Arquivo da tag: Lua Nova em Áries

Lua Nova em Áries – Dançando ao som da sua música interior

nightmeetsday shoemakerjames acrylic
A Noite encontra o Dia Shoemakerjames-Reprodução

Mais um ciclo começou hoje com o casamento do Sol e da Lua na Lua Nova de Áries, uma energia de iniciação, de começo e recomeço – muito favorável, pois, para recuperarmos as intenções projetadas e lançadas ao universo lá no início do ano. Sempre é tempo de recuperar a motivação e o entusiasmo e retomar as coisas de onde paramos.

A Lua foi Nova às 15h56min no horário de Brasília e às 19h56min no horário de Lisboa, no grau 28°25’ de Áries. O mapa dessa Lua Nova traz algumas configurações bem interessantes. Primeiro, Lua e Sol estão completamente isolados no fim de Áries, sem fazer nenhum aspecto com os demais corpos celestes, formando assim um dueto, que é quando dois planetas só fazem aspecto um com outro e não se comunicam com o resto do mapa. De acordo com Karen Hamaker-Zondag (1), planetas sem aspectos ou duetos falam de dificuldade de integração dos princípios representados por tais planetas, que tornam-se então dissociados do resto do mapa, tendo ação irregular e inconstante. Há uma qualidade de extremismo, de “tudo ou nada”, onde os planetas em questão atuam de forma disruptiva e talvez fragmentada.

earthdaily
Francisco Negroni, em Earthdaily – Reprodução

Trazendo isso para o ciclo, temos pela frente um período em que a energia se manifestará de forma desigual, irregular: em alguns momentos estamos cheios de entusiasmo, animados, nossos propósitos alinhados com sentimentos e há uma sensação de bem estar, de correção, como naquela canção antiga: “tudo está no seu lugar, graças a Deus, graças a Deus…”. Daí, no dia seguinte, já nos sentimos indispostos, confusos, meio sem direção, questionando se realmente vale a pena prosseguir. Cientes disso, podemos nos preparar para combater esses momentos de marasmo e de dúvida e não nos deixar abater por eles.

O dispositor do Sol e da Lua é Marte, regente de Áries. Marte está em Touro, signo de sua queda, porque Touro, além de ser o oposto complementar de Escorpião – outro signo regido por Marte – é um signo que delibera, que precisa de tempo para ruminar as coisas antes de partir para a ação, algo que vai contra a natureza básica de Marte, que é a do impulso e ação imediatos – daí se diz que ele está em queda.  Touro é signo fixo, tende a ser constante, mas inflexível. Marte está em quadratura a Júpiter a menos de um grau de orbe, ou seja, uma quadratura muito próxima. Assim, a situação de Marte, dispositor da Lua Nova, aumenta a qualidade de extremismo já simbolizada pelo dueto.

young-girl-holding-heart
Tirado de Mindbodygreen.com – Reprodução

Se puxarmos esse fio mais um pouco e buscarmos o dispositor de Marte, a regente de Touro, que é Vênus, veremos que ela também está extremada, em oposição ampla a Saturno, mas em quadratura próxima a Netuno, exata amanhã. Além disso, Vênus começa a ficar Fora dos Limites do Sol por declinação, um posicionamento em que o planeta não obedece nem atende a ninguém, apenas a si mesmo. Vênus nesta configuração de Cruz Mutável com Saturno e Netuno, aponta para a necessidade da auto aceitação daquilo que somos, sem ilusões, sem vitimismo, e também sem autoflagelação, algo que é muito necessário para Áries. Como assim? Não é Áries que geralmente não se importa com a opinião alheia e não busca aceitação ou aprovação de ninguém? Sim, este é seu lado luminoso, mas a sombra de Áries é Libra, então, na sua expressão negativa, ele pode sim, sair por aí mendigando aceitação dos seus pares e pasme, até se tornar um capacho. Assim, esta Lua Nova nos lembra que “bonito é ser você mesmo, que não precisamos ser aceitos pelos outros, precisamos sim, aceitar a nós mesmos”. O resto é conseqüência: se eu me aceito, o outro também aceitará. Ou, como diz o Dr. Steve Maraboli, “quando eu aceito a mim mesmo, eu me liberto do fardo de precisar que você me aceite”. 

atlascelestialsphere
Atlas da Esfera Celestial – Reprodução

O SÍmbolo Sabiano para o grau 28 de Áries coloca ainda uma outra perspectiva que vale a pena explorar: “A Música das Esferas”. O que é isso? Falando grosseira e resumidamente, a Música das Esferas é um conceito segundo o qual os planetas emitem sons que dependem das proporções aritméticas de suas órbitas no seu percurso ao redor do Sol. É um conceito que fala da harmonia presente na natureza e na Proporção Áurea, na matemática, na música, nos números, na própria astrologia e que foi iniciado com o matemático Pitágoras e posteriormente desenvolvido por seus discípulos e depois por Kepler. Kepler dizia que “Os movimentos celestes … Nada mais são do que uma música contínua emitida por várias vozes, não percebida pelo ouvido, mas pelo intelecto, a  música figurada que estabelece marcos no fluxo incomensurável de tempo”. 

modelo de sistema solar proposto por Kepler
Johannes Kepler propôs um modelo do Sistema Solar que associava cada um dos planetas conhecidos aos sólidos regulares. Imagem publicada originalmente em Mysterium Cosmographicum (1596) – Copiado do Ciência Hoje/Uol – Reprodução

Cada planeta emite, pois, uma vibração e um som e os sons de todos os planetas formariam uma sinfonia, a música das esferas – isso é um resumo muito simplista e se você tiver interesse, vale a pena pesquisar este assunto que sempre apaixonou astrônomos, astrólogos, matemáticos, músicos e cientistas em geral. O princípio básico é o da harmonia inerente à natureza, a idéia de que, não importa quão caótica a vida e o universo pareçam às vezes, há uma harmonia por trás de tudo. Lynda Hill, astróloga australiana, diz que este símbolo fala da “beleza da música e harmonia e é particularmente intuitivo. Não importa se as coisas estão indo bem ou não, se você estiver sintonizado com sua voz interior, isso pode mostrar um acordo interno com o seu caminho. Saboreie as lições que aparecerem e saiba que tudo acontece no seu próprio tempo e que você crescerá em sabedoria. A Música das Esferas mostra uma sintonia com as mensagens da astrologia, numerologia, matemática e ciência. Cante, sintonize-se com os planetas, escute música, dance e celebre a vida”. Ela ainda sugere que o símbolo fala de mensagens que chegam até nós através de várias vozes, para prestar atenção aos ritmos circadianos, à fala dos planetas, à mensuração e a passagem do tempo.

É interessante lembrar que Marte, regente desta Lua Nova, era também conhecido como Deus da Dança e em Touro ele de fato se manifesta como bom dançarino – Touro, que é sensorial e tão enraizado no corpo. Vemos assim, novamente, que a vida é sincronia, é beleza e que tudo se afina e corresponde.

music of the spheres
Divine Monochord, proposto por Robert Fludd, que ligava o Universo Ptolomeico a intervalos musicais – Reprodução a partir do site Skyscript

Então é isso: extremada ou não, a Lua Nova vem falar da harmonia natural que permeia a vida, mesmo quando ela parece caótica e extrema na sua manifestação. Mesmo os extremos têm sua razão de ser na ordem natural das coisas. E que somos convidados a confiar nessa harmonia e nos sintonizar com ela, a nos sintonizar com nossa própria voz interior, com a música que toca na nossa alma, no nosso coração e que é simbolizada pelos planetas do nosso mapa natal; a ouvir nossa intuição, que certamente estará muito aguçada neste ciclo e que será um Norte quando o mundo parecer enlouquecer ao nosso redor.

yogameetsdance
Do site Yogameetsdance.com Reprodução

Por fim, como eu dizia lá no início, essa Lua Nova também propicia que retomemos nossos propósitos e objetivos para o ano e renovemos nossas intenções. Como está aquela lista de objetivos que você tinha feito? Esquecida na gaveta? Já nem lembra onde está? Está no seu mural, mas só lhe traz desapontamento? Pois temos agora mais uma chance de colocar esses objetivos em ação, de nos incendiarmos de otimismo e entusiasmo e começarmos uma vez mais, antenados com aquilo que a intuição nos aponta.  Só precisamos cuidar para não nos inflarmos e nos tornarmos completamente unilaterais e cegos para o que está à nossa volta, agindo de forma extremista e bitolada – adotando esses cuidados e equilibrando o entusiasmo nos dias em que nos sentirmos desmotivados, é questão então de seguir a intuição e focar naquilo que é essencial.

Uma linda Lua Nova para você! Que seu ciclo seja luminoso, amoroso e cheio de vigor e entusiasmo!

divine offering by duirwaigh studios
Oferta Divina – Duirwaifh Studios Reprodução

“Não há ninguém no universo mais querido para nós do que nós mesmos. A mente pode viajar em mil direções , mas não achará ninguém mais amado. No momento em que você percebe quão importante é amar a você mesmo, você parará de fazer os outros sofrer” 

Thich Nhat Hanh

Fontes:

(1) HAMAKER-ZONDAG, Karen – Aspects and personality

(2) HILL, Lynda – Sabyan Symbols

Outras fontes sobre a Música das Esferas:

1 – http://oglobo.globo.com/blogs/sociencia/posts/2010/03/19/a-musica-das-esferas-276028.asp

2 – http://www.portaldoastronomo.org/tema_19_4.php

3 – http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/fisica-sem-misterio/a-harmonia-cosmica

4 – http://www.skyscript.co.uk/kepler.html

A Semana Astrológica – Sempre é tempo de recomeçar

Benoit Moraillon une enfance dans la lune 2007
Benoit Moraillon – Une enfance dans la lune – 2007 Reprodução

Semana de 13 a 19 de abril

Semana de desapego começando. A Lua ficou minguante em Capricórnio, na madrugada de domingo, favorecendo a limpeza das atitudes obsoletas no mundo do trabalho e na persona social. Hora de verificar se a utilidade das coisas se mantém – e Capricórnio definitivamente sabe avaliar o que é útil, portanto, não desperdicemos a energia. Mas o desapego se estende a outras áreas e temos a oportunidade, de novo, de “destralhar” nossa vida, deixando-a mais limpa e simples A equação é muito simples: se não nutre mais a alma, livremo-nos e liberemo-nos! Abramos as mãos, abramos a mente, abramos o coração! Simplifiquemos a vida e criemos tempo e espaço para as coisas realmente essenciais! Por falar nisso, o Book Crossing (evento que estimula o desapego de livros usados) acontece nesta semana, timing perfeito!

A semana do Minguante também favorece as análises e reflexões profundas sobre o ciclo que passou – visto que a Lua foi minguante em aspecto com Plutão –  com seu acertos e desacertos e o que queremos mudar para a próxima fase: o que vale a pena repetir, o que pode ser reciclado e o que tem que ser descartado.

Lua e Sol
Desconheço o autor – Reprodução

Espaço e coração abertos, damos as boas vindas ao novo ciclo, que começa com a Lua Nova de Áries no sábado, dia 18. Depois do Solstício de Outono no dia 20 de março, esta é outra chance que nos é dada de recuperar os objetivos e propósitos lançados em janeiro para o ano de 2015. Como você tem se saído até aqui? De vento em popa? Não? Já esqueceu a maioria deles? Desmotivou-se completamente? Se este é o seu caso, agarre as energias da Lua Nova em Áries para recuperar essas intenções e propósitos! Ainda dá tempo de dar uma guinada para melhor! Sempre é tempo de recomeçar! Recomece!

Além da Lua Nova temos outros eventos importantes acontecendo. Plutão estaciona na quinta-feira pra entrar em retrogradação na sexta. Fica retrógrado até 25 de setembro, simbolizando um período em que as grandes transformações e mudanças profundas ficam em banho-maria, dando-nos tempo para refletir sobre sua necessidade e caráter mandatório.

open art group
Open Art Group – Reprodução

Vênus entrou em Gêmeos e nesta semana está se sentindo meio solitária, às voltas com os limites representados por Saturno em Sagitário – limites que são sentidos de forma ainda mais dolorosa porque ela está sonhadora e confundida pelas ilusões de Netuno. Essa T-Square Mutável pode trazer muitos mal entendidos às relações íntimas e urge ter cuidado também na gestão dos recursos e investimentos. O regente de Gêmeos, Mercúrio, ingressando em Touro na terça-feira será de grande ajuda, pois trará a cautela necessária para essa Vênus fugidia. Além disso, eles ficarão em recepção mútua – Vênus está na casa de Mercúrio, que está na casa de Vênus – o que favorece o entrosamento entre eles. Mercúrio em Touro também indica que as idéias fabulosas incendiadas pelo fogo Ariano agora passarão por um período de maturação. A mente se torna mais cautelosa e deliberativa; mastigamos e ruminamos tudo com muito vagar antes partir para a prática. Por outro lado, Marte se aproxima do trígono a Plutão, enquanto faz quadratura a Júpiter em Leão, o que novamente pede cautela porque há uma tendência à inflexibilidade e a nos tornarmos cabeças-duras, recusando-nos a ceder, mesmo quando está evidente nosso erro, só por orgulho. Tudo isso sinaliza uma semana tensa e talvez um pouco travada, lenta nas decisões e ações e com tendência a ficarmos mais introspectivos e sorumbáticos. De qualquer forma, a energia do minguante é obstinada e pode favorecer a força de vontade na hora de nos livrarmos de velhos hábitos, inclusive alimentares – bom momento para começar aquela dieta ou reeducação alimentar.

A Lua viaja rápida, mas carregada de experiências, que ela vai avaliando e eliminando pelo caminho. Segue minguante pelos signos de Aquário, Peixes e Áries, sendo nova já no fim de Áries, fechando o domingo no conforto de Touro. Faz aspectos diversos com todos os demais planetas e com o Sol.

brukutu-111-thumb-800x532-75377 (1)
Obvious.lounge – Reprodução

Na SEGUNDA-FEIRA a Lua está minguante em Aquário. Faz quadratura a Marte em Touro, enquanto se opõe a Júpiter em Leão, formando uma T-Square Fixa. Marte está em sextil a Netuno e Vênus vai se aproximando da formação de outra T-Square, com Saturno em Sagitário e Netuno em Peixes. Temos favorecido o desapego geral de coisas, pessoas, situações. Mas a combinação Leão-Aquário-Touro pode agarrar-se veementemente a idéias e ideais que tragam um senso de identidade, orgulho e principalmente segurança. Fica evidente que o apego a coisas é apenas reflexo de um apego mais profundo a opiniões e crenças enrijecidas e a sentimentos de conforto e segurança associados a tais objetos – como a criança que já aprendeu a andar de bicicleta, mas tem medo de liberar as rodas laterais auxiliares que lhe dão segurança, porém tiram a diversão e a liberdade. Então, precisamos mesmo é nos desprender dessas crenças e opiniões arraigadas que não refletem os sonhos e os objetivos presentes e apenas nos levam à estagnação; soltar estes sentimentos que já ficaram no passado, inclusive o medo de cair; desapegar-nos da nossa teimosia e inflexibilidade; livrar-nos daquilo que foi útil, mas que hoje atrapalha; livrar-nos das tralhas físicas, mentais e emocionais que só ocupam espaço na casa, na cabeça, no coração e na alma. Ou será que preferimos carregar um peso morto atrás de nós?

emily burtner
Emily Burtner – Reprodução

Mercúrio ingressa em Touro na TERÇA-FEIRA, simbolizando uma lentidão maior no pensamento e processos mentais, nas decisões e comunicação. Em Touro, Mercúrio tende a burocratizar um pouco as coisas; tornamo-nos mais céticos, exigindo “ver para crer”. A Lua, já em Peixes se harmoniza com este Mercúrio, enquanto conflita com Saturno em Sagitário e Vênus em Gêmeos, formando uma complicada T-Square Mutável, que envolve também Netuno. Estamos ultra-sensíveis e divididos pelo dilema clássico entre sentimentos e razão. Fundimo-nos ou distinguimo-nos? Entregamo-nos de forma irrestrita e absoluta ou defendemo-nos na racionalização de nossas inseguras e motivações? Tendência a movimentos capciosos nas relações, especialmente entre mulheres… Mal entendidos causados por excesso de frivolidade também estão no menu do dia. Antecipando um ataque ou rejeição, podemos atuar uma futilidade que talvez seja apenas jogo de cena para esconder nossa profunda insegurança, mas que os outros podem entender como verdadeira, relegando-nos a um papel insignificante e confirmando nossos piores receios. Melhor manter em cheque nossas reações e motivações.

Anne Marie Zilberman Larme d or
Anne Marie Zilberman – Larme D’or – Reprodução

Vênus está em oposição exata a Saturno na QUARTA-FEIRA, 15. A Lua Pisciana está em conjunção plena a Netuno, irrita-se com Júpiter em Leão, mas se harmoniza com Marte em Touro e com Plutão em Capricórnio, aspecto depois do qual fica vazia, às 18h38min. A Lua se torna Balsâmica ao fazer semi-quadratura ao Sol, às 08h59min. Dia tenso e melindroso, especialmente nos relacionamentos íntimos e amorosos em que carências podem ser escondidas sob uma máscara de superficialidade. Estamos muito contraditórios em nossos impulsos e quereres. Podemos alegar que não queremos compromisso, não queremos nos prender e blá, blá, blá… Mas se formos honestos talvez admitamos que temos mesmo é muito medo de ser julgados e rejeitados pela falta de substancia que nos flagela e nos causa tanta insegurança. Defensivos, fingimos que não estamos “nem aí”, mas no fundo ansiamos por ser aceitos, incluídos e amados incondicionalmente – só que há grande distancia entre esses anseios inconfessáveis e o que expressamos para o outro, o que dá margem a muita confusão… No plano prático é um dia para ter cautela nas negociações em geral, especialmente na compra de bens duráveis e investimentos de grande porte, atividades que não são favorecidas por estas energias, tendendo a desapontamentos e decepções futuros.

Michael Garmash
Michael Garmash – Reprodução

A Lua Balsâmica Pisciana abre a QUINTA-FEIRA ainda vazia, mas em conjunção exata a Quíron. Os sonhos noturnos podem ser conturbados e dolorosos, mas também curativos. A Lua fica vazia por todo o dia, entrando em Áries somente às 17h59min, de onde já se harmonia com Saturno em Sagitário, que por sua vez começa a receber o quincunce de Mercúrio em Touro. Enquanto isso Plutão estaciona em Capricórnio. Um dia em que, se não nos damos conta da ociosidade das horas e da nulidade de certas ações, tenderemos a desperdiçar energia e tempo, ou, na melhor das hipóteses, a “empurrar com a barriga” os assuntos e situações que são colocados diante de nós. Mas ao invés de “empurrar com a barriga”, é mais decente ser honesto de vez e admitir para si e para os outros que o dia é mais favorável ao sossego e reflexão do que à execução de tarefas objetivas. Quem insistir poderá dar tiro n’água, porque não há objetividade nem concentração suficientes para tais coisas e ganhamos mais se nos aprofundamos no exame daquilo que precisamos expurgar e eliminar. A Lua Balsâmica em Peixes, o último signo do Zodíaco, favorece a reflexão final acerca do ciclo que termina e o planejamento do futuro, já que é para lá que ela olha.

beautiful angry young woman
Depósito de Photos – Reprodução

Plutão entra em retrogradação na SEXTA-FEIRA. A Lua Balsâmica em Áries agiliza a incineração dos detritos e restolhos finais do período. Hoje ela se afina com Vênus em Gêmeos e mais tarde se harmoniza lindamente com Júpiter em Leão. Contudo, no fim do dia a Lua digladia com Plutão enquanto une forças a Urano. Marte está em quadratura plena a Júpiter. A semana útil é fechada de forma especialmente tensa e crítica, demandando cautela e atenção dobrada nas ações e decisões. É um dia de ação sim, mas é preciso muito cuidado para não se precipitar e agir por impulso. Os planetas, como símbolos das energias e interações humanas, estão perdidos numa discussão sem fim e num emaranhado confuso: A Lua está briguenta em Áries, que é regido por Marte, que está também intransigente e de maus bofes com Júpiter; Marte está em Touro, que é regido por Vênus, que está super confusa e insegura por causa de Saturno e iludida com Netuno; Vênus em Gêmeos, por sua vez, é regida por Mercúrio, que está em mútua recepção com ela e que pode, afinal, dar a ancoragem necessária para que não “percamos a cabeça” por aí. A cautela e a lentidão Taurinas hoje funcionam como vantagens, diminuindo os riscos de precipitação.

sun and moon Tattoo Train
Tattoo Train – Reprodução

A Lua se renova no SÁBADO, quando temos a Lua Nova em Áries às 15h56min. Essa Lunação é na verdade um dueto, porque Lua e Sol estão completamente isolados no fim de Áries, sem fazer aspecto com mais ninguém, o que traz uma qualidade de “tudo ou nada”, sinalizando também um ciclo em que talvez estejamos sujeitos a reações instintivas de forma acentuada, o que vai exigir vigilância sobre a oscilação de humor e da motivação ao longo do mês à nossa frente.

CANTILENA labiritnos da alma blog
Do blog Labirintos da Alma – Reprodução

No DOMINGO, a Lua está em Touro, sentindo-se mais confortável e segura, embora esteja sujeita a uma certa indisposição vinda do quincunce a Saturno. Ao longo do dia a Lua faz conjunção a Mercúrio e a Marte, ao mesmo tempo em que se desentende com Júpiter em Leão e dialoga, harmoniosa, com Plutão em Capricórnio. Por outro lado, a regente dessa Lua, Vênus, está hoje em quadratura exata a Netuno, demandando cuidado nas interações, que ficam sujeitas a decepções e desapontamentos devido a expectativas fantasiosas que alimentamos em relação àqueles com quem nos relacionamos. Há muita nostalgia e saudosismo no ar, uma certa alienação. Queremos ser seduzidos por palavras rebuscadas e gestos grandiosos, quixotescos, alheios às armadilhas de desapontamentos que criamos para nós mesmos. Estamos confusos quanto ao que queremos das relações e como expressamos a afeição que dedicamos aos outros.  Uma saída é aproveitar essa grande injeção de sensibilidade e encantamento e expressá-la de forma prática como reclama a Lua Taurina: nas artes criativas em geral, na jardinagem, na culinária, etc. De modo geral, um dia langoroso, lento, modorrento, favorável ao lazer rural ou mesmo na natureza, mas nada que exija muito esforço, porque queremos apenas curtir os prazeres sensoriais.

Que sua semana seja serena e abençoada, cheia de luz e alegria!

gato
Reprodução

Lua Nova em Áries – A domação

Este texto é um dos mais lúcidos que vi recentemente sobre as atuais configurações, particularmente sobre a Lua Nova e Marte Retrógrado. Foi escrito por April Elliot Kent, do site de Astrologia Big Sky Astrology. Traduzo o artigo de April Elliot , com sua autorização, porque gostei muito e achei seus insights preciosos para estes tempos.

Portanto, este texto não é meu! Você pode ver o texto original em inglês aqui.

april

Lua Nova em Áries – A domação

Tem mais que uma pitada de loucura nesta Lua Nova em Áries, com o Sol e a Lua conjuntos a Urano e quadrando Júpiter e Plutão. Todo mundo parece ocupado e sobrecarregado ao ponto de exaustão. É como se estivéssemos sofrendo de uma exaustão adrenal coletiva.

Tenho me perguntado por que não consigo fazer mais, mas quando olho minha programação fica claro que estou fazendo muito, mesmo que não seja exatamente o que eu gostaria de realizar. Minha agenda de compromissos está coberta com meus rabiscos e caligrafia falhada. Meus dias estão cheios até a tampa, mesmo que minha conta no banco não esteja.

Há trabalho registrado ali, algumas reuniões e compromissos, notas sobre remédios homeopáticos que tomei. Mas muito do que enche meus dias não está escrito em lugar nenhum. Telefonemas preocupantes sobre pessoas que eu amo. O desmoralizante ritual anual de juntar as informações sobre perdas e lucros nos negócios para a declaração de Imposto de Renda; uma sensação de derrota sobre o último revés na minha carreira. O cacarejar ao redor do meu marido que atravessa seu período anual  estressante de crise no trabalho.

Meu livro está cheio, minha vida está caótica, mas muito disso são só coisas que me fazem querer fugir para longe. É isso então que significa ter uma Lua Nova conjunta a Urano e quadrando Júpiter e Plutão – pressão desmoralizante e anseio por liberdade?

Minhas preocupações e desgraças são felizmente pequenas; para alguns, os problemas têm sido bem maiores. Um jovem colega morreu semana passada e quando eu ouvi a notícia eu senti algo que jamais esperaria: alegria. Ele estava sofrendo, preso numa casca deficiente, e ele simplesmente não me parecia o tipo de cara que foi feito para aquele tipo de prisão. Ele era grande demais, alegre e louco. Então eu senti um alegre alívio com a notícia, do jeito que você se sentiria se soubesse que um cavalo selvagem fugiu do aprisionamento de um domador cruel. Você gritaria e daria um soco triunfante para o alto, aplaudindo-o.

Nós começamos como cavalos selvagens, todos nós, e a vida é um processo através do qual nós somos domados. Alguns de nós são civilizados por mestres gentis que nos ensinam limites sem quebrar nosso espírito. Outros de nós são brutalizados por circunstâncias cruéis que nos ensinam a pisotear tudo o mais em nosso caminho. Muitos de nós encontraram ambos os tipos de mestres; alguns dias nós galopamos, outros dias pisoteamos.

Tem sido um ano difícil até aqui, e muitos de nós estão inquietos, quase a ponto de debandar num estampido. Marte, o regente planetário de Áries, é o último de uma série de retrogradações disruptivas – primeiro Vênus, depois Mercúrio e agora Marte, não apenas retrógrado, mas retrógrado em Libra (um signo difícil para ele). Francamente, colocar Marte em tal situação desconfortável, e então colocar a Lua Nova em Áries como ponto focal de uma configuração tremendamente estressante, é mesmo uma ousadia cósmica!

Já há alguns anos astrólogos têm escrito sobre a épica quadratura que vem se desdobrando entre Urano em Áries e Plutão em Capricórnio. Mais ou menos se assumiu que o mundo iria irromper numa conflagração de terror e sofrimento apocalíptico que nos deixaria de queixo caído de horror. Todo dia um Pearl Harbor, todo dia um 11 de setembro. Tem havido momentos terríveis, tanto pessoais quanto coletivos. Porém, para muitos de nós tem sido uma campanha planetária continuada, mas menos vistosa, de nos chacoalhar e de quebrar e trazer abaixo muitas coisas. Vemos isso em pequena e larga escala, no clima, na política, nos nossos relacionamentos e carreiras. Muitos de nós estão passando por períodos bem mais difíceis do que outros, mas todos somos afetados, ninguém está ileso. Urano e Plutão são ambos mestres brutais.

Mesmo na melhor das épocas, a estação Ariana não se presta naturalmente a lidar com frustração, atraso ou contenção. E esta dificilmente é a melhor das épocas. Com Marte retrógrado e Urano em Áries, essa Lua Nova é o equivalente a caçar briga com alguém que você sabe que é particularmente volátil e suscetível: qual será o resultado, violência ou uma lição sobre contenção?

Em alguns dias, pode parecer que estamos há minutos de nos fundir com o infinito. Até onde eu sei, isso pode até ser o caso. Mas minha crença é que o que está acontecendo fora de nós e ao nosso redor é um reflexo do que está dentro de nós: cavalos selvagens, forças de espontaneidade e liberdade, em conflito direto com forças poderosas de controle. Algumas destas forças devem ser resistidas, porque a alternativa é a perda da alegre liberdade. Mas às vezes, o controle pode ser nosso amigo, ajudando-nos a conter e explorar nossa força e energia para realizar mais do que sonharíamos ser possível.

Nós temos os cavalos selvagens de Urano em Áries dentro de nós; e com Plutão em Capricórnio, as sociedades estão se transformando de formas que desafiam a primazia da individualidade desenfreada. Cabe a cada um de nós decidir se nossos cavalos precisam ser domados ou libertados, e então fazer isso acontecer – o mais gentilmente possível.

© 2014 by April Elliot Kent – traduzido por Maria Eunice Sousa, com autorização da autora, a partir do texto original em inglês.

Lua Nova em Áries – Esperar ou Avançar?

Biodanza Aebrj
Reprodução

A Lua é nova neste domingo, 30 de março, às 15:44 (hora de Brasília). Uma Lua Nova de suma importância porque abre o ciclo considerado o mais tenso neste ano. De fato, sendo a primeira do ano astrológico, ela adquire peso especial. Em Áries nos deparamos com o arquétipo da Iniciação, de todos os começos; da semente cujo broto rompe a dura casca e teima em vir ao mundo; do pintinho quebrando a casca do ovo pelo lado de dentro; da luta de vida e morte do momento do parto; o arquétipo do Guerreiro, forjado no calor da batalha, pois é ali que ele se realiza e se auto-afirma.

Pois bem. A Lua Nova ocorre a 9°58’ de Áries, em conjunção com Urano, e em quadratura com Júpiter em Câncer e com Plutão em Capricórnio, ou seja, ela junta-se a Urano no ponto focal da T-Square que se formou várias vezes desde meados do ano passado e que vai ficar super ativa por todo o mês de abril, tornando-se, a partir do dia dois, uma Grande Cruz Cardinal que será fechada por Marte, regente de Áries, retrógrado em Libra. Além disso, Saturno também está retrógrado em Escorpião e há três planetas em Peixes, Netuno, Quíron e Mercúrio, tudo isso simbolizando uma passividade incongruente com o arquétipo da ação de Áries. Voltando à T-Square, Frank Clifford diz que “T-Squares são como panelas de pressão. Por baixo há um volume enorme de tensão precisando ser liberada – estresse gerado por partes nossas que estão em discrepância umas com as outras. Elas são normalmente fonte de muita energia e de situações-limite e elas demandam resolução, ação e descarga. Às vezes há um estado de paralisia porque estamos conscientes da importância e receosos da influencia destes assuntos em nossa vida”(1). No caso desta T-Square específica a tensão e paralisia estão consideravelmente aumentadas porque Marte, o regente da Lua Nova, o regente de Áries, está retrógrado em Libra, uma situação tradicionalmente vista como duplamente debilitada. Nestas condições Marte não consegue ser assertivo como gostaria, não se auto-afirma como deveria, pois sai por aí pedindo desculpas por ser como é, por fazer o que tem que fazer. Sua vontade e senso de potência são diminuídos e ele tem dificuldade em desempenhar sua principal função, o instinto agressivo, o instinto de sobrevivência. Assim, há um clima denso de frustração que vai aumentando a pressão até limites insuportáveis, quando pode explodir de forma inesperada e perigosa.

Deliberation By Mario Sanchez Nevado_____Open Art__
Deliberations – Mario Sanchez Nevado – REprodução

Mas pode haver um outro lado nisso. Áries é o signo do indivíduo, do “Eu” e quando há uma ênfase grande neste signo, a tendência é a pessoa ser excessivamente egoísta, rude, demasiado direta, agressiva e briguenta, sem se importar com ninguém à sua volta. O arquétipo bruto é o guerreiro impetuoso, sedento de sangue, cego de fúria, que imprudente, perde muitas batalhas por mera pressa e impaciência. O signo oposto, Libra, oferece pistas sobre como lapidar o diamante bruto que é esse guerreiro cego. Libra é o signo do “Não-Eu”, do “Outro”. Em Libra o indivíduo descobre que não está sozinho e que precisa levar em conta os outros ao seu redor. Com o eixo Áries-Libra tão realçado, os relacionamentos tornam-se ponto focal da nossa atenção. O impaciente Guerreiro Ariano aprende a ponderar e a deliberar, a ter visão estratégica, a usar o charme e a eloqüência, ao invés de somente a força bruta.   Como diria a xamã Sheba Remy ao falar das presentes configurações “a marca do arquétipo evoluído de Áries é ação estratégica. Isso é particularmente relevante agora, que o regente de Áries, Marte, está retrógrado no signo oposto, Libra, o signo do pesar das decisões. Junte isso ao grande número de planetas em Peixes e a Saturno retrógrado e você tem uma receita que clama por espera e deliberação na ação versus o impulso para avançar de forma imprudente. Esta é uma combinação de energias potente, dolorosa e frustrante” (2).

francisco-de-goya-il-sonno-della-ragione-genera-mostri-1340367748_b
Francisco Goya – Reprodução

Potente, dolorosa e frustrante. Percebe-se uma grande incoerência aqui. Áries demanda iniciativa, ação e resolução e a T-Square enfatiza isso sobremaneira. Porém, Marte e Saturno Rx sugerem espera, paciência, diplomacia ao invés de ação impensada. O resultado é a aparente paralisia que toma conta de nós, alternada com uma agitação e inquietação compulsivas, o que pode aumentar a tensão, porque nos cobramos uma decisão que pode não estar pronta para ser tomada. As próximas semanas exigirão de nós muita calma, equilíbrio e presença de espírito, uma sintonia acurada com os desejos, o tempo e ritmo da alma e ao mesmo tempo com o ritmo acelerado do período em que vivemos que exige decisões, para ter clareza suficiente e saber a hora de esperar e a hora de avançar. Uma sintonia que nos ajude a diferenciar entre quando a espera é útil e estratégica ou quando é meramente covardia e negação da ação.

Igor Morski Open art
Igor Morski – Reprodução

Isso porque A Lua Nova de Áries inaugura de fato o grande período transformativo prometido pela T-Square Cardinal. A poderosa conjunção com Urano funciona como despertador. Acordamos para uma necessidade premente de liberdade de ser, de ação, de movimento, de escolha. Somos chamados a assumir com honestidade nossa singularidade, quem realmente somos e ao mesmo tempo a estar dispostos a abrir mão dos padrões e formas envelhecidos de ser e existir, em nome de uma identidade nova e mais autêntica, de um modo de viver mais genuíno. Com Júpiter-Urano-Plutão essa transformação não se restringe ao âmbito pessoal. Somos chamados também a ser agentes de transformação em nosso meio, no coletivo, agindo o tempo todo a partir do centro, de forma consciente e eficaz. É requerido que olhemos para as questões maiores, para além do nosso umbigo individual, para as questões de super exploração do planeta e desperdício de recursos, para o desequilíbrio de riquezas que grassa e que gera tanta injustiça social mundo afora, para a necessidade de troca nas hierarquias de poder, para a necessidade de renovação das estruturas sociais. É necessário que olhemos o caos que temos criado em nossa vida em nível micro e macro, porque a mudança ocorre nesses níveis também. E é bom lembrar que com Urano, a princípio teremos a impressão de que há ainda mais caos do que já havia, de que estamos chegando a lugar nenhum e a percepção generalizada é a de que tudo piora antes que comece a melhorar. Com Urano tão em evidência, é impossível prever como a energia vai se manifestar, porque Urano diz: “Espere o inesperado!”

Christian Schloet
Christian Scholoet – Reprodução

Estar centrados neste período é de suma importância para que saibamos que ações devem ser tomadas, quando e como devem ser tomadas, ou corremos o risco de agir ou reagir impulsivamente, compulsivamente, sem saber direito onde estamos indo ou o que e por que estamos fazendo. O pior que podemos fazer neste período é entrar no modo reativo. Principalmente porque o eclipse do dia 15, que representa o ápice deste ciclo, pertence a uma família de eclipses, cujo tema principal, segundo Bernardete Brady, é desperdício de energia. Com Urano-Plutão é muito importante ser honestos conosco mesmos, a respeito de onde e como empregamos nossa energia e esforço; a respeito de nossos desejos e ambições, frustrações, relacionamentos, trabalho, realizações e insatisfações nas áreas importantes da vida; onde há desequilíbrios e onde precisamos fazer ajustes. Porque então estaremos cientes do que precisa ser mudado e não precisaremos que um raio nos caia na cabeça para perceber isso. Mercúrio em Peixes é o elo e ponto médio entre Júpiter em Câncer e Saturno em Escorpião, o elo mediador entre a expansão proposta por Júpiter e a preservação requerida por Saturno. Em Peixes, nossa mente racional precisa descobrir maneiras indiretas e alternativas de percepção e raciocínio, analisando de forma mais criativa e imaginativa e não apenas na forma lógica e fria do “dois e dois são quatro”. É preciso analisar com compaixão e sentimento. Mercúrio sugere que usando a criatividade podemos achar um meio termo entre esses princípios aparentemente irreconciliáveis. O antropólogo William Ury fala da importância desse meio termo, desse terceiro lado. Um conflito sempre tem dois lados, com cada um tentando dobrar o outro e  levar a melhor. Como resolver o conflito? Como ir além da guerra? “O obstáculo não é o outro, mas nós mesmos. Nossa tendência humana é reagir, criando um ciclo infinito de reações, alimentando uma guerra sem fim. Alguém precisa escolher respirar, dar um passo para trás e se afastar um pouco. Eu chamo isso de ir até a varanda. Dessa forma você pode lembrar o que, de fato, é realmente importante para você nessa negociação. Essa é a sua melhor arma”(3), diz Ury. Ele diz que o terceiro lado é a empatia, aprender a ouvir o outro de verdade, saber quais são seus medos, suas preocupações, “e quando você escuta, abre espaço para ser escutado”. Com Marte retrógrado, mais do que nunca é preciso desenvolver essa arte da empatia, de se colocar no lugar do outro e, ao invés de encarar o outro como um inimigo que é a própria encarnação do mal (geralmente nos convecemos de que nós somos bons e o outro é mau, porque nos faz sentir melhor quando brigamos com ele), lembrar que ele é humano como a gente, buscando apenas levar uma vida melhor e não está necessariamente querendo nos “ferrar”. É essencial não levar tudo para o lado pessoal. Mercúrio em Peixes vem nos ajudar a ter essa visão mais empática, a olhar a contenda sob outro ângulo, a achar uma solução alternativa e mais criativa para o conflito aparentemente insolúvel.

Earth
Reprodução

 

Por fim, o regente de Marte em Libra, Vênus, está em Aquário, sugerindo que tenhamos sempre uma perspectiva universal, humanitária, global das coisas. Que percebamos o impacto de nossa ação (Marte) no todo, no grupo maior, no coletivo (Vênus em Aquário). Vênus está ainda em quadratura com Saturno, indicando que assumir a responsabilidade pela ação e pelo desejo é essencial para que saiamos mais crescidos, mais amadurecidos do processo, para que toda a dor e frustração tenham valido a pena.

Então, fiquemos atentos aos desejos de nossa alma e tenhamos a coragem, a iniciativa, a honestidade de olhar para a vida de frente e voluntariamente INICIAR as transformações necessárias em direção a uma vida nova.

ettore aldo vigo
Ettore Aldo – Reprodução

OBS 1: Sheba Remy finaliza seu insight lembrando que essas energias potentes e frustrantes  podem “se expressar através de dor de cabeça e no pescoço e problemas de visão” e diz que  “este é um ótimo período para sintonizar-se com o arquétipo mais evoluído ou mais elevado de Áries. E, se precisar de assistência, engaje-se na prática ‘shanti’, que o grande T. S. Eliot traduziu como ‘a paz que excede todo o entendimento”.

OBS 2: Pessoas com planetas entre os graus 4 e 14 dos signos cardinais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) sentem de forma mais intensa as energias desta Lua Nova e a área de vida mais afetada depende da casa em que a Lua Nova cai, assim como os planetas que toca.

OBS 3: Algumas  atividades são indicadas para manter-se centrado e tirar melhor proveito das energias potentes e transformadoras destas configurações:

– Exercícios de ancoragem/enraizamento e meditação;

– Respiração consciente que propicie ancoragem no aqui e agora, respiração que propicie recuar e ver   o problema sob outro ângulo;

–  Atividades físicas leves, que propiciem descargas da energia e da frustração;

– Caminhada – a caminhada é uma ótima forma de meditação ativa, porque permite uma análise com     movimento;

– Yoga e Tai-Chi-Chuan;

– Dançar, com o corpo e a alma; Dança Circular;

– Respeitar as horas de sono e a necessidade de descanso do corpo – precisamos estar inteiros e a falta       de descanso piora ainda mais a irritação – já viu como ficamos irritados quando não dormimos                direito?;

– Prestar atenção aos sonhos – eles podem trazer insights preciosos;

– Sincronia consigo mesmo – ouça sua intuição;

– Alimentação leve e natural;

– Evitar excessos, especialmente de álcool e drogas em geral;

– Ter senso de humor e, principalmente, perspectiva;

Uma leitora do blog, Taís Fonseca, também sugeriu a prática do Ho’Oponopono, uma antiga e    tradicional prática havaiana de perdão e reconciliação.

Lua Nova em Aries
Lua Nova em Áries, 30 de março, 14:44, Cuiabá-MT

(1) Frank Clifford – Getting to the Heart of Your Chart

(2) Sheba Remy Kharbanda – Xamã, Curadora Energética, Artista. Visite a página de Remy.

(3) William Ury, antropólogo, mediador de conflitos, negociador da paz e conferencista. Veja vídeo com ele. 

 

© 2014 by Maria Eunice Sousa – Todos os direitos reservados