um Retorno Nodal, que ocorre a cada 18 anos e meio, aproximadamente. É uma ótima oportunidade, uma chance nova de se realinhar com o próprio destino, de relembrar o seu Dharma, a missão que veio realizar nesta vida. Quem tem o Nodo Norte em Aquário – o contrário – tem a chance de relembrar erros do passado, para liberar-se, para se tornar mais sábio e deixar para trás antigos padrões, integrando aquilo que já foi aprendido, com aquilo que se veio aprender.

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Corcunda, em Libra. Completa a fase Cheia em Escorpião, aventura-se em Sagitário e fecha a semana já em Capricórnio, na fase disseminadora, no domingo.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 8 de maio – A Lua abre o dia em Libra, conjunta a Júpiter. Depois ela faz quadratura a Plutão, oposição a Urano e a Mercúrio e sextil a Saturno, ficando vazia depois deste aspecto, às20h01min. Ainda faz sesqui-quadratura a Netuno. A noite pode ter sido tempestuosa, mas segunda-feira está super movimentada, com muitas coisas acontecendo, colorindo o dia de dinamismo e energia! Mas talvez haja demandas demais, de forma que nos sentimos demasiadamente exigidos e divididos entre nossas necessidades pessoais e as muitas exigências que o dia nos traz. Se não dá para fazer tudo e atender a todos, é preciso negociar, escolher e bancar o desconforto que dizer não ao outro vai suscitar. Em nossa busca por harmonia e equilíbrio, precisamos lembrar que antes de mais nada temos que harmonizar a nós mesmos, antes de encontrar harmonia no mundo exterior – aliás, se nos equilibramos internamente, o caos externo dificilmente nos afetará. Principalmente, é preciso vigiar atitudes e comportamentos impulsivos e compulsivos, dos quais poderemos nos arrepender mais à frente e antes de espiralar e ceder a tais impulsos – que podem ser bastante destrutivos – fazemos se olhamos para o fundo da nossa alma para perscrutar onde nascem tais compulsões, quais ansiedades ou fomes inconscientes estamos tentando aplacar, também inconscientemente. Se fazemos isso honestamente, não temos que ficar à mercê da resposta do outro, nem ficar incomodados se não obtemos tal resposta. Também há propensão para confrontos, especialmente aqueles motivados por questões de poder, em que um lado tenta se impor ou controlar o outro. Em termos mais positivos, o dia está excelente para lidar com situações que demandem energia resolutiva, para enfrentar conflitos e resolvê-los, para nos engajarmos em situações e problemas que demandem alta estamina físcia e emocional.

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 9 de maio – O eixo nodal (True Nodes) ingressa na polaridade Leão-Aquário. O Sol Taurino está em trígono pleno a Plutão em Capricórnio e Mercúrio vira a noite em conjunção exata a Urano. A Lua entra o dia vazia em Libra e ingressa em Escorpião às 02h01min, de onde faz quincúncio a Vênus em Áries, fechando o dia em trígono não exato a Netuno. Sentimentos intensos e viscerais colorem o dia e nos fazem estar em contato mais direto com as intenções mais profundas do espírito e da consciência, integrando mais um pouco da sombra, de maneira harmoniosa e afinada. Temos um feeling particularmente acurado, que nos permite perceber as correntes invisíveis e as influências subjacentes a todas as interações, captando intenções, sejam elas honestas ou sombrias e a partir disso, traçamos nosso próprio movimento. Percebemos com mais clareza alterações que precisam ser feitas, seja em nós mesmos, internamente, ou no nosso entorno e tão logo identificamos a necessidade de tais modificações, colocamo-nos em ação, sem hesitação, porque de repente, aquilo que aguentamos por muito tempo, torna-se intolerável, e logo queremos reformar, transformar, melhorar. É um dia deveras potente para busca impulso de mudança e transformação e se formos espertos e inteligentes o bastante, tiraremos proveito de tal energia, colocando a mão na massa jubilosamente. É interessante notar que Mercúrio está cheio de novas e audazes ideias, vindas de Urano, o reformador por excelência; já o Sol Taurino, ultra pragmático e do tipo “mão-na-massa”, também faz um bom contato com Plutão, aquele das transformações profundas. Como se não bastasse, a Lua Escorpiônica traz o engajamento físico com as mudanças, porque então elas se tornam uma necessidade da alma. É dia de fazer boas e reais mudanças!

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 10 de maio – Mercúrio está em conjunção plena a Urano. A Lua Escorpiônica faz trígono a Netuno e quincúncio a Marte, que estão em quadratura entre si. A Lua ainda se afina com Plutão, antes de se opor ao Sol, entrando na fase Cheia, a 20°24’ de Escorpião. A Lua fica vazia depois da oposição ao Sol, às 18h44min. É dia de inspiração, de nos sincronizarmos com forças poderosas, de nos reconectar com os anseios mais profundos de nossa alma e com os ditames da nossa consciência mais elevada. De fato, há no ar uma profunda sensação de sincronicidade e embora tenhamos que rever algumas dessas inspirações lá na frente, por serem demasiado sutis e imaginativas, ainda assim, podemos nos beneficiar bastante se estivermos suficientemente abertos às vibrações sussurradas no ar e que reverberam direto no nosso coração. É possível também que muito dessa inspiração nos coloque em colisão direta com aquilo que se espera de nós e isso, por mais emocionante que tais inspirações sejam, pode causar conflitos e trazer alguma sensação de alienação – mas cabe aqui aquela observação de Krishnamurti: “pode ser um sinal de saúde quando não nos encaixamos completamente num mundo que está doente” – na verdade, ele diz isso ao contrário: não é um sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade profundamente doente. A Lua alcança seu apogeu exatamente neste clima: de imaginação sem limites, de uma sensibilidade profunda e mágica, que pode nos fazer sentir em contato com toda a criação, em sua força poderosa de vida e de unidade. É uma Lua cheia de renovação e regeneração; de nos livrarmos da antiga pele e darmos as boas vindas à mais nova versão de nós mesmos. Mais sobre a Lua cheia na quarta-feira.

Christy Schwathe – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 11 de maio – Marte está em quadratura partil a Netuno em Peixes. Mesmo vazia a Lua faz quincúncios a Urano e a Mercúrio e depois sesqui-quadratura a Vênus. A Lua ainda faz trígono a Quíron e ingressa em Sagitário às 14h00min e fecha o dia em trígono a Vênus. O dia hoje está particularmente parado, arrastado e contaminado com uma sensação de irrealidade, que nos faz duvidar até da nossa própria carne e das sensações físicas. Pela manhã, é necessário um grande esforço para levantar e ir para o mundo e de fato, o tempo não está propício para as atividades objetivas, antes são horas reflexivas, adequadas para ruminarmos sobre o rumo da vida, sobre nossas inseguranças, complexos de autossabotagem e tentar olhar para nós mesmos com mais carinho e compaixão. Por que precisamos, volta e meia, ficar patinando sobre nossas próprias inseguranças? Por que damos ouvidos a outros, que muitas vezes nem nos conhecem tão bem assim? Por que a opinião de outros tem que ser mais importante do que a nossa própria? Talvez já esteja na hora de confiar na nossa própria voz interior, na sabedoria maior, que carregamos em nós. Também precisamos lidar com a tendência, às vezes, de nos envolvermos com mais coisas do que damos conta, ou de nos deixarmos vencer pelo tamanho da tarefa, antes mesmo de começa-la – é preciso ter humildade para reconhecer os próprios limites, sem se deixar abater por eles. Ver, perceber, reconhecer e respeitar nossos medos e inseguranças não quer dizer que deixaremos que nos paralisem e lembrar sempre, não conhece a coragem, quem nunca experimentou o medo. O medo é natural e necessário, mas não pode nos impedir de realizar nossos intentos legítimos e maiores. Com Marte em Gêmeos em aspecto a Netuno, muitos desses medos são irreais e talvez tais catástrofes nunca aconteçam realmente. À tarde o clima muda sutilmente e se não conseguimos vencer completamente o marasmo, pelo menos nos animamos um pouco e conseguirmos ver as coisas e a vida sob outras perspectivas, menos pessimistas e derrotistas. E quem sabe até nos armamos de uma nova empolgação e encontramos outras vozes menos sombrias e mais incentivadoras, dentro e fora de nós. A tarde, fica de fato, mais propícia para darmos continuidade aos propósitos conscientes e a continuar a colher os frutos do nosso intenso labor.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 12 de maio – Marte está em trígono exato a Júpiter, enquanto começa a se afastar da quadratura a Netuno. A Lua completa o trígono a Vênus, faz conjunção a Lilith, quadratura a Netuno e oposição a Marte, tornando Netuno foco de uma T-Square mutável. Fecha a noite em sextil a seu dispositor, Júpiter. O dia está levemente mais animado do que ontem, mas ainda precisamos lidar com humores oscilantes, desencorajamento intercalado com arroubos de entusiasmo e fé, que no fim podem ainda comprometer a ação e execução daquilo com que estamos comprometidos. Ainda duvidamos muito de nós mesmos. A dúvida, dizia um amigo meu, muito tempo atrás é o estado de viver duas vidas: DÚ-VIDA, uma vida em duplicidade, em ambiguidade, que é exatamente um dos temas básicos de Gêmeos e por que não, de Sagitário também. Assim, hoje precisamos nos lidar com nossas ambivalências e incertezas e perceber quando dividimos a potência da vida em duas, criando as DÚ-VIDAS. A dúvida é algo natural e saudável, na medida em que nos faz humildes e humanos, e é necessário ser honesto consigo mesmo para confrontá-las. Contudo, a despeito de tudo isso, às vezes a dúvida tira o viço, a ponto de entrarmos em colapso mental, pela incapacidade de chegar a uma conciliação interna – o ego não suporta e colapsa de alguma forma – daí as estafas mentais, os estresses agudos – algumas das causas dessas condições é o estado de impasse, de não se conseguir tomar uma decisão e banca-la diante de nós mesmos. Assim, podemos olhar para a dúvida como uma entidade que vem nos ajudar a fazer um questionamento válido e coerente, mas não podemos deixar que se instale para sempre, impedindo-nos de correr os riscos necessários para progredir na nossa jornada heroica. A incerteza também tem suas qualidades, porque nos coloca em contato com nossa humanidade, com a vulnerabilidade, com o fato de que não temos mesmo obrigação de saber tudo o tempo todo, nem de ter soluções e respostas prontas para tudo. Isso me lembra de outro amigo, a quem nunca conheci pessoalmente, mas que muito me ajudou nos meus dilemas adolescentes: “às vezes, quem duvida e faz perguntas, é muito mais honesto do que eu” que estou cheio de certezas, mas que tenho pavor de ver tais certezas rechaçadas e postas à prova. Esse é o clima básico do dia: o confronto conosco mesmos e nossas próprias dúvidas, infantis, reais, válidas ou não. E ao invés de fugir delas e fingir que sabemos tudo, ganhamos mais se lhes damos as boas vindas, assim elas deixam de ser o bicho-papão e já não precisam nos paralisar indefinidamente.

Reprodução

SÁBADO, 13 de maio – De Sagitário, a Lua se afina lindamente com Urano, enquanto faz conjunção a Saturno e quadratura a Quíron. A Lua fica vazia às 23h16min, depois do trígono a Mercúrio que também está em trígono exato a Saturno hoje. Gradativamente vamos retomando nossas forças e nossa coragem e submetendo nossas inspirações mais luminosas à luz da realidade, para pormos algumas em prática e, quem sabe descartamos outras. O dia está, de fato, mais animado e cheio de uma energia auspiciosa, que nos faz buscar novos ares e abrir a cabeça e o coração para novas possibilidades de mudar nosso cotidiano e rotina. A mente prática e funcional está hoje conectada a dois princípios aparentemente opostos, mas que são imprescindíveis de serem conciliados, se for para construirmos algo, efetivamente, que uma o passado e o futuro, que não signifique implodir tudo o que veio antes, em nome do que virá depois. Assim, este é um ótimo período para repassar nossos planos, nossas ideias recentes, nossos projetos de estudo, a forma como nos comunicamos e perceber onde podemos fazer alterações de maneira harmoniosa, tranquilamente. Inspirações que elevam nosso espírito e de quebra, ainda nos ajudam com questões práticas e terrenas. Aproveitemos essa energia para clarificar nossas ideias e de fato, realizar algo a partir delas!

Reprodução

DOMINGO, 14 de maio – A Lua ingressa em Capricórnio às 02h38min, de onde quadra Vênus em Áries e faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Disseminadora. A Lua também faz quadratura a Júpiter, virando foco de uma ampla T-Square, já que Vênus já está em orbe de oposição a Júpiter. Marte segue se distanciando de Júpiter e Netuno e se aproximando do quincúncio a Plutão, exato na semana que vem. Mercúrio trafega o último grau de Áries e entra em Touro amanhã. Um dia mais soturno, que nem parece muito com domingo. É folga, dia de descanso, mas estamos sintonizados com deveres, obrigações, compromissos sociais. Há muitos e vários apelos para o descanso, o lazer, a alegria, mas nos sentimos um tanto sobrecarregados com os compromissos já assumidos, de modo que talvez nos peguemos de mau humor. Mas ainda assim, se de fato queremos, podemos dar um jeito e criar tempo, espaço, energia, para nos dedicarmos à família e às coisas prazerosas da vida – a questão é se não estamos usando deveres e obrigações para fugir do contato mais próximo com outros, da intimidade e de uma maior profundidade nas nossas relações, muitas vezes permeadas de detalhes práticos e expectativas sociais. O tempo, nesse contexto, pode ser um algoz, já que não fizemos dele um amigo. O final do dia fica mais propício a um pouco de diversão e prazer, portanto, é questão de querer!

Uma ótima semana para você! que seja de paz e luz!

Reprodução

Lua Nova em Touro – Vibrando prosperidade

Reprodução

Chegamos à época do ano de nos sintonizarmos com a vibração da prosperidade e de focarmos na busca por realizar nossos objetivos materiais – não que isso não possa ser feito em outras épocas, ou até mesmo o ano inteiro, mas a energia de Touro faz com que nos demos conta do mundo material de maneira mais direta, potente, palpável. Sim, aqui estamos lidando com o mundo tangível, no mais tangível que se consegue ser, porque envolve todos os sentidos do corpo: ver, ouvir, cheirar, degustar e, claro, tocar!

Reprodução

O Zodíaco representa uma jornada arquetípica: primeiro temos o bebê, que da luta de vida ou morte representada pelo canal do parto, nasce em Áries, se esgoelando e berrando alto, para se fazer ouvir, para se fazer notar, como dizendo: eu cheguei! Quando esse bebê chega em Touro ele começa a perceber as sensações físicas mais nitidamente: ele descobre que além de matar sua fome, o leite da mamãe é saboroso, que ele gosta do seu cheiro, do toque da sua mão, gosta de ser tocado por ela; gosta do que vê na profundidade do seu olhar enquanto ela o amamenta; descobre o próprio corpo e começa a chupar os dedinhos e tudo o que pega vai para a boca – é a famosa fase oral. Nós nos descobrimos encarnados nesta vida através do corpo, que pode ser fonte de prazer, dor, vergonha, raiva… É no corpo que nos cristalizamos, esse corpo perecível, preenchido pela alma imortal, mas que sem ele, a alma não poderia estar vivendo essa experiência. Aqui estamos na esfera sagrada de Touro: a materialidade, sentida através das sensações.

Pois a Lua Nova desta quarta-feira, ocorreu exatamente em Touro, no grau 06°27’, às 09h16min no horário de Brasília – 13h16min no horário de Lisboa – e vem nos convidar a refletir sobre esses temas, mas não apenas refletir, porque com Touro nada é meramente intelectual, nada é só um conceito abstrato. Não. Refletir de forma ativa, concretizando, vivenciando, colocando a mão na massa – quaisquer que sejam nossos objetivos materiais no momento, de curto ou longo prazo! Lançar intenções com o firme propósito de concretizá-las.

Arcano III do Tarô Mitológico

Touro é o signo de exaltação da Lua, exatamente porque oferece a ela, o conforto, a segurança, a nutrição que ela tanto busca, seja essa nutrição e conforto físicos ou emocionais. A Lua aqui é a própria Imperatriz, Arcano 3 do Tarô: fértil, poderosa, empoderada. Ela tem e manifesta o poder da Mãe Terra, na sua mais extensa fecundidade. A Imperatriz, além de nos lembrar da fecundidade da Terra e da sua abundância, também nos lembra do prazer, da sensualidade e do mundo sensorial, da sexualidade que integra belamente as diferentes motivações do sexo, como poder de criação e como fonte de prazer. É uma mulher forte, poderosa, no seu próprio direito, ciente desse poder, de si mesma, de sua feminilidade e fecundidade. E seus dons estão disponíveis – mas, e nós, estamos abertos a recebê-los? A prosperidade é dada, mas nem sempre nos sentimentos merecedores, nem sempre nos sintonizamos com ela, por motivos vários: culpas, crenças, heranças e maldições familiares, ideologias… Assim, abundante é a vida, mas como usufruímos dessa abundância? A Lua Nova de Touro nos faz pensar sobre isso: no conforto e na abundância que merecemos e que construímos para nossa vida – ou que invejamos na vida dos outros! Abaixo analisamos as configurações ativas na Lua Nova, mas já adianto que Vênus está em quadratura a Saturno e conjunção a Quíron, simbolizando que a autoestima está um tanto combalida e que talvez tenhamos dificuldade em nos sentir merecedores das benesses do Universo, ou que teremos que nos esforçar mais para conquistar tais benesses.

No mapa desta lunação, Lua e sol estão isolados, evidenciando mais os temas de Touro. Temos para o ciclo que começa uma energia forte de obstinação, de pragmatismo, de bom senso, que vez por outra pode virar teimosia: focamos tanto no que queremos e buscamos, que vemos em túnel, alheios a tudo o mais que possa nos distrair. Se por um lado isso é ótimo porque favorece a determinação, por outro, leva a extremismos, teimosia, unilateralismos, em que nos recusamos a levar em conta outras opiniões e visões, mesmo quando nosso equivoco é evidente. Nesses casos, nos recusamos a dar o braço a torcer e a sensatez dá lugar ao capricho infantil e ao endurecimento da mente e do coração. Contudo, há muitos planetas em signos mutáveis, e isso talvez se equilibre razoavelmente. Os elementos também estão relativamente balanceados. Mas, uma vez que Lua e Sol não fazem aspectos a outros astros, precisamos olhar com atenção dobrada para Vênus, regente da Lua Nova. E Vênus, já sabemos, apesar de exaltada em Peixes, está se recuperando da sua recente retrogradação e dos aspectos a Saturno e a Quíron, também frescos na memória. Vênus está no último grau, do último signo do zodíaco, fora de curso, prestes a pular para Áries, mas ainda se demorando na incorporeidade de Peixes. Essa posição de Vênus sugere que a determinação, por mais obstinada que seja, possivelmente oscile, vem e vai, ora estamos totalmente empenhados, até de forma cega e ora não temos mais certeza do que realmente queremos, então, em lugar de suaves, ficamos “frouxos”, relapsos e inseguros.

Reprodução

O último grau de Peixes também nos diz que essa é uma Vênus desapegada, que está mais focada nas coisas “do outro mundo” e a materialidade talvez não lhe interesse tanto. Esse posicionamento de Vênus vem nos dizer que embora seja adequado focar nos projetos de estabilidade e segurança material, precisamos ter clareza de que eles não são um fim em si mesmo, de que não podemos nos definir a partir das aquisições e conquistas materiais – elas são consequências do trabalho interior que viemos empreendendo, mas não servem para nos definir. O conforto, o prazer, o dinheiro, a riqueza, tudo isso são meios que nos propiciam conforto e a possibilidade de focar na evolução espiritual de forma mais tranquila – é bem complicado você pensar em evolução espiritual de barriga vazia, morrendo de frio ou de sede, sem necessidades básicas atendidas ou com a vida ameaçada – aqui a questão premente é a sobrevivência e com isso não se discute. Quando já temos resolvidas essas questões básicas, podemos olhar para mais longe, para além. Portanto, Touro precisa lembrar de não se identificar com aquilo que possui, ou como diz a frase: “não há problema em possuir coisas, o problema é deixar que as coisas possuam você” (desconheço o autor). Vênus vem nos lembrar, mais do que nunca, que por mais empenhados que estejamos na realização material, isso não é o fim, o objetivo final e se assim o for, ou não conseguiremos realizar tais objetivos, ou, ainda que os realizemos, eles não nos trarão a satisfação e o gozo almejados. Positivamente, a Vênus Pisciana indica que a rusticidade simples de Touro é refinada muitas vezes pela doçura, suavidade e gentileza de Peixes. E ainda, algo está se modificando, algo está se transmutando e não sabemos como a próxima etapa se dará!

Reprodução

Júpiter está destacado, porque carrega o mapa como cabeça da locomotiva, a despeito de estar retrógrado, podemos ter otimismo, desde que não seja exagerado, que seja razoável e bem fundamentado, como requer Libra. Outra coisa importante é que Netuno está no Ponto Médio entre a Lua Nova e Plutão que, segundo Ebertin traz “hipersensibilidade, talentos psicométricos, sentimentalidade, depressão, falta de vontade”. O Sol e a Lua também estão no Ponto Médio entre Quíron e o Ascendente, o que traz uma consciência aguda do nosso lado manco, um desejo de perfeição malogrado, um sofrimento pelas limitações físicas e até a possibilidade de doença. Então, esses pontos médios aumentam a sensibilidade e a ênfase a Peixes e a Quíron e requerem coragem e serenidade para aceitarmos as imperfeições da corporeidade. Especialmente porque nesta semana, exatamente no domingo, Saturno faz sua segunda quadratura exata a Quíron, tornando mais potente essa consciência de nossas imperfeições – o fato de esse aspecto ficar exato durante o ciclo de Touro pode nos ajuda a ser práticos a respeito de tudo isso; touro é sensato e lida com as coisas de forma simples: elas são o que são, e pronto! E há certo momentos que isso ajuda, e muito!

Reprodução

Eu não costumo, salvo algumas exceções, trazer presente as questões políticas, primeiro porque não domino Mundial, segundo porque eu já faço textão, se for para falar de Mundial/política/sociedade, teria que fazer um texto à parte. Mas me chamou a atenção, considerando-se o momento político/social que estamos vivendo, o fato de esse mapa ter no Ascendente o signo de Gêmeos, o signo da conjunção Lua-Júpiter do Brasil, e o Asc cair em conjunção ampla a esses dois astros natais do Brasil. Outra coisa, Gêmeos é o signo do Fundo do céu no mapa do Brasil e isso vem ativar questões antigas, relativas ao nacionalismo e coisas do passado, ao senso de pertencimento a pátria. Marte também está isolado na casa 12 deste mapa, faz apenas uma sesqui-quadratura a Plutão na casa 8 e isso inspira cuidados, porque Marte na 12 geralmente fala da agressividade inconsciente, dos movimentos subversivos que crescem ocultamente e explodem violentamente – o aspecto a Plutão na 8 não ajuda muito. Mas Marte também ativa a conjunção Lua-Júpiter – precisamos cuidar para tudo não acabar em pizza de novo ou num ridículo festival de memes! Talvez isso não aconteça porque a Lua Nova cai em conjunção ao Saturno natal, na casa 3, e em oposição ao Marte natal em Escorpião na 9 – então, talvez tire esse Saturno do mutismo, vem acionar a frustração inerente à oposição Marte-Saturno, que depois de acordada, pode virar trampolim, mola de impulso para questionamentos das nossas convicções, crenças e leis. O eixo 3 – 9 tem a ver com conhecimento, comunicações e também com a formulação das leis – e olha só o que está acontecendo atualmente, as leis que estão tramitando e sendo votadas… E a Lua Nova ainda forma um Grande Trígono com Urano-Netuno em Capricórnio e com o Sol em Virgem – talvez consigamos superar nossa preguiça, nossa acomodação e tentar fazer algo efetivo para impedir que essas leis espúrias passem e sejam aprovadas – afinal de contas, masi do que nunca estão mexendo no nosso bolso, no nosso senso de valore e valores e isso é intolerável para Touro.  É interessante notar que temos nesse cenário, os indígenas também se mobilizando pela demarcação de suas terras – que coisa mais Taurina, não? A posse da terra, que lhes foi roubada desde que aqui o branco pisou! De qualquer maneira, a posição de Vênus, dispositora da Lua Nova, nos diz que muitas coisas estão prestes a mudar, radicalmente, como radical é a diferença entre Peixes e Áries. E Touro, sendo muito focado na estabilidade e na segurança, pode não gostar dessa incerteza, o que nos sugere um ciclo em que lidamos sim, com muitas incertezas e instabilidades

Reprodução

Concluindo, A Lua Nova de Touro indica o período do ano de lidarmos de forma mais direta com o mundo material, com nossos objetivos e metas financeiras e de nos afinarmos com a vibração da prosperidade e da fertilidade da vida! É um tempo propício para lançar novas sementes – inclusive literalmente – e intenções de construir algo concreto, algo que venha a repercutir positivamente no nosso senso de valor, de autoestima e que também nos coloque em contato mais profundo com o nosso corpo, com o conforto e o prazer que a vida pode proporcionar! E você, já sabe que sementes vai plantar? Que obra vai construir? Quais metas quer conquistar?

Um ótimo ciclo para você! Que seja produtivo e realmente próspero!

Reprodução

A Semana Astrológica – Materializando Intenções

Reprodução

Semana de 24 a 30 de abril

Semana de recomeço, de inaugurar novos sonhos e plantar sementes que frutificarão substância, solidez e estabilidade.

O Sol ingressou em Touro e fica vários dias sem fazer maiores aspectos a outros planetas, sinalizando talvez alguma dificuldade em nos sintonizarmos com nossos propósitos e oscilações no entusiasmo com que nos empenhamos em realizar tais propósitos, ora muito certos e determinados, ao ponto do extremismo, ora duvidosos, sem saber direito para onde estamos indo. É nesse clima que ocorre a Lua Nova em Touro, já na quarta-feira, sinalizando o começo de um novo ciclo e o tempo ideal para cuidarmos da segurança material, do conforto físico e da nossa relação com o mundo sensorial, o mundo da matéria. É tempo de renovar intenções e, mais do que isso, de trabalhar para materializar tais intenções!

Reprodução – Desconheço autor

Mercúrio, retrógrado em Áries, telefona novamente para Saturno em Sagitário, para falarem de assuntos já tratados anteriormente e que agora precisam ser revistos e repensados. Mercúrio se junta novamente a Urano e revisa a necessidade e factibilidade dos planos e ideias incitados pelo desejo de mudança. Quando Mercúrio voltar ao movimento direto, no inicio de maio, realizar esses dois aspectos mais uma vez e é quando essas ideias se mostrarão mais consistentes, a mente estando aberta a apta a integrar as novidades às regras necessárias para manifestá-las no mundo.

Delaware Art – reprodução

Vênus ingressa novamente em Áries e lentamente vai retomando sua velocidade, recuperando inspirações, iluminações e lampejos fugazes captados desde fevereiro último acerca das relações, parcerias, amor próprio e nossa relação com a materialidade da vida. Essa ascensão completa durará muitos meses – até que ela faça a Conjunção Superior ao Sol, em janeiro de 2018. Agora Vênus vai assentando todos os insights tidos e recebidos na retrogradação e começando a implantar as mudanças elaboradas durante essa fase.

Reprodução

Marte segue em Gêmeos, sinalizando semanas de muita agilidade, presença de espírito e prontidão na ação, mas também dispersão de energia, por querer e tentar fazer coisas demais ao mesmo tempo, talvez até distraindo-se com coisas menores pelo caminho, ao invés de focar no que é importante. Esta semana ele faz sesqui-quadratura a Plutão, e isso simboliza uma possível dificuldade de assumir nosso poder e de nos comprometermos com as mudanças que desejamos fazer em nós e nossa vida. Como resultado, talvez nos sabotamos e nos entregamos ao inimigo, ao invés de assumir nossa força e nossos desejos de forma limpa e direta. Só não vale culpar os outros pelos equívocos que nós mesmos cometemos por desleixo e preguiça de irmos mais fundo na nossa busca! Auto-vigilância propicia consciência e ao invés de darmos rasteira em nós mesmos, aprendemos mais um pouco.

Adam Martinakis – Reprodução

Saturno faz quadratura a Quíron, a segunda de uma série de três, sendo a última em novembro deste ano. Dois planetas pesadões, que representam limitações, dissabores, mazelas e inadequações, travando essa “conversa” para lá de difícil, para não dizer briga mesmo, indicam que está é uma semana que traz para a linha de frente a necessidade de lidar com nossas limitações, pessoais e coletivas, cada um com as suas. Este peso é sentido mais agudamente no fim de semana, já que a quadratura fica exata no domingo e pede que tenhamos paciência e compaixão, uns com os outros, assim como conosco mesmos. Talvez sejamos confrontados com decepções, notícias negativas delicadas sobre a saúde física ou moral dos nossos modelos espirituais ou intelectuais. Ou, num âmbito mais pessoal, lidamos com impossibilidades e impedimentos difíceis de sanar, que exigirão serenidade para aceitarmos a nós mesmos e aos outros, em nossas grandes limitações. Leia mais sobre Saturno—Quíron no texto sobre 2017.

Reprodução

A semana começa com a Lua inda Balsâmica, em Áries. A Lua se renova em Touro, na quarta-feira e entra na fase Semi-Crescente já em Gêmeos. Fecha o domingo em Câncer, colorindo o dia de sentimentos densos e profundos. Nas sua trajetória ela conversa com todos os demais astros celestes, serena ou intempestivamente.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 24 de abril – Mercúrio retrógrado em Áries está novamente em trígono a Saturno em Sagitário, que também está retrógrado. A Lua, Ariana e Balsâmica, se harmoniza com Marte em Gêmeos e fecha a noite em oposição a Júpiter em Libra. É dia de termos mais clareza a respeito de tarefas que deixamos de cumprir lá atrás e que agora voltam à nossa porta para que possamos terminá-las, lidar com elas adequadamente. Não há tempo ou espaço para culpas ou lamentações, não é esse o objetivo, mas sim, o resolver efetivo da situação. Assim, o dia traz uma influência forte de resolução de problemas, de finalizar coisas pendentes, de terminar tudo o que esteja “pendurado” e criando bloqueios, sejam esses bloqueios concretos ou energéticos. Outra coisa positiva é que toda essa energia de ação e resolução está bem concentrada pela maior parte do dia, de modo que se estivermos atentos, poderemos de fato utilizá-la de maneira focada, diligente, ágil e engenhosa. Não dá para perder tempo pensando “e se…”, porque se piscamos, a chance já foi! À noite já não temos tanto foco assim. A despeito do otimismo e entusiasmo, talvez tentamos abocanhar mais do que conseguimos mastigar, ou seja, há propensão a excessos e o senso de proporção fica prejudicado, levando talvez começarmos mais coisas do que conseguimos terminar ou à pura dispersão e preguiça.

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 25 de abril – De Áries a Lua se opõe a Júpiter em Libra, enquanto quadra a Plutão, fazendo conjunção mais tarde com Eris, Urano e Mercúrio. A Lua ainda faz trígono a Saturno e fica vazia depois desse aspecto, às 17h54min. Ingressa em Touro às 22h57min e fica várias horas sem maiores contatos. O regente da Lua Ariana está em Gêmeos, fazendo sesqui-quadraturas a Júpiter e a Plutão. A energia Ariana colore o dia de pressa, impulso e agilidade, feito um furacão que vai varrendo tudo por onde passa. Tem muita energia “fazedoura”, que nos ajuda a resolver coisas, finalizar processos e deixar tudo pronto para o próximo ciclo. Mas essa energia também é muito volátil e, ao invés de propiciar soluções, pode propiciar conflitos, caso estejamos muito desavisados e inconscientes de nós mesmos, especialmente porque também há períodos de rebeldia e possibilidade de imprevistos. Agir no automático não é a melhor pedida para o dia, ou podemos quebrar muitas cabeças por aí, a de outros e até a nossa própria, figurativa ou literalmente. Como é volátil, a energia se modifica constantemente, na direção, no impulso, na força, na desenvoltura e para controla-la e tirar bom proveito dela, é preciso estarmos centrados e termos clareza das nossas prioridades, buscando permanecer lúcidos e focados – do contrário, podemos nos dispersar em muitas direções e não fazer nada de efetivo com tudo isso, e pior: ainda nos indispor com o ambiente e com outros que estejam mais objetivos e seguros de si. Assim, a pedida é já começar o dia elencando as coisas importantes, mas deixando espaço para o imponderável, porque as coisas podem mudar e precisamos ser flexíveis e fluir com os acontecimentos.

Reprodução – Desconheço o Autor

QUARTA-FEIRA, 26 de abril – A Lua faz conjunção ao Sol às 09h16min, a 06°271, inaugurando um novo ciclo lunar. Mais tarde ela entra em cooperação com Netuno em Peixes, mas se desentende com Júpiter em Libra, formando um Yod-Dedo de Deus, já que Júpiter também começa a fazer quincúncio a Netuno. A Lua inaugura um novo ciclo lunar e um período de focar mais na materialidade da vida, em buscar concretizar e solidificar nossos objetivos. É tempo de nos tornarmos mais tangíveis no mundo, dando mais valor a nós mesmos, focando em materializar nossos desejos, em adquirir substancia, estabilidade, segurança. Sol e Lua estão isolados nesta lunação, não fazem contato com outros planetas, algo que dá mais ênfase aos temas de Touro e sugere um ciclo em que a busca pelos objetivos materiais é feita de forma muito obstinada, talvez até obsessiva. Focamos tanto no que queremos e buscamos, que vemos em túnel, alheios a tudo o mais que possa nos distrair. Se por um lado isso é ótimo porque favorece a determinação, por outro, leva a extremismos, teimosia, unilateralismos, em que nos recusamos a levar em conta outras opiniões e visões, mesmo quando nosso equivoco é evidente. Nesses casos, nos recusamos a dar o braço a torcer e a sensatez dá lugar ao capricho infantil e ao endurecimento da mente e do coração. A regente de Touro, Vênus, poderia suavizar essa “dureza”, visto que está em Peixes. Mas nem tanto, porque Vênus está no último grau de Peixes, um grau crítico; está se separando da conjunção a Quíron e da quadratura a Saturno e ainda em movimento muito lento, recuperando-se da retrogradação, em cuja zona ela ainda trafega. Essa posição de Vênus sugere que a determinação, por mais obstinada que seja, vem e vai, oscila, ora estamos totalmente empenhados, até de forma cega e ora não temos mais certeza do que realmente queremos, então, em lugar de suaves, ficamos “frouxos”, relapsos e inseguros. Portanto, esses são dados que precisamos vigiar ao longo das próximas semanas. Pelo resto do dia a oscilação do entusiasmo se faz mais presente e balançamos entre a sensatez e o exagero, entre um pragmatismo econômico e um idealismo inatingível. Ter um mínimo de desapego com as ideias e impulsos que nos ocorrerem pode ser um bom começo, assim, podemos dar tempo para tais ideias e palpites se assentarem e serem analisadas com mais tranquilidade nos próximos dias.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 27 de abril – A Lua completa a quincúncio a Júpiter, enquanto faz trígono a Plutão e sextil a Quíron e a Vênus, ficando fora de curso depois da conversa com Vênus, às 22h20min. Ingressa em Gêmeos às 22h39min. Marte está em sesqui-quadratura plena a Plutão e Mercúrio vira o dia já em conjunção a Urano. O dia está langoroso, lento e ainda sujeito às oscilações de humor e de entusiasmo que experimentamos ontem. Apesar de sentirmos que há muita força latente, muita estamina, demoramos a engrenar, a sair do casulo e nos jogar nas atividades que nos aguardam. É como se precisássemos ter certeza de que os esforços são realmente válidos, antes de nos movermos e nos comprometermos com eles. Essa hesitação pode nos custar muito: perda de tempo e até de boas oportunidades, portanto, é importante ficarmos atentos e sermos honestos quanto a essa inatividade ou demora na ação: isso é mesmo motivado por um questionamento legítimo ou é apenas a velha e conhecida preguiça? É uma ponderação necessária ou mera procrastinação? Se conseguirmos proceder com o confronto honesto desses lapsos, podemos acessar um grande manancial de força, estamina, desenvoltura e determinação, que nos colocará no caminho certo da realização.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 28 de abril – Mercúrio está em conjunção partil a Urano por algumas horas. Em Gêmeos, a Lua Nova faz conjunção a Marte e mais tarde faz quadratura a Netuno em Peixes e trígono a Júpiter. Vênus ingressa em Áries às 10h14min. Ideias inovadoras, algumas impraticáveis, pululam e borbulham na mente incendiária hoje. Muitas dessas ideias e palpites são, na verdade, reaparições, tendo sido visionadas pela primeira vez lá pelo fim de março. Agora nós as revisitamos, talvez – apenas talvez – com um pouco mais de sobriedade, analisando com mais vagar, nem adotando e nem descartando de vez. Lá pelos dias nove ou dez de maio é que teremos mais clareza sobre quias ideias são aproveitáveis e quais são apenas aspirações ainda avançadas demais para conseguirmos concretizá-las a contento. De modo geral o dia pede quebra na rotina, independência de decisão, movimento e atitude; pede que façamos algo diferente, inusitado, insólito, que tenhamos coragem de abrir mão de mais alguns conceitos que já não condizem com o nosso tempo e com aquilo que somos hoje, com nossos planos e projetos de futuro. Às vezes, não há problema nenhum com esses conceitos em si mesmos, eles apenas não se alinham mais com nossas buscas. Identificamos que mudamos, que hoje queremos coisas diferentes do que queríamos ontem, na semana passada, no ano passado, mas às vezes não percebemos que continuamos a emitir conceitos e a nos comunicar da mesma forma de outrora e isso gera um descompasso, que pode ser corrigido. O dia oferece a possibilidade dessas correções. Em termos práticos, o dia pede bastante centramento, para que não dispersemos energia, a começar pelos excessos verborrágicos, pelas palavras soltas, jogadas a esmo, ao vento e que ao invés de clarificar, podem confundir o interlocutor e até a nós mesmos. A imaginação está bastante aguçada, mas é necessário um mínimo de foco para usarmos isso de forma positiva, do contrário, perdemos as horas a devanear sonhos impossíveis, ficando desapontados depois no confronto com a realidade, a começar com o desperdício do tempo e das oportunidades.

Federica Bordoni – Reprodução

SÁBADO, 29 de abril – A Lua Geminiana faz quincúncio a Plutão em Capricórnio e sextil ao seu dispositor, Mercúrio e a Urano, ambos no fim de Áries. A Lua forma uma T-Square Mutável ao se opor a Saturno e quadrar a Quíron, que é foco da T-Square e ao fazer isso, a Lua ativa a quadratura Saturno-Quíron, que fica exata de novo amanhã. A Lua ainda faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Fica vazia depois do embate com Saturno, às 18h29min. Ingressa em Câncer às 22h48min, de onde fecha a noite em quadratura à Vênus Ariana. Esse é um dia pesado e caótico, que pode ficar bem complicado, mas com alguma chance de ser produtivo, dependendo de como usemos as influências. Há propensão a queremos correr mundo, a pularmos de galho em galho, fugindo de obrigações, flanando por aí a esmo, queremos novidades, estímulos, movimento, animação e até provocando a outras almas menos inquietas – mas no fundo estamos fugindo é de nós mesmos e de nossas inseguranças, inadequações e aflições. Mas essa criança irrequieta e peralta em que nos tornamos se depara com um pai/professor/chefe que lhe desaprova frontalmente, fazendo-a sentir-se mais inadequada, deslocada, perdendo a espontaneidade, como quando somos descobertos a fazer algum mal-feito e no final, somos relembrados de outras inconveniências, desgostos e desalentos nossos, que nos deixam ainda mais para baixo, descendo a ladeira da inconsistência, melancolia e desânimo. É duro conciliar o desejo por novidade e soltura, com essas obrigações e deveres esperados de nós, especialmente, conciliar o espírito grandiloquente com as limitações terrenas; mas como diz o poeta, disciplina é liberdade e talvez o problema maior é que nos deparamos com a conta – alta – da fuga de compromissos e de confrontos anteriormente adiados: não fizemos na hora devida e agora eles se apresentam mais pesados. A despeito da dureza, do julgamento e do mau humor, o dia oferece chances de amadurecermos um pouco mais e de lidarmos melhor que esse Peter Pan irresponsável que tem dentro de nós, negociando com ele, buscando uma conciliação com o Velho que dá as ordens e cobra seu cumprimento; a Velha Realidade, as limitações do tempo e da condição de humanidade que todos carregamos. Tudo tem seu tempo e lugar debaixo do Sol e os problemas começam quando estamos fora de sintonia com esse tempo e o lugar certo das coisas. Hoje é dia de focar primeiro no dever, de confrontar alguns demônios; depois podemos pensar em lazer, se tivermos serenidade para lembrar que tudo passa, do contrário, podemos ter problemas. É possível que, devido ao tom pesado do dia, acabemos por resvalar em dissociações, em nos alienar dos sentimentos densos e neste caso, podemos encontrar tudo isso nas situações externas, que ainda assim, podem, no mínimo, ensinar muito a respeito de nós mesmo.

Federica Bordoni – Reprodução

DOMINGO, 30 de abril – Saturno em Sagitário está em quadratura plena a Quíron em Peixes. A Lua Canceriana completa a quadratura a Vênus, enquanto se afina com o Sol Taurino e faz trígono a Netuno em Peixes. Dona Lua faz ainda quadratura a Júpiter e fecha a noite em oposição não exata a Plutão. Emoções e sentimentos densos estão no cardápio do dia e se ontem talvez tenhamos conseguido nos dissociar de muito desse peso, hoje não temos alternativa e afundamos nele com toda a força e intensidade das nossas emoções tempestuosas. O clima fica choroso até amanhã e é necessário apelar para nossa resiliência para não afundarmos na melancolia e nos dramas emocionais paralisantes. Em lugar de nos abatermos com esse peso, podemos nos permitir sentir, talvez até chorar, mas não nos identificarmos demasiadamente com ele, porque não somos só isso, não somos só defeito, só imperfeição, só dor ou só frustração. Também temos tantas belas qualidades, sensibilidades que nos permitem sentir a dor, mas também o amor, o prazer, a beleza, o lado sublime da vida. Se aceitamos um, também precisamos integrar ao outro. Às vezes só queremos ver as coisas luminosas e positivas e ignoramos nossa sombra, não queremos lidar com ela e com o lado menos nobre de nós mesmos. Mas o contrário também é verdadeiro em muitos casos: há períodos em que só enxergamos nossas mazelas, as imperfeições e problemas, o desamor e a aflição que nos pressionam, inclusive dentro de nós mesmos. Nessas horas, também precisamos achar um equilíbrio e procurar pela luz dentro de nós, olhar para nossa face mais bela, elevada e majestosa – e todos nós temos isso, nem que seja em potencial – pela nossa nobreza, pela vastidão da generosidade do nosso coração, pela força do amor que nutrimos por outros que nos são importantes, pelos gestos desinteressados de ajuda a outros… Sim, a melaconlia pode ser bela e alimentar a criatividade e a arte, mas não podemos os deixar sucumbir sob seu peso; podemos abraçá-la, acolhê-la, como parte legítima da vida, mas precisamos trazer presente, do outro lado do nosso abraço, a nossa alegria, nosso amor, a nossa faceta mais magnífica, ainda que ela fique apenas de assistente naquele momento… mas ela precisa estar lá, a nos apoiar, de prontidão para não nos deixar sucumbir. Em termos mais práticos o dia está bem sensível e um tanto melindroso, propiciando trocas emocionais profundas, que devem ser, contudo, feitas de forma cuidadosa e respeitosa, para que não tornemos as feridas ainda mais dolorosas do que já são. Há uma boa dose de serenidade que pode ajudar a conter essa emotividade e aceita-la como parte do que somos.

Uma ótima semana para você! que seja de luz e serenidade!

A Semana Astrológica – Parindo um Novo Eu

Bob du Bois – Reprodução

Semana de Lua Nova, que sinaliza novos começos e novos projetos, além de mais um momento importante na transformação das nossas crenças, da ética e da espiritualidade.

A semana traz movimentos importantes e um dos principais é a Lua Nova, ocorrendo a 07°37’ de Áries, já na segunda-feira, indicando o início e um novo ciclo lunar, fase propícia para lançar novas ideias e intenções no mundo – lançar as ideias e intenções, começar mesmo, só lá pelo terceiro dia. É uma Lua Nova que nos convida a nascer de novo, mas nós mesmo é que nos geramos e nos parimos

N. C. Winter – Bein Art Gallery – Reprodução

Outro movimento importantíssimo é a segunda quadratura de Júpiter e Plutão, que ocorre na quinta-feira, dia de Júpiter. Esta segunda quadratura sugere um momento de reavaliar as primeiras mudanças e transformações iniciadas por volta de 24 de dezembro último, quando Júpiter fez o aspecto pela primeira vez. Agora Júpiter está retrógrado e nos convida a repensar e talvez aprofundar essas modificações. Este aspecto sugere um período em que indivíduos e sociedades precisam transformar suas crenças, sua relação com o divino e sua espiritualidade em geral. Em termos mais mundanos, também indica períodos de mudanças importantes e profundas na feitura de leis, assim como nos pede que reavaliemos nossos códigos éticos, nossa relação com o poder, o quanto talvez tenhamos comprometido essa ética, em favor de adquirir/conseguir mais poder, seja esse poder de ordem material ou de ordem mais abstrata. Júpiter está retrógrado até o dia nove de junho e fará a última quadratura a Plutão, deste ciclo, em quatro de agosto, quando então Plutão estará retrógrado.

De Es Schwertberger – Reprodução

Marte trafega Touro e ainda segue em recepção mútua com Vênus até o dia dois de abril. Esta semana Marte faz um aspecto harmônico a Netuno, sugerindo um período em que nossa ação fica mais imaginativa e criativa, em que também nos sensibilizamos mais e conseguimos nos colocar no lugar do outro, pensando que tipo de impacto a nossa ação terá sobre este outro. Como Marte também faz outro aspecto bastante inconsciente a Saturno, talvez tenhamos momentos de insegurança e dúvidas sobre nossas capacidades, as certezas e estabilidade de Touro sendo questionadas em algumas situações… O convite é para olharmos para além dos literalismos, além do mundo sensorial e ousarmos considerar outras hipóteses da esfera do não-palpável. Só porque não vemos, não quer dizer que não exista!

Adi Dekel – Reprodução

Vênus, em marcha à ré, retorna a Peixes, signo de sua exaltação… Está ainda mais introspectiva e na última fase do período de retrogradação em si. A sensibilidade fica particularmente aumentada, mas também nossa percepção sutil de como temos vivenciado nossos afetos e relações. Em Áries, percebemos que não há relação equilibrada se só pensamos no outro; que precisamos estar inteiros e seguros de nós mesmos, saber o que realmente queremos, para podermos viver relações saudáveis; em Peixes voltamos a nos lembrar do amor próprio, o saudável amor a nós mesmos nos deixa fortes e mais aptos a nos doar de maneira segura e honesta ao outro, para além das relações pessoais um-a-um. O mergulho nas próprias motivações afetivas se aprofunda e a semana propicia muitos insights importantes nesta área.

Reprodução

O Mercúrio Ariano tem uma conversa sóbria, mas inspirada com Saturno em Sagitário quarta-feira, antes de migrar para Touro, dois dias depois. É hora de assentar a cabeça e verificar as consequências concretas das revoluções, revelações e iluminações recentes, captadas quando do trânsito de Mercúrio pela T-Square Júpiter-Urano-Plutão. O que fazemos de concreto com tudo isso? O que é possível realmente? Ingressando em Touro Mercúrio sinaliza um período de maior deliberação, a mente fica mais cautelosa e quer “ver para crer”. O trânsito por Touro é mais importante porque Mercúrio fará sua próxima retrogradação neste signo, a partir de nove de abril.

O Sol está relativamente sossegado nesta semana, sem fazer aspectos a outros corpos celestes, apenas recebendo os contatos lunares… Lá pelo meio da semana começa a se opor, de longe, a Júpiter e a quadrar Plutão, aspectos que ocorrerão na semana que vem, o que sugere que a próxima, será mais uma semana de extremos e de algumas crises pipocando mundo afora.

Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua abre a semana ainda na fase Balsâmica em peixes, mas se renova em Áries na noite de segunda-feira, inaugurando um novo ciclo. Fica mais fecunda em Touro e entra na fase Semi-Crescente em Gêmeos, fechando a semana já em Câncer, seu domicílio.

Reprodução – Desconheço o autor

SEGUNDA-FEIRA, 27 de março – A Lua Balsâmica, em Peixes, fez conjunção a Quíron e depois quadratura a Saturno em Sagitário, ficando vazia depois deste contato, às 07h20min. Ingressa em Áries às 11h11min e logo faz conjunção a Vênus retrógrada. A Lua se renova a 07°37’ de Áries, às 23h57min de hoje (04h57min do dia 28 para Lisboa). Marte está em sextil pleno a Netuno em Peixes e em sesqui-quadratura a Saturno. A segunda começa lentamente, demandando tempo e esforço extra para sairmos da cama e iniciarmos as atividades. Ressentimo-nos dos deveres e compromissos que nos obrigam a abandonar o mundo mágico de sonhos e o adiamento da lida com a realidade… Mas ela, a realidade, está ali, à nossa espera, ao cruzar a soleira da porta do quarto. E a manhã fica assim: meio pesada talvez até um pouco mal-humorada. De qualquer forma, não há muito o quê discutir e logo entramos num acordo com o dia e nos dispomos a fazer o que tem que ser feito – o que não tem remédio, remediado está. Pelo fim da manhã a energia muda de forma radical e nos imbuímos de novo entusiasmo e vigor, arregaçando as mangas e nos atirando às tarefas com mais ímpeto e determinação, uma determinação temperada com a percepção sutil de detalhes que antes teriam fugido aos nossos olhos e faro. Este novo ânimo deixa o dia colorido de nova disposição, uma intuição fina nos dizendo que podemos sim, modificar muitas coisas em nós que antes nos deixavam impotentes. A Lua se renova no fim da noite, quase na virada do próximo dia, tendo como único aspecto a conjunção a Vênus retrógrada – tem uma quadratura super ampla a Saturno em Sagitário. Essa Lua Nova joga ênfase extra sobre os temas de Vênus retrógrada em Áries e nos convida a ousar ser nós mesmos, ser exatamente o que nós somos, sem desculpas e sem receios; a brigar pelos nossos valores, a nos colocar em primeiro lugar, antes de ir atrás de outros. Para amar a um outro completa e genuinamente, precisamos amar visceral e integralmente a nós mesmos, com todas as nossas dificuldades, como nosso lado mais nobre e também com as facetas mais sombrias de nós mesmos. Enquanto não tivermos esse auto-amor forte e maduro, ainda não estaremos aptos a amar a um outro verdadeiramente, porque estaremos incompletos e buscando no outro preenchimento para os buracos emocionais, que só nós mesmos podemos preencher. Leia o artigo sobre a Lua Nova em Áries.

Johnson Tsang – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 28 de março – A Lua, renovada em Áries, faz hoje quadratura a Plutão e oposição a Júpiter e fecha a noite em conjunção a Urano. Marte se afasta do sextil a Netuno e vai se aproximando do trígono a Plutão, exato na semana que vem. Dia tempestuoso, sujeito a muitas altercações, pampeiros e pequenas explosões. Temos grande necessidade de independência e ação autônoma, mas estamos também impacientes e impulsivos e encaramos como desafio qualquer olhar meio torno que vemos pela frente. Ocorre que a grande necessidade de independência é exacerbada e entra em conflito com as imposições colocadas sobre nós por figuras de autoridade, mais poderosas que nós. Recusamo-nos a nos dobrar diante de tais imposições, mas ao fazer isso, invocamos sobre nós forças ainda mais potentes. Precisamos ter cautela porque toda essa insubordinação, além de nos deixar em maus lençóis e atrapalhar nossas realizações, ainda pode nos criar problemas de ordem prática, visto que não prestamos atenção a regras e nos indispomos com o jeito tradicional de fazer as coisas, ignorando detalhes importantes, deixando coisas pela metade ou feitas de qualquer jeito. No mínimo, podemos chegar ao fim do dia desgastados e deixando atrás de nós um rastro de desafetos e cacos de situações mal resolvidas pela nossa imaturidade e imprudência. Tanta irritação pode vir também do excesso de energia mal canalizada e mal aplicada, portanto, urge achar a forma adequada de usar e dispender toda essa energia de alta voltagem, assim ela poderá ser produtiva e realizar algo positivo, ao invés de criar atritos e confusões por onde passarmos. Outra coisa que pode ajudar é não levar tudo para o lado pessoal, armar-se de paciência, manter a irritação em cheque, certificar-se de concluir tudo aquilo que começar e, principalmente, como já dito acima, achar algo produtivo para fazer, de preferência, sozinho, porque o dia não está muito favorável para trabalhos em equipe.

Catrin Welz-Stein – Reptodução

QUARTA-FEIRA, 29 de março – Mercúrio em Áries está em trígono pleno a Saturno em Sagitário. A Lua, Ariana e nova, completa a conjunção a Urano e depois também faz conjunção a Mercúrio e trígono a Saturno, ficando fora de curso depois deste aspecto, às 09h08min. Ingressa em Touro às 12h49min e fica várias horas sem fazer aspectos maiores a ninguém. Ao contrário de ontem, o dia hoje traz um belo potencial de canalizarmos a energia marciana da melhor forma possível: temos muitos recursos à nossa disposição, além de uma intuição aguçada e a sincronização perfeita entre mente, corpo e movimento estratégico, de modo que nos sentimos no controle não só das nossas emoções, mas também dos pensamentos e, consequentemente, do ambiente imediato, o que nos ajuda a Avançar nas atividades e talvez até a consertar alguns dos estragos que cometemos no dia anterior. A disciplina e senso de ordem que nos faltava ontem, hoje é um recurso acessível dentro de nós, assim como a perseverança e a autoconfiança de quem sabe o que está fazendo e o faz de forma efetiva e eficaz. Talvez até, olhando em retrospecto, consigamos apreender algumas lições dos erros cometidos anteriormente, algo que chega a nós em algumas horas de reflexão e insights que podem pipocar do meio da manhã até o início da tarde. Insights que depois pensamos em como manifestar de forma prática e concreta, de modo a trazer melhorias a nós mesmos. A tarde está mais calma e nos dedicamos ao trabalho ou às tarefas com pragmatismo, sem pressa e sem correria, apenas apreciando o gosto de estar onde estamos e de fazer o que fazemos. A introspecção favorece a digestão adequada das crises, mas pode nos deixar um tanto alheados da vida ao redor, portanto, nada de visões excessivamente subjetivas das coisas e situações.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 30 de março – Júpiter está em quadratura partil a Plutão, a segunda de uma série de três. Em Touro a Lua faz conjunção a Marte e ativa a quadratura Júpiter-Plutão ao fazer trígono a este e quincúncio àquele. Fica vazia depois do trígono a Plutão, às 20h13min. O dia e a semana trazem situações, pessoais ou sociais/coletivas, que nos ensinam mais algumas lições sobre nossas ambições e a fé que temos de realiza-las. Situações que nos fazem questionar nossa ética pessoal e a ética vivenciada no meio em que nos encontramos. Até que ponto comprometemos nossa ética e nossa verdade para realizar ambições e desejos de poder? Será que temos exercido nosso quinhão de poder de forma adequada, justa, íntegra e honesta? Ou será que apenas nos preocupamos em crescer pessoalmente, ignorando se tal crescimento se sustenta ou se promove melhorias verdadeiras, para além daquelas visíveis e materiais? Como nossas ambições materiais interferem com nosso senso de ética? Será que andam juntas ou será que se contradizem? Além de todas essas reflexões, o dia traz uma influência de deliberação vagarosa acerca de tudo o que fazemos e realizamos, tanto no plano concreto, quanto no plano mais filosófico. É propício para refletirmos sobre o impacto concreto de nossa presença no mundo, naquilo que construímos, que produzimos, que consumimos, que eliminamos. Para termos mais conforto, estabilidade e riqueza, vale passar por cima de tudo e de todos? Vale vender a alma ao diabo? Quantas almas temos para empenhar? Já não podemos fingir inocência ou ingenuidade e dizer que não sabemos onde estamos indo em nossos intentos – seremos cobrados em algum momento, portanto, precisamos nos responsabilizar pelo impacto da busca por conforto, posses, poder, controle. E para isso é preciso integridade – a quantas anda a nossa?

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 31 de março – A Lua abre o dia vazia em Touro e ingressa em Gêmeos somente às 13h41min de onde logo se afina com Vênus retrógrada em Áries. A Lua faz sesqui-quadraturas a Plutão de um lado e a Júpiter de outro, virando foco de um Martelo. A Lua Geminiana ainda faz semi-quadratura ao Sol Ariano, entrando na fase Semi-Crescente. Mercúrio ingressa em Touro às 14h31min. Dia arrastado, langoroso, em que tudo parece demorar para acontecer e decolar. Sobra preguiça, falta iniciativa. Mas iniciativa existe, só não é a hora adequada de utilizá-la, e o melhor seria nos afinarmos com o corpo vai pedindo. Ao invés de brigar contra isso, precisamos usar tais influências a nosso favor, utilizando a energia da lentidão para deliberar e refletir sobre questões profundas e para nos aplicar a coisas e situações que porventura ainda estejam pendentes ou por terminar. Atividades e tarefas que demandem paciência, resistência, concentração, pragmatismo. Não adianta se irritar se as coisas saírem diferentes do planejado, rigidez só nos deixará mais indispostos e irritados. À tarde o clima muda e fica mais dinâmico e sociável, temos um impulso para sair do casulo e nos conectar com outras pessoas, aventar e ventilar novas ideias, bater pernas na busca de sincronias mentais e até emocionais. Talvez a primeira hora da tarde traga algum desassossego, ansiedades advindas não se sabe de onde e que demandam um pouco de cuidado com o que fazemos ou dizemos, para sermos impulsivos demais. Pelo meio da tarde a mente tende a se acalmar, mas as emoções ficam na berlinda e ainda há resquícios de inquietude, uma autocobrança que nos pressiona e que pode se manifestar como atividade febril, excessos verbais, falas cortantes e letais – portanto, precisamos vigiar a língua para que nossas inseguranças internas não repercutam negativamente sobre outros. A Lua entra na fase Semi-Crescente, sinalizando o momento ideal de começar os projetos intencionados e idealizados na Lua Nova. Hoje já devemos ver o anel fino da Lua no céu, sinalizando esse momento adequado de dar o primeiro passo – A Lua Nova é o momento de lançar intenções, mas não de começar propriamente as coisas – isso porquê, quando nova, a Lua está totalmente escura e combusta, ofuscada pelo Sol, ou seja estamos muito subjetivos e não temos clareza suficiente para começar as coisas, que lá na frente podem nos trazer algumas surpresas. Portanto, o ideal é começarmos a partir do terceiro dia depois da Lua Nova.

Reprodução

SÁBADO, 1° de abril – De Gêmeos a Lua faz quadratura a Netuno em Peixes, sextil ao Sol Ariano, trígono a Júpiter em Libra e quincúncio a Plutão em Capricórnio. Marte entra em orbe de quincúncio a Júpiter. O dia traz uma grande propensão à instabilidade emocional, do tipo gangorra emocional. Mudamos de humor o tempo todo, ora ficando eufóricos, ora deprimidos e sorumbáticos, confusos e perdidos nas teias das nossas próprias emoções, sentimentos, pensamentos e sensações. Não nos damos conta que sentimos não só o que é nosso, mas também captamos influência externas, tão sensíveis que estamos. Mas podemos utilizar essa sensibilidade para nos engajar em atividades criativas que fortaleçam nossos propósitos e que propiciem um melhor entendimento desses processos interiores. Ao chegar a esse entendimento, temos uma percepção mais clara de seus significados e podemos mesmo usar isso como propulsão para melhorias, crescimento e transformação pessoal, que pode até repercutir positivamente nas nossas relações. Em momentos de maior estresse e ansiedade, não podemos esquecer de respirar profundamente, para recuperar o rumo e o prumo – isso não só nos fará arejar as ideias, mas também trará o necessário centramento psíquico e emocional.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

DOMINGO, 2 de abril – A Lua Geminiana se afina com Urano em Áries, mas faz quadratura a Quíron e oposição a Saturno, tornando Quíron foco de uma T-Square Mutável para lá de espinhosa. Fica vazia depois da oposição a Saturno, às 11h45min e ingressa em Câncer às 15h27min, de onde logo conversa, amorosa, com Mercúrio em Touro. Vênus retrógrada regressa a Peixes, às 21h26min. Embora amanheçamos com ótimas ideias e palpites inovadores para movimentar a vida e trazer soluções, a manhã está pesadona e espinhosa, porque tais ideias parecem pueris quando apresentadas a outros. Sentimo-nos criticados, julgados e expostos, feito criança pega fazendo malinação e isso repercute não só no humor, mas na produtividade, que fica comprometida, porque nossas inseguranças nos impedem de ver além das críticas, reais ou imaginárias, de modo que talvez fiquemos paralisados numa espiral de preocupações e pensamentos sombrios e lamurientos, originários da consciência aguda de nossas deficiências e mediocridades, que parecem estar mais afloradas hoje. Há um sentimento de abandono, de rejeição e de frieza, que não favorecem as interações. Sendo domingo, esse clima não beneficia muito as reuniões familiares, que ficam propensas a mal-entendidos e conflitos, do tipo em que se diz a coisa mais dolorosa, na hora mais inadequada, deixando o outro em carne viva – isso se pode se refletir particularmente na relação entre irmãos. Para que tal influência não se manifeste dessa forma nefasta, é preciso estarmos muitos cientes de que o dia está melindroso e do quanto todos estamos suscetíveis e sensíveis. Talvez tenhamos dificuldade de aceitar as limitações alheias porque não lidamos bem com nossas próprias inadequações e vê-las refletidas no comportamento do outro pode ser doloroso por demais. Se pelo menos nos damos conta de efeito espelho, ainda podemos conter nossa crítica, do contrário, aumenta a propensão aos desentendimentos. Pelo meio da tarde talvez encontremos uma via de expressão e entendimento, mas ainda precisamos ter cautela porque as sensibilidades estão mais aumentadas e se não tivermos tato, podemos até piorar as coisas. O ideal é não sermos invasivos e respeitarmos o tempo do outro e também o nosso. À noite, talvez consigamos buscar uma reaproximação e, quem sabe fazer as pazes trocando chamegos e cafunés.

Uma ótima semana para você! Que iniciemos uma nova vida e novos projetos e principalmente, plantemos mais amor, que ousemos amar mais, a nós mesmos e aos outros!

Amanda Cass – Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reptodução

Lua Nova em Áries – Semeando Independência e Autonomia

Reprodução

A Lua se renova a 07°37’ de Áries nesta segunda, dia 27 de março, às 23h57min no horário de Brasilia – 04h57min do dia 28 de março para Lisboa. Áries é o primeiro signo do Zodíaco, é o Fogo Cardinal, da iniciativa impetuosa e pioneira, assim, a primeira Lua Nova do Ano Astrológico sinaliza um tempo de novos começos e darmos o pontapé inicial em projetos frescos, inéditos e pioneiros. Sinaliza uma forte energia de lançar sementes e intenções pioneiras, de nos sintonizarmos com a audácia e a coragem mais puras dentro de nós. Áries traz presente a energia do parto, a luta de vida ou morte, da mãe para dar à luz, e da criança para nascer. Por mais confortável que seja o útero, ela tem que sair de lá e abrir um novo caminho, e ousar avançar para a nova etapa do seu processo de desenvolvimento, senão, morrerá. Então, Áries nos convida a nascer de novo, a recomeçar, a sacudir a poeira, as teias de aranha que foram se acumulando durante a hibernação Pisciana e dar o grito estridente do bebê que respira sozinho pela primeira vez. Podemos nos alinhar com a experiência arquetípica dessa primeira vez, dessa primeira respiração e começar. De novo.

“Seres humanos não nascem de uma vez por todas no dia em que suas mães lhes dão à luz… A vida os obriga de novo e de novo a parirem novamente a si mesmos”                                                                  Gabriel García Márquez 

Lua Nova em Áries – Brasília, 27 de março de 2017, 23h57min.

Essa lunação acontece em conjunção a Vênus retrógrada e este é o único aspecto próximo. Há uma quadratura de quase dez graus a Saturno, mas como é separativa (já aconteceu), já não a consideramos. Isso joga uma ênfase grande sobre os temas da retrogradação de Vênus por Áries, particularmente porque Vênus está em recepção mútua com Marte, regente da Lua Nova – a recepção mútua acontece quando dois planetas ocupam signos regidos um pelo outro, exemplo, Vênus trafega Áries que é regido por Marte, que está em Touro que é regido por Vênus. Na recepção mútua os dois planetas estão numa dança cooperativa e neste caso, isso diminui um pouco os efeitos “negativos” do detrimento/queda dos posicionamentos – no caso, Vênus está em detrimento em Áries.

Reprodução

O ciclo de retrogradação de Vênus é o mais especial e raro de todos e tem uma simbologia e psicologia peculiares, como já falei em outros artigos. Em Áries Vênus está em detrimento exatamente porque a natureza deste planeta é gregária, é diplomática, é de construir relações e de negociar, mas em Áries, Vênus prima pela independência, pela autonomia e não irá comprometer estes valores facilmente em função de ser parte de um casal, de estar num relacionamento. Quando retrógrada neste signo, sinaliza exatamente a necessidade de nos voltarmos para nós mesmos, de sermos mais independentes, corajosos e pioneiros nas nossas buscas pessoais; de cuidarmos primeiro de nós, antes de nos voltarmos para outros.

Reprodução

A Lua Nova vem enfatizar isso mais um pouco, como se não tivéssemos escapatória, como se tivéssemos que lidar com isso, queiramos ou não. Essa Lua Nova nos convida a ousar ser nós mesmos, ser exatamente o que nós somos, sem desculpas e sem receios; a brigar pelos nossos valores, a nos colocar em primeiro lugar, antes de ir atrás de outros. Para amar a um outro completa e genuinamente, precisamos amar visceral e integralmente a nós mesmos, com todas as nossas dificuldades, como nosso lado mais nobre e também com as facetas mais sombrias de nós mesmos. Enquanto não tivermos esse auto amor forte e maduro, ainda não estaremos aptos a amar a um outro verdadeiramente, porque estaremos incompletos e buscando no outro preenchimento para os buracos emocionais, que só nós mesmos podemos preencher… Então, é tempo de dizer, verdadeiramente: EU ME AMO!

Reprodução

O destaque para esse tema da independência é amplificado e repetido diversas vezes. Primeiro pela supremacia do elemento Fogo nesta lunação; ao todo temos quatro planetas em fogo, além dos luminares, Sol e Lua, totalizando seis corpos celestes neste elemento – o destaque é o grande stelium em Áries: Vênus, Sol, Lua, Urano e Mercúrio. Isso também sugere a possibilidade de estarmos muito afoitos, impulsivos e, portanto, precisamos ter ponderação antes de correr certos riscos. Para isso, a posição de Marte em Touro, longe de ser problema, vem ser algo positivo, porque traz exatamente essa ponderação, essa deliberação que a afoiteza de Áries precisa ter para não dar cabeçadas à toa. Mais, Marte está em aspecto positivo com Netuno em Peixes, aspecto exato hoje, o que traz grande empatia e sensibilidade e também ajuda a moderar o famoso “egoísmo” Ariano. Marte também faz trígono amplo a Plutão, que ajuda a equilibrar a placidez de Touro, porque adiciona estamina e vigor, fortalecendo a vontade e a determinação. Marte ainda faz uma sesqui-quadratura a Saturno que, ao mesmo tempo que pode significar inseguranças inconscientes, também pode trazer disciplina e a capacidade de usarmos nossa força e talentos de maneira sábia. O aspecto a Saturno alerta que nosso pior inimigo pode ser nós mesmos e que precisamos ficar atentos ao sabotador interno.

Reprodução

Mas um dado que salienta muito o tema da independência, liberdade e autonomia, é o destaque que Urano tem neste mapa. Vênus está em paralelo a ele, com distância de quatro minutos, por declinação. O aspecto paralelo funciona de forma semelhante a uma conjunção, o que torna a Vênus retrógrada Ariana mais destemida, audaz, autônoma, insubmissa e livre. Urano também está destacado de outras formas, porque está no Ponto Médio entre o Sol e a Lua Nova e Marte, seu regente, Marte, sugerindo novamente a necessidade de sermos independentes e livres, mas também sermos inovadores, criativos e progressistas em nossos objetivos e novos propósitos. Negativamente, esse aspecto indica irritação, raivas que irrompem abruptamente, tendência à precipitação e atitudes impulsivas e imaturas, requerendo de nós muito pé no chão e centramento para não deixarmos que tais influências nos tirem do nosso eixo. Especialmente para as mulheres, indica experiências abruptas que podem significar mudanças radicais no comportamento e na vida emocional. E, claro, Se Sol e Lua estão conjuntos a Vênus, Urano também está no Ponto Médio entre Vênus e Marte, só que num orbe bem mais apertado, de apenas 22 minutos. Para Ebertin, Urano = Vênus/Marte (Urano no Ponto Médio de Vênus e Marte), indica “desejo apaixonado expressão excessiva de amor. Um despertar repentino de paixão física, uma força irresistível de desejo e talvez até agressão sexual”. (1). A meu ver, essa posição de Urano, além de sugerir essa paixão intensa, como diz Ebertin, também sugere a necessidade de preservarmos nossa individualidade e autonomia, se for para tal paixão prosperar, do contrário, aquilo que nos unia pode nos separar depois, como é típico das paixões significadas por Urano. Mas em termos mais gerais, como disse antes, creio que enfatiza duas necessidades: primeiro a de independência emocional e segundo, a de arrojo e originalidade.

Reprodução

Mercúrio, por sua vez, também está conjunto a Urano e ainda na configuração de T-Square entre Júpiter-Urano-Plutão, movimentando e mudando pensamentos, opiniões e crenças. Se está conjunto a Urano, obviamente, também está no Ponto Médio entre A Lua Nova/Sol e seu regente Marte, só que muito mais próximo, simbolizando a necessidade de pensar muito antes de lançarmos nossas iniciativas, mas também sugerindo disposição para a ação, a capacidade de planejar, o lutador estratégico e a possibilidade de alinharmos propósitos, necessidades e a nossa ação executiva através do planejamento lúcido e estratégico. Mercúrio nesta posição ajuda, de certa forma, contrabalançar o fato de termos pouco Ar ativado nessa lunação, sendo Júpiter singleton neste elemento. Isso, aliás, dá grande destaque a Júpiter, que também puxa a Locomotiva que é esse mapa. Assim, Júpiter nos diz que precisamos ser otimistas, a despeito dos cenários difíceis. Otimistas cautelosos e ponderados, é claro, uma vez que Júpiter está retrógrado e que a Lua está também em quadratura ao Ponto Médio entre Júpiter e Quíron, ou seja, precisa ser um otimismo que leva em conta as limitações e as impossibilidades, mas não se deixa abater por elas. Marte, aliás, também faz quadratura ao Ponto Médio entre Saturno e Quíron e aqui há o risco de sucumbirmos diante dessas limitações e do peso de fracassos anteriores, de nos paralisarmos pelo medo de vermos reabertas antigas feridas, de modo que Júpiter ganha ainda mais importância. E Vênus, que está tão destacada, também está no Ponto Médio entre Urano e Netuno, sugerindo alta sensibilidade e um tipo muito peculiar e específico de amor, de acordo com Ebertin (1). Visto que Vênus está retrógrada em Áries, eu diria que esse tipo peculiar de amor é o amor a si mesmo, não o narcisismo – que aliás, nem é amor realmente – mas o amor genuíno de quem se entende e se aceita como é, e se defende e respeita, se gosta, se admira, a despeito de todas as imperfeições. Vamos repetir, como mantra: EU ME AMO!

DailyMail – reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 8 de Áries (07°37’) traz uma imagem interessante e feminina: “Um grande chapéu de mulher, com flâmulas, soprado pelo vento leste”. Este símbolo também nos reporta à atual posição de Vênus: é um símbolo que traz uma imagem feminina, mas usando um chapéu, um adereço tipicamente Ariano, visto que é usado para proteger a cabeça, contra o Sol, chuva ou frio, cabeça que é regida por Áries, signo masculino. Este símbolo pertence ao primeiro hemiciclo, que trata do processo de individualização, e também pertence ao que Dane Rudhyar (2) chama de Ato de Diferenciação, no nível da ação. Ele, ao analisar este símbolo nos lembra que “neste nível cultural-emocional, os processos mentais ainda estão subdesenvolvidos” – alô Mercúrio, olha a importância do pequeno aqui! – “assim, eles precisam de proteção contra as forças elementais da vida”. Rudhyar continua: “uma abertura grande demais a essas energias oferece o risco de alguma obsessão. A imagem simbólica sugere um vento muito forte, sobrenatural e, especialmente, forças psíquicas. Tal vento é originário no Leste tradicionalmente visto como o local das influências criativo-transformadoras de espiritualização. As flâmulas do chapéu indicam tanto a reação ao vento como também sua origem. Em outras palavras, o símbolo sugere um estágio de desenvolvimento da consciência no qual os poderes nascentes da mente são protegidos, ao mesmo tempo em que são influenciados pelas energias de origem espiritual. Isso também indica um estágio probatório no processo de individualização. Sob uma orientação protetora uma pessoa ainda muito receptiva (uma mulher) é influenciada por uma força espiritual. Esse símbolo propõe ainda resultados sequenciais que requerem proteção e sensibilidade”. O tom do símbolo é a “proteção e orientação espiritual no desenvolvimento da consciência”. Assim, a Lua Nova ocorrendo neste grau, que tem este símbolo, nos sugere um ciclo e um momento de grandes potenciais de desenvolvimento do processo de individuação e de termos acesso a informações privilegiadas, que podem tanto vir do alto, quando de dentro de nós mesmos, se nos sintonizarmos com nossos mentores e guias espirituais, informações que podem iluminar e propiciar nosso crescimento e maturação.

Reprodução

Concluindo, a Lua Nova inaugura um tempo de lançarmos novas sementes e intenções, não somente para o ciclo lunar, mas para todo o ano e até mesmo para a vida; de desbravarmos novos territórios, de nos colocarmos na vanguarda da nossa própria vida, ao invés de esperarmos passivamente que as coisas se resolvam para nós e, para isso, precisamos ter clareza de propósitos e determinação constante, porque, como diz Sêneca, “nossos planos são abortados porque não temos uma intenção clara. Quando você não sabe para que porto está indo, nenhum vento será o vento certo”. É um convite a nos tornarmos mais independentes e autônomos, a fortalecermos nossa autoestima e o amor próprio, a confiarmos na nossa própria luz e orientação interna, porque só assim teremos segurança e confiança para buscarmos relações mais saudáveis, porque estaremos inteiros em nós mesmos, buscando um outro também inteiro. Inteiro não significa perfeito, mas completo, característica da pessoa que se conhece profundamente e se aceita no que tem de melhor e de pior, porque o inteiro supõe a integração do negativo e positivo, da sombra e da luz. Semeemos pois, essas novas intenções e projetos, com autonomia, independência, audácia, arrojo e inovação! Devemos isso a nós mesmos, a ninguém mais!

Uma ótima Lua Nova de Áries e um ótimo ciclo para você!

Reprodução

(1) Reinhold Ebertin – The Combination of Stellar Influences – AFA

(2) An Astrological Mandala – Dane Rudhyar

A Semana Astrológica – Tempo de regeneração

Semana de 06 a 12 de março – Semana de Quarto Crescente, que convida a refinar nossa ação e nossos esforços, para que a colheita seja tão favorável quanto a promessa. É tempo de regeneração e de avanço!

Vênus ficou retrógrada em Áries implicando uma mudança grande e necessidade de revisão das relações e parcerias e na forma como vivenciamos nossa autoestima, nossos valores, como gerenciamos nossos recursos e como expressamos nossos afetos. Os próximos 41 dias trarão vivências, sentimentos e percepções acerca de como vivemos todas essas áreas de vida, permitindo que façamos as mudanças necessárias. Muitos atritos podem começar pela percepção de que há grande divergência de valores entre as pessoas, o que afeta o relacionamento e o sentimento de confiança e de respeito. Outra coisa que pode acontecer é nos deparar com o passado batendo à nossa porta, particularmente situações ocorridas há cerca de oito anos, de 06/03 a 1717/04 de 2009 ou mesmo mais distante, março/abril de 2001! Outras situações podem estar relacionadas a acontecimentos que ocorreram entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, quando Vênus ficou retrógrada em Capricórnio, retrogradando até o grau 13 do signo da Cabra, e agora Vênus entrou em retrogradação no grau 13° de Áries, quadratura exata àquele ponto estacionário de 31 de janeiro de 2014. É possível ressurgirem pessoas do passado, amores antigos ou apenas “crushes” não vividos, mas que nos obrigam a repensar muitas coisas, talvez até rever alguns valores, questionar algumas posturas… A sessão flashback pode nos fazer desencanar de vez das experiências não vividas, ou pode criar imbróglios na situação atual, levando a reflexões profundas. Mas é necessário ter muita prudência antes de se jogar de cabeça no passado – talvez não seja mesmo para reviver nada, apenas para nos fazer questionar nossos valores, fazer contrapontos entre o que foi e o que é… É possível que estejamos mais sensíveis e suscetíveis, portanto, é bom não levarmos tudo tão para o pessoal e nem ficarmos tão melindrados. Ser gentis conosco mesmos e com os outros pode aliviar a sensação de fardo e de incompreensão – vale lembrar que todo mundo tem suas feridas, suas carências e dúvidas acerca de si mesmo. Arianos em geral e particularmente quem tem Vênus em Áries, são mais afetados por esta retrogradação de Vênus.

Reprodução

O Sol recebe a conjunção Superior de Mercúrio já na segunda-feira, sinalizando o ponto alto de mais um ciclo das ideias e conceitos, da comunicação e dos pensamentos. Das 13h50min da segunda-feira às 05h08min da terça Mercúrio e sol estão em conjunção Cazimi, horas de insights novos e ideias ainda não aventadas. É como o porta-voz que chega para a autoridade para receber as instruções e objetivos para os próximos meses. Essa conjunção acontece entre os graus 16 e 17 de Peixes e pode ser muito positiva para quem tem planetas nesses gaus.

Alisha Lee Jeffers – Reprodução

Depois dessa conjunção Mercúrio dispara à frente do Sol, cumprindo a segunda metade do seu ciclo, até a próxima retrogradação que vai de nove de abril a três de maio. Mercúrio e Sol farão nesta semana sextil a Plutão e quincôncio a Júpiter, primeiro Mercúrio, depois o Sol. Ganhamos mais força e potência para correr atrás de nossos sonhos, propósitos e planos e podemos nos comprometer com eles de forma mais determinada. Contudo, mais para o fim da semana é preciso se acautelar com as as inseguranças que porventura nos aflijam e que nos fazem ir na direção oposta: tentar provar algo a todo custo, à revelia de nós mesmos e daquilo que vale a pena. Ter uma noção clara dos nossos limites pode ser bastante útil na hora que nos faltar o senso apropriado de proporção e de esforço que algo requer.

Almagnus – reprodução

Mercúrio ainda faz conjunção a Kíron e quadratura a Saturno, aspectos que o Sol fará somente na semana que vem. Mercúrio emaranhado com esses dois caras “da pesada” sugere que do meio da semana em diante há propensão a pensamentos sombrios, inseguranças, ansiedades, preocupações e pensamentos de menos-valia, que podem ficar ressaltados devido á retrogradação de Vênus, que já salienta esse tema. Mercúrio-Kíron pode nos ajudar a nos sintonizar mais com o sofrimento alheio, porque estamos muito cientes de nossas próprias dificuldades… a mente precisa lidar com as limitações do corpo e aceita-las. Já as inseguranças representadas por Saturno podem, na verdade, funcionar como um providencial choque de realidade para os sonhos maravilhosos e planos mágicos desse Mercúrio caleidoscópico. No sentido mais negativo, podemos ser presas de pessimismo, duvidar de nossas ideias, nos comunicar de forma vacilante, o que compremente o conteúdo da nossa mensagem… Mas, podemos também conter a nuvem de pessimismo e usar o choque de realidade para passar nossos sonhos pelo crivo da utilidade e da factibilidade. As utopias e teorias fantásticas são vistas com mais seriedade e prudência e de repente podemos ordenar melhor nossos pensamentos e discurso e a partir daí, estruturar melhor também os nossos planos.

Vênus e Marte, de Boticelli – Reprodução

Marte sai do campo de guerra Ariano e adentra os prados verdejantes e plácidos de Touro, permitindo-se talvez descansar e usufruir de alguns prazeres, depois das duras e grandes batalhas travadas recentemente. Contudo, nem tudo são flores, porque Vênus, regente de Touro está retrógrada em Áries, como já sabemos. Por um lado, o fato de estarem um no signo do outro ajuda, porque esta relação chamada Recepção Mútua diminui um pouco as debilidades inerentes ao fato de estarem em signos que não são favoráveis a eles, porque é como você ser obrigado a ocupar a casa do seu inimigo meio contra a vontade, mas se o outro também tem que morar numa casa que é sua, a situação fica mais equilibrada e igual, então, ao invés de brigar, talvez façamos alguma aliança, porque um depende do outro para funcionar adequadamente. Mas ainda precisamos lembrar que Vênus retrógrada está com sua ação de conciliadora e agregadora alterada. E lembrando da descrição clássica desse posicionamento, se por um lado, Marte em touro é mais ponderado, mais deliberado e calmo, por outro, às vezes podemos perder o timing das coisas, podemos nos apegar em demasia e podemos até ser preguiçosos, dependendo de outros fatores… Além disso, na hora de expressar nossos desejos e o instinto agressivo, podemos nos sentir bloqueados e passar a “engarrafar” a agressividade, algo que no longo prazo pode nos fazer implodir. Com Marte em Touro há maior cautela na ação; analisamos mais antes de tomar as atitudes; estamos mais conectados com o corpo e com nossos sentidos e estamos empenhados em construir algo durável. É um posicionamento de grande estamina e força. Mas o fato de Vênus estar retrógrada nos alerta que este marte continua explosivo, só não está mais tão direto quanto estava em Áries, o que de certa forma, torna o cenário mais perigoso em certas situações.

The Ultra Linx – Reprodução

A Lua entrou na fase do quarto Crescente no domingo, dia cinco, em Gêmeos. Começa a semana ainda em Gêmeos. Empodera-se m Câncer e entra na fase Corcunda já em Leão, na quarta-feira. Será Cheia no domingo, dia 12, a 22°13’ de Virgem, às 11h54min, culminando o ciclo Pisciano. Na sua caminhada pelo zodíaco ela faz aspectos diversos com todos os demais corpos celestes.

Reprodução – Desconheço o autor

SEGUNDA-FEIRA, 06 de março – A Lua Geminiana está em quadratura a Kíron na virada da segunda e também se opõe a Saturno em Sagitário ao raiar do dia, harmonizando-se com Marte logo depois – Marte, que acabou de fazer sextil a Saturno, horas antes. A Lua fica fora de curso depois da conversa com Marte, às 05h23min e ingressa em Câncer às 09h55min, onde fica muitas horas a portas fechadas digerindo seus conteúdos. A noite pode trazer um sono conturbado e pesado e a manhã começa meio arrastada, cheia de ideias e falatórios, mas com uma ação desprovida de prop´sotio, portanto, é bom maneirar no entusiasmo logo cedo e começar contendo as falas desnecessárias e focando nos planos, pondo agendas em ordem e alinhando processos. Pelo meio da manhã o ímpeto muda e nos sintonizamos com os propósitos que antes eram difíceis de acessar. Sentimentos refinados, colocamos o coração nas nossas ações e nos empenhamos em dar nosso melhor, cuidando, protegendo e nutrindo nossos objetivos e também as pessoas envolvidas neles. O dia está, pois, favorável a nos dedicarmos a coisas caras ao nosso coração, a nos devotar a algo que venha a nutrir nossa alma e nos alimentar de novo entusiasmo. As sensibilidades estão afloradas, mas isso pode ser usado em nosso favor, de modo que podemos ficar mais observadores, mais perspicazes emocionalmente, algo que pode nos ajudar a nos aproximar dos outros com mais verdade e naturalidade, solidarizando-nos e oferecendo apoio e ajuda, se isso se fizer necessário, ou também buscando o suporte de que tanto precisamos – aluns podem preferir se enfiar em suas tocas e se concentrarem nas suas tarefas… contato que não sejam motivados por alguma birra inexplicável, também está tudo bem!

Almagnus – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 07 de março – De Câncer a Lua se afina com Netuno em Peixes, mas faz quadratura a Vênus retrógrada em Áries, oposição a Plutão em Capricórnio, quadratura a Júpiter em Libra e a Urano em Áries, formando, é claro, uma Grande Cruz Cardinal incendiária, que dinamiza e põe fogo no dia e na noite, embora o aspecto a Urano só fique exato no dia seguinte. Como ajuda, a Lua faz trígonos ao Sol, a Mercúrio e a Kíron. Mercúrio está em sextil a Plutão. Um dia para lá de dinâmico e movimentado, cheio de atividades febris que não nos dão trégua e que, a despeito das muitas pressões, também trazem à tona o nosso melhor: nossa capacidade de enfrentar nossos medos junto com a necessidade de lidar com os problemas de forma direta. Por mais que nos sintamos frágeis e quebradiços, há coisas demais acontecendo ao redor, de modo que precisamos ser resilientes e, a despeito das nuvens sombrias lá fora, ainda precisamos regar o que é preciosos aqui dentro. Necessidades pessoais e emocionais precisam ser equilibradas com demandas mundanas; afetos precisam ser equilibrados com a necessidade de independência e autonomia; vinculação, balanceada com a liberdade; carências emocionais resolvidas por nós mesmos, porque talvez outros não estejam disponíveis para nos dar colo – ou talvez não queiram. O fato é que o dia demanda muita maturidade, equilíbrio, compostura e sobriedade para não afundarmos nos dramas emocionais ou nas crises eventuais que possam ocorrer. É o caso de ninar o bebezão dentro de nós enquanto respiramos e sorrimos serenamente para o interlocutor à frente, enquanto gostaríamos, talvez de mandá-lo às favas. Mas o dia traz também a capacidade de vermos além dos nossos próprios problemas – mesquinhos ou não – e perceber, de novo e mais uma vez, que todos têm seus dilemas e crises e jogar nossas frustrações no outro não só não vai resolver, obviamente vai piorar tudo. E pode ser que haja situações em que podemos oferecer esse olhar compreensivo e amoroso, que acolhe e ampara. Em outras, talvez tenhamos que ser duros e enfáticos, para não permitir abusos, manipulação ou mesmo intimidação contra nós. O pulo do gato é saber distinguir entre uma situação e outra: o que precisa de cuidado e nutrição e o que demanda atitude drástica, o que merece adubo e o que precisa de poda – e quando entendemos isso, embora as tarefas continuem inúmeras e muito absorventes, elas já não precisam nos oprimir, antes poderão nos dar prazer! Ah! E claro, pode ser que nós é que incorramos nessas atitudes abusivas e precisemos ser colocados no nosso “devido lugar”.

Tae Lee – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 08 de março – A Lua Canceriana formaliza a quadratura a Urano na primeira hora do dia, depois também faz trígono a Kíron, quincúncio a Saturno, sesqui-quadratura a Netuno e quadratura a Marte, ficando vazia depois desse contato, às 10h08min. Ingressa em Leão às 13h46min, de onde faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda. Mercúrio está em sextil exato a Plutão. É Dia Internacional da Mulher e a Lua, super feminina e empoderada em Câncer, trava uma briga feia contra os grilhões de imposições e cerceamentos. A Cruz Cardinal formada ontem permanece armada por várias horas no início do dia de hoje e ainda reverbera, de forma que o dia começa bastante tenso, em ponto de bala ou de caldeira. Masculino e Feminino digladiam em vários níveis, que não precisam chegar às vias de fato, mas podem suscitar conscientização em várias frentes. A Lua está espremida nessa Grande Cruz, além de ainda fazer outros contatos com outros planetas tensos, bastante simbólico para a situação da mulher ao longo das eras, mas principalmente agora, quando ela ainda se sente oprimida pelas diversas cobranças sociais – e dela mesma – de ser a mulher perfeita: mãe maravilhosa, profissional excelente, amante fantástica, amiga presente, ativista consciente, descolada, malhada, jovem, bem-sucedida, transbordando felicidade e realização suprema pelos poros. #SóqueNão. As cobranças podem vir de fora, mas são autorizadas dentro de nós, porque no fundo ainda precisamos resolver muito das culpas, inseguranças e medos ancestrais que carregamos, herdados das nossas mães e avós e toda as outras que vieram antes. A emancipação começa dentro, ao lidarmos com nossas inseguranças e carências, ao lembrarmos que somos humanas, antes mesmo de sermos mulheres. Ao nos recusarmos a atender a todas essas exigências, quando elas não fazem sentido para nós, realmente. Uma coisa é querermos melhorar sempre, é buscarmos crescer e ser melhores pessoas. Outra coisa é essa corrida desenfreada, essa exaustão na busca de padrões que não nos dizem nada e só nos deixam infelizes. Repensar padrões e rebentar com aquilo que não faz dançar o nosso coração. Em termos mais práticos, o dia pede sobriedade porque a maré está cheia, transbordante e podemos nos afogar se não soubermos fluir – dito de outra forma, as caldeiras estão ferventes e podemos sair queimados. Há muita pressão e situações que demandem atitudes imediatas e talvez um tanto drásticas para serem realmente resolvidas. Ser honesto com os próprios sentimentos e expectativas criadas em relação a outros é essencial para lidarmos com as possíveis frustrações do dia, porque não conseguimos tudo o que queremos e precisamos lidar com isso – mas não, o mundo não vai acabar por causa disso também. Podemos nos deparar com situações diversas de dramas, crises, tantruns e infantilidades – nossos ou de outros. Respirar fundo, tentar manter a calma e buscar se distanciar um pouco da situação pode ajudar a distinguir o que é uma crise verdadeira e o que é apenas mimimi, a ver as coisas com mais clareza para saber qual a melhor atitude no momento.

Shiori Matsumoto – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 09 de março – o Sol Pisciano está em sextil pleno a Plutão em Capricórnio e Mercúrio em quincúncio exato a Júpiter. O Sol também se aproxima de conjunção a Kíron, enquanto ainda se afasta da conjunção a Netuno. Enquanto isso, a Lua Leonina faz sesqui-quadraturas a Saturno e a Kíron, que estão em quadratura entre si e a Lua vira foco de um Martelo. A soberana Lua ainda faz quincúncio a Netuno e trígono a Vênus Rx em Áries, quincúncio a Plutão e ao Sol, que estão harmonizados e assim ela vira foco de um Yod-Dedo de Deus. Marte ingressa em Touro às 21h34min. O dia traz a oportunidade de renovarmos nosso poder e a maneira como o expressamos, entrando em contato com partes profundas de nós que nos abastecem de nova vitalidade e nova confiança em nossas capacidades. A despeito disso, as emoções e sentimentos estão sob pressão, de maneiras diversas ao longo do dia. Percepções conscientes e influências inconscientes nos deixam desconfortáveis e talvez tirem a espontaneidade e a desenvoltura da criança dentro de nós, de modo que trabalhamos e nos movemos pelo mundo com a sensação de algo desencaixado e fora de lugar, embora não saibamos direito o que pode ser ou como encaixar esse “algo”. Se conseguimos aceitar que o desencaixe também pode ser criativo e que não precisamos estar sempre alinhados para funcionar, talvez possamos transformar o desconforto em estímulo que nos impulsiona a criar, a modificar atitudes, a ficar abertos às mensagens subliminares e.. voilá, quando menos esperamos, identificamos a origem do incômodo: o medo da nossa própria força, o medo de exercê-la em demasia ou de suprimi-la, o medo de não sermos plenamente aceitos e apreciados se nos mostrarmos com nossas idiossincrasias. E podemos aprender que a força e o poder não precisam ser brutos e nem contraditórios. E que há mesmo um poder que nasce da gentileza, uma gentileza que nasce da força e da solidariedade, uma força que nos regenera e nos anima a seguir em frente, a despeito de todos os desafios e dificuldades.

Reprodução – Desconheço o autor

SEXTA-FEIRA, 10 de março – O quincúncio Lua-Sol fica exato na madrugada. A Lua segue adiante e faz sextil a Júpiter, quincúncio a Mercúrio e Kíron, que estão hoje em conjunção partil. Temos um Grande Trígono de Fogo formado por Lua em Leão, Saturno em Sagitário e Urano em Áries por toda a manhã e começo da tarde. A Lua fica vazia às 14h06min depois do trígono a Saturno e ingressa em Virgem somente às 19h08min, fazendo logo um trígono a Marte, conjunção ao Nodo Norte e quadratura a Lilith. Temos alguns desafios interessantes hoje, dentre eles, a integração de partes obscuras de nós mesmos, assim como de sentimentos viscerais e desgovernados… Como essas influências ficam ativas na madrugada, é possível que as vivenciemos através dos sonhos. De manhã, o resultado é que talvez nos sintamos mais confiantes e serenos e aptos a enfrentar as eventuais agulhadas de insegurança que apareçam com menos ansiedade e mais tranquilidade. O resto do dia traz possibilidades de fazer brilhar nossa originalidade e criatividade de forma também segura, unindo ideias e mundos que antes pareciam difíceis de conciliar. Isso pode nos trazer também uma alegria genuína de quem consegue expressar os dons do coração com maestria, aceitando eventuais imperfeições, porque são inerentes à humanidade. E assim o dia pode ficar alegre, criativo e bastante produtivo, se soubermos tirar proveito! A Lua fica vazia depois de Saturno e a criança dentro de nós pode tirar algumas horas para refletir e fazer as pazes com o Pai, o Velho, que não precisa ser carrasco e talvez até nos surpreenda com algumas histórias de outros tempos, outras eras… À noite nos alinhamos e centramos com nossos rituais e nos conectamos mais profundamente com os desejos e com a forma de ir atrás deles, organizadamente.

SÁBADO, 11 de março – O Sol Pisciano faz quincúncio exato a Júpiter em Libra. Vênus retrógrada em Áries recebe quincúncio da Lua Virginiana, que também se opõe a Netuno em Peixes. A sensação de desencaixe do outro dia talvez volte hoje, por motivos diferentes. Há muito entusiasmo consciente, embora haja também dificuldade de controlar esse entusiasmo, em ter moderação ou em expressá-lo de forma regular, de modo que ele vai e vem e nos deixa um tanto ansiosos, talvez confusos, ponderando sobre estratégias de controle dos nossos humores, do júbilo pelos nossos objetivos e das nossas emoções e sentimentos vacilantes e incompreensíveis. Se falhamos em manter nossa motivação em alta, somos presas de auto-criticismo, que talvez piore um pouco as coisas e entramo num círculo vicioso difícil de parar. E o corpo sofre com tudo isso. Antes de mais nada precisamos parar e verificar o que nos escapa, porque estamos nos esforçando tanto para servir ou agradar a outros, quando nós mesmos estamos fora de sincronia… aliás quem causa o quê? Estamos fora de sincronia porque nos esforçamos demais ou nos esforçamos demais porque estamos fora de sincronia? Não importa, mas é preciso fazer algo diferente para sair do círculo vicioso e para isso precisamos parar e observar a nós mesmos e a nossos processos, de forma justa, porém sem julgamentos.

Shiori Matsumoto – Reprodução

DOMINGO, 12 de março – De virgem a Lua faz trígono a Plutão em Capricórnio e oposição ao Sol, culminando o ciclo na Lua Cheia de Virgem, a 22°13 deste signo. A Lua Cheia ocorre em oposição a Kíron e quadratura a Mercúrio e a Saturno, que é foco de uma T-Square Mutável. Mercúrio está em quadratura exata a Saturno. A Lua fica vazia às 21h26, depois da quadratura a Saturno. Uma Lua Cheia de cura e regeneração celebra a culminação do ciclo Pisciano. Mas para alcançarmos as dádivas da cura, precisamos primeira enfrentar nossa fragilidade, nossas inadequações e inseguranças mais profundas, nossos conceitos evasivos e nossa falta de comprometimento conosco mesmos, além da destrutividade em potencial que espreita a mente e o coração, minando a autoconfiança, a segurança em si mesmo, a aposta no próprio poder e capacidade. Essa lunação nos deixa, então, em carne viva e é preciso cautela porque a via de escape para muitos será a ajuda indiscriminada ao outro, para fugir da própria dor e do próprio desespero. Para outros, esse escape pode se dar pelas tentativas de controle do entorno, qualquer coisa que faça passar a ansiedade e o desconforto com o corpo e os sentimentos… mas nada disso funciona por muito tempo e só conseguimos superar quando acalmamos a ansiedade e aninhamos em nosso coração as dores não admitidas, os medos não expressos do caos, do amanhã, da nossa própria irracionalidade. Um mergulho nas motivações inconscientes se faz necessário. Esse é o caminho e ele não se faz num dia só, mas começar e manter o ritmo, eis o que é importante. Mais sobre a Lua Cheia durante a semana.

Uma ótima semana, de luz e esperança para todos!

Alexander Bell on flickr – Reproduão
Alisha Lee Jeffers – Reprodução