Tag Archive | Vênus

A Semana Astrológica – Coração Sangrando

Reprodução

Semana de 03 a 09 de abril

Semana de crescer e investir no que foi semeado na Lua Nova, nos projetos do ciclo e do ano – essa plantação não vai crescer sozinha, sem cuidados! Mas começa também um período de revisões importantes.

Esta é outra semana que começa “fervente”, mas que vai ficando melindrosa e delicada conforme os dias vão se desdobrando. A fervura se dá devido aos contatos feitos pelo Sol Ariano, primeiro na oposição a Júpiter, depois quadratura a Plutão e ainda fecha a semana conjunto a Urano, conjunção exata na semana que vem, já a suscetibilidade vem da quadratura que Vênus retrógrada fará a Saturno e da conjunção a Quíron.

Reprodução

O Sol faz esses aspectos tensos a esses planetas quatro vezes ao ano, de ângulos diferentes. Às vezes se alia a Urano, como agora, em janeiro se aliou a Plutão, em outubro se uniu a Júpiter… tudo isso simbolizando a necessidade constante de nos reinventarmos, de mantermos em cheque nossa insatisfação com nossa vida em geral, mas principalmente conosco mesmos. Também questiona a quantas anda nossa integridade e nosso comprometimento com a verdade. Se não estamos cientes dessas questões, experimentamos tais movimentos/aspectos como tensões provenientes do mundo exterior, que desestruturam e desestabilizam nossas vidas arrumadinhas. Mundanamente, representa as ebulições sociais e coletivas, que repercutem na vida de cada um, individualmente. Portanto, esta é uma semana que traz algumas convulsões e ebulições, individuais e sociais. Como se não bastasse, Marte, regente do Sol, também faz contatos com dois desses planetas: faz quincúncio a Júpiter indicando uma oscilação no nosso entusiasmo, no otimismo e a tendência de nos alternarmos entre um ceticismo inflexível e arroubos pouco práticos. O que nos cabe é achar o caminho do meio e tentar conciliar esses dois extremos: temperar nossa ação e afirmação com uma motivação que nos eleve e que equilibre toda essa busca pela estabilidade. Nem só de bom senso é feita a ação correta. Excesso de bom senso mata a criatividade. Já o aspecto a Plutão sugere um aumento de força, determinação e adiciona longevidade à nossa energia, de modo que o esforço fica mais concentrado e efetivo. O que precisamos mesmo é dosar e equilibrar entusiasmo com bom senso.

Reprodução

O bom senso, aliás, entra em revisão, junto com o que entendemos por estabilidade e segurança. Mercúrio estaciona no sábado para entrar em retrogradação no domingo, a 04°50’ de Touro e só volta ao movimento direto no dia três de maio. Se, com Mercúrio retrógrado, as coisas tendem a ficar mais lentas, sendo essa retrogradação em Touro, tudo paralisa e estaciona… tudo se delibera e pode haver maior hesitação na tomada de decisões. Pode haver também tendência a extremos: rasgos de extrema inflexibilidade alternados com momentos de caos completo – a resistência à mudança fica acentuada, mas pode piorar tudo – o ideal é soltarmos, porque afinal, não controlamos nada mesmo, por mais que queiramos acreditar que sim. Ao ficar retrógrado em Touro Mercúrio propõe uma revisão na forma como pensamos a estabilidade e a segurança material; como nossos conceitos acerca de habilidades, talentos, afetam nosso senso de valor; sugere uma reavaliação na forma como a mente se relaciona com o corpo e todos os seus sentidos. É hora também de revisar aquelas ideias rígidas, inflexíveis sobre como o mundo deve funcionar ou sobre o que é ou não verdade, sobre o que é ou não real… Ver para crer? Convenhamos, é uma forma limitada de pensar a vida, afinal, você não vê seus próprios pensamentos e eles existem, certo? Mercúrio retrogradará até Áries e aqui a conversa é outra: rever e revisar a forma egocêntrica de nos comunicarmos, a grosseria disfarçada de honestidade e atitude, os planejamentos relapsos – ou mesmo falta completa de planejamento – mascarados de agilidade ou criatividade. Em termos práticos, quando Mercúrio está retrógrado há tendência a mudanças de planos sem aviso prévio, a atrasos e imprevistos nas locomoções e sugere-se evitar assinaturas de contratos e acordos, compra/venda de valor expressivo, cirurgias. Por outro lado, é um ótimo período para se revisar escritos, estudos, projetos, planejamentos, e tudo que o que se tenha executado/realizado nos últimos três meses.

Retrogradação – quero incluir uma nota geral sobre o movimento retrógrado. A despeito das previsões tenebrosas acerca da retrogradação, este período representa uma pausa necessária para todos, planetas, pessoas e assuntos envolvidos. Imagine, por exemplo, que você está escrevendo um artigo ou uma tese/monografia ou mesmo um simples e-mail. Antes de dar a tarefa por terminada e enviar/entregar ao destino final, você vai parar e fazer uma revisão das ideias apresentadas no documento, da ortografia, das regras ABNT, e às vezes, até da necessidade em si de estar fazendo tal coisa, certo? Ninguém é maluco de enviar sem fazer essa revisão – ou se é, já deve ter se metido em várias enrascadas como consequência. Outro exemplo simples: todos nós precisamos de férias periódicas e anualmente tiramos um tempo – ou pelo menos deveríamos – para descansar mais efetivamente, para relaxar e mudar de ares. Entramos em standby. Outro exemplo tão simples quanto: o carro, veículos e máquinas em geral precisam de revisões periódicas para fazer regulagens, trocas de peças, ajustes, etc. Então, podemos ver a retrogradação dessa forma: um período em que os assuntos regidos por aquele planeta entram em standby porque precisam ser revisados, checados, reavaliados, regulados. Portanto, não vamos ver a retrogradação como uma catástrofe ou um desastre terrível do qual não podemos fugir. Não. Podemos até experimentar dificuldades, quando insistimos em manter tudo como estava, como se tudo seguisse o curso normal, quando na verdade, estamos em marcha à ré, mas se formos flexíveis e estivermos abertos ao que a vida nos traz, podemos nos deparar com boas oportunidades e entender melhor como nós mesmos funcionamos. Portanto, retrogradação é oportunidade e não desastre. Vamos nos alinhar com a energia e fazer o que a retrogradação daquele planeta propõe. Certo?

The Heartache – Christian Schloe – Reprodução

Vênus continua retrógrada ainda por duas semanas e regressou a Peixes neste domingo, dia dois, de onde fará quadratura a Saturno e conjunção a Quíron – a conjunção a Quíron não ficará exata, mas ainda assim será potente, visto que Vênus estaciona nessa conjunção, de menos de um grau, no dia 14. Portanto, pelas próximas quatro semanas as relações ficam na berlinda triplamente: pelo fato de Vênus continuar retrógrada – e mesmo depois do dia 15 ainda estará na zona de retrogradação – pela quadratura a Saturno e pela conjunção a Quíron, o que significa um mês bem doído em que rancores e rejeições do passado podem voltar para nos assombrar e podem mesmo atrapalhar relações atuais, caso não saibamos separar as “estações” e as feridas e cicatrizes. Vênus-Saturno traz à tona questões de confiança ou quebra de, incertezas e dúvidas sobre se podemos nos abrir e nos entregar realmente nas relações, se seremos desapontados ou rejeitados – e aqui precisamos reconhecer quando nossas expectativas são altas demais. Como diz Adriana Vasconcelos, “felicidade é quando a gente sente que pode se ‘desarmar’ e confiar nas pessoas sem medo de ser ferida” – essa felicidade, nesse momento, parece fora do nosso alcance, porque simplesmente não conseguimos nos desarmar. Positivamente, podemos ter vislumbres das repetições de padrões na vida afetiva e podemos, para variar, nos responsabilizar pelos altos e baixos e estragos que acontecem conosco, ao invés de simplesmente reclamar de “dedo-podre” atribuindo à/ao fulana/o a culpa por dores, coração partido, rejeições, mágoas e o que quer que seja que nos impede de ser/estar felizes conosco mesmos e com nossos pares. Bancar a vítima é muito démodé e não nos levará a nenhum progresso. É mais salubre olhar para si mesmo e para as próprias inseguranças e se perguntar por quê continuamos a nos envolver com o mesmo tipo de pessoa, travestida em corpos/cores/roupagens diferentes. O que há em comum nessa repetição do padrão? O que é que sempre se repete: nossa presença no enredo, o que significa que o problema somos nós, até porque, como já sabemos só conseguimos mudar a nós e não ao outro. Por que insistimos em nos enganchar nos desvalidos da vida? Por que essa vocação para “salvar” alguém, ainda mais quem não quer e não pediu para ser salvo? Por que nos colocamos na situação exata que temíamos, ou seja, de rejeição e abandono? Porque talvez tenhamos aprendido, lá na infância um modelo deturpado de amor, mas esse modelo pode ser desconstruído e em seu lugar podemos elaborar um modelo mais saudável de amor, mas antes é preciso sermos honestos quanto à nossa responsabilidade em tudo isso e não bancar os coitadinhos ingênuos.

John Holcroft – Reprodução

Essa quadratura que Saturno recebe de Vênus é ainda mais melindrosa porque ambos os planetas estarão retrógrados, visto que Saturno também entra em retrogradação nesta semana, na quinta-feira, o que sugere que a revisão dos assuntos implicados é ainda mais necessária. Também é importante o fato de que tal quadratura ficará ativa por praticamente todo o mês de abril, porque Vênus vai estacionar em conjunção a Quíron e em quadratura a Saturno e depois empreenderá o longo caminho de volta, fazendo o mesmo aspecto três vezes – ou seja, o mês de abril está deveras melindroso para os relacionamentos e também para a autoestima e para os investimentos financeiros. Mas é um bom momento para desmanchar, desfazer padrões, romper com modelos antigos de viver as relações, mesmo os mais destrutivos – porque não conseguimos superar nossas carências, os padrões aprendidos na infância ou juventude, a tendência a equalizar relacionamento com sofrimento. O período pode ser bastante doloroso, mas também rico em insights, entendimento sobre nossos processos íntimos, sobre como construímos nossa autoestima – ou falta de – e o impacto que isso tem nas nossas parcerias. Sendo Vênus um planeta feminino, este movimento sugere repensar como o feminino se define e é definido na nossa sociedade e sugere a fragilidade desse feminino, a dureza com que ele se depara no mundo.

Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua inaugura a semana entrando na fase do Quarto Crescente, já na segunda-feira, empoderada em Câncer. Assume brilho fulgurante em Leão e entra na fase Corcunda em Virgem, na sexta-feira. Fecha a semana já em Libra, acentuando a parada de Mercúrio ao fazer aspecto a ele no domingo. Na sua caminhada celeste ela faz vários aspectos, harmoniosos ou tensos a todos os demais corpos celestes, simbolizando as alterações diárias dos humores, das emoções, dos interesses no mundo. A Lua será Cheia na terça-feira, dia 11, às 03h07min, a 21°32’ de Libra, em conjunção a Júpiter, oposição ao Sol, Urano e Eris e quadratura a Plutão – uma Lua Cheia realmente crítica e explosiva!

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 03 de abril

A Lua está em Câncer e faz trígono a Netuno em Peixes e mais tarde faz quadratura ao Sol Ariano, entrando na fase do Quarto Crescente. A Lua ainda faz quadratura a Júpiter e se opõe a Plutão (aspecto exato amanhã) e, devido à quadratura ao Sol, forma uma Grande Cruz Cardinal. A única ajuda vem do sextil a Marte em Touro. A segunda-feira começa com a corda toda, trazendo oportunidades disfarçadas de desafios e obstáculos. Queremos cuidar e nutrir nossos projetos, mas receamos fazê-lo de forma direta, porque não queremos despertar curiosidade ou mesmo competição quanto àquilo que estamos planejando e construindo. Mas, a despeito de nossa independência e autonomia, diretividade e honestidade, precisamos também agregar sensibilidade e colocar nossos sentimentos a serviço de tais projetos. Mesmo com toda a nossa coragem e vigor, ainda precisamos nos lembrar de nossas origens, precisamos levar em conta tudo o que nos nutriu até aqui, sejam pessoas ou recursos – sim, precisamos honrar nossos sentimentos e nosso passado, se for para ver nossos projetos prosperarem e frutificaram lá na frente e lembrar de agradecer, sempre. Assim, o dia ganha um tom apaixonado e arrebatado, que nos impele de forma entusiasmada ao trabalho, a fazer os ajustes necessários no que quer que estejamos envolvidos e que requeira regulagem. Como uma máquina impulsionada a todo vapor, ganhamos ímpeto e ânimo, porque já conseguimos vislumbrar os resultados que queremos alcançar. Sabemos que para conseguir tais resultados, teremos que nos empenhar muito agora, mas não nos fazemos de rogados e nos atiramos ás tarefas com gosto e paixão – o único problema é que talvez toda essa paixão e vigor batam de frente com a paixão do outro, que parece estar estar indo na direção contrária, o que pode significar atritos e faíscas. À noite esse clima fica mais fumegante e talvez precisemos lidar com conflitos também dentro de casa, com familiares ou pessoas próximas, que nos cobram uma atenção que talvez tenhamos suprimido porque estávamos ocupados com outras coisas com nossos objetivos individuais. Em lugar de dar desculpas fáceis ou sair pela tangente, é melhor encarar o conflito de vez e ser honestos sobre as próprias prioridades e tudo o que está em jogo. Recorrer a chantagens e à clássica “faço isso por vocês” pode ser um escape fácil, mas traiçoeiro, porque talvez não seja completamente honesto e assim, é possível que nos “entreguemos” num momento de descuido, o que fará o outro se sentir traído e manipulado. Visto que os dias estão melindrosos e as sensibilidades afloradas, o ideal é acalmarmos as emoções tempestuosas e tentarmos chegar a um consenso, ao invés de simplesmente revidar de forma rasteira. Colocar-se no lugar do outro ajuda a sair da nossa perspectiva afunilada, a enxergar o conflito de outro ângulo, facilitando uma conciliação. O ideal é ter clareza da diferença entre o que queremos e o que precisamos – isso faz toda a diferença!

Reprodução – Desconheço o autor

TERÇA-FEIRA, 04 de abril – Marte está em quincúncio exato a Júpiter na virada para quarta-feira. De Câncer a Lua completa a oposição a Plutão em Capricórnio, quadratura a Urano em Áries, trígono a Quíron, quincúncio a Saturno e trígono também a Vênus retrógrada, aspecto depois do qual fica fora de curso, às 17h47min. Ingressa em Leão às 19h14min e fecha a noite em quadratura Mercúrio em Touro. A madrugada está tempestuosa e finda numa manhã tensa e elétrica, em que acordamos cheios de gás, mas também irritadiços, dando choques a torto e a direito, de modo que o dia fica carregado de instabilidade, nervosismo e oscilações de humor, inconstância na liberação da energia e flutuação no entusiasmo. Sentimos uma grande pressão, interna e externa, para “dar conta” de todas as tarefas e, embora tenhamos nosso próprio investimento na dinâmica do dia, também nos ressentimos com tantas cobranças e pressões, o que pode nos deixar meio azedos ou amargos. À tarde o mau humor pode virar melancolia e abatimento, porque nos sentimos mais vulneráveis, sensíveis, como se fôssemos nos desmanchar a qualquer momento. Além de nossas próprias inseguranças, captamos as vibrações de infortúnios alheios, e talvez isso nos faça sentir impotentes. Contudo, também podemos nos sintonizar com vibrações mais elevadas, porque elas também estão disponíveis: ternura, gentileza, bondade, compaixão e mesmo as percepções de dor podem ser utilizadas para colocar as coisas em perspectiva: primeiro, sabemos que nossos problemas, embora importantes para nós, não são os únicos nem os piores do mundo; segundo, ao nos voltarmos para os outros, de bom coração, podemos melhorar a atmosfera para todos, inclusive para nós mesmos. Como diz Jung, “do mesmo modo que aquele que fere o outro fere a si próprio, aquele que cura o outro, cura a si mesmo” e, por que não dizer, aquele que cuida, protege, nutre, afaga, se compadece… Quando estamos afundados e afogados nos nossos próprios problemas, sejam eles pequenos ou grandes, sempre pode ajudar olhar para o outro e ver que estamos todos no mesmo barco, com dores diferentes, mas ainda assim, todos têm suas dores e o melhor que fazemos é nos apoiar mutuamente, ao invés de nos desgastarmos nos dramas excessivos ou crises desnecessárias. E, se for para reagir, reaja com amor!

Catrin Welz-Stein – reprodução

QUARTA-FEIRA, 05 de abril – Saturno estaciona às 02h06min em Sagitário. Marte segue em quincúncio exato a Júpiter ainda na primeira hora do dia. A Lua plenifica a quadratura a Mercúrio e faz quincúncio a Netuno. Mais tarde faz sesqui-quadraturas a Quíron e Vênus em Peixes e a Saturno em Sagitário, virando foco de um Martelo. Fecha a noite em trígono ao Sol. Marte está em trígono quase exato a Plutão, que também recebe a quadratura próxima do Sol. A madrugada traz incongruências entre corpo e mente, que podem se traduzir em inquietude ou pensamentos obsessivos, atrapalhando o sono. Como resultado, a manhã começa um pouco atrapalhada, com imprevistos perturbando o andamento natural das coisas, incertezas inconscientes pinçando nervos expostos das nossas inadequações, que hoje parecem dar pistas de suas origens. Ao mesmo tempo que pode haver momentos desconcertantes conosco mesmos, podemos também ter aqueles momentos mágicos de “A-há! – então é isso!”, que nos clarificam muitas questões inconscientes, levando talvez a uma maior integração desses traços sombrios de nós mesmos. Contudo, ainda há grande reatividade no ar, especialmente à noite, quando o humor volta a ficar carregado e as reações, cortantes. Por isso, precisamos manter em cheque as emoções desencontradas e conflitantes, para que gerem energia de iluminação e não de conflito no mundo exterior, porque ainda que precisemos nos posicionar firmemente sobre algo, ainda podemos fazê-lo de forma amistosa e, de novo, se for para reagir, reaja com amor!

Katie Grinnan – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 06 de abril – Marte está em trígono partil a Plutão. A Lua faz trígono ao Sol, sextil a Júpiter, quincúncio a Plutão, quadratura a Marte e trígono a Urano e a Saturno, formando um Grande Trígono de Fogo. Fica vazia depois do trígono a Saturno, às 21h17min. Saturno entra em movimento retrógrado às 02h06min. O Sol está muito próximo da oposição a Júpiter. Estamos um tanto irritados pela manhã e, embora ao longo do dia o humor melhore, estamos cientes de que há questões importantes a serem endereçadas e tratadas, questões que estão aflorando à superfície da consciência e que certamente nos obrigarão a novas mudanças em nossas posturas, códigos morais e atitudes concretas. A despeito de nos darmos conta do desconforto, porém, também estamos dispostos a fazer o que for necessário para confrontar tais questões e a ir fundo nessa auto-investigação. Isso porque, embora haja o desconforto, também há a percepção da possibilidade de melhorias, de conseguirmos superar bloqueios e entraves, se formos honestos o bastante conosco mesmos e se estivermos dispostos a abrir mão da rigidez e dos nossos pré-conceitos. Saturno entra em retrogradação e nos convida a fazer uma revisão do trabalho que empreendemos nos últimos meses – desde agosto/16 – no sentido de nos definirmos como indivíduos e de nos realizarmos concretamente no mundo tangível.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 07 de abril – O Sol está em oposição exata a Júpiter e muito próximo da quadratura a Plutão. A Lua abre o dia vazia em Leão, mas ingressa em Virgem à 01h20min, de onde se harmoniza com Mercúrio em Touro. A Lua também faz sesqui-quadraturas ao Sol (entra na fase Corcunda) e a Plutão, virando foco de um Martelo e ainda segue a fazer outra sesqui-quadratura a Urano e fecha a noite em oposição a Netuno. Vênus está em quadratura a Saturno, aspecto quase exato. Na superfície, estamos hoje entusiasmados e animados, com a confiança e otimismo de que nada pode dar errado, exceto que, sim, muita coisa pode sair errado, especialmente se ignorarmos detalhes importantes e nos inflarmos de nossa própria importância, achando que somente nossos desejos – extremamente imediatistas – são justos e apropriados. Temos, de fato, muita força e recursos em nossas mãos, com os quais podemos transformar muitas coisas, mas se não começarmos por dentro, por nós mesmos, pouco adianta e nada conseguiremos mudar no entorno, muito menos nos outros, especialmente se tentarmos impor nossas visões e nossa vontade a quem quer que seja. É preciso vigiar a tendência aos exageros, à inflação do ego, às bravatas. Também há uma sensação de cisão interna, em que conscientemente temos essa autoconfiança, até desmesurada, mas, subjacente à superfície, há dúvidas e ansiedades que podem se manifestar de duas formas: ou colocam um freio e equilibram os excessos; ou os alimentam porque a insegurança pode nos tornar ainda mais afoitos e aflitos por auto-compensação e por provar que tudo está bem, quando talvez não esteja – mecanismo de camuflagem. De uma forma ou de outra, ficamos tensos e nos expressamos de forma desajeitada, como a esperar o momento que nossa máscara bonachona cairá e revelará nosso lado desgracioso, desastrado e inepto.

Reprodução

SÁBADO, 08 de abril – O Sol está em quadratura plena a Plutão e Vênus em quadratura a Saturno, aspecto também pleno. Por seu turno, a Lua se opõe a Netuno, faz quincúncio ao Sol e trígono a Plutão e a Marte, formando um Grande Trígono de Terra. Fecha a noite em oposição a Quíron. Mercúrio estaciona às 20h15min, para entrar em retrogradação amanhã. Nossa individualidade e objetivos conscientes hoje se deparam com forças potentes que, a princípio, parecem se opor a nós e a nossos quereres. Na verdade, passamos por mais uma prova, que vem testar o quanto conhecemos a nós mesmos e às nossas facetas secretas e sombrias, que hoje podem se revelar um pouco mais através dos conflitos com os poderes que parecem contrários àquilo que somos e buscamos, assim como através de inseguranças que afloram à superfície da consciência. Se nos identificamos apenas o lado mais luminoso e grandiloquente, o entusiasmo e a generosidade dos grandes espíritos, podemos nos enganchar em dificuldades com figuras “tenebrosas” que se interpõem em nosso caminho e nos obrigam a lidar com nossa própria escuridão, desejos de poder e controle, emoções virulentas e abissais, que talvez mascarem o medo profundo de rejeição e abandono. Contudo, para que já está mais acostumado aos confrontos com essas forças, o dia se apresenta como mais uma oportunidade de integrarmos esses traços ditos menos nobres e enriquecermos nossa experiência e maturidade – o regente do sol, que quadra Plutão, é Marte, que faz um aspecto harmonioso ao mesmo Plutão, possibilitando um diálogo promissor e uma ponte entre o Sol e Plutão, de modo que o confronto talvez não precise ser negativo. De qualquer forma, por mais oportunidades que possa trazer, é fato que o dia está pesado, carregado de conteúdos tóxicos, inseguranças, vulnerabilidade, desconfiança, dúvidas e medos. É necessário uma parada básica para olharmos os nossos melindres, as dúvidas e incertezas que são nossos, a despeito de acharmos que nascem das interações com outros – não, as interações com outros apenas trazem à tona algo que já existe em nós. Recomenda-se cautela em todas as interações, especialmente aquelas com pessoas mais próximas e nas relações afetivas, visto que estamos todos muito defensivos, vulneráveis e quebradiços, podendo tanto ofender quanto nos sentir ofendidos inadvertidamente. Por outro lado, a Lua oferece uma boa contenção e sustentação emocional e se conseguimos conter nossos ímpetos mais selvagens e as reações mais primitivas e defensivas, também revigoramos nossa força interior, que nos capacita a olhar para tudo sem medrar, aceitando e transmutando tais poderes sombrios em recursos de conscientização e crescimento. De qualquer forma, tirar um tempo para si, para refletir sobre os afetos – ou desafetos – pode ser uma boa pedida. Talvez seja bastante inteligente refletir bastante nesses dias mais carregados, antes de tomar decisões difíceis ou mesmo antes de enfrentar situações  mais delicadas.

Reprodução

DOMINGO, 09 de abril – A Lua Virginiana se opõe a Quíron e a Vênus em Peixes e também quadra Saturno, ficando fora de curso logo depois, às 05h23min. Ingressa em Libra às 09h35min e logo se desentende com Mercúrio e, de forma diferente, também com Marte. Mercúrio entra em retrogradação às 20h15min. Vênus fecha a semana em conjunção a Quíron e o Sol segue se separando da quadratura a Plutão, enquanto ruma para a conjunção a Urano. O domingo está deveras penoso e complicado. Feridas expostas, exigindo limpeza e purgação, doem excruciantemente e parecem não dar trégua para nosso coração combalido. Mas, embora estejamos ultra suscetíveis e espinhosos, defensivos e sorumbáticos, há grande oportunidade de cura, de perdão, de serenar e sanar tais feridas pela percepção de que não precisamos ser vítimas de nada nem de ninguém, muito menos de nós mesmos. A questão principal aqui tem a ver com confiança, tanto a confiança em nós mesmos e no nosso valor, quanto a confiança na integridade e no amor do outro. E se estamos muito inseguros, a tendência é nos precavermos por mecanismos de controle, tentando controlar o outro ou às circunstâncias, algo que pode tornar tudo mais difícil e até precipitar a crise que estava ameaçando eclodir. É fundamental não resvalar em pensamentos sombrios de menos-valia, nem se colocar para baixo, vigiando pensamentos negativos que só piorarão o humor e tudo o mais. Fazer um balanço maduro da situação, tendo serenidade e empatia para consigo mesmo, assim como para com o outro, que provavelmente está tão sensível e vulnerável quanto nós. Encarar a realidade da situação e por mais difícil e dolorosa que ela seja, não sucumbir diante dela – se há despedidas para acontecer, se há lutos para se sofrer, se algo morreu realmente e não tem recuperação, o luto é necessário, mas ainda pode ser vivenciado com dignidade e não precisamos depauperar nosso amor próprio ainda mais. Com o tempo e a compaixão, tanto nossa quanto de amigos e aqueles que nos querem bem, sempre podemos nos lembrar de quem somos, sempre podemos nos lembrar da nossa luz a brilhar fulgurante, apesar dos momentos difíceis pelos quais estejamos passando. E o amor, o amor sempre estará lá, dentro de nós, só precisamos nos lembra de onde o guardamos.

Uma ótima e serena semana para você! Que traga paz e luz!

Reprodução

The Heartache – Christian Schloe – Reprodução

A Semana Astrológica – Parindo um Novo Eu

Bob du Bois – Reprodução

Semana de Lua Nova, que sinaliza novos começos e novos projetos, além de mais um momento importante na transformação das nossas crenças, da ética e da espiritualidade.

A semana traz movimentos importantes e um dos principais é a Lua Nova, ocorrendo a 07°37’ de Áries, já na segunda-feira, indicando o início e um novo ciclo lunar, fase propícia para lançar novas ideias e intenções no mundo – lançar as ideias e intenções, começar mesmo, só lá pelo terceiro dia. É uma Lua Nova que nos convida a nascer de novo, mas nós mesmo é que nos geramos e nos parimos

N. C. Winter – Bein Art Gallery – Reprodução

Outro movimento importantíssimo é a segunda quadratura de Júpiter e Plutão, que ocorre na quinta-feira, dia de Júpiter. Esta segunda quadratura sugere um momento de reavaliar as primeiras mudanças e transformações iniciadas por volta de 24 de dezembro último, quando Júpiter fez o aspecto pela primeira vez. Agora Júpiter está retrógrado e nos convida a repensar e talvez aprofundar essas modificações. Este aspecto sugere um período em que indivíduos e sociedades precisam transformar suas crenças, sua relação com o divino e sua espiritualidade em geral. Em termos mais mundanos, também indica períodos de mudanças importantes e profundas na feitura de leis, assim como nos pede que reavaliemos nossos códigos éticos, nossa relação com o poder, o quanto talvez tenhamos comprometido essa ética, em favor de adquirir/conseguir mais poder, seja esse poder de ordem material ou de ordem mais abstrata. Júpiter está retrógrado até o dia nove de junho e fará a última quadratura a Plutão, deste ciclo, em quatro de agosto, quando então Plutão estará retrógrado.

De Es Schwertberger – Reprodução

Marte trafega Touro e ainda segue em recepção mútua com Vênus até o dia dois de abril. Esta semana Marte faz um aspecto harmônico a Netuno, sugerindo um período em que nossa ação fica mais imaginativa e criativa, em que também nos sensibilizamos mais e conseguimos nos colocar no lugar do outro, pensando que tipo de impacto a nossa ação terá sobre este outro. Como Marte também faz outro aspecto bastante inconsciente a Saturno, talvez tenhamos momentos de insegurança e dúvidas sobre nossas capacidades, as certezas e estabilidade de Touro sendo questionadas em algumas situações… O convite é para olharmos para além dos literalismos, além do mundo sensorial e ousarmos considerar outras hipóteses da esfera do não-palpável. Só porque não vemos, não quer dizer que não exista!

Adi Dekel – Reprodução

Vênus, em marcha à ré, retorna a Peixes, signo de sua exaltação… Está ainda mais introspectiva e na última fase do período de retrogradação em si. A sensibilidade fica particularmente aumentada, mas também nossa percepção sutil de como temos vivenciado nossos afetos e relações. Em Áries, percebemos que não há relação equilibrada se só pensamos no outro; que precisamos estar inteiros e seguros de nós mesmos, saber o que realmente queremos, para podermos viver relações saudáveis; em Peixes voltamos a nos lembrar do amor próprio, o saudável amor a nós mesmos nos deixa fortes e mais aptos a nos doar de maneira segura e honesta ao outro, para além das relações pessoais um-a-um. O mergulho nas próprias motivações afetivas se aprofunda e a semana propicia muitos insights importantes nesta área.

Reprodução

O Mercúrio Ariano tem uma conversa sóbria, mas inspirada com Saturno em Sagitário quarta-feira, antes de migrar para Touro, dois dias depois. É hora de assentar a cabeça e verificar as consequências concretas das revoluções, revelações e iluminações recentes, captadas quando do trânsito de Mercúrio pela T-Square Júpiter-Urano-Plutão. O que fazemos de concreto com tudo isso? O que é possível realmente? Ingressando em Touro Mercúrio sinaliza um período de maior deliberação, a mente fica mais cautelosa e quer “ver para crer”. O trânsito por Touro é mais importante porque Mercúrio fará sua próxima retrogradação neste signo, a partir de nove de abril.

O Sol está relativamente sossegado nesta semana, sem fazer aspectos a outros corpos celestes, apenas recebendo os contatos lunares… Lá pelo meio da semana começa a se opor, de longe, a Júpiter e a quadrar Plutão, aspectos que ocorrerão na semana que vem, o que sugere que a próxima, será mais uma semana de extremos e de algumas crises pipocando mundo afora.

Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua abre a semana ainda na fase Balsâmica em peixes, mas se renova em Áries na noite de segunda-feira, inaugurando um novo ciclo. Fica mais fecunda em Touro e entra na fase Semi-Crescente em Gêmeos, fechando a semana já em Câncer, seu domicílio.

Reprodução – Desconheço o autor

SEGUNDA-FEIRA, 27 de março – A Lua Balsâmica, em Peixes, fez conjunção a Quíron e depois quadratura a Saturno em Sagitário, ficando vazia depois deste contato, às 07h20min. Ingressa em Áries às 11h11min e logo faz conjunção a Vênus retrógrada. A Lua se renova a 07°37’ de Áries, às 23h57min de hoje (04h57min do dia 28 para Lisboa). Marte está em sextil pleno a Netuno em Peixes e em sesqui-quadratura a Saturno. A segunda começa lentamente, demandando tempo e esforço extra para sairmos da cama e iniciarmos as atividades. Ressentimo-nos dos deveres e compromissos que nos obrigam a abandonar o mundo mágico de sonhos e o adiamento da lida com a realidade… Mas ela, a realidade, está ali, à nossa espera, ao cruzar a soleira da porta do quarto. E a manhã fica assim: meio pesada talvez até um pouco mal-humorada. De qualquer forma, não há muito o quê discutir e logo entramos num acordo com o dia e nos dispomos a fazer o que tem que ser feito – o que não tem remédio, remediado está. Pelo fim da manhã a energia muda de forma radical e nos imbuímos de novo entusiasmo e vigor, arregaçando as mangas e nos atirando às tarefas com mais ímpeto e determinação, uma determinação temperada com a percepção sutil de detalhes que antes teriam fugido aos nossos olhos e faro. Este novo ânimo deixa o dia colorido de nova disposição, uma intuição fina nos dizendo que podemos sim, modificar muitas coisas em nós que antes nos deixavam impotentes. A Lua se renova no fim da noite, quase na virada do próximo dia, tendo como único aspecto a conjunção a Vênus retrógrada – tem uma quadratura super ampla a Saturno em Sagitário. Essa Lua Nova joga ênfase extra sobre os temas de Vênus retrógrada em Áries e nos convida a ousar ser nós mesmos, ser exatamente o que nós somos, sem desculpas e sem receios; a brigar pelos nossos valores, a nos colocar em primeiro lugar, antes de ir atrás de outros. Para amar a um outro completa e genuinamente, precisamos amar visceral e integralmente a nós mesmos, com todas as nossas dificuldades, como nosso lado mais nobre e também com as facetas mais sombrias de nós mesmos. Enquanto não tivermos esse auto-amor forte e maduro, ainda não estaremos aptos a amar a um outro verdadeiramente, porque estaremos incompletos e buscando no outro preenchimento para os buracos emocionais, que só nós mesmos podemos preencher. Leia o artigo sobre a Lua Nova em Áries.

Johnson Tsang – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 28 de março – A Lua, renovada em Áries, faz hoje quadratura a Plutão e oposição a Júpiter e fecha a noite em conjunção a Urano. Marte se afasta do sextil a Netuno e vai se aproximando do trígono a Plutão, exato na semana que vem. Dia tempestuoso, sujeito a muitas altercações, pampeiros e pequenas explosões. Temos grande necessidade de independência e ação autônoma, mas estamos também impacientes e impulsivos e encaramos como desafio qualquer olhar meio torno que vemos pela frente. Ocorre que a grande necessidade de independência é exacerbada e entra em conflito com as imposições colocadas sobre nós por figuras de autoridade, mais poderosas que nós. Recusamo-nos a nos dobrar diante de tais imposições, mas ao fazer isso, invocamos sobre nós forças ainda mais potentes. Precisamos ter cautela porque toda essa insubordinação, além de nos deixar em maus lençóis e atrapalhar nossas realizações, ainda pode nos criar problemas de ordem prática, visto que não prestamos atenção a regras e nos indispomos com o jeito tradicional de fazer as coisas, ignorando detalhes importantes, deixando coisas pela metade ou feitas de qualquer jeito. No mínimo, podemos chegar ao fim do dia desgastados e deixando atrás de nós um rastro de desafetos e cacos de situações mal resolvidas pela nossa imaturidade e imprudência. Tanta irritação pode vir também do excesso de energia mal canalizada e mal aplicada, portanto, urge achar a forma adequada de usar e dispender toda essa energia de alta voltagem, assim ela poderá ser produtiva e realizar algo positivo, ao invés de criar atritos e confusões por onde passarmos. Outra coisa que pode ajudar é não levar tudo para o lado pessoal, armar-se de paciência, manter a irritação em cheque, certificar-se de concluir tudo aquilo que começar e, principalmente, como já dito acima, achar algo produtivo para fazer, de preferência, sozinho, porque o dia não está muito favorável para trabalhos em equipe.

Catrin Welz-Stein – Reptodução

QUARTA-FEIRA, 29 de março – Mercúrio em Áries está em trígono pleno a Saturno em Sagitário. A Lua, Ariana e nova, completa a conjunção a Urano e depois também faz conjunção a Mercúrio e trígono a Saturno, ficando fora de curso depois deste aspecto, às 09h08min. Ingressa em Touro às 12h49min e fica várias horas sem fazer aspectos maiores a ninguém. Ao contrário de ontem, o dia hoje traz um belo potencial de canalizarmos a energia marciana da melhor forma possível: temos muitos recursos à nossa disposição, além de uma intuição aguçada e a sincronização perfeita entre mente, corpo e movimento estratégico, de modo que nos sentimos no controle não só das nossas emoções, mas também dos pensamentos e, consequentemente, do ambiente imediato, o que nos ajuda a Avançar nas atividades e talvez até a consertar alguns dos estragos que cometemos no dia anterior. A disciplina e senso de ordem que nos faltava ontem, hoje é um recurso acessível dentro de nós, assim como a perseverança e a autoconfiança de quem sabe o que está fazendo e o faz de forma efetiva e eficaz. Talvez até, olhando em retrospecto, consigamos apreender algumas lições dos erros cometidos anteriormente, algo que chega a nós em algumas horas de reflexão e insights que podem pipocar do meio da manhã até o início da tarde. Insights que depois pensamos em como manifestar de forma prática e concreta, de modo a trazer melhorias a nós mesmos. A tarde está mais calma e nos dedicamos ao trabalho ou às tarefas com pragmatismo, sem pressa e sem correria, apenas apreciando o gosto de estar onde estamos e de fazer o que fazemos. A introspecção favorece a digestão adequada das crises, mas pode nos deixar um tanto alheados da vida ao redor, portanto, nada de visões excessivamente subjetivas das coisas e situações.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 30 de março – Júpiter está em quadratura partil a Plutão, a segunda de uma série de três. Em Touro a Lua faz conjunção a Marte e ativa a quadratura Júpiter-Plutão ao fazer trígono a este e quincúncio àquele. Fica vazia depois do trígono a Plutão, às 20h13min. O dia e a semana trazem situações, pessoais ou sociais/coletivas, que nos ensinam mais algumas lições sobre nossas ambições e a fé que temos de realiza-las. Situações que nos fazem questionar nossa ética pessoal e a ética vivenciada no meio em que nos encontramos. Até que ponto comprometemos nossa ética e nossa verdade para realizar ambições e desejos de poder? Será que temos exercido nosso quinhão de poder de forma adequada, justa, íntegra e honesta? Ou será que apenas nos preocupamos em crescer pessoalmente, ignorando se tal crescimento se sustenta ou se promove melhorias verdadeiras, para além daquelas visíveis e materiais? Como nossas ambições materiais interferem com nosso senso de ética? Será que andam juntas ou será que se contradizem? Além de todas essas reflexões, o dia traz uma influência de deliberação vagarosa acerca de tudo o que fazemos e realizamos, tanto no plano concreto, quanto no plano mais filosófico. É propício para refletirmos sobre o impacto concreto de nossa presença no mundo, naquilo que construímos, que produzimos, que consumimos, que eliminamos. Para termos mais conforto, estabilidade e riqueza, vale passar por cima de tudo e de todos? Vale vender a alma ao diabo? Quantas almas temos para empenhar? Já não podemos fingir inocência ou ingenuidade e dizer que não sabemos onde estamos indo em nossos intentos – seremos cobrados em algum momento, portanto, precisamos nos responsabilizar pelo impacto da busca por conforto, posses, poder, controle. E para isso é preciso integridade – a quantas anda a nossa?

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 31 de março – A Lua abre o dia vazia em Touro e ingressa em Gêmeos somente às 13h41min de onde logo se afina com Vênus retrógrada em Áries. A Lua faz sesqui-quadraturas a Plutão de um lado e a Júpiter de outro, virando foco de um Martelo. A Lua Geminiana ainda faz semi-quadratura ao Sol Ariano, entrando na fase Semi-Crescente. Mercúrio ingressa em Touro às 14h31min. Dia arrastado, langoroso, em que tudo parece demorar para acontecer e decolar. Sobra preguiça, falta iniciativa. Mas iniciativa existe, só não é a hora adequada de utilizá-la, e o melhor seria nos afinarmos com o corpo vai pedindo. Ao invés de brigar contra isso, precisamos usar tais influências a nosso favor, utilizando a energia da lentidão para deliberar e refletir sobre questões profundas e para nos aplicar a coisas e situações que porventura ainda estejam pendentes ou por terminar. Atividades e tarefas que demandem paciência, resistência, concentração, pragmatismo. Não adianta se irritar se as coisas saírem diferentes do planejado, rigidez só nos deixará mais indispostos e irritados. À tarde o clima muda e fica mais dinâmico e sociável, temos um impulso para sair do casulo e nos conectar com outras pessoas, aventar e ventilar novas ideias, bater pernas na busca de sincronias mentais e até emocionais. Talvez a primeira hora da tarde traga algum desassossego, ansiedades advindas não se sabe de onde e que demandam um pouco de cuidado com o que fazemos ou dizemos, para sermos impulsivos demais. Pelo meio da tarde a mente tende a se acalmar, mas as emoções ficam na berlinda e ainda há resquícios de inquietude, uma autocobrança que nos pressiona e que pode se manifestar como atividade febril, excessos verbais, falas cortantes e letais – portanto, precisamos vigiar a língua para que nossas inseguranças internas não repercutam negativamente sobre outros. A Lua entra na fase Semi-Crescente, sinalizando o momento ideal de começar os projetos intencionados e idealizados na Lua Nova. Hoje já devemos ver o anel fino da Lua no céu, sinalizando esse momento adequado de dar o primeiro passo – A Lua Nova é o momento de lançar intenções, mas não de começar propriamente as coisas – isso porquê, quando nova, a Lua está totalmente escura e combusta, ofuscada pelo Sol, ou seja estamos muito subjetivos e não temos clareza suficiente para começar as coisas, que lá na frente podem nos trazer algumas surpresas. Portanto, o ideal é começarmos a partir do terceiro dia depois da Lua Nova.

Reprodução

SÁBADO, 1° de abril – De Gêmeos a Lua faz quadratura a Netuno em Peixes, sextil ao Sol Ariano, trígono a Júpiter em Libra e quincúncio a Plutão em Capricórnio. Marte entra em orbe de quincúncio a Júpiter. O dia traz uma grande propensão à instabilidade emocional, do tipo gangorra emocional. Mudamos de humor o tempo todo, ora ficando eufóricos, ora deprimidos e sorumbáticos, confusos e perdidos nas teias das nossas próprias emoções, sentimentos, pensamentos e sensações. Não nos damos conta que sentimos não só o que é nosso, mas também captamos influência externas, tão sensíveis que estamos. Mas podemos utilizar essa sensibilidade para nos engajar em atividades criativas que fortaleçam nossos propósitos e que propiciem um melhor entendimento desses processos interiores. Ao chegar a esse entendimento, temos uma percepção mais clara de seus significados e podemos mesmo usar isso como propulsão para melhorias, crescimento e transformação pessoal, que pode até repercutir positivamente nas nossas relações. Em momentos de maior estresse e ansiedade, não podemos esquecer de respirar profundamente, para recuperar o rumo e o prumo – isso não só nos fará arejar as ideias, mas também trará o necessário centramento psíquico e emocional.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

DOMINGO, 2 de abril – A Lua Geminiana se afina com Urano em Áries, mas faz quadratura a Quíron e oposição a Saturno, tornando Quíron foco de uma T-Square Mutável para lá de espinhosa. Fica vazia depois da oposição a Saturno, às 11h45min e ingressa em Câncer às 15h27min, de onde logo conversa, amorosa, com Mercúrio em Touro. Vênus retrógrada regressa a Peixes, às 21h26min. Embora amanheçamos com ótimas ideias e palpites inovadores para movimentar a vida e trazer soluções, a manhã está pesadona e espinhosa, porque tais ideias parecem pueris quando apresentadas a outros. Sentimo-nos criticados, julgados e expostos, feito criança pega fazendo malinação e isso repercute não só no humor, mas na produtividade, que fica comprometida, porque nossas inseguranças nos impedem de ver além das críticas, reais ou imaginárias, de modo que talvez fiquemos paralisados numa espiral de preocupações e pensamentos sombrios e lamurientos, originários da consciência aguda de nossas deficiências e mediocridades, que parecem estar mais afloradas hoje. Há um sentimento de abandono, de rejeição e de frieza, que não favorecem as interações. Sendo domingo, esse clima não beneficia muito as reuniões familiares, que ficam propensas a mal-entendidos e conflitos, do tipo em que se diz a coisa mais dolorosa, na hora mais inadequada, deixando o outro em carne viva – isso se pode se refletir particularmente na relação entre irmãos. Para que tal influência não se manifeste dessa forma nefasta, é preciso estarmos muitos cientes de que o dia está melindroso e do quanto todos estamos suscetíveis e sensíveis. Talvez tenhamos dificuldade de aceitar as limitações alheias porque não lidamos bem com nossas próprias inadequações e vê-las refletidas no comportamento do outro pode ser doloroso por demais. Se pelo menos nos damos conta de efeito espelho, ainda podemos conter nossa crítica, do contrário, aumenta a propensão aos desentendimentos. Pelo meio da tarde talvez encontremos uma via de expressão e entendimento, mas ainda precisamos ter cautela porque as sensibilidades estão mais aumentadas e se não tivermos tato, podemos até piorar as coisas. O ideal é não sermos invasivos e respeitarmos o tempo do outro e também o nosso. À noite, talvez consigamos buscar uma reaproximação e, quem sabe fazer as pazes trocando chamegos e cafunés.

Uma ótima semana para você! Que iniciemos uma nova vida e novos projetos e principalmente, plantemos mais amor, que ousemos amar mais, a nós mesmos e aos outros!

Amanda Cass – Reprodução

Catrin Welz-Stein – Reptodução

Lua Nova em Áries – Semeando Independência e Autonomia

Reprodução

A Lua se renova a 07°37’ de Áries nesta segunda, dia 27 de março, às 23h57min no horário de Brasilia – 04h57min do dia 28 de março para Lisboa. Áries é o primeiro signo do Zodíaco, é o Fogo Cardinal, da iniciativa impetuosa e pioneira, assim, a primeira Lua Nova do Ano Astrológico sinaliza um tempo de novos começos e darmos o pontapé inicial em projetos frescos, inéditos e pioneiros. Sinaliza uma forte energia de lançar sementes e intenções pioneiras, de nos sintonizarmos com a audácia e a coragem mais puras dentro de nós. Áries traz presente a energia do parto, a luta de vida ou morte, da mãe para dar à luz, e da criança para nascer. Por mais confortável que seja o útero, ela tem que sair de lá e abrir um novo caminho, e ousar avançar para a nova etapa do seu processo de desenvolvimento, senão, morrerá. Então, Áries nos convida a nascer de novo, a recomeçar, a sacudir a poeira, as teias de aranha que foram se acumulando durante a hibernação Pisciana e dar o grito estridente do bebê que respira sozinho pela primeira vez. Podemos nos alinhar com a experiência arquetípica dessa primeira vez, dessa primeira respiração e começar. De novo.

“Seres humanos não nascem de uma vez por todas no dia em que suas mães lhes dão à luz… A vida os obriga de novo e de novo a parirem novamente a si mesmos”                                                                  Gabriel García Márquez 

Lua Nova em Áries – Brasília, 27 de março de 2017, 23h57min.

Essa lunação acontece em conjunção a Vênus retrógrada e este é o único aspecto próximo. Há uma quadratura de quase dez graus a Saturno, mas como é separativa (já aconteceu), já não a consideramos. Isso joga uma ênfase grande sobre os temas da retrogradação de Vênus por Áries, particularmente porque Vênus está em recepção mútua com Marte, regente da Lua Nova – a recepção mútua acontece quando dois planetas ocupam signos regidos um pelo outro, exemplo, Vênus trafega Áries que é regido por Marte, que está em Touro que é regido por Vênus. Na recepção mútua os dois planetas estão numa dança cooperativa e neste caso, isso diminui um pouco os efeitos “negativos” do detrimento/queda dos posicionamentos – no caso, Vênus está em detrimento em Áries.

Reprodução

O ciclo de retrogradação de Vênus é o mais especial e raro de todos e tem uma simbologia e psicologia peculiares, como já falei em outros artigos. Em Áries Vênus está em detrimento exatamente porque a natureza deste planeta é gregária, é diplomática, é de construir relações e de negociar, mas em Áries, Vênus prima pela independência, pela autonomia e não irá comprometer estes valores facilmente em função de ser parte de um casal, de estar num relacionamento. Quando retrógrada neste signo, sinaliza exatamente a necessidade de nos voltarmos para nós mesmos, de sermos mais independentes, corajosos e pioneiros nas nossas buscas pessoais; de cuidarmos primeiro de nós, antes de nos voltarmos para outros.

Reprodução

A Lua Nova vem enfatizar isso mais um pouco, como se não tivéssemos escapatória, como se tivéssemos que lidar com isso, queiramos ou não. Essa Lua Nova nos convida a ousar ser nós mesmos, ser exatamente o que nós somos, sem desculpas e sem receios; a brigar pelos nossos valores, a nos colocar em primeiro lugar, antes de ir atrás de outros. Para amar a um outro completa e genuinamente, precisamos amar visceral e integralmente a nós mesmos, com todas as nossas dificuldades, como nosso lado mais nobre e também com as facetas mais sombrias de nós mesmos. Enquanto não tivermos esse auto amor forte e maduro, ainda não estaremos aptos a amar a um outro verdadeiramente, porque estaremos incompletos e buscando no outro preenchimento para os buracos emocionais, que só nós mesmos podemos preencher… Então, é tempo de dizer, verdadeiramente: EU ME AMO!

Reprodução

O destaque para esse tema da independência é amplificado e repetido diversas vezes. Primeiro pela supremacia do elemento Fogo nesta lunação; ao todo temos quatro planetas em fogo, além dos luminares, Sol e Lua, totalizando seis corpos celestes neste elemento – o destaque é o grande stelium em Áries: Vênus, Sol, Lua, Urano e Mercúrio. Isso também sugere a possibilidade de estarmos muito afoitos, impulsivos e, portanto, precisamos ter ponderação antes de correr certos riscos. Para isso, a posição de Marte em Touro, longe de ser problema, vem ser algo positivo, porque traz exatamente essa ponderação, essa deliberação que a afoiteza de Áries precisa ter para não dar cabeçadas à toa. Mais, Marte está em aspecto positivo com Netuno em Peixes, aspecto exato hoje, o que traz grande empatia e sensibilidade e também ajuda a moderar o famoso “egoísmo” Ariano. Marte também faz trígono amplo a Plutão, que ajuda a equilibrar a placidez de Touro, porque adiciona estamina e vigor, fortalecendo a vontade e a determinação. Marte ainda faz uma sesqui-quadratura a Saturno que, ao mesmo tempo que pode significar inseguranças inconscientes, também pode trazer disciplina e a capacidade de usarmos nossa força e talentos de maneira sábia. O aspecto a Saturno alerta que nosso pior inimigo pode ser nós mesmos e que precisamos ficar atentos ao sabotador interno.

Reprodução

Mas um dado que salienta muito o tema da independência, liberdade e autonomia, é o destaque que Urano tem neste mapa. Vênus está em paralelo a ele, com distância de quatro minutos, por declinação. O aspecto paralelo funciona de forma semelhante a uma conjunção, o que torna a Vênus retrógrada Ariana mais destemida, audaz, autônoma, insubmissa e livre. Urano também está destacado de outras formas, porque está no Ponto Médio entre o Sol e a Lua Nova e Marte, seu regente, Marte, sugerindo novamente a necessidade de sermos independentes e livres, mas também sermos inovadores, criativos e progressistas em nossos objetivos e novos propósitos. Negativamente, esse aspecto indica irritação, raivas que irrompem abruptamente, tendência à precipitação e atitudes impulsivas e imaturas, requerendo de nós muito pé no chão e centramento para não deixarmos que tais influências nos tirem do nosso eixo. Especialmente para as mulheres, indica experiências abruptas que podem significar mudanças radicais no comportamento e na vida emocional. E, claro, Se Sol e Lua estão conjuntos a Vênus, Urano também está no Ponto Médio entre Vênus e Marte, só que num orbe bem mais apertado, de apenas 22 minutos. Para Ebertin, Urano = Vênus/Marte (Urano no Ponto Médio de Vênus e Marte), indica “desejo apaixonado expressão excessiva de amor. Um despertar repentino de paixão física, uma força irresistível de desejo e talvez até agressão sexual”. (1). A meu ver, essa posição de Urano, além de sugerir essa paixão intensa, como diz Ebertin, também sugere a necessidade de preservarmos nossa individualidade e autonomia, se for para tal paixão prosperar, do contrário, aquilo que nos unia pode nos separar depois, como é típico das paixões significadas por Urano. Mas em termos mais gerais, como disse antes, creio que enfatiza duas necessidades: primeiro a de independência emocional e segundo, a de arrojo e originalidade.

Reprodução

Mercúrio, por sua vez, também está conjunto a Urano e ainda na configuração de T-Square entre Júpiter-Urano-Plutão, movimentando e mudando pensamentos, opiniões e crenças. Se está conjunto a Urano, obviamente, também está no Ponto Médio entre A Lua Nova/Sol e seu regente Marte, só que muito mais próximo, simbolizando a necessidade de pensar muito antes de lançarmos nossas iniciativas, mas também sugerindo disposição para a ação, a capacidade de planejar, o lutador estratégico e a possibilidade de alinharmos propósitos, necessidades e a nossa ação executiva através do planejamento lúcido e estratégico. Mercúrio nesta posição ajuda, de certa forma, contrabalançar o fato de termos pouco Ar ativado nessa lunação, sendo Júpiter singleton neste elemento. Isso, aliás, dá grande destaque a Júpiter, que também puxa a Locomotiva que é esse mapa. Assim, Júpiter nos diz que precisamos ser otimistas, a despeito dos cenários difíceis. Otimistas cautelosos e ponderados, é claro, uma vez que Júpiter está retrógrado e que a Lua está também em quadratura ao Ponto Médio entre Júpiter e Quíron, ou seja, precisa ser um otimismo que leva em conta as limitações e as impossibilidades, mas não se deixa abater por elas. Marte, aliás, também faz quadratura ao Ponto Médio entre Saturno e Quíron e aqui há o risco de sucumbirmos diante dessas limitações e do peso de fracassos anteriores, de nos paralisarmos pelo medo de vermos reabertas antigas feridas, de modo que Júpiter ganha ainda mais importância. E Vênus, que está tão destacada, também está no Ponto Médio entre Urano e Netuno, sugerindo alta sensibilidade e um tipo muito peculiar e específico de amor, de acordo com Ebertin (1). Visto que Vênus está retrógrada em Áries, eu diria que esse tipo peculiar de amor é o amor a si mesmo, não o narcisismo – que aliás, nem é amor realmente – mas o amor genuíno de quem se entende e se aceita como é, e se defende e respeita, se gosta, se admira, a despeito de todas as imperfeições. Vamos repetir, como mantra: EU ME AMO!

DailyMail – reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 8 de Áries (07°37’) traz uma imagem interessante e feminina: “Um grande chapéu de mulher, com flâmulas, soprado pelo vento leste”. Este símbolo também nos reporta à atual posição de Vênus: é um símbolo que traz uma imagem feminina, mas usando um chapéu, um adereço tipicamente Ariano, visto que é usado para proteger a cabeça, contra o Sol, chuva ou frio, cabeça que é regida por Áries, signo masculino. Este símbolo pertence ao primeiro hemiciclo, que trata do processo de individualização, e também pertence ao que Dane Rudhyar (2) chama de Ato de Diferenciação, no nível da ação. Ele, ao analisar este símbolo nos lembra que “neste nível cultural-emocional, os processos mentais ainda estão subdesenvolvidos” – alô Mercúrio, olha a importância do pequeno aqui! – “assim, eles precisam de proteção contra as forças elementais da vida”. Rudhyar continua: “uma abertura grande demais a essas energias oferece o risco de alguma obsessão. A imagem simbólica sugere um vento muito forte, sobrenatural e, especialmente, forças psíquicas. Tal vento é originário no Leste tradicionalmente visto como o local das influências criativo-transformadoras de espiritualização. As flâmulas do chapéu indicam tanto a reação ao vento como também sua origem. Em outras palavras, o símbolo sugere um estágio de desenvolvimento da consciência no qual os poderes nascentes da mente são protegidos, ao mesmo tempo em que são influenciados pelas energias de origem espiritual. Isso também indica um estágio probatório no processo de individualização. Sob uma orientação protetora uma pessoa ainda muito receptiva (uma mulher) é influenciada por uma força espiritual. Esse símbolo propõe ainda resultados sequenciais que requerem proteção e sensibilidade”. O tom do símbolo é a “proteção e orientação espiritual no desenvolvimento da consciência”. Assim, a Lua Nova ocorrendo neste grau, que tem este símbolo, nos sugere um ciclo e um momento de grandes potenciais de desenvolvimento do processo de individuação e de termos acesso a informações privilegiadas, que podem tanto vir do alto, quando de dentro de nós mesmos, se nos sintonizarmos com nossos mentores e guias espirituais, informações que podem iluminar e propiciar nosso crescimento e maturação.

Reprodução

Concluindo, a Lua Nova inaugura um tempo de lançarmos novas sementes e intenções, não somente para o ciclo lunar, mas para todo o ano e até mesmo para a vida; de desbravarmos novos territórios, de nos colocarmos na vanguarda da nossa própria vida, ao invés de esperarmos passivamente que as coisas se resolvam para nós e, para isso, precisamos ter clareza de propósitos e determinação constante, porque, como diz Sêneca, “nossos planos são abortados porque não temos uma intenção clara. Quando você não sabe para que porto está indo, nenhum vento será o vento certo”. É um convite a nos tornarmos mais independentes e autônomos, a fortalecermos nossa autoestima e o amor próprio, a confiarmos na nossa própria luz e orientação interna, porque só assim teremos segurança e confiança para buscarmos relações mais saudáveis, porque estaremos inteiros em nós mesmos, buscando um outro também inteiro. Inteiro não significa perfeito, mas completo, característica da pessoa que se conhece profundamente e se aceita no que tem de melhor e de pior, porque o inteiro supõe a integração do negativo e positivo, da sombra e da luz. Semeemos pois, essas novas intenções e projetos, com autonomia, independência, audácia, arrojo e inovação! Devemos isso a nós mesmos, a ninguém mais!

Uma ótima Lua Nova de Áries e um ótimo ciclo para você!

Reprodução

(1) Reinhold Ebertin – The Combination of Stellar Influences – AFA

(2) An Astrological Mandala – Dane Rudhyar

A Semana Astrológica – Tempo de regeneração

Semana de 06 a 12 de março – Semana de Quarto Crescente, que convida a refinar nossa ação e nossos esforços, para que a colheita seja tão favorável quanto a promessa. É tempo de regeneração e de avanço!

Vênus ficou retrógrada em Áries implicando uma mudança grande e necessidade de revisão das relações e parcerias e na forma como vivenciamos nossa autoestima, nossos valores, como gerenciamos nossos recursos e como expressamos nossos afetos. Os próximos 41 dias trarão vivências, sentimentos e percepções acerca de como vivemos todas essas áreas de vida, permitindo que façamos as mudanças necessárias. Muitos atritos podem começar pela percepção de que há grande divergência de valores entre as pessoas, o que afeta o relacionamento e o sentimento de confiança e de respeito. Outra coisa que pode acontecer é nos deparar com o passado batendo à nossa porta, particularmente situações ocorridas há cerca de oito anos, de 06/03 a 1717/04 de 2009 ou mesmo mais distante, março/abril de 2001! Outras situações podem estar relacionadas a acontecimentos que ocorreram entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, quando Vênus ficou retrógrada em Capricórnio, retrogradando até o grau 13 do signo da Cabra, e agora Vênus entrou em retrogradação no grau 13° de Áries, quadratura exata àquele ponto estacionário de 31 de janeiro de 2014. É possível ressurgirem pessoas do passado, amores antigos ou apenas “crushes” não vividos, mas que nos obrigam a repensar muitas coisas, talvez até rever alguns valores, questionar algumas posturas… A sessão flashback pode nos fazer desencanar de vez das experiências não vividas, ou pode criar imbróglios na situação atual, levando a reflexões profundas. Mas é necessário ter muita prudência antes de se jogar de cabeça no passado – talvez não seja mesmo para reviver nada, apenas para nos fazer questionar nossos valores, fazer contrapontos entre o que foi e o que é… É possível que estejamos mais sensíveis e suscetíveis, portanto, é bom não levarmos tudo tão para o pessoal e nem ficarmos tão melindrados. Ser gentis conosco mesmos e com os outros pode aliviar a sensação de fardo e de incompreensão – vale lembrar que todo mundo tem suas feridas, suas carências e dúvidas acerca de si mesmo. Arianos em geral e particularmente quem tem Vênus em Áries, são mais afetados por esta retrogradação de Vênus.

Reprodução

O Sol recebe a conjunção Superior de Mercúrio já na segunda-feira, sinalizando o ponto alto de mais um ciclo das ideias e conceitos, da comunicação e dos pensamentos. Das 13h50min da segunda-feira às 05h08min da terça Mercúrio e sol estão em conjunção Cazimi, horas de insights novos e ideias ainda não aventadas. É como o porta-voz que chega para a autoridade para receber as instruções e objetivos para os próximos meses. Essa conjunção acontece entre os graus 16 e 17 de Peixes e pode ser muito positiva para quem tem planetas nesses gaus.

Alisha Lee Jeffers – Reprodução

Depois dessa conjunção Mercúrio dispara à frente do Sol, cumprindo a segunda metade do seu ciclo, até a próxima retrogradação que vai de nove de abril a três de maio. Mercúrio e Sol farão nesta semana sextil a Plutão e quincôncio a Júpiter, primeiro Mercúrio, depois o Sol. Ganhamos mais força e potência para correr atrás de nossos sonhos, propósitos e planos e podemos nos comprometer com eles de forma mais determinada. Contudo, mais para o fim da semana é preciso se acautelar com as as inseguranças que porventura nos aflijam e que nos fazem ir na direção oposta: tentar provar algo a todo custo, à revelia de nós mesmos e daquilo que vale a pena. Ter uma noção clara dos nossos limites pode ser bastante útil na hora que nos faltar o senso apropriado de proporção e de esforço que algo requer.

Almagnus – reprodução

Mercúrio ainda faz conjunção a Kíron e quadratura a Saturno, aspectos que o Sol fará somente na semana que vem. Mercúrio emaranhado com esses dois caras “da pesada” sugere que do meio da semana em diante há propensão a pensamentos sombrios, inseguranças, ansiedades, preocupações e pensamentos de menos-valia, que podem ficar ressaltados devido á retrogradação de Vênus, que já salienta esse tema. Mercúrio-Kíron pode nos ajudar a nos sintonizar mais com o sofrimento alheio, porque estamos muito cientes de nossas próprias dificuldades… a mente precisa lidar com as limitações do corpo e aceita-las. Já as inseguranças representadas por Saturno podem, na verdade, funcionar como um providencial choque de realidade para os sonhos maravilhosos e planos mágicos desse Mercúrio caleidoscópico. No sentido mais negativo, podemos ser presas de pessimismo, duvidar de nossas ideias, nos comunicar de forma vacilante, o que compremente o conteúdo da nossa mensagem… Mas, podemos também conter a nuvem de pessimismo e usar o choque de realidade para passar nossos sonhos pelo crivo da utilidade e da factibilidade. As utopias e teorias fantásticas são vistas com mais seriedade e prudência e de repente podemos ordenar melhor nossos pensamentos e discurso e a partir daí, estruturar melhor também os nossos planos.

Vênus e Marte, de Boticelli – Reprodução

Marte sai do campo de guerra Ariano e adentra os prados verdejantes e plácidos de Touro, permitindo-se talvez descansar e usufruir de alguns prazeres, depois das duras e grandes batalhas travadas recentemente. Contudo, nem tudo são flores, porque Vênus, regente de Touro está retrógrada em Áries, como já sabemos. Por um lado, o fato de estarem um no signo do outro ajuda, porque esta relação chamada Recepção Mútua diminui um pouco as debilidades inerentes ao fato de estarem em signos que não são favoráveis a eles, porque é como você ser obrigado a ocupar a casa do seu inimigo meio contra a vontade, mas se o outro também tem que morar numa casa que é sua, a situação fica mais equilibrada e igual, então, ao invés de brigar, talvez façamos alguma aliança, porque um depende do outro para funcionar adequadamente. Mas ainda precisamos lembrar que Vênus retrógrada está com sua ação de conciliadora e agregadora alterada. E lembrando da descrição clássica desse posicionamento, se por um lado, Marte em touro é mais ponderado, mais deliberado e calmo, por outro, às vezes podemos perder o timing das coisas, podemos nos apegar em demasia e podemos até ser preguiçosos, dependendo de outros fatores… Além disso, na hora de expressar nossos desejos e o instinto agressivo, podemos nos sentir bloqueados e passar a “engarrafar” a agressividade, algo que no longo prazo pode nos fazer implodir. Com Marte em Touro há maior cautela na ação; analisamos mais antes de tomar as atitudes; estamos mais conectados com o corpo e com nossos sentidos e estamos empenhados em construir algo durável. É um posicionamento de grande estamina e força. Mas o fato de Vênus estar retrógrada nos alerta que este marte continua explosivo, só não está mais tão direto quanto estava em Áries, o que de certa forma, torna o cenário mais perigoso em certas situações.

The Ultra Linx – Reprodução

A Lua entrou na fase do quarto Crescente no domingo, dia cinco, em Gêmeos. Começa a semana ainda em Gêmeos. Empodera-se m Câncer e entra na fase Corcunda já em Leão, na quarta-feira. Será Cheia no domingo, dia 12, a 22°13’ de Virgem, às 11h54min, culminando o ciclo Pisciano. Na sua caminhada pelo zodíaco ela faz aspectos diversos com todos os demais corpos celestes.

Reprodução – Desconheço o autor

SEGUNDA-FEIRA, 06 de março – A Lua Geminiana está em quadratura a Kíron na virada da segunda e também se opõe a Saturno em Sagitário ao raiar do dia, harmonizando-se com Marte logo depois – Marte, que acabou de fazer sextil a Saturno, horas antes. A Lua fica fora de curso depois da conversa com Marte, às 05h23min e ingressa em Câncer às 09h55min, onde fica muitas horas a portas fechadas digerindo seus conteúdos. A noite pode trazer um sono conturbado e pesado e a manhã começa meio arrastada, cheia de ideias e falatórios, mas com uma ação desprovida de prop´sotio, portanto, é bom maneirar no entusiasmo logo cedo e começar contendo as falas desnecessárias e focando nos planos, pondo agendas em ordem e alinhando processos. Pelo meio da manhã o ímpeto muda e nos sintonizamos com os propósitos que antes eram difíceis de acessar. Sentimentos refinados, colocamos o coração nas nossas ações e nos empenhamos em dar nosso melhor, cuidando, protegendo e nutrindo nossos objetivos e também as pessoas envolvidas neles. O dia está, pois, favorável a nos dedicarmos a coisas caras ao nosso coração, a nos devotar a algo que venha a nutrir nossa alma e nos alimentar de novo entusiasmo. As sensibilidades estão afloradas, mas isso pode ser usado em nosso favor, de modo que podemos ficar mais observadores, mais perspicazes emocionalmente, algo que pode nos ajudar a nos aproximar dos outros com mais verdade e naturalidade, solidarizando-nos e oferecendo apoio e ajuda, se isso se fizer necessário, ou também buscando o suporte de que tanto precisamos – aluns podem preferir se enfiar em suas tocas e se concentrarem nas suas tarefas… contato que não sejam motivados por alguma birra inexplicável, também está tudo bem!

Almagnus – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 07 de março – De Câncer a Lua se afina com Netuno em Peixes, mas faz quadratura a Vênus retrógrada em Áries, oposição a Plutão em Capricórnio, quadratura a Júpiter em Libra e a Urano em Áries, formando, é claro, uma Grande Cruz Cardinal incendiária, que dinamiza e põe fogo no dia e na noite, embora o aspecto a Urano só fique exato no dia seguinte. Como ajuda, a Lua faz trígonos ao Sol, a Mercúrio e a Kíron. Mercúrio está em sextil a Plutão. Um dia para lá de dinâmico e movimentado, cheio de atividades febris que não nos dão trégua e que, a despeito das muitas pressões, também trazem à tona o nosso melhor: nossa capacidade de enfrentar nossos medos junto com a necessidade de lidar com os problemas de forma direta. Por mais que nos sintamos frágeis e quebradiços, há coisas demais acontecendo ao redor, de modo que precisamos ser resilientes e, a despeito das nuvens sombrias lá fora, ainda precisamos regar o que é preciosos aqui dentro. Necessidades pessoais e emocionais precisam ser equilibradas com demandas mundanas; afetos precisam ser equilibrados com a necessidade de independência e autonomia; vinculação, balanceada com a liberdade; carências emocionais resolvidas por nós mesmos, porque talvez outros não estejam disponíveis para nos dar colo – ou talvez não queiram. O fato é que o dia demanda muita maturidade, equilíbrio, compostura e sobriedade para não afundarmos nos dramas emocionais ou nas crises eventuais que possam ocorrer. É o caso de ninar o bebezão dentro de nós enquanto respiramos e sorrimos serenamente para o interlocutor à frente, enquanto gostaríamos, talvez de mandá-lo às favas. Mas o dia traz também a capacidade de vermos além dos nossos próprios problemas – mesquinhos ou não – e perceber, de novo e mais uma vez, que todos têm seus dilemas e crises e jogar nossas frustrações no outro não só não vai resolver, obviamente vai piorar tudo. E pode ser que haja situações em que podemos oferecer esse olhar compreensivo e amoroso, que acolhe e ampara. Em outras, talvez tenhamos que ser duros e enfáticos, para não permitir abusos, manipulação ou mesmo intimidação contra nós. O pulo do gato é saber distinguir entre uma situação e outra: o que precisa de cuidado e nutrição e o que demanda atitude drástica, o que merece adubo e o que precisa de poda – e quando entendemos isso, embora as tarefas continuem inúmeras e muito absorventes, elas já não precisam nos oprimir, antes poderão nos dar prazer! Ah! E claro, pode ser que nós é que incorramos nessas atitudes abusivas e precisemos ser colocados no nosso “devido lugar”.

Tae Lee – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 08 de março – A Lua Canceriana formaliza a quadratura a Urano na primeira hora do dia, depois também faz trígono a Kíron, quincúncio a Saturno, sesqui-quadratura a Netuno e quadratura a Marte, ficando vazia depois desse contato, às 10h08min. Ingressa em Leão às 13h46min, de onde faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda. Mercúrio está em sextil exato a Plutão. É Dia Internacional da Mulher e a Lua, super feminina e empoderada em Câncer, trava uma briga feia contra os grilhões de imposições e cerceamentos. A Cruz Cardinal formada ontem permanece armada por várias horas no início do dia de hoje e ainda reverbera, de forma que o dia começa bastante tenso, em ponto de bala ou de caldeira. Masculino e Feminino digladiam em vários níveis, que não precisam chegar às vias de fato, mas podem suscitar conscientização em várias frentes. A Lua está espremida nessa Grande Cruz, além de ainda fazer outros contatos com outros planetas tensos, bastante simbólico para a situação da mulher ao longo das eras, mas principalmente agora, quando ela ainda se sente oprimida pelas diversas cobranças sociais – e dela mesma – de ser a mulher perfeita: mãe maravilhosa, profissional excelente, amante fantástica, amiga presente, ativista consciente, descolada, malhada, jovem, bem-sucedida, transbordando felicidade e realização suprema pelos poros. #SóqueNão. As cobranças podem vir de fora, mas são autorizadas dentro de nós, porque no fundo ainda precisamos resolver muito das culpas, inseguranças e medos ancestrais que carregamos, herdados das nossas mães e avós e toda as outras que vieram antes. A emancipação começa dentro, ao lidarmos com nossas inseguranças e carências, ao lembrarmos que somos humanas, antes mesmo de sermos mulheres. Ao nos recusarmos a atender a todas essas exigências, quando elas não fazem sentido para nós, realmente. Uma coisa é querermos melhorar sempre, é buscarmos crescer e ser melhores pessoas. Outra coisa é essa corrida desenfreada, essa exaustão na busca de padrões que não nos dizem nada e só nos deixam infelizes. Repensar padrões e rebentar com aquilo que não faz dançar o nosso coração. Em termos mais práticos, o dia pede sobriedade porque a maré está cheia, transbordante e podemos nos afogar se não soubermos fluir – dito de outra forma, as caldeiras estão ferventes e podemos sair queimados. Há muita pressão e situações que demandem atitudes imediatas e talvez um tanto drásticas para serem realmente resolvidas. Ser honesto com os próprios sentimentos e expectativas criadas em relação a outros é essencial para lidarmos com as possíveis frustrações do dia, porque não conseguimos tudo o que queremos e precisamos lidar com isso – mas não, o mundo não vai acabar por causa disso também. Podemos nos deparar com situações diversas de dramas, crises, tantruns e infantilidades – nossos ou de outros. Respirar fundo, tentar manter a calma e buscar se distanciar um pouco da situação pode ajudar a distinguir o que é uma crise verdadeira e o que é apenas mimimi, a ver as coisas com mais clareza para saber qual a melhor atitude no momento.

Shiori Matsumoto – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 09 de março – o Sol Pisciano está em sextil pleno a Plutão em Capricórnio e Mercúrio em quincúncio exato a Júpiter. O Sol também se aproxima de conjunção a Kíron, enquanto ainda se afasta da conjunção a Netuno. Enquanto isso, a Lua Leonina faz sesqui-quadraturas a Saturno e a Kíron, que estão em quadratura entre si e a Lua vira foco de um Martelo. A soberana Lua ainda faz quincúncio a Netuno e trígono a Vênus Rx em Áries, quincúncio a Plutão e ao Sol, que estão harmonizados e assim ela vira foco de um Yod-Dedo de Deus. Marte ingressa em Touro às 21h34min. O dia traz a oportunidade de renovarmos nosso poder e a maneira como o expressamos, entrando em contato com partes profundas de nós que nos abastecem de nova vitalidade e nova confiança em nossas capacidades. A despeito disso, as emoções e sentimentos estão sob pressão, de maneiras diversas ao longo do dia. Percepções conscientes e influências inconscientes nos deixam desconfortáveis e talvez tirem a espontaneidade e a desenvoltura da criança dentro de nós, de modo que trabalhamos e nos movemos pelo mundo com a sensação de algo desencaixado e fora de lugar, embora não saibamos direito o que pode ser ou como encaixar esse “algo”. Se conseguimos aceitar que o desencaixe também pode ser criativo e que não precisamos estar sempre alinhados para funcionar, talvez possamos transformar o desconforto em estímulo que nos impulsiona a criar, a modificar atitudes, a ficar abertos às mensagens subliminares e.. voilá, quando menos esperamos, identificamos a origem do incômodo: o medo da nossa própria força, o medo de exercê-la em demasia ou de suprimi-la, o medo de não sermos plenamente aceitos e apreciados se nos mostrarmos com nossas idiossincrasias. E podemos aprender que a força e o poder não precisam ser brutos e nem contraditórios. E que há mesmo um poder que nasce da gentileza, uma gentileza que nasce da força e da solidariedade, uma força que nos regenera e nos anima a seguir em frente, a despeito de todos os desafios e dificuldades.

Reprodução – Desconheço o autor

SEXTA-FEIRA, 10 de março – O quincúncio Lua-Sol fica exato na madrugada. A Lua segue adiante e faz sextil a Júpiter, quincúncio a Mercúrio e Kíron, que estão hoje em conjunção partil. Temos um Grande Trígono de Fogo formado por Lua em Leão, Saturno em Sagitário e Urano em Áries por toda a manhã e começo da tarde. A Lua fica vazia às 14h06min depois do trígono a Saturno e ingressa em Virgem somente às 19h08min, fazendo logo um trígono a Marte, conjunção ao Nodo Norte e quadratura a Lilith. Temos alguns desafios interessantes hoje, dentre eles, a integração de partes obscuras de nós mesmos, assim como de sentimentos viscerais e desgovernados… Como essas influências ficam ativas na madrugada, é possível que as vivenciemos através dos sonhos. De manhã, o resultado é que talvez nos sintamos mais confiantes e serenos e aptos a enfrentar as eventuais agulhadas de insegurança que apareçam com menos ansiedade e mais tranquilidade. O resto do dia traz possibilidades de fazer brilhar nossa originalidade e criatividade de forma também segura, unindo ideias e mundos que antes pareciam difíceis de conciliar. Isso pode nos trazer também uma alegria genuína de quem consegue expressar os dons do coração com maestria, aceitando eventuais imperfeições, porque são inerentes à humanidade. E assim o dia pode ficar alegre, criativo e bastante produtivo, se soubermos tirar proveito! A Lua fica vazia depois de Saturno e a criança dentro de nós pode tirar algumas horas para refletir e fazer as pazes com o Pai, o Velho, que não precisa ser carrasco e talvez até nos surpreenda com algumas histórias de outros tempos, outras eras… À noite nos alinhamos e centramos com nossos rituais e nos conectamos mais profundamente com os desejos e com a forma de ir atrás deles, organizadamente.

SÁBADO, 11 de março – O Sol Pisciano faz quincúncio exato a Júpiter em Libra. Vênus retrógrada em Áries recebe quincúncio da Lua Virginiana, que também se opõe a Netuno em Peixes. A sensação de desencaixe do outro dia talvez volte hoje, por motivos diferentes. Há muito entusiasmo consciente, embora haja também dificuldade de controlar esse entusiasmo, em ter moderação ou em expressá-lo de forma regular, de modo que ele vai e vem e nos deixa um tanto ansiosos, talvez confusos, ponderando sobre estratégias de controle dos nossos humores, do júbilo pelos nossos objetivos e das nossas emoções e sentimentos vacilantes e incompreensíveis. Se falhamos em manter nossa motivação em alta, somos presas de auto-criticismo, que talvez piore um pouco as coisas e entramo num círculo vicioso difícil de parar. E o corpo sofre com tudo isso. Antes de mais nada precisamos parar e verificar o que nos escapa, porque estamos nos esforçando tanto para servir ou agradar a outros, quando nós mesmos estamos fora de sincronia… aliás quem causa o quê? Estamos fora de sincronia porque nos esforçamos demais ou nos esforçamos demais porque estamos fora de sincronia? Não importa, mas é preciso fazer algo diferente para sair do círculo vicioso e para isso precisamos parar e observar a nós mesmos e a nossos processos, de forma justa, porém sem julgamentos.

Shiori Matsumoto – Reprodução

DOMINGO, 12 de março – De virgem a Lua faz trígono a Plutão em Capricórnio e oposição ao Sol, culminando o ciclo na Lua Cheia de Virgem, a 22°13 deste signo. A Lua Cheia ocorre em oposição a Kíron e quadratura a Mercúrio e a Saturno, que é foco de uma T-Square Mutável. Mercúrio está em quadratura exata a Saturno. A Lua fica vazia às 21h26, depois da quadratura a Saturno. Uma Lua Cheia de cura e regeneração celebra a culminação do ciclo Pisciano. Mas para alcançarmos as dádivas da cura, precisamos primeira enfrentar nossa fragilidade, nossas inadequações e inseguranças mais profundas, nossos conceitos evasivos e nossa falta de comprometimento conosco mesmos, além da destrutividade em potencial que espreita a mente e o coração, minando a autoconfiança, a segurança em si mesmo, a aposta no próprio poder e capacidade. Essa lunação nos deixa, então, em carne viva e é preciso cautela porque a via de escape para muitos será a ajuda indiscriminada ao outro, para fugir da própria dor e do próprio desespero. Para outros, esse escape pode se dar pelas tentativas de controle do entorno, qualquer coisa que faça passar a ansiedade e o desconforto com o corpo e os sentimentos… mas nada disso funciona por muito tempo e só conseguimos superar quando acalmamos a ansiedade e aninhamos em nosso coração as dores não admitidas, os medos não expressos do caos, do amanhã, da nossa própria irracionalidade. Um mergulho nas motivações inconscientes se faz necessário. Esse é o caminho e ele não se faz num dia só, mas começar e manter o ritmo, eis o que é importante. Mais sobre a Lua Cheia durante a semana.

Uma ótima semana, de luz e esperança para todos!

Alexander Bell on flickr – Reproduão

Alisha Lee Jeffers – Reprodução

A Semana Astrológica – Um pouco mais de paciência…

Reprodução

Reprodução

Semana de 16 a 22 de janeiro – A Lua Minguante dá o tom da semana, indicando dias de reflexão, avaliações, limpezas e finalizações de processos. Mas há também desafios e entraves.

Esta semana começou melindrosa e segue com muita sensibilidade e abertura psíquica, simbolizadas pelos planetas interiores trafegando Peixes (Vênus e Marte) fazendo contatos com Quíron, expondo muitas de nossas fragilidades, um movimento que pode ser doloroso e melindroso por um lado, mas que por outro, pode nos ajudar também a enfrentar nossas vulnerabilidades, oferecendo a chance de nos reconciliarmos com elas, tornando-nos, como consequência, mais compassivos e empáticos no trato com as outras pessoas com quem convivemos. Para quem está muito inconsciente dos próprios processos e feridas internas, tais configurações podem dificultar as relações e abrir novas lesões emocionais.

Desconheço o autor - Reprodução

Desconheço o autor – Reprodução

Tal suscetibilidade é potencializada porque Marte também faz quadratura a Saturno, indicando um período em que precisamos cair na real acerca de alguns desejos por demais fantasiosos, com pouca ou nenhuma possibilidade de se realizarem. Andamos tentando abocanhar demais em nossa voracidade e, de repente, nos encontramos presos numa rede para a qual talvez tenhamos nadado inadvertidamente; ou então andávamos sonhando com um mar de grandes conquistas e vitórias, quando na verdade, nosso barco é frágil por demais para encarar a tempestade e o muro de ondas poderosas, que podem nos fazer naufragar, a nós e à nossa vontade.  Em termos práticos, este movimento sugere bloqueios, dificuldades e atrasos na realização da nossa vontade, particularmente no que tange às atividades criativas – artistas, por exemplo, podem se sentir bloqueados e travados na execução de suas ideias e elaborações.

Brooke Shaden Photography - Reprodução

Brooke Shaden Photography – Reprodução

Esses bloqueios levam a possíveis frustrações e sensação de se estar atolado na lama, uma sensação potencializada pelo desânimo e falta de energia que pode se manifestar em alguns dias. Sempre que Saturno está ativo dessa forma, precisamos lembrar de respeitar o tempo, seja o cronológico, seja o histórico ou o psicológico e pessoal… O tempo da alma não pode ser medido por relógios, não é contado em dias ou minutos e, às vezes, estamos tão imersos em nossos compromissos e objetivos mundanos, que nos esquecemos dessa verdade sutil, mas contundente. Assim, os atrasos ou bloqueios que porventura enfrentemos, vêm apenas nos lembrar que a vida e o tempo são mais sábios; que talvez tenhamos esquecido algum detalhe importante; que certas coisas precisam ir devagar, precisam de vagar e paciência.

Desconheço o Autor - Reprodução

Desconheço o Autor – Reprodução

Paciência é artigo de primeira necessidade por esses dias e, embora a canção nos lembre que a vida não para, ela igualmente nos lembra que a vida é tão rara! (Lenine) e, mais frequentemente do que gostaríamos, nós nos esquecemos disso também. Assim, os atrasos talvez sejam simplesmente o universo dizendo: “Calma! É devagar que a vida vai dando certo!” – filosofia de imã de geladeira – portanto, podemos bem aproveitar os entraves para apreciar melhor aquelas coisas que normalmente nos passam despercebidas e para nos reconectar com o nosso tempo interno, esse tempo da alma, que foi quem, em última instância “causou” o tal bloqueio, para que tívessemos uma desculpa “nobre” para desacelerar – quem for esperto, agarrará essa oportunidade; quem não for, insistirá e poderá dar com os cavalos ou os burros n’água lá na frente e se expor a mais dificuldades e, quem sabe até, a acidentes! O acidente sempre vem nos alertar que deixamos de respeitar algum sinal da nossa alma – às vezes, vários – sobre alguma atitude ou situação às quais precisávamos prestar atenção. Como Marte também está em quincúncio a Júpiter, essa propensão a acidentes aumenta, pela natureza dos planetas e do aspecto, que adicionam precipitação, afobação, excesso de confiança, dificuldade de medir as consequências e falta de senso de proporção. Portanto, um pouco mais de paciência e cautela, cuidado e compaixão consigo mesmo, são essenciais nesta semana. OBS: Indivíduos com planetas ou ângulos natais entre os graus 18 e 28 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) sentem mais fortemente o efeito dessas configurações.

Reprodução

Reprodução

Saturno, o Senhor do Tempo, por sua vez, também está ativando sobremaneira a Quíron e, sendo este um trânsito lento e mais pesado, tendemos a senti-lo mais fortemente quando os planetas mais rápidos o enfatizam dessa forma, daí o aumento na suscetibilidade e nos melindres.

Mercúrio, trafegando a zona de retrogradação em Capricórnio, também faz um contato com Netuno, adicionando água a um copo que já estava transbordando. Mas Mercúrio e Sol em Capricórnio ajudam com alguma contenção na administração de tantos sentimentos e fragilidades – na verdade, os planetas em Peixes tornam o Sol e o Mercúrio Capricornianos mais humanos e compassivos.

Desconheço o Autor - Reprodução

Desconheço o Autor – Reprodução

O Sol ingressa em Aquário na quinta, dia 19. De propósitos conservadores e orientação tradicionalista, o Sol muda para uma vibração inovadora, futurista e rebelde. É tempo de roubar mais alguns segredos da Natureza, de roubar o Fogo dos Deuses, de experimentar, para aspirar a novos futuros e outras possibilidades, que não aquelas que já não animam nem entusiasmam nosso coração e o espírito arrojado e reformador. O Sol em Aquário aponta para um período de novas perspectivas; de deixar para trás as ideias estreitas, a estagnação, o medo do novo e a busca excessiva por poder e aceitação social; de quebrar regras, particularmente aquelas que parecem sem sentido ou ultrapassadas; de nos importarmos mais com a comunidade humana e as questões coletivas; de termos uma perspectiva mais objetiva e desapegada dos nossos problemas pessoais e lembrarmos que muitos deles são universais, portanto, não podemos buscar soluções somente para nós e nosso pequeno núcleo, antes precisamos ter maior consciência de grupo, maior fraternidade. Entram em foco os valores da liberdade, igualdade e fraternidade, além haver maior ênfase sobre os avanços tecnológicos e científicos. O sol ingressa em Aquário na quinta, 19, às 19h24min no horário de Brasília e às 21h24min no horário de Lisboa. O sol fica em Aquário até o dia 18 de fevereiro, quando ingressa em Peixes.

Dani Lopez - Reprodução

Dani Lopez – Reprodução

Vênus segue sonhadora e etérea pelo signo de Peixes, tornando-se mais visceral e passional nestes dias, devido a um contato harmônico com Plutão. Isso favorece a intimidade e a cumplicidade entre os casais. De forma mais prática, esse contato traz alguma sagacidade à crédula Vênus Pisciana, de modo que temos melhor feeling para lidar com os negócios, investimentos e administração financeira.

moon waning

Reprodução

A Lua abre a semana em Virgem, na fase Cheia-Disseminadora. Entra na fase Minguante em Escorpião, fazendo quadratura ao Sol, já em Aquário, na quinta-feira. Fecha a semana em Sagitário, tornando o domingo mais animado, dinâmico e otimista. Na sua viagem de encontro ao Sol e a um novo ciclo, ela conversa com todos os demais corpos celestes, harmônica ou belicosamente, simbolizando nossas mudanças de ânimo, humores e interesses. A Lua será Nova a 08°15′ de Aquário, no dia 27 de janeiro, às 22h08min no horário de Brasília e à 00h08min no horário de Lisboa.

Reprodução

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 16 de janeiro – Marte está em conjunção plena a Quíron hoje. A Lua está na fase Disseminadora, trafegando o signo de Virgem. Na madrugada faz oposição a Vênus em Peixes. Durante o dia faz trígono a Plutão em Capricórnio, quincúncio a Urano e potencializa a conjunção Marte-Quíron ao fazer oposição a ela e quadratura a Saturno, formando uma T-Square Mutável, da qual Saturno é o foco. A Lua fecha a noite em trígono ao Sol, exato amanhã – Segunda-feira típica, que começa com a corda toda, cheia de obrigações e afazeres, tarefas e compromissos, com os quais não discutimos porque estamos cientes que seria em vão e também porque estamos cheios de energia, que precisa ser devidamente canalizada – embora lá no fundo incongruências possam surgir no fluir dessa rotina. Pelo fim da manhã o clima vai ficando tenso e volátil, devido a inseguranças que começam a minar o humor e a tranquilidade, deixando-nos suscetíveis e irritáveis e nos sentimos, então, andando numa corda bamba de situações espinhosas. Criticismo – interno ou externo – dúvidas e incertezas acerca de projetos e decisões comprometem a efetividade dos mesmos e podemos até pôr tudo a perder, numa atitude equivocada e intempestiva, da qual nos arrependeremos depois. Talvez, tentando consertar ou contornar as tais situações espinhosas, criemos algum constrangimento para nós ou para outros, o que nos deixa envergonhados, seja por nos sentirmos expostos, seja por nos sentirmos mesquinhos ou um tanto vis nas táticas que usamos para atingi-los – a sensação de insegurança e exposição leva a uma defensividade afiada. Ocorre que o dia traz uma percepção muita aguda de nossas frustrações, bloqueios e inadequações, especialmente frustrações antigas que são acordadas por alguma situação nova, de forma desavisada e nos faz sentir vulneráveis, como se fôssemos tropeçar, a qualquer momento, nos nosso próprios espinhos internos. Entretanto, embora o dia traga esse potencial de ferir ou ser feridos, de nos expor a situações embaraçosas inadvertidamente, também traz um enorme potencial de identificarmos como se manifestam e se desdobram nossas inseguranças mais profundas, propiciando um novo entendimento e compreensão acerca da nossa natureza e nosso lado mais instintivo e, consequentemente, de aceitarmos essa nossa faceta mais frágil e trôpega e nos reconciliarmos com ela. Para isso, é preciso estarmos atentos à defensividade cega, que apenas reage, possivelmente com golpes baixos, às mínimas sensações de “ameaça”, especialmente àquelas mais infundadas. Se nos mantivermos conscientes de nossos processos, poderemos usar as influências do dia de forma criativa e positiva, buscando entendimento e aceitação, ao invés de criarmos alienação e mágoas nas relações – nossa vulnerabilidade, se admitida para nós mesmos honestamente, pode ser um meio de nos aproximar, ao invés de nos afastar das outras pessoas. Contudo, nos momentos de fragilidade mais aguda, talvez valha a pena nos retirarmos temporariamente para nos recompor e analisar a situação com frieza e distanciamento, sem ter que levar tudo para o lado pessoal. No final, adequadmente canalizados, todos os aparentes “revezes” podem resultar em crescimento e maturidade, tanto internamente, quanto nas nossas interações.

Desconheço o Autor - Reprodução

Desconheço o Autor – Reprodução

TERÇA FEIRA, 17 de janeiro – A Lua abre o dia em Virgem, em trígono ao Sol em Capricórnio, ficando vazia depois deste aspecto, às 04h12min. Ingressa em Libra às 09h16min, de onde faz quadratura a Mercúrio em Capricórnio. Marte segue conjunto a Quíron e já muito próximo ao quincúncio a Júpiter. Vênus se aproxima do sextil a Plutão. O dia começa de maneira tranquila, enquanto recorremos aos nossos rituais matinais para nos colocarmos no eixo, para resgatarmos um sentido de ordem e organização do nosso ritmo interno e da nossa agenda mundana. Mais, tarde, a Lua ingressa em Libra, sinalizando um período de buscar mais equilíbrio nas relações, na gestão da nossa energia, na atenção que damos a nós mesmos e aos outros… Pelo meio da tarde esse equilíbrio é quebrado por desavenças e contradições entre nossas necessidades por harmonia, beleza e simetria versus alguns ditames externos que cobram praticidade, economia e sobriedade. Esse conflito pode ser expresso externamente e atrapalhar a comunicação entre as pessoas, particularmente no ambiente de trabalho ou mesmo nas relações e parcerias. É importante usarmos de honestidade, mesmo que que não queiramos ferir os brios de ninguém, porque se fingirmos que está tudo bem, quando deveríamos falar, podemos sentir como se nos boicotássemos a nós mesmos e isso fatalmente comprometerá a autoestima e o senso de equilíbrio, tão caro para nós. Apelar para o sarcasmo ou indiretas, além de ser não muito honesto, pode até piorar a situação e a atmosfera geral e aumentar um conflito que não precisa ser tão sério, caso saibamos conter nossas suscetibilidades, defensividade, irritação, senso de autoimportância e receio das opiniões alheias. É possível também experimentarmos uma certa indecisão em relação a compromissos ou outras escolhas que precisemos fazer, porque a cabeça quer uma coisa e o coração precisa de outra e a função do ego é achar o equilíbrio entre os dois, fazer a afinação adequada, a sintonia fina entre essas duas funções importantes. Se, por um lado, precisamos conter um bocado do idealismo exacerbado que nos acomete por esses dias, por outro, também precisamos temperar nossas ideias e propósitos com uma boa dose de beleza e sensibilidade. Em caso de indecisão, a dica é sempre voltar aos nossos valores básicos pessoais, aqueles que fundamentam nossa ação e nossa atitude. Os valores atualmente são de primar pela bondade, a empatia, a beleza e as opções mais criativas, para temperar a necessidade de funcionalidade e economia!

Desconheço o Autor - reprodução

Desconheço o Autor – reprodução

QUARTA-FEIRA, 18 de janeiro – Marte está em quincúncio exato a Júpiter hoje, enquanto se afasta da conjunção a Quíron e se aproxima da quadratura a Saturno. A Lua Libriana também faz quincúncios a Netuno e a Vênus em Peixes, enquanto briga ainda mais feio com Plutão em Capricórnio e fecha a noite em contatos beligerantes a Urano e a Quíron, mas em conjunção a Júpiter, formando um belíssimo par na madrugada, no horizonte Leste. Marte e Quíron também estão em quincúncio a Júpiter. O dia traz tensões e incongruências complicadas de sanar, porque há uma grande dificuldade na distribuição da nossa energia, uma vontade que oscila demasiado, ora querendo algo com intensidade, ora perdendo o ânimo completamente, para não falar da sensação de inadequação, insegurança e até impotência, que talvez aflija a muitos. Necessitamos tanto de harmonia e prumo e, no entanto, o senso de proporção está capenga, a sensibilidade exacerbada e nós nem sabemos direito o porquê de estarmos tão espinhosos. Temos aquela sensação, um pressentimento de algo fora do lugar, algo errado, embora não saibamos definir exatamente o quê. Há uma forte tendência a comportamentos impulsivos – e compulsivos – o que acende um alerta vermelho para o risco de acidentes causados por imprudência e frustrações mal resolvidas, portanto, faremos bem se contivermos atitudes intempestivas e irrefletidas. Antes de qualquer coisa, é preciso parar e olhar no espelho com seriedade e integridade e admitir para si os próprios sentimentos tumultuados, quaisquer que sejam eles: medo, vergonha, culpa, raiva, frustração, tristeza ou qualquer outro. Porque, se não empreendemos esse confronto conosco mesmos, iremos “transpirar” esses sentimentos e sensações, contaminando as interações e talvez entrando em conflito com pessoas próximas, conhecidas, ou até com estranhos e os resultados serão, possivelmente, mais desagradáveis. Assim, antes de seguir no percurso, talvez tenhamos que parar e retirar a pedra do sapato, o espinho ou o prego enfiado no pé, a dilacerar a carne e a comprometer nosso avanço. A parte boa é que, quando precedemos com esse confronto interno, podemos nos surpreender e descobrir que as coisas são bem mais simples do que pareciam a princípio – a maior parte das vezes nós exageramos muito o tamanho dos problemas e hoje, definitivamente, é um dia propenso a exageros. Às vezes, as coisas PARECEM mais difíceis do que realmente são, porque, da mesma forma que fantasiamos com maravilhas, também fantasiamos com coisas terríveis que, felizmente, só acontecem na nossa imaginação. Por mais que os problemas sejam sérios, talvez se tornaram maiores porque adiamos esse confronto, adiamos a resolução e a decisão necessárias. De qualquer forma, devido à falta de clareza que colore os dias, se não temos certeza de qual atitude adotar, talvez seja melhor mesmo esperar um pouco, pesar todas as alternativas e, quando nos sentirmos mais seguros e livres, fazer o movimento adequado. Descartes diria:”Deve-se evitar toda precipitação e todo o preconceito ao se analisar um assunto e só ter por verdadeiro o que for claro e distinto”.

Reprodução

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 19 de janeiro – Marte em Peixes está em quadratura plena a Saturno em Sagitário. A Lua torna exata a oposição a Urano em Áries e os quincúncios a Quíron e a Marte. A Lua também faz conjunção a Júpiter e sextil a Saturno, ficando fora de curso depois deste aspecto, às 06h57min. O SOL ingressa em AQUÁRIO às 19h24min e logo recebe quadratura da Lua, que ingressa em Escorpião às 20h10, entrando na fase MINGUANTE – A madrugada fica tumultuada, tingida de inquietude e ansiedades que talvez perturbem o sono. Assim, é possível que a manhã comece meio densa, mas precisamos sacudir a ansiedade, fincar os pés no chão e unir as partes, dentro de nós, que parecem desconjuntadas – e nem precisamos nos apressar porque temos o dia inteiro para isso! A Lua está vazia por todo o dia, depois de ter se harmonizado com Saturno, propiciando muitas horas de reflexão sobre os usos que temos dado para o nosso tempo, se há equilíbrio nesse uso, se há cooperação ou resistência com o fluxo da vida. A brandura das horas vazias se faz necessária para abrandarmos a irritação e a impaciência geradas pelos estorvos,  imprevistos e possíveis obstruções à realização dos planos, que porventura experimentemos durante o dia ou na semana. Sentimo-nos, talvez, como o grande peixe se debatendo na rede do pescador. Mas o que não tem remédio, remediado está, diz o ditado. É como aquele outro trocadilho/ditado antigo: você só precisa se preocupar com uma coisa. Ou você tem problema ou não tem problema. Se não tem problema, ótimo, não tem problema. Se tem problema, precisa saber se o problema tem solução. Se o problema tem solução, por definição, não é um   problema; se não tem solução, também não, porque não há o que se fazer! Sim, às vezes precisamos pensar simples e objetivamente! E ter paciência, muita paciência!

Reprodução

Reprodução

É interessante notar que a Lua “pula” um signo na sequência em que o Quarto Minguante vinha acontecendo. O último que tivemos, em dezembro, ocorreu na quadratura Virgem (Lua) Sagitário (Sol). Agora, a sequência natural seria Libra-Capricórnio, mas isso não ocorre… Talvez porque esse par de signos tenha em comum o apreço pela civilidade, pelos códigos sociais, pelo que é adequado e apropriado socialmente… Será que estamos num momento em que já processamos e assimilamos os questionamentos e a fricção inerentes a esse ângulo? O fato é que pulamos direto para o ângulo Escorpião-Aquário e ocorrendo aqui, o Quarto Minguante simboliza a necessidade de abandonar o desejo da posse emocional, em nome de maior confiança mútua e do desapego; abandonar o desejo de controle que tanto enrijece a vida, estagna os sentimentos e interações; liberar-se da desconfiança e a paranoia que tanto previnem encontros que poderiam tornar a vida mais leve; abrir mão da insistência em permanecer no nível meramente instintivo, ao invés buscarmos a integração com a mente e valores mais elevados; sobretudo, eliminar os sentimentos estagnados e tóxicos, as culpas, ressentimentos, rancores e vinganças, há muito prescritos, mas que insistimos em renovar na caderneta da amargura, que cultivamos e acarinhamos como preciosidades e que tornam putrefatos o coração e a alma, tornando-nos cínicos e amargos e contaminando assim, todas as nossas relações. Verifique você, o que mais precisa eliminar da sua vida, de acordo com a casa do mapa em que o minguante ocorre.

Brooke Shaden Photography - Reprodução

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 20 de janeiro – É dia de Vênus e ela hoje está em destaque, travando uma conversa intensa com Plutão em Capricórnio. A Lua está minguante em Escorpião e se harmoniza com Mercúrio e mais tarde, com Netuno. A influência do dia tem um duplo tom de Escorpião, pelo trânsito da Lua e pelo aspecto Vênus-Plutão. Estando os dois “planetas” femininos tão passionais e intensificados, mulheres, particularmente, podem se sentir mais vigorosas e cheias de estamina, seja física, emocional ou mesmo sexual. Por outro lado, Marte, o planeta masculino, não está em grande forma, navegando por Peixes, signo que não lhe é particularmente favorável, e em quadratura a Saturno. A energia masculina está meio em baixa e talvez isso crie algum descompasso nas relações íntimas, se os parceiros não tiverem empatia e compreensão quantos aos dilemas um do outro. A Lua também é regida por Marte, que está nesse estado um tanto melindroso, o que nos deixa potencialmente mais defensivos quanto às nossas emoções e sentimentos, tendendo a uma maior reserva e ciúme da nossa subjetividade. Ciúmes e sentimentos de posse, aliás, também estão no menu do dia! Olhando de forma mais positiva, a Lua de Escorpião favorece a digestão e processamento emocionais das dificuldades que por acaso tenhamos vivenciado durante a semana e favorece ainda a depuração, incineração e eliminação dos restolhos tóxicos remanescentes dos embates, especialmente por estar na fase minguante, a fase das finalizações. Há coisas que talvez seja melhor deixar minguar morrer, do que insistir na espera.

Danielle Richard - Reprodução

Danielle Richard – Reprodução

SÁBADO, 21 de janeiro – De Escorpião a Lua se harmoniza com Plutão em Capricórnio e com Vênus em Peixes. À tarde, ela se irrita com Urano, mas também se engaja em conversas sensíveis com Quíron e com seu dispositor, Marte, ambos em Peixes e fica vazia depois do contato com Marte, às 23h25min. Depois da semana carregada, merecemos um bom descanso, um retiro providencial, uma solitude – coisas nos permitam nos refazer e regenerar. O dia está mais que propício a isso e seremos tolos se não aproveitarmos a oportunidade para tal. Embora o Sol esteja no gregário e ultra sociável Aquário, as companhias precisam ser escolhidas a dedo – se é que queremos companhia! –  porque os contatos são intensificados e tudo o que não for genuíno e profundo, nos deixará com a sensação de termos sido lesados nas nossas aspirações – e a responsabilidade terá sido unicamente nossa! No balanço da semana que passou, compreedemos que, a despeito de algumas insatisfações e insucessos, estamos vivos e operantes e logo, logo, também estaremos mais fortalecidos e resilientes – é só o tempo de as feridas cicatrizarem! Em termos práticos o dia pede atividades às quais nos entreguemos com paixão e vigor; e que toquem as profundezas da nossa alma, transformando qualquer cinismo ou amargor, em serena sabedoria

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 22 de janeiro – A Lua inaugura o dia vazia em Escorpião. Ingressa em Sagitário às 08h45min e logo se harmoniza com o Sol, através de um sextil. Há incongruências no contato com Urano e ela fecha a noite em quadratura não exata a Netuno, que também está recebendo a visita de Mercúrio, aspecto exato na semana que vem. O domingo nos brinda com um astral mais leve e animado do que tivemos em todos os dias anteriores… É dia de arrumar a mochila e dar uma de andarilho, descobrindo novas paragens, caminhos diferentes, aventuras empolgantes… tudo de forma bem descompromissada. Queremos estar livres, leves e soltos e mesmo que o entusiasmo esteja relativamente contido pelo minguante, há promessa de diversão, alegria e horas ditosas, seja na companhia dos amigos de sempre, sejam propiciadas por encontros e situações fortuitos. Serendipidade, aquela palavra que vem do inglês, serendipity, cabe bem aqui e traduz o dia de hoje! Estejamos abertos! Atividades em locais amplos e espaços abertos e que nos coloquem em contato com a natureza são recomendados.

Uma ótima e serena semana para você!

Deixo você com a música linda de um dos meus artistas preferidos:

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para…

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência…

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência…

Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber ?
Será que temos esse tempo
Pra perder?
E quem quer saber ?
A vida é tão rara
Tão rara…

Reprodução

Reprodução

Pessoas lindas e queridas, uma rápida atualização sobre meu laptop: de acordo com o técnico, a placa-mãe é passível de reparo, mas ele precisaria ficar com a máquina pelo menso 10 dias, na bancada, ininterruptamente, porque o problema é intermitente – ora aparece, ora não.  Aqui em Cuiabá não é possível alugar um laptop, então, em algum momento ao longo das próximas semanas, vou ficar sem computador por cerca de 10 dias, torcendo para que a coisa se resolva de forma definitiva! Antes disso, farei uma atualização rápida e deixarei avisado aqui! Grata pela compreensão!  🙂
https://www.youtube.com/watch?v=je-RTYbzoEk

A Semana Astrológica – Miragens à vista!

Reprodução

Reprodução

Semana de 28 de novembro a 04 de dezembro – Dias de se renovar o otimismo, o entusiasmo e a fé na vida! De regenerar nossa coragem e esperança! Contudo, é preciso cautela com as miragens!

O ano está acabando e muitos dizem “ufa!” porque o ano foi mesmo uma paulada, da qual ainda estamos nos recuperando, meios zonzos e receosos de ser atingidos novamente. Vale adiantar que 2017 ainda traz muitos desafios (o texto está o forno), mas será sim, um pouco mais leve do que 2016. Aliás, 2016 é fechado com chave de ouro, porque dezembro, que está começando, traz alguns aspectos desafiadores e, ao mesmo tempo, muito estimulantes. Vamos dar uma olhada na agenda estelar de dezembro?

02 – Mercúrio ingressa em Capricórnio – onde ficará retrógrado

02 – Marte faz trígono a Júpiter

03 – Marte faz sextil a Saturno

07 – Vênus ingressa em Aquário

14 – Lua Cheia em Gêmeos

19 – Marte ingressa em Peixes

19 – Mercúrio entra em retrogradação a 15° de Capricórnio

21 – Solstício de Verão Hemisfério Sul (Inverno Hemisfério Norte) – O Sol ingressa em Capricórnio

25 – Saturno em trígono exato a Urano

26 – Júpiter em quadratura exata a Urano

29 – Urano volta ao movimento direto

29 – Lua Nova em Caprícórnio

Como se vê, Urano estará bastante ativado neste mês, representando possibilidades de mudanças importantes nas nossas perspectivas de futuro e nas revoluções pessoais ou coletivas. É um mês que fecha o ano com um otimismo sutil, face aos tempos tenebrosos que vivemos desde 2014…

Brooke Shaden Photography - reprodução

Brooke Shaden Photography – reprodução

Mas voltemos à presente semana! O Sol ingressou no signo do Arqueiro e por estes dias se embrulha em muitas ilusões, fantasias, visões mágicas e miragens, tudo isso representado pela quadratura a Netuno… Cuidado com propósitos ilusórios, com falsas promessas e, principalmente, com os auto-enganos. Netuno tem uma forte influência em toda a semana e no ciclo como um todo, porque a Lua será nova em Sagitário na terça-feira, tendo como único aspecto essa quadratura a Netuno: um ciclo para se olhar para o futuro, para apontar nossas flechas para o infinito, para reavivar nosso otimismo, mas em que precisamos navegar de olhos muito abertos, aprendendo a fluir e mergulhar, divisando redemoinhos e rebojos traiçoeiros, diferenciando desejos e objetivos válidos daqueles que são verdadeiras sumidouros de energia e recursos, ou seja, barcas furadas. Otimismo é um coisa, ingenuidade é outra bem diferente!

Kit Photos - Reprodução

Kit Photos – Reprodução

Mercúrio ingressa em Capricórnio na sexta-feira, dia 2, onde ficará retrógrado no dia 19 de dezembro. Retorna a Sagitário no dia 04 de janeiro e volta ao movimento direto no dia 08 do mesmo mês. Ingressa em Aquário em 07 de fevereiro. Em Capricórnio, Mercúrio sinaliza uma comunicação sóbria e circunspecta.  A mente trabalha de forma concentrada e se volta para as coisas práticas, para se ter segurança e estabilidade, além de desenvolver estratégias que nos permitam progredir no trabalho e conquistar status social. Mercúrio no signo da Cabra detesta o nonsense: a mente e a comunicação são programadas para serem realistas, diretas e decididas, não tem volteios, não tem “mas nem meio mas”. Logo que ingressar neste signo Mercúrio ficará bastante isolado por alguns dias, praticamente sem aspectos, o que sugere muita concentração e excessos nas análises mentais; podemos também nos expressar no extremos oposto: falando em demasia ou de forma muito dura e pessimista a respeito do que vemos e ouvimos. Mas esse “pessimismo” e excessso de realismo podem nos ser muito úteis e nos propiciar ancoragem num ciclo que tem muito para ser fantasioso e propenso a miragens e a planos mirabolantes sem muito lastro ou substância. Mercúrio nesta posição pode ajudar a manter a cabeça no lugar.

tirado de Highlike-Sten-lex - Reprodução

tirado de Highlike-Sten-lex – Reprodução

Vênus em Capricórnio, depois de amalgamar-se a Plutão e regenerar nossa paixão, defronta-se agora com os desafios de reaver sua individualidade na figura de Urano em Áries. Comprometemo-nos ou buscamos mais espaço, independência e liberdade? Relações muito rígidas e engessadas, seja pelo tempo ou pela falta de respeito à liberdade e à individualidade um do outro estão sujeitas a crises e conflitos… É preciso encarar as próprias dependências (especialmente financeiras ou materiais), a necessidade de controle, o autoritarismo nas relações e se permitir mais espaço, seja físico ou emocional… Relações que se sustentam somente por causa das aparências, dos costumes ou do status social também ficam na berlinda. Quem quiser ignorar esse chamado, que pague o preço depois!

Reprodução

Reprodução

E de Marte recebemos ótimas notícias! O Planeta Vermelho, que está atualmente ultra idealista e revolucionário em Aquário, faz aspectos harmoniosos a Júpiter e a Saturno, seu dispositor tradicional. Júpiter, que aliás, fica em harmonia a Saturno, seu arqui-inimigo, por muitas semanas: desde meados de outubro até o fim de fevereiro; isso porque esse aspecto é ensaiado, mas não se efetiva ainda, devido à retrogradação de Júpiter, na primeira semana de fevereiro… É como a promessa de uma cooperação ou acordo em que os dois lados nunca conseguem se encontrar para conversar pessoalmente e ficam apenas trocando mensagens indiretas.  O aspecto, um sextil, e a consequente promessa de cooperação fica exato somente em 27/08/2017 mas, de qualquer forma, se faz sentir nestas semanas, mesmo que sutilmente, e sugere a possibilidade de voltarmos a crescer de maneira mais responsável, mesmo que timidamente. Marte funciona como um elo que aproxima os dois nesta semana, pois os três estão em harmonia: Marte faz trígono Júpiter e sextil a Saturno. Assim, nossa coragem e entusiasmo para executar e realizar os objetivos ganham reforços! Estamos mais otimistas e estimulados, sem, no entanto, meter os pés pelas mãos e sem tentar abraçar o mundo com as pernas. Estamos prontos para lutar por nossos ideiais, mas sem cabeça quente ou precipitação. O entusiasmo é bem temperado pela coerência e ainda temos um ótimo senso de timing! O grande idealismo também é mesclado com pragmatismo, de modo os exageros ficam contidos. É um otimismo e um idealismo bem pé no chão e, novamente, esses são ótimos aspectos com que contar no mês de Sagitário, pois as chances de exagerarmos e nos excedermos fica diminuída.

Reprodução

Reprodução

Quíron volta ao movimento direto nesta semana. As feridas recentes já foram suficientemente lambidas e re-significadas. Agora procedemos com a aceitação efetiva e a cura, enquanto nos preparamos para lidar com outros limites e fragilidades. Aos poucos vamos desnudando nossos medos e vulnerabilidades no que tange à dissolução do ego, à resistência a nos soltar e deixar ir o sofrimento desnecessário. Para parar de sofrer, é preciso se desprender e desapegar do sofrimento. A dor é parte intrínseca da vida, mas não é a única parte, embora muitas vezes nos acostumemos demais com ela. Se olharmos por tempo suficiente, veremos que depois da chuva, pode haver o arco-íris!

N. C. Winters - Persistent Gaze - Bein Art Gallery - Reprodução

N. C. Winters – Persistent Gaze – Bein Art Gallery – Reprodução

Assim, gradativamente o céu vai se preparando para aspectos cíclicos formados entre Júpiter-Saturno – já mecionado acima – Júpiter-Urano (oposição) e Saturno-Urano (trígono), que se darão em dezembro, mas que também já são sentidos algumas semanas antes. Essas influências sugerem maior abertura nas oportunidades, assim como chances de nos reestruturarmos, progredirmos e avançarmos em direção ao novo, sem no entanto destruirmos aquilo que nos sustenta; temos também possibilidades ampliar nossa visão de mundo e despertar para cenários, alternativas e probabilidades que antes não enxergávamos… Contudo, Júpiter-Urano simbolizam muita inquietude e turbulência, especialmente no meio político e jurídico, mas também representam chances de ruptura com formas rançosas e viciadas de se fazer a justiça – um sopro de renovação, vendavais que podem ser turbulentos, mas que transformam a paisagem e obrigam a todos a se adaptar e inventar novas maneiras de crescer!

Tirado de Blossonfab.tumblr - Reprodução

Tirado de Blossonfab.tumblr – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica, em Escorpião. Renova-se em Sagitário na terça-feira. Com sobriedade, entra na fase Semi-Crescente em Caprícórnio e fecha o domingo no inovador e sociável Aquário. Na sua jornada ela encontra com todos os demais corpos celestes e com eles trava interações harmônicas ou tensas, sinalizando nossos humores e alterações emocionais.

Brooke Shaden Photography - Reprodução

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 28 de novembro – A Lua abre o dia e a semana na fase Balsâmica, fora de curso, em Escorpião e fica nessa condição por todo o dia, ingressando em Sagitário somente às 18h46min. Ainda em Escorpião ela se harmoniza com Quíron e se desentende com Urano (esses aspectos não contam no curso normal da Lua, porque quincunce é aspecto menor e Quíron é asteroide). Vênus em Capricórnio está em quadratura a Urano em Áries e em harmonia com Quíron em Peixes, aspectos exatos amanhã. O dia e a semana começam meio arrastados. Estamos em standby, em compasso de espera e, mesmo tendo muitas demandas e obrigações a cumprir, intuímos que talvez seja melhor mesmo esperar que o tempo clareie e se faça mais nítido. A Lua está escura como breu, reclusa em sua caverna, incomunicável. Está invisível no céu, obscurecida pelo Sol, assim como fica obscurecida nossa objetividade. Dessa forma, ganhamos mais se nos sintonizamos com esse ritmo balsâmico de ser e meditamos sobre as coisas que estão por vir, abrindo espaço, jogando todos os entulhos fora, liberando a escrivaninha, as gavetas, os armários, o coração e a mente de tudo que não serve mais, de tudo que apenas atravanca o livre fluir das energias e das intenções. Limpeza e depuração. Afinal, como podemos segurar as novas oportunidades que estão por vir no amanhã, se nossas mãos estão ocupadas com o liso de ontem ou de muito tempo atrás? Em termos práticos, o dia pede rotina e repouso das expectativas fazedouras. É melhor sentir o clima, sentir a atmosfera antes de se lançar a qualquer empreitada desavisadamente…

Mihai82000.Deviantart - Reprodução

Mihai82000.Deviantart – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 29 de novembro – Vênus torna plena a quadratura a Urano e o sextil a Quíron. A Lua se renova em Sagitário, em quadratura a Netuno, o que pede cautela na forma como vamos realizar nossos propósitos e objetivos neste ciclo. É hora de renovar o otimismo e a fé e se abrir a novas possibilidades de futuro, mas, ao mesmo tempo, não podemos descuidar do bom senso, porque muitas oportunidades de ouro que sugem, podem ser, na verdade, apenas armadilhas para nossa imensa credulidade. Um novo ciclo começa, o ciclo de Sagitário, o momento do ano em que somos convidados a olhar para o futuro cheios de esperança, entusiasmo e alegria! Um período de nos tornarmos mais aventureiros, de correr riscos e nos lançar a novas estradas, a ultrapassar limites que antes nem sabíamos que existiam, ou que não conseguíamos a coragem necessária para transpor. É momento também de rever nossas crenças, nosso senso de ética e de justiça e examinar como estamos exercendo esses valores no mundo – são valores reais e vividos realmente no dia a dia ou são apenas enfeites de um discurso vazio e hipócrita? No que realmente acreditamos, o que mobiliza nossa fé e nosso entusiasmo? A Lua Nova se dá em aspecto tenso a Netuno, requerendo cautela no lançamento das nossas novas intenções, nas sementes que desejamos plantar no novo ciclo. Hámuitas dúvidas, receios, inseguranças… Será que daremos conta? Será que ousaremos correr atrás de nossos sonhos? Serão sonhos válidos? É preciso cuidar para não confundirmos projetos realizáveis com meras miragens, ilusões e fantasias plantados em nosso coração, seja por outros ou por nós mesmos. Excessos de otimismo podem se provar enganadores e problemáticos mais à frente. Extremismos de pensamento, fala ou atitude também precisam ser vigiados, já que Júpiter, regente da Lua Nova, está em quadratura a Plutão e oposição a Urano. A Lua Nova também torna agudas as crises relacionais, simbolizadas pela quadratura Vênus-Urano. Nossas dependências estão na berlinda, assim como relações baseadas puramente nas convenções. Quem somos, quando estamos sós, quando não somos parte de um casal? Ainda temos clareza disso ou nos perdemos no outro, esperando que ele suprisse nosso senso de valor próprio e sanasse nossa solidão crônica?

Reprodução

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 30 de novembro – O Sol Sagitariano está em quadratura a Netuno em Peixes. Em Sagitário a Lua faz conjunção a Saturno e, para equilibrar, ela se harmoniza e se estimula com Júpiter, o dispositor dos dois. Dona Lua ainda conversa, animada e sociável, com Marte em Aquário e fica elétrica no contato com Urano em Áries, mas briga com Quíron, que estaciona às 07h53min, a 20°40’ de Peixes, para voltar ao movimento direto amanhã. O dia traz uma carga nostálgica e meio pesada, uma sensação de letargia e incerteza qe nos faz questionar se estamos no lugar certo, fazendo a coisa certa… Questionar até mesmo sobre quem somos e o que queremos. Sentimo-nos desencorajados e duvisodos, meio tristonhos e talvez até fúteis, com uma sensação de que tudo é muito inútil, tudo é muito fútil na escala maior das coisas e da vida… Quem somos nós, afinal, para querer aspirar a grandes alturas e projetos vultosos? Precisamos pegar leve conosco mesmos e lembrar que nada dura para sempre. Respeitar a letargia e não nos cobrar em demasia. Não levar tudo tão a sério nem mesmo aquela proposta que parece maravilhosa, tanto quanto duvidosa… Lembrar que tudo passa e que nosso humor e disposição podem estar diferentes amanhã é um grande bálsamo e nos dá um senso de perspectiva. Miragens existem e também precisam ser colocadas em perspectiva, tanto as miragens positivas quanto aquelas que nos fazem ver demônios que não existem ou que fazem parecer que nossos problemas são mais medonhos do que realmente são… Ao invés de nos quedar depressivos e sorumbáticos, podemos usar os devaneios – não tão tolos – para investigar o que nos faz sonhar, realmente e, mesmo que tais sonhos e devaneios não sejam, de todo, realizáveis, ainda podem nos fornecer pistar sobre o que nos faz ir além, o que nos faz percorrer mais uma milhar, a despeito do cansaço, da dificuldade, da dúvida… O que nos faz sonhar? O que nos leva adiante? O que nos faz acreditar? Serão sonhos palpáveis ou apenas quimeras? E, em sendo apenas quimeras, em que nos ajudam a descobrir mais sobre nós mesmos e sobre a substância de que somos feitos? Mesmo nossos devaneios mais tolos não podem ser desprezados como inúteis. Eles revelam muito de quem somos e do que realmente desejamos quando estamos distraídos.

Reprodução

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 1° de dezembro A Lua Sagitariana faz conjunção a Mercúrio e fica vazia depois deste contato, às 02h09min. Ingressa em Capricórnio às 06h53min, onde fica muitas horas isolada, sem conversar com ninguém, começando a acenar a Netuno apenas no fim do dia. – Marte em Aquário está em trígono a Júpiter em Libra, aspecto exato amanhã. O dia está ótimo para nos concentrarmos no trabalho, com toda a nossa estamina física e emocional, com o nosso vigor e disposição, sem nos dar tempo ou espaço para distrações e ou perdas de tempo. Depois dos últimos dias de dispersão e sonhos, é como se nos sentíssemos obrigados a recuperar o tempo perdido, a dar de nós tudo o que temos e mais um pouco porque nos lembramos que “sonhos não se materializam, a menos que nós mesmos o trabalhemos nisso”. A concentração é máxima, o a disciplina está no ponto e a persistência muito afiada, de modo que sim, podemos trabalhar, produzir e concentrar nossos impulsos de forma muito prática e objetiva, já divisando como nos aplicar concretamente naquilo que desejamos realizar mais à frente. Os sonhos e visões nascidos do fogo ousado de Sagitário agora começam a tomar forma e se manifestar de forma muito concreta e palpável nas terras rochosas da nossa vontade e determinação. E não permitiremos que nada nem ninguém nos desviem de tais objetivos! Então, podemos nos concentrar de corpo e alma, sangue, músculos e, principalmente, ossos e articulações, naquilo que queremos e buscamos. Primeiro o dever, depois o prazer! Primeiro o trabalho, depois a diversão e a curtição! Mas, não se engane, trabalhamos duro, mas quando paramos para celebrar, celebramos e festejamos mais decidiamente ainda! Aproveite o dia para avançar em tudo o que você achava que estava parado, enganchado, travado ou atrasado! Arregace as mangas e ao diabo com as desculpas esfarrapadas! Trabalhe! Resistência, vigor e entusiasmo não faltarão!

Furstset - Reprodução

Furstset – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 2 de dezembro – Marte em Aquário está em trígono partil (exato) a Júpiter em Libra, que também recebe a quadratura da Lua Capricorniana. A Lua, depois de se suavizar no contato com Netuno em Peixes, empodera-se na conjunção com Plutão e, claro, na quadratura com Júpiter. Mercúrio ingressa em Capricórnio às 19h19min. O dia está, decididamente, sujeito a convulsões, pequenas crises e distúrbios, mas todas essas situações são encaradas como desafios estimulantes e até excitantes, que nos fazem dar o melhor de nós, que buscamos provar nossos próprios limites, não para outros, mas para nós mesmos! Estímulo, otimismo, ousadia e uma saudável inquietude são temperados com a cautela necessária, de modo que ponderamos e nos percebemos capazes de tomar boas decisões, mesmo quando a impaciência ameaça roubar o melhor de nós. Os desafios, longe de nos deprimir ou desanimar, parecem trazer mais impulso e inspiração e nos sentimos particularmente poderosos, vigorosos e capazes de enfrentar o que quer que venha pela frente. E, o que é melhor, não o fazemos somente por nós mesmos e nossos objetivos egoístas. Não, buscamos a melhoria para todos, estamos interessados no que é melhor para o grupo, num crescimento que seja constante, sustentável e perene, porque percebemos que tudo é melhor quando todos estão bem e prosperando. Assim, trabalhamos com resolução, determinação, graça e vigor e nos preparamos para o que der e vier, seja individualmente, seja em equipe. Quem puder, faça seu melhor para não desperdiçar um minuto que seja dessa energia positiva e auspiciosa, uma energia que une inspiração, transpiração e concretização – decididamente, uma fórmula de sucesso, o que quer que sucesso signifique para você!

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 3 de dezembro – É dia de Saturno e hoje ele recebe um contato favorável de Marte, que atualmente é regido por ele. A Lua está em quadratura a Urano em Áries, mas faz conjunção a Vênus, ficando vazia logo depois, às 08h18min. Já vazia, ela faz uma semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Ingressa em Aquário às 17h44min. Um dia para alinhar nossos impulsos mais idealistas e positivos com nossa maior resiliência, disciplina e perseverança. Mesmo que haja impulsos contrários, rebeldes e anárquicos nos desafiando a domar, dentro de nós o potro selvagem que corcoveia indócil, sabemos que tal potro, mais do que problemas, pode incendiar nossa paixão, ardor e nossas melhores intuições, indicando o caminho certo a seguir e as manobras certas a fazer, conforme as curvas do caminhos vão surgindo. Agora ganhamos um novo impulso sim e, mesmo que tenhamos que esperar pelo momento certo de agir, sabemos que quando ele chegar, estaremos prontos, com tudo o que nos será requerido e exigido de nós. E daremos tudo e mais um pouco, sem reclamar, porque estamos dispostos a pagar o preço por algo que é precioso e que somente se revelará inteiramente bem mais à frente, embora já o tenhamos conhecido nitidamente, em nossa mente, coração e alma… É questão de esperar, pacientemente, por um encontro que já é nosso, que sempre foi – e pelo qual trabalhamos e esperamos pacientemente!

Reprodução

Reprodução

DOMINGO 4 de dezembro – De Aquário a Lua se harmoniza com o Sol Sagitariano e mais tarde com Júpiter em Libra, fechando a noite e a semana em conjunção a Marte, que segue se afastando dos aspectos positivos a Júpiter e a Saturno. O domingo traz tudo o que se podia querer de um domingo perfeito: energia positiva, sociável, alegre e festiva. Necessidades, desejos e intenções se afinam adequadamente e podemos simplesmente relaxar e ser felizes dentro de nossas possibilidades, sejam elas suntuosas ou modestas. Estamos satisfeitos com o que temos e mesmo quando não estamos, aceitamos e vamos em busca da melhoria, onde quer que ela esteja, sem brigar, sem reclamar, apenas aproveitando as chances que o destino e a vida nos trazem, agradecidos. É um dia propício para estar em família, com amigos, ou aventurando-se, experimentado e fazendo coisas diferentes e fora do “normal”; para ficar a sós, para estar no campo, para fazer o que nos dá vontade e o que nos dá prazer, sem nos preocupar com cobranças, obrigações, explicações. É dia para experimentar a leveza, em toda a sua plenitude, em todos os seus melhores auspícios, sem nos importar com o que o amanhã nos trará, embora acreditemos firmente que o amanhã também é venturoso e feliz! Assim, não nos perguntemos que hora a noite cairá – aproveitemos a luz e o calor do sol, o canto dos passarinhos, a companhia agradável dos que nos cercam, enquanto estamos vivos. Sejamos felizes. Hoje. Agora. O amanhã cuidará de si mesmo e virá conforme o destino nos aprouver. E ele nos favorecerá. Assim cremos!

Uma linda e auspiciosa semana e um excelente novo ciclo para você!

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Reprodução

A Semana Astrológica – A solidariedade nossa de cada dia

Mihai Christie - Reprodução

Mihai Christie – Reprodução

Semana de 31 de outubro a 06 de novembro – semana de muita sensibilidade, renovação e de se imbuir de energia e vigor para ir em busca da realização dos propósitos!

Inauguramos o ciclo de Escorpião neste domingo, com a Lua Nova de Escorpião. Um ciclo que propõe eliminações, reciclagens e a regeneração – bem que estamos precisando! Uma Lua Nova que também fala de segredos e de revelações. E como começamos também um mês novinho em folha, ao final do texto veja principais acontecimentos de novembro.

Reprodução

Reprodução

E a semana já começa fortíssima, com a celebração do Halloween, a Noite de Todos os Santos, o festival de Samhain no Hemisfério Norte e de Beltane no Hemisfério Sul, de acordo com a Roda do Ano do calendário pagão. Atualmente o Halloween é visto apenas como uma data comercial americana, mas é muito mais que isso. Os americanos apenas se apropriaram dessa festa, que tem origem Celta e que compreendia um tríduo de ia de 31 de outubro a 2 de novembro. Um tempo mágico, sagrado, em que se dizia que os mortos podiam andar entre os vivos. Para entender a origem e a importância desse festival, leia sobre a origem do Halloween.

Reprodução

Reprodução

O Sol se engaja numa conversa transcendental com Netuno em Peixes, colorindo a semana de muita sensibilidade, criatividade e altruísmo e nos pergunta como temos vivido expressado nossa empatia  – será que ao menos temos isso? Empatia é diferente e piedade, a piedade sente dó e pena, a empatia faz você sentir junto, ser solidários e buscar ajudar o outro de alguma forma. Como vivemos isso no dia a dia? O Sol fecha o período já em conversa com seu dispositor moderno, Plutão, imprimindo mais força e intensidade à nossa presença e objetivos. Mercúrio está bem industrioso e ocupado nesses dias: faz sextil a Plutão, aumentando seu poder de penetração e perspicácia, além do poder da palavra e o poder mental. Depois disso ele faz trígono a Quíron e quincunce a Urano (este último aspecto fica exato na semana que vem), o que indica maior empatia em nosso discurso e comunicação, mas, ao mesmo tempo, uma dificuldade de conciliar o impulso da ação com o desejo de contenção.

John Holcroft - Reprodução

John Holcroft – Reprodução

Vênus, a Pequena Notável, segue em recepção mútua a Júpiter – um mora na casa do outro, atualmente – mas nesta semana, depois de ter encontrado com Saturno, depara-se com Quíron e nossa autoestima tem outro baque. Feridas podem ser reabertas, mas podemos também aproveitar a oportunidade para saná-las de vez. Como Vênus é um planeta terroso, que tem a ver, até certo ponto com a materialidade, visto que rege Touro e representa recursos, quando em Sagitário e em contato com Quíron, sinaliza um período em que podemos ter grandes dificuldades com o corpo, com nossas sensações e com o fato básico de estarmos nesta encarnação cheia de percalços e limitações. Podemos ser atraídos por indivíduos que personificam o arquétipo do fragilizado, do doente ou ou que tenha alguma dificuldade física e ainda, podemos ser atraídos pelos curadores. Negativamente podemos nos envolver repetidamente com pessoas que parecem mais vulneráveis do que nós – talvez elas carregam por nós a fragilidade que não damos conta de admitir que temos, e vice-versa. Depois Vênus se refaz desse embate e sai filosofando, buscando um sentido para tudo isso. Depara-se com Urano e resolve que vai reformar o Bem-amado. Esse contato traz um sopro de novidade e leveza para as relações, depois de duas semanas bem carregadas e tensas. Novidade, aventura, liberdade e independência temperam as relações, que ganham mais modernidade e um tom de experimentação. Outro dado interessante é que Vênus está Fora dos Limites do Sol desde o dia 26, condição em que fica até a primeira semana de dezembro. Um planeta, quando Fora de Limites, tem uma qualidade selvagem, indomável e imprevisível – não se sabe direito o que esperar – ainda mais em contato com Urano!

Reprodução

Reprodução

Marte sobe as últimas escarpas da montanha íngreme de Capricórnio e depois do conflito com Urano em Áries, não faz mais nenhum aspecto maior com outros planetas, apenas recebendo os trânsitos da Lua. Marte também já voltou aos limites do Sol nas declinações – está bem mais comportado e disciplinado, como Mestre Saturno gosta! Ingressará em Aquário na semana que vem.

Catrin Welz-Stein - reprodução

Catrin Welz-Stein – reprodução

A Lua abre a semana na fase Nova em Escorpião. Entra na fase Semi-Crescente ou Côncava já em Sagitário. Ganha ímpeto em Capricórnio e fecha a semana em Aquário. Formaliza o Quarto Crescente na segunda, dia 07 de novembro.

Tirado de Blackleatherbelt.tumblr - Reprodução

Tirado de Blackleatherbelt.tumblr – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 31 de outubro – A Lua está renovada em Escorpião e se harmoniza com Plutão em Capricórnio. Faz conjunção a Lilith, se afina com Quíron mas se indispõe com Urano. Fecha a noite harmonizada com Marte. O Sol está em trígono a Netuno, exato amanhã. A semana começa intensamente, com energias densas, mas poderosas à nossa disposição. Um novo ímpeto e novo impulso percorrem nossas veias, impregnando o dia de disposição e vigor, deixando-nos dispostos a atacar qualquer situação que surja no caminho com destemor e galhardia. Não é que não haja dificuldades, mas não nos dobramos a elas, pelo contrário, talvez elas nos façam mais ousados porque o desafio nos incita a provar para nós mesmos que conseguimos superar mais esse limite, o nosso limite! Também há muita sensibilidade, profundeza de sentimentos e a intuição está super aguçada, de modo que vale prestar atenção a ela. Por outro lado, dado os resultados das eleições, muitos podem estar celebrando e outros tanto podem estar lastimando e a energia de Escorpião, quando operando negativamente, vai pela via do cinismo como mecanismo de defesa. Para onde estamos indo mesmo? Não importa, todos nos encontraremos no juízo final. É, o humor pode estar um tanto sardônico e circunspecto, mas ainda assim, a energia flui e depende de nós como canalizá-la criativamente e positivamente. A Lua está Nova, mas ainda não é hora de começar nada, visto que ela estpa escura e ainda muito instintiva. É hora de planejar e ter firmeza nas intenções – os novos começos são recomendados no terceiro dia da Lua Nova, quando ela aparece como um anel fino no céu.

Reprodução de Google+

Reprodução de Google+

TERÇA-FEIRA, 1° de novembro – O Sol está em trígono exato a Netuno hoje. De Escorpião a Lua se afina com Marte, aspecto depois do qual fica fora de curso, à 00h44min. Fica muitas horas sem contatos, até entrar em Sagitário às 12h43min, onde continua sem muita conversa, apenas se aproximando da quadratura a Netuno. A imensa sensibilidade que experimentamos hoje está contida em nós mesmos. É como se nos déssemos conta do universo vasto em nós e que se irradia para os outros e o mundo ao redor, formando uma teia viva e luxuriante de vidas, experiências, sentimentos, intenções… Contudo, a manhã não favorece a expressão direta de tudo isso, antes, convida-nos a meditar e refletir sobre como podemos aplicar tal sensibilidade em nossos propósitos, para além de objetivos individuais, em algo que abarque a vida, o mundo e a melhoria do humano. Um anseio por um mundo menos sórdido nos faz matutar sobre nossa própria responsabilidade no mundo que nós também ajudamos a engendrar, dia a dia, com nossas ações, posturas, pensamentos e vibrações… O que podemos fazer para alterar esse estado de coisas? Sentimo-nos caminhando para um abismo e não conseguimos fazer muito, há uma sensação de inevitabilidade… Mas, da mesma forma, acena para nós, sempre, a possibilidade da redenção, num pequeno gesto, numa ajuda tímida ou mais decidida… Sempre podemos mudar, se não nos dobramos à desesperança. À tarde o clima muda um pouco e fica menos contido, mais espontâneo, mais expansivo e saímos para o mundo mais animados e visionando como colocar incluir toda essa sensibilidade nos planos grandiosos de futuro que desenhamos. Em termos práticos, a manhã pede rotina, já a tarde está mais propícia a explorações e à busca de novidades.

inspirationlane-tumblrQUARTA-FEIRA, 2 de novembro – A Lua faz quadratura a Netuno, sextil a Júpiter, seu dispositor, e conjunção a Saturno. Fecha a noite conjunta a Vênus, aspecto exato amanhã. Mercúrio vai se aproximando do sextil a Plutão enquanto Vênus se afasta de Saturno. Dia propenso a exageros e escorregões diversos, seja nas atitudes ou no excesso de franqueza. A princípio, temos um entusiasmo contagiante, mas oscilamos muito e talvez em seguida fiquemos meio incertos de nós mesmos… a dúvida, que vemos como inimiga, talvez nos empurre na direção da supercompensação e possivelmente tornamo-nos super enfáticos e até mesmo moralistas. Nesse clima de insegurança, uma imensa nostalgia toma conta de nós, talvez porque seja Dia dos Mortos, talvez pelo feriado, o certo é que estamos assim meio… “coisados”, uma hora cá, outra lá do outro lado do mundo, sonhando com outras paragens, outras paisagens, outras dimensões. Lembramos que não somos deste mundo e sentimos saudades de casa… quando será a nossa hora? Filosofamos e tecemos conjecturas, mas o certo é que o Dia dos Mortos existe não só para nos lembrarmos dos nossos mortos queridos, mas para nos lembrar da morte em si mesma, que somos finitos e mortais e que o melhor legado que podemos deixar é uma vida bem vivida… O dia fica assim, propício a filosofar, a discutir o sentido das coisas, da vida, da morte, da caminhada e dos passos que deixamos por aqui… alguma tristeza e nostalgia que se apresentem devem ser abraçadas e integradas. Elas também fazem parte, assim como aqueles que se foram já fizeram um dia. Possivelmente a Lua já começa a aparecer no céu hoje. Conta uma lenda árabe, que o que quer que você esteja fazendo quando vir a Lua pela primeira vez naquele ciclo, é a coisa certa para você fazer!

Martin Stranka - Reprodução

Martin Stranka – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 3 de novembro – Mercúrio está em conversa íntima com Plutão enquanto a Lua faz conjunção a Vênus em Sagitário. De manhã cedinho a Lua peleja com Quíron e depois se entrosa com Urano, ficando vazia depois desse entrosamento, às 08h37min. Fica o resto do dia vazia, mas ainda faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Apesar de precisarmos mostrar serviço, o dia está inconstante, com a energia fluindo irregularmente. Tudo bem, podemos nos desdobrar, só não podemos é abraçar o mundo com as pernas ou prometer demais e acabar não cumprindo. Além de tudo, a energia física é algo que também oscila, vai e vem, conforme nosso humor e nossa atenção viajadora. Estamos desconectados da alma, de forma que perdemos o fio da meada e talvez tenhamos que refazer algumas coisas. Porque apresar de precisar mostrar serviço, nosso anseio é de soltura e largueza, amplidão de espaço e pensamento, portanto, compromissos muito rígidos hoje serão asfixiantes. Como sempre, com a Lua vazia, a objetividade é pouca ou nenhuma, por isso, o ideal é não tratar de coisas muito sérias hoje, deixando as grandes decisões para outro dia. Por outro lado, a mente está focada e capaz de revelar questões inconscientes e trazer verdades à tona, a respeito de nós mesmos, nossos sentimentos e motivações, como também de situações lá fora.

Adam Martinakis - Reprodução

Adam Martinakis – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 4 de novembro – A Lua ingressa em Capricórnio à 01h06min e fica algumas horas bastante soturna e concentrada, sem dar moral ou conversa para ninguém. Pelo fim da manhã vai estabelecendo uma afinidade com Netuno, contato certo à noite. A Lua fecha a noite em quadratura a Júpiter. Vênus tem o conflito com Quíron plenificado hoje. Hoje recuperamos o tempo aparentemente “perdido” ontem: arregaçamos as mangas e nos concentramos no trabalho, corpo, alma e coração – e ai de quem vier nos interromper com coisas pequenas! O dia está assim, propício ao trabalho disciplinado, perseverante e focado, estruturando, sistematizando e organizando a vida. Entretanto, apesar de toda a diligência e foco, talvez usemos o trabalho para nos dispersar de questões que doem na alma, agudamente… Um senso de inadequação, de cristal trincado, que não será consertado, não importa o que façamos. Todo o foco no trabalho não é suficiente para nos distrair da desarmonia relacional que intuímos ao redor e que nos faz tomar partido, porque compramos a dor do outro, numa empatia que nasce da nossa própria dificuldade em lidar com certas injustiças da vida… Por que a vida é como é? A cabra não discute com isso, é o que é e pronto! Mas lá no fundo esse pragmatismo incomoda e lutamos para encontrar um sentido que explique, justifique, esse espinho que dói no outro e dói em mim; os cristais trincados, o defeito irremediável, o coração partido, a questão insolúvel, a resposta que jamais teremos… É inútil e por mais que lutemos, às vezes é em vão. Nem sempre encontramos sentido para certas coisas incompreensíveis que acontecem a nós ou ao nosso redor. Mas ainda podemos usar nossa grande sabedoria e iluminar a situação de outros, quando saímos de nossa própria dor e do nosso pequeno umbigo, vemos que há dores maiores que a nossa e, mesmo que não sejam maiores, é um humano que sangra e eu me irmano nele, A solidariedade pode ser bálsamo, que cura e aproxima, se ousarmos deixar alguém chegar mais perto.

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 5 de novembro – Vênus tem uma conversa super animada com Urano, aspecto exato hoje. Dona Lua faz conjunção a Plutão e, consequente, também se afina com o Sol, que está muito perto do sextil ao Senhor do Mundo Inferior. Depois a Lua tem uma conversa à boca pequena com Mercúrio. Dores, para quê vos quero? Para serem transformadas em experiência e sabedoria! Pragmatismo e resiliência dão o tom do dia, que nos ajuda a dar uma guinada e enxergar nossos pequenos problemas com outros olhos. Mais serenos e confiantes, mergulhamos fundo em nós mesmos em busca de nossos melhores recursos e voltamos refeitos e regenerados, depois de confrontar nossos humores sombrios e os espinhos fincados na carne que porventura ainda nos incomodem. O que não me mata, me fortalece! E me agrega bagagem e vivência. O realismo e resiliência são temperados com um desejo de mudança, de reformar esses aspectos menos nobres e trôpegos que carregamos em nós ou que vemos no nosso entorno. Ainda estamos bem cientes de nossas dores e feridas, mas não queremos nos debruçar sobre elas – pelo contrário, queremos extirpá-las – quem sabe colocando um coração biônico no lugar? Sim, uma onda de desapego e desprendimento vem em nosso socorro, de modo que conseguimos ver as coisas de outra perspectiva, mais distanciada, fria e objetiva.

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 6 de novembro – Mercúrio está em trígono pleno a Quíron e em quincunce, não exato, a Urano. A Lua Capricorniana faz conjunção a Marte e fica fora de curso depois, às 07h57min. Ingressa em Aquário às 11h56min, de onde fecha o dia e a semana em harmonia com Júpiter. O dia traz possibilidades de comunicação mais sensível, embora com rompantes de desassossego e impaciência com os melindres alheios. Podemos emprestar nossos ouvidos a quem precisa de um confidente confiável e atencioso e talvez curar alguém da alienação humana que tanto grassa por aí… Ao parar e dar atenção, ouvir e escutar o outro, ele deixa de ser só mais um; e, ao acolher seu sofrimento, eu também dou maior sentido às minhas próprias aflições. A manhã de domingo está favorável à rotina domingueira, qualquer que seja a nossa. Já de meio-dia à tarde estão favorecidos os encontros com amigos, as atividades diferentes, a saída – total – da rotina e do comum. Qualquer que seja seu programa de domingo, faça algo diferente e inusitado hoje, de preferência ao ar livre, em boa companhia, com boa comida e um papo melhor ainda. Certamente sua semana começará com o pé direito depois disso – e melhor, sem a habitual lombra de domingo!

Uma linda semana para você! Que seja Iluminada e serena!

NOVEMBRO:

09 – Marte ingressa em Aquário

10 – Saturno faz semi-sextil a Plutão

12 – Mercúrio ingressa em Sagitário

12 – Vênus ingressa em Capricórnio

14 – Lua Cheia em Touro

20 – Netuno retorna ao movimento direto

21 – O Sol ingressa em Sagitário

24 – Júpiter faz quadratura a Plutão

25 Vênus faz conjunção a Plutão

by-fineartamerica-stephen-just

Reprodução de Google+

Reprodução de Google+

 

%d blogueiros gostam disto: