Arquivo da tag: Fertilidade

Lua Nova em Touro – Vibrando prosperidade

Reprodução

Chegamos à época do ano de nos sintonizarmos com a vibração da prosperidade e de focarmos na busca por realizar nossos objetivos materiais – não que isso não possa ser feito em outras épocas, ou até mesmo o ano inteiro, mas a energia de Touro faz com que nos demos conta do mundo material de maneira mais direta, potente, palpável. Sim, aqui estamos lidando com o mundo tangível, no mais tangível que se consegue ser, porque envolve todos os sentidos do corpo: ver, ouvir, cheirar, degustar e, claro, tocar!

Reprodução

O Zodíaco representa uma jornada arquetípica: primeiro temos o bebê, que da luta de vida ou morte representada pelo canal do parto, nasce em Áries, se esgoelando e berrando alto, para se fazer ouvir, para se fazer notar, como dizendo: eu cheguei! Quando esse bebê chega em Touro ele começa a perceber as sensações físicas mais nitidamente: ele descobre que além de matar sua fome, o leite da mamãe é saboroso, que ele gosta do seu cheiro, do toque da sua mão, gosta de ser tocado por ela; gosta do que vê na profundidade do seu olhar enquanto ela o amamenta; descobre o próprio corpo e começa a chupar os dedinhos e tudo o que pega vai para a boca – é a famosa fase oral. Nós nos descobrimos encarnados nesta vida através do corpo, que pode ser fonte de prazer, dor, vergonha, raiva… É no corpo que nos cristalizamos, esse corpo perecível, preenchido pela alma imortal, mas que sem ele, a alma não poderia estar vivendo essa experiência. Aqui estamos na esfera sagrada de Touro: a materialidade, sentida através das sensações.

Pois a Lua Nova desta quarta-feira, ocorreu exatamente em Touro, no grau 06°27’, às 09h16min no horário de Brasília – 13h16min no horário de Lisboa – e vem nos convidar a refletir sobre esses temas, mas não apenas refletir, porque com Touro nada é meramente intelectual, nada é só um conceito abstrato. Não. Refletir de forma ativa, concretizando, vivenciando, colocando a mão na massa – quaisquer que sejam nossos objetivos materiais no momento, de curto ou longo prazo! Lançar intenções com o firme propósito de concretizá-las.

Arcano III do Tarô Mitológico

Touro é o signo de exaltação da Lua, exatamente porque oferece a ela, o conforto, a segurança, a nutrição que ela tanto busca, seja essa nutrição e conforto físicos ou emocionais. A Lua aqui é a própria Imperatriz, Arcano 3 do Tarô: fértil, poderosa, empoderada. Ela tem e manifesta o poder da Mãe Terra, na sua mais extensa fecundidade. A Imperatriz, além de nos lembrar da fecundidade da Terra e da sua abundância, também nos lembra do prazer, da sensualidade e do mundo sensorial, da sexualidade que integra belamente as diferentes motivações do sexo, como poder de criação e como fonte de prazer. É uma mulher forte, poderosa, no seu próprio direito, ciente desse poder, de si mesma, de sua feminilidade e fecundidade. E seus dons estão disponíveis – mas, e nós, estamos abertos a recebê-los? A prosperidade é dada, mas nem sempre nos sentimentos merecedores, nem sempre nos sintonizamos com ela, por motivos vários: culpas, crenças, heranças e maldições familiares, ideologias… Assim, abundante é a vida, mas como usufruímos dessa abundância? A Lua Nova de Touro nos faz pensar sobre isso: no conforto e na abundância que merecemos e que construímos para nossa vida – ou que invejamos na vida dos outros! Abaixo analisamos as configurações ativas na Lua Nova, mas já adianto que Vênus está em quadratura a Saturno e conjunção a Quíron, simbolizando que a autoestima está um tanto combalida e que talvez tenhamos dificuldade em nos sentir merecedores das benesses do Universo, ou que teremos que nos esforçar mais para conquistar tais benesses.

No mapa desta lunação, Lua e sol estão isolados, evidenciando mais os temas de Touro. Temos para o ciclo que começa uma energia forte de obstinação, de pragmatismo, de bom senso, que vez por outra pode virar teimosia: focamos tanto no que queremos e buscamos, que vemos em túnel, alheios a tudo o mais que possa nos distrair. Se por um lado isso é ótimo porque favorece a determinação, por outro, leva a extremismos, teimosia, unilateralismos, em que nos recusamos a levar em conta outras opiniões e visões, mesmo quando nosso equivoco é evidente. Nesses casos, nos recusamos a dar o braço a torcer e a sensatez dá lugar ao capricho infantil e ao endurecimento da mente e do coração. Contudo, há muitos planetas em signos mutáveis, e isso talvez se equilibre razoavelmente. Os elementos também estão relativamente balanceados. Mas, uma vez que Lua e Sol não fazem aspectos a outros astros, precisamos olhar com atenção dobrada para Vênus, regente da Lua Nova. E Vênus, já sabemos, apesar de exaltada em Peixes, está se recuperando da sua recente retrogradação e dos aspectos a Saturno e a Quíron, também frescos na memória. Vênus está no último grau, do último signo do zodíaco, fora de curso, prestes a pular para Áries, mas ainda se demorando na incorporeidade de Peixes. Essa posição de Vênus sugere que a determinação, por mais obstinada que seja, possivelmente oscile, vem e vai, ora estamos totalmente empenhados, até de forma cega e ora não temos mais certeza do que realmente queremos, então, em lugar de suaves, ficamos “frouxos”, relapsos e inseguros.

Reprodução

O último grau de Peixes também nos diz que essa é uma Vênus desapegada, que está mais focada nas coisas “do outro mundo” e a materialidade talvez não lhe interesse tanto. Esse posicionamento de Vênus vem nos dizer que embora seja adequado focar nos projetos de estabilidade e segurança material, precisamos ter clareza de que eles não são um fim em si mesmo, de que não podemos nos definir a partir das aquisições e conquistas materiais – elas são consequências do trabalho interior que viemos empreendendo, mas não servem para nos definir. O conforto, o prazer, o dinheiro, a riqueza, tudo isso são meios que nos propiciam conforto e a possibilidade de focar na evolução espiritual de forma mais tranquila – é bem complicado você pensar em evolução espiritual de barriga vazia, morrendo de frio ou de sede, sem necessidades básicas atendidas ou com a vida ameaçada – aqui a questão premente é a sobrevivência e com isso não se discute. Quando já temos resolvidas essas questões básicas, podemos olhar para mais longe, para além. Portanto, Touro precisa lembrar de não se identificar com aquilo que possui, ou como diz a frase: “não há problema em possuir coisas, o problema é deixar que as coisas possuam você” (desconheço o autor). Vênus vem nos lembrar, mais do que nunca, que por mais empenhados que estejamos na realização material, isso não é o fim, o objetivo final e se assim o for, ou não conseguiremos realizar tais objetivos, ou, ainda que os realizemos, eles não nos trarão a satisfação e o gozo almejados. Positivamente, a Vênus Pisciana indica que a rusticidade simples de Touro é refinada muitas vezes pela doçura, suavidade e gentileza de Peixes. E ainda, algo está se modificando, algo está se transmutando e não sabemos como a próxima etapa se dará!

Reprodução

Júpiter está destacado, porque carrega o mapa como cabeça da locomotiva, a despeito de estar retrógrado, podemos ter otimismo, desde que não seja exagerado, que seja razoável e bem fundamentado, como requer Libra. Outra coisa importante é que Netuno está no Ponto Médio entre a Lua Nova e Plutão que, segundo Ebertin traz “hipersensibilidade, talentos psicométricos, sentimentalidade, depressão, falta de vontade”. O Sol e a Lua também estão no Ponto Médio entre Quíron e o Ascendente, o que traz uma consciência aguda do nosso lado manco, um desejo de perfeição malogrado, um sofrimento pelas limitações físicas e até a possibilidade de doença. Então, esses pontos médios aumentam a sensibilidade e a ênfase a Peixes e a Quíron e requerem coragem e serenidade para aceitarmos as imperfeições da corporeidade. Especialmente porque nesta semana, exatamente no domingo, Saturno faz sua segunda quadratura exata a Quíron, tornando mais potente essa consciência de nossas imperfeições – o fato de esse aspecto ficar exato durante o ciclo de Touro pode nos ajuda a ser práticos a respeito de tudo isso; touro é sensato e lida com as coisas de forma simples: elas são o que são, e pronto! E há certo momentos que isso ajuda, e muito!

Reprodução

Eu não costumo, salvo algumas exceções, trazer presente as questões políticas, primeiro porque não domino Mundial, segundo porque eu já faço textão, se for para falar de Mundial/política/sociedade, teria que fazer um texto à parte. Mas me chamou a atenção, considerando-se o momento político/social que estamos vivendo, o fato de esse mapa ter no Ascendente o signo de Gêmeos, o signo da conjunção Lua-Júpiter do Brasil, e o Asc cair em conjunção ampla a esses dois astros natais do Brasil. Outra coisa, Gêmeos é o signo do Fundo do céu no mapa do Brasil e isso vem ativar questões antigas, relativas ao nacionalismo e coisas do passado, ao senso de pertencimento a pátria. Marte também está isolado na casa 12 deste mapa, faz apenas uma sesqui-quadratura a Plutão na casa 8 e isso inspira cuidados, porque Marte na 12 geralmente fala da agressividade inconsciente, dos movimentos subversivos que crescem ocultamente e explodem violentamente – o aspecto a Plutão na 8 não ajuda muito. Mas Marte também ativa a conjunção Lua-Júpiter – precisamos cuidar para tudo não acabar em pizza de novo ou num ridículo festival de memes! Talvez isso não aconteça porque a Lua Nova cai em conjunção ao Saturno natal, na casa 3, e em oposição ao Marte natal em Escorpião na 9 – então, talvez tire esse Saturno do mutismo, vem acionar a frustração inerente à oposição Marte-Saturno, que depois de acordada, pode virar trampolim, mola de impulso para questionamentos das nossas convicções, crenças e leis. O eixo 3 – 9 tem a ver com conhecimento, comunicações e também com a formulação das leis – e olha só o que está acontecendo atualmente, as leis que estão tramitando e sendo votadas… E a Lua Nova ainda forma um Grande Trígono com Urano-Netuno em Capricórnio e com o Sol em Virgem – talvez consigamos superar nossa preguiça, nossa acomodação e tentar fazer algo efetivo para impedir que essas leis espúrias passem e sejam aprovadas – afinal de contas, masi do que nunca estão mexendo no nosso bolso, no nosso senso de valore e valores e isso é intolerável para Touro.  É interessante notar que temos nesse cenário, os indígenas também se mobilizando pela demarcação de suas terras – que coisa mais Taurina, não? A posse da terra, que lhes foi roubada desde que aqui o branco pisou! De qualquer maneira, a posição de Vênus, dispositora da Lua Nova, nos diz que muitas coisas estão prestes a mudar, radicalmente, como radical é a diferença entre Peixes e Áries. E Touro, sendo muito focado na estabilidade e na segurança, pode não gostar dessa incerteza, o que nos sugere um ciclo em que lidamos sim, com muitas incertezas e instabilidades

Reprodução

Concluindo, A Lua Nova de Touro indica o período do ano de lidarmos de forma mais direta com o mundo material, com nossos objetivos e metas financeiras e de nos afinarmos com a vibração da prosperidade e da fertilidade da vida! É um tempo propício para lançar novas sementes – inclusive literalmente – e intenções de construir algo concreto, algo que venha a repercutir positivamente no nosso senso de valor, de autoestima e que também nos coloque em contato mais profundo com o nosso corpo, com o conforto e o prazer que a vida pode proporcionar! E você, já sabe que sementes vai plantar? Que obra vai construir? Quais metas quer conquistar?

Um ótimo ciclo para você! Que seja produtivo e realmente próspero!

Reprodução

Lua Cheia em Touro 2013: Sinta a vida pulsar dentro de você!

The wave Paul Gauguin
The Wave, Paul Gauguin – Reprodução

2013 tem sido um ano particularmente intenso, em que muita água foi ativada fazendo-nos sentir de forma profunda, no núcleo da alma, o efeito de todas as mudanças por que passamos nestes tempos. Em abril e maio tivemos três eclipses que pesaram muito na atmosfera. Em julho e agosto o Grande Trígono em Água trouxe à baila sentimentos ancestrais quem nem sabíamos que tínhamos. E desde as últimas semanas de agosto as coisas foram se intensificando, levando-nos a vários pequenos e médios “clímaces” sempre que algum planeta transitava o primeiro decanato de Libra, formando uma Grande Cruz Cardinal com Júpiter em Câncer, Plutão em Capricórnio e Urano em Áries, exigindo decisão e ação. Recentemente tivemos um grande ápice com outra série de eclipses que ocorreram simultaneamente a Mercúrio retrógrado em Escorpião, colocando-nos em contato com nossos aspectos mais sombrios e desconhecidos e propiciando liberação de insights poderosos, mas nem sempre fáceis de assimilar. Nas duas últimas semanas, tivemos um eclipse total do Sol em Escorpião, seguido da conjunção do Sol com Saturno também em Escorpião, Júpiter entrando em retrogradação enquanto Netuno ficava direto, e tudo isso levou-nos à “noite escura da alma”, períodos de tristeza ou depressão profunda, um certo desespero, uma tensão angustiante, uma sensação de desastre iminente…  Tornamo-nos náufragos de tsunamis emocionais, de sentimentos engolfantes, e da sensação de estar perdido em algum lugar escuro sem encontrar a saída… E a pergunta: o que fazer com tudo isso, esses sentimentos tão densos e fortes, a claustrofobia, a angústia, a tensão, a solidão? A resposta é: Ancoragem! E como conseguimos “ancoragem”? Com uma boa dose de terra.

SuperMoon2012-poster
Reprodução

Mas além de uma ancoragem providencial, também está mais que na hora de uma boa trégua! E ela vem, na forma de uma telúrica, sensual e sensorial Lua Cheia em Touro (domingo, 17 de novembro, 12:15, horário brasileiro de verão, Brasília).

Essa Lua Cheia tão telúrica vem nos oferecer a oportunidade de ancorar e enraizar os sentimentos e emoções vertiginosos, cáusticos, sombrios, densos, profundos, abissais que nos assolaram nas últimas semanas. E tudo isso de forma simples, como é do gosto de Touro.

A energia de Escorpião, ativada de forma grandiosa recentemente, destruiu muitas formas de vida e de relacionamentos, cujo fim, mais que necessário, vínhamos postergando já há tempos. As águas sombrias de Escorpião levaram embora também soluções que já não solucionavam, saídas que levavam a lugar nenhum, modelos ultrapassados de lidar com as coisas, mas em cujo uso continuávamos insistindo. Muitas mortes foram experimentadas pelas vibrações de Escorpião, levando embora o velho, reduzindo o antigo a escombros e cinzas. A sensação de ficar sem porto, à deriva não podia ser evitada. Nem devia, pois sentir-se à deriva às vezes é preciso, para percebermos de novo o sentido da humildade e da fragilidade humanas – às vezes, quando nos sentimos mais vulneráveis, é quando nos sentimos mais humanos. E ainda porque  momentos de caos também podem ser profundamente ricos e libertadores, embora não venham sem doses colossais de ansiedade.

Agora, temos essa Lua benéfica e terrosa, dando-nos a exata dimensão de tudo pelo que passamos.

photobox2
Reprodução da fanpage Photobox

A Lua é cheia em Touro, onde está exaltada, simbolizando que em Touro ela se sente segura, confortável, enraizada, com suas necessidades bem atendidas. Touro é o primeiro signo de Terra, o signo dos prazeres simples da vida, da natureza em exuberância, da vida instintiva do corpo; seu regente, Vênus, está em Capricórnio, o último signo de Terra, da estruturação das coisas, da disciplina, da perseverança e do trabalho masterizado com o tempo; o Sol está em Escorpião, signo de Água, mas seus dois regentes, Marte e Plutão encontram-se também em Terra. Terra Firme. Marte está em Virgem, trabalhando de forma diligente e devotada e em bom aspecto com a Lua Cheia. Plutão, por sua vez está também em Capricórnio, unido a Vênus, aumentando-lhe o poder e a intensidade de seus desejos e os dois fazem contato com a Lua, enfatizando a sensação de ancoragem. Por tudo isso, não podíamos ter melhores condições de finalmente aterrar e colocar em bom uso – seja prático e manifesto no mundo ou palpável apenas em nossa vida interior – todas as reflexões, elucubrações, solilóquios e tudo o mais que descobrimos a respeito de nós mesmos e daqueles ao nosso redor nos mergulhos de alma empreendidos por estes dias.

Lua-Cheia
Reprodução a partir de Google Imagens

A Lua fertilizada e redondamente grávida em Touro, penetrada e fertilizada pelo Sol de Escorpião no eclipse do dia 3, vem ainda nos perguntar de que valores e anseios estamos grávidos. Ela vem coroar a seleção e ponderação dos valores que estivemos burilando e lapidando dentro de nós, expurgando uns, admitindo outros, reiterando outros ainda… Para logo depois trazer à luz o diamante lapidado na nigredo das últimas semanas.

A ausência de Ar no céu atual vem sugerir que é momento de sentir, com o corpo (muitos planetas em Terra) e com o coração (muitos planetas em Água) e não de racionalizar ou perder-se em elucubrações intermináveis, viciantes e vazias. O único planeta em Fogo, Urano, sugere que fiquemos mais que atentos aos rompantes de inspiração intuitiva para a melhor forma de viver e manifestar toda essa fertilidade telúrica – esses rompantes podem ser raros, mas eles vêm, inequivocamente, abruptamente, estrepitosamente!

Mas antes de entrarmos em êxtase completo bebendo dos benefícios desta Lua, é preciso lembrar que há dois “poréns”. Primeiro, esta Lua Cheia ocorre em conjunção com a estrela fixa Algol, uma estrela de má fama, cujo codinome é “cabeça da Medusa”. Sentiu o drama? Pois é, essa estrela é associada com perigos diversos – inclusive de decapitação, na sua interpretação medieval (ai! ai!) –  e com extremos, mas também com riquezas. O outro porém é que Vênus, regente desta lua cheia, está “fora dos limites” em declinação, um termo que significa que em latitude, ela está além dos limites percorridos pelo Sol, que é de 23°28’’ no seu caminho anual, ou seja, ela está fora do alcance da palavra de ordem do “Rei” Sol, não há ninguém pra lhe dizer o que é certo ou errado, o que deve ou não fazer, como se comportar etc… Então, pegando a conjunção com Algol “de extremos” e Vênus em Capricórnio “sem limites”, diríamos que é preciso cuidar para não ir longe demais no materialismo e na sede de acumulação, e achar que a única satisfação possível vem do “ter” ou do dar vazão irrestrita aos instintos –  dois dos maiores pecados do Touro. Se estivermos cientes desses riscos e conseguirmos driblar o olhar paralisante da Medusa, emocionalmente faminta e querendo sempre mais, estaremos seguros.

vida apos a vida blog
Reprodução a partir de Google Imagens

Tomados esses cuidados, meus amados, não tenham dúvidas: é tempo de ter mais satisfação, mais alegria, mais prazer! Saiamos, pois, aos campos, saudemos a vida que viceja luxuriante! Saudemos a Lua grávida no céu! Celebremos e festejemos a frutificação de nossos anseios, de nossos desejos e de nossa rica semeadura interior. Reconstruamos o que foi destruído ao nosso redor ou em nossa alma, com mais afeto, com mais amor, com mais verdade. Sintamos nossos pés firmes no chão fecundo dos sonhos semeados, umedecidos e mais ainda fertilizados pelas Águas copiosas do sofrimento inevitável, mas humanizador. Sintamos que somos um com esse planeta Terra, tão explorado e também tão carente de nossa atenção gentil e cuidadosa. Sintamos a Natureza, a nossa natureza interior e aquela que permeia toda a vida que pulsa neste planeta… Busquemos a satisfação essencial do ser e não as ilusões efêmeras e descartáveis.

Alexandr Sulimov
Alexandr Sulimov – Reprodução da fanpage Open Art Group

Mais do que nunca é tempo de celebrar a vida que resistiu aos temporais, aos furacões e aos tsunamis. É tempo de celebrar o corpo, a Terra, os prazeres simples, como sugerido pelo esplendor da Lua Cheia em Touro… Então, sinta o cheiro pungente da vida ao seu redor, saboreie-a como se ela fosse uma fruta madura e suculenta; ouça o sibilar cantante dos ventos, o borbulhar das águas das fontes  e os ruídos misteriosos e constantes do seu coração, em uníssono com o pulsar do coração do planeta; acaricie a aspereza das pedras e a maciez delicada da pele felina, percorra com suas mãos a riqueza das texturas infindáveis que nos fazem perceber os corpos dentro dos quais a vida lateja; olhe! Veja! Permita que a riqueza colorida do mundo, em seus infinitos tons e nuances inunde a sua alma de cores, sensações e mensagens jubilosas de arco-íris! Apenas olhe, sem julgar, sem comprar, sem atuar. Sinta-se grávido de vida! E sinta! Apenas SINTA! Sinta suavemente, intensamente, languidamente, calidamente, silenciosamente, ruidosamente, inteiramente… Mas sinta! Sinta a vida fluir através de você! Sinta a vida pulsar em você!

Sinta-se!

pphotobox
Reprodução da fanpage Photobox

Para aproveitar melhor as energias alvissareiras e telúricas desta Lua cheia, neste domingo e pelos próximos dias, tente fazer algumas dessas atividades, se você achar que o porão em maior contato consigo mesmo:

1 Procure estar em contato com a natureza;

2 Faça exercícios de aterramento e troque as energias sombrias experimentadas nos últimos dias pela regeneração propiciada pela Terra. Faça isso com amor e reverência e agradeça à Mãe Terra pela troca energética.

3 Tome banho de cachoeira;

4 Coma comidas simples, se possível orgânicas;

5 Deleite-se com os prazeres de uma boa massagem;

6 Mime-se com um bom perfume;

7 Dance com o corpo e com a alma;

8 Encarne verdadeiramente no seu corpo, esteja em sintonia com ele e perceba o que ele pede;

9 Admire e enamore-se da Lua

10 Busque a satisfação essencial e verdadeira!

11 Sinta seus sentidos. SINTA-SE!

12 Seja Feliz!

pphhotobox
Reprodução da fanpage Photobox