Arquivo da tag: Dispersão

A Semana Astrológica – As mentiras que nos contam ou que contamos a nós mesmos?

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

Semana de 14 a 20 de novembro – Dias de culminação, frutificação e expansão! De preencher os vazios deixados pelas recentes eliminações. De solidificar propósitos e buscar estabilidade!

A semana começa com a Lua Cheia em Touro, que representa a culminação do ciclo, acontecendo já na segunda-feira e colorindo a semana de uma energia de realização, frutificação e sensação de completude. Mas a Lua Cheia também marca o começo do fim do ciclo e gradualmente vamos reorganizando a energia para já nos prepararmos para o desdobramento dos próximos ciclos. O Sol segue pelo terceiro decanato de Escorpião, completando a jornada de confrontar as sombras, mas sem se comunicar com outros planetas, apenas recebendo os aspectos da Lua. São dias de nos assentar em nós mesmos, voltar-nos para dentro e nos realinhar com nossos propósitos mais profundos.

Reprodução
Quantas pernas tem o elefante? – Reprodução

Mercúrio é quem fica muito ativo nestes dias. Nas amplas estradas Sagitarianas ele encontra em Marte um parceiro de explorações e aventuras e ambos dialogam animados sobre as novas experiências, isso ainda no início da semana. Mas depois ele se defronta com as miragens de Netuno, um oásis que ora tá aqui, ora ali, ora acolá… Ilusão de ótica, miragem, chame do que quiser, o fato é que são dias de se ter cautela nos processos mentais e nas comunicações porque está tudo meio fora de compasso, meio borrado e desconexo, nada é como parece, portanto, vale esperar, ver para crer e ainda pedir provas da existência da coisa em questão… Mas o pior não são as mentiras que contam para nós e sim, aquelas que contamos a nós mesmos e escolhemos acreditar de olhos fechados. Por que fazemos isso? Porque às vezes é difícil encarar o vazio do nosso discurso, carente de lastro real; é difícil encarar verdades dolorosas a respeito de nossa vida e da nossa própria falta de substância… Assim, é mais fácil nos enganar, acreditar nas mentiras que contamos por aí, até porque, se nós acreditamos, fica mais fácil convencer a outros, não é mesmo? Juntando com um aspecto menor que Mercúrio faz a Urano, concluímos que a mente não está muito confiável durante este período e é bom analisar tudo com cautela e manter o pé atrás antes de se jogar de cara e assumir riscos que podem se revelar bastante perigosos ali na frente – podemos pular no abismo e o paraquedas não abrir!

Reprodução
Reprodução

Vênus também está sensibilizada por Netuno, o que nos ajuda a trazer uma certa doçura para as relações, que andam sérias demais com a influência de Capricórnio. Vênus em Capricórnio, de quem se pode dizer, às vezes, que tem coração de pedra, amolece um pouco o coração e se permite cogitar em outras possibilidades para além do realismo frio daquilo que é palpável. Vênus se prepara para moldar-se a Plutão na semana que vem, quando virará foco de uma T-Square cardinal, já que também fará quadratura a Júpiter e a Urano, ambos em oposição – sim, a semana que vem está desafiadora no campo das relações, parcerias e investimentos.

Kendra Nicolle - Reprodução
Kendra Nicolle – Reprodução

E por falar em Netuno, ele é o ponto alto desta semana, o que nos aponta que estes são dias meio surreais, em que os acontecimentos têm um tom de realismo fantástico – espere só para ver! Sim, além de estar ativado por Vênus e Mercúrio, o Senhor das Ilusões volta ao movimento direto, especificamente no domingo, dia 20, às 02h39min. Voltando ao movimento direto, depois de cinco meses retrógrado, Netuno sinaliza que as revisões que tenhamos feito com relação à espiritualidade, nossos sonhos e anseios e também na maneira como nos expressamos criativamente – isso vale especialmente para artistas de todas as áreas – comecem a ser efetivadas. É hora de retomar e aplicar as revisões, criando novas linguagens. Por outro lado, Netuno recebe conjunção do Nodo Sul nesta semana, requerendo cautela nas nossas posturas, pois há maior tendência a escapismos, vitimismos, ilusões, a querer permanecer na neblina densa do não-entendimento, do não querer saber das questões duras da realidade, do postergar o enfrentamento de questões dolorosas e desafiadoras… O escapismo pode se dar principalmente através de álcool e outras substâncias que alteram a consciência – por isso, auto-vigilância e auto-controle caem bem! Devaneios vazios e viagens fantasiosas da mente – a verdadeira viagem na maionese – também ficam mais propensas, já que Mercúrio estará em quadratura aos dois, a Netuno e ao Eixo Nodal. Portanto, sempre que algo parecer muito surreal, fantástico demais, vale checar as fontes e até checar a si mesmo para não cair em armadilhas e engodos.

Jarek Kubicki - Reprodução
Jarek Kubicki – Reprodução

Marte em Aquário segue sossegado, descansa dos embates recentes e se atira nas causas sociais, procedendo com experimentações, inovando e quebrando tabus na forma de agir e de executar os desejos do Sol. A vontade pessoal está mais alinhada aos desejos e necessidades do grupo. E assim seguimos. Júpiter fará quadratura a Plutão na semana que vem e nós já sentimos e intuímos o clima desde já: uma força que nos empurra em direção às nossas ambições maiores, embora talvez fiquemos inconscientes quanto à resistência que iremos encontrar pelo caminho. É um excelente trânsito para atividades de reconstrução, reparos, melhoramentos em geral, especialmente, para o auto-melhoramento e a transformação de crenças empedernidas. Mais sobre isso na semana que vem.

Ewung - do flick - Reprodução
Ewung – do flick – Reprodução

A Lua abriu a semana ficando Cheia em Touro. Viaja lenta e depois dispersa-se em Gêmeos, Emociona-se em Câncer, para fechar o domingo já em Leão. Formaliza o Minguante apenas na segunda, dia 21. Trava contatos e interações com todos os demais corpos celestes, pontuando nossas mudanças de humores e interesses ao longo dos dias!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor dessa imagem adorável – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 14 de novembro – A Lua abre a madrugada em Touro, faz trígono a Plutão, quincunce a Júpiter e a Saturno ainda na madrugada, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. Depois ela se indispõe com Vênus, sua dispositora, que tem estado bastante isolada no início de Capricórnio. Durante a manhã a Lua se harmoniza com Quíron e finalmente se opõe ao Sol, às 11h52min, culminado o ciclo na Lua Cheia de Touro – sobre a qual já escrevi. A Lua fica vazia depois da oposição ao Sol, fazendo apenas uma sesqui-quadratura a Júpiter, no início da noite. A Lua ingressa em Gêmeos somente às 23h23min. A Lua Nova de Touro vem culminar o ciclo de Escorpião e falar da necessidade de alimentarmos nossa autoestima e de buscarmos mais estabilidade e segurança, inclusive no plano material. A Lua Cheia se dá em harmonia com Quíron, sendo este o aspecto mais próximo, e também com Plutão, mas este aaspecto é amplo e separativo. De qualquer forma, fala da oportunidade de crua, regeneração, de voltarmos à nossa essência básica. Veja texto sobre a Lua Cheia para entender melhor os temas desta lunação. A Lua fica vazia pelo resto do dia, logo depois de ser cheia, sugerindo que peguemos leve, que reflitamos bem sobre como vamos nos reestruturar e reconstruir, depois de termos nos desmontado e purgado em Escorpião. A tarde pede atividades tranquilas, rotineiras, básicas e práticas. Paz e sossego, para quem está no feriado prolongado, vem bem a calahar a energia do ócio, de “não fazer nada”, sem culpas ou desculpas. Quem puder que descanse e indulja no “nadismo”!

Lola Dupré - Reprodução
Lola Dupré – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 15 de novembro – Mercúrio está em harmonia plena a Marte hoje. A Lua ingressou em Gêmeos ontem à noite e logo se indispôs com Plutão, irritando-se mais ainda com Vênus, ambos em Capricórnio. Brigou com Mercúrio na madrugada, harmonizou-se com Marte e agora durante o dia caça confusão com Netuno em Peixes, formando uma T-Square ampla, pois se oporá a Saturno em Sagitário no fim da noite. À noite a Lua conversa muito com Júpiter em Libra, mas tem problemas com Plutão. A madrugada pode ter sido povoada de muitos sonhos conflitantes. O dia chega abarrotado de ideias, sentimentos confusos, contradições… Queremos ir, mas também queremos ficar. Será que fui? Será que não vou? Porque não me dividir em dois ou três? É, de fato o que gostaríamos, ter clones, para poder estar em vários lugares ao mesmo tempo e curtir a vida adoidado, não perder nenhuma oportunidade. Feliz ou infelizmente, nessa nossa dimensão isso ainda não é possível, de modo que precisamos nos ater à realidade, a despeito de todas as fantasias que povoam nosso coração, que hoje está caótico e cheio de racionalizações. A noite traz outros dilemas e tensões. Queremos continuar na brincadeira, como um Peter Pan que se recusa a sair da Terra do Nunca, mas a realidade nos chama de volta e precisamos encará-la no olho, nem que seja para dormir mais cedo e voltar ao batente amanhã. A noite traz uma solidão difícil de administrar, sentimo-nos isolados, meio abandonados, incapazes de nos comunicar, de expressar o que realmente queremos, porque talvez não nos sentimos autorizados ou tenhamos receio de parecer infantis e carentes. Assim, ao invés de ser sinceros sobre o que precisamos, fingimos que não queremos nada mesmo e acabamos por criar o cenário que antes temíamos. O melhor remédio é não se levar muito a sério porque assim como os ventos, isso também é temporário o mau humor de hoje pode ser a alegria de amanhã.

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

QUARTA-FEIRA, 16 de novembro – A Lua abre o dia em Gêmeos, ainda em oposição a Saturno, trígono a Júpiter e sextil a Urano, formando um Retângulo Místico, já que Júpiter também já está em oposição a Urano. A Lua fica vazia às 08h57min, depois de se harmonizar com Urano. Mas durante o dia, mesmo vazia, ela se indispõe com Marte, se irrita muito com o Sol e desconta o mau humor em Quíron. Ingressa em Câncer às 22h57min. Mercúrio faz uma sesqui-quadratura partil a Urano. Ansiedade, frenesi e muita inquietude dão o tom do dia. Difícil voltar ao batente depois de um feriado prolongado em que nos acostumamos mal com a vida boa de não ter hora para nada, flanando de cá para lá! E o pior é voltar com muitas tarefas acumuladas e cobranças internas e externas que são difíceis de administrar, já que também precisamos atualizar as fofocas do fim de semana – ops! Precisamos mesmo atualizar fofocas? O fato é que há propensão a dispersão, a se dividir em muitas atividades, tendo dificuldade de levar a cabo efetivamente as coisas. O que precisamos mesmo é de uma boa dose de cafeína, de muita concentração e esforço para manter o foco. A Lua está vazia e o dia favorece o andamento de coisas já iniciadas, de aviar com escritos, leituras, etc. As fofocas? Não são úteis nem necessárias, portanto, podemos prescindir delas. Jogar conversa fora pode até ajudar a dispersar o tédio e fazer pipocar algumas ideias inovadoras, naqueles momentos em que estamos meio distraídos e desatentos das coisas ditas “sérias”, mas jogar conversa fora indefinidamente também é perda de tempo e só vai adiar o enfrentamento do cotidiano que precisa ser devidamente retomado.  Há muita propensão à verborragia e isso requer contenção, do contrário, a energia dispersada na fala faltará em outras áreas, ainda mais que com Mercúrio em contato com Netuno não sabemos muito bem do que falamos, menos ainda temos certeza da veracidade das coisas…

J. Kirk Richards - Reprodução
J. Kirk Richards – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 17 de novembro – De Câncer a Lua faz oposição a Vênus em Capricórnio e depois também arruma uma “treta” com Marte em Aquário e Mercúrio em Sagitário, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. Para compensar a Lua vai chorar as mágoas e dissabores junto a Netuno, mas no fim, ainda exagera nas reclamações com Júpiter. A Lua faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Disseminadora, às 16h43min. O dia traz uma tensão e uma belicosidade que causam muita irritação, explosões de mau humor, sensação de estarmos pressionados e instabilidade emocional bastante acentuada. Há forte incongruência entre emoções e pensamentos, entre o que queremos e o que precisamos e isso nos deixa muito divididos e espinhosos. Como resultado há descontrole emocional, dramas e tempestades um pouco difíceis de contornar. Ocorre que estamos muito conscientes de nossas carências, das faltas e buracos não preenchidos e o mundo lá fora está a nos dizer que choramos de barriga cheia, ou, no mínimo, é indiferente às nossas queixas, o que nos faz ficar ainda mais sensíveis e melindrosos com a sensação de que a vida é, de fato, muito injusta – o que parece um problema sério para mim para outros não passa de mimimi! Em lugar de ficar emburrados e e azedos ou de revidar com táticas manipuladoras para conseguir o que queremos, talvez seja o caso de nos recolhermos e darmos colo, nós mesmos, a esse bebê carente que há dentro de nós, afinal, ele é responsabilidade nossa e de mais ninguém. Aceitar esse nosso lado infantil, aceitar o próprio mau humor e a própria carência sem imputá-los a outros, pode nos ajudar a crescer e a nos desidentificar dos buracos sem fundo que carregamos na alma e quem sabe, apenas quem sabe, a aceitação que nós mesmos provemos possa fornecer também o preenchimento do vazio que nos corrói – se nós mesmos não damos conta de aturar esse bebê chorão interno, como esperamos que outros o façam??? Uma vez que tenhamos liberado os outros de resolver nossos problemas e dissabores, quem sabe eles, espontaneamente, nos brindem com algo com o que não se barganha: calor, carinho e amor genuino. Em termos práticos o dia está sujeito a crises e situações do tipo sem saída, em que temos que escolher um mau menor ou fazer escolhas meio ingratas. Em compensação, as crises que estouram tem maiores chances de serem resolvidades de forma definitiva, se formos maduros e contarmos com nossos próprios recursos, sem esperar que outros façam por nós o que é atribuição nossa. A noite e a madrugada estão particularmente turbulentas.

Andrey Brandis - Reprodução
Andrey Brandis – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 18 de novembro – Mercúrio está em quadratura exata a Netuno. Na madrugada, a Lua em Câncer troca farpas afiadas com Saturno, enquanto confronta Plutão, tendo que ainda defender-se no embate com Urano – como ela ainda está em quadratura a Júpiter, temos uma ampla Grande Cruz Cardinal. Dona Lua também se indispõe com Mercúrio e Netuno, aumentando a irritação e as reações inconscientes. À noite a Lua se afina com Quíron e mais tarde com o Sol, formando um Grande Trígono de Água. A Lua fica vazia às 20h03min, depois do trígono ao Sol em Escorpião. A madrugada está cheia de desencontros e as tensões podem interferir no descanso e no sono, de modo que o dia começa novamente tenso e azedo feito leite talhado. Para completar, a mente está nublada, enevoada e clareza é algo que não temos, até porque estamos submersos em nossos próprios sentimentos desencontrados. Sim, a instabilidade emocional continua e precisamos escolher entre abrir o berreiro – o que seria patético, dependendo do contexto – ou tomar providências maduras e eficazes a respeito do que quer que esteja acontecendo conosco ou ao nosso redor. Por mais que nos sintamos pressionados, por antagonismos externos e conflitos internos, temos uma grande oportunidade de crescer e dar nosso melhor, ganhando não só o respeito alheio, mas principalmente, o respeito próprio. Desapegar-se um pouco dos próprios melindres e reclamações pode nos mostrar saídas antes não cogitadas, portanto, distanciamento emocional é uma ótima pedida em algumas situações. Com Mercúrio embotado desse jeito e com os sentimentos tão suscetíveis, seria bom adiar certas conversas para outro dia porque a probabilidade de nos enrolarmos ainda mais é grande. A noite traz um pouco de calmaria nas crises, mas a sensibilidade aumenta – quem sabe agora possamos achar o lugar certo de abrir as comportas? Dar vazão aos sentimentos represados pode ser também curativo – claro, num momento e ambiente que ofereçam a contenção adequada aos desmandos do coração, assim não nos expomos ao julgamento alheio nem perdemos a dignidade. O desabafo na hora e local apropriados pode ser também curador.

Tracie Taylor - Reprodução
Tracie Taylor – Reprodução

SÁBADO, 19 de novembro – Vênus está em conversa sensível com Netuno, aspecto exato hoje, Netuno que aliás, estaciona às 02h37min para voltar ao movimento direto amanhã. A Lua abre o dia fora de curso, em Câncer. Ingressa em Leão à 01h15min e logo tem uma fricção com Saturno. Com Marte o embate é aberto e frontal, mas com Vênus e Netuno, a interação é obtusa e mais irritante, já que ela é foco de um Yod. Netuno recebe a conjunção do Nodo Sul. O dia traz novos rasgos de irritação, mas pelo menos hoje estamos mais diretos, menos sentimentais e vamos para o confronto aberto, falando o que pensamos na lata. Claro, isso pode levantar muitos conflitos, mas também a chance de eles serem resolvidos de pronto, sem ficarem se arrastando indefinidamente, feito correntes arrastadas por fantasma-assombração. Para evitar tais conflitos, podemos investir em atividades que requeiram grande gasto energético, vigor e estamina – é necessário ir para essas atividades com muita presença de espírito, com a atenção focado no momento presente para que as distrações não representem problemas  – especialmente para não nos tornarmos vítimas de ações precipitadas. A noite traz um clima mais amigável e ameno, de modo que podemos encontrar pessoas e nos permitir alguma diversão, depois dos dias carregados que tivemos recentemente. Se o dia era uma criança zangada e pronta para a briga, a noite é uma criança pronta para se divertir! Ponto de atenção: recomenda-se pegar leve com álcool e afins porque o dia e a noite estão propensos a bagaceira geral e aenfiar o pé na jaca, do tipo de perder o tamanco para sempre e no dia seguinte não saber o que rolou… Escapismo e vitimismos estão esperando ali na esquina. Cautela!

Claudia Trembley - Reprodução
Claudia Trembley – Reprodução

DOMINGO, 20 de novembro – De Leão a Lua se harmoniza com Júpiter, enquanto olha, belicosa, para Plutão. A Lua entra em harmonia com Saturno e Urano e forma um Grande Trígono de fogo, que, por causa do sextil a Júpiter, vira uma Pipa ampla por algumas horas no começo da manhã. Dona Lua ainda encrenca com Quíron e fecha a noite indisposta com Vênus. A despeito de algumas incoerências, o domingo está divertido e bastante energético e dinâmico – basta saber aproveitar. Como por milagre, conseguimos conciliar coisas e pessoas aparentemente muito divergentes de forma que acomodamos muitas diferenças e fazemo-las fluir e conversarem entre si civilizadamente. O clima favorece reuniões familiares, encontros com amigos, passeios diversos, especialmente aqueles que estimulem o gosto pela aventura e pelo convívio com os afins. Ufa! Depois de tantas tempestades, nós bem que merecemos um descanso e uma trégua! Favorecidas também estão as atividades criativas, artísticas e as brincadeiras em geral. É dia de botar nossa criança interior para se divertir e brincar sem culpas, sem medos, sem dilemas maiores que não sejam descobrir qual brincadeira, afinal, é mais divertida. Assim, podemos aproveitar e entrar em contato com esse nosso lado confiante e entusiasmado, guiados pela intuição e pelo nosso próprio brilho e generosidade naturais.

Uma ótima semana para você!!

tirado de Mustanggina.tumblr - Reprodução
tirado de Mustanggina.tumblr – Reprodução
Reprodução
Reprodução

 

 

Lua Nova em Gêmeos – Nas encruzilhadas da vida…

gemini sakliresim
Sakliresim – Reprodução

A Lua é Nova no limiar deste domingo, à 00h00min no horário de Brasília (04h00min para Lisboa), o que parece muito adequado para uma Lua Nova Geminiana ocorrendo no meio de uma Grande Cruz Mutável, que por sua vez nos remete diretamente à imagem de uma encruzilhada. Gêmeos é regido por Hermes-Mercúrio, o próprio Deus das Encruzilhadas, portais e limiares do tempo-espaço. No caso do Brasil, é como se estivéssemos mesmo no limiar, num portal, entre mundos e situações… Resta saber se saímos de uma realidade sombria para uma mais luminosa ou se é exatamente o contrário, o que seria uma infelicidade para todos nós… Da panela para o fogo? É o que está parecendo, desafortunadamente…

Belu Bern, "Disperso" - Reprodução
Belu Bern, “Disperso” – Reprodução

O ciclo de Gêmeos é o ciclo que vem nos convidar a uma renovação das ideias e conexões; a nos comunicar mais efetivamente, a reaver o contato com nossos irmãos e com nosso ambiente imediato, a explorar nossa vizinhança e a perceber o que nosso ambiente tem a nos fornecer em termos de informações necessárias para a nossa jornada. É um ciclo para estudar e aprender ou talvez ensinar e informar. É também momento de socializar e fazer os outros saberem das coisas, ou seja, a boa e velha divulgação e conversação, que pode se traduzir na construção de pontes. Sendo o primeiro signo de Ar, um signo mental, em Gêmeos começamos a elaborar conceitos e a dar nome às coisas, a explorar os potenciais da nossa mente e a verbalizar nossas ideias…

Sandra Yagi - Reprodução
Sandra Yagi – Reprodução

Entretanto, devido às configurações ativadas pela Lua Nova, podemos multiplicar tudo isso por dez ou mesmo cem ou mil… A curiosidade e a inquietude Geminianas ficam super potencializadas neste ciclo.  Isso porque essa Lua Nova, de certa maneira, vem prolongar o clima que tivemos durante a semana que passou, que foi colorida pela Grande Cruz Mutável formada por Sol e Vênus em Gêmeos, em oposição a Saturno em Sagitário, estando os quatro em quadratura a Júpiter em Virgem e a Netuno em Peixes, configuração à qual a Lua se junta e na qual se renova  – ou seja, teremos todo o próximo ciclo influenciado por essa dinâmica caótica, desconexa, incoerente e frenética, e no meio de tudo é-nos cobrado coerência e coesão… Como entregar isso, se nem nós estamos nos entendendo nessa ventania descontrolada? O que nos atrapalha também pode nos ajudar: movimento, fluidez, versatilidade, flexibilidade, adaptação e presença de espírito… Preparemos os punhos, é tempo de malabarismos!

Grande Cruz 1
Grande Cruz Mutável

Além desses aspectos da Grande Cruz, que aliás, ocorre em conjunção aos ângulos, o que potencializa seus efeitos, Sol e Lua também estão numa conjunção muito próxima a Vênus – Vênus, aliás, fará a Conjunção Superior ao Sol, que marca a metade do seu ciclo, na segunda-feira. Essa conjunção tripla em Gêmeos aponta para um ciclo mais leve, talvez leve demais, precário, superficial, frívolo, inconsequente… E Vênus, Sol e Lua também estão em quincunce a Plutão em Capricórnio. Tudo nos fala de um ciclo em que precisaremos vigiar nossos pensamentos e palavras, porque tudo acontece num ritmo vertiginoso, delirante, mas nem sempre conseguimos manter o registro ou a referência do que ocorre. Há muita atividade mental, porém não necessariamente essa atividade é produtiva ou leva a algum lugar, podendo, ao contrário, ser fonte de estresse e dispersão, agitação vazia e inquietação e ansiedade.

Lynn Skordal - Reprodução
Lynn Skordal – Reprodução

Gêmeos está associado diretamente a comunicações, que estarão na berlinda neste ciclo. Contudo, apesar de estarem sob grande escrutínio, a influência de Netuno nessa Grande Cruz sugere que desconfiemos de tudo o que vemos e ouvimos reportado pela mídia e meios de comunicação em geral, que desconfiemos, até mesmo daquilo que ouvimos em tete-a-tetes no dia a dia… Notícias bombásticas podem não passar de boatos ou puro sensacionalismo fomentado pela pressa, preguiça, descuido ou irresponsabilidade dos envolvidos; podem ser maldosas ou plantadas ou podem ser fruto apenas da inconsequência e irresponsabilidade de alguns, portanto, é bom ficarmos de olho – aliás, isso já está valendo desde que o Sol ingressou em Gêmeos e começou a fazer quadratura a Netuno, lá pelo dia 24 de maio. Isso também se aplica às relações pessoais… Os mal entendidos e falatórios estão favorecidos e fazemos bem se não ajudarmos a proliferar ou propagar inverdades ou informações de fonte e veracidade duvidosas… Lembra os três filtros de Sócrates? Já falei dele aqui, mas vale repetir: estamos seguros de que a informação é verdadeira? O que ouvimos ou dizemos, é uma coisa boa? E por último, é útil? Se não passar por qualquer um desses três filtros, melhor calar a boca ou os ouvidos… Se não passar pelos três, bom, isso nem deveria estar sendo cogitado!

Lua Nova em Gêmeos - Brasília, 05 de junho de 2016, 00h00min
Lua Nova em Gêmeos – Brasília, 05 de junho de 2016, 00h00min

Quando observamos que Netuno está conjunto ao Ascendente no mapa levantado para Brasília, ficamos ainda mais desalentados, porque Netuno tomará o palco central, então a possibilidade de fraudes e esquemas obscuros fica aumentada, especialmente no cenário político em Brasília… Mas Saturno está lá no Meio do Céu, apresentando a conta e trazendo tudo a público… Parece que essa nossa via crucis não acaba nunca… Netuno no ASC sugere um ciclo muito confuso, propenso a equívocos e malogros diversos, desânimo, desilusão que, paradoxalmente, nos deixam predispostos a novos enganos. Escândalos envolvendo figuras públicas, escândalos envolvendo drogas e entorpecentes, possível aumento da propagação do vírus da Zika e outras doenças… Se conseguirmos driblar nosso desânimo, hesitação e vontade de desistir, talvez consigamos nos alinhar com a infinita criatividade também simbolizadas por Netuno. Vênus, Sol e Lua estão no Fundo do Céu – será que vamos continuar como os bobos da corte, rindo para não chorar, com nossos erros esfregados na nossa cara por todo o sempre? Júpiter em Virgem está no Descendente: viramos mesmo chacota internacional! Por outro lado, talvez isso possa significar alguma ajuda externa no meio desse caos insolúvel e sem saída que nos encontramos… Mas dado o presente cenário, mesmo essa ajuda pode ser duvidosa. É, este é o ciclo da lambança federal (federal, de federação, não é no sentido de gíria!), seguida de de rebordosa e ressaca, seguida de mais lambança… Círculo vicioso. E o povo, assistindo a tudo isso impotente, cai na tentação de voltar a se embriagar e anestesiar, seja com álcool, drogas, crenças, opiniões cheias de certezas ou ilusões… Bem fará quem se mantiver sóbrio!

Emma Dajska - Reprodução
Emma Dajska – Reprodução

De fato, é um ciclo que exigirá de nós muito centramento para que possa ser minimamente produtivo, do contrário, o tempo passará num piscar de olhos e quando nos dermos conta estaremos apenas com a sensação de ter atravessado um furacão, ou melhor, de ter sido levados por ele. Contamos com alguma ajuda nesse quesito “centramento” vinda de Mercúrio, regente da Lua Nova, que está em Touro, um signo bastante pé no chão, pragmático, ponderado, deliberativo e lento na ação, o que, neste caso, equilibra grandemente a pressa e a afobação de Gêmeos e garante que tenhamos alguma substância e não sejamos apenas um balão vazio levado pelos ventos. De qualquer forma, Mercúrio já está em orbe de oposição a Marte em Escorpião, o que exige cuidado dobrado com a língua, que estará letal e com precisão cirúrgica, mas com forte potencial destrutivo!

Reprodução
Reprodução

Contudo, para além do óbvio, Essa Grande Cruz Mutável me lembra, mesmo, uma encruzilhada e nela precisamos decidir que direção tomar: vamos para a direita, pelo lado do otimismo, talvez até um pouco ingênuo ou exagerado? Vamos pela esquerda – e isso também me lembra a via sinistra – a via da fantasia e do sonho, mas também das ilusões tolas e ocas, a via da busca por um salvador/cuidador e das meia-verdades ou mentiras deslavadas? (Em tempo, os termos esquerda e direita aqui referem-se exclusivamente aos posicionamentos de Júpiter e Netuno no mapa da Lua Nova, não têm, absolutamente, nenhuma conotação política). Vamos para a frente, para o confronto com a realidade e com nossos medos e limitações, que nos colocará em contato com inseguranças, mas também com nossa verdade mais firme? Ou vamos ainda voltar por onde viemos, crianças irrequietas, alheias ao que ocorre à nossa volta  e receosas dos comprometimentos que os caminhos e escolhas possam representar?

Puerto Natales, Chile - Reprodução
Puerto Natales, Chile – Reprodução

A encruzilhada demanda reflexão e escolha, que nos elevemos acima do burburinho mental para termos maior clareza, pois se ficarmos paralisados no meio dela poderemos ser atropelados por outros mais apressados e decididos do que nós… Mas serão só estas as nossas opções? Talvez não. Ainda podemos ir para cima ou para baixo – não esqueçamos que Plutão está ali, a nos dizer que pode nos levar numa jornada ao Mundo Inferior também num piscar de olhos! E mais: Hermes-Mercúrio, como Deus dos portais, nos lembra que há outras dimensões além daquelas três às quais estamos acostumados… Talvez possamos pairar acima dessa encruzilhada e nos projetar no futuro, intuindo os vários possíveis resultados das diversas alternativas diante de nós… Poderíamos percorrer todas essas alternativas e voltar ao começo depois? Bem que Gêmeos adoraria, não é, deixar tudo em aberto, experimentar um pouco de cada opção e depois ainda sair solto e descolado feito sabonete escorregadio… Falamos de Gêmeos apenas arquetipicamente, porque essa é uma atmosfera que se aplica a todos por estes dias.

Reprodução

Então, qual é a melhor escolha? Na verdade, não existe tal coisa… Idealmente, deveríamos ser capazes de absorver toda a irreverência e curiosidade de Sol-Lua em Gêmeos, temperá-la com a sobriedade e a contenção de Saturno, equilibrar essa sobriedade com a alegria juvenil de Júpiter e ainda sonhar um pouco e abrir mão do controle com Netuno… Mas estes planetas não representam apenas qualidades positivas e nós precisamos considerar seus paradoxos… E, novamente, no melhor dos mundos, tal como um sábio meditando,  conscientizarmo-nos de tudo o que tais deuses representam, para o bem ou para o mal, por assim dizer, misturar tudo isso dentro de nós, peneirar e finalmente fazer nossa escolha, no cerne da nossa certeza interna simples, tendo a grande humildade de considerar que ainda poderemos estar errados, mas que fizemos a escolha que nos pareceu mais apropriada naquele momento.

É como naquela cena do filme O Último Samurai em que o protagonista, Nathan Algren vem por uma rua tarde da noite, desarmado e é encurralado por cinco guerreiros. Como já ficou muitos meses treinando na arte dos samurais, Algren sabe que se espatifar em todas as direções não é a melhor estratégia. Então, ele fica completamente alerta, em máxima concentração e fixa sua total atenção no momento presente, num estado pleno de atenção consciente. Assim, consegue antecipar os movimentos de seus oponentes e ter perfeito controle de suas próprias ações e reações, conseguindo vencer, sozinho, a cinco guerreiros valentes, puramente pela força mental concentrada… Sim, claro, estamos falando de um filme Hollywoodiano que tenta vender a supremacia americana e blá blá blá… Mas não é disso que estou falando. Quando pensamos nos samurais e todo o corpo de práticas e filosofia que viviam, sabemos que isso não só era possível para eles, mas dependendo do grau de aperfeiçoamento do guerreiro, poderia ser até enfadonho de realizar. Aliás, podemos ver isso nas artes marciais ainda hoje. O que eu quero dizer é que, diante deste cenário de inúmeras possibilidades, de situações se alterando constantemente e das mil e uma tarefas, obrigações, e imprevistos ocorrendo simultaneamente, o melhor que podemos fazer é adotar a prática do guerreiro zen, ou seja, atenção consciente permanente no aqui e agora. Só assim estaremos aptos a responder aos desafios que o ciclo nos traz.

Reprodução
Reprodução

O guerreiro zen sabe que tudo está na mente e que a mente prega muitas armadilhas. Ela pode ser nossa salvação ou danação, depende de nós e de como a usamos. Nas várias horas de treino a que se submeteu, Algren aprendeu que o segredo é manter a mente limpa e vazia: nada na mente. Esvaziar a mente de nossos medos, desejos, expectativas, pressões, opiniões, conceitos, identificações, paixões, inflações. Quando nos desapegamos de tudo isso, nós ficamos livres e leves e assim podemos tomar decisões mais coerentes e tranquilas que, mesmo que se provem equivocadas posteriormente, o que é muito improvável, ainda permaneceremos serenos, porque sabemos que tal decisão não foi fruto de precipitação, inconsequência ou leviandade, mas de uma escolha consciente.

Getty Images - Reprodução
Getty Images – Reprodução

O Símbolo Sabiano do grau 15 de Gêmeos (14° – 14°59’) traz a seguinte imagem: “Duas crianças holandesas conversando e estudando suas lições juntas”. O símbolo é claro: pessoas que se juntam a partir de objetivos similares ou afins. Uma situação de estudo e aprendizado, comunicação e socialização que tem tudo a ver com Gêmeos. O fato de ser apontado que são crianças “holandesas”, implica que talvez sejam estrangeiras em alguma terra alheia, mas nem por isso precisam se sentir isoladas, pelo contrário, podem se aproximar de seus semelhantes e afins e de origens ou metas parecidas. O fato de precisarem executar uma tarefa não necessariamente quer dizer que isso tenha que ser feito de maneira soturna e tediosa, mas pode sim, ser encarado com leveza e alegria, o que nos remete também, como diz Lynda Hill (1), às lições da vida que precisamos aprender e apreender e que podem iluminar e enriquecer a todos os envolvidos na situação. É fundamental manter o espírito de leveza e serenidade, para que não criemos complicações e problemas desnecessários – já teremos o bastante de desafios e problemas reais e também imaginários ou exagerados, logo, não precisamos ficar procurando cabelo em ovo, portanto, quanto mais simples e objetiva for nossa abordagem, melhor. Este é um símbolo que fala de estudos e aprendizados, de comunicação e amizade, de companheirismo e de simplicidade. entretanto, ele também traz riscos e fala de fofocas, de superficialidades, de pontos de vistas grosseiros, de preconceitos, ostracismo e, acrescenta Hill, da possibilidade de ouvir vozes que não fazem sentido algum… Portanto, o Símbolo Sabiano reverbera um pouco da dinâmica da configuração ativada pela Lua Nova e sugere mais cautela.

Maria Eunice Sousa
Maria Eunice Sousa

E nós, como ficamos nessa encruzilhada, afinal? Ficamos no centro. Não no centro do cruzamento, correndo o risco de ser atropelados pela hesitação, indecisão , inconstância e incoerência, mas no centro de nós mesmos e da nossa alma. Só assim poderemos perceber o sentido das coisas e das escolhas que precisamos fazer e das atitudes que precisamos adotar. Como diz Bert Hellinger, “no centro sentimos leveza” e leveza (Gêmeos) com substância (Mercúrio em Touro) é o objetivo final deste ciclo. Será que conseguimos? Havemos de consegui-lo!

lightworkersworld
Lightworkersworld – Reprodução

Praticalidades: Indivíduos com planetas ou ângulos entre os graus 09 e 20 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais impactados por esta Lua Nova e esta Cruz Mutável, nas áreas de vida representadas pela casa que têm Gêmeos no mapa natal.

Para se manter centrados e ancorados neste ciclo tumultuado, podemos recorrer a várias práticas: exercícios de respiração profunda, Yoga, Tai-Chi-Chuan, exercícios de enraizamento, meditação, florais que acalmem a mente e a ansiedade, dança, escrever para dialogar com os próprios receios, andar descalço na terra, contato com a natureza…

Um ótimo ciclo para você!

Con-centre-se! Con-centro-me (com centro em mim). Enraize-se!

Jiwa Lee Robinson - the Huffington Post - Reprodução
Jiwa Lee Robinson – the Huffington Post – Reprodução

A Semana Astrológica: Cruzando Portais

Christian Schloe Digital Art - Reprodução
Christian Schloe Digital Art – Reprodução

Semana de 14 a 20 de março Semana do Ano Novo Astrológico!!!

O Sol completa seu ciclo zodiacal nesta semana, inaugurando um novo signo, um novo ano, uma nova estação, um novo ciclo. Uma semana “entre eclipses”, que também vê a Lua oficializar o Primeiro Quarto, o quarto Crescente, em Gêmeos. Sim, temos pela frente um período de muitos acontecimentos importantes e uma semana dinâmica que convida a avançar em nossos projetos e atividades, mas para isso precisaremos de muito esforço para manter o foco e a objetividade, pois não há energia fixa disponível no céu por muitos dias. Também não podemos esquecer que este período “entre eclipses” demanda cautela em decisões e escolhas porque muito de nossa motivação é inconsciente e muitas reações são completamente irrefletidas e instintivas. De qualquer forma, mesmo aquilo que a princípio parecia um erro, pode se revelar um acerto com as muitas voltas do tempo, porque a alma vai atrás daquilo que precisa para ficar inteira e essa integridade, muitas vezes, depende do enfrentamento de questões por muito adiadas.

ariesssPara a Astrologia o ano só começa com a ingressão do Sol em Áries, o signo primeiro do zodíaco, ingressão que marca o Equinócio do Outono no Hemisfério Sul e da Primavera no Hemisfério Norte. O mapa de ingressão diz muito sobre o ano em geral para o país, a economia, a política e qual a atmosfera geral para todos. Já escrevi sobre este mapa de ingressão no artigo sobre 2016: O Sol ingressa em Áries no dia 20 de março, à 01h30min, no horário de Brasília (04h30min no horário de Lisboa). No mapa levantado para o Distrito Federal, algo que chama a atenção imediatamente é Plutão em conjunção ao Ascendente em Capricórnio, em quadratura a Urano, que está em conjunção exata ao fundo do Céu, a base que sustenta a nação. Isso sugere um ano de transformações profundas, inesperadas, radicais, que deverão sacudir não somente as bases deste país, mas também a forma como nos percebemos, nossa identidade como povo. Terremotos políticos, tsunamis econômicos poderão trazer muita instabilidade, mas também poderão trazer muitas verdades à tona, desenterrando defuntos velhos que estavam escondidos, segredos de estado, maracutaias muito bem escamoteadas a emergirem dos escombros, propiciando uma grande limpeza e purificação da alma coletiva. Uma demolição dos modelos vigentes até então para que uma reconstrução possa ocorrer. Essa configuração também traz a oportunidade de assumirmos nossa responsabilidade individual pela grande sombra do país, de percebermos nossos pequenos pecados pessoais como parte essencial da trama do grande tecido que é a alma da nação, a identidade do país. Realmente, este país precisa se reinventar completamente, empoderando-se em sua criatividade e admitindo sua tendência regressiva na busca por salvadores milagreiros; encarando seus podres sem disfarces, mas também sem complexo de vira-latas – só poderemos nos ver de modo mais realista, que é o que pede um Ascendente em Capricórnio, quando admitirmos nossa sombra e igualmente nossa luz.” Leia mais sobre o mapa da ingressão e sobre o ano de 2016.

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

Mercúrio em Peixes continua super ativo e ativando e mexendo com muita “gente” grande nesta semana: faz quadratura a Saturno em Sagitário, sextil a Plutão em Capricórnio, oposição a Júpiter em Virgem e conjunção a Quíron e ao Nodo Sul. Isso indica uma semana de grande atividade e balbúrdia mentais, muita verborragia – especialmente porque a Lua faz quadratura a ele por dois dias – e também de muita confusão, mal entendidos, ideias borradas e desconexas, dispersão, falatórios, fofocas, insegurança sobre nossas opiniões e ideias, paranoias persecutórias… Positivamente, continuamos muito imaginativos, com a criatividade super aflorada, só precisamos ter clareza do que fazer com toda essa criatividade e é aí que a porca torce o rabo porque clareza e discernimento é o que mais nos falta. Mercúrio está em oposição a Júpiter e em quadratura a Saturno e pede que burilemos nossos processos mentais, que passemos nossas idéias fabulosas e caleidoscópicas pelo crivo da ética, da utilidade, da factibilidade e, mais importante, que executemos a difícil tarefa de peneirar entre tantas ideias, que surgem aos borbotões – como água jorrando da fonte – aquelas que realmente valem a pena e que têm o maior potencial de manifestação palpável e de frutificação.

Tanya Shatseva - Reprodução
Tanya Shatseva – Reprodução

Esta quadratura é a primeira do ciclo desde que Mercúrio fez conjunção a Saturno em novembro de 2015, indicando um ciclo mental em que precisamos nos responsabilizar pelos efeitos das nossas crenças na realização – ou não – de nossas metas. Este é o momento de fazer ajustes, pois além de tudo o que nasceu lá atrás, agora surgem novas oportunidades que encantam nossos olhos e espírito, embora, muitas dessas oportunidades sejam ilusórias e irreais. Assim, é preciso ter critério e pé no chão. Para que não nos espalhemos e dispersemos em demasia, precisamos estar aterrados, pés em solo firme. Além de respiração e meditação, algo que pode nos ajudar são essências florais, que a terapeuta Patrícia Vilela, com quem comecei uma parceria há duas semanas, sugere para alguns dias. Veja ao final do texto as sugestões de Patrícia.

Christian Schloer digital Art - Kay's Dream - Reprodução
Christian Schloer digital Art – Kay’s Dream Reprodução

Vênus em Peixes, uma sereia em busca do amor perfeito, abre a semana em pé de guerra com Marte, seu amor arquetípico de todas as eras. As relações entram num clima bastante volátil e ficam sujeitas a desencontros de vontades, desejos conflitantes – internamente, para cada indivíduo e traduzindo-se em conflitos externos com o outro. Como conciliar o conflito entre Amor e Vontade? Entre defender meus valores e desejos diante de um outro que parece querer coisas completamente diferentes? Entre meu desejo de estar com o outro de forma agradável e minha própria auto-afirmação? “A gente já não tá mais na base do só vou se você for”, diz a canção do Roberto, que vale bem para esta semana. Vênus em Peixes na verdade tenta se moldar ao outro, mas o problema é que se molda demais, até o ponto de perceber que se perdeu completamente e já não sabe mais quem é ou o que quer e em quadratura a Marte em Sagitário essa percepção pode dar origem a uma revolta e ao desejo oposto por independência, uma evasão desesperada em busca de ar e de uma distância saudável ou talvez até, uma busca por outros amores na tentativa de provar-se ou de provar a própria liberdade.  A outra possibilidade é que essa evasão ocorra a partir do desapontamento, que nos leva, consequentemente, a continuar a busca pelo encantamento perdido, colecionando affairs como trocamos de roupa. Este trânsito tende a acionar e trazer à tona quaisquer tensões que estavam se arrastando em segundo plano não endereçadas previamente nas relações. As tensões entre egos podem ser liberadas de forma grandiosa, o tipo de briga que acaba na cama, um verdadeiro “escândalo” regado a farpas agudas e beijos ardentes… Mas por mais excitante que tal “reconciliação” seja, ela não pode ser desculpa para não se lidar com os problemas que se apresentam.

Photobox - Reprodução
Photobox – Reprodução

Essa tensão pode ser alimentada também pelo fato de o Marte Sagitariano, que já prima pela sua liberdade de maneira extrema, estar em sesqui-quadratura a Urano em Áries, o que aumenta muito esse anseio por independência e liberdade, embora de forma completamente inconsciente. Assim, o conflito Vênus-Marte torna-se mais tenso ainda. Vênus em Peixes quer estar num relacionamento a qualquer custo e pode se tornar excessivamente conciliadora para alcançar seu intento. Já Marte em Sagitário corre de compromissos, tendo verdadeira alergia a grude… Somado o aspecto a Urano, temos como possibilidade aquelas relações ou situações em que um dos lados corre atrás compulsivamente de um outro que tenta fugir ou evita se comprometer a qualquer custo, sem conseguir identificar porque, exatamente, faz isso.  Vale uma pausa para reflexão se nos percebemos caindo nesse tipo de padrão dentro das nossas relações, algo mais passível de acontecer para indivíduos que já trazem esse conflito Amor x Vontade no mapa natal.

Sarolta Ban - Reprodução
Sarolta Ban – Reprodução

Mas a semana também traz uma grande força transformadora, simbolizada pelo trígono Júpiter-Plutão, que se dá pela segunda vez, agora com Júpiter retrógrado. Apesar de todas as dificuldades e problemas, percebemo-nos capazes de resolvê-los ou pelo menos àqueles mais urgentes. Há um poder intrínseco na crise, que vem nos mostrar que “já deu”, que é chegado o momento de modificar e transformar aquilo que nos bloqueava o crescimento, seja ele profissional, material ou pessoal/espiritual. E quando nos damos conta de que a crise traz em si o potencial da transformação, a chave para tal, que abrirá e destravará as oportunidades se materializa diante de nós. Contudo, há que se ter o cuidado da auto-observação. É preciso ser muito honesto consigo mesmo e fazer um uso ético e íntegro do poder que se encontra ao nosso dispor, do contrário, caso seja utilizado para manipulação e fins puramente egoístas, poderemos nos defrontar com novas dificuldades ali adiante. É preciso pensar no todo e não apenas no que é melhor para nós somente. Também precisamos ficar atentos às motivações para este desejo de poder e de influência no mundo: de onde nasce isso? É um desejo de melhorar a vida para todos colocando-se a serviço ou um mero desejo de alimentar o controle sobre aquilo que nos deixa inseguros? Júpiter retrógrado, em trígono a Plutão oferece a oportunidade de revermos nossas crenças, nossos códigos morais e éticos, nossos ideais e os excessos que cometemos em busca deles, transformando tais dificuldades e liberando-se energeticamente para seguir em frente, oportunidade que é particularmente realçada pelo trânsito de Saturno por Sagitário, signo regido por Júpiter, que logo fará, também, quadratura a este mesmo Saturno. Saturno, aliás, desacelera o passo para entrar em retrogradação no dia 25 de março. Teremos então, por cerca de 45 dias, (de 25 de março a 09 de maio) os dois planetas sociais, Júpiter e Saturno, retrógrados, enquanto todos os planetas exteriores, Urano, Quíron, Netuno e Plutão estão diretos, viajando a passos largos e acelerados, indicando mudanças críticas coletivas, que nossos sistemas sociais talvez tenham dificuldade de lidar ou de absorver no primeiro momento. Júpiter volta ao movimento direto em 09 de maio.

tirado de Chillypepperhothothot.tumblr - Reprodução
Chillypepperhothothot.tumblr Reprodução

A Lua abre a semana na fase Crescente e completa o Primeiro Quarto ainda em Gêmeos. Navega por seus domínios Cancerianos de terça até a madrugada de sexta, para entrar em Leão, onde se torna Corcunda. Fecha a semana já em Virgem e será Cheia na quarta-feira, 23 de março, numa lunação que será também um Eclipse Parcial da Lua.

Reprodução
Reprodução

A Lua está em Gêmeos na SEGUNDA-FEIRA e faz quadratura a Netuno e a seu dispositor, Mercúrio, em Peixes e a Júpiter em Virgem, além de se opor a Saturno em Sagitário, formando uma Grande Cruz Mutável por todo o dia, aliás, há pouca energia cardinal e nenhuma energia fixa ativa nos céus destes dias. Tudo é Mutável! Como se não bastasse, o próprio Mercúrio faz quadratura exata a Saturno hoje, Vênus também está em quadratura plena a Marte e a Lua ainda faz quincunce a Plutão em Capricórnio – Haja fôlego! Um dia de excessos mentais, verbais, excessos de obrigações, tarefas, atividades, que quase nos nocauteiam se não paramos, pelo menos, para respirar. Temos dificuldade de discernir o que é mais importante, quais são as prioridades e em nossa insegurança, pedimos opiniões externas para tomar nossas decisões, o que, ao invés de ajudar, acaba por nos confundir ainda mais. Se há versatilidade, desenvoltura, criatividade e movimento de sobra, também há ansiedade, inquietude, dispersão, conflitos e sensação de beco sem saída em muitos momentos, não porque não haja “saída” possível, mas pelo contrário, pela abundância de alternativas diante de nós que nos deixam extremamente incertos sobre que rumo tomar. Afogamo-nos em excessos e no meio disso tudo o tempo parece correr vertiginoso, contra nós.

Bert Blondeel - Reprodução
Bert Blondeel – Reprodução

Ideias em profusão, sentimentos copiosos, preocupações excessivas, tudo num fluxo vertiginoso que nos leva a querer evitar o comprometimento com qualquer coisa, pessoa ou situação ou a ceder a tudo e a todos. Não se pode ceder excessivamente pois isso também nos fará perder o fio da meada e o rumo dos nossos objetivos pessoais; é preciso improvisar e nos adaptar, pois tudo pode mudar a qualquer momento, mas também não podemos nos adaptar em demasia…. Que sinuca!! Achar o ponto de equilíbrio é a grande dificuldade. Júpiter em Virgem, regente de todos os planetas Piscianos, sugere que olhemos no fundo de nós mesmos para ter clareza sobre os critérios que irão nortear nossas decisões e prioridades. A quadratura a Saturno feita por Mercúrio pode nos ajudar sobremaneira, se nos afinarmos com o senso de disciplina, concentração e foco prometidos por Saturno, ao invés de nos abatermos pela insegurança e hesitação. Novas ideias são somadas àquelas nascidas em novembro passado, mas precisam ser devidamente filtradas, pois é humanamente impossível realizar tudo o que nossa imaginação almeja no momento. Precisamos, pois, ater-nos às obrigações: elencarmos o que é necessário e depois o que é possível, de forma bem realista, efetiva e objetiva, sem entrar em síndromes de super-homem e super-mulher; sem enveredar por preocupações ou culpas paralisantes. O que não tem remédio, remediado está! É isso ou corremos o risco de enlouquecer, perdermo-nos completamente no mar revolto da ansiedade e de profusas tarefas, sem realizar nada no final. Patrícia Vilela recomenda a essência flora Cúrcuma para este dia. Veja recomendação completa ao final do texto.

Lissy Laricchia - Reprodução
Lissy Laricchia – Reprodução

A TERÇA-FEIRA se mantém com esse clima vertiginoso de malabarismo e de corrida contra o tempo. A Lua Geminiana faz sextil a Urano em Áries e segue armando a Grande Cruz Mutável, dessa vez envolvendo também a Quíron e ao Sol, a quem faz quadratura, oficializando o Primeiro Quarto do ciclo, ficando vazia logo depois, às 14h04min. Mercúrio hoje está em oposição a Júpiter e em sextil a Plutão, que por sua vez recebe o trígono, quase exato, de Júpiter, formando o que alguns chamam de uma configuração “Megafone”. Vênus vai se aproximando de Netuno. A Lua ingressa em Câncer às 21h57min – Tudo fluindo rápido e incessantemente, o dia promete mais uma enxurrada de tarefas e inquietações, com o risco de nos sentirmos mais debilitados e incapazes de dar conta de tudo que nos espera, o que aciona nossas inseguranças e inadequações dolorosamente. Entretanto, temos possibilidades de ganhar acesso a recantos de nossa mente e perceber com mais nitidez em que momentos tarefas simples se tornam tsunamis ou cavalos de batalha, em que momentos precisamos exagerar na ação, na ênfase do que quer que estejamos falando ou fazendo, como recurso de cavar poder ou proeminência. Dessa maneira, podemos organizar melhor nossos pensamentos e usar esse poder mental expandido de maneira efetiva e útil, não só para atingir nossos próprios fins, mas ajudando a propagar propósitos maiores e mais elevados do que nossas questões pessoais, porque no fim, percebemos que o que nos afeta como humanos, não é um problema local, mas universal. Assim, esse poder mental profundamente poético, imaginativo e sensível, precisa ter aplicação planejada, mas imediata e prática, para o bem do todo que está ao nosso redor. E se conseguimos sair do redemoinho de preocupação com nossos pequenos problemas, colocamos as coisas em perspectiva, saímos da hipnose egoica de olhar somente o próprio umbigo para mirar alturas mais elevadas e então, conseguimos ter clareza do que é realmente importante.

Travis Bedel - Reprodução
Travis Bedel – Reprodução

Júpiter está em trígono pleno a Plutão na QUARTA-FEIRA e Mercúrio faz aspectos separativos aos dois. A Lua está poderosa em seus domínios Cancerianos e de lá cutuca Marte em Sagitário irritantemente. A Lua ainda faz trígonos a Vênus e a Netuno em Peixes e fecha a noite já em oposição, não exata, a Plutão em Capricórnio. O céu segue sem energia fixa ativada. Um dia que traz um dinamismo e uma sensibilidade um pouco diferentes dos dias anteriores, visto que hoje conseguimos ter alguma clareza de para onde devemos ir, mesmo que isso se dê em movimento tangencial e sutil. Outra coisa que ajuda, sobremaneira, é que conseguimos divisar alguns limites, reais ou não, que nos bloqueavam o desenvolvimento, de modo que nos armamos de novo entusiasmo, dispostos a uma arrancada decisiva para realizar nossas ambições, visto que derrubamos tais limitações. Contudo, ainda precisamos lidar com a impaciência e a irritação, que pode gerar algumas explosões de mau humor quando terceiros se revelam surpreendentemente contrários aos nossos planos. Ficar emburrados e fazer chantagem não irá resolver o que demanda atitude adulta e desapegada, portanto, o negócio é manter em cheque essa criança birrenta que esperneia dentro de nós.

Robby Cavanaugh - Reprodução
Robby Cavanaugh – Reprodução

A QUINTA-FEIRA está explosiva. A Lua Canceriana faz quincunce a Saturno em Sagitário, oposição a Plutão em Capricórnio, quadratura a Urano em Áries. Dona Lua também faz sesqui-quadraturas a Vênus e a Marte, entornando o caldo do conflito entre eles. Mas a Lua também dialoga, harmoniosamente, com Júpiter em Virgem e Mercúrio e Quíron em Peixes e como estes estão em oposição a Júpiter e em sextil a Plutão, temos formado um Retângulo Místico, uma configuração que simboliza grandes recursos e muitas saídas para os impasses em que nos metemos. Mercúrio está em conjunção a Quíron – A noite e a madrugada trazem um sono turbulento e pesado, em que combatemos dragões e inimigos terríveis, mas ajudados por anjos e guias que nos instilam força e segurança. Este clima segue pela vigília afora: encontramos muitos dragões e “inimigos” a combater, seja dentro de nós, na forma da preguiça, desânimo ou insegurança, seja fora, em situações complicadas que demandam resoluções ingratas e imediatas e até mesmo no indivíduo que parece se interpor entre nós e a realização de nossa vontade e objetivos. Mas quem tiver olhos para ver, verá que há muita ajuda á nossa disposição, se buscarmos nos lugares e momentos certos, com a devida humildade e abertura de coração. Na verdade, se tivermos maturidade e serenidade suficientes, perceberemos que as coisas se dão de modo reverso ao inicialmente percebido por nós: não temos ajuda para enfrentar as dificuldades que se apresentam; ocorre justamente o contrário, temos dificuldades que nos obrigam a olhar e a aproveitar todos os recursos e a ajuda que, de outra forma, seriam desperdiçados, não fora os “problemas” que caíram no nosso colo demandando resolução. Assim, há problemas que na verdade são dádivas disfarçadas.

Charlie Chaplin no set de O Grande Ditador - 1940 - Reprodução
Charlie Chaplin no set de O Grande Ditador – 1940 Reprodução

Na SEXTA-FEIRA temos um clima um tanto errático e belicoso. Isso porque Marte em Sagitário, que já percorre a zona de retrogradação, está em sesqui-quadratura plena a Urano em Áries. A Lua Canceriana faz trígono ao Sol ficando vazia logo depois, à 01h09min. Ingressa em Leão às 04h55min, de onde se indispõe, muito inconscientemente, com Saturno em Sagitário e com Quíron e Mercúrio em Peixes. Como ajuda ela se alia a Marte, no início de Sagitário, mas caça confusão com Vênus e Netuno em Peixes – Depois de muitos dias cedendo, negociando, adaptando-nos às circunstâncias e imprevistos que surgiram pelo caminho, de repente, começamos a nos sentir como que feitos de “trouxa” e amanhecemos mais rígidos e inflexíveis, esperando que o mundo se adapte a nós e às nossas necessidades, para variar. Estamos zangados e mal humorados, porque sentimos que fomos “moles”, que afrouxamos nossos critérios para acomodar aos outros ou que deixamos o barco correr a esmo… Agora queremos recuperar o controle e sem nos dar conta, exigimos que a vida se molde ao nosso jeito de pensar e agir e, como pequenos tiranos, vamos vociferando ordens autoritárias sobre os incautos que atravessarem nosso caminho. O movimento natural, acionado pelos extremos, é que o elástico que foi esticado ao máximo, vá para o extremo oposto, assim, depois de ceder indiscriminadamente por um certo período de tempo, enrijecemo-nos e batemos o pé. Contudo, não precisamos levar tudo a ferro e fogo e o ideal é que achemos um meio termo na ordem das coisas, porque se nos enrijecemos em demasia, ainda incorreremos no equívoco do extremo, o que levará a uma repetição da dinâmica indefinidamente. Portanto, insistir em comportamentos autocráticos é, não só imaturo, como também improdutivo e o melhor que fazemos é achar o caminho do meio, o ajuste possível entre nossos dilemas internos e os impasses exteriores encontramos nos embates do mundo.

Photo Manipulation by Juli-Snowwhite - Reprodução
Photo Manipulation by Juli-Snowwhite Reprodução

O SÁBADO chega oferecendo alguma trégua em todos estes conflitos. A Lua Leonina forma um Grande Trígono fogoso com Saturno em Sagitário e Urano em Áries, que permanece formado por todo o dia. Contudo, ao fazer quincunces a Plutão e a Quíron, a Lua vira foco de um Yod/Dedo de Deus* por um curto espaço de tempo que, embora curto, adiciona muita tensão. A Lua faz ainda sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda e fica vazia às 17h43min, depois do trígono a Urano. Um dia um pouco mais leve, em que podemos respirar mais livre e calmamente sem sentir que os minutos estão correndo contra nós. Talvez, exatamente por estarmos desacostumados da leveza ou por um mau hábito, já sentimos uma inquietação e incongruência por nos permitirmos esse pouco de tranquilidade. Mas não precisa ser assim. Podemos tirar o dia hoje para fazer planos, olhar para o futuro com mais segurança, sem sentir que andamos na areia movediça. Podemos visualizar as estruturas necessárias para materializar tal futuro, sem nos revoltarmos contra elas e contra o comprometimento que demandarão de nós. Ainda precisamos nos acautelar contra a insegurança infantil de quem precisa da aprovação dos pares compulsivamente, levando em consideração tal insegurança, não para deixarmos de realizar nossos intentos, para para procurarmos fazer as pazes com ela dentro de nós.

Blue-a - Reprodução
Blue-a – Reprodução

O Sol ingressa em Áries à 01h31min da madrugada de DOMINGO, marcando o Equinócio de Outono aqui no hemisfério Sul e inaugurando o Ano Novo Astrológico. O sono fica novamente perturbado e intermitente com a Lua se indispondo com Mercúrio em Peixes. Ingressa em Virgem somente às 14h40min, e logo faz quincunce ao Sol Ariano, quadratura a Marte e sesqui-quadratura a Urano. Vênus está totalmente amalgamada a Netuno, em conjunção plena a ele. Um novo ano começa. Um dia liminar, em que nos encontramos cruzando portais, temporais ou não, que nos levam à nova etapa, à nova fase de desenvolvimento, pessoal e coletivo. Talvez nada tenha mudado ao nosso redor, mas se prestarmos a devida atenção, perceberemos que uma mudança sutil tomou lugar, uma nova direção para onde se volta nossa atenção, a direção de uma nova consciência, de maior maturidade e lucidez. A manhã de domingo fica favorável para se brincar livremente, para se aventurar por todas as artes, para se permitir uma absorção completa na experimentação de novas formas de auto-expressão. À tarde tal expressividade é confrontada com a necessidade de técnica, de se moldar a um método estruturado para se tornar mais efetiva e fazer justiça à projeção inicial da nossa imaginação fecunda. De modo geral traz uma sensibilidade difusa e indiscriminada, que nos faz sentir saudades não identificadas, anseios indefinidos, desejos inexprimíveis, porque não compreensíveis até para nós mesmos. E pede que tenhamos calma, delicadeza e gentileza para conosco e para com outros também, que busquemos beber a beleza como bálsamo para essa saudade do inatingível e do Inefável. O dia pede, assim, um equilíbrio entre o vigor Ariano e a delicadeza Pisciana e se encontramos isso dentro de nós, podemos manifestá-lo também no mundo lá fora.

Desejo uma ótima semana para você e um maravilhoso Ano Novo Astrológico!

Veja abaixo as recomendações de florais para esta semana.

Techeblog - Reprodução
Techeblog – Reprodução

Patrícia Vaz Vilela, terapeuta de florais, recomenda as seguintes essências para esta semana:

“Diante desta Grande Cruz Mutável abrindo a semana e do início do mergulho da Vênus em Peixes, mais do que nunca precisamos nos manter centrados e conectados no aqui e agora. Assim, a primeira essência é a Cúrcuma (Sistema Filhas de Gaia). Ela vem nos trazer o ancoramento que nesta semana se torna essencial. Nos dá a estrutura e estabilidade que precisamos, como consequência disso, nossa ansiedade é drasticamente reduzida, e conseguimos nos organizar mesmo diante de uma pilha de afazeres intermináveis, pois desenvolve a nossa capacidade de focar e priorizar o que realmente importa. Neste movimento, elimina os excessos em nossa vida, purifica as toxinas acumuladas em nossos sistemas devido ao nosso desenraizamento, trazendo-nos de novo para o concreto, com os pés no chão e a mente estável.” – Repertório Sistema Filhas de Gaia.

“Outra essência que irá nos ajudar enormemente é o Apricot do Sistema da Califórnia, é uma essência extremamente eficaz para limpar o nosso sistema linfático de inflamações, edemas e alergias. Assim, auxilia nos acúmulos de líquidos – tendo vista a quantidade de água que temos no mapa dessa semana, secar um pouco o excesso de emoções vem muito a calhar. Essa essência contribui imensamente para equilibrar os estados de espírito, e nos deixar menos “dodóis”, com o auxilio desse floral, passamos a assumir mais a colheita nos frutos que plantamos ao invés de culpar os outros por nossas vicissitudes. Tem um efeito rápido nos casos de pessimismo e abatimento. Suscita a paz, o equilíbrio e a alegria.”

“Para combater o medo e a sensação de estar andando em areia movediça ou afundado num lamaçal, a essência recomendada é a Cruz de Malta, que ajuda a combater a sensação de prostração e depressão, pessimismo e desespero, especialmente quanto aos eventos do mundo. Esta essência é do Sistema Floral Filhas de Gaia. Aliado a esta essência, pode-se usar também o Scoth Brum, que auxiliará a materializar nossos projetos, sem nos deixar abater pelas dificuldades e incertezas, instilando sentimentos positivos e otimistas em relação ao mundo e aos acontecimentos futuros; forças solares de encorajamento, propósito e cuidado aos outros.”

Patrícia Vaz Vilela
Terapeuta Floral – ASTERFLOR/MS 43
Rua Dourtor Arthur Jorge, 2455
Bairro Monte Castelo
Cep 79010-210
(67) 9245-6604
Campo Grande – MS

Abaixo uma compilação das flores usadas nestas essências:

essenc

*Yod-Dedo de Deus é uma configuração em que dois planetas se harmonizam por sextil (ângulo de 60 graus) e ambos fazem quincunce (ângulo de 150 graus) a um terceiro, que vira foco da configuração. A configuração tem a forma de um triângulo isósceles. Tem uma qualidade fatalista e imprevisível e gera muita tensão devido ao ajuste requerido pelos aspectos quincunce.

Aspectos Yod

Blue-a - Reprodução
Blue-a – Reprodução