Arquivo da tag: Marte

Lua Cheia em Escorpião – A maldição – ou a bênção – do Eterno Retorno

Reprodução

O ciclo de Touro chega ao seu ápice na Lua Cheia de amanhã, dia 10 de maio, que ocorre às 18h42min – 22h42min para Lisboa – , a 20°24’ de Escorpião. Esta é uma Lua Cheia de términos, visto que Escorpião fala de encerramentos de ciclos, para começarmos outros, o que nos dá um vislumbre da eternidade se descortinando diante de nós. É o tempo de trocar de pele, de eliminar energias antigas, limpar o coração de todas as toxinas, abrir-se à compaixão. Enquanto Touro constrói estabilidade, Escorpião a destrói, para que não caia na estagnação. Escorpião destrói tudo aquilo que ameaça impedi-lo de se desenvolver, de avançar para a próxima fase, mesmo que isso não seja necessariamente, um avanço positivo, mesmo que não seja um movimento de crescimento. Entre ficar estagnado ou piorar um pouco, é provável que opte pela segunda opção, se isso implicar movimento, liberação de alguma forma. Mas Escorpião, apesar de não se apegar a coisas e não se deixar possuir por elas, relaciona-se com a posse emocional e aqui há grande dificuldade de abrir mão, de soltar e liberar, mas uma vez que isso ocorra, é definitivo, para sempre. Pode demorar muito tempo até se atingir esse ponto, mas uma vez cruzado esse limiar, não há retorno!

Reprodução

Como sabemos, a Lua Cheia é um momento crítico, em que a energia atinge seu apogeu e todas as coisas que estavam se avolumando e se arrastando, atingem um ápice e são finalmente liberadas, boas ou ruins. Tensões que foram se acumulando atingem um ponto crítico e explodem e as coisas se resolvem, por bem ou por mal. Como Escorpião é o signo das emoções e sentimentos intenso e profundos, quando a Lua Cheia ocorre neste signo, esse ponto crítico fica intensificado.

Kali, a deusa que cria e destrói a vida – reprodução

A Lua Cheia de Escorpião anuncia um período de destruir tudo aquilo que nos prende e nos impede de dar o próximo passo: apegos a coisas, pessoas, regras; expectativas, medos, inseguranças; situações e coisas que representam segurança e estabilidade, mas das quais reclamamos e nos ressentimos, porque sabemos que tal segurança é fajuta, que usamos isso como desculpa para não fazer o que precisamos fazer, para não agir de acordo com nossa consciência – em resumo, aquilo com que o ego se identifica, mas que não é sua verdadeira essência. Há momentos e situações em que ir contra a maré e destruir algo torna-se muito positivo e pode ser o ato mais criativo e libertador que podemos cometer. Então destruição nem sempre é algo negativo – depende do quê, como e quando. O que é que você precisa destruir hoje?

Lua Cheia em Escorpião, Brasília, 10 de maio de 2017, 18h42min

No mapa desta lunação, a Lua está em sextil muito próximo a Plutão em Capricórnio e, claro, o Sol faz trígono a ele. Plutão é o deus da transformação, da morte, do renascimento, do Mundo Inferior e é o regente moderno de Escorpião. Ao receber aspectos harmoniosos dos dois luminares, sinaliza que estamos abertos, neste ciclo, a enfrentar algumas verdades, a lidar com elas, a nos desapegar e proceder com as mudanças necessárias. Conseguimos olhar para a nossa sombra sem nos chocar tanto com ela e conseguimos perceber o que precisa ser destruído, demolido, pulverizado. E mesmo que doa, destruímos, porque percebemos que de tal destruição, algo novo surgirá, possivelmente, quiçá, mais verdadeiro. A Lua também faz trígonos amplos a Netuno e a Quíron em Peixes – sete graus de orbe – e este trígono, na verdade, cai exatamente no Ponto Médio entre Netuno e Quíron. Além de potencializar a grande sensibilidade dos sentimentos Escorpiônicos, faz aflorar uma grande compaixão por nós mesmos e por aqueles todos com quem estamos envolvidos e, ao invés de raiva, ódio e vingança, queremos apenas nos livrar e liberar dos conteúdos densos, permitindo que sejam purgados e curados. O trígono ao Ponto Médio entre Netuno e Quíron possibilita a mediação, a integração das nossas aspirações e sonhos mais elevados e até os mais fantasiosos, com a percepção do que podemos e não podemos. Uma conciliação torna-se possível, talvez sem amargor e sem ranger de dentes – uma aceitação, quem sabe até resignação, mas ainda assim, algo que vem com sabedoria e serenidade e não precisa ficar apodrecendo dentro de nós e nos intoxicando de amargura. Vemos, reconhecemos e soltamos. E assim, liberamo-nos.

Reprodução

O regente tradicional da Lua, Marte, está em Gêmeos, em quadratura de menos de um grau a Netuno e em trígono a Júpiter, também bastante próximo. Por um lado, isso nos fala do risco de sonharmos alto demais, de sermos ingênuos e embarcarmos na nau das ilusões criadas por nós mesmos e depois nos desapontarmos tristemente – a mente e os nossos desejos podem nos enganar e iludir. Por outro, assinala uma imaginação poderosa, uma qualidade mágica e ainda a enorme capacidade para a abnegação, além do entusiasmo quase inocente das crianças. Felizmente, tal atitude pueril é compensada pela sagacidade da Lua em Escorpião e pela conjunção Mercúrio-Urano, de modo que talvez se consiga sintonizar mais fortemente com os aspectos mais positivos dessa quadratura Marte-Netuno. Se formos mais longe e considerarmos essa conjunção Mercúrio-Urano em Áries – já que Mercúrio rege Marte – veremos que essa lunação também traz uma energia de rebeldia, de subversão, de ser capaz de desagradar para ser fiel e leal a si mesmo e aos ditames da própria consciência. Mercúrio estando conjunto a Urano no dia da Lua cheia, é outro intensificador da energia, trazendo iluminações, mas também transtornos, imprevistos, desordem, caos. Então há um aumento da instabilidade, uma intensificação da “crise” representada pela Lua Cheia e isso pode se manifestar de várias maneiras, tanto em nível pessoal, quanto em termos coletivos. Na verdade, a Lua Cheia potencializa a conjunção Mercúrio-Urano e vice-versa.

Ouroboros, a serpente mítica que engole a própria cauda, representando a eternidade e os ciclos de morte e renascimento – Ficheiros do Google –
Reprodução

Mas a Lua Cheia de Escorpião também traz presente a ideia do eterno retorno, um conceito filosófico que nasce com o estoicismo e que propõe que a vida é uma constante repetição de si mesma e que o mundo se extingue para voltar a criar-se, um conceito que é bem ilustrado pela figura da Uroboros, a serpente mítica que engole a própria cauda, se extingue e voltar a renascer. É um símbolo da eternidade. Nietzsche discute o mesmo conceito em sua obra e nos provoca se rangeríamos os dentes e amaldiçoaríamos o demônio que sussurrasse tal ideia da recorrência no nosso ouvido, ou se ficaríamos felizes e o bendiríamos, diante da ideia da eterna repetição? O eterno retorno nos fala dos ciclos repetitivos da vida, algo que Escorpião entende bem. Mas será que a repetição é sempre igual? Será que seguimos em movimento circular, repetitivo, quase instintivo? Não seria esse movimento espiral, alterando algo sutilmente, a cada novo girar da moenda? E estamos sujeitos a tal repetição, feito cordeiros sem vontade, ou na verdade, contribuímos e ansiamos por ela? Será a repetição uma maldição ou uma bênção? Não pretendo esgotar esse assunto aqui, até porque não o domino, a ideia é apenas provocar, porque são temas pertinentes a Escorpião e a essa Lua Cheia e porque sempre vale nos perguntar por que somos tão repetitivos, mesmo quando buscamos ser originais. A Lua Cheia, pois, convida a quebrar – ou pelo menos tentar – a repetição, a destruir a roda que nos prende a essa moenda, a esse moinho, que sempre nos joga na cara aquilo que achamos que já havíamos superado.

Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 21 de Escorpião diz o seguinte: “obedecendo à sua consciência, um soldado resiste às ordens que recebe”. Aqui há um conflito claro entre obedecer e atender às expectativas sociais, às regras e leis e seguir a própria consciência, arcando com as consequências por tal desobediência. Quando o meio social e suas regras tornam-se poderosos por demais, diz Rudhyar, “o indivíduo não precisa se sentir atado espiritualmente, nem mesmo aprisionado. Ele ainda pode demonstrar sua liberdade interior e provar-se um ‘indivíduo’” e não apenas um seguidor cego de ordens absurdas e alheias ao seu coração. Essa é uma verdade de Escorpião, que geralmente está disposto a pagar o preço por suas escolhas impopulares, por não seguir a manada, nem fazer questão de ser aceito e aprovado. Aqui há o conflito entre os códigos morais exteriores e os nossos valores pessoais – às vezes é preciso transgredir, quebrar as regras, mesmo que arquemos com consequências duras. Linda Hill, outra estudiosa dos Símbolos Sabianos, nos lembra que “há uma escolha difícil entre nossa lealdade a um relacionamento, a um trabalho, um país, etc. e nossas crenças internas, nossa verdade interior e nossas ambições pessoais. Liberdade verdadeira só pode ser encontrada dentro, quando se confronta essas situações com um senso de integridade e um completo entendimento das consequências possíveis”. Nem tudo o que é legal, é necessariamente correto e temos visto bastante disso recentemente. E por mais que muitas vezes nossas escolhas nos coloquem em colisão com forças maiores do que nós, sejam essas forças mundanas ou de outra esfera, ainda precisamos ser capazes de ser leais a nós mesmos, o que quer que isso signifique. E longe de nos sentir desajustados, talvez isso reflita um desvio salutar da norma, porque, como diz Krishnamurti “não é um sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade profundamente doente”. Então, a Lua Cheia sugere destruir o que nos prende e nos ata, quebrar as regras distorcidas, as normas que não promovem a vida, mas apenas fazem cumprir ordens sem sentido e que vão contra aquilo que acreditamos, aquilo que nossa consciência diz. E há um preço a pagar. Sempre há. Mas, como diz um outro pensador, Kipling, “nunca é alto demais o preço a pagar pelo privilégio de se pertencer a si mesmo”, e de escolher a própria integridade interior, mesmo que isso também seja parte do eterno retorno e da ilusão da novidade. E é por isso que Escorpião briga e paga o preço!

Reprodução

Para além de tudo isso, essa Lua Cheia também nos faz sentir profundamente conectados com a rede da vida, em toda a sua poderosa manifestação e percebemos que, mesmo em situações de conflito e de morte aparente, a vida segue seu ciclo, ela é mudança constante, ela pulsa, viceja, modifica-se, muda de corpo, de invólucro, mas continua a pulsar, em nós, no outro, no mundo à nossa volta. Talvez sejamos apenas efêmeros demais para perceber as mudanças reais, porque, o que é uma vida humana diante da eternidade? Essa percepção pode nos revigorar e nos dar uma nova perspectiva sobre as coisas, os erros, as “perdas”, aquilo de que precisamos abrir mão, nos desfazer, para viajarmos mais leves, menos enferrujados, menos pesarosos e defensivos, menos apegados ao controle dos resultados. E aquilo que deixamos para trás, as cascas e peles antigas, vão virar adubo, irão se transformar, no eterno ciclo do vir a ser.

Numa nota mais pontual, o Ascendente do mapa levantado para Brasília é Sagitário, que é regido por Júpiter, que está retrógrado em Libra, na casa 11, em quadratura a Plutão e quincúncio quase exato a Netuno. Júpiter segue como carro chefe da locomotiva, como tem estado há vários meses. Isso tudo repete um pouco o tema do entusiasmo pueril, visto que Júpiter está retrógrado e em tensão a Netuno. Parte de nós simplesmente não quer ver, não quer enxergar a verdade, os dissabores, as tristezas e desalentos e prefere continuar a se enganar. Olhando para a situação do Brasil, Júpiter faz quadratura a Plutão retrógrado e talvez alguns movimentos na esfera social e das instituições públicas levem a mais perdas, concretas, materiais e também no senso de autoestima do povo. Netuno está na 4 – somos feitos de bobo dentro de casa, pelos nossos, como tem ocorrido há séculos! Mais do mesmo! Se se considera o mapa do Brasil que tem Aquário Ascendente, a Lua Cheia ativa o MC; se se considera o mapa que tem Peixes como Ascendente, o Ascendente desta lunação para Brasília, também vai ativar o MC do mapa natal. De um jeito ou de outro, essa lunação mexe bastante com figuras de autoridade e com a imagem do Brasil, com o rumo do país.

OBS: A Lua fica Cheia numa condição chamada “Wobble”. Nunca estudei isso a fundo, mas como já me perguntaram, isso é um termo astronômico, que representa uma oscilação, uma instabilidade, quando parece que a Lua “dança” da esquerda para a direita, parecendo “bambolear”. Esses períodos de Lua Wobble, de acordo com alguns estudiosos,estão relacionados com catástrofes, começos e fins de guerras, conflitos e situações fora de controle. Mas antes de se desesperar, saiba que a Lua entra nessa condição cerca de três ou quatro vezes por ano, então, não é nada tão raro assim!

Travis Bedel – Reprodução

Uma ótima Lua cheia para você! quebre as regras distorcidas, destrua aquilo que não gera mais vida, que perdeu o viço e apodreceu e já não alimenta, nem entusiasma! Ou se renova, ou será destruído!

Ouroboros, a serpente mítica que engole a própria cauda, representando a eternidade e os ciclos de morte e renascimento – Ficheiros do Google –
Reprodução

 

Lua Nova em Áries – Semeando Independência e Autonomia

Reprodução

A Lua se renova a 07°37’ de Áries nesta segunda, dia 27 de março, às 23h57min no horário de Brasilia – 04h57min do dia 28 de março para Lisboa. Áries é o primeiro signo do Zodíaco, é o Fogo Cardinal, da iniciativa impetuosa e pioneira, assim, a primeira Lua Nova do Ano Astrológico sinaliza um tempo de novos começos e darmos o pontapé inicial em projetos frescos, inéditos e pioneiros. Sinaliza uma forte energia de lançar sementes e intenções pioneiras, de nos sintonizarmos com a audácia e a coragem mais puras dentro de nós. Áries traz presente a energia do parto, a luta de vida ou morte, da mãe para dar à luz, e da criança para nascer. Por mais confortável que seja o útero, ela tem que sair de lá e abrir um novo caminho, e ousar avançar para a nova etapa do seu processo de desenvolvimento, senão, morrerá. Então, Áries nos convida a nascer de novo, a recomeçar, a sacudir a poeira, as teias de aranha que foram se acumulando durante a hibernação Pisciana e dar o grito estridente do bebê que respira sozinho pela primeira vez. Podemos nos alinhar com a experiência arquetípica dessa primeira vez, dessa primeira respiração e começar. De novo.

“Seres humanos não nascem de uma vez por todas no dia em que suas mães lhes dão à luz… A vida os obriga de novo e de novo a parirem novamente a si mesmos”                                                                  Gabriel García Márquez 

Lua Nova em Áries – Brasília, 27 de março de 2017, 23h57min.

Essa lunação acontece em conjunção a Vênus retrógrada e este é o único aspecto próximo. Há uma quadratura de quase dez graus a Saturno, mas como é separativa (já aconteceu), já não a consideramos. Isso joga uma ênfase grande sobre os temas da retrogradação de Vênus por Áries, particularmente porque Vênus está em recepção mútua com Marte, regente da Lua Nova – a recepção mútua acontece quando dois planetas ocupam signos regidos um pelo outro, exemplo, Vênus trafega Áries que é regido por Marte, que está em Touro que é regido por Vênus. Na recepção mútua os dois planetas estão numa dança cooperativa e neste caso, isso diminui um pouco os efeitos “negativos” do detrimento/queda dos posicionamentos – no caso, Vênus está em detrimento em Áries.

Reprodução

O ciclo de retrogradação de Vênus é o mais especial e raro de todos e tem uma simbologia e psicologia peculiares, como já falei em outros artigos. Em Áries Vênus está em detrimento exatamente porque a natureza deste planeta é gregária, é diplomática, é de construir relações e de negociar, mas em Áries, Vênus prima pela independência, pela autonomia e não irá comprometer estes valores facilmente em função de ser parte de um casal, de estar num relacionamento. Quando retrógrada neste signo, sinaliza exatamente a necessidade de nos voltarmos para nós mesmos, de sermos mais independentes, corajosos e pioneiros nas nossas buscas pessoais; de cuidarmos primeiro de nós, antes de nos voltarmos para outros.

Reprodução

A Lua Nova vem enfatizar isso mais um pouco, como se não tivéssemos escapatória, como se tivéssemos que lidar com isso, queiramos ou não. Essa Lua Nova nos convida a ousar ser nós mesmos, ser exatamente o que nós somos, sem desculpas e sem receios; a brigar pelos nossos valores, a nos colocar em primeiro lugar, antes de ir atrás de outros. Para amar a um outro completa e genuinamente, precisamos amar visceral e integralmente a nós mesmos, com todas as nossas dificuldades, como nosso lado mais nobre e também com as facetas mais sombrias de nós mesmos. Enquanto não tivermos esse auto amor forte e maduro, ainda não estaremos aptos a amar a um outro verdadeiramente, porque estaremos incompletos e buscando no outro preenchimento para os buracos emocionais, que só nós mesmos podemos preencher… Então, é tempo de dizer, verdadeiramente: EU ME AMO!

Reprodução

O destaque para esse tema da independência é amplificado e repetido diversas vezes. Primeiro pela supremacia do elemento Fogo nesta lunação; ao todo temos quatro planetas em fogo, além dos luminares, Sol e Lua, totalizando seis corpos celestes neste elemento – o destaque é o grande stelium em Áries: Vênus, Sol, Lua, Urano e Mercúrio. Isso também sugere a possibilidade de estarmos muito afoitos, impulsivos e, portanto, precisamos ter ponderação antes de correr certos riscos. Para isso, a posição de Marte em Touro, longe de ser problema, vem ser algo positivo, porque traz exatamente essa ponderação, essa deliberação que a afoiteza de Áries precisa ter para não dar cabeçadas à toa. Mais, Marte está em aspecto positivo com Netuno em Peixes, aspecto exato hoje, o que traz grande empatia e sensibilidade e também ajuda a moderar o famoso “egoísmo” Ariano. Marte também faz trígono amplo a Plutão, que ajuda a equilibrar a placidez de Touro, porque adiciona estamina e vigor, fortalecendo a vontade e a determinação. Marte ainda faz uma sesqui-quadratura a Saturno que, ao mesmo tempo que pode significar inseguranças inconscientes, também pode trazer disciplina e a capacidade de usarmos nossa força e talentos de maneira sábia. O aspecto a Saturno alerta que nosso pior inimigo pode ser nós mesmos e que precisamos ficar atentos ao sabotador interno.

Reprodução

Mas um dado que salienta muito o tema da independência, liberdade e autonomia, é o destaque que Urano tem neste mapa. Vênus está em paralelo a ele, com distância de quatro minutos, por declinação. O aspecto paralelo funciona de forma semelhante a uma conjunção, o que torna a Vênus retrógrada Ariana mais destemida, audaz, autônoma, insubmissa e livre. Urano também está destacado de outras formas, porque está no Ponto Médio entre o Sol e a Lua Nova e Marte, seu regente, Marte, sugerindo novamente a necessidade de sermos independentes e livres, mas também sermos inovadores, criativos e progressistas em nossos objetivos e novos propósitos. Negativamente, esse aspecto indica irritação, raivas que irrompem abruptamente, tendência à precipitação e atitudes impulsivas e imaturas, requerendo de nós muito pé no chão e centramento para não deixarmos que tais influências nos tirem do nosso eixo. Especialmente para as mulheres, indica experiências abruptas que podem significar mudanças radicais no comportamento e na vida emocional. E, claro, Se Sol e Lua estão conjuntos a Vênus, Urano também está no Ponto Médio entre Vênus e Marte, só que num orbe bem mais apertado, de apenas 22 minutos. Para Ebertin, Urano = Vênus/Marte (Urano no Ponto Médio de Vênus e Marte), indica “desejo apaixonado expressão excessiva de amor. Um despertar repentino de paixão física, uma força irresistível de desejo e talvez até agressão sexual”. (1). A meu ver, essa posição de Urano, além de sugerir essa paixão intensa, como diz Ebertin, também sugere a necessidade de preservarmos nossa individualidade e autonomia, se for para tal paixão prosperar, do contrário, aquilo que nos unia pode nos separar depois, como é típico das paixões significadas por Urano. Mas em termos mais gerais, como disse antes, creio que enfatiza duas necessidades: primeiro a de independência emocional e segundo, a de arrojo e originalidade.

Reprodução

Mercúrio, por sua vez, também está conjunto a Urano e ainda na configuração de T-Square entre Júpiter-Urano-Plutão, movimentando e mudando pensamentos, opiniões e crenças. Se está conjunto a Urano, obviamente, também está no Ponto Médio entre A Lua Nova/Sol e seu regente Marte, só que muito mais próximo, simbolizando a necessidade de pensar muito antes de lançarmos nossas iniciativas, mas também sugerindo disposição para a ação, a capacidade de planejar, o lutador estratégico e a possibilidade de alinharmos propósitos, necessidades e a nossa ação executiva através do planejamento lúcido e estratégico. Mercúrio nesta posição ajuda, de certa forma, contrabalançar o fato de termos pouco Ar ativado nessa lunação, sendo Júpiter singleton neste elemento. Isso, aliás, dá grande destaque a Júpiter, que também puxa a Locomotiva que é esse mapa. Assim, Júpiter nos diz que precisamos ser otimistas, a despeito dos cenários difíceis. Otimistas cautelosos e ponderados, é claro, uma vez que Júpiter está retrógrado e que a Lua está também em quadratura ao Ponto Médio entre Júpiter e Quíron, ou seja, precisa ser um otimismo que leva em conta as limitações e as impossibilidades, mas não se deixa abater por elas. Marte, aliás, também faz quadratura ao Ponto Médio entre Saturno e Quíron e aqui há o risco de sucumbirmos diante dessas limitações e do peso de fracassos anteriores, de nos paralisarmos pelo medo de vermos reabertas antigas feridas, de modo que Júpiter ganha ainda mais importância. E Vênus, que está tão destacada, também está no Ponto Médio entre Urano e Netuno, sugerindo alta sensibilidade e um tipo muito peculiar e específico de amor, de acordo com Ebertin (1). Visto que Vênus está retrógrada em Áries, eu diria que esse tipo peculiar de amor é o amor a si mesmo, não o narcisismo – que aliás, nem é amor realmente – mas o amor genuíno de quem se entende e se aceita como é, e se defende e respeita, se gosta, se admira, a despeito de todas as imperfeições. Vamos repetir, como mantra: EU ME AMO!

DailyMail – reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 8 de Áries (07°37’) traz uma imagem interessante e feminina: “Um grande chapéu de mulher, com flâmulas, soprado pelo vento leste”. Este símbolo também nos reporta à atual posição de Vênus: é um símbolo que traz uma imagem feminina, mas usando um chapéu, um adereço tipicamente Ariano, visto que é usado para proteger a cabeça, contra o Sol, chuva ou frio, cabeça que é regida por Áries, signo masculino. Este símbolo pertence ao primeiro hemiciclo, que trata do processo de individualização, e também pertence ao que Dane Rudhyar (2) chama de Ato de Diferenciação, no nível da ação. Ele, ao analisar este símbolo nos lembra que “neste nível cultural-emocional, os processos mentais ainda estão subdesenvolvidos” – alô Mercúrio, olha a importância do pequeno aqui! – “assim, eles precisam de proteção contra as forças elementais da vida”. Rudhyar continua: “uma abertura grande demais a essas energias oferece o risco de alguma obsessão. A imagem simbólica sugere um vento muito forte, sobrenatural e, especialmente, forças psíquicas. Tal vento é originário no Leste tradicionalmente visto como o local das influências criativo-transformadoras de espiritualização. As flâmulas do chapéu indicam tanto a reação ao vento como também sua origem. Em outras palavras, o símbolo sugere um estágio de desenvolvimento da consciência no qual os poderes nascentes da mente são protegidos, ao mesmo tempo em que são influenciados pelas energias de origem espiritual. Isso também indica um estágio probatório no processo de individualização. Sob uma orientação protetora uma pessoa ainda muito receptiva (uma mulher) é influenciada por uma força espiritual. Esse símbolo propõe ainda resultados sequenciais que requerem proteção e sensibilidade”. O tom do símbolo é a “proteção e orientação espiritual no desenvolvimento da consciência”. Assim, a Lua Nova ocorrendo neste grau, que tem este símbolo, nos sugere um ciclo e um momento de grandes potenciais de desenvolvimento do processo de individuação e de termos acesso a informações privilegiadas, que podem tanto vir do alto, quando de dentro de nós mesmos, se nos sintonizarmos com nossos mentores e guias espirituais, informações que podem iluminar e propiciar nosso crescimento e maturação.

Reprodução

Concluindo, a Lua Nova inaugura um tempo de lançarmos novas sementes e intenções, não somente para o ciclo lunar, mas para todo o ano e até mesmo para a vida; de desbravarmos novos territórios, de nos colocarmos na vanguarda da nossa própria vida, ao invés de esperarmos passivamente que as coisas se resolvam para nós e, para isso, precisamos ter clareza de propósitos e determinação constante, porque, como diz Sêneca, “nossos planos são abortados porque não temos uma intenção clara. Quando você não sabe para que porto está indo, nenhum vento será o vento certo”. É um convite a nos tornarmos mais independentes e autônomos, a fortalecermos nossa autoestima e o amor próprio, a confiarmos na nossa própria luz e orientação interna, porque só assim teremos segurança e confiança para buscarmos relações mais saudáveis, porque estaremos inteiros em nós mesmos, buscando um outro também inteiro. Inteiro não significa perfeito, mas completo, característica da pessoa que se conhece profundamente e se aceita no que tem de melhor e de pior, porque o inteiro supõe a integração do negativo e positivo, da sombra e da luz. Semeemos pois, essas novas intenções e projetos, com autonomia, independência, audácia, arrojo e inovação! Devemos isso a nós mesmos, a ninguém mais!

Uma ótima Lua Nova de Áries e um ótimo ciclo para você!

Reprodução

(1) Reinhold Ebertin – The Combination of Stellar Influences – AFA

(2) An Astrological Mandala – Dane Rudhyar

A Semana Astrológica – De Cabeça Quente!

Semana de 20 a 26 de março – Semana de muitas tensões, impaciência e irritação, mas também de reformas na nossa forma de pensar o mundo. O período é propício para avaliações, finalizações, eliminações e limpezas, como simbolizado pelo Quarto Minguante

O ponto alto da semana é o Ano Novo Astrológico acontecendo na segunda-feira, seguido pela oficialização do quarto Minguante, ocorrendo na quadratura Capricórnio-Áries. O mapa de ingressão traz uma forte energia Ariana colocada na casa 12, a casa da subversão e das coisas ocultas… Urano está em Áries no Ascendente e, junto com outros indicadores, sugere um ano revolucionário. Contudo, marte, regente do Ascendente e de todos esses planetas Arianos está em touro, sem aspectos… Essa revolução deve acontecer a passo de tartaruga, de forma meio preguiçosa, meio na marra, talvez porque fiquemos com medo de perder algumas “comodidades”. Urano em Áries, contudo, sempre sugere que a mais importante revolução de todas, a principal e fundamental, é a revolução individual – é no indivíduo e a partir do indivíduo que a revolução pode realmente acontecer – principalmente porque urano e Marte estão na casa 1. Sobre o mapa de ingressão e o que isso simboliza para o ano, você pode ler no artigo sobre 2017.

Reprodução

Nesta semana também temos a Conjunção Inferior de Vênus retrógrada com o Sol. Vênus fica Cazimi (conjunção de até 17 minutos aplicando e depois se separando do Sol) de 02h59min até 11h39min do sábado, 25. A Conjunção Inferior é o ponto alto do ciclo de retrogradação e marca a grande transição de Vênus de Estrela Vespertina para Estrela Matutina, além da mudança psicológica principal na disposição do planeta – se antes ela estava à frente do sol, faceira e formosa, charmosa e diplomática, agora ela vai para a retaguarda e torna-se agressiva, independente e libertária no seu modo de expressão.

Reprodução

Mercúrio atualmente trafega Áries, na fase Epimeteu, que começou na última conjunção superior ao sol, no dia sete de março. Esta é uma fase de colher resultados das novas ideias adicionadas após a última retrogradação, ocorrida em janeiro. Daqui a pouco Mercúrio ficará retrógrado novamente, iniciando um novo ciclo e entrando na fase Prometeu, a fase de plantar novas ideias e conceitos. Ele está particularmente ativo por estes dias, agitando a T-Square Cardinal Júpiter-Urano-Plutão. Mercúrio faz quadratura a Plutão, oposição a Júpiter e conjunção a Urano, movimentando ainda mais a mídia e os meios de comunicação, trazendo notícias bombásticas e botando fogo no poder. As interações em geral ficam propensas a muita tensão e discussões acaloradas, porque todos estão de “cabeça quente” e com a língua solta e letal. A mente também está rápida e letal e aí está o problema: tudo é rápido demais e tendemos a tirar conclusões precipitadas e a falar sem pensar direito nas consequências. O tráfego nas estradas, rodovias e mesmo nas cidades fica sujeito a contratempos, imprevistos e há maior propensão a acidentes, portanto, cautela! Em termos mais simbólicos, como mercúrio representa a mente e as ideias, ao fazer contatos tensos a Júpiter, Urano e Plutão, sugere um período de revolucionar nossos conceitos, de transformar nossas ideias e interações e de alargar nossos horizontes e visões, que talvez tenham ficado novamente muito estreitos e previsíveis. De toda forma, ter Mercúrio espremido nesta configuração tensa na semana em que se vota a terceirização do trabalho e a Reforma da Previdência, não é muito animador!

Marte se aproxima de um aspecto harmonioso a Netuno, exato na semana que vem – o que pode deixa-lo mais sensível, mas ao mesmo tempo mais hesitante. Júpiter também já está muito próximo da segunda quadratura a Plutão, exata no dia 30 de março.

Reprodução

A Lua começa a semana na fase Disseminadora em Sagitário, mas entra na fase Minguante a partir de Capricórnio na segunda-feira, horas depois de o Sol entrar em Áries. Fica Balsâmica em Aquário e fecha a semana já em Peixes. Será Nova no dia 28 de março a 07° de Áries.

SEGUNDA-FEIRA, 20 de março – O Sol ingressa em Áries às 07h28min (10h28min em Lisboa), inaugurando o novo ciclo anual e marcando o Equinócio do Outono no Hemisfério Sul e da Primavera no Hemisfério Norte. Em Sagitário a Lua faz conjunção a Saturno e fica fora de curso logo depois, às 07h38min, apenas 10 minutos depois da ingressão do Sol – quase que a ingressão se dava com a Lua fora de curso!!! A Lua ingressa em Capricórnio às 12h31min e oficializa o Quarto Minguante às 12h57min. Fecha a noite em trígono não exato a Marte em Touro. A segunda-feira começa a todo vapor, com Equinócio de Outono e virada de ciclo! Mas é muito interessante que a Lua faça conjunção a Saturno poucos minutos depois da ingressão ao Sol, sugerindo que esse ano/ciclo já começa com um brutal confronto com a realidade. Confronto que estaremos digerindo por toda a manhã, com a Lua vazia depois dessa conjunção a Saturno, até que a Lua entre em Capricórnio, signo das realidades duras e secas, o que potencializa esse confronto e as qualidades Saturninas. Algo bem adequado para este ciclo anual e o outro mais longo de 36 anos que começa hoje, regidos por Saturno. Nada é por acaso ou por coincidência e a Lua dá o tom e o alerta. Mas ser realista e responsável não quer dizer ser cínico e pessimista! E isso nos leva a um paradoxo interessante, porque logo depois de virarmos o ciclo e o ano astrológico, a Lua entra na fase Minguante, a fase dos términos, a partir de Capricórnio. Por um lado, é um novo começo, é a alvorada de um novo tempo, de novas oportunidades de fazermos tudo diferente, de chances de construirmos algo fresco e inédito. Mas a Lua Minguante em Capricórnio nos alerta que não adianta nada começarmos o ano novo com atitudes velhas e rígidas; que precisamos abrir mão dos ceticismos, do mau humor crônico, da falta de fé, da rigidez de postura, do apego ao poder, às aparências e ao status, colocados acima de outros valores de maior consistência. O velho (Capricórnio) precisa abrir mão da falta de fé e do pessimismo e confiar na ousadia e na audácia do novo, da juventude (Áries); o poder precisa ser passado adiante para se renovar e se abastecer de nova energia e novo entusiasmo. A Lua minguante na quadratura Capricórnio-Áries, simboliza que, a despeito desse enfrentamento das duras realidades, não podemos perder a fé no novo, na energia da renovação, nos recomeços, mesmo que tudo pareça uma terra devastada e estéril, mesmo que a esperança seja duvidosa… Vale esperançar e lutar por dias melhores, por uma vida melhor, por um EU melhor… O novo não se faz sozinho, é co-criado, co-construído, e mesmo quando o novo vem à nossa revelia, patrola àqueles que não se adaptarem e não se adequarem! Detalhe: a Lua fica minguante nessa quadratura Capricórnio-Áries DUAS VEZES seguidas, a primeira nesta segunda, no grau zero e no minguante do próximo ciclo lunar, no grau 29, no dia 19/04 – o primeiro e o último graus de Áries-Capricórnio, dois graus críticos – quer maior ênfase do que isso sobre esses temas? Este é um ano de levante, de virarmos a mesa, tanto pessoal, quanto coletivamente – se conseguirmos vencer nossa letargia, nosso comodismo, nosso medo de perder confortos e “privilégios” (Marte em Touro). Sobretudo, não podemos duvidar de nós mesmos, de nossa capacidade individual de mudar e dar o primeiro, o segundo e quantos passos forem necessários. Mas essa quadratura Capricórnio-Áries e a Lua também alertam: é preciso se responsabilizar, porque nada acontecerá sem nos envolvermos diretamente, sem nossa participação pessoal no social e no coletivo! E Ano Novo é dia de celebrar, de dar graças, de lançar intenções! Quais são seus motivos para agradecer (todos temos muitos, a despeito das atuais vicissitudes)? O que você tem a celebrar e a esperançar? Quais são suas intenções? Bem vindo, ano Novo! Que tenhamos nós a coragem e a ousadia de ser novos também! OBS: Para ver o texto completo sobre a Ingressão do Sol, leia o artigo sobre 2017.

Sandra yagi – reprodução

TERÇA-FEIRA, 21 de março – De Capricórnio a Lua faz trígono a Marte em Touro e depois sextil a Netuno. Também faz quadratura a Vênus e a Mercúrio em Áries e fecha o dia em conjunção próxima a Plutão. Um novo ano e ciclo começaram e nós começamos o dia arregaçando as mangas e dispostos a resolver pendências, finalizar processos e zerar situações. Há uma boa dose de disciplina e perseverança, além do senso de responsabilidade e dever. Contudo, há também alguns conflitos internos que podem reverberar nas interações: algumas divergências entre as ideias e os instintos ou intuições; e o senso de dever e disciplina pode ser desafiado pelo anseio por independência e soltura… a mente está rebelde e indócil e ameça botar tudo abaixo… conflitos que podem ser vivenciados através das relações, pessoais ou profissionais, onde a divergência de opiniões e de ideias pode levar a contendas sérias, caso não se priorize o diálogo maduro e desapaixonado – coisa difícil com esse Mercúrio incendiário atual! Os humores estão ácidos, mordazes e antes de deixar rolar a granada e mandar tudo pelos ares, vale respirar fundo, contar até 100 e refletir sobre o que está em jogo. Às vezes é necessário nos posicionarmos com firmeza, ser honestos e dizer o que tem que ser dito, mas isso não quer dizer que temos que implodir tudo no processo, destruir o outro com palavras que aniquilam ao invés de esclarecer problemas e melhorar as trocas humanas – a não ser que seja para voltarmos à era dos trogloditas! O dia pede ponderação, tolerância e serenidade para olharmos para dentro e nos perguntarmos o que outro está carregando que é nosso e que nos enraivece ou incomoda tanto. Um pouco de humildade também se faz essencial para nos lembrarmos que a despeito de termos a nós mesmos em alta conta, não sabemos tudo e nem estamos sempre “certos” e ainda, duas ou mais pessoas podem discordar e todas estarem certas, a seu modo. Às vezes tudo é uma questão de ponto de vista, do ângulo a partir do qual se olha uma determinada situação.Em tempos irrefletidos e tempestuosos como estes, antes de acender o estopim que detona tudo, vale acalmar a mente e o coração, por alguns minutos, com o mantra do Ho’oponopono. Sempre que nos depararmos com situações desafiadores que ameaçam nos tirar do eixo, especialmente quando envolver a outras pessoas (sempre), lembrar que, se a vida nos trouxe tal situação, é porque estamos diretamente envolvidos naquilo, mesmo que não queiramos admitir. Responsabilizar-se é o primeiro passo para lidar com o problema de forma efetiva. Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grata/o.

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 22 de março – A T-Square Júpiter-Urano-Plutão está super ativada hoje: Mercúrio está em quadratura a Plutão e como a Lua está conjunta a Plutão, também faz quadratura a Mercúrio. A Lua ainda faz quadraturas a Júpiter em Libra e a Urano em Áries, ficando vazia depois do aspecto tenso a Urano, às 10h22min. Depois disso ainda se afina com Quíron, mas só ingressa em Aquário às 23h29min. A mente hoje está tal qual um ringue de luta livre – ou, porque não dizer, MMA! – e como tal, ficam também a comunicação em geral e as interações. Todo mundo esquentado e de língua cheia de farpas, cortante – vale ficar atento para não não cravar os dentes na própria língua, na pressa de “vencer” o outro no discurso! Pressa é o que mais temos na mente e na fala e é a pressa que pode botar tudo a perder, inclusive relações, parcerias, negociações, e por aí afora. A afobação é inimiga da verdade e da justiça, portanto, antes de julgar, esbravejar, criticar, “quebrar o pau”, seria melhor esperar um pouco, acalmar essa mente piromaníaca e averiguar todos os fatos, aguardar que a história seja completamente revelada. Lá na frente podemos nos surpreender ao descobrir que o ‘mocinho” pode virar vilão e os vilões se revelam os justiceiros, talvez – não, não é novela, é a vida mesmo! Esta semana demanda cautela nas falas e nos silêncios. Na dúvida, é melhor calar do que ter que engolir as próprias palavras depois ou pior, pagar um preço alto – que em alguns casos pode até ser monetário – por não ter conseguido manter a língua dentro da boca antes de saber de todas as informações – vale também para tudo o que compartilhamos e divulgamos em redes sociais. Mercúrio em Áries costuma ser precipitado – a mente ferve e borbulha os pensamentos para fora em forma de impropérios, conclusões impulsivas das quais podemos nos arrepender depois. Estando em contato com Júpiter-Urano, essa precipitação fica potencializada. Para além desses “efeitos” externos nas interações, esse Mercúrio requer que passemos a limpo novamente as ideias envelhecidas para ver se ainda servem para alguma coisa. Confrontar os resultados que colhemos agora com as expectativas que tínhamos muitas semanas atrás, confrontar as novas e frescas ideias com os conceitos com os quais estamos identificados. Em termos práticos, o dia começa fervendo de atividades, trabalho, problemas e conflitos, mas pelo meio da manhã as coisas podem ficar meio travadas e sujeitas a muitos imprevistos e guinadas radicais nos acontecimentos, que podem nos enervar e nos tirar do eixo, caso não tenhamos flexibilidade e não estejamos abertos à improvisação. A Lua fica vazia praticamente o dia todo, depois de contato tenso a Urano sugerindo esses contratempos, irritação, situações críticas e completamente inesperadas e o mínimo que podemos fazer para não pirar com a falta de controle e abrir mão do dito cujo e fluir com os acontecimentos, para variar. Aproveitar as horas vazias para resolver pendências, desengavetar coisas inacabadas, fazer uma limpezar báscia nos papeis e organizar tarefas, agenda, compromissos, reavalaiar prazos e compromissos.

Plácido – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 23 de março – Mercúrio está em quadratura exata a Plutão. De Aquário a Lua se harmoniza com o Sol e Vênus em Áries, mas briga feio com Marte em Touro.  A noite traz uma trégua pelo sono e os sonhos nos permitem acalmar o coração e talvez tragam mensagens. Durante o dia o clima esquenta novamente: sentimentos e sensações estão em contradição profunda com a vontade e isso talvez até se manifeste em indisposição, dores de cabeça, irritação… irritação, aliás, é o prato principal do dia, como sugerem essas várias influências. Há muita inflexibilidade e teimosia no ar e nos encastelamos em nossas opiniões e posições, preparando-nos para o cabo de guerra, detratando aqueles que agem, se comportam ou pensam diferentemente de nós – ou sentimos isso na via contrária. Intolerância, impaciência, temperamento explosivo também não ajudam e talvez tentemos impor nossas ideias e visões sobre outros a qualquer custo, sem nos questionarmos sequer se o outro se importa com o assunto em questão. Por outro lado, talvez sejamos nós que nos sentimos amordaçados ou coagidos a tomar um determinado rumo que não tomaríamos de outra forma. Predomina um clima de crise iminente, que pode escalar de forma desproporcional ao tamanho dos acontecimentos reais ou à importância dos fatos e isso nos deixa ansiosos, nervosos, como um fio desencapado dando choques a torto e a direito e, como se não bastasse, talvez tenhamos pensamentos obsessivos, medos irracionais ou paranoias infundadas. Em primeiro lugar, vale voltar-se para dentro e buscar centramento. Se não estamos nesse clima, não há porquê embarcar na onda da ansiedade de outros; segundo, se de fato nos sentimos irritados, destemperados e a ponto de “chutar o pau da barraca” verbal ou até fisicamente, antes de qualquer ação precipitada, podemos antes nos afastar do ponto zero do conflito e ir lá fora respirar outros ares, acalmar a cabeça, distanciar-nos temporariamente para nos desapegar das nossas opiniões e não levar tudo tão para o pessoal. De cabeça mais fria, talvez vejamos as coisas de outra perspectiva. É fundamental não agir precipitadamente porque podemos nos arrepender muito depois; conter os impulsos, pesá-los uma vez, duas, quantas vezes se fizer necessário, porque a mente está a mil por hora, mas não está raciocinando direito. Em termos práticos e mundanos, é possível termos mais notícias bombásticas, revelações escabrosas ou censura de conteúdos sensíveis nos meios de comunicação, além de bate-bocas exaltados e talvez até rupturas de amizades e relações por causa da intolerância e dos discursos inflamados. Sobretudo, o indivíduo (Áries) se sente amordaçado, oprimido por leis e regras que não funcionam a seu favor, mas, ao invés de rebelar-se contra o quê/quem de fato cria o problema, este indivíduo pode voltar-se para seu entorno imediato e descontar sua frustração e impotência nos receptáculos errados – vale se rebelar, mas se rebelar contra as coisas certas e não indiscriminadamente contra tudo e contra todos – a rebelião interna é a mais preciosa, rebelião. A pergunta essencial é: o que precisamos transformar na nossa forma de pensar as sociedades, o mundo e a nossa presença neste mundo? É preciso transformar o pensamento individual de muitos indivíduos, até que se atinja massa crítica suficiente para transformar as sociedades. Como a mente fervilhando, acelerada e fora de órbita desse jeito, ajuda muito botar o pé no chão (literalmente) e voltar à terra e à realidade, podemos visualizar que toda essa irritação e nervosismo são aterrados na terra e transmutados, voltando a nós como calma e serenidade. E se nós nos sentimos mais tranquilos e centrados, podemos emanar essa tranquilidade para outros, para o mundo, porque o mundo está precisando!

DepositPhotos – reprodução

SEXTA-FEIRA, 24 de março – Mercúrio em Áries está em oposição plena a Júpiter em Libra. De Aquário, a Lua se harmoniza com seu dispositor moderno, Urano, e com Mercúrio e fecha a noite em sextil ao dispositor tradicional, Saturno, aspecto exato amanhã. A Lua também faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Balsâmica. A semana vai se fechando de forma meio tempestuosa. Depois de todas as tempestades mentais da semana, abrimos a janela, olhamos para fora e vemos que o tempo continua carregado e elétrico, raios podendo cair a qualquer momento na cabeça de alguém. A intolerância, irritação e impulsividade continuam, assim como a frenética atividade mental e as posturas exaltadas, algumas delas sendo fanfarronice de quem gosta de flertar com o perigo… Mas a gente sabe, quem brinca com fogo, pode acabar queimado! Especialmente porque a arrogância nos impede de ver o buraco ou a pedra bem diante de nós, na qual talvez iremos tropeçar. Mais uma vez o dia pede que contenhamos a irritação e a impaciência, nossos arroubos mentais, as ideias fanfarronas, os exageros, o tom catequético, os fanatismos, a imposição de ideias sobre outros, a precipitação e busquemos um mínimo de moderação na fala e na ação – é isso ou podemos nos encontrar, inesperadamente, envolvidos em situações que mais parecem rinhas de galo, em que um lado tenta se impor ao outro cegamente. Com Mercúrio em Áries, tudo é tão vertiginoso que talvez esqueçamos de respirar adequadamente e se não cuidamos, logo temos um ataque apoplético, constipados com os excessos mentais, constipados de nós mesmos e nossas ideias grandiosas. A fase Minguante-Balsâmica sugere que nos desapeguemos desses excessos e que eliminemos conceitos que não nos servem mais. Pelo contrário, a Lua fica Balsâmica em Aquário e pede distanciamento das paixões inflamadas; desapego das opiniões, porque elas são apenas isso: opiniões que podem ser mudadas a qualquer momento; e a Lua Balsâmica pede recolhimento e silêncio, para conseguirmos olhar para o futuro adequadamente, sem os ruídos exteriores e sem o vozerio interno. Calma-mente! Calmamente, acalme a mente! E claro, esses dias também pedem cautela no trânsito porque estamos afobados e arrogantes, achando que podemos tudo; também pede respeito e cuidado nas interações em geral, para evitarmos tensões e conflitos desnecessários.

Reprodução

SÁBADO, 25 de março – Hoje temos a Conjunção Inferior de Vênus ao Sol – a conjunção Cazimi ocorrendo de 02h59min até 11h39min. A Lua Aquariana faz sextil a Saturno em Sagitário e fica fora de curso às 02h52min, depois deste aspecto. Ingressa em Peixes às 07h07min. Mercúrio vai se afastando da oposição a Júpiter e da quadratura a Plutão e se aproxima da conjunção a Urano. Dia introspectivo, de reserva e solitude e é exatamente o que precisamos depois da semana tensa e cheia que tivemos. Ainda estamos digerindo e processando os acontecimentos e esse tempo de sossego vem bem a calhar. Vênus faz a Conjunção Inferior ao Sol e, a partir daqui, começará a ficar para trás do Sol, nascendo, porém à frente dele um pouco antes do amanhecer. Este é o ponto alto do ciclo de retrogradação e as coisas que viemos ruminando e processando até aqui talvez já fiquem um pouco mais claras. Começamos uma fase nova para nossa autoestima, para nossos valores e para nossas relações. O período de introversão ainda se alonga até meados de abril, mas aos poucos a confusão vai cedendo lugar à clareza e descobrimos o que queremos e desejamos com mais limpidez e lucidez. Começa também uma nova fase de ação, a partir de todas as reflexões ocorridas durante esta retrogradação. Em termos práticos, o dia sugere um retiro para podermos nos refazer e regenerar, além de planejar o próximo ciclo, à luz de todos os insights e iluminações propiciados por Vênus e Mercúrio.

Annabeletexter – Reprodução

DOMINGO, 26 de março – Mercúrio está em conjunção plena a Urano. De Peixes a Lua se harmoniza com Marte em Touro e depois se funde a Netuno. Durante o dia troca afinidades com Plutão em Capricórnio, se desentende com Júpiter em Libra e fecha a noite já em conjunção a Quíron. O domingo traz influências contraditórias: mentalmente estamos elétricos, inquietos, com tanta energia que podemos até sair dando choques por aí… contudo, o corpo não acompanha, porque o corpo e a alma querem sossego, porque também estamos sensíveis e um tanto vulneráveis. Talvez possamos unir a grande sensibilidade com a extrema inquietude e a profusão de ideias inéditas e excêntricas e aplica-las a alguma linguagem ou veículo concreto, como forma de manifestar a criatividade que pulula dentro de nós feito bola de ping-pong, ou como maneira de tentar capturar os muitos insights magníficos que eclodem na cabeça. A mente está ágil, até demais… é como uma descarga extra de mil volts e se não administrarmos direito toda essa carga, podemos sucumbir sob tanta energia e empolgação e entrar em algum tipo de colapso. O ideal seria alterarmos um pouco a rotina, porque se tentarmos levar um dia normal como qualquer outro podemos ficar incomumente inquietos e frustrados, azedando o dia e nos deixando de mau humor. As atividades criativas ficam particularmente favorecidas, embora, como já dito acima, talvez seja meio difícil achar uma linguagem que permita conciliar as contradições internas que sentimos tão agudamente hoje. As ideias que tivermos, vale a pena serem anotadas. Talvez nem todas se provem válidas lá na frente, mas algumas podem ser verdadeiras preciosidades. Nos deslocamentos em geral, é necessário muita cautela devido à impaciência e precipitação, que podem levar a erros de julgamento e talvez, acidentes. Lua-Netuno não combina muito Mercúrio-Urano – é como esquecer o secador de cabelos na borda da banheira cheia de água… Já sabe o que vai dar! Mas o choque pode nos alertar e nos acordar para essas novas possibilidades de expressão criativa, para formas inusitadas de comunicação e de elaboração das ideias.

Uma ótima semana para você!

Reprodução

Lua Nova e Eclipse Solar em Peixes – Um tsunami de emoções

Birth Chart Painting – Reprodução

Um novo ciclo lunar começa neste domingo, dia 26 de fevereiro, às 11h59min (14h59min no horário de Lisboa) com a Lua Nova a 08°12’ de Peixes. Esta Lua Nova também é um Eclipse Anular (Total) do Sol e ocorre em conjunção próxima a Netuno, regente moderno do signo de Peixes, mas os três, Lua, Sol e Netuno não fazem aspectos maiores a outros planetas, de modo que formam uma isolada e poderosa tríade que representa emoções e sentimentos tsunâmicos. Tal força e poder é ainda mais contundente quando lembramos que temos cinco corpos celestes em Água, em Peixes e apenas Júpiter no elemento Ar – Júpiter, que aliás é o dispositor tradicional da Lua Nova/Peixes. Além disso, há falta de Terra, já que também só há um planeta neste elemento: Plutão. Então temos um céu em que predominam Água e Fogo, trazendo um realce forte à natureza instintiva, sugerindo uma qualidade selvagem, impetuosa, intensa, visceral e bastante irracional. Essa ênfase em Água aponta para uma imensa sensibilidade, muita abertura psíquica, empatia, compaixão, cura, sentimentos viscerais, mediunidade e emoções à flor da pele. Negativamente, temos um cenário de escapismos, carências, inseguranças, incertezas, suscetibilidades, impressionabilidade, medos irracionais e difíceis de se expressar, irrealidade, sensacionalismo, tempestades emocionais… Tudo intensificado pelo Fogo. Os dois elementos que faltam, Ar e Terra, são os elementos associados com a objetividade, racionalidade, pragmatismo e realismo, de modo que essas qualidades ficam um tanto inacessíveis à consciência por estes dias, demandando de nós muita serenidade para navegar as grandes ondas de turbulências oceânicas do período.

Eclipse Total do Sol Março/2016, visto da Indonésia – Desconheço o autor da imagem

Eclipses normalmente são vistos como nefastos, mas não necessariamente são assim. Depende muito da natureza do eclipse em si, da Série Saros a que pertence e dos aspectos que faz no mapa individual. Na Astrologia Mundana sim, geralmente representam uma intensificação nos assuntos econômicos, políticos e sociais em geral, podendo representar cataclismos naturais, particularmente nas áreas geográficas em que ocorre o seu ápice, onde é visível. Este eclipse será parcialmente visível no Brasil, o que indica que sentiremos seus efeitos, parcialmente. Veja na imagem abaixo o caminho percorrido pelo eclipse. Leia mais sobre a natureza dos eclipses.

Caminho percorrido pelo eclipse. As partes mais escuras representam os locais em que o eclipse será visto na sua totalidade.

Com a Lua se renovando em Peixes numa lunação que também é eclipse, a vida nos convida a finalizar processos relacionados ao ano astrológico que finda com este ciclo. Mas também convida a lançar nossas intenções para uma vida de mais gentileza, de mais desprendimento e suavidade, de acreditar mais nos nossos sonhos, de incluir o elemento mágico e a fantasia na vida, enriquecendo nossa criatividade. Convida a diminuir as barreiras que nos separam do nosso irmão ali do lado, a derrubar os muros e os ismos, os rótulos e classificações, porque no fim, quando tudo termina, eles não servem mesmo para nada, são a verdadeira ilusão de uma dimensão que acreditamos que seja real, mas que está apenas testando se sabemos realmente discernir quem somos, de onde viemos e para onde vamos.

Xo-Billie.Deviantart – Reprodução

Em Peixes somos instados a incluir aquela parte de nós que é caótica e louca, que é irremediavelmente desconectada do mundo chamado “real”, aquele lado sonhador que parece não fazer muito sentido, mas que nos alimenta, inspira e nos empurra pelos dias afora, enquanto cuidamos do cotidiano cinza… A Lua Nova nos convida a uma vida de gentileza e inclusão, porque quando incluímos o que estava excluído, curamos, pelo reconhecimento! Entretanto, o eclipse ocorre em conjunção ao Nodo Sul, um ponto de regressão, de passado, de desgaste e acomodação, então, também há um forte impulso de manifestação das qualidades negativas de Peixes. E como já dito acima, Lua, Sol e Netuno estão fundidos num abraço urobórico onde nada é distinguível ou separável. As qualidades da Lua e Sol em Peixes são potencializadas muitas vezes pela conjunção a Netuno, aquele que diminui as barreiras e dissolve o senso de ego, de eu, de separatividade. Então é preciso cautela com os escapismos, com as ilusões, com os anseios por sermos salvos por outros que não nós mesmos; é preciso vigiar o desejo de não-ser, que pode levar a impulsos destrutivos de auto-dissolvição, seja por álcool, drogas, fanatismos, desejos de se perder no outro, renúncia da própria responsabilidade… Enfim, há o risco de entrarmos numa bolha de fantasias douradas e nos negarmos a ver a realidade diante de nós… E olha que essa lunação tá acontecendo bem no meio do Carnaval aqui no Brasil…

Série Saros 140 – 16 de abril de 1512, 06h22 GMT

A Série Saros 140, à qual pertence este eclipse, que é o evento número 29 de um total de 71, é uma série que traz um tom até bastante positivo. Bernadette Brady, astróloga inglesa especialista em eclipses, diz que “esta é uma família de eclipses que traz consigo um elemento de surpresas agradáveis. Felicidade repentina, um evento afortunado, um golpe de sorte, uma conquista de sorte. Os eventos que ocorrem podem mudar positivamente a vida da pessoa” (1). Ela diz isso porque no mapa natal da Série, que iniciou em 12 de abril de 1512, no Polo Sul, Sol e Lua fazem conjunção em Touro e a regente de Touro, Vênus, chamada a Pequena Benéfica, está em conjunção a Júpiter – o Grande Benéfico – em Peixes, signo de sua exaltação. No Ponto Médio entre a Lua Nova e a conjunção Vênus-Júpiter, está Urano, a 15° de Áries – Urano é o planeta das surpresas e das coisas inesperadas, que neste caso são consideradas agradáveis devido à natureza dos planetas envolvidos, Vênus e Júpiter. Assim, esta é uma família de eclipses que não é particularmente tensa ao tocar mapas individuais com aspectos positivos. Contudo, eclipses ocorrendo em quadratura ou oposição a planetas natais geralmente são tensos e representam desafios na área da casa natal e dos planetas envolvidos, assim como na/s casa/s regida/s pelo/s planeta/s.

Lua Nova e Eclipse Anular do Sol em Peixes – Brasília, 26 de fevereiro de 2017, 11h59min

Assim, se olharmos apenas a Série Saros 140 e a configuração do eclipse em si, poderíamos dizer que este é um eclipse de gentileza e bons augúrios. Entretanto, o mapa do eclipse traz algumas configurações bastante tensas, que não podem ser ignoradas porque envolvem o regente tradicional de Peixes, Júpiter, que trafega atualmente o signo de Libra. Júpiter está em oposição a Urano, o ponto alto de um ciclo que começou em 2010, no grau zero de Áries. Além disso, Júpiter também está em quadratura a Plutão, formando uma configuração de Cruz T ou T-Square Cardinal por boa parte do ano. E não podemos esquecer que Júpiter é o único planeta em Ar, é o líder de uma formação Tigela e ainda está retrógrado! Então, Júpiter tem um destaque muito importante nesse eclipse! O problema é que essa configuração é bastante tensa, tanto pela sua natureza quanto pelos planetas envolvidos. Júpiter em oposição a Urano pode se manifestar de forma muito criativa, trazendo oportunidades de nos liberarmos de coisas que nos limitam e nos seguram, inclusive crenças limitantes, mas, como o impulso de liberação é grande por demais e a própria energia envolvida é intensa e, sendo Urano um planeta imprevisível, pode também se manifestar de forma caótica, crítica e mesmo destrutiva.

Reprodução

A presença de Plutão em Capricórnio na configuração sugere que a energia liberada deve provocar transformações profundas e cruciais, mesmo que a princípio haja uma demolição completa daquilo que é conhecido, das estruturas que sustentam nossa realidade. Como se não bastasse, Marte ativa e atiça esta configuração por aproximadamente duas semanas (de 15 de fevereiro até 03 de março, mais ou menos) e está em conjunção exata a Urano horas depois do eclipse, tornando plena a oposição a Júpiter já no dia seguinte. Marte adiciona mais impulso, energia, fogo e traz tudo para o plano pessoal… Marte é o planeta da vontade e agressividade, e quando se envolve nessa formação, torna-se o gatilho que dispara a situação que já estava armada. A presença de Marte nessa configuração também sugere uma vontade férrea, uma competitividade e desejo de ganhar a qualquer custo, alimentado por uma estamina fenomenal, mas que requer cautela devido à forte impulsividade, intenso egoísmo e imediatismo e muita inquietação e ansiedade, devido ao contato com Urano. Então, podemos dizer que sim, este eclipse tem um forte elemento de surpresa, de acontecimentos inesperados, mas nem todas as surpresas são assim tão agradáveis, sendo algumas delas até bastante ásperas e chocantes. De toda forma, o convite é claro: aproveitar a forte onda de liberação e deixar o tsunami levar o que não precisamos mais. Às vezes, quando não nos damos conta de nosso anseio por liberdade e independência, inconscientemente convocamos a outros para atuá-lo por nós, portanto, se o outro termina um relacionamento, ou se o chefe nos demite ou quaisquer outras situações parecidas, o melhor que fazemos é verificar se nós mesmos já não estávamos insatisfeitos com a situação.

Reprodução

Uma Lua Nova sempre simboliza o fim de um ciclo e o começo de outro. Uma Lua Nova “normal” finaliza um ciclo lunar de aproximadamente 29 dias. Mas uma lunação que também é eclipse finaliza ciclos mais longos, às vezes de até 18 anos! Podemos, pois aproveitar e simbolizar a finalização e encerramento de tudo o que não queremos mais na nossa vida, naquela área de vida em que o eclipse cai no mapa natal, para começar um ciclo mais construtivo e criativo. No caso, é preciso abrir mão dos comportamentos erráticos, irresponsáveis, acomodados, alienados, os anseios de que outros resolvem nossos problemas, as fantasias de que tais problemas se resolvam sem esforço, os desejos regressivos de escapar da realidade… Você entendeu o tom!

Visibilidade do eclipse de 26 de fevereiro de 2017 – Nasa – Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 9 de Peixes (08°12’) traz uma imagem de dinamismo e competição, que ressalta a qualidade Marciana do mapa do eclipse: “Um jóquei estimula seu cavalo com a intenção de se distanciar de seus rivais”. Dane Rudhyar, autor do livro Uma Mandala Astrológica (2), que analisa os Símbolos Sabianos, nos lembra que este símbolo faz parte do Segundo Hemiciclo, que trata do processo de coletivização. O signo de Peixes é parte do ato relativo à Capitalização. Ele nota que o tom principal deste símbolo é a “intensa mobilização de energia e habilidade na busca pelo sucesso em qualquer performance social afetada pelo espírito competitivo”. Este símbolo, diz ele, indica a necessidade de concentrar todo o seu ser em direção à realização rápida de qualquer que seja o objetivo no qual você esteja empenhado. O que nos leva ao ponto do discernimento: com tais configurações ativas, este símbolo nos estimula a dar tudo de nós na realização dos objetivos, o que sugere estimular ainda mais a este Marte descabeçado… Apostar todas as fichas… E a cautela? Às favas com a cautela? Confesso que deu um nó na minha cabeça…

Reprodução

Contudo, Linda Hill (3) traz uma luz: “A corrida começou e talvez você sinta que está perto do fim, mas não há garantias de vitória. Embora seja hora de extrair toda a energia possível, certifique-se de que você não a gaste rápido demais correndo o risco de chegar a lugar nenhum ou de não realizar algo de valor duradouro”. Temos aqui enfatizados os temas da competitividade, como já está claro, além das ambições desmesuradas, dos desejos agressivos, desejos de melhoramento, exaltação – vale lembrar que o cavalo é um símbolo de Júpiter e da força instintiva, o que nos remete, novamente, à força deste planeta neste ciclo e à necessidade de dominar nossa natureza selvagem e instintiva, para que ela não venha em nosso detrimento, mas funcione a nosso favor. Como pontos negativos Linda Hill aponta para a possibilidade de sermos ambiciosos demais (Marte-Plutão), de galoparmos a toda velocidade prematuramente, de adotarmos medidas implacáveis querendo ganhar a qualquer custo e de nos precipitarmos horrivelmente, pondo tudo a perder… E aí temos uma repetição dos temas de Marte/Urano x Júpiter x Plutão. O fato é que o Símbolo Sabiano ressalta a qualidade Marciana deste mapa: ação, decisão, atitude e… Precipitação, temeridade, agressividade. E por isso mesmo demanda de nós mais cabeça fria e ponderação para definir em que direção nós vamos, onde iremos apostar nossas fichas e investir todas as nossas energias, para nem queimarmos a largada, nem nos perdermos das raias que nos levarão à vitória. De certa forma, o Símbolo Sabiano traz um tom positivo à configuração de Marte/Urano x Júpiter x Plutão SE soubermos tirar proveito dela… Do contrário, podemos meter os pés pelas mãos e ser a causa de nossa própria queda.

Reprodução

Para você ter ideia de como esse eclipse pode se manifestar na sua vida, primeiro verifique a casa do mapa natal onde ele acontece, ou seja a casa em que você tem o signo de Peixes; depois veja se faz aspectos com algum planeta ou ângulo do seu mapa – somente aspectos maiores: conjunção, quadratura, oposição e trígono (o sextil é menos perceptível), orbe de cerca de cinco graus, ou seja, planetas entre os graus 3 e 13 dos signos Mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes), ou signos de Água para o trígono (Câncer e Escorpião). Vale a pena também fazer uma retrospectiva sobre a sua vida no período de 16 de fevereiro de 1999, que foi a última vez em que houve um eclipse da Série Saros 140 (naquele ano o eclipse ocorreu a 27° de Aquário), e 26 de fevereiro de 1998, que foi a última vez que houve um eclipse total do Sol próximo a esse grau em Peixes (no caso, o eclipse ocorreu a 07°55’). Outro detalhe importante a se notar, é que já tem algum tempo que os eclipses vêm ocorrendo no eixo Virgem-Peixes, portanto, o eixo de casas onde esse par de signos cai no seu mapa natal está sendo ativado desde abril de 2015 e Virgem-Peixes vem se alternando com o eixo Áries-Libra. Este eclipse terá duração total de duas horas e 59 minutos, o que significa que seus efeitos perdurarão por cerca de três anos, perdendo força conforme outros eclipses forem acontecendo, porque o eclipse de mais influência é sempre o mais recente.

Agende uma consulta comigo e veja como este e os demais eclipses do ano afetam o seu mapa natal, que mudanças podem simbolizar e em que área de vida: psicologica.astrologia@gmail.com 

Em termos práticos e mundanos, como já disse acima, eclipses sinalizam tempos intensos em que as emoções ficam mais afloradas e nosso controle está discutível, portanto, demanda cautela e auto-observação para não agirmos ou reagirmos de forma excessivamente instintiva – no eclipse solar a consciência (o Sol) é eclipsada e os instintos ficam mais ressaltados. No mapa levantado para Brasília, Lua e Sol caem na casa 10 do mapa, sugerindo mudanças importantes no governo, com Mercúrio, já em Peixes, conjunto ao MC, indicando que notícias um tanto nebulosas ganharão grande destaque e terão grande influência nas decisões tomadas – quantas decisões escusas serão tomadas enquanto muitos estão entorpecidos pelo frenesi do carnaval?

Giovanni Allievi – Reprodução

Concluindo, o período sugere acontecimentos imprevisíveis, emoções e sentimentos tsunâmicos, que exigem de nós muita maturidade e centramento. É tempo de nos sintonizarmos com nosso eu mais profundo, aquele que está livre das ordens e prioridades mundanas e está focado nas necessidades da alma e na evolução da consciência; a partir daí, renovarmos nossas intenções de vivermos uma vida de mais gentileza e empatia. Ficar atentos porque o ciclo vai demandar sintonia fina para ponderar e ter clareza sobre qual a melhor atitude a tomar: se nossos intentos demandam espera cautelosa ou se devemos apostar tudo e acelerar na busca da vitória, sabendo que a competição será acirrada.

Para acalmar e serenar o coração e canalizar as influências do eclipse de forma mais positiva, recomenda-se exercícios de ancoramento e meditação. Isso pode ser melhorado com os cristais ágata, ágata de fogo, ametista, aragonita, olho de gato, galena, jaspe vermelho, ou outra pedra com que você já esteja acostumada/o e que lhe transmita confiança e segurança. Verifique as influências do eclipse de forma mais detalhada ao fim do artigo geral sobre eclipses, que você encontra neste link: http://mariaeunicesousa.com/2015/09/13/da-natureza-ciclos-e-efeitos-dos-eclipses/, influências que você pode ver de forma resumida na tabela abaixo.

Um feliz eclipse para você e um ótimo ciclo para todos nós!

Birth Chart Painting – Reprodução

(1) Brady, Bernadette – The eagle and the lark – Predictive Astrology  – Weiser Books

(2) Rudhyar, Dane – An Astrological Mandala

(3) Hill, Linda – 360 Degrees of Wisdon

A Semana Astrológica – A beleza está nos olhos de quem vê

Reinamaker-Tumblr - reprodução
Reinamaker-Tumblr – reprodução

Semana de 23 a 29 de janeiro – Semana de se proceder com as finalizações e análises, de planejar o futuro, para se renovar e inovar!

A semana que passou foi bem pesada, com terremotos, rebeliões em presídios, “acidente” aéreo matando magistrado, incêndios florestais no Chile ainda não controlados, posse do Trump com discurso um previsível inflamando manifestações no mundo todo… Enfim! Muito peso para uma semana só! Muito disso simbolizado pela quadratura Marte-Saturno que ficou exata na quinta-feira, ambos, tanto Marte quanto Saturno, regidos atualmente por Júpiter (Júpiter é o regente tradicional de Peixes), que está em oposição a Urano e em quadratura a Plutão. Essa oposição Júpiter-Urano fica ativa por quase todo o ano de 2017, até Júpiter mudar para Escorpião… Irei analisar isso por aqui depois.

Reprodução
Reprodução

E esta semana, como fica? O começo da semana ainda favorece as finalizações e fechamentos de processos e pendências. Limpezas, arquivamentos, eliminações. Mas na sexta-feira a Lua se renova em Aquário, simbolizando um novo ciclo, de se viver com mais ênfase os valores Aquarianos da liberdade, fraternidade e igualdade; de olharmos para o futuro, de nos preocuparmos e fazermos algo de efetivo quanto aos problemas sociais; de darmos mais atenção à amizade e às amizades na nossa vida, à nossa inserção na comunidade, assim como a projetar nosso futuro, sem medo de errar, sem medo de mudar e sem medo de ambicionar nos tornar realmente melhores! É interessante notar que o Sol ingressou em Aquário e não faz aspectos maiores por algumas semanas, apenas fazendo semi-quadraturas a Saturno e a Quíron e recebendo os eventuais aspectos lunares – ou seja, fica isolado por muitos e muitos dias, aumentando a sua fixidez, extremismo, radicalismo e possivelmente dando ênfase mais ao lado excêntrico de Aquário e ao seu espírito ultra reformador. A Lua Nova acontece nesse contexto, sem aspectos maiores ao resto do mapa.

Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes, na série "Sherlock", produção da BBC - Reprodução
Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes, na série “Sherlock”, produção da BBC – Reprodução

Mercúrio finalmente sai da zona sombria de retrogradação nesta semana e volta à sua boa forma, já acelerado na sua caminhada em volta do Sol. Por estes dias faz sextil a Netuno indicando uma injeção de imaginação e criatividade à mente Capricorniana, que de outra forma, seria sóbria e e prática em demasia. Mercúrio também faz conjunção a Plutão, sugerindo maior estamina mental, grande sagacidade e capacidade investigativa. A mente é instigada pelo mistério, pelos segredos das grandes corporações e organizações de poder. É um bom momento para lidarmos com assuntos e tarefas que demandem foco, perspicácia e comprometimento.

Eugene Emmanuel Amaury Pineux Duval - La Naissance de Venus - detalhe - Reprodução
Eugene Emmanuel Amaury Pineux Duval – La Naissance de Venus – detalhe – Reprodução

Vênus (e também Júpiter) já está em marcha lenta, desacelerando para entrar em retrogradação daqui a pouco, em março, no signo de Áries. Ainda em Peixes, ela faz conjunção a Quíron, quincúncio a Júpiter e quadratura a Saturno, tudo nesta semana. Precisamos ser capazes de nos permitir expandir nossa compaixão, mesmo sabendo que corremos o risco de nos ferir. Vênus-Quíron nos faz muito conscientes das feridas que podem ocorrer nas relações, mas, da mesma forma, nos apresenta com o imenso potencial da cura, da aceitação de nós mesmos e do outro, de vermos beleza no diferente. Essa enorme sensibilidade nos aproxima e nos faz sentir que, não importa quantos equívocos as pessoas cometam, não importa quão “desajeitadas e insensíveis” elas pareçam quando nos magoam, lá no mais profundo do seu ser, talvez elas só estejam tentando ser felizes e se proteger ao mesmo tempo, de uma maneira meio tosca e equivocada, assim como nós muitas vezes fazemos… Vênus-Quíron também nos fala que talvez haja uma ferida no arquétipo do feminino, na forma como vemos e compreendemos a beleza no mundo e como nós mesmos nos valorizamos e como lidamos com esse arquétipo feminino em nós, sejamos nós homens ou mulheres. E, se pode significar uma imensa dificuldade em nos aceitarmos tal qual somos, fora dos padrões estéticos vigentes e ditos aceitáveis e até “esperados”, também pode propiciar crescimento, após entendermos que o fato de não nos encaixarmos nos tais padrões não faz de nós menos belos ou menos merecedores de amar e ser amados. Quem dita o que nós achamos bonito ou amável? A sociedade, o outro? De onde nascem nossos valores? Será que temos que nos guiar por padrões desenhados por uma indústria que só pensa em vender? O que é bonito para você? Assim, essa configuração propicia essa abertura do coração, essa compreensão amorosa e a consequente inclusão das fragilidades que carregamos, a percepção de que beleza é um conceito muito relativo e por mais que os padrões estéticos tenham o seu lugar no mundo, eles têm muito a ver com as questões culturais e não podem decidir sobre como nos sentimos internamente a respeito de nós mesmos, do nosso corpo, nossos talentos e do nosso valor como pessoas. Bonito mesmo é ser humano de verdade, ser bom, ter compaixão, estar ciente das próprias falhas, mas estar também comprometido em se melhorar… É ver além da aparência, enxergar a alma.

Desconheço o autor - Reprodução
Do filme Eternal Sunshine of the spotless mind – Reprodução

Contudo, como também “há uma pedra no caminho”, representada por Saturno, os efeitos mais densos dessa conjunção Vênus-Quíron ficam mais realçados e nos vemos lidando com muitas inseguranças e sensação de inadequação e, ao nos tornarmos hiper defensivos, paradoxalmente, estamos mais suscetíveis de sermos magoados, porque então, vemos a tudo como ofensa, rejeição, indiferença, mesmo que o outro só esteja mesmo ocupado e envolto com seus próprios problemas. As relações atingem, então, um momento crítico em seu desenvolvimento, desafios que têm a ver com o que quer que estava acontecendo lá no final de outubro de 2016. Não, não é momento para mais sofrimento e desengano. É momento para mais crescimento, para autoaceitação, para maturarmos mais um pouco nosso coração sensível e crédulo. Devemos ficar mais cínicos e rechaçar qualquer possibilidade de aproximação? Exatamente o contrário: devemos abrir mais os olhos, desafiarmo-nos a enxergar as pessoas como elas realmente são e não como queremos que sejam e, ainda assim, amá-las, com todas as suas dificuldades e defeitos, mesmo sabendo que elas carregam as armas que podem nos ferir, armas que nós mesmos lhes demos, ao permitir que se aproximassem de nós e partilhassem da nossa intimidade. É preciso sabedoria para identificar quando há uma necessidade legítima e saudável de nos protegermos (quando, por exemplo, tentamos salvar àqueles que não querem ser salvos ou nos atraímos por quem só deseja tirar proveito de nós) e quando estamos apenas sendo excessivamente defensivos e melindrosos, vendo ameaças  onde há apenas a mesma insegurança que carregamos.

Arturas Slapsys - reprodução
Arturas Slapsys – reprodução

Marte ingressa em Áries, onde fará conjunção a Urano e “esquentará” ainda mais esse embate Júpiter-Urano. Em Áries Marte está em casa, domiciliado e dignificado, rei do pedaço… Isso deveria ser bom, certo? Até certo ponto, porque Marte em Áries, dependendo do contexto, pode ser um problema, por ser muito impulsivo, cabeça quente, briguento, precipitado, imaturo… Howard Sasportas o comparava ao Ares grego, pela qualidade destemperada e altamente volátil, propensa à violência, que o deus Ares tinha e que pode se manifestar mais facilmente quando Marte está em Áries. Quando ele se juntar a Urano, a partir do final de fevereiro até início de março, as coisas podem ficar mesmo bastante explosivas, partiuclarmente no cenário geopolítico. Mas não vamos botar o carro adiante dos bois… Júpiter já está bastante desacelerado, para entrar em retrogradação daqui a duas semanas.

Christian Schloe - Reprodução
Christian Schloe – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Minguante, em Sagitário, onde fica Balsâmica, já na segunda. Torna-se ainda mais sisuda e impermeável em Capricórnio e finalmente se renova em Aquário, na sexta-feira. Finda a semana sensível e compassiva em Peixes, no domingo. Ao longo dos dias conversa com todos os demais corpos celestes, às vezes alegre, às vezes furiosamente.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 23 de janeiro – Mercúrio está em sextil a Netuno, que também recebe a quadratura da Lua Sagitariana. A Lua ainda faz semi-quadratura ao Sol em Aquário, entrando na fase Balsâmica. Fecha a noite em quadratura não exata a Vênus –  O dia traz contradições conhecidas, mas nem por isso mais fáceis de se lidar. Estamos numa grande vibração de criatividade, bom humor e otimismo, que nos entusiasma e anima para começar a semana dispostos a fazer as coisas dar certo, a encarar as dificuldades como desafios que tornam o caminho mais interessante e divertido. Entretanto, em alguns momentos talvez percamos a noção da realidade e dos limites com os quais temos que lidar e, no nosso otimismo ingênuo talvez nos deixemos levar por algum sonho de grandeza que pode nos decepcionar. É essencial nos inspirarmos e darmos asas à nossa imaginação, que hoje está bem realçada, mas no nosso afã de expansão e superação, também precisamos lembrar que há pontos cegos, aqueles detalhes que não queremos ver, seja dentro ou fora de nós. É importante também, dar o benefício da dúvida antes de julgar as situações como maravilhosamente positivas ou terrivelmente negativas. E manter os pés no chão! Um pouco de ponderação trará mais segurança e equilíbrio ao nosso voo, um equilíbrio que é fundamental, visto que estamos olhando para o futuro, buscando enxergar, com os olhos espirituais, como ele se desdobrará no próximo ciclo. No momento, os fatos podem ser enganosos e obscuros e talvez seja melhor se guiar pela intuição.

Reprodução
Reprodução

TERÇA-FEIRA, 24 de janeiro – De Sagitário, a Lua faz quadratura a Vênus e a Quíron, que estão em conjunção em Peixes. Dona Lua faz ainda sextil ao seu dispositor, Júpiter, trígono a Urano e conjunção a Saturno. Por fim, faz quadratura a Marte e fica vazia depois desse embate, às 15h34min. Ingressa em Capricórnio às 20h44min. Mercúrio se aproxima de Plutão e o Sol está sem aspectos em Aquário. A madrugada talvez traga sonhos de grandes inundações, nas quais fluímos ou nos sentimos ameaçados – os sonhos sempre vêm nos alertar sobre os conteúdos inconscientes que estão sendo trabalhados naquele momento específico na nossa vida e o sentimento geral do sonho nos dá pistas sobre como esse processamento se dá. Acordamos numa névoa densa, que ao se dissipar nos deixa diante de desafios práticos e concretos, com os quais temos que lidar de imediato, sem postergar. Assim, estamos imbuídos de um entusiasmo bastante pragmático, olhamos para o futuro com esperança, mas também com realismo. À tarde esse entusiasmo pragmático talvez entre em conflito com outras partes de nós – ou com pessoas fora de nós – que nos parecem excessivamente ingênuas e sonhadoras e que, a nosso ver, tentam dar o passo maior do que a perna ou abocanhar mais do que dão conta de mastigar, o que fatalmente leva a azia, indigestão e mal estar emocional. Essa azia emocional gera irritação e indisposição e, se não nos contemos, quando vemos, estamos vomitando falta de tato sobre os outros, de forma meramente reativa. Se há problemas reais em curso, eles devem ser ventilados e clarificados com quem de fato se relacionam, mas é preciso atenção para não resvalarmos nas disputas fúteis e vazias, a respeito de coisas insignificantes, que faríamos melhor se simplesmente dexássemos de lado. Para evitar isso, precisamos colocar toda essa energia que pulula dentro de nós em algo que possamos transformar, que nos dê a possibilidade de “fazer” algo, que nos faça sentir minimamente ativos, potentes e que nos ajude a colocar as emoções voláteis sob controle – de preferência atividades que não ofereçam riscos desnecessários, porque essas influências também falam de propensão a acidentes causados por precipitação – e que nos ajude a acalmar o potro selvagem dentro de nós. A noite traz a sobriedade de que tanto precisávamos para acalmar as emoções desenvontradas.

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 25 de janeiro – Vênus está em conjunção partil a Quíron e se aproxima do quincúncio a Júpiter e da quadratura a Saturno. A Lua faz sextil a Netuno e conjunção a Mercúrio. O dia traz uma sensibilidade bastante acentuada, que nos põe em contato com partes agridoces de nós mesmos: anseios, temores, esperanças, expectativas, feridas… E, pela frestras da pele e da alma, absorvemos também os anseios pungentes e dores que se propagam ao nosso redor, assim como vaza de dentro de nós um compadecimento generalizado, talvez até indefinido, por outros que, assim como nós, se sintam muito diferentes, estranhos e desencaixados na sua forma de amar, de se doar e de se relacionar. É possível que a autoestima esteja um pouco combalida hoje, porque nossos “defeitos” talvez estejam mais salientados do que as qualidades ou talvez vejamos como defeito ou deficiência, uma característica que é apenas diferente da maioria, mas que nos faz sentir deslocados. E a beleza, e o encanto daquilo que foge da norma, não tem lugar? Quíron tem a ver com as histórias que contamos a nós mesmos e neste caso, precisamos nos perguntar quais histórias e estórias estamos repetindo a respeito das feridas femininas que fomos acumulando ao longo da vida… E o poder, e o aprendizado que essas feridas nos trouxeram? Isso não conta? Será que seríamos as mesmas pessoas se não tivéssemos passado por tudo o que passamos? Vale questionar e abrir mão das lembranças ruins e substitui-las por gratidão pelas coisas benéficas que elas nos trouxeram, a despeito de quisquer dores que tenham significado. A Lua Capricorniana talvez não ajude, exatamente porque precisa se encaixar e ser aceita, porque está faminta por aprovação e assim, é possível que nos refugiemos no trabalho com todo o vigor e até aparentemos uma frieza que não sentimos, mas que representamos tão bem que até nós mesmos acreditamos – uma máscara eficiente de estoicismo e firmeza. Por outro lado, é provável que esse estoicismo e firmeza sejam exatamente o que precisamos, para não nos perdermos em melindres e para canalizarmos adequadamente a sensibilidade que está à nossa disposição hoje. Sim, no final das contas, a resiliência de Capricórnio vem nos socorrer e dar chão, justo quando achávamos que íamos afundar nos flagelos da nossa sensibilidade descontrolada. Então, podemos sim, nos permitir ver e identificar, sentir e experienciar essas dúvidas e sensação de desencaixe, mas sem ficar chapinhando no lodo, canalizando isso com realismo, para realizações que nos permitam fazer algo de concreto para sanar nossas feridas e a de outros, nem que seja uma palavra amiga, um olhar de reafirmação, um gesto de conforto ao próximo, literalmente, àquele que está mais próximo de nós.

Maria Eunice
Maria Eunice

QUINTA-FEIRA, 26 de janeiro – Vênus faz quincúncio exato a Júpiter em Libra, signo regido por ela. Vênus também está em quadratura a Saturno. A Lua em Capricórnio faz conjunção a Plutão, quadratura a Urano em Áries e a Júpiter, virando foco de uma T-Square Cardinal. A Lua trava conversa harmoniosa com Vênus e Quíron.  O dia está denso, com um tom severo que nos faz emergir de alguns sonhos pueris para uma realidade seca e árida, de confrontos e cobranças duras. Situações diversas, conflitos internos ou externos nos obrigam a olhar para algumas expectativas infantis que provavelmente ainda carregamos a respeito de pessoas, relações e do próprio mundo, e pelas quais precisamos nos responsabilizar. Nossa fome é grande demais, estamos emocionalmente famintos e exigentes e talvez não percebamos o peso que nossas expectativas representam para o outro, que simplesmente não dá conta de carregá-las; ou talvez nos encontremos na situação inversa, tendo que lidar com as exigências e cobranças que pesam demais em nossos ombros. O fato é que é dia de levar um tranco! Qualquer que seja nossa posição, é preciso agir de forma madura, responsável, identificando nossos conteúdos e separando-os dos conteúdos alheios. Pegar de volta nossa parcela de culpabilidade no estado em que as coisas estão e, em cima disso, tomar as atitudes cabíveis. Se nos deparamos com rejeição e frustração de nossos desejos, precisamos refletir sobre como nós mesmos nos colocamos em tal situação de fragilidade e exposição. Assim, o melhor que fazemos é ser objetivos e aqui Capricórnio, novamente, vem nos ajudar! A Lua em Capricórnio sabe que não existe almoço grátis e não só aceita essa verdade, como resolve tirar proveito dela abrindo um restaurante e quem sabe, apenas quem sabe, uma vez ou outra o coração se abra e se resolva alimentar àquele outro coração faminto, e se descubra que indiretamente estamos alimentando a nós mesmos, ao não nos dobrarmos ao cinismo e ao impulso de permancer na retranca da vida. Vênus em Peixes em quadratura a Saturno vem nos lembrar que temos que nos responsabilizar pelas expectativas que criamos as positivas ou as negativas… Se, feito criança ingênua criamos castelos inverossímeis e depois eles são despedaçados pela luz do dia, ou, se ao contrário, vacinados pelas prévias rejeições ficamos na retranca prometendo a nós mesmos nunca mais nos abrir, afastando aqueles que poderiam suavizar a vida, numa situação ou na outra, criamos a realidade com a qual lidamos e enquanto não encararmos esse fato, estaremos fadados a repetir esse enredo triste. Assim, Saturno vem temperar as fantasias da Vênus Pisciana com algum realismo, de modo que não sejam mais fantasias inverossímeis, mas sonhos realizáveis. Essa é uma influência que se aplica a várias áreas: relacionamentos, finanças, investimentos, estética, criatividade… é possível que haja crises nas relações, causadas pela insegurança e defensividade dos parceiros… Antes de tomar decisões drásticas, talvez valha a pena tirar um tempo para si e refletir e só então snetarem as duas pessoas para a conversa honesta, lembrando que ambos podem estar fragilizados e carentes, portanto, cautela com acusações e julgamentos.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 27 de janeiro – É dia de Vênus e hoje ela está insegura, em quadratura plena a Saturno em Sagitário. Saturno rege Capricórnio, por onde trafega a Lua, que se harmoniza com Marte e fica vazia às 05h19min. Ingressa em Aquário às 06h37min e se renova na conjunção ao Sol às 22h07min, sem fazer aspectos maiores a nenhum planeta. Sol e Lua estão incomunicáveis nesta lunação de hoje, o que agrega ênfase especial aos arquétipos e significados de Aquário. Assim, o ciclo é voltado, de forma extremada, às inovações, à busca e luta pelo progresso – às vezes, a qualquer curto – a olharmos para o futuro, talvez esquecendo lições do passado. O ciclo traz o potencial de voarmos pelos dias no extremo do desapego, do distanciamento, tendo dificuldade de nos conectarmos com os sentimentos e com outras perspectivas das coisas, particularmente aquelas que diferem das nossas. Talvez haja uma certa sensação de alienação, um encastelamento nos ideais humanitários que nos impedem de nos relacionar com o humano próximo de nós e por isso, é preciso ficarmos atentos. A parte boa é que os dois dispositores da Lua e do Sol, Saturno e Urano, estão em harmonia atualmente, possibilitando que construamos uma ponte entre o passado e o futuro, entre o desejo e necessidade de mudar, sem desonrar aquilo que nos trouxe aqui. Essa conversa atual entre Saturno e Urano fala da possibilidade de conciliarmos o tradicionalista e o revolucionário dentro de nós e tirar o melhor da união deles dois. É tempo de renovar intenções, propósitos e planos de futuro!

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 28 de janeiro – Marte chega em casa, seu campo de batalha particular. Ingressa em Áries às 03h39min. A Lua, renovada em Aquário, fica toda a madrugada sem aspectos e pela manhã começa a acenar para Júpiter, com quem faz trígono. A Lua faz sextil ao seu regente moderno, Urano e fecha a noite conversando também com o regente tradicional, Saturno. Mercúrio está bem próximo da conjunção a Plutão e hoje sai da zona de retrogradação. O dia está animado e cheio de energia, trazendo também uma sensação de expectativa, de algo novo pairando no ar… Intuição aguçadíssima, perspicácia acentuada, novas ideias, novos planos, novos rumos… Toda essa expectativa nos enche de entusiasmo e impulso, tonando este um ótimo dia para traçar planos que tenham a ver com nossas esperanças de futuro, com aquilo que desejamos reformar em nós, no nosso cotidiano, na nossa alma e na área de vida correspondente à casa em que a Lua está trafegando no mapa natal (veja onde você tem Aquário). Para isso, podemos fazer um brainstorm, um exercício simples em que anotamos todas, absolutamente TODAS as ideias que nos ocorrerem a respeito daquilo que queremos realizar ou mudar. Neste momento não há ideia absurda, todas são bem vindas, por mais malucas que pareçam… Podemos fazer isso por um período de tempo, alguns minutos, meia hora… E aqui não nos preocupamos com limites, com o que seja factível, nada disso… apenas autorizamos a emergência das ideias e lhes damos as boas vindas… Depois vamos para o segundo passo, que é analisar cada uma dessas ideias do ponto de vista prático para ver quais são viáveis e realizáveis no curto, médio e longo prazo… Avaliamos o fator tempo, recursos, possibilidades e, a partir disso, já teremos algumas ideias claras de para onde ir e o que fazer para realizar nossos sonhos e visões, sejam esses planos para o ano, para alguns anos ou mesmo, apenas para o ciclo vigente! E Boa sorte! De modo mais prático, o dia está favorável para encontrar amigos, para socializar e fazer coisas diferentes da nossa rotina básica. É bom estarmos abertos ao improviso e permanecermos desapegados quanto á forma como as coisas devem fluir.

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 29 de janeiro – Mercúrio está em conjunção exata a Plutão. A Lua faz trígono a Júpiter e sextil a Saturno, aspecto depois do qual fica vazia, às 03h53min. Ingressa em Peixes às 14h11min e fecha a noite em conjunção a Netuno. O Sol segue sem se comunicar com ninguém. Um novo ciclo do Poder das Ideias começa hoje e temos a chance de olhar com uma lupa para nossos conceitos e preconceitos, com o objetivo de transformá-los e nos tornarmos mais conscientes do que é necessários fazermos para pôr nossas ideias em prática, sendo éticos e íntegros na forma como nos comunicamos com o mundo, tendo clareza sobre o que precisamos abrir e revelar e o que é aconselhável manter apenas para nós mesmos. A manhã de domingo está aberta a ponderações, análises das nossas atitudes passadas e presentes que podem estar atrapalhando ou ajudando na execução dos objetivos e no nosso desenvolvimento como pessoa. É um bom momento para reafirmarmos as atitudes positivas e para nos liberarmos daquelas que atrapalham e nos afastam do caminho que queremos tomar. A tarde fica mais sensível e pede introspecção, limpezas energéticas ou programas que alimentem a alma de beleza e esperança. Meditação, oração, arte, música, dança, contemplação… São todas atividades recomendadas. Já o álcool, é melhor ficar de fora da equação!

Uma ótima semana para você!

Antonio Siqueira - Reprodução
Antonio Siqueira – Reprodução

A Semana Astrológica – De cair o queixo!

Reprodução
Reprodução

Semana de 19 a 25 de dezembro – Semana de soltar e liberar o velho que não serve mais e abrir-se para o novo, de maneira harmoniosa, sem sofrimentos desnecessários. Revisões e reavaliações estão duplamente na agenda do período!

Reprodução
Reprodução

A Penúltima semana do ano vem marcada por muitos acontecimentos astrológicos importantes, que a tornam forte e intensa, além de ser uma semana especial no calendário convencional. Uma semana que, apesar de todo esse dinamismo, traz um tom melancólico de desamparo como pano de fundo, devido a todos os acontecimentos recentes, no Brasil e no mundo. Todas essas “reformas” aprovadas por um congresso que só legisla em causa própria, descaramente – queria ver eles reformarem e enxugarem mesmo era os números de deputados e senadores, isso sim! Os conflitos e manifestações nas ruas, o clima de incerteza e desolação… Mas, principalmente o conflito na Síria, com destaque para as notícias sobre Aleppo – que coisa trágica e terrível, o que seres humanos são capazes de fazer com outros seres humanos, por poder, controle, dinheiro, intolerância… Eu tinha falado que a semana passada tinha um pouco mais de leveza, devido à Lua Cheia de Gêmeos, à culminação do ciclo, sem me atentar para o mundo. Sinto muito, pessoal. A gente quer trazer um tom otimista, elevado, mas tem horas que é bem difícil. Oremos, vigiemos e cuidemos da nossa vibração, para não nos deixarmos levar pela desesperança. E oremos muito pela Síria e por todas as pessoas que estão em áreas de conflito. Edição: há rumores de que algumas das notícias e vídeos sobre Aleppo seriam forjados e falsos. No mundo de hoje, nem sempre conseguimos verificar a veracidade de tudo, mas é inegável que há um grave conflito em andamento já há dois anos, independentemente dessas notícias supostamente falsas. Eu assisti a vídeos de canais sérios, que não deixam dúvidas quanto à gravidade da situação. Não se trata de discutir aqui as razões e os porquês, o terrorismo ou a legitimidade do governos ou as razões dos rebeldes, apenas de enviarmos nossas orações àquelas pessoas que estão expostas a toda a violência, vivida em inúmeras formas.

Reprodução
Reprodução

Falando em poder, Mercúrio abre a semana ficando retrógrado, na segunda-feira, inaugurando o tempo das revisões, reflexões e reanálises, que neste caso ganham ares de reflexões anuais, pois todos estão reflexivos acerca do ano que finda e das expectativas para o outro ano que vai começar. Mercúrio fica retrógrado em conjunção a Plutão e Fora dos Limites do Sol e isso nos diz que nesta retrogradação Mercúrio cavará muito fundo para descobrir os segredos e assuntos escondidos e os podres dos podres poderes estabelecidos – perdão pelo trocadilho irresistível – trazendo à superfície muitos esqueletos petrificados, que poderão causar muito espanto e indignação. Mas sempre é tempo de se falar a verdade e de se escancarar informações que interessam a muitos mas que foram suprimidas e obstruídas por poucos – obviamente, devido a interesses escusos. Mercúrio também é foco de uma T-Square, já que faz quadraturas a Júpiter e a Urano, que estão em oposição: é preciso identificar quais são as ideias e conceitos ultrapassados que funcionam como prisões mentais e que inibem ou impedem nosso crescimento – neste caso, não precisamos que ninguém de fora nos limite em nada, porque nós mesmos já fazemos isso, ao nos fechar ao novo, às novas ideias, ao nos recusar a ver o mundo de perspectivas diferentes daquelas a que estamos acostumados – Mercúrio retrógrado nessa T-Square nos dá de presente a oportunidade de rever todas essas ideias retrógradas. Em termos pessoais, Mercúrio retrógrado em Capricórnio sugere que revisemos nossas metas e objetivos profissionais e de carreira, assim como nosso papel social e nosso lugar na comunidade. E, claro, revisão da nossa comunicação e dos conceitos mentais que temos a respeito dessas áreas! De forma mais prática, não é um bom período para se comprar aparelhos eletrônicos, especialmente telefones celulares e computadores; também não é um bom momento para se assinar contratos e documentos importantes – quem puder, faz bem em esperar. Mercúrio volta ao movimento direto no dia 08 de janeiro de 2017.

Reprodução
Reprodução

O Sol ingressa em Capricórnio, marcando o Solstício de Verão no Hemisfério Sul e de Inverno no Hemisfério Norte. Um novo ciclo trimestral começa e uma mudança sutil na energia toma lugar. Lá no Norte a Terra descansa e dorme, cá no Sul é tempo de abrir-se à força da vida e de cuidar das plantações para que a colheita seja boa e plena. No Solstício temos o dia mais longo do ano no Hemisfério Sul, porque o Sol está na declinação mais meridional, a 23°27’, atingindo o Trópico de Capricórnio. Como é a posição em que o Sol está mais distante do Hemisfério Norte, naquela região dá-se, o contrário, o dia mais curto e a noite mais longa do ano. De Capricórnio o Sol faz sextil a Netuno, mas este aspecto só se completa na semana que vem. O trânsito do Sol por Capricórnio ressalta a necessidade de cuidarmos das nossas obrigações mundanas, de investirmos na profissão e na carreira, verificando o comprometimento e disciplina necessários para atingirmos nossos objetivos materiais e sociais. Prestígio é o reconhecimento público por aquilo que fazemos bem feito, com maestria; pela autoridade desenvolvida no longo e incansável aprendizado, sem queimar nenhuma etapa. Em Capricórnio somos convidados a refinar nossa autoridade e ocupar com maestria nosso lugar no mundo.

Group Of Friends Making Toast Around Table At Dinner Party
Group Of Friends Making Toast Around Table At Dinner Party

Vênus em Aquário faz aspectos de harmonia com Júpiter, Saturno e Urano, aumentando a aproximação e sendo uma ponte entre Saturno e Urano, que atualmente estão numa conversa amistosa, uma conversa que dura quase todo o ano de 2017, como já ressaltamos no texto da semana passada. Em contato com esses planetas, Vênus convida a expandir nossas relações para além do escopo meramente pessoal; as relações precisam ter um impacto de mudança, benéfico e transformador, no mundo em que vivemos. Em termos mais pessoais, esses contatos nos falam de um tempo de maior entendimento e estabilidade nas relações, propiciando aos parceiros crescerem e se ajudarem mutuamente, a relação ajudando-os a superar dificuldades individuais ou vice-versa. Favorece também a convivência e a camaradagem entre amigos.

Reprodução
Reprodução

Marte ingressa em Peixes, abrindo uma temporada desconfortável para a assertividade, visto que Marte neste signo avança de maneira incerta em direção aos objetivos. Com Marte em Peixes precisamos empenhar o coração e engajar a imaginação e a sensibilidade para realizar nossos projetos. É um posicionamento poético, sutil e gentil quando positivo – a força da gentileza é uma boa tradução para este posicionamento. Quando negativo pode recorrer à agressividade passiva, pode ser manipulador e agir na surdina. Tem receio de confrontações diretas e dificuldade em se defender ou em perceber a própria vontade como legítima, porque geralmente há uma sensação de sacrifício acompanhando este posicionamento. Tem dificuldade também em perceber quem são seus inimigos e assim pode ser meio paranoico e explodir em horas inapropriadas, por não saber dosar a liberação do impulso agressivo e nem a quem dirigi-lo assertivamente. É ótimo para as artes e profissões criativas em geral. Surpreendemente, também é excelente para os esportes competitivos, porque nos esportes a pessoa aprende a descobrir sua vontade, seu desejo pessoal, assim como sua força e seu instinto agressivo e aprende a canalizá-los adequadamente. As atividades físicas, especialmente as artes marciais são ótimas ferramentas para se lidar com problemas de gestão da raiva, que às vezes aparece quando Marte está neste signo, principalmente fazendo aspectos tensos.

Reprodução
Reprodução

Saturno em Sagitário faz o primeiro trígono exato a Urano em Áries, exatamente no domingo, dia de Natal, faz quadratura a Quíron na semana que vem e Júpiter fecha a semana também em oposição quase exata a Urano, de maneira que este fim de ano provavelmente trará muitas surpresas, muitos eventos abruptos e estranhos, especialmente no campo das leis e da justiça, das religiões, do conhecimento e das riquezas. Notícias de última hora podem nos deixar de boca aberta e queixo caído, literalmente, especialmente considerando-se que Mercúrio estará retrógrado. Conflitos já em andamento podem ser piorados e outros podem surgir, muitos deles motivados por questões religiosas. Fiquemos todos muito atentos e tomemos cuidado para não nos deixarmos levar pela empolgação de outros  ou mesmo nossa, empolgação que não tenha razão de ser, que não tenha fundamento. A primeira oposição Júpiter-Urano fica exata na segunda-feira, dia 26.

waning-backdrop-drop
Reprodução

A Lua abre a semana na fase Disseminadora, em Virgem, onde também fica Minguante, na terça-feira. Reequilibra-se em Libra, mergulha fundo na intensidade de Escorpião, onde se torna Balsâmica e onde encerra o domingo e a semana. A Lua será Nova a 07°59’ de Capricórnio na quinta-feira, dia 29.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 19 de dezembro – Marte ingressa em Peixes às 06h23min e Mercúrio está oficialmente retrógrado a partir das 07h55min. A Lua Virginiana faz conjunção ao Nodo Norte, sesqui-quadratura a Urano e oposição a Netuno. A Lua ainda faz quincúncio a Vênus e trígonos a Mercúrio e Plutão, fechando a noite em quadratura não exata a Saturno. O dia traz influências contraditórias: ao mesmo tempo em que amanhecemos cheios de uma energia industriosa, dispostos a resolver problemas, trabalhar e seguir em frente com os compromissos, por outro lado, uma certa letargia também nos acomete, causando confusão, dúvidas e dispersão. Talvez esta influência se manifeste na forma de situações diversas que ocorrem ao nosso redor, tirando a concentração ou exigindo nossa atenção e causando preocupações, pois despertam nosso desejo de ajudar e ser úteis àqueles que precisam de nós. Para lidar com tais dilemas, precisamos fazer o que Virgem faz de melhor: organizar as tarefas e o dia e priorizar o que é mais importante, estando muito conscientes de que não é possível fazer tudo, muito menos salvar o mundo de todas as suas mazelas, mesmo que estejamos agudamente cientes desse sofrimento e dessa dor. Pequenos gestos e atitudes podem fazer a diferença para quem está perto de nós e podem reverberar para locais e situações que nem imaginamos. Para o sofrimento lá de longe, mandamos uma prece sincera e nossas melhores vibrações. E focamos no trabalho, focamos em fazer a nossa parte bem feita, o melhor que podemos dar.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 20 de dezembro – De Virgem a Lua quadra Saturno e se opõe a Quíron, formando uma T-Square Mutável e ativando muito a quadratura Saturno-Quíron. Dona Lua ainda se irrita muito com Urano e faz quadratura ao Sol, entrando na fase Minguante, às 22h55min, ficando vazia logo depois deste aspecto, às 22h57min. Ingressa em Libra às 23h40min. A sensação de frieza e solidão está forte hoje e acordamos desassossegados, meio deprimidos, muito cientes de tudo que não vai bem, seja conosco, seja no mundo. Um peso enorme se abate sobre nós e talvez nos julguemos muito duramente por causa de todos os nossos pequenos (ou grandes) defeitos, problemas e dores. Se não nos damos conta disso a tempo, podemos azedar as interações, criticando e julgando com a mesma dureza aos outros que topamos pelo caminho, ou nos sentimos criticados e julgados injustamente, o que nos deixa mais cabisbaixos. Mas podemos aproveitar essas influências para verificar o que podemos fazer, de fato, sobre tais questões ou problemas. Ao invés de ficar remoendo internamente, podemos tomar medidas práticas que nos façam sentir melhor, algo realista e factível, que, se não resolve tudo, pelo menos nos permite sentir menos passivos e vitimizados. Ainda assim, precisamos observar que há coisas que não são passíveis de modificação e a essas, só podemos abraçar e aceitar, sem sucumbir à desesperança nem à anestesia que torna a vida mais fácil, mas também mais cinzenta e insossa. Somos quem podemos ser e só conseguimos mudar e aspirar a um futuro diferente, quando fazemos as pazes com aquilo que somos no presente. Ademais, cada dia traz a oportunidade de alargarmos nossa percepção, se apenas nos abrirmos a isso.

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 21 de dezembro – O Sol ingressa em Capricornio às 08h45min (10h45min para Lisboa), marcando o Solstício de Verão no Hemisfério Sul (Inverno no Hemisfério Norte). A Lua, Minguante e Libriana, faz quincúncio a Marte, recém ingresso em Peixes e depois a Netuno. Chegamos ao último trimestre do ano astrológico. A ingressão do Sol dá o tom de como vai ser esse trimestre, até o Equinócio de Outono, em março de 2017. O mapa da Ingressão avisa que muitas coisas estão ocultadas das nossas vistas e da nossa consciência. Embora o que aparece no alto pareça positivo e promissor, é preciso cautela, porque coisas essenciais não estão sendo consideradas, especialmente na política e no que tange ao Poder Executivo e à autoridade máxima do país. Muita coisa pode mudar num piscar de olhos, quando menos se espera. Em termos mais práticos, temos uma mudança sutil, que nos torna mais pragmáticos e realistas, dispostos a lidar com os problemas conforme de apresentam. Por sua vez, o dia traz discordâncias entre nossa predisposição interna e os encontros que temos no mundo. O desejo forte por harmonia e tranquilidade é quebrado por uma percepção de que as situações são menos do que ideais e uma sensação de desapontamento quebra o sossego interior. Isso pode se dar a partir de discussões bobas ou divergências na forma de de sentir o mundo ou de fazer as coisas, como se estivéssemos andando contra o vento. Achar pontos em comum com o outro faz-se muito difícil, mas isso não tem que ser impedimento para a convivência civilizada, desde que se respeite as diferenças e até se perceba valor nelas. Para que consigamos ir adiante com as tarefas e obrigações é necessário chegar ao entendimento tácito de que não é possível agradar a todos, nem mesmo àquelas vozes internas que teimam em nos cutucar irritantemente, demandando atenção. Qual criança que não vai se aquietar enquanto não lhe dermos ouvidos, podemos escutar as tais vozes e, mesmo que não consigamos atendê-las, elas se aquietarão se forem reconhecidas e adequadamente endereçadas. E poderemos andar a favor do vento e ver onde ele nos leva.

the Marazmo - Reprodução
the Marazmo – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 22 de dezembro – A Lua Libriana se desequilibra na contenda com Mercúrio e Plutão. Porém a Lua também se harmoniza com sua dispositora, Vênus, faz conjunção a Júpiter e dialoga, tranquila, com Saturno. Mas ela ainda se opõe a Urano e fica vazia depois, às 17h33min, tendo problemas ainda com Quíron e outros mais inconscientes com Netuno. As discussões podem ser inflamadas e duras hoje, de modo que é preciso muita cautela na comunicação – indubitavelmente, a palavra pode ferir ou curar dependendo de como a proferimos e da nossa intenção primeira, portanto, é preciso estar muito atentos às nossas motivações mais profundas, para não sermos destrutivos e sarcásticos na comunicação e nas interações em geral e sem recorrermos à agressividade passiva também. Transformar as relações e ter uma comunicação mais honesta e verdadeira, sem que isso signifique uma comunicação civilizada e contida na expressão, mas cheia de veneno no conteúdo, tudo sob o disfarce da “sinceridade”. É preciso ser honestos conosco mesmos e não ceder somente para agradar, do contrário, incorreremos no pior tipo de deslealdade: a deslealdade consigo mesmo. Dizer não e eliminar da vida as insiceridades que fazem mal e que empesteiam as relações. Identificar as práticas espúrias e insidiosas, disfarçadas sob o verniz da civilidade e do bom tom e eliminá-las de uma vez por todas. Chega de tolerar o intolerável, em nome da civilidade e da boa convivência. Não somos obrigados a aceitar e conviver com aquilo que não concordamos, com aquilo que vai contra nossos valores, com aquilo que é visivelmente injusto e desonesto. E isso pode ser feito ser feito com firmeza, de forma decidida e até enérgica, mas ainda assim, gentil, enxergando que o outro é meu espelho e carrega muito de mim e, mesmo que não respeite suas práticas, preciso respeitar o humano por trás delas. Não temos que ser rudes desnecessariamente. É possível ser íntegro e firme e ainda assim ser respeitoso e gentil.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 23 de dezembro – A Lua abre o dia fora de curso em Libra e ingressa em Escorpião somente às 12h33min, de onde faz trígono a Marte e sextil ao Sol. Saturno marcha para completar o trígono a Urano e Júpiter também caminha para a oposição a ele. A manhã traz horas propícias à reflexão calma de todas as coisas que precisamos eliminar de nossa vida que vão contra nossos valores, mas que viemos tolerando pela política da boa vizinhança. Jogos de interesses; a postura excessivamente diplomática que esconde o medo de perder regalias ou posição social;  a atitude morna de quem vive permanentemente em cima do muro, por medo de se posicionar e manchar a própria figura sob o olhar da sociedade… Identifique nas suas relações o que precisa ser eliminado de forma categórica e cirúrgica, para tornar as relações mais íntegras e plenas. A manhã também fica sujeita a muitos imprevistos que perturbam a harmonia e o desejo por paz. Contudo, é debalde indispor-se contra isso e o melhor é fluir com os acontecimentos. À tarde as energias ficam mais densas e nos sintonizamos mais intensamente com os sentimentos, sensações e com nossa vontade mais profunda. Assim, podemos ganhar nosos insights sobre as eliminações que ainda precisamos fazer e trabalhar apaixonadamente naquilo que faz mais sentido para o nosso coração. Ainda assim, imprevistos continuam a ocorrer e precisamos estar preparados para lidar com eles, conforme acontecerem.

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 24 de dezembro – A Lua está minguante em Escorpião e faz trígono a Netuno em Peixes e sextil a Mercúrio retrógrado e a Plutão, ambos em Capricórnio. Saturno está em trígono a Urano. Energias bastante densas colorem o dia, convidando-nos a uma reflexão aprofundada das sensações e pensamentos que nos ocorram, buscando maneiras de vivenciá-los de forma prática, agregando sensibilidade e imaginação às tarefas diárias e prosaicas, colocando o coração e a alma naquilo em que estamos envolvidos. Podemos identificar muitas situações que demandam resolução, que exigem ser transformadas. Talvez não consigamos alterar tudo, mas podemos ter uma percepção mais clara das possibilidades, o que podemos mudar e o que tem valor do jeito que está. Sabemos que a mudança pela mudança pode ser tão destrutiva quanto não mudar de jeito nenhum, assim, analisamos quais modificações são, de fato, necessárias e traçamos planos concretos para realizá-las. As dificuldades, ao invés de nos desanimar, devem nos dar impulso e funcionar como combustível para fazer o que tem que ser feito. O clima da ceia de Natal está intimista e sensível, de modo que não queremos reuniões que acontecem somente pela obrigação ou pelas convenções. Queremos estar com pessoas que nos são caras, verdadeiramente, sem falsos laços, sem vínculos de mentirinha… E se temos tudo isso, precisamos agradecer. Caso isso não seja possível e nos vejamos forçados estar onde não queremos, com quem não gostamos realmente, talvez nos deparemos com situações melindrosas e constrangedoras nas reuniões familiares, onde verdades são cuspidas com intenção de ferir e chocar. Tendo isso em mente, podemos nos preparar para uma ceia cujo prato principal seja a compaixão e o amor verdadeiro, tanto os sentimentos pessoais por aqueles que nos cercam, quanto no plano impessoal, humanitário, vibrando amor, compaixão e cura a todos os seres vivos da Terra. Os presentes? Nesse mundo consumista e hiperconectado, o mais importante é estar presente, verdadeiramente, quando estamos com as pessoas.

Candido Portinari - Reprodução
Candido Portinari – Reprodução

DOMINGO, 25 de dezembro – Saturno em Sagitário está em trígono pleno a Urano em Áries. Vênus faz trígono a Júpiter, sextil a Saturno e a Urano. A Lua míngua em Escorpião e faz quadratura a Vênus em Aquário, ficando vazia depois, às 05h24min. A Lua ainda se desentende com Urano, se afina com Quíron e faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Balsâmica. O dia traz influências e emoções agridoces. Por um lado, há uma sensação de contentamento simples, um calor de quem se percebe estar no lugar certo, fazendo as coisas certas, com as pessoas com quem se queria estar. Há uma aceitação serena da vida como ela é e a percepção das coisas que podem ser melhores e do que fazer para melhorá-las, sem que isso implique numa destruição completa daquilo que nos dá suporte. Contudo, há também percepções de que certas crenças e visões estão ultrapassadas e estas precisam ser endereçadas sem demora, do contrário nos acharemos lutando batalhas inglórias, vazias de sentido, como um Dom Quixote que precisa combater inimigos fantasiosos, porque é incapaz de lidar com os inimigos e desafios reais da vida que se apresenta. A batalha mais dura e mais difícil, é sempre conosco mesmos, com nossa preguiça e acomodação, com o desejo de ter as coisas facilitadas e abrandadas, quando deveríamos ir de peito aberto em busca de uma vida mais íntegra e com mais significado. Da mesma maneira, a mais doce e saborosa das vitórias é essa vitória sobre as nossas desculpas e retrocessos. A fase Balsâmica nos convida a deixar para trás, de vez, essas desculpas e olhar para o futuro com mais confiança em nós mesmos, revendo essas crenças e abrindo-se ao novo e às mudanças necessárias.

Desejo a todos uma ótima semana e um Natal de paz, harmonia e bênçãos, junto àqueles que lhes são caros!

Image result for feliz natal presépio

Reprodução
Reprodução

A Semana Astrológica: Estrutura de Ferro, Vontade de Aço

Reprodução
Reprodução

Semana de 17 a 23 de outubro – Semana de turbulências – forte energia de realização, mas que se não for devidamente canalizada, pode se manifestar destrutivamente. Tendência a muitos e exasperantes imprevistos.

Reprodução
Reprodução

 

Depois da explosiva Lua Cheia de Áries, que culminou o ciclo dos relacionamentos no domingo, o Sol se despede de Libra e adentra as águas fixas e escuras de Escorpião na sexta-feira, 21 de outubro. O trânsito do sol por Escorpião vem chamar nossa atenção para os ciclos de vida, morte e renascimento, para a necessidade de eliminação e regeneração. Vem também nos fazer refletir sobre nossas relações mais íntimas, aquelas em que compartilhamos coisas que vão além das civilidades educadas dos salões refinados de Libra. Aqui precisamos nos defrontar com nossa própria toxicidade, nossa sombra mais densa e também o veneno que subjaz na natureza humana, tão bem disfarçado pela estética Libriana. Lidamos com nossa própria destrutividade e com o que há de pior em nós, não para nos culpar, mas para confrontar esse lado mais reptiliano e instintivo e trazê-los à luz da consciência. As relações têm o tom da intensidade e da profundidade, porque cavamos até chegar à raiz das coisas. Esse é o ciclo de Escorpião.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio segue todo diplomático por Libra, mas sua diplomacia vai pelo ralo no confronto com Urano e Quíron por estes dias. Sua voz doce e suave, os discursos conciliatórios e os “deixa disso” são desafiados e somos obrigados a dizer o que realmente pensamos, de forma direta e clara, sob pena de perdermos amizades, acordos e demais relações porque as pessoas talvez não aturem mais as posturas “em cima do muro” ou excessivamente envernizadas. Há muitas ideias, ideias em profusão, muitas novidades, muitas surpresas, especialmente nos meios de comunicação e na mídia em geral. Mas algumas todas essas ideias nos fazer sentir ansiosos, inquietos e muito dispersos, de modo que talvez elas não sejam muito práticas. A mente e a boca que seguraram com muito tato e cuidado opiniões menos agradáveis agora ficam sem censura e nos vemos dizendo coisas “impróprias”, que trazem uma transparência “forçada” nas relações. Pode até ser desagradável, mas nos obriga a lidar com nossa “falsidade” ou a dos outros. Talvez nem seja uma falsidade maldosa, do tipo destrutiva. Antes, são as “mentiras brancas”, que contamos porque não queremos magoar ou desagradar, mas que no fim, no longo prazo acabam por minar a confiança, a transparência e espontaneidade das relações. Mais um round para a verdade!

Iris Succatto Ilustrações - Reprodução
Iris Succatto Ilustrações – Reprodução

Vênus já vai bem adiante do Sol, aparecendo atualmente nos céus como Héspero, a Estrela Vespertina. Distancia-se do Sol já se preparando para seu próximo ciclo de retrogradação, que ocorrerá entre os signos de Áries e Peixes. Nesta semana Vênus ganha os campos abertos e livres de Sagitário e joga ênfase no amor pela filosofia, pelo conhecimento maior, pelas grandes viagens e pelas culturas estrangeiras. Em Sagitário Vênus é uma cidadã do mundo e adora botar o pé na estrada, para explorar a si mesma e sua própria natureza diante do desconhecido. Seus valores são a liberdade, a justiça, o conhecimento, a religiosidade no seu sentido mais amplo e as paisagens exóticas e selvagens. Os afetos ficam mais soltos e menos afeitos a compromissos e amarrações – Sagitário odeia se sentir cerceado e preso ao que quer que seja. Há uma qualidade leve, alegre, bem-humorada e um tanto irresponsável inerente a essa Vênus. Entretanto, ela tem encontros tensos: Saturno, que cobra responsabilidade e comprometimento, algo meio complicado para Sagitário – e Netuno, que acena com possibilidades inefáveis, mas talvez ilusórias. Vamos ver como isso vai se desenrolar mais à frente! Interessante notar que Vênus e Júpiter estarão em recepção mútua, já que Júpiter trafega o signo de Libra, que é regido por Vênus e Vênus vai adentrar o signo regido por Júpiter. Isso sugere uma grande camaradagem entre eles, independentemente de haver ou não aspectos ocorrendo. Vênus fica em Sagitário de 18 de outubro a 12 de novembro, quando ingressará em Capricórnio.

Robert Downey Jr, que interpreta o Homem de Ferro, não por acaso, tem Marte conjunto a Plutão e Urano, em virgem.
Robert Downey Jr, que interpreta o Homem de Ferro, não por acaso, tem Marte conjunto a Plutão e Urano, em virgem.

Mas a grande ação da semana é a conjunção de Marte a Plutão, em Capricórnio. A conjunção de dois planetas que têm a ver com a sobrevivência (Marte, a do indivíduo, Plutão, a da espécie), com a força de vontade e com o impulso para se provar e deixar sua marca no mundo já nos diz que é uma semana vigorosa e intensa. Marte acelera, põe fogo e adiciona ímpeto a tudo o que toca; já Plutão, intensifica e torna tudo um caso de vida ou morte. A mistura fala, então, de uma resiliência a toda prova, de uma vontade de aço, inflexível e absurdamente realizadora e de uma ambição desenfreada, que obviamente deve ser canalizada para fins nobres, ou então se torna destrutiva, a ponto de virarmos um rolo compressor que esmaga a tudo e a todos que se ousem se colocar em nosso caminho, especialmente por se tratar do signo de Capricórnio, conhecido por sua frieza e secura. Essa conjunção, no mapa natal, denuncia uma estamina formidável e um manancial de energia, física e psíquica quase infinitos, energias que agregam competitividade, audácia, temeridade e, às vezes, destrutividade, porque não temos freios, não temos medo de nada e assim, nos expomos a situações potencialmente destrutivas – só acaba quando termina! Com Marte-Plutão, a pessoa é feita de ferro, ou quase! Esse movimento sinaliza a necessidade de nos engajarmos em projetos que demandem toda essa estamina e energia, do contrário, podemos arrumar confusão, especialmente se essa conjunção fizer aspectos tensos no mapa natal. Esportes, trabalhos e atividades físicos ou qualquer outra coisa em que possamos nos jogar com todo impulso e com toda a força da nossa paixão e garra estão recomendados.

Reprodução
Reprodução

Júpiter vai avançando por Libra e já se indispõe com Netuno em Peixes. Um momento em que constatamos diferenças irreconciliáveis nas nossas parcerias e interações; essas diferenças podem ter a ver com aquilo que acreditamos e esperamos, esperanças que podem estar coloridas de um irrealismo ingênuo. Questões inconscientes podem minar nosso otimismo e desejo de crescimento – talvez ainda almejamos que as coisas se resolvam num passe de mágica, sem esforço? Talvez gostaríamos de passar por cima dos limites do tempo e da realidade, com uma providencial varinha de condão, que a tudo transforma magicamente? Há que se ter cuidado com essas fantasias duvidosas de crescimento sem lastro – podem nos levar para o buraco ou, no mínimo, podem causar muita confusão! Atenção também para discursos de líderes ou segmentos religiosos, que podem ser enganosos ou contar apenas meias verdades.

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Cheia, já em Touro. Torna-se Disseminadora e muito falante em Gêmeos na terça-feira e oficializa o Quarto Minguante novamente no signo de Câncer – na quadratura Câncer-Libra. Fecha a semana em Leão. O diálogo que vai travando com os demais corpos celestes simboliza a mudança nas nossas emoções, sentimentos, humores, necessidades e no próprio cotidiano.

Kindra Nicole - Reprodução
Kindra Nicole – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 17 de outubro – A Lua abre o dia em Touro, em desarmonia com Júpiter em Libra e em cooperação com Netuno, de modo que temos uma configuração Dedo de Deus formada por algumas horas na madrugada. Ela encrenca também com Saturno em Sagitário e com Mercúrio em Libra e temos formado outro Dedo de Deus, super amplo, do qual a Lua é o foco. Mais tarde ela se harmoniza com Marte e Plutão em Capricórnio, ficando fora de curso depois disso, às 12h48min. Ainda se enternece no contato com Quíron. A madrugada traz sonhos confusos e caleidoscópicos, possivelmente de cunho espiritual, que podem trazer muitos insights acerca de assuntos importantes e sobre nossas crenças. O dia fica carregado e pesado, cheio de incongruências, em que temos que lidar com nossas próprias idiossincrasias ou as de terceiros, o fato é que as coisas podem ficar meio travadas, como um graveto enganchado nas engrenagens, impedindo a máquina e o movimento de fluir placidamente. Dessa forma, a segunda começa meio arrastada e vai engrenar mesmo lá pelo meio-dia, quando renovamos nossa energia e nos lançamos aos projetos com mais decisão e foco. Contraditoriamente, como a Lua fica vazia logo depois, temos que ter alguma ponderação para intuir a melhor atitude, pois há falta de objetividade. Com a Lua vazia pelo resto do dia, a tarde pede rotina, sem alvoroços.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 18 de outubro – Vênus ingressa em Sagitário às 04h01min e a Lua, que abre o dia vazia em Touro, entra em Gêmeos às 11h30min, de onde logo se opõe a Vênus. A Lua faz sesqui-quadratura a Mercúrio. O dia começa lerdo, parado, pesadão… Difícil se arrastar da cama – só na base da água na cara mesmo! E assim segue a manhã: bem modorrenta e calminha, com tudo acontecendo em câmera lenta, ao ponto da exasperação para os mais apressadinhos. Pelo fim da manhã a energia muda e adquire desenvoltura, dinamismo e movimento. É quase como ligar o plug na tomada: ganhamos vida nova, luz nova e carga extra de energia. As conversas fluem, as ideias pipocam, o coração se compraz nas análises das diversas possibilidades e desdobramentos do aqui e agora. Se antes não havia estímulo, agora tem em demasia e este é o risco maior: resvalarmos na atividade vazia, no humor meio histriônico, na falação sem estribeiras. Num sentido mais positivo, é uma tarde boa para os escritos, as entrevistas, as conversas, as elucubrações mentais.

Brooke Shaden Photography - reprodução
Brooke Shaden Photography – reprodução

QUARTA-FEIRA, 19 de outubro – A Lua Geminiana se harmoniza lindamente com Júpiter em Libra, mas se envolve num diálogo confuso com Netuno e noutro muito tenso com Saturno, pela manhã. Faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Disseminadora. À tarde a Lua tem incongruências com Marte e Plutão, que hoje estão em conjunção exata, uma unidade imbatível! À noite dona Lua ainda briga com Quíron, enquanto dialoga harmoniosamente com Urano e Mercúrio, que hoje está em quincunce exato a Quíron. Dia complicado, de influências sorrateiras, que minam nossa segurança e paz de espírito. Estamos sensíveis e melindrosos, captando todas as correntes ao redor, que nos confundem e atrapalham o discernimento, de modo que não sabemos direito onde nos encontramos na ordem das coisas. Pescando os humores do entrono – principalmente os mau-humores e as tristezas – ficamos mais inseguros, com a sensação de algo está a se armar contra nós, de que estamos na berlinda, embora não tenhamos clareza para identificar o problema. Nesse estado de desconfiança, isolamo-nos e fechamo-nos em copas, como um mecanismo de defesa e não percebemos que acabamos por afastar outras pessoas de perto de nós. Vemos crítica e julgamento onde não existe e isso carrega um pouco mais o clima. A auto-imagem fica negativa e entramos num looping de autoflagelação e autocobrança, que vira um círculo vicioso. O melhor que fazemos é pegar leve e dar um “desconto” para todas essas sensações, aventando a possibilidade de estarmos equivocados em nossa assimilação julgamento das situações. Se possível, é melhor evitar tomar decisões sérias hoje, exatamente porque esse julgamento está comprometido. Amanhã é um novo dia!

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 20 de outubro – Mercúrio em Libra está em oposição exata a Urano em Áries. A Lua faz trígono ao Sol e fica vazia depois, às 08h18min. Ingressa em seus domínios Cancerianos às 12h29min, de onde se indispõe com Vênus em Sagitário. A Lua fecha a noite em quadratura a Júpiter. O bom-mocismo e civilidade estão bastante em baixa hoje: pensamos, falamos e agimos precipitadamente e nem nos damos conta dos calos em que vamos pisando enquanto pulamos cercas e muros. A influência é ainda mais potente caso tenhamos ficado muito tempo engolindo sapos, investindo na política do “deixa disso”, botando panos quentes em tudo, para não falarmos o que realmente pensamos – nesse caso as opiniões, antes guardadas sob frases bem elaboradas e cheias de volteios, agora são cuspidas peremptoriamente, sem tato, sem papas na língua, causando, talvez, mais estragos do que teria, tivéssemos nós sido sinceros previamente. Num tom mais positivo, o dia está propício para sermos mais diretos e na comunicação. Isso não quer dizer ser grosseiro – há várias maneiras de ser honesto e firme, sem faltar com a educação, basta que sejamos assertivos, como a Rainha de Espadas consegue ser: límpida, direta, arguta. Também é preciso se questionar, antes de falar, se o que temos a dizer de fato vai contribuir com o debate, ou se estamos apenas querendo chocar, pelo prazer de chocar. Em termos práticos, há muita inquietude mental, impaciência, ideias inovadoras e estímulos mentais em excesso, de modo que é preciso respirar e centrar para não falarmos e agirmos com precipitação. Não é um dia favorável para nos atirarmos a atividades que requeiram foco, disciplina e responsabilidade, porque a influência está mais propícia para experimentações, para aventar novas possibilidades e novos conceitos, para dialogar com novas vertentes em várias áreas – desde que haja respeito pelas opiniões divergentes.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 21 de outubro – De Câncer a Lua quadra Júpiter em Libra e faz uma ampla T-Square cardinal, porque também se opõe a Marte-Plutão em Capricórnio. A Lua se afina com Netuno, mas espicaça Saturno. Fecha a noite em atrito com Vênus, mas em harmonia com Quíron. Pequenos dramas que são exacerbados agudamente dão o tom do dia. Inconstância de humor e de emoções nos colocam numa espiral que vai ampliando e reverberando, causando crises, melindres ou, no mínimo, desassossego, caso não interrompamos a montanha russa emocional. Sensibilidade, vulnerabilidade e chantagens emocionais estão no menu do dia. Quando confrontados com nossas criancices e rabugices, talvez damos piti, ficamos emburrados e atacamos como estratégia de defesa, mas essa, não é a melhor política porque só vai enfurecer ainda mais nossa audiência ou adversários, que são bem mais potentes que nós e não estão dispostos a nos dar colher de chá. Adotar atitudes mais diretas e limpas ainda é a melhor alternativa, do contrário, criaremos mais problemas, ao invés de soluções. Num tom mais positivo, se usarmos bem as influências, podemos transformar os dramas dispensáveis em investigações sérias sobre o porquê de nossa extrema fragilidade e espinhoso estado emocional. Imbuídos de maior honestidade de intenções, renovamos a estamina e a energia física e emocional e damos conta de atacar qualquer problema com maestria. Só temos a ganhar.

Catrin Welz-Stein
Catrin Welz-Stein –  Reprodução

SÁBADO, 22 de outubro – A Lua Canceriana faz sextil a Quíron e quadratura a Urano na virada do dia, sinalizando uma noite turbulenta. A Lua faz ainda quadratura a Mercúrio em Libra e forma uma ampla Grande Cruz Cardinal, pois ainda se afasta da quadratura a Marte-Plutão. A Lua fica Minguante ao quadrar o Sol, a 29°48’ de Câncer. Fica vazia menos de meia hora e ingressa em Leão às 16h34min. O Sol ingressa em Escorpião às 20h46min. O sono não é reparador, intercalado por sonhos, insônia, inquietações diversas, o que acaba por impactar no despertar, que ocorre com azedume. O dia transcorre tenso e sujeito a altos e baixos: o bebê dentro de nós se ressente das obrigações mundanas, num dia em que gostaríamos de nos fechar e talvez não interagir com ninguém. Emoções, sentimentos, ritmos orgânicos, pensamentos… tudo está em contradições, deixando-nos ainda mais indispostos e irritadiços. Contudo, não há alternativas: o mundo e as responsabilidades nos chamam e temos que responder a elas, do contrário, as consequências tornarão tudo mais pesado. A Lua fica minguante novamente na quadratura Câncer-Libra, e com isso enfatiza a necessidade urgente do crescimento e maturidade emocionais, sinalizados pela mudança de fase acontecendo nos últimos minutos dos dois signos cardinais. É mandatório olhar para nossas criancices e apreender o que elas estão a nos dizer. Como damos o salto libertador em direção a uma maior maturidade? Como nos autorizar a sentir, verdadeiramente, profundamente, sem que isso nos desequilibre? Como nos liberar dos padrões familiares asfixiantes, dos modelos ultrapassados de relações que nos foram passados, mas que já não funcionam? Como buscar segurança emocional, necessária, sem que isso vire uma dependência? Como honrar o passado sem nos prender a ele? São questões que vale a pena nos perguntarmos neste Minguante, para nos liberarmos do que precisa ir.

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 23 de outubro – De Leão a Lua conversa com Júpiter e e também com Vênus – na verdade é uma conversa a três, muito animada. Júpiter está hoje em quincunce a Netuno e, como a Lua também faz quincunce a ele e está em sextil a Júpiter, temos formado um Yod-Dedo de Deus EXATO, na distância de um minuto. A Lua ainda trava uma conversa edificante com Saturno em Sagitário, mas mais tarde se irrita muito com Plutão. Vênus fecha a semana próxima da quadratura a Netuno e do sextil a seu dispositor, Júpiter – Vênus e Júpiter estão em recepção mútua. O dia começa com uma energia adorável, alegre, auspiciosa. Temos um desejo de confraternizar, de encotrar amigos e bem-amados, para trocar e fortalecer os vínculos, ou para, simplesmente, brincar e nos divertir. Entretanto, apesar de toda a magnanimidade e efusividade, há um sabotador de plantão que talvez comprometa nossa percepção, de modo que talvez nos sintamos inseguros em alguns momentos, duvidando e desconfiando das nossas sensações, que até então eram tão boas. Sentimos como se houvesse algo errado, de alguma forma, como um pressentimento ruim, que fica incomodando como uma pedra ali no sapato, que não conseguimos tirar. Assim, nos sentimos vulneráveis e, ao invés de relaxar, ficamos meio em suspenso, desajeitados, fora de lugar. Talvez até tentemos provar para nós mesmos que estamos bem e vamos na onda dos outros, mas é falso e nos sentimos charlatões. Pelo meio da tarde as coisas ficam mais claras e conseguimo identificar o motivo de nosso desconforto, porque finalmente conseguimos acessar a origem do sentimento e, assim, avalia-lo e apreender o que tem a nos ensinar. O resto do dia está mais tranquilo, embora ainda tenhamos rompantes de insegurança ou de irritação aqui e acolá.

Uma ótima semana para você!

cachorro-com-flore
Reprodução