Arquivo da tag: espontaneidade

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Leão

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Leão – Brasília, 31 janeiro de 2018, 11h28min

A Lua cheia que acontece nesta quarta, dia 31 de janeiro, é também uma super Lua, uma Lua Azul, uma Lua de Sangue e ainda um Eclipse Total Lunar!! Estupendo!

A Lua atinge o apogeu do ciclo Capricorniano às 11h28min no horário de Brasília e às 13h28min no horário de Lisboa. Já o eclipse atinge o ponto máximo às 11h31min (13h31min para Lisboa). Este ciclo foi iniciado a 26°54′ de Capricórnio no dia 16 de janeiro, e seu ápice se dá a 11°37′ de Leão – com o Sol já em Aquário. No dia 15 de fevereiro temos outro eclipse ocorrendo, um Eclipse Parcial do Sol, a 27° de Aquário – sim, por isso que você está sentindo as coisas meios tensas e caóticas nos últimos dias!

Série Saros Lunar 124 – 17 de agosto de 1152, 00h06min

O eclipse pertence à Série Saros Lunar 124, uma série bastante tensa, que ativa inseguranças, inquietudes e também sugere debilidade física e vitalidade baixa, no plano concreto – vamos nos cuidar, heim, pessoal!

Para falar sobre os significados do eclipse de amanhã e da Série Saros, gravei este vídeo, “diretão”, sem pausa e sem edição!
Enjoy it!

E aqui uma complementação:

 

 

Lua Nova em Leão – Deixe a sua luz brilhar!

sol e lua11
Reprodução

A Lua é Nova hoje, a 21°31’ de Leão às 11h54min no horário de Brasília e 14h54min no horário de Lisboa. A Lua Nova ocorre em conjunção a Vênus retrógrada, em trígono a Urano em Áries e em quadratura ampla a Saturno em Escorpião.

Esta Lua Nova nos convida a renovar intenções e plantar novas sementes de autoconfiança, generosidade e espontaneidade; a deixar nosso espírito mais criativo brilhar, manifestando nossos melhores potenciais; a recuperar aqueles projetos criativos que estão engavetados há tanto tempo e talvez reformá-los e dar-lhes nova cara; tudo isso nascido da mais genuína alegria interior de ser quem somos, exatamente como somos, aceitando-nos e permitindo-nos ser saudavelmente orgulhosos do que somos, com todas as nossas contradições e idiossincrasias.

A conjunção a Vênus retrógrada vem nos falar diretamente da criatividade e dos nossos valores. Mas há muito equívocos ao redor da palavra “criatividade”. Geralmente só usamos a palavra criatividade para nos referir à arte, à música, ao artesanato, etc. Como se todas as outras atividades humanas não fossem criativas em si mesmas. Assim, o contador, o advogado, o administrador, o lojista e tantas outras profissões e ocupações são relegadas ao status de “comuns”, para não se dizer “chatas”… O que é uma grande inverdade. Criativo é ser nós mesmos, o que quer que isso signifique, qualquer que seja a profissão que desempenhemos. Permitir que nossa luz brilhe, onde estivermos. É possível ser criativo sendo contador, sendo advogado, sendo lojista, sendo artista, músico e também varredor de rua… Imprimindo nossa marca pessoal naquilo que fazemos, fazendo o que fazemos de uma forma única e completamente nossa. Fazendo a diferença, onde quer que estejamos, o que quer que façamos. Manifestando nosso mais elevados potenciais, quaisquer que sejam eles. Ser não-criativo é aceitar os papeis impostos sem questioná-los, é tentar viver a partir dos códigos e valores alheios, que não fazem sentido para nós, mas aos quais engulimos porque carregamos a ansiedade social de ser aceitos a qualquer custo. Ser não criativo é se mutilar para tentar se encaixar em grupos ou locais que na verdade abafam e tolhem nossos potenciais.

lua nova 1
Lua Nova em Leão – 14 de agosto de 2015, 11h54min, Brasília-DF

O trígono a Urano vem nos alertar contra isso também. Vem nos dizer para abrir mão do espirito de rebanho e para ousarmos nos assumir como somos, com nossos talentos únicos e também nossas esquisitices. A sermos originais, afinal, quem quer ser a cópia carbonada de outra pessoa? Para isso é necessário suportar algum isolamento, porque sempre haverá algum momento em que poderemos nos sentir um pouco alienados da grande massa e essa sensação de alienação é o preço que se paga por seguir a própria alma e o próprio coração; por viver de acordo com nossos próprios valores, que às vezes são muito diversos dos valores vigentes.

O Símbolo Sabiano para o grau 22 de Leão (21°31’) traz a seguinte imagem: “Um pombo-correio cumprindo sua missão”. Dane Rudhyar, ao interpretar este símbolo, nos diz que ele fala de “energias espirituais que são usadas construtivamente e que trazem mensagens de outras dimensões à consciência. As realizações individuais adquirem seu significado verdadeiro somente quando cumprem uma função coletiva (…) as energias elevadas se tornam efetivas e valorosas na medida em que servem a propósitos também elevados, porém concretos e definitivos – este é o ideal do servidor do mundo”. Mais claro que isso, não poderia ser. Considerando o signo oposto, Aquário, cuja Lua Cheia tivemos duas semanas atrás, somos lembrados de que não caminhos sozinhos, de que “nenhum homem é uma ilha”. Assim, o propósito maior de expressar essa tão poderosa criatividade que é nossa, é única e individual, é, de fato, colocar isso a serviço do coletivo, do melhoramento da humanidade. Porque se apenas me expresso para meu próprio deleite e vaidade, entro na sombra negativa do Leão, inseguro e faminto por aprovação e aplauso. O trígono a Urano vem enfatizar que essas “energias elevadas” sejam utilizadas em prol do todo, do coletivo.

A quadratura a Saturno, embora ampla, vem nos lembrar, novamente, que há responsabilidades a serem cumpridas. Que para manifestarmos esse potencial criativo, é preciso por o pé no chão, ter um cronograma, um plano e um método, ou então ficamos mesmo só na fantasia e sonhos de grandes glórias. Saturno também nos lembra que todos temos inseguranças quanto a nossos talentos, quanto a nosso valor e potencial… Mas geralmente são essas mesmas inseguranças que nos impulsionam na direção da realização, porque precisamos superá-las. Contudo, sendo Leão o signo da criança interior, precisamos nos lembrar de que, por mais que levemos tudo isso muito “a sério”, como requer Mestre Saturno, tudo isso ainda precisa ser visto como uma grande diversão, como uma grande e séria brincadeira, onde aprendemos a conhecer e a amar a nós mesmos, aos outros com quem interagimos e à própria brincadeira, por tudo o que ela nos revela a respeito de nós próprios, por nos fazer o que somos. Porque afinal, não é para isto que estamos aqui? Para aprender a amar, para ser feliz? Sim, fundamental é ser feliz, diz o poeta.

Nesta Lua Nova, busquemos então recuperar nossos potenciais mais criativos; deixemos nossa luz brilhar, em todas as suas cores! Ajamos pelas vias da alegria genuína que nasce do nosso mais inocente coração, o coração da criança que, lá no fundo, todos somos. Uma criança espontânea, amada e confiante! E brinquemos, espontaneamente!

Feliz Lua Nova para você!

leo playing
Reprodução

E para celebrar essa Lua Nova, que tal isso?