A Semana Astrológica – Quando entrar setembro…

blue moon - kulmassa.fi
Kulmassa.fi – Reprodução

Semana de 31 de agosto a 06 de setembro

Esta semana começa ainda na esteira da Lua Cheia, que aos poucos vai murchando, até se tornar Minguante no sábado.  Netuno está super ativo nesta semana, recebendo oposição do Sol, quincunce de Mercúrio, além dos aspectos da Lua e de Júpiter, que já se faz sentir também. Isso dá à semana um tom nebuloso, disperso e confuso, ao mesmo tempo em que nos perdemos em nostalgias melancólicas e anseios por coisas indefiníveis e indecifráveis. A semana traz ainda alguns eventos importantes, mas como SETEMBRO é um mês portentoso, de acontecimentos também bastante significativos, e vários alinhamentos. Vamos relacioná-los aqui:

SETEMBRO:

01 – O Sol se opõe a Netuno

01 – Vênus retrógrada faz conjunção a Marte em Leão

03 – Júpiter faz sesqui-quadratura a Urano

05 – O Sol faz trígono a Plutão

06 – Vênus volta ao movimento direto

13 – Eclipse Parcial do Sol, a 20°10’ de Virgem, ocorrendo num importante feriado judaico, o Rosh Hashaná

17 – Saturno ingressa em Sagitário (dia 18 para a Europa)

17 – Júpiter se opõe a Netuno pela primeira vez

17 – Mercúrio fica retrógrado a 15°52’ de Libra

23 – O Sol ingressa em Libra – Equinócio da Primavera no Hemisfério Sul e de Outono no Hemisfério Norte.

25 – Marte ingressa em Virgem

25 – Plutão volta ao movimento direto

28 – Eclipse Total da Lua a 04°40’ de Áries, também ocorrendo no feriado do Ano Novo Judaico.

 

Caro leitor: este blog migrou para uma nova plataforma e servidor,  e nesta migração perderam-se os assinantes. Assim, se você já era assinante do blog, por gentileza, ASSINE NOVAMENTE para que volte a receber todas as publicações e atualizações. Se você não era assinante, pode se tornar agora! Desculpe o transtorno e obrigada!

 

cal judaico
Reprodução

Como vemos, o dia 17 recebe destaque especial, com três eventos de peso acontecendo no mesmo dia!  Uh-lá-lá! Apertem os cintos! Por que as festas judaicas são importantes? Segundo Júnia Caetano, astróloga do Rio de Janeiro, o calendário judaico é o mais simbólico dos calendários em vigor no Ocidente, então sempre que um eclipse ou configuração astrológica importante coincide com estas datas, sinaliza-se um tempo de importantes acontecimentos coletivos. Em sua palestra Linha do Tempo, proferida na Astrológica 2015, ela faz relações importantes entre a transição da Era de Áries para a de Peixes e a de Peixes para a de Aquário. Aparentemente as datas judaicas são fundamentais nessas transições porque trazem forte simbolismo.

Voltando à presente semana: começamos com a oposição do Sol a Netuno, que nubla e confunde tudo na segunda-feira. O Sol gradualmente entra em forma e se restabelece ao fazer trígono a Plutão no fim da semana.

Mercúrio já transita a zona sombria de retrogradação desde o dia 28 de agosto, então, coloquemos as barbas de molho enquanto procedemos com os providenciais backups de sistemas em geral. Nesta semana ele faz quincunce a Netuno, o que pode aumentar um pouco a sensação de confusão e dispersão já simbolizadas por Sol-Netuno. Mantenhamos os pés no chão e duvidemos de ideais perfeitos demais.

semioticas1 blogspot
Desconheço o autor – Tirado do blog Semióticas via Pinterest – Reprodução

Vênus em Leão faz conjunção a Marte, uma conjunção muito importante porque ela está retrógrada. Hora de começar a reacender nossa paixão, de perscrutar e perceber o que realmente nos instiga e nos atrai, para muito além das belas aparências, olhos hipnóticos e palavras românticas. Vênus fica direta no dia 06, domingo, mas leva até o dia 09 de outubro para sair da zona de retrogradação e empreender sua lenta ascenção. Vênus teve sua Conjunção Inferior com o Sol no dia 15 de agosto, um período de reavaliação e sondagem para quais ações e atitudes serão mais adequadas daqui para a frente na área de relacionamentos e valores – como foi este período para você? Na semana passada ela já começou a se mostrar no céu novamente, só que agora aparece como Phosphoros, Estrela da Manhã, a Estrela Dalva – aliás, esta noite sonhei que avistava Vênus na madrugada, conjunta a outro planeta, que no sonho julguei ser Mercúrio, mas na verdade é Marte (Mercúrio atualmente está à frente do Sol, aparecendo ao anoitecer). Se você é do tipo madrugador, vale a pena olhar para o Leste por volta das quatro e meia a cinco da manhã, até um pouco antes do nascer do Sol. Acho que vou fazer isso esta madrugada para ver Vênus e Marte juntos.

Marte – juntamente com Vênus – faz trígono a Urano em Áries, exato na semana que vem. Com dois significadores de relacionamentos em aspecto a Urano, precisamos inovar na forma de nos relacionar, de nos expressar afetivamente e na forma de agir também. E aí, vai ser, ou tá difícil?

cookiesfromtheuniverse
Tirado de cookiesfromtheuniverse – Via Pinterest  Reprodução

Urano também é ativado por uma sesqui-quadratura vinda de Júpiter: acordamos para algumas questões que permaneciam inconscientes, relacionadas às revoluções filosóficas ocorridas por volta de junho de 2010 – como nossas crenças e filosofia de vida foram modificadas então? Viraram atitudes ou ficaram só no blá-blá-blá? Tornaram-se efetivas no nosso dia a dia e incrementaram nossa forma de ajudar e de servir aos outros ou somente lustraram nosso enorme ego?

Saturno transitando os últimos graus de Escorpião continua a nos dar uma sensação de urgência, ao mesmo tempo em que parece trazer um alívio, como olharmos o trabalho ainda por finalizar e nos regozijar por ver que está finalmente acabando… Depois disso podemos tomar um belo banho e indulgir num belo descanso. Certo? Errado! O trabalho continua, é apenas um novo tipo de tarefa!

A Lua abre a semana na fase Cheia em Peixes. Torna-se Disseminadora em Áries na terça-feira, finca os pés no chão em Touro e oficializa o Minguante no sábado em Gêmeos, fechando a semana já em Câncer – super acelerada esta semana! Estabelece contatos com todos os demasi corpos celestes, sejam eles tensos, amenos ou bastante harmoniosos.

Brooke Shaden
Brooke Shaden Photography – Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA começa bastante confusa, difícil de ser digerida. A Lua abre o dia em Peixes, em trígono a Saturno. Ingressa em Áries às 5h32min, já se opondo a Mercúrio em Libra. Faz ainda quincunces a Júpiter e ao Sol em Virgem, fechando o dia em quadratura a Plutão em Capricórnio. O Sol está em oposição a Netuno, oposição que fica plena na primeira meia hora da terça-feira. Vênus e Marte estão em conjunção, plena também amanhã. O dia tem influências bastante contraditórias que podem comprometer nosso rendimento objetivo, caso não tenhamos cautela. A princípio estamos muito confusos e com nível de energia bastante baixo, talvez bastante desmotivados e duvidando de nós mesmos e de nossas certezas, porque elas se diluem, nos deixando muito inseguros sobre o que fazer a partir daqui – como andar em meio a um nevoeiro pesado, sem fazer ideia de para onde se está indo! Talvez pareçamos contraditórios para os outros, porque na verdade, nem nós entendemos a nós mesmos hoje. Tanta incerteza e confusão pode nos colocar no modo defensivo e talvez instiguemos confrontos desnecessários para buscar a auto-afirmação que não sentimos. Qualquer ideia contrária à nossa pode parecer então, um verdadeiro insulto ou provocação, o que provavelmente não é verdade. A tentação de pular para um debate acalorado é grande, porque sentimos grande necessidade de dissipar a névoa interior e externar o conflito interno entre o que sentimos e o que pensamos, mas talvez seja melhor adiar as confrontações abertas por enquanto, porque é muito possível que fiquemos ainda mais confusos e saiamos desmoralizados de tais conflitos – no meio da coisa toda tendemos a bancar a vítima o que é outra péssima ideia. Melhor mesmo utilizar essa efervescência mental toldada pelos sentimentos escaldantes para entrar em contato conosco mesmos, buscando um entendimento mais profundo de nossos impulsos e de nossas emoções conflitantes. Não é um bom dia para negociações, discussões ou debates importantes porque não temos clareza de nada, nem mesmo de nossas próprias motivações – ou falta de. É mais recomendável usar a sensibilidade e abertura psíquica para outros fins mais criativos e menos propensos a nos colocar em imbróglios difíceis de resolver depois. Atenção também para não dissiparmos a pouca energia nos perdendo em devaneios, construindo castelos em nuvens passageiras, o que nos fará despertar com sabor de desapontamento na boca.

libertinedreaming tumbler
Libertinedreaming.tumblr  Reprodução

Esse clima nebuloso perdura na TERÇA-FEIRA, mas a atmosfera também fica mais intensa e fogosa!  Isso porque Além da exatidão da oposição Sol-Netuno, temos depois a plenitude da conjunção Vênus-Marte. Para pôr mais lenha na fogueira, a Lua Ariana quadra Plutão e forma uma ampla Cruz T envolvendo Mercúrio em Libra. A Lua ainda se alia a Urano, ficando vazia depois deste contato, às 14h38min. A Lua torna-se DISSEMINADORA ao fazer sesqui-quadratura ao Sol. Marte toma a iniciativa e parte para cima de Vênus, que se já é normalmente passiva, quando retrógrada, fica mais ainda. O resultado é um dia em que há grande estímulo sexual e muita atração no ar, faíscas saindo em todas as direções. Tudo intensificado pelo fato de a Lua, regida por Marte, estar em quadratura a Plutão, o que a torna ainda mais faminta e incendiária. Se não achamos uma saída para tanta excitação e toda essa carga erótica, podemos ficar bastante frustrados, irritados ou propensos a disputas, mas ainda podemos colocar toda a enrgia em atividades criativas e até mesmo no trabalho, porque estamos animados e dispostos a entrar em ação. Normalmente este trânsito se manifestaria de forma exclusivamente sexual, mas o regente de Marte e Vênus, o senhor Sol, está em oposição a Netuno, adicionando um quê de romantismo e magia, tornando os contatos mais do que meros encontros sexuais com o intuito único da descarga física. Talvez algo neste encontro toque fundo na nossa alma e desperte fantasias e sonhos esquecidos… Contudo, ainda precisamos ter cuidado porque Netuno é um enganador… Uma das partes pode se sentir “fisgada” enquanto a outra talvez queira apenas satisfazer o próprio ego e as necessidades físicas. De toda forma, com a Lua em oposição a Urano, e os mesmos Vênus e Marte em contato com ele também, é preciso ficar atento porque isso pode ser mesmo “fogo de palha” e funcionar como algo que vem nos chacoalhar do nosso marasmo, não necessariamente feito para durar. Inovador e surpreendente certamente é! E cabe a pergunta: o que acende a nossa paixão?

lingua
Reprodução

A Lua abre a QUARTA-FEIRA vazia em Áries. Entra em Touro às 06h01min. Faz trígonos a Júpiter e ao Sol em Virgem e a Plutão em Capricórnio, formando um Grande Trígono em Terra que ajuda a aterrar toda a energia do enlace incendiário Vênus-Marte. Precisamos mesmo de bastante terra porque a Lua faz sextil a Netuno e quincunce a Mercúrio, que também faz quincunce a Netuno e vira foco de um Yod-Dedo de Deus. Vênus também está em quincunce a Plutão.  A diretividade e economia da Lua Taurina entram em choque com a gentileza suave do Mercúrio Libriano, que vacila, hesita e se nega a se expressar de forma direta, deixando todos ao redor exasperados. Quem somos nós nesse jogo de pique-esconde, a Lua brusca e realista ou o Mercúrio que enerva a todos tentando agradar? Um ou outro, o resultado é entraves na comunicação que não flui e fica sujeita a rompantes de línguas afiadas com pedidos de desculpas posteriores, que torna tudo ainda mais embaraçoso, porque soa falso e montado. Por que temos tanto receio de desagradar com nossas ideias? Talvez porque já saibamos de antemão que é impossível agradar a todos e estar em estado permanente de serenidade e equilíbrio. Aceitar os altos e baixos da alma – e consequentemente da vida lá fora – já nos permitirá relaxar um pouco e sair dessa posição tensa de quem se vigia o tempo todo com medo de dizer a coisa errada na hora errada. Isso eventualmente acontece a todos e é exatamente resultado da discrepância entre o que realmente pensamos e sentimos, versus o que a etiqueta social dita. Mas sim, já falei várias vezes por aqui: é possível ser sincero E gentil desde que tenhamos claros os nossos valores mais essenciais. O Grande Trígono em Terra ajuda a acharmos chão firme e não meter os pés pelas mãos.

Annija Veldre
Annija Veldre – Reprodução

De Touro a Lua faz quadratura à sua anfitriã, Vênus Rx e a Marte em Leão na QUINTA-FEIRA. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a Mercúrio, e sextil a Quíron e fecha o dia em oposição a Saturno. Mas outros aspectos colorem o dia de desconforto: Mercúrio está em quincunce quase exato a Netuno e Júpiter faz sesqui-quadratura a Urano. Dona Lua intrometida vem se meter no idílio amoroso de Marte-Vênus, feito a vizinha fofoqueira e invejosa do prazer e deleite alheios, ou poderia ser também a própria sogra se metendo nos assuntos do casal. O certo é que há um antagonismo permeando as interações, especialmente as românticas. Ciúmes e possessividade estão no menu do dia, assim como rigidez e inflexibilidade nas posturas e atitudes, boa parte disso motivada por incertezas que nos alfinetam e tornam inseguros do nosso próprio valor. Sentimos profundamente no coração e no corpo, mas temos dificuldade de expressar com clareza. Entretanto, a famosa economia de palavras Taurina pode ser providencial no dia de hoje, porque ajuda a evitar confusão – é claro, desde que isso não vire agressividade passiva e nem seja compensado nos excessos à mesa.

smashingapps com
Smashingapps.com – Reprodução

O quincunce Mercúrio-Netuno fica exato na primeira hora da SEXTA-FEIRA. A Lua Taurina se indispõe de forma bem inconsciente com Plutão em Capricórnio, mas a ação fica mesmo por conta da oposição a Saturno e da formação de uma Cruz T fora de signo quando ela entrar em Gêmeos às 07h47min, e fizer quadratura a Júpiter e a Netuno.  Marte está bem próximo do trígono a Urano. Dia que começa de forma dura e intransigente, descambando depois para um torvelinho confuso em que embaralhamos pensamentos e emoções. Ficamos super dispersos, distraindo-nos até com uma mosca pousando na parede. Nesse contexto fica difícil concluir qualquer tarefa de forma satisfatória. Tentamos levar tudo com leveza e bom humor, mas nos descobrimos assoberbados de tarefas, pensamentos, palavras, vozes internas… Típico de quem tenta abraçar o mundo com as pernas se envolvendo em coisas demais ao mesmo tempo – o transbordamento é mera questão de tempo. Clareza e foco é matéria super escassa hoje, ainda mais que Mercúrio também está às voltas com Netuno. O negócio é respirar fundo e concentrar-se no aqui e agora. Uma coisa de cada vez, tomando cuidado para a o humor não ficar histriônico ou de mau gosto rasgado. Respirar também ajuda a desanuviar a mente e, surpresa! É grátis!

Rafal Olbinski - Tutt'Art (89)
Rafael Olbinski – Tutt’Art – Reprodução

O tsunami mental diminui um pouco no SÁBADO, mas ainda requer esforço manter a concentração. A Lua Geminiana se torna Minguante ao fazer quadratura ao Sol, numa T-Square que ainda envolve Netuno. A Lua ainda faz trígono a seu regente, Netuno e se afina também com Vênus-Marte em Leão e Urano em Áries, o que de fato, ajuda a ter uma perspectiva mais desapegada dos problemas e buscar formas inventivas de resolvê-los. Mas do sextil a Vênus nasce também um Yod que tem Plutão como foco e depois de urano ela faz quadratura a Quíron. O Sol está em trígono pleno a Plutão e Vênus estaciona às 05h29min, a 14°24 de Leão. A Lua fica vazia depois do contato com Urano, às 20h05min – Affe! Que céu super-hiper ocupado! É hora de soltar e deixar ir, soltar-se especialmente das tentativas vãs de controle, que só nos adoecem e fazem parecer patéticos ao tentar manipular tudo para sair conforme desejamos, mesmo que isso signifique manobrar situações à revelia dos interesses alheios. O Sol em trígono a Plutão nos ajuda a olhar dentro de nós e identificar e filtrar o poder que transforma do poder que é inútil e só atende ou mascara as inseguranças crônicas do ego. Vênus vai lentamente despertando de seu sono de Bela Adormecida, mas ainda permanece em estado letárgico. Estacionária, sua ação é super potente e nos convida a olhar com muito cuidado os assuntos do coração e do bolso. Toda atenção e cautela porque há uma sensibilidade aguda e uma qualidade compulsiva ao redor destes temas hoje.

xreissa deviantart
Xreissa.deviantart – Reprodução

O DOMINGO começa preguiçoso com Vênus despertando de seu longo sono, tornando-se direta – mas ainda estacionária – às 05h29min. A subida será lenta e gradual, mas ela retornar transformada. A Lua Geminiana está vazia e virtualmente sem aspectos, faz apenas quincunce a Saturno em Escorpião. Ingressa em Câncer somente às 14h39min, mudando totalmente a vibração do dia, adicionando um sentimento afável e uma generosidade motivadas pelo contato com Júpiter em Virgem. O dia tem um tom diferente, tudo está igual, mas algo parece ter mudado de forma inexorável dentro de nós. Nossos valores, nossa relação conosco mesmos, nossa forma de aproveitar a vida… Algo sutil, mas definitivo. Cruzamos um limiar de uma consciência, que descortina uma forma reformada e insólita de nos valorizarmos e, consequentemente, sermos valorizados pelos que nos cercam e mesmo que isso não ocorra, talvez já não dependamos tanto de seus olhares para nos sentirmos amados e desejados. É um novo dia, um novo ciclo, uma nova maneira de nos expressarmos. A Lua Minguante e Canceriana nos chama ao recolhimento familiar, a melhor pedida do dia!

Uma linda semana para você, cheia de luz, muitas bênçãos e trilhos limpos e abertos!

romanian - google mais
Na Romenia – Do Google +  Reprodução

 

Lua Cheia em Peixes – Seja fiel a você mesmo!

2015 - 1
Wallpaper – Reprodução

A Lua é cheia hoje, 29 de Agosto, às 15h35min no horário de Brasília e às 18h35min no horário de Lisboa. Uma Super Lua, porque ocorre durante o perigeu da Lua, período em que ela está mais próxima da Terra. Quando isso acontece, a Lua pode parecer até 14% maior e até 30% mais brilhante no céu – o que, obviamente, aumenta sua magia e fascínio.

Caro leitor: este blog migrou para uma nova plataforma e servidor,  e nesta migração perderam-se os assinantes. Assim, se você já era assinante do blog, por gentileza, ASSINE NOVAMENTE para que volte a receber todas as publicações e atualizações. Se você não era assinante, pode se tornar agora! Desculpe o transtorno e obrigada!

A Lua Cheia se dá no grau 06°06’ de Peixes, em conjunção a Netuno, oposição a Júpiter – e claro, ao Sol – e todos eles numa ampla quadratura fora de signo a Saturno em Escorpião, formando uma T-Square ou Cruz T, que funciona como um prelúdio que antecipa os temas da Cruz T Mutável que se forma entre Júpiter, Saturno e Netuno e que permanecerá ativa por muitos meses em 2016. Além destes aspectos lunares, Marte em Leão está hoje em quincunce exato a Plutão em Capricórnio e já muito próximo da conjunção plena a Vênus retrógrada, que também faz quincunce a Plutão, embora não chegue mais a ficar perfeito, pois Vênus voltará ao movimento direto no dia seis de setembro, antes que isso aconteça. Outra coisa que chama atenção neste mapa é Quíron, que está bastante isolado em Peixes, apenas recebendo um trígono separativo muito amplo, de mais de nove graus, de Saturno – ou seja, virtualmente inaspectado.

lua cheia peixes
Lua Cheia em Peixes – Brasília, 29 de agosto de 2015, 15h35min

A Lua Cheia é um momento de culminação, de emoções e sentimentos intensos, em que os assuntos e tensões que vinham se acumulando num crescendo, finalmente chegam a um desfecho, a uma crise e uma confrontação, com decisões conscientes sendo requeridas. Então ficamos naturalmente mais sensíveis e suscetíveis às descargas emocionais. Quando essa Lua se dá em Peixes, isso é potencializado, porque Peixes é um signo cujos limites e barreiras são muito tênues, às vezes, quase inexistentes. Todas essa sensibilidade fica mais aumentada porque a Lua está em conjunção a Netuno, que dissolve os poucos limites que restavam, e em oposição a Júpiter em Virgem – de cuja conjunção o Sol se separa – que amplifica, multiplica e exagera tudo o que toca.

500px
500px – Reprodução

Temos então um dia – e as semanas à frente – de sensibilidades exacerbadas, desmesuradas, em que nos derramamos em muitas direções, como rio caudaloso que de repente vira torrente banhando tudo ao redor. E ainda precisamos lembrar que Mercúrio é o único ponto em Ar, ou seja, é uma Lua Cheia realmente embebida de muita sentimentalidade, sentimentos fortes e ancestrais que acionam nossa mais profunda compaixão e generosidade e também traz à linha de frente o arquétipo do excluído. Felizmente também temos Saturno em Escorpião envolvido nesta dança. Saturno, embora traga tensão e pressão extras, também ajuda a conter e a colocar um pouco de limites em todo esse derramamento, ao mesmo tempo em que convida para mergulharmos realmente fundo em todos os seus temas, mas com foco e inteireza.

Our Ends Are Beginnings Showcasing 50 Creative Photo-Manipulations on CrispMe
Nossos fins são começos  Showcasing 50 Ceative Photos-Manipulations  Reprodução

O eixo Virgem-Peixes vem nos falar de serviço, de colocar-se a serviço; do desejo de transcendência da dimensão mundana, em contrapartida à vida em seu lado mais prosaico e mundano, o dos rituais diários; vem falar da criatividade que masterizou a técnica e agora está livre para criar a partir da imaginação pura; e fala ainda de controle, delimitação e limites entre o eu e o não-eu (Virgem) e a dissolvição desses mesmos limites entre o eu e a Unidade, de abrir mão do controle e deixar ir (Peixes). A Lua Cheia nos fala então de uma fé muito pé no chão, mas cujos rituais não podem e não devem impedir o exercício da verdadeira espiritualidade nem devem nos distanciar dos excluídos e dos necessitados da nossa compaixão; que regras e detalhes ortodoxos não engessem a prática do altruísmo genuíno e do amor pela humanidade; que nossa necessidade de ordem e controle não enrijeçam a ajuda ao outro; que precisamos lembrar que as regras e rituais estão a serviço do Divino e não o contrário – como queriam os fariseus; e também, que não permitamos que nossas obrigações mundanas e diárias nos afastem da busca da unidade e da transcendência.

240px-Pisces2
Peixes – Ficheiros do Google – Reprodução

 

peoxessss
Desconheço o autor – Reprodução

Mas ao envolver Júpiter e Netuno também estamos falando de crenças, credos, fé, idolatria, fanatismo, justiça, leis, códigos morais, ética ou falta de, escândalos, corrupção, infâmia. E não apenas isso. Ao envolver Júpiter, Netuno e Saturno, esses temas são expandidos para além da esfera pessoal, com implicações sociais e coletivas. Precisamos sair da nossa “zona de conforto” individual – termo que está tão na moda que já ficou banal – e atentar para o efeito que nossas crenças têm sobre o mundo, um mundo que criamos a partir delas; qual o impacto das nossas escolhas diárias sobre a sociedade e o coletivo em que estamos inseridos; qual o peso da nossa descrença e desesperança para os sistemas que aí estão; como nossa ética pessoal reverbera no todo e volta para nós amplificada, negativa ou positivamente.

rendição
Reprodução

E claro, todos estes temas e questões estão hiper agudos hoje, por conta dessa sensibilidade. E o que fazer com toda essa sensibilidade? É o que Saturno vem nos perguntar. Sentir de forma desmesurada e não agir de alguma forma só nos leva ao sofrimento inútil. Perceber a esparrela em que nos encontramos, social e coletivamente, tanto em nível de país como na esfera mundial e apenas lamentar, também é desperdício de energia. Saturno vem então nos convocar a ser, sim, agudamente sensíveis, a sentir de forma desmesurada e exacerbada, a sentir profundamente essa vulnerabilidade latente que está permeando tudo, até o momento de usar isso como mola propulsora de limpeza e transformação. Saturno e Quíron nos apontam ainda a necessidade de olharmos para os excluídos e dar-lhes um lugar no nosso coração, além de trabalharmos de forma concreta e ética por um mundo mais justo para todos.

kristendukephotography
Kristen Duke Photography – Reprodução

Saturno também nos obriga a nos manter sobre nossos próprios pés e mantê-los firmes no chão, a não perder a cabeça e enlouquecer de fanatismo ou a não ir para o extremo oposto do ceticismo (um mecanismo de defesa contra a sensibilidade e a fé). Saturno em Escorpião nos convoca a ser leais à nossa própria verdade e valores e a filtrar os valores e influências do mundo. Uma Lua em Peixes conjunta a Netuno, pode ser muito confusa e suscetível, carece de critérios e seus limites são frouxos, assim, fica sujeita a perder-se no outro e ser levada na enxurrada das emoções coletivas. Saturno ajuda a conter um pouco da enxurrada e a achar um prumo e uma direção. Isso está em sintonia com o Símbolo Sabiano para o grau 7 de Peixes (06°06’), que diz: “Iluminada por um raio de luz, uma grande cruz descansa sobre rochas cercadas pela neblina marítima”. Dane Rudhyar, ao interpretar este símbolo diz que trata-se de “uma bênção espiritual que fortalece indivíduos, que, aconteça o que acontecer, defendem sua verdade de forma inflexível”. Ele lembra que pessoas que não seguem os valores coletivos e seguem seu destino individual a qualquer custo, estão sujeitos a algum tipo de crucificação. Elas são sustentados apenas pelo próprio poder interior, ao qual responde uma luz superior. Rudhyar afirma sobre este símbolo: “Seja fiel a você mesmo e no meio da confusão exterior demonstrada por aqueles que lhe cercam, você perceberá o que você realmente é como indivíduo – um filho de Deus (…) Esta segunda fase indica o poder supremo de uma vida guiada pela voz interior que manifesta um alto grau de auto-afirmação”, finaliza ele.

mascarass
Reprodução – Desconheço o Autor

Em concordância com este símbolo – como nada é por acaso – Saturno em Escorpião vem afirmar algo parecido, pra sermos leais à nossa própria verdade e nos mantermos fiéis a nós mesmos, mesmo quando tudo parecer muito confuso e vago, mesmo quando nossa sensibilidade estiver super aflorada. Tal sensibilidade precisa ter uma desembocadura estruturada e correta, ou nos perderemos de nós mesmos. Especialmente porque, com Quíron sem aspectos, nossa suscetibilidade pode vir à tona de forma bastante compulsiva e incontrolável e podemos nos tornar vítimas de nós mesmos, de nossas próprias mazelas e feridas, ou ainda cobrar de outros qualquer ajuda que tenhamos dado anteriormente. Aliás, essa Lua Cheia  pede que reavaliemos o equilíbrio entre o dar e o receber nas nossas relações em geral, que avaliemos a ajuda e suporte que damos e que recebemos dos outros.

digital camera world
Digital Camera World – Reprodução

Por último, A Lua Cheia ainda fala do grande manancial de criatividade e imaginação que está ao nosso dispor. Além da conjunção a Netuno, o eixo Virgem-Peixes já é extremamente criativo por si só. Mas mais do que isso, temos também Vênus retrógrada e como se não bastasse, o asteroide Vulcano está também em Virgem, conjunto ao Sol e recebendo oposição da Lua. Percebi isso por acaso, já que normalmente não trabalho com asteroides. Vulcano na Astrologia Esotérica é ligado ao Primeiro Raio, o da Força de Vontade e mostra onde há grande poder e força controlada – olha só, novamente esse tema! Mas Vulcano também era um ourives, um grande e habilidoso artesão que fabricava jóias belíssimas para todos os deuses. Era tido como muito feio e tinha uma deficiência originada de sua expulsão do Olimpo – Júpiter-Zeus o teria atirado montanha abaixo, sem dó nem piedade e a queda o deformou terrivelmente. Era um excluído e na sua exclusão e solidão desenvolveu a rara habilidade do design de jóias. A mitologia de Vulcano (ou Hefesto, para os gregos) é muito rica em si mesma e vale a pena ser pesquisada, mas aqui quero trazer apenas esse gancho da grande criatividade e capacidade de criar beleza, mesmo em situações difíceis e de exclusão. A Lua Cheia de Peixes, nos convida, pois, a também canalizar a sensibilidade potencializada na expressão criativa, seja nas artes, artesanato, música, ou num jeito todo nosso de ser criativo. Também nos pergunta como nossa criatividade e inspiração podem enriquecer ou melhorar nossa espiritualidade, nossa relação com o divino. Mais, nossa vida é nossa obra prima, que vamos criando dia a dia, baseados no profundo entendimento que nossa alma tem da nossa jornada e tarefas nesta vida. Será que esta obra realmente está refletindo os ditames de nossa alma?

Feliz Lua Cheia, Feliz Super Lua para Você! Que seja carregada de sensibilidade e grande inspiração para nos transformar e transformar nossa obra individual no que ela realmente deve ser: uma obra-prima que nos ajude a enriquecer também o grande tecido, a grande teia que é a Unidade, da qual todos somos parte!

Nota: Pessoas com planetas entre os graus 0 e 12 de Peixes, Virgem, Gêmeos e Sagitário sentem mais intensamente esta lunação.

tulipnight tumblr
Tulipnight.Tumblr – Reprodução

Caro leitor: este blog migrou para uma nova plataforma e servidor,  e nesta migração perderam-se os assinantes. Assim, se você já era assinante do blog, por gentileza, assine novamente para que volte a receber todas as publicações e atualizações. Desculpe o transtorno e obrigada!

Continue lendo Lua Cheia em Peixes – Seja fiel a você mesmo!

Vênus Retrógrado – A Síndrome do Patinho Feio

venus boticelli
O Nascimento de Vênus – Boticelli – Reprodução

Qual o significado dos planetas retrógrados em trânsito e no mapa natal? Neste artigo vamos falar da retrogradação de Vênus e o que isso simboliza na psicologia do indivíduo, além das mitologias associadas a este período e seus efeitos quando em trânsito.

Princípios Básicos da Retrogradação

Antes de falarmos do ciclo de Vênus, alguns princípios básicos precisam ser levados em conta quando se fala de planetas retrógrados:

a)      os Luminares Sol e Lua nunca ficam retrógrados;

b)      o movimento de retrogradação é uma ilusão de ótica que nos faz perceber o planeta deslocando-se para trás e isso acontece devido ao relacionamento do planeta em questão com o Sol, e devido às diferentes velocidades de rotação da Terra e dos demais planetas, assim, para os planetas interiores, Mercúrio e Vênus, a retrogradação ocorre em períodos próximos à conjunção inferior com o Sol, enquanto que no caso dos planetas exteriores (posicionados depois da Terra no sistema solar), a partir de Marte, o ciclo retrógrado está diretamente relacionado à oposição ao Sol;

c)       os planetas exteriores Urano, Netuno e Plutão, devido à lentidão de seu movimento e à distância do Sol, passam boa parte do tempo em movimento retrógrado e seu impacto no mapa natal é menos perceptível, a não ser que estejam próximos do ponto estacionário, quando adquirem ênfase especial, pois além de ter sua ação e significado realçados, provavelmente mudarão de direção nas progressões secundárias. Com Júpiter e Saturno não é muito diferente – aliás, de Júpiter em diante a retrogradação tem impacto mais definido em Astrologia Mundial e em Astrologia Horária e Eletiva;

d)      assim, os planetas cujo ciclo de retrogradação é mais perceptível em Astrologia Natal são Marte, Vênus e Mercúrio e considerando-se que Mercúrio fica 20% do tempo retrógrado (três vezes ao ano, em períodos de aproximadamente três semanas), isso não chega a ser tão traumático, com exceção de situações específicas em áreas regidas pelo planeta – o impacto também é menor porque certamente Mercúrio mudará de direção nas Progressões Secundárias. De forma que, em Astrologia Natal, os planetas cuja ação é alterada de forma significativa quando retrógrados são Vênus e Marte, dois planetas relacionados ao simbolismo do masculino e feminino. Vênus fica retrógrado cerca de 40 a 45 dias a cada 18 meses e Marte parece mover-se para trás de 60 a 80 dias, a cada 2,13 anos – Leia sobre Marte Retrógrado.

Vênus Retrógrado

Vários impactos são possíveis quando Vênus está retrógrada mas antes vamos entender o ciclo de retrogradação de Vênus e sua mitologia. RETROGRADAÇÃO é um movimento em que, do ponto de vista da Terra, o planeta parece se mover para trás. Na verdade, o planeta em questão não se move para trás, isso é uma ilusão de ótica causada pela posição do planeta em relação ao Sol. Cada planeta tem um ciclo de retrogradação diferente, que depende de sua distância do Sol. Como é um fenômeno que se dá diretamente por causa da relação dos planetas com o Sol, seus efeitos implicam questões que o ego precisa trabalhar no longo caminho em direção à inteireza e completude. No caso de Vênus essas questões têm a ver com amor, relacionamentos, sexualidade, valores, auto-estima, prazer,  beleza, arte, senso estético, gostos, dinheiro, gerenciamento dos recursos etc…

Gostaria de ressaltar que este texto é baseado principalmente no livro Retrograde Planets, de Erin Sullivan(1), um dos melhores e mais completos textos já publicados sobre o assunto, e também nas minhas observações com clientes.

Mitologia

clip_image017_thumb
Urânia e Calíope – Simon Vouet – Reprodução

Sullivan começa o capítulo relacionado a Vênus chamando a atenção para a dualidade de Vênus e lembra o mito em que Afrodite nasce de Zeus e Dione, como duas deusas: Afrodite Urania, celestial, inteligente, espiritual, filha do pai e Afrodite Pandemos, das pessoas comuns, preocupada com a sensualidade e com a sexualidade, a filha da mãe. Poderíamos relacionar Afrodite Pandemos com o terroso signo de Touro, pelas suas características instintuais, alinhadas com o corpo, a fisicalidade e os cinco sentidos; já Afrodite Urania rege Libra e seus ideais estéticos, civilidade e racionalidade. Ela menciona esse mito porque ele é extremamente relevante para os períodos de retrogradação deste planeta, especialmente para a Conjunção Inferior.

A Proporção Áurea

blank_astrology_wheel
O Pentagrama formado pelo ciclo de retrogradação de Vênus

Vênus tem grandes ciclos de 8 e 243/251 anos. O seu ciclo menor é de cerca de 18/19 meses, ou seja, a cada 18/19 meses ele desaparece no céu para aparecer somente por volta de 45 dias depois. O seu ciclo de retrogradação é um dos mais raros, tanto que apenas cerca de cinco por cento de mapas natais apresentam Vênus retrógrado. Durante oito anos o planeta fica retrógrado apenas cinco vezes, cada vez num signo diferente, até voltar ao signo inicial. Quando traçamos e unimos as linhas através destes signos, um desenho se forma: uma estrela de cinco pontas, um pentagrama. O número cinco e o pentagrama têm uma simbologia que é, em si mesma, extremamente rica e tão antiga quanto o surgimento dos primeiros números. O número cinco é relacionado com a Proporção de Ouro, o Número Áureo ou Número de Ouro, uma proporção muito usada na arte e arquitetura e que é relacionada à letra grega PHI. Este número é extraído da Seqüência de Fibonacci, uma sequência de números naturais, na qual os primeiros dois termos são 1 e 1, e cada termo subsequente corresponde à soma dos dois precedentes: 0,1,2,3,5,8,13,21… Representa crescimento constante, estando envolvida com a natureza do crescimento em espiral geométrica perfeita, uma espiral encontrada exaustivamente na Natureza, como por exemplo no padrão de crescimento das conchas marinhas.

fibonacci-nature-nautilus31
Reprodução de Google Imagens

O número cinco relaciona-se também com o número de dedos das mãos e pés humanos, simbolizando a capacidade de entendimento e a  subseqüente capacidade de criação e realização a partir desta compreensão. Os estudos esotéricos associam o número cinco com a inteireza do mundo material. Sullivan diz que o padrão criado pelo ciclo de retrogradação de Vênus forma a base da Proporção de Ouro e esse número de ouro é ativado durante os períodos em que o planeta estaciona, direto ou retrógrado, a intervalos de 72 graus, que é a divisão exata de 360 graus do círculo perfeito. Quando se traça esse ciclo em detalhes minuciosos, ele forma uma imagem ainda mais bela: uma mandala que é a imagem de uma flor de lótus. Só isso já nos deixa extasiados com a simbologia e numinosidade deste ciclo. Mas tem mais.

646px-Venus_pentagram
Cinco Conjunções Inferiores repetidas formam um pentagrama
Domínio Público – Ficheiros do Google

O ciclo mágico de Vênus retrata sua dança cósmica com o Sol e a Terra. Vênus nunca fica mais do que 48 graus distante do Sol. Quando atinge 45-48 graus à frente do Sol está no ponto máximo de elongação Leste e aparece linda e fulgurante no Céu noturno, como Hésperos, a estrela Vespertina, filho de Eos, deusa da alvorada. Então ele diminui velocidade e o Sol parece chegar mais próximo, até que estaciona a não de mais que 30° à frente do Sol. Este é o ponto estacionário-retrógrado SRx e lentamente ele começa a mover-se para trás, ou assim nos parece, até que se encontra com o Sol, quando se dá a Conjunção Inferior ou Conjunção Baixa. Essa conjunção é chamada de “inferior” exatamente porque está na mesma longitude do Sol, entre este e a Terra.

800px-Phases-of-Venus.svg
O ciclo de Vênus – Domínio Público – Ficheiros do Google

Diz-se então que toma lugar um Casamento Sagrado, uma conjunção alquímica, entre o Sol, Vênus e a Terra, completamente oculto de nossas vistas, pois, estando tão próximo do sol, o brilho de Vênus desaparece e ele torna-se invisível para nós. Erin Sullivan olha para as culturas Asteca e Maia para explicar o que ocorre aqui, porque segundo ela, de acordo com todas as evidências, essas culturas Mesoamericanas entendiam verdadeiramente a retrogradação de Vênus, tanto em movimento quanto em simbolismo.  Ela menciona os estudos de Bruce Scofield sobre os painéis de El Tajin (México) que começam com Vênus como a Estrela da Noite. Ele diz que na fase retrógrada Vênus “toma a forma de um homem e anda pela Terra”(2). Então ele (Vênus) encontra a deusa do amor Xochiquetzal e a faz quebrar suas promessas de pureza… A partir daí as noites de Vênus são regadas a música, dança, bebida e amor e ele se casa com a deusa. Dessa união surge um monstro e o jogo passa a ser no mundo inferior, jogo que Vênus perde e por causa disso ela/ele deve ser morta pelo Sol. Ele/Ela é de fato sacrificada pelo Sol, mas renasce depois como Estrela da Manhã, na forma feminina.

XOCHIQUETZAL
Xochiquetzal – Repodução de Google Imagens

Depois dessa união cósmica, certamente ela, Vênus, não será mais a mesma. Depois da Conjunção Inferior, o planeta vai ficando para trás do Sol, até que quando chega a aproximadamente 10 graus atrás do sol, alguns dias depois da conjunção, ele finalmente começa a aparecer no céu novamente, como a Estrela Dalva, a Estrela da manhã. Ao atingir cerca de 30 graus atrás do Sol, estaciona novamente e retorna ao movimento direto. Apesar do movimento direto, Vênus ainda está lento e após um mês ele atinge o ponto máximo de elongação ocidental ou Oeste, atrás do Sol cerca de 45 a 48 graus, neste ponto ele é associado a Eósforo (Fósforo), também filho da deusa da Alvorada e irmão de Héspero. Pouco mais de nove meses depois, metade do ciclo de 18-19 meses, ocorre a Conjunção Superior, chamada assim porque desta vez, é o Sol que fica no meio entre a Terra e Vênus.

Venus Dresden_Codex_p09
O “Dresden Codex” maia, que calcula as aparições de Vénus. Domínio Público – Ficheiros do Google

Vênus Retrógrado no Mapa Natal

A simbologia de todo este ciclo é muito rica e profunda. Vênus representa nossa capacidade e necessidade de socialização, de dar e receber afeto, nossos valores, auto-estima…  Assim, uma das características mais recorrentes quando o indivíduo tem Vênus retrógrado no mapa natal é a androginia psicológica. Isso é simbolizado pela a Conjunção Inferior, quando Vênus funde-se tanto com o Sol quanto com a Terra, incorporando as qualidades celestiais de Urania (Sol) e as qualidades terrosas e instintuais de Pandemos (Terra), qualidades femininas e masculinas; é simbolizado ainda no mito Mesoamericano, quando Vênus se torna masculino enquanto dança com a deusa Xochiquetzal.

Conjunção Inferior
Conjunção Inferior de 11 de janeiro de 2014, em Capricórnio
venus
Vênus – Reprodução de Google Imagens

Isso quer dizer que a pessoa tem um senso de completude e inteireza, sendo emocionalmente independente e livre, com um corpo de valores morais e estéticos muito próprios e completamente independentes dos valores sociais vigentes. Mas isso é algo que só vem com o tempo, porque até que a pessoa aceite e viva a partir desse código próprio e aceite a si mesma como diferente, ela passa por muita confusão e senso de inadequação e estranheza. Obviamente, sua relação com o corpo também é muito particular e Sullivan ressalta que essas pessoas “freqüentemente têm dificuldade de separar suas próprias necessidades daquilo que é esperado delas, então elas se retraem, seja numa negação ascética das necessidades corporais e demandas viscerais, seja nos aspectos sensuais da vida (…) As manifestações possíveis são inúmeras mas variam de relacionamentos múltiplos a praticamente celibato. A forma de expressar afeto é diferente dos modelos vigentes, e a pessoa tende a ser emocionalmente mais reservada”.

Venus5_004
A Flor de Lótus, padrão formado por sucessivos ciclos de retrogradação de Vênus – Reprodução de Google Imagens

Outro dom de Vênus retrógrada é a criatividade infinita, relacionada desta vez com a simbologia do número cinco e do Número Áureo. Nascer com Vênus retrógrada ou estacionário, diz Sullivan, “significa uma conexão poderosa com este Número de Ouro. A natureza introvertida e contemplativa desses indivíduos é altamente imaginativa e deve achar maneiras de externar o metafísico através do físico”.  Essas pessoas vivem normalmente à frente do seu tempo, ou num tempo diferente de sua época e seu senso estético pode ser totalmente avant-garde, lançando moda e ditando tendências, ou completamente incompreendido. De um  jeito ou de outro, eles precisam achar canais de expressão para toda essa imaginação e criatividade e assim, o mundo das artes está cheio deles.

Free-shipping-100-handcraftsart-Painting-repro-NUDE-NAKED-MAN-Gay-Male-Art-24x-36inch
Reprodução de Google Imagens

Particularmente, relaciono Vênus retrógrado no mapa natal com o que chamo de a “Síndrome do Patinho Feio”. A pessoa normalmente se acha e se percebe muito diferente da família de origem, tendo dificuldade de abraçar seus valores e tradições. Sua relação com o corpo também pode ser complicada e a pessoa pode se achar feia ou sem atrativos, pode ser vítima de bulling na família e na escola por ser tão diferente e “estranha”. A pessoa pode também se sentir não amada, ou sentir que por algum motivo não é digna de amor. Assim como o patinho feio, ela pode sentir-se uma estranha no ninho e clientes já confirmaram em consulta que chegavam a suspeitar terem sido adotados, tal o nível de diferenciação dentro de suas famílias.

A sexualidade é outra questão que pode ser tabu no início da vida, quando o indivíduo ainda não consegue pensar por si mesmo e não consegue compreender a si próprio e às suas emoções e formas de sentir, tão diferentes do que é considerado “aceitável” no meio em que vive. E há ainda relatos de abusos sexuais, embora isso não seja regra. Contudo, como todos sabemos, a estória do patinho feio termina bem. O patinho não é um patinho, é um cisne, cujo ovo foi perdido pela mãe-cisne e adotado pela mãe-pata. Ao crescer torna-se um cisne belíssimo e vai em busca de sua própria “turma”. Gradativamente o indivíduo vai percebendo que apesar de se sentir “diferente” isso não necessariamente quer dizer “errado” e, se estiver no ambiente adequado, pode aprender a se aceitar como é, manifestando seus melhores potenciais. Se este ambiente não é tão favorável, mesmo assim, funciona como motivador e catalizador para que a pessoa parta numa busca ou saga de auto-entendimento fora dali. O caminho dessas pessoas nunca é fácil, mas certamente é muito rico e profundo, assim como a simbologia do ciclo Venusiano.

dimitar voinov
Dimitar Voinov – Reprodução de Open Art Group

Vênus Retrógrado em Trânsito

Quando Vênus fica retrógrada em trânsito, “algo misterioso toma lugar, uma reformulação da ordem natural, um retorno a um lugar ideal onde tudo o que é manifesto pode parecer com uma replicação simplificada da perfeição cósmica”(3). Assim como o planeta desaparece de nossas vistas, recolhendo-se para um lugar desconhecido e misterioso, que nossa limitada percepção não consegue alcançar, assim também, de certa forma nos recolhemos. Nesse tempo de introspecção sutil – sim, porque precisamos continuar funcionando no mundo – ocorre uma reavaliação interna dos nossos valores; dos nossos relacionamentos e da reciprocidade existente ou não neles; de nossa auto-estima. Porém, como a retrogradação de Vênus é uma das mais inconscientes, é possível que nem percebamos o que ocorre, e então, nos pegamos rompendo relacionamentos amorosos ou de amizade, sentimo-nos isolados, diferentes. Como em tudo o que é cíclico, não há começo ou fim, apenas uma espiral evolucionária, em que a cada vez em que o ciclo é ativado, ele ressoa a partir de todos os outros, pois são inseparáveis e falam dos mesmos temas, seja no passado ou no futuro. É útil então olhar para os ciclos anteriores e recordar o que ocorria no período. Vale a pena refletir sobre o que era importante para você naquela época, quais eram seus valores, a quantas andava sua auto-estima, como estavam seus relacionamentos, como estavam suas finanças… Essas perguntas adquirem mais significado se você souber em que área do seu mapa natal esse trânsito ocorre e se a conjunção Inferior faz aspecto com algum planeta no mapa.

440px-Francesco_Salviati_005
Kairos – Francesco Salviati – Wikimedia – Reprodução

Em termos práticos, de modo geral, quando Vênus está retrógrada, é aconselhável um retiro estratégico, uma desaceleração da vida social para que as condições para as mudanças sutis que precisam ocorrer sejam favoráveis e para que nos sintonizemos com nosso mundo interior. Assim, ao invés de reclamar de solidão, dê-lhe boas vindas e faça aquelas atividades para as quais nunca tem tempo por causa do frenesi da vida diária; procure a Natureza e contemple-a em meditação passiva (parado) ou ativa (com movimento). Medite sobre a qualidade dos seus relacionamentos; reveja seus valores – eles continuam a refletir quem você é ou quem está se tornando? Reveja sua relação com o mundo e com seus recursos materiais; reveja sua relação com os assuntos da casa em que Vênus trafega atualmente (* veja relação básica abaixo). E reveja o que acontece com o signo em questão no seu mapa individual, se há planetas ou pontos importantes e como você se relaciona com estes arquétipos e princípios.

(*)Vênus retrógrada em trânsito leva a questionamentos nos assuntos da casa em que trafega. Veja os significados básicos das casas do mapa natal:

Casa 1 – O Eu, a forma como você vê a vida em geral, como é visto  pelas outras pessoas, sua identidade

Casa 2 – Valores, recursos materiais e imateriais, talentos, dinheiro, como você ganha e como gasta dinheiro

Casa 3 – Comunicação, educação, irmãos, ambiente imediato, viagens curtas

Casa 4 – Família, o clã, o Pai, o lar, a casa, o passado familiar, as origens

Casa 5 – Criatividade, auto-expressão, artes, recreação, lazer, romances, jogos, como você relaxa

Casa 6 – Trabalho cotidiano, emprego, serviço, corpo, saúde, rituais diários, animais de estimação

Casa 7 – O outro, relacionamentos, casamento, parcerias afetivas ou profissionais, litígios,

Casa 8 – Transformação, renascimento, sexualidade, o que se partilha na intimidade, os valores e o dinheiro dos outros

Casa 9 – Educação Superior, filosofia de vida, fé, religião, viagens longas, outras culturas

Casa 10 – Imagem Social, seu papel no mundo, vocação, carreira, a mãe.

Casa 11 – Amigos, networking, projetos de longo prazo, associações diversas.

Casa 12 – O inconsciente pessoal e coletivo, Carma, motivações escondidas, redenção

(Leia sobre Marte Retrógrado)

Referências bibliográficas

(1), (2), (3) – Retrograde Planets – Traversing the Inner Landscape – Erin sullivan – Samuel Weiser, 2000.

erin

A Semana Astrológica – O que ela quer da gente é coragem!

visualize usSemana de 24 a 30 de agosto

Semana de Lua Cheia, que vem frutificar as intenções e as sementes plantadas na Lua Nova de Leão. A Lua oficializou o Primeiro Quarto, o Crescente no domingo. Torna-se Corcunda no meio da semana e cheia no sábado.

Por aqui, problemas tecnológicos resolvidos, tento voltar ao rítmo normal da vida – mas e existe essa coisa de “normalidade”? A semana começa de forma bem caótica para mim e sou interrompida na produção deste texto inúmeras vezes para atender demandas diversas de familiares em crises medianas – cunhada, irmão, sobrinhos; amigos em crises extremamente graves que exigem ações imediatas; e até mesmo vizinhos e parentes indiretos precisando de socorro… Comigo mesmo, tudo em paz e felizmente estava apta a emprestar ouvidos e atenção… Mas a tensão se mostra inequívoca. Possivelmente esse “emprestar de ouvidos” tenha a ver com o sextil minguante que Mercúrio em Virgem faz a Saturno em Escorpião, o último aspecto maior antes que ocorra uma nova conjunção.

pontesAlém da Lua Cheia, o outro grande acontecimento da semana é Mercúrio ingressando em Libra no dia 27, quinta-feira, onde ficará retrógrado no dia 17 de setembro, a 15°55’ deste signo. A retrogradação ocorrerá de 15 de setembro a 09 de outubro e se dará, toda ela, no signo de Libra. Em Libra Mercúrio está relativamente confortável, porque ele tem em comum com este signo o desejo de construir pontes. A comunicação adquire um tom super civilizado e queremos de fato escutar o outro e fazê-lo se sentir compreendido. Mercúrio em Libra também aponta para um grande interesse mental e analítico em relacionamentos – pensamos muito sobre, isso, falamos sobre isso, escrevemos sobre isso, etc.

demonsInteressante que Saturno ingressa em Sagitário no dia 17 de setembro, mesmo dia em que Mercúrio fica retrógrado. Isso adiciona momentum, como se o tempo parasse um pouquinho para digerimos melhor todo o trabalho empreendido por Saturno em Escorpião e ainda temos ainda três semanas pela frente para acabar o dever de casa…  Saturno está deixando Escorpião e a tensão aumenta consideravelmente porque somos acometidos de urgência, como se o tempo estivesse se esgotando para terminar algo ou entregar algo que nem sabemos bem o que é… Sim, todas as tarefas devem ser concluídas, as tarefas referentes a purgação dos conteúdos sombrios e estagnados que impedem nosso amadurecimento emocional e geral; lidar com a sombra, com o medo da entrega e a consequente necessidade de controlar tudo e todos ao nosso redor… Encarar a verdade sobre nós mesmos, sem desculpas esfarrapadas. Se não concluímos as tarefas de agora, comprometemos o próximo passo, a reavaliação das nossas crenças que nos levará a uma expansão espiritual mais estruturada. E daqui a 7 anos a conta poderá ser mais alta e mais difícil de pagar!

coragem-e-medoSaturno em Escorpião terminando as provas finais, de fato, adiciona um peso extra sobre nossos ombros e cabeças, a semana ficando bastante tensa, e, mesmo nos dias de mais leveza temos consciência de um pano de fundo denso e mais carregado. Entretanto, a conjunção Sol-Júpiter em Virgem pode ajudar a trazer perspectiva e mais otimismo, além de adicionar coragem e animo – se conseguirmos nos abrir a isso, claro! Contudo, depois do encontro jubiloso com Júpiter, o Sol se dirige à oposição a Netuno – exata entre os dias 31 e 1° – e todo esse otimismo pode ficar embotado e dispersado numa névoa de incerteza ou de irrealidade paralisantes. Para onde mesmo estávamos indo? O quê mesmo estávamos buscando? Júpiter na equação, mesmo de forma separativa, pode potencializar nossos receios e paranoias e ao invés de buscarmos transcender tais receios de forma racional, tornamo-los em um grande bicho-papão que inunda nossa mente e coração de preocupações e ansiedades medonhas que colorem o futuro de cores tenebrosas e a vida de repente pode virar um caos em que perdemos a noção exata das coisas. Em tais circunstâncias, ficamos suscetíveis à má alheia e isso requer cuidados na hora de fazer negócios em geral e nos encontros diversos que a semana trouxer – grande potencial de engôdos, ilusões e desapontamentos, especialmente aqueles causados por nossa própria incapacidade de lidar com a realidade e nosso desejo infantil de viver uma vida dourada perfeita. A sensibilidade fica acentuada, mas precisamos fincar os pés no chão para que ela nos seja benfazeja e não nos cause problemas. Aqui, lembramos Guimarães Rosa, quando diz “o correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”. Pois sim, pois bem! Coragem! Precisamos ter e encontramos se olhamos fundo o bastante dentro de nós.

abraçoInteressantemente, temos a Lua Cheia ocorrendo exatamente neste contexto ilusório de sensibilidades realçadas e magnificadas. A Lua Cheia acontece em conjunção a Netuno e oposição a Júpiter, formando ainda uma T-Square fora de signo com Saturno em Escorpião… Uma confrontação bastante necessária entre nossas fantasias urobóricas, nossos desejos irreais de redenção e a realidade da dimensão das Moiras que controlam o destino e experiência terrena percebida e vivenciada como fatídica e inexorável. É hora de crescer sem se deixar enrijecer, sem perder a fé e a esperança – e sem também desmerecer ou desautorizar a dimensão mágica da imaginação e da criatividade, que fertiliza e fecunda a vida.

A Lua viaja no Primeiro Quarto pelo signo de Sagitário; torna-se Corcunda em Capricórnio, enche-se de ideais maiores em Aquário e torna-se plena e cheia em Peixes, no sábado. Fecha a semana sonhadora e mágica, ainda em Peixes. Nesta jornada cíclica ela conversa de forma tensa ou fluida com todos os demais corpos celestes.

Alexandre Matos balãoA SEGUNDA-FEIRA abre a semana com o Sol entrou já em Virgem  caminhando a passos lentos para o encontro com Júpiter. A Lua Sagitariana forma um Grande Trígono de Fogo com Urano em Áries e Vênus em Leão. A Lua ainda faz quadratura a Quíron em Peixes e Mercúrio em Virgem, ficando fora de curso depois deste contato com Mercúrio, às 19h04min – entra em Capricórnio somente à 01h23min da terça-feira. A semana começa de forma bastante entusiasmada, cheia de vigor e impulso, o que nos predispõe a ser mais otimistas e a encarar os desafios com coragem e ousadia. Acordos com o ímpeto de nos aventurar um pouco mais e de olhar para as dificuldades com mais humor, buscando descobrir um sentido maior e mais profundo “nisso tudo” que nos acontece ou que atraímos para nossa vida. Hoje nos recusamos a ser esmagados pela mediocridade da vida, pelas mesquinharias e problemas menores e realmente, se estivermos dispostos, temos às nossa disposição recursos que podem nos alavancar na direção de um maior entendimento das amarras que nos tolhem, percebendo que se existem, é porque nós também buscamos por elas de alguma forma – por mais que nos ressintamos, elas têm (ou tiveram) sua utilidade. Contudo, em algum momento há conflitos que demandam atenção. Essa visão maior e tão otimista é desafiada exatamente pelos detalhes que julgamos mesquinhos e prosaicos por demais – ou talvez os releguemos à categoria de “prosaicos” para não perceber o quanto, no fundo, são bem dolorosos, o quanto na verdade pesam a atmosfera. Sentimos de forma grandiosa, mas a mente insiste em trazer à tona seus muitos dilemas e detalhes técnicos que nos puxam para um mundo mais real e prático, especialmente o mundo real das limitações intransponíveis do mundo palpável. As interações ficam sujeitas a rompantes de grosseria ou inflexibilidade, em que tentamos impor nosso ponto de vista a qualquer custo, talvez porque tememos nossas próprias dúvidas. Precisamos, pois, buscar um sentido para “isso tudo”, mesmo que aparentemente nada faça sentido e tentar olhar tudo com leveza e quem sabe até, algum humor. Não se trata de bancar o palhaço mascarado que esconde o desespero a qualquer custo, mas exatamente de buscar no riso uma forma de ter perspectiva e de aceitar com graça essas coisas que não têm conserto ou das quais não podemos fugir.

FundoDona Lua já está bem redonda na TERÇA-FEIRA. De Capricórnio se alinha com o Sol e Júpiter em Virgem. Depois se irrita com Vênus, dialoga com Netuno em Peixes, se indispõe com Marte e finda a noite já em conjunção a Plutão. Mercúrio faz sextil a Saturno, exato amanhã e o Sol já se beneficia das benesses Jupiterianas, conjunção plena também amanhã. Dia para se empenhar no trabalho de forma concentrada , mas também animada. Há grande disposição e espírito empreendedor para resolver quaisquer tarefas que se apresentarem diante de nós. Conseguimos organizar as horas e o dia de forma a tirar o melhor proveito do tempo, de forma dinâmica, ágil e resoluta.  Mesmo a mais tediosa das tarefas tem sua razão de ser e hoje a fazemos com alegria e senso de dever. Isso porque estamos alinhados internamente com o que é essencial e o essencial, quando compreendido, não é pesado, mas flui naturalmente e com ele fluímos nós. No fim do dia as influências favorecem que nos engajemos em temas profundos e que exijam nossa atenção completa – os contatos são mais intensos e talvez até ásperos, se não nos damos conta da vibração mais densa do momento. Não é hora para conversas leves e artificiais, pelo contrário, é hora de nos lançarmos a encontros profundos, com grande seriedade e dispostos a sair deles transformados.

Valerie JodimA Lua inaugura  QUARTA-FEIRA amalgamada a Plutão, num abraço intenso e magnético. Faz quincunce a Vênus e sextil a Quíron. Mas também faz quadratura a Urano e sesqui-quadraturas à conjunção Sol-Júpiter, que está exata hoje… Como o Sol e Júpiter também fazem sesqui-quadraturas a Urano, temos formado um Martelo de Thor*. Ao fazer este aspecto ao Sol a Lua se Corcunda, a fase pré-cheia, uma fase em que elencamos todos os nossos recursos e focamos nos objetivos de forma bastante determinada. Mercúrio está em sextil a pleno Saturno. A atmosfera fica bastante carregada e mais desconfortável hoje porque não conseguimos precisar com exatidão o que há de errado, estando apenas cientes da sensação incômoda lá num canto escuro da mente ou do coração. Sol-Júpiter, a princípio, vem revigorar nossas esperanças e estimular nossos otimismo. Mas para que isso seja efetivo precisamos antes lidar com o criticismo interior, com o algoz interno para quem nada está bom o bastante. Podemos florescer e se regozijar com o trabalho e as responsabilidades, mas há um ressentimento com a irresponsabilidade e liberdade alheias, secretamente invejadas por nós e nossa persona ultra-coerente. A tensão Lua-Urano torna-se fonte de grande estresse que pode se manifestar de maneira bastante compulsiva, ao assumirmos tarefas em excesso, abocanhando mais do que podemos mastigar ou engolir. Precisamos provar a todo custo – para quem, mesmo? – nossa capacidade extrema de resolver problemas e de dar conta de tudo, com todos os relatórios e análises devidamente encaminhados. Auto-suficiência é sem dúvida uma grande virtude, mas tudo em excesso torna-se problemático e destrutivo. Nossa grande teimosia, rigidez e obsessão com controle pode nos afastar de relações e trocas profundas e verdadeiras e pode nos afastar, inclusive, de nós mesmos.

thesuperbeingsDepois de lidarmos com a culpa e o auto criticismo feroz, talvez possamos, de fato abrir-nos à expansividade Jupiteriana e deixar um pouco de lado as defesas e o ceticismo Virginianos. Abrir mão também do excesso de detalhismo e estreiteza, para ousar perceber o mundo e as circunstâncias que nos cercam de maneira mais ampla, positiva e quem sabe até, mais relaxada, espontânea e leve. Virgem pode trazer uma saudável dose de moderação e senso comum a Júpiter, enquanto Júpiter pode ampliar o senso de perspectiva, normalmente estreito, de Virgem – temos como resultado uma “fé pé no chão”, por assim dizer. Se formos capazes de relaxar um pouco, a despeito de todas as dificuldades e incertezas que nos cercam, podemos nos permitir sentir bem, para variar, tanto em termos de nossas atividades externas e mundanas, quanto em termos mais intimistas e psíquicos. Podemos correr alguns riscos e nos aventurar por novas paragens, sejam elas físicas ou filosóficas; podemos flertar com o exótico e o diferente, sem necessidade de rotular imediatamente, como ditaria nossa defensividade viciada.  Mas, especialmente, podemos buscar a elevação espiritual a partir dos nossos rituais diários, das atividades prosaicas e menores, porque é nelas que manifestamos nossos aprendizado e evolução. Podemos buscar o Deus das pequenas coisas, que se manifesta também em nós, grãozinhos de areia perdidos nas praias cósmicas. E percebendo-nos pequenas manifestações do divino, colocar-nos a serviço do melhoramento de todos e do todo, não somente do meu próprio engrandecimento pessoal.

bridgeA Lua Capricorniana se afina medianamente com Saturno e mais abertamente com Mercúrio em Virgem na QUINTA-FEIRA. Ingressa em Aquário às 05h05min, de onde já se irrita com Júpiter e com o Sol Virginianos e confrontando de forma ainda mais beligerante a Marte em Leão no fim da noite. Mercúrio ingressa em Libra às 12h44min, onde ficará até o dia 02 de novembro, devido ao período de retrogradação. Dia que começa com muitas agulhadas desconfortáveis que podem nos tirar do sério e ser gatilho para nosso rebeldia mais extrema. Encontramos um criticismo enervante em nossos pares – ou talvez sejamos nós que manifestamos esse lado ranzinza em relação a outros – que só nos afeta, porque, no fundo, há grande desacordo interior entre nossas necessidades e as obrigações e desejos mais conscientes – aliás, consciente e inconsciente empreendem uma discussão irritante por si só, que pode atrapalhar bastante o andamento das atividades e toldar o que poderia ser um dia mais ameno e solto. Porque não conseguimos controlar nossa inquietude, tentamos controlar rigidamente o ambiente imediato, demandando que tudo saia do nosso jeito e nosso ritmo, o que pode levantar grande antagonismo aonde formos. A melhor política é mesmo olhar para si e perceber “o que é que está pegando” interiormente, tentando chegar a um acordo conosco mesmos. Mercúrio ingressando em Libra pode ajudar nessa mediação e conciliação dos vários elementos conflitantes, a construir uma ponte sobre abismos que pareçam intransponíveis, mas ainda teremos que lidar com uma boa dose de irritação e indocilidade, que pode sim, se manifestar como hostilidade e contendas no mundo exterior. Fiquemos atentos para não nos envolvermos em disputas de ego que só desgastarão energia preciosa.

triangulo amorosoEste clima belicoso abre a SEXTA-FEIRA colorindo o dia, novamente, de antagonismo. A Lua se opõe a Marte e a Vênus Rx, que já estão muito próximos de uma conjunção. A Lua ainda intui algum descompasso vindo de Mercúrio e mais tarde se afina com seu regente Urano em Áries. Dia propenso a triangulações e discussões acaloradas e ideológicas. Mas está propenso também a triângulos amorosos e a disputas e competições afetivas, na base do “quem vale mais aqui”. Emocionalmente, temos dificuldade em harmonizar o que sentimos com a aforma como expressamos e podemos emitir mensagens contraditórias e inconstantes, ora sendo efusivos, ora sendo glaciais e indiferentes. O conflito pode ficar entre adotar uma postura mais racional e desapegada, ou assumir nossa paixão e entusiasmo sem receios. Dirimindo a dúvida interna, podemos nos permitir mostrar nosso lado mais generoso e calorosa com aqueles que nos cercam. O dia pode então adquirir tons mais leves e espontâneos, mais alegres e sociáveis. À noite porém, o clima volta a ficar tenso com a quadratura que dona Lua faz a Saturno, seu regente. Sentimentos de inadequação nos deixam defensivos e super sensíveis, vendo rejeição onde talvez nem exista… Erguemos muros altos à nossa volta e sinalizamos que não precisamos de nada, quando na verdade, estamos famintos de amor e atenção. Admitir isso para nós mesmos e lidar com o imbróglio pode ajudar a dissipar o mal-estar.

etsy.A madrugada de SÁBADO ainda traz muito dessa angústia e ansiedade, mas o dia vê a Lua ingressar em Peixes e ser Cheia às 15h35min (18h35min no horário de Lisboa). A Lua Cheia faz desembocar um grande aguaceiro de sensibilidade, potencializado e ampliado pela oposição a Júpiter. As emoções e sentimentos são intensos, sentimos de maneira grandiloquente, tendo dificuldades de colocar limites psíquicos, ficando expostos às correntes exteriores, que podem nos invadir e tomar de roldão. A Lua Cheia intensifica as emoções, trazendo os assuntos ao seu apogeu; Júpiter expande e exacerba; e Netuno torna tudo mais difuso e espalhado… Precisamos achar canais positivos e criativos onde derramar tanta sensibilidade, do contrário, o dia vira um grande vale de lágrimas e de sensações confusas e ansiosas. A Lua Cheia nos pergunta como nossa criatividade pode melhorar nossa busca espiritual e como não deixar que as ocupações diárias e mundanas nos afaste do nosso centro e da busca por transcendência. Nossa vida é um trabalho artesanal, ditado pela verdade da nossa alma e pelo entendimento profundo que a alma tem da nossa jornada e das tarefas e incumbências que temos nesta vida. Nossa vida reflete os ditames de nossa alma?

coração fechadoNo DOMINGO a Lua Cheia, ainda em Peixes, chorosa, cutuca Marte e Vênus em Leão e ao se afinar com Plutão por sextil, forma Yods com Vênus-Marte, já que os dois também estão em quincunce com Plutão. No fim do dia a Lua faz conjunção a Quiron e fecha a noite em trígono a Saturno. O Domingo fica bem melindroso e aguado. Sentimo-nos vitimados pelo egoísmo alheio ou apontamos, com cara de mártir, o que julgamos ser o egocentrismo dos outros. Sim, nosso lado egoísta precisa ficar atento para os outros à nossa volta e para a repercussão que nossos desejos e atitudes pessoais possam ter no todo. Mas quem somos nós para julgar? Orgulho bobo também pode nos impedir de reconhecer o erro e oferecer nossa contribuição única na resolução dos problemas, de maneira que, quando percebemos, estamos magoados, defensivos e nos sentindo rejeitados ou abandonados, e se não cuidamos, resvalamos no complexo da vítima – pobre de mim! Talvez seja a hora de perceber que nossas dificuldades e mazelas podem nos unir porque reconhecemos no outro a imperfeição e miséria que também enxergo em mim e ao invés de nos separar pelos julgamentos, pode nos aproximar, se apenas conseguirmos olhar as coisas pelo viés da solidariedade.

Uma linda semana para você!Que a despeito dos desafios, encontremos paz no coração e coragem de continuar nossa jornada com alegria e destemor!

 

 

tomaz alen kopera

LEÃO: a busca por si mesmo e pelo Pai Espiritual

leo (1)O Fogo e a a Triplicidade do Espírito: LEÃO

Como todo signo de FOGO, Leão é CONFIANTE, Carismático, DRAMÁTICO, Vivaz, Entusiasmado, INTUITIVO e cheio de fé na vida. Ele é Fogo FIXO. Masculino, Positivo, Ativo. O símbolo remete à cauda do Leão, ou mesmo à sua grande juba, característica do Rei das Selvas e dos animais.

LEALDADE, MAGNÂNIMIDADE, GENEROSIDADE e calor são algumas das principais qualidades de Leão. Romântico e idealista chega mesmo a ser inocente. Às vezes. Outra de suas principais habilidades é perceber e valorizar o potencial que há no outro, além de INSPIRAR CONFIANÇA, sendo ele mesmo muito CONFIANTE. Quando fora de equilíbrio essa confiança pode tornar-se ARROGÂNCIA e ao invés de confiante ele torna-se INSEGURO e busca compulsivamente ser o centro das atenções – mas só quando em desequilíbrio! Às vezes ele pode mesmo ser vítima do “complexo do impostor”, tamanha a insegurança e segue temendo “ser descoberto” a qualquer momento.

leo1
Iconografia Medieval – Reprodução

Regente do CORAÇÃO, de modo geral tudo a que o Leonino se aplica é de CORAÇÃO, não faz nada pela metade. HONRA, INTEGRIDADE e HONESTIDADE são também importantes aqui, porém é preciso vigiar para combater o vício do ORGULHO e da Vaidade. DRAMA é outra característica forte e é comum encontrar os leoninos balançando suas jubas no mundo da atuação, seja no teatro, no cinema ou na TV. Ele precisa do palco, dos holofotes, da atenção e dos aplausos do público. Ele é ESPECIAL e único. Precisa de brilho e glamour. Teatral, adora também o Romance.

leo playing
Reprodução

Leão é o regente da Casa Cinco da Mandala Astrológica, a casa das crianças, dos filhos, da criatividade, dos talentos artísticos, da diversão, do prazer, dos hobbies, do flerte, do namoro e do sexo sem compromisso, do relaxamento e também dos jogos e especulações. Assim, Leão está muito associado à idéia da diversão e da alegria, àquilo que a gente faz por prazer e não por obrigação. Especialmente, Leão nos fala da criança que há em nós, aquela parte de nós que nunca cresce, que é espontânea, inocente, feliz e confiante na vida.

A principal criação de Leão é tornar-se ele mesmo. Leão vive uma jornada mítica, cujo objetivo é “crescer em direção à realização e expressão da autenticidade pessoal, integridade e autoridade, que não seja dependente da opinião dos outros” (Clare Martin) (1).

leoo
Reprdoução

Liz Greene diz algo parecido: “Leão parece descrever o desenvolvimento da essência única individual e sua busca pela fonte”. (os parágrafos seguintes, em itálico, configuram um resumo da mitologia do signo de Leão, como aparece em seu livro A Astrologia do Destino). Ela discorda da idéia generalizada de Leão seja um signo fortemente criativo, e nos lembra que há muito mais geminianos, cancerianos e piscianos nas artes em geral. “Eu sinto que a grande criação do Leão é ser ele mesmo”, diz Greene.

Assim como Capricórnio, como Áries e Sagitário, o tema principal do Leão gira em torno da figura do Pai. Em cada um desses signos encontramos uma faceta diferente do pai e em Leão ele é o pai doente, impotente, comandando um reino devastado e à espera que o filho venha redimi-lo.

220px-GD-EG-KomOmbo016
Sekhmet – Deusa Solar do Egito – Wikimedia Commons

A figura do Leão como rei dos animais e das selvas é um tema universal. Nas mitologias babilônica e egípcia ele já era bastante conhecido, sendo cultuado como Sekhmet, uma deusa solar. Na mitologia grega ele aparece numa das tarefas de Hércules, a que ele tem matar o Leão de Nemeia. Ele teria que matar o animal sem nenhuma arma, somente com as próprias mãos, um animal que era praticamente invulnerável. Mesmo assim, Hércules conseguiu matá-lo pegando-o pela garganta e estrangulando-o. Depois disso ele transformou sua pele e cabeça num traje que usaria para sempre, simbolizando que tinha assumido os poderes e qualidades associados ao leão. Liz Greene lembra que a batalha entre homem e animal é um motivo arquetípico universal dos mais antigos e simboliza a luta do ego em desenvolvimento com os instintos, que devem ser domados para que ele se torne de fato, um indivíduo, e não um número na massa inconsciente.

heracles-slays-the-lion-of-nemea
Hércules lutando com o Leão de Nemeia – Reprodução

O leão aparece em várias estórias e mitos, acompanhando deuses e deusas diversos. Ele aparece também na mitologia, em diversas fases da Opus alquímica, como a Calcinatio, por exemplo, em que é necessário cortar-se as patas do leão para se domar os desejos.

leaopata
O Leão alquímico com as Patas Cortadas – Reprdoução

Existe também a figura do leão verde devorando o Sol, simbolizando a experiência da consciência que é esmagada e engolida pelos desejos violentos e frustrados. Porque o leão deseja, deseja muito! Sobre o Leão alquímico Jung diz: “na alquimia, o leão, a besta real, é um sinônimo pra Mercúrio, ou, para ser mais acurado, para um estágio de transformação. Ele é a forma de sangue quente do monstro predador e devorador que aparece primeiro como o dragão… Isso é precisamente o que leão destina-se a expressar – a emotividade apaixonada que precede o reconhecimento dos conteúdos inconscientes”.

leao verde
O Leão Verde Alquímico – Reprodução

Liz Greene lembra que as criaturas de água são criaturas de sangue frio: o caranguejo, o escorpião, o peixe. Já o leão tem sangue quente e está associado a um erotismo inequívoco, a concupiscência e orgulho, assim como a impulsos agressivos, sejam eles saudáveis ou destrutivos. Porém, se não é possível domar um caranguejo ou escorpião, certamente o leão é domável e desde a antiguidade eram mantidos em palácios como companhias e bestas reais. O simbolismo disso é que o rei deveria ser capaz de lutar com suas paixões, pois “o homem que não consegue conter seus impulsos fogosos, não pode governar a outros, nem servir como exemplo para eles”. Assim, o leão representa um estágio do processo de individuação, pois há um trabalho alquímico a ser feito. O leão tem que se transformar da forma bestial original em algo mais, tem que aprender a domar seus instintos. Este processo pode ser bastante doloroso para o leão “cujo coração de criança é profundamente ferido pela reação dos companheiros a seus excessos. Ele teve ‘a melhor das intenções’, mas parece que os outros não apreciam. Mais freqüentemente eles ficam mesmo zangados”. Assim, ele está destinado a seguir numa busca pelo auto-entendimento. E esse é o tema principal da estória mais fortemente associada a leão, que é a Lenda de Parsival e o Graal.

parsifal

Parsival era um jovem meio tolo, mas muito entusiasmado. Ele não conheceu seu pai. Foi criado somente pela mãe numa floresta longe de qualquer cidade ou comunidade – esse inicio de vida sem a figura do pai é algo comum no padrão de Leão. Um dia aparecem cinco cavaleiros na floresta onde ele mora e parsival fica tão fascinado e encantado que decide se tornar cavaleiro também. Sua mãe não gostou nada da idéia, mas ele não quis saber, foi grosseiro com ela e foi embora sem nem dizer adeus. Ela morreu em seguida de tanta dor e pesar – o Leão é mesmo meio grosseiro e tolo no início da vida. No caminho apareceu um cavaleiro vermelho, com quem ele lutou sem motivo e a quem matou, usando depois sua rmadura – o vermelho, diz Liz, é uma associação imediata à passionalidade do Leão. Ele andou, andou e por fim chegou ao fim da estrada, que acabava num rio. Ele viu um pescador que o ensinou o caminho para o castelo do Graal. De repente, o castelo apareceu, do nada, materializando-se diante de seus olhos e deixando-o estupefato. O portão estava aberto, porque, misteriosamente, ele era esperado pelo Rei-Pescador doente. O rei estava doente, na coxa ou na virilha, simbolizando a impotência e incapacidade de procriar porque é sua masculinidade que está ferida. Uma visão então apareceu para Parsival, uma espada, uma lança que pingava sangue, uma donzela que trazia o Graal de ouro e incrustrado de pedras preciosas, e uma outra donzela carregando um prato de prata. Esses quatro objetos sagrados estão relacionados aos naipes do Tarô: Espadas, Paus, Copas e Ouros. Lembram ainda também a quaternidade, que simboliza a inteireza do Self.

Indiana Jones-Graal
Parsival em busca do Graal – Reprodução

Parsival viu esses objetos passarem diante dele, numa cerimônia solene, mas não disse nada, Ele se recolheu para dormir e viu que o castelo estava deserto. Ao sair, uma outra mulher lhe disse que ele tinha acabado de falhar terrivelmente. Ele deveria ter perguntado: “A quem serve o Graal?” para que o rei fosse curado e o reino restaurado. Ele foi apresentado ao seu destino pela primeira vez, e falhou. Assim, vagou e vagou muitos anos e só encontrou o castelo novamente depois de ter conseguido a necessária maturidade e compaixão. Ele não era capaz de sentir ou de sofrer e isso fica claro pela forma como abandonou sua mãe sem pensar duas vezes e por ter matado o cavaleiro vermelho sem motivo. Jung diz que “sua real ofensa está na primitiva falta de ambigüidade do seu comportamento, que surge da inconsciência do problema interior dos opostos. Não foi o que ele fez, mas o fato de ele ser incapaz de avaliar o que fez”. Essa inocência desajeitada é parte do Leão jovem, como o fato de não ter pai. E parece que o Destino, diz Liz, apresenta a visão do Graal antes que ele esteja pronto para entendê-lo. O que quer que o Graal seja, sucesso pessoal, o destino espiritual, parece aparecer para Leão sem esforço, através da intuição, que é um dos atributos do Fogo.

Perceval-Chretien
Parsival – Chrétien de Troyes – Wikimedia Commons

Depois de muito andar, ele novamente encontra o castelo e toda a experiência se repete. Então ele é capaz de fazer o seu papel e fazer a pergunta, que quer dizer, na verdade uma pergunta básica que se faz diante das coisas importantes; “o que significa tudo isso?” Tão logo ele pergunta, o rei é curado e ele descobre que ele é na verdade seu avô, ou, em outras versões, seu próprio pai. O reino é restaurado e Parsival se torna então o rei.

Sign_of_Leo,_Islamic_Zodiac
Leão no Zodíaco Islâmico

O mito do Graal fala da busca pelo pai. A principio, na vida do Leão, parece a busca pelo pai biológico, mas depois fica evidente que é algo mais, que a busca é pelo Pai Espiritual, em ultima análise, uma busca pelo Si Mesmo, o mais profundo valor da vida. Obviamente Leão não é o único signo que busca individuação, já que parte do desenvolvimento do ser humano, mas esse mito parece mostrar um padrão misterioso da vida de Leão. Leão, como Capricórnio e Áries geralmente vivencia uma decepção com o pai, que é impotente de alguma forma. Mas ele precisa descobrir e buscar o castelo do Graal, para redimir não só ao pai pessoal, mas a si mesmo.

dalizodiac_leo
Leão – Salvador Dali – Reprodução

Leão é regido pelo Sol, e não podemos deixar de falar do deus Apolo, o deus  solar por excelência. Apolo era um deus das profecias e o Oráculo de Delfos, dedicado a ele e centrado em seu templo, era procurado por todos que queriam colocar questões aos deuses. No pórtico do templo se lia “Homem, conhece-te a ti mesmo”. Apolo na verdade conseguiu seus poderes proféticos e curadores ao vencer a serpente Pyton e submetê-la à consciência solar e ao Ego. Os poderes ctônicos e primitivos da Grande Mãe utilizados pela consciência solar.

O Sol 2
O Sol – Regente de Leão – Maria Eunice Sousa

A vida é polaridade, e o oposto complementar de LEÃO é AQUÁRIO. Enquanto Leão é o Rei, Aquário é o Reino. Leão nos mostra onde somos especiais e únicos, Aquário nos diz que somos comuns e iguais a todo mundo. É necessário integrar essa polaridade e perceber que “todos somos especiais E iguais” (Frank Clifford).

SONY DSC
Leão nos vitrais da Catedral de Chartes – França

Também fazem parte da SOMBRA de Leão a síndrome de “Eu, o Rei”, quando ele torna-se insensível e egoísta e acha que os outros são extensões dele mesmo; a síndrome do “Eu sei o que é melhor para você”, quando ele, com a melhor das intenções, se torna intrometido dizendo-lhe o que fazer com sua vida, mesmo que você não tenha perguntado, nem pedido seus conselhos; e ainda a síndrome do “Sabe-Tudo”: ele é um rei, como um rei pode não saber alguma coisa? É difícil para Leão admitir que não sabe ou não consegue fazer alguma coisa. Isso o torna pedante, um chato, às vezes.

Leo-bonatti
A constelação de Leão – Guido Bonetti – Wikimedia Commons

O que fazer com esta sombra? Primeiro, “estar consciente de si mesmo e de suas possíveis falhas; segundo, estar consciente da existência e das necessidades dos outros, dando-se conta do impacto do seu comportamento nas outras pessoas, permitindo que elas sejam independentes e dando-lhes seu devido crédito” (Liz Greene) E não menos importante, Leão precisa investir tempo e esforço em sua própria expressão criativa, para que não fique com inveja e tente roubar o brilho dos outros.

Arquétipos e Mitos

O Rei; O Pai impotente; A Jornada do Herói em Busca de Si Mesmo; Parsival e o Graal;  O Rei Artur e a Távola Redonda; O Rei Doente e a Terra Devastada; A Criança Divina;

Johfra-Bosschart-Leo-3x4.1
Leão – Johfra Bosschart – Reprodução

Meditação de Leão

Deite-se ou sente-se de forma confortável. Respire profundamente várias vezes até relaxar completamente. Visualizae agora que está num jardim bonito e bem cuidado. É um dia de verão e o Sol é cálido na sua pele. No centro do jardim há uma árvore, enorme e frondosa. De um de seus galhos pendem dois balanços. Num dos balanços há uma criança, se balançando feliz. Aproxime-se. Chegue mais perto. Observe a criança. Perceba que ela é você, é você quando criança. Converse com ela. Como ela está? Qual sua aparência? Está triste? Feliz? Zangada? Carente? Qual seu sentimento? Escute-a, ouça o que ela tem a lhe dizer, com calma e atentamente. Se ela precisar de colo, dê-lhe colo. Embale-a nos seus braços. Pergunte o que ela gostaria de lhe dizer a esta altura da vida. Pergunte que sonhos ela tem. Pergunte se ela precisa de alguma coisa ou o que você pode fazer por ela. Então, quando perceber que está tudo bem e que tudo foi dito, sente-se no outro balanço e comece a se balançar, você em um e a sua criança no outro. Sinta o vento, a euforia, a alegria. Divirta-se junto com a sua criança. Ria, ria muito! Esqueça todas as suas preocupações e apenas seja, apenas divirta-se no balanço vigoroso, dando impulsos cada vez mais altos. Sinta-se inebriar com essa sensação e quando estiver pronto, volte para seu quarto e para o momento presente. Abra os olhos e pinte, dance, escreva… Faça o que tiver vontade. E nunca esqueça da sua criança!

Música para Leão:

Fontes:

A Astrologia do Destino – Liz Greene

Mapping the Psyche – Clare Martin

The Astrologer’s Handbook – Sue Tompkins

Getting to the Heart of your Chart – Frank Clifford

A Semana Astrológica: o trabalho é o amor feito visível

Lua-crescente_1600x1200
Reprodução

Semana de 17 a 23 de agosto

Esta é uma semana de grande impulso e ação. A fase Crescente da Lua, seguida pela oficialização do Primeiro Quarto, também conhecido como quarto Crescente, colore a semana de dinamismo e desejo de realização. Semana que tende a ser produtiva, mesmo que tenhamos que lidar com algumas limitações e tensões.

O Sol ingressa em Virgem no domingo, dia 23, sinalizando um tempo de colocar em prática, com método e maestria os impulsos criativos e os potenciais descobertos em Leão. VIRGEM nos fala do trabalho como ato sagrado de ganhar o pão, mas também de aperfeiçoar um ofício, como forma de moldar e aperfeiçoar a nós mesmos e descobrir quem realmente somos no processo. Como diz Kalil Gibran, o trabalho é o amor feito visível. Antes de entrar em Virgem porém, ainda em Leão, como para salientar mais ainda tudo isso, o Sol faz quadratura a Saturno em Escorpião, uma quadratura minguante, a última desde que o Sol fez conjunção a Saturno pela última vez. Desafios ao nosso senso de eu e à nossa consciência individual. Quanto estamos estruturados para funcionar no mundo? Quanto de nossos impulsos criativos são factíveis? Temos substancia que sustente nosso brilho ou somos só uma capa fina de verniz, brilho de bijuteria? quanto estamos dispostos a trabalhar duro, ao estilo Virginiano, para concretizar nossas ambições? Se o trabalho é o amor feito visível, Saturno nos lembra que o amor, assim como o trabalho, também demanda seriedade e comprometimento. Sol-Saturno também levantam novamente os temas relacionados ao pai, à autoridade, à chefia, às nossas limitações, inseguranças e medos… Conflitos nesta área são possíveis ao longo da semana.

Mercúrio segue acelerado por Virgem e abre a segunda-feira ainda em trígono a Plutão em Capricórnio. Mais para o fim da semana faz quincunce a Urano, enquanto se opõe a Quíron em Peixes, indicando uma semana mentalmente controversa, de muitas incoerências e dissonâncias no plano da comunicação e dos planejamentos. Nosso grande idealismo e perfeccionismo sofre um golpe duro porque a mente precisa entender que não pode tudo, que nem sempre “querer é poder”… Talvez o problema nem seja “querer é poder”, mas para quê querer tanto? Qual a utilidade de tantos desejos? Alguns deles chegam mesmo a ser fúteis… A mente não gosta de saber que não controla tudo e cria muitos mecanismo para se proteger dos imprevistos e desacertos da vida, mas nisso, perde-se muita espontaneidade e às vezes, a própria alegria de se estar vivo. A mente pode ser nossa aliada, mas também a grande inimiga quando está atopetada de quereres, alguns que nem são genuinamente nossos – uma mente sinônimo de Maia.

Vênus, retrógrada em Leão, faz seu segundo trígono a Urano em Áries. Vênus retrógrada já é um tanto excêntrica, original, avant-guarde e extremamente criativa. Em contato com Urano, essas qualidades são realçadas e potencializadas. Esse aspecto também enfatiza a necessidade de reinventar nossa abordagem da vida afetiva e a forma como vemos os relacionamentos em geral. Para quem está em uma relação, é momento de reinventar essa parceria, de fazer coisas diferentes, sair da rotina previsível de casal e experimentar dentro desta relação – claro, antes disso é preciso abrir os olhos para as próprias queixas e insatisfações dentro do relacionamento.

Marte ingressou em Leão e ficou muitos dias isolado, apenas recebendo aspectos esporádicos da Lua. Isolado assim Marte fica irascível e extremista. Nesta semana ele faz quincunce a Netuno, um aspecto que vem trazer à tona uma dúvida inconveniente sobre a coragem e a audácia deste Marte destemido… Ataques de incerteza súbita podem nos deixar vacilantes quanto aquilo que estamos buscando e paradoxalmente, nos empurrar na direção de buscar com mais ênfase ainda, numa tentativa defensiva de ignorar nossas dúvidas, o que, obviamente, não é a forma mais construtiva de lidar com isso… Outra possibilidade é nos desestimularmos completamente de uma hora para outra, pondo o esforço realizado por água abaixo. A melhor forma de lidar com tais influências é estando vigilantes para estes rompantes e analisando com frieza essas mudanças abruptas na determinação, antes de fazer alterações drásticas precipitadas.

Júpiter começa a se opor a Netuno, numa dança que vai durar muitos meses, até 2016 e que vai envolver Saturno de abril em diante, formando uma configuração de Cruz T, cujos significados envolvem questões políticas, econômicas, sociais e religiosas. A desintegração de muitas estruturas nas áreas citadas. Mas vou falar disso no futuro, num artigo específico sobre isso.

A Lua abre a semana ainda Nova. Torna-se Crescente na terça-feira e oficializa o Primeiro Quarto no sábado. Viaja pelos signos de Virgem, Libra e Escorpião, fechando a semana em Sagitário, no domingo. Faz aspectos com todos os demais corpos celestes.

A SEGUNDA-FEIRA começa com a Lua Nova em Virgem se separando do quincunce a Urano e da oposição a Quíron. Faz depois sextil a Saturno em Escorpião e ingressa em Libra às 17h24min. Mercúrio ainda está muito próximo do trígono que fez a Plutão no domingo. Dia industrioso, em que estamos preocupados com mil afazeres, tentando manter tudo sob controle porque há uma sensação de caos iminente, que nos perturba por algumas horas e talvez tenha até nos tirado o sono durante a noite, fazendo-nos acordar mal humorados e de cara amassada. Entretanto, é necessário parar um pouco e fazer um exame racional que nos faça perceber que muitas das tais preocupações são infundadas e geradas por uma ansiedade, que por sua vez, pode nascer de respostas automáticas e viciadas à sensação de falta de controle. Podemos acalmar tais apreensões organizando nossa agenda e listando as prioridades, colocando as coisas em seus devidos lugares e tendo uma noção mais clara de onde isso nos deixa. Feito isso, a tarde favorece o trabalho metódico e a produtividade, então, é arregaçar as mangas e colocar-se em ação.

A Lua busca equilíbrio em Libra na TERÇA-FEIRA. Afina-Se com Marte em Leão pela manhã, mas também se desentende com Netuno em Peixes. À noite já digladia com Plutão em Capricórnio. O Sol está em quadratura a Saturno, exata na sexta. O dia pede ação decidida, mas também conciliação. Essa conciliação está favorecida porque naturalmente encontramos o caminho do meio, a melhor forma de equilibrar interior e exterior, nossas necessidades emocionais com as demandas mundanas do mundo lá fora. O dia está dinâmico, ativo e cadenciado e se nos alinhamos com nosso centro, nossa determinação e motivação certamente levam a melhor. Do fim do dia para a noite o clima fica tenso, especialmente nas relações. Conflitos e confrontos nos obrigam a fazer opções difíceis e talvez ingratas, mas se resolvemos ignorar e não o fazemos agora, a tendência é o problema ficar maior e fora de controle, portanto, adiar não é uma alternativa muito inteligente. É melhor lidar com isso agora!

A QUARTA-FEIRA se inicia com sono tumultuado na madrugada. Possivelmente acordamos várias vezes de sonhos turbulentos. O resultado é que podemos acordar cansados e não completamente restaurados pela manhã. Tal inquietude provavelmente nasce da ansiedade do novo, de nos sentirmos pressionados a mudar alguma coisa em nós ou em nossa rotina. A Lua Libriana faz oposição a Urano, que por sua vez recebe hoje o trígono exato de Vênus retrógrada, que recebe sextil da mesma Lua, sua hóspede em Libra. A Lua ainda se irrita com Quíron em Peixes, mas também se afina com o Sol no fim da noite. Apesar de nos sentirmos pressionados e um tanto ansiosos, há menos motivos do que imaginamos para toda a celeuma. Se formos menos dogmáticos e nos abrirmos ao novo, podemos nos sintonizar com o melhor que ele pode nos trazer, e perceberemos que nossos receios estavam, na verdade, nos impedindo de melhorar nossas relações e interações com as outras pessoas. É preciso deixar os receios de lado e permitir-se surpreender pela vida, abraçar as novidades ao invés de temê-las. Também é momento de inovar nos relacionamentos e na forma como expressamos afeição; é hora de confiar mais em si mesmo e abrir mão de controlar o outro por causa das próprias inseguranças. Se o outro está algemado a nós de alguma maneira, temos mesmo certeza da autenticidade desse afeto?

A Lua ingressa em Escorpião às 06h24min da QUINTA-FEIRA, de onde dialoga harmoniosamente com Júpiter em Virgem. À noite porém, ela se indispõe feiamente com seu anfitrião, Marte em Leão e ainda faz trígono a Netuno em Peixes. Mercúrio está em oposição plena a Quíron e em quincunce, também exato, a Urano. Sol em Leão quadra Saturno e Marte faz quincunce a Netuno. O dia demanda bastante cautela com ações impulsivas ou reações instintivas, defensivas e automáticas. Sentimo-nos acuados e desafiados gratuitamente, talvez até diminuídos, o que pode levar a conflitos e talvez até mesmo a alguma paranoia, sensação de que o mundo inteiro está contra nós. Adotar posições exclusivamente egóicas não é o melhor dos caminhos e pode nos colocar em rota de colisão com interesses contrários aos nossos, com grandes chances de sermos os perdedores, porque lidamos com forças e autoridade que talvez estejam acima do nosso escopo de ação. A pressão gera grande inquietude, que por sua vez, pode gerar comportamentos destemperados e instabilidade, receita para desastre, caso não nos mantenhamos com os pés firmes no chão. Manter um senso de humildade e noção de nossos limites é fundamental para evitarmos as armadilhas dos confrontos desnecessários provocados pelo ego.  Embora pareça às vezes, o mundo não quer “nos ferrar” e é preciso paciência, porque há tempo para tudo debaixo do céu e muitas vezes tudo o que precisamos fazer é confiar no fluir da vida.

O Sol está em quadratura plena a Saturno na SEXTA-FEIRA, enquanto Marte está em quincunce exato a Netuno. A Lua Escorpiônica se harmoniza, de formas diferentes, com Netuno e com Plutão, mas caça briga com Vênus em Leão, além de ainda se irritar com Urano em Áries. A Lua ainda se harmoniza com Quíron. A sexta-feira fica excepcionalmente carregada e cinza, porque nos sentimos excessivamente cobrados e exigidos. Somos confrontados com nossas dificuldades e limitações de forma dolorosa, que para nós pode ser sentida até como humilhante e vexatória. Estando particularmente sensíveis e suscetíveis, talvez tenhamos dificuldade em digerir o remédio amargo que nos é empurrado goela abaixo. Mas a sensação de fracasso ou sacrifício não precisa quebrantar nosso espirito de forma tão dramática porque podemos, na verdade, tirar grandes lições dos conflitos que surgirem no dia de hoje. Temos boas oportunidades de lidar com nossos problemas de autoridade, se tivermos um mínimo de humildade e espirito de aprendizado. A hierarquia tem seu lugar na ordem das coisas, na natureza e na vida e é necessária para que a criatividade originada do caos inicial seja de fato aproveitada e manifestada no plano prático. Sem ordem, estrutura e liderança não se chega a lugar algum e os potenciais maravilhosos visionados e imaginados em nosso espírito ilimitado não passarão de fantasias de glória pessoal que só existirão em nossas mentes megalomaníacas. Assim, aproveitemos para fazer um exame honesto de nossas deficiências e problemas para que possamos identificar a melhor forma de superá-los.

O fim de semana chega com a Lua Escorpiônica harmonizada com Mercúrio em Virgem no SÁBADO, quando também acontece o Primeiro quarto, com a Lua fazendo quadratura ao Sol Leonino, conjunta a Saturno. A Lua entra em Sagitário às 17h42min. O Primeiro Quarto, comumente chamado de Quarto Crescente, traz mais impulso e dinamismo ao ciclo. É momento em que a semente encontra seus primeiros grande desafios, que exigirão ajustes e reordenamento. Ocorrendo conjunto a Saturno, somos lembrados de que precisamos ser responsáveis e coerentes em nossos projetos, que não é possível ignorar certos limites, mas que se estivermos dispostos a trabalhar duro e de forma disciplinada, seremos capazes de realizar grandes feitos, feitos de gente grande. O sábado está menos propício ao ócio e à indolência e mais favorável a trabalhar consistentemente na continuação de quaisquer tarefas que tenham ficado inconclusas durante a semana. De outra forma, os trabalhos manuais ou reparos diversos pela casa, ou ainda tarefas de manutenção estão beneficiados. O sábado à noite fica mais leve e festivo, até demais, porque a Lua, já em Sagitário, faz quadratura a seu regente Júpiter, em Virgem, que está oposto a Netuno em Peixes e eles formam uma Cruz T mutável. Se não tomamos cuidado perdemos o senso de proporção porque queremos afogar todas as mágoas e descarregar toda a tensão dos últimos dias de uma só vez, seja na bebida, na comida ou mesmo na diversão desregrada e irresponsável. Nem tanto à terra, nem tanto ao mar, diria o sábio. Atenção para os excessos, que podem nos colocar em grandes apuros.

O SOL ingressa em VIRGEM no DOMINGO, precisamente às 07h37min da manhã. O Sol em Virgem marca um tempo de sermos mais metódicos e detalhistas nos nossos propósitos e objetivos conscientes. É hora de analisar com cuidado se a rota que tomamos é a melhor e a mais proveitosa, se nossa ação está de acordo com o planejamento inicial. Virgem também sinaliza um momento de contenção na forma como dispendemos e aplicamos nossa energia e nossa ação. Em Áries a energia é impulsiva e cheia de vida, mas também descontrolada e errática. Virgem vem nos ajudar a dar foco e ordem para essa ação; a ser mais precisos e acurados; a aperfeiçoar a obra que antes estava propensa a ser terminada de qualquer jeito, de forma mais que amadora. 

O domingo traz ainda a Lua em Sagitário, em quadratura a Netuno, na Cruz T Mutável com Júpiter, que acaba por envolver o Sol recém ingresso em Virgem. Em Sagitário temos desejos de espaços amplos e abertos, de aventura e liberdade. Os passeios na natureza, as atividades esportivas e dinâmicas ficam favorecidas, mas precisamos ter algum cuidado, pois se não temos clareza suficiente de para onde estamos indo,  podemos tropeçar inesperadamente ou cair numa poça de lama, dando com a cara no chão. Inseguranças podem nos levar a exagerar na dose de tudo e podemos nos tornar o chato da festa, que não tem o mínimo desconfiômetro de quando está desagradando e sendo inconveniente. Antes de pregar nossas ideias e crenças a Deus e todo mundo é bom também verificarmos se nossa audiência está disposta a nos ouvir ou podemos dar conselhos que não foram pedidos e não poderemos reclamar quando nos colocarem em nosso devido lugar de chatos-sabe-tudo. Pegar leve e não se levar a sério demais sempre é uma boa pedida nestes casos. E o resto, é aproveitar o dia e descansar!

Linda semana para você!

virgo
Virgem – vitral da Catedral de Chartre, França – Reprodução

Lua Nova em Leão – Deixe a sua luz brilhar!

sol e lua11
Reprodução

A Lua é Nova hoje, a 21°31’ de Leão às 11h54min no horário de Brasília e 14h54min no horário de Lisboa. A Lua Nova ocorre em conjunção a Vênus retrógrada, em trígono a Urano em Áries e em quadratura ampla a Saturno em Escorpião.

Esta Lua Nova nos convida a renovar intenções e plantar novas sementes de autoconfiança, generosidade e espontaneidade; a deixar nosso espírito mais criativo brilhar, manifestando nossos melhores potenciais; a recuperar aqueles projetos criativos que estão engavetados há tanto tempo e talvez reformá-los e dar-lhes nova cara; tudo isso nascido da mais genuína alegria interior de ser quem somos, exatamente como somos, aceitando-nos e permitindo-nos ser saudavelmente orgulhosos do que somos, com todas as nossas contradições e idiossincrasias.

A conjunção a Vênus retrógrada vem nos falar diretamente da criatividade e dos nossos valores. Mas há muito equívocos ao redor da palavra “criatividade”. Geralmente só usamos a palavra criatividade para nos referir à arte, à música, ao artesanato, etc. Como se todas as outras atividades humanas não fossem criativas em si mesmas. Assim, o contador, o advogado, o administrador, o lojista e tantas outras profissões e ocupações são relegadas ao status de “comuns”, para não se dizer “chatas”… O que é uma grande inverdade. Criativo é ser nós mesmos, o que quer que isso signifique, qualquer que seja a profissão que desempenhemos. Permitir que nossa luz brilhe, onde estivermos. É possível ser criativo sendo contador, sendo advogado, sendo lojista, sendo artista, músico e também varredor de rua… Imprimindo nossa marca pessoal naquilo que fazemos, fazendo o que fazemos de uma forma única e completamente nossa. Fazendo a diferença, onde quer que estejamos, o que quer que façamos. Manifestando nosso mais elevados potenciais, quaisquer que sejam eles. Ser não-criativo é aceitar os papeis impostos sem questioná-los, é tentar viver a partir dos códigos e valores alheios, que não fazem sentido para nós, mas aos quais engulimos porque carregamos a ansiedade social de ser aceitos a qualquer custo. Ser não criativo é se mutilar para tentar se encaixar em grupos ou locais que na verdade abafam e tolhem nossos potenciais.

lua nova 1
Lua Nova em Leão – 14 de agosto de 2015, 11h54min, Brasília-DF

O trígono a Urano vem nos alertar contra isso também. Vem nos dizer para abrir mão do espirito de rebanho e para ousarmos nos assumir como somos, com nossos talentos únicos e também nossas esquisitices. A sermos originais, afinal, quem quer ser a cópia carbonada de outra pessoa? Para isso é necessário suportar algum isolamento, porque sempre haverá algum momento em que poderemos nos sentir um pouco alienados da grande massa e essa sensação de alienação é o preço que se paga por seguir a própria alma e o próprio coração; por viver de acordo com nossos próprios valores, que às vezes são muito diversos dos valores vigentes.

O Símbolo Sabiano para o grau 22 de Leão (21°31’) traz a seguinte imagem: “Um pombo-correio cumprindo sua missão”. Dane Rudhyar, ao interpretar este símbolo, nos diz que ele fala de “energias espirituais que são usadas construtivamente e que trazem mensagens de outras dimensões à consciência. As realizações individuais adquirem seu significado verdadeiro somente quando cumprem uma função coletiva (…) as energias elevadas se tornam efetivas e valorosas na medida em que servem a propósitos também elevados, porém concretos e definitivos – este é o ideal do servidor do mundo”. Mais claro que isso, não poderia ser. Considerando o signo oposto, Aquário, cuja Lua Cheia tivemos duas semanas atrás, somos lembrados de que não caminhos sozinhos, de que “nenhum homem é uma ilha”. Assim, o propósito maior de expressar essa tão poderosa criatividade que é nossa, é única e individual, é, de fato, colocar isso a serviço do coletivo, do melhoramento da humanidade. Porque se apenas me expresso para meu próprio deleite e vaidade, entro na sombra negativa do Leão, inseguro e faminto por aprovação e aplauso. O trígono a Urano vem enfatizar que essas “energias elevadas” sejam utilizadas em prol do todo, do coletivo.

A quadratura a Saturno, embora ampla, vem nos lembrar, novamente, que há responsabilidades a serem cumpridas. Que para manifestarmos esse potencial criativo, é preciso por o pé no chão, ter um cronograma, um plano e um método, ou então ficamos mesmo só na fantasia e sonhos de grandes glórias. Saturno também nos lembra que todos temos inseguranças quanto a nossos talentos, quanto a nosso valor e potencial… Mas geralmente são essas mesmas inseguranças que nos impulsionam na direção da realização, porque precisamos superá-las. Contudo, sendo Leão o signo da criança interior, precisamos nos lembrar de que, por mais que levemos tudo isso muito “a sério”, como requer Mestre Saturno, tudo isso ainda precisa ser visto como uma grande diversão, como uma grande e séria brincadeira, onde aprendemos a conhecer e a amar a nós mesmos, aos outros com quem interagimos e à própria brincadeira, por tudo o que ela nos revela a respeito de nós próprios, por nos fazer o que somos. Porque afinal, não é para isto que estamos aqui? Para aprender a amar, para ser feliz? Sim, fundamental é ser feliz, diz o poeta.

Nesta Lua Nova, busquemos então recuperar nossos potenciais mais criativos; deixemos nossa luz brilhar, em todas as suas cores! Ajamos pelas vias da alegria genuína que nasce do nosso mais inocente coração, o coração da criança que, lá no fundo, todos somos. Uma criança espontânea, amada e confiante! E brinquemos, espontaneamente!

Feliz Lua Nova para você!

leo playing
Reprodução

E para celebrar essa Lua Nova, que tal isso?