Arquivo da tag: Equinócio

A Semana Astrológica – O Fim do Mundo?

Reprodução

Semana de 18 a 24 de setembro – Renovação

O ponto alto desta semana é a Lua Nova ocorrendo no signo de Virgem, na quarta-feira. Depois de termos duas Luas Novas seguidas ocorrendo em Leão, os ciclos voltam a ficar “trocados”, em que primeiro temos a Lua Cheia ocorrendo no eixo de signos, e só depois temos a Lua Nova, quando normalmente ocorre o contrário, por exemplo, normalmente teríamos a Lua Nova ocorrendo em Virgem e depois a Lua Cheia acontecendo em Peixes. Mas no caso, já tivemos a Lua Cheia em Peixes no dia seis de setembro. Isso parece trazer para a nossa consciência a necessidade de lidarmos com as crises agudas e conciliar as aparentes diferenças do par de signos em questão, para só depois conseguirmos plantar e iniciar algo novo naquela área. O outro ponto é que a Lua Cheia do ciclo acontece no par de signos seguinte, ou seja, teremos a Lua Nova em Virgem no dia 21 e a Lua Cheia do ciclo já será em Áries, no dia cinco de outubro. Portanto, é momento de renovar nossas intenções: onde podemos ser mais úteis e empáticos? Onde precisamos utilizar nossa criatividade e imaginação de forma concreta? Onde precisamos dar o senso de ordem ao caos dentro de nós?

Reprodução

Outra coisa importante acontecendo nesta semana é o centésimo “fim do mundo”. Brincadeira. Temos visto várias publicações em veículos diversos da internet propagando mais essa “profecia”; artigos dizem “astrólogos, teólogos e especialistas”, mas não dão nomes a esses profissionais, a não ser um numerólogo britânico de quem nunca se tinha ouvido falar até agora, que afirma que o fim do mundo será no dia 23 de setembro próximo.

Ilustração tirada de uma publicação do colega Hector Othon, no Facebook. Reprodução

Astrologicamente não há nada tão portentoso que justifique toda essa celeuma e esse sensacionalismo. Temos um alinhamento planetário formado por Vênus, Marte e Mercúrio na constelação de Leão (no Horóscopo Tropical eles estão em Virgem) que, junto com as nove estrelas da constelação, somam 12. Logo depois vem o Sol, na constelação de Virgem (Já em Libra, no Horóscopo Tropical), seguido de Júpiter e finalmente a Lua Nova – esse alinhamento ocorre no dia 23 de setembro e tem sido associado com uma profecia do Apocalipse: “Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz. Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, e nas cabeças sete coroas. Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Esse Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim de que, quando ela desse à luz, lhe devorasse o filho. Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono”. Apocalipse 12:1-5. Essa coroa de 12 estrelas seriam Vênus, Marte e Mercúrio, mais as nove estrelas da constelação de Leão. Por causa disso, alguns associam esse alinhamento com a concretização dessa profecia. Astrologicamente esse alinhamento não significa nada tão drástico em termos de eventos concretos e com certeza não significa o “fim do mundo”.

O colega Hector Othon fala bastante sobre essa configuração e a associa ao nascimento do Cristo interior, um momento de tomada de consciência, de despertarmos para o Cristo interno. Para quem quiser saber mais sobre isso, sugiro visitar o canal do colega no Youtube, onde ele dá Orientações 23 de Setembro – Entrar na Real, Virar amor. Sim, temos tido muitas oportunidades de despertamento, de mudança de consciência nos últimos e esta é mais uma… Essas oportunidades vão aumentar cada vez mais. Então, astrólogos sérios vêm esse alinhamento de forma simbólica, como o início de um novo tempo, como a abertura para uma nova consciência. Algumas correntes vão mais fundo e fazem associações espirituais, mas eu prefiro não enveredar por este caminho, porque eu tento trabalhar com a Astrologia sem colocar interpretações espirituais de outra natureza, porque isso aí é da filosofia e orientação de cada um… Se eu trouxer esses dados, meu texto já não será tão isento, trará crenças que podem não ter nada a ver com os leitores. A Astrologia não tem nada a ver com crenças de nenhum tipo, por isso tento deixar o texto “limpo” e mais neutro – quem tiver interesse de pesquisar sobre interpretações espirituais deste alinhamento, veja este texto. Outra coisa é que isso também é uma questão filosófica: quantas profecias têm cunho apenas simbólico? Quantos mitos, espirituais ou não, também têm cunho simbólico, embora muitos os interpretem de forma literal? Eu nunca tive interesse nas predições literais – sempre me ocuparam mais os “porquês” e “para quês”. Portanto, essas “matérias” sensacionalistas que se vê por aí sobre “o fim do mundo” – já até se perdeu a conta de quantos “fim de mundo” tivemos nas últimas duas décadas! – são apenas isso: sensacionalismo e se têm qualquer função positiva, é apenas nos fazer rir!

Carlos Botelho – Wikimedia – Reprodução

O outro evento significativo que temos nestes dias é o Equinócio da Primavera (Outono no Hemisfério Norte), marcado pela ingressão do Sol em Libra, na sexta-feira. A palavra equinócio vem do Latim “aequus”, igual e “nox”‚ noite e significa “noite igual”, que é quando o dia e a noite têm exatamente a mesma duração. É o momento em que o Sol, no seu caminho aparente ao redor da Terra, cruza o Equador Celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste) de um hemisfério para o outro. O Sol está voltando do seu “passeio” pelo Hemisfério Norte e cruza o equador em direção ao Sul. Ao longo do ano temos quatro datas marcantes, que sinalizam as mudanças das estações: os dois solstícios – por volta de 21 de junho e 21 de dezembro – e os dois equinócios, por volta de 21 de março e de 21 de setembro. Neste ano o equinócio ocorre no dia 23 de setembro. Esses dias especiais marcam uma mudança significativa na orientação da energia e da nossa atenção, ao longo do ano. No Equinócio de Outono, 21 de março, começamos o ano novo astrológico e a ação é voltada para a realização individual (Áries); no Solstício de Inverno, a ação é voltada para o estabelecimento de vínculos e de raízes (Câncer); no Equinócio da Primavera, a ação se volta para o equilíbrio com a alteridade, para o estabelecimento de relações om o outro (Libra); e, finalmente, no Solstício de Verão, 21 de dezembro, fechamos o último quarto do ano e a ação é voltada para nossa atuação no mundo e para os temas humanos universais (Capricórnio). Essa transição é sutil, mas muitos dizem que se abrem portais energéticos durantes estes períodos. Certamente, há modificações tão significativas no caminho do Sol, que elas mudam o clima, o tempo, e pontuam os ciclos de descanso e ação, morte e renascimento na Terra, simbolizados pelas estações.

Reprodução

Com o Sol ingressando em Libra, temos uma mudança na direção do nosso olhar e da manifestação da nossa energia: é o tempo de prestar mais atenção ao “outro” na nossa vida; de achar maior equilíbrio nas relações e parcerias; é tempo de harmonizar, equilibrar, conciliar, escolher. Enquanto trafegar Libra o Sol fará contatos tensos com Plutão em Capricórnio e com Urano em Áries, indicando a necessidade de nos posicionarmos com mais honestidade nas nossas escolhas, diante de nós mesmos e também do outro. Entretanto, ainda nesta semana o Sol faz quadratura a Quíron, ainda em Virgem, e também quincôncio a Urano, o que sugere alguns dias de suscetibilidades, estados melindrosos em que ficamos muito irritadiços e nos facilmente ofendidos, ou ofendemos a outros como defesa a ataques imaginários. É importante estar atentos e conscientes de que nos sentimos muito frágeis e inseguros e tendemos a ver como criticismos e julgamentos atitudes ou palavras que não tinham de fato intenção de ferir. Os dias mais delicados vão de segunda a quarta-feira.

Atonio Mora, artista espanhol – reprodução

Mercúrio sai da zona sombria de retrogradação na terça-feira, mas ainda precisa enfrentar Netuno numa oposição que dura a semana toda, acompanhado de Marte! Juntando isso com a oposição Sol-Quíron, temos dias de muita confusão mental, devaneios, dispersão, falta de rumo e muita insegurança e incerteza quanto aos nossos planos. As comunicações ficam contaminadas por coisas não ditas e não expressas diretamente, comprometendo os resultados dos acordos e até criando verdadeiros imbróglios espinhosos. É aconselhável aguardar antes de fazer negociações importantes, compras significativas, particularmente de eletro-eletrônicos e tecnologia em geral. Mercúrio faz também trígono a Plutão, mais para o fim da semana e ajuda a trazer mais centramento depois do alheamento simbolizado por Netuno – talvez Plutão nos ajude a fazer algo transformador com a imaginação estimulada por Netuno.

Reprodução

No caso de Marte, o aspecto a Netuno tem efeitos sobre nossa vontade e disposição, que ficam vacilantes e incertas, oscilantes e vagas. A propensão à preguiça, ao desinteresse ou desânimo ficam acentuados e isso prejudica o andamento dos processos, caso nos deixemos levar a esmo ao sabor das marés. Num tom mais positivo, esses aspectos a Netuno, tanto de Mercúrio quanto de Marte, são favoráveis para estimular a imaginação e para buscar soluções alternativas e mais holísticas, completamente diferentes do que é tradicional e aceitável no mundo dito “real”.

Brigite Bardot, que tem Vênus em virgem – Reprodução

Vênus dialoga harmoniosamente com Urano já no início da semana, simbolizando um período de inovar nas relações, de abrir-se às novidades e revitalizar o senso dos valores individuais que nos fazem mais interessantes para o parceiro. Vênus também passa pelo grau do eclipse Total do Sol do dia 21, implicando em surpresas e mais eventos inesperados – surpresas potencializadas por Urano. Nos próximos meses, até que ocorra um novo eclipse solar, todas vez que um planeta ou configuração estimular o grau 28 de Leão, teremos presente novamente os temas do eclipse de 21 de agosto. Vênus ingressa em Virgem na terça-feira e, de esfuziante e grandiosa, torna-se modesta e mais focada no trabalho e na autossuficiência. Em Virgem Vênus busca ser prestativa e útil, tendo grande habilidade artística e grande apreço pelos detalhes e coisas bem feitas e finamente acabadas. É criteriosa, reservada, autônoma, independente – a exemplo das deusas virgens, não depende de um parceiro para ser ou para se sentir inteira. Este posicionamento também costuma conferir um grande amor pelos animais, especialmente os domésticos e, algumas vezes, o engajamento nessa causa.

Reprodução

Finalmente, Júpiter faz quincôncio a Quíron, justo antes da oposição a Urano – que ocorre na semana que vem – e isso nos alerta para momentos de cinismo ou descrença, em que duvidamos daquilo que mais dava sentido aos nossos dias; ou talvez resolvamos ignorar completamente as dúvidas e incertezas e nos jogamos por inteiro, descartando avisos da voz interior a nos avisar que nosso enorme otimismo talvez seja injustificado, ignorando, inclusive, algumas fraquezas e assim, nos lançamos em algo sem estarmos inteiramente prontos, o que pode ser um problema lá na frente, já que podemos ter que parar no meio do caminho para lidar com os problemas que, irresponsavelmente, resolvemos desprezar. Outra possibilidade ainda é exagerarmos em muitas frentes, incluindo nos entregar aos excessos de comida ou bebida, para amortecer essas mesmas inseguranças, atitude que pode trazer problemas sérios para a saúde e nos alienar do nosso próprio corpo. Assim, é recomendável acolhermos quaisquer dúvidas, palpites e intuições durante estes dias, incluindo as apreensões desconfortáveis, mesmo que pareçam fora de propósito – elas poderão nos livrar de muitos problemas e embaraços!

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica, em Leão. Renova-se em virgem na quarta-feira e fecha o domingo em Escorpião, já na fase Semi-Crescente. No seu percurso celeste ela faz aspectos com todos os demais astros, simbolizando nossas mudanças de humores e as mudanças cotidianas aqui na Terra.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 18 de setembro – Vênus está em trígono exato a Urano. A Lua abriu o dia vazia em Leão, já na fase Balsâmica. Ingressou em Virgem à 01h53min onde faz conjunção a Marte e a Mercúrio. À noite a Lua se opõe a Netuno. O dia traz uma atmosfera industriosa e conscienciosa. Despertamos já muito conscientes dos afazeres e começamos as tarefas – incusive os rituais diários – sem delongas e já preocupados em agilizar as prioridades. Mas mesmo estando concentrados no trabalho e nos afazeres cotidianos, estamos abertos a novidades e até as buscamos, já que temos um desejo de esticar um pouco as perspectivas, escancarar as janelas da vida e da alma e sondar o que tem de diferente e extraordinário lá fora! Hoje queremos um pouco de “tempero” no nosso cotidiano imprevisível e assim, mesmo que haja alguns imprevistos, estamos mais flexíveis e curiosos sobre as surpresas que porventura eles possam trazer. Portanto, a tendência é que tenhamos um dia bastante produtivo e sujeito a surpresas agradáveis. Nas relações é tempo de inovar e também adicionar algum tempero excepcional na rotina a dois. À noite o clima muda bastante e atmosfera fica nostálgica; captamos influências confusas do ambiente que nos deixam um tanto vacilantes e sensíveis nos contatos – ao mesmo tempo em que sentimos um grande anseio por inclusão, por um abraço sem sim, sentimos receio de ser engolidos e nos perder de nós mesmos. Nossa ambivalência pode confundir o outro, por isso é bom que as encaremos para que as interações fiquem limpas e livres de contaminações.

Kevin Francis Gray – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 19 de setembro – O Sol Virginiano está em oposição exata a Quíron e Mercúrio em oposição a Netuno, exata na virada de terça para quarta. Enquanto isso a Lua faz trígono a Plutão e quadratura a Saturno. Vênus ingressa em Virgem às 22h16min. Se ontem estávamos dispostos e industriosos, hoje estamos duvidosos e cheios de incertezas, como se caíssemos num vácuo ou numa areia movediça, onde quanto mais nos movemos para sair, mais afundamos e sufocamos em inseguranças e auto-dúvidas que comprometem as interações e a nossa motivação de seguir em frente ou de realizar aquilo em que estamos envolvidos. Podemos também nos sentir expostos, sangrando, ou nos envolver em algum episódio embaraçoso, que nos envergonha e nos faz sentir ainda piores, criticados e julgados, sem chances de nos explicarmos – e pior, se tentamos nos explicar enveredamos por um caminho tortuoso em que cada palavra torna tudo um pouco mais vergonhoso ou mais emaranhado ainda. Talvez, nesta situação, seja melhor calar e deixar a confusão passar, porque em outro momento talvez nos sintamos mais aptos a nos defender de forma mais coerente e mais direta. Hoje só contamos mesmo com nossa própria força interior e a confiança em nós mesmos, portanto, mesmo nos sentindo meio por baixo e com nossas fraquezas expostas, precisamos ficar do nosso próprio lado, ter a coragem de tomar o nosso próprio partido, mesmo no caso de termos falhado – aí entra a compaixão por nós mesmos e a aceitação da nossa falibilidade, sem nos identificarmos com ela. Então, é necessário olhar para o pior, enfrentá-lo, para podemos chegar ao melhor de nós mesmos, com humildade, serenidade e sabedoria. Reconhecer as próprias falhas e buscar repará-las – e reparar o dano que porventura causemos a outros – não quer dizer nos arrastar e implorar a benevolência dos arrogantes, já que não somos os erros que cometemos – pelo menos, não somente! Em termos práticos o dia está bastante confuso e sujeito a muitos mal entendidos, portanto, é preciso cautela em todas as interações… todos estamos meio sucetíveis e melindroso, e é bom pegar leve antes de devolver aquilo que foi ouvido como “ofensa”. Na dúvida, é melhor ficar quieto e calado – quando mais falamos, mais nos complicamos!

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 20 de setembro – A Lua faz conjunção ao Sol a 27°27’ de Virgem às 02h30min, renovando-se e dando início a um novo ciclo lunar. Mercúrio, regente do Sol e da Lua, abre o dia ainda em oposição a Netuno exata a Netuno. A Lua fica vazia depois da conjunção ao Sol e ainda se opõe a Quíron e faz quincôncio a Urano, antes de ingressar em Libra, às 07h06min. O Sol faz quincôncio a Urano. O ciclo que temos pela frente vem bastante confuso: a Lua Nova ocorre em oposição a Quíron em Peixes e o regente de Virgem, Mercúrio está em oposição exata a Netuno. Esse posicionamentos embaralham nossa percepção e nossos critérios, se insistirmos em ver as coisas de forma linear, ortodoxa e cartesiana. Não vai funcionar! Em vez disso, precisamos olhar as situações, desafios, o mundo e a vida de forma mais holística, estando às percepções extra-sensoriais e principalmente, extra-intelectuais, porque o intelecto está embaçado e carecendo de lucidez. De modo geral o dia demanda essa cautela: devemos nos aproximar de tudo com espírito de curiosidade, sem determinar nada, sabendo que nada é o que parece, tudo está se modificando a cada movimento e cada dado novo que inserimos, modifica mais um pouco o objeto observado. A Lua Libriana busca equilíbrio e harmonia e hoje, para nos harmonizarmos, precisamos fluir e pegar leve, evitar decisões importantes, flertar com a indecisão, flertar com as várias possibilidades, sem nos comprometer – ainda – com nenhuma delas. No tempo certo, a resposta virá!

Yuumei on Deviantar – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 21 de setembro – De Libra a Lua faz quincôncio a Netuno e quadratura a Plutão, que também recebe a sesqui-quadratura de Vênus, já em Virgem. A Lua fecha a noite harmonizada com Saturno. Todas as oscilações recentes atingem um ponto de ebulição e e agora somos levados a enfrentar nossa imprecisão e hesitação. Mesmo sem querer, temos que fazer uma escolha, temos que nos posicionar: encarar nossa fome sem fim, nossa carência e desejo de paridade. Mas como ter paridade, se nos sentimos ainda inseguros, esburacados, faltando um pedaço que queremos que o outro preencha? Já entramos perdendo, não para o outro, mas para nós mesmos! Assim, o dia todo é um espelho que devolve para nós nossas projeções equivocadas, para que possamos pelo menos reconhecê-las e liberar o outro de seu peso. O equilíbrio, tão necessário, só virá quando confrontarmos as expectativas que temos em relação aos outros e em relação a nós mesmos – expectativas positivas e/ou negativas – quando conseguirmos ver esse outro – e a nós mesmos – com um realismo gentil, que abarca os defeitos, mas também abraça as virtudes e as reforça! À noite as crises tendem a se acalmar e a percepção da realidade pode ficar mais aguçada.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 22 de setembro – O Sol ingressa em Libra às 17h02min – 21h02min para Lisboa – marcando o Equinócio da Primavera no Hemisfério Sul e de Outono no Hemisfério Norte. Por seu turno, a Lua Libriana faz conjunção a Júpiter, quincôncio a Quíron e oposição a Urano, ficando fora de curso após este contato, às 10h06min. Ingressa em Escorpião às 14h40min. Mercúrio está em trígono pleno a Plutão e Júpiter vira a noite em quincôncio a Quíron. Um pouco de leveza não faz mal a ninguém e hoje temos um pouco de alegria, ânimo e otimismo para contrabalançar o peso e a confusão dos últimos dias. O dia começa dinâmico e animado. Estamos otimistas e de bom humor, interessados em buscar novos contatos, novas oportunidades ou simplesmente aproveitar o dia da melhor forma possível. Pelo meio da manhã surgem atritos porque há dissonâncias entre nossas demandas e expectativas em relação aos outros e aquilo que os outros querem para si mesmos; ou talvez esse dilema se manifeste internamente: queremos fazer nossas próprias coisas de forma livre e autônoma, mas nos sentimos presos ás obrigações sociais, àquilo que é esperado de nós, ou simplesmente ao desejo de ser aceitos e bem vistos no nosso meio. Qualquer que seja nossa escolha, aprendemos mais um pouco sobre nossas necessidades e dinâmicas emocionais a partir deste conflito. À tarde há tendência a uma maior introspecção e concentração das energias nas coisas que são realmente importantes, essenciais. Tarefas que vínhamos adiando por exigirem muita estamina e empenho agora se tornam muito atrativas e nos jogamos a elas com prazer, felizes de ter algo onde aplicar o desejo de cavar, de observar, de investigar os padrões e desdobramentos das coisas e situações. Assim, se a manhã estava leve e jovial, a tarde e anoite estão mais intensas, profundas e concentradas e nos convidam a investigar os mistérios que se apresentam no nosso caminho! A noite também está favorável para a intimidade afetiva e sexual.

Reprodução

SÁBADO, 23 de setembro – Júpiter em Libra está em quincôncio a Quíron em Peixes hoje. Este aspecto precede a última oposição de Júpiter a Urano, ocorrendo na semana que vem. A Lua Escorpiana faz sextil ao seu dispositor, Marte, trígono a Netuno e outro sextil a Plutão, seu regente moderno. A Lua ainda faz semi-quadratura e entra na fase Semi-Crescente. O dia também traz o alinhamento planetário encabeçado por Vênus, seguida por Marte, Mercúrio, Sol, Júpiter e Lua. O pano de fundo do dia é um desconforto generalizado que talvez não seja muito fácil de identificar, porque aparece como pontadas de dúvidas que teimamos em refutar e dispersar como se não fossem importantes, apenas porque não queremos lidar com elas realmente. Surgem desconfianças incômodas sobre nossos planos, nossa fé e projetos com os quais estamos empolgados. Se formos honestos, precisamos parar e olhar para tais dúvidas e levar a sério o que vêm nos alertar; caso decidamos por ignorá-las, podemos nos deparar com algo mais sério lá na frente. Por enquanto, ainda temos tempos de fazer correções. E precisamos conciliar nossos ideais de perfeição com as limitações da vida, em todas as suas formas e manifestações, inclusive quando se manifesta em nós mesmos. E só não olhamos para tais desconfortos se formos teimosos e se não quisermos mesmo, porque hoje temos a estamina emocional e a compaixão necessárias para um confronto benéfico e transformador conosco mesmos e com tais dúvidas e incoerências. Se desperdiçamos a chance, podemos nos arrepender depois. A Lua media a conversa dolorosa e difícil entre Marte e Netuno e pode nos trazer a percepção dos sacrifícios necessários que devem ser feitos com e por amor, em que altar devemos depositar nossa vontade, em nome de algo maior do que nós e nosso pequeno e sujo umbigo. É momento de deixar nascer o embrião do amor e da luz, incipiente, mas ainda assim, forte e vicejante, dentro de nós. Uma nova consciência, uma nova luz  que poderá nos redimir, se ousarmos nos abrir a ela, se lhes formos receptivos, se a reconhecermos dentro de nós e lhe permitirmos agir. Teremos coragem?

Reprodução

DOMINGO, 24 de setembro – Marte em Virgem está em oposição exata a Netuno em Peixes e também em sesqui-quadratura a Urano. A Lua Escorpiana se afina com Mercúrio em Virgem e se harmoniza também com Quíron em Peixes. A Lua fica fora de curso depois da conversa íntima com Mercúrio, às 04h33min e ingressa em Sagitário somente amanhã. Que dia complicadinho e tortuoso! Queremos liberdade, mas ela parece tão distante e aquém das nossas parcas forças, tão alquebradas, tão frouxas… Queremos nos rebelar, mas parece errado, um pecado e uma transgressão da qual não nos sentimos capazes, porque estamos com a moral combalida, a vontade por terra, o vigor deteriorado… quantas dúvidas a respeito de nossa força e poder, de nossa vontade e desejos… quantas incertezas quanto à validade e legitimidade dos nossos esforços… Para quem gosta de ser útil e prestativo, hoje tudo parece meio fútil e inócuo, se for visto apenas da perspectiva do aqui e agora, do momento presente. É necessário olhar além e ao invés de insistir, dar tempo a si mesmo de ter essas dúvidas, de parar para sondar a direção do coração e da imaginação… Para onde olha nossa alma, realmente? Talvez precisemos olhar primeiro para trás, para decisões e atitudes que se provaram equivocadas – ignorar que ocorreram não é a melhor das opções porque caímos na auto-ilusão! – fugir entorpecendo-se com o que quer que seja também só vai nos fazer sentir ainda mais desmoralizados depois. Então, sim, olhemos para trás, para nossos erros, manias de grandeza, lutas meramente egoicas, atitudes mesquinhas… Um exame honesto e minucioso se faz necessário, assim como adotar as ações que possam corrigir tais equívocos. Apenas depois de lidarmos com tais erros é que estaremos aptos para olhar o futuro com mais confiança, ombridade e honra, sentindo-nos capazes de nos levantar. As bravatas egoicas não têm lugar hoje, pelo contrário, é dia de ficar na sua e olhar com humildade as próprias inseguranças e enganos. E talvez tenhamos que fazer alguns sacrifícios: abrir mão de algo que o ego queria muito e que agora nos é tirado, porque não é do interesse do todo… Humildade para abrir mão disso sem raiva ou ressentimento também pode nos poupar de muitas dores e sofrimentos desnecessários.

Reprodução

Em termo práticos, o dia traz um desânimo debilitante, tanto em termos psicológicos quanto físicos. A energia e a vitalidade estão em baixa e fazemos bem em não nos envolvermos em atividades que demandem muita estamina. As interações também estão sujeitas a confusões e mal entendidos que podem minar a confiança mútua, portanto, empatia é essencial. É bom, inclusive, prestar atenção a negociações e transações com pessoas que não sejam de nossa inteira confiança – podemos cair no conto do vigário! É melhor tirarmos um tempo para nós mesmos e recuperarmos nossas energias e vigor de forma tranquila e discreta! Este trânsito favorece a criatividade, então, que trabalha com quaisquer atividades criativas e artísticas, ponha a mão na massa – com leveza e sem expectativas de grandes feitos!

Carlos Botelho – Wikimedia – Reprodução

A Semana Astrológica – Quando chega a primavera…

500 px com
500px.com – Reprodução

Semana de 21 a 27 de setembro

O Equinócio da Primavera (Equinócio de Outono no Hemisfério Norte), sinalizado pela ingressão do Sol em Libra, marca esta semana de forma especial, uma semana que traz ainda Plutão voltando ao movimento direto, Marte ingressando em Virgem e um Eclipse Total da Lua no domingo. Semana de movimento, dinamismo mas também bastante tensão, devido ao eclipse lunar e à T-Square Mutável Júpiter-Saturno-Netuno, que ganha o reforço de Marte em Virgem e ainda à outra T-Square Cardinal envolvendo Mercúrio retrógrado, Urano e Plutão.

Mercúrio segue retrógrado em Libra, em oposição a Urano e nesta semana, fazendo outra quadratura exata a Plutão. Em sincronia com isto, temos os trabalhadores dos Correios em greve, a Volkswagen envolvida em um escândalo espinhoso e ainda notícias a respeito do primeiro transplante de cabeça – que deve ocorrer somente em dois anos, mas que já ganha manchetes desde agora. Se tudo isso é simbolizado por Urano-Plutão pressionando Mercúrio? Não tenha dúvida! No caso da cirurgia de cabeça, também tem o dedo de Marte.

equipedemeioambiente
Reprodução

O Sol ingressa em Libra na madrugada da quarta-feira, marcando o Equinócio da Primavera e uma mudança perceptível na energia e na atmosfera ao nosso redor. Finda o inverno e o tempo de hibernação no Hemisfério Sul, tempo de sair da toca e do casulo e preparar o terreno para novos plantios. No Hemisfério Norte é o contrário: colheitas foram feitas e armazenadas e gradativamente se vai entrando em repouso cíclico, a descida de Peserfone ao Mundo inferior. Dia e noite são iguais, simbolizando um equilíbrio entre o claro e o escuro, positivo e negativo, mas aqui no Sul o Sol vai ganhando força e poder, rumando para o verão – no Norte, novamente, ocorre o contrário. O Equinócio da Primavera também é a Festa de Ostara no Calendário Pagão e na Roda do Ano, uma festa ao Deus da Fertilidade, que celebra o viço, a pujança e a fecundidade da Terra e da vida.

RUBENS_Vulcano
Vulcano, Deus da Forja Rubens – Reprodução

Depois de viver sua lenda pessoal e uma jornada mítica sui generis, Marte torna-se mais modesto e prosaico ao ingressar em Virgem, trazendo da experiência mítica Leonina a capacidade de colorir o cotidiano e o trabalho comum de visão, honra e coragem. Marte em Virgem é o resolvedor de problemas que não sossega enquanto não põe tudo no lugar, categorizando para que tudo fique mais organizado – logo Marte! Marte em Virgem também lembra o arquétipo de Hefesto ou Vulcano, o artesão manco, Deus da Forja, que fazia jóias finíssimas, marido traído de Vênus-Afrodite. Em Virgem Marte dá margem a irritação e raiva por causa de coisas pequenas e mesquinhas ou por coisas que não funcionem direito ou serviços de má qualidade, o que irá impulsioná-lo a melhorar a situação. Há irritação também com as imperfeições do dia a dia e com as próprias inadequações, que certamente serão sentidas de forma mais pesada porque logo ao entrar em Virgem, Marte se deparará com Saturno, entrando em conflito com ele por uma quadratura e engrossando o caldo da T-Square mutável que já está em andamento envolvendo a oposição Júpiter-Netuno, com Saturno de foco. Marte unirá forças a Júpiter, trazendo esse imbróglio, que antes vinha sendo sentido de forma mais coletiva, para um nível e uma esfera bem pessoais e individuais. As próximas semanas podem ficar coloridas com uma sensação de impotência e frustração, além de nos sentirmos meio perdidos e sem rumo.

Arcano 13
Arcano 13 do Tarô – A Morte Reprodução

Plutão volta ao movimento direto, trazendo novos conteúdos inconscientes para serem depurados e reciclados à luz da consciência. Novas transformações à vista, ou a continuidade daquilo que havia ficado em standby, talvez para nos dar algum tempo de digerir e de respirar antes dos próximos rounds. Interessante que a quadratura de Mercúrio a Plutão se dá no mesmo dia em que este fica direto. Muito lixo vindo à tona na mídia, muita coisa que havia sido suprimida do nosso entendimento até aqui pode pipocar agora feito fogos de artifício.

Vênus nesta semana faz quincunce a Quíron, indicando um bom momento de olharmos para nossa necessidade compulsiva de nos encaixar e de nos adequar aos valores e expectativas alheios, como forma de corroborar nosso senso de valor. Mas ao mesmo tempo, já no dia seguinte, Vênus faz um trígono a Urano, sugerindo que vejamos e iluminemos esse padrão de forma inusitada, que ao invés de nos sentirmos culpados ou incapazes de resolver tais dilemas, que os vejamos sob uma nova luz, que nos permita olhar para essas idiossincrasias como algo a ser abraçado e integrado e não como algo detrimental àquilo que somos.

 

adriana Yampey
Adriana Yampey – Reprodução

 

A Lua oficializa a fase do Primeiro Quarto em Sagitário na segunda-feira. Viaja vagarosa depois por Capricórnio e fica Corcunda em Aquário, na quinta-feira. Ganha velocidade e inunda-se de sensibilidade em Peixes e finalmente é Cheia no domingo, uma lunação que é também um Eclipse Total da Lua, visível em todo o Brasil, sinal de que o país será bastante impactado por este eclipse e seus significados.

sheba
Reprodução

A Lua completa o Primeiro Quarto na SEGUNDA-FEIRA, fazendo quadratura ao Sol Virginiano a partir de Sagitário, às 6h00min, sugerindo que tenhamos uma visão mais expansiva dos nossos projetos e não nos percamos nos detalhes e nas pequenezas que podem nos desestimular de continuar a jornada. A Lua fica vazia depois do contato com o Sol, entrando em Capricórnio às 09h32min, ficando próxima a um trígono a Júpiter à noite. Uma segundona que começa meio lenta e pedregosa, mas que logo ganha um ar produtivo e trabalhador, propiciando que comecemos a semana de forma resoluta, pragmática e bem disposta. Dia de focar no trabalho e nos resultados.

art.ekstrax com
Art.ekstrax.com – Reprodução

A TERÇA-FEIRA encontra a Lua em Capricórnio, em trígono a Júpiter e sextil a Netuno. Faz ainda conjunção a Plutão e quadraturas a Mercúrio Rx em Libra e a Urano em Áries, virando foco de uma T-Square Cardinal junto com Plutão, que tem por base a oposição Mercúrio Rx – Urano. Mais tarde a Lua faz sextil a Quíron e quincunce a Vênus, formando um Yod-Dedo de Deus, do qual Vênus é o foco, já que Vênus está hoje em quincunce exato a Quíron. A Lua fica vazia/fora de curso às 20h14min. Dia escaldante, sensação de frigideira. Dia de arregaçar as mangas, até para canalizar a indocilidade que se manifesta fumegante narinas afora. Mas se colocar tal energia no trabalho é uma forma criativa de não arrumar confusão, por outro lado, não pode ser mera fuga das próprias inseguranças, que precisam ser encaradas honestamente. Temos a oportunidade de olhar mais de perto, de forma mais profunda e honesta, aquelas situações em que cedemos, abrimos mão de nós mesmos e nos anulamos, em troca de nos sentirmos aceitos, aprovados e termos nosso senso de valor – nesse caso, bem capenga – reiterado pelo olhar do outro; e aceitamos obrigações que talvez não sejam nossas, para fazer justiça às expectativas alheias; ou carregamos uma culpa associada com o prazer e com o desejo de viver plenamente a própria individualidade. Somando tudo fica uma sensação de peso insuportável e de que há algo intrinsecamente errado conosco, sensação que acaba por prejudicar as relações, que já não são livres, com o nossa expectativa nefasta de sermos não aceitos e não amados caso não nos ajustemos ao que é esperado de nós.

dor (1)
Reprodução

A busca pela reiteração constante do próprio valor pode também nos levar ao extremo oposto, a comportamentos narcistas, consumo compulsivo de objetos caros que “temos que ter” e que talvez fiquem esquecidos tão logo cheguemos em casa; a uma superficialidade sintomática que busca fugir da dor incômoda da criança cuja alegria e espontaneidade foi desautorizada. Especialmente para as mulheres o dia pode ficar muito desconfortável, com uma profunda discrepância entre necessidades  e desejos e entre as várias facetas da expressão feminina; o que se sente e o que se expressa também estão em divergência e dizemos algo da forma errada, que talvez seja entendido com o sentido oposto – como se estivéssemos, inexplicavelmente com o pé na boca! De onde vem tudo isso? Talvez resquícios de assuntos mal resolvidos na infância; dúvida a respeito do próprio valor apreendida na relação parental; sensação de sermos julgados e criticados em nosso lado mais espontaneo e inocente…  E talvez a melhor forma de lidar com isso seja apenas observando a si mesmo, com honestidade,  de forma desapegada, aceitando e olhando com compaixão para esses traços e dificuldades, dando um lugar para isso no próprio coração, ao invés de atuar a ansiedade buscando freneticamente o olhar do outro. Deixar ser, deixar estar – aceitar a sensação de desajuste, às vezes, já é o próprio “ajuste” que precisa ser feito interiormente. Porque se estamos bem conosco mesmos já não dependemos de outros para nos sentir valorados e especiais e podemos então alcançar a serenidade, sinal da cura propiciada pela aceitação.

fashionising
Fashionising – Reprodução

O Sol ingressa em Libra, o terceiro signo cardinal do Zodíaco, na QUARTA-FEIRA, às 05h20min no horário de Brasília e às 08h20min no horário de Lisboa, indicando mudanças nos acontecimentos mundanos e coletivos e alterações importantes na energia que se manifesta. O Sol imediatamente se alinha com Saturno em Sagitário. A Lua, vazia em Capricórnio, faz uma sesqui-quadratura a Júpiter em Virgem e quincunce a Marte, ainda em Leão. Entra em Aquário somente às 14h52min, de onde se afina lindamente com o Sol Libriano e mais comedidamente com Saturno em Sagitário. Vênus em Leão está em trígono pleno a Urano em Áries. Mercúrio segue retrógrado, próximo da quadratura a Plutão. O dia fica mais leve em relação ao anterior. Estamos mais sociáveis e conseguimos alinhar nossas necessidades com os propósitos objetivos, além de também cumprir com deveres e obrigações de forma responsável e tranquila, sem resmungos ou reclamações. Especialmente porque sentimos este como um dia auspicioso, em que podemos implementar muitas reformas de maneira fluida e harmoniosa, sem precisar, necessariamente, quebrar tudo ao nosso redor. Estamos abertos ao novo e a ver o diferente como valor e não como problema ou empecilho e assim, temos a chance de transpor algumas barreiras empedernidas que causam divisão entre nosso desejo de liberdade e o desejo, igualmente legítimo, de formar parcerias. Assim, somos capazes de ter uma perspectiva mais original das relações, integrando esses impulsos tão díspares. Hoje o valor maior é a liberdade e a capacidade de vivê-la sem nos alienar do convívio afetivo com os outros.

maggie taylor
Maggie Taylor – Reprodução

A QUINTA-FEIRA se abre com a Lua em Aquário, em quincunce a Júpiter em Virgem. A Lua faz trígono a Mercúrio e ainda se afina com seu regente Urano, em Áries.  Fecha o dia em oposição quase exata a Vênus em Leão. Marte ingressa em Virgem às 23h17min – 02h17min da sexta-feira para Lisboa. Plutão estaciona a 12°58’ de Capricórnio. Dia bastante cerebral, em que temos uma visão bastante desapegada das coisas, colocando pouco investimento emocional nas situações, o que talvez seja sentido como frieza por alguns de nossos pares. Mas esse desapego é bastante benéfico no contexto em que nos encontramos, porque propicia uma objetividade que anda escassa, estando Mercúrio embrulhado com Urano-Plutão e ainda retrógrado.  Assim, temos a possibilidade de perceber nossas opiniões e pensamentos sem tanta paixão e sem nos identificarmos tão visceralmente com eles e assim não nos sentimos ofendidos quando outros divergem e contrariam nosso ponto de vista. Se quero ter liberdade de opinião e de expressão, preciso lembrar que o outro também tem o mesmo direito; se posso dizer “o que você pensa a meu respeito é problema seu”, o contrário também pode ser verdadeiro e isso coloca todo mundo em pé de igualdade, algo que está ótimo para Aquário. De qualquer forma, ainda precisamos ter atenção com o rumo de pensamentos obsessivos e talvez paranoicos.

vforvisual
Vforvisual – Reprodução

Mercúrio tem sua segunda quadratura a Plutão exata na primeira hora da SEXTA-FEIRA. Plutão, que volta ao movimento direto às 03h57min. A Lua Aquariana se opõe a Vênus, dona do dia e fica vazia logo depois, passando muitas horas fora de curso, da 01h03min até as 16h43min, quando finalmente ingressa em Peixes. De Peixes, ela faz quadratura a Saturno e oposição a Marte, formando uma T-Square Mutável praticamente exata, já que Marte está em quadratura plena a Saturno hoje. Mais tarde ela se funde a Netuno e se opõe a Júpiter em Virgem, tornando o dilúvio ainda mais copioso. A manhã de sexta fica meio parada, mas paradoxalmente, também inquieta, porque gostaríamos de estar ativos num momento que, sentimos, não é propício. Precisamos aguardar e talvez cause ansiedade, mas apenas se não soubermos nos alinhar com os ritmos orgânicos da vida. É bom usarmos esse tempo de repouso sabiamente – e mesmo quem trabalha pode tentar se programar para se envolver em atividades mais rotineiras, seguindo o cronograma – porque a tarde fica muito tensa, sujeita a tsunamis emocionais, tão logo a Lua ingressa em Peixes. Uma sensibilidade melindrosa nos deixa sensíveis ao criticismo e julgamento alheios. O mundo interno fica caótico e nos sentimos pressionados pelo que vemos como excesso de ordem e controle exteriores, que só aumentam a pressão, criando um círculo vicioso. Estamos inseguros e hiper-sensíveis, emoções à flor da pele e talvez nos sintamos vitimizados, devolvendo na mesma moeda, de forma rasteira, a ameaça direta ou indireta. Todavia, bancar a vítima ou mártir não é a melhor solução, tampouco se arvorar de “salvador da pátria” empurrando conselhos e orientações “bem intencionados”, mas não solicitados sobre os outros, algo que pode nos tornar muito chatos, invasivos e arrogantes. A saída é mesmo utilizar esse conflito e colocar a mão na massa de maneira criativa. Isso porque, a sensibilidade que nos deixa tão melindrosos também favorece a imaginação e a fantasia; da mesma forma que o detalhismo e criticismo que vemos nos outros, pode nos ajudar a ser mais eficientes e racionais na hora de colocarmos essa imaginação em prática. E se conseguirmos, a partir disso, acionar nosso melhor senso de disciplina, foco e seriedade, a imaginação, aliada à eficiência e apuro nos detalhes, podem ser colocados em ótimo uso na estruturação do mundo à nossa volta, do nosso trabalho e até mesmo de um melhor equilíbrio entre os sentimentos caóticos e nosso desejo legítimo por mais ordem e inteireza.  Para os baladeiros de plantão, é bom pegar leve na balada de sexta porque a Lua Pisciana potencializa os efeitos do álcool e de quaisquer outras drogas, Júpiter e Netuno nos fazem perder totalmente a noção dos limites, e quando nos damos conta, não há mais retorno, seja no consumo  de drogas ou nas bobagens que se disse e o resultado é confusão na certa, ou, no mínimo, uma baita ressaca física e moral. Essa receita é muito perigosa quando lembramos que Mercúrio está retrógrado, em oposição a Urano e que estamos às vésperas de um eclipse bastante tenso,  aumentando a propensão a acidentes e a coisas mal-ditas e mais mal-recebidas ainda.

inkedlabyrinth com
Inkedlabyrinth.com – Reprodução

O fim de semana chega com a Lua Pisciana totalmente imersa na fantasia de Netuno no SÁBADO, uma conjunção que tem seus efeitos ampliados pela oposição a Júpiter em Virgem e pelo envolvimento também de Marte e Saturno. A Lua ainda faz sextil a Plutão, já direto, em Capricórnio e fica vazia depois deste contato, às 13h32min. Faz conjunta a Quíron e quincunce a Vênus à noite. Sábado bastante complicado, confuso e cheio de mal-entendidos. A costumeira ida ao mecânico pode não ser uma boa ideia, pois confusos como estamos, não temos clareza nem para relatar os problemas, que dirá, averiguar se o trabalho foi bem feito. A ida ao mercado ou a busca de outros serviços também fica sujeita a muitos conflitos e alaridos, tudo porque há excesso de achismo, de sensações e sensibilidades, o que turva o julgamento e as decisões. Quem puder ficar quieto e canalizar esse turbilhão em alguma atividade criativa ganha mais.

eclipse tim lukerman
Tim Lukerman – Reprodução

O DOMINGO chega com a Lua vazia em Peixes, por quase todo o dia. Entra em Áries às 16h30min, ja fazendo quincunce ao seu regente Marte em Virgem e trígono a Saturno em Sagitário. A Lua é Cheia às 23h50min, no horário de Brasília e às 02h50min do dia 28 no horário de Lisboa, a 04°401 de Áries, quando acontece também um Eclipse Total Lunar, uma Lua de Sangue, que fecha a Tétrade de quatro Eclipses totais consecutivos, iniciada em 2014. O dia fica muito pachorrento, lerdo, irreal e nostálgico, favorecendo programas que não exijam muito nem do corpo nem da mente: um almoço leve, um filme sensível e delicado, uma soneca depois para nos embalar na modorra da tarde… Tudo muda no fim do dia com a energia Ariana extinguindo a névoa e a preguiça. À noite o eclipse propicia um espetáculo único e maravilhoso, visível em todo o Brasil, caso o céu esteja limpo. O eclipse será visível também em quase toda a América do Norte, parcialmente na costa oeste; no leste e centro da África; e Oeste da Europa. Este eclipse pertence à Série Saros 137, de acordo com a Nasa, uma família de eclipses bastante tensa, cujo mapa de nascimento (17 de dezembro de 1.564) traz uma Grande Cruz Mutável envolvendo Júpiter em Virgem, exatamente na posição em que está hoje (!!!), em oposição a Plutão em Peixes, os dois em quadratura a Netuno em Gêmeos e Urano em Sagitário. Algo muito parecido com o clima coletivo que temos atualmente – será coincidência? É claro que não! Este é também o segundo e último eclipse da segunda temporada de eclipses do ano – leia sobre o Eclipse Parcial do Sol do dia 13 de setembro aqui. E se quiser entender melhor o que são os eclipses, suas dinâmicas e significados, leia este artigo. Mais sobre o Eclipse total da Lua no domingo!

Linda semana para você e um feliz Equinócio da Primavera! Que a semana seja de tranquilidade e boas resoluções!

primavera-366574
Primavera – Reprodução