Arquivo da tag: Lua Crescente

A Semana Astrológica – Luz na Escuridão

Brooke Shaden Photography – Reprodução

Semana de 23 a 29 de outubro – Semana de crescimento e expansão, de focar no que é essencial, para que os resultados sejam mais efetivos!

Fiquei algumas semanas sem publicar atualizações, portanto, vou incluir movimentos importantes que ocorreram recentemente.

Desconheço o autor – Reprodução

O Sol ingressou em Escorpião nesta segunda, às 03h26min no horário de Brasília e às 05h26min no horário de Lisboa. Durante o trânsito do Sol pelo signo de Escorpião nos voltamos para assuntos mais densos e profundos; perscrutamos segredos e mistérios, da vida, do cosmos e das profundezas do nosso próprio ser e da psique humana. É o período em que assuntos relacionados à morte, à destruição, degeneração e decomposição da vida e das coisas em geral podem ter maior destaque e ser “iluminados” pelos raios solares e pela consciência – tempo de jogar luz sobre as questões mais profundas da alma . É tempo de eliminação e reciclagem, transformação e regeneração. À morte segue-se o renascimento, assim é na natureza, portanto, vale analisar o que precisa morrer e ser eliminado na nossa vida, para que possamos renascer, feito Fênix, que renasce das cinzas. Assuntos tabus e relativos à sexualidade também ficam mais enfatizados. É um período favorável também para auto-análises cuidadosas, para exames honestos que nos façam perceber aspectos sombrios e desagradáveis de nós mesmos, que normalmente temos dificuldade de enfrentar. O Sol fará conjunção a Júpiter ainda esta semana – leia sobre Júpiter em Escorpião logo abaixo. Parabéns a todos os Escorpianos de Sol, Lua e Ascendente! Leia mais sobre o signo de Escorpião!

Reprodução

Quem também ingressou em Escorpião foi Mercúrio, no dia 17, na semana passada. Em Escorpião Mercúrio torna a mente arguta e ultra-perspicaz. Há grande capacidade investigativa, pois queremos descobrir todos os segredos, queremos ir à verdadeira raiz das coisas. É um excelente posicionamento para pesquisadores e investigadores em geral. No mapa natal este posicionamento fala de indivíduos que têm grande poder de penetração nos assuntos e na alma dos outros, embora sejam, eles mesmos, reservados, a não ser que outros posicionamentos digam o contrário. suas palavras têm grande poder, assim como a mente, que quando foca em algo, chega ao âmago das questões ou pode realizar qualquer coisa – são as chamadas mentes poderosas. São de poucas palavas, mas geralmente certeiras, às vezes letais, pois sabem exatamente o que dizer para destruir alguém – a palavra pode ser veneno ou cura, depende da motivação de quem as profere. Há interesse em psicologia e filosofias ocultas, ou em qualquer assunto que nos permita destrinchar os mistérios da natureza humana ou do universo.

Reprodução

Marte, regente tradicional de Escorpião, ingressou em Libra no domingo, dia 22/10, às 17h29min, onde fica até nove de dezembro. Libra é o signo de detrimento de Marte, porque Marte é um planeta direto, que vai buscar o que quer pensando apenas nos próprios interesses e em Libra, Marte tem que considerar o outro, então sua ação já não é tão direta e rápida. Positivamente, é um período em que a agressividade direta dá lugar à diplomacia, à arte de negociar e conciliar. Pensamos muito no impacto que nossa ação terá sobre o outro e assim, hesitamos, porque há necessidade de aprovação deste outro e até do meio; há muita civilidade e forte senso de justiça e é mais fácil lutar as batalhas em nome de outros do que em defesa de si mesmo. Negativamente pode haver dificuldade de se apoderar da própria força e poder, projetando-os sobre outros; pode haver dificuldade de lidar com a própria raiva e expressá-la de forma adequada e saudável, levando-a a acumular-se e criar problemas depois – dificuldade de dizer “não” é um dos possíveis problemas, porque teme-se desagradar aos outros – é necessário reconhecer os próprios sentimentos. É um posicionamento muito diplomático e vai fazer de tudo para evitar a guerra, mas uma vez que entre no conflito, será um grande estrategista – é um posicionamento comum em mapas de generais. Há tendência à competitividade nos relacionamentos. Enquanto estiver em Libra Marte fará quadratura a Plutão e oposição a Urano, os aspectos mais desafiadores, que adicionaram pressão e beligerância a este este Marte geralmente cordato e propenso ao “deixa disso”. O período mais crítico vai de 16 de novembro a 05 de dezembro.

Desconheço o autor – retirado de Vassoangel on Deviantart – Reprodução

Vênus está em Libra, sua segunda casa, sua casa aérea, mais mental e civilizada. Nesta semana Vênus se desentende com Netuno por quincôncio e tem um conflito sério com Plutão, indicado por quadratura. Esses movimentos podem significar tensões nos relacionamentos em geral, especialmente nas relações amorosas. Se andamos ignorando situações desagradáveis nas relações por medo de perder, por receio de desagradar o outro, ou para evitar mudanças, podemos nos deparar com crises que nos obrigam a lidar com os desconfortos, de um jeito ou de outro. Momento de promover essas mudanças necessárias na relação. Positivamente, esse trânsito traz intensidade e paixão e tende a intensificar o desejo e a resposta sexual – dias e noites ardentes nas relações íntimas. Relações que começam sob este trânsito tendem a ter uma qualidade compulsiva e possessiva. Vênus fica em Libra até o dia sete de novembro. O quincôncio a Netuno ocorre já na segunda e a quadratura a Plutão fica exata entre sexta e sábado.

Júpiter em Escorpião: largo e profundo – crenças em transformação

Júpiter ingressou em Escorpião no dia 10 de outubro, sinalizando um tempo de transmutar nossas crenças, desejos, compulsões, para podermos nos expandir verdadeiramente, em termos mais profundos, que não podem ser medidos por medidas meramente mundanas, mas principalmente, pela expansão psíquica, pela ampliação dos sentimentos mais profundos, pela busca de algo maior do que nós mesmos!

Attuned Photography – Reprodução

Júpiter em Escorpião é como um lago que é ao mesmo tempo muito largo e muito profundo. Queremos expansão, amplitude, mas também queremos profundidade, consistência, densidade. Assim, as crenças não são meros conceitos intelectuais e são vividas e expressadas apaixonadamente. A espiritualidade e religiosidade precisam ser vividas com verdade, com grande envolvimento emocional, com devoção e não apenas pela aceitação social, pela necessidade de se congregar com mentes afins ou por ideais de civilidade. Ou acreditamos com todo o coração e alma, ou somos completamente descrentes – não há meio termo. Essa devoção pode ser fervorosa e extremista e pode ter efeitos positivos e/ou negativos, dependendo de como enxergamos o mundo lá fora (e dos contatos que Júpiter faz no mapa natal).

Os assuntos relacionados à morte, à vida após a morte, às filosofias ocultas, aos usos, abusos e excessos cometidos pelo poder, assim como à sexualidade e aos tabus e segredos sexuais vigentes (especialmente os associados com figuras das leis, figuras eclesiásticas, intelectuais em geral), mais do que nunca, vêm para a linha de frente das discussões sociais – pode haver, inclusive, um aumento nas edições e publicações sobre estes assuntos. Tabus envolvendo sexo e religiosidade serão muito abordados e poderão suscitar muitas polêmicas. A hipocrisia tende a ficar exposta. As visões individuais sobre estes assuntos podem divergir muito da moral vigente, daí a tendência a conflitos e polêmicas.

Os sistemas educacionais devem passar por um ciclo de morte e renascimento, de destruição e transformação, para que o que estava estagnado volte a se expandir e crescer. Conhecimento superficial e capenga não será tolerado. É um período muito favorável para pesquisas sobre sexualidade, sobre questões reprodutivas, sobre a morte e assuntos metafísicos em geral.

Júpiter fica em Escorpião até 08 de novembro de 2018, quando ingressa em Sagitário. Mais sobre Júpiter em Escorpião nas próximas semanas!

Reprodução

Estamos vivendo o trânsito do Sol por Escorpião, mas o ciclo ainda é de Libra, iniciado na quinta-feira, dia 19, na Lua Nova de Libra. A Lua abre a semana em Sagitário – está bastante lenta e somente hoje, segunda, entra na fase Semi-Crescente, ao fazer semi-quadratura ao Sol – começa a aparecer no céu como um anel muito fino. Torna-se Crescente na sexta-feira, a partir de Aquário e atinge seu apogeu na Lua Cheia de Touro, no dia quatro de novembro. A Lua Nova de Escorpião será em 18 de novembro.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 23 de outubro – O Sol ingressou em Escorpião às 02h26min nesta madrugada. Marte, regente tradicional de Escorpião, ingressou em Libra ontem, às 16h29min. A Lua está em Sagitário. Faz sextil a Vênus, quadratura a Netuno em Peixes e entra na fase Semi-Crescente ao fazer semi-quadratura ao Sol. Fecha a noite em conjunção a Saturno. Vênus em Libra está em quincôncio exato a Netuno. A segunda começa atipicamente animada. Mesmo com muitos afazeres, conseguimos encará-los com otimismo e energia. Pelo fim da manhã, porém, os ânimos arrefecem um pouco e nos dispersamos com ideais idealistas demais, ou simplesmente com dúvidas e uma queda indefinível na energia. Talvez valha a pena atender aos apelos da alma e tirar alguns minutos para meditar sobre a nostalgia súbita, sobre as incertezas difusas… Ao invés de lutar contra elas, podemos olhá-las e dar-lhes um lugar, e até mesmo nos inspirar. Depois podemos voltar aos afazeres com mais foco e energia, inspiração renovada!

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 24 de outubro – Mercúrio hoje está em harmonia com Netuno. A Lua está em Sagitário e hoje já fez conjunção a Saturno, quadratura a Quíron e trígono a Urano, aspecto depois do qual ficou fora de curso, às 14h46min. Ingressa em Capricórnio às 22h13min, de onde fecha a noite em harmonia com o Sol e Júpiter. Depois de uma manhã de muitas responsabilidades, cobranças e desajustes, a tarde traz possibilidades de iluminação sobre nossas aspirações de liberdade e de futuro: para onde queremos ir e como superaremos os obstáculos? As horas estão propícias a reflexões, menos ação objetiva e maior foco – silencioso – nessas aspirações maiores. À noite há propensão a maior sobriedade mas o humor fica relativamente leve. Temos contenção emocional e muita praticidade. Encaramos as possibilidades reais daquelas aspirações e elucubrações que aventamos durante o dia se tornarem realidade, mesmo que num futuro distante. Ponderamos e tiramos conclusões, que poderão – ou não, depende das conclusões – ser concretizadas lá na frente. À perspicácia aguda da mente hoje soma-se também uma intuição altamente acurada e afinada, à qual podemos recorrer para melhor planejar os próximos passos e também para nos comunicar mais efetivamente. Também ficamos mais imaginativos e inspirados, o que ajuda particularmente aos criativos. A comunicação, que atualmente tende a ser implacável, torna-se um pouco mais suave, empática, compreensiva, porque sentimos uma conexão invisível com as pessoas com quem entramos em contato e tal sintonia favorece as interações.

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 25 de outubro – A Lua entrou o dia já em Capricórnio, fazendo quadratura a Marte em Libra, mas talbém alinhada com Júpiter e com o Sol, que estão conjuntos, aspecto exato na virada da quinta. No fim do dia a Lua se harmoniza com Netuno e fecha a noite em discórdia com Vênus e já próxima da conjunção a Plutão. Dia de trabalho puxado, que começou cedo, motivado pela noite de sono intermitente, quebrado. O dia propicia mesmo foco e avanço nas tarefas, especialmente aquelas de cunho mais prático e objetivo. Um dia de se tomar decisões e executar planos de ação, de forma determinada e destemida. Mande o trabalho, que damos conta! À noite o clima se suaviza um pouco e nos regozijamos com a sensação de realização, de trabalho e dever cumprido! Podemos até celebrar discretamente, no conforto do lar! O descanso é merecido e necessário, porque amanhã tem outros desafios, mais pesados, mais cobranças, mais decisões a serem tomadas! Por ora, descansemos!

Pessoal, estive algumas semanas sem publicar A Semana, que está passando por reformulações. A partir desta semana vou publicar apenas sobre os trânsitos principais – como o texto acima. Os textos sobre os dias específicos (segunda-feira, terça-feira, etc) serão acrescentados ao longo da semana, a cada dia. Esta não é a mudança mais significativa, é apenas a mais imediata. O blog como um todo está sendo repensado – não a forma, mas o conteúdo – então, aguardem porque estou preparando novidades para 2018!!  🙂

Eu desejo uma ótima semana para todos vocês!

Que seja de luz e bênçãos!

Reprodução – desconheço o autor

A Semana Astrológica – Plantando para o futuro

Rob Gonçalves – Reprodução

Semana de 28 de agosto a 03 de setembro – Semana de Lua Crescente, tempo bom para fermentar os negócios e os projetos, de podar os excessos e depois avançar de forma focada.

O Sol ingressou em Virgem e fica vários dias sem fazer muitos contatos, preparando-se para enfrentar Netuno e Saturno daqui a pouco. Mercúrio, ainda retrógrado, regressa ao signo de Leão, onde vai estacionar no dia cinco no grau 28. Ao voltar a Leão, Mercúrio ensaia outro trígono a Urano, mas o aspecto não chega a se concretizar, pois Mercúrio estaciona antes para voltar ao movimento direto.

Reprodução

Vênus está toda poderosa, na sua versão realeza, em Leão. Também fica muitos dias sem fazer aspectos maiores a outros planetas, apenas recebendo os contatos lunares. A ação maior fica mesmo por conta de Marte, no terceiro decanato de Leão, que nesta semana faz quincôncio a Quíron e trígono a Urano e passa a semana em formação de Grande Trígono de Fogo, já que ainda está também em trígono a Saturno em Sagitário. Esse Grande Trígono traz uma renovação de esperanças no futuro, uma percepção de que mesmo que o presente e o passado sejam tortuosos, a vida é impermanência, é surpresa, é inconstância e se, em muitos momentos a ideia da impermanência assusta, em períodos como os que vivemos atualmente, ela vem como um verdadeiro bálsamo, porque sabemos que os tempos sombrios podem até durar, mas não são permanentes.

Contudo, o fim de semana requer cuidados porque Marte e Mercúrio se encontram e trocam informações exatamente no grau do último eclipse total do Sol, no dia 21 de agosto. O fim de semana pode trazer tensões, conflitos e acontecimentos inesperados.

Lua Corcunda na Chapada dos Guimarães – Creuza Medeiros – reprodução

A Lua abre a semana ainda na fase Semi-Crescente, em Escorpião. Entra no Quarto Crescente a partir de Sagitário, na terça-feira. Torna-se Corcunda no sábado, já em Capricórnio e fecha o domingo em aquário. Faz contatos tranquilos ou estressantes com todos os demais corpos celestes, simbolizando, no céu, os “perrengues” ou delícias que vivemos aqui na Terra.

Catrin Welz-Stein- Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 28 de agosto – A Lua abre o dia em Escorpião, e quadratura a seu dispositor tradicional, Marte, atualmente em Leão. Fica vazia depois deste contato, às 06h39min. Faz ainda trígono a Quíron, quincôncio a Urano e ingressa em Sagitário às 16h48min, de onde faz quadratura a Mercúrio, que hoje está em sesqui-quadratura a Plutão. A Lua faz ainda trígono a Vênus em Leão. O dia está favorável a reflexões profundas acerca de assuntos ocultos e dos mistérios da vida. O que quer que façamos hoje, precisamos fazer com paixão e compromtimento, estando profundamente envolvidos e engajados, sem meio-termos, sem “mas” ou “se”… É um bom dia para refletir sobre a natureza das nossas raivas, mágoas e rancores; sobre as frustrações mais doídas e difíceis e fazer um esforço para dissolvê-las e deixá-las ir, porque estão a comprometer muito do nosso desenvolvimento, liberdade e entrega aos novos projetos ou novos relacionamentos. Também vale a pena investigar as origens mais obscuras de tais sentimentos e as razões para nos agarrarmos a eles. É, de fato, um ótimo dia para análises e sessões terapêuticas, porque podemos alcançar profundezas que em outros dias seriam inalcansáveis. Contudo, a ação objetiva está comprometida, portanto, se possível, o ideal é adiar decisões e ações importantes para mais tarde e refletir melhor sobre seus impactos no futuro. Em termos práticos é dia de observar quais eliminações serão necessárias, onde precisaremos podar as ideias e projetos nascidos ou iniciados recentemente, para que frutifiquem em todo o seu potencial.

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 29 de agosto – A Lua entrou em Sagitário ontem e fez quadratura ao Sol ainda na madrugada, oficializando o Quarto Crescente. No fim  do dia a Lua também faz quadratura a Netuno e sesqui-quadratura a Urano. É dia de olharmos além, muito além dos fatos e detalhes menores, para podermos acrescentar visão e perspectiva aos nossos projetos e propósitos. Nossa plantação brotou e segue vicejante, mas junto vicejam também as ervas daninhas, que precisam ser eliminadas, para que o plantio cresça forte e livre das pragas. É tempo também de poda, de eliminar os excessos desnecessários e reconhecer que por mais otimistas que sejamos, não damos conta de tudo – é humanamente impossível! Assim, precisamos escolher, precisamos deixar algumas coisas de lado, para conseguirmos focar no que realmente interessa. Se a árvore ou a planta é podada, desbastada dos galhos ou ramas “inúteis”, concentrará sua seiva e crescerá mais rápido e talvez mais forte. Assim também somos nós, muitas vezes precisamos proceder com podas providenciais na vida, no trabalho, nos projetos… Assim cresceremos mais rápido e mais fortes, porque a seiva e a energia estarão concentradas. É dia também de observar onde nossa percepção excessivamente detalhista nos impede de captar a visão maior do futuro; onde só vemos a árvore diante de nós, sem perceber a floresta na qual a árvore está inserida e assim, deixamos de ver o todo do qual tudo é parte. É preciso equilibrar, conseguir perceber o micro e o macro e entender que se integram, em nós e fora de nós.

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 30 de agosto – De sagitário a Lua se harmoniza com seu dispositor, Júpiter, que está em Libra. A Lua faz sesqui-quadratura a Vênus, conjunção a Saturno, trígono a Marte e a Urano (não exato), formando um Grande Trígono de Fogo. É dia de nos animarmos um pouco, apesar de todas as dificuldades e más notícias. É dia de ter otimismo e esperança, afinal, tudo passa, nada é permanente. Não estamos falando de um otimismo bobo e ingênuo, mas daquele que olha mais longe, que sabe que a vida é uma Roda da Fortuna, que gira, e gira e gira… Uma hora estamos embaixo e daqui a pouco estamos em cima… E vice-versa. E se nos perguntamos por que insistir em fazer o correto, em ser íntegros e decentes enquanto o mundo desmorona debaixo dos escombros de valores esfacelados, lembremos do provérvio árabe (creio que seja árabe) que diz: “quem planta tamareiras não colhe tâmaras”. Diz a estória que um homem plantava tâmaras quando foi abordado por um jovem que lhe perguntou por que plantava algo que nunca iria colher – isso porque antigamente uma tamareira levava de 80 a 100 anos para dar frutos. E o homem respondeu: “se todos pensassem como você, ninguém jamais comeria tâmaras”. Assim, não importa se o que fazemos agora talvez pareça não dar frutos imediatos; plantamos para a longevidade, as ações de hoje se refletirão no futuro, boas ou más, então, não é melhor que sejam boas as nossas ações? Aquilo que fazemos ou deixamos de fazer, repercutirão lá na frente, positiva ou negativamente. Se fazemos e vivemos com integridade, com correção, mesmo que não colhamos “as tâmaras” plantadas, ainda teremos a satisfação que nossos filhos ou netos o farão. Do contrário, se vivemos de forma inconsequente, irresponsável, sem ligar muito para o resultado de nossas atitudes e ações, talvez não só nós mesmos arcaremos com seu peso (o castigo vem a cavalo, diz o ditado antigo), como ainda deixaremos uma herança maldita para os que vierem depois. Portanto, é dia de pensar no futuro, com responsabilidade, integridade e correção. Agir corretamente, mesmo que não sejamos nós a colher os resultados. E vale sempre lembrar: as “tâmaras” que comemos hoje, foram plantadas por alguém, muito tempo atrás! Da mesma forma, muitos dos benefícios que facilitam nossa vida hoje, foram conquistados por outros indivíduos, outras gerações, que talvez nem tenham chegado a usufruir de seus feitos e nem por isso deixaram de brigar por tais conquistas.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 31 de agosto – Mercúrio retrógrado regressa a Leão e Vênus está em sesqui-quadratura a Saturno. Enquanto isso a Lua Sagitariana completa o trígono a Urano e fica fora de curso depois deste aspecto, à 01h43min. Ingressa em Capricórnio às 05h19min, de onde se desalinha com Vênus, mas se afina com o Sol Virginiano. Nosso brilho e alegria ficam um pouco sombreados hoje, embaçados por alguma insegurança não muito nítida, alguma sensação de algo fora do lugar, que incomoda, embora não consigamos confrontar. Consequentemente, nosso humor fica mais sombrio também, podemos nos fechar um pouco e nossas interações e relações podem sofrer com isso. Bom ficar atentos sobre os sinais inconscientes e involuntários que enviamos aos outros, que podem contradizer nossos desejos e discurso consciente e depois não sabemos porque criamos um conflito… O dia traz também uma atmosfera favorável ao trabalho e à execução de tarefas práticas que exijam presteza, comprometimento, persistência, disciplina e empenho. Não é dia de se voejar por aí sem rumo – é dia de ter foco, responsabilidade. De se levar a sério o que quer que esteja acontecendo conosco e de ter uma abordagem prática e objetiva de tais assuntos. Nada de romantismos ou sentimentalismos. É pé no chão e mão na massa!

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 1° de setembro – Marte está em quincôncio a Quíron. De Capricórnio a Lua tem um desentendimento com Marte, mas se afina com Netuno e se funde a Plutão. Fecha a noite em quadratura não exata a Júpiter. A energia de realização está oscilante, vai e vem, vem e vai e isso nos deixa um tanto inquietos e frustrados, porque não conseguimos terminar as tarefas como gostaríamos e pior, isso compromete o resultado final do trabalho e pode nos deixar predispostos a pisar nos calos alheios como consequência de nossa irritação e oscilação. É possível também que estejamos no módulo “rolo compressor” e tentemos apressar a outros ou passar por cima deles de forma consciente e bem direta, sem nem nos desculparmos, coisa que também não vai acabar bem, afinal, cadê a civilidade? Ou ainda, talvez farejemos crítica, ofensa, competitividade onde não existem e isso também contribui para o clima tenso, mas indireto que fica na atmosfera. Mas da mesma forma que as oscilações e irritação nos atrapalham, elas oferecem a oportunidade de as confrontarmos em nós, se estivermos dispostos a empreender a descida até as profundezas da nossa alma. Uma vez lá embaixo, podemos encarar inseguranças, dúvidas, ambiguidades, medos, constrangimentos e embaraços que podem ter se emaranhado nos nossos pés ao longo do caminho e que agora atrapalham nossa livre movimentação, deixando-nos irritadiços e propensos a descontar em outros problemas que são apenas nossos. Assim, ao invés de entrincheirar-se contra tudo e contra todos, vale a pena um olhar honesto sobre as próprias feridas e tratar de sua limpeza e saneamento, talvez não fiquem completamente sanadas, mas podem propiciar um novo entendimento sobre nossas dinâmicas de raiva e defensividade gratuitas. E a raiva, a irritação, se persistirem, podemos utilizá-las como combustível para o trabalho árduo que nos espera!

Reprodução

SÁBADO, 2 de setembro – Marte está em trígono pleno a Urano. A Lua Capricorniana quadra Júpiter e faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda. A Lua também faz sextil a Quíron e quincôncios a Marte e a Mercúrio, tornando estes dois focos de um Yod – Mercúrio e Marte formam uma parelha perigosa como foco desse Yod, porque estão no grau do Eclipse do Sol do dia 21 e mercúrio ainda está retrógrado, prestes a voltar ao movimento direto. Dona Lua ainda quadra Urano, aspecto depois do qual fica vazia, às 13h31min. Ingressa em Aquário às 17h07min. Marte e Mercúrio estão próximos à conjunção exata a poucos minutos do ponto exato do eclipse do Sol do dia 21. O dia traz uma mistura interessante de entusiasmo, energia dinâmica e empolgação com o futuro, com um certo receio e hesitação sobre se estamos no caminho certo, porque olhamos para trás e temos medo de abandonar algumas estruturas, ou mesmo as trilhas antigas. A mente briga com as emoções e lhes diz que não são válidas; o corpo briga com a mente porque se sente pressionado a fazer coisas para as quais não está disposto ou com as quais não concorda; a subjetividade pode nublar a objetividade e dessa forma nos perdemos em nós mesmos e nossos dilemas. Assim, ficamos meio que presos entre ir ou ficar, entre aceitar ou nos rebelar e o resultado de tais incongruências pode ser algumas atitudes impulsivas, precipitadas que podem não só se revelar infrutíferas, mas nos expor a acidentes, eventos infortunados e desastrados, para os quais talvez não haja muito conserto no futuro. Portanto, por mais que estejamos inspirados e animados, é preciso um pouco de cautela com as contradições, irritações e ambiguidades; cautela, especialmente com comportamentos e ações impulsivas no trânsito, nas relações, nas atividades esportivas e nas ações em geral. O período mais crítico vai das 11 da manhã até as 4 da tarde. A noite traz uma atmosfera um pouco mais leve e sociável e talvez nos ajude a espairecer um pouco da tensão.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

DOMINGO, 3 de setembro – Mercúrio faz conjunção a Marte, uma conjunção às avessas, já que Mercúrio está em marcha à ré – ambos estão em trígono a Urano. A Lua Aquariana faz oposição a Vênus e quincôncio ao Sol. Fecha a noite e a semana em trígono não exato a Júpiter. O dia está cheio de um entusiasmo incontido, que pulula dentro de nós e que anseia por ganhar espaços amplos e abertos, longe das clausuras, das regras, das contenções, pequenezas e mediocridades do dia a dia. Mas tal entusiasmo, mesmo que nos chame para as alturas, precisa ser absorvido e vivenciado com alguma cautela, por mais paradoxal que pareça. Isso porque estamos conectados com pontos e impulsos obscuros em nós, que foram momentaneamente eclipsados, permanecendo sensíveis e ocultos, misteriosos para o nosso entendimento diurno e básico. Então, quanto mais insólito e compulsivo o impulso, mais cautela precisamos ter – que gatilhos acionará em nós? Que forças moverá? Serão positivas ou destrutivas? O que nossa intuição nos diz? A intuição hoje será o farol na escuridão. Se conseguirmos nos conectar a ela, verdadeiramente, poderemos acessar as mensagens mais elevadas que a alma e o espírito tentam nos enviar. Podemos sim, nos permitir a exuberância da novidade e da aventura, desde que esta intuição seja a autoridade a dar o aval. Em termos práticos, mesmo que estejamos muito animados e dinâmicos, o dia requer cautela no trânsito, nas interações, nas discussões, nas ações. Atitudes impulsivas não são muito recomendadas.

Desejo a você uma ótima semana, de confiança e esperança. Plantemos tâmaras, mesmo que sejamos nós a colhê-las!

Reprodução

A Semana Astrológica – Amar dá trabalho

Ziegfeld – Reprodução

SEMANA de 24 a 30 de julho – Recomeços, novas ideias e projetos, que são colocados em ação com muita garra e determinação. Re-ignição do nosso Fogo Sagrado. 

O Sol ingressou em Leão, trazendo mais calor, generosidade e magnanimidade aos corações, além, é claro da necessidade de lustrar as jubas para brilharmos sob os holofotes do palco da vida!

Reprodução

Nesta semana o Sol faz conjunção a Marte e nosso propósitos ficam mais nítidos, a determinação e garra para realizá-los, mas aguçadas. Sol e Marte em Leão se aliam pelos mesmos propósitos – Como numa alcateia de leões, presidida por dois machos poderosos, responsáveis por proteger toda a família e assegurar o território – juntos são mais fortes! Mais do que nunca Marte está serviço do Sol, seu Rei! Esse par realmente colore os dias de entusiasmo, fé, nobreza, coragem e… drama, muito drama! Tudo é um caso de vida ou morte e nos empenhamos de corpo, alma e coração em tudo o que fazemos e empreendemos! Mas é preciso ter bom senso, para não cairmos na armadilha do orgulho e da arrogância, além, é claro, do autoritarismo. E lembrar também que cada um sabe o que é melhor para si e nós não precisamos perder tempo e sair “lecionando” pérolas sobre como o outro deve viver sua vida. Outro ponto importante é que Marte faz sesqui-quadratura a Saturno – junto com o Sol – colocando à prova todo o nosso entusiasmo, que pode passar por alguns testes, sem que nem nos demos conta. O quanto confiamos em nós mesmos, nossa força e nossa vontade para realizar nossos projetos? Vale ficar atentos para não abrirmos a guarda para movimentos de autossabotagem. Tirando isso, é aproveitar a vibração de otimismo e determinação!

Brooke Shaden Photography – Reprodução

Mercúrio em Leão faz trígono a Urano já na segunda e ingressa em Virgem na terça, signo regido por ele e onde ficará retrógrado a partir de 12 de agosto. Aliás, Mercúrio entra na zona sombria da retrogradação também na segunda, 24. Iniciando este ciclo de retrogradação, Mercúrio estaciona no dia 11/08 em oposição a Netuno em Peixes, pedindo bastante cuidado na comunicação, nas análises e negociações, além de assinatura de documentos durante o período. Nas próximas semanas estaremos nos preparando e já verificando o que será revisado nesta retrogradação.

Debra Heylen – Reprodução

Vênus faz oposição exata a Saturno na segunda-feira, um aspecto que nos lembra que relacionamentos, se for para darem certo, darão muito trabalho – não, não confunda com o “trabalho” que as relações doentias e de dependência dão. Relações sérias e felizes dão trabalho porque demandam maturidade, comprometimento, negociação. Exigem esforço, se for para durarem. Vênus em Gêmeos não gosta muito do compromisso, porque prefere estar livre, caso algo “melhor” apareça. A oposição a Saturno é um chamado à reflexão sobre se essa liberdade é assim tão “livre”, já que muitas vezes reclamamos de solidão; se nunca nos comprometemos, continuamos soltos, mas também não construímos nada de sólido. E às vezes, permanecer “livre” é, na verdade, uma fuga de si mesmo, fuga do confronto com as próprias inseguranças, um jeito de evitar o medo da rejeição e do abandono… Quer dizer, pode ser apenas um discurso vazio, usado para camuflar medo do abandono. E evitar, podemos evitar a vida toda, mas, seremos plenos? Depois do confronto com Saturno, Vênus conversa muito desprendidamente com Urano, mas cai no lodo de desolação de Quíron e aqui nossos medos vêm mais à tona, mesmo que tentemos camuflá-los, eles estarão muito nítidos para nós. Esses aspectos ficam exatos no fim de semana, e sugerem dias delicados nas relações, que ficam sujeitas a desencontros, incompreensão e exposição de feridas antigas. Contudo, como sempre, quando estamos dispostos a enfrentar o problema, ao invés de fugir dele, acionamos nosso potencial de curar a nós mesmos e às nossas relações. Vênus permanece em Gêmeos até 31 de julho, quando entra em Câncer.

Reprodução

Vênus estimula e dá ênfase ao semi-sextil que Quíron faz a Urano no fim de semana (um, de uma série de muitos) e eu me lembro que os dois têm algumas coisas em comum. Cada um tem seus significados e simbologias próprias, mas, de formas diferentes, ambos têm a ver com o arquétipo do outsider, o forasteiro, o esquisito, e especialmente Quíron, com a dificuldade em pertencer, portanto, uma reflexão é pertinente sobre a relação entre os dois. No que tange a isso, a esse tema do outsider, a diferença entre Urano e Quíron é que Urano representa aquelas excentricidades e esquisitices das quais temos orgulho e que até ostentamos como emblema, porque nos distinguem e nos tornam “diferentes” de um modo que nos parece positivo, porque não queremos ser iguais a “todo mundo”. É “cool”! É legal!

Reprodução

Quíron representa as esquisitices dolorosas, das quais nos envergonhamos e que, se pudéssemos, esconderíamos, mas elas ficam ali, sempre muito presentes. Quíron também pode representar um problema maior: a possibilidade de nos tornarmos “bode expiatório” em situações delicadas, especialmente quando está em aspecto próximo a planetas pessoais ou aos ângulos. Ambas as formas de “excentricidades” precisam ser integradas, igualmente. As “esquisitices” das quais nos orgulhamos, se não temos cuidado, podem nos alienar de outros, pois nos isolamos e nos diferenciamos em excesso a partir delas, afastando pessoas que poderiam ser significativas na nossa vida. No fundo, ostentamos tais esquisitices para lidar – mais uma vez – com alguma insegurança, do tipo, “não faço mesmo questão de pertencer a esse grupo careta”, quando talvez tenhamos nos sentido criticados e rejeitados por tal grupo lá atrás. Já no caso de Quíron, essas características que julgamos vergonhosas ou dolorosas também precisam ser integradas e aceitas, porque, além de também nos alienar de relações realmente significativas, se não integradas, nunca seremos inteiros, e conviveremos com a sensação permanente de buraco na alma, buraco que representa, exatamente, as qualidades que negamos e rejeitamos.

A órbita excêntrica de Quíron, mostrada no diagrama.

É interessante porque Quíron, que na verdade é um asteroide, tem um ciclo de 51 anos, enquanto Urano tem um ciclo de 84 anos. Ambos também são parecidos nisso, suas órbitas são excêntricas; Urano tem a atmosfera mais fria de todos os planetas e gira em um eixo tão inclinado, paralelo ao plano do sistema solar, que parece uma bola rolando numa superfície, é o único planeta que gira assim; Já Quíron, de quem se diz que não pertence realmente ao sistema solar e que pode desaparecer em algum momento, tem uma órbita excêntrica, atingindo o periélio numa área interior à de Saturno e afélio no limite interior à de Úrano, daí se diz que ele media os conteúdos e limites humanos conscientes (Saturno) com os conteúdos coletivos e inconscientes e a necessidade de mudar (Urano). Então, eles têm coisas em comum e devido ao fato de a órbita de Quíron ser tão excêntrica, os contatos entre eles podem levar anos. Este semi-sextil é o último aspecto de um ciclo que se iniciou entre 1898 e 1900, entre Escorpião e Sagitário. Entre 1952 e 1991 os dois ficaram numa dança de oposição, que ficou exata muitas e muitas vezes (entre as polaridades Câncer-Capricórnio, Leão-Aquário, Virgem-Peixes, Áries-Libra e Touro-Escorpião), marcando várias gerações, por quatro décadas, com uma assinatura peculiar: a visão da “sociedade perfeita” (Urano) é maculada pelo sofrimento e pela amargura da limitação humana (Quíron); a revolução conseguida à custa do sofrimento; os limites da natureza versus a visão do futuro. Este ciclo de Quíron-Urano finda somente em 2043, quando os dois fazem nova conjunção, em Leão. Até lá, esse semi-sextil se repetirá ainda algumas vezes, mas ainda assim, vale a reflexão sobre ele.

Johnny Depp como Edward Mãos de Tesoura, filme de Tim Burton, um filme, aliás, extremamente Quirôniano! Reprodução

As duas Luas Novas que ocorrem em Leão (23/07 e 21/08) trazem fortemente este tema, porque ambas ocorrem em aspectos com estes dois planetas – Quíron, na verdade, é um asteroide. E Vênus – que faz aspecto aos dois, ao mesmo tempo – nesta semana nos convida a refletir como isso repercute nas relações amorosas. Lidar com tudo isso não é fácil, não é fácil, não! Nunca é! Mas pode ser bonito e compensador! Teremos coragem? E você, como lida com suas “esquisitices”?

All Posters – Reprodução

A semana traz o colorido e a força da Lua Nova, que ocorreu em leão, no domingo, 23. A Lua entra na fase Semi-Crescente em Virgem, na quarta-feira. Ganha mais impulso relacional em Libra e oficializa o Quarto Crescente em Escorpião, no domingo. Na sua jornada de coleta de informações e impressões para o Sol, ela faz aspectos com todos os demais corpos celestes, ora harmônica, ora agressivamente. Estes movimentos simbolizam as alterações cotidianas na vida instintiva e nos humores na Terra. A Lua será Cheia no dia sete de agosto, a 15° de Aquário, lunação que será também um Eclipse Parcial da Lua.

Daria Werbowy, para Vogue Itália – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 24 de julho – A Lua está nova, ainda em Leão e na madrugada fez quncôncio a Netuno e sextil a Júpiter. Durante o dia também encrenca com Plutão e se harmoniza com Saturno e Vênus, de formas diferentes, mediando o diálogo entre eles, que está bastante tenso, já que Vênus torna exata, hoje, a oposição a Saturno. A Lua finda o dia conjunta ao Nodo Norte e a Mercúrio, já formando um Grande Trígono de Fogo com Saturno e Urano. Mercúrio também está em trígono a Urano, exato hoje. O dia está tenso para as relações, particularmente as amorosas, que parecem dar mais trabalho do que valem a pena. É como se nos dessemos conta de que a relação demanda um esforço demasiado, sacrifícios demais e parece que só nós nos empenhamos e o outro apenas cobra, critica, julga, expecta… A ponto de nos sentirmos sozinhos dentro da relação – “solidão a dois, de dia, faz calor, depois faz frio”. E nos questionamos até que ponto estamos dispostos a ir, ou por que foi mesmo que começamos isso tudo… Realmente, relacionar-se dá muito trabalho, especialmente se estamos comprometidos em crescer, em ser melhores pessoas e melhores parceiros, em construir e viver relações mais felizes e saudáveis. Não é para os fracos e imaturos. Demanda trabalho, esforço contínuo e sim, haverá dias muito difíceis. Mas, nos dias difíceis é preciso lembrar o que nos uniu, o que me encantou nessa pessoa, em primeiro lugar; vale checar se a admiração continua, se as afinidades permanecem, se os projetos em comum ainda são válidos, a despeito dos problemas cotidianos. É o caso, também, de confrontar as projeções, as fantasias que tínhamos acerca do outro – e de nós mesmos enquanto parceiros – e da própria relação e perceber que a realidade pode ser um pouco diferente. E então, temos maturidade para lidar com essa realidade, minha, do outro e da relação? Ou será que agora, que o “brinquedo” já não está reluzente de tão “novo” perdemos o tesão, qual criança que perde o interesse tão logo se acostuma? Será que o príncipe virou um chato? Será que a princesa é uma megera? Amar é fácil, difícil mesmo é se relacionar, por isso a manutenção do amor dá trabalho. Ah! Sim! amar dá muito trabalho! Mas hoje, a despeito dessas tensões, conseguimos ser otimistas e nos animar a trabalhar essa relação, a estender a mão ao outro e dar o voto de confiança de que ele vá melhorar – ou dar crédito à nossa própria confiança, de que NÓS também vamos melhorar. Podemos ser honestos quanto aos problemas e desafios e, ao mesmo tempo, visionar as saídas possíveis, se estivermos dispostos ao esforço, ao trabalho – diga-se de passagem, bastante árduo – que consiste em criar uma relação de verdade, real, bonita, com erros e acertos. De modo geral o dia nos convida a lidar com sentimentos de menos-valia, criticismos, falas infelizes, julgamentos, cobranças, solidão e sensação de isolamento… Tudo para nos desafiar a a assumir o compromisso de cuidar melhor de nós mesmos e da nossa autoestima, para sermos capazes de nos defender e de ser justos, assumindo os buracos que precisam ser consertados, mas lembrando das áreas que estão funcionando bem, para não nos desmotivarmos inteiramente. Motivação, aliás, temos bastante para lidar com tudo isso, porque acreditamos que podemos mudar! E vamos em frente!

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 25 de julho – De Leão a Lua faz trígono a Urano e, como ainda se afasta do trígono a Saturno, temos um Grande Trígono de fogo na madrugada. A Lua ainda faz quincôncio a Quíron e conjunção a Mercúrio, ficando vazia depois deste aspecto, às 06h22min. Ingressa em Virgem às 07h33min. Durante o dia faz sesqui-quadratura a Plutão e fecha a noite em orbe de oposição a Netuno. Mercúrio ingressa em Virgem às 20h41min. A noite pode ser povoada de sonhos mágicos que mensagens importantes para a vigília! Já o dia começa bem industrioso, com uma forte energia de organização e trabalho, que pode nos ajudar muito a recuperar o tempo perdido, especialmente se nos demoramos a mais no lazer recentemente. Há bastante clareza quanto às nossa prioridades e isso pode fazer o dia render mais ainda, porque traz foco e produtividade. Mercúrio ingressa em Virgem, indicando um período em que a mente tem sua capacidade analítica aumentada. Análises, estudos, pesquisas, revisões de métodos e de materiais… tudo isso fica favorecido enquanto Mercúrio estiver em Virgem (de 25 de julho a 31 de agosto e de nove a 29 de setembro), particularmente no período de retrogradação (11 de agosto a 5 de setembro).

Brooke Shaden Photography – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 26 de julho – O Sol está em conjunção a Marte, seu guerreiro e embaixador, aspecto perfeito hoje! Mais do que nunca, Marte está atualmente a serviço do Rei, trafegando Leão. A Lua Virginiana faz sesqui-quadratura a Urano, se opõe a Netuno, faz trígono a Plutão e à noite quadra Saturno e Vênus – aspecto exato na quinta – e, vira a noite formando uma Grande Cruz Mutável pra lá de melindrosa, já que envolve Saturno e Quíron! Os dois significadores do feminino e também de relacionamentos emaranhados com esses caras espinhosos… Noite complicada! Entusiasmo, ânimo, coragem, ambição e muita energia são o pano de fundo do dia. Esse entusiasmo faz com que encaremos a maior parte das atividades com alegria e vigor, e mesmo, prazer! Contudo, há tendência a uma certa arrogância e é preciso ficarmos atentos para dosarmos o entusiasmo e não o impormos a outros. Nesse contexto, a Lua virginiana vem equilibrar e trazer alguma modéstia e “pé no chão” ao cenário. Mas há também incongruências, porque se o espírito está resoluto e decidido, o corpo e os sentimentos estão divididos, em “dú-vida – duas vidas”.  Sim, a industriosidade de ontem hoje está permeada de dúvidas e macula a determinação do propósito: qual o melhor método? Qual a hora mais adequada? Deveríamos mesmo estar fazendo isso? Nada pior que a auto-duvida para confundir aquilo que já havíamos decidido! Mas a dúvida às vezes pode ser amiga, se soubermos lidar com ela – ela nos obriga a checar as questões práticas, por exemplo, por exemplo – do contrário, podemos realmente nos perder nos emaranhados detalhistas da coisa “certa” a fazer, do politicamente correto, do recipiente certo, da cor exata… e quando vemos, não fizemos nada, porque estávamos discutindo detalhes! O dia pede que finquemos o pé no chão para discernirmos entre os detalhes que são cruciais e aqueles que são insignificantes, porque se misturarmos os dois, pomos em risco a realização do projeto. Já a noite traz dilemas mais densos e complicados, que envolvem nossas relações mais próximas. O ser masculino – Sol-Marte – está forte e poderoso; já o ser feminino sente-se desvalorizado, seja pelo masculino, seja pelo outro feminino, que é visto como concorrente, rival, inimigo – já vemos que essa é uma receita de confusão! Chafurdando na areia movediça das próprias inseguranças, vemos como ameaça qualquer vislumbre de algo diferente, que não conhecemos nem compreendemos e rotulamos de nomes menos nobres, uma depreciação que é, na verdade, como uma defesa do brio combalido. Mal sabemos que “a outra” – ou outro, não importa – está tão aflita quanto nós e, se tivéssemos a chance de chorar juntas, veríamos que partilhamos das mesmas pragas: autoestima baixa, medo de rejeição, medo de abandono, insegurança. No fundo, essa “outra” pessoa é parte de mim, é uma outra face da minha humanidade e vê-la como rival é apenas cair na armadilha que separa humanos que vivem os mesmos dilemas. Portanto, vale olhar para todos os “outros” das nossas relações como pedacinhos soltos de nós mesmos, para desenvolver nossa compaixão e senso de humanidade – e quando fazemos isso, até rimos muito do ridículo que é certas competições… De modo mais direto, a noite está melindrosa, porque os humores estão suscetíveis e as inseguranças, afloradas. Portanto, vale pegar leve antes de levar para o pessoal a brincadeira “sem noção” do outro; vale pensar duas vezes antes de fazer a brincadeira “sem noção”, que pode ofender ou pegar o outro num momento delicado. Nada como primar pela educação, a gentileza, a nobreza de caráter, levando em conta o credo cristão: não faça a outro o que não gostaria que fizessem a você! Gentileza e generosidade de espírito são essenciais para navegar essa noite melindrosa!

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 27 de julho – A Lua está em virgem e entra a madrugada envolvida numa Grande Cruz Mutável ao se afastar da quadratura a Saturno, fazer quadratura a Vênus e oposição a Quíron. A madrugada fica bem complicada, particularmente para as relações afetivas. A Lua fica fora de curso depois da quadratura a Vênus, às 03h33min. Ingressa em Libra às 12h37min. À noite a Lua se harmoniza com Marte e com o Sol. Se a madrugada esteve sujeita a desencontros e confusões amorosas, a amanhã traz um sabor desconcertante, de ideias confusas e sentimentos contraditórios. Ficamos inseguros se é melhor abrir o livro e o verbo e escancarar as coisas ou manter-nos discretos e contidos, para não chamar a atenção sobre nossa “desgraça” e infortúnio. A manhã traz essa sensação de divisão até nas coisas menores: prendemo-nos demais aos detalhes e isso nos faz perder o foco e a visão maior, de modo que a produtividade fica comprometida. De qualquer forma, não há energia suficiente para realizar mundos e fundos e o ideal é ater-se ao básico e à rotina. A tarde realça dúvidas de outo tipo, mas acentua a necessidade de ação, de resolução. A noite permite um alinhamento da vontade e dos propósitos com os sentimentos e necessidades de conforto e segurança, de modo que há maior clareza sobre os caminhos e atitudes a se tomar.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 28 de julho – A Lua Libriana faz quincôncio a Netuno,  conjunção a Júpiter – preste atenção no céu noturno, a conjunção estará belíssima! – e quadratura a Plutão. Vênus está muito próxima à quadratura a Quíron e ao sextil a Urano. O dia começa confuso, possivelmente com alguma indisposição indefinida, que pode ser física ou mesmo emocional. Conforme as horas passam, a indisposição fica mais distinta. Por um lado estamos animados e entusiasmados com nossos projetos, mas por outro, há tensões que precisam ser endereçadas e das quais não podemos fugir, por mais que queiramos. Muito do nosso otimismo é gasto em lidar com algumas cobranças e pressões externas, e muita energia também é dispendida em averiguar nossas motivações mais obscuras para fazer o que fazemos e para nos envolver nos imbróglios e e crises que criamos ao nosso redor, ou no mínimo, que atraem a nossa atenção. A noite está mais sujeita a erupções e explosões do humor e a tentativas de manipulação e jogos de poder nas relações. Quem sabe ir lá fora apreciar a noite e as estrelas possam nos ajudar a espairecer e colocar as coisas em melhor perspectiva. Ao olhar a escuridão da noite – se você conseguir fugir da iluminação artificial – podemos simbolizar a escuridão da nossa própria alma, aquelas regiões do nosso coração e do inconsciente a que normalmente não temos acesso, mas das quais podemos ter vislumbres iluminadores quando nos aproximamos com a devida reverência, honestidade e cuidado. O céu noturno também oferece o belo espetáculo da conjunção Lua-Júpiter – e Júpiter também está em quadratura a Plutão, exata em 05/08. Podemos nos sintonizar com esse poder de expansão e de auto-melhoria, trazendo para mais perto de nós essa possibilidade de iluminar, com benevolência, aspectos sombrios de nós mesmos, com vistas a reconhecê-los e transformá-los. Ao olhar o céu noturno e vermos a Lua e Júpiter, podemos dirigir uma oração, um rezo ao deus agradecendo por ser quem somos e estar onde estamos (esse é um agradecimento frequente para mim), porque só assim podemos experienciar tudo o que vivemos nas nossas vidas, no que ela tem de mais belo – como este céu iluminado – e no que ela tem de mais complexo, como os paradoxos da nossa condição humana! E que Júpiter nos abençoe com a sua benevolência!

Reprodução

SÁBADO, 29 de julho – Vênus quadra Quíron e faz sextil a Urano, ambos os aspectos exatos hoje. Quíron faz semi-sextil a Urano, exato também na virada de hoje para amanhã. A Lua Libriana se afina com Saturno, enquanto também ativa Quíron-Urano, ao fazer quincôncio àquele e se opor a este. A Lua fica vazia depois da oposição a Urano, às 18h32min. Ingressa em Escorpião às 21h23min. A madrugada está permeada de algumas angústias e aflições que podem atrapalhar relações íntimas; ou podem se manifestar como sonhos estranhos, que podem nos fazer relembrar algumas dores e rejeições antigas. O fato é que a atmosfera está meio carregada e isso é sentido na vigília, pois estamos inseguros e suscetíveis e, autoestima meio capenga e, por mais que haja também resiliência e afirmação de autonomia, ainda temos que lidar com a desconfortável sensação de desamparo e a dificuldade de expressar o que sentimos de forma segura e tranquila, de modo que ou nos reservamos e isolamos ou ficamos defensivos nas tentativas de interação, para nos preservar de dores e sofrimentos, que podem reverberar de experiências passadas ainda não completamente curadas. As lembranças vêm e vão e nessas idas e vindas podem causar amargor ou propiciar maior entendimento dos nossos processos relacionais, caso estejamos dispostos a sair da posição de vítima inocente – coisa que, obviamente, ninguém é. Tais lembranças podem ser iluminadas por um olhar mais arguto e maduro, com mais desprendimento e maturidade e podemos escolher deixá-las ir, dar outros significados para as vivências difíceis e aprender com elas; liberar o outro das nossas queixas e mágoas e com isso, liberar-nos do peso da cobrança e do fardo sofrido que estivemos acalentando e carregando por tanto tempo. Sim, a ferida reaberta pede para ser revista, pede por assepsia e purificação, pede por uma medicina nova: compreensão e perdão, de si para com o outro e para consigo mesmo. É isso ou então continuaremos na lenga-lenga do “ninguém-me-ama-ninguém-me-quer”, quando na verdade, nem nós talvez queríamos a nós mesmos. Precisamos ser capazes de olhar para nós mesmos com respeito, compaixão, aceitação e amor, só assim seremos capazes de oferecer isso ao outro e de reconhecer quando isso também nos for dado.

Reprodução

DOMINGO, 30 de julho – Quíron está em semi-sextil pleno a Urano. De Escorpião a Lua se harmoniza com Mercúrio em Virgem, quadra Marte e oficializa o Quarto Minguante ao fazer quadratura ao Sol. Faz sesqui-quadraturas a Quíron e a Vênus e vira foco de um Martelo. Fecha a semana em trígono a Netuno em Peixes. O domingo traz uma profundidade que nos convida a interações nada banais, nada leves. Pelo contrário, as trocas hoje precisam de engajamento apaixonado, evitar as superfícies seguras e embrenharmo-nos nas trocas mais densas e significativas. Pelo meio da manhã o clima pode ficar mais tenso e, se não tivermos escolhido bem as companhias, as trocas podem descambar para intrigas e disputas por território ou por domínio de assuntos e mesmo do outro. O que nos leva ao questionamento sobre o quê nos faz sentir ameaçados, o que isso diz sobre nós e nossa história e como podemos lidar com isso para que não atrapalhe as relações – porque às vezes a sensação de ameaça pode ser infundada e queimar pontes que estávamos construindo. A Lua entra no quarto Crescente, a Partir de Escorpião e nos convida a assumir nossa ambição e nosso poder, a não ter medo de apropriar-nos dos nossos talentos e reais habilidades e colocá-los a serviço da busca pela liderança; o Crescente também convida a conter um pouco nosso orgulho, vaidade, desejo de “aparecer”, se for para nossos projetos frutificarem realmente – muitas coisas, para serem bem sucedidas, precisam ser ocultados de olhos curiosos, até para escapar na vulgaridade e da banalidade das coisas que “todo mundo viu, todo mundo sabe”. Assim, por mais que nosso ego e vaidade clamem por divulgar sobre aquele projeto “mara” no qual estamos envolvidos, enquanto a coisa não estiver de fato sólida e sacramentada, é melhor deixar que germine no escuro, longe d olhos críticos e inclementes, de torcidas contrárias – chame de paranoia de Escorpião, que seja! – e, no mínimo, salve o projeto, os desejos e intenções da dispersão desnecessária de energia. Resguardemo-nos! Quem tem confiança não precisa do aplauso do outro, por coisas que ainda nem foram de fato realizadas! Isso pode nos poupar energia e dores de cabeça!

Uma ótima semana para você!

Reprodução
Barbed Wire Art – Reprodução

A Semana Astrológica – Coração Sangrando

Reprodução

Semana de 03 a 09 de abril

Semana de crescer e investir no que foi semeado na Lua Nova, nos projetos do ciclo e do ano – essa plantação não vai crescer sozinha, sem cuidados! Mas começa também um período de revisões importantes.

Esta é outra semana que começa “fervente”, mas que vai ficando melindrosa e delicada conforme os dias vão se desdobrando. A fervura se dá devido aos contatos feitos pelo Sol Ariano, primeiro na oposição a Júpiter, depois quadratura a Plutão e ainda fecha a semana conjunto a Urano, conjunção exata na semana que vem, já a suscetibilidade vem da quadratura que Vênus retrógrada fará a Saturno e da conjunção a Quíron.

Reprodução

O Sol faz esses aspectos tensos a esses planetas quatro vezes ao ano, de ângulos diferentes. Às vezes se alia a Urano, como agora, em janeiro se aliou a Plutão, em outubro se uniu a Júpiter… tudo isso simbolizando a necessidade constante de nos reinventarmos, de mantermos em cheque nossa insatisfação com nossa vida em geral, mas principalmente conosco mesmos. Também questiona a quantas anda nossa integridade e nosso comprometimento com a verdade. Se não estamos cientes dessas questões, experimentamos tais movimentos/aspectos como tensões provenientes do mundo exterior, que desestruturam e desestabilizam nossas vidas arrumadinhas. Mundanamente, representa as ebulições sociais e coletivas, que repercutem na vida de cada um, individualmente. Portanto, esta é uma semana que traz algumas convulsões e ebulições, individuais e sociais. Como se não bastasse, Marte, regente do Sol, também faz contatos com dois desses planetas: faz quincúncio a Júpiter indicando uma oscilação no nosso entusiasmo, no otimismo e a tendência de nos alternarmos entre um ceticismo inflexível e arroubos pouco práticos. O que nos cabe é achar o caminho do meio e tentar conciliar esses dois extremos: temperar nossa ação e afirmação com uma motivação que nos eleve e que equilibre toda essa busca pela estabilidade. Nem só de bom senso é feita a ação correta. Excesso de bom senso mata a criatividade. Já o aspecto a Plutão sugere um aumento de força, determinação e adiciona longevidade à nossa energia, de modo que o esforço fica mais concentrado e efetivo. O que precisamos mesmo é dosar e equilibrar entusiasmo com bom senso.

Reprodução

O bom senso, aliás, entra em revisão, junto com o que entendemos por estabilidade e segurança. Mercúrio estaciona no sábado para entrar em retrogradação no domingo, a 04°50’ de Touro e só volta ao movimento direto no dia três de maio. Se, com Mercúrio retrógrado, as coisas tendem a ficar mais lentas, sendo essa retrogradação em Touro, tudo paralisa e estaciona… tudo se delibera e pode haver maior hesitação na tomada de decisões. Pode haver também tendência a extremos: rasgos de extrema inflexibilidade alternados com momentos de caos completo – a resistência à mudança fica acentuada, mas pode piorar tudo – o ideal é soltarmos, porque afinal, não controlamos nada mesmo, por mais que queiramos acreditar que sim. Ao ficar retrógrado em Touro Mercúrio propõe uma revisão na forma como pensamos a estabilidade e a segurança material; como nossos conceitos acerca de habilidades, talentos, afetam nosso senso de valor; sugere uma reavaliação na forma como a mente se relaciona com o corpo e todos os seus sentidos. É hora também de revisar aquelas ideias rígidas, inflexíveis sobre como o mundo deve funcionar ou sobre o que é ou não verdade, sobre o que é ou não real… Ver para crer? Convenhamos, é uma forma limitada de pensar a vida, afinal, você não vê seus próprios pensamentos e eles existem, certo? Mercúrio retrogradará até Áries e aqui a conversa é outra: rever e revisar a forma egocêntrica de nos comunicarmos, a grosseria disfarçada de honestidade e atitude, os planejamentos relapsos – ou mesmo falta completa de planejamento – mascarados de agilidade ou criatividade. Em termos práticos, quando Mercúrio está retrógrado há tendência a mudanças de planos sem aviso prévio, a atrasos e imprevistos nas locomoções e sugere-se evitar assinaturas de contratos e acordos, compra/venda de valor expressivo, cirurgias. Por outro lado, é um ótimo período para se revisar escritos, estudos, projetos, planejamentos, e tudo que o que se tenha executado/realizado nos últimos três meses.

Retrogradação – quero incluir uma nota geral sobre o movimento retrógrado. A despeito das previsões tenebrosas acerca da retrogradação, este período representa uma pausa necessária para todos, planetas, pessoas e assuntos envolvidos. Imagine, por exemplo, que você está escrevendo um artigo ou uma tese/monografia ou mesmo um simples e-mail. Antes de dar a tarefa por terminada e enviar/entregar ao destino final, você vai parar e fazer uma revisão das ideias apresentadas no documento, da ortografia, das regras ABNT, e às vezes, até da necessidade em si de estar fazendo tal coisa, certo? Ninguém é maluco de enviar sem fazer essa revisão – ou se é, já deve ter se metido em várias enrascadas como consequência. Outro exemplo simples: todos nós precisamos de férias periódicas e anualmente tiramos um tempo – ou pelo menos deveríamos – para descansar mais efetivamente, para relaxar e mudar de ares. Entramos em standby. Outro exemplo tão simples quanto: o carro, veículos e máquinas em geral precisam de revisões periódicas para fazer regulagens, trocas de peças, ajustes, etc. Então, podemos ver a retrogradação dessa forma: um período em que os assuntos regidos por aquele planeta entram em standby porque precisam ser revisados, checados, reavaliados, regulados. Portanto, não vamos ver a retrogradação como uma catástrofe ou um desastre terrível do qual não podemos fugir. Não. Podemos até experimentar dificuldades, quando insistimos em manter tudo como estava, como se tudo seguisse o curso normal, quando na verdade, estamos em marcha à ré, mas se formos flexíveis e estivermos abertos ao que a vida nos traz, podemos nos deparar com boas oportunidades e entender melhor como nós mesmos funcionamos. Portanto, retrogradação é oportunidade e não desastre. Vamos nos alinhar com a energia e fazer o que a retrogradação daquele planeta propõe. Certo?

The Heartache – Christian Schloe – Reprodução

Vênus continua retrógrada ainda por duas semanas e regressou a Peixes neste domingo, dia dois, de onde fará quadratura a Saturno e conjunção a Quíron – a conjunção a Quíron não ficará exata, mas ainda assim será potente, visto que Vênus estaciona nessa conjunção, de menos de um grau, no dia 14. Portanto, pelas próximas quatro semanas as relações ficam na berlinda triplamente: pelo fato de Vênus continuar retrógrada – e mesmo depois do dia 15 ainda estará na zona de retrogradação – pela quadratura a Saturno e pela conjunção a Quíron, o que significa um mês bem doído em que rancores e rejeições do passado podem voltar para nos assombrar e podem mesmo atrapalhar relações atuais, caso não saibamos separar as “estações” e as feridas e cicatrizes. Vênus-Saturno traz à tona questões de confiança ou quebra de, incertezas e dúvidas sobre se podemos nos abrir e nos entregar realmente nas relações, se seremos desapontados ou rejeitados – e aqui precisamos reconhecer quando nossas expectativas são altas demais. Como diz Adriana Vasconcelos, “felicidade é quando a gente sente que pode se ‘desarmar’ e confiar nas pessoas sem medo de ser ferida” – essa felicidade, nesse momento, parece fora do nosso alcance, porque simplesmente não conseguimos nos desarmar. Positivamente, podemos ter vislumbres das repetições de padrões na vida afetiva e podemos, para variar, nos responsabilizar pelos altos e baixos e estragos que acontecem conosco, ao invés de simplesmente reclamar de “dedo-podre” atribuindo à/ao fulana/o a culpa por dores, coração partido, rejeições, mágoas e o que quer que seja que nos impede de ser/estar felizes conosco mesmos e com nossos pares. Bancar a vítima é muito démodé e não nos levará a nenhum progresso. É mais salubre olhar para si mesmo e para as próprias inseguranças e se perguntar por quê continuamos a nos envolver com o mesmo tipo de pessoa, travestida em corpos/cores/roupagens diferentes. O que há em comum nessa repetição do padrão? O que é que sempre se repete: nossa presença no enredo, o que significa que o problema somos nós, até porque, como já sabemos só conseguimos mudar a nós e não ao outro. Por que insistimos em nos enganchar nos desvalidos da vida? Por que essa vocação para “salvar” alguém, ainda mais quem não quer e não pediu para ser salvo? Por que nos colocamos na situação exata que temíamos, ou seja, de rejeição e abandono? Porque talvez tenhamos aprendido, lá na infância um modelo deturpado de amor, mas esse modelo pode ser desconstruído e em seu lugar podemos elaborar um modelo mais saudável de amor, mas antes é preciso sermos honestos quanto à nossa responsabilidade em tudo isso e não bancar os coitadinhos ingênuos.

John Holcroft – Reprodução

Essa quadratura que Saturno recebe de Vênus é ainda mais melindrosa porque ambos os planetas estarão retrógrados, visto que Saturno também entra em retrogradação nesta semana, na quinta-feira, o que sugere que a revisão dos assuntos implicados é ainda mais necessária. Também é importante o fato de que tal quadratura ficará ativa por praticamente todo o mês de abril, porque Vênus vai estacionar em conjunção a Quíron e em quadratura a Saturno e depois empreenderá o longo caminho de volta, fazendo o mesmo aspecto três vezes – ou seja, o mês de abril está deveras melindroso para os relacionamentos e também para a autoestima e para os investimentos financeiros. Mas é um bom momento para desmanchar, desfazer padrões, romper com modelos antigos de viver as relações, mesmo os mais destrutivos – porque não conseguimos superar nossas carências, os padrões aprendidos na infância ou juventude, a tendência a equalizar relacionamento com sofrimento. O período pode ser bastante doloroso, mas também rico em insights, entendimento sobre nossos processos íntimos, sobre como construímos nossa autoestima – ou falta de – e o impacto que isso tem nas nossas parcerias. Sendo Vênus um planeta feminino, este movimento sugere repensar como o feminino se define e é definido na nossa sociedade e sugere a fragilidade desse feminino, a dureza com que ele se depara no mundo.

Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua inaugura a semana entrando na fase do Quarto Crescente, já na segunda-feira, empoderada em Câncer. Assume brilho fulgurante em Leão e entra na fase Corcunda em Virgem, na sexta-feira. Fecha a semana já em Libra, acentuando a parada de Mercúrio ao fazer aspecto a ele no domingo. Na sua caminhada celeste ela faz vários aspectos, harmoniosos ou tensos a todos os demais corpos celestes, simbolizando as alterações diárias dos humores, das emoções, dos interesses no mundo. A Lua será Cheia na terça-feira, dia 11, às 03h07min, a 21°32’ de Libra, em conjunção a Júpiter, oposição ao Sol, Urano e Eris e quadratura a Plutão – uma Lua Cheia realmente crítica e explosiva!

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 03 de abril

A Lua está em Câncer e faz trígono a Netuno em Peixes e mais tarde faz quadratura ao Sol Ariano, entrando na fase do Quarto Crescente. A Lua ainda faz quadratura a Júpiter e se opõe a Plutão (aspecto exato amanhã) e, devido à quadratura ao Sol, forma uma Grande Cruz Cardinal. A única ajuda vem do sextil a Marte em Touro. A segunda-feira começa com a corda toda, trazendo oportunidades disfarçadas de desafios e obstáculos. Queremos cuidar e nutrir nossos projetos, mas receamos fazê-lo de forma direta, porque não queremos despertar curiosidade ou mesmo competição quanto àquilo que estamos planejando e construindo. Mas, a despeito de nossa independência e autonomia, diretividade e honestidade, precisamos também agregar sensibilidade e colocar nossos sentimentos a serviço de tais projetos. Mesmo com toda a nossa coragem e vigor, ainda precisamos nos lembrar de nossas origens, precisamos levar em conta tudo o que nos nutriu até aqui, sejam pessoas ou recursos – sim, precisamos honrar nossos sentimentos e nosso passado, se for para ver nossos projetos prosperarem e frutificaram lá na frente e lembrar de agradecer, sempre. Assim, o dia ganha um tom apaixonado e arrebatado, que nos impele de forma entusiasmada ao trabalho, a fazer os ajustes necessários no que quer que estejamos envolvidos e que requeira regulagem. Como uma máquina impulsionada a todo vapor, ganhamos ímpeto e ânimo, porque já conseguimos vislumbrar os resultados que queremos alcançar. Sabemos que para conseguir tais resultados, teremos que nos empenhar muito agora, mas não nos fazemos de rogados e nos atiramos ás tarefas com gosto e paixão – o único problema é que talvez toda essa paixão e vigor batam de frente com a paixão do outro, que parece estar estar indo na direção contrária, o que pode significar atritos e faíscas. À noite esse clima fica mais fumegante e talvez precisemos lidar com conflitos também dentro de casa, com familiares ou pessoas próximas, que nos cobram uma atenção que talvez tenhamos suprimido porque estávamos ocupados com outras coisas com nossos objetivos individuais. Em lugar de dar desculpas fáceis ou sair pela tangente, é melhor encarar o conflito de vez e ser honestos sobre as próprias prioridades e tudo o que está em jogo. Recorrer a chantagens e à clássica “faço isso por vocês” pode ser um escape fácil, mas traiçoeiro, porque talvez não seja completamente honesto e assim, é possível que nos “entreguemos” num momento de descuido, o que fará o outro se sentir traído e manipulado. Visto que os dias estão melindrosos e as sensibilidades afloradas, o ideal é acalmarmos as emoções tempestuosas e tentarmos chegar a um consenso, ao invés de simplesmente revidar de forma rasteira. Colocar-se no lugar do outro ajuda a sair da nossa perspectiva afunilada, a enxergar o conflito de outro ângulo, facilitando uma conciliação. O ideal é ter clareza da diferença entre o que queremos e o que precisamos – isso faz toda a diferença!

Reprodução – Desconheço o autor

TERÇA-FEIRA, 04 de abril – Marte está em quincúncio exato a Júpiter na virada para quarta-feira. De Câncer a Lua completa a oposição a Plutão em Capricórnio, quadratura a Urano em Áries, trígono a Quíron, quincúncio a Saturno e trígono também a Vênus retrógrada, aspecto depois do qual fica fora de curso, às 17h47min. Ingressa em Leão às 19h14min e fecha a noite em quadratura Mercúrio em Touro. A madrugada está tempestuosa e finda numa manhã tensa e elétrica, em que acordamos cheios de gás, mas também irritadiços, dando choques a torto e a direito, de modo que o dia fica carregado de instabilidade, nervosismo e oscilações de humor, inconstância na liberação da energia e flutuação no entusiasmo. Sentimos uma grande pressão, interna e externa, para “dar conta” de todas as tarefas e, embora tenhamos nosso próprio investimento na dinâmica do dia, também nos ressentimos com tantas cobranças e pressões, o que pode nos deixar meio azedos ou amargos. À tarde o mau humor pode virar melancolia e abatimento, porque nos sentimos mais vulneráveis, sensíveis, como se fôssemos nos desmanchar a qualquer momento. Além de nossas próprias inseguranças, captamos as vibrações de infortúnios alheios, e talvez isso nos faça sentir impotentes. Contudo, também podemos nos sintonizar com vibrações mais elevadas, porque elas também estão disponíveis: ternura, gentileza, bondade, compaixão e mesmo as percepções de dor podem ser utilizadas para colocar as coisas em perspectiva: primeiro, sabemos que nossos problemas, embora importantes para nós, não são os únicos nem os piores do mundo; segundo, ao nos voltarmos para os outros, de bom coração, podemos melhorar a atmosfera para todos, inclusive para nós mesmos. Como diz Jung, “do mesmo modo que aquele que fere o outro fere a si próprio, aquele que cura o outro, cura a si mesmo” e, por que não dizer, aquele que cuida, protege, nutre, afaga, se compadece… Quando estamos afundados e afogados nos nossos próprios problemas, sejam eles pequenos ou grandes, sempre pode ajudar olhar para o outro e ver que estamos todos no mesmo barco, com dores diferentes, mas ainda assim, todos têm suas dores e o melhor que fazemos é nos apoiar mutuamente, ao invés de nos desgastarmos nos dramas excessivos ou crises desnecessárias. E, se for para reagir, reaja com amor!

Catrin Welz-Stein – reprodução

QUARTA-FEIRA, 05 de abril – Saturno estaciona às 02h06min em Sagitário. Marte segue em quincúncio exato a Júpiter ainda na primeira hora do dia. A Lua plenifica a quadratura a Mercúrio e faz quincúncio a Netuno. Mais tarde faz sesqui-quadraturas a Quíron e Vênus em Peixes e a Saturno em Sagitário, virando foco de um Martelo. Fecha a noite em trígono ao Sol. Marte está em trígono quase exato a Plutão, que também recebe a quadratura próxima do Sol. A madrugada traz incongruências entre corpo e mente, que podem se traduzir em inquietude ou pensamentos obsessivos, atrapalhando o sono. Como resultado, a manhã começa um pouco atrapalhada, com imprevistos perturbando o andamento natural das coisas, incertezas inconscientes pinçando nervos expostos das nossas inadequações, que hoje parecem dar pistas de suas origens. Ao mesmo tempo que pode haver momentos desconcertantes conosco mesmos, podemos também ter aqueles momentos mágicos de “A-há! – então é isso!”, que nos clarificam muitas questões inconscientes, levando talvez a uma maior integração desses traços sombrios de nós mesmos. Contudo, ainda há grande reatividade no ar, especialmente à noite, quando o humor volta a ficar carregado e as reações, cortantes. Por isso, precisamos manter em cheque as emoções desencontradas e conflitantes, para que gerem energia de iluminação e não de conflito no mundo exterior, porque ainda que precisemos nos posicionar firmemente sobre algo, ainda podemos fazê-lo de forma amistosa e, de novo, se for para reagir, reaja com amor!

Katie Grinnan – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 06 de abril – Marte está em trígono partil a Plutão. A Lua faz trígono ao Sol, sextil a Júpiter, quincúncio a Plutão, quadratura a Marte e trígono a Urano e a Saturno, formando um Grande Trígono de Fogo. Fica vazia depois do trígono a Saturno, às 21h17min. Saturno entra em movimento retrógrado às 02h06min. O Sol está muito próximo da oposição a Júpiter. Estamos um tanto irritados pela manhã e, embora ao longo do dia o humor melhore, estamos cientes de que há questões importantes a serem endereçadas e tratadas, questões que estão aflorando à superfície da consciência e que certamente nos obrigarão a novas mudanças em nossas posturas, códigos morais e atitudes concretas. A despeito de nos darmos conta do desconforto, porém, também estamos dispostos a fazer o que for necessário para confrontar tais questões e a ir fundo nessa auto-investigação. Isso porque, embora haja o desconforto, também há a percepção da possibilidade de melhorias, de conseguirmos superar bloqueios e entraves, se formos honestos o bastante conosco mesmos e se estivermos dispostos a abrir mão da rigidez e dos nossos pré-conceitos. Saturno entra em retrogradação e nos convida a fazer uma revisão do trabalho que empreendemos nos últimos meses – desde agosto/16 – no sentido de nos definirmos como indivíduos e de nos realizarmos concretamente no mundo tangível.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 07 de abril – O Sol está em oposição exata a Júpiter e muito próximo da quadratura a Plutão. A Lua abre o dia vazia em Leão, mas ingressa em Virgem à 01h20min, de onde se harmoniza com Mercúrio em Touro. A Lua também faz sesqui-quadraturas ao Sol (entra na fase Corcunda) e a Plutão, virando foco de um Martelo e ainda segue a fazer outra sesqui-quadratura a Urano e fecha a noite em oposição a Netuno. Vênus está em quadratura a Saturno, aspecto quase exato. Na superfície, estamos hoje entusiasmados e animados, com a confiança e otimismo de que nada pode dar errado, exceto que, sim, muita coisa pode sair errado, especialmente se ignorarmos detalhes importantes e nos inflarmos de nossa própria importância, achando que somente nossos desejos – extremamente imediatistas – são justos e apropriados. Temos, de fato, muita força e recursos em nossas mãos, com os quais podemos transformar muitas coisas, mas se não começarmos por dentro, por nós mesmos, pouco adianta e nada conseguiremos mudar no entorno, muito menos nos outros, especialmente se tentarmos impor nossas visões e nossa vontade a quem quer que seja. É preciso vigiar a tendência aos exageros, à inflação do ego, às bravatas. Também há uma sensação de cisão interna, em que conscientemente temos essa autoconfiança, até desmesurada, mas, subjacente à superfície, há dúvidas e ansiedades que podem se manifestar de duas formas: ou colocam um freio e equilibram os excessos; ou os alimentam porque a insegurança pode nos tornar ainda mais afoitos e aflitos por auto-compensação e por provar que tudo está bem, quando talvez não esteja – mecanismo de camuflagem. De uma forma ou de outra, ficamos tensos e nos expressamos de forma desajeitada, como a esperar o momento que nossa máscara bonachona cairá e revelará nosso lado desgracioso, desastrado e inepto.

Reprodução

SÁBADO, 08 de abril – O Sol está em quadratura plena a Plutão e Vênus em quadratura a Saturno, aspecto também pleno. Por seu turno, a Lua se opõe a Netuno, faz quincúncio ao Sol e trígono a Plutão e a Marte, formando um Grande Trígono de Terra. Fecha a noite em oposição a Quíron. Mercúrio estaciona às 20h15min, para entrar em retrogradação amanhã. Nossa individualidade e objetivos conscientes hoje se deparam com forças potentes que, a princípio, parecem se opor a nós e a nossos quereres. Na verdade, passamos por mais uma prova, que vem testar o quanto conhecemos a nós mesmos e às nossas facetas secretas e sombrias, que hoje podem se revelar um pouco mais através dos conflitos com os poderes que parecem contrários àquilo que somos e buscamos, assim como através de inseguranças que afloram à superfície da consciência. Se nos identificamos apenas o lado mais luminoso e grandiloquente, o entusiasmo e a generosidade dos grandes espíritos, podemos nos enganchar em dificuldades com figuras “tenebrosas” que se interpõem em nosso caminho e nos obrigam a lidar com nossa própria escuridão, desejos de poder e controle, emoções virulentas e abissais, que talvez mascarem o medo profundo de rejeição e abandono. Contudo, para que já está mais acostumado aos confrontos com essas forças, o dia se apresenta como mais uma oportunidade de integrarmos esses traços ditos menos nobres e enriquecermos nossa experiência e maturidade – o regente do sol, que quadra Plutão, é Marte, que faz um aspecto harmonioso ao mesmo Plutão, possibilitando um diálogo promissor e uma ponte entre o Sol e Plutão, de modo que o confronto talvez não precise ser negativo. De qualquer forma, por mais oportunidades que possa trazer, é fato que o dia está pesado, carregado de conteúdos tóxicos, inseguranças, vulnerabilidade, desconfiança, dúvidas e medos. É necessário uma parada básica para olharmos os nossos melindres, as dúvidas e incertezas que são nossos, a despeito de acharmos que nascem das interações com outros – não, as interações com outros apenas trazem à tona algo que já existe em nós. Recomenda-se cautela em todas as interações, especialmente aquelas com pessoas mais próximas e nas relações afetivas, visto que estamos todos muito defensivos, vulneráveis e quebradiços, podendo tanto ofender quanto nos sentir ofendidos inadvertidamente. Por outro lado, a Lua oferece uma boa contenção e sustentação emocional e se conseguimos conter nossos ímpetos mais selvagens e as reações mais primitivas e defensivas, também revigoramos nossa força interior, que nos capacita a olhar para tudo sem medrar, aceitando e transmutando tais poderes sombrios em recursos de conscientização e crescimento. De qualquer forma, tirar um tempo para si, para refletir sobre os afetos – ou desafetos – pode ser uma boa pedida. Talvez seja bastante inteligente refletir bastante nesses dias mais carregados, antes de tomar decisões difíceis ou mesmo antes de enfrentar situações  mais delicadas.

Reprodução

DOMINGO, 09 de abril – A Lua Virginiana se opõe a Quíron e a Vênus em Peixes e também quadra Saturno, ficando fora de curso logo depois, às 05h23min. Ingressa em Libra às 09h35min e logo se desentende com Mercúrio e, de forma diferente, também com Marte. Mercúrio entra em retrogradação às 20h15min. Vênus fecha a semana em conjunção a Quíron e o Sol segue se separando da quadratura a Plutão, enquanto ruma para a conjunção a Urano. O domingo está deveras penoso e complicado. Feridas expostas, exigindo limpeza e purgação, doem excruciantemente e parecem não dar trégua para nosso coração combalido. Mas, embora estejamos ultra suscetíveis e espinhosos, defensivos e sorumbáticos, há grande oportunidade de cura, de perdão, de serenar e sanar tais feridas pela percepção de que não precisamos ser vítimas de nada nem de ninguém, muito menos de nós mesmos. A questão principal aqui tem a ver com confiança, tanto a confiança em nós mesmos e no nosso valor, quanto a confiança na integridade e no amor do outro. E se estamos muito inseguros, a tendência é nos precavermos por mecanismos de controle, tentando controlar o outro ou às circunstâncias, algo que pode tornar tudo mais difícil e até precipitar a crise que estava ameaçando eclodir. É fundamental não resvalar em pensamentos sombrios de menos-valia, nem se colocar para baixo, vigiando pensamentos negativos que só piorarão o humor e tudo o mais. Fazer um balanço maduro da situação, tendo serenidade e empatia para consigo mesmo, assim como para com o outro, que provavelmente está tão sensível e vulnerável quanto nós. Encarar a realidade da situação e por mais difícil e dolorosa que ela seja, não sucumbir diante dela – se há despedidas para acontecer, se há lutos para se sofrer, se algo morreu realmente e não tem recuperação, o luto é necessário, mas ainda pode ser vivenciado com dignidade e não precisamos depauperar nosso amor próprio ainda mais. Com o tempo e a compaixão, tanto nossa quanto de amigos e aqueles que nos querem bem, sempre podemos nos lembrar de quem somos, sempre podemos nos lembrar da nossa luz a brilhar fulgurante, apesar dos momentos difíceis pelos quais estejamos passando. E o amor, o amor sempre estará lá, dentro de nós, só precisamos nos lembra de onde o guardamos.

Uma ótima e serena semana para você! Que traga paz e luz!

Reprodução
The Heartache – Christian Schloe – Reprodução

A Semana Astrológica – Qual o sentido de tudo isso?

Zodiac Arts – Reprodução

Semana de 30 de janeiro a 05 de fevereiro – A Lua Crescente no fim da semana nos alerta para fazermos ajustes na liberação da energia… É preciso foco para se tirar o melhor proveito! Também precisamos reavalaiar a maneira como viemos nos expandindo até aqui.

Há dois grandes acontecimentos astrológicos esta semana: Júpiter fica retrógrado e Vênus ingressa em Áries, signo onde também ficará retrógrada a partir de 04 de março. Júpiter fica cerca de quatro dias praticamente sem se mover, até estacionar e mudar de direção. Como já sabemos, a retrogradação de todos os planetas exteriores (de Marte a Plutão) necessariamente envolve a oposição ao Sol e um pouco antes ou logo depois de ficarem retrógrados, esses planetas fazem trígono ao Sol, um trígono que costuma ser enganoso, exatamente porque implica que o planeta entrará em retrogradação logo depois (e possivelmente nas progressões, no caso de mapa natal). Depois de ficar várias semanas com todos os planetas em movimento direto, algo que é relativamente incomum, Júpiter abre o caminho das retrogradações, seguido depois por Vênus (04 de março a 15 de abril), Saturno (07 de abril a 25 de agosto) e Mercúrio (10 de abril a 03 de maio). Daí seguem Plutão e os demais. Quando Júpiter muda a direção, a expansão e crescimento que vinham acontecendo de forma livre e até impetuosa (naquela área de vida representada pela casa do mapa natal) desacelera e talvez até experimentemos a sensação de parada, de que as coisas travaram um pouco… Uma oportunidade nos é dada de reavaliar e refletir sobre o crescimento conseguido nos meses anteriores e fazer os devidos ajustes. Em Libra, a retrogradação de Júpiter enfatiza a lentidão, atrasos e desaceleração de processos jurídicos; negociações que estavam em andamento, parcerias que estavam engatilhadas são paralisadas por algum motivo e as partes são obrigadas a rever todos os planos; acordos diplomáticos que estavam sendo . Contudo, o retardamento do crescimento que vinha em franca expansão não deve nos desencorajar – é apenas a chance que precisávamos para descansar e rever nossas estratégias. Até que Júpiter faça a oposição ao Sol, temos a sensação de que o progresso estacionou, mas tal parada sugere a necessidade de se refletir se a forma como os avanços e desenvolvimentos estão acontecendo realmente estão de acordo com o que a consciência (o Sol) quer e precisa. Talvez seja a hora de se perguntar qual o sentido de tudo isso, se esse desenvolvimento e expansão ainda é aquilo que realmente queremos, do jeito que queremos. Júpiter fica retrógrado de 06 de fevereiro a 09 de junho. Estaciona a 23°08’ de Libra e retrograda até o grau 13°12’ deste signo.

Rihana, que tem Ascendente e Vênus em Áries. Uma de suas marcas é a mudança constante de estilo dos cabelos – Reprodução

Vênus ingressa em Áries, onde se expressa no seu modo guerreira. É independente, livre, audaciosa, uma conquistadora em busca de uma causa! Tem forte senso de justiça mas pouca paciência para mimimis, demonstrações muito dengosas de afeto ou cerceamento de sua liiberdade – machistas não passarão! Nos mapas femininos simboliza a mulher que tem como valor máximo sua liberdade, independência e autonomia. Nos mapas masculinos indica homens que admiram e buscam uma companheira com essas qualidades. Essa Vênus gosta de esportes e precisa se engajar em atividades físicas para canalizar seu estilo competitivo e um tanto abrasivo. Mesmo seu estilo pessoal de se vestir tende mais para o esportivo e o confortável e ela atrai parceiros principalmente por ser direta e franca, assim como se sente atraída por pessoas que têm as mesmas qualidades. Vênus fica em Áries de 03 de fevereiro até 03 de abril, quando, retrógrada, retorna a Peixes. Reingressa em Áries dia 28 de abril, onde fica até 06 de junho.

Hybridlava.com – Reprodução

Mercúrio está bastante ativo nesta semana. Depois de ter feito conjunção a Plutão ele faz agora quadratura a Urano em Áries e a Júpiter em Libra, além de fazer também sextil a Kíron em Peixes. Mercúrio em Capricórnio gosta de ordem e estrutura na forma de pensar e se expressar, os conceitos são tradicionais e coerentes. Mas nesta semana a mente recebe uma descarga de alta voltagem e é obrigada a se revolucionar novamente, a destruir conceitos e preconceitos, ideias e opiniões que já não estão servindo aos propósitos maiores da nossa alma e da consciência. É tempo de nos liberar das opiniões rançosas, de abrir mão de ter “aquela velha opinião formada – e rígida – sobre tudo”. O Mercúrio Capricorniano precisa temperar suas ideias tradicionais enormes pitadas de ousadia e a capacidade de experimentação para pelo menos se perguntar “e se?”… Esses movimentos demandam que sejamos bastante flexíveis e que estejamos abertos às situações inusitadas, porque há grande propensão a imprevistos, mudanças de última hora – particularmente para quem estiver viajando – de modo que precisamos aprender coisas novas e nos expor a experimentações – é isso ou ao invés disso, estaremos expostos a irritações, controvérsias desnecessárias, conflitos e rupturas. Atenção no trânsito porque também há propensão a acidentes.

The Mind Unleashed – Reprodução

Além do Sol continuar isolado ainda por alguns dias no começo de Aquário, Netuno é outro que agora fica sem aspectos por longos períodos. Esse isolamento é quebrado quando planetas pessoais trafegarem o começo do segundo decanato dos signos de Água ou dos signos mutáveis. Com Netuno sem aspectos sua manifestação pode se dar de forma extrema e ficamos mais suscetíveis a idealizações e fantasias; a sensibilidade e sentividade ficam mais aguçadas, embora não necessariamente consigamos identificar e ter clareza a respeito das coisas que captamos. Para pessoas que estão vivenciando trânsitos de Netuno no mapa natal, a sensação desconfortável de confusão e falta de rumo pode ficar mais acentuada. Positivamente, também fica realçada a imaginação, a criatividade, o refinamento e a busca pelo sublime. Movimentos subversivos também estão propensos a aparecerem e ganharem destaque neste período, que vai até meados de abril, quebrado, como já disse, pelos trânsitos eventuais da Lua e dos planetas de trânsito rápido.

A Lua abre a semana na fase Nova, em Peixes. Ainda em Peixes ela entra na fase Semi-Crescente na terça-feira. Torna-se guerreira em Áries e formaliza o Quarto Crescente em Touro, no sábado. Fecha o domingo já em Gêmeos. Na sua jornada ligeira ela vai conversando com todos os demais corpos celestes, simbolizando as mudanças rápidas do humor das massas e sendo gatilho para acontecimentos maiores mundo afora.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 30 de janeiro –  A Lua Nova está em Peixes, onde se funde a Netuno. Mais tarde trava uma conversa harmoniosa, mas tímida com Plutão e Mercúrio em Capricórnio. A semana começa de maneira saudosista, nostálgica e talvez seja até difícil nos arrancar da cama, já que os sonhos e o sono estão pesados, além de os lençóis parecerem irresistíveis. A tentação é permanecer na cama, simplesmente mergulhados em sonhos, sejam os do sono sejam os da vigília, seja dormindo ou acordado. Haja café para dar o tranco e a arrancada inicial do dia e da semana! Num tom mais positivo, o dia está cheio de criatividade, imaginação e inspiração e se nos agarrarmos a esses ímpetos e aos nossos projetos inventivos e significativos para nós, podemos vencer mais facilmente a tentação de continuar nos braços de Orfeu. Pelo final do dia estamos mais animados, mas a sensibilidade continua salientada e o nosso faro, bastante aguçado, de modo que seria bobagem desperdiçar tanta inspiração, portanto, faz bem quem conseguir dar outros usos para essas influências para além do trabalho e da tal da “produtividade”.

Bertha Worms – 1895 – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 31 de janeiro – A Lua faz sextil a Mercúrio, conjunção a Kíron e qincúncio a Júpiter. Depois ainda quadra Saturno e fica conjunta a Vênus, aspecto depois do qual fica fora de curso, às 15h37min. Já vazia, faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Ingressa em Áries às 19h47min e fecha a noite conjunta ao dono da casa, Marte. Mercúrio está em quadratura quase exata a Urano. A noite traz um sono tranquilo mas a manhã começa com tensões e uma grande sensação de cansaço e talvez até desânimo, como se as tarefas que nos esperam fosse pesadas por demais e isso, de certa forma, nos indispõe contra o mundo e suas obrigações e deveres, porque gostaríamos de estar mais livres, para criar conforme nossa vontade e não apenas cumprir tarefas chatas e obrigatórias. Contudo, é preciso fazermos um ajuste com a alma porque é dia em que o dever realmente precisa vir antes do prazer, se é para termos prazer sem culpa. Se nos dispusermos a abraçar as tarefas e obrigações com alegria, podemos descobrir dentro de nós a disciplina e o pragmatismo necessários para concretizar a criatividade caótica e desproporcionada. À tarde há maior inspiração, mas há também maior langor e necessidade de socializar um pouco mais, portanto, quaisquer tarefas que exijam maior concentração e ordem devem ser executadas pela manhã. A tarde também pede que evitemos nos expor a energias mais densas como fofocas, notícias tristes, particularmente do tipo “mundo-cão”, porque há maior tendência a absorvermos as coias como se fossem nossas.

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 1° de fevereiro – Mercúrio está em quadratura plena a Urano e em quadratura próxima também a Júpiter, enquanto a Lua Ariana faz conjunção a Marte e sextil ao Sol Aquariano. A Lua fecha a noite em quadratura a Plutão e Mercúrio vira o dia também em sextil exato a Kíron. Ao contrário dos dias anteriores, hoje estamos com a disposição a mil por hora, a cabeça fervilhando de ideias, que pululam em ritmo caótico, causando inquitude mental e corporal. Há muita necessidade de ação de nos envolvermos em atividades onde possamos gastar energia física. Impaciência e talvez uma certa irritação causada pela “lerdeza” de outros podem trazer muitos conflitos, assim como o embate acirrado de ideias onde uns defendem o que é aceito e já testado e outros buscam experimentação e diferenciação do velho. Rigidez de opiniões e de conceitos pode, de fato, levar a conflitos sérios nas interações e antes de partir para as rupturas definitivas vale a pena sair um pouco do próprio umbigo e ouvir a si mesmo falando, com isensção e distanciamento. Será que estamos mesmo tão certos do que dizemos? Quem disse que a verdade é uma só? Qual o problema de mudar de opinião? Entrincheirar-se em opiniões apenas demonstra que talvez estejamos inseguros e nos sentindo ameaçados e isso diz muito sobre nós e nossa (i)maturidade emocional. Vale a pena desacorrentar a mente, desapegar-se das ideias e cogitar sobre outros modelos de pensamento, cogitar, apenas cogitar sobre o que o interlocutor está dizendo, antes de simplesmente se recusar ao diálogo.

Up North – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 02 de fevereiro – Mercúrio está em quadratura exata a Júpiter e sextil pleno a Kíron. A Lua também plenifica a quadratura a Plutão, faz conjunção a Urano e se opõe a Júpiter, enquanto quadra também a Mercúrio, tornando-o foco de uma T-Square Cardinal. A Lua ainda faz trígono a Saturno, ficando vazia logo depois, às 14h51min. Ingressa em Touro somente às 23h50min. A mentalidade vigente, especialmente aquelas ideias referentes à ordem no trabalho e à ordem social estão sob grande pressão hoje. Conceitos e modelos acerca de como o mundo funciona ou deve funcionar passam por questionamentos a respeito de sua justeza, seu equilíbrio e o quanto tais ideias ou conceitos permitem ou impedem o progresso e o avanço de melhores condições sociais para todos. Conceitos estruturados e aceitos por todos precisam se renovar para que haja mais equilíbrio, independência e liberdade de pensamento e de expressão… Será que podemos sonhar com isso ou será que se dará justamente o contrário e talvez nos percebamos mais e mais amordaçados e/ou alienados? Em termos pessoais, o dia traz muitas possibilidades de mudança nos padrões de pensamentos e na forma de olhar e pensar o mundo e a própria vida e, quem se recusar a ver as situações, pessoas e até a si mesmo sob novos ângulos, talvez se defronte com cenários extravagantes e indivíduos excêntricos que lhe obrigará a expandir sua visão e as ideias estreitas que porventura ainda se acalente. Há tendência a embates formidáveis de ideias, que podem ser muito frutíferos e criativos, caso as pessoas envolvidas estejam abertas ao diálogo e a rever seus conceitos. Caso haja rigidez nas posturas, os conflitos podem ser desagradáveis. Se percebermos que o frescor das novas ideias não precisa ser uma ameça, temos boas chances de aproveitar a ponte entre aquilo que foi e aquilo que se descortina diante de nós. É possível que também haja muita inquietação e ansiedade e se não cuidamos, o sistema nervoso pode entrar em pane com o excesso de atividade mental – meditação e exercícios de aterramento podem ajudar. Do meio da tarde até a noite temos muito tempo para meditar e ponderar sobre todas essas questões. As atividades práticas e objetivas dão lugar à contemplação.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 03 de fevereiro – A Lua, exaltada em Touro, faz um contato discreto com Netuno em Peixes e se prepara para o Quarto Crescente. Vênus ingressa em Áries às 13h52min e Mercúrio segue em quadratura a Júpiter e a Urano. Um dia mais calmo em que há muito bom senso à nossa disposição para digerirmos as “revoluções” de ideias dos últimos dias. Coração tranquilo, alma mais plácida, visualizamos com pragmatismo para onde ir a partir daqui: ruminamos, refletimos, ruminamos mais um pouco, enquanto seguimos com nossas tarefas, que nos dão uma bem vinda sensação de ordem, rotina e clareza de como as coisas são. E percebemos que, a despeito de toda a inquietude, de todos os conflitos e de tudo aquilo que ainda precisa ser resolvido e melhorado, tudo está no seu devido lugar. Esse sentido de ordem traz tranquilidade ao dia, que fica um pouco mais dinâmico à tarde, com a regente da Lua ingressando em Áries.

Jules Breton – Reprodução

SÁBADO, 04 de fevereiro – De Touro a Lua faz quadratura ao Sol, entrando na fase Crescente. Mais tarde ela se afina com Plutão e mais discretamente com Kíron. Dona Lua ainda se irrita com Júpiter e com Saturno por quincúncios, virando foco de um Yod-Dedo de Deus e, por causa do sextil a Kíron, também torna Júpiter foco de outro Yod. A Lua fica vazia depois do trígono a Mercúrio, às 20h42min. As revoluções imaginadas e projetadas por ocasião da Lua Nova enfrentam o desafio do pragmatismo, do bom senso e da necessidade. É possível colocá-las em prática? Ou será que vamos nos deixar vencer pela preguiça e o medo do novo? São necessárias? Serão sensatas todas essas mudanças? E precisam, realmente, ser sensatas, para serem necessárias? De fato, a acomodação pode ser ligeiramente sacudida se aproveitarmos o momento em que a energia se avoluma dentro de nós e o desejo de por a mão na massa nos faz antever o prazer da realização, ganhando da inação e do receio de sair do previsível. De qualquer forma, ainda precisamos lidar com grandes oscilações na liberação da energia, porque ora estamos cheios de entusiasmo, ora estamos incertos e receosos do que queremos ou da nossa capacidade para realizar o que queremos. É preciso ir com fé e disciplina, ciente das inseguranças, mas sem deixar que elas nos derrubem ou nos impeçam de avançar. Insegurança se resolve, muitas vezes, com a prática, pondo a mão na massa, dando a cara a tapa, permitindo-se errar e tentar de novo… É dia de aprender fazendo porque a teoria  somente vai nos deixar ainda mais preguiçosos e cheios de desculpas para nada fazer!

Reprodução

DOMINGO, 05 de fevereiro – Júpiter estaciona a 23°08’ de Libra às 04h53min para entrar em retrogradação amanhã. A Lua abre o dia fora de curso em Touro. Ingressa em Gêmeos às 02h45min de onde logo se alinha com Vênus, ainda na madrugada e com Marte pelo fim da manhã. Pelo fim do dia arma uma confusão complicada com Netuno. O domingo traz muita atividade mental, versatilidade e muitas possibilidades de estímulos e novidades. Está favorável para leitura, socializações, encontros leves, viagens curtas e conversas dinâmicas que nos permitam por o papo e as novidades em dia. Mas os assuntos são leves e prosaicos porque a profundidade não está muito favorecida, chega mesmo a ser entendiante, porque preferimos abarcar muitos tópicos descompromissadamente, assim como queremos variedade de interesses e de atividades. Viagens curtas, jogos em que se use as mãos e que permitam interação entre as pessoas também estão favorecidos. A noite está propensa a aml-entendidos causados por inseguranças, sentimentos confusos ou atitudes descuidadas na interpelação da pessoas, portanto, vale se certificar do que estamos realmente sentindo, antes de imputar impressões receios aos outros – somente nós somos responsáveis por nossas inseguranças. Vale buscar contençao nas palavras e também na ingestão de álcool e de outras substâncias.

Uma ótima semana para você!

Totalbeauty – Reprodução

 

A Semana Astrológica – O deserto que somos nós

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

Semana de 5 a 11 de dezembro – Semana de prosperar, de alavancar nossos propósitos com consistência, disciplina e perseverança! Sem perder a esperança, sintonizando-nos com um otimismo realista!

Semana de Quarto Crescente, que sinaliza um momento no ciclo em que encontramos uma crise na realização dos nossos propósitos, momento que requer ajustes e negociação. Precisamos ajustar esses planos e propósitos à realidade, trabalhar por eles com perseverança e disciplina; passar nossa visão de futuro e nossas crenças pelo crivo do realismo e do pragmatismo; perseverar na esperança, mesmo que ela pareça duvidosa no momento; sobretudo, assumir a responsabilidade e o trabalho requerido por aquilo que queremos realizar, pelo destino onde queremos chegar e aquilo que queremos ser. Tudo isso é representado pela conjunção Sol-Saturno ocorrendo nesta semana, um contraponto bastante significativo em relação à sensibilidade e incerteza da semana passada, que foi grandemente colorida por Netuno. A visão de futuro e a fé Sagitarianas são buriladas pelo bom senso e realismo do Mestre do Tempo e isso nos traz de volta à terra e às nossas possibilidades reais. É hora de nos sintonizar com a disciplina, a paciência, a firmeza e a dedicação que existem em nós: resiliência sim, reclamação, não! Mas o Sol também conversa harmoniosamente com Júpiter, que também está em aspecto favorável ao mesmo Saturno, claro! Isso nos sugere a possibilidade de lidar com a realidade de maneira tranquila, com alegre aceitação e o firme compromisso de modificar as facetas dessa realidade que não nos favoreçam. Aceitamos e cooperamos com ela, buscando as oportunidades de melhorá-la. O Sol fecha a semana já em aspecto favorável a Urano, aspecto que se completa na semana que vem. Pondo tudo junto, Sol, Júpiter, Saturno e Urano, a semana oferece chances de nos empenharmos e comprometermos com o futuro auspicioso que queremos para nós, percebendo que ele não se fará sozinho, nós é que teremos que construí-lo e assim, angariamos toda a nossa disposição e nos colocamos a caminho!

Norman Duenas, artista americano - Reprodução
Norman Duenas, artista americano – Reprodução

Mercúrio, que já está na zona de retrogradação desde o dia 1° de dezembro, aos poucos vai desacelerando e nesta semana sensibiliza-se e torna-se ligeiramente mais empático no contato com Netuno. A brusquidão e secura da comunicação Capricorniana é suavizada, de modo que conseguimos perceber que existem outras coisas para além da apresentação dos resultados numéricos e frios. A concentração mental pode também ser enriquecida por outros tons além do cinza escuro do concreto que buscamos erigir do chão dos nossos objetivos. E então percebemos que os planos a obra não serão menos sérios se forem finalizados com beleza e sensibilidade. Mercúrio entra em movimento retrógrado no dia 19 de dezembro, a 15°07’ de Capricórnio e volta ao movimento direto em 08 de janeiro, a 28°51’ de Sagitário. A zona de retrogradação vai, então, de 1° de dezembro (quando Mercúrio passou direto, pela primeira vez, pelo grau 28°51’ de Sagitário) a 27 de janeiro (quando Mercúrio ultrapassa o grau 15°07’ de Capricórnio, onde havia ficado retrógrado). O período mais crítico, obviamente, é o período em si da retrogradação. Em Capricórnio implica fazermos revisões acerca de nossos conceitos, atitudes e posturas no que tange a nossos objetivos mundanos de longo prazo, à nossa posição e papeis na sociedade – quaisquer que sejam eles – à nossa relação com o que chamamos de realidade; nossa relação com o tempo objetivo; nossa relação com o mundo dos negócios e das grandes corporações, grandes estruturas e hierarquias; revisão sobre como vemos nossa carreira, profissão, status social, contribuição que damos à sociedade. E, claro, tem a ver também com a casa do mapa natal em que a retrogradação de Mercúrio se dará.

Reprodução
Reprodução

Vênus ingressa em Aquário e nossos valores e amores ganham um tom progressista, libertário e mais desprendido. Estamos menos apegados e mais compreensivos quanto ao direito de ir ou de ficar, de querer ou “desquerer”, porque nos damos conta de que afinal, ninguém é de ninguém; os contratos sociais servem apenas de formalidade e de nada valem se o sentimento verdadeiro não estiver por trás de tais arranjos – aliás, quem quer tais arranjos se eles não são baseados na verdade do que se é? A Vênus Aquariana é, definitivamente, mais desapegada e desprendida e colore as relações de maior leveza e liberdade, primando pela compreensão mútua e pelas afinidades de ideais. Às vezes pode ser adepta do poliamor ou simplesmente gostar de experimentar, porque, na verdade, ela detesta rótulos, detesta ser enquadrada nesta ou naquela classificação, porque entende que todos somos livres para ser o que quisermos, quando quisermos, com quem quisermos, SE quisermos!

sol-marte-saturno-jupiter-uranoMarte, o Senhor da Vontade, está atualmente em recepção mútua com Urano, visto que Marte rege Áries, onde Urano trafega atualmente e Urano é co-regente de Aquário, a casa correntemente ocupada por Marte. Ambos estão em mútua cooperação e camaradagem, influência que se cristaliza um pouco mais nestes dias, porque eles resolvem bater um papo sobre seus ideais revolucionários. Marte ainda se separa de aspecto também positivo ao outro co-dispositor, Saturno, com quem também teve uma conversa harmoniosa dias atrás, além de também conversar com Júpiter. Assim, novamente, temos outra equação bastante auspiciosa nos céus destes dias: Marte, misturado com Júpiter, Saturno e Urano, os mesmos camaradas com quem o Sol está em diálogo – o Sol, aliás, fará sextil a Marte daqui a algumas semanas, no fim de dezembro. Os contatos feitos por estes planetas formam a imagem de um Trapézio, uma forma geométrica em que dois lados são de igual tamanho, tendo uma base menor e outra maior. É interessante notar que os dois planetas pessoais masculinos o Sol e Marte, estão ambos envolvidos com os dois planetas sociais, um que representa os limites e responsabilidades (Saturno) e outro que representa a necessidade de crescimento e expansão (Júpiter) e ainda adicionamos o transpessoal, Urano, que implica em mudanças para além do escopo indivíduo-sociedade, atingindo o coletivo de forma ampla, na esfera física, mental, espiritual e transgeracional. Júpiter e Urano estão atualmente em oposição, um aspecto que simboliza a capacidade de nos liberarmos de muitas restrições que antes impediam nosso crescimento, restrições impostas por leis ou costumes, modos de visão ou percepções e crenças ultrapassadas e estagnadas.

Laser Bread - Reprodução
Laser Bread – Reprodução

Sol e Marte em contato benéfico com ambos indicam que podemos trazer tais mudanças para o âmbito da vontade pessoal e, ao invés de nos sentirmos vítimas das mudanças coletivas, podemos fluir com elas e incorporá-las em nossa vida, adaptando-nos e utilizando-as a nosso favor. A presença de Saturno, que está em trígono a Urano por várias  semanas, nos garante que isso seja feito de forma estruturada, coesa, sem necessidade de rupturas destrutivas com o que já foi construído e que ainda é útil e adequado. Visto no sentido contrário, podemos dizer que nossos propósitos e vontade pessoais podem nos impulsionar a romper com paradigmas limitantes e estagnados, de forma que avancemos para um novo mundo e uma nova realidade. O que sugere que temos a promessa e a capacidade de permitir que o velho e o novo dialoguem dentro de nós, assim como, no mundo lá fora; podemos efetivar esta novidade harmoniosamente e ela então coexistirá com a solidez daquilo que já é. O que será, nasce daquilo que é, num processo de progressão em espiral contínua e não circular. Se tais promessas se concretizarão, de fato, depende de nosso esforço e empenho pessoais – sextis e trígonos são aspectos ditos “benéficos”, mas são passivos, ou seja, se não nos mexermos, os potenciais não se manifestarão. Essa configuração traz a promessa de nossas ideias saírem da formulação e alçarem voos mais altos, até pousarem em terremos onde possam ser concretizadas.

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana na fase Semi-Crescente, em Aquário. Formaliza a fase do Primeiro Quarto em Peixes, enche-se ímpeto em Áries e fecha o período já em Touro, confortável e preguiçosa no domingo. Nesta caminhada ela conversa com todos os demais corpos celestes. A Lua será Cheia na terça-feira, dia 13 de dezembro, às 22h05min (dia 14/12, à 00h05min para Lisboa), a 22°25’ de Gêmeos.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 05 de dezembro – A Lua está em Aquário, conjunta a Marte e também dialogando, harmoniosamente, com seus co-dispositores, Saturno e Urano e ainda em aliança com Júpiter em Libra. Fica vazia depois da conversa com Urano, às 09h24min. Ingressa em Peixes somente na madrugada de terça, portanto, tempo praticamente o dia todo de Lua Fora de Curso.  A madrugada de segunda traz sonhos auspiciosos, imagens bem elaboradas de planos venturosos, visões de um outro mundo, melhor e mais evoluído. Imbuídos e estimulados por tais imagens e auspícios, começamos a semana com energia positiva e cheios de ânimo. Entretanto, o dia pede paciência com nossa impaciência e ansiedade. É como se, logo após iniciarmos as atividades, precisássemos parar e rever os planos, colocar tudo no lugar, burilar os insights e intuições, certificar-nos de que temos todas as ferramentas e recursos necessários para por em prática tais ideias luminosas . Embora o dia não esteja favorável à ação direta e imediata, está sim, propício à observação dos pensamentos, emoções e sentimentos, das ideias e clarões que surgem em nós ou mesmo à nossa frente, como acontecimentos fortuitos e aparentemente sem importancia. A observação e identificação dos padrões pode nos ajudar a construir novas estratégias na execução dos objetivos. A ação mesmo fica para depois – o dia é adequado à observação da subjetividade, da elucubração das ideias e intuições. Em termos práticos as influência pedem flexibilidade e abertura a imprevistos e ao inusitado. Coisas inesperadas podem acontecer, mas, ao invés de nos irritarmos, procuremos aprender com elas e delas tirar proveito.

Reprodução
Reprodução

TERÇA-FEIRA, 06 de dezembro – A Lua abre o dia fora de curso em Aquário e ingressa em Peixes às 02h31min, de onde logo se indispõe com Júpiter em Libra. Mais tarde a Lua conversa com Mercúrio em Capricórnio e à noite está fundida a Netuno. Marte segue em direção ao sextil a Urano, aspecto exato amanhã, enquanto o Sol se aproxima da conjunção a Saturno. A sensibilidade está favorecida no dia de hoje e a melhor parte é que nossa mente está afiada, concentrada e pragmática, mas está também em boa sintonia com os ritmos orgânicos e com o coração, de modo que sentimos que o dia flui e se desdobra de maneira hamônica e tranquila. Há bons palpites sobre os melhores e mais inovadores métodos de realizar nossso desejos e intentos. A intuição acurada é somada à sensibilidade refinada, o que nos traz uma sensação de bons presságios, de expectativa positiva, de coisas boas por acontecer. À noite a percepção e receptividade aumentam, ampliando os sentidos e impressões, de modo que captamos com maior facilidade as influências que boiam na atmosfera. Apesar da sensação de vulnerabilidade, temos os pés no chão e uma adequada ancoragem, sendo capazes de ser corentes, sem nos deixar levar por fantasias nebulosas, ao contrário, integrando o realismo com as percepções, o que enriquece nossa experiência e capacidade de leitura e interpretação do mundo e dos eventos. Quem souber respeitar tais percepções e intuições poderá se beneficiar bastantes delas, achando as respostas que buscava de formas inusitadas e inesperadas, no mínimo vivenciando um dia com mais cor, mais doçura, mais delicadeza, sem perder-se de si mesmo e sem perder o senso da realidade.

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 07 de dezembro – A Lua Pisciana faz quadratura ao Sol Sagitariano, formalizando o Quarto Crescente. Ela também se harmoniza com Plutão, se irrita com Júpiter e leva bronca de Saturno, ficando vazia depois deste aspecto, às 12h06min. Mais tarde a Lua ainda faz conjunção a Quíron. Vênus ingressa em Aquário às 12h52min e Marte está em sextil partil a Urano, com quem está, também, em recepção mútua. Chegamos ao Quarto Crescente, quando nossos projetos encontram desafios que nos fazem parar e rever nossas estratégias. Encontramos bifurcações na estrada que podem nos deixar confusos e incertos, ponderando sobre pistas eventuais que tenhamos interpretado erradamente… Agora nossas certezas são entremeadas por algumas dúvidas e talvez precisemos de uma ação mais drástica e decisiva. Contudo, antes das decisões drásticas: precisamos rever nossos anseios e grandes ideais, controlar a enorme inquietude e as possíveis insatisfações que tais ideais e anseios geram no confronto com a realidade do dia a dia. A Lua ficando Crescente em Peixes pede que refinemos as grandes visões germinadas em Sagitário; que burilemos cuidadosamente a vivacidade e os ímpetos do fogo mutável e que entremeemos esse grande propósito com sensibilidade, compaixão e empatia, sem permitir que tais qualidades nos amoleçam ou nos fragilizem, antes, que sejam combustível para nos tornar mais fortes, lembrando que só os verdadeiramente fortes são capazes de ser gentis. Há gmuita força transformadora, necessidade de ser responsáveis por nossos desejos e de enfrentar a realidade das nossas limitações. Ainda assim, nada disso precisa ser impedimento para a realização e efetivação da nossa busca. A tarde está favorável à meditação do grande significado dessas mesmas limitações: o que elas têm a nos ensinar?

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 08 de dezembro – A Lua está fora de curso em Peixes e ingressa em Áries às 08h16min, de onde tem uma conversa direta e desapegada com Vênus em Aquário. Mais tarde ela tem uma discussão dura e belicosa com Mercúrio em Capricórnio. Marte vai se distanciando de Urano, Júpiter, e Saturno. O dia começa meio confuso e paradão, como se tivéssemos caído do caminhão da mudança, no meio de lugar nenhum… Mas logo recobramos nossos sentidos e damos ignição ao dia e às atividades, encontrando nova energia, disposição, combatividade e coragem. Temos pressa em avançar, mas achamos tempo de socializar com aqueles que nos importam, encontrando prazer em interações que dão alegria ao dia. À noite o clima fica tenso e propenso a discussões duras e inflamadas. A cabeça quer uma coisa e o coração quer outra, instintos e razão fora de sintonia, o que nos leva a possíveis conflitos com o mundo que nos cerca, por não dirimir o dilema interno. As emoções estão em ebulição e diante de discordâncias, reagimos de forma irracional e desproporcional, provavelmente imaturamente, para choque e surpresa daqueles próximos a nós. Talvez precisemos mesmo dar um passo atrás e admitir que podemos estar errados e que mudar de opinião não precisa ser um problema. As emoções e opiniões talvez oscilem, portanto, antes de nos comprometer rigidamente com qualquer coisa, é preciso observar se aquilo realmente está alinhado com nossos valores mais profundos, para não corrermos o risco de decidirmos baseados somente em emoções e reações passageiras.

Tory Island, Ireland, 1995 - tirado de the New Yorker - Reprodução
Tory Island, Ireland, 1995 – tirado de the New Yorker – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 09 de dezembro – O Sol está em sextil pleno a Júpiter, seu dispositor, que recebe a oposição da Lua Ariana, que também briga com Plutão, mas se entusiasma com Sol e Saturno e ainda se une a Urano. A Lua ainda dialoga com seu dispositor Marte e fica vazia depois deste contato, às 23h08min. Energias bastante combustíveis, é o que temos no menu do dia. Deparamo-nos com algumas crises que exigem de nós presença de espírito e decisões rápidas, além de atitude honesta e autêntica. Mas não tem problema, porque disposição é o que não nos falta hoje. Há uma gradiosidade de atitude, amplitude de movimentos e confiança na vida e no futuro, que nos fazem abraçar os desafios com entusiasmo e coragem – talvez até de maneira exagerada, meio gabola, o que pede alguma contenção para não nos precipitarmos e metermos os pés pelas mãos. Se conseguirmos esse mínimo de contenção, estamos aptos a identificar muitos dos entraves que nos prendem ao passado, às velhas artimanhas e desculpas pobres e caquéticas, a ponto de dar o salto de fé que precisamos, apostando alto que conseguiremos chegar do outro lado, transpondo muros, limites e barreiras que já não fazem mais tanto sentido, que só existiam na nossa mente e percepção – a percepção se aviva e vê além da ilusão repetida dos espelhos do labirinto das nossas falíveis crenças, estilhaçando-se diantes de nossos próprios olhos, abrindo portas e janelas que descortinam novos cenários, caminhos invulgares e insólitos para nós, se apenas ousarmos dar o primeiro passo na direção da ruptura do espelho viciado para repetir o mesmo cenário “adequado” e aceitável… Os muros e limites, o adequado e o aceitável, nos servirão de trampolim a nos dar o impulso e a força de que precisamos para ir além do improvável, adotar caminhos e soluções não trilhados e ainda não experimentados, até que a transformação ocorra de fatom – é unir o útil e necessário ao agradável; é pisar no solo firme para alçar vovos mais altos.  O dia está propício a este movimento e a estas identificações, cabe a nós encarar o desafio!

Avery Palmer - Reprodução
Avery Palmer – Reprodução

SÁBADO, 10 de dezembro – É dia de Saturno que recebe a conjunção do Sol Sagitariano. Mercúrio está em conversa sensível com Netuno, representado por um sextil, exato hoje. Enquanto isso, a Lua Ariana segue vazia na madrugada e ingressa em Touro somente às 10h41min, de onde logo fecha o tempo com sua senhoria, Vênus em Aquário. A Lua encontra distúrbios inconscientes no contato com Saturno e Sol e, devido a este aspecto ao Sol, entra na fase Corcunda. Este é um dia para voltar a atenção para nossos propósitos de longo prazo, verificando, com vagar e muito apreço, o esforço e comprometimento que eles vão requerer de nós e percebendo que os resultados serão duradouros, quaisquer que sejam esses resultados, bons ou ruins. É um ótimo dia para nos olhar no espelho com realismo, congratulando-nos por tudo aquilo que já realizamos, por tudo o que já crescemos e amadurecemos e percebendo com clareza e simplicidade onde ainda precisamos melhorar, quais inseguranças ainda precisamos superar. Diferenciar entre o que é real e o que não faz sentido nenhum para nós. Perceber quais medos e crenças, limitantes ou não, continuam a nortear nossas vidas e buscar modificá-las (quando for o caso) de acordo com os novos rumos que queremos dar aos nossos passos. Perscrutar o vazio interno, esvaziar-nos das visões enganosas que porventura tenhamos sobre nós mesmos.

Reprodução
Reprodução

Pode ser que haja um sentimento desconfortável de solidão e isolamento, mas isso é um lembrete de que de fato, nascemos e morremos sós, e de que precisamos conviver conosco mesmos, sem fugir de tal sensação, antes, abraçando a integralidade do ser que somos nós – porque em nós há uma multitude de seres e de dons. É perceber-se na vastidão e solidão do deserto interior e entender que, paradoxalmente, no fundo, não estamos sós, estamos em nossa própria companhia e a vida, essa vida infinita, também nos faz companhia e nos presenteia com o que precisamos. A solidão da qual reclamamos, pode trazer, na verdade, a paz de que tanto precisamos. Dar-nos conta de que o que precisamos já temos dentro de nós, todos os recursos estão aí, sempre estiveram, só precisamos acessá-los e desenvolver consistência e autossuficiência, algo difícil, mas possível. Achar o oásis dentro de nós, porque é inútil ir procurar lá fora! A Lua ajuda a dar corpo e base para as resoluções tomadas pela consciência, de modo que podemos realmente aproveitar essas influências para planejar o ano à frente, para buscar aplicar nossa visão de futuro de forma bem concreta e efetiva e para nos dedicar ao trabalho e aos objetivos, seriamente, comprometidamente!

Ilustração do poema de Cecília Meireles "Ou isto ou aquilo" - Desconheço o autor - Reprodução
Ilustração do poema de Cecília Meireles “Ou isto ou aquilo” Desconheço o autor – Reprodução

DOMINGO, 11 de dezembro – De Touro a Lua se harmoniza com Netuno e depois, mais visceralmente, com Plutão. Depois ela tem interações irritantes com Sol-Saturno e Júpiter, que estão os três, em harmonia entre si, tornando a Lua foco de um Yod-Dedo de Deus. A Lua se afina também com Quíron e como este recebe quincunce de Júpiter, Júpiter vira também foco de outro Yod por algumas horas. A Lua fecha a noite em quadratura não exata a Marte enquanto o Sol está bem próximo do trígono a Urano. O dia está preguiçoso e lento e queremos apenas sombra e água fresca… Entretanto, parte de nós gostaria de viver algumas aventuras, de encontrar pessoas novas e ampliar o escopo de atuação e das atividades… Um dilema que traz desconforto para a alma e o espírito, porque então ficamos inquietos, sem saber se descansamos e nos refestelamos no sossego da indolência ou se atendemos ao apelo de uma aventura não planejada; “ou guardo o dinheiro e não compro o doce ou ou compro o doce e gasto o dinheiro”… Esse desconforto fica mais agudo à tarde e pode se refletir na siesta domingueira sendo perturbado pela música alta do vizinho, pela balbúrdia dos parentes ao redor de um jogo qualquer, pela turma querendo experimentar algo novo… Quando tudo o que queríamos era ser deixados em paz… Ou talvez seja o contrário – nós estamos mais aventureiros enquanto os outros estão mais acomodados… O certo é que pode haver desencontros e inseguranças nas interações, a ponto de nos sentirmos deslocados em alguns momentos, talvez nos arrependendo de estar ali, com aquela sensação chata de desencaixe. Mas nada precisa ser levado tão a sério… Se formos flexíveis, mesmo o programa que parecia ter desandado de vez pode, de fato, se revelar uma surpresa ou, no mínimo, um aprendizado na arte da convivência e da mediação de vontades e desejos. Nem tudo precisa ser levado a ferro e fogo! A rigidez de opinião e de posturas não levará a lugar nenhum e talvez nos faça parecer mais imaturos do que realmente somos.

Uma excelente semana para você!

Sempre gratidão por sua companhia neste blogue! Deixo-vos com o poema de Cecília Meireles, que traduz bem o clima do domingo:

Ou isto ou aquilo

Cecília Meireles

Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Becca-Standler - Reprodução
Becca-Standler – Reprodução
Reprodução
Reprodução

A Semana Astrológica

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

Semana de 07 a 13 de novembro

Semana de Quarto Crescente começando e trazendo muitas novidades! O sol faz contatos importantes: trava conversa profunda com seu dispositor moderno, Plutão, indicando a oportunidade de a consciência integrar conteúdos ainda não trabalhados, consciente e inconsciente funcionando em cooperação. Mais para o fim da semana o Sol se harmoniza com Quíron, também trazendo chances de maior aceitação das nossas fragilidades, tal aceitação tornando-se adubo para a empatia em relação ao outro. Entretanto, o mesmo Sol se indispõe com Urano em Áries no domingo, requerendo uma negociação interna delicada, entre um lado nosso que deseja mergulhar visceralmente nos projetos e objetivos, abraçando o compromisso sem duvidar, enquanto um outro lado se ressente de tal apego, de tal demanda e energia, visto que preferiria ficar mais solto e desimpedido, mais aberto para outras possibilidades. Essa incongruência pode se manifestar como grande irritação, inconstância nos desejos, ansiedade e talvez até mau humor. Ou pode também aparecer como alguém próximo a nós que age questionadoramente em relação àquilo que estamos empenhados. De qualquer forma, é necessário mantermos nossas disparidades em cheque para que não joguemos sobre outros nossa insatisfação.

Betterphoto - Reprodução
Betterphoto – Reprodução

Mas o que faz a energia mudar realmente é a mudança de signo de três planetas pessoais: Mercúrio ingressa em Sagitário, Vênus em Capricórnio e Marte em Aquário, dando um subtom Júpiter-Saturno para as interações e relações mais próximas. Antes de entrar em Sagitário Mercúrio cutuca urano irritantemente, pedindo que tenhamos cautela com a língua, que pode ficar ainda mais afiada e contundente nas comunicações. A mente pode ter dificuldade de conciliar a profundidade com a necessidade de distanciamento. Ao mesmo tempo em que precisamos estar muito apaixonados por aquilo que fazemos, tal paixão não pode ofuscar a impessoalidade necessária que nos permita avaliar o objeto do nosso estudo com acurácia e desperendimento. Mercúrio ingressa depois em Sagitário, signo do seu detrimento: ideias demais, estímulo demais, aventuras em excesso, de modo que não sabemos direito o que fazer com tudo isso. Em Sagitário esse Mercúrio pode se tornar um boquirroto, carecer de tato e dizer coisas erradas nas horas erradas, talvez, especialmente porque fará quadratura a Netuno e posteriormente conjunção a Saturno – além disso, não podemos esquecer que Júpiter, o regente de Sagitário se aproxima da quadratura a Plutão. Mercúrio fica em Sagitário de 12 de novembro a 02 de dezembro.

Rainha de Ouros - Reprodução
Rainha de Ouros – Reprodução

Vênus ingressa em Capricórnio, abrindo uma temporada de maior austeridade e pragmatismo, tanto nas relações afetivas quando na gestão dos valores e investimentos. Com Vênus em Capricórnio somos auto-suficientes, e as mulheres, especialmente, são mais senhoras de si, mais independentes e soberanas, mas também pragmáticas quando se trata de afetos e valores. Vênus em Capricórnio é atraída pelo dinheiro, poder, sucesso, riqueza, status mas principalmente, por segurança e solidez. Valoriza compromissos e alianças duradouras. Em Capricórnio, Vênus é a própria Rainha de Ouros do Tarô. De acordo com Sue tompkins, no livro The Astrologer’s Handbook, este é um posicionamento bastante aristocrático e atraímos os outros pela imagem de dignidade, classe e altivez, que vem com naturalidade. Controlado, sóbrio e reservado, este posicionamento pode parecer frio e calculista para quem vê de fora, mas na verdade, é a necessidade de segurança, provavelmente nascida de tempos difíceis, que move esta Vênus. Tem um senso de propriedade e do que é socialmente adequado bastante marcado e detesta expressões exageradas de emoções e sentimentos. Há uma necessidade de ser e parecer digna e respeitável e prefere perder qualquer coisa, menos o respeito ou a reputação – e Deus nos livre de perder dinheiro! Mas não se engane, ela pode ser extremamente charmosa e sedutora quando quer, porém obviamente é um charme cheio de classe, calculado e estrategicamente dirigido à figura mais poderosa do salão. A pose digna, controlada e auto-suficiente também pode esconder muita insegurança, ambição ou uma fome insaciável por riqueza e poder, dependendo dos demais aspectos e posicionamentos do mapa.

Rainha de Ouros - Tarô Mitológico - Reprodução
Rainha de Ouros – Tarô Mitológico – Reprodução

No signo da cabra Vênus favorece o nativo com uma bela estrutura óssea, pele perfeita e dentes magníficos, isso porque todas estas características físicas estão sob a regência de Capricórnio e Vênus “embeleza” tudo o que toca. Não é incomum pessoas com este posicionamento serem atraídas por parceiros mais velhos ou que pareçam mais maduros e independentes financeiramente. Em termos práticos, quando Vênus trafega Capricórnio, somos mais realistas na forma de gerir o dinheiro e demais recursos. Compramos pouco, mas compramos bem, porque priorizamos qualidade ao invés de quantidade. Queremos coisas que durem e que agreguem poder e valor. É um período bom para se investir em pedras preciosas e para planejar investimentos de longo prazo. Capricornianos em geral são favorecidos pelo passeio de Vênus em seus terrenos rochosos. É um período bom para o networking e para relacionamentos em geral além de criar boas oportunidades tanto na vida profissional quanto social. É favorável para costurar parcerias e para cuidar melhor da aparência física. Vênus ingressa em Capricórnio no sábado, dia 12 e fica neste signo até 07 de dezembro, quando ingressa em Aquário.

Reprodução
Reprodução

Marte torna-se um visionário libertário ao entrar em Aquário, na quarta-feira, dia 09 de novembro. Quando Marte trafega este signo, o impulso de auto-afirmação é colocado a serviço do coletivo, dos grupos, associações e instituições maiores que o indivíduo. É um posicionamento altamente político e também progressista. Individualmente, a ação pessoal é marcada pela inovação, independência de atitude e alto grau de experimentação. Há muita originalidade na forma de fazer as coisas e de realizar os intentos. Rebeldia também é uma característica forte e, obviamente, problemas com autoridade. Marte fica em Aquário de 09 de novembro a 19 de dezembro, quando então entra em Peixes.

Reprodução
Reprodução

E tem também outro movimento importante ocorrendo por estes dias: trata-se de um semi-sextil entre Saturno e Plutão. É um movimento sutil, dado que sutil é o aspecto, menor, mas por se tratar de dois “cachorros grandes”, pode sinalizar uma mudança, também sutil, na atmosfera, especialmente porque este é o último aspecto entre eles, antes da conjunção que farão em Capricórnio, em 2020. É como aquele último telefonema acertando os últimos detalhes de um encontro, confirmando a hora, o local e a pauta que será discutida na “reunião”. Saturno e Plutão são dois planetas de controle e que nos remetem aos nossos medos, o medo individual/grupal e o medo coletivo, o medo da espécie. Do que temos medo, atualmente? Quais são os pesadelos que nos fazem acordar apavorados na escuridão da noite? E o que podemos fazer para encarar tais medos e não deixar que eles nos paralisem e impeçam de fazer o que precisa ser feito? Como podemos instaurar uma relação de confiança com outros seres humanos? Nesta semana vivi uma experiência bastante inspiradora, que partilho com vocês. Fui ao Rio de Janeiro participar do 18° simpósio de astrologia promovido pelo Sinarj. Resolvi experimentar o Airbnb pela primeira vez. Lá chegando, fiquei meio desconcertada ao constatar que ficaria na casa de 4 rapazes e que não havia chave na porta do quarto. Quando questionei sobre isso com a pessoa com quem tinha tratado desde o início, ele disse que nenhum dos quartos tinha chave, nem mesmo os quartos de quem morava permanentemente na casa. Até mesmo o quarto dele era alugado, às vezes, uma vez que ele viaja com certa frequência e todas as suas coisas de valor ficam lá. Falando em valores, eu perguntei onde poderia guardar os meus – sim, eu confesso que sou meio desconfiada – e eles simplesmente falaram: “pode deixar lá, ninguém vai mexer”. Bom, eu me senti tranquila e segura, visto que há uma empresa por trás e todos os comentários de hóspedes anteriores eram muito elogiosos e recomendavam veementemente o local. Fiquei seis dias e cinco noites e foi uma experiência ótima, aquela cultura de confiança que aqueles universitários estão criando. No dia de vir embora, perguntei, por WhatsApp, ao contato principal, que estava viajando, se haveria alguém na casa na hora que eu precisava sair. Ele respondeu que se não houvesse, não havia problema, era só deixar a chave no aparador da entrada. Realmente me senti entre amigos, e foi como uma lufada de ar fresco perceber isso que eu chamei de “cultura de confiança”, ao invés da cultura de suspeita e medo que normalmente vemos. Tomara que isso contamine outras pessoas e que que possa proliferar, porque, mais do que nunca, precisamos lidar com o medo de maneira mais saudável, sem que ele nos previna de viver e de nos relacionar com os outros seres humanos. Assim, com Saturno em aspecto a Plutão nesta semana, é um bom momento para meditarmos sobre nossos medos, os reais e os infundados; as ansiedades e as paranoias; o medo saudável e necessário à preservação da vida e as fobias e paranoias que nos enclausuram em nós mesmos.

Uma atualização pós Trump – depois do resultado das eleições americanas nessa madrugada, o mundo acordou mais assustado e apreensivo. De fato, ninguém é ingênuo para apostar que isso não representa problemas. A questão é que estamos vivendo um movimento conservador em todo o mundo, uma reação natural ao tempos revolucionários recentes – nas últimas eleições os americanos elegeram um negro! E no Brasil se elegeu uma mulher! Agora estamos indo na direção contrária… Sim, é um cenário bem semelhante àquele do início dos anos 30, pré segunda guerra… Estou dizendo que vai haver guerra? Já vivemos uma guerra diária, não é? Olha o mundo em que vivemos hoje! Esse cenário não é recente, ele vem se desenhando há décadas! E sobre esse momento, vi um comentário do meu antigo professor do CPA, John Green, que resume o que está acontecendo. Transcrevo aqui, com autorização, porque para mim, resume a qualidade dos tempos que vivemos. Ele lembra que “o coletivo está muito além do humano, o coletivo não se ‘importa’ com a raça humana, portanto estes movimentos estão muito além de nós e das nossas forças. Gostamos de pensar sobre a evolução sem pensar que isso não necessariamente significa que as coisas melhorem para a espécie humana. Estamos vendo os dias de morte de um império e tais tempos nunca são bonitos de se viver. Os trânsitos atuais dos planetas exteriores, incluindo Saturno e Netuno gritam por mudança e então as pessoas reclamam quando a mudança ocorre porque as pessoas ‘erradas’ ganharam – mas parece que essas pessoas estão ganhando porque o poder estabelecido não promete mudança, apenas quer ‘mais do mesmo’, manter o status quo e, nestes tempos, isso não é o bastante. Nesse contexto, oportunistas se alinham com as tendências muito mais rápido do que aqueles que querem manter o status quo e é assim que eles capturam o humor vigente. Eles não são as pessoas certas para o trabalho, mas eles ganharão. De fato, é necessário uma mudança de dentro, mas isso não acontece enquanto pessoas de cada lado continurem se chamando de estúpidos. Acho que há muito pouco que possamos fazer nestes dias difíceis, mas temos que tentar mudar internamente e isso vem a partir do entendimento e não da demonização uns dos outros”.

Em 2020 teremos uma conjunção tripla de Júpiter, Saturno e Plutão em Capricórnio que certamente simbolizará impactos globais, mas como isso vai se dar, é cedo para dizer. Impérios surgem e depois desaparecem, à revelia do humano. Precisamos lembrar da nossa enorme insignificância no plano maior das coisas. Estamos aqui para fazer a nossa parte, da melhor forma que pudermos e somos responsáveis pelo que criamos e construímos, assim, se queremos mudar alguma coisa, precisamos olhar para dentro e ver onde estamos falhando e contribuindo com esse quadro que aí está. E não, o/s outro/s lado/s não é o inimigo – enquanto virmos o outro, de opinião e valores contrários aos nossos, como inimigos estúpidos, continuaremos a descer ladeira abaixo. Infelizmente!

 

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana já na fase do Primeiro Quarto, o Crescente, em Aquário. Afoga-se em Peixes e torna-se Corcunda em Áries, sendo Cheia em Touro no dia 14, segunda-feira da semana que vem, na maior Super Lua em muito tempo.

levezaaSEGUNDA-FEIRA, 7 de novembro – A lua aquariana se harmonizou com Júpiter e Saturno, seu regente. Depois oficializa o Quarto Crescente, fazendo quadratura ao Sol, que hoje está em sextil pleno ao seu dispositor moderno, Plutão. Mercúrio está em desavença com Urano. Um dia auspicioso, leve e feliz. Temos a sensação de que, mesmo que as coisas estejam meio desencaixadas, podemos dar um jeito de harmoniza-las. Nosso espírito reformador não se dobra diante das impossibilidades do destino e, levando em conta aquelas coisas que não se pode mudar, decide que ainda dá pra fazer do limão, azedo de doer, uma bela limonada! Os projetos iniciados dias atrás agora enfrentam desafios: precisamos olhar para essa sombra e natureza ctonica e reptiliana que carregamos, sem deixar que elas limitem nosso espírito indômito e altaneiro! Precisamos nos desidentificar da nossa “cria”: ter distanciamento emocional, olhar com olhos clínicos para ver as dificuldades com frieza, assim teremos mais desenvoltura para fazer os ajustes necessários.

img_3911TERÇA-FEIRA, 8 de novembro – A Lua Aquariana conversa, bem disposta, com seu dispositor moderno, Urano, mas depois quadra Mercúrio. A Lua ainda conversa bem animada com Vênus, no fim de Sagitário e fica vazia depois, às 10h5min. Ingressa em Peixes somente às 18h46min. A madrugada pode trazer alguma turbulência e discussões duras entre os notívagos de plantão. Um desconforto entre corpo e mente pode atrapalhar o sono, comprometendo o descanso. Apesar disso, acordamos bem dispostos e aptos a relevar as incongruências internas, de modo o dia começa harmônico e leve. Pelo fim da manhã a Lua fica vazia, depois da conversa com Vênus, sugerindo que desaceleremos o coração e a vida. O que podemos fazer para ter mais harmonia e leveza em nossa vida? Parâmetros uma abordagem mais desapegada e objetiva dos problemas que enfrentamos? É dia de fazer coisas diferentes, de apostar no desapego para lidar com os problemas; talvez até seja bom tirar uma folga de tudo, sem fingidas culpas, sem lágrimas de crocodilo! À noite o clima muda e fica muito mais sensível, nostálgico e propício à solitude e à meditação e resguardo!

Henrich Fueger - Reprodução
Henrich Fueger – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 9 de novembro – Marte ingressa em Aquário às 02h52min. A Lua está em Peixes e faz conjunção a Netuno, quincunce a Júpiter e quadratura a Saturno. Como ajuda se harmoniza apenas com Plutão em Capricórnio. O dia é de aguaceiro, seja externo ou interno. Enorme sensibilidade, que pode propiciar muitos insights, mas também vulnerabilidade. Dia de se sentir um tanto desminlinguido, dissolvendo-se como o sal dissolve-se na água. O sal das nossas lágrimas também alteram o gosto e a textura da pele, adicionando densidade ao dia. Uma nostalgia carregada faz querer nos perder por caminhos desconhecidos, em que não precisemos nos definir nem dizer quem somos ou o que queremos – não-decisão, não-definição. Mas, por mais que queiramos indulgir nisso por um certo tempo, chega uma hora em que precisamos voltar à terra e tomar tento da vida, das obrigações e deveres, do contrário, os puxões de orelhas será dolorosos, vexatórios e poderão nos deixar ainda mais melindrosos e inseguros. Precisamos conciliar a suavidade do coração com com as demandas do mundo real, lá fora de nós, sem nos sentir vitimizados, entendendo que é parte da experiência de se estar vivos. Marte ingressa em Aquário inaugurando um período em que a vontade pessoal se alinha à vontade e objetivos do grupo. Não basta realizar por mim, é preciso ter consciência social, estender a mão e trazer junto o outro que está ao meu lado, ou até mesmo abaixo de mim na escala social; afinal, ele não é meu inimigo, antes, é um parceiro, um amigo. Em Aquário Marte como os interesse egoístas de lado e briga pelo coletivo, eplo todo. Gosta de experimentar e inovar – inclusive sexualmente! É um prometeu, disposto a roubar o fogo dos deuses quantas vezes for necessário para implantar sua visão progressista de como as coisas devem ser, mesmo que pague um preço alto por isso, mesmo que pague com sangue por essa infração grave contra governos, instituições, poderes estabelecidos, ou esmo contra a própria natureza. Visionário, libertário, inovador, dado a experimentações e pouco afeito às amarras sociais, o Marte Aquariano precisa de uma causa coletiva pela qual lutar! Podemos nós nos perguntar: qual é o fogo que precisamos roubar? Qual é a causa com a qual precisamos nos engajar para tornar esse um mundo melhor?

Abduzeedo - Reprodução
Abduzeedo – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 10 de novembro – A Lua Pisciana se alinha ao Sol em Escorpião e depois se funde a Quíron, conversando sensivelmente também com Mercúrio. Implica com Vênus e fica vazia depois, às 20h18min. Ingressa em Áries às 22h45min. Saturno está em semi-sextil exato a Plutão. O dia hoje está ainda mais sensível, como se isso fosse possível. Dissolvem-se as barreiras separativas de tempo e espaço, e sentimos o que o mundo sente, o que dói no mundo. Sentimos e sentimos, profunda e visceralmente, a ponto de nos afogar nesse sentir, engolfados por ele. Sim, a vida só faz sentido quando nos permitimos sentir, entretanto, não podemos deixar esmagar por tais sentimentos, antes, precisamos expressá-lo criativamente, manifestar esse sentir curativamente e a dor poderá então ser contada, cantada, desenhada, pintada, expressada efetivamente. Não precisará ficar represada, envenenando o coração e a atmosfera ao redor, não mais nos intoxicará e nem ao mundo. Precisamos cuidar para não ser tomados pelos exageros, a preguiça, a manipulação através do vitmismo. Precisamos também vigiar o medo e o clima de ansiedade que vai se instalando em nós, roubando os dias e as esperanças… Nós passaremos também, algum dia – não somos tão importantes! Enquanto estivermos aqui, cuidemos de fazer nosso melhor!

Dreamstime - Reprodução
Dreamstime – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 11 de novembro – De Áries a Lua se afina belamente com seu dispositor, Marte, já em Aquário. Depois disso ela se desarranja com o Sol, mas através deste aspecto entra na fase Corcunda. Fecha a noite em harmonia com Saturno e preparando-se para a guerra com Plutão. O Sol está muito próximo do trígono a Quíron. Ao contrário dos dias anteriores, a sexta traz uma energia dinâmica e ativa, de entusiasmo, ação e realização – a ponto de nem parecer sexta, de tão animados que estamos com tudo o que fazemos, especialmente porque sentimos uma onda que nos impulsiona, vigorosa e decidida, em direção aos nossos objetivos, de forma que apostamos todas as fichas naquilo com que nos envolvemos. Contudo, há muitos desafios a serem enfrentados e parte deles têm a ver com a nossa pressa e precipitação, nossa afobação e entusiasmo pueris – que não serão perdoados, caso não assumamos a responsabilidade pelo jeito descuidado e negligente de fazer as coisas. Todo o entusiasmo juvenil e inocente precisa estar aliado ao comprometimento com a honestidade e ter como foco a melhoria e a seriedade das coisas – seriedade não quer dizer, necessariamente, sisudez de expressão! Não podemos alegar inocência e por mais que nosso otimismo e entusiasmo abram portas, eles não podem ser a única via de acesso para buscarmos oportunidades de realização. Precisamos lidar com a realidade lá fora e encarar que há coisas que precisam ser assimiladas e resolvidas – algumas delas, aliás, não têm solução individual. Além disso, sem consistência esse entusiasmo não passa de um balão de gás à deriva. Em lugar de mimimi, o melhor que fazemos é fazer bem feito desde a primeira vez, porque nem todo mundo vai nos desculpar e relevar nossa ingenuidade.

Shutterstock - Reprodução
Shutterstock – Reprodução

SÁBADO, 12 de novembro – Vênus ingressa em Capricórnio às 02h55min e Mercúrio ingressa em Sagitário às 12h41min. A Lua fecha o tempo com Plutão, beligerância total, que sobra até mesmo para o Sol. Alia-se a Urano e fica vazia depois desta reunião, às 09h46min. Ingressa em Touro às 23h24min. O Sol está em trígono exato a Quíron e espicaçando Urano, mas este aspecto fica pleno só amanhã. Dia de mudanças perceptíveis e enfáticas. Vigor, disposição e arrojo é que tem na prateleira do dia! Tanto que podemos meter os pés pelas mãos e fazer mais trapalhadas do que poderíamos imaginar. A madrugada de sexta para sábado está particularmente turbulenta, de modo que a manhã começa meio precipitada, afogueada e, se não temos cautela, nos expomos a situações erráticas e imprevisíveis, com possíveis resultados desastrosos. Os imprevistos nos deixam irritados e desengoçados, desatentos, portanto, precisamos ter atenção para não nos envolvermos em atritos ou mesmo acidentes. A Lua fica vazia quase o dia todo, até tarde da noite. Intuímos e sentimos influ~encias desconcertantes, que tocam nossa alma e senso de justiça, mas, de alguma forma, nos sentimos incapazes de agir ou tomar providências e esse senso de impotência nos deixa indóceis e estressados, o que requer mais cuidado e atenção, além de gentileza para com o outro e conosco mesmos.

DepositPhotos - Reprodução
DepositPhotos – Reprodução

DOMINGO, 13 de novembro – O Sol está em quincunce exato a Urano. A Lua Taurina, por sua vez, também caça confusão com Mercúrio e Marte. Se entende com Vênus e também com Netuno, mas mais tarde volta a arrumar imbróglios com Júpiter e Saturno, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. Fecha a noite harmonizada com Plutão. O domingo tá preguiçoso, lento, modorrento e ideal para descansar. Entretanto, não conseguimos sossegar porque embora o corpo e o coração sintam profundamente os apelos do tempo e do ócio, a mente teima em se intrometer e inventar modas, inventar atividades mil, feito criança peralta com um formigão na bunda. A mente quer, mas o corpo não tem energia para obedecer. Há outros conflitos em curso que tornam o dia meio tenso: queremos profundidade e constância, ir até o fim naquilo a que nos propomos, mas mas nos irritamos com interrupções, imprevistos, descompassos, inclusive com nossa própria alternância de disposição. O resultado é que, ao invés de sossego, temos intranquilidade, inquietude, culpa, incapacidade de conjugar todas essas discrepâncias, desejos e limites, o que é adequado e o que é mais divertido e verdadeiro. Podemos azedar o domingo com tantas idiossioncrasias internas, que podem se manifestar como bloqueios ou vicissitudes externos. Melhor mesmo é pegar leve e ruminar duas ou dez vezes antes de proceder com o estouro da boiada.

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução