Arquivo da tag: Caos

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Peixes – Do Caos à Criação

Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução
Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua foi cheia nesta sexta-feira, dia 16 de setembro, às 16h04min de Brasília e às 20h04min para Lisboa, culminando o ciclo iniciado na Lua Nova de Virgem. Ambas as lunações, da Lua Nova e da Lua Cheia, foram eclipses. O de hoje foi um Eclipse Penumbral Lunar. Num eclipse penumbral ou Apulse a Lua entra somente na penumbra da Terra e não na umbra/sombra, a parte mais escura, ou seja, o alinhamento não é perfeito. Este tipo eclipse acontece quando Sol e Lua estão a mais de 12 graus de distância dos nodos. Para entender a dinâmica e significados de eclipses em geral leia este texto.

Eclipse Lunar - Birth Chart Paiting - Reprodução
Eclipse Lunar – Birth Chart Paiting – Reprodução

Este eclipse fecha a segunda temporada de eclipses do ano e, de certa forma, sinaliza o esmaecimento de um período denso e tenso que já dura muitos meses. De agora em diante a tendência é termos um pouco mais de calmaria do que temos tido ultimamente. É uma lunação e eclipse bastante tenso e melindroso. Lua e Sol se opõe no eixo Virgem-Peixes, a Lua em conjunção a Quíron e todos eles fazendo quadratura a Marte em Sagitário, que fica encurralado e espremido, como foco de uma T-Square Mutável.

Eclipse Lunar em Peixes - 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min
Eclipse Lunar em Peixes – 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min

A Lua, conjunta a Quíron já sugere muitos melindres, feridas dolorosas e muita sensibilidade ao sofrimento, pessoal ou coletivo. É um posicionamento que tende a nos deixar em carne viva, sentindo-nos emocionalmente expostos e vulneráveis. Como naquela canção do Roberto:

Acabei com tudo
Escapei com vida
Tive as roupas e os sonhos
Rasgados na minha saída

Mas saí ferido
Sufocando o meu gemido
Fui o alvo perfeito
Muitas vezes no peito atingido

Animal arisco
Domesticado esquece o risco
Me deixei enganar
E até me levar por você

Eu sei quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
Eu sei, o coração perdoa
Mas não esquece à toa
O que eu não me esqueci

Eu andei demais
Não olhei pra trás
Era solta em meus passos
Bicho livre, sem rumo, sem laços

Me senti sozinha
Tropeçando em meu caminho
À procura de abrigo
Uma ajuda, um lugar, um amigo

Animal ferido
Por instinto decidido
Os meus passos desfiz
Tentativa infeliz de esquecer

Eu sei que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
Eu sei, as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
O que eu não me esqueci

Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo na alma e no coração

(aqui eu discordo do autor: insistir em não mudar é o pior que podemos fazer!)

Pois é, essa música vem ilustrar bem os temas de Lua-Quíron; Marte-Quíron e Sol-Quíron: “sou fera ferida, no corpo na alma e no coração!”. Sim, as quadraturas a Marte tornam tudo muito volátil e agora, além de nos sentir expostos, ficamos defensivos e espinhosos, receando qualquer um que se aproxime um pouco mais, como a fera ferida de que fala a canção. Marte nessa posição fica meio encurralado e tende a enrijecer em suas convicções, tornar-se inflamado, fanático e extremista. Quanto mais me atacam ou duvidam da minha fé ou convicção, tanto mais eu me enrijeço nelas. Nesse sentido, temos propensão a conflitos que terminam com mágoas ainda maiores, caso alguém não ceda e perceba que outro está atacando como estratégia de defesa. Mas Quíron também nos fala do potencial de cura, a partir da aceitação de nossas limitações, das nossas misérias e fealdades humanas, e porque sabemos o quanto a dor é crua, desenvolvemos empatia pelos outros. Então, há potencial para choro, mas também para conforto e muito consolo, além de cura.

Júpiter em Loibra - Birth Chart Painting - Reprodução
Júpiter em Loibra – Birth Chart Painting – Reprodução

O regente tradicional da Lua Cheia, Júpiter, acabou de se mudar para Libra, um signo muito mais confortável e condizente com a natureza de Júpiter do que o signo anterior, Virgem. Júpiter ainda se afasta da quadratura fora de signo recebida de Marte, mas de modo geral, está em melhores condições agora, sugerindo que busquemos o significado de toda essa dor e raiva, que encontremos o sentido, mesmo que no momento o caos pareça imperar. Libra também sugere a necessidade de equilíbrio, de encontrarmos a exata medida das coisas, e que demos o benefício da dúvida ao nosso opositor/interlocutor. Sendo um signo de relacionamentos, o regente da Lua em Libra indica este tema também é enfatizado nesta lunação. O dispositor moderno de Peixes, Netuno, está numa situação mais desconfortável: recebendo a quadratura de Saturno, da qual já falamos muito em textos anteriores, indicando que devemos abrir mão das ilusões traiçoeiras e viver a partir da verdade.

Reprodução
Reprodução

A Lua Cheia se dá em conjunção ao Nodo Sul, o que sugere a necessidade de liberação, de soltar e abrir mão daquelas fantasias rançosas de que alguém venha tomar conta de nós ou a da tendência de escorregarmos para comportamentos caóticos e infantis… Considerando-se que Peixes é o último signos do zodíaco, associado a fins e conclusões, a Lua Cheia de fato favorece que deixemos ir tudo aquilo que já não serve mais, que nos livremos do lixo psíquico, emocional e até mesmo do lixo literal e físico que mantemos nos nossos armários e casas.

Série Saros 147 - 02 de julho de 1890, 14h08min.
Série Saros 147 – 02 de julho de 1890, 14h08min.

Esse eclipse faz parte da Série Saros 147, que se iniciou em 2 de julho de 1890, às 14h08min GMT. É interessante notar que no mapa do primeiro eclipse da série, temos novamente uma quadratura Saturno-Netuno, também no eixo mutável, só que dessa vez, Saturno está em Virgem e Netuno em Gêmeos e a quadratura é crescente e não minguante – Saturno trafegando atualmente por Sagitário faz oposição a Netuno deste mapa. Netuno está em conjunção a Plutão. Então, é um ciclo importante começando. Outra “coincidência” é Marte estar retrógrado no fim de Escorpião, uma retrogradação que começou também em Sagitário, muito similar àquela que tivemos recentemente. Mais: Marte está em quadratura a Saturno e oposição a Netuno, formando uma T-Square mutável cujos temas são muito parecidos com os que temos vivenciados nos últimos meses – não, definitivamente, não é coincidência! Outra coisa interessante é o fato de Urano estar transitando o terceiro decanato de Libra, em oposição ao Urano atual, que percorre o terceiro decanato de Áries – quer dizer, realmente, uma Série Saros vai repercutir seus temas em todos os eventos da série. Neste mapa também vemos que a Lua é o ponto médio entre Vênus e a conjunção Plutão-Netuno, apontando que as emoções e sentimentos são intensos, de modo que mudamos de humor e reações rapidamente, vertiginosamente, fazendo tempestades em copos d’água, ficando suscetíveis e voláteis facilmente, o que nos leva a atitudes extremistas e desvairadas – uma influência que reafirma a configuração Lua/Quíron x Sol x Marte. Entretanto, a Lua também é o ponto médio entre Quíron e o Nodo Norte, e isso, por sua vez, sugere que sim, para curar é preciso sentir, mesmo os sentimentos e emoções mais perturbadores e desconcertantes, porque a vida só tem sentido, quando nos permitimos sentir. Analisar é fácil, pensar é óbvio, mas sentir… Sentir, sentir realmente, é só para os muito corajosos! Quando falo de sentir, não me refiro a atuar os sentimentos desvairados e usá-los como desculpas para atitudes tresloucadas com relação aos outros e a si mesmo. Sentir profundamente, sabendo conter as reações instintivas e automáticas da fera ferida, ao invés de se derramar indiscriminadamente no mundo lá fora. Quando nos permitimos sentir plenamente a dor, o luto, a raiva, ou qualquer que seja o sentimento, sem atuá-los, temos maior possibilidade de processá-los e digeri-los mais diligentemente e, consequentemente, de nos liberarmos mais rapidamente também. O grande desafio é, pois, sentir toda essa gama de sensações e emoções caóticas e intensas sem se afogar nelas, sem se destruir ou se deixar esmagar por elas. Mas a cura vem pelo sentir. Intenso, visceral, inescapável. Sentir.

Colors of the Mind series. Visually attractive backdrop made of elements of human face and colorful abstract shapes suitable as element for layouts on mind reason thought emotion and spirituality
Reprodução

Peixes é um signo de grande abertura e sensibilidade, portanto, uma Lua Cheia ocorrendo neste signo também é propícia à conclusão de projetos criativos e artísticos e a canalizarmos toda a enxurrada de sentimentos na arte, seja na pintura, na escrita, na música, na dança ou em qualquer outro veículo criativo. Está triste? Cante essa tristeza! Está zangado? Dance essa raiva! Está confuso? Pinte essa confusão! Está saudoso? Poetize essa saudade/nostalgia! E assim por diante. A ideia é traduzir para alguma linguagem inteligível aquilo que o coração não consegue exprimir em meras palavras. Peixes, aliás, representa o caldeirão de conteúdos do inconsciente coletivo de onde podemos pescar toda a sorte de inspiração; é o líquido amniótico que é altamente condutor de eletricidade e excepcionalmente nutritivo; o caos primordial que dá origem à vida, à própria criação, por isso, se nos sintonizamos com as vibrações mais positivas dessa lunação, podemos expressar o manancial de sentimentos caóticos através da infinita criatividade. A arte, em todas as suas formas, também é um canal de cura, que o digam todos os artistas célebres que expressaram seus dilemas e dores através de muitas pinceladas, através obras primas musicais ou literárias. Nilse da Silveira é outra prova do efeito terapêutico da arte na cura dos males e dores da alma. Ponto de atenção: não vale afogar as mágoas no copo ou no pó – porque aí, ao invés de melhorar, piora tudo! Peixes já é propenso ao escapismo, portanto, é melhor não apelar para isso nas próximas duas semanas!

Animação que mostra as fases de um eclipse lunar - Reprodução do Wikipedia
Animação que mostra as fases de um eclipse lunar – Reprodução do Wikipedia

Assim, a Lua Cheia e o eclipse Lunar em Peixes alertam para o risco dos emocionalismos vazios, para o fanatismo e os conflitos egoicos; para a abertura de velhas feridas; alerta para situações de caos e tsunamis emocionais, mas que podem ser conduzidas criativamente se tivermos um mínimo de maturidade e contenção. Todavia, o eclipse também traz potencial de curarmos muitas das dificuldades que carregamos há tanto tempo, no que tange ao gerenciamento das emoções – não, não precisamos nem devemos ser escravos delas! Sentir não quer dizer ficar à mercê dos sentimentos, mas aprender a honrá-los, respeitá-los, exatamente para não ficar à mercê deles. Portanto, apesar de toda a sensibilidade, fragilidade e dor indefinível que possamos sentir, precisamos nos alinhar com o potencial de cura, soltando e liberando qualquer apego que possamos ter ao sofrimento ou à situação de vítima merecedora da simpatia alheia. Porque a sensibilidade também é um tipo de fortaleza e não precisamos nos vitimar por causa dela.

Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico - Reprodução do site da Nasa
Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico – Reprodução do site da Nasa

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 19 e 30 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais “afetados” por este eclipse. Para ter uma ideia dos temas que eclipse aciona no seu mapa, verifique o que estava acontecendo no período anterior ou posterior a 16 de setembro de 1997, que foi a última vez que um eclipse caiu próximo desse grau de Peixes, e anterior ou posterior a 6 de setembro de 1998, que foi quando ocorreu o último evento da Série Saros 147. Verificando os eventos e temas acionados naqueles períodos, temos boas pistas de como este eclipse pode se manifestar para nós.

Desejo que essa lunação traga liberação e purificação, que possamos deixar ir tudo que nos atrapalha e fere, tudo de que já não precisamos mais!

Feliz Lua Cheia para você!

Kindra Nicole - Reprodução
Kindra Nicole – Reprodução
Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução
Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

Lua Nova em Gêmeos – Nas encruzilhadas da vida…

gemini sakliresim
Sakliresim – Reprodução

A Lua é Nova no limiar deste domingo, à 00h00min no horário de Brasília (04h00min para Lisboa), o que parece muito adequado para uma Lua Nova Geminiana ocorrendo no meio de uma Grande Cruz Mutável, que por sua vez nos remete diretamente à imagem de uma encruzilhada. Gêmeos é regido por Hermes-Mercúrio, o próprio Deus das Encruzilhadas, portais e limiares do tempo-espaço. No caso do Brasil, é como se estivéssemos mesmo no limiar, num portal, entre mundos e situações… Resta saber se saímos de uma realidade sombria para uma mais luminosa ou se é exatamente o contrário, o que seria uma infelicidade para todos nós… Da panela para o fogo? É o que está parecendo, desafortunadamente…

Belu Bern, "Disperso" - Reprodução
Belu Bern, “Disperso” – Reprodução

O ciclo de Gêmeos é o ciclo que vem nos convidar a uma renovação das ideias e conexões; a nos comunicar mais efetivamente, a reaver o contato com nossos irmãos e com nosso ambiente imediato, a explorar nossa vizinhança e a perceber o que nosso ambiente tem a nos fornecer em termos de informações necessárias para a nossa jornada. É um ciclo para estudar e aprender ou talvez ensinar e informar. É também momento de socializar e fazer os outros saberem das coisas, ou seja, a boa e velha divulgação e conversação, que pode se traduzir na construção de pontes. Sendo o primeiro signo de Ar, um signo mental, em Gêmeos começamos a elaborar conceitos e a dar nome às coisas, a explorar os potenciais da nossa mente e a verbalizar nossas ideias…

Sandra Yagi - Reprodução
Sandra Yagi – Reprodução

Entretanto, devido às configurações ativadas pela Lua Nova, podemos multiplicar tudo isso por dez ou mesmo cem ou mil… A curiosidade e a inquietude Geminianas ficam super potencializadas neste ciclo.  Isso porque essa Lua Nova, de certa maneira, vem prolongar o clima que tivemos durante a semana que passou, que foi colorida pela Grande Cruz Mutável formada por Sol e Vênus em Gêmeos, em oposição a Saturno em Sagitário, estando os quatro em quadratura a Júpiter em Virgem e a Netuno em Peixes, configuração à qual a Lua se junta e na qual se renova  – ou seja, teremos todo o próximo ciclo influenciado por essa dinâmica caótica, desconexa, incoerente e frenética, e no meio de tudo é-nos cobrado coerência e coesão… Como entregar isso, se nem nós estamos nos entendendo nessa ventania descontrolada? O que nos atrapalha também pode nos ajudar: movimento, fluidez, versatilidade, flexibilidade, adaptação e presença de espírito… Preparemos os punhos, é tempo de malabarismos!

Grande Cruz 1
Grande Cruz Mutável

Além desses aspectos da Grande Cruz, que aliás, ocorre em conjunção aos ângulos, o que potencializa seus efeitos, Sol e Lua também estão numa conjunção muito próxima a Vênus – Vênus, aliás, fará a Conjunção Superior ao Sol, que marca a metade do seu ciclo, na segunda-feira. Essa conjunção tripla em Gêmeos aponta para um ciclo mais leve, talvez leve demais, precário, superficial, frívolo, inconsequente… E Vênus, Sol e Lua também estão em quincunce a Plutão em Capricórnio. Tudo nos fala de um ciclo em que precisaremos vigiar nossos pensamentos e palavras, porque tudo acontece num ritmo vertiginoso, delirante, mas nem sempre conseguimos manter o registro ou a referência do que ocorre. Há muita atividade mental, porém não necessariamente essa atividade é produtiva ou leva a algum lugar, podendo, ao contrário, ser fonte de estresse e dispersão, agitação vazia e inquietação e ansiedade.

Lynn Skordal - Reprodução
Lynn Skordal – Reprodução

Gêmeos está associado diretamente a comunicações, que estarão na berlinda neste ciclo. Contudo, apesar de estarem sob grande escrutínio, a influência de Netuno nessa Grande Cruz sugere que desconfiemos de tudo o que vemos e ouvimos reportado pela mídia e meios de comunicação em geral, que desconfiemos, até mesmo daquilo que ouvimos em tete-a-tetes no dia a dia… Notícias bombásticas podem não passar de boatos ou puro sensacionalismo fomentado pela pressa, preguiça, descuido ou irresponsabilidade dos envolvidos; podem ser maldosas ou plantadas ou podem ser fruto apenas da inconsequência e irresponsabilidade de alguns, portanto, é bom ficarmos de olho – aliás, isso já está valendo desde que o Sol ingressou em Gêmeos e começou a fazer quadratura a Netuno, lá pelo dia 24 de maio. Isso também se aplica às relações pessoais… Os mal entendidos e falatórios estão favorecidos e fazemos bem se não ajudarmos a proliferar ou propagar inverdades ou informações de fonte e veracidade duvidosas… Lembra os três filtros de Sócrates? Já falei dele aqui, mas vale repetir: estamos seguros de que a informação é verdadeira? O que ouvimos ou dizemos, é uma coisa boa? E por último, é útil? Se não passar por qualquer um desses três filtros, melhor calar a boca ou os ouvidos… Se não passar pelos três, bom, isso nem deveria estar sendo cogitado!

Lua Nova em Gêmeos - Brasília, 05 de junho de 2016, 00h00min
Lua Nova em Gêmeos – Brasília, 05 de junho de 2016, 00h00min

Quando observamos que Netuno está conjunto ao Ascendente no mapa levantado para Brasília, ficamos ainda mais desalentados, porque Netuno tomará o palco central, então a possibilidade de fraudes e esquemas obscuros fica aumentada, especialmente no cenário político em Brasília… Mas Saturno está lá no Meio do Céu, apresentando a conta e trazendo tudo a público… Parece que essa nossa via crucis não acaba nunca… Netuno no ASC sugere um ciclo muito confuso, propenso a equívocos e malogros diversos, desânimo, desilusão que, paradoxalmente, nos deixam predispostos a novos enganos. Escândalos envolvendo figuras públicas, escândalos envolvendo drogas e entorpecentes, possível aumento da propagação do vírus da Zika e outras doenças… Se conseguirmos driblar nosso desânimo, hesitação e vontade de desistir, talvez consigamos nos alinhar com a infinita criatividade também simbolizadas por Netuno. Vênus, Sol e Lua estão no Fundo do Céu – será que vamos continuar como os bobos da corte, rindo para não chorar, com nossos erros esfregados na nossa cara por todo o sempre? Júpiter em Virgem está no Descendente: viramos mesmo chacota internacional! Por outro lado, talvez isso possa significar alguma ajuda externa no meio desse caos insolúvel e sem saída que nos encontramos… Mas dado o presente cenário, mesmo essa ajuda pode ser duvidosa. É, este é o ciclo da lambança federal (federal, de federação, não é no sentido de gíria!), seguida de de rebordosa e ressaca, seguida de mais lambança… Círculo vicioso. E o povo, assistindo a tudo isso impotente, cai na tentação de voltar a se embriagar e anestesiar, seja com álcool, drogas, crenças, opiniões cheias de certezas ou ilusões… Bem fará quem se mantiver sóbrio!

Emma Dajska - Reprodução
Emma Dajska – Reprodução

De fato, é um ciclo que exigirá de nós muito centramento para que possa ser minimamente produtivo, do contrário, o tempo passará num piscar de olhos e quando nos dermos conta estaremos apenas com a sensação de ter atravessado um furacão, ou melhor, de ter sido levados por ele. Contamos com alguma ajuda nesse quesito “centramento” vinda de Mercúrio, regente da Lua Nova, que está em Touro, um signo bastante pé no chão, pragmático, ponderado, deliberativo e lento na ação, o que, neste caso, equilibra grandemente a pressa e a afobação de Gêmeos e garante que tenhamos alguma substância e não sejamos apenas um balão vazio levado pelos ventos. De qualquer forma, Mercúrio já está em orbe de oposição a Marte em Escorpião, o que exige cuidado dobrado com a língua, que estará letal e com precisão cirúrgica, mas com forte potencial destrutivo!

Reprodução
Reprodução

Contudo, para além do óbvio, Essa Grande Cruz Mutável me lembra, mesmo, uma encruzilhada e nela precisamos decidir que direção tomar: vamos para a direita, pelo lado do otimismo, talvez até um pouco ingênuo ou exagerado? Vamos pela esquerda – e isso também me lembra a via sinistra – a via da fantasia e do sonho, mas também das ilusões tolas e ocas, a via da busca por um salvador/cuidador e das meia-verdades ou mentiras deslavadas? (Em tempo, os termos esquerda e direita aqui referem-se exclusivamente aos posicionamentos de Júpiter e Netuno no mapa da Lua Nova, não têm, absolutamente, nenhuma conotação política). Vamos para a frente, para o confronto com a realidade e com nossos medos e limitações, que nos colocará em contato com inseguranças, mas também com nossa verdade mais firme? Ou vamos ainda voltar por onde viemos, crianças irrequietas, alheias ao que ocorre à nossa volta  e receosas dos comprometimentos que os caminhos e escolhas possam representar?

Puerto Natales, Chile - Reprodução
Puerto Natales, Chile – Reprodução

A encruzilhada demanda reflexão e escolha, que nos elevemos acima do burburinho mental para termos maior clareza, pois se ficarmos paralisados no meio dela poderemos ser atropelados por outros mais apressados e decididos do que nós… Mas serão só estas as nossas opções? Talvez não. Ainda podemos ir para cima ou para baixo – não esqueçamos que Plutão está ali, a nos dizer que pode nos levar numa jornada ao Mundo Inferior também num piscar de olhos! E mais: Hermes-Mercúrio, como Deus dos portais, nos lembra que há outras dimensões além daquelas três às quais estamos acostumados… Talvez possamos pairar acima dessa encruzilhada e nos projetar no futuro, intuindo os vários possíveis resultados das diversas alternativas diante de nós… Poderíamos percorrer todas essas alternativas e voltar ao começo depois? Bem que Gêmeos adoraria, não é, deixar tudo em aberto, experimentar um pouco de cada opção e depois ainda sair solto e descolado feito sabonete escorregadio… Falamos de Gêmeos apenas arquetipicamente, porque essa é uma atmosfera que se aplica a todos por estes dias.

Reprodução

Então, qual é a melhor escolha? Na verdade, não existe tal coisa… Idealmente, deveríamos ser capazes de absorver toda a irreverência e curiosidade de Sol-Lua em Gêmeos, temperá-la com a sobriedade e a contenção de Saturno, equilibrar essa sobriedade com a alegria juvenil de Júpiter e ainda sonhar um pouco e abrir mão do controle com Netuno… Mas estes planetas não representam apenas qualidades positivas e nós precisamos considerar seus paradoxos… E, novamente, no melhor dos mundos, tal como um sábio meditando,  conscientizarmo-nos de tudo o que tais deuses representam, para o bem ou para o mal, por assim dizer, misturar tudo isso dentro de nós, peneirar e finalmente fazer nossa escolha, no cerne da nossa certeza interna simples, tendo a grande humildade de considerar que ainda poderemos estar errados, mas que fizemos a escolha que nos pareceu mais apropriada naquele momento.

É como naquela cena do filme O Último Samurai em que o protagonista, Nathan Algren vem por uma rua tarde da noite, desarmado e é encurralado por cinco guerreiros. Como já ficou muitos meses treinando na arte dos samurais, Algren sabe que se espatifar em todas as direções não é a melhor estratégia. Então, ele fica completamente alerta, em máxima concentração e fixa sua total atenção no momento presente, num estado pleno de atenção consciente. Assim, consegue antecipar os movimentos de seus oponentes e ter perfeito controle de suas próprias ações e reações, conseguindo vencer, sozinho, a cinco guerreiros valentes, puramente pela força mental concentrada… Sim, claro, estamos falando de um filme Hollywoodiano que tenta vender a supremacia americana e blá blá blá… Mas não é disso que estou falando. Quando pensamos nos samurais e todo o corpo de práticas e filosofia que viviam, sabemos que isso não só era possível para eles, mas dependendo do grau de aperfeiçoamento do guerreiro, poderia ser até enfadonho de realizar. Aliás, podemos ver isso nas artes marciais ainda hoje. O que eu quero dizer é que, diante deste cenário de inúmeras possibilidades, de situações se alterando constantemente e das mil e uma tarefas, obrigações, e imprevistos ocorrendo simultaneamente, o melhor que podemos fazer é adotar a prática do guerreiro zen, ou seja, atenção consciente permanente no aqui e agora. Só assim estaremos aptos a responder aos desafios que o ciclo nos traz.

Reprodução
Reprodução

O guerreiro zen sabe que tudo está na mente e que a mente prega muitas armadilhas. Ela pode ser nossa salvação ou danação, depende de nós e de como a usamos. Nas várias horas de treino a que se submeteu, Algren aprendeu que o segredo é manter a mente limpa e vazia: nada na mente. Esvaziar a mente de nossos medos, desejos, expectativas, pressões, opiniões, conceitos, identificações, paixões, inflações. Quando nos desapegamos de tudo isso, nós ficamos livres e leves e assim podemos tomar decisões mais coerentes e tranquilas que, mesmo que se provem equivocadas posteriormente, o que é muito improvável, ainda permaneceremos serenos, porque sabemos que tal decisão não foi fruto de precipitação, inconsequência ou leviandade, mas de uma escolha consciente.

Getty Images - Reprodução
Getty Images – Reprodução

O Símbolo Sabiano do grau 15 de Gêmeos (14° – 14°59’) traz a seguinte imagem: “Duas crianças holandesas conversando e estudando suas lições juntas”. O símbolo é claro: pessoas que se juntam a partir de objetivos similares ou afins. Uma situação de estudo e aprendizado, comunicação e socialização que tem tudo a ver com Gêmeos. O fato de ser apontado que são crianças “holandesas”, implica que talvez sejam estrangeiras em alguma terra alheia, mas nem por isso precisam se sentir isoladas, pelo contrário, podem se aproximar de seus semelhantes e afins e de origens ou metas parecidas. O fato de precisarem executar uma tarefa não necessariamente quer dizer que isso tenha que ser feito de maneira soturna e tediosa, mas pode sim, ser encarado com leveza e alegria, o que nos remete também, como diz Lynda Hill (1), às lições da vida que precisamos aprender e apreender e que podem iluminar e enriquecer a todos os envolvidos na situação. É fundamental manter o espírito de leveza e serenidade, para que não criemos complicações e problemas desnecessários – já teremos o bastante de desafios e problemas reais e também imaginários ou exagerados, logo, não precisamos ficar procurando cabelo em ovo, portanto, quanto mais simples e objetiva for nossa abordagem, melhor. Este é um símbolo que fala de estudos e aprendizados, de comunicação e amizade, de companheirismo e de simplicidade. entretanto, ele também traz riscos e fala de fofocas, de superficialidades, de pontos de vistas grosseiros, de preconceitos, ostracismo e, acrescenta Hill, da possibilidade de ouvir vozes que não fazem sentido algum… Portanto, o Símbolo Sabiano reverbera um pouco da dinâmica da configuração ativada pela Lua Nova e sugere mais cautela.

Maria Eunice Sousa
Maria Eunice Sousa

E nós, como ficamos nessa encruzilhada, afinal? Ficamos no centro. Não no centro do cruzamento, correndo o risco de ser atropelados pela hesitação, indecisão , inconstância e incoerência, mas no centro de nós mesmos e da nossa alma. Só assim poderemos perceber o sentido das coisas e das escolhas que precisamos fazer e das atitudes que precisamos adotar. Como diz Bert Hellinger, “no centro sentimos leveza” e leveza (Gêmeos) com substância (Mercúrio em Touro) é o objetivo final deste ciclo. Será que conseguimos? Havemos de consegui-lo!

lightworkersworld
Lightworkersworld – Reprodução

Praticalidades: Indivíduos com planetas ou ângulos entre os graus 09 e 20 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais impactados por esta Lua Nova e esta Cruz Mutável, nas áreas de vida representadas pela casa que têm Gêmeos no mapa natal.

Para se manter centrados e ancorados neste ciclo tumultuado, podemos recorrer a várias práticas: exercícios de respiração profunda, Yoga, Tai-Chi-Chuan, exercícios de enraizamento, meditação, florais que acalmem a mente e a ansiedade, dança, escrever para dialogar com os próprios receios, andar descalço na terra, contato com a natureza…

Um ótimo ciclo para você!

Con-centre-se! Con-centro-me (com centro em mim). Enraize-se!

Jiwa Lee Robinson - the Huffington Post - Reprodução
Jiwa Lee Robinson – the Huffington Post – Reprodução

A Semana Astrológica: Esbandalhados

Ming Inspirational Art - Reprodução
Ming Inspirational Art – Reprodução

Semana de 30 de maio a 05 de junho

Semana caótica, de grande ansiedade, dispersão e desânimo, mas propícia a limpezas e finalizações.

Depois de um mês afastada, estou de volta! Agradeço a todos pelos pelos bons sentimentos e vibrações elevadas. A vida dá suas voltas e revezes e a gente tem que se ajustar… Aos poucos as coisas vão entrando nos eixos.

areia movediça
Reprodução

Esta semana começa com a Lua Minguante – ficou minguante no domingo, 29, em Peixes – e se renova na Lua Nova de Gêmeos à 00h00min (sim, pontualmente!) do domingo, dia 05. A fase lunar convida a reflexões, avaliações e eliminações daquilo que não serve mais… Mas no geral é uma semana caótica, nebulosa, complicada, que se arrasta como se andássemos em areia movediça – quanto mais tentamos sair, mais afundamos. Esbandalhados ficamos e neste caso, só muita resiliência e centramento para combater tanto desânimo e dispersão! O Sol, que ingressou em Gêmeos no dia 22, defronta-se com vários desafios capciosos, armando uma Grande Cruz Mutável ao se opor a Saturno em Sagitário e quadrar Netuno em Peixes e Júpiter em Virgem. Todos estes desafios também são enfrentados por Vênus, que segue o Sol de perto – tendo ela ingressado em Gêmeos no dia 24 – já preparando-se para a Conjunção Superior Sol-Vênus que acontecerá na segunda, dia 6.

Antonio Mora, artista espanhol - Reprodução
Antonio Mora, artista espanhol – Reprodução

Júpiter acabou de formalizar a quadratura a Saturno, uma quadratura minguante, a última deste ciclo de aproximadamente 20 anos (19,9 anos, precisamente). Uma quadratura que simboliza os tempos de crise econômica, moral, religiosa e política que atravessamos. Na esteira dessa quadratura Sol e Vênus engrossam o angu e formam uma Grande Cruz, pois fazem, ambos, quadratura a Netuno em Peixes, oposição a Saturno em Sagitário e quadratura a Júpiter em Virgem. Esta Grande Cruz fica formada por toda a semana, avançando até meados de junho. Um período que requer muita cautela da nossa parte, pois nada está claro, tudo se confunde e se mistura num caleidoscópio de muitas cores e borrões confusos… Um cenário vai se desenhando à nossa frente, que culminará nos próximos dias: a mediação de sonho e realidade dentro de nós; a integração de limites responsáveis que não nos impeçam de crescer e de expandir nossas ideias e ideais; sonhar com os pés no chão ou manter-nos ancorados enquanto deixamos nossa imaginação voar e alimentar nossa criatividade… No meio disso tudo, podemos incorrer no equívoco de nos ocupar em demasia ou de, egoicamente, espiralar em verborragias vazias que apenas denunciarão a inflação desse mesmo ego descompensado. Entramos em um período frenético de atividades diversas, mas que precisam ser bem administradas para que sejam proveitosas, do contrário, apenas nos causarão desgaste e chateações, deixando-nos ainda mais vazios ao final e pior, sem termos realizado nada de efetivo. É preciso buscar estímulos mentais com sabedoria: estímulos que alimentem e expandam nosso conhecimento e não apenas ocupem espaços e causem preocupações inúteis e tolas.

Clara Lieu - Reprodução
Clara Lieu – Reprodução

Todas essas ideias que surgem agora, nascem do confronto de muitos dissabores e decepções; de termos apostado alto em fichas enferrujadas, ocas, sem lastro… A T-Square Júpiter-Saturno-Netuno está super ativada por esses dias, indicando, mais do que nunca, o momento em que a esperança e as ilusões são fragmentadas irrevogavelmente: o que nos resta agora? Por Deus, onde é que fomos amarrar nosso burro? Essa é a hora da verdade, e de ainda permanecer atentos aos possíveis engôdos que nos espreitam logo ali, que podem ser engendrados e fertilizados exatamente por esses desenganos; de prestarmos atenção às estórias bonitinhas que vão sendo contadas, mas que ainda escondem o ranço de velhas práticas, que já deveriam ter sido, há muito ultrapassadas… Deixar que as ilusões sejam fragmentadas e que sejamos nós também, fragmentados em nossa infantilidade e desejos de que uma mãe salvadora cuide de nós… Desconstruir as ilusões e engôdos é o passo necessário para que a reconstrução aconteça.

Reprodução
Reprodução

É realmente necessário sentar o pé no chão na hora de desenhar essas novas ideias e ideais e nos assegurar de que tenham lastro ou continuaremos a chapinhar neste lamaçal hediondo. Não nos deixar abater pelos cenários sombrios, mas nos imbuir de um otimismo mais pé no chão ou um realismo mais esperançoso no enfrentamento da realidade dura diante de nós e dos desafios que nos aguardam. Em tempo: este cenário astrológico também está mais que favorável para novos engôdos sejam arquitetados diante do nosso nariz, com nossa anuência, sem que nos demos conta, talvez até, aplaudindo de pé. Todo cuidado é pouco! No momento, na dúvida sobre o que fazer, é melhor não fazer nada e aguardar até o caminho esteja mais claro e limpo, porque com todo esse nevoeiro, o risco de cair no precipício é enorme!

Reprodução
Reprodução

Mercúrio, atual regente do Sol e de Vênus, voltou ao movimento direto e gradualmente vai recuperando terreno e retomando sua boa forma. Agora é o momento de decidir o que fazer com todas as lembranças, memórias, papéis e quaisquer outras coisas que tenham emergido dos recantos da nossa mente e gavetas revisados. Mercúrio está em Touro e faz trígono a Plutão, formando um Grande Trígono de Terra, pois ainda se afasta de outro trígono a Júpiter. Felizmente para nós, com Mercúrio em Touro e envolvido nesse Grande Trígono, temos algum enraizamento e ponderação para nos suprir de um pouco de cautela neste cenário de Grande Cruz nebuloso… A energia super móvel, frenética e mutável fica menos desgovernada e errática, permitindo-nos contar um, dois ou três antes de simplesmente agir precipitadamente.

Reprodução
Reprodução

Vênus, planeta que simboliza valores, desejos, relacionamentos, geração de dinheiro e recursos, está envolvida nessa Grande Cruz Mutável já mencionada, indicando que precisamos ter muita prudência na abordagem dessas áreas de vida pelas próximas semanas. As informações estão desconexas, bagunçadas e muito obscuras, portanto, os investimentos de risco devem ser evitados, especialmente aqueles que pareçam oferecer dividendos fabulosos… Vale aquela velha máxima: se parece ser bom demais para ser verdade… Ou ainda, quando a esmola é muita… Na esfera das relações a coisa não está muito diferente. Nossa autoestima está meio combalida pois temos muitas dúvidas acerca de nossas capacidades e valores… Especialmente, nossos critérios estão meio frouxos e nos deixamos levar pelas marés. Há grande propensão a fofocas, maledicências, leviandades e promiscuidade e nosso senso de valor oscila feito gangorra. Assim, talvez seja bom não julgar o livro pela capa e aguardar cenas dos próximos capítulos para se ter uma visão mais geral do cenário, antes de tomar atitudes das quais nos arrependamos depois.

670px-Stop-Being-Passive-Aggressive-Step-9-Version-2
Reprodução

Marte segue retrógrado e já retornou à densidade de Escorpião, obrigando-nos a lidar com nossas frustrações, antigas e velhas; com os rancores e ranços e também com a impotência… paciência e tolerância são as armas e ferramentas para o período porque estamos mais reativos e defensivos e com tal espírito ficamos mais propensos a discussões e conflitos… O ego está frágil e vale nos questionar, antes de entrar na briga, se vale mesmo a pena comprar confusão… Podemos treinar nossa raiva e domesticá-la, para que ela esteja a nosso serviço e não o contrário. Agressividade passiva também não é muito aconselhável – bom mesmo é a honestidade de sentimentos para consigo e com os outros, aprender a dizer não sem morrer ou temer ser morto por causa disso.

Alex Ruiz - Starry Night - Reprodução
Alex Ruiz – Starry Night – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Minguante em Peixes. Viaja ligeira por Áries, onde se torna Balsâmica na quarta-feira. Reconforta-se em Touro e se renova em Gêmeos, na Lua Nova no domingo, 5. Faz contatos com todos os demais corpos celestes, fluidos, harmônicos ou tensos, simbolizando as alterações de humores e atividades da vida aqui na Terra.

Reprodução
Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA está um tanto atípica. A Lua ficou minguante ontem, em Peixes e por Peixes navega essa Lua que vai desinflando tristonha e nostálgica. A Lua hoje está envolvida na Grande Cruz Mutável, afastando-se ainda da quadratura a Saturno e oposição a Júpiter em Virgem. Dona Lua faz a conjunção melindrosa a Quíron e depois trígono a Marte retrógrado em Escorpião, ficando vazia às 20h11, depois deste contato. Ingressa em Áries às 22h10min. Mercúrio em Touro está em trígono pleno a Plutão em Capricórnio e junto com Júpiter formam um Grande Trígono em Terra, que desemboca em Netuno, formando uma Pipa ampla. Dia nostálgico, modorrento, que demora a engrenar. A atmosfera está meio preguiçosa e lenta, de modo que precisamos argumentar conosco mesmos para nos convencer a pegar no batente, arrebanhando toda a nossa disposição adormecida nos músculos e articulações. Uma boa maneira de acordar nossa energia é estimulando nossa imaginação e criatividade, mover nossa sensibilidade e não a força bruta. Não é dia de se cobrar objetividade absoluta pois daremos com os burros n’água… É melhor e fluir, intuindo e captando as correntes invisíveis e farejando o melhor caminho, o método mais eficaz… A abordagem frontal e rígida só nos deixará frustrados… A Lua míngua em Peixes e sugere que reflitamos sobre as ilusões que ainda guardamos como bens preciosos, como gemas raras, mas que impedem que vejamos com clareza nossas reais possibilidades. Assim, a Lua pede que abandonemos essas fantasias e ilusões que toldam nossa racionalidade e objetividade e, consequentemente, atrapalham nossa atuação efetiva no mundo e na realização de nossos desejos e propósitos. Abandonar ilusões, escapismos, vitimismos, lamúrias e lamentações, para podermos nos apoderar de nossa força e nos responsabilizarmos pelo nosso presente – só assim estaremos aptos a desenhar e de fato construir um futuro mais promissor. Dia propício a reflexões, avaliações e eliminações.

Society6 - Reprodução
Society6 – Reprodução

A Lua Minguante está em Áries na TERÇA-FEIRA, de onde se harmoniza com Vênus e com o Sol em Gêmeos e, bem mais tarde, também com Saturno em Sagitário, enquanto se irrita com Júpiter em Virgem. A Lua também se indispõe com Marte, seu dispositor,  retrógrado em Escorpião. Sol e Vênus estão já perto da quadratura a Netuno. Mercúrio segue seu trígono muito próximo a Plutão. O dia está bastante ativo e mais dinâmico, mas também um tando irritadiço. Queremos e precisamos fazer muitas coisas mas nos deparamos com os velhos obstáculos com os quais temos lidado nas últimas semanas e que hoje ficam ali irritando, como um espinho encravado do qual havíamos esquecido e que de repente se faz perceber dolorosamente. Ressentimento e talvez até um pouco de amargura provenientes da frustração crônica podem azedar um pouco o humor… Mas só se deixarmos, porque há mais influências positivas que podem melhorar nossa disposição de ânimo, se assim o permitirmos. Essencial é lembrar que nada é permanente, nada dura para sempre, nem o bom nem o ruim, nem as alegrias nem os desapontamentos. Assim, podemos cavar dentro de nós em busca de nossa resiliência e recuperar também um pouco do nosso bom humor e graça, do espírito de curiosidade e lembrar que, se estamos abertos e atentos, podemos nos surpreender com pequenas dádivas e milagres que às vezes tomamos por garantido e que, por isso mesmo, deixamos de valorizar. Mesclar a curiosidade infantil saudável com a sabedoria de quem já viu e vivenciou muita coisa pode nos dar a serenidade necessária para aplacar a impaciência, a irritação e até mesmo essa fúria surda que inflama o fígado!

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Ainda em Áries, a Lua Minguante faz quadratura a Plutão na QUARTA-FEIRA, fazendo conjunção a Urano mais tarde, aspecto depois do qual fica vazia, às 12h44min. A Lua ainda faz sesqui-quadraturas a Júpiter e a Saturno, quincunce a Marte em Escorpião e semi-quadratura ao Sol, tornando-se Balsâmica. A Lua ingressa em Touro às 23h47min. O Sol está em quadratura plena a Netuno em Peixes e como também faz quadratura a Júpiter e oposição a Saturno, temos uma Grande Cruz Mutável. O dia está pesado, carregado como um céu tempestuoso de nuvens escuras prestes a desabar sobre nossas cabeças. Nossos ombros decaem sob o peso de desapontamentos com que não conseguimos lidar, de cobranças que não damos conta de atender e de expectativas que talvez não realizemos jamais, o que só aumenta nosso desamparo e frustração. Nosso frágeis sonhos de papel jamais chegarão às alturas que vislumbrávamos. É um desgosto profundo, tanto pelas decepções evidentes quanto por outras mais sutis, que nem conseguimos dar nome e nesse espírito talvez deixemos vazar pelos poros nossa frustração, dando socos e pontapés no ar, para fazer o mundo saber de nossa raiva e dissabor… Mas será que adianta? Quem disse que a decepção é só nossa? Olhemos em volta: o mundo está desapontado com essa humanidade que vive a meter os pés pelas mãos, hipnotizada pelo próprio umbigo, na mania de grandeza que nos leva a todos ao caos. Precisamos ter cautela porque as energias hoje estão voláteis e tempestuosos, motivadas para a ação, mas uma ação que nasce do caos e da desconexão de ideias e sentimentos, o que apenas nos leva à precipit-ação, ação precipitada, impensada e fadada ao desastre. Assim, antes de sairmos atirando para todos os lados para exacerbar nossa frustração, vale contar até 10, até 100 para não destruirmos de vez o pouco que nos resta de sustentação. A Lua fica vazia depois de Urano e torna-se Balsâmica nessa energia: maior ênfase no olhar para o futuro. Que possamos aprender com nossos erros e desilusões e olhar para o futuro com este espírito reformador e honesto, que entende que reformar o mundo só é possível quando reformamos a nós mesmos.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

A Lua está Balsâmica em Touro, isolada e sem aspectos por muitas horas na QUINTA-FEIRA. Pelo meio do dia ela começa a acenar para Netuno em Peixes, fazendo também um trígono a Júpiter e formando um Grande Trígono de Terra que se estende até parte do dia seguinte. Mas a Lua também se indispõe com a aspereza de Saturno. Vênus está em quadratura quase exata a Netuno e o Sol em oposição quase plena a Saturno. Estamos ensimesmados hoje, de poucas palavras e gestos econômicos – e é bom mesmo porque em tempos de Grande Cruz Mutável, quem fala demais dá bom dia a cavalo! É dia de manter a porta fechada, de ponderar, com vagar e paciência sobre nossas atitudes, passadas e presentes, para podermos modificar aquilo que deu prejuízo ou não saiu a contento. A Lua Taurina oferece porto seguro para as naus perdidas nos mares revoltos e desalentados pelos quais navegamos atualmente. Parar e digerir os borbotões de desejos frustrados, pensamentos caóticos, objetivos dispersos e perspectivas tumultuadas pode nos fazer bem e ás vezes, quando não sabemos o que fazer, é melhor mesmo não fazer nada, ao invés de desperdiçar energia e recursos em empreitadas inseguras e incertas. Devagar e sempre, a pressa pode apenas nos levar a precipitações. Recolhamos nossas velas e aproveitemos o isolamento para ruminar e observar o rumo dos ventos, antes de nos lançar ao mar bravio novamente!

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

O Sol Geminiano faz oposição exata a Saturno em Sagitário e Vênus faz quadratura plena a Netuno em Peixes na SEXTA-FEIRA. A oposição Vênus-Saturno também fica exata hoje. Para compensar esse clima sombrio, a Lua Taurina faz conjunção a Mercúrio e trígono a Plutão e o Grande Trígono de Terra que inclui Júpiter talvez nos ajude a encarar o peso do dia com pragmatismo e pé no chão. A Lua se opõe a Marte em Escorpião já à noite e fica vazia às 20h04min. O dia está tenso, melindroso, sensível e pesado.Sobra insegurança e incerteza, faltam esperança, otimismo e confiança. Estamos agudamente conscientes de nossas limitações e impedimentos, assim como não temos como fugir dos obstáculos impostos por outros ou pelo próprio ambiente e realidade em que nos encontramos. São cruas e aleijantes as sensações de desamparo e vulnerabilidade e na tentativa de esconder nossa insegurança, ilhamo-nos e isolamo-nos dos outros, amargando uma solidão fria e dura, ressentidos de tal isolamento, percebendo, só muito depois, que engendramos a realidade que mais temíamos. Receando rejeição, fazemo-nos de fortes e autossuficientes, embora por dentro, estejamos ansiando por contato e conforto. Precisamos nos dar conta de que essas vicissitudes são causadas por nós mesmos e por nossa inabilidade de nos comunicar e nos permitir ser alcançados e tocados pelos nossos pares. Nossa tarefa principal é não nos deixar abater ou esmagar por essas limitações, antes, crescer e amadurecer com elas. Também precisamos lidar de forma madura com o conflito entre as obrigações e deveres e as necessidades e desejos, que hoje parecem mais discrepantes do que nunca. Os deveres e comprometimentos nos quais estamos enredados parecem nos puxar para baixo e nos impedir de ser quem somos e de fazer o que queremos, mas isso pode ser também uma perspectiva excessivamente sombria, um recorte de um dia particularmente carregado, mas cujo clima e efeito também não durarão para sempre. É preciso negociar, conosco mesmos, nossas expectativas, desejos e obrigações; negociar com os outros e suas necessidades; negociar com a vida, com aquilo que queremos dela e com aquilo que estamos dispostos a entregar para conseguir tais intentos. Se formos honestos conosco e com os demais, podemos achar maneiras de contornar as dificuldades e encontrar saídas para os dilemas que hoje parecem insolúveis.

Fxnc on flickr - Reprodução
Fxnc on flickr – Reprodução

A Lua ingressa em Gêmeos à 00h02min do SÁBADO. O Sol e Vênus confrontam os exageros instilados por Júpiter. A Lua vem adicionar frenesi à Grande Cruz Mutável ao fazer quadraturas a Netuno e Júpiter e oposição a Saturno. Faz conjunção a Vênus e se renova no limiar do novo dia. O dia está para lá de caótico. Está errático, sujeito a muitas inconstâncias, idas e vindas, altos e baixos, assim como nosso humor disposição. Debulhamo-nos em muitas direções, querendo alcançar o inalcançável só para nos frustrar e perder tempo e o ânimo. Calma! Vejamos a alma do caos e fluamos com ele, que talvez tenha o que nos ensinar… Contemos, a exemplo de Leocádio: “Um, dois, três, quatro, cinco…” E Leocádio explica: “Fui ensinado a não ter pressa, por isso conto. Tanto na ida quanto na volta, não se afobe, vá com calma. Uma hora sempre me perco, não a ponto de errar o caminho, mas de me enganar com os números… Ficar atento é bom, filho, porque você chega livre de aborrecimento, mais cedo e sequinho em casa… Minha mãe é assim…” (trecho do conto Igualzinho Ontem, de Aleksandro da Costa, do blogue Doam-se Palavras). Assim como Leocádio, é melhor não ter pressa e não se afobar, ir com calma, ir com alma, para evitar aborrecimentos, que hoje são tão certos como dois e dois são quatro, se insistirmos em nos apegar a qualquer coisa. Na dúvida, contamos os passos, a respiração, as horas, tudo para conter a afobação e não nos perdermos nos entulhos de nossas emoções e sentimentos desencontrados, babélicos, delirantes… É dia de ficar atentos, de observar, de flanar sem ansiedade, sem se apegar a pensamentos ou eventos aparentes, alegres ou tristes, qual meditante sábio que aprendeu a deixar vir e deixar ir, sem prender, sem apegar-se, sem grudar-se, a sentimentos, pensamentos, desejos, a fatos, a nada… Sem julgar, sem esperar, sem querer, sem desejar… Apenas ser. E na observância neutra da vida, respirar e esperar a hora certa de agir, depois de muito meditar e elucubrar, sabendo que tudo está incerto, e nada está deserto, ao contrário da canção do Roberto. Calma e cautela. Respiração e contenção. Centramento. São as pedidas do dia.

silencio natgeoA Lua é Nova exatamente à 00h00min de DOMINGO, a 14°53’ de Gêmeos, em conjunção muito próxima a Vênus, oposição a Saturno, quadratura a Júpiter e a Netuno e quincunce a Plutão. Ao longo do dia a Lua se afina com Urano em Áries e fica vazia depois, às 13h49min. Ela ainda faz quadratura a Quíron e quincunce a Marte. Esta Lua Nova sinaliza muitos desafios e indica um ciclo que alongará a sensação de caos, desânimo e dispersão que ora nos acomete. Felizmente Mercúrio, regente da Lua Nova, está em Touro, formando um Grande Trígono de Terra com Júpiter e Plutão, oque pode propiciar algum centramento e contenção para toda essa dispersão. O dia fica nervoso, agitado e sujeito a muita atividade mental e verbal, o que pode nos deixar exaustos emocional e mentalmente, caso embarquemos nesse frenesi. Lazer e atividades que nos coloquem em contato com a natureza, em que possamos caminhar e por os pés na terra podem ajudar a canalizar e aterrar toda a energia mental e minimizar a afobação. A tarde está sujeita confrontos dolorosos, trocas verbais ingratas originadas de fragilidades mal administradas, mas que podem ser contornadas ou evitadas, caso nos observemos com atenção, antes de reagir, defensivos, a iniciativas que podem até ser neutras ou bem intencionadas. O contrário também é verdadeiro: se não sabemos o que dizer para suavizar e confortar a dor do outro, é melhor ficarmos quietos, em lugar de correr o risco de piorar a situação… Comunicar, falar o que nos vai na alma é bom, desde que seja para transformar positivamente, que seja para nos aproximar e não apenas para desembocar sobre outros, já alquebrados, nossas ansiedades vorazes. Falar é bom, mas nem sempre é essencial. A companhia às vezes é suficiente e a presença muitas vezes dispensa palavras.

Que sua semana seja leve, centrada e de muita serenidade!

Reprodução
Reprodução

Lua Nova em Aquário: o indivíduo é a peça crucial

moon an d sun
O Casamento Sagrado da Lua e do Sol Desconheço o Autor – Reprodução

A Lua foi nova esta manhã às 11h13min, hora de Brasília e às 13h13min hora de Lisboa, Portugal. O Sol ingressou em Aquário ás 07h44min, deixando para trás as preocupações com o mundo concreto da realidade e adentrando o reino das visões futurísticas e dos interesses humanitários. Sai de cena o indivíduo e entra o grupo. Será?

Coisas interessantes acontecem hoje, quando as configurações estelares se modificam com a ingressão de Sol e Lua no Ar de Aquário. Temos, pois, Sol, Lua, Vênus e Mercúrio em Aquário. E Marte ainda em conjunção quase exata com Netuno em Peixes e dirigindo-se para a união com Quíron. A dicotomia Ar e Água enfatiza bem a polarização das funções Pensamento e Sentimento na psique. Um conflito básico para o ciclo é se avaliamos e julgamos informações e acontecimentos a partir de critérios lógicos e da mente racional ou se o julgamento é feito a partir da Função Sentimento, considerando o que é importante para mim e para você, considerando os vínculos e os envolvimentos estritamente pessoais.

aguadeiro
Detalhe da obra “Aquário”, de Johfra Bosschart – Reprodução

A Lua Nova mais uma vez ocorre no grau Zero do signo. Esta ocorre com Sol e Lua a 00°08’ e como já disse em vários outros artigos, o grau zero é um grau crítico que traz a potência máxima e crua daquele signo. Outra coisa interessante de se notar é que no mapa levantado para Brasília e válido para todo o Brasil, a Lua Nova cai na Casa 11, a casa natural de Aquário, o que repete, de certa forma, todos os seus temas.

prometeu
Prometeu traz o Fogo à Humanidade – Heinrich Friedrich Füger – Wikimedia Commons

Aquário é um signo voltado para as causas sociais, como diz Liz Greene, ele é o grande “assistente social” do Zodíaco. É profundamente idealista, um visionário que se volta para a melhor versão das coisas, das pessoas e das sociedades. Mas o ponto mais importante que quero destacar aqui é que Aquário fala das utopias, ou melhor da Utopia Humana de um mundo perfeito em que todos são iguais, livres e vivem como irmãos, respeitando-se e ajudando-se mutuamente. A Grande utopia Humana começa exatamente com Prometeu, o patrono de Aquário, aquele que roubou o Fogo dos Deuses para dar à humanidade a visão, a fé e a perspectiva de um futuro melhor – para ler mais sobre este mito e sobre o signo de Aquário, clique aqui.  Mas Prometeu, idealista que era, estava cego pela visão de futuro que projetava diante de si, alheio aos riscos implicados; alheio, principalmente, à falível natureza humana e à sua própria hubris, à sua própria arrogância de se achar acima dos deuses, acima do deus maior, Zeus. Assim, os ideais progressistas e humanitários são a benção e a maldição de Aquário. Porque ele foca tanto nesta visão que esquece o aqui e o agora, ignorando que a humanidade é feita de humanos, indivíduos, passiveis de corromperem e de serem corrompidos, sedentos de poder e de reconhecimento pessoal (Leão), coisa que se for ignorada, somente piorará os resultados.

Lucas Cranach de elder = the golden age
Lucas Cranach, o Velho – A Era de Ouro – Wikimedia Commons

Na Astrologia Clássica, Aquário é regido por Saturno, que era o regente da Era de Ouro, em si mesma uma descrição de uma sociedade utópica. Liz Greene fala em um de seus muitos seminários (1) que os humanos normalmente não entram nos mitos relacionados a Saturno, mas neste caso específico, a Era Dourada era toda sobre os humanos. A Era Dourada, diz ela, é a descrição de uma sociedade ideal, a imagem de um modelo, uma visão de algo que funcionava de forma perfeita e onde cada um sabia seu lugar; onde as pessoas e comunidades estavam em sintonia com as leis da agricultura, das estações, com os ciclos da natureza; onde havia uma afinidade natural com as leis que sustentavam a vida, como manifestação das qualidades do deus. Aquário e a Casa 11, regidos por Saturno, falam pois, de uma forte moralidade, de códigos éticos severos que não devem ser violados. É um sistema social como um ideal – mas não era uma democracia, já que era presidida por Saturno. Viver nesta sociedade demandava estar afinado com essas leis naturais que regiam o sistema; exigia um reconhecimento tácito dos limites dos outros, dos limites sociais e dos limites da própria natureza; exigia um respeito pelo papel que cada um tinha, sem violá-lo. Essa utopia Aquariana já foi sonhada muitas vezes, por sistemas sociais e econômicos diversos e em algum momento, o sonho desanda e vira pesadelo, basicamente porque o indivíduo, como tal, é esquecido, tanto nos seus talentos quanto nos seus pecados.

abandonados
Reprodução de Google Imagens

E o que vemos hoje? Uma sociedade doente, prestes a sucumbir ao caos de uma nova guerra “santa” e se não nos destruirmos através das guerras, certamente o faremos pelo “estilo de vida” que levamos atualmente e que não se sustenta. Ao contrário dos humanos da Era Dourada regida por Saturno, não estamos em sintonia com as leis da natureza, não respeitamos seus ciclos e seus limites; não respeitamos os limites do outro, menos ainda muitos dos limites sociais; e também não reconhecemos nem respeitamos o papel que cada um deveria realizar e executar, já que é “cada um por si e Deus por todos”, quero tanto para mim, que avanço no limite do que deveria ser do outro. Não preciso elencar aqui descrições de porque somos uma sociedade doente e falida, as evidencias falam por si. Porém, como dizia Jung se há algo errado com a sociedade, há algo errado com o indivíduo; se a psique coletiva está mal, é apenas reflexo do ocorre com a psique individual. Então, se a sociedade precisa de reforma, reformemos o indivíduo… Como? Cada um reformando a si mesmo, mas com a sociedade provendo o suporte para tanto.

For One Day, Alice Madness Returns Comes To Life kokatu
Por Um dia, Alice: o Retorno da Loucura ganha Vida – Encontrado em Kotaku – Reprodução

A Lua Nova ocorre de mãos dadas aos dois regentes de Aquários: por um lado faz um sextil a Saturno em Sagitário; por outro faz um quintil a Urano, um aspecto menor, de 72 graus, considerado extremamente criativo. Interessantemente, são os dois únicos aspectos feitos pela Lua e pelo Sol. Para mim, isso implica uma necessidade de, no melhor espírito Aquariano, fundir as mais altas qualidades de ambos os regentes: a tradição e observação das leis simbolizadas por Saturno sem se deixar enrijecer por elas, mas ao contrário, trazendo junto a inovação e espírito livre de Urano. Todavia, são aspectos que demandam trabalho e comprometimento. Implicam uma oportunidade que podemos agarrar ou não. Não nos é dado de graça, precisamos nos mover e ir atrás. Estamos dispostos?

banksy insane
Banksy – Insane – Reprodução

O Símbolo Sabiano do grau Zero de Aquário traz uma imagem sobre a qual vale a pena refletir: “Uma velha missão de adobe na Califórnia”. Ora, o que são missionários? Pessoas que se movem por um ideal, que sacrificam interesses pessoais em nome do grupo, em nome de uma idéia e de sua propagação, em nome, em ultima instância, do melhoramento da raça humana. O que eram as missões? Lugares erigidos com grande sacrifício e esforço, símbolo de comprometimento e que davam um “senso de comunidade com um olho no caminho e outro nas necessidades básicas e diárias das pessoas que por ela eram servidas”, diz Lynda Hill. Novamente temos o símbolo de uma sociedade ideal, uma vida em comunidade onde há uma observância de certas regras e ciclos e onde há um uso adequado dos recursos naturais. Uma missão é também um lugar de refúgio, de retiro e suporte espiritual, onde podemos também encontrar pessoas afins, a comunidade. Este símbolo nos conclama a voltarmos para o básico, para os ideias puros, mesmo que não saibamos o impacto de nossa ação no futuro distante e na vida daqueles a quem tocamos e com quem entramos em contato, direta ou indiretamente. É preciso tentar, ter fé, criar o espírito de comunidade, sem esquecer das necessidades básicas individuais de cada um. E sem esquecer também de vigiar nossa hubris, nossa arrogância sempre presente.

New_Harmony_by_F._Bate_(View_of_a_Community,_as_proposed_by_Robert_Owen)_printed_1838
Nova harmonia – F. Bate, 1838 – visão de uma comunidade, como proposta por Robert Owen Wikimedia Commons

Outra coisa fundamental de se observar é que Mercúrio estaciona hoje em Aquário, ficando retrógrado amanhã, exatamente quando estiver recebendo a conjunção da Lua e um grau próximo à oposição com a Lua Cheia no dia três de fevereiro – a Lua será Cheia a 14° de Leão e Mercúrio fica retrógrado a 17° de Aquário. Por tudo isso, mais a influência da retrogradação de Mercúrio, acredito que essa Lua Nova vem nos convidar a, além de plantar novas sementes de novos pensamentos e novas visões, a REver nossos ideais e utopias mais caros e recuperar a habilidade de pensar de forma abstrata e de maneira ordenada, que é a síntese da dupla regência do signo, de Saturno e Urano. Precisamos também REvisar nossos padrões de pensamentos, nossos processos mentais e suas influências vibracionais no todo, porque sim, a massa é feita de indivíduos e quando vigio a mim e a meu comportamento, atitudes, e atuação no mundo, responsabilizando-me pelo que emito de bom e de ruim, certamente influencio o mundo de alguma maneira. Marte continua em conjunção próxima a Netuno e podemos até pensar que a tarefa é grande demais para ser empreendida, mas novamente, se cada um faz sua parte… E o que é fazer a “sua parte”? Coisas simples e pequenas que podem, sim, mudar a engrenagem das coisas: consumir menos, por exemplo; plantar árvores no seu jardim, na frente da sua casa; não jogar lixo na rua… Tantas atividades corriqueiras que não nos damos conta do impacto que têm no coletivo… Se a sociedade vai mal, antes de me atirar a ajudar uma comunidade lá na África – nada de errado com isso, por favor! – por que não começar no meu próprio núcleo, na minha própria casa? O erro básico de Aquário é esse: ver o todo, a massa e ignorar aquele que está perto e é neste erro que não podemos incorrer.

chirico meia noite sob o sol
Meia Noite Sob o Sol – Giorgio di Chirico – Reprodução

Para terminar, algo que me chama muito a atenção neste mapa de Lua Nova é que temos dez “planetas” contidos num espaço pouco maior que um trígono, com Júpiter permanecendo como um planeta solitário do lado oposto do mapa e recebendo a oposição de Mercúrio e Vênus em Aquário. A essa configuração dá-se o nome de “Balde” ou “Ventilador” – depende das orbes que o astrólogo utiliza. De qualquer forma, seja Balde ou Ventilador, Júpiter detém o papel crucial nesta configuração, que pode tanto funcionar como canal de saída e expressão para todas as energias dos demais planetas (padrão Balde) ou como o grande alimentador dos demais corpos celestes (padrão Ventilador).

Lua Nova Aquario
Lua Nova em Aquário para Brasília: 20 de janeiro de 2015, às 11h13min.

Ora, Júpiter está em Leão, o signo do INDIVÍDUO. Ou seja, depende do indivíduo, mais do que nunca, ser a peça chave de transformação social, de transformação do padrão de pensamentos, de crenças e de atitudes. Sem indivíduo não há comunidade, não há sociedade, não há humanidade. Assim, somos convidados a assumir nosso papel e responsabilidade individual pela falência da utopia, pelo caos generalizado que está diante de nós, seja financeiro, social, político, ambiental ou humano. E, para além disso, somos convidados e exigidos a assumir nossa responsabilidade individual pela recuperação do sistema – se é que isso é possível! Talvez a utopia não seja possível, mas talvez seja possível resgatar a fé no elemento humano, no indivíduo como gerador e catalisador de transformação coletiva. É preciso vigiar nossas crenças, nossos ideais, nossos padrões de pensamentos; revê-los, revisá-los. E é preciso, sobretudo, assumir o poder pessoal de mudança que cada um contém em si mesmo; poder de mudança que começa desde a minha vibração energética, ao padrão de pensamentos que alimento, até a minha atitude concreta no mundo e nas minhas relações, com os outros seres humanos e com o ambiente onde estou inserido. Júpiter é muito importante também porque ele foi fundamental no mito de Prometeu, já que foi contra ele, principalmente, que Prometeu pecou desobendo às suas ordens explícitas. Foi Júpiter que puniu a Prometeu e quem no final o liberou do sofrimento eterno. Não podemos então, nos esquecer que há uma ordem universal e que hálimites para nossa visão, mesmo a mais luminosa delas. Queremos uma utopia? Queremos uma Era de Ouro? Trabalhemos por ela! Mas sem nos tornar arrogantes achando que não limites para nosso poder e que o fato de termos um projeto de melhoramento das coisas estamos isentos de cumprir os deveres básicos. Sobretudo, com este Júpiter tão destacado é preciso lembrar que os fins NÃO justificam os meios. A meu ver, sendo meio pessimista, acho que esta utopia está cada vez mais distante de nós, mas, por outro lado, sendo otimista ao extremo, acho que ainda é possível – se o indivíduo acordar para seu papel crucial!

Feliz Lua Nova pra você!

wishflowers new moon
Lua Nova – encontrado no wishflowers.com – Reprodução

OBS: No plano mais pático a Lua Nova em Aquário nos pede uma renovação das intenções e propósitos no âmbito das relações sociais e das amizades; das nossas grandes esperanças e dos projetos de futuro; dos nossos padrões de pensamentos e abstrações. Em que área isso se dá depende da casa em que a Lunação ocorre no Mapa Natal.

(1) Liz Greene em O ciclo de Lunação Progredido – Seminário dado como parte do Programa da Primavera de 2011 do Centro de Astrologia Psicológica de Londres – em Londres, 8 de maio de 2011.