Arquivo da tag: Leão

Lua Nova e Eclipse Total do Sol em Leão – A soma de todos os medos?

Reprodução

O eclipse que acontece neste dia 21 de agosto está causando muito frisson e rebuliço nas comunidades astrológica e astronômica, por vários motivos. O frisson na comunidade astronômica é devido ao fato de o eclipse ser totalmente visível nos Estados Unidos, sendo o primeiro eclipse total visível em 99 anos naquele país (tanto que já se diz que vai ser o pedido de férias e folga mais popular na história). Já para os astrólogos, o alvoroço se dá, principalmente, porque o eclipse cai em conjunção ao Marte e ao ASC do presidente americano, Donald Trump, um presidente que, todos sabem, é bastante controverso, para dizer pouco. Os sensacionalistas de plantão já prenunciam o fim do mundo (de novo)!

Reprodução

Sabemos que estamos vivendo tempos nervosos e tensos na política e economia mundiais e, desde que o presidente Trump assumiu, o conflito com a Coreia do Norte tem escalado a níveis realmente perigosos, a ponto de a Coreia ameaçar dizendo que uma guerra termonuclear poderia começar a qualquer momento – e ali, sabemos, os dois presidentes são duas crianças grandes competindo para ver quem tem o carrinho maior – “só Jesus na causa!”. Tudo isso faz com que se instale o medo e o pânico e a ocorrência de um eclipse adiciona tensão e deixa a todos alarmados. Além disso, vivemos num contexto de terrorismo e de colapsos ambientais. Ninguém é ingênuo e todos sabemos que os riscos são altos, mas o que podemos fazer? O que o eclipse prenuncia? Embora eclipses muitas vezes tragam augúrios de desastres e cataclismos, além de prenúncios de conflitos, não vale a pena espalharmos pânico e o pior que podemos fazer é entrar na vibração do medo. Vamos ver, então, do que trata este eclipse? (Para entender a dinâmica e significados gerais de eclipses, leia este artigo).

Galeria do Meteorito – http://www.galeriadometeorito.com/2017/08/horarios-do-eclipse-solar-21-agosto-2017-no-brasil.html – Reprodução

Primeiro vamos à visibilidade e aos dados técnicos. O eclipse será visível em todos os Estados Unidos, numa linha que corta o país de Oeste a Leste, na região central do país, na América Central e Norte da América do Sul. O eclipse também será visível parcialmente no Brasil e ao lado você tem uma tabela com as cidades e horários em que será visível (tirado do site Galeria do Meteorito) (1). A Lua Nova ocorre às 15h30 min no horário de Brasília e às 18h30min no horário de Lisboa. Já o eclipse tem seu pico às 15h26min (18h26min para Lisboa).

Fonte: Nasa

Segundo, vamos falar da Série Saros 145, à qual pertence o eclipse do dia 21. Este eclipse é o membro 22, de uma família de 77 eclipses. A série nasceu em 04 de janeiro de 1639, às 04h56min, no Polo Norte e se desloca em direção ao Sul. Todos os eclipses ocorrem no Nodo Norte, sugerindo que esta família trabalha a tomada de consciência, a sintonização com nossos propósitos maiores e com o dharma. O último eclipse da série ocorre no Polo Sul, em 18 de abril do ano 3009, portanto, a série dura 1.370 anos (2).

Série Saros 145 – 04/01/1639 – Polo Norte – Aqui o mapa está levantado para Brasília.

No mapa natal da série 145 vemos Lua e Sol estão a 13 de Capricórnio; Vênus está totalmente sem aspectos e Urano está também virtualmente sem aspectos, fazendo apenas um quincôncio a Plutão; há uma conjunção Júpiter-Netuno em Escorpião oposição a Plutão em Touro e Júpiter está no Ponto Médio exato entre Urano e o Nodo Norte – e Plutão oposto a este ponto; Vênus está no Ponto Médio entre Júpiter e Saturno; Marte quadra o Ponto Médio entre a Lua Nova e Netuno. Além disso, Saturno está em quadratura a Quíron, tal como o trânsito atual entre os dois, com a diferença de que essa quadratura na Série 145 é fixa. Bernadette Brady (3), astróloga pesquisadora de eclipses, fala o seguinte sobre esta série: “Eventos inesperados envolvendo amigos ou grupos coloca uma grande pressão nas relações pessoais. Essas questões relacionais podem avultar-se se o eclipse afetar o mapa individual. O indivíduo será sábio se não tomar decisões precipitadas, uma vez que as informações podem ser distorcidas ou possivelmente falsas. O eclipse também tem uma qualidade de cansaço ou problemas de saúde atrelados a ele”.

Adam Martinakis – reprodução

Então, vemos que Urano tem papel de destaque nessa série, o que faz com que ela seja carregada de imprevisibilidade e uma qualidade bastante caótica, adicionando à sensação de descontrole normalmente associada aos eclipses em geral . As relações também são fortemente impactadas, já que Vênus está sem aspectos e ainda é Ponto Médio entre Júpiter e Saturno, um aspecto que sugere falta de estabilidade e durabilidade nas relações e mudança de sorte no amor. E somando tudo isso ao que Brady diz, vemos que em termos individuais, esta família de eclipses tem grande impacto sobre as relações pessoais, um impacto geralmente negativo, devido à pressão que gera.

Lua Nova e Eclipse Solar em Leão – Brasília, 21 de agosto de 2017, 15h30min

Já o mapa do eclipse atual traz a conjunção Sol-Lua a 28°52’ de Leão, em ampla conjunção a Marte, que está no grau 20. O Sol, que é o regente de Leão, está sendo eclipsado. Isso sugere um momento em que a consciência fica turvada e encoberta pelos sentimentos e emoções (Lua), levando a alguns descontroles e situações caóticas. Como o Sol também representa lideranças, reis e presidentes, esse é também um período delicado para lideranças e autoridades em geral, especialmente se tais indivíduos têm planetas ou ângulos aspectados pelo eclipse – pessoas com ângulos e planetas nos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) são mais afetadas. Mas esse momento de escuridão também propicia entrarmos em contato mais íntimo e profundo com a alma, exatamente porque o ego e a consciência estão eclipsados. E, na escuridão profunda da alma, podemos encontrar a luz interior, a luz pulsante e fulgurante do coração (Leão), que poderá iluminar as sombras que nos amedrontam, que poderá iluminar nossos conteúdos misteriosos e obscuros, para integrarmos mais um pouco desse lado inconsciente. Claro, para isso, precisamos estar centrados e inteiros em nós mesmos, para não espiralarmos no caos vibratório coletivo – lembre-se que a consciência está em apagão!

Reprodução

Leão é um signo de liderança, realeza, de coragem e de realização dos nossos potenciais criativos; é um signo de viver os valores do coração, de forma íntegra, honrada, nobre! É também o signo de viver a alegria plena. A Lua Nova sinaliza um tempo de semeaduras, de plantar novos projetos e ações e quando se trata de um eclipse, essa Lua Nova fica mais potente. Kelly Surtees (4), astróloga australiana, aponta que Marte conjunto a essa Lua Nova sinaliza um momento de entrar em ação e começar novos projetos naquela área de vida representada pela casa em que o eclipse cai no mapa natal, começar e avançar, derrubando barreiras antigas, que antes nos bloqueavam. A conjunção a Marte, ela lembra, indica um momento de sermos corajosos, ousados, destemidos. Marte em Leão é nobre e honrado, corajoso e vigoroso e nos incita e enche de uma nova energia para ir atrás de concretizar nossos propósitos mais nobres.

Reprodução

Como já mencionado acima, um dado muito importante é que os eclipses desta série ocorrem em conjunção ao Nodo Norte (o eclipse lunar do dia 07/08 aconteceu conjunto ao Nodo Sul), e com este não é diferente e isso grita alto para deixarmos o passado para trás, para rompermos com o comodismo, com aquilo que nos segura e avançarmos na direção dos nossos propósitos maiores. Outra coisa, o Nodo Norte está no Ponto Médio exato entre a Lua Nova e Marte e, somado ao fato de a Lua estar conjunta a Marte, vemos que é mesmo um momento de avanço. Ebertin (5) fala sobre esse Ponto Médio “cooperação vigorosa e energética com outras pessoas; uma associação de mulheres, uma organização que consiste apenas de membros femininos” – considerando-se que eclipses solares favorecem muito ao feminino, este dado acima potencializa esses auspícios.

Reprodução

Outro dado notável é o Grande Trígono em Fogo (na verdade, três) formado por Marte-Lua-Sol em Leão, em trígono a Urano em Áries e a Saturno em Sagitário. Grande Trígono que vira uma Pipa, já que os planetas em Leão e Saturno estão também em sextil a Júpiter. Essa configuração traz a promessa de um diálogo, de uma colaboração entre o velho e o novo, entre a estabilidade e o progresso; e tais possibilidades são trazidas para o âmbito pessoal, porque temos não só Sol e Lua, mas também Marte, o planeta da ação envolvidos. Esse Grande Trígono traz esperança e acena com a construção de uma ponte que liga o passado ao futuro de forma harmoniosa. Agora, Grandes Trígonos são preguiçosos. Representam potenciais latentes, que precisam de atitude para serem manifestados e como é Júpiter o foco da Pipa, isso requer mais atenção, porque Júpiter é um planeta benéfico, mas um tanto bonachão e também indolente – se bem que a oposição a Urano faz ele se mexer, e muito! O fato é que há muitas possibilidades e oportunidades em aberto, mas elas não serão dadas assim, de graça – será necessário algum esforço para conseguirmos aproveitá-las. em tempo: Grandes Trígonos têm uma energia ambivalente em tempos de tensão. Eles permitem que a energia flua livremente, sem empecilhos e isso é crítico em cenários de conflitos ou desastres – mais um motivo para elevarmos nossa vibração!

Reprodução

E não se engane! Há muitas tensões também! Começando pela T-Square Cardinal formada pela oposição Vênus-Plutão, que desemboca em Júpiter. Em termos mundiais, essa T-Square fala de ameaças à diplomacia, já que Vênus é o planeta da conciliação e dos acordos e aqui está bastante belicosa, atrás do Sol, oposta ao Deus dos Infernos, Plutão e quadrando Júpiter, que aumenta e exagera tudo, seja o bom ou o ruim.No plano individual, essa posição de Vênus ratifica o tema da Série Saros 145, que coloca pressão nas relações pessoais – sim, tem bastante pressão neste mapa! Vênus também é foco de outra T-Square, que nasce da oposição entre Júpiter e Urano, dois planetas simbolizadores da liberdade e do progresso – Vênus em Câncer é apegada ao passado e aqui ela está encurralada e vai ter que deixar o passado para trás, preservar as boas memórias, mas mover-se para a frente!

O eclipse também ocorre em quadratura exata ao Plutão do mapa natal da Série 145, e Plutão em trânsito atual está em conjunção ampla à Lua Nova da SS 145. Com isso, temos acionado o o tema das transformações profundas na sombra coletiva, especificamente, na esfera da matéria, do dinheiro, dos bancos, assuntos relacionados a Touro e a Leão. Portanto, pode haver impactos importantes na economia mundial, no sistemas bancários e nas plutocracias.

Mercúrio estacionário em 05 de setembro de 2017, a 28°25′ de Leão

Algo que não podemos esquecer é que Mercúrio está retrógrado, assim como Saturno, Urano, Quíron, Netuno e Plutão. Carol Rushman, astróloga americana (6), afirma que quando um eclipse ocorre em períodos de Mercúrio retrógrado,  seus efeitos podem ser “retardados”, atrasados. O fato de os demais planetas estarem retrógrados também salientam a necessidade de tecermos reflexões profundos antes de fazermos as mudanças e alterações que precisamos fazer. É preciso revisitar o passado e nos certificarmos de tudo o que deve ficar lá, para não haver arrependimentos posteriores – a Lua Balsâmica em Câncer nos dias anteriores favorece bastante essa revisita! Mas daí, Mercúrio volta ao movimento direto no dia cinco de setembro! Em que grau? A 28° de Leão, o mesmo grau do eclipse! Ou seja, quando Mercúrio estacionar no dia cinco, ainda veremos muito rebuliço mundo afora e muitas das “promessas” do eclipse que tinham ficado retardadas, podem então se manifestar!

Mapa de dentro: EUA – mapa de fora: coreia do Norte

O eclipse, como já dito, faz conjunção ao Marte e ao ASC natais do presidente dos EUA; mas não somente! Cai também em oposição (felizmente ampla) a Marte no mapa de Kim Jong Un, presidente da Coreia do Norte; em conjunção ao Saturno natal da Coreia do Norte e em oposição à Lua dos EUA – quer dizer, a tensão fica estratosférica – interessante notar que a Lua natal dos EUA está oposta ao Saturno natal da Coreia, e o Sol da Coreia em quadratura ao Marte dos EUA – não poderiam mesmo ser relações fáceis! Mas isso quer dizer guerra? Não dá para afirmar. O risco existe e é grande, mas com Urano presente, qualquer coisa pode acontecer! Eclipses também são famosos por simbolizarem cataclismos  naturais e nós sabemos o quanto temos abusado da Mãe Terra, que volta e meia se revolta e, independentemente da influência humana na Terra, cataclismos sempre existiram e sempre vão existir! Aqui entra a vibração individual de cada um de nós e a nossa responsabilidade pela atmosfera que criamos e ajudamos a proliferar! De que ajuda pode ser alguém que está em pânico? Nenhuma! De novo: não vamos entrar no medo!

Reprodução

Primeiro, uma coisa que você precisa saber é que um eclipse não afeta a todos da mesma maneira. Ele simboliza mudanças e impacto maior na vida de indivíduos cujos mapas são aspectados por ele, leia-se, quando o eclipse faz aspectos a planetas pessoais, Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte e os ângulos, Ascendente, Meio do Céu, Descendente e Fundo do Céu. Essas pessoas são mais afetadas. Como? Depende do tipo de aspecto e da natureza do planeta, além da casa em que o eclipse cai (ao final veja uma descrição breve sobre o significado das casas e planetas) e as casas regidas pelo planeta aspectado. As outras pessoas cujos mapas não recebem aspectos do eclipse podem ser afetadas de modo mais indireto, dentro dos assuntos da casa em que o eclipse ocorre. E como lidar com o medo e esse estado nefasto de apreensão? Eu conversava sobre isso com uma colega e amiga, com quem costumo trocar ideias astrológicas, Sheba Remy e ela me lembrava de algo crucial: a melhor maneira de lidar com o medo é fitá-lo na cara, olhá-lo no fundo do olho, ou seja, encarar o medo, visualizar o pior dos cenários que o seu medo cria. Como você reagiria se o seu pior medo se realizasse? O que você poderia fazer? Há realmente algo que você poderia fazer? Como seria dali em diante? Olhe para isso, não fuja, não finja que não tem medo; olhe para ele, enfrente-o! O que poderia evitar que isso se realizasse? Está a seu alcance, sob seu controle? Então faça! Não está sob seu controle? Então, relaxe! Se não há nada que você possa fazer, por que ficar em desespero? O que tiver que acontecer, vai acontecer, independentemente da nossa vontade ou do que fizermos; o que fará diferença é nosso centramento interior – ou a falta dele. Olhe o medo no olho e prometa a si mesmo que não vai deixar que ele lhe consuma! Remy me dizia: “é parte da nossa conjuntura social e cultural fazer barganhas, se tivermos medo o bastante, se conspirarmos o suficiente com os pensamentos e vibrações mais baixas, então, talvez consigamos evitar o que está por vir”. O que é um ledo engano, porque o que tiver que ser, será, mas “se estivermos comprometidos energeticamente ou de outras maneiras por termos nos entregado demais ao medo, estaremos limitados na nossa resposta ao inevitável”, complementa ela. Portanto, encare o medo, mas NÃO deixe que lhe consuma, respire fundo e confie na vida! Tudo tem um propósito!

E para confrontar esse medo, comece por rememorar as datas abaixo. Revisite o passado. Primeiro, olhe o que estava acontecendo na sua vida por volta de 22 de agosto de 1998, a última vez que houve um eclipse total do Sol neste grau de Leão… Lembrou? Não é só isso! Relembre também o que se passava na data de 11 de agosto de 1999, que foi a última vez que tivemos um eclipse da Série Saros 145. Os acontecimentos desses períodos dão pistas sobre o que você pode esperar nos próximos dias, sobre os temas e os assuntos que este eclipse movimenta e que serão trabalhados nos próximos meses na sua vida. Você acha mesmo que precisa ter medo?

Os efeitos deste eclipse terão duração de cinco anos e aproximadamente quatro meses. Isso porque o eclipse vai ter uma duração total de 5 horas e 18 minutos, cada hora corresponde a um ano e cada cinco minutos corresponde a um mês. Essa equivalência é dada pela estudiosa de eclipses Christine Arens, astróloga americana (7).

Victor Nizovtsev – Reprodução

E o que diz o Símbolo Sabiano do grau 29 de Leão (28°52’)? “Uma sereia emerge das ondas do oceano, pronta para renascer na forma humana”. Dane Rudhyar (8), estudioso dos Símbolos Sabianos, nos diz que a nota-chave deste símbolo é “o estágio em que um sentimento intenso – a intuição que se eleva do inconsciente está prestes a assumir a forma como um pensamento consciente”. Ele nos lembra que a sereia simboliza um estágio de consciência ainda não completamente perceptível, parcialmente envolvido pelo oceano, evasivo do inconsciente coletivo, mas já meio formulado pela mente consciente, um estágio familiar a artistas, criativos e pensadores em geral – o que faremos com esta intuição? Rudhyar diz que este símbolo “sugere que o fogo do desejo, pela forma concreta e estável, queima na raiz de todas as técnicas de auto expressão. Uma energia arquetípica inconsciente está chegando à consciência através do criador, como o amor cósmico busca uma manifestação tangível através dos amantes humanos. Todo o universo pré-humano chega ansiosamente ao estágio humano de clara e estável consciência. É este grande impulso evolutivo, este elan vital, que está implícito neste símbolo da encarnação humana que procura a sereia: o anseio pela forma consciente e por solidez”.

Reprodução

O que isso vem nos dizer? Vem salientar esse foco de luz interior que pode advir da total escuridão parcial do ego; vem nos dizer de um momento mágico, em que uma nova consciência está por nascer; um novo impulso criativo e evolutivo que se manifesta, mas, para que tal impulso se manifeste concretamente, precisa deixar a forma antiga da sereia (o passado ingênuo) para trás. Assim, este símbolo vem ressaltar a qualidade do novo que o eclipse traz, a qualidade de uma nova consciência, que também é simbolizada pelo Grande Trígono Sol-Lua-Marte com Saturno e Urano.

Reprodução

Resumindo: eclipses são eventos que simbolizam e que podem trazer no seu bojo eventos grandiosos, entre eles, cataclismos e conflitos, mas principalmente, representam o fim de um ciclo e o início de outro; eclipses solares representam um momento de lançar novas sementes e novos projetos, naquela área de vida representada pela casa em que ocorre no mapa natal. Esta família de eclipses sugere a ocorrência de eventos inesperados que afetam grandemente as relações pessoais, particularmente as afetivas, tema repetido no mapa do eclipse atual. Portanto, este eclipse sugere um momento importante de ruptura com o passado, especialmente na esfera das relações, e de se abrir para novas possibilidades e novas maneiras de agir e de se afirmar no mundo! Contudo, é preciso cautela para termos ciência de que estamos tomando as decisões e atitudes certas – nada de agir com precipitação, no calor do momento! Outra coisa a ser evitada é resvalar no medo, no pânico e no sensacionalismo! Enfrentar os medos e permanecer centrado é uma forma de não espiralar no caos.

Reprodução

Assim, aproveitemos a energia deste eclipse para romper com o passado e seus padrões repetitivos definitivamente, depois de termos refletido e avaliado o que precisa ser deixado para trás – não se preocupe, isso vai ser esfregado na sua cara! Tomemos posse da forte vibração de mudança e novos começos e dessa consciência e intuição incipientes, que começam a se mostrar para nós, mas que só serão manifestadas se as agarrarmos de forma decidida. Lancemos nossas intenções de mudança e transformação de vida! E, respondendo à pergunta do título, podemos até ter uma somatória de medos, que poderá crescer e virar pânico generalizado, mas não precisa ser assim! Não, não tenhamos medo! Antes, vigiemos e oremos e nos sintonizemos com vibrações elevadas, para estarmos prontos para o que quer que seja exigido de nós! Confiemos! O eclipse ocorre conjunto a Marte, o guerreiro, então, acionemos o guerreiro, nobre, corajoso e leal que há em nós. E vamos em frente!

Abaixo segue algumas dicas práticas e simples que podem ajudar a navegar as emoções dos próximos dias. Logo depois tem os significados do eclipse em aspecto aos planetas pessoais (não vou responder sobre os demais planetas) e por fim, sobre as casas.

Shutterstock – Reprodução

O que você pode fazer:

  • Meditação e exercícios de ancoragem e enraizamento;
  • Permanecer centrado, com atenção plena no aqui e agora;
  • Exercícios de respiração profunda que propiciem centramento
  • Evitar álcool e substâncias entorpecentes durante estes dias – já estamos meio fora do eixo, essas substância tiram a consciência e o centramento quando mais precisamos deles;
  • Usar cristais de aterramento e proteção: turmalina negra, quartzo fumê, pedra boji, olho de gato, galena, magnetita. E contra o medo: calcita laranja, amazonita, ágata musgo, caraíta, quiastolita (pedra da cruz).
  • E por último, como diz Bernadette Brady, essa família de eclipses também tem efeitos sobre a saúde. O grau 29 (28°52’) de Leão rege o Septo atrioventricular, a parede muscular que divide o coração, portanto, pessoas que têm problemas cardíacos ou histórico de doenças cardíacas na família, são aconselhadas a se cuidarem mais e a ficarem atentas.

Abaixo os significados do eclipse em aspecto com planetas pessoais. Para saber em qual casa e quais planetas recebem aspectos do eclipse, levante seu mapa em www.astro.com; observe em que casa cai o final do signo de Leão, o grau 28; observe se existem planetas entre os graus 23 dos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) e 03 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes). Quanto mais próximo o grau, mais forte a influência do eclipse

Sol – Afeta a vitalidade física, os propósitos pessoais, os homens como o pai, o marido, filhos homens, superiores; afeta o senso de eu e de identidade; auto expressão pessoal. Pode representar problemas de saúde, mudanças expressivas na identidade ou na relação com homens importantes na vida da pessoa.

Lua – Afeta a natureza e a realidade interior, os sentimentos e emoções, as respostas emocionais, as questões orgânicas do corpo (e ginecológicas para as mulheres); o inconsciente; as mulheres na sua vida, mãe, esposa, filhas, amigas. Instintos, hábitos, comportamentos, o lar e a residência. Pode representar mudanças importantes na relação com as mulheres ou na residência.

Mercúrio – Comunicação, estudos, conhecimentos, aprendizados, ideias e conceitos, processos intelectuais; irmãos, parentes próximos, vizinhanças, viagens curtas, trânsito, carros e veículos em geral. Pode significar o início de novos projetos de estudo ou ligados à comunicação/viagens.

Vênus – Relações afetivas, afetos, prazeres, senso de auto-estima e valor, dinheiro, ganhos, beleza, estilo, artes, expressão cultural. Pode significar um novo amor/romance.

Marte – Desejo, vontade, ação, realização, energia, sexualidade; também representa homens na sua vida, principalmente de envolvimento afetivo-sexual; pode significar aumento/diminuição significativo da energia e vitalidade; pode representar nova aventura sexual ou novas empreitadas de realização pessoal; requer muito cuidado, porque sendo planeta de ação, a energia pode se tornar bastante errática e perigosa. Atentar para as casas regidas por Marte no mapa natal.

A tabelinha vai ajudar a relembrar os eclipses do ano e a influência na área de vida – veja o signo do Ascendente!

Veja os significados por casa no mapa natal:

Casa 1 – Casa angular e super importante onde o eclipse se faz notar de forma inquestionável, especialmente se conjunto ao Ascendente. Período de grande ênfase e destaque pessoal. A energia e o entusiasmo ficam acentuados e você se sente fazendo maior impacto no ambiente e no mundo em geral. Pode ser um bom período para fazer mudanças na aparência física. É um ciclo para se destacar e aparecer – se esse destaque é positivo ou negativo vai depender das ações e atividades desenvolvidas até aqui, assim como dos aspectos que o eclipse possa fazer a planetas natais.

Casa 2 – A ênfase aqui recai sobre os valores, sejam eles materiais ou imateriais. Finanças, posses, patrimônio material vêm para a linha de frente e “eventos” podem se precipitar ligados a ações passadas. Pode ser um bom período para reavaliar investimentos e a gestão dos recursos; para aprender uma nova habilidade que se transforme também em recurso e valor; especialmente para refletir sobre nossos valores mais essenciais e como eles influenciam nossas decisões e escolhas.

Casa 3 – O foco recai sobre estudos e aprendizados, que serão, ou não, estimulados e favorecidos, dependendo dos aspectos do eclipse. Comunicação, veículos, viagens curtas, viagens diárias para o trabalho e deslocamentos em geral também são influenciadas por estas energias. Irmãos e parentes próximos podem também se tornar foco da nossa atenção por diferentes motivos.

Casa 4 – Outra casa angular onde o eclipse tem maior ênfase. Assuntos ligados à família de origem, assim como à família formada pelo indivíduo. Mudança na relação com a figura paterna, que pode ter seu poder e autoridade ofuscados de alguma forma. A atenção é para os assuntos domésticos, do lar e da casa física em que se mora, assim como para a faceta mais íntima da vida privada. Reformas e mudanças na residência são possíveis.

Casa 5 – A criatividade e expressão pessoal recebem grande injeção de ânimo, assim como os romances e atividades de lazer e relaxamento. Filhos, como expressão mais óbvia de nossa criatividade também se tornam o centro das atenções, especialmente o filho mais velho; novas atividades criativas ficam favorecidas, como artes, danças, música, etc. Aconselhável ter cuidado com especulações e jogos de azar. E claro, se as manifestações são benéficas ou estressantes, depende das variáveis do eclipse.

Casa 6 – Trabalho diário, emprego, colegas de trabalho, relação com empregados e servidores, saúde, corpo, cotidiano, bichos de estimação… Todos estes assuntos ficam realçados com um eclipse solar nesta casa. É um momento de avaliar com seriedade a forma como cuidamos da saúde e especialmente avaliar o impacto de maus hábitos sobre ela, como fumar, por exemplo. Reorganização do local de trabalho assim como programas de reeducação alimentar ficam beneficiados.

Casa 7 – Outra casa angular. Todas as relações próximas ficam sob os holofotes, sejam parcerias afetivas ou de negócios, assim como amigos mais chegados e também os tais “inimigos declarados”. Propostas de casamento ou de sociedades são possíveis, assim como rupturas, dependendo de como o eclipse “conversa” com o resto do mapa e dos demais movimentos que estejam acontecendo neste mapa.

Casa 8 – Casa dos valores dos outros, da morte (não necessariamente literal) e renascimento, de crises, de impostos, seguros e heranças. E também do sexo como expressão da parceria íntima. Então todos estes assuntos podem demandar nossos cuidados e nosso tempo, trazendo benefícios ou preocupações. O período pode ser particularmente “quente” sob os lençóis e novos amantes podem aparecer à nossa porta.

Casa 9 – As viagens de longa distancia, assim como as buscas espirituais e a mudança de crenças ocupam nossa atenção quando um eclipse cai nesta casa. Cursos superiores e vida acadêmica, assim como publicações também estão enfatizados. Os parentes do cônjuge também são vistos aqui e podem representar problemas ou alegrias. Novos conhecimentos que expandem a consciência podem ser iniciados a partir de novos contatos ou até mesmo por um livro que começamos a ler.

Casa 10 – A última casa angular, de suma importância. A casa da nossa imagem pública, da carreira, da vocação e também da mãe ou da figura materna arquetípica. Podemos ser promovidos ou demitidos sumariamente; podemos ficar literalmente sob os holofotes em situações públicas e que agregam valor à nossa persona pública e status profissional. Publicidade gratuita pode nos favorecer. Eventos ligados à mãe também podem nos afetar.

Casa 11 –  Um eclipse nesta casa pode indicar um período bom para se iniciar novas amizades, participar de grupos e associações que sempre quisemos mas nunca tomamos a atitude. Aqui vemos os amigos e as relações sociais, que obviamente ganham ênfase especial. As esperanças de futuro e projetos de longo prazo também ficam favorecidos, ou sua realização, reavaliação ou desilusão.

Casa 12 – Possivelmente a casa mais difícil de expressão de um eclipse. A casa da introspecção e do inconsciente. Esqueletos tendem a sair do armário e demandar que lidemos com eles; tabus familiares ou raciais tendem a cair no nosso colo de graça, e não podemos mais fingir que não os vimos; é uma casa de serviço, então somos convidados a prestar serviços que implicam sacrifício ou oferenda de nosso tempo e energia em favor de outros. Podemos nos sentir particularmente introspectivos e sentir o desejo de isolamento e reclusão.

Reprodução

Fontes:

(1) Galeria do Meteorito: http://www.galeriadometeorito.com/2017/08/horarios-do-eclipse-solar-21-agosto-2017-no-brasil.html

(2) Série Saros 145, site da Nasa: https://eclipse.gsfc.nasa.gov/SEsaros/SEsaros145.htmlBernadette

(3) Bernadette Brady – The Eagle and the Lark – Predictive Astrology – Weiser books

(4) Kelly Surtees – https://kellysastrology.com/

(5) Reinhold Ebertin – The Combination of Stellar Influences

(6) Carol Rushman – The Art of Predictive Astrology

(7) Christine Arens – Eclipses – Webinar promovido por Kepler College em 05/04/2013

(8) Dane Rudhyar – An Astrological Mandala

Reprodução

Lua Nova em Leão – Fogo Solar, Fogo da Consciência

Desconheço o autor – reprodução

Você anda se sentindo meio para baixo, desanimado? Anda duvidoso da vida e de si mesmo? Sente que só trabalha e lida com problemas sem ter tempo para brincar? Seus problemas acabaram! Vem aí a Lua Nova de Leão, que vem incendiar sua vida de entusiasmo, coragem, confiança, otimismo e paixão! E de quebra, ainda a/o convida a abraçar sua natureza única, seja ela aceita pelas tribos “in” ou totalmente outsider! Brincadeiras à parte, a Lua Nova que acontece em Leão neste domingo realmente vem dar uma sacudida no pessimismo e na falta de ânimo que tem nos acometido nos últimos tempos. A Lua se renova no grau 00°44’ (tecnicamente, grau 1) de Leão, conjunta a Marte, separando-se da quadratura a Urano e do trígono a Quíron, ambos os aspectos fora de signo. A lunação ocorre às 06h46min no horário de Brasília e às 09h46min no horário de Lisboa.

Reprodução

Marte esteve muitas semanas em Câncer, signo que é muito desconfortável para ele e agora, em Leão, Marte se sente à vontade, na casa de um amigo, da mesma forma que o Sol, dono da casa Leonina, se sente à vontade na casa de Marte, Áries. E onde Marte chega ele aviva, atiça, anima, põe fogo e sendo Leão um signo de fogo, já vimos que os ânimos se incendeiam e, neste caso, positivamente! Portanto, uma vez que a Lua Nova ocorre em conjunção a Marte, este é um ciclo em que nossa vontade está mais firme, em que temos mais ânimo e gosto de lutar.

Reprodução

Leão é o signo de Fogo Fixo, o fogo constante, da fogueira que aquece a noite toda. Ao falar sobre o Símbolo Sabiano para o grau 1 de Leão, Dane Rudhyar, um dos mais importantes astrólogos do século XX, diz que a nota-chave deste símbolo é “uma irrupção de energia bio-psíquica no campo da consciência controlada pelo ego”. Bom, vamos olhar isso com calma. O Símbolo Sabiano traz a seguinte imagem: “O sangue se precipita à cabeça de um homem enquanto energias são imobilizadas sob o estímulo da ambição”. Rudhyar nos lembra que na tradição oculta três tipos de fogo são mencionados: o elétrico, o fogo solar e o fogo por fricção e cada um deles corresponde a um dos signos de fogo do Zodíaco.  Áries corresponderia à eletricidade, o fogo que desce do espírito, pela Palavra Criativa, o Verbo. Sagitário representa o fogo por fricção porque representa processos sociais, que são baseados em relações interpessoais, em polarização, em conflito. Já Leão representa o Fogo Solar – até porque é regido pelo Sol – e Rudhyar diz que isso representa a energia de uma pessoa integrada, “seja através de radiações espontâneas de formas de energias aparentemente nucleares, ou, no nível verdadeiramente humano e consciente (e também sobre-humano em domínios transcendentes), através de emanações  conscientes (e-manações, de manas, que significa ‘mente’ em sânscrito).

Reprodução

Rudhyar prossegue dizendo que o símbolo de Leão mostra uma elevação de energia do coração para a cabeça, uma mentalização, um processo que pode ser perigoso, dependendo de como é conduzido e ele se refere ao clarividente que “viu” todas as cenas simbólicas dos Símbolos Sabianos, dizendo que ele teria visto uma cena de ‘apoplexia’, ou insolação, excesso de sol na cabeça e na pele. O Sol dá a vida ou pode destruí-la, depende da relação que estabelecemos com ele. Da mesma maneira é o fogo. Rudhyar vai adiante e diz que a realização do eu espiritual depende de o ego se tornar um cristal puro, capaz de focalizar a luz cósmica, sem ser maculado pelo orgulho, vaidade e possessividade. “A transmutação da vida na mente é um processo difícil”, diz Rudhyar. Podemos ser iluminados ou incinerados – depende do quanto estamos preparados e do equilíbrio entre a confiança e a humildade. O fogo que aquece e dá vida pode facilmente se tornar destrutivo e virar um incêndio descontrolado. Uma combustão. Os processos de combustão geralmente têm subprodutos, que dependem dos elementos geradores da combustão original. Mas a combustão é geradora de energia e de onde vem essa energia e como a utilizamos, define se somos transformados ou destruídos por ela.

Um vídeo que mostra um homem fazendo experimentos com uma “lente” gigante (uma tela de TV descartada) sobre a qual é projetada a luz do Sol.

Essa imagem do fogo solar nos lembra o processo em que o fogo é gerado quando a luz do sol é projetada sobre algum tipo de lente. Esse é literalmente o Fogo Solar – pode salvar ou destruir vidas, dependendo de como é utilizado. Essa lente, como diz Rudhyar, é o ego. Se o ego é forte e saudável, ciente de suas limitações e de que está a serviço do espírito e da alma, ele será um transmissor, um transmutador da luz solar num fogo criativo que transforma e liberta; ao contrário, se o ego é fraco, logo se infla e se enche de auto importância, levando a situações desastrosas, porque é frágil, inseguro e vai usar símbolos exteriores de poder para camuflar essa insegurança. Essa é uma diferença básica entre o Leão positivo e o negativo e esse é um tema básico do Leão – um tema que está bastante realçado na Lua Nova e, por conseguinte, no ciclo todo. É essencial, pois sabermos, qual é o fogo que nos move, se é o fogo que cria ou o fogo que destrói; se é o fogo da criatividade e da alegria ou o fogo do orgulho e da vaidade vazios. Se este fogo está a serviço do espírito e da vida ou apenas a serviço de um ego oco e inflado.

Reprodução

Vigiar o ego e suas escorregadelas é essencial neste ciclo, iniciado por Lua e Sol conjuntos a Marte, planeta do “eu primeiro, segundo eu, terceiro, eu de novo!”. Sim, é importante darmos prioridade a nós mesmos, porque, afinal, somos a pessoa mais importante de nossas vidas, como diz a canção popular, “sem mim, eu não sou ninguém”. Mas quando isso sai de proporção, perdemos a noção da convivência e da civilidade, porque esquecemos que há outros ao nosso redor e o fogo que deveria trazer um calro agradável torna-se asfixiante e destrutivo.

Reprodução

Rudhyar diz que essa é a nona cena da primeira etapa da vigésima-quinta sequencia de símbolos, cujo tema e discurso é a ‘combustão’ e cujo nível é o da ação. Combustão dispensa interpretações, mas tomando-a por base, a palavra-chave para este grau de Leão é CONFLAGRAÇÃO. Ou seja, fala das “energias dos impulsos biológicos à medida que irrompem, de forma mais ou menos agressiva, no campo da consciência”. Então, a combustão pode levar a uma conflagração, que é uma tomada de consciência, a posição e consequente ação do eu (fogo) sobre a matéria para transformá-la positivamente. Ou pode, simplesmente, destruir, no seu ímpeto desvairado, como quando o conflito-conflagração desconhece os limites e o sujeito fica possuído, tomado pelo ego, identificado demais com os poderes do espírito, acreditando que são seus, sem perceber que ele é apenas um vaso, um receptáculo de tais forças. O fogo pode, ainda, simplesmente extinguir-se, ser desperdiçado, sem criar ou transformar nada. O que nos leva à pergunta: que tipo de lente nós somos sob este Fogo Solar? Como estamos utilizando o fogo sagrado em nós? Ele é faísca criadora de vida? É labareda da pira sagrada que calcina e purifica nossa matéria mais bruta e inferior? É chama transmutadora de processos e de consciência? Ou é apenas fogo de oba-oba de quem solta fogos de artifícios para “se mostrar” e fazer ruído? Pois então, o fogo ganha vigor e força neste ciclo e depende de nós utilizá-lo criativa e positivamente. E não é qualquer fogo, é o Fogo Solar, trazedor de consciência, para aqueles que estiverem atentos e disponíveis.

Voltando ao mapa da Lua Nova, lembramos que a conjunção a Marte vem ressaltar esse fogo da paixão, do entusiasmo, do fervor. O que nos leva a outras perguntas: pelo quê ou por quem estamos apaixonados? Essa paixão nos transforma positivamente? Marte também traz ímpeto, dinamismo, coragem, garra e vigor, tudo isso temperado com nobreza, portanto, podemos esperar um ciclo mais dramático, mais vivo, mas possivelmente, também mais justo.

Reprodução

Leão, como já disse em outros artigos, é o signo da criança – assim como é um dos signos do Pai – da espontaneidade, da alegria de viver, de viver pelas verdades do coração. E o que isso diz do ciclo? Que é hora, justamente, de recuperar ou reviver esses valores. De viver com mais autenticidade, com mais honra e também mais alegria. Como? Dando-se conta do que nos alegra no dia a dia, desde as coisas mais simples, às coisas mais significativas e, percebendo isso, dar um jeito de trazer isso para nossa vida. Leão também é signo generoso e leal e vem nos conclamar a viver esses valores também.

Outro ponto digno de nota é que Mercúrio faz um Grande Trígono de Fogo, ao fazer trígono a Saturno em Sagitário e a Urano em Áries, ou seja, constrói uma ponte de imaginação e inspiração entre duas forças opostas, atualmente dispostas a dialogar: o velho e o novo, a tradição e a inovação, a estabilidade e o progresso. E a mente (Mercúrio) é a ponte para tal diálogo. Temos, pois, oportunidade de costurar e conciliar esses conceitos e princípios que parecem tão díspares e a partir de tal conciliação, alterar a vida sem grandes e terríveis turbulências. As oportunidades estão aí, depende de nós agarrá-las ou não.

Reprodução

Vemos também que a Lua se afasta da quadratura a Urano e do trígono a Quíron. Ambos, Urano e Quíron, de formas diferentes, representam o “outsider”, o forasteiro, o esquisito, o estranho. Urano faz questão e se compraz em ser estranho, porque adora chocar; já Quíron, resigna-se nesse papel, afinal, ele não o escolheu. De qualquer forma, ambos representam a originalidade, os caminhos diferentes, muitas vezes dolorosos, porque podem ser ou parecer “inaceitáveis” para as correntes convencionais. Para Leão, que precisa tanto da admiração de seus pares, é necessário algum trabalho para aceitar as peculiaridades que o coloquem como muito diferente do seu meio, especialmente quando essa diferença o faz vítima de algum preconceito ou segregação. Por fora ele pode esbanjar confiança, mas internamente pode ser afligido pela insegurança. Assim, a Lua Nova sinaliza um tempo de grande potencial de integração das nossas diferenças e inseguranças; um tempo, de abraçar nossas esquisitices, reconhecê-las e integrá-las à nossa identidade, aceitá-las e, consequentemente, aceitar-nos mais integralmente. E quando estamos inteiros, temos mais chances de realizar nossos potenciais e ao realiza-los, transformar e iluminar o mundo à nossa volta. Portanto, a Lua vem sinalizar um tempo de nos darmos conta e tomarmos posse do nosso Fogo Interior, do Fogo Solar que nos sustenta e sustenta nosso espírito, dando ignição para a consciência realizar-se no mundo. É tempo de ficar atentos ao que move nosso coração, figurativa e literalmente: o que faz seu coração bater mais rápido? Isso pode nos dar muitas pistas sobre aquilo que nos incendeia e motiva e também sobre os potenciais latentes e ainda não expressos, esperando a “lente” certa, através da qual serão despertos ou acesos. Aproveite o ciclo de Leão e se observe, observe o que traz alegria o que faz o coração parar ou acelerar! É tempo, pois, de viver a alegria e a espontaneidade da nossa criança, segura, confiante, alegre e feliz!

Reprodução

É importante lembrar que vamos viver dois ciclos seguidos de Leão. Sim! Temos esta Lua Nova ocorrendo domingo, a zero de Leão, culminando no eclipse e Lua Cheia de Aquário no dia sete de agosto; depois teremos outras Lua Nova em Leão, a 28°52’ deste signo, lunação que é um Eclipse Total do Sol – que aliás, cai em conjunção exata ao ASC e marte do presidente americano Donald Trump e que passa sobre os EUA, dividindo-o ao meio, de Leste a Oeste, prometendo muitas reviravoltas na política americana! Este segundo ciclo Leonino culmina na Lua Cheia de Peixes, no dia seis de setembro. Quer dizer, é uma baita ênfase na energia de Leão, certo? Quer recado mais potente do que esse? Portanto, é hora de nos apossarmos desse Fogo e permitir que ele queime o que precisa ser queimado e que gere nova vida, que incendeie nosso espírito de vigor, coragem e confiança. Além de alegria!

Dreamstime – Reprodução

Leão é o signo que rege o coração, figurativa e literalmente. Tendo dois ciclos seguidos regidos por esse signo, e ainda, considerando-se que teremos um eclipse bastante tenso ocorrendo aqui, as pessoas que têm qualquer problema ou propensão a problemas de coração precisam ficar muito atentas e ter cuidados dobrados com a saúde – é um tempo de emoções intensas e o coração fica mais “excitado” e pode ser exigido demais, portanto, vamos cuidar do nosso coração, também no plano físico!

Para este ciclo, vale se perguntar: com qual fogo você está alinhado? Quais “esquisitices” você carrega que ainda precisam ser integradas? Que paixões positivas podem trazer mais vigor e gozo ao seu dia a dia? Que tipo de lente o seu ego propicia ao fogo sagrado do espírito? Esse fogo que você carrega, vai aquecer ou vai destruir?

Crystal Hazelton – Reprodução

Eu desejo a você um maravilhoso ciclo de Leão! Que possamos ter coragem para expressar o fogo dos nossos potenciais criativos e a audácia de viver a alegria, pelos valores do nosso coração!

Reprodução

Feliz Lua Nova para você!

Desconheço o autor – reprodução

2017: Um Ano Revolucionário!

O ano de 2016 nos deixou zonzos, sem saber direito qual foi o trem que nos atropelou. Mas esse trem tinha nome: Saturno-Netuno! E todos têm receio de que 2017 seja uma repetição do que vivenciamos em 2016 ou que o abismo se aprofunde – ele já mostrou a que veio! Só em janeiro e fevereiro já vimos coisas inimagináveis acontecendo… E daqui em diante? Não, não vai ser igual a 2016, mas não quer dizer que seja necessariamente muito melhor. Pelo menos tem ação e dinamismo! Vamos analisar juntos?

Para analisar como o ano vai se desdobrar eu utilizo vários fatores, os principais deles sendo o mapa de ingressão do Sol em Áries, que é quando o ano começa para a Astrologia; as configurações e trânsitos dos planetas lentos, a partir de Júpiter; os eclipses e trânsito dos Nódulos Lunares; As retrogradações de planetas pessoais, Mercúrio, Vênus e Marte – Marte não ficará retrógrado neste ano, apenas Mercúrio e Vênus; e por último, também considero a regência do ano, não como um fator determinante de como vai ser o ano, mas apenas como pano de fundo geral de todos os demais eventos astrológicos.

Estrela de 7 pontas que representa a Ordem Caldeica – Reprodução

Começamos com a regência do ano, que dá o pano de fundo energético. Pela sequência que vínhamos seguindo, este ano deveria ser regido por Vênus, de acordo com a ordem caldeica da estrela de 7 pontas. Mas 2016 finaliza um ciclo de 36 anos. Explico. Temos 12 signos, com três decanatos cada, totalizando 36 decanatos – cada decanato, como o nome diz, tem 10 graus, de modo que 10 x 36 = 360 graus do círculo perfeito – cada um deles sendo regido por um planeta pertencente àquela triplicidade – por exemplo, o signo de Áries tem seus três decanatos regidos por Marte, Sol e Júpiter, os três planetas regentes dos signos de Fogo. Não se sabe como se chegou, um dia, a essa regência anual, mas supõe-se que tenha a ver com essa divisão do Zodíaco em decanatos, que corresponderiam às regências anuais, totalizando ciclos longos de 36 anos, que por sua vez, também estariam sob uma regência. Assim, temos ciclos longos de 36 anos, regidos por um determinado planeta, de acordo com sua sequência na ordem caldeica e, dentro deste ciclo longo de 36 anos, teríamos os ciclos anuais. Como disse, 2016 encerra um ciclo longo de 36 anos, regido pelo Sol e 2017 inicia outro ciclo longo, regido por Saturno, o planeta da austeridade. O primeiro e o último anos do ciclo longo de 36 anos devem ser regidos pelo planeta regente deste ciclo maior. Então, ao invés de termos Vênus regendo 2017, temos Saturno, inaugurando este período de 36 anos, um período que tende a ser de contenção, severidade, disciplina e responsabilidade. Temos então que o pano de fundo de 2017 será de austeridade, cobrança, maturidade, limites, retrocessos, conservadorismo, com grande foco nos deveres e obrigações, nas demandas sociais ou familiares, mais do que no prazer, no indivíduo ou nas questões pessoais como era com a regência do Sol. É um tempo de aprendizado e sobriedade – as contas chegam para ser pagas e não adianta reclamar porque o cobrador pode decidir aumentar os juros em função dos lamentos! O tempo de holofotes sobre o indivíduo e o ego (regência do Sol) dá lugar às obrigações e responsabilidades sociais.

Saturno – Maria Eunice Sousa

Então, de um modo geral, é tempo de ser realistas e é o que Saturno, o Senhor do Tempo, requer de nós. Saturno é conservador e exige realismo, disciplina, responsabilidade. É o cobrador daquelas contas que viemos postergando achando que nunca teríamos que pagar. Essa regência sinaliza um ano de austeridade, de se voltar às coisas básicas e se respeitar os limites. É ano de ser realista e encarar os desafios de cara limpa, porque não dá para fugir deles. Ano de gerir os recursos com sobriedade, porque talvez estejam escassos. E, sendo bastante realistas, já sabemos que não é possível mudar o cenário atual da noite para o dia, magicamente, só porque mudamos o ano. Os desafios que enfrentamos hoje continuam e agora temos que recomeçar, a despeito de todas as dificuldades. Mas, recomeçar por onde, quando estamos tão confusos e incertos? Essa incerteza ainda permeia todo o ano e quando há insegurança, a tendência é uma volta ao conservadorismo, porque acredita-se que voltar ao que era vá consertar o que está errado atualmente e isso não necessariamente é verdade, portanto, este é um movimento que requer cautela. No mapa do Brasil, Saturno trafega atualmente a casa das estruturas básicas da sociedade, o governo federal, assim como as classes dominantes. É possível que ainda haja muitos desapontamentos, tumultos e reviravoltas políticas ao longo de 2017, não necessariamente atendendo ao desejo do povo – como também apontam outros fatores nesta análise – e isso pode trazer bastante insatisfação, que por sua vez pode levar a revoltas populares. Mudanças drásticas ocorrem da noite para o dia, a exemplo de 2016, e outros aspectos ainda sugerem que muitas decisões governamentais são ocultadas e que os verdadeiros governantes, aqueles que realmente mandam, podem também estar ocultos. Mas essa regência de Saturno NÃO É A COISA MAIS IMPORTANTE! Muito pelo contrário! Existem outros fatores mais gritantes e graves para se levar em conta. Como diz o título deste artigo, este é um ANO REVOLUCIONÁRIO e definitivamente, um ano Saturnino NÃO É um ano revolucionário, portanto, Urano e Plutão é que dão o tom principal deste ano, e não Saturno!

Trânsitos lentos e configurações 

Júpiter – Maria Eunice Sousa

Dos planetas lentos, o mais ativo neste ano é Júpiter. Em parte porque, obviamente, ele é o mais rápido e fará mais aspectos, mas principalmente por causa da oposição que faz a Urano e da quadratura a Plutão. Júpiter ingressou em Libra em setembro de 2016 e permanece neste signo até 10 de outubro de 2017, quando ingressa em Escorpião. Júpiter é um planeta associado com o conhecimento mais elevado, expansão, crescimento, riqueza, significado, espiritualidade e também leis, não a sua aplicação – isso é com Saturno, que aliás, está em Sagitário, regido por Júpiter – mas a feitura das leis, a busca por justiça. Em Libra, o signo da equidade, do equilíbrio, da harmonia e da conciliação, Júpiter busca crescer e se expandir através da cooperação e da diplomacia, procurando chegar à paz e à justiça para todos os lados envolvidos. Trata-se da busca pelo mútuo desenvolvimento, para mim e para você. Ele poderia ser cordato por demais, exceto pelo fato de ficar, boa parte do ano, em oposição a Urano e quadratura a Plutão, dois planetas que ainda estão em quadratura, embora não façam mais o aspecto exato. Podemos então esperar mudanças abruptas nas leis que têm a ver com riquezas, impostos, crescimento e desenvolvimento social. Não, as configurações não representam somente coisas boas, às vezes, é bem ao contrário, elas simbolizam coisas bastante desagradáveis. Além dessa configuração, que é a mais importante, Júpiter ainda fará quincunce a Quíron (fevereiro e março e depois setembro) e a Netuno (maio a julho), sextil a Saturno (agosto) e trígono a Netuno (a partir de novembro, já em Escorpião). Os aspectos tensos a Netuno e a Quíron nos alertam que nem todas as leis e alterações na legislação serão bonitinhas e agradáveis sendo, muitas delas, bastante ilusórias ou descaradamente desfavoráveis ao povo.

Reprodução

Então, neste ano Júpiter sugere algumas mudanças radicais nas leis, que vêm demolir o senso de segurança e estabilidade social, ou que transformam profundamente a maneira de se governar no mundo ou a relação entre as classes dominantes e as dominadas. Algumas dessas mudanças podem ser benéficas, outras podem ser chocantemente desagradáveis – do tipo “presente de grego”. Mas esses movimentos Jupiterianos indicam principalmente a necessidade de reformarmos nossas crenças, nossa visão de mundo, a forma como encaramos e percebemos a ideia da justiça e a maneira pela qual nos expandimos.

Reprodução

A oposição a Júpiter-Urano é o ápice de um ciclo de cerca de 13,8 anos que começou entre 2010 e 2011, com os dois planetas em Peixes e o ciclo desses dois planetas tem a ver com a relação entre as mudanças intelectuais e as expectativas das sociedades. Assim, essa oposição a Urano simboliza grande potencial de expansão da criatividade e da originalidade, de novos avanços tecnológicos, que ampliam a interação e a socialização entre os indivíduos – fique atento para inovações tecnológicas que transformarão os relacionamentos afetivos! É provável que seja um ano em que mais e mais relacionamentos poderão começar através das redes sociais, à distância. Júpiter em aspecto tenso a Urano também aponta para acidentes graves relacionado às grandes viagens/distâncias, como na navegação ou aviação – aliás, já vimos alguns eventos graves acontecendo de 2016 para cá.

Reprodução

Já o ciclo de Júpiter-Plutão é um ciclo de cerca de 12,5 anos e fala de uma transformação profunda nas expectativas das sociedades e tem enorme influência nas questões de justiça e legislação no coletivo. A presente quadratura é minguante e vai finalizando um ciclo iniciado em dezembro de 2007, a 28° de Sagitário. Um ciclo de transformação na reformulação das leis, mas que fala também de poder imenso e grandes fortunas e é um sinônimo para as plutocracias, sistemas políticos onde o poder é exercido, necessariamente, pelos mais ricos, pela elite econômica, o que leva a grandes desigualdades sociais. Para termos ideia do que estava acontecendo entre outubro e dezembro de 2007, quando os dois planetas estavam em orbe de conjunção, foi neste período que foi descoberto o Pré-Sal, que foi “dado” recentemente ao estrangeiro, assim como será dado, provavelmente, o Aquífero Guarani – Vênus está retro na casa 12 no mapa de ingressão! Agora este ciclo está se fechando e termina de vez em 2020, quando Júpiter se juntar a Saturno e a Plutão em Capricórnio. Nessa quadratura minguante entra em pauta algumas leis importantes: taxação de grandes fortunas ou aumentos de impostos para a classe média.

Veja o que Júpiter-Urano-Plutão estão “aprontando” no seu mapa natal! Agende uma consulta comigo através do e-mail: psicologica.astrologia@gmail.com

Reprodução

No mapa do Brasil essa quadratura se dá entre as casas 8 (Júpiter) e 11 (Plutão) o que sugere mudanças importantes das leis que regem as finanças internacionais e investimentos de países estrangeiros. Esse aspecto pode representar mortes no judiciário, simbólica ou literalmente. Algumas mudanças nas leis podem representar aumento (Júpiter) no número de mortes (Plutão/casa 8) relacionadas às instituições públicas (casa 11) ou mudanças importantes nas leis que regem o serviço público e as instituições públicas, assim como os investimentos nessas instituições. Então, não nos enganemos! Só porque Júpiter é um planeta de boa sorte, não quer dizer que ele às vezes não represente problemas também. Até porque um mesmo aspecto pode representar tanto coisas positivas quanto negativas, dependendo do contexto e dos envolvidos. Mas podemos esperar desmantelos no poder, mais sujeiras vindo à tona acerca do Poder Judiciário, transformações no âmbito da Justiça e justiça sendo feito no âmbito do poder. E podemos dizer também: justiça seja feita, doa a quem doer! E se tem algo que se precisa em abundância nesse país é justiça e até mesmo uma transformação na Justiça e no Poder Judiciário. Contudo, a quadratura Saturno-Quíron alerta que essa justiça pode ser aplicada de forma capenga em muitas situações, podendo mesmo ser omissa! Júpiter ficará retrógrado de 06 de fevereiro a 09 de junho e por isso, a maioria dos aspectos ocorre pelo menos duas vezes – já tendo ocorrido os primeiros eventos em 2016.

Reprodução – Desconheço o Autor

E por falar em Júpiter, lembramos de Sagitário, signo regido por ele e por onde Saturno trafega atualmente, também fazendo uma revisão geral nessa área da justiça e das crenças. Saturno agora trafega o terceiro decanato de Sagitário, regido pelo Sol. É um grande alívio que já não tenhamos a quadratura Saturno-Netuno para lidar, uma configuração que simbolizou toda a depressão coletiva, a apatia, a fragmentação de muitos sonhos, a morte de muita gente no mundo das artes e entretenimento em 2016… Mas temos pela frente Saturno-Quíron, tão dolorosa e difícil quanto. Embora muitos astrólogos não utilizem Quíron em suas leituras, não há dúvidas de sua “influência” astrológica e certamente essa quadratura se fará sentir.

Daunhaus.Deviantart – Reprodução

Essa quadratura a Quíron é um espinho venenoso enfiado na carne, que infecciona e dói excruciantemente! Um aspecto bastante difícil de se lidar, porque estamos falando de dois princípios pesados, significadores de inseguranças, bloqueios, medos, incertezas, feridas, dificuldades… Numa conversa tensa e deveras conflituosa… Extremamente espinhoso. Defensivo. Desagradável. Doloroso. É preciso ter muita coragem e serenidade para olhar as profundezas da própria alma dispostos a enfrentar nossos piores pesadelos e fragilidades de cabeça erguida, com dignidade, para poder usar isso como mola de crescimento. O mais provável é que sintamos de maneira muito crua que todo esse sofrimento é inútil e sem sentido e nos sintamos amargos e cínicos, com uma sensação de futilidade a nos assombrar dia após dia. Olhamos para o nosso abismo pessoal, social e coletivo e ele olha de volta para nós, mais fundo e obscuro do que ousaríamos pensar.

Magritte – Reprodução

Uma reação possível dos mecanismos de defesa é recorrer a verdades prontas, frases feitas, crenças bonitas mas inócuas ou rígidas e excessivamente severas, para nos dar algum senso de segurança ou de sentido. Nosso alter-ego, aquele severo guardião moral que diz o que é certo e errado, aponta o dedo para o nosso lado mais frouxo e desmazelado, aquela parte de nós mais desamparada e vulnerável, que então se encolhe e se amiúda, querendo desaparecer. Desnecessário dizer o quanto isso é difícil e paralisante, além de possibilitar reações instintivas de animal ferido mortalmente que, para se defender vai revidar da pior maneira… É claro que isso é um extremo. Sempre podemos tirar proveito desses momentos de fragilidade para nos conhecer melhor, recorrer a alguma prática terapêutica, a alguém em quem se confia para propiciar um olhar externo e apaziguador de tal sofrimento. Não precisamos resvalar nos extremos! A manifestação desse aspecto é muito provável de se dar nas relações mais próximas, particularmente relações que envolvam figuras paternas ou de poder, como a relação com o próprio pai, chefes, professores, ou outros tipos de autoridades, inclusive religiosas, acadêmicas etc. É preciso compreensão, sensibilidade, compaixão e doçura para consigo mesmo e para com o outro que porventura percebamos estar lidando com esse tipo de dilema.

Salvador Dali – Reprodução

Peixes é o signo que fala da desintegração da forma e do ego. Quíron trafegando este signo nos diz que essa desintegração é dolorosa e que temos que abrir mão do anseio por redenção, porque não há redenção à vista. A quadratura de Saturno nos fala que as figuras de autoridade e poder estão feridas, vulneráveis, fracas. Essa vulnerabilidade tanto pode ser moral e psicológica, quanto física e concreta, ou seja, pode implicar reputações avariadas ou perda da saúde ou ainda morte. Ou nos sentimos órfãos porque tais autoridades são incapazes de continuar a nos dar suporte, ou porque nos desapontamos terrivelmente com elas.

Em termos mundanos, podemos bem associar essa quadratura com todas essas reformas em andamento no Brasil. Novas leis (Saturno em Sagitário) que versam sobre a saúde coletiva, aposentadoria, etc (Quíron em Peixes). E como vimos, a aprovação das tais leis não favorece nem um pouco ao povo e à maioria. É possível também vermos figuras eclesiásticas e religiosas em geral – de todas as religiões – tendo suas fraquezas e vulnerabilidades expostas, sendo julgadas socialmente, seus pés de barro esfacelando-se debaixo do seu peso de ferro e ouro… A mesma coisa se aplica a autoridades acadêmicas e altos postos universitários. A exposição dessa vulnerabilidade pode ser no sentido moral, mas também físico, ou seja, pode implicar questões de saúde ou mesmo de morte nesses meios mencionados. Se Saturno-Netuno simboliza a morte e o desaparecimento de figuras importantes nas artes em geral, Saturno-Quíron sugere a mesma coisa para figuras importantes dos meios acadêmicos, religiosos, filosóficos ou mesmo da saúde, já que Quíron também tem a ver com a cura. A implicação dos meios eclesiásticos e religiosos tem a ver com o trânsito de Saturno por Sagitário.

Reprodução

Saturno faz também aspecto positivo a Urano, um trígono. Esses dois planetas em contato simbolizam a implementação das mudanças intelectuais, aquelas que são pensadas na configuração Júpiter-Urano. Este aspecto indica a possibilidade de conciliarmos o velho e o novo, a tradição com a inovação, tirando o melhor dos dois mundos. Indica que temos recursos para fazer algumas mudanças estruturais e cruciais com uma certa segurança, de forma responsável, planejadamente. É um tempo favorável para as ciências, as áreas de pesquisa e do conhecimento em geral. Novas ideias (Urano) ganham forma (Saturno), harmoniosamente. Assuntos antigos (Saturno) ressurgem com novas roupagens ou abordagens (Urano). Urano estará bastante ativado, o que sugere um ano cheio de surpresas, de eventos inesperados, reviravoltas, rebeldia, revolução e subversão. Sempre que Urano está envolvido diz-se “espere o inesperado”, o que é uma contradição em si mesmo, mas esse dizer é para enfatizar a natureza imprevisível e abrupta deste planeta. Saturno ingressa em Capricórnio em 20 de dezembro.

Veja onde acontece esse aspecto muito positivo de Saturno e Urano no seu mapa natal, agendando uma consulta comigo: psicologica.astrologia@gmail.com

Ingressão do sol em Áries – 20 de março

Ingressão do Sol para Brasília

Um dos meios mais efetivos de vermos como vai ser o ano é analisando o mapa da ingressão do sol em Áries, que se dará em 20 de março, às 07h28min no horário de Brasília e às 10h28min no horário de Lisboa. Esse mapa grita alto, altíssimo! Primeiro, o Sol está na casa 12, a casa das coisas ocultas, junto com Vênus retrógrada e Mercúrio. Isso nos diz que o poder no Brasil continuará a ser exercido de forma obscura. A casa 12 no mapa astrológico classicamente é tida como a casa dos “inimigos não declarados” – sendo o Sol a autoridade máxima e representando o presidente/chefe de estado, teremos então inimigos não declarados no poder? O inimigo comanda o show dos bastidores! Em Astrologia Mundana/Mundial essa casa é a dos movimentos subversivos, dos movimentos e eventos secretos, clandestinos, subterrâneos. E é também a casa das instituições de isolamento: hospitais, mosteiros, prisões. Considerando-se tudo o que temos visto até no que tange às rebeliões no sistema carcerário, podemos dizer que essa tendência de conflitos deve continuar ano adentro.

Ramiro Furquim – Sul 21 – reprodução

O Sol se afasta de uma quadratura a Saturno-Lua e conjunção a Quíron, ambos os aspectos fora de signo. Sugere que ainda amargamos desapontamentos passados, ainda estamos a digerir muito dos recentes acontecimentos desagradáveis. O choque de realidade continua a reverberar. Sem falar que a quadratura Lua-Sol deixa claro que os interesses do governo não coincidem com os da massa – longe disso, conflitam terrivelmente. O próximo aspecto que o Sol fará é a conjunção a Vênus retrógrada. Baigeant, Campion e Harvey (1), no livro Mundane Astrology, dizem que Vênus representa a cola que mantém o povo da nação unido, as coisas prazerosas, artes, harmonia, entretenimento. “Traz a paz, embora, devido à sua natureza passional, também tem associações com a guerra”. Os Maias e os Astecas eram grandes estudiosos do ciclo de Vênus e para eles, Vênus retrógrada, como já disse em outros textos, era associada às guerras, por causa da qualidade subversiva e guerreira que Vênus adquire quando muda de direção. De diplomática e conciliadora, torna-se uma guerreira obstinada a destruir o inimigo. Assim, essa posição de Vênus Rx alerta que os conflitos civis, as revoltas populares devem ficar mais inflamadas neste ano, especialmente porque Vênus está em Áries, um signo de guerra. As pessoas em geral têm grande dificuldade de concordar entre si e o tom animoso sai das redes sociais e pode ganhar as ruas. Vênus também está associada ao arquétipo feminino e aos recursos do país, devido à regência de Touro. Os recursos do país ficam escassos, particularmente porque essa Vênus rege a casa 2 deste mapa. E na casa 12 aponta para as falcatruas e negociatas feitas por trás das costas do povo – adeus, Aquífero Guarani e tantos outros tesouros nacionais!!! E a economia, ao invés de crescer, tende à retração – portanto, o crescimento é deveras duvidoso!

Pixabay.com – Reprodução

Urano está na casa 1 deste mapa, a casa que representa a nação como um todo, sua autoimagem. Urano está em quadratura a Plutão que está conjunto ao MC e ainda recebe a oposição de Júpiter no DC, que também quadra Plutão. É um ano revolucionário, não se sabe se as revoluções são para melhor ou para pior, mas a sombra coletiva desse país vai para os holofotes e muitas coisas secretas com as quais não lidamos até aqui vão para o palco central, de modo que precisamos olhar com os olhos bem abertos e transformar o que tiver que ser transformado.

Shutterstock – Reprodução

Júpiter está retrógrado na casa 7/DC e sugere esse anseio de buscarmos a ajuda de algum parceiro “benfeitor”, mas esse Júpiter está retrógrado, de modo que é provável que não consigamos e ainda sejamos objeto de ridículo. Júpiter também está destacado, visto que puxa essa mapa todo numa formação de Locomotiva – mais uma vez, a despeito de todas as vicissitudes, precisamos ter fé de que estamos mudando para melhor. Não uma fé cega ou alienada, mas uma fé clara, arguta, como mostram os aspectos a Urano e Plutão.

Reprodução

Mercúrio está conjunto ao Ascendente em Áries e é instrumental na fomentação dos conflitos – alô, grande mídia! – visto que está também em oposição ampla a Júpiter e quadratura a Plutão no MC. Mercúrio rege as comunicações de todo o tipo, a educação, as mensagens do governo ao povo, os movimentos intelectuais e pensamento da nação. E este pensamento está nervoso, incendiário, disposto a demolir muitas verdades, crenças e leis inócuas, disposto a botar a boca no trombone, mas também pode estar inflexível e egocentrista. A quadratura a Plutão sugere novamente, que muitos podres virão à tona tanto no que tange aos meios políticos e econômicos (Plutão em Capricórnio), quanto aos meios judiciários e eclesiásticos (Júpiter em Libra), podendo também representar alguns incidentes diplomáticos.

Shutterstock – Reprodução

A Lua está conjunta a Saturno na casa 9, em Sagitário e repete algo parecido já apontado por Mercúrio-Júpiter-Plutão: verdades sombrias acerca dos meios religiosos e da justiça precisam ser encaradas sem escapismos. A Lua representa o povo, as massas, que neste caso estão fanáticas e apaixonadas por ideologias rígidas, moralismos vazios. Talvez essas massas exijam punição e justiça contra os desmandos, mas têm que lidar com realidades decepcionantes, já que a Lua também quadra Quíron. A casa 9 também é a casa das publicações, das instituições acadêmicas e dos sistemas das leis, de maneira que essa posição aponta para leis rígidas que repercutem negativamente nas instituições públicas e sociais (Quíron na 11), na educação, universidades e na produção das ciências. Positivamente, a conjunção Lua-Saturno sugere que o povo está mais realista, mais forte e resiliente, menos propenso a esperar por milagres.

Shutterstock – Reprodução

A Lua também é um planeta feminino e está conjunta a Saturno. Somando isso à posição de Vênus, retrógrada em Áries na casa 12, temos que este não é um ano particularmente favorável para o feminino, para as mulheres, que podem se sentir amordaçadas e cerceadas nas suas conquistas e liberdades e na forma como são tratadas pelas leis e pelos aplicadores das leis. Pode haver um recrudescimento da violência contra a mulher. Contudo, esse feminino coloca uma resistência formidável e está disposto a brigar ferrenhamente por suas bandeiras. E essa retrogradação pode significar uma reformulação, uma reavaliação de como a mulher e o feminino têm sido vestidos nos últimos tempos.

Shutterstock – Reprodução

Marte está em Touro, na casa 1, isolado, sem aspectos. Poderíamos considerar um trígono de quase 10 graus que vai receber da Lua, mas ainda é muito distante. Marte está em recepção mútua com Vênus retrógrada. Em Touro ele está mais calmo e paciente e delibera antes de entrar em ação, o que por um lado, ajuda bastante em momentos de ebulição e conflito. Entretanto, um planeta sem aspectos tende a se manifestar de forma extremista, super-compensando os momentos de pouca atividade com outros de atividade exagerada, inflexível, radical, sugerindo muitos riscos. Marte é o planeta da liberação da energia executiva, da paixão e da violência, e quando sem aspectos, sugere que essa energia é liberada de forma irregular, errática. Pode ser grosseiro, rude, truculento, particularmente em Touro e como também representa o poderio militar, essa posição inspira cuidados. Pode agir de forma a gerar divisões, violência, rebeliões (particularmente no sistema prisional, já que a regente, Vênus, está na casa 12) e tumultos na ordem social.

O único aspecto positivo nesse mapa é o trígono Saturno-Urano, que pode sim, dar alguma sustentação em momentos de caos, mas, de modo geral, esse mapa diz que esse é um ano bastante conturbado para o Brasil – e também para o mundo, de formas diferentes. É bem diferente de 2016, porque 2016 tinha aquela sensação de depressão, de desesperança, de coisas arrastadas… Já 2017 traz energia de ação, é dinâmica, embora seja conflituosa. Este é um ano de revolução –  embora, com Marte em Touro (regente de Áries, Sol, Vênus, Mercúrio e Urano), essa revolução aconteça meio a passo de tartaruga e talvez seja meio preguiçosa… meio na marra, talvez porque fiquemos com medo de perder algumas “comodidades”. Urano em Áries, contudo, sempre sugere que a mais importante revolução de todas, a principal e fundamental, é a revolução individual – é no indivíduo e a partir do indivíduo que a revolução pode realmente acontecer – principalmente porque Urano e Marte estão na casa 1.

Eclipses

O eixo nodal permanece por cerca de 19 noves numa polaridade de signos. Esse eixo ingressou na polaridade Virgem-Peixes em novembro de 2015, onde permanece até maio de 2017, quando ingressa, então, no eixo Leão-Aquário. Nos últimos dois anos tivemos eclipses acontecendo entre as polaridades de Áries-Libra e de Virgem-Peixes – leia e entenda melhor a mecânica dos eclipses. Agora os eclipses se deslocam para Leão-Aquário e mesmo os de fevereiro já ocorrem neste par de signos, porque para haver um eclipse, é preciso que Sol e Lua estejam distantes até 18 graus do eixo nodal.

Tabela de eclipses de 2017: significados e área de influência por signo. Veja o signo do seu ASCENDENTE!

Então, teremos dois eclipses lunares, os dois parciais/penumbrais, o de fevereiro visível em quase todo o Brasil e o de agosto visível na África, Ásia e Oceania – leia sobre o Eclipse Lunar em Leão de fevereiro. Já os eclipses solares serão totais, o de fevereiro sendo visível da região central ao Sul do Brasil e o de agosto sendo visível na América do Norte e parcialmente no Norte do Brasil – leia sobre o Eclipse total do Sol em Peixes de fevereiro. De modo geral, esses quatro eclipses que acontecem em 2017 aumentam a possibilidade de coisas imprevisíveis e inesperadas ocorrerem ao longo do ano, podendo se manifestar como cataclismos naturais, como terremotos e tsunamis, e também como violência social em que o indivíduo se coloca contra os grupos e o povo se volta contra governos e poderes estabelecidos – isto no Brasil e no mundo. Esses eclipses enfatizam o papel e a atuação do indivíduo na comunidade, conclamando as pessoas a serem mais participativas e a se responsabilizarem mais pelas mudanças que querem ver acontecendo na sociedade.

Você sabe onde os eclipses caem no seu mapa e o que eles acionam? E Vênus retrógrada, o que vem significar para você neste momento? Agende uma consulta e descubra: psicologica.astrologia@gmail.com

Pawel Kuczynski – Reprodução

Mercúrio ficará retrógrado quatro vezes, nos signos de Capricórnio/Sagitário (janeiro), Touro/Áries (abril a maio), Virgem/Leão (agosto a setembro) e Sagitário (dezembro). Os períodos de Mercúrio retrógrado, como sabemos, propiciam que façamos revisões importantes sobre nossas formas de pensa e nos comunicar e, considerando-se a posição de Mercúrio neste mapa, os períodos de retrogradação serão cruciais para a avaliação do quanto as revoluções são benéficas ou maléficas para o Brasil.

 

Datas de Mercúrio retrógrado:

19/12/2016 a 08/01/2017 – retrograda de 15° de Capricórnio a 28° de Sagitário

09/04 a 03/05 – retrograda de 4° de Touro a 24° Áries

13/08 a 05/09 – retrograda de 11° de Virgem a 28° de Leão

03/12 a 22/12 – retrograda de 29° a 13° de Sagitário

Arcano XIII – A Morte – Tarô de Nei Naiff

Assim, transformações profundas continuam a ocorrer nas grandes instituições econômicas, nas estruturas governamentais, nos sistemas bancários, no Poder e poderes em geral. O que não for mudado por bem, será transformado à revelia da nossa vontade na grande conjunção de Júpiter-Saturno-Plutão em 2020, um ano de grande turbulência econômica, política e social, em termos globais – nada comparado com o que estamos vendo agora. A Terra vai parar e mundo não será mais o mesmo depois de 2020!

Shutterstock – Reprodução

Em resumo, em 2017 temos a continuidade de um ciclo de mudanças iniciado lá em 2008 e que se estende até 2020, quando outros ciclos importantes começam, mudando drasticamente o cenário geopolítico mundo afora. Apesar de haver um aumento no conservadorismo, 2017 é um ano de muitas reviravoltas políticas, econômicas e sociais, assim como um ano de mudanças significativas e repentinas nas leis e no exercício dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Por um lado, ainda temos muitos desapontamentos e desilusões, especialmente com autoridades e figuras públicas dos campos da política, do judiciário e das religiões. Por outro lado, o povo já não fica tão passivo, está mais resiliente e levanta resistência, usando esse desapontamento como combustível para brigar contra desmandos e injustiças e ir atrás de mudanças reais. O perigo é que aqueles que detém o poder vão tentar defendê-lo a todo custo e isso pode gerar revoltas e conflitos violentos, nas ruas e dentro de instituições, tanto no Brasil quanto no mundo.

Embora tudo isso pareça assustador, não devemos ficar assustador e com medo, porque já vivemos isso atualmente e as coisas tendem apenas a se intensificar. O movimento de transformação nos convida a permanecer conscientes e a voluntariamente contribuir e cooperar com essa transformação. E por mais que tudo pareça estar piorando, isso não é verdade. Recorro a um texto de Sathya Sai Baba para nos lembrar disso, que fala sobre esse período de transição que atravessamos:

“Não há mais maldade, o que há é mais luz, e é sobre isso que falo agora. Imagine que você tem um quarto, ou uma despensa, onde guarda suas coisas, iluminado por uma lâmpada de 40W. Se trocar para uma lâmpada de 100W, verá desordem e um tipo de sujeira que você nem imaginava que havia no local.

A sociedade está mais iluminada. Isto é o que está acontecendo. E isto faz com que muitas pessoas que leem estas afirmações as considerem loucura.

Percebem que hoje em dia as mentiras e ilusões são percebidas cada vez mais rapidamente? Bom, também está mais rápido alcançar o entendimento de Deus e compreender a forma como a vida se organiza.

A nova vibração do planeta tem tornado as pessoas nervosas, depressivas e doentes. Isto porque, para poder receber mais luz, as pessoas precisam mudar física e mentalmente. Devem organizar seus quartos de despejo, porque sua consciência cada dia receberá mais luz. E por mais que desejem evitar, precisarão arregaçar as mangas e começar a limpeza, ou terão que viver no meio da sujeira.

Esta mudança provoca dores físicas nos ossos, que os médicos não conseguem resolver, já que não veem uma doença que possa ser diagnosticada. Dirão que é causado pelo estresse. Porém isto não é real. São apenas emoções negativas acumuladas, medos e angústias, todo o pó e sujeira de anos que agora está sendo visto para ser limpo.

Algumas noites as pessoas acordarão e não conseguirão dormir por algum tempo. Não se preocupem. Leiam um livro, meditem, reze. Não imagine que algo errado ocorre. Você apenas está assimilando a nova vibração planetária.

Se não entender este processo, pode ser que as dores se tornem mais intensas e você acabe com um diagnóstico de fibromialgia, um nome que a medicina deu para o tipo de dores que não tem causa visível. Para isto não existe tratamento específico – apenas antidepressivos, que farão com que você perca a oportunidade de mudar sua vida.

Uma vez mais, cada um de nós precisa escolher que tipo de realidade deseja experimentar, porém sabendo que desta vez os dramas serão sentidos com mais intensidade; assim como o amor. Quando aumentamos a intensidade da luz, também aumentamos a intensidade da escuridão, o que explica o aumento de violência irracional nos últimos anos.

Estamos vivendo a melhor época da humanidade desde todos os tempos. Seremos testemunhas e agentes da maior transformação de consciência jamais imaginada.

Informe-se, desperte sua vontade de conhecer estas questões. A ciência sabe que algo está acontecendo, você sabe que algo está acontecendo. Seja um participante ativo. Que estes acontecimentos não o deixem assustado, por não saber do que se trata.” (SATHYA SAI BABA)

Shutterstock – Reprodução

Como fica para os signos (Sol, Lua e Ascendente)?

Os signos cardinais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) continuam a lidar com as transformações exigidas por Plutão (segundo decanato), são chamados a despertar radicalmente por Urano (terceiro decanato) e ainda precisam buscar equilíbrio no crescimento, conforme aponta o trânsito de Júpiter por Libra (segundo e terceiro decanatos). Assim, os signos cardinais continuam a ser desafiados de forma crítica.

Os signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário estavam passando por uma trégua relativa nos últimos dois anos, desde que Saturno finalmente saiu de Escorpião. Em outubro Júpiter ingressa em Escorpião, onde ficará até oito de novembro de 2018. Júpiter vai agitar e animar um bocado a vida dos signos fixos, mas para Touro, Leão e Aquário é preciso ter alguma cautela, porque Júpiter tende aos exageros. Os signos fixos também serão afetados pela migração do eixo nodal para Leão-Aquário, já que os eclipses passam a acontecer nessa polaridade de signos.

Já os signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes), são dos mais desafiados, visto que lidam com o trânsito de Saturno por Sagitário (terceiro decanato dos signos mutáveis) e de Netuno por Peixes (segundo decanato) e Quíron (terceiro decanato), também por Peixes. Os signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) tiveram que lidar com algo parecido lá pelos idos de 1999, quando Saturno trafegava Touro e Netuno passeava por Aquário. A diferença é que os signos fixos são signos de controle, e precisam abrir mão de tal controle. Os signos mutáveis, por outro lado, são signos mais fluidos e estão sendo testados e cobrados severamente no seu senso de ordem e de estrutura, no seu senso de funcionamento efetivo no mundo. Precisam fazer o exercício de abrir mão do paraíso da infância (Netuno) e encarar a realidade, se estruturando e amadurecendo mais um pouco (Saturno).

Então, 2017 nos pergunta: quais revoluções precisam acontecer na sua vida?

Descubra isso e muito mais agendando uma consulta: psicologica.astrologia@gmail.com

 

Datas importantes

06 de fevereiro – Júpiter retrógrado em Libra

11 de fevereiro – Eclipse Penumbral da Lua em Leão

26 de fevereiro – Eclipse Anular do Sol em Peixes

03 de março – Júpiter Rx em oposição a Urano

04 de março – Vênus fica retrógrada a 13° de Áries

20 de março – Ingressão do Sol em Áries

30 de março – Júpiter Rx em quadratura a Plutão

06 de abril – Saturno retrógrado em Sagitário

09 de abril – Mercúrio retrógrado em Touro

15 de abril – Vênus direta em Peixes

20 de abril – Plutão retrógrado em Capricórnio

03 de maio – Mercúrio direto em Áries

17 de maio – Júpiter Rx em quincúncio a Netuno

19 de maio – Saturno Rx em trígono a Urano

09 de junho – Júpiter direto em Libra

16 de junho – Netuno retrógrado em Peixes

05 de julho – Júpiter direto em quincúncio a Netuno

03 de agosto – Urano retrógrado em Áries

4 de agosto – Júpiter direto em quadratura a Plutão

11 de agosto – Urano Rx em semi-quadratura a Netuno

13 de agosto – Mercúrio retrógrado em Virgem

25 de agosto – Saturno volta ao movimento direto em Sagitário

27 de de agosto – Júpiter direto em sextil a Saturno

05 de setembro Mercúrio volta ao movimento direto em Leão

27 de setembro – Júpiter em sesqui-quadratura a Netuno

28 de setembro – Júpiter em oposição a Urano

28 de setembro – Plutão volta ao movimento direto em Capricórnio

07 de outubro – Urano Rx em semi-quadratura a Netuno

10 de outubro – Júpiter ingressa em Escorpião

11 de novembro – Saturno em trígono a Urano

22 de novembro – Netuno direto em Peixes

2 de dezembro – Júpiter em Escorpião em trígono a Netuno

3 de dezembro – Mercúrio retrógrado em Sagitário

20 de dezembro – Saturno ingressa em Capricórnio

22 de dezembro – Júpiter em semi-quadratura a Saturno

23 de dezembro – Mercúrio volta ao movimento direto em Sagitário

(1) – Michael Baigent, Nicholas Campio, Charles Harvey – Mundane Astrology – Thorsons UK

Lua Cheia em Aquário – Experimente!

 

Experimente algo novo! Reinvente a roda, a roda da sua vida!

Aquário é o signo das experimentações. Então, cá estou eu experimentando!

Hoje não tem texto, tem vídeo! Não ficou perfeito, afinal é o primeiro, mas eu queria fazer algo diferente.

Esse é o resultado! Espero que vocês gostem!

(Desculpem o atraso. É a primeira vez que faço um vídeo assim e estou envolvida com isso dede a terça-feira. Concluí a edição já hoje, mas demorou demais para fazer o upload, e quando terminou o upload eu estava em consulta… De modo que só agora consigo publicar! )

 

 

A Semana Astrológica – Defina as prioridades e mire no alvo!

Lua Corcunda - Creuza Medeiros, em Chapada dos Guimarães-MT
Lua Corcunda – Creuza Medeiros, em Chapada dos Guimarães-MT

Semana de 15 a 21 de agosto – é tempo de Lua Cheia, que simboliza a colheita, o pináculo do ciclo, portanto, é tempo de expansão e frutificação, que vêm nutridos de muita determinação e de objetivos mais definidos!

Queridos, consegui escrever sobre os principais movimentos da semana, aqueles que dão o tom geral do período. Só não consegui escrever o dia a dia e essa parte será escrita nos próximos dias, dia a dia mesmo, desculpem o trocadilho – então, quem tiver paciência, pode voltar aqui para ver todos os dias.

Reprodução
Reprodução

Saturno voltou ao movimento direto e agora arregaçamos as mangas e retomamos as tarefas sobre as quais refletimos tanto! Agora vamos para o último round do embate com a nossa desesperança, com a nossa desilusão, mas vamos preparados e munidos de muita resiliência. Principalmente, agora as coisas se tornam mais definidas e claras, tanto no campo dos nossos objetivos e ambições maiores, quanto no campo das relações – especialmente para quem tem Vênus ou os Ângulos em signos mutáveis. Depois de definirmos nossas prioridades, a partir dos muitos aprendizados, estamos dispostos a abrir mão e nos livrar de tudo o que não contribui e não nos acrescenta, de tudo o que nos puxa para trás e se isso incluir relacionamentos, que seja! Bye bye, so long, farewell! É tempo de ser pragmáticos,  de afinar e refinar nossa determinação, coragem e foco, representados pela conjunção de Marte a Saturno no grau 10 de Sagitário, exata na próxima semana – aliás, merece nota o fato de Marte estar atualmente Fora dos Limites do Sol e eu vou falar disso na semana que vem, quando falar da conjunção Marte-Saturno. Elejamos o foco da nossa determinação e da nossa paixão, miremos o target com concentração máxima e finalmente disparemos a flecha, certeira, matadora, vitoriosa! Tudo isso no ritmo da galopada vertiginosa, porque o mundo continua a girar! LEMBRETE: Marte em contato com Saturno também indica riscos de acidentes, principalmente quando ambos estão em aspecto também co Urano! CAUTELA!!!!

Doctor Ojiplatico - Reprodução
Doctor Ojiplatico – Reprodução

O Sol faz trígono a Urano em Áries nesta semana e também quincunce a Quíron, indicando um período de inovarmos, de progredirmos, de sairmos das caixinhas limitadoras em que nos colocamos, dando um basta nos rótulos, ao mesmo tempo em que lidamos com o desconforto daquilo que não pode ser mudado. Como é isso? É preciso sabedoria, autoconhecimento, olhar crítico, porém amoroso para si mesmo para identificar em qual categoria nossos problemas estão: daquilo que é não só passível de se mudar, mas que demanda mudança de postura, e daquelas coisas que demandam aceitação humilde da impossibilidade humana.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio faz oposição a Quíron e quincunce a Urano no mesmo dia ainda e conjunção a Júpiter no outro, quase a nos dizer que, depois de confrontarmos nossas mazelas, de cair a ficha que a mente não dá conta de tudo – pelo contrário, pode ser bastante traiçoeira – ainda podemos nos imbuir de novo ânimo e, mais sábios, projetar novo ciclo de expansão que inclua o reconhecimento de nossas fragilidades e também nosso grande potencial de cura e de ajuda aos outros, seja pela comunicação de nossas ideias, seja pela modificação de nossos conceitos, seja de forma mais direta, pela energia de cura que carregamos em nossas mãos e voz! Mercúrio em oposição a Quíron também nos lembra que a cura está na forma como encaramos nossos problemas, nos deixamos abater por eles e nos vitimizamos? Fugimos deles ao nos imolar no sacrifício da dedicação extremada ao outro? Encaramo-los como parte da trajetória, como parte do nosso aprendizado nessa vida? Permitimos que nos tornem mais humanos, compassivos e amorosos para conosco mesmos e com os outros, ou deixamos que nos tornem amargos, azedos, pessimistas e niilistas? Mercúrio fará todos esses contatos três vezes (Quíron, Urano, Júpiter e Plutão), devido ao ciclo de retrogradação, que se inicia no dia 30 de agosto – um tempo de rever os métodos pelos quais resolvemos nossos problemas e dificuldades.

Barbed Wire Art - Reprodução
Barbed Wire Art – Reprodução

Vênus, depois de embate doloroso com Saturno e Netuno, regenera-se na amizade com Plutão e enche-se de uma força renovada, renascendo das cinzas, simbolizando a percepção do sentido mais profundo de todas as feridas, dores, rompimentos e transformações pelas quais viemos passando nos últimos tempos. É, a vida não para e não dá tempo nem espaço de chorarmos por muito tempo, porque as demandas continuam – tem que trocar o pneu com o carro andando, por mais insano que possa parecer! Podemos tirar um tempo para nós, um retiro ou sabático afetivo, mas ainda precisamos continuar funcionando no mundo, ainda precisamos existir afetivamente, nem que seja para os amigos, a família, o bicho de estimação – que certamente contribuem com nossa cura e recuperação! Aliás, é providencial que Vênus faça esse contato com Plutão, para se fortalecer, antes de dar de cara também com Quíron, na semana que vem. A exemplo de Mercúrio, Vênus encontra com Júpiter depois do confronto com Quíron e isso também será um bálsamo curativo para as feridas e vulnerabilidades com que teremos que lidar.

Reprodução
Reprodução

Finalmente, a Lua abre a semana na fase Corcunda, plenamente grávida, em Capricórnio. Será Cheia a 25°51 de Aquário, na quinta-feira, dia 18, às 06h26min, em sextil a Urano e quincunce a Júpiter. Um momento de crise, de iluminação, de frutificarmos nossa singularidade em prol do coletivo, dos grupos, do mundo – a obra maior que somos nós mesmos não pode ser cultivada e burilada somente para enaltecer nosso próprio ego e vaidade, antes, deve iluminar nosso entorno, deve jogar luz sobre a vida e sobre o mundo, senão, nossa realização criativa ocorrerá pela metade, será vivida com o intuito único de atrair o olhar do outro, a mando de nossa grande insegurança. O tanto que somos especiais e únicos é o mesmo tanto que precisamos nos lembrar que ainda pertencemos a uma comunidade, que deve se beneficiar de todos esses talentos que carregamos e que julgamos tão extraordinários!

A Lua fecha a semana já em Áries!

keep-calm-and-sem-mimimi-4

SEGUNDA-FEIRA, 15 de agosto – O Sol em Leão está em trígono a Urano em Áries e em quincunce a Quíron em Peixes, aspectos exatos amanhã. A Lua está Corcunda em Capricórnio e hoje está corridíssima, ocupadíssima: faz sextil a Netuno, conjunção a Plutão, quincunce ao Sol, quadratura a Urano, sextil a Quíron e ainda trígono a Vênus, Mercúrio e Júpiter em Virgem, ficando vazia depois do aspecto a Júpiter, às 23h46min. Vênus segue se afastando da T-Square mutável que formou com Saturno e Netuno. Uau! Que tal isso para uma segunda-feira? Temos gás o bastante? Temos! Com certeza! O dia está colorido de muita determinação, disposição e capacidade realizadora. Conseguimos atacar problemas de frente e não temos o menor interesse em fugir de nada, pelo contrário, a política é: ou resolve ou me despacha porque não tenho tempo para ficar empacado aqui esperando por quem não tem comprometimento com nada! Sim, é curto e grosso, mas é também pragmático. Não é queiramos brigar ou conflituar com ninguém – é que nem mesmo temos tempo ou paciência para isso, então, vamos fazer a fila andar, seja a fila do banco, a da repartição, a da pilha de trabalho, a fila da vida! Com tal disposição de ânimo, podemos aproveitar para olhar nossa própria vida e tirar algumas lições e aprendizados. Podemos nos lembrar do que é que acende toda essa determinação dentro de nós e nos lembrar disso no futuro, em momentos em que talvez duvidemos dos nossos intentos. Podemos também abandonar o mimimi e as ladainhas reclamatórias que temos a respeito dos nossos próprios problemas e encará-los com sobriedade e resiliência: o que não me mata me fortalece, então, se não morri, se isso tudo que me acontece é duro, pesado e avassalador mas ainda estou vivo e atuante, então, eu dou conta, aos trancos e barrancos, eu dou conta! E vou vencer essa parada! Porque sobretudo, somos sobreviventes!

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 16 de agosto – Dona Lua abriu o dia vazia em Capricórnio, depois de ter feito trígono a Júpiter em Virgem, no fim da noite de ontem. Ingressou em Aquário, signo onde vai ser cheia, às 08h53min. Faz sextil a Marte, enquanto se indispõe de maneira bem inconsciente com Mercúrio e depois também com Júpiter. Fecha a noite em harmonia com Saturno, seu dispositor.

Depois de começarmos o dia ainda concluindo coisas de ontem que porventura tenham carecido de finalização, pelo meio da manhã a energia muda e sentimos vontade de sair da rotina. Pois sim, é dia de inventar, fazer algo diferente, experimentar, buscar olhar as mesmas coisas com olhar novo, ou simplesmente ir atrás de novos ares.

O dia traz uma energia sociável e muito mental, propiciando um bom distanciamento e objetividade. Ótimo para focar em atividades mais mentais que exijam raciocínio lógico, desprendimento e pouco envolvimento emocional – podemos, inclusive, olhar nossos próprios dilemas de maneira mais solta, como se assistíssemos a um filme porque isso pode ajudar a perceber outras possibilidades e perspectivas que antes não enxergávamos porque estávamos próximos e envolvidos demais.

Se insistimos em fazer tudo igual, tudo como sempre, mecanicamente, podemos ter imprevistos e surpresas, algumas delas irritantes, portanto, o ideal é buscarmos o novo e o diferente voluntariamente, com espírito de curiosidade

 

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

QUARTA-FEIRA, 17 de agosto – A Lua segue por Aquário, signo onde vai ser cheia, amanhã. Hoje ela faz sextil aSaturno, seu dispositor e sesqui-quadratura a Júpiter em Virgem. Faz quincunce a Vênus e fecha a noite já em orbe de sextil a Urano e oposição ao Sol. Vênus está em trígono pleno a Plutão. Mercúrio, que já está na zona de retrogradação, também já se opõe a Quíron, estando muito próximo da conjunção a Júpiter – uma manifestação disso são as notícias equivocadas que se alastram pelas redes, causando problemas reais ou, no mínimo, difamando pessoas, como foi o caso do técnico francês que NÃO disse que o atleta brasileiro ganhou graças ao Candomblé e o caso da mulher americana que foi fotografada olhando o celular enquanto seu bebê dormia no chão do aeroporto. Notícias não checadas, não averiguadas que se alastram feito pólvora causando estragos nas vidas das pessoas.

A princípio, as energias continuam favoráveis à abordagem desapegada da vida e das emoções. Estamos leves e sentimo-nos independentes. Entretanto, lá no fundo da alma já sentimos uma trepidação, uma espécie de antecipação de algo prestes a acontecer… E um outro lado de nós, contraditoriamente, gostaria de mergulhar mais profundamente nessas situações e elucidá-las apaixonadamente, porque sabemos que logo precisaremos nos posicionar a respeito de todas estas questões. Logo chegaremos à confrontação das situações que vieram se prolongando nas duas últimas semanas. Mas, se por um lado estamos distanciados, por outro, temos exatamente a disposição necessária para todos os confrontos e nos sentimos capazes e fortes o bastante para lidar com estes dilemas, de forma madura.

A alma feminina, particularmente, pode se ver dividida entre a entrega apaixonada versus a independência e a autonomia; dito de outro modo, o que é mais importante, a afinidade intelectual e de ideais ou a paixão intensa, pura e ardente? Podemos estreitar nossas relações de forma intensa e verdadeira, aprofundando a intimidade, conhecendo e dando-nos a conhecer… Mas vem a dúvida: será que realmente queremos isso? Será que podemos confiar nesse outro? Será que não é melhor nos mantermos livres e soltos ao invés de apaixonados e entregues? O que queremos realmente?

A alma masculina, por outro lado, pode experimentar essas influências na relação com as mulheres, que poderão parecer particularmente contraditórias hoje.

Em termos mais gerais o dia favorece o contato com amigos e com pessoas com quem temos afinidades intelectuais; para tomar decisões motivadas pela razão e não pela emoção; e, se der tempo, para ir ao parque ou outras áreas naturais onde possamos relaxar, nos refazer e regenerar.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 19 de agosto – A Lua Cheia trafega hoje por Peixes. Fez quadratura a Marte nas primeiras horas do dia e depois também a Saturno. Durante o dia faz conjunção a Netuno e oposição a Vênus em Virgem, enquanto se harmoniza com Plutão em Capricórnio. Mercúrio está hoje em quincunce exato a Urano, enquanto Marte segue decidido em direção a Saturno.

O dia traz conflitos delicados, especialmente para o feminino, mas não somente. Sentimo-nos divididos entre as atribuições e obrigações mundanas, laborais, cotidianas e práticas e as necessidades mais sutis por um descanso, um retiro, uma introspecção. A exposição ao mundo é massacrante, porque estamos muito sensíveis, sensitivos até, de modo que sentimos na pele dores que nem são nossas e isso nos faz impotentes, porque, ao mesmo tempo em que isso aciona nossa compaixão, percebemos imediatamente que a tarefa está além do nosso alcance e da nossa capacidade. Assim, há uma sensação de vulnerabilidade e impotência permeando tudo.

Para fugir dessa sensação tão desconfortável, talvez nos enchamos de tarefas que visam “salvar” esse outro, que decidimos prontamente que precisa muito de nós. Entretanto, podemos nos deparar com o que chamamos de “ingratidão” e falta de reconhecimento aos nossos esforços. Ao invés de dar boas vindas à nossa “ajuda”, o “ajudado” pode se indispor e se sentir invadido, enfraquecido, desrespeitado e não recebe de bom grado os nossos préstimos. Antes de ficarmos ressentidos e vociferar contra a ingratidão alheia, vale olhar para si mesmo e averiguar se realmente não fomos desrespeitosos, invasivos, pressupondo que o outro quer nossa ajuda sem pergunta se isso é verdadeiro.

No fundo, é mais fácil lidar com os problemas alheios do que com os nossos próprios e nisso que investimos, algumas vezes, quando ajudamos tanto. Então, vale nos questionarmos hoje – e sempre – por que nos ocupamos tanto, por “ajudamos” tanto, por que tanto empenho em salvar este outro, quem quer que seja ele. Claro que todas essas ações são louváveis e de fato podem fazer a diferença. Mas não podemos nos enganar e ignorar nossas motivações mais íntimas e profundas para fazer o que fazemos, que muitas vezes, é ganhar o senso de validação que vem da necessidade que o outro tem de mim; às vezes também tem a ver com relações de poder, em que eu me sinto mais forte e ao outro resta ser o fragilizado, quando na verdade, talvez ele não seja nada disso.

Assim, vale a pena mantermos nossos julgamentos das situações em cheque, porque nem tudo é o que parece e, em lugar de ajudar, podemos na verdade arrumar problemas com quem não pediu e não quer a nossa ajuda, porque é perfeitamente capaz de cuidar de si mesmo. E pior: os esforço que colocamos em ajudar o outro, poderiam muito ser aplicados em lidar com nossas próprias questões.

Uma linda, produtiva e super determinada semana para você!

Reprodução a partir de Daily Mail - Guerreiros da etnia Awá, na Amazônia, demonstram suas habilidades com o arco e flecha
Reprodução a partir de Daily Mail – Guerreiros da etnia Awá, na Amazônia, demonstram suas habilidades com o arco e flecha

A Semana Astrológica – E por falar em ciclos…

Reprodução
Reprodução

Semana de 8 a 14 de agosto – semana de Quarto Crescente, que sugere desafios, pedindo bastante cautela e ponderação, porque há influências tensas, mas também abertura e ímpeto de crescer e realizar.

Os corpos celestes vão seguindo seu curso e ciclos, em espiral, simbolizando as oportunidades, desafios, mudanças e transformações aqui no velho e alquebrado planeta Terra. Os ciclos maiores, executados pelos planetas lentos, Júpiter, Saturno, urano, Netuno, Plutão e ainda o asteroide Quíron, simbolizam essas mudanças maiores, que vão além do indivíduo e que, muitas vezes, parecem se dar fora dele, mas na verdade, começa nele e ele, somado a todos os outros indivíduos, gera massa crítica que torna os movimentos sociais e coletivos inexoráveis.

Reprodução
Reprodução

Atualmente temos vários ciclos maiores em desdobramento, o mais intenso deles, o de Saturno-Netuno, que tem sua quadratura minguante ocorrendo entre 2014 e 2016 e que teve a adição de Júpiter em Virgem fazendo quadratura (Saturno) e oposição (Netuno) a eles nos últimos meses. A última quadratura exata entre Saturno e Netuno se dará no dia 10 de setembro, bem no meio da segunda temporada de eclipses do ano, com o eclipse do dia 1° de setembro caindo em oposição e quadratura de menos de um grau a estes dois planetas, como se fechassem, com chave de ouro, essa última quadratura – As dissoluções e desconstruções prometidas por Saturno-Netuno podem ser catalisadas e manifestadas soberbamente por esse eclipse, sugerindo um setembro bastante tenso nos meios políticos, econômicos e religiosos. Contudo, depois de finalizada a temporada de eclipses, é provável que tenhamos um ar mais limpo, um céu mais claro e maior nitidez e lucidez para olhar à frente. Talvez nos sintamos também mais confiantes para olhar para o futuro. E, talvez, nos sintamos capazes de finalmente começar este ano, na hora em que ele se encaminha para seu ocaso.

Reprodução
Reprodução

Outro ciclo atualmente ativado é o de Urano-Plutão que começou em 2010 e que já está sendo finalizado, embora até 2018 ainda fiquem em quadratura de orbe de 5 graus em alguns períodos. A partir de 2019 teremos o início de um novo ciclo Saturno-Plutão (e o fim do ciclo velho), com a conjunção de Saturno e Plutão no grau 22 de Capricórnio, seguida, algumas semanas depois, por uma conjunção não exata de Júpiter, Plutão e Saturno, no mesmo signo. Atualmente, Júpiter, depois de se afastar de Saturno-Netuno, faz uma sesqui-quadratura a Urano, a terceira, devido à retrogradação. Os ciclos menores dos planetas mais rápidos e dos luminares vão sendo os gatilhos que manifestam os “eventos” que catalisam essas mudanças. Teremos um eclipse Anular do Sol no dia 1° de setembro, às 06h03min no grau 9 de Virgem (não visível no Brasil, porque o sol não terá nascido ainda, exceto por João Pessoa) e no dia 16 de setembro teremos um Eclipse Penumbral da Lua, às 16h04min, a 24°19 de Peixes (também não visível no Brasil, pois aqui ainda será dia).

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

E falando em ciclos menores olhamos para os próximos dias. Mercúrio se afasta de Netuno, mas esta semana faz trígono a Plutão, indicando um momento propício para olharmos além da superfície das coisas, para cavarmos fundo as questões e descobrirmos o que jaz sob suas raízes, o que está por trás de todos os dilemas e segredos, de forma a podermos dar um passo à frente e modificarmos a maneira como lidamos com nossa mente racional, que pode então, assimilar as influências inconscientes, integrando-as ao consciente. É uma boa semana para lidarmos com quaisquer assuntos que requeiram estamina mental, arguteza de espírito e sagacidade. Em termos mundanos, as comunicações em geral tendem a ser mais sérias e tratar de assuntos mais profundos do que normalmente vemos na mídia.

Reprodução
Reprodução

Vênus, depois da contenda com Marte em Sagitário, depara-se com outros contendores ainda mais pesados: Saturno, a quem faz quadratura e Netuno, a quem faz oposição. Estes movimentos sugerem dias em que a autoestima fica meio capenga. De modo geral, as pessoas estão mais ressabiadas, defensivas, tímidas e reservadas, especialmente porque Vênus está em Virgem. Temos dificuldade em julgar e ter clareza sobre nossos próprios desejos e afetos e, da mesma maneira, também não temos certeza de como lidar com o outro, de modo que é difícil nos abrir e demonstrar nosso desejo, nosso afeto, porque tememos rejeição, então colocamos uma máscara de frieza que pode atrapalhar a saúde das relações e nos fazer sentir meio desenxabidos e estéreis, talvez até um pouco deprimidos, porque tendemos a ver as coisas piores do que realmente são, e assim, nos colocamos para baixo, achando que nada vai melhorar – não é assim! Periodicamente Vênus se depara com Saturno e com os outros planetas pesados. Estes contatos sinalizam um período em que precisamos fazer um novo check-up da nossa autoestima, senso de valor e de como isso impacta nas nossas relações, para o melhor ou para o pior. São ótimas oportunidades de perceber nossas fragilidades e lidar com elas, novamente – porque as coisas nunca se resolvem de forma definitiva, antes, nós vamos nos trabalhando em níveis, em camadas, como a metáfora da cebola, ou, em espiral, na melhor das hipóteses, uma espiral ascendente. Assim, nesta semana temos chances, de novo, de olhar nossos complexos de rejeição e de menos-valia e junto com isso, temos a chance de ganhar mais um pouquinho de segurança e autoestima no confronto com nossos medos e demônios afetivos. No meio disso tudo, Vênus ainda faz sesqui-quadratura a Urano em Áries e, sendo este um aspecto que simboliza forças inconscientes, é possível que, atormentados por nossos medos e inseguranças, resolvamos romper com tudo, convencendo-nos a nós mesmos de que o melhor é ir embora e ficar só e livre. Vale lembrar: liberdade não é fuga! Talvez seja melhor tirarmos um tempo para nós para usufruirmos de alguma introspecção, ao invés de reclamar de solidão e abandono. Em termos práticos e mundanos, esses contatos de Vênus sugerem um período de ter cautela nos investimentos, que precisam ser sóbrios e austeros, especialmente porque as influências de Netuno sugerem falta de clareza e propensão a erros de julgamento. Se possível, o melhor é esperar antes de fazer negócios de grande montante. A economia e os negócios passam por uma retração.

Reprodução
Reprodução

Júpiter faz sesqui-quadratura a Urano pela terceira vez, indicando grande inquietude, irritação e impaciência quanto às obrigações e deveres, pois ansiamos de nos livrar de todos eles como se fossem amarras e grilhões atados a nossas mãos e pés. Há grande dificuldade de conciliar o desejo de liberdade com o comprometimento necessário para nos expandir e solidificar nosso crescimento. Podemos soar muito contraditórios, ora dizendo e querendo algo, para, algum tempo depois, querermos algo muito diferente, até mesmo oposto ao que disséramos antes. Caso não estejamos cientes dessas contradições internas, podemos não só perder boas oportunidades, como por em risco avanços que já estavam bem encaminhados, tudo por causa de laivos de rebeldia que surgem do nada, de forma completamente abrupta e imprevisível. Por outro lado, se nos conscientizamos desses paradoxos, podemos ter grandes melhorias, não só em termos concretos, mas principalmente na percepção e transformação de nossa realidade e de como lidar melhor com ela. Resta aprender a conter esses relâmpagos voluntariosos e indomáveis de criatividade dentro de nós. São indomáveis, mas ainda podemos utilizá-los a nosso favor. Consciência é o primeiro passo para isso.

Reprodução
Reprodução

Saturno estaciona na sexta-feira para voltar ao movimento direto no sábado e finalmente, a construção que estava parada há alguns meses, fosse por causa da falta de alvará, da falta de materiais, ou porque o pedreiro ficou doente, volta a se movimentar! Aleluia! Saturno simboliza as estruturas que criamos e que nos dão sustentação. Quando entra em retrogradação, essas estruturas precisam ser revisadas e revistas. Será que esses andaimes estão mesmo seguros? Será que esse material é de primeira? Será que as licenças e alvarás estão em ordem? Então, paramos estrategicamente para fazer tudo isso e, embora pareça perda de tempo e gere frustração, não é! São ações necessárias que asseguram o sucesso e a segurança da obra no final. A retrogradação de Saturno, assim como de todos os demais planetas a partir de Marte, está diretamente ligada ao Sol e à oposição a ele, assim, antes da retrogradação, o Sol vinha num ciclo crescente pós-conjunção. Erin Sullivan (1) diz que “a oposição é o ponto de mutação do ciclo, marcando o fim da fase de resistência selvagem e o começo da incorporação gradual de novas formas de vivência do poder central”. No período de oposição – que ocorreu em três de junho – tivemos a percepção de quão ultrapassadas eram nossas suposições básicas sobre a vida, diz ela, e agora desaceleramos novamente, recapitulamos, até que o Sol fez um trígono na semana passada, indicando a integração de todo esse material. Agora, mais conscientes de nossos bloqueios internos e externos, das nossas dificuldades com autoridades e em lidar com nossas inseguranças, avançamos resolutos e retomamos a construção. Saturno fica cerca de 48 horas estacionário, entre 05h49min do dia 12 de agosto até 05h49min do dia 14, quando volta a se movimentar. Tecnicamente, ele já está direto no dia 13.

Reprodução
Reprodução

É interessante notar que Saturno estaciona em conjunção à estrela Fixa Antares e a conjunção Marte-Saturno, que acontecerá no dia 24/08 também ocorre praticamente exata a ela. Essa estrela é bastante controversa. Muitos dizem que é maléfica e outros sugerem que é afortunada. Algumas das interpretações sugerem que essa estrela representa malevolência, destrutividade, maus presságios, perigos fatais, mas também abertura da mente e liberalidade. Ela está relacionada ao Arcanjo Uriel e, junto com Aldebaran, Regulus e Formalhaut, é uma das Estrelas Reais, a Sentinela do Oeste. Agrega o espírito de obstinação, aventura, honra, mas também perdas abruptas, feridas nos olhos, teimosia, suspeita, violência.  Alguns textos dizem que ela ativa uma vontade de aço e leva ao sucesso, mas um sucesso conseguido às custas de obsessão. Considerando-se que Marte fala de vontade e Saturno de determinação, a adição de Antares na equação pode significar uma vontade resoluta, de ferro, que nada pode dobrar. É importante checarmos nossos intentos nas próximas semanas, porque, se é para ficar obcecado, que seja por algo que valha a pena e que não nos coloque em rota de colisão com o desastre.

Daniel Dalonso - Reprodução
Daniel Dalonso – Reprodução

A Lua começa a semana na fase Crescente em Libra. Ingressa em Escorpião onde oficializa o Primeiro Quarto na quarta-feira. Expõe-se a muita pressão em Sagitário e finaliza a semana já em Capricórnio. Conversa com todos os demais corpos celestes, harmoniosa ou belicosamente.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 8 de agosto – A Lua Crescente está em Libra e o único aspecto maior que faz hoje é a oposição a Urano, ficando vazia logo depois, às 14h44min, de modo que temos quase a tarde toda Lua fora de curso – um bom período para refletir sobre o eixo- Áries-Libra! Ela faz aspectos menores, um semi-sextil a Júpiter e uma semi-quadratura a Saturno. Dia de se buscar a harmonia e a conciliação. De se trabalhar o equilíbrio. Mas para isso é preciso fazer as escolhas, algumas delas bastante ingratas. Libra teima em agradar a todos e nisso acaba por desagradar a muitos, principalmente a si mesmo. É clássico aquele cenário em que o casal vai sair para jantar e ele pergunta:

  • Onde vamos?

E ela responde:

  • Ah! Escolhe você!

  • Tem certeza?

  • Claro!

E ele escolhe e talvez escolha bem, de acordo com seus próprios parâmetros – afinal ela falou para ele escolher. Mas ao chegar lá, ela dispara:

  • Mas não era aqui que eu queria vir! Você é muito egoísta, só pensa no que você quer, blá, blá!

Estou colocando um cenário em que ele escolhe e ela reclama, mas pode ser vice-versa, pode ser ela-ela, ele-ele, pode envolver amigos, etc. O ponto é que entregamos ao outro a responsabilidade pela escolha, porque no fundo não queremos arcar com o ônus de que talvez nossa escolha não agrade ao outro ou a todo mundo. No fundo, sabemos o que queremos, mas temos receio de que o queremos desagrade e isso nos deixe mal na foto. Então, de bom grado, entregamos esse ônus – e o bônus – da escolha para o outro e depois nos indispomos porque percebemos que talvez nossa escolha teria sido a melhor. Oi? Melhor para quem? Para nós, é claro, porque o outro foi direto, de uma forma que não conseguimos ser. E nós o chamamos de egoísta, quando no fundo, gostaríamos de ter tido a coragem de fazer o mesmo. E durma com isso!

Esse nosso lado Libriano – sim, todos nós temos um – precisa aprender a arcar com o ônus que cada escolha representa. Somente quando aceitamos isso, podemos usufruir dos bônus e achar o equilíbrio e a harmonia internos tão perseguidos e ao mesmo tempo tão elusivos. E o egoísmo? Bom, quando não somos diretos e honestos naquilo que queremos, inconscientemente acabamos por manobrar a tudo e a todos para que nossos desejos sejam satisfeitos, indiretamente e, no fim, isso se revela não só egoísta, mas também manipulador. O egoísmo extremo e puro é parte da sombra de Libra, é um dos seus pontos-cegos. Libra, quando negativo, pode ser tão ou mais egoísta que o mais puro Ariano, sob o verniz do agrado e daquilo que é “melhor para todos”.

Hoje temos uma boa oportunidade para refletir sobre as manobras que fazemos para mascarar aquilo que realmente queremos; o quanto acusamos aos outros de serem egoístas, quando no fundo, gostaríamos de ter feito o mesmo. Ou, dito de outra forma, “egoísta é aquele que não faz o que você quer”, que é um dos cenários possíveis com que podemos nos deparar hoje: egoístas que se recusam a fazer o que queremos ou esperamos. Como sempre, este “egoísta” está a nos mostrar aquilo que ainda não vencemos em nós.

Paula Karayel Fine Art - Reprodução
Paula Karayel Fine Art – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 09 de agosto – A Lua abre o dia fora de curso em Libra. Ingressa em Escorpião à 01h52min, de onde se harmoniza com Vênus em Virgem e se desilude com Quíron em Peixes por uma sesqui-quadratura, tudo pela manhã. Fecha a noite já em trígono a Netuno. Depois das crises e incêndios de ontem, as quais fomos chamados para apaziguar e mediar, hoje o dia está mais concentrado. Precisamos nos envolver profundamente em tudo o que fazemos, algo que mobilize nossa atenção e nossa paixão. Há grande sagacidade e perspicácia, de modo que podemos lidar com aqueles problemas que antes nos escapavam à compreensão. Também temos à nossa disposição muita sensibilidade e estamina emocional para lidar com os sentimentos sombrios que antes pareciam pesados para darmos conta deles. Hoje podemos processá-los, perceber porque estão aqui e o que fazer com eles, transformando-os e transmutando-nos, na melhor das hipóteses, como o alquimista que transforma a matéria inferior em ouro alquímico, ou o reciclador que transforma lixo em preciosidades. O dia está propício também para aprofundar a intimidade com os nossos bem-amados!

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 10 de agosto – A Lua se adensa em Escorpião e se sensibiliza um pouco mais ao fazer um contato harmônico com Netuno em Peixes. Conversa de forma econômica com Mercúrio e mais econômica ainda com Plutão, um de seus regentes, fazendo a ponte entre eles, que estão hoje em trígono exato. À tarde a Lua quadra o Sol Leonino e oficializa a fase do Primeiro Quarto, o Quarto Crescente. Fecha a noite em harmonia com Júpiter. O dia está denso, mas favorável aos contatos íntimos e profundos, às conversas que tenham propósito específico – nada de jogar conversa fora ou bater pernas por aí! Tudo hoje precisa ter um objetivo definido porque não queremos desperdiçar energias com o que não útil ou essencial. Não estamos interessados em firulas, apenas em contatos verdadeiros. Também identificamos uma crise no desenvolvimento dos projetos que tínhamos começado recentemente e percebemos que precisamos fazer alguns ajustes. Podemos nos recolher e proceder com as devidas limpezas de detritos e ervas daninhas que possam estar atrapalhando o pleno crescimento dessa plantação (projetos). Além das ervas daninhas, também é um bom dia para poda, para aparar arestas e galhos que não são essenciais à planta, assim a energia que seria dissipada, torna-se mais concentrada e será aplicada na floração e frutificação dos nossos objetivos. Depois da poda, vem a subsequente regeneração. É possível que nos envolvamos em algumas crises, mas não estamos dispostos a apaziguar nada. Pelo contrário, chegamos para entornar o caldo e funcionar como catalizadores para que a crise leve a mudanças concretas, às limpezas necessárias e à consequente transformação. Depois de limpar os tanques emocionais, a água volta a ser cristalina, embora ainda seja de profundidade ímpar!

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 11 de agosto – A Lua Escorpiana se afina com Júpiter nas primeiras horas do dia e fica fora de curso depois, às 02h24min. Procede a fazer quincunce a Urano, tornando-o foco de um Yod-Dedo de Deus, já que Júpiter também está em quincunce a Urano, aspecto exato no sábado. Dona Lua ainda contacta Quíron em Peixes e ingressa em Sagitário às 14h24min, onde encontra Marte. A manhã fica propícia ao olhar interior, a burilarmos em nós aqueles aspectos que precisam ser transformados para que nossa expansão aconteça realmente, não só a material, mas também a emocional e espiritual. Se desafiarmos o instinto de começar o dia sem alvoroços, poupando energia e simplesmente sentindo e intuindo o próximo passo, corremos o risco de nos envolver em situações imprevistas que geram desgastes e irritações, ou até mesmo incidentes desagradáveis. À tarde o dia mudar de cor e fica, de repente cheio de gás. Toda a cautela da manhã voa pelos ares e nós nos jogamos com tudo na estrada – ou no que quer que seja – à nossa frente, encarando os desafios como novos aprendizados, afoitos e ansiosos para viver nossos impulsos até onde aguentarmos. Em termos práticos, a tarde fica um pouco mais entusiasmada, além de cheia de energia, propiciando novos olhares e novo ânimo para seguir adiante.

cavalo2
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 12 de agosto – A Lua fica algumas horas enquadrada por Marte e Saturno em Sagitário. Além das conjunções a estes dois planetas, a Lua faz quadratura a Vênus e a Netuno e temos formada uma T-Square mutável, já que Vênus faz oposição a Netuno e também quadra Saturno, aspecto quase exato. Depois de tudo isso Dona Lua ainda faz sesqui-quadratura a Urano e fecha a noite em orbe de quadratura a Mercúrio. Saturno estaciona às 06h50min, a 9°46’ de Sagitário, conjunto à estrela fixa Antares – Tenso, o dia está muito tenso! Mesmo que tentemos, há muita dificuldade em se chegar a acordos e conciliações, e quando conseguimos alguém necessariamente se sente lesado ou perdedor, ponderando que sacrificou mais do que gostaria. Entre obrigações, desejos e aspirações, ficamos entre a cruz e a espada. Insegurança, intranquilidade, receio e muita frustração estão super aflorados hoje levando-nos a ficar irritáveis e até mesmo explosivos, dando coice no vento! Para onde nos viramos nos deparamos com algum impedimento e a pressão sobre nós fica muito pesada. Talvez, como mecanismo de defesa escondemos nossas incertezas sob verdades inquestionáveis e, intolerantes ao extremo, bradamos nossas opiniões com grande ênfase ignorando a educação, o tato e qualquer regra de cordialidade. Tentando nos afirmar acima de nossa frustração, tornamo-nos ditadores, sem meias medidas. Pressionados, explodimos nossa frustração sobre os incautos que cruzam nosso caminho, e não paramos até ser tarde demais. Pode ser que sejam outros ao nosso redor que reagem dessa maneira, o certo é que o dia requer muita cautela, porque a raiva ferve fácil e na hora da raiva, como sabemos, não pensamos nem raciocinamos, apenas agimos no impulso e na precipitação. Com essa energia tão concentrada e tão explosiva, o melhor que fazemos é nos jogar em atividades que requeiram descarga motora, concentração, determinação e foco, ao invés de nos espalhar nas muitas direções da nossa insegurança e hesitação. Se tivermos presença de espírito bastante, também podemos aproveitar para observar essa frustração e raiva e atinar em quais gatilhos disparam nossa destrutividade, de maneira que podemos aprender um pouco mais sobre nossas próprias reações e dinâmicas. Em termos práticos, o dia pede muita cautela, porque com energias tão voláteis, podemos nos expor a acidentes ou nos envolver em conflitos destrutivos, que podem, inclusive, chegar à violência física. Precisamos de muito centramento, que pode ser conseguido com meditação, yôga, atividade física, exercícios de aterramento – Imagine uma Revolução Solar com tudo isso! Olha o ano que eu tenho pela frente (rsrsrs). Parabéns para mim!

Anja Millen
Reprodução

SÁBADO, 13 de agosto – A Lua Sagitariana faz trígono ao Sol Leonino e também a Urano em Áries, formando um Grande Trígono de Fogo. A Lua também faz quadraturas a Mercúrio e Júpiter em Virgem e a Quíron em Peixes, virando foco de outra T-Square mutável. Vênus está em quadratura exata a Saturno e em sesqui-quadratura a Urano, aspecto também exato, formando um Martelo de Thor do qual Urano é o foco. A Lua fica vazia às 14h38min, depois da quadratura a Júpiter. O clima continua volátil e bastante tenso e melindroso O tato simplesmente não existe e não hesitamos em dizer tudo o que pensamos, em alto e bom som a deus e todo mundo, resultando em conflitos abertos, discussões, pampeiros vários, muitas mágoas e egos arranhados. Magoamos, ofendemos mas fazemos de conta que está tudo bem, afinal, estávamos querendo dizer essas verdades havia muito tempo, certo? No fundo, estamos mesmo é nos defendendo, jogando para fora a dor latejante que nos massacra por dentro – por que outros têm que estar de bom humor quando eu estou dilacerado? Sim, tudo começa na fragilidade, na insegurança profunda, no sentimento de menos-valia, que tentamos mascarar através das “brincadeiras” gritadas e histriônicas – de mau gosto, diga-se de passagem – pisando nos calos dos outros sem nem nos dar conta. Na área dos afetos não está muito diferente. Ocorre que avaliamos nossas relações e percebemos que elas deixam muito a desejar, seja pela dificuldade de comunicação, pelos valores diferentes, pelas idealizações que tínhamos e que agora percebemos serem fantasias e ainda pelos anseios de perfeição que teimamos em carregar conosco… De fato, precisamos encarar a realidade e dar adeus às ilusões, mas isso não quer dizer que as relações sejam ruins ou inadequadas, então, antes de julgar a situação pior do que ela realmente é, vale dar um passo atrás e avaliar se não estamos exagerando, afinal, todos nós temos nossas imperfeições e problemas e isso não faz de nós um caso perdido, nos faz apenas humanos. É, o dia vai demandar de nós muito sangue frio e contenção para moderar essas várias influências explosivas e delicadas. Sobretudo, precisamos lembrar que isso tudo vai passar, portanto, não levemos a sério demais! A sugestão de meditação e exercícios de ancoragem continua valendo!

Charles Webster Hawthorne - Reprodução
Charles Webster Hawthorne – Reprodução

DOMINGO, 14 de agosto – A Lua entra o dia fora de curso em Sagitário e ingressa em Capricórnio à 01h12min, onde fica muitas horas taciturna e sem contatos. À tarde a Lua conversa muito séria, mas harmônica com Vênus em Virgem e, de forma mais contida, com Netuno em Peixes. Vênus em Virgem está hoje em oposição exata a Netuno, enquanto ainda muito próxima da quadratura a Saturno. Há influências sugerindo anseios indefiníveis no coração, que hoje almeja o inalcançável, o inatingível e exatamente por isso, nos põe para baixo, deixando-nos meio deprimidos e angustiados. As expectativas e ideais são exacerbados, de modo que precisamos ter cuidado com promessas que fazemos ou que ouvimos, porque podem levar a decepções. No fundo, intuímos que nossas esperanças podem ser vãs, mas ainda assim, embora gato escaldado tenha medo de água fria, ainda podemos cair presas de nossas próprias armadilhas e idealizações. No sentido contrário, talvez estejamos tão ressabiados, tão feridos e sensíveis, que evitamos a coisa toda, como medida preventiva e dizemos a nós mesmos que não ansiamos por nada, numa negação estoica que faria inveja a Zenão de Cítio. Sim, a sobriedade e comedimento da Lua Capricorniana vêm em boa hora e nos ajudam a avaliar com um pouco de frieza os arroubos e exageros dos últimos dias, assim como a colocar em perspectiva essas idealizações exageradas, de modo que, no fim, talvez corramos na direção oposta e nos convençamos de que não precisamos mesmo de nada nem de ninguém e nos fechamos em nós mesmos, como uma forma de nos proteger. A tarde fica propícia para conversas e contatos sociais mais austeros ou conversas mais sérias e comprometidas, para já cuidarmos da agenda da semana e planejarmos nossos próximos passos.

Que sua semana seja tranquila e serena!

Reprodução
Reprodução

Caríssimos, é possível que não haja publicação do texto da semana que vem. Eu ando muito cansada, com muitas coisas em atraso (como percebem, praticamente toda semana estou publicando na terça, quando gostaria de publicar no sábado ou domingo). Tenho uma relação meio complicada com o tempo e acho que vou ter que parar uma semana para poder alinhar esse calendário. Farei o possível! Gratidão pela compreensão!

(1) Erin sullivan – Retrógrade Planets, Weiser Books