Arquivo da tag: Sensibilidade

Lua Cheia em Peixes – Não afunde, flua!

Birth Chart Painting – Lua Cheia em Peixes – Reprodução

Um derramamento profuso de emoções e sentimentos, é o que simboliza a Lua Cheia em Peixes nesta quarta-feira, dia seis de setembro, às 04h03min no horário de Brasília – 08h03min para Lisboa. Por que todo esse aguaceiro? Porque, além de a Lua estar em Peixes, signo das Grandes Águas, que simbolizam o retorno à Unidade, a lunação se dá em conjunção muito próxima a Netuno, de cerca de um grau.

Virgem – Iconografia antiga – Reprodução

O Sol trafega atualmente o signo de Virgem, signo de ordem, controle, seleção, separação, apuro técnico, acuidade, análise. Virgem é regido por Mercúrio e é o mais racional dos signos de Terra. Já Peixes, é o signo do caos, e a Lua Cheia vem equilibrar a energia da ordem com um pouco de desordem. Em Peixes somos convidados a abraçar outras percepções além daqueles pertencentes ao mundo palpável, sólido, real. Em Peixes a imaginação alça voos mais altos e mais profundos, para dimensões que a mente racional não alcança e tem que ser deixada “desligada”, como mera expectadora, se for para aproveitarmos a experiência. Além da grande criatividade e imaginação – que premia as pessoas fortemente Piscianas com os dons artísticos, seja nas belas artes como na música – Peixes também traz presente os valores da compaixão, altruísmo, empatia, serviço, cura. É o último signo do Zodíaco, o ponto em que o ego se dissolve e volta para a Unidade, para o Todo, para que tudo volte ao estado do vir a ser. Assim, as lunações ocorrendo nesse par de signos, representam um período de ordenar e sintetizar nossa criatividade; de esmerar nossa técnica, burilar nossas habilidades, para que com elas, possamos explorar com eficiência a esfera da imaginação e para que possamos produzir algo de valor a partir desse caos aparente. É também o período de manifestar os valores da empatia e da compaixão, através de atitudes práticas diárias, do serviço ao próximo, do sermos úteis e desprendidos – claro, não é que devamos ter tais atitudes somente neste período, mas é quando nos conscientizamos mais claramente destes valores.

Elena Kalis – alice Under Water – Reprodução

E nesta Lua cheia tais valores e sentimentos estão mais extravasados, porque os diques se romperam, as comportas se abriram e as águas irrompem das profundezas da alma e do inconsciente. O principal aspecto que a Lua faz nesta lunação é a conjunção a Netuno, regente moderno de Peixes, o que aumenta e potencializa tudo o que já dissemos sobre este signo. Além disso, o único ponto em Ar é Júpiter, regente tradicional de Peixes. A sensibilidade está exacerbada e nos sentimos muito expostos, como se não tivéssemos pele psíquica, porque as fronteiras estão dissolvidas e guarda, baixa. E a objetividade está embotada, afogada.

Kindra Nicole – Reprodução

Sendo a Lua Cheia um tempo de iluminação das questões mais inconscientes, a conjunção a Netuno e a própria energia Pisciana vêm iluminar nossos anseios e desejos de fusão e redenção, o desejo de nos render e parar de lutar contra o ímpeto de consciência, contra o ímpeto de separação e individuação. Esta ênfase em Netuno – que também acabou de receber a oposição do Sol – e o fato de estar ser a primeira lunação pós eclipse, o apogeu do ciclo iniciado com o eclipse do dia 21, sugerem uma desistência, uma rendição: exaustos que estamos de todas as lutas recentes, desmoronamos e desistimos de “segurar a onda” e simplesmente nos permitimos sucumbir, mesmo que temporariamente, relaxando o controle e então, toda a tensão acumulada deságua, seja na forma de choro, de sono, de exaustão, de ingestão de álcool – esta não é a melhor das opções! E sim, por um lado, é um momento adequado para deixar a tensão desaguar, é um momento apropriado para limpar e purificar o coração e a alma de todos os ranços, cansaços; é um bom momento para abrir mão do controle e confiar no fluxo, mesmo que o rumo pareça completamente incerto e obscuro. Apenas fluir e confiar na correnteza, respirando, respirando e flutuando – como quando se cai num rio, se entrarmos na ansiedade e começarmos a nos debater nessas águas, afundamos feito pedra e nos afogamos! Do contrário, se respirarmos e mantivermos a calma, flutuamos e fluímos com a correnteza.

Lua Cheia em Peixes – Brasília, 6 de setembro, 04h03min

Além da conjunção a Netuno, a Lua Cheia se afasta de um quincôncio a Vênus em Leão – e claro, Vênus está em quincôncio a Netuno também – e se aproxima de sextil a Plutão em Capricórnio. Estando os dois “planetas” femininos envolvidos com Netuno, esse feminino se confunde com a imagem da Grande Mãe, aquela que dá a vida e ao mesmo tempo a devora; a mãe que é, ao mesmo tempo, mãe e amante do filho redentor e o desmembrará para que a redenção aconteça e ele possa ressuscitar – um tema básico de Peixes. Trazendo o mito para o presente, é necessário ficarmos atentos às identificações momentâneas com esse mito e a necessidade de atuar essa Grande Mãe Todo-Poderosa que asfixia o outro no seu abraço de amor mortífero; atenção também para as idealizações excessivas do outro, das relações e até de nós mesmos como parceiros dentro dessas relações. O sextil a Plutão talvez nos ajude a enxergar a verdade, mas é preciso estar de olhos abertos e talvez isso seja muito difícil nas próximas duas semanas, tempo em que essa lunação tem efeito.

Dreamstime – Reprodução

A ajuda pode vir mesmo é de Saturno em Sagitário, a quem a Lua faz uma quadratura aplicativa – ainda vai acontecer. Saturno é foco de uma T-Square Mutável, pois recebe as quadraturas (amplas) da Lua e do Sol. O Sol torna essa quadratura exata no dia 13 e a Lua, algumas horas depois de ser cheia. Saturno é o ponto de alerta e de realidade que pode nos segurar no meio do caos, que pode nos ajudar a manter os pés no chão, a árvore firme e de raízes profundas à qual se amarrar quando o tsunami vem. Podemos sim, abrir mão do controle momentaneamente, como sugerido por Lua-Sol-Netuno; podemos deixar a tensão desaguar, mas apenas para um descanso provisório, apenas para uma trégua, porque logo à frente, precisamos voltar ao nosso posto de observação e ação na realidade. Precisamos nos render e absorver as imagens oníricas e mágicas que surgem do inconsciente, mas depois precisamos fazer algo manifesto com elas; precisamos voltar a nos responsabilizar por nós mesmos e o que acontece à nossa volta. Não dá para ficar navegando a esmo indefinidamente! Por outro lado, esse aspecto a Saturno sugere que se nos deixarmos iludir pelas promessas vazias e fantasiosas de hoje, ali à frente podemos ter que lidar com uma realidade meio amarga e dura, portanto, mais uma vez, melhor ficar atentos às auto ilusões e auto enganos.

Magritte – Reprodução

Mercúrio, regente do Sol, está no grau 28° de Leão – grau do Eclipse total do Sol – e está estacionário-direto, voltando a se movimentar para a frente poucas horas depois da Lua Cheia. Mercúrio ganha ênfase pelo fato de estar estacionário-direto e pode ser de grande ajuda para trazer lucidez e clareza no meio da enxurrada, simbolizando ideias e presença de espírito, a melhor atitude no meio do caos. É mandatório estar centrados para termos essa “presença” de espírito, para sabermos quando falar e quando calar, quando agir e quando esperar.

Brooke Shaden Photography – reprodução

Júpiter, regente tradicional da Lua Cheia, como já dito, é o único ponto em Ar e isso também ressalta sua importância: achar o equilíbrio e a exata medida das coisas, algo que pode ser difícil a princípio, visto que Júpiter está em oposição a Urano, adicionando imprevisibilidade, atitudes erráticas e meio tresloucadas, oscilações no entusiasmo, que ora vai, ora vem. Para lidar com tais oscilações, precisamos nos conectar com a nossa alegria, aquela alegria serena, que não é euforia, mas o contentamento interior que nos ajuda a enfrentar as tempestades. Mais: Júpiter está no Ponto Médio entre Saturno e o Nodo Norte – Cabeça do Dragão – e, segundo Ebertin, isso sugere “apreço à solitude, alegria no isolamento, a experiência de alegria interior através do auto sacrifício pelos outros” – portanto, para que Júpiter possa nos ajudar, precisamos dar uma forcinha a ele, encontrando ilhas de calmaria, momentos de solitude, onde possamos nos conectar com essa alegria interior. De Netuno, regente moderno de Peixes, já falamos acima: está conjunto à Lua, potencializando as manifestações dessa lunação.

Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 14 de Peixes (13°53’) traz a imagem de “Uma mulher enrolada numa grande estola de pele de raposa”. Dane Rudhyar nos diz que o tom básico deste símbolo é “o uso da inteligência e da sutileza mental como proteção contra as tempestades e provações”. Rudhyar nos lembra que a raposa é um animal inteligente e sutil no simbolismo e na mitologia, representando a “astúcia” e a capacidade de se adaptar a toda e qualquer situação de vida. “A vontade espiritual e a capacidade de enfrentar os testes são necessárias em qualquer situação crucial ou desafiadora que um indivíduo pode encontrar num grupo orientado para o poder. Mas a vontade, tipo espada, muitas vezes, tem que ser protegida, e a inteligência ou perspicácia podem ser a ajuda mais preciosa quando estamos em perigo. É um escudo pessoal (ou seja, “animal” ou instintivo), talvez até uma camuflagem. Ele esconde a vontade central, mas mantém o indivíduo protegido de dificuldades desnecessárias. O que vemos simbolizado aqui é um modo auto-protetor de encontrar as inclemências do clima, real ou psíquico, que abundam quando se leva uma vida consagrada a um Todo mais vasto; pois essa consagração suscita fortes inimizades. Riscos desnecessários são proibidos ao iniciado, pois a segurança da Irmandade pode estar em perigo. A necessidade de PROTEÇÃO é imperativa, e o glamour pode ser um escudo eficaz”. Este símbolo vem se realçar a importância de Mercúrio e Júpiter e, consequentemente, a necessidade de usarmos nossa inteligência e sutileza em tempos difíceis, quando seria mais fácil entrar em pânico e desespero. A vontade precisa ser firme e forte e a vontade vem de Marte, que está em Virgem, ou seja, precisamos nos ater ao que podemos fazer, efetivamente, em termos práticos, sem nos perder nos detalhes irrisórios. E, assim como Virgem, precisamos ser prudentes e nos esquivar de riscos desnecessários e a auto-contenção é fundamental – o que pode ser um risco desnecessário no seu contexto pessoal? Só você pode saber! Mas de modo geral, riscos desnecessários têm a ver com envolver-se em situações duvidosas, deixar-se levar por medos irreais, deixar-se levar por euforias igualmente enganosas, fragilizar-se em demasia em situações/lugares que lhe deixem exposto, ingestão de substâncias alteradoras da consciência – peixes e Netuno exacerbam seus efeitos!

Christian Schloe Digital Art – Reprodução

Em resumo, esta Lua Cheia traz um momento de alívio nas tensões, que nos permite entrar em contato com nossa vulnerabilidade, mas isso se dá com um aumento da sensibilidade e fragilidade psíquicas, portanto, é necessário achar o lugar e a situação seguros que ofereçam a adequada contenção para o desaguar das emoções. É momento de render-se, purificar-se e lavar-se nestas Grandes Águas, mas permanecendo atentos à realidade e ao que ela requer de nós, recorrendo à nossa inteligência, perspicácia e sutileza para navegar esse maremoto!

Desconheço o autor – reprodução

Nota: pessoas com planetas e ângulos entre os graus 8 e 18 dos signos Mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) sentem mais intensamente os efeitos desta lunação. De modo geral o dia traz propensão a tristeza, nostalgia, sensibilidade, anseios inexplicáveis, vontade de escapar, compaixão, desânimo e atmosfera de sonhos e irrealidade… Sensações que nublam a mente e a lucidez, portanto convém ter cautela nas ações.

Uma ótima Lua Cheia para você!

Birth Chart Painting – Lua Cheia em Peixes – Reprodução

A Semana Astrológica – A solidariedade nossa de cada dia

Mihai Christie - Reprodução
Mihai Christie – Reprodução

Semana de 31 de outubro a 06 de novembro – semana de muita sensibilidade, renovação e de se imbuir de energia e vigor para ir em busca da realização dos propósitos!

Inauguramos o ciclo de Escorpião neste domingo, com a Lua Nova de Escorpião. Um ciclo que propõe eliminações, reciclagens e a regeneração – bem que estamos precisando! Uma Lua Nova que também fala de segredos e de revelações. E como começamos também um mês novinho em folha, ao final do texto veja principais acontecimentos de novembro.

Reprodução
Reprodução

E a semana já começa fortíssima, com a celebração do Halloween, a Noite de Todos os Santos, o festival de Samhain no Hemisfério Norte e de Beltane no Hemisfério Sul, de acordo com a Roda do Ano do calendário pagão. Atualmente o Halloween é visto apenas como uma data comercial americana, mas é muito mais que isso. Os americanos apenas se apropriaram dessa festa, que tem origem Celta e que compreendia um tríduo de ia de 31 de outubro a 2 de novembro. Um tempo mágico, sagrado, em que se dizia que os mortos podiam andar entre os vivos. Para entender a origem e a importância desse festival, leia sobre a origem do Halloween.

Reprodução
Reprodução

O Sol se engaja numa conversa transcendental com Netuno em Peixes, colorindo a semana de muita sensibilidade, criatividade e altruísmo e nos pergunta como temos vivido expressado nossa empatia  – será que ao menos temos isso? Empatia é diferente e piedade, a piedade sente dó e pena, a empatia faz você sentir junto, ser solidários e buscar ajudar o outro de alguma forma. Como vivemos isso no dia a dia? O Sol fecha o período já em conversa com seu dispositor moderno, Plutão, imprimindo mais força e intensidade à nossa presença e objetivos. Mercúrio está bem industrioso e ocupado nesses dias: faz sextil a Plutão, aumentando seu poder de penetração e perspicácia, além do poder da palavra e o poder mental. Depois disso ele faz trígono a Quíron e quincunce a Urano (este último aspecto fica exato na semana que vem), o que indica maior empatia em nosso discurso e comunicação, mas, ao mesmo tempo, uma dificuldade de conciliar o impulso da ação com o desejo de contenção.

John Holcroft - Reprodução
John Holcroft – Reprodução

Vênus, a Pequena Notável, segue em recepção mútua a Júpiter – um mora na casa do outro, atualmente – mas nesta semana, depois de ter encontrado com Saturno, depara-se com Quíron e nossa autoestima tem outro baque. Feridas podem ser reabertas, mas podemos também aproveitar a oportunidade para saná-las de vez. Como Vênus é um planeta terroso, que tem a ver, até certo ponto com a materialidade, visto que rege Touro e representa recursos, quando em Sagitário e em contato com Quíron, sinaliza um período em que podemos ter grandes dificuldades com o corpo, com nossas sensações e com o fato básico de estarmos nesta encarnação cheia de percalços e limitações. Podemos ser atraídos por indivíduos que personificam o arquétipo do fragilizado, do doente ou ou que tenha alguma dificuldade física e ainda, podemos ser atraídos pelos curadores. Negativamente podemos nos envolver repetidamente com pessoas que parecem mais vulneráveis do que nós – talvez elas carregam por nós a fragilidade que não damos conta de admitir que temos, e vice-versa. Depois Vênus se refaz desse embate e sai filosofando, buscando um sentido para tudo isso. Depara-se com Urano e resolve que vai reformar o Bem-amado. Esse contato traz um sopro de novidade e leveza para as relações, depois de duas semanas bem carregadas e tensas. Novidade, aventura, liberdade e independência temperam as relações, que ganham mais modernidade e um tom de experimentação. Outro dado interessante é que Vênus está Fora dos Limites do Sol desde o dia 26, condição em que fica até a primeira semana de dezembro. Um planeta, quando Fora de Limites, tem uma qualidade selvagem, indomável e imprevisível – não se sabe direito o que esperar – ainda mais em contato com Urano!

Reprodução
Reprodução

Marte sobe as últimas escarpas da montanha íngreme de Capricórnio e depois do conflito com Urano em Áries, não faz mais nenhum aspecto maior com outros planetas, apenas recebendo os trânsitos da Lua. Marte também já voltou aos limites do Sol nas declinações – está bem mais comportado e disciplinado, como Mestre Saturno gosta! Ingressará em Aquário na semana que vem.

Catrin Welz-Stein - reprodução
Catrin Welz-Stein – reprodução

A Lua abre a semana na fase Nova em Escorpião. Entra na fase Semi-Crescente ou Côncava já em Sagitário. Ganha ímpeto em Capricórnio e fecha a semana em Aquário. Formaliza o Quarto Crescente na segunda, dia 07 de novembro.

Tirado de Blackleatherbelt.tumblr - Reprodução
Tirado de Blackleatherbelt.tumblr – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 31 de outubro – A Lua está renovada em Escorpião e se harmoniza com Plutão em Capricórnio. Faz conjunção a Lilith, se afina com Quíron mas se indispõe com Urano. Fecha a noite harmonizada com Marte. O Sol está em trígono a Netuno, exato amanhã. A semana começa intensamente, com energias densas, mas poderosas à nossa disposição. Um novo ímpeto e novo impulso percorrem nossas veias, impregnando o dia de disposição e vigor, deixando-nos dispostos a atacar qualquer situação que surja no caminho com destemor e galhardia. Não é que não haja dificuldades, mas não nos dobramos a elas, pelo contrário, talvez elas nos façam mais ousados porque o desafio nos incita a provar para nós mesmos que conseguimos superar mais esse limite, o nosso limite! Também há muita sensibilidade, profundeza de sentimentos e a intuição está super aguçada, de modo que vale prestar atenção a ela. Por outro lado, dado os resultados das eleições, muitos podem estar celebrando e outros tanto podem estar lastimando e a energia de Escorpião, quando operando negativamente, vai pela via do cinismo como mecanismo de defesa. Para onde estamos indo mesmo? Não importa, todos nos encontraremos no juízo final. É, o humor pode estar um tanto sardônico e circunspecto, mas ainda assim, a energia flui e depende de nós como canalizá-la criativamente e positivamente. A Lua está Nova, mas ainda não é hora de começar nada, visto que ela estpa escura e ainda muito instintiva. É hora de planejar e ter firmeza nas intenções – os novos começos são recomendados no terceiro dia da Lua Nova, quando ela aparece como um anel fino no céu.

Reprodução de Google+
Reprodução de Google+

TERÇA-FEIRA, 1° de novembro – O Sol está em trígono exato a Netuno hoje. De Escorpião a Lua se afina com Marte, aspecto depois do qual fica fora de curso, à 00h44min. Fica muitas horas sem contatos, até entrar em Sagitário às 12h43min, onde continua sem muita conversa, apenas se aproximando da quadratura a Netuno. A imensa sensibilidade que experimentamos hoje está contida em nós mesmos. É como se nos déssemos conta do universo vasto em nós e que se irradia para os outros e o mundo ao redor, formando uma teia viva e luxuriante de vidas, experiências, sentimentos, intenções… Contudo, a manhã não favorece a expressão direta de tudo isso, antes, convida-nos a meditar e refletir sobre como podemos aplicar tal sensibilidade em nossos propósitos, para além de objetivos individuais, em algo que abarque a vida, o mundo e a melhoria do humano. Um anseio por um mundo menos sórdido nos faz matutar sobre nossa própria responsabilidade no mundo que nós também ajudamos a engendrar, dia a dia, com nossas ações, posturas, pensamentos e vibrações… O que podemos fazer para alterar esse estado de coisas? Sentimo-nos caminhando para um abismo e não conseguimos fazer muito, há uma sensação de inevitabilidade… Mas, da mesma forma, acena para nós, sempre, a possibilidade da redenção, num pequeno gesto, numa ajuda tímida ou mais decidida… Sempre podemos mudar, se não nos dobramos à desesperança. À tarde o clima muda um pouco e fica menos contido, mais espontâneo, mais expansivo e saímos para o mundo mais animados e visionando como colocar incluir toda essa sensibilidade nos planos grandiosos de futuro que desenhamos. Em termos práticos, a manhã pede rotina, já a tarde está mais propícia a explorações e à busca de novidades.

inspirationlane-tumblrQUARTA-FEIRA, 2 de novembro – A Lua faz quadratura a Netuno, sextil a Júpiter, seu dispositor, e conjunção a Saturno. Fecha a noite conjunta a Vênus, aspecto exato amanhã. Mercúrio vai se aproximando do sextil a Plutão enquanto Vênus se afasta de Saturno. Dia propenso a exageros e escorregões diversos, seja nas atitudes ou no excesso de franqueza. A princípio, temos um entusiasmo contagiante, mas oscilamos muito e talvez em seguida fiquemos meio incertos de nós mesmos… a dúvida, que vemos como inimiga, talvez nos empurre na direção da supercompensação e possivelmente tornamo-nos super enfáticos e até mesmo moralistas. Nesse clima de insegurança, uma imensa nostalgia toma conta de nós, talvez porque seja Dia dos Mortos, talvez pelo feriado, o certo é que estamos assim meio… “coisados”, uma hora cá, outra lá do outro lado do mundo, sonhando com outras paragens, outras paisagens, outras dimensões. Lembramos que não somos deste mundo e sentimos saudades de casa… quando será a nossa hora? Filosofamos e tecemos conjecturas, mas o certo é que o Dia dos Mortos existe não só para nos lembrarmos dos nossos mortos queridos, mas para nos lembrar da morte em si mesma, que somos finitos e mortais e que o melhor legado que podemos deixar é uma vida bem vivida… O dia fica assim, propício a filosofar, a discutir o sentido das coisas, da vida, da morte, da caminhada e dos passos que deixamos por aqui… alguma tristeza e nostalgia que se apresentem devem ser abraçadas e integradas. Elas também fazem parte, assim como aqueles que se foram já fizeram um dia. Possivelmente a Lua já começa a aparecer no céu hoje. Conta uma lenda árabe, que o que quer que você esteja fazendo quando vir a Lua pela primeira vez naquele ciclo, é a coisa certa para você fazer!

Martin Stranka - Reprodução
Martin Stranka – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 3 de novembro – Mercúrio está em conversa íntima com Plutão enquanto a Lua faz conjunção a Vênus em Sagitário. De manhã cedinho a Lua peleja com Quíron e depois se entrosa com Urano, ficando vazia depois desse entrosamento, às 08h37min. Fica o resto do dia vazia, mas ainda faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Apesar de precisarmos mostrar serviço, o dia está inconstante, com a energia fluindo irregularmente. Tudo bem, podemos nos desdobrar, só não podemos é abraçar o mundo com as pernas ou prometer demais e acabar não cumprindo. Além de tudo, a energia física é algo que também oscila, vai e vem, conforme nosso humor e nossa atenção viajadora. Estamos desconectados da alma, de forma que perdemos o fio da meada e talvez tenhamos que refazer algumas coisas. Porque apresar de precisar mostrar serviço, nosso anseio é de soltura e largueza, amplidão de espaço e pensamento, portanto, compromissos muito rígidos hoje serão asfixiantes. Como sempre, com a Lua vazia, a objetividade é pouca ou nenhuma, por isso, o ideal é não tratar de coisas muito sérias hoje, deixando as grandes decisões para outro dia. Por outro lado, a mente está focada e capaz de revelar questões inconscientes e trazer verdades à tona, a respeito de nós mesmos, nossos sentimentos e motivações, como também de situações lá fora.

Adam Martinakis - Reprodução
Adam Martinakis – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 4 de novembro – A Lua ingressa em Capricórnio à 01h06min e fica algumas horas bastante soturna e concentrada, sem dar moral ou conversa para ninguém. Pelo fim da manhã vai estabelecendo uma afinidade com Netuno, contato certo à noite. A Lua fecha a noite em quadratura a Júpiter. Vênus tem o conflito com Quíron plenificado hoje. Hoje recuperamos o tempo aparentemente “perdido” ontem: arregaçamos as mangas e nos concentramos no trabalho, corpo, alma e coração – e ai de quem vier nos interromper com coisas pequenas! O dia está assim, propício ao trabalho disciplinado, perseverante e focado, estruturando, sistematizando e organizando a vida. Entretanto, apesar de toda a diligência e foco, talvez usemos o trabalho para nos dispersar de questões que doem na alma, agudamente… Um senso de inadequação, de cristal trincado, que não será consertado, não importa o que façamos. Todo o foco no trabalho não é suficiente para nos distrair da desarmonia relacional que intuímos ao redor e que nos faz tomar partido, porque compramos a dor do outro, numa empatia que nasce da nossa própria dificuldade em lidar com certas injustiças da vida… Por que a vida é como é? A cabra não discute com isso, é o que é e pronto! Mas lá no fundo esse pragmatismo incomoda e lutamos para encontrar um sentido que explique, justifique, esse espinho que dói no outro e dói em mim; os cristais trincados, o defeito irremediável, o coração partido, a questão insolúvel, a resposta que jamais teremos… É inútil e por mais que lutemos, às vezes é em vão. Nem sempre encontramos sentido para certas coisas incompreensíveis que acontecem a nós ou ao nosso redor. Mas ainda podemos usar nossa grande sabedoria e iluminar a situação de outros, quando saímos de nossa própria dor e do nosso pequeno umbigo, vemos que há dores maiores que a nossa e, mesmo que não sejam maiores, é um humano que sangra e eu me irmano nele, A solidariedade pode ser bálsamo, que cura e aproxima, se ousarmos deixar alguém chegar mais perto.

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 5 de novembro – Vênus tem uma conversa super animada com Urano, aspecto exato hoje. Dona Lua faz conjunção a Plutão e, consequente, também se afina com o Sol, que está muito perto do sextil ao Senhor do Mundo Inferior. Depois a Lua tem uma conversa à boca pequena com Mercúrio. Dores, para quê vos quero? Para serem transformadas em experiência e sabedoria! Pragmatismo e resiliência dão o tom do dia, que nos ajuda a dar uma guinada e enxergar nossos pequenos problemas com outros olhos. Mais serenos e confiantes, mergulhamos fundo em nós mesmos em busca de nossos melhores recursos e voltamos refeitos e regenerados, depois de confrontar nossos humores sombrios e os espinhos fincados na carne que porventura ainda nos incomodem. O que não me mata, me fortalece! E me agrega bagagem e vivência. O realismo e resiliência são temperados com um desejo de mudança, de reformar esses aspectos menos nobres e trôpegos que carregamos em nós ou que vemos no nosso entorno. Ainda estamos bem cientes de nossas dores e feridas, mas não queremos nos debruçar sobre elas – pelo contrário, queremos extirpá-las – quem sabe colocando um coração biônico no lugar? Sim, uma onda de desapego e desprendimento vem em nosso socorro, de modo que conseguimos ver as coisas de outra perspectiva, mais distanciada, fria e objetiva.

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 6 de novembro – Mercúrio está em trígono pleno a Quíron e em quincunce, não exato, a Urano. A Lua Capricorniana faz conjunção a Marte e fica fora de curso depois, às 07h57min. Ingressa em Aquário às 11h56min, de onde fecha o dia e a semana em harmonia com Júpiter. O dia traz possibilidades de comunicação mais sensível, embora com rompantes de desassossego e impaciência com os melindres alheios. Podemos emprestar nossos ouvidos a quem precisa de um confidente confiável e atencioso e talvez curar alguém da alienação humana que tanto grassa por aí… Ao parar e dar atenção, ouvir e escutar o outro, ele deixa de ser só mais um; e, ao acolher seu sofrimento, eu também dou maior sentido às minhas próprias aflições. A manhã de domingo está favorável à rotina domingueira, qualquer que seja a nossa. Já de meio-dia à tarde estão favorecidos os encontros com amigos, as atividades diferentes, a saída – total – da rotina e do comum. Qualquer que seja seu programa de domingo, faça algo diferente e inusitado hoje, de preferência ao ar livre, em boa companhia, com boa comida e um papo melhor ainda. Certamente sua semana começará com o pé direito depois disso – e melhor, sem a habitual lombra de domingo!

Uma linda semana para você! Que seja Iluminada e serena!

NOVEMBRO:

09 – Marte ingressa em Aquário

10 – Saturno faz semi-sextil a Plutão

12 – Mercúrio ingressa em Sagitário

12 – Vênus ingressa em Capricórnio

14 – Lua Cheia em Touro

20 – Netuno retorna ao movimento direto

21 – O Sol ingressa em Sagitário

24 – Júpiter faz quadratura a Plutão

25 Vênus faz conjunção a Plutão

by-fineartamerica-stephen-just

Reprodução de Google+
Reprodução de Google+

 

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Peixes – Do Caos à Criação

Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução
Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua foi cheia nesta sexta-feira, dia 16 de setembro, às 16h04min de Brasília e às 20h04min para Lisboa, culminando o ciclo iniciado na Lua Nova de Virgem. Ambas as lunações, da Lua Nova e da Lua Cheia, foram eclipses. O de hoje foi um Eclipse Penumbral Lunar. Num eclipse penumbral ou Apulse a Lua entra somente na penumbra da Terra e não na umbra/sombra, a parte mais escura, ou seja, o alinhamento não é perfeito. Este tipo eclipse acontece quando Sol e Lua estão a mais de 12 graus de distância dos nodos. Para entender a dinâmica e significados de eclipses em geral leia este texto.

Eclipse Lunar - Birth Chart Paiting - Reprodução
Eclipse Lunar – Birth Chart Paiting – Reprodução

Este eclipse fecha a segunda temporada de eclipses do ano e, de certa forma, sinaliza o esmaecimento de um período denso e tenso que já dura muitos meses. De agora em diante a tendência é termos um pouco mais de calmaria do que temos tido ultimamente. É uma lunação e eclipse bastante tenso e melindroso. Lua e Sol se opõe no eixo Virgem-Peixes, a Lua em conjunção a Quíron e todos eles fazendo quadratura a Marte em Sagitário, que fica encurralado e espremido, como foco de uma T-Square Mutável.

Eclipse Lunar em Peixes - 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min
Eclipse Lunar em Peixes – 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min

A Lua, conjunta a Quíron já sugere muitos melindres, feridas dolorosas e muita sensibilidade ao sofrimento, pessoal ou coletivo. É um posicionamento que tende a nos deixar em carne viva, sentindo-nos emocionalmente expostos e vulneráveis. Como naquela canção do Roberto:

Acabei com tudo
Escapei com vida
Tive as roupas e os sonhos
Rasgados na minha saída

Mas saí ferido
Sufocando o meu gemido
Fui o alvo perfeito
Muitas vezes no peito atingido

Animal arisco
Domesticado esquece o risco
Me deixei enganar
E até me levar por você

Eu sei quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
Eu sei, o coração perdoa
Mas não esquece à toa
O que eu não me esqueci

Eu andei demais
Não olhei pra trás
Era solta em meus passos
Bicho livre, sem rumo, sem laços

Me senti sozinha
Tropeçando em meu caminho
À procura de abrigo
Uma ajuda, um lugar, um amigo

Animal ferido
Por instinto decidido
Os meus passos desfiz
Tentativa infeliz de esquecer

Eu sei que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
Eu sei, as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
O que eu não me esqueci

Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo na alma e no coração

(aqui eu discordo do autor: insistir em não mudar é o pior que podemos fazer!)

Pois é, essa música vem ilustrar bem os temas de Lua-Quíron; Marte-Quíron e Sol-Quíron: “sou fera ferida, no corpo na alma e no coração!”. Sim, as quadraturas a Marte tornam tudo muito volátil e agora, além de nos sentir expostos, ficamos defensivos e espinhosos, receando qualquer um que se aproxime um pouco mais, como a fera ferida de que fala a canção. Marte nessa posição fica meio encurralado e tende a enrijecer em suas convicções, tornar-se inflamado, fanático e extremista. Quanto mais me atacam ou duvidam da minha fé ou convicção, tanto mais eu me enrijeço nelas. Nesse sentido, temos propensão a conflitos que terminam com mágoas ainda maiores, caso alguém não ceda e perceba que outro está atacando como estratégia de defesa. Mas Quíron também nos fala do potencial de cura, a partir da aceitação de nossas limitações, das nossas misérias e fealdades humanas, e porque sabemos o quanto a dor é crua, desenvolvemos empatia pelos outros. Então, há potencial para choro, mas também para conforto e muito consolo, além de cura.

Júpiter em Loibra - Birth Chart Painting - Reprodução
Júpiter em Loibra – Birth Chart Painting – Reprodução

O regente tradicional da Lua Cheia, Júpiter, acabou de se mudar para Libra, um signo muito mais confortável e condizente com a natureza de Júpiter do que o signo anterior, Virgem. Júpiter ainda se afasta da quadratura fora de signo recebida de Marte, mas de modo geral, está em melhores condições agora, sugerindo que busquemos o significado de toda essa dor e raiva, que encontremos o sentido, mesmo que no momento o caos pareça imperar. Libra também sugere a necessidade de equilíbrio, de encontrarmos a exata medida das coisas, e que demos o benefício da dúvida ao nosso opositor/interlocutor. Sendo um signo de relacionamentos, o regente da Lua em Libra indica este tema também é enfatizado nesta lunação. O dispositor moderno de Peixes, Netuno, está numa situação mais desconfortável: recebendo a quadratura de Saturno, da qual já falamos muito em textos anteriores, indicando que devemos abrir mão das ilusões traiçoeiras e viver a partir da verdade.

Reprodução
Reprodução

A Lua Cheia se dá em conjunção ao Nodo Sul, o que sugere a necessidade de liberação, de soltar e abrir mão daquelas fantasias rançosas de que alguém venha tomar conta de nós ou a da tendência de escorregarmos para comportamentos caóticos e infantis… Considerando-se que Peixes é o último signos do zodíaco, associado a fins e conclusões, a Lua Cheia de fato favorece que deixemos ir tudo aquilo que já não serve mais, que nos livremos do lixo psíquico, emocional e até mesmo do lixo literal e físico que mantemos nos nossos armários e casas.

Série Saros 147 - 02 de julho de 1890, 14h08min.
Série Saros 147 – 02 de julho de 1890, 14h08min.

Esse eclipse faz parte da Série Saros 147, que se iniciou em 2 de julho de 1890, às 14h08min GMT. É interessante notar que no mapa do primeiro eclipse da série, temos novamente uma quadratura Saturno-Netuno, também no eixo mutável, só que dessa vez, Saturno está em Virgem e Netuno em Gêmeos e a quadratura é crescente e não minguante – Saturno trafegando atualmente por Sagitário faz oposição a Netuno deste mapa. Netuno está em conjunção a Plutão. Então, é um ciclo importante começando. Outra “coincidência” é Marte estar retrógrado no fim de Escorpião, uma retrogradação que começou também em Sagitário, muito similar àquela que tivemos recentemente. Mais: Marte está em quadratura a Saturno e oposição a Netuno, formando uma T-Square mutável cujos temas são muito parecidos com os que temos vivenciados nos últimos meses – não, definitivamente, não é coincidência! Outra coisa interessante é o fato de Urano estar transitando o terceiro decanato de Libra, em oposição ao Urano atual, que percorre o terceiro decanato de Áries – quer dizer, realmente, uma Série Saros vai repercutir seus temas em todos os eventos da série. Neste mapa também vemos que a Lua é o ponto médio entre Vênus e a conjunção Plutão-Netuno, apontando que as emoções e sentimentos são intensos, de modo que mudamos de humor e reações rapidamente, vertiginosamente, fazendo tempestades em copos d’água, ficando suscetíveis e voláteis facilmente, o que nos leva a atitudes extremistas e desvairadas – uma influência que reafirma a configuração Lua/Quíron x Sol x Marte. Entretanto, a Lua também é o ponto médio entre Quíron e o Nodo Norte, e isso, por sua vez, sugere que sim, para curar é preciso sentir, mesmo os sentimentos e emoções mais perturbadores e desconcertantes, porque a vida só tem sentido, quando nos permitimos sentir. Analisar é fácil, pensar é óbvio, mas sentir… Sentir, sentir realmente, é só para os muito corajosos! Quando falo de sentir, não me refiro a atuar os sentimentos desvairados e usá-los como desculpas para atitudes tresloucadas com relação aos outros e a si mesmo. Sentir profundamente, sabendo conter as reações instintivas e automáticas da fera ferida, ao invés de se derramar indiscriminadamente no mundo lá fora. Quando nos permitimos sentir plenamente a dor, o luto, a raiva, ou qualquer que seja o sentimento, sem atuá-los, temos maior possibilidade de processá-los e digeri-los mais diligentemente e, consequentemente, de nos liberarmos mais rapidamente também. O grande desafio é, pois, sentir toda essa gama de sensações e emoções caóticas e intensas sem se afogar nelas, sem se destruir ou se deixar esmagar por elas. Mas a cura vem pelo sentir. Intenso, visceral, inescapável. Sentir.

Colors of the Mind series. Visually attractive backdrop made of elements of human face and colorful abstract shapes suitable as element for layouts on mind reason thought emotion and spirituality
Reprodução

Peixes é um signo de grande abertura e sensibilidade, portanto, uma Lua Cheia ocorrendo neste signo também é propícia à conclusão de projetos criativos e artísticos e a canalizarmos toda a enxurrada de sentimentos na arte, seja na pintura, na escrita, na música, na dança ou em qualquer outro veículo criativo. Está triste? Cante essa tristeza! Está zangado? Dance essa raiva! Está confuso? Pinte essa confusão! Está saudoso? Poetize essa saudade/nostalgia! E assim por diante. A ideia é traduzir para alguma linguagem inteligível aquilo que o coração não consegue exprimir em meras palavras. Peixes, aliás, representa o caldeirão de conteúdos do inconsciente coletivo de onde podemos pescar toda a sorte de inspiração; é o líquido amniótico que é altamente condutor de eletricidade e excepcionalmente nutritivo; o caos primordial que dá origem à vida, à própria criação, por isso, se nos sintonizamos com as vibrações mais positivas dessa lunação, podemos expressar o manancial de sentimentos caóticos através da infinita criatividade. A arte, em todas as suas formas, também é um canal de cura, que o digam todos os artistas célebres que expressaram seus dilemas e dores através de muitas pinceladas, através obras primas musicais ou literárias. Nilse da Silveira é outra prova do efeito terapêutico da arte na cura dos males e dores da alma. Ponto de atenção: não vale afogar as mágoas no copo ou no pó – porque aí, ao invés de melhorar, piora tudo! Peixes já é propenso ao escapismo, portanto, é melhor não apelar para isso nas próximas duas semanas!

Animação que mostra as fases de um eclipse lunar - Reprodução do Wikipedia
Animação que mostra as fases de um eclipse lunar – Reprodução do Wikipedia

Assim, a Lua Cheia e o eclipse Lunar em Peixes alertam para o risco dos emocionalismos vazios, para o fanatismo e os conflitos egoicos; para a abertura de velhas feridas; alerta para situações de caos e tsunamis emocionais, mas que podem ser conduzidas criativamente se tivermos um mínimo de maturidade e contenção. Todavia, o eclipse também traz potencial de curarmos muitas das dificuldades que carregamos há tanto tempo, no que tange ao gerenciamento das emoções – não, não precisamos nem devemos ser escravos delas! Sentir não quer dizer ficar à mercê dos sentimentos, mas aprender a honrá-los, respeitá-los, exatamente para não ficar à mercê deles. Portanto, apesar de toda a sensibilidade, fragilidade e dor indefinível que possamos sentir, precisamos nos alinhar com o potencial de cura, soltando e liberando qualquer apego que possamos ter ao sofrimento ou à situação de vítima merecedora da simpatia alheia. Porque a sensibilidade também é um tipo de fortaleza e não precisamos nos vitimar por causa dela.

Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico - Reprodução do site da Nasa
Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico – Reprodução do site da Nasa

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 19 e 30 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais “afetados” por este eclipse. Para ter uma ideia dos temas que eclipse aciona no seu mapa, verifique o que estava acontecendo no período anterior ou posterior a 16 de setembro de 1997, que foi a última vez que um eclipse caiu próximo desse grau de Peixes, e anterior ou posterior a 6 de setembro de 1998, que foi quando ocorreu o último evento da Série Saros 147. Verificando os eventos e temas acionados naqueles períodos, temos boas pistas de como este eclipse pode se manifestar para nós.

Desejo que essa lunação traga liberação e purificação, que possamos deixar ir tudo que nos atrapalha e fere, tudo de que já não precisamos mais!

Feliz Lua Cheia para você!

Kindra Nicole - Reprodução
Kindra Nicole – Reprodução
Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução
Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Semana Astrológica – A Força da Compaixão

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

Semana de 11 a 17 de julho: Potencial de crescimento e expansão, que precisa trazer em seu bojo, mudanças e inovações!

Semana do Quarto Crescente, que sinaliza um momento em que o impulso de realização fica mais consistente e maduro, enquanto nossos projetos ganham corpo e substância. A Lua oficializa o Primeiro Quarto já na segunda, a partir de Libra, exigindo que o impulso inicial de vinculação amadureça e ultrapasse a fase do mero apego e dependência infantis, indo para relações mais equilibradas, entre iguais.

Configuração Grande Trígono
Configuração Grande Trígono

Nesta semana o Sol forma um Grande Trígono de Água com Marte em Escorpião e Quíron em Peixes e o mais interessante é que todos estes trígonos – Sol-Marte, Sol-Quíron, Marte-Quíron – ficam exatos no mesmo dia, tornando a força deste Grande Trígono ainda mais potente. É momento de percebermos que nossa vulnerabilidade não necessariamente nos torna fracos, pelo contrário, pode agregar a força da compaixão e da empatia e nos lembra, de novo, que somente os verdadeiramente fortes conseguem ser gentis e conseguem proteger ao invés de atacar àqueles que são mais fracos e desamparados. Este Grande Trígono fica formado por toda a semana, indicando que nos próximos dias teremos à nossa disposição uma força gentil e compassiva, um entendimento de que todos temos problemas e isso, ao invés de nos separar, pode, na verdade nos unir. Quíron, aliás, fica super ativado durante toda a semana e isso indica que talvez estejamos mais suscetíveis e melindrosos, dolorosamente cientes de nossas precariedades e transitoriedade… Vale a pena refletir sobre Quíron e as limitações inerentes à condição humana. Como diz o Caetano, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é e nesta semana esses sentimentos agridoces tomam o palco central no nosso coração. Leia sobre mais Quíron.

 Sally Cotton on flickr - Reprodução

Sally Cotton on flickr – Reprodução

Em meio a toda essa sensibilidade o Sol também faz quadratura a Urano e, se por um lado isso ajuda a diminuir a carga excessivamente sentimental dos dias, por outro, adiciona imprevisibilidade às atitudes e a possibilidade de rupturas dramáticas nas relações familiares ou mesmo em questões individuais que não toleramos mais. Pode ser um ótimo momento para dar um basta em nossos próprios apegos e dependências, em nossos receios infantis ou mesmo em atitudes que já deviam ter ficado no passado, mas que ainda carregamos por acomodação ou medo. É um período propício para ousar ser diferentes e expressar nossa individualidade e nossas cores verdadeiras. Reconhecer que, mesmo com insegurança e receio, precisamos seguir em frente, não podemos simplesmente parar o tempo, voltar os ponteiros do relógio para trás, por mais apego que o Caranguejo tenha ao passado… Porque, se insistimos, vem a vida e nos mostra quem pode mais… Quanto mais resistimos, mais doloroso é… Então, abramo-nos às novidades! Podemos nos surpreender até conosco mesmos, descobrindo qualidades que nem sabíamos que existiam! O Sol ainda faz sesqui-quadratura a Saturno em Sagitário, o que complica um pouco as coisas, pois essas inseguranças e medos podem espreitar e nos surpreender em momentos improváveis, impedindo-nos de avançar com as liberações que tanto almejávamos. O negócio é achar um jeito de equilibrar a tradição com as inovações, assim as inseguranças ficam sob controle.

martelo
Configuração Martelo de Thor

Por falar nele, o Velho Saturno é foco de uma configuração chamada Martelo de Thor por toda a semana, entrando pela próxima. Essa configuração é formada por dois planetas em quadratura (ângulo de 90 graus) entre si, ambos também em sesqui-quadratura (ângulo de 135 graus) a um terceiro planeta, que vira foco da configuração. Não é uma configuração tradicional e não é reconhecida por todos os  astrólogos. A sesqui-quadratura corresponde a uma quadratura e meia (90 + 45 = 135) e é um aspecto de manifestação inconsciente. Sue Tompkins, astróloga inglesa, diz que geralmente há a presença de muitas sesqui-quadraturas (forças inconscientes) e trígonos (livre fluir da energia) em mapas de acidentes graves. Como é inconsciente, temos dificuldade de dar livre expressão e agir ativamente sobre ele.

Robby Cavanaugh - Reprodução
Robby Cavanaugh – Reprodução

No caso da configuração, Alice Portman, astróloga australiana, diz que é um padrão difícil, porque tende a sugerir criticismo severo dos outros, adicionando grande tensão interna. Essa tensão é jogada sobre o planeta que é o foco da configuração, o qual precisa ter pelo menos um aspecto fluente para dar vazão à referida tensão. Sendo um aspecto que sugere inconsciência, o criticismo de que nos sentimos vítima e que é percebido externamente é, a meu ver, originário nas dinâmicas internas, em que um censor ou juiz severo compactua para atrair uma audiência igualmente severa que exponha aquelas falhas que identificamos em nós. Assim, há uma grande pressão e a própria ideia de um martelo sugere pressão repetida sobre um mesmo ponto, que pode levar à exaustão ou a uma ruptura abrupta e inesperada. Outros astrólogos sugerem comportamentos extremistas (incluindo o potencial para a violência ou explosões) na semana em que ocorre a configuração ou mesmo em indivíduos que trazem essa formação no mapa natal. Neste caso, temos o Sol em Câncer em quadratura a Urano em Áries, ambos em sesqui-quadratura a Saturno em Sagitário – ou seja, três camaradas que naturalmente já não se dão muito bem e que têm questões a resolver, algumas delas, indiretas e não muito claras. Assim, a tensão e a pressão geradas pela necessidade de mudança interna e externa (Sol-Urano), descambam sobre o controlador e defensivo Saturno – que não quer mudar de jeito nenhum! Em termos práticos e mundanos, podemos ver indivíduos, grupos e instituições recorrerem a fanatismos, dogmatismo e doutrinação extremista e ultra-conservadora quando se virem pressionados por segmentos sociais mais modernos ou liberais. O resultado pode ser, portanto, o inverso do inicialmente esperado, ou seja, um recrudescimento do controle e o retrocesso de questões cruciais. Vamos observar!

Tirado de Abduzeedo - Reprodução
Tirado de Abduzeedo – Reprodução

Depois de também fazer trígono a Quíron, Mercúrio entra em Leão, reinado do Sol, na quarta-feira, dia 13. Lá fará conjunção a Vênus, que ingressa em Leão um pouco antes, na segunda-feira. Mercúrio em Leão fala muito de si mesmo e o “auto-interesse” deste posicionamento é famoso. Suas visões e percepções são altamente subjetivas e demora muito para que a pessoa perceba que nem todos compartilham de sua forma de pensar ou que o mundo lá fora não é exatamente igual ao que ele pensa. De modo geral, Mercúrio em Leão se expressa com confiança que, dependendo dos aspectos gerais, pode chegar ao autoritarismo. Orgulhoso, muitas vezes banca o “sabe-tudo”, irritando aos outros que ele presume não saberem nada. Mas às vezes, essa atitude “sabe-tudo” na verdade esconde uma grande insegurança e o receio de passar despercebido ou de ficar apagado enquanto outros brilham. A comunicação costuma ser dramática, a voz costuma ser enérgica e soar autoritária. Como qualidade favorável, não se pode esquecer que este é um posicionamento extremamente leal e, a não ser que este Mercúrio esteja muito mal aspectado por planetas pesados, dificilmente será dado a fofocas ou a falar mal dos outros, especialmente se estes “outros” forem seus amigos ou fizerem parte de seus círculo mais próximo. Durante os trânsitos de Mercúrio por Leão é comum um aumento de notícias envolvendo a realeza ou o setor bancário e joalheiro.

Coco Chanel, que tinha Vênus e o sol em Leão
Coco Chanel, que tinha Vênus e o sol em Leão

Já Vênus em Leão é orgulhosa e vaidosa por natureza. Além de se cuidar muito bem, pois detesta ser vista sob luzes negativas que desfavoreçam sua presença, também precisa admirar e se orgulhar do parceiro/a. Sim, ela vai se apaixonar por alguém à sua altura ou acima dela, se não houver admiração, não haverá atração, menos ainda, amor. Ela gosta de ser mimada e regalada, cortejada ricamente, com belos presentes e também com pompa e circunstância. Charmosa, classuda e elegante (a não ser que outros aspectos discordem ou sugiram ostentação), é preparada para circular em palácios e ambientes de grande estilo e poder – veja o exemplo de Coco Chanel, que tinha Vênus e o Sol em Leão e que fundou uma das grifes mais caras do mundo, sinônimo de classe e elegância! E sim, ela adora o poder! Adora uma bajulação e adora bajular, mas detesta falsidades! Sabe ser magnânima e generosa com aqueles que lhe são fiéis, assim como sabe ser, ela mesma, indiscutivelmente leal. Os romances serão dramáticos e trágicos porque ela gosta de grandeza, inclusive dos grandes sentimentos – aliás, romance é essencial, com cenários montados e mágicos e tudo o mais a que ela tem direito. Mesquinharia, não, please!!! Como os outros signos fixos (menos Aquário), há tendência à possessividade, especialmente com o Sol, regente dessa Vênus, trafegando Câncer – Câncer não é possessivo em si mesmo, é mais uma posse que nasce da carência e do medo do abandono. Tendo grande senso estético, Vênus em Leão é um ótimo posicionamento para o mundo das artes em geral, especialmente para o teatro e o cinema – onde, de quebra, ela também pode aparecer sob as luzes da ribalta em todo o seu esplendor! Em termos financeiros, é um bom posicionamento para negociantes de ouro, pedras preciosas, jóias em geral e também para o setor bancário, além de tudo o que tenha grife e seja sinônimo de luxo e realeza

Reprodução
Reprodução

Marte, agora direto, gradativamente vai recuperando força e velocidade para refazer alguns contatos pela terceira vez. Um desses contatos é o quincunce a Urano em Áries, um aspecto que fala de inconstância, imprevisibilidade, de atitudes erráticas e impulsivas, ou seja, um aspecto que carrega, em si mesmo as qualidades de Urano e também de Marte. Marte e Urano são ambos impulsivos e um tende a energizar o outro, seja de forma harmônica ou tensa. Assim, nossa energia executiva pode sofrer bastante nesta semana, pois estamos muito impacientes, rebeldes e, inconscientemente, suscetíveis à precipitação, o que pode causar problemas nas relações, já que podemos soar mais rudes, abruptos ou mesmo mais insensíveis do que imaginávamos. Temos também dificuldade de medir nossa força e assim, uma hora forçamos a barra empenhando força excessiva no que fazemos, e em outra, quando deveríamos agir mais energicamente, falhamos em aplicar nossa força mais consistentemente. Precisamos estar cientes de quais incongruências internas originam nossa inconstância e impaciência, para talvez nos antecipar e sanar problemas potenciais – de toda forma, em se tratando de Urano, não conseguimos ser previsíveis, portanto, este é um aspecto famoso por acidentes e fatalidades. Em se tratando de Marte-Urano, também há propensão a explosões de fúria intercalados por períodos de frieza glacial. Se nos sentimos inquietos por demais, precisamos achar uma válvula de escape onde jogar e conter nossa inquietude: esportes, atividades físicas e dança podem ajudar.

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana inaugurando a fase do Primeiro Quarto, em Libra. Adensa os objetivos em Escorpião, sensibilizando-se ao participar do Grande Trígono em Água junto com Marte, Sol e Quíron. Torna-se Corcunda em Sagitário, fechando o domingo já em Capricórnio.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 11 de julho – A Lua Libriana faz quincunce a Netuno em Peixes e sextil a Saturno em Sagitário. Mais tarde ela faz quadratura a Plutão em Capricórnio e formaliza a fase do Primeiro Quarto às 21h52min, ao fazer quadratura ao Sol Canceriano. O Primeiro Quarto acontece num clima de Grande Cruz Cardinal, envolvendo Urano e Plutão. Mercúrio faz quadratura a Urano e sesqui-quadratura a Saturno, ambos os aspectos exatos hoje. O dia está dinâmico e cheio de atividades que nos puxam em várias direções. Conflitos e crises diversos podem estourar em várias frentes: pessoais, relacionais,  familiares e profissionais, demandando ação certeira e resoluções rápidas, além da gestão dos conflitos, internos e externos. Não há tempo para indecisão e hesitação e se vacilarmos, seremos patrolados por outros mais sintonizados com o clima em questão. Sim, hoje temos que trocar o pneu com o carro em movimento, porque qualquer demora poderá nos fazer perder as vantagens que tínhamos conseguido anteriormente. Precisamos perceber quais de nossas atitudes, pensamentos, opiniões ou conceitos precisam de repaginação; onde ganharemos muito se ampliarmos nosso escopo de visão e de atuação… Se não percebermos por bem, teremos as coisas “desenhadas” ou, melhor dizendo, esfregadas na nossa cara. É hora também de amadurecer nosso impulso inicial: a energia que colocamos em vários projetos precisa ser maturada e os projetos agora enfrentam crises e desafios que testam sua validade e também o nosso empenho… Até onde estamos dispostos a ir para realizá-los? Parte dessa crise tem a ver com crescer e abrir mão de apegos e melindres, de sensibilidades desnecessárias e comportamentos imaturos nas relações e diante do mundo como um todo. PS: Não vale entrar em curto circuito – não há tempo para isso!

Rebecca Dautremer - Reprodução
Rebecca Dautremer – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 12 de julho – Vênus ingressa em Leão às 02h34min. De Libra a Lua faz oposição a Urano em Áries e quadratura a seu tutelado, Mercúrio em Câncer, que vira foco de uma T-Square. A Lua fica vazia às 12h02min, depois da quadratura a Mercúrio mas ainda se irrita severamente com Quíron em Peixes. Ingressa em Escorpião às 17h53min, de onde faz quadratura à Vênus Leonina. Depois do dia puxado que tivemos ontem, demoramos a “desligar” e a cabeça segue a mil por hora, inquietações e ansiedade prejudicando o sono. Começamos o dia começa então, já meio tensos e predispostos ao confronto, com quem quer que seja. Mas o principal confronto ainda é conosco mesmos: o que escolhemos? Escolhemos privilegiar nossos desejos e objetivos pessoais, ou cedemos em nome da paz e da harmonia? Mas e daí, se cedemos, conseguiremos ficar em paz conosco ou nos sentiremos uma barata? O essencial aqui é ser honesto consigo próprio e achar o equilíbrio devido na relação com o outro e com o mundo. De qualquer maneira, apesar de toda a tensão e da pressão interna que sentimos, o dia oferece ótimos aprendizados sobre nossa capacidade de fazer escolhas. E escolhas, mesmo quando parecem erradas, trazem lições importantes sobre o que é valoroso para nós. O que é que motiva nossas decisões? Qual é nosso ponto de partida? Quando temos isso claro, decidir já não é tão complicado e mesmo que tais decisões sejam antipáticas para outros, estamos preparados para lidar com as consequências, damos conta de arcar com seu peso. À noite as interações ficam mais carregadas e profundas. Há propensão a ciúmes e possessividade e se não mantemos nossas inseguranças em cheque, podemos iniciar novos conflitos com a/o bem amada/o. Tendência a excessos à mesa ou nos gastos.

Tomaz Alan Kopera - Reprodução
Tomaz Alan Kopera – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 13 de julho – A Lua está em Escorpião e faz trígono a Netuno em Peixes. O Sol forma um Grande Trígono com Quíron em Peixes e Marte em Escorpião, que vira a noite em quincunce exato a Urano. Mercúrio ingressa em Leão às 21h47min. Dia de profundezas emocionais, favorável para trabalhos densos que exijam grande concentração e estamina física, mental e emocional. Ótimo também para aprofundamentos terapêuticos e viagens ao centro de si mesmo. Os contatos são poucos, mas significativos. Estamos seletivos e escolhemos com cuidado nossos interlocutores, tanto pela importância das revelações, do peso das informações, quanto porque não temos interesse em discutir amenidades e superficialidades. De modo geral, o dia sugere o livre fluxo dos sentimentos, a conexão profunda com a vida ao redor e com pessoas que nos são caras, a ponto de termos experiências telepáticas. Bem utilizadas, essas influências ajudam a estreitar relações e laços. Do contrário, pode ser usada para chantagens emocionais e dramas fúteis e dispensáveis. Há ainda uma tensão acumulada, uma inquietude e pressão que não conseguimos definir, mas que podem causar problemas, caso não lidemos com elas adequadamente. Essas tensões exigem cautela no trânsito e em quaisquer outras situações que envolvam algum tipo de risco, como o manuseio de ferramentas ou máquinas pesadas – o risco de acidentes, explosões emocionais e acessos de raiva existe e é alto.

Molly Strohl, on Flickr - Reprodução
Molly Strohl, on Flickr – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 14 de julho – Marte fica algumas horas em quinunce exato a Urano na virada da meia-noite – de quarta para a quinta. A Lua Escorpiana faz sextil a Plutão e a Júpiter e mais tarde ela se junta a Marte no quincunce a Urano, enquanto também entra na dança amorosa do Grande Trígono de Água formado por Sol-Marte-Quíron. A Lua fica vazia depois da conjunção a Marte, às 19h23min. A quadratura Sol-Urano está quase plena. Há um clima básico de cisão interna que nos arrelia e inquieta: parte de nós quer navegar nas águas densas da cumplicidade com o outro, dando livre curso à nossa compaixão e sensibilidade… Mas um outro lado percebe a sensibilidade como fraqueza  dissocia-se dos sentimentos e sensações, encastelando-se em conceitos abstratos e explicações ininteligíveis para reles mortais… A liberação de energia também é inconstante, hora estamos animados e ora estamos indispostos, de modo que o trabalho pode sofrer com isso. Impaciência e inquietude tiram o pior de nós e quando menos percebemos somos rudes ou mesmo grosseiros, estragando oportunidades ou projetos que levamos muito tempo cultivando… Mas tudo depende do gerenciamento que fazemos de nossas emoções, sentimentos e impulsos. Tudo depende de como gerimos o poder dos sentimentos, os nossos e os dos outros. Nós os contemos ou somos controlados por eles? Como usamos este poder? Para ferir e humilhar? Para curar e transformar? Usamos para nos aproximar das pessoas ou para manipulá-las? Aprofundamos as relações ou apenas as manobramos? Podemos expandir nossos sentimentos (os bons e os maus), podemos ampliar o seu poder, podemos ampliar o nosso poder, mas é essencial sabermos para quê, pois não podemos nos eximir das responsabilidades implicadas.

bloglovin1SEXTA-FEIRA, 15 de julho – A Lua abre o dia vazia em Escorpião. Ingressa em Sagitário às 06h14min, de onde se harmoniza com Mercúrio e Vênus. Finda a noite já próxima à conjunção com Saturno. O Sol está a menos de um grau da quadratura a Urano. O dia está mais leve, embora cheio de expectativa. Subjacente a toda a leveza e bom humor, a inquietação espreita e uma sensação de ameça nos cerca… Sabemos que logo algo nos será exigido e estamos tentando ganhar tempo… Mas hoje também ganhamos insights que podem nos ajudar a explorar novas possibilidades. Inclusive de como lidar com o novo e as novas estradas que se abrem diante de nós. Ao invés de temer, por que não trazer à tona nossos espírito de aventura, nosso lado mais explorador e encarar tudo como uma grande brincadeira? Quer abracemos, quer resistamos, a vida acontece, à nossa revelia “comigo” ou “sem migo”… E já sabemos que é muito mais divertido, produtivo, significativo e estimulante se participamos ativamente do processo, certo? Então, para quê resistir? Já sabemos que é inútil! Portanto, é dia de olhar para o futuro, essa estrada que se descortina à nossa frente e perceber o que ela pede de nós. Em termos gerais, o dia está mais leve e colorido, mais venturoso e animado, de modo que nos sentimos mais confiantes e otimistas para enfrentar os desafios que nos aguardam.

Brooke shaden Photography - Reprodução
Brooke shaden Photography – Reprodução

SÁBADO, 16 de julho – O Sol está em quadratura exata a Urano e em trígonos a Marte e Quíron, também quase exatos. A Lua faz conjunção a Saturno e sesqui-quadraturas sucessivas ao Sol – torna-se Corcunda – e a Urano, virando foco, junto com Saturno, de uma configuração Martelo de Thor. E hoje é dia de… Mudar! E ousar! E ao ouvir isso o Caranguejo saiu em disparada em seu movimento lateral e se escondeu na sua toca, jurando nunca mais sair… Mas para quê tanto drama e receio? Medo de quê? De mudar, de sair da nossa zona de conforto, como dizem por aí… O dia (e a semana) pede que saiamos da rotina insossa, que façamos algo diferente e inovador, que criemos coragem para jogar fora aquelas atitudes (e otras cositas mas) velhas e rançosas que já não causam nenhuma emoção positiva no nosso coração. O que é requerido de nós hoje é que nos conscientizemos do desejo de mudança que preenche nossa alma, mas que o ego jura que não sente. Que vamos ao encontro do inusitado, que ventilemos a vida e a enchamos de novos ares! É isso ou podemos nos confrotnar com todo tipo de problemas chatos e esquisitos por aí: conflitos de ego; gente cerceando nossa liberdade ou desobedecendo descaradamente (como ousam???) nossas ordens/instruções; acidentes que não precisariam acontecer, caso estivéssemos mais atentos à nossa inquietude… Reconheçamos nosso desejo de liberdade, de expressarnos autenticamente, de sair da rotina, para variar… Mesmo dentro das estruturas existentes, às vezes é possível fazer mudanças formidáveis. O principal é descobrirmos o que nos incomoda em nós mesmos, na nossa vida atual e atividades em geral. Identificado o problema, tomar atitudes para mudar o estado de coisas que o criam. Em termos práticos, o dia está sujeito a muitos imprevistos, surpresas, oscilações de humor, alterações abruptas de planos, colapsos e avarias em maquinários em geral, problemas com computadores e sistemas de tecnologia. Como lidar com isso? Com muita flexibilidade e bom humor!  😀

Jon Jaylo - Reprodução
Jon Jaylo – Reprodução

DOMINGO, 17 de julho – O Sol faz trígonos exatos a Marte em Escorpião e a Quíron em Peixes e Marte, por sua vez, também faz um trígono pleno a Quíron, de modo que temos formado um Grande Trígono de Água exato por minutos (menos de um grau). O Sol ainda está muito próximo da quadratura a Urano e os dois estão em sesqui-quadratura a Saturno. A Lua Sagitariana faz trígono a Urano e fica vazia após esse aspecto, às 05h58min. Ao longo do dia ela ainda faz quadratura a Quíron e quincunce ao Sol e ingressa em Capricórnio às 16h33min. Depois de toda a polvorosa do sábado, dos imprevistos e surpresas, o domingo traz um pouco de calmaria que chega  doce e suaviza o coração. Estamos reflexivos e buscando o sentido maior de tudo o que passamos, tentando apreender qual o próximo movimento, onde a próxima aventura nos levará. Além do clima filosófico, sentimos uma abertura psíquica que nos coloca em contato com um lado mais sensível e que nos permite integrar nossa maior fortaleza com nossa vulnerabilidade, de modo que ficamos menos arrogantes, mais gentis, mas também mais inteiros. Em termos práticos, o dia está sensível e favorável aos encontros com pessoas mais íntimas, em quem confiamos e com quem nos sentimos à vontade para ser nós mesmos, sem máscaras ou defesas. Nesse clima de profunda intimidade e apoio mútuo, um pode jogar luz sobre os dilemas do outro, e então ganhamos em perspectiva, tendo a visão externa do outro. Um cuidado porém: como essa influência é muito passiva, talvez acabemos por não utilizá-la e nos afinamos mais com as incongruências do dia… Essas incongruências sugerem falta de tato e insensibilidade, que podem contradizer nossas melhores intenções.

Que sua semana seja de inovação, sensibilidade e amorosidade!

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Semana Astrológica – Tempo de sentir!

Reprodução
Reprodução

Semana de 04 a 10 de julho – Tempo de renovação dos sentimentos, renovação dos propósitos e da vida!

A semana já começa com uma Lua Nova, novinha em folha! A Lua Nova de Câncer que ocorre na segunda-feira, dia 04 às 08h01min no horário de Brasília e às 12h01min no horário de Lisboa. O ciclo de Câncer é o período que nos chama a viver nossos sentimentos, a expressar nossa sensibilidade, sem nos afogar nela, sem recorrer aos dramas desnecessários. É o período de nos conectar com nossa criatividade mais profunda, com o poeta e a parteira em nós, com o arquétipo da mãe e do seu bebê… E você como anda a sua maternagem? Já aprendeu a ser mãe para seu bebê faminto? O coração fica florido de amorosidade – vamos vivê-la? Proponho um desafio: Vamos tentar ser mais afetuosos, não só com aqueles próximos a nós, mas com todas as pessoas que encontrarmos em nosso caminho, mesmo aquelas com quem temos dificuldades? Sejamos gentis também com nosso planeta, que tanto nos dá e que só recebe de volta o descarte do nosso lixo… Amorosidade com a vida!

John Brosio - Reprodução
John Brosio – Reprodução

O Sol enfrenta por estes dias o poder de Plutão através de uma oposição. Aliás, Mercúrio entra junto nessa briga, uma vez que faz Conjunção Superior ao Sol no mesmo dia da oposição a Plutão. Esta oposição vem nos lembrar dos desafios crus e viscerais que os Cancerianos (e também Arianos, Librianos e Capricornianos) do segundo decanato de Câncer estão enfrentando: uma morte simbólica, tão dolorosa, que por vezes se pensa que estamos morrendo de verdade. Vemos nosso mundo ruir e desmoronar e descobrimos que já não somos quem pensávamos ser! Precisamos identificar o que morreu em nossas vidas para que possamos proceder com o renascimento e a regeneração. É difícil mas assim como a serpente, precisamos trocar de pele muitas vezes. E… Pasme! O caranguejo também troca de casca! No vídeo abaixo você pode ver um caranguejo trocando o exoesqueleto, ou, dito de outra forma, parindo a si mesmo, por assim dizer, abandonando a casca antiga e saindo para o mundo com uma roupagem novinha em folha!

Esta é uma semana sujeita a conflitos de poder, colapsos e desarranjos na área familiar; conflitos internos intensos quanto ao eixo família-trabalho e colapsos em geral que podem nos deixar na mão na hora mais inadequada, somente para nos obrigar a ver que podemos viver e passar sem a tal coisa e, a partir disso, percebemos que está na hora de deixar as velharias para trás – sim, são colapsos necessários! As ideias precisam passar por transformações e nossos propósitos também.  O Sol também se afina com Júpiter, sugerindo maior otimismo e a oportunidade de revisar estes propósitos, refinando-os para nos certificarmos de que estamos no caminho certo. Este aspecto também nos enche de idealismo e generosidade, que precisa ser filtrado para que não apostemos cegamente que tudo vai dar certo sem esforço – não é bem por aí, ainda precisamos fazer nossa parte! O melhor disso tudo é que conseguimos perceber o caminho, a visão maior daquilo que realizamos e isso é importante para entendermos o processo e o nosso papel dentro dele.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio em Câncer fica mais sensível e amável ao contactar Netuno por trígono – a mente acessa formidável criatividade e a comunicação fica mais compreensiva, já que estamos mais empáticos, altruístas e generosos. Contudo, em alguns momentos tanta empatia e altruísmo pode nos pesar um pouco, e nos descobrimos fazendo algum melodrama ou tramando alguma estratégia indireta para nos safar de compromissos que antes pareciam razoáveis, portanto, precisamos ter clareza da necessidade de independência para não nos asfixiarmos com as regras obrigações que nós mesmos criamos. Mercúrio faz uma Conjunção Superior (o Sol fica entre a Terra e Mercúrio) ao Sol e fica algumas horas em conjunção Cazimi entre a quarta e a quinta-feira. Mercúrio entra na fase Epimeteus de seu ciclo, a fase em que colhemos os resultados de todas as experiências e experimentações feitas e vividas desde nove de maio, quando da última Conjunção Inferior (com mercúrio entre a Terra e o Sol)… Estas últimas semanas foram de correr riscos e aventurar-nos na experimentação de novas idéias e conceitos. Agora verificamos quais são seus resultados e colhemos estes resultados. A conjunção Superior de Mercúrio e Sol se dá no grau 16 de Câncer (15 – 15°59’). O Símbolo Sabiano destre grau coloca a imagem seguinte: “uma pessoa estudando uma mandala diante de si, com a ajuda de um livro muito antigo”. Segundo Lynda Hill, este símbolo nos fala da capacidade de entender sistemas complexos e aplicá-los na vida diária, de perceber saídas alternativas e criativas para os impasses que vivenciamos, os paradigmas que atualmente nos aprisionam e que já exaurimos. Mas não se trata de abandonar a tradição, antes, temos que honrá-la e decifrar seus significados ainda não compreendidos suficientemente, assim conseguimos interpretar seu sentido, descobrindo as respostas que precisávamos para as próximas dez semanas.

Reprodução
Reprodução

Depois de morrer e renascer no confronto com Plutão, Vênus agora nos faz despertar para novos valores e uma maior flexibilidade na vivência de nossas relações afetivas e na gestão dos nossos bens. Esta semana promete ser bastante romântica e apaixonada, visto que Vênus faz trígono a Marte em Escorpião e forma um Grande Trígono em Água, já que também se harmoniza com Quíron. Mas essa quadratura a Urano pode significar que temos que lidar com alguns desafios na livre expressão da afetividade. Encontramos a pessoa certa, mas não é o momento certo e ela “é tirada” de nós, de alguma forma (sentimos que ela é tirada se estamos por demais inconscientes dessas ambivalências) – talvez até nos envolvamos em algum triângulo amoroso que testa que testa nosso desapego e civilidade. Temos que deixar ir. E aqui nos lembramos aquela frase de Richard Bach: Se amamos algo, deixemo-lo livre. Se voltar, é porque é nosso, se não voltar, nunca foi. No meio disso tudo, Esse idílio amoroso entre Vênus e Marte fica atrapalhado porque se Vênus faz quadratura a Urano, Marte faz quincunce a ele, exato semana que vem… Realmente, o amor é recíproco, mas a ocasião talvez nos deixe na mão… Tenhamos paciência, haverá outras oportunidades e outros encontros mais venturosos… Outra maneira possível de essa configuração se manifestar é no velho dilema de nos sentirmos divididos entre a intimidade de uma relação amorosa e preservar nossa liberdade e individualidade… Essa é velha e já sabemos que é possível achar conciliação!

Wednesdaym0rning - Reprodução
Wednesdaym0rning – Reprodução

A semana é colorida por um Grande Trígono de Água formado por Vênus em Câncer, Marte em Escorpião e Quíron em Peixes. Com o passo rápido de Júpiter em Virgem, esse Grande Trígono torna-se uma Pipa. Por falar em Júpiter, também temos outra configuração formada por toda a semana, um Triângulo Místico (duas oposições, dois trígonos e dois sextis) entre Júpiter e Plutão e Sol-Mercúrio e Netuno (trígonos); Sol-Mercúrio fazem sextil a Júpiter e Netuno também faz sextil a Plutão. Todas essas configurações tornam a sensibilidade mais aguçada e aflorada e, além de propiciar maior empatia e proximidade com nossos pares, amigos, amantes, familiares, também nos permite grande dinamismo na resolução de problemas e situações diversas que formos encontrando ao longo dos dias. Júpiter é ponto focal, crucial na expressão de todas essas energias e simboliza que precisamos ter fé, generosidade, entusiasmo, sem tirar os pés do chão, porque esse otimismo precisa ser centrado na realidade.

Reprodução
Reprodução

A Lua é Nova já na segunda-feira, inaugurando o ciclo Canceriano. Entusiasma-se em Leão, torna-se Crescente em Virgem e fecha o domingo já em Libra, buscando equilíbrio e beleza! Nessa jornada ela conversa com todos os demais corpos celestes, harmoniosa ou belicosamente.

Christian Schloe Digital Art - Reprodução
Christian Schloe Digital Art – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 04 de julho – A Lua Canceriana, poderosa em seus domínios, faz conjunção a Mercúrio, quincunce a Saturno em Sagitário e trígono a Netuno em Peixes, para depois fazer conjunção ao Sol dando início a um novo ciclo lunar, que ocorre às 08h01min, a 12°53’ de Câncer.  Mais tarde a Lua se harmoniza com Júpiter e fecha o dia em conjunção a Vênus. Enquanto isso, Mercúrio faz quincunce partil a Saturno. É dia da Lua e ela se renova em Câncer, signo de sua dignidade. A Lua Nova ocorre em conjunção a Mercúrio e a Vênus (ampla), em oposição a Plutão, trígono a Netuno e sextil a Júpiter, sinalizando um ciclo em que nossa força vem da compaixão, da sensibilidade e dos sentimentos profundos que nos permitimos sentir e vivenciar. Admitir que precisamos do outro sem que isso se torne dependência ou manipulação; assumir e vivenciar nossa profunda sensibilidade sem nos deixar sufocar ou destruir por ela; viver e sentir a vida intensamente, sem recorrer aos dramas desnecessários para nos sentir vivos. É um ciclo que nos convida a nos conectarmos com nossa alma mais profunda, descermos às profundezas abissais de nós mesmos e lá encararmos algumas verdades duras a nosso próprio respeito e a respeito dos laços afetivos que mantemos na vida. Um momento que pede que transformemos as relações de dependência doentia em relações de cumplicidade saudável. Ao longo do dia a Lua completa a conjunção a Vênus e o sextil a Júpiter, enquanto Mercúrio formaliza o quincunce a Saturno. É um dia para sentirmos onde queremos apostar nossas fichas nas próximas semanas: arar a terra determinadamente e então, farejar, intuir, conjecturar, selecionar nossas melhores sementes aguardando a hora certa de lançar lançá-las ao solo arado do nosso coração e do mundo.

Reprodução
Reprodução

TERÇA-FEIRA, 05 de julho – Mercúrio em Câncer faz trígono pleno a Netuno em Peixes. Por sua vez, a Lua, também em Câncer, faz trígono a Marte em Escorpião e a Quíron em Peixes, formando um Grande Trígono em Água, do qual também faz parte a Vênus Canceriana – o Grande Trígono vira Pipa devido ao sextil a Júpiter. A Lua também faz quadratura a Urano em Áries, ficando vazia depois, às 03h30min. Ingressa em Leão às 13h28min. Mais um dia em que a sensibilidade está aguçada e afiada, farejamos as melhores oportunidades e vamos atrás delas decisivamente. O pensamento não está tão racional e talvez seja melhor seguir o “instinto” sem questionar se A+B = C de forma lógica, porque não necessariamente vamos encontrar razões ou explicações lógicas para o que nos acontece ou para o que fazemos hoje, o que não quer dizer que haja algo de errado com isso. Contudo, há um conflito emocional intenso, que pode se refletir em dilemas concretos entre nossa vida mundana versus a vida doméstica/familiar ou entre o impulso para a intimidade versus o desejo de sair e correr o mundo sozinho. Quanto a isso, podemos lembrar que  não precisamos tomar decisões definitivas. O que quer que escolhamos hoje, podemos suprir a outra necessidade amanhã, ou depois ou um outro dia qualquer. Viver e sentir o conflito intensamente sem procurar fugir dele, senti-lo na carne agudamente, pode nos ajudar a encontrar a melhor resposta para hoje e de quebra, ainda nos fazer sentir mais vivos do que nunca! A vivência plena dos sentimentos está mais do que favorecida hoje!

Wrongturnoninsanitylane - Reprodução
Wrongturnoninsanitylane – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 06 de julho – Vênus em Câncer está em trígono pleno a Marte em Escorpião, que está em quincunce a Urano, que recebe quadratura de Vênus. Enquanto isso Mercúrio faz uma Conjunção Superior ao Sol, ficando Cazimi por algumas horas, adentrando a madrugada de quinta. De Leão, a Lua faz trígono a Saturno e quincunces a Netuno e a Plutão. Dia de profundo romantismo e grande sensibilidade afetiva. Estamos aptos a expressar nosso afeto e carinho com sinceridade e a compartilhar de nossas expectativas com o bem amado. Contudo, podemos nos deparar com situações que obstruem o livre fluir dos afetos, como encontrar a pessoa certa na hora errada: as duas pessoas se gostam, sentimentos são recíprocos, mas há situações externas atrapalhando, impedindo a relação – talvez uma das pessoas esteja ainda envolvida com outra, ou magoada por uma relação anterior mal-sucedida, ou ambas se encontram quando uma está de mudança para muito longe… Qualquer que seja a situação, há um gosto agridoce na boca, uma sensação de frustração pois há um grande potencial de algo maravilhoso se desdobrando diante de nós, mas alguma coisa é menos que perfeita e a realização talvez não se complete a contento… Talvez Mercúrio possa nos ajudar a encontrar saída para estas situações de impasses aparentemente insolúveis. Mercúrio Cazimi, em conjunção superior ao Sol pode nos ajudar a entender o compreender estes sistemas complexos que são as redes pelas quais a vida opera… Embora talvez ainda falhemos em apreender o sentido mais profundo por nós mesmos, podemos recorrer aos mistérios antigos que estão à nossa disposição para sair da “caixa” fechada em que nos encontramos. Conhecimentos tradicionais, conhecimentos ocultos, psicologia e a própria astrologia podem oferecer pistas preciosas.

John Casey - Reprodução
John Casey – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 07 de julho – Mercúrio ainda está Cazimi nas primeiras horas do dia (até as 06h da manhã) e junto com o Sol se opõe a Plutão em Capricórnio, aspecto exato hoje, enquanto Vênus faz quadratura, também exata, a Urano em Áries, estando ainda muito próxima do trígono a Marte, que recebe a quadratura da Lua Leonina. A Lua também faz trígono a Urano, ficando vazia após este contato, às 09h08min. Ingressa em Virgem às 19h41min, de onde faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Nova-Crescente. De Virgem a Lua também faz sesqui-quadratura a Plutão. Esta é uma boa noite para prestarmos atenção aos nossos sonhos, que podem nos revelar soluções radicais para muitos dos dilemas da vigília. O dia oferece a possibilidade de rompimentos com situações que se arrastavam sem solução. É hora botar as cartas na mesa, primeiro conosco mesmos, depois com o outro. Os dilemas afetivos são parte desta dinâmica que nos tira o sono, mas não são os únicos. Precisamos encarar algum tipo de morte em nossa vida, algo que já intuíamos há algum tempo, mas que só agora se revela frontalmente para nós: a apatia diante de alguns propósitos que já não engajam nosso coração; aquela parte de nós que já não faz muito sentido; uma forma de comunicar e de nos expressar que precisa ser transformada… Temos a clareza e a possibilidade de fazer muitas mudanças que antes apenas aventávamos, mas que parecia fora do nosso alcance, ou para as quais carecíamos de força ou vigor. O dia é hoje, para mudar mais um pouco, para nos transformarmos mais um pouco, na direção daquilo que queremos ser. As relações O mesmo se aplica aos relacionamentos, que precisam ser sacudidos. É um bom momento para falar das insatisfações e ser honestos um com o outro – tendo por base o afeto e a cumplicidade que ainda une o casal, pode-se chegar ao entendimento. Apenas precisamos ter cuidado com a grande impaciência que nos acomete, porque isso pode estragar tudo e ao invés de uma saudável transformação, podemos implodi-la de uma vez só.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 08 de julho – A Lua Virginiana faz quadratura a Saturno em Sagitário e oposição a Netuno em Peixes, formando uma Cruz T da qual Saturno é o ponto focal. Dona Lua ainda se indispõe com Urano em Áries. Enquanto isso, Vênus conversa profunda e amorosamente com Quíron em Peixes por um trígono que está exato hoje e Mercúrio também acena, todo sensível, para Júpiter em Virgem, em sextil partil. A Lua fecha a noite já em conjunção a Júpiter e faz um belo par no céu noturno. Dia de focar na produtividade, arregaçar as mangas e lançar-se ao trabalho com afinco. Temos grande eficiência, meticulosidade e industriosidade a nosso favor. Só precisamos acautelar-nos contra o sabotador interno que nos distrai com preocupações e medos infundados e que alimenta nosso lado workaholic, fazendo-nos ir aos extremos do perfeccionismo e do criticismo. Se mantivermos essas vozes internas em cheque, o dia pode ser, de fato bastante proveitoso porque além de tudo, unimos o senso de ordem com uma sensibilidade especial que nos coloca em contato com as necessidades de outros e estimula e amplia nossos valores fundamentais de forma a incluir uma perspectiva do todo na nossa forma de ver o mundo e de executar o trabalho que fazemos, tendo a visão maior de que oferecemos um serviço que vai reverberar beneficamente no conjunto e que por isso mesmo, devemos colocar nosso melhor e ofertá-lo com sinceridade e amor – isso dará um sentido ainda maior ao que quer que estejamos fazendo. À noite este sentido maior fica ainda mais palpável e traz uma satisfação e plenitude que nos preenchem de graça e alegria. E vamos olhar para o céu porque lá fora a noite está linda, a colcha celestial enfeitada com Lua e Júpiter!

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 09 de julho – Em Virgem a Lua faz conjunção a Júpiter, afinando-se depois com o Sol e com Mercúrio por sextil e depois com Marte, por trígono. Sol e Mercúrio se afastam da oposição a Plutão e se aproximam da quadratura a Urano. Um dia para aproveitar a folga e cuidar dos nossos rituais, da nossa rotina, colocando tudo no lugar, de forma simples e prazerosa. Esse ordenamento das coisas exteriores e prosaicas nos ajuda a ordenar pensamentos e emoções e traz também uma agradável sensação de “tudo está no seu lugar”, pelo menos por hoje. Temos uma trégua na simplicidade do dia e ela nos fortalece e revigora, porque nos sentimos encaixados, em paz conosco mesmos, uma variação muito bem vinda em relação aos inúmeros conflitos internos e externos que temos enfrentado nos últimos meses. Hoje podemos descansar e nos deleitar nas coisas simples, regozijando-nos em nossos hobbies artesanais, em cuidar do corpo, da nossa saúde e do nosso bem estar. O céu está favorável – vamos aproveitar?

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 10 de julho – O Sol Canceriano está em sextil exato a Júpiter em Virgem e Mercúrio em trígono a Marte em Escorpião, aspecto partil. A Lua, Crescente em Virgem, conversa timidamente com Vênus e tira o fone do gancho depois disso, ficando vazia às 00h30min. Ingressa em Libra às 05h33min. Mercúrio está em trígono pleno a Marte e em quadratura a Urano, aspecto quase exato. O dia traz boas oportunidades de nos juntarmos àqueles que amamos e que nos são caros, família, amigos e afins, apenas pelo prazer de estar juntos. Estamos otimistas e animados, generosos e calorosos em relação às pessoas que nos cercam e de modo geral, estamos otimistas com a vida e de fato, o dia está favorável também a refletirmos sobre nossa vida, nossos objetivos e propósitos e fazermos uma revisão básica para saber se estamos no caminho certo. A mente demanda que incorporemos elementos de inovação, que nosso tradicionalismo cauteloso seja flexível e agregue novas ideias e possibilidades, que abramos algum espaço, em todos esses planos e projetos, para experimentar algo diferente que amplie nossos horizontes e nos faça enxergar para além das fronteiras que julgávamos não ultrapassáveis. Em termos práticos, os bate-papos e interações ficam sujeitos a alguns conflitos de opinião, mas , embora conflitantes, não precisam ser desagradáveis, ao contrário, como pessoas civilizadas somos perfeitamente capazes de discordar sem tornar o discordante um inimigo, certo, produção? Pelo menos assim deveria ser, visto que uma pessoa não é a opinião que ela expressa e enquanto isso estiver claro para todos, seguiremos dialogando e respeitando as ideias uns dos outros, mesmo quando elas forem muito divergentes das nossas.

Que sua semana seja de beleza e profundo contentamento!

Reprodução
Reprodução

Lua Cheia em Virgem – Nem melhores nem piores, apenas diferentes!

Tirado de theultraLinx.com - Reprodução
Tirado de theultraLinx.com – Reprodução

A culminação do ciclo iniciado com a Lua Nova de Aquário ocorre hoje, com a Lua sendo Cheia  a 03°33’ de Virgem, às 15h19min no horário de Brasília – 18h19min no horário de Lisboa.

Esta Lua Cheia é considerada a Lua da Colheita, porque Virgem é o signo que imediatamente precede o outono, o período das colheitas no calendário tradicional baseado nas estações do Hemisfério Norte. Exatamente por isso o signo é representado por uma donzela com ramos de trigo nos braços. De fato, estamos prestes a entrar no outono aqui no Hemisfério Sul. O que vamos colher, de tudo o que plantamos?

ordem
Reprodução

Virgem é o signo que simboliza a necessidade de ordem, limpeza, organização, de separar o joio do trigo, de separar o que é útil do que é obsoleto, a necessidade de se ter critérios claros que baseiem essas distinções. Assim, a Lua Cheia vem indagar como estamos nessa área. Temos, de fato, um sentido de ordem e critério em nossa vida? Ou nossa realização e eficiência estão comprometidas pelo caos e pelo excesso de coisas que já não funcionam, das quais nem precisamos, mas das quais não conseguimos nos desfazer? Bugigangas e parafernálias, literais ou figuradas, materiais ou emocionais, todas ultrapassadas, enferrujadas, pretéritas, anacrônicas, rançosas, defasadas… O que fazemos com isso? Uma grande faxina, é o que devemos fazer! Jogar tudo fora, soltar, liberar! Ser criteriosos e limpar a vida daquilo que não queremos ou não precisamos. Simplificar a vida, voltar ao essencial. Este é o primeiro passo: limpar o terreno, organizar a vida para que possamos trabalhar com mais clareza e dar o passo seguinte.

Lua Cheia em Virgem - 22 de fevereiro, 15h19min - Brasília-DF
Lua Cheia em Virgem – 22 de fevereiro, 15h19min Brasília-DF

O mapa da Lua Cheia traz um relativo equilíbrio dos elementos, com uma leve predominância de Água visto que temos Câncer no Ascendente no mapa levantado para Brasília. Isso indica grande sensibilidade intuição, aquela do tipo visceral, à nossa disposição; sensibilidade que deverá ser canalizada de forma pragmática pela Lua Virginiana. O regente da Lua, Mercúrio, está em Aquário, conjunto a Vênus e em sextil a Saturno. Não fosse pelo aspecto a Saturno (que Vênus ainda não alcança), Mercúrio e Vênus estariam em dueto, pois não fazem outros aspectos maiores com os demais planetas. Mercúrio em Aquário é inovador, rebelde e progressista, mas aqui ele dialoga com Saturno, implicando que tem algum apreço pelas tradições, pela ordem e estrutura e está ciente de que as estruturas têm seu lugar na organização das coisas e da vida. Assim, a ideia de “ordem” é salientada a partir de Mercúrio.

topit.me
Tirado de Topit.me – Reprodução

O Sol está em Peixes, conjunto a Netuno, simbolizando nossos sonhos, inspiração e anseios, sonhos extremamente ricos e coloridos, nascidos de uma imaginação fértil e de um conjunto de propósitos que também é altruísta  e inclusivo. A Lua, no extremo oposto, o signo de Virgem, simboliza a necessidade de sermos práticos e meticulosos se queremos tornar reais tais sonhos. Este é o segundo passo! A Lua, quando cheia, enfatiza a polaridade oposta ao Sol e neste caso, ela vem dizer que para concretizarmos os sonhos Piscianos, precisamos planejar, calcular, discriminar; precisamos de um método, de um sistema eficiente, de cronogramas e, em muitos momentos, precisamos ser frios e racionais, em contraponto ao profundo idealismo Pisciano. Sobretudo, temos que ser organizados e trabalhar muito e duramente se é para materializarmos nossos intentos – do contrário os sonhos Piscianos serão somente fantasias e devaneios vazios.

Christian Schloe Digital Art - Reprodução
Christian Schloe Digital Art – Reprodução

O aspecto principal que a Lua faz neste mapa é a oposição ao Sol e a Netuno. A oposição a Netuno, além do que já tratamos acima, indica que temos que lidar com muitas incertezas, desejos de desistência, dúvidas a respeito da validade do nosso esforço, motivação instável, preocupações vagas mas insidiosas, tendência a escapismos… Portanto, precisamos estar cientes de todas essas “armadilhas”, para sabermos lidar com elas quando se apresentarem no nosso caminho, no dia a dia.

Reprodução
Reprodução

A Lua ainda faz duas importantes sesqui-quadraturas, uma a Urano em Áries e outra a Plutão em Capricórnio e torna-se foco de uma configuração chamada Martelo de Thor. Ou seja, a Lua está sob uma grande pressão inconsciente – nós estamos sob grande pressão inconsciente! No meio das preocupações reais, das necessidades concretas de trabalho, de cuidar de nós mesmos e de nossa saúde, outras influências ficam à espreita, nas sombras. Porque não temos consciência do que são, damo-nos conta apenas de uma vaga sensação de estranheza, de algo fora do lugar, como se alguma coisa não estivesse certa, embora não consigamos determinar o que seja. Esses aspectos requerem que sejamos muito honestos a respeito de nossas ambivalências e dúvidas, pois lá na frente podemos ser surpreendidos com rompantes de autossabotagem, justo quando estávamos prestes a concluir o trabalho; podemos nos rebelar abruptamente e resolver chutar o pau da barraca que nós mesmos levantamos, pondo tudo a perder; e podemos ainda ficar paralisados, esmagados pelo excesso de preocupações, pelo excesso de detalhes, pelo perfeccionismo exagerado e a insegurança mórbida que nos empala no último minuto. Integridade interior é o que nos salva e redime e nos previne de por tudo a perder. Virgem também é um signo de controle. Estes aspectos a Urano-Plutão vêm nos lembrar que não temos controle de tudo e que por mais que planejemos, muitos imprevistos podem acontecer e precisaremos lidar com eles. É imprescindível lembrar que há forças maiores do que nós operando no mundo, sejam elas mundanas ou espirituais. Isso se torna mais importante quando lembramos que Marte já trafega a zona de retrogradação desde o dia 18 de fevereiro, quando cruzou o grau 23 de Escorpião. Com Marte retrógrado a partir de abril, nossa vontade precisará se render a uma vontade maior, de Deus, do Universo, da Vida. É necessário exercer a humildade e a paciência.

Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau quatro de Virgem (03°33’) traz uma imagem bastante venturosa para esta Lua Cheia, que reforça o propósito de inclusão do Sol Pisciano: “Crianças negras e brancas brincando juntas alegremente”. Lynda Hill, astróloga australiana e grande pesquisadora dos Símbolos Sabianos, diz em seu livro The Sabian Oracle – 360 degrees of Wisdon, que este símbolo vem nos falar “de integração racial e social que enriquece e alegra a todos que dela participam. Que se diga que elas são ‘negras’ e ‘brancas’, implica, é claro, que há diferenças raciais entre elas. Entretanto, também pode simbolizar as muitas outras diferenças na experiência de vida, religião, sistema de crenças, nos níveis sociais ou profissionais. Essencialmente, pode representar qualquer coisa baseada na percepção social ou preconceitos que mantêm as pessoas separadas umas das outras. Como estas crianças estão ‘brincando juntas alegremente’, quaisquer sentimentos de preconceito são dissipados porque sua principal preocupação é com a ‘brincadeira’ e o prazer de estarem juntas.”

Lynda acrescenta que a percepção de “oposição” pode ser uma ilusão ou  apenas uma “percepção” como a própria palavra indica. Ela lembra que a mistura entre as pessoas, as diferentes raças e suas características e talentos é o que permite que as coisas se resolvam mais facilmente e que avancemos na vida. Aceitar a todos como iguais dissipa pensamentos e atitudes que levam a separações e preconceitos. Assim, percebemos que essa Lua fala de integração, da união de opostos aparentes, de aceitação das diferenças, da necessidade de percebermos as pessoas para além das classificações sociais, raciais, religiosas, atendo-nos ao fato de que somos todos humanos, diferentes diferentes entre si, mas iguais na essência.

A Lua Cheia lança-nos, pois, um convite: a superar preconceitos, separações, classificações e quaisquer outras definições responsáveis por nos manter distantes e alienados uns dos outros, do outro humano, do outro irmão, igual a mim na sua estrutura físico-biológica, na cor do sangue, nas necessidades e anseios, nos sofrimentos e esperanças. Homens ou mulheres, brancos, negros, amarelos ou índios, ricos ou pobres, crentes ou ateus, cristãos, muçulmanos, budistas ou hindus, velhos ou jovens… Não somos melhores nem piores entre nós, apenas diferentes.

purificação-diaria

A Lua de Virgem também é uma Lua de purificação. Portanto, esta Lua favorece, além do que já dissemos acima, os rituais de limpeza e purificação, tanto da casa, quanto do corpo e da alma. Com os espaços e a vida liberados das tralhas, bugigangas, cacarecos e bagagens emocionais, então limpos e purificados, seremos capazes de ver com mais clareza as atitudes e ações necessárias para realizar nossos sonhos!

Para terminar, trago esta bela oração,  extraída do livro “Ecos Eternos” de John O’Donohue, e que traduz o espírito da Lua Cheia em Virgem de hoje:

Que saibas que a ausência está repleta de terna presença e que nada jamais está perdido ou esquecido.
Que as ausências na tua vida estejam repletas de eco eterno.
Que sintas ao redor do secreto “Outro Lugar” que contém as presenças que deixaram a tua vida.
Que sejas forte na aceitação das tuas perdas.
Que a dolorosa fonte de luto se transforme em uma fonte de ininterrupta presença.
Que a tua paixão se estenda àqueles de quem nunca temos notícia e que tenhas a coragem de falar em nome de excluídos.
Que venhas a ser o afável e apaixonado sujeito da tua vida.
Que não desrespeites o teu mistério por meio de palavras insensíveis ou integração falsa.
Que sejas acolhido por Deus, em quem o amanhecer e o crepúsculo se unem, e que a tua integração habite os seus sonhos mais profundos no interior do abrigo da Grande Integração.

Reprodução

 

Lua Cheia em Peixes – Seja fiel a você mesmo!

2015 - 1
Wallpaper – Reprodução

A Lua é cheia hoje, 29 de Agosto, às 15h35min no horário de Brasília e às 18h35min no horário de Lisboa. Uma Super Lua, porque ocorre durante o perigeu da Lua, período em que ela está mais próxima da Terra. Quando isso acontece, a Lua pode parecer até 14% maior e até 30% mais brilhante no céu – o que, obviamente, aumenta sua magia e fascínio.

Caro leitor: este blog migrou para uma nova plataforma e servidor,  e nesta migração perderam-se os assinantes. Assim, se você já era assinante do blog, por gentileza, ASSINE NOVAMENTE para que volte a receber todas as publicações e atualizações. Se você não era assinante, pode se tornar agora! Desculpe o transtorno e obrigada!

A Lua Cheia se dá no grau 06°06’ de Peixes, em conjunção a Netuno, oposição a Júpiter – e claro, ao Sol – e todos eles numa ampla quadratura fora de signo a Saturno em Escorpião, formando uma T-Square ou Cruz T, que funciona como um prelúdio que antecipa os temas da Cruz T Mutável que se forma entre Júpiter, Saturno e Netuno e que permanecerá ativa por muitos meses em 2016. Além destes aspectos lunares, Marte em Leão está hoje em quincunce exato a Plutão em Capricórnio e já muito próximo da conjunção plena a Vênus retrógrada, que também faz quincunce a Plutão, embora não chegue mais a ficar perfeito, pois Vênus voltará ao movimento direto no dia seis de setembro, antes que isso aconteça. Outra coisa que chama atenção neste mapa é Quíron, que está bastante isolado em Peixes, apenas recebendo um trígono separativo muito amplo, de mais de nove graus, de Saturno – ou seja, virtualmente inaspectado.

lua cheia peixes
Lua Cheia em Peixes – Brasília, 29 de agosto de 2015, 15h35min

A Lua Cheia é um momento de culminação, de emoções e sentimentos intensos, em que os assuntos e tensões que vinham se acumulando num crescendo, finalmente chegam a um desfecho, a uma crise e uma confrontação, com decisões conscientes sendo requeridas. Então ficamos naturalmente mais sensíveis e suscetíveis às descargas emocionais. Quando essa Lua se dá em Peixes, isso é potencializado, porque Peixes é um signo cujos limites e barreiras são muito tênues, às vezes, quase inexistentes. Todas essa sensibilidade fica mais aumentada porque a Lua está em conjunção a Netuno, que dissolve os poucos limites que restavam, e em oposição a Júpiter em Virgem – de cuja conjunção o Sol se separa – que amplifica, multiplica e exagera tudo o que toca.

500px
500px – Reprodução

Temos então um dia – e as semanas à frente – de sensibilidades exacerbadas, desmesuradas, em que nos derramamos em muitas direções, como rio caudaloso que de repente vira torrente banhando tudo ao redor. E ainda precisamos lembrar que Mercúrio é o único ponto em Ar, ou seja, é uma Lua Cheia realmente embebida de muita sentimentalidade, sentimentos fortes e ancestrais que acionam nossa mais profunda compaixão e generosidade e também traz à linha de frente o arquétipo do excluído. Felizmente também temos Saturno em Escorpião envolvido nesta dança. Saturno, embora traga tensão e pressão extras, também ajuda a conter e a colocar um pouco de limites em todo esse derramamento, ao mesmo tempo em que convida para mergulharmos realmente fundo em todos os seus temas, mas com foco e inteireza.

Our Ends Are Beginnings Showcasing 50 Creative Photo-Manipulations on CrispMe
Nossos fins são começos  Showcasing 50 Ceative Photos-Manipulations  Reprodução

O eixo Virgem-Peixes vem nos falar de serviço, de colocar-se a serviço; do desejo de transcendência da dimensão mundana, em contrapartida à vida em seu lado mais prosaico e mundano, o dos rituais diários; vem falar da criatividade que masterizou a técnica e agora está livre para criar a partir da imaginação pura; e fala ainda de controle, delimitação e limites entre o eu e o não-eu (Virgem) e a dissolvição desses mesmos limites entre o eu e a Unidade, de abrir mão do controle e deixar ir (Peixes). A Lua Cheia nos fala então de uma fé muito pé no chão, mas cujos rituais não podem e não devem impedir o exercício da verdadeira espiritualidade nem devem nos distanciar dos excluídos e dos necessitados da nossa compaixão; que regras e detalhes ortodoxos não engessem a prática do altruísmo genuíno e do amor pela humanidade; que nossa necessidade de ordem e controle não enrijeçam a ajuda ao outro; que precisamos lembrar que as regras e rituais estão a serviço do Divino e não o contrário – como queriam os fariseus; e também, que não permitamos que nossas obrigações mundanas e diárias nos afastem da busca da unidade e da transcendência.

240px-Pisces2
Peixes – Ficheiros do Google – Reprodução

 

peoxessss
Desconheço o autor – Reprodução

Mas ao envolver Júpiter e Netuno também estamos falando de crenças, credos, fé, idolatria, fanatismo, justiça, leis, códigos morais, ética ou falta de, escândalos, corrupção, infâmia. E não apenas isso. Ao envolver Júpiter, Netuno e Saturno, esses temas são expandidos para além da esfera pessoal, com implicações sociais e coletivas. Precisamos sair da nossa “zona de conforto” individual – termo que está tão na moda que já ficou banal – e atentar para o efeito que nossas crenças têm sobre o mundo, um mundo que criamos a partir delas; qual o impacto das nossas escolhas diárias sobre a sociedade e o coletivo em que estamos inseridos; qual o peso da nossa descrença e desesperança para os sistemas que aí estão; como nossa ética pessoal reverbera no todo e volta para nós amplificada, negativa ou positivamente.

rendição
Reprodução

E claro, todos estes temas e questões estão hiper agudos hoje, por conta dessa sensibilidade. E o que fazer com toda essa sensibilidade? É o que Saturno vem nos perguntar. Sentir de forma desmesurada e não agir de alguma forma só nos leva ao sofrimento inútil. Perceber a esparrela em que nos encontramos, social e coletivamente, tanto em nível de país como na esfera mundial e apenas lamentar, também é desperdício de energia. Saturno vem então nos convocar a ser, sim, agudamente sensíveis, a sentir de forma desmesurada e exacerbada, a sentir profundamente essa vulnerabilidade latente que está permeando tudo, até o momento de usar isso como mola propulsora de limpeza e transformação. Saturno e Quíron nos apontam ainda a necessidade de olharmos para os excluídos e dar-lhes um lugar no nosso coração, além de trabalharmos de forma concreta e ética por um mundo mais justo para todos.

kristendukephotography
Kristen Duke Photography – Reprodução

Saturno também nos obriga a nos manter sobre nossos próprios pés e mantê-los firmes no chão, a não perder a cabeça e enlouquecer de fanatismo ou a não ir para o extremo oposto do ceticismo (um mecanismo de defesa contra a sensibilidade e a fé). Saturno em Escorpião nos convoca a ser leais à nossa própria verdade e valores e a filtrar os valores e influências do mundo. Uma Lua em Peixes conjunta a Netuno, pode ser muito confusa e suscetível, carece de critérios e seus limites são frouxos, assim, fica sujeita a perder-se no outro e ser levada na enxurrada das emoções coletivas. Saturno ajuda a conter um pouco da enxurrada e a achar um prumo e uma direção. Isso está em sintonia com o Símbolo Sabiano para o grau 7 de Peixes (06°06’), que diz: “Iluminada por um raio de luz, uma grande cruz descansa sobre rochas cercadas pela neblina marítima”. Dane Rudhyar, ao interpretar este símbolo diz que trata-se de “uma bênção espiritual que fortalece indivíduos, que, aconteça o que acontecer, defendem sua verdade de forma inflexível”. Ele lembra que pessoas que não seguem os valores coletivos e seguem seu destino individual a qualquer custo, estão sujeitos a algum tipo de crucificação. Elas são sustentados apenas pelo próprio poder interior, ao qual responde uma luz superior. Rudhyar afirma sobre este símbolo: “Seja fiel a você mesmo e no meio da confusão exterior demonstrada por aqueles que lhe cercam, você perceberá o que você realmente é como indivíduo – um filho de Deus (…) Esta segunda fase indica o poder supremo de uma vida guiada pela voz interior que manifesta um alto grau de auto-afirmação”, finaliza ele.

mascarass
Reprodução – Desconheço o Autor

Em concordância com este símbolo – como nada é por acaso – Saturno em Escorpião vem afirmar algo parecido, pra sermos leais à nossa própria verdade e nos mantermos fiéis a nós mesmos, mesmo quando tudo parecer muito confuso e vago, mesmo quando nossa sensibilidade estiver super aflorada. Tal sensibilidade precisa ter uma desembocadura estruturada e correta, ou nos perderemos de nós mesmos. Especialmente porque, com Quíron sem aspectos, nossa suscetibilidade pode vir à tona de forma bastante compulsiva e incontrolável e podemos nos tornar vítimas de nós mesmos, de nossas próprias mazelas e feridas, ou ainda cobrar de outros qualquer ajuda que tenhamos dado anteriormente. Aliás, essa Lua Cheia  pede que reavaliemos o equilíbrio entre o dar e o receber nas nossas relações em geral, que avaliemos a ajuda e suporte que damos e que recebemos dos outros.

digital camera world
Digital Camera World – Reprodução

Por último, A Lua Cheia ainda fala do grande manancial de criatividade e imaginação que está ao nosso dispor. Além da conjunção a Netuno, o eixo Virgem-Peixes já é extremamente criativo por si só. Mas mais do que isso, temos também Vênus retrógrada e como se não bastasse, o asteroide Vulcano está também em Virgem, conjunto ao Sol e recebendo oposição da Lua. Percebi isso por acaso, já que normalmente não trabalho com asteroides. Vulcano na Astrologia Esotérica é ligado ao Primeiro Raio, o da Força de Vontade e mostra onde há grande poder e força controlada – olha só, novamente esse tema! Mas Vulcano também era um ourives, um grande e habilidoso artesão que fabricava jóias belíssimas para todos os deuses. Era tido como muito feio e tinha uma deficiência originada de sua expulsão do Olimpo – Júpiter-Zeus o teria atirado montanha abaixo, sem dó nem piedade e a queda o deformou terrivelmente. Era um excluído e na sua exclusão e solidão desenvolveu a rara habilidade do design de jóias. A mitologia de Vulcano (ou Hefesto, para os gregos) é muito rica em si mesma e vale a pena ser pesquisada, mas aqui quero trazer apenas esse gancho da grande criatividade e capacidade de criar beleza, mesmo em situações difíceis e de exclusão. A Lua Cheia de Peixes, nos convida, pois, a também canalizar a sensibilidade potencializada na expressão criativa, seja nas artes, artesanato, música, ou num jeito todo nosso de ser criativo. Também nos pergunta como nossa criatividade e inspiração podem enriquecer ou melhorar nossa espiritualidade, nossa relação com o divino. Mais, nossa vida é nossa obra prima, que vamos criando dia a dia, baseados no profundo entendimento que nossa alma tem da nossa jornada e tarefas nesta vida. Será que esta obra realmente está refletindo os ditames de nossa alma?

Feliz Lua Cheia, Feliz Super Lua para Você! Que seja carregada de sensibilidade e grande inspiração para nos transformar e transformar nossa obra individual no que ela realmente deve ser: uma obra-prima que nos ajude a enriquecer também o grande tecido, a grande teia que é a Unidade, da qual todos somos parte!

Nota: Pessoas com planetas entre os graus 0 e 12 de Peixes, Virgem, Gêmeos e Sagitário sentem mais intensamente esta lunação.

tulipnight tumblr
Tulipnight.Tumblr – Reprodução

Caro leitor: este blog migrou para uma nova plataforma e servidor,  e nesta migração perderam-se os assinantes. Assim, se você já era assinante do blog, por gentileza, assine novamente para que volte a receber todas as publicações e atualizações. Desculpe o transtorno e obrigada!

Continue lendo Lua Cheia em Peixes – Seja fiel a você mesmo!