Arquivo da tag: Lua Disseminadora

A Semana Astrológica – A imperfeição nossa de cada dia

Reprodução

Semana de 13 a 19 de março – Semana de enfrentamento de limitações e dificuldades, mas com um grande potencial de cura, que reverbera a partir da Lua Cheia ocorrida no domingo, desdobrando-se por toda a semana. Em termos práticos a Lua Cheia sinaliza uma semana de expansão.

Odilon Redon – Reprodução

O Sol completa sua última semana do ciclo de Peixes e do ciclo astrológico anual – ingressa em Áries no dia 20, segunda-feira da semana que vem – sinalizando um período de finalizações no que tange ao ciclo anual. Por estes dias o Sol entabula conversações difíceis e sofridas, mas que no final das contas, podem ser fortalecedoras do caráter e dos propósitos. O Sol faz conjunção a Quíron e quadratura a Saturno, dinamizando a atual quadratura cíclica entre esses dois “planetas” pesadões e significadores de sombra, dificuldades, inseguranças e inadequações. Já dá para ver que a semana traz desafios, certo? A diferença básica entre Saturno e Quíron é que as inseguranças e inadequações representadas por Saturno são passíveis de serem superadas, com esforço consciente, trabalho, empenho, tempo… Somos tão inseguros naquela área que trabalhamos muito, ao nível da super-compensação, e não só as superamos, como nos tornamos mestre naquela área. Já com Quíron não há “superação” possível, porque Quíron representa aquilo que não pode ser consertado, nem com todo o esforço do mundo… Quíron é necessário para que o ser humano se mantenha humilde, para que perceba que estando nesta terra e nesta realidade de limitações, limitado é. Com Quíron aprendemos que há coisas que não superamos e que temos que aceitar e isso nos irmana aos outros humanos, porque todos temos Quíron em algum lugar. Nesta semana nos damos conta, intensamente, da diferença entres essas inadequações e inseguranças diversas: as solucionáveis e aquelas insuperáveis. E se por um lado isso pode ser doloroso de encarar, por outro, traz a maturidade da aceitação desses limites. Quíron e Saturno sempre me trazem presente a Oração da Serenidade, que já mencionei várias vezes aqui: “concedei-me a serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar; coragem para modificar aquelas que posso; e sabedoria para distinguir entre uma e outra”. Basicamente é esse o tom da semana, com o Sol, que representa a consciência e o centro do eu, tendo essas conversas duras e desagradáveis.

Reprodução – Desconheço o autor

Mas Quíron também fala de cura, de empatia, de sabedoria… então a semana é propícia a isso também. O interessante é que O Sol primeiro faz conjunção a Quíron e nos tornamos agudamente conscientes das nossas aflições, úlceras, feridas, das vergonhas e dificuldades… E nos solidarizamos com outros, porque vemos neles, de formas diferentes, o sofrimento que também é nosso. Três dias depois, na sexta-feira, o Sol se depara com o julgamento de Saturno, que pode nos deixar cabisbaixos, com o peso do mundo sobre os ombros, nos sentindo julgados e meio soterrados pelo peso da vida… Mas Saturno, vindo logo depois de Quíron, ajuda a dar esse choque de realidade, que nos obriga a sair da autocomiseração e perceber as limitações que podemos e devemos superar… Assim, Saturno, num primeiro momento parece jogar a pá de terra sobre o cavalo que caiu no poço, até nos darmos conta que aquela terra caindo na nossa cabeça será o meio para nos elevarmos e sairmos do buraco – sim, é possível sair do buraco, desde que olhemos para cima e não fiquemos chafurdando na lama da autopiedade. Além do mais,  nossas imperfeições, somadas às nossas qualidades, é que nos fazem únicos, é o que nos faz o que somos.  Como diz Joseph Campbell,“a única maneira de você descrever verdadeiramente um ser humano é através das suas imperfeições. O ser humano perfeito é desinteressante. As imperfeições da vida é que são apreciáveis (…) As crianças não são adoráveis porque estão caindo a todo instante e porque têm o corpo pequeno e a cabeça muito grande? A perfeição seria algo tedioso demais, seria desumano. O umbilical, a humanidade, aquilo que se faz humano e não sobrenatural e imortal – isso é adorável! É por essa razão que algumas pessoas têm dificuldade em amar a Deus; nele não há imperfeição alguma. Você pode sentir reverência, mas isso não é amor. É o Cristo na cruz que desperta nosso amor”.

Docto Ojiplastico – Reprodução

Mercúrio ingressa em Áries já na segunda-feira, mudando o tom dos pensamentos, comunicações, viagens… De um modo sensível, sonhador e imaginativo, passamos para uma abordagem mais direta, mais ágil e certeira. Mercúrio fará conjunção a Vênus, possibilitando que a mente tenha acesso mais direto às elucubrações íntimas e de cunho afetivo representadas pela retrogradação de Vênus. Como Marte está em Touro, temos a impulsividade da língua medianamente controlada, mas não temos paciência nem tolerância com o que se considera coisas sem sentido e sem cunho prático e aplicável. A mente está mais ágil, mas a ação ainda precisa de mais deliberação. Marte, aliás, está sem aspectos por vários dias, apenas recebendo os contatos da Lua. Isso demanda cautela porque planetas sem aspecto se manifestam de forma extremada, ou seja, ora estamos plácidos e tranquilos, para daqui a pouco entrarmos numa explosão de atividades frenéticas. Marte sem aspecto tende a ficar mais inconsciente e nossas ações são mais instintivas – cautela também com explosões de raiva.

Reprodução – Desconheço o Autor/a

Vênus segue no seu curso de retrogradação, em Áries. Esse é um chamado para prestarmos mais atenção a nós mesmos e nossas necessidades pessoais e individuais. Como lembra Frank Clifford, astrólogo inglês com quem tive algumas aulas, ‘retrogradação’ significa ‘segunda chance’ – daí essa volta ao passado. Então, diz ele, é o caso de revisitarmos áreas da nossa vida para fortalece-las e organizá-las melhor. Clifford nos lembra ainda de fazer algumas perguntas: “onde, na sua vida, você precisa ser mais corajosa/o e independente? Em outras palavras, cuide de você mesmo, antes de cuidar de qualquer outra pessoa. Reconecte-se com o centro de QUEM VOCÊ É (seja auto-centrado). É um bom momento de parar de jogar os joguinhos relacionais e seguir seu próprio caminho, e não ser uma versão falsa de você mesmo porque você acha que vai agradar aos outros. Neste ciclo, há chance de recuar e lidar com todas aquelas situações nos relacionamentos em que você se sentiu vitimizado, usado, negligenciado, ignorado ou desvalorizado. E de reconhecer a SUA parte nisso tudo. Uma forma de afirmar suas qualidades positivas é fazer um diário e listar uma coisa boa, todos os dias, que você sabe que faz muito bem”. Assim é a retrogradação de Vênus em Áries: precisamos reavaliar e focar em nós mesmos: enfatizando as boas qualidades e encarando com honestidade onde também precisamos melhorar. O Sol faz esses contatos tensos, mas Vênus retrógrada nos lembra que, a despeito de todas as imperfeições, precisamos nos amar porque só quando nos amamos realmente podemos melhorar. Como diz a frase do Mandela, “não somos amados porque somos bons, somos bons porque somos amados”! Vênus retrógrada também nos faz rever decisões tomadas acerca das áreas onde temos os signos de touro e Libra, que são regidos por Vênus. Talvez fizemos escolhas e tomamos decisões e agora voltamos atrás e reavaliamos. Está correto. É a segunda chance!

Lua disseminadora – Desconheço o Autor/a – Reprodução

A Semana traz o tom da Lua Cheia, ocorrida no domingo, dia 12, em Virgem. Na segunda e terça a Lua se equilibra em Libra, torna-se Disseminadora em Escorpião, catequética em Sagitário, fechando a semana neste signo. A Lua oficializa o Quarto Minguante somente na segunda-feira, dia 20, a partir de Capricórnio, pouco depois de o Sol ingressar em Áries

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 13 de março – A Lua, Cheia em Virgem, abriu o dia vazia/fora de curso. Ficou vazia depois da quadratura a Saturno, ainda ontem. Ingressou em Libra às 02h29min e logo se indispõe com Marte em Touro. Fecha a noite em oposição a Vênus retrógrada em Áries, sua dispositora. Mercúrio ingressa em Áries às 18h08min. A despeito de algumas incongruências matinais, a segunda-feira está dinâmica, o que traz ânimo e nos faz ir para a vida estabelecer contatos, travar interações, ver gente e interagir com o mundo social. É um dia de buscar equilíbrio, de ativar as relações e rever posicionamentos. Se temos estado exageradamente centrados no outro, precisamos recuar um pouco e cuidar melhor de nós mesmos e de nossos interesses. Se for o contrário, se andamos ultimamente auto-centrados excessivamente, agora podemos nos mover na direção contrária e olhar e ver os outros perto de nós. Isso porque a Lua está em Libra, o signo da alteridade, das escolhas, da busca de harmonia e equilíbrio. Mas Vênus, que rege essa Lua Libriana, está em Áries, retrógrada, em recepção mútua com Marte em Touro com quem a Lua se indispôs logo cedo. Então, nada é o que parece de cara. É preciso um segundo olhar, uma segunda análise para achar o verdadeiro equilíbrio, a verdadeira harmonia. É um momento de nos posicionarmos mais francamente, mais lucidamente dentro das relações; de acatarmos um certo isolamento com algo saudável e não como dor ou ostracismo; de incluirmos o outro sim, mas não – nunca – às custas do nosso amor próprio; e para isso precisamos estar muito límpidos a respeito dos nossos valores, para fazer as escolhas sem medo, sem dor, mesmo que algumas dessas escolhas sejam um pouco desagradáveis. Precisamos uns dos outros, mas também precisamos respeitar nossos limites pessoais, assim como os limites alheios. Assim, as relações ficam mais respeitosas e equilibradas. Em termos práticos, o dia está bem animado e propício a todo o tipo de interação. A rever acordos, a reestudar negociações anteriores e a ponderar um pouco mais nas parcerias propostas.

Reprodução – Desconheço o autor/a

TERÇA-FEIRA, 14 de março – O Sol hoje está em conjunção exata a Quíron. A Lua Libriana abre o dia em oposição à dona da casa, Vênus, que está retrógrada em Áries. A Lua também se indispõe com Netuno e entra num embate ferrenho com Plutão e depois Urano, enquanto se alia a Júpiter, por conjunção. O dia traz influências que nos fazem sentir meio que em carne viva, sensação de acanhamento ou de dor aguda mesmo. Talvez nada tenha acontecido para suscitar tais sentimentos, talvez sejam apenas lembranças, ou o jeito que acordamos, mas o fato é que nos sentimos meio aguados, desacorssoados, como se nada fizesse muito sentido… Uma vontade de não ligar mais para nada… Nesse estado de espírito podemos ficar defensivos e reativos ao menor sinal externo de desequilíbrio – já que desequilibrados estamos nós – acreditando que é nossa responsabilidade, oferecendo-nos talvez como bode expiatório, talvez até nos expondo a invasões, maus tratos, sem nos dar conta… É possível que seja o oposto também, suscetíveis e reativos como estamos, podemos partir para o ataque como melhor tática de defesa, mesmo sem motivos claros de que estamos sob ameaça. Autoestima lá embaixo, talvez ainda tentemos agradar como forma de ganhar um afago, só para nos deparar com o que entendemos como frieza, pressa, rejeição, “sai pra lá”, o que pode ferir ainda mais nossos brios.

Talvez ainda seja melhor parar um pouco, olhar para dentro – e não para fora – e verificar o que tirou nosso equilíbrio, o que despertou nossas inseguranças de forma tão contundente… Chorar, se for o caso; admitir a dor, se ela se faz presente; não ter vergonha das próprias fraquezas, porque elas apenas nos fazem humanos… E oferecer a si mesmo, aquele amor incondicional que esperamos do outro, continuamente a nos desapontar – relação lateral não é de amor incondicional! Então, pegue-se no colo, dê-se um abraço, beije-se, acaricie-se, acarinhe-se, acalente-se, nine-se, embale-se… Dê a si mesmo todo o amor de que precise e de que está tão carente; dê a si próprio a validação e o apoio que você espera do outro. Olhe para suas fraquezas. Encare-as. Elas são parte de você, assim como os talentos, habilidades e força… E tais fraquezas têm uma razão de ser, têm alguma utilidade, mesmo que isso não seja claro… E, ao abraça-las, podemos aos poucos tentar melhorá-las, pelo amor, com amor. E, ao abrir essas comportas, podemos descobrir que temos um amor maior do que jamais imaginamos e podemos oferece-lo aos outros e – incrível – quando menos esperamos, estaremos sendo amados de volta… E assim se dá a cura, quando nos perdoamos, nos aceitamos e nos amamos, com todas as nossas idiossincrasias… Curamos a nós e curamos ao outro, porque se damos conta de nos aceitar, nosso coração se alarga e se expande, e acolhe também o outro. O dia pede paciência uns com os outros. Estamos todos meio sensíveis e doendo em algum lugar e não é partindo para a briga que vamos provar que somos melhores do que nos sentimos realmente. Podemos nos fazer respeitar, se necessário, mas podemos também nos recolher e deixar tudo passar, observando qual a nossa parte e responsabilidade nas dificuldades que encontramos, comprometendo-nos em mudar o que for possível ser mudado.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 15 de março – O Sol ainda está conjunto a Quíron e vai se afastando lentamente, enquanto se aproxima da quadratura a Saturno. De Libra a Lua faz sextil a Saturno e fica vazia às 07h07min. Ingressa em Escorpião às 12h11min, de onde logo faz oposição ao seu dispositor, Marte, que está em Touro. O dia começa reflexivo e um tanto austero – refletimos sobre como trazer mais equilíbrio às nossas relações, como nos responsabilizar por nosso bem estar, ao invés de esperar isso de outros. Como encontrar a medida certa entre o dar e o receber nos relacionamentos, sem ficar devendo nem cobrando as outras pessoas. À tarde o clima muda radicalmente. A introspecção continua, mas agora por outros motivos: estamos um tanto receosos, defensivos e ciumentos de nossos pensamentos e emoções e recebemos como ameaça qualquer movimento que pareça proximidade demasiada. Há tendência a azia emocional e as relações podem ficar um tanto azedas e sujeitas a farpas, sarcasmo, ironias finas, isso quando não despencar para atritos mais sérios porque a defensividade e o desejo de nos afirmar estão veementes e podem nos fazer reagir de forma exagerada às situações… Sarcasmo é técnica de defesa também, mas além de demarcar território e diminuir o outro, cria feridas e afastamentos, portanto, vale se questionar onde queremos chegar com tudo isso e se de fato estamos sob qualquer ameaça, porque isso também é discutível. Por outro lado, se conseguirmos dosar nossa energia na medida certa, essa influência melhora a execução de tarefas que se mostrem complicadas e que demandam controle, concentração e alto gasto energético.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 16 de março – A Lua, na fase cheia em Escorpião, faz trígono a Netuno em Peixes e quincúncio a Vênus Rx em Áries. Mais tarde a Lua faz sesqui-quadratura ao Sol entrando na fase Disseminadora. Fecha a noite em harmonia a Plutão, aspecto exato amanhã. O Sol já está bem próximo da quadratura a Saturno. Sensibilidade e emoções intensas colorem o dia, assim como uma potente capacidade de intuir o rumo das situações e também o que os outros estão sentindo, que pode ser instrumental para melhorarmos as interações ou mesmo para manipularmos pessoas – depende da integridade da nossa alma e dos nossos intentos. Esse poder emocional pode nos aproximar das outras pessoas e nos permitir penetrar em suas defesas, mas isso deve ser feito de forma respeitosa e nobre, caso contrário, podemos nos tornar invasivos e causar mais dano do que ajuda ou reparação. Não podemos esquecer que inseguranças estão afloradas e muitas feridas estão abertas, portanto, se não temos algo realmente bom para oferecer, se nossas intenções são menos do que honestas, fazemos melhor se ficamos quietos e cuidamos de nossas próprias questões. De toda forma, há grande potencial de cura e de compreendermos ao outro e a nós mesmos um pouco mais profundamente e, bem conduzidas, tais influências podem, de fato, ajudar a aprofundar o entendimento de nossas dinâmicas internas e mesmo das dinâmicas relacionais. A Lua fica disseminadora em Escorpião, sugerindo que a mensagem que precisamos levar adiante precisa ser verdadeira, apaixonada e profunda. Os aprendizados que vivenciamos até aqui são repassados como catalizadores de transformação na vida de outros, com sensibilidade e autenticidade.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 17 de março – O Sol Pisciano está em quadratura exata a Saturno em Sagitário, enquanto ainda se afasta da conjunção a Quíron. A Lua Escorpiana e disseminadora se afina com Plutão, seu regente moderno, enquanto se desentende com Urano e se harmoniza com Quíron e com o Sol, ficando vazia depois do contato ao Sol, às 18h58min. Ingressa em Sagitário à 00h00min do sábado. O dia está pesado, turvo e um tanto sombrio. Nosso anseio seria desaparecer para lugares inóspitos, talvez, ou para lugares onde não tivéssemos que lidar com tantas agruras e dificuldades mundanas, com tantos problemas cotidianos que parecem derrubar nosso entusiasmo e massacrar nossos sonhos e aspirações mais elevadas. É como uma dor fina, indefinível, que tira o fôlego em alguns momentos e que nos lembra de nossa mortalidade e finitude, nossas deficiências ou insuficiências, ou como um peso amarrado a nós, dificultando o caminhar. Circunstâncias ou outras pessoas, particularmente acima de nós – pais, chefias, autoridades – parecem exigir mais do que somos capazes de dar. Até mesmo a energia e vitalidade física podem estar depauperadas, de modo que nos sentimos fracos ou lentos nos nossos afazeres e compromissos. Podemos também nos sentir cobrados ou criticados, de forma implícita, e isso torna tudo um pouco pior…

Reprodução

Mas antes de deduzirmos ‘verdades’ a partir das aparências, vale checar se estamos certos sobre tais deduções, para não vermos fantasmas e perseguição onde não existem e para não aumentarmos o tamanho dos problemas desnecessariamente. É um bom dia para olharmos para nossas falhas sim, não para nos desanimar ou derrubar, mas para melhorarmos. Sobretudo, com o Sol em Peixes, somos convidados a avaliar se nosso senso de identidade é sólido e seguro o bastante, se sabemos quem somos e do que somos feitos, para além de autoimagens pueris e fantasiosas. O dia pede um exame sóbrio de nossas capacidades e, ao identificarmos falhas, agir para corrigi-las, sem grandes dramas, sem chibatas ou autoflagelação desnecessária. Particularmente, é importante perceber que há ótimas oportunidades de nos curarmos a partir do olhar compassivo e empático para as próprias limitações, comprometendo-se a superá-las. A noite traz horas calmas e uma introversão providencial que nos ajuda a digerir todas essas informações, insights e percepções, propiciando também que sincronizemos os propósitos conscientes de crescimento e transcendência com a necessárias transformação dos comportamentos e hábitos que impedem nossa excelência.

John Casey – Reprodução

SÁBADO, 18 de março – A Lua ingressa em Sagitário à 00h00min, cravado. Faz quincúncio a Marte em Touro, trígono a Mercúrio e a Vênus Rx em Áries e fecha a noite em quadratura a Netuno. Mercúrio e Vênus estão em conjunção partil hoje. A noite traz alguns desconfortos durante o sono. O dia, porém, nasce mais animado e otimista, porque estamos imbuídos de uma nova força, nascida das resoluções da noite anterior e do comprometimento que fizemos com a mudança pessoal. Podemos rever alguns valores e analisá-los de forma mais direta e menos sentimental, verificando o que é necessário para nos valorizarmos mais, a despeito das falhas humanas que carregamos. Ainda estamos muito conscientes de tais falhas, mas conseguimos perceber nelas algum sentido, além de nos animarmos a prosseguir pela estrada, usando as pedras que surgirem para pavimentar o caminho, ao invés de permitir que nos bloqueiem a vontade ou os objetivos. A comunicação está ágil, mas animada e sociável, trazendo bom humor às interações e espirituosidade. À noite o clima está um tanto confuso e nebuloso, levando a mal-entendidos nas interações. Cautela com álcool e drogas porque há tendência a exageros e a enfiar o pé na jaca.

Reprodução

DOMINGO, 19 de março – A aventureira Lua Sagitariana faz quadratura a Netuno na primeira hora do dia. Durante o dia se harmoniza com seu regente, Júpiter em Libra e com Urano em Áries e fecha a semana em conjunção não exata a Saturno. A balada de sábado para domingo pede cautela porque a Lua Sagitariana já aponta para excessos e a quadratura a Netuno aumenta a propensão à falta de limites – portanto, moderação é a chave para a boa diversão hoje. Já o dia de domingo está mais auspicioso e feliz, depois do peso que vivenciamos durante a semana, conseguimos ter uma perspectiva mais filosófica de tudo: dos problemas, da nossa caminhada, das possibilidades, da vida. Um otimismo incipiente pode favorecer o clima do domingo, que por sua vez, fica propício a atividades ao ar livre, aventuras no campo, encontros festivos com amigos. Não podemos nunca perder a esperança e a perspectiva de porque estamos aqui, nesta terra, neste tempo e neste lugar! E essa perspectiva, esse sentido, não precisa ser mirabolante ou grandiloquente. Como diz Joseph Campbell: “Dizem que o que todos procuramos é um sentido para a vida. Não penso que seja assim. Penso que o que estamos procurando é uma experiência de estar vivos, de modo que nossas experiências de vida, no plano puramente físico, tenham ressonância no interior de nosso ser e de nossa realidade mais íntimos, de modo que realmente sintamos o enlevo de estar vivos. É disso que se trata, afinal, e é o que essas pistas nos ajudam a procurar, dentro de nós mesmos”. Ele também diz: estamos tão empenhados em realizar determinados feitos, com o propósito de atingir objetivos de um outro valor, linear e longe da vibração da vida, que nos esquecemos de que o valor genuíno, o prodígio de estar vivos é o que realmente conta”. E hoje é um desses dias, em que nos sentimos muito vivos, felizes existir, por ser, por estar, por viver, entendendo que o sentido da vida é a vida em si mesma!

Uma ótima semana para você! Que seja de serenidade, empatia, crescimento e cura!

Reprodução – Desconheço o Autor/a

A Semana Astrológica – Cartas na mesa

Reprodução

Semana de 13 a 19 de fevereiro – Tempo de disseminar boas ideias e levar adiante aquilo que deu certo… O que é bom, deve ser passado adiante!

Estamos no período entre eclipses, que traz uma tensão latente, que ora se mostra intensa e escancarada, ora fica ali no segundo plano, trazendo alguma sensação incômoda, embora não saibamos porquê. Este é um período em que podemos já ver se manifestando algumas das “promessas” dos eclipses, conforme eles acontecem no mapa pessoal e convém ficarmos mais atentos, prestarmos mais atenção à intuição sobre onde ir e o que fazer… Essa temporada termina com o Eclipse total do Sol que ocorre no dia 26 de fevereiro a 08° de Peixes. Até lá talvez tenhamos muitos insights sobre o arco compreendido entre os signos de Leão até Peixes (e as casas do mapa natal em que cai), que é o arco trafegado pela Lua durante essa fase “especial”, de 10 a 26 de fevereiro. Isso porque a Lua, como símbolo dos sentimentos e emoções, está ainda mais sensível, como nossas emoções também ficam mais suscetíveis. Memórias podem aflorar espontaneamente acerca de coisas antigas, mal resolvidas, podendo ser finalmente liberadas, particularmente concernenetes ao eixo Leão-Aquário e Virgem-Peixes.

Travis Bedel – reprodução

E por falar no Sol, nesta semana ele ingressa em Peixes, exatamente às 09h32min do dia 18, sábado, onde encerra o ciclo astrológico anual. Antes disso, o Sol ainda dialoga frutíferamente com Saturno, o regente tradicional de Aquário, que oferece conselhos práticos e sábios acerca de como manifestar concretamente a visão Aquariana de melhoria e avanços. Em Peixes o ego, que esteve numa jornada para diferenciar, separar e individuar através das experiências de todos os 11 signos, agora volta para a fonte primordial de vida e se dissolve… Acaba-se o senso de separatividade, de “eu” e o desejo, o anseio profundo e intenso é voltar para os braços do Pai. Em Peixes sentimos com o outro, verdadeiramente e por isso nos inundamos de altruísmo e compaixão, muitas vezes sacrificando a nós mesmos pelos outros. Pessoas fortemente Piscianas têm essa aura meio etérea, como se não “estivessem aqui” – e eles não gostariam mesmo de estar, essa vida aqui é pesada demais, imperfeita demais! – como se fosse “de outro mundo”, daí a propensão a escapismos, para aguentar a “barra” e o peso da encarnação. Mas essa mesma proximidade com o mundo do inconsciente também propicia uma imaginação rica, sensibilidade infinita e grande talento para as artes em geral, particularmente para a música. Leia mais sobre Peixes.

Reprodução

Quem também está num clima cooperativo é o Mercúrio Aquariano que faz sextil a Marte em Áries. A mente trabalha afinada com a ação, de modo que essa ação se torna mais efetiva porque há um planejamento prévio que nos permite antever para onde estamos indo, ao invés de simplesmente fazer as coisas cegamente, por impulso e sem preparo. Tanto pensamento quanto ação se tornam mais diretos, honestos, ágeis e eficazes e podemos tirar bastante proveito de tal sincronia.

Artstreet – Flickr – Reprodução

Essa ajuda de Mercúrio, contudo, não é suficiente para segurar o destempero de Marte mais para o fim da semana, porque ele se aproxima da quadratura a Plutão, oposição a Júpiter e conjunção a Urano, fechando a semana já em ponto de bala. Vamos colocando nossas barbas de molho, porque nas próximas semanas o tempo vai ferver, especialmente em se considerando que estamos neste período de eclipses. Já vamos observando o que nos deixa impacientes e irritados para lidarmos com isso, sem deixar ressentimentos cozinhando em fogo lento, porque isso não será uma boa ideia. Marte está muito forte em seu próprio signo, mas fica muito estourado… em oposição a Júpiter essa tendência se amplia e fica exagerada; em quadratura a Plutão o desejo de poder e a tendência a confrontos violentos também aumentam e Urano põe na equação o extremismo, radicalismo e ainda mais impulsividade, para dizer pouco… Mas a Lua Disseminadora em Libra pede que disseminemos harmonia e equilíbbrio, sem vender a alma ao Diabo – será que damos conta? Nesta semana temos a chance de fazer as últimas negociações, de colocar as cartas na mesa, antes que as hostilidades eclodam… Mas falamos mais de Marte na semana que vem.

Reprodução

Lilith ingressa em Sagitário já na segunda-feira, às 21h32min, onde fica até 09 de novembro. Não sou expert em Lilith e ainda estou estudando sobre isso. Lilith é o arquétipo do feminino sombrio e selvagem, descontrolado, rebelde, que não atende a regras e a leis, visto que se rebelou de imediato contra seu Criador, lá no começo, recusando-se a ser submissa a Adão e às leis do Deus Javé. Foi desterrada, mas não se importou muito com isso, passando a viver livre, conforme suas próprias leis… Negativamente fala do desregramento, do excesso, de sentimentos turbulentos, ciúmes, a raiva destruitiva que irrompe feito um vulcão em erupção. É um aspecto selvagem da natureza feminina – que também está presente no homem. Positivamente, mostra onde há potencial de empoderamento ao lidarmos com todos esses conteúdos de forma direta, buscando o equilíbrio interno. E agora ela ingressa em Sagitário! A despeito de toda a “luminosidade” do signo do Centauro, talvez Lilith se torne ainda mais selvagem neste signo, galopando furiosamente feito mustangues indômitos, totalmente fora de controle, sem tato, sem noção de delicadezas ou sutilezas sociais. Pode tornar-se extremamente focada em algum objetivo ou crença, perseguindo-os tão apaixonada e entusiasmadamente, que talvez pisoteie e esmague a outros incautos pelo caminho, no seu galope furioso e cego… Positivamente convida a nos conscientizar desses padrões no que tange a crenças e ao contato com outras culturas; como as ideologias, filosofias e crenças incendeiam nossas paixões e as excedem e talvez tragam à tona um lado “besta selvagem” que precisa ser reconhecido e trabalhado dentro de nós. Nos próximos nove meses temos a oportunidade de observar como e quando fazemos isso e de aprender a moderar nosso entusiasmo, de modo que nos sirva melhor, ao invés de apenas nos tornar fanáticos e extremistas, sem que percebamos.

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Cheia, em Virgem. Entra na fase Dissemionadora em Libra, na terça-feira e na fase Minguante já em Sagitário, no sábado. O Minguante se dá em conjunção a Lilith. A Lua fecha a semana ainda no signo do Arqueiro. Na sua jornada ela faz contatos, tensos ou harmoniosos, com todos os demais corpos celestes.

Steve Kenny – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 13 de fevereiro – A Lua segue na fase cheia pelo signo de Virgem, fazendo hoje quincúncio a Urano em Áries e ao Sol em Aquário. Faz oposição a Kíron em Peixes e quadratura a Saturno em Sagitário, que vira foco de uma T-Square mutável. A Lua fica vazia depois do aspecto a Saturno, às 10h38min. Ingressa em Libra às 18h43min. Lilith, a Lua Negra, ingressa em Sagitário às 21h32min. A semana começa nervosa, inquieta, porque nos damos conta das muitas tarefas e obrigações que temos pela frente e talvez duvidemos um pouco da nossa habilidade em lidar com tudo a contento, particularmente porque temos um ideal de perfeição em mente e lidamos com o julgamento interno e o externo. Por vezes nos sentimos mesmo tentados a nos rebelar contra as obrigações, mas o senso de dever fala mais alto, a necessidade da ordem, da estrutura e da perfeição são como que mandatórios, até para camuflarmos nosso receio do descontrole e da desordem que estão ali, sempre à espreita, a ameaçar nossos planos e desejo de controle. A tarde nos oferece muitas horas para meditar sobre essa necessidade tão premente do controle e da ordem. Seria para nos antecipar a possíveis críticas e julgamentos, não dando chances a outros de perceberem nossas falhas e inseguranças? Seria para preservar o papel “forte” do ajudador/resolvedor de problemas que ajuda mas nunca é ajudado, porque isso seria demonstrar alguma fragilidade? Seria para nos convencer, a nós mesmos, de que não precisamos daquilo de que carecemos tanto? Um mecanismo de parecer maiores e mais fortes quando nos sentimos tão pequenos? Vale ficar atentos porque a tarde traz pensamentos e sensações meio pesados e grandes chances de sermos duros demais conosco mesmos – ou com outros – resvalando em julgamentos, culpas, preocupações pesadas que não nos prestam nenhum serviço, além daquele mórbido de dizermos para nós mesmos que estamos “ocupados” com a situação… Mas pré-ocupar-se é inútil. Perda de energia e de tempo e fazemos melhor se lidamos com isso de forma racional e prática: se nada há que possamos fazer agora, é debalde se degladiar com monstros que não existem e que talvez nunca irão existir. No caminho inverso, é possível que haja julgamentos e críticas duras e até injustas nas interações… Uma crítica severa disfarçada de conselho/ajuda? Vale lembrar que às vezes há várias maneiras de se fazer a mesma coisa; que cada pessoa tem seu próprio senso de ordem e de método e só porque diferem dos nossos não quer dizer que estejam errados. A Lua ficou vazia às 10h38min, o que indica que a segunda-feira começa industriosa, mas depois pede atividades menos afoitas, mais rotineiras ou contemplativas. À noite o clima fica um pouco mais leve e buscamos maior harmonia nas interações.

Eugenia Loli – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 14 de fevereiro – O Sol Aquariano está em sextil pleno a Saturno em Sagitário. De Libra a Lua se opõe à sua dispositora, Vênus, que está em Áries e também a Marte, o dono da casa. A Lua ainda se desentende com Netuno, mas conversa toda sociável, com Mercúrio. Faz sesqui-quadratura ao Sol e entra na fase Disseminadora. A despeito de buscarmos harmonia e coerência, encontramos algumas situações que desafiam nossa compostura e nos obrigam a tomar atitudes, embora preferíssemos manter as coisas “como estão” para não ter que fazer alguma escolha difícil. Mas a Lua Libriana vem equilibrar, realmente, a tendência da “dupla dinâmica” Vênus-Marte em Áries à abrasão nas relações e interações em geral. Não que isso seja fácil de se conseguir! Há tendência a muita irritação, impulsividade e impaciência, além da propensão a criar conflito onde muitas vezes o diálogo seria mais adequado. Aqui entra Libra com sua diplomacia e tato, apta a ver os outros ângulos da questão, que não apenas aqueles egoístas. Em Libra somos multilaterais. Assim, faz-se necessário o contraponto, ver as coisas pelo olhar do outro também, pesar, ponderar, antes de sair chutando e esbravejando… Se conseguimos ter essa perspectiva mais distanciada, podemos resolver as coisas pela via do diálogo e da cooperação, e a energia que seria gasta no conflito certamente terá melhor uso. De fato, o dia traz dinamismo e disciplina para realizar muitas coisas, de forma coerente e longeva. Mas se insistimos nas manhas e em ter tudo apenas do nosso jeito, perdemos ótimas chances de avançar nos nossos intentos e até mesmo de melhorar relações que poderiam significar boas alianças futuras.  A Lua fica Disseminadora em Libra e nos lembra e em oposição a Marte e nos lembra precisamos disseminar essa mensagem do equilíbrio nas relações; de que sempre vale a pena buscar o diálogo e a conciliação antes de partir para a briga, irrefletidamente. À noite o clima fica mais pesado e vai exigir mais calma, paciência e jogo de cintura na resolução das divergências que porventura surgirem.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 15 de fevereiro – A Lua Libriana faz quadratura a Plutão, oposição a Urano e conjunção a Júpiter, formando uma T-Square Cardinal da qual Plutão é o foco. Dona Lua ainda se irrita com Kíron, mas costura cooperação com Saturno e uma forte parceria com o Sol, ficando fora de curso depois deste aspecto, às 23h55min. O dia pede que nos posicionemos e confrontemos nossos receios: não é possível agradar sempre e nem a todos e há momentos em que precisamos deixar claros nossos limites, ao invés de simplesmente ceder “só mais uma vez”, ou nosso amor próprio irá por água abaixo. E já sabemos, se tentamos agradar a todos, agradamos a ninguém e, falando a verdade nua e crua, gente simpática “demais” costuma ser chata pra caramba porque farejamos de longe a falsidade ou a falta de firmeza e de integridade. Integridade, aliás, é mandatório no dia de hoje, para que possamos conduzir nossos negócios de maneira, limpa diligente e correta. Assim, o dia pede que reconheçamos nossa necessidade de aceitação e de pertencimento, mas sem com isso “vender a alma ao diabo”. Pelo contrário, é necessário analisar com cuidado o preço que pagamos por tal aceitação, até porque há outras necessidades igualmente válidas que precisam ser vistas. O desafio é achar o equilíbrio entre as necessidades e  interesses pessoais diversos e antagônicos, ser honestos a respeito do que realmente queremos e confrontar em nós a doce tentação do não escolher, do deixar que escolham por nós, como saída fácil dos dilemas. Mas os conflitos que ocorrem hoje podem ser muito positivos e produtivos, porque nos empurram para essa auto-análise, que por mais turbulenta que possa ser, oferece no encalço mais um pouco de autoentendimento. De quebra, o trio Lua-Sol-Saturno nos ajuda a ter firmeza para não nos deixarmos levar por essas turbulências e nem resvalarmos em dramas desnecessários.

Eugenia Loli – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 16 de fevereiro –A Lua abre o dia vazia em Libra e ingressa em Escorpião às 04h41min, de onde espicaça a Vênus Ariana. O regente da Lua, Marte está em diálogo franco com Mercúrio, mas já muito próximo da quadratura a Plutão. A Lua fecha a noite em harmonia a Netuno. As tensões abertas dos dias anteriores ficam novamente em “repouso” relativo, mas paradoxalmente, estamos muito mais cientes delas, porque as sentimos de forma aguda, na carne e nas entranhas. E assim nos preparamos para lutar com os dragões, venenosos e letais, loucos e incendiários, venham de onde vierem, inclusive do nosso próprio inconsciente. Mas enquanto os confrontos não ocorrem, observamos e farejamos o ar em busca de respostas e pistas e logo as econtramos. A despeito dessas tensões, ou talvez por causa delas, trabalhamos de forma concentrada nos projetos concretos e também nas questões interiores. E podemos alinhar iluminar com a mente clara e razão límpida, o instinto primitivo e impulsivo, talvez domando-o, instruindo-o, disciplinando-o, de forma que já não reaja tão cegamente na hora dos embates. De modo mais prático, o dia favorece que nos debrucemos sobre as relações mais íntimas para estreitá-las ainda mais; que lidemos com assuntos que demandem concentração, foco, comprometimento e arguteza de espírito.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 17 de fevereiro – O dia está sensível e sujeito a altos e baixos. A Lua se harmoniza com Netuno em Peixes, mas tem sérias altercações com Mercúrio em Aquário, irritando-se muito, também com seu dispositor, Marte e com Urano, ambos em Áries. No fim do dia tem conversa mais amena com o outro dispositor, Plutão e fica vazia logo depois, às 17h40min – vai ficar vazia por quase 24 horas! Os sonhos da madrugada são densos e profundos e podem nos trazer ótimas pistas sobre nossos dilemas atuais. A despeito da boa noite de sono, os humores estão bastante indóceis e as línguass ferina, de modo que precisamos vigiar para não nos metermos em assuntos que “não são da nossa conta” e levarmos “voadoras” logo cedo. As emoções estão sombrias e, como se não bastasse, em desacordo com os pensamentos e as atitudes e essas incongruências afetam as relações interações. Sentimos uma coisa, pensamos outra e agimos de forma totalmente diferente. É essencial cuidar dos próprios problemas – que já são suficientes – e deixar que cada um cuide dos seus. Mas claro, se nos ressentimos de que se metam nas nossas coisas, também precisamos vigiar para não jogar sobre outros respingos de nossa irritação e mau humor. Lidar com algum problema bastante intrincado pode nos ajudar a canalizar esse mau humor em algo produtivo, e ainda funcionar como metáfora para a resolução dos nossos enigmas e dilemas interiores.

Eugenia Loli – Reprodução

SÁBADO, 18 de fevereiro – O Sol ingressa em Peixes às 09h32min, onde fica até o dia  20 de março. A Lua, vazia em Escorpião, faz trígono a Kíron e fica muitas horas sem fazer outros contatos, até entrar em Sagitário, às 16h53min, de onde faz quadratura ao Sol, entrando na fase Minguante, às 17h33min. A Lua ainda faz conjunção a Lilith e quadratura ao eixo nodal. Como é bom quando o calendário convencional coincide com o estelar, não? É, eu sei, já disse isso antes, mas sempre vale relembrar! A Lua está vazia o dia todo e… é sábado! Podemos realmente indulgir num descanso sem culpas, ou abraçar atividades que nos apaixonem de fato, que nos permitam contemplar nossos processos mais de perto ainda e proceder com a providencial regeneração da alma e por que não, do corpo também! O dia está propício à meditação profunda sobre os mistérios da vida e ao mergulho na natureza humana e suas motivações mais secretas, começando por nós mesmos… Tais mergulhos e investigações podem ter efeitos terapêuticos e curativos, de apenas nos permitirmos ser e estar, se deixarmos ir o que tiver que ir. O Sol ingressa em Peixes e, entre muitas outras coisas vem nos lembrar que a cura também depende da confiança no processo, de soltar e relaxar, de confiar no nosso centro e na unidade da vida, nesse caos ordenado que, por mais louco que pareça, responde a diretrizes imemoriais, a arranjos cósmicos que escapam à nossa compreensão, mas que ainda assim, vão nos levar onde devemos ir, se confiarmos e fizermos a nossa parte… Mesmo que no momento assim não pareça. A Lua entra na fase Minguante em Sagitário, com o Sol em Peixes, talvez seja tempo de abrir mão das crenças, dos conceitos, do “conhecimento enorme” que tanto nos faz seguros e simplesmente fluir, sem a necessidade de “entender”, de filosofar, de elaborar… Sentir, mergulhar no encanto e na totalidade do ser; deixar para trás a necessidade de estar certo, de catequizar, deixar os proselitismos e simplesmente praticar a religião da gentileza, da aceitação e inclusão, do apoio, do não julgamento…

Do flickr – Reprodução

DOMINGO, 19 de fevereiro – De Sagitário a Lua brinca feliz com Vênus em Áries e mais tarde com Marte. Mas tem uma bate-boca confuso com Netuno. Domingo de brincadeiras, de alegrias e de não levar nada a sério demais… A Lua está minguante e nos convida a abrir mão dos discursos inflamados e exaltados e ir pros terreiros e pros campos, fazer o que o Arqueiro faz de melhor: aventurar-nos, buscar as amplitudes, esticar as longitudes, inflar nosso bom humor, cercar-nos de boas companhias e arranjar algo divertido e prazeroso para fazer, mas sem cobranças, sem compromissos rígidos… Aspirar o ar límpido e expirar as dúvidas e as incertezas… Sim, elas sempre estarão por aí, são parte da vida e volta e meia as encontramos pelo caminho… Cabe a nós olhar para elas e sondar se são de verdade, se precisamos lhes dar algum crédito ou se são apenas miragens criadas pelo nosso medo e insegurança… E assim o dia segue, mais leve e auspicioso… Contudo, como o Arqueiro costuma exagerar, é bom pegar leve para não nos excedermos nas brincadeiras. Também é uma ideia evitar o consumo de álcool e afins, porque nossos limites estão meio frouxos hoje.

Uma ótima semana para você!

A Semana Astrológica – A fé que nos anima e refaz

lua cheia japao
Tirado de Yournewvitality.com – Reprodução

Semana de 06 a 12 de abril

Quando é que teremos boas notícias? Você deve se perguntar a cada semana que lê esta coluna ou outras colunas astrológicas ou mesmo os jornais e semanários de notícias gerais. Nestes tempos críticos as boas notícias são escassas, e justamente por isso são tão importantes: servem para nos dar alento. Esta é mais uma semana que requer ações decisivas, porque é recheada de turbulências, simbolizadas pela passagem do Sol e de Mercúrio pela área mais que agitada representada por Urano-Plutão – turbulências que podem ser literais em se tratando de viagens rápidas ou domésticas, área regida por Mercúrio. Contudo, temos pelo menos uma grande boa notícia: Júpiter volta ao movimento direto em Leão, no dia oito de abril – por sinal, aniversário de Cuiabá.

Júpiter volta ao movimento direto trazendo novo ânimo que favorece o refazimento de nossas forças. As coisas que tínhamos iniciado ou as possibilidades aventadas no fim de julho e começo de agosto passados e que estavam paralisadas, em standby, voltam finalmente a se movimentar, nossa fé e esperança ficam mais fortes e conseguimos visualizar saídas para muitos entraves e situações estagnadas experimentados até aqui. A criança inocente e generosa em nós volta a sorrir confiante. A área do mapa natal onde temos Júpiter trafegando atualmente volta a brilhar e passar por renovação e expansão, dando-nos a sensação de ser beijados pelo Deus da Boa Sorte. Finalmente! (A Leonina aqui agradece 🙂 )

alegria-guri
Repodução

Júpiter direto é um bálsamo que nos dá força e alegria para enfrentar os percalços representados pela conjunção de Sol e Mercúrio a Urano em Áries e a conseqüente quadratura a Plutão. Com esperança sobreviveremos e sairemos fortalecidos de tantas crises e transformações. O que não me mata, me fortalece, diria Nietzsche. Aliás, Mercúrio esta semana está no Coração do Sol, fazendo uma conjunção superior (quando o Sol fica entre a Terra e Mercúrio) ao Sol e se tornando Cazimi, (conjunção de 0 a 17 minutos de orbe), uma posição que favorece a genialidade, insights e visões luminosas. Em Áries isso pode nos apontar novos caminhos, como sermos de fato pioneiros e senhores de nossas escolhas, ou no mínimo, como fazer as mesmas coisas de uma forma completamente nossa, nova e original, principalmente porque Mercúrio está também em conjunção a Urano e em trígono a Júpiter.

uma thurman
Uma Thurman, que tem Vênus em Gêmeos – Reprodução

Vênus se despede da boa vida de seus domínios Taurinos para trilhar novas estradas ao ingressar em Gêmeos na sexta, 11, tornando-se mais namoradeira e valorizando mais os dons e habilidades intelectuais do que a experiência física e sensorial. Sofisticada, andrógina, ela é uma borboleta social, capaz de conversar dos mais variados assuntos e entreter as mais improváveis platéias. Mas o que ela quer mesmo é se divertir! Vênus fica em Gêmeos até o dia sete de maio, quando ingressa em Câncer. De Gêmeos, Vênus tem conversas intrigantes, estimulantes e criativas com Júpiter em Leão e Netuno em Peixes, enquanto se aproxima da oposição a Saturno em Sagitário, que se dará na semana que vem. Marte também se indispõe com Saturno nesta semana, já na segunda-feira, simbolizando uma dificuldade em concretizar nossas visões e intuições no plano prático. Marte ainda conversa harmonioso com Netuno em Peixes, o que lhe agrega riqueza de imaginação e uma dose de sonho ao seu pragmatismo e força bruta.

brooke shaden the moment you understand ur value u become valuable.
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Nesta semana também temos formados muitos aspectos de sesqui-quadratura, um aspecto de 135 graus, considerado tenso porque representa forças inconscientes que podem nos puxar pelo pé nas horas mais inesperadas e um aspecto associado a acidentes quando combinado com a fluidez dos trígonos. Estão em sesqui-quadratura Sol e Saturno, Mercúrio e Saturno, Vênus e Plutão, além de vários outros formados pela Lua.

A Lua está na fase Cheia e segue vagarosamente por Escorpião, tornando-se Disseminadora na quarta-feira, já em Sagitário e oficializando o Minguante à 00h44min do domingo. Viaja por Escorpião, Sagitário, Capricórnio e Aquário e faz aspectos fluidos e tensos com todos os demais corpos celestes.

barreiras
Mateusmp4 – Reprodução

O Sol está em conjunção exata a Urano na SEGUNDA-FEIRA e ainda em quadratura a Plutão em Capricórnio. A Lua Cheia faz oposição a Marte em Touro, enquanto se afina com Netuno em Peixes e conversa Plutão em Capricórnio, desentendo-se, contudo, com Júpiter em Leão. Dia de perscrutar nossa verdade interior e ousar admitir algumas outras verdades inconvenientes para nós mesmos, o que pode desagradar aos outros ao nosso redor, que talvez duvidem de nossa sanidade, tal o espanto que causamos com nossas atitudes, o que nos levará a confrontos ferrenhos e difíceis de dirimir. Queremos nos sentir vivos, romper com o padrão da rotina coisificante da vida, rebelar-nos contra os dogmas até então inquestionáveis, fazer algo diferente, abrir novas janelas e portas que nos levem a possibilidades outras além daquelas já testadas, ou até derrubar paredes na marra. Este ímpeto por testar essas novas possibilidades nos coloca em choque direto com autoridades e com o status quo, que provavelmente não receberão de bom grado nossas novas idéias e tentarão exercer grande poder para nos conter e controlar. Esse conflito pode se expressar somente de forma interna e nos sentimos divididos entre essa necessidade pelo novo, pela liberdade de ser e de viver uma vida diferente e os compromissos e responsabilidades já assumidos, um desejo igualmente poderoso por manter as coisas como estão. De um modo ou de outro, temos uma receita certa de inquietação e de crises.Talvez precisemos mesmo quebrar barreiras e amarras. Talvez hoje tenhamos aquele momento especial de iluminação onde as coisas ficam claras e a luta finalmente cessa porque já sabemos o que precisa ser feito, que coisas precisamos alterar e modificar. Talvez encontremos a brecha a partir da qual abriremos o buraco por onde conseguiremos finalmente sair da cela que nos prende. Mas antes de esbravejar contra o mundo, o patrão, o marido/mulher, o governo, ou seja lá quem for que consideremos nosso carcereiro, é bom lembrar que o carcereiro somos nós mesmos, porque “o mundo pode ser bem maior do que o mundo que nos cerca, porque a cerca desse mundo quem faz somos nós”.

cabeça dura
Reprodução

Na TERÇA-FEIRA A Lua faz quincunces a Urano e ao Sol, mas se afina com Plutão e Quíron, enquanto se opõe a Vênus em Touro, ficando vazia logo depois, às 17h42min. Mercúrio faz quadratura exata a Plutão e no fim do dia a Lua se torna Disseminadora ao fazer sesqui-quadratura ao Sol. Júpiter estaciona em leão às 13h57min, um momento poderoso em que a visualização de nossos objetivos ganha impulso mágico. A mente ferve, calcina, entra em erupção. Estamos obcecados com a idéia da liberdade a qualquer custo e, em nosso fervor, não percebemos que nos tornamos extremistas, intolerantes e até ameaçadores para aqueles que nos ouvem, que por sua vez colocam-se contra nós no que entendem ser apenas autodefesa. Urge perceber que as ideologias e ismos que precisamos combater mais fortemente são nossas próprias crenças obtusas e encalhadas; perceber a necessidade de mudança em nós é um grande passo, mas não podemos impô-la aos outros, que têm seu próprio ritmo e caminho. A mente que precisa se expandir e se abrir ao novo e ao inusitado é a minha e não a do outro necessariamente – deixemos que cada um cuide do que é seu. Como diz a gíria atual: “cada um no seu quadrado” ou redondo, ou octogonal… Até porque, a melhor forma de provocar mudança é pelo exemplo e atitude, que com sorte inspirarão a outros. Imposição e rigidez, por outro lado, só angariará antipatias e oposição.

alegria-1
Reprodução

Júpiter volta ao movimento direto na QUARTA-FEIRA! Viva! Viva! Viva! Já não era sem tempo! Como para celebrar, a Lua entra em Sagitário às 02h09min, tornando-se disseminadora  horas depois, anunciando a boa nova de seu regente. Esta boa nova supõe verdade e integridade, pois a Lua está conjunta a Saturno, mas a verdade aqui pode ter muitas faces algumas delas bem borradas e distorcidas, já que Lua e Saturno estão em quadratura a Netuno em Peixes e em quincunce a Marte em Touro. Mercúrio em conjunção plena a Urano insiste na Verdade como elemento fundamental de compreensão do mundo e com Marte, regente de Áries, em Touro, precisamos ficar atentos para a necessidade de crer em “verdades absolutas”, algo tão ilusório quanto nossa percepção da realidade. Júpiter direto vem ressuscitar nossa esperança e otimismo além de dar um grande empurrão nos assuntos da casa por onde trafega no nosso mapa natal. Mas esperar por Júpiter sozinho não resolve – precisamos sair da nossa zona de conforto e ir atrás das oportunidades onde elas estiverem, bem ao estilo “se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé”. Quem é Maomé na sua vida neste momento, ao encontro do qual você precisa ir?

caroline alkire
Caroline Alkire – Reprodução

QUINTA-FEIRA é dia de Júpiter, você já sabe! E Júpiter, ainda estacionário, recebe hoje o trígono alvissareiro de sua tutelada, a Lua Disseminadora, que percorre as trilhas aventureiras e apostólicas de Sagitário. Como Júpiter também está em trígono a Urano em Áries, temos um belíssimo Grande Trígono em Fogo, formado por Lua em Sagitário, Júpiter em Leão e Urano, Mercúrio e o Sol, que estão amalgamados, Mercúrio em conjunção CAZIMI. Sol e Mercúrio estão em sesqui-quadratura a Saturno. A Lua fica vazia às 14h44min depois do trígono ao Sol. Dia estupendo, de forças magníficas em que podemos acessar campos vibracionais e imaginativos de grande poder vivificador da nossa fé e confiança. Não queremos realismo, queremos mágica! E mágica fazemos com o pouco que nos é dado. A mente está alerta e particularmente perspicaz, e se apenas prestarmos atenção às idéias fortuitas e palpites que nos ocorrem podem encontrar soluções geniais para problemas antigos e aparentemente sem solução. Tanta energia, entusiasmo e otimismo injetam um renovado ânimo de viver, se conseguirmos lidar com algumas pontadas de incerteza a respeito da capacidade de nossa fé de remover montanhas. Um alerta, porém: com tais energias, tendemos a nos sentir superpoderosos, como se estivéssemos acima das leis naturais de causa e efeito; nesse estado de ânimo podemos nos expor a riscos tolos que facilmente levam a acidentes, perfeitamente evitáveis. Urano-Mercúrio-Sol em Áries formam um trio para lá de impaciente e todo cuidado é pouco nas estradas e no trânsito!

Christian Schloe I am a bird now
Eu sou um pássaro agora – Christian Schloe Digital Art – Reprodução

A conjunção Cazimi de Mercúrio ao Sol fica exata na SEXTA-FEIRA, na primeira hora da madrugada. Os lampejos luminosos e a grande inspiração continuam pelo dia de hoje, embora estejamos com os pés mais assentados na terra, algo favorecido pela entrada da Lua em Capricórnio às 09h47min. A Lua Capricorniana propicia que coloquemos em bom e prático uso todas essas idéias mirabolantes e fabulosas ou, no mínimo, testa sua utilidade e factibilidade. Para tal intento a Lua tem a ajuda do forte e vigoroso Marte em Touro, os dois alinhados a Netuno em Peixes, o que garante que toda essa praticidade e concretude tenham um toque de magia e sensibilidade. E assim estamos hoje: levemente sonhadores, mas com os pés plantados bem firmes no chão, uma condição que pode ser formidavelmente realizadora, se soubermos tirar proveito dela.

docto ojiplatico put some sky in life
Doctor Ojiplático – Coloque um pouco de céu na vida Reprodução

Vênus ingressa em Gêmeos no SÁBADO, às 12h29min, inaugurando um tempo de maior leveza  nas relações, de se flertar sem compromisso e de buscar afinidades intelectuais, além do mero desejo físico e sensorial. Entretanto, essa Vênus não está livre de dilemas na sua pretensa leveza e descompromisso, pois imediatamente ela se indispõe com Plutão em Capricórnio, sugerindo uma ambigüidade e vacilação ainda maiores ao já escorregadio signo de Gêmeos: mergulhamos fundo ou fingimos que estamos satisfeitos na superfície? Plutão em Capricórnio recebe a conjunção da Lua, tornada intensa e febril por este contato e pela quadratura a Urano em Áries. A Lua ainda se afina com Quíron em Peixes, mas desafina com Júpiter em Leão. Dia intenso em que nossa capacidade de trabalho é grandiosa, proporcional à nossa capacidade de arrumar encrenca, portanto, o trabalho é sempre a melhor opção. Laboriosos e responsáveis, talvez ignoremos o ressentimento inconsciente que tal responsabilidade nos traz. A melhor alternativa é sempre ser honesto consigo mesmo antes que isso nos vaze pelos poros perturbando a paz ao redor.

força
Reprodução

No DOMINGO  a Lua oficializa o Quarto Minguante ao quadra o Sol. O ciclo vai se fechando e entramos o domingo mais reflexivos sobre o que realizamos ou não nas semanas que se passaram. A Lua ainda faz quadratura a Mercúrio e fica vazia logo depois, às 5h16min. O domingo começa soturno, taciturno e um tanto pesado. Contudo, as coisas se tornam mais animadas pois às 14h44min a Lua ingressa no sociável signo de Aquário, já em trígono aberto e conversador com a Vênus Geminiana e afinando-se também com Saturno em Sagitário. As atividades mentais e conversacionais ficam mais que estimuladas, colorindo o domingo de ânimo e de desejos de interações e trocas de experiências. Reuniões e contatos sociais que primem pela leveza e pela descontração estão favorecidas. O fim da noite porém, pede alguns cuidados, pois a Lua começa a entrar em conflito com Marte em Touro, sugerindo desavenças geradas por posicionamentos rígidos e inflexibilidade. Não permitamos que isso estrague nosso domingo!

Uma linda e abençoada semana para você!

dimaa
Dima Dimitriev – Reprodução

A Semana Astrológica: confrontando o otimismo com a realidade

lua cheia purple sky
Lua Cheia – Autor desconhecido – Reprodução

Semana de 8 a 14 de dezembro

A Lua foi cheia no sábado, simbolizando uma colheita que talvez não tenha sido a mais satisfatória, mas que certamente veio nos acordar para algo que tínhamos preferido ignorar até então. Acabou-se a inocência, bem vindo à visão das coisas como realmente são.

Mas com Júpiter ficando retrógrado na segunda-feira, ainda é preciso cautela. Sua ação benevolente, além de voltar-se para dentro, pode expressar-se de forma mais negativa, com tendências a exageros, falta de limites, otimismo ingênuo, excesso de credulidade, além de indolência e recusa de pegar no pesado. Os assuntos regidos por Júpiter, como expansão, crescimento, riquezas, lucro, mercados internacionais, elaboração de leis, fé, figuras de poder, etc, são diretamente afetados e precisam ser revistos. Portanto, não é hora de gastar recursos por conta, porque lá na frente podemos descobrir que os tais recursos não existem, ou há em menor quantidade do que havíamos previsto. Júpiter fica retrógrado até o dia 08 de abril de 2015.

Felizmente, temos outra influência que nos ajuda a pôr o pé no chão e contrabalançar essa influência inicial de Júpiter retrógrado. Vênus entra em Capricórnio (quarta-feira), sugerindo que, depois de inspirar-se, aventurar-se e acessar as grandes visões em Sagitário, agora é hora de ter uma abordagem mais prática e realista na forma como gerimos nossos valores, finanças, afetos, relacionamentos. Desejamos com realismo, sem exagero, mas ao mesmo tempo com muita ambição e foco.

O Grande Trígono em Fogo que se formou na semana passada entre Vênus-Sol-Mercúrio em Sagitário, Júpiter em Leão e Lua-Urano em Áries tem um re-avivamento quando a Lua passar por Leão na quinta-feira. Mercúrio está CAZIMI (conjunção exata com o Sol), de 19h22min do domingo, dia 7 até as 20:35 da segunda. O Sol, que está em recepção mútua com Júpiter – Júpiter está em Leão, regido pelo Sol e o Sol está em Sagitário, que é regido por Júpiter – faz trígono exato a ele, trazendo uma exuberância na expressão e na consciência. Nesta semana, o Sol também está ladeado por Mercúrio de um lado e por Vênus de outro, sugerindo uma facilidade de alinhar os desejos, valores e propósitos, que são comunicados de forma entusiasta. Há uma indicação também de movimento e de fluência. Marte, que entrou em Aquário e que está também em recepção mútua com Urano em Áries, ficou alguns dias fazendo um aspecto menor com este, mas agora fica bastante isolado, a não ser pelos contatos esporádicos da Lua. A ação pode ficar muito unilateral e extremista, a determinação ficando também sujeita a altos e baixos, hora estamos muito focados, hora desestimulados.

Fernando Tavares 2
Lua Cheia – Fernando Tavares – Reprodução

Enquanto isso, Urano, ainda retrógrado em Áries, vai se aproximando cada vez mais da sexta quadratura exata a Plutão em Capricórnio, em mais um clímax da dança, ou batalha intensa e vibrante que vem se desenrolando entre eles desde 2012. Temos então um clima de tensão crescente, que vai se acumulando e que tem uma liberação ou uma explosão na segunda, dia 15, quando a quadratura fica exata.

A Lua, nas fases cheia e depois disseminadora, está bem vagarosa e viaja lentamente pelos signos de Câncer, Leão e Virgem, fazendo aspectos diversos com todos os seus vizinhos do Sistema Solar, incluindo seu marido, Senhor Sol. A Lua entra na fase Minguante no domingo, dia 14, às 10h50min da manhã.

Na SEGUNDA-FEIRA somos acordados pelos rompantes dramáticos da Lua Canceriana se digladiando com Urano-Plutão numa Cruz T Cardinal. Queremos comer “pelas beiradas”, mas somos exigidos resposta direta e definida, o que nos desagrada e causa desconforto. Queremos permanecer nos domínios domésticos, mas há demandas da vida mundana que cobram ação e atitude, o que aumenta ainda mais a fricção. Numa só tacada temos que conciliar desejos individuais, questões familiares ou emocionais e atuação responsável, que precisa passar por cima do individual em nome do social e profissional. O desafio maior é conseguir lidar com tudo isso de forma original e pioneira, abrindo mão do drama e favorecendo a ação inventiva, desapegada e vigorosa. Começar o dia com atividades físicas pode ajudar a “queimar” a fricção e a clarear a mente ainda um tanto embotada dos efeitos aquosos do fim de semana. Ajuda também a acordar o entusiasmo e a ir para a vida com uma abordagem que não precisa recorrer a manipulação ou jogos de poder. Júpiter fica retrógrado e precisamos olhar para dentro e RE-ver questões de fé e se nosso otimismo anterior realmente tinha bases ou era ingênuo, se consegue se manter diantes dos próximos desafios. Júpiter retrógrado sugere uma REvisão nos planos e projetos, diantes de informações e desafios novos. Mercúrio está CAZIMI até a noite, indicando o inicio de um novo ciclo na relação com o Sol, quando o porta-voz do Sol capta de nítida e sem intermediários ou influências externas, quais são os propósitos da autoridade máxima para os próximos quatro meses, quando um novo ciclo se iniciará. Um dia bom para se ficar atento à idéias e insights que parecem “espocar” do nada. Essas idéias deve ser levadas a sério e anotadas, porque podem se revelar depois muito úteis, preciosas.

A Lua se indispõe com meio mundo na TERÇA-FEIRA: além de começar o dia ainda se afastando na Cruz T com Urano-Plutão, faz quincunces ao Sol e a Mercúrio em Sagitário, faz sesqui-quadraturas a Netuno e a Quíron em Peixes (antes faz trígono a Quíron, o que pode ter efeito duvidoso) e outro quincunce a Vênus no fim da noite, quando encontra um prumo no trígono a Saturno em Escorpião. Dia em que a tendência é ficarmos amuados, irritadiços, sem querer muito papo porque corremos o risco de dar “voadoras” sem querer, especialmente porque Marte está sem contato com ninguém. Ou podemos fazer chantagem emocional para conseguir nossos intentos, agindo, mais do que nunca, de forma indireta e talvez pouco honesta. Para evitar esses possíveis imbróglios é preciso ser honesto consigo mesmo e identificar o motivo dos dissabores e da azia emocional. Alguns momentos a sós podem ajudar a digerir os conteúdos azedos que causam tanta irritação e indisposição e podem ajudar a não vomitá-los sobre os outros. Podermos nos encontrar sendo o objeto da irritação ou voadoras alheias. Antes de reagir e pagar na mesma moeda, tornando a coisa toda um dramalhão sem sentido, verifiquemos se realmente não estamos devedores, mas mesmo assim, não é um bom momento para discussões, porque há muitas forças inconscientes operando e podem escapar antes de passar pelo filtro da consciência e da compaixão.Se  fica claro que a briga não é conosco, saiamos de perto e deixemos a pessoa à sós para lidar com os próprios demônios, possivelmente se desculpará depois.

soberania

Vênus ingressa em Capricórnio na QUARTA-FEIRA, e ao invés de aventura e diversão, desejamos coisas palpáveis, de preferência de qualidade e que resistam às agruras do tempo. Os desejos ficam, de fato, mais realistas e estamos mais preocupados com a gestão dos valores, em organizar a vida de forma prática, para não sermos pegos de surpresa por notícias desagradáveis. Nos relacionamentos também buscamos ser mais pragmáticos e menos românticos. Nossos valores tornam-se mais tradicionais e a expressão afetiva fica mais sóbria, contida e discreta, já que buscamos auto-sufici~encia. A Lua entra em Leão à 01h15min, ainda se recuperando das contusões e machucados dos aspectos irritantes feitos a partir de Câncer. Mas antes de sarar, ela já se mete em confusão de novo: faz oposição a Marte em Aquário, quincunce a Netuno em Peixes e sesqui-quadraturas a Mercúrio e ao Sol em Sagitário, entrando então na fase DISSEMINADORA, quando começa a divulgar e disseminar os aprendizados do ciclo. Ao longo do dia se afina com Urano em Áries, que diz para deixar “para lá” essas incompreensões percalços. O dia pede equilíbrio entre o sentimento e a ação. Talvez estejamos muito “esquentados” e damos repostas instintivas e impulsivas, indispondo-nos com opiniões contrárias. Queremos atenção e aplauso, mas encontramos a desaprovação daqueles que nos chamam de irresponsáveis, egocêntricos, vaidosos e talvez até fúteis. Clima de queda de braço, porque as posturas e reações são rígidas e muito impulsivas. É preciso achar maneiras de mediar necessidades pessoais com os desejos do grupo para que esse clima não seja empecilho para a diversão e a alegria.

lion king
Tirado da Fanpage Lion KIng

A QUINTA-FEIRA começa sob influências contraditórias, que vão se formando ainda na noite de quarta. A Lua faz um Grande Trígono Fogoso com Urano e Sol (configuração fluente e harmoniosa), ao mesmo tempo em que também vira foco de um Yod (configuração tensa), ao fazer quincunces a Plutão em Capricórnio e a Quíron em Peixes. Há impulsos de liberdade, queríamos ser livres para brincar sem nos preocupar com nada, mas somos pressionados por forças maiores do que nós e que talvez impliquem abrir mão de nossa vontade pessoal em favor de algo mais importante que o ego. Podemos, na verdade, sentir que não temos muita opção e precisamos escolher entre o ruim e o pior, porque não há como escapar ileso, caiu no colo, precisamos embalar! O que caiu no colo? Possivelmente mágoas que julgávamos esquecidas e que são desenterradas por alguma situação casual. Se ninguém vem em nosso socorro, nós mesmos teremos que prover o cuidado e o afago necessário. Durante o dia a Lua ainda se depara com a desaprovação da estóica Vênus Capricorniana, que lhe diz para “crescer e aparecer”, para parar de agir feito criança e carente e buscar auto-suficiência. A influência não é clara, e talvez se manifeste com uma certa sensação de culpa que não nos deixa relaxar e ser espontâneos e que nos dá a sensação de que é errado pedir pelo que precisamos.  À noite a Lua encontra suporte na conjunção a Júpiter, o Grande Pai Benevolente, que não está na sua melhor forma, mas que pode aliviar um pouco o peso do dia.

brookeshaden
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Na SEXTA-FEIRA a Lua sai dos braços calorosos do Pai Júpiter para se deparar com o Pai autoritário repressor representado por Saturno em Escorpião. Às 13h19min entra em Virgem e, ainda em quadratura a Saturno, já se opõe a Netuno em Peixes. Também faz trígono à Vênus Capricorniana e quincunce a Marte, que está em semi-quadratura (aspecto de 45 graus –tenso) ao Sol. Mediar realidade bruta e uma fantasia que apela para nosso escapismo é um dos desafios do dia. As emoções se alternam entre frieza e contenção e uma sensibilidade chorosa e incerta, uma sensação vaga de se ter perdido alguma coisa, que não conseguimos especificar. Talvez isso gere preocupação excessiva e uma sensação enervante que pode nos deixar meio ranzinzas, como um mecanismo de defesa. Ou podemos ter ataques de hipocondria, imaginando desastres e catástrofes a partir de um simples arranhão. Vencer o vício da preocupação inútil é o outro desafio de hoje, pra isso é bom lembrar, “preocupar-se é o mau uso da imaginação”.

10620575_822687994416255_2255999852983381462_n
Reprodução

O SÁBADO encontra Dona Lua aplicando sua rabugice a Marte em Aquário, dizendo a ele que seus ideais não são nada práticos, que ele precisa ver os detalhes, medir, calcular, revisar, etc… Enquanto Marte não quer saber desses detalhes que considera mesquinhos. Em Plutão a Lua encontra um apoio de força e poder para ir adiante disseminando seu aprendizado. Mais à frente a Lua tenta cutucar e criticar Urano e leva alguns choques inesperados. Nem bem se recupera, já se defronta com Quíron e suas mazelas. Dia chatinho em preferimos nos isolar com nossa rabugice e ranzinzaria. Defensivos, podemos nos sentir atacados e criticados por quem talvez até tenta nos ajudar. Sentindo-nos invadidos, revidamos ferindo de forma implacável, talvez até justificando para nós mesmos “foi ele quem começou”. Melindres e sensibilidades à parte, podemos, novamente tentar investigar a razão da rabugice, que talvez seja a tentativa de evitar sentir a dor que tem nos perseguido por muitas horas, a dor que não queremos sentir e que preferimos analisar. Podemos sim escrever e tentar destrinchar os nós que se formaram no coração, mas também podemos ir em busca de quem precisa de ajuda, e quem sabe, ao nos colocar a serviço de forma desprendida, possamos entender e aceitar nossa própria dor.

A Lua se torna MINGUANTE no DOMINGO, ao fazer quadratura com o Sol às 10h51min. É hora de começar a invernar, a avaliar e a assimilar todo o aprendizado do ciclo. É hora também de guardar o que não foi usado e que talvez seja útil no futuro ou então descartar definitivamente – a Lua em Virgem é boa nisso, em separar o joio do trigo. A Lua também quadra Mercúrio e também faz sesqui-quadratura a Marte, que vai se aproximando de um sextil a Urano em Áries. À noite a Lua ainda se harmoniza com Saturno em Escorpião, colorindo o domingo de uma reclusão prática, em que aproveitamos pra organizar gavetas, eliminar papéis, organizar tarefas e a agenda da semana seguinte.

Que sua semana seja de luz e de alegria!

hecate (1)
Lua Minguante – Autor desconhecido – Reprodução

A Semana Astrológica – A calmaria do olho do furacão

christian schloe a bluebird song
Christian Schloe Digital Art – A bluebird song – Reprodução

Semana de 13 a 19 de outubro Esta semana oferece um pouco de calmaria aparente, ensanduichada entre dois eclipses super potentes, o do dia 08 de outubro e o do dia 23. É um pouquinho de descanso na intensidade pauleira que temos vivido, a calmaria do olho do furacão. O Minguante da Lua oferece, junto com Mercúrio retrógrado, a possibilidade de reflexão e interiorização dos processos e acontecimentos. Semana boa para análises diversas, estudos e introspecção.

Mercúrio continua retrógrado até o dia 24, quando fica estacionário, retornando ao movimento direto no dia 25, e nesta semana faz sua conjunção inferior com o Sol, ficando Cazimi (de 0 a 17 minutos da conjunção com o Sol), quando se diz que a verdadeira genialidade acontece. O Grande Trígono em Fogo formado por Marte em Sagitário, Júpiter em Leão e urano em Áries vai se desfazendo, depois de ter restaurado muito da nossa fé, entusiasmo e espírito de aventura, para continuar enfrentando as dificuldades que se apresentam diante de nós. Marte entra em Capricórnio no dia 26 de outubro.

A Lua começa a semana na fase da Disseminação, uma subdivisão da fase cheia. A Disseminação é marcada pela necessidade de se divulgar o que se aprendeu e conquistou durante todo o ciclo, aprendizado que culminou na Lua Cheia. Agora é hora de ir para o mundo levar os benefícios de tais aprendizados. Mas vale lembrar, a boca fala do que o coração está cheio, portanto, é preciso serenidade para que esta disseminação não repercuta contra nós. A Lua fica minguante na quarta-feira, 15 e nesta semana viaja pelos signos de Gêmeos, Câncer, Leão e Virgem, fazendo aspectos diversos aos demais corpos celestes.

alma borboleta
Desconheço o autor – Reprodução

Segunda – A Lua entra a segunda-feira na fase da Disseminação, em Gêmeos, regida por Mercúrio retrógrado e em trígono com ele. Dia favorável para recapitular a verborragia e os excessos mentais do fim de semana, e para se propor um bem vindo voto de silencio que acalme a mente, a boca e o coração. Essa é a proposta da tarde de segunda: em vez de virar um boquirroto como efeito da ansiosa inquietude mental, fazer um voto de silencio de algumas horas pode ajudar a colocar tudo de volta ao caminho certo: pensamentos, decisões, agenda, compromissos, palavra e ação… Pode ainda nos dar a oportunidade de julgar o tamanho dos estragos verbais que andamos causando, inadvertidamente ou não.  Assim, não se engane, ao contrário de voejar por aí sem compromissos, a borboleta hoje ganha mais se pousar numa única flor e apreciar, meditativa e observadora, essa mente que flana e mente. É preciso ficar atento ao que vamos estar disseminando por aí afora. Para disseminar a paz, é preciso se estar em paz.

A terça-feira talvez seja o dia mais tenso da semana, com a Lua em Câncer formando uma Grande Cruz ao se opor a Plutão em Capricórnio e quadrar Urano em Áries e Vênus em Libra. Dia complicado especialmente para o feminino, com a Lua e Vênus sob tanta pressão. Na terça Vênus está ainda em sextil com Júpiter em Leão e faz conjunção ao Nodo Norte da Lua – conjunção que fica exata na madrugada de quarta. Apesar da pressão, e talvez exatamente por causa dela, é um dia em que somos lembrados de novo da necessidade de equilíbrio nos relacionamentos, exatamente porque atraímos crises e dificuldades nas nossas interações, que nos obrigam a sair do lugar comum e a refletir de forma mais profunda sobre o papel fundamental do outro em nossas vidas. É um dia em que podemos ainda ser beneficiados por encontros do acaso, que podem representar oportunidades de encontrarmos pessoas que sinalizam ou nos fazer re-significar algumas destas crises pelas quais passamos.

Alberto Pancorbo1
Alberto Pancorbo – Reprodução

Além da exatidão da conjunção Vênus-Nodo Norte, na quarta-feira temos ainda a quadratura Lua-Sol, que oficializa o Quarto Minguante. A Lua faz ainda trígono a Saturno em Escorpião e quadratura a Mercúrio retrógrado, ficando vazia logo depois. Vênus em Libra faz uma sesqui-quadratura a Netuno em Peixes. Dia em que sentimentos não concordam com os pensamentos ou quando não conseguimos expressar o que sentimos, criando mal-entendidos, ao invés de harmonia e alianças. O idealismo inconsciente parece puxar nosso tapete deixando-nos com a sensação esquisita de peças que não se encaixam, mas que não conseguimos entender por que. Desacelerar o coração, além da mente são a pedida para o resto da semana.

Já na quinta-feira temos a Conjunção Inferior de Mercúrio com o Sol. Inferior porque Mercúrio está entre a Terra e o Sol, conjunção que ocorre quando Mercúrio está retrógrado. Quando Mercúrio (ou qualquer outro planeta) está a menos de 17 minutos de conjunção com o Sol, em qualquer dos lados, diz-se que está “no coração do Sol”. Tradicionalmente um planeta nesta situação é fortalecido, ao contrário da posição “combusta”, que é a conjunção que ocorre entre 17 minutos e oito graus e meio do Sol e que se afirma ser uma posição de debilidade, pois se acredita que o planeta em questão é “queimado” e seu poder diminuído. A posição CAZIMI confere genialidade nos assuntos relativos ao planeta envolvido nesta conjunção. No caso de Mercúrio, talvez seja este o momento em que alcançamos os insights mais poderosos propiciados pela fase da retrogradação em curso. A Lua, viajando por Leão na quinta-feira fica praticamente sem aspectos por muitas horas, simbolizando que a luz solar fica ainda mais enfatizada, e a consciência pode ter acesso a inúmeros insights e intuições preciosos.

Estes insights continuam favorecidos na sexta-feira, quando a Lua, ainda em leão, faz conjunção a Júpiter e trígono a Urano em Áries, entrando em órbita de quadratura a Saturno à noite. A Lua é ainda foco de um Yod, fazendo quincunces a Plutão em Capricórnio e a Quíron em peixes, que, por sua vez, estão em sextil. Um gosto agridoce domina o dia e no mesmo espaço de horas vivenciamos as experiências mais sublimes e felizes e também algumas dolorosas, sombrias e irritantes, tornando este um dia pungente que nos lembra que a vida tem na sua composição todos uma grande infinidade de sabores, o doce, o amargo, o azedo, o salgado… E que se estamos dispostos a ser verdadeiros com nossos próprios sentimentos, ela pode ser tudo, menos insossa e sem sabor.

christian schloe the heartache
Christian Schloe – The Heartache – Reprodução

No sábado a Lua quadra Saturno nas primeiras horas da madrugada, fazendo também sextil ao trio Libriano, Mercúrio, Vênus e Sol, além de trígono a Marte em Sagitário. À noite a Lua entra em Virgem, opondo-se a Netuno e a Quíron no domingo, levando-nos a outro fim de semana em que somos confrontados com anseios regressivos de amor incondicional e desejos escapistas que nos liberem das responsabilidades chatas ou dos desapontamentos diários. Assim, os fins de semana vão ficando favoráveis às buscas espirituais, à meditação, à oração e reflexão, influência que, neste fim de semana em específico, fica ainda mais marcante com a entrada da Lua na fase Balsâmica às 20h12min da noite de domingo. Nestes fins de semana de Lua Mutável (Gêmeos, Virgem, Sagitário, Peixes) que teremos até o fim de dezembro é recomendável que evitemos o consumo de álcool e outras drogas e substancias que alteram a consciência, pois nosso senso de limites e de controle está enfraquecido, o que obviamente pode causar muita confusão e dissabores, quando poderíamos descansar e relaxar para encarar os desafios da semana seguinte. Convém nos perguntarmos do que estamos tentando fugir, ou que amarguras e tristezas tentamos afogar na bebida ou em outras drogas de nossa preferência.

christian schloe The great escape
Christian Schloe – The Great Escape – Reprodução

 Uma boa semana, tranqüila e serena para você!