Arquivo da tag: ou vai ou racha

Lua Cheia em Áries – Transforma-te ou te destruo!

Reprodução

Transforma-te ou te destruo é o recado de Plutão nesta Lua cheia de hoje, cinco de outubro, exata às 15h40min no horário de Brasília e às 18h40min no horário de Lisboa. Essa Lua Cheia é a culminação do ciclo iniciado na Lua Nova em Virgem, no dia 20 de setembro. Naquela Lua Nova, tivemos Lua e Sol conjuntos a 27° de Virgem, em quincôncio quase exato a Urano, oposição próxima a Quíron e quadratura ampla a Saturno, já sinalizando um ciclo em que teríamos que trabalhar dores antigas, para depurá-las, purifica-las e saná-las; necessidade também de conciliar nosso desejo e necessidade de sermos úteis e prestativos com nossa independência individual. Vênus tinha acabado de entrar em Virgem e fazia sesqui-quadratura a Plutão (desejo de transformação), enquanto se afastava do trígono a Urano (desejo de liberdade). Mercúrio, regente de Virgem, tinha acabado de completar a oposição a Netuno, sinalizando um ciclo nebuloso, de notícias falsas ou de motivações escusas, disseminadas irresponsavelmente; um ciclo em que a mente se digladia entre real e imaginário.

Lua Cheia em Áries – Brasília, 5 de outubro de 2017 – 15h40min

Agora tudo isso culmina na Lua ficando Cheia em Áries, em oposição ao Sol em Libra, o que traz esses temas para o âmbito das relações pessoais. A lunação ocorre em oposição a Mercúrio e os três, Lua, Sol e Mercúrio fazem quadratura aplicativa a Plutão em Capricórnio, tornando este foco de uma T-Square Cardinal, que exige ação resolutiva, atitude. Libra, onde está o Sol, é o signo da parceria, do “nós”. A Lua em Áries vem fazer o contraponto de que só é possível existir um “nós” se houver dois indivíduos inteiros, donos de suas escolhas, senhores de sua autonomia e individualidade, o que contradiz a ideia do amor romântico, que coloca no outro a responsabilidade pela minha felicidade.

Reprodução

Isso me lembra um texto de Flávio Gikovate, no qual ele fala sobre a importância de se ficar sozinho. “A ideia de uma pessoa ser o remédio para nossa felicidade, que nasceu com o romantismo, está fadada a desaparecer neste início de século. O amor romântico parte da premissa de que somos uma fração e precisamos encontrar nossa outra metade para nos sentirmos completos. Muitas vezes ocorre até um processo de despersonalização que, historicamente, tem atingido mais a mulher. Ela abandona suas características para se amalgamar ao projeto masculino” (1). Essa ideia do amalgamar-se a outro para ser inteiro é destruída nessa configuração de Lua Cheia de hoje, em que a Lua em Áries se opõe ao Sol em Libra e esse impasse é resolvido em Plutão: transforma-te ou te destruo, um mote que vale não só para o indivíduo, mas, principalmente hoje, para as relações, portanto, relações resistentes às transformações cíclicas serão destruídas, eliminadas.

Um fato notável é que os dois regentes de Libra e Áries estão em conjunção plena exatamente hoje. Marte, regente da Lua Cheia, recebe a conjunção de sua amante arquetípica, Vênus, em Virgem, um signo que também nos fala de autossuficiência e inteireza, da integridade do ser. Como se a Lua Ariana já não fosse suficiente, Vênus conjunta a Marte é uma mistura explosiva. Com essa conjunção, somos capazes de matar ou morrer por aqueles que amamos e os defendemos até o inferno, se necessário for, mas, por outro lado, as coisas entre o casal não costumam ser muito pacíficas, porque exigimos muito e também temos um gosto peculiar por uma boa briga a dois. Além disso, há muita ambivalência, pois ao mesmo tempo que buscamos construir relações harmoniosas e estáveis, nos ressentimos dos laços que talvez comprometam nossa individualidade e independência. Positivamente, há muita sensualidade, atração e paixão, tornando as relações passionais e intensas. Assim, a conjunção Marte-Vênus realça o tema do relacionamento desta lunação e ainda agrega uma qualidade “guerra dos sexos”, em que o masculino e o feminino estão belicosos e predispostos a uma boa briga, seja lá em que arena for, publicamente, nas relações profissionais, pessoais ou íntimas.

Outra coisa importante é que Vênus e Marte são os regentes da atual oposição entre Júpiter em Libra e Urano em Áries, configuração que já se manifestou de várias formas nos últimos meses, tanto em desastres diversos, quanto em atentados e em modificações estapafúrdias nas leis em vários países. Essa configuração certamente adiciona tensão e estímulo, que tanto podem significar crises que geram rupturas, quanto levar a relação a um novo nível ainda não experimentado – o resultado vai depender da qualidade da relação, da honestidade que os parceiros têm tido consigo mesmos e um com o outro e até mesmo da química e cumplicidade do casal.

Reprodução

Não podemos esquecer também que tanto Marte quanto Vênus estão em quadratura a Saturno e oposição a Quíron, aspectos que ficarão exatos em poucos dias e, por serem aplicativos (ainda vão acontecer), tornam-se mais potentes. Essa quadratura a Saturno, por um lado, traz alguma contenção às explosões de fúria, mas isso é uma faca de dois gumes, pois tal contenção pode gerar muita frustração e mais irritação, aumentando a fricção, tornando o resultado final, talvez mais desastroso. A oposição a Quíron aciona feridas antigas, que podem contaminar e comprometer a relação presente. Então, além de muita volatilidade, irritação e destempero, também temos inseguranças sendo desencadeadas por eventos talvez bobos, mas que nos fazem sentir inadequados, criticados, julgados, rejeitados – é uma receita desastrosa!

Como se lida com essa bomba-relógio? Com muita honestidade, consigo mesmo e com o outro – e honestidade não é sinônimo de grosseria, nem precisa ser “sincericídio” – e principalmente, muita compreensão e tolerância, porque todos estamos melindrosos e de pavio ultra-curto. É preciso estar disposto a ouvir realmente o outro, e não ficar contando os segundos até chegar sua vez de falar; a desapegar-se de si e das próprias opiniões; é preciso abrir mão de ter razão, de estar certo, em nome da verdade. E, mesmo se concluímos que a relação já não nos satisfaz, há maneiras e maneiras de terminar as coisas – terminar a relação não significa ter que “aniquilar” o outro.

Reprodução

Portanto, essa é uma lunação que pode simbolizar muitos términos, muitas rupturas – não porque a Lua Cheia vá causar nada, mas porque aquilo que andava nebuloso, a sensação de confusão, de não se saber direito onde se está indo, que estava muito forte na Lua Nova, agora se clarifica… Aquilo que ficava martelando na nossa cabeça nos últimos dias agora se estampa na cara e… bingo! Como não tínhamos percebido antes? Os insights pipocam e as fichas caem, trazendo conclusões que talvez só agora estejamos realmente preparados para encarar. Tais insights e conclusões podem levar as relações a impasses. Impasses do tipo “ou vai ou racha”, do tipo já mencionado acima: transforme ou destrua. Então, voltando ao texto do Gikovate, é tempo de olharmos para nossas relações com olhar mais crítico e observarmos com muita honestidade se ainda ansiamos pela “metade da laranja”, se ainda estamos esperando que o outro nos complete, se ainda depositamos nos ombros do outro a responsabilidade – ultra-pesada – pela nossa felicidade. Porque, se ainda acalentamos tais expectativas, precisamos rever nossos conceitos relacionais e aprender a ficar sozinhos por um tempo, aprender a ser nós mesmos e a nos responsabilizar por aquilo que queremos viver e pelo nosso próprio bem-estar e felicidade – o outro não é responsável por isso!

Reprodução

O Símbolo Sabiano do grau 13 de Áries (12°42’), aliás, um grau considerado crítico, traz a imagem de “uma bomba que não explodiu está agora escondida em segurança”, uma imagem que fala da necessidade de muita cautela, afinal, quem vai agir feito louco perto de uma bomba? É necessário desarmar a bomba, porque, apesar de ela não ter explodido, não se sabe porque isso não aconteceu. Então, é preciso se perguntar se realmente lidamos com o problema, se as coisas estão, de fato, seguras ou se ainda há probabilidade de explosões. Será que apenas escondemos o problema? Será que está resolvido realmente? Uma bomba logo nos traz a imagem das reações emocionais intensas “ele explodiu feito uma bomba”, o que nos sugere necessidade de contenção do gênio “explosivo”. Lynda Hill, estudiosa dos Símbolos Sabianos, nos diz que essa bomba também pode significar “a supressão de alguma verdade importante, que tem efeitos colaterais; talvez haja tempo para impedir a explosão antes que seja descoberta, trazendo alívio e liberação” (2).

Já Dane Rudhyar, grande astrólogo do século XX, nos fala mais do contexto social deste símbolo e afirma que o tom principal é “uma avaliação imatura da possibilidade de transformar de repente o status quo”. A resolução por violência, diz ele, sempre falha porque o poder do ego nesta fase é forte demais. “’O Estado’ frustra as tentativas de revolução popular, porque estas são expressões prematuras de uma consciência que não é livre, mas só podem reagir ‘de forma selvagem’ à restrição e ao poder dominante central. É, portanto, um símbolo de recusa imatura de se conformar, em nome de um desejo excessivamente idealista de harmonia e paz”. Ele finaliza dizendo que o símbolo sugere “frustração adolescente”.

Isso traz presente, além do contexto das relações pessoais, também o nosso contexto social atual, em que os indivíduos se sentem lesados e frustrados frente aos desmandos políticos e econômicos do Estado, dos governos… Mas somente idealismo cego não resolve nada; revoltas populares pobremente coordenadas, também não – Júpiter em oposição a Urano também pode simbolizar essas revoltas descoordenadas e caóticas. O que se precisa, seja no contexto das relações pessoais, seja no contexto social é de muita cautela; é olhar para as questões com frieza, sem entrar na “frustração adolescente” e verificar quais das nossas demandas são válidas – e pelas quais devemos brigar – e quais são birra ou frustração infantil. É importante também não entrar no jogo das polarizações em que parece só há dois lados, os bons e os maus – essa visão preto ou branco é sempre extremamente perigosa, porque cria os dualismos ilusórios e causa cisões, quando, na verdade, sabemos que existem muitas, centenas, milhares de nuances diferentes permeando as questões. Assim, em cenários explosivos, ao andar em campos minados, faz-se necessário, mais do que nunca, muita cautela ou a bomba vai explodir, quando se achava que tudo estava sob controle.

Concluindo, a Lua Cheia de Áries é um convite a transformar nossas relações, se queremos preservá-las. Aquelas que não se transformarem, serão destruídas, para que nossa evolução continue. É um momento de conscientização de que uma relação pode ser mais saudável quando há dois inteiros, ao invés de duas metades, então, é preciso cuidar de si e da própria individualidade, é preciso ser capaz de ser e estar só, de desenvolver competência emocional e afetiva, antes de ser casal, do contrário a relação será de dependência e não de afeto. É uma fase que também traz muitas frustrações e necessidade de muita honestidade emocional, temperada com muita tolerância e gentileza, afinal, querer terminar uma relação é uma coisa, querer destruir o outro, é outra bem diferente! Os tempos são explosivos, mas nós podemos desarmar as bombas com essa honestidade firme, mas gentil; com o enfrentamento da realidade presente, mesmo que ela não corresponda aos nossos ideais. Lidar com nossas frustrações de forma adulta, mesmo quando queremos espernear e gritar a plenos pulmões.

Feliz Lua Cheia para você! Que os insights sejam proveitosos e tragam avanços! 

Reprodução

(1) Flávio Gikovate – http://flaviogikovate.com.br/sobre-estar-sozinho/

(2) Lynda Hill – Sabian Symbols – 360 degrees of Wisdom

(3) Dane Rudhyar – An Astrological Mandala

A Semana Astrológica: hora da faxina!

Balsamic moonn
Lua Balsâmica – Desconheço o Autor – Reprodução

Semana de 15 a 21 de dezembro 

O ano oficial vai findando, mas o ano astrológico não. Esse só acaba em 20 de março quando o Sol entrar no signo de Áries. Mas é fato que já entramos no tom de encerramentos e conclusões. E a Lua Minguante desta semana favorece isso sobremaneira, especialmente por ter sido minguante no signo de Virgem, o signo da limpeza e da purificação, o signo mestre em separar o útil do inútil, o joio do trigo – Semana de faxina! No Quarto Minguante somos convidados a analisar o que deu certo e o que não funcionou na etapa que se fecha. Mais ainda, precisamos ver o que pode ser melhorado e como, para que não cometamos os mesmos equívocos nas próximas fases.

Nesta semana temos eventos portentosos, o principal deles é a sexta e penúltima quadratura plena entre Urano e Plutão, que performam mais um capítulo de uma briga colossal que se iniciou em 2012 e termina em 2015. Essa briga ressuscita e questiona temas vigentes entre os anos de 1964 e 1969, quando estes dois planetas fizeram sua última conjunção, que ficou ativa por um longo tempo e que simbolizou toda a revolução política e cultural daquela década. Essa quadratura dá o tom básico da semana, que é de tensão e turbulência. A grande liberação da energia que veio se acumulando traz a possibilidade de rupturas de coisas que vinham se arrastando, assim como de eclosão de crises que se precipitam e que podem ter desfechos dramáticos. É favorável à quebra de tabus e de padrões já gastos e inúteis. Porém, como essa energia opera de forma extrema, é necessário muita cautela nas ações e nas atitudes. Podemos utilizar a energia para promover as mudanças que buscamos, desde que estejamos cientes de que elas de fato são uma necessidade verdadeira e não apenas uma atuação inconsciente e intempestiva. Para isso é necessário novamente, muita ancoragem e pé no chão para termos um senso adequado de timing e para não sermos arrastados pelo frenesi e pelo caos.

urano
Vanessa Neufeld – Reprodução

Outros movimentos importantes também ocorrem esta semana, como a ingressão de Mercúrio (quarta-feira) e do Sol (domingo) em Capricórnio, sinalizando um período em que as visões, intuições e insights propiciados pelo Fogo de Sagitário agora precisam encarnar na matéria e no mundo manifesto. Serão elas realizáveis? É o que veremos. Capricórnio sinaliza também um momento de estruturação da vida, de ordenar, organizar e planejar nossos propósitos, objetivos e ações.

capri
Desconheço o Autor – Reprodução

Ao entrar em Capricórnio Mercúrio se harmoniza com Netuno em Peixes, enquanto discorda inconscientemente das crenças de Júpiter. Aos poucos vai se aproximando da conjunção a Plutão e da quadratura a Urano, aspectos que só ficam perfeitos na semana que vem. Vênus mete-se em fogueiras escaldantes ao fazer conjunção a Plutão e quadratura a Urano, sinalizando que a briga de Urano-Plutão não é só coletiva e política, mas vaza para os relacionamentos individuais e transforma também nossos valores mais caros e preciosos, temas que ficam realçados durante a semana toda e que têm clímax na terça com a T-Square e no sábado com a conjunção Vênus-Plutão. Marte, que está em recepção mútua com Urano – Marte viaja por Aquário, signo regido por Urano e Urano está em Áries, que é regido por Marte – faz um sextil com ele nesta semana, o que fortalece a afinidade que eles já têm por recepção. Nossas ações e formas de executar os objetivos precisam se alinhar com os objetivos maiores, além do nosso umbigo, além dos desejos individuais de auto-afirmação. A cruzada é por igualdade, justiça, liberdade. Esse é um Marte Prometeano, que rouba o fogo dos deuses, porque percebe quão grande a humanidade pode ser, se apenas tiver acesso a essa visão divina. Mas há sempre o risco de perdermos as árvores olhando a floresta. Aquário ama a humanidade, mas tem certa dificuldade em lidar com os humanos no plano individual, ajudado por Urano, que não vê individuo, isso requer um certo cuidado…

Todos estes movimentos, como já disse, deixam a semana um tanto turbulenta e sujeita a extremismos, individuais e coletivos, especialmente porque Lua e Vênus ativam e estimulam ainda mais essa quadratura. Botemos as barbas de molho.

A Lua vai fechando histórias e encerrando o ciclo, viajando na fase Minguante e depois Balsâmica, pelos signos de Virgem, Libra, Escorpião e Sagitário. No domingo, já à noite, ela entra em Capricórnio e é nova às 23h35min (Brasília) e à 01h35min da manhã de segunda, 22, pra Portugal.

SEGUNDA-FEIRA é o dia do pega pra capar, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come! Urano e Plutão duelam de novo, pela sexta vez em dois anos e pouco. Plutão tem o apoio de Vênus que se aproxima pela retaguarda, mas os dois recebem em cheio as rajadas de Urano e da Lua, que entra em Libra às 02h05min da manhã e que vai armando uma Cruz T, que fica exata na terça. Dia de extremos. De repente tudo resolve acontecer ao mesmo tempo demandando nossa atenção, ação e resolução. Eclosão de dramas e situações críticas diversas, envolvendo assuntos cruciais da vida individual e social, assuntos associados com relacionamentos, valores, questões sociais, tabus, política, economia… Tudo vem para a linha de frente. Sobretudo nossa responsabilidade social diante do abuso de poder e dos recursos (Plutão em Capricórnio) e a ação individual e revolucionária que nos será exigida a partir daqui (Urano em Áries), individuo versus coletivo, velho versus o novo. É um dia que demanda cautela em todos os assuntos para que não nos precipitemos e entornemos o caldo de vez. Por outro lado, se já percebemos e vínhamos criando coragem pra adotar certas medidas no sentido da transformação, esse pode ser o momento adequado para romper com o velho e instaurar o novo.

espelho00
Desconheço o autor – Reproduçao

Na TERÇA-FEIRA essa mesma Cruz T ou T-Square fica exata. Urano em Áries recebe a oposição da Lua Libriana, e os dois quadram Plutão e Vênus em Capricórnio. Relacionamentos e parcerias ficam na berlinda e sujeitos a erupções vulcânicas. Sujeiras que foram varridas para debaixo do tapete são levantadas por furacões inexoráveis. Não dá mais pra fingir que não viu, que não escutou, que não sabia do que estava acontecendo só para não ter que tomar uma atitude. Nada fica como antes, e honestidade consigo e com o outro é fundamental se for para a relação sobreviver. Se sobrevivem a todo esse turbilhão, essas relações se fortalecem. O que ocorre é que os valores e a forma de ver e vivenciar as relações passam por grande questionamento e transformação. Conseguimos equilibrar nossas necessidades individuais com as demandas do relacionamento? Queremos segurança, relacionamentos duradouros e responsabilizar-nos por nossas escolhas afetivas? Ou queremos liberdade extrema para ir atrás de realização pessoal e individual? Há meios de conciliar princípios tão antagônicos? O que é vital para você neste momento da sua vida? Independência ou vínculo? Está nessa relação por medo da solidão? O que você sente de fato, afeto genuíno ou dependência/apego emocional? Esta relação o faz crescer ou o puxa para trás? Está mesmo empenhado em ver o outro como ele é, ou está apenas apaixonado pelo seu próprio reflexo? Esses questionamentos não vêm de hoje, pelo contrário, têm sido ativados desde 2010, porque com Urano em Áries, toda vez que um planeta passa por Libra, faz oposição a ele. O que ocorre é que há vários níveis e camadas sendo trabalhados, e aos pucos vamos refinando e fazendo a sintonia fina desses temas. Vênus em sesqui-quadratura a Júpiter e a Lua fazendo conjunção ao Nodo Norte em Libra enfatizam ainda mais todas essas conjecturas, simbolizando uma oportunidade única de crescimento em meio a todo o vendaval. A Lua estando minguante favorece o momento de limpeza e de purificação.

A Lua faz sextil ao Sol Sagitariano e fica vazia por muitas horas na QUARTA-FEIRA, das 03h41min da manhã até as 12h52min, quando entra em Escorpião. De Escorpião ela dialoga de forma econômica com Mercúrio, que já terá entrado em Capricórnio (01h53min). A Lua faz ainda trígono a Netuno em Peixes e sesqui-quadratura a Quíron. Dia de maior introspecção, depois das explosões dos dois dias anteriores. É hora de digerir e juntar os cacos, ou varrê-los de vez para o lixo e para longe da nossa vida! Limpar a vida da toxicidade que nos envenena e asfixia. Mercúrio entrando em Capricórnio simboliza que nossos processos mentais estão mais centrados e mais pé no chão. Queremos resultados e chega de lenga-lenga! Mercúrio fica em Capricórnio até o dia cinco de janeiro, sugerindo uma temporada boa para planejamentos estratégicos e para se concentrar nas metas do futuro e do ano vindouro.

mao letal
Tirado da Fanpage Photobox – Reprodução

Há um clima desconfortável de bullying permeando a QUINTA-FEIRA, sinalizado pela Lua Escorpiônica e Balsâmica (fica Balsâmica às 10h25min ao fazer semi-quadratura com o Sol) fazendo uma quadratura a seu regente, Marte, em Aquário. Os sentimentos oscilam entre paixão calcinante e frieza congelante. Há descompassos entre o que sentimos e o que queremos; o destempero pode se materializar como competição, insegurança e paranóia. A Lua ainda se afina com Vênus e Plutão em Capricórnio, indicando que os sentimentos e expressões ficam ainda mais contidos e econômicos, embora honestos e verdadeiros e sujeitos a rompantes incontroláveis. Urano recebendo cutucões desagradáveis dessa Lua Negra e intratável indica possibilidades de picadas dolorosas e erráticas do ferrão do Escorpião. Picamos ou somos picados? O tirano não está lá fora, está aqui dentro.

Lua MInguante
Lua Minguante – Desconheço o Autor – Reprodução

Balsâmica e circunspecta em Escorpião, a Lua faz quadratura a Júpiter em Leão na SEXTA-FEIRA. Ao longo do dia ela se indispõe também com Urano em Áries e fica amalgamada a Saturno ao cair da noite. Entra em Sagitário às 19h56min, já caçando confusão com Netuno em Peixes. Sexta-feira dada a altos e baixos e gangorras emocionais. Forças diversas tentam nos tirar do nosso casulo e ficamos divididos. Por mais que haja impulso de socialização, a indicação é economizar na efusividade e ficar mais na sua. Aproveitar para dar continuidade à limpeza anual das gavetas e dos cantos do coração. Limpar a poeira, as teias de aranha, dedetizar para se livrar de todas as pragas e parasitas que atravancam o desenvolvimento de relações mais genuínas e maduras. Estamos com o outro por afeto ou por necessidade? Purificar, depurar, expurgar, reciclar ou incinerar de vez. À noite o clima muda sutilmente e tentamos supercompensar a circunspecção diurna, correndo o risco de nos excedermos na balada noturna. Estamos um tanto dogmáticos a respeito de nossas opiniões e tentamos impô-las aos outros, ou somos nós que temos que lidar com o tom catequético alheio. Seria bom evitar reuniões muito populosas, por mais que o apelo seja grande. A quadratura a Netuno requer cuidados e sugere que evitemos o abuso de substâncias, especialmente o álcool. Com a semana tensa do jeito que está, tentamos “afogar” ou anestesiar a tensão, mas isso pode ter efeitos desastrosos, inclusive práticos, se estivermos dirigindo, por exemplo. Essa quadratura a Netuno vem fechar com chave de ouro as questões que estavam ativas na Lua Nova de Sagitário, que ocorreu em conjunção a Netuno. Agora somos confrontados com os restos de nossas desilusões e a sensação de desgosto pode ser um tanto amarga e difícil de engolir. Por isso que o uso de substâncias hoje tornam-se duplamente perigosas. Siga sua intuição.

cães
Photobox – Reprodução
scoop
Scoop – Reprodução

No SÁBADO Vênus amalgama-se a Plutão ao mesmo tempo em que dispara contra Urano. A Lua Sagitariana e Balsâmica segue quadrando Netuno em Peixes, mas animadíssima numa conversa com Urano, que estaciona em Áries. À Noite a Lua ainda quadra Quíron Doloroso. Mais do que nunca o conflito compromisso versus autonomia fica exacerbado. A tensão e cisão internas são enormes e podem ser manifestadas como polarização nos relacionamentos, onde um dos parceiros torna-se ciumento e emocionalmente exigente, controlador e sufocante, enquanto o outro busca respirar mais livremente e se ressente do controle e da asfixia. Se ambos têm um nível razoável de autoconhecimento, maturidade emocional e de confiança mútua, a relação tem uma ótima oportunidade de ser aprofundada e de ter essas questões ventiladas de forma aberta e honesta. Mas quando não é o caso, pode-se esperar cenas de ciúme doentio, possessividade extrema e quem sabe até violência, já que Marte também está extremoso em contato com Urano. O problema é que um lado quer fusão completa e absoluta, simbiose mesmo; porém o outro quer ficar livre e solto para experimentar e ser mais leal a si mesmo. Ajustes se fazem necessários e com certeza o dia é excitante e vibrante. A tensão sexual também é fora do comum, mas é uma energia que demanda expressão original – nada de repetir o mesmo feijão com arroz de todo dia, por favor! Paixão, desejo extremo, e magnetismo estão destacados e possibilitam uma entrega apaixonada para quem se arriscar a ir além das regras do “socialmente aceito”. Mas é preciso ter coragem para se aprofundar no próprio desejo e suportar o calor e o desejo avassalador do outro – vulcões podem entrar em erupção e a terra pode tremer debaixo dos lençóis, levando a relação para outro nível de entrega, de intimidade e de desnudamento emocional, resta saber se queremos e se damos conta disso. Por outro lado, a quadratura Lua-Quíron sinaliza que todos estes conflitos podem abrir uma caixa de Pandora pestilenta e dolorosa e quando vemos, já fomos longe demais nas palavras ou nas atitudes que magoam de forma até mesquinha. O que precisamos ter claro para nós, internamente, é o porquê estamos nessa relação. Quais são seus valores e fortalezas, quais são suas dificuldades? O que nos une é mais forte do que aquilo que nos separa?

Imutável DEstino - Capucine
Imutável Destino – Capucine Piccicarolli

Urano volta ao movimento direto em Áries no DOMINGO. Seu trabalho de revolução individual dentro do coletivo, que ficou em stand by por muitos meses, volta à ação direta. Com Urano direto muitas das questões que estava em suspenso voltam a se movimentar, acordamos da letargia, levando choques de realidade e descargas elétricas nervosas nas áreas em que Urano trafega no mapa natal. A roda volta a se mover e os dados estão lançados. A Lua se afinando com seu regente Júpiter, em Leão, indica um domingo menos denso e mais animado à volta da mesa familiar. O dia pede atividades sociáveis, mas sem exageros, já que a Lua ainda está Balsâmica. É hora de rever crenças e visões para a próxima fase, onde vamos apostar nosso otimismo e entusiasmo e de que maneira. O Sol ingressa em Capricórnio às 21h04min e a Lua às 23h25min. A Lua será nova às 23h35min do domingo, 21.

Que sua semana seja de luz e de transformações positivas!

dalizodiac_capricorn
Capricórnio – Zodíaco de Dali – Salvador Dali – Reprodução