Arquivo da tag: Negociação

A Semana Astrológica – Cartas na mesa

Reprodução

Semana de 13 a 19 de fevereiro – Tempo de disseminar boas ideias e levar adiante aquilo que deu certo… O que é bom, deve ser passado adiante!

Estamos no período entre eclipses, que traz uma tensão latente, que ora se mostra intensa e escancarada, ora fica ali no segundo plano, trazendo alguma sensação incômoda, embora não saibamos porquê. Este é um período em que podemos já ver se manifestando algumas das “promessas” dos eclipses, conforme eles acontecem no mapa pessoal e convém ficarmos mais atentos, prestarmos mais atenção à intuição sobre onde ir e o que fazer… Essa temporada termina com o Eclipse total do Sol que ocorre no dia 26 de fevereiro a 08° de Peixes. Até lá talvez tenhamos muitos insights sobre o arco compreendido entre os signos de Leão até Peixes (e as casas do mapa natal em que cai), que é o arco trafegado pela Lua durante essa fase “especial”, de 10 a 26 de fevereiro. Isso porque a Lua, como símbolo dos sentimentos e emoções, está ainda mais sensível, como nossas emoções também ficam mais suscetíveis. Memórias podem aflorar espontaneamente acerca de coisas antigas, mal resolvidas, podendo ser finalmente liberadas, particularmente concernenetes ao eixo Leão-Aquário e Virgem-Peixes.

Travis Bedel – reprodução

E por falar no Sol, nesta semana ele ingressa em Peixes, exatamente às 09h32min do dia 18, sábado, onde encerra o ciclo astrológico anual. Antes disso, o Sol ainda dialoga frutíferamente com Saturno, o regente tradicional de Aquário, que oferece conselhos práticos e sábios acerca de como manifestar concretamente a visão Aquariana de melhoria e avanços. Em Peixes o ego, que esteve numa jornada para diferenciar, separar e individuar através das experiências de todos os 11 signos, agora volta para a fonte primordial de vida e se dissolve… Acaba-se o senso de separatividade, de “eu” e o desejo, o anseio profundo e intenso é voltar para os braços do Pai. Em Peixes sentimos com o outro, verdadeiramente e por isso nos inundamos de altruísmo e compaixão, muitas vezes sacrificando a nós mesmos pelos outros. Pessoas fortemente Piscianas têm essa aura meio etérea, como se não “estivessem aqui” – e eles não gostariam mesmo de estar, essa vida aqui é pesada demais, imperfeita demais! – como se fosse “de outro mundo”, daí a propensão a escapismos, para aguentar a “barra” e o peso da encarnação. Mas essa mesma proximidade com o mundo do inconsciente também propicia uma imaginação rica, sensibilidade infinita e grande talento para as artes em geral, particularmente para a música. Leia mais sobre Peixes.

Reprodução

Quem também está num clima cooperativo é o Mercúrio Aquariano que faz sextil a Marte em Áries. A mente trabalha afinada com a ação, de modo que essa ação se torna mais efetiva porque há um planejamento prévio que nos permite antever para onde estamos indo, ao invés de simplesmente fazer as coisas cegamente, por impulso e sem preparo. Tanto pensamento quanto ação se tornam mais diretos, honestos, ágeis e eficazes e podemos tirar bastante proveito de tal sincronia.

Artstreet – Flickr – Reprodução

Essa ajuda de Mercúrio, contudo, não é suficiente para segurar o destempero de Marte mais para o fim da semana, porque ele se aproxima da quadratura a Plutão, oposição a Júpiter e conjunção a Urano, fechando a semana já em ponto de bala. Vamos colocando nossas barbas de molho, porque nas próximas semanas o tempo vai ferver, especialmente em se considerando que estamos neste período de eclipses. Já vamos observando o que nos deixa impacientes e irritados para lidarmos com isso, sem deixar ressentimentos cozinhando em fogo lento, porque isso não será uma boa ideia. Marte está muito forte em seu próprio signo, mas fica muito estourado… em oposição a Júpiter essa tendência se amplia e fica exagerada; em quadratura a Plutão o desejo de poder e a tendência a confrontos violentos também aumentam e Urano põe na equação o extremismo, radicalismo e ainda mais impulsividade, para dizer pouco… Mas a Lua Disseminadora em Libra pede que disseminemos harmonia e equilíbbrio, sem vender a alma ao Diabo – será que damos conta? Nesta semana temos a chance de fazer as últimas negociações, de colocar as cartas na mesa, antes que as hostilidades eclodam… Mas falamos mais de Marte na semana que vem.

Reprodução

Lilith ingressa em Sagitário já na segunda-feira, às 21h32min, onde fica até 09 de novembro. Não sou expert em Lilith e ainda estou estudando sobre isso. Lilith é o arquétipo do feminino sombrio e selvagem, descontrolado, rebelde, que não atende a regras e a leis, visto que se rebelou de imediato contra seu Criador, lá no começo, recusando-se a ser submissa a Adão e às leis do Deus Javé. Foi desterrada, mas não se importou muito com isso, passando a viver livre, conforme suas próprias leis… Negativamente fala do desregramento, do excesso, de sentimentos turbulentos, ciúmes, a raiva destruitiva que irrompe feito um vulcão em erupção. É um aspecto selvagem da natureza feminina – que também está presente no homem. Positivamente, mostra onde há potencial de empoderamento ao lidarmos com todos esses conteúdos de forma direta, buscando o equilíbrio interno. E agora ela ingressa em Sagitário! A despeito de toda a “luminosidade” do signo do Centauro, talvez Lilith se torne ainda mais selvagem neste signo, galopando furiosamente feito mustangues indômitos, totalmente fora de controle, sem tato, sem noção de delicadezas ou sutilezas sociais. Pode tornar-se extremamente focada em algum objetivo ou crença, perseguindo-os tão apaixonada e entusiasmadamente, que talvez pisoteie e esmague a outros incautos pelo caminho, no seu galope furioso e cego… Positivamente convida a nos conscientizar desses padrões no que tange a crenças e ao contato com outras culturas; como as ideologias, filosofias e crenças incendeiam nossas paixões e as excedem e talvez tragam à tona um lado “besta selvagem” que precisa ser reconhecido e trabalhado dentro de nós. Nos próximos nove meses temos a oportunidade de observar como e quando fazemos isso e de aprender a moderar nosso entusiasmo, de modo que nos sirva melhor, ao invés de apenas nos tornar fanáticos e extremistas, sem que percebamos.

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Cheia, em Virgem. Entra na fase Dissemionadora em Libra, na terça-feira e na fase Minguante já em Sagitário, no sábado. O Minguante se dá em conjunção a Lilith. A Lua fecha a semana ainda no signo do Arqueiro. Na sua jornada ela faz contatos, tensos ou harmoniosos, com todos os demais corpos celestes.

Steve Kenny – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 13 de fevereiro – A Lua segue na fase cheia pelo signo de Virgem, fazendo hoje quincúncio a Urano em Áries e ao Sol em Aquário. Faz oposição a Kíron em Peixes e quadratura a Saturno em Sagitário, que vira foco de uma T-Square mutável. A Lua fica vazia depois do aspecto a Saturno, às 10h38min. Ingressa em Libra às 18h43min. Lilith, a Lua Negra, ingressa em Sagitário às 21h32min. A semana começa nervosa, inquieta, porque nos damos conta das muitas tarefas e obrigações que temos pela frente e talvez duvidemos um pouco da nossa habilidade em lidar com tudo a contento, particularmente porque temos um ideal de perfeição em mente e lidamos com o julgamento interno e o externo. Por vezes nos sentimos mesmo tentados a nos rebelar contra as obrigações, mas o senso de dever fala mais alto, a necessidade da ordem, da estrutura e da perfeição são como que mandatórios, até para camuflarmos nosso receio do descontrole e da desordem que estão ali, sempre à espreita, a ameaçar nossos planos e desejo de controle. A tarde nos oferece muitas horas para meditar sobre essa necessidade tão premente do controle e da ordem. Seria para nos antecipar a possíveis críticas e julgamentos, não dando chances a outros de perceberem nossas falhas e inseguranças? Seria para preservar o papel “forte” do ajudador/resolvedor de problemas que ajuda mas nunca é ajudado, porque isso seria demonstrar alguma fragilidade? Seria para nos convencer, a nós mesmos, de que não precisamos daquilo de que carecemos tanto? Um mecanismo de parecer maiores e mais fortes quando nos sentimos tão pequenos? Vale ficar atentos porque a tarde traz pensamentos e sensações meio pesados e grandes chances de sermos duros demais conosco mesmos – ou com outros – resvalando em julgamentos, culpas, preocupações pesadas que não nos prestam nenhum serviço, além daquele mórbido de dizermos para nós mesmos que estamos “ocupados” com a situação… Mas pré-ocupar-se é inútil. Perda de energia e de tempo e fazemos melhor se lidamos com isso de forma racional e prática: se nada há que possamos fazer agora, é debalde se degladiar com monstros que não existem e que talvez nunca irão existir. No caminho inverso, é possível que haja julgamentos e críticas duras e até injustas nas interações… Uma crítica severa disfarçada de conselho/ajuda? Vale lembrar que às vezes há várias maneiras de se fazer a mesma coisa; que cada pessoa tem seu próprio senso de ordem e de método e só porque diferem dos nossos não quer dizer que estejam errados. A Lua ficou vazia às 10h38min, o que indica que a segunda-feira começa industriosa, mas depois pede atividades menos afoitas, mais rotineiras ou contemplativas. À noite o clima fica um pouco mais leve e buscamos maior harmonia nas interações.

Eugenia Loli – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 14 de fevereiro – O Sol Aquariano está em sextil pleno a Saturno em Sagitário. De Libra a Lua se opõe à sua dispositora, Vênus, que está em Áries e também a Marte, o dono da casa. A Lua ainda se desentende com Netuno, mas conversa toda sociável, com Mercúrio. Faz sesqui-quadratura ao Sol e entra na fase Disseminadora. A despeito de buscarmos harmonia e coerência, encontramos algumas situações que desafiam nossa compostura e nos obrigam a tomar atitudes, embora preferíssemos manter as coisas “como estão” para não ter que fazer alguma escolha difícil. Mas a Lua Libriana vem equilibrar, realmente, a tendência da “dupla dinâmica” Vênus-Marte em Áries à abrasão nas relações e interações em geral. Não que isso seja fácil de se conseguir! Há tendência a muita irritação, impulsividade e impaciência, além da propensão a criar conflito onde muitas vezes o diálogo seria mais adequado. Aqui entra Libra com sua diplomacia e tato, apta a ver os outros ângulos da questão, que não apenas aqueles egoístas. Em Libra somos multilaterais. Assim, faz-se necessário o contraponto, ver as coisas pelo olhar do outro também, pesar, ponderar, antes de sair chutando e esbravejando… Se conseguimos ter essa perspectiva mais distanciada, podemos resolver as coisas pela via do diálogo e da cooperação, e a energia que seria gasta no conflito certamente terá melhor uso. De fato, o dia traz dinamismo e disciplina para realizar muitas coisas, de forma coerente e longeva. Mas se insistimos nas manhas e em ter tudo apenas do nosso jeito, perdemos ótimas chances de avançar nos nossos intentos e até mesmo de melhorar relações que poderiam significar boas alianças futuras.  A Lua fica Disseminadora em Libra e nos lembra e em oposição a Marte e nos lembra precisamos disseminar essa mensagem do equilíbrio nas relações; de que sempre vale a pena buscar o diálogo e a conciliação antes de partir para a briga, irrefletidamente. À noite o clima fica mais pesado e vai exigir mais calma, paciência e jogo de cintura na resolução das divergências que porventura surgirem.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 15 de fevereiro – A Lua Libriana faz quadratura a Plutão, oposição a Urano e conjunção a Júpiter, formando uma T-Square Cardinal da qual Plutão é o foco. Dona Lua ainda se irrita com Kíron, mas costura cooperação com Saturno e uma forte parceria com o Sol, ficando fora de curso depois deste aspecto, às 23h55min. O dia pede que nos posicionemos e confrontemos nossos receios: não é possível agradar sempre e nem a todos e há momentos em que precisamos deixar claros nossos limites, ao invés de simplesmente ceder “só mais uma vez”, ou nosso amor próprio irá por água abaixo. E já sabemos, se tentamos agradar a todos, agradamos a ninguém e, falando a verdade nua e crua, gente simpática “demais” costuma ser chata pra caramba porque farejamos de longe a falsidade ou a falta de firmeza e de integridade. Integridade, aliás, é mandatório no dia de hoje, para que possamos conduzir nossos negócios de maneira, limpa diligente e correta. Assim, o dia pede que reconheçamos nossa necessidade de aceitação e de pertencimento, mas sem com isso “vender a alma ao diabo”. Pelo contrário, é necessário analisar com cuidado o preço que pagamos por tal aceitação, até porque há outras necessidades igualmente válidas que precisam ser vistas. O desafio é achar o equilíbrio entre as necessidades e  interesses pessoais diversos e antagônicos, ser honestos a respeito do que realmente queremos e confrontar em nós a doce tentação do não escolher, do deixar que escolham por nós, como saída fácil dos dilemas. Mas os conflitos que ocorrem hoje podem ser muito positivos e produtivos, porque nos empurram para essa auto-análise, que por mais turbulenta que possa ser, oferece no encalço mais um pouco de autoentendimento. De quebra, o trio Lua-Sol-Saturno nos ajuda a ter firmeza para não nos deixarmos levar por essas turbulências e nem resvalarmos em dramas desnecessários.

Eugenia Loli – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 16 de fevereiro –A Lua abre o dia vazia em Libra e ingressa em Escorpião às 04h41min, de onde espicaça a Vênus Ariana. O regente da Lua, Marte está em diálogo franco com Mercúrio, mas já muito próximo da quadratura a Plutão. A Lua fecha a noite em harmonia a Netuno. As tensões abertas dos dias anteriores ficam novamente em “repouso” relativo, mas paradoxalmente, estamos muito mais cientes delas, porque as sentimos de forma aguda, na carne e nas entranhas. E assim nos preparamos para lutar com os dragões, venenosos e letais, loucos e incendiários, venham de onde vierem, inclusive do nosso próprio inconsciente. Mas enquanto os confrontos não ocorrem, observamos e farejamos o ar em busca de respostas e pistas e logo as econtramos. A despeito dessas tensões, ou talvez por causa delas, trabalhamos de forma concentrada nos projetos concretos e também nas questões interiores. E podemos alinhar iluminar com a mente clara e razão límpida, o instinto primitivo e impulsivo, talvez domando-o, instruindo-o, disciplinando-o, de forma que já não reaja tão cegamente na hora dos embates. De modo mais prático, o dia favorece que nos debrucemos sobre as relações mais íntimas para estreitá-las ainda mais; que lidemos com assuntos que demandem concentração, foco, comprometimento e arguteza de espírito.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 17 de fevereiro – O dia está sensível e sujeito a altos e baixos. A Lua se harmoniza com Netuno em Peixes, mas tem sérias altercações com Mercúrio em Aquário, irritando-se muito, também com seu dispositor, Marte e com Urano, ambos em Áries. No fim do dia tem conversa mais amena com o outro dispositor, Plutão e fica vazia logo depois, às 17h40min – vai ficar vazia por quase 24 horas! Os sonhos da madrugada são densos e profundos e podem nos trazer ótimas pistas sobre nossos dilemas atuais. A despeito da boa noite de sono, os humores estão bastante indóceis e as línguass ferina, de modo que precisamos vigiar para não nos metermos em assuntos que “não são da nossa conta” e levarmos “voadoras” logo cedo. As emoções estão sombrias e, como se não bastasse, em desacordo com os pensamentos e as atitudes e essas incongruências afetam as relações interações. Sentimos uma coisa, pensamos outra e agimos de forma totalmente diferente. É essencial cuidar dos próprios problemas – que já são suficientes – e deixar que cada um cuide dos seus. Mas claro, se nos ressentimos de que se metam nas nossas coisas, também precisamos vigiar para não jogar sobre outros respingos de nossa irritação e mau humor. Lidar com algum problema bastante intrincado pode nos ajudar a canalizar esse mau humor em algo produtivo, e ainda funcionar como metáfora para a resolução dos nossos enigmas e dilemas interiores.

Eugenia Loli – Reprodução

SÁBADO, 18 de fevereiro – O Sol ingressa em Peixes às 09h32min, onde fica até o dia  20 de março. A Lua, vazia em Escorpião, faz trígono a Kíron e fica muitas horas sem fazer outros contatos, até entrar em Sagitário, às 16h53min, de onde faz quadratura ao Sol, entrando na fase Minguante, às 17h33min. A Lua ainda faz conjunção a Lilith e quadratura ao eixo nodal. Como é bom quando o calendário convencional coincide com o estelar, não? É, eu sei, já disse isso antes, mas sempre vale relembrar! A Lua está vazia o dia todo e… é sábado! Podemos realmente indulgir num descanso sem culpas, ou abraçar atividades que nos apaixonem de fato, que nos permitam contemplar nossos processos mais de perto ainda e proceder com a providencial regeneração da alma e por que não, do corpo também! O dia está propício à meditação profunda sobre os mistérios da vida e ao mergulho na natureza humana e suas motivações mais secretas, começando por nós mesmos… Tais mergulhos e investigações podem ter efeitos terapêuticos e curativos, de apenas nos permitirmos ser e estar, se deixarmos ir o que tiver que ir. O Sol ingressa em Peixes e, entre muitas outras coisas vem nos lembrar que a cura também depende da confiança no processo, de soltar e relaxar, de confiar no nosso centro e na unidade da vida, nesse caos ordenado que, por mais louco que pareça, responde a diretrizes imemoriais, a arranjos cósmicos que escapam à nossa compreensão, mas que ainda assim, vão nos levar onde devemos ir, se confiarmos e fizermos a nossa parte… Mesmo que no momento assim não pareça. A Lua entra na fase Minguante em Sagitário, com o Sol em Peixes, talvez seja tempo de abrir mão das crenças, dos conceitos, do “conhecimento enorme” que tanto nos faz seguros e simplesmente fluir, sem a necessidade de “entender”, de filosofar, de elaborar… Sentir, mergulhar no encanto e na totalidade do ser; deixar para trás a necessidade de estar certo, de catequizar, deixar os proselitismos e simplesmente praticar a religião da gentileza, da aceitação e inclusão, do apoio, do não julgamento…

Do flickr – Reprodução

DOMINGO, 19 de fevereiro – De Sagitário a Lua brinca feliz com Vênus em Áries e mais tarde com Marte. Mas tem uma bate-boca confuso com Netuno. Domingo de brincadeiras, de alegrias e de não levar nada a sério demais… A Lua está minguante e nos convida a abrir mão dos discursos inflamados e exaltados e ir pros terreiros e pros campos, fazer o que o Arqueiro faz de melhor: aventurar-nos, buscar as amplitudes, esticar as longitudes, inflar nosso bom humor, cercar-nos de boas companhias e arranjar algo divertido e prazeroso para fazer, mas sem cobranças, sem compromissos rígidos… Aspirar o ar límpido e expirar as dúvidas e as incertezas… Sim, elas sempre estarão por aí, são parte da vida e volta e meia as encontramos pelo caminho… Cabe a nós olhar para elas e sondar se são de verdade, se precisamos lhes dar algum crédito ou se são apenas miragens criadas pelo nosso medo e insegurança… E assim o dia segue, mais leve e auspicioso… Contudo, como o Arqueiro costuma exagerar, é bom pegar leve para não nos excedermos nas brincadeiras. Também é uma ideia evitar o consumo de álcool e afins, porque nossos limites estão meio frouxos hoje.

Uma ótima semana para você!

Lua Nova em Áries – Esperar ou Avançar?

Biodanza Aebrj
Reprodução

A Lua é nova neste domingo, 30 de março, às 15:44 (hora de Brasília). Uma Lua Nova de suma importância porque abre o ciclo considerado o mais tenso neste ano. De fato, sendo a primeira do ano astrológico, ela adquire peso especial. Em Áries nos deparamos com o arquétipo da Iniciação, de todos os começos; da semente cujo broto rompe a dura casca e teima em vir ao mundo; do pintinho quebrando a casca do ovo pelo lado de dentro; da luta de vida e morte do momento do parto; o arquétipo do Guerreiro, forjado no calor da batalha, pois é ali que ele se realiza e se auto-afirma.

Pois bem. A Lua Nova ocorre a 9°58’ de Áries, em conjunção com Urano, e em quadratura com Júpiter em Câncer e com Plutão em Capricórnio, ou seja, ela junta-se a Urano no ponto focal da T-Square que se formou várias vezes desde meados do ano passado e que vai ficar super ativa por todo o mês de abril, tornando-se, a partir do dia dois, uma Grande Cruz Cardinal que será fechada por Marte, regente de Áries, retrógrado em Libra. Além disso, Saturno também está retrógrado em Escorpião e há três planetas em Peixes, Netuno, Quíron e Mercúrio, tudo isso simbolizando uma passividade incongruente com o arquétipo da ação de Áries. Voltando à T-Square, Frank Clifford diz que “T-Squares são como panelas de pressão. Por baixo há um volume enorme de tensão precisando ser liberada – estresse gerado por partes nossas que estão em discrepância umas com as outras. Elas são normalmente fonte de muita energia e de situações-limite e elas demandam resolução, ação e descarga. Às vezes há um estado de paralisia porque estamos conscientes da importância e receosos da influencia destes assuntos em nossa vida”(1). No caso desta T-Square específica a tensão e paralisia estão consideravelmente aumentadas porque Marte, o regente da Lua Nova, o regente de Áries, está retrógrado em Libra, uma situação tradicionalmente vista como duplamente debilitada. Nestas condições Marte não consegue ser assertivo como gostaria, não se auto-afirma como deveria, pois sai por aí pedindo desculpas por ser como é, por fazer o que tem que fazer. Sua vontade e senso de potência são diminuídos e ele tem dificuldade em desempenhar sua principal função, o instinto agressivo, o instinto de sobrevivência. Assim, há um clima denso de frustração que vai aumentando a pressão até limites insuportáveis, quando pode explodir de forma inesperada e perigosa.

Deliberation By Mario Sanchez Nevado_____Open Art__
Deliberations – Mario Sanchez Nevado – REprodução

Mas pode haver um outro lado nisso. Áries é o signo do indivíduo, do “Eu” e quando há uma ênfase grande neste signo, a tendência é a pessoa ser excessivamente egoísta, rude, demasiado direta, agressiva e briguenta, sem se importar com ninguém à sua volta. O arquétipo bruto é o guerreiro impetuoso, sedento de sangue, cego de fúria, que imprudente, perde muitas batalhas por mera pressa e impaciência. O signo oposto, Libra, oferece pistas sobre como lapidar o diamante bruto que é esse guerreiro cego. Libra é o signo do “Não-Eu”, do “Outro”. Em Libra o indivíduo descobre que não está sozinho e que precisa levar em conta os outros ao seu redor. Com o eixo Áries-Libra tão realçado, os relacionamentos tornam-se ponto focal da nossa atenção. O impaciente Guerreiro Ariano aprende a ponderar e a deliberar, a ter visão estratégica, a usar o charme e a eloqüência, ao invés de somente a força bruta.   Como diria a xamã Sheba Remy ao falar das presentes configurações “a marca do arquétipo evoluído de Áries é ação estratégica. Isso é particularmente relevante agora, que o regente de Áries, Marte, está retrógrado no signo oposto, Libra, o signo do pesar das decisões. Junte isso ao grande número de planetas em Peixes e a Saturno retrógrado e você tem uma receita que clama por espera e deliberação na ação versus o impulso para avançar de forma imprudente. Esta é uma combinação de energias potente, dolorosa e frustrante” (2).

francisco-de-goya-il-sonno-della-ragione-genera-mostri-1340367748_b
Francisco Goya – Reprodução

Potente, dolorosa e frustrante. Percebe-se uma grande incoerência aqui. Áries demanda iniciativa, ação e resolução e a T-Square enfatiza isso sobremaneira. Porém, Marte e Saturno Rx sugerem espera, paciência, diplomacia ao invés de ação impensada. O resultado é a aparente paralisia que toma conta de nós, alternada com uma agitação e inquietação compulsivas, o que pode aumentar a tensão, porque nos cobramos uma decisão que pode não estar pronta para ser tomada. As próximas semanas exigirão de nós muita calma, equilíbrio e presença de espírito, uma sintonia acurada com os desejos, o tempo e ritmo da alma e ao mesmo tempo com o ritmo acelerado do período em que vivemos que exige decisões, para ter clareza suficiente e saber a hora de esperar e a hora de avançar. Uma sintonia que nos ajude a diferenciar entre quando a espera é útil e estratégica ou quando é meramente covardia e negação da ação.

Igor Morski Open art
Igor Morski – Reprodução

Isso porque A Lua Nova de Áries inaugura de fato o grande período transformativo prometido pela T-Square Cardinal. A poderosa conjunção com Urano funciona como despertador. Acordamos para uma necessidade premente de liberdade de ser, de ação, de movimento, de escolha. Somos chamados a assumir com honestidade nossa singularidade, quem realmente somos e ao mesmo tempo a estar dispostos a abrir mão dos padrões e formas envelhecidos de ser e existir, em nome de uma identidade nova e mais autêntica, de um modo de viver mais genuíno. Com Júpiter-Urano-Plutão essa transformação não se restringe ao âmbito pessoal. Somos chamados também a ser agentes de transformação em nosso meio, no coletivo, agindo o tempo todo a partir do centro, de forma consciente e eficaz. É requerido que olhemos para as questões maiores, para além do nosso umbigo individual, para as questões de super exploração do planeta e desperdício de recursos, para o desequilíbrio de riquezas que grassa e que gera tanta injustiça social mundo afora, para a necessidade de troca nas hierarquias de poder, para a necessidade de renovação das estruturas sociais. É necessário que olhemos o caos que temos criado em nossa vida em nível micro e macro, porque a mudança ocorre nesses níveis também. E é bom lembrar que com Urano, a princípio teremos a impressão de que há ainda mais caos do que já havia, de que estamos chegando a lugar nenhum e a percepção generalizada é a de que tudo piora antes que comece a melhorar. Com Urano tão em evidência, é impossível prever como a energia vai se manifestar, porque Urano diz: “Espere o inesperado!”

Christian Schloet
Christian Scholoet – Reprodução

Estar centrados neste período é de suma importância para que saibamos que ações devem ser tomadas, quando e como devem ser tomadas, ou corremos o risco de agir ou reagir impulsivamente, compulsivamente, sem saber direito onde estamos indo ou o que e por que estamos fazendo. O pior que podemos fazer neste período é entrar no modo reativo. Principalmente porque o eclipse do dia 15, que representa o ápice deste ciclo, pertence a uma família de eclipses, cujo tema principal, segundo Bernardete Brady, é desperdício de energia. Com Urano-Plutão é muito importante ser honestos conosco mesmos, a respeito de onde e como empregamos nossa energia e esforço; a respeito de nossos desejos e ambições, frustrações, relacionamentos, trabalho, realizações e insatisfações nas áreas importantes da vida; onde há desequilíbrios e onde precisamos fazer ajustes. Porque então estaremos cientes do que precisa ser mudado e não precisaremos que um raio nos caia na cabeça para perceber isso. Mercúrio em Peixes é o elo e ponto médio entre Júpiter em Câncer e Saturno em Escorpião, o elo mediador entre a expansão proposta por Júpiter e a preservação requerida por Saturno. Em Peixes, nossa mente racional precisa descobrir maneiras indiretas e alternativas de percepção e raciocínio, analisando de forma mais criativa e imaginativa e não apenas na forma lógica e fria do “dois e dois são quatro”. É preciso analisar com compaixão e sentimento. Mercúrio sugere que usando a criatividade podemos achar um meio termo entre esses princípios aparentemente irreconciliáveis. O antropólogo William Ury fala da importância desse meio termo, desse terceiro lado. Um conflito sempre tem dois lados, com cada um tentando dobrar o outro e  levar a melhor. Como resolver o conflito? Como ir além da guerra? “O obstáculo não é o outro, mas nós mesmos. Nossa tendência humana é reagir, criando um ciclo infinito de reações, alimentando uma guerra sem fim. Alguém precisa escolher respirar, dar um passo para trás e se afastar um pouco. Eu chamo isso de ir até a varanda. Dessa forma você pode lembrar o que, de fato, é realmente importante para você nessa negociação. Essa é a sua melhor arma”(3), diz Ury. Ele diz que o terceiro lado é a empatia, aprender a ouvir o outro de verdade, saber quais são seus medos, suas preocupações, “e quando você escuta, abre espaço para ser escutado”. Com Marte retrógrado, mais do que nunca é preciso desenvolver essa arte da empatia, de se colocar no lugar do outro e, ao invés de encarar o outro como um inimigo que é a própria encarnação do mal (geralmente nos convecemos de que nós somos bons e o outro é mau, porque nos faz sentir melhor quando brigamos com ele), lembrar que ele é humano como a gente, buscando apenas levar uma vida melhor e não está necessariamente querendo nos “ferrar”. É essencial não levar tudo para o lado pessoal. Mercúrio em Peixes vem nos ajudar a ter essa visão mais empática, a olhar a contenda sob outro ângulo, a achar uma solução alternativa e mais criativa para o conflito aparentemente insolúvel.

Earth
Reprodução

 

Por fim, o regente de Marte em Libra, Vênus, está em Aquário, sugerindo que tenhamos sempre uma perspectiva universal, humanitária, global das coisas. Que percebamos o impacto de nossa ação (Marte) no todo, no grupo maior, no coletivo (Vênus em Aquário). Vênus está ainda em quadratura com Saturno, indicando que assumir a responsabilidade pela ação e pelo desejo é essencial para que saiamos mais crescidos, mais amadurecidos do processo, para que toda a dor e frustração tenham valido a pena.

Então, fiquemos atentos aos desejos de nossa alma e tenhamos a coragem, a iniciativa, a honestidade de olhar para a vida de frente e voluntariamente INICIAR as transformações necessárias em direção a uma vida nova.

ettore aldo vigo
Ettore Aldo – Reprodução

OBS 1: Sheba Remy finaliza seu insight lembrando que essas energias potentes e frustrantes  podem “se expressar através de dor de cabeça e no pescoço e problemas de visão” e diz que  “este é um ótimo período para sintonizar-se com o arquétipo mais evoluído ou mais elevado de Áries. E, se precisar de assistência, engaje-se na prática ‘shanti’, que o grande T. S. Eliot traduziu como ‘a paz que excede todo o entendimento”.

OBS 2: Pessoas com planetas entre os graus 4 e 14 dos signos cardinais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) sentem de forma mais intensa as energias desta Lua Nova e a área de vida mais afetada depende da casa em que a Lua Nova cai, assim como os planetas que toca.

OBS 3: Algumas  atividades são indicadas para manter-se centrado e tirar melhor proveito das energias potentes e transformadoras destas configurações:

– Exercícios de ancoragem/enraizamento e meditação;

– Respiração consciente que propicie ancoragem no aqui e agora, respiração que propicie recuar e ver   o problema sob outro ângulo;

–  Atividades físicas leves, que propiciem descargas da energia e da frustração;

– Caminhada – a caminhada é uma ótima forma de meditação ativa, porque permite uma análise com     movimento;

– Yoga e Tai-Chi-Chuan;

– Dançar, com o corpo e a alma; Dança Circular;

– Respeitar as horas de sono e a necessidade de descanso do corpo – precisamos estar inteiros e a falta       de descanso piora ainda mais a irritação – já viu como ficamos irritados quando não dormimos                direito?;

– Prestar atenção aos sonhos – eles podem trazer insights preciosos;

– Sincronia consigo mesmo – ouça sua intuição;

– Alimentação leve e natural;

– Evitar excessos, especialmente de álcool e drogas em geral;

– Ter senso de humor e, principalmente, perspectiva;

Uma leitora do blog, Taís Fonseca, também sugeriu a prática do Ho’Oponopono, uma antiga e    tradicional prática havaiana de perdão e reconciliação.

Lua Nova em Aries
Lua Nova em Áries, 30 de março, 14:44, Cuiabá-MT

(1) Frank Clifford – Getting to the Heart of Your Chart

(2) Sheba Remy Kharbanda – Xamã, Curadora Energética, Artista. Visite a página de Remy.

(3) William Ury, antropólogo, mediador de conflitos, negociador da paz e conferencista. Veja vídeo com ele. 

 

© 2014 by Maria Eunice Sousa – Todos os direitos reservados