Arquivo da tag: Dor

A Semana Astrológica – A dor e a delícia de ser o que somos

Catrin Welz-Stein – Reprodução

Semana de 10 a 16 de abril – Semana de colhermos os resultados, concretos ou intangíveis, dos esforços que dedicamos aos nossos empreendimentos. Resoluções abruptas e radicais também estão no menu do período e ajudam a liberar muito da tensão acumulada nas últimas semanas. 

Semana de Lua Cheia em Libra, mas cujo ponto alto é a regente de Libra, Vênus, voltando ao movimento direto no sábado (fogos de artifício pipocando para todo lado!). Mas ainda vai levar algumas semanas até que Vênus recupere a sua boa forma: ela só sai da zona sombria de retrogradação no dia 18 de maio e fica bem mesmo a partir de seis de junho, quando entra em Touro, seu palácio campestre, signo regido por ela. Vênus estaciona em conjunção a Quíron e já direta, fará quadratura exata novamente a Saturno – quadratura, aliás, que está ativa todas essas semanas, porque muito próxima do ponto partil. Pois é, não mole, não!

tirado de DebraHeylen.blogspot – Reprodução

A Lua cheia, por sinal, traz mais algumas avalanches para sacudir os corações e o mundo em seus conflitos também. Ocorre no eixo-Áries-Libra, eixo dos relacionamentos; dá-se em oposição a Urano, o planeta das rupturas e do despertar abrupto e radical… E ainda tem a quadratura a Plutão, que, intensifica e aprofunda todas as crises. Vênus, regente da Lua Cheia, estará em quadratura de meio grau a Saturno… Portanto, essa Lua Cheia traz a culminação deste ciclo de retrogradação de Vênus e sugere muitas tensões, mas também liberação e resoluções drásticas na área das relações e dos acordos políticos e tentativas de conciliações.

Reprodução

E se a Lua Cheia acontece em oposição a Urano, significa que o Sol vai fazer conjunção a ele nesta semana, sugerindo um momento de recarregarmos as baterias, porque Urano é energia de milhões de volts – só precisamos ter sobriedade e cabeça fria para administrar tanta energia, para que ela não imploda dentro de nós. Sim, há muita energia e uma revitalização dos nossos propósitos, assim como a sensação de estarmos muito despertos para aspectos da vida e até de nós mesmos que havíamos ignorado antes. Contudo, essa energia também traz muita ansiedade, impulso e pode aumentar a irritação, caso queiramos fazer tudo igual e previsível. A semana pede inovação, experimentação e que não tenhamos medo de nos abrir ao novo, por mais amedrontador que possa parecer. Em termos mundanos, essa influência sugere um recrudescimento de opiniões e posições políticas, idealismos exacerbados e exaltados – considerando-se que Vênus e Mercúrio estão retrógrados (planetas associados com negociações e acordos), a conjunção Sol-Urano pode indicar também tensões aumentadas nos conflitos já existentes mundo afora. O Sol também fecha a semana já em trígono a Saturno, que ajuda a dar uma sustentação para toda essa energia extra, propiciando que a utilizemos de forma sábia e até estruturada.

Reprodução

Marte faz um sextil à sua dispositora, Vênus, no domingo. Neste caso, é Marte quem faz o movimento, visto que Vênus ainda estará praticamente estacionária, já movendo-se para a frente, mas é Marte quem vai ao encontro dela. Esse movimento pode apaziguar minimamente os dissabores relacionais do momento e pode trazer algum alento, visto que sugere a possibilidade de conseguirmos uma cooperação entre nossos desejos e a capacidade de realizá-los, ou, visto de outra forma, masculino e feminino estão afinados, sugerindo um diálogo menos duro e chances de conciliação nas crises que ora se apresentam.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

Por outro lado, Mercúrio, planeta das comunicações, acabou de ficar retrógrado em Touro. E não, isso não é uma catástrofe! Você pode tocar sua vida normalmente, a Terra continua a girar e nós seguimos com nossas tarefas de sempre. Mas Mercúrio retrógrado traz a oportunidade de reavaliarmos e revisarmos nossa comunicação, nossos processos mentais, estudos, escritos, etc. E sugere um período em que tudo o que identificamos que está datado ou não funcionando mais seja corrigido ou substituído. Abrir a mente e a cabeça, ter flexibilidade, abrir mão da teimosia e dos pensamentos condicionados… Abrir mão das nossas certezas certinhas, das opiniões formadas e estabilizadas, dos manuais que nos dizem como pensar, o que dizer, a coisa certa, sem nunca poder errar. Deixar ir as verdades prontas e engessadas e estar dispostos a nos surpreender. Em lugar de certezas maçantes, escolher a liberdade das incertezas, para variar um pouco… tudo isso fica favorecido por essa retrogradação, assim como voltar atrás sobre nossos próprios passos para rever por onde andamos e se perdemos algum detalhe importante. Falei mais sobre isso no texto da semana passada!

Outra coisa importante é que nesta semana ainda temos quatro retrogradações pesadas: Mercúrio, Vênus, Júpiter e Saturno, dois planetas pessoais e os dois sociais. Os planetas transpessoais estão todos diretos no momento, Plutão entrando em retrogradação no dia 19 de abril. Então, talvez tenhamos a sensação de que o mundo tá pesado demais, as mudanças grandes demais e os mecanismos sociais não conseguem acompanhar ou administrar tais movimentos. Pessoalmente também nos sentimos ainda em fase de reflexão, antes de conseguirmos atinar para quais atitudes são mais adequadas ao momento e às mudanças que ocorrem em nossa própria vida. Mas essa fase é necessária e o melhor que fazemos é tirar proveito dela, revisando, reorganizando, reordenando, reestruturando tudo o que for necessário e tudo o que for possível.

Desconheço o autor – Reprodução

A Semana é marcada pela fase cheia da Lua, ocorrendo em Libra, na madrugada de terça-feira, dia 11, às 03h08min no horário de Brasília e às 07h08min no horário de Lisboa. A Lua adensa os temas relacionais em Escorpião, torna-se Disseminadora em Sagitário e fecha a semana entrando em Capricórnio na noite de domingo. Conversa com todos os demais corpos celestes, harmoniosa ou estressadamente.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 10 de abril – a Lua abre a semana em Libra, sem fazer muitos aspectos na madrugada. Durante o dia faz quincúncio a Netuno, conjunção a Júpiter, quadratura a Plutão e oposição não exata ao Sol e a Urano, aspectos que se completam na madrugada de terça. A Lua forma uma T-Square com Júpiter, Sol-Urano e Plutão de foco. Vênus, regente da Lua, esta conjunta a Quíron e em quadratura a Saturno. Começamos o dia buscando harmonia, mas encontrando incongruências e desajustes, que nos obrigam, logo cedo, a buscar conciliação entre nossos ideais de perfeição, os rasgos de sensibilidade e a necessidade de termos uma abordagem mais desapegada dos assuntos, das tarefas e até mesmo da nossa subjetividade. À tarde as coisas esquentam de verdade e somos espremidos pelas muitas escolhas que temos que fazer, que nos colocam em colisão direta com situações sombrias e ingratas que preferiríamos não ter que encarar, mas das quais não temos como escapar. É um bom dia para confrontarmos nossa dependência da opinião alheia, da aprovação do outro e até mesmo daquilo que é “adequado” e esperado de nós. Somos capazes de bancar nossas escolhas, quando elas são boas para nós mas desagradam a outros? Damos conta de lidar com o desconforto que causamos com nossos posicionamentos, talvez inconvenientes, mas necessários? Ou vamos continuar agradando a outros enquanto nos sentimos um capacho? Buscar a harmonia é necessário, mas nâo à custa do nosso amor próprio, não tendo que recuar naquilo que acreditamos, não tendo que pedir desculpas se nossa atitude não está em consonância com o código moralista atual. Esse dilema interno causa um nível de estresse muito alto e demanda de nós muita força interior para darmos conta de “segurar a onda” e defendermos nosso posicionamento, a despeito das divergências e oposições com que nos defrontamos. Ninguém precisa aceitar coisas com as quais não concorda, mas o fato de não concordarmos com algo não quer dizer que o outro esteja necessariamente errado, pode haver divergência de opinião e de visão e podemos perfeitamente concordar em discordar e é assim que as relações maduras se sustentam, baseadas no respeito. Mas é muito importante, é vital, sermos capazes de nos defender e defender nossa posição, com integridade e serenidade. O oposto disso será a diminuição do auto-respeito e o preço sempre é muito mais alto do que qualquer afago recebido por concordarmos em ser “agradáveis” e “adequados” como esperam que sejamos.

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 11 de abril – A Lua completa a oposição ao Sol, formalizando a fase da Lua Cheia, na madrugada, às 03h07min. Depois a Lua se opõe a Urano e faz também quincúncio a Marte em Touro e a Quíron-Vênus em Peixes, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. A Lua fica vazia depois do sextil a Saturno, às 15h21min. Ingressa em Escorpião às 19h42min e fecha a noite em oposição a Mercúrio retrógrado em Touro. A Lua Cheia culmina o ciclo iniciado em Áries e, de certa forma, também joga no palco central das discussões os temas do ciclo atual de retrogradação de Vênus, que está super desacelerada, preparando-se para estacionar no fim de semana. Essa lunação traz para a linha de frente o quanto temos comprometido nossa autoestima, nossos desejos, nossa vontade e a nós mesmos para ceder a outros. Pede que achemos o equilíbrio entre a necessidade de aceitação e negociação e a necessidade de nos posicionarmos firmemente e defendermos nossos desejos e valores pessoais. Traz grande possibilidades de iluminação sobre os emaranhamentos que atrapalham e bloqueiam nossa vida amorosa e a consequente quebra do padrão destrutivo e de deixarmos o passado ir, de nos soltarmos das enredamentos ilusórios, das redes pescadoras e enganosas que nos mantiveram atados a imagens irreais do outro, da relação e até de nós mesmos. Traz uma tensão enorme, mas também a liberação dessa tensão de maneira que nos ajude a nos soltar do sofrimento desnecessário, dos enredos de dor e de tristeza, de modo a escolhermos enredos mais leves e realistas. De maneira a podermos dizer “não quero perfeição. Quero o real”. É, de fato, um confronto difícil com as ilusões e as imagens que espelhamos para o outro ou que espelharam para nós, mas um confronto que estilhaça os espelhos ilusórios e nos deixa com aquilo que tem verdadeira substância, que poderá nos sustentar.

Seungyea Park – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 12 de abril – De Escorpião, a Lua Cheia faz oposição a Mercúrio retrógrado em Touro. Mais tarde a Lua faz sesqui-quadratura a Vênus e Quíron em Peixes e também trígono a Netuno. O Sol Ariano está em conjunção próxima a Urano. Hoje é um dia para entrar mudo e sair calado e manter os olhos bem abertos – principalmente o terceiro olho – e a boca fechada. Sentimos todas as suscetibilidades muito agudamente e temos que lidar até mesmo com aquilo que tínhamos conseguido jogar para um canto obscuro do coração nos últimos dias. A mente não ajuda e volta-se contra nós mesmos, sardônica e crua e nós, se não compreendemos de onde surge o “climão” pesado, derramamos o veneno em doses econômicas, mas letais, movidos por sentimentos inconscientes de insegurança e desamparo, de nos sentirmos expostos e talvez ressentidos com a vida e com o mundo em geral. A amargura, se não vigiarmos, pode nos fazer tomar atitudes extremas das quais podemos nos arrepender depois. Somado à defensividade está o desejo intenso de liberdade e independência e podemos misturar os conteúdos e fazer coisas impensadas, que talvez podem até ser adequadas, mas que têm as motivações equivocadas e podem levar a términos abruptos e amargos, ao invés de finalizações serenas e maduras. Para não incorrermos em tais equívocos, é importante estar cientes de nossas apreensões, ressentimentos, raivas e impulsos latentes e vigiarmos nossas reações , para que não sejam reações de bicho ferido, mas atitudes nascidas da deliberação madura e ponderada.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 13 de abril – A Lua Escorpiana se harmoniza com seu regente moderno, Plutão, em Capricórnio, mas se desentende com o Sol e Urano em Áries e faz oposição ao seu dispositor tradicional, Marte em Touro – Marte está Todo-Poderoso, regendo Sol e Lua por esses dias! A Lua fecha o dia em trígono a Quíron e a Vênus em Peixes. O Sol vira a noite/madrugada de sexta conjunto a Urano. Sentimentos conflitantes colorem o dia, que está denso – quase se poderia cortar a atmosfera com uma faca! Há muita força emocional e a capacidade de lidar com assuntos-tabu, crises e situações-limite em geral. Empenhamo-nos de corpo e alma em tudo o que fazemos e essa entrega ardorosa e arrebatada permite que realizemos muitas coisas que enchem o coração de orgulho e satisfação. Mas há também incoerências e desconexão de partes de nós mesmos, que talvez não queiramos reconhecer para não “complicar” as escolhas que já fizemos e aquilo com nos identificamos: queremos paixão e intensidade, no trabalho, na vida, no amor e as outras partes que querem soltura e descompromisso são empurradas para fora de nós, de modo que podem causar conflitos com outros, que parecem ameaçar e se interpor contra aquilo que somos e que queremos realizar. Tudo isso faz com o dia adquira um clima belicoso e irritadiço, mas é uma belicosidade viciosa, indireta e não muito honesta, o que dificulta a discussão limpa e a resolução do conflito de uma vez por todas. Ao invés disso, a coisa vai se arrastando em modo de agressão passiva, em que suprimimos a raiva na hora, mas deixamos que intoxique o coração, as vísceras e tudo aquilo que tocamos. Melhor ser honesto de uma vez e dizer o que tem que ser dito, de forma clara e límpida, sem cuspir acusações, mas colocando na mesa a forma como nos sentimos – o outro não é responsável por aquilo que sentimos – de modo a podermos chegar a algum consenso minimamente respeitoso, justo e íntegro.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 14 de abril – O Sol Ariano completa e plenifica a conjunção a Urano, enquanto a Lua faz trígono a Quíron e a Vênus em Peixes… A Lua fica fora de curso depois do aspecto a Vênus, à 01h19min. Ingressa em Sagitário às 07h27min, de onde se indispõe com Mercúrio retrogrado em Touro. Vênus estaciona a 26°54’ de Peixes. Temos hoje uma carga extra de energia que demanda acharmos recipientes adequados onde “aterrá-la” ou onde canalizá-la. Se estivermos em sintonia com nosso centro, procuraremos maneiras de nos desobrigar de tarefas entendiantes, previsíveis e rotineiras, em favor de explorarmos possibilidades insólitas de nos expressarmos e de expressarmos nossos talentos e criatividade. Há muito vigor e entusiasmo, uma sensação de expectativa e de que não devemos desperdiçar as oportunidades que nos são dadas e por isso mesmo, precisamos fazer algo diferente, que surpreenda a nós mesmos positivamente, do contrário, poderemos surpreender a outros de forma desagradável, rebelando-nos estrepitosamente contra obrigações e compromissos que nós mesmos assumimos sem pensar. Temos lampejos e estalos que nos permitem vislumbrar os limites que colocamos a nós mesmos e que nos impedem de avançar sobre barreiras que vemos como intransponíveis, mas que são superáveis, caso olhemos de ângulos diferentes e ousemos modificar a forma como enxergamos nossa realidade modorrenta da qual nos ressentimos tanto. Contudo, se insistimos em fazer tudo do jeito de sempre, podemos nos deparar com frustrações e entraves, máquinas quebrando, imprevistos e chateações irritantes, para não dizer, pequenos desastres. Assim, o melhor é nos sintonizarmos com a grande inspiração que nos chega e nos permitirmos ser flexíveis, estar abertos para o inusitado, o surpreendente, o imprevisível, o inesperado e, mesmo que pareça chocante a princípio, deixar-nos surpreender antes de deixar nossos preconceitos levarem a melhor recusar a oportunidade da nova experiência. Do jeito que a vida anda, não podemos desperdiçar essas pequenas horas de inspiração e elevação, portanto, estejamos abertos e permitamo-nos surpreender! Esses posicionamentos do Sol e da Lua no dia em que Vênus estaciona pedem que olhemos para nossos dramas sob ângulos diferentes, talvez seja um pouco difícil a princípio, apaixonados e identificados que estamos com nossas próprias dores, mas é possível e necessário, para termos algum senso de perspectiva e significado, que nos ajudarão a sair do lodo da nossa tristeza e desolação.

Burnetts Board – Reprodução

SÁBADO, 15 de abril – Vênus fica estacionário-direto às 07h18min em conjunção não exata a Quíron – tecnicamente já está direta – no Dia de Saturno, com quem está em quadratura, algo bem adequado aqui, porque Saturno parece estar dizendo quem é que manda no enredo! De Sagitário a Lua faz sesqui-quadratura a Urano e também ao Sol, entrando na fase Disseminadora. A Lua faz quadratura a Netuno, sextil a seu dispositor, Júpiter e sesqui-quadratura a Mercúrio. Depois de 41 dias mergulhados nos intricados dos nossos processos relacionais, refletindo, ponderando, reavaliando, chegamos a muitas conclusões que agora começam a ficar mais claras e que nos levarão a algumas mudanças de atitudes daqui a algumas semanas. Neste período, deixamos para trás as superficialidades, em nome de contatos mais profundos e substanciais… Se insistimos na superficialidade, podemos ter nos deparado com rejeição e incompreensão, que refletem a incompreensão que nós mesmos temos com relação ao processo como um todo. Agora começamos a empreender o caminho de volta à superfície de nós mesmos, mas muita coisa está transformada. Lampejos e revelações que afloram à consciência hoje podem ser preciosos para o entendimento das relações amorosas inclusive a relação que temos conosco mesmo. O que iremos disseminar a partir daqui? Insistiremos nas histórias de dor? Ou buscaremos novos ares e novos enredos, novos caminhos e visões? Precisamos nos separar dessas dores, dar-lhes um lugar no nosso coração e história, mas deixa-las ir como parte fundamental da nossa identificação pessoal. A cicatriz nos lembrará da vivência e daquilo que aprendemos, de que sobrevivemos, mas não precisa ser adorada como troféu para ganhar a simpatia alheia. A simpatia e empatia de que realmente precisamos é a nossa própria. E que seja verdadeira e não um arremedo para despistar nossas inseguranças. De modo mais prático, o dia traz a necessidade de nos pormos a explorar ovos caminhos e nos conscientizarmos da nossa necessidade de autonomia, largueza, soltura e descompromisso… O compromisso hoje é a surpresa e a busca por significados que sejam profundos, mas que também tragam leveza. Compromisso fechados e muito inflexíveis podem trazer frustração e irritação.

tirado de Deviantart – Reprodução

DOMINGO, 16 de abril – Marte está em sextil à sua dispositora Vênus. A Lua Sagitariana na fase Disseminadora faz trígono a Urano e ao Sol em Áries, enquanto se desentende com Marte em Touro e quadra Quíron-Vênus em Peixes, ficando vazia depois da conjunção a Saturno, às 15h28min. A Lua ingressa em Capricórnio às 20h05min. O Sol fecha a semana em trígono próximo a Saturno e Marte em quincúncio, também quase exato, ao mesmo Senhor do Tempo. Sabe aquela frase cliché super batida “não chore porque acabou, sorria porque aconteceu”? O dia tá desse jeito, com influências delicadas por um lado e exuberantes por outro. Uma sensação profunda de angústia, uma paralisação do sentimento, que fica preso a algo incognoscível, indefinível, mas que dói agudamente, a sufocar o fôlego… ao mesmo tempo uma sensação de esperança, uma alegria perspicaz, de quem sabe tudo o que passou, mas não se deixa esmagar por isso. Como estar no fundo do lago, a sufocar-se e emergir abruptamente à superfície, arfando por esse ar tão precioso, mas ainda sob o terror da possibilidade de ter sucumbido… Tudo o que vivenciamos ao longo da vida, da mais sublime e elevada das experiências à mais sombria e torturante das dores, ocorre por algum motivo, mesmo que não saibamos exatamente qual – isso aqui tem muito de uma crença e opinião pessoais e vocês podem não concordar – tudo bem. Não sabemos se um dia entenderemos o porquê, se encontraremos o sentido e o significado, mas podemos intuir e dar uma chance ao vazio, ao desconhecido, à falta de respostas prontas. Encarar a vastidão do universo e da própria alma, abrindo mão de saber tudo, de compreender tudo, de entender os porquês e apenas confiar nessa grande jornada, confiar naquilo que nos conduz vida afora – por caminhos verdejantes e luminosos ou por ruelas frias e escuras – o que quer que seja “isso” que nos conduz, destino, Deus, Eu superior, Divino… Tem algo que nos conduz – eu acredito nisso – e precisamos confiar e respeitar isso, nos dias mais felizes e também nos percalços que nos fazem tropeçar sobre nós mesmos. O dia traz essa sensação agridoce, em que nos damos conta da dor e da delícia de ser o que somos e de viver o que vivemos; em que percebemos as perdas, as dificuldades, mas achamos forças e entusiasmo para continuar, para esperançar, a despeito de tudo, até de nós mesmos e nossa desesperança e falta de fé. Refletimos com resiliência e serenidade sobre tudo isso, imbuídos de uma sabedoria e serenidade raras, que podem sim, nos ajudar a ter uma nova perspectiva das coisas. À noite a energia muda e nos vemos mais pragmáticos, já olhando agendas e nos preparando para a nova jornada e os desafios que nos esperam amanhã.

Uma ótima e serena semana para você!

Reprodução
Burnetts Board – Reprodução

A Semana Astrológica – Coração Sangrando

Reprodução

Semana de 03 a 09 de abril

Semana de crescer e investir no que foi semeado na Lua Nova, nos projetos do ciclo e do ano – essa plantação não vai crescer sozinha, sem cuidados! Mas começa também um período de revisões importantes.

Esta é outra semana que começa “fervente”, mas que vai ficando melindrosa e delicada conforme os dias vão se desdobrando. A fervura se dá devido aos contatos feitos pelo Sol Ariano, primeiro na oposição a Júpiter, depois quadratura a Plutão e ainda fecha a semana conjunto a Urano, conjunção exata na semana que vem, já a suscetibilidade vem da quadratura que Vênus retrógrada fará a Saturno e da conjunção a Quíron.

Reprodução

O Sol faz esses aspectos tensos a esses planetas quatro vezes ao ano, de ângulos diferentes. Às vezes se alia a Urano, como agora, em janeiro se aliou a Plutão, em outubro se uniu a Júpiter… tudo isso simbolizando a necessidade constante de nos reinventarmos, de mantermos em cheque nossa insatisfação com nossa vida em geral, mas principalmente conosco mesmos. Também questiona a quantas anda nossa integridade e nosso comprometimento com a verdade. Se não estamos cientes dessas questões, experimentamos tais movimentos/aspectos como tensões provenientes do mundo exterior, que desestruturam e desestabilizam nossas vidas arrumadinhas. Mundanamente, representa as ebulições sociais e coletivas, que repercutem na vida de cada um, individualmente. Portanto, esta é uma semana que traz algumas convulsões e ebulições, individuais e sociais. Como se não bastasse, Marte, regente do Sol, também faz contatos com dois desses planetas: faz quincúncio a Júpiter indicando uma oscilação no nosso entusiasmo, no otimismo e a tendência de nos alternarmos entre um ceticismo inflexível e arroubos pouco práticos. O que nos cabe é achar o caminho do meio e tentar conciliar esses dois extremos: temperar nossa ação e afirmação com uma motivação que nos eleve e que equilibre toda essa busca pela estabilidade. Nem só de bom senso é feita a ação correta. Excesso de bom senso mata a criatividade. Já o aspecto a Plutão sugere um aumento de força, determinação e adiciona longevidade à nossa energia, de modo que o esforço fica mais concentrado e efetivo. O que precisamos mesmo é dosar e equilibrar entusiasmo com bom senso.

Reprodução

O bom senso, aliás, entra em revisão, junto com o que entendemos por estabilidade e segurança. Mercúrio estaciona no sábado para entrar em retrogradação no domingo, a 04°50’ de Touro e só volta ao movimento direto no dia três de maio. Se, com Mercúrio retrógrado, as coisas tendem a ficar mais lentas, sendo essa retrogradação em Touro, tudo paralisa e estaciona… tudo se delibera e pode haver maior hesitação na tomada de decisões. Pode haver também tendência a extremos: rasgos de extrema inflexibilidade alternados com momentos de caos completo – a resistência à mudança fica acentuada, mas pode piorar tudo – o ideal é soltarmos, porque afinal, não controlamos nada mesmo, por mais que queiramos acreditar que sim. Ao ficar retrógrado em Touro Mercúrio propõe uma revisão na forma como pensamos a estabilidade e a segurança material; como nossos conceitos acerca de habilidades, talentos, afetam nosso senso de valor; sugere uma reavaliação na forma como a mente se relaciona com o corpo e todos os seus sentidos. É hora também de revisar aquelas ideias rígidas, inflexíveis sobre como o mundo deve funcionar ou sobre o que é ou não verdade, sobre o que é ou não real… Ver para crer? Convenhamos, é uma forma limitada de pensar a vida, afinal, você não vê seus próprios pensamentos e eles existem, certo? Mercúrio retrogradará até Áries e aqui a conversa é outra: rever e revisar a forma egocêntrica de nos comunicarmos, a grosseria disfarçada de honestidade e atitude, os planejamentos relapsos – ou mesmo falta completa de planejamento – mascarados de agilidade ou criatividade. Em termos práticos, quando Mercúrio está retrógrado há tendência a mudanças de planos sem aviso prévio, a atrasos e imprevistos nas locomoções e sugere-se evitar assinaturas de contratos e acordos, compra/venda de valor expressivo, cirurgias. Por outro lado, é um ótimo período para se revisar escritos, estudos, projetos, planejamentos, e tudo que o que se tenha executado/realizado nos últimos três meses.

Retrogradação – quero incluir uma nota geral sobre o movimento retrógrado. A despeito das previsões tenebrosas acerca da retrogradação, este período representa uma pausa necessária para todos, planetas, pessoas e assuntos envolvidos. Imagine, por exemplo, que você está escrevendo um artigo ou uma tese/monografia ou mesmo um simples e-mail. Antes de dar a tarefa por terminada e enviar/entregar ao destino final, você vai parar e fazer uma revisão das ideias apresentadas no documento, da ortografia, das regras ABNT, e às vezes, até da necessidade em si de estar fazendo tal coisa, certo? Ninguém é maluco de enviar sem fazer essa revisão – ou se é, já deve ter se metido em várias enrascadas como consequência. Outro exemplo simples: todos nós precisamos de férias periódicas e anualmente tiramos um tempo – ou pelo menos deveríamos – para descansar mais efetivamente, para relaxar e mudar de ares. Entramos em standby. Outro exemplo tão simples quanto: o carro, veículos e máquinas em geral precisam de revisões periódicas para fazer regulagens, trocas de peças, ajustes, etc. Então, podemos ver a retrogradação dessa forma: um período em que os assuntos regidos por aquele planeta entram em standby porque precisam ser revisados, checados, reavaliados, regulados. Portanto, não vamos ver a retrogradação como uma catástrofe ou um desastre terrível do qual não podemos fugir. Não. Podemos até experimentar dificuldades, quando insistimos em manter tudo como estava, como se tudo seguisse o curso normal, quando na verdade, estamos em marcha à ré, mas se formos flexíveis e estivermos abertos ao que a vida nos traz, podemos nos deparar com boas oportunidades e entender melhor como nós mesmos funcionamos. Portanto, retrogradação é oportunidade e não desastre. Vamos nos alinhar com a energia e fazer o que a retrogradação daquele planeta propõe. Certo?

The Heartache – Christian Schloe – Reprodução

Vênus continua retrógrada ainda por duas semanas e regressou a Peixes neste domingo, dia dois, de onde fará quadratura a Saturno e conjunção a Quíron – a conjunção a Quíron não ficará exata, mas ainda assim será potente, visto que Vênus estaciona nessa conjunção, de menos de um grau, no dia 14. Portanto, pelas próximas quatro semanas as relações ficam na berlinda triplamente: pelo fato de Vênus continuar retrógrada – e mesmo depois do dia 15 ainda estará na zona de retrogradação – pela quadratura a Saturno e pela conjunção a Quíron, o que significa um mês bem doído em que rancores e rejeições do passado podem voltar para nos assombrar e podem mesmo atrapalhar relações atuais, caso não saibamos separar as “estações” e as feridas e cicatrizes. Vênus-Saturno traz à tona questões de confiança ou quebra de, incertezas e dúvidas sobre se podemos nos abrir e nos entregar realmente nas relações, se seremos desapontados ou rejeitados – e aqui precisamos reconhecer quando nossas expectativas são altas demais. Como diz Adriana Vasconcelos, “felicidade é quando a gente sente que pode se ‘desarmar’ e confiar nas pessoas sem medo de ser ferida” – essa felicidade, nesse momento, parece fora do nosso alcance, porque simplesmente não conseguimos nos desarmar. Positivamente, podemos ter vislumbres das repetições de padrões na vida afetiva e podemos, para variar, nos responsabilizar pelos altos e baixos e estragos que acontecem conosco, ao invés de simplesmente reclamar de “dedo-podre” atribuindo à/ao fulana/o a culpa por dores, coração partido, rejeições, mágoas e o que quer que seja que nos impede de ser/estar felizes conosco mesmos e com nossos pares. Bancar a vítima é muito démodé e não nos levará a nenhum progresso. É mais salubre olhar para si mesmo e para as próprias inseguranças e se perguntar por quê continuamos a nos envolver com o mesmo tipo de pessoa, travestida em corpos/cores/roupagens diferentes. O que há em comum nessa repetição do padrão? O que é que sempre se repete: nossa presença no enredo, o que significa que o problema somos nós, até porque, como já sabemos só conseguimos mudar a nós e não ao outro. Por que insistimos em nos enganchar nos desvalidos da vida? Por que essa vocação para “salvar” alguém, ainda mais quem não quer e não pediu para ser salvo? Por que nos colocamos na situação exata que temíamos, ou seja, de rejeição e abandono? Porque talvez tenhamos aprendido, lá na infância um modelo deturpado de amor, mas esse modelo pode ser desconstruído e em seu lugar podemos elaborar um modelo mais saudável de amor, mas antes é preciso sermos honestos quanto à nossa responsabilidade em tudo isso e não bancar os coitadinhos ingênuos.

John Holcroft – Reprodução

Essa quadratura que Saturno recebe de Vênus é ainda mais melindrosa porque ambos os planetas estarão retrógrados, visto que Saturno também entra em retrogradação nesta semana, na quinta-feira, o que sugere que a revisão dos assuntos implicados é ainda mais necessária. Também é importante o fato de que tal quadratura ficará ativa por praticamente todo o mês de abril, porque Vênus vai estacionar em conjunção a Quíron e em quadratura a Saturno e depois empreenderá o longo caminho de volta, fazendo o mesmo aspecto três vezes – ou seja, o mês de abril está deveras melindroso para os relacionamentos e também para a autoestima e para os investimentos financeiros. Mas é um bom momento para desmanchar, desfazer padrões, romper com modelos antigos de viver as relações, mesmo os mais destrutivos – porque não conseguimos superar nossas carências, os padrões aprendidos na infância ou juventude, a tendência a equalizar relacionamento com sofrimento. O período pode ser bastante doloroso, mas também rico em insights, entendimento sobre nossos processos íntimos, sobre como construímos nossa autoestima – ou falta de – e o impacto que isso tem nas nossas parcerias. Sendo Vênus um planeta feminino, este movimento sugere repensar como o feminino se define e é definido na nossa sociedade e sugere a fragilidade desse feminino, a dureza com que ele se depara no mundo.

Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua inaugura a semana entrando na fase do Quarto Crescente, já na segunda-feira, empoderada em Câncer. Assume brilho fulgurante em Leão e entra na fase Corcunda em Virgem, na sexta-feira. Fecha a semana já em Libra, acentuando a parada de Mercúrio ao fazer aspecto a ele no domingo. Na sua caminhada celeste ela faz vários aspectos, harmoniosos ou tensos a todos os demais corpos celestes, simbolizando as alterações diárias dos humores, das emoções, dos interesses no mundo. A Lua será Cheia na terça-feira, dia 11, às 03h07min, a 21°32’ de Libra, em conjunção a Júpiter, oposição ao Sol, Urano e Eris e quadratura a Plutão – uma Lua Cheia realmente crítica e explosiva!

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 03 de abril

A Lua está em Câncer e faz trígono a Netuno em Peixes e mais tarde faz quadratura ao Sol Ariano, entrando na fase do Quarto Crescente. A Lua ainda faz quadratura a Júpiter e se opõe a Plutão (aspecto exato amanhã) e, devido à quadratura ao Sol, forma uma Grande Cruz Cardinal. A única ajuda vem do sextil a Marte em Touro. A segunda-feira começa com a corda toda, trazendo oportunidades disfarçadas de desafios e obstáculos. Queremos cuidar e nutrir nossos projetos, mas receamos fazê-lo de forma direta, porque não queremos despertar curiosidade ou mesmo competição quanto àquilo que estamos planejando e construindo. Mas, a despeito de nossa independência e autonomia, diretividade e honestidade, precisamos também agregar sensibilidade e colocar nossos sentimentos a serviço de tais projetos. Mesmo com toda a nossa coragem e vigor, ainda precisamos nos lembrar de nossas origens, precisamos levar em conta tudo o que nos nutriu até aqui, sejam pessoas ou recursos – sim, precisamos honrar nossos sentimentos e nosso passado, se for para ver nossos projetos prosperarem e frutificaram lá na frente e lembrar de agradecer, sempre. Assim, o dia ganha um tom apaixonado e arrebatado, que nos impele de forma entusiasmada ao trabalho, a fazer os ajustes necessários no que quer que estejamos envolvidos e que requeira regulagem. Como uma máquina impulsionada a todo vapor, ganhamos ímpeto e ânimo, porque já conseguimos vislumbrar os resultados que queremos alcançar. Sabemos que para conseguir tais resultados, teremos que nos empenhar muito agora, mas não nos fazemos de rogados e nos atiramos ás tarefas com gosto e paixão – o único problema é que talvez toda essa paixão e vigor batam de frente com a paixão do outro, que parece estar estar indo na direção contrária, o que pode significar atritos e faíscas. À noite esse clima fica mais fumegante e talvez precisemos lidar com conflitos também dentro de casa, com familiares ou pessoas próximas, que nos cobram uma atenção que talvez tenhamos suprimido porque estávamos ocupados com outras coisas com nossos objetivos individuais. Em lugar de dar desculpas fáceis ou sair pela tangente, é melhor encarar o conflito de vez e ser honestos sobre as próprias prioridades e tudo o que está em jogo. Recorrer a chantagens e à clássica “faço isso por vocês” pode ser um escape fácil, mas traiçoeiro, porque talvez não seja completamente honesto e assim, é possível que nos “entreguemos” num momento de descuido, o que fará o outro se sentir traído e manipulado. Visto que os dias estão melindrosos e as sensibilidades afloradas, o ideal é acalmarmos as emoções tempestuosas e tentarmos chegar a um consenso, ao invés de simplesmente revidar de forma rasteira. Colocar-se no lugar do outro ajuda a sair da nossa perspectiva afunilada, a enxergar o conflito de outro ângulo, facilitando uma conciliação. O ideal é ter clareza da diferença entre o que queremos e o que precisamos – isso faz toda a diferença!

Reprodução – Desconheço o autor

TERÇA-FEIRA, 04 de abril – Marte está em quincúncio exato a Júpiter na virada para quarta-feira. De Câncer a Lua completa a oposição a Plutão em Capricórnio, quadratura a Urano em Áries, trígono a Quíron, quincúncio a Saturno e trígono também a Vênus retrógrada, aspecto depois do qual fica fora de curso, às 17h47min. Ingressa em Leão às 19h14min e fecha a noite em quadratura Mercúrio em Touro. A madrugada está tempestuosa e finda numa manhã tensa e elétrica, em que acordamos cheios de gás, mas também irritadiços, dando choques a torto e a direito, de modo que o dia fica carregado de instabilidade, nervosismo e oscilações de humor, inconstância na liberação da energia e flutuação no entusiasmo. Sentimos uma grande pressão, interna e externa, para “dar conta” de todas as tarefas e, embora tenhamos nosso próprio investimento na dinâmica do dia, também nos ressentimos com tantas cobranças e pressões, o que pode nos deixar meio azedos ou amargos. À tarde o mau humor pode virar melancolia e abatimento, porque nos sentimos mais vulneráveis, sensíveis, como se fôssemos nos desmanchar a qualquer momento. Além de nossas próprias inseguranças, captamos as vibrações de infortúnios alheios, e talvez isso nos faça sentir impotentes. Contudo, também podemos nos sintonizar com vibrações mais elevadas, porque elas também estão disponíveis: ternura, gentileza, bondade, compaixão e mesmo as percepções de dor podem ser utilizadas para colocar as coisas em perspectiva: primeiro, sabemos que nossos problemas, embora importantes para nós, não são os únicos nem os piores do mundo; segundo, ao nos voltarmos para os outros, de bom coração, podemos melhorar a atmosfera para todos, inclusive para nós mesmos. Como diz Jung, “do mesmo modo que aquele que fere o outro fere a si próprio, aquele que cura o outro, cura a si mesmo” e, por que não dizer, aquele que cuida, protege, nutre, afaga, se compadece… Quando estamos afundados e afogados nos nossos próprios problemas, sejam eles pequenos ou grandes, sempre pode ajudar olhar para o outro e ver que estamos todos no mesmo barco, com dores diferentes, mas ainda assim, todos têm suas dores e o melhor que fazemos é nos apoiar mutuamente, ao invés de nos desgastarmos nos dramas excessivos ou crises desnecessárias. E, se for para reagir, reaja com amor!

Catrin Welz-Stein – reprodução

QUARTA-FEIRA, 05 de abril – Saturno estaciona às 02h06min em Sagitário. Marte segue em quincúncio exato a Júpiter ainda na primeira hora do dia. A Lua plenifica a quadratura a Mercúrio e faz quincúncio a Netuno. Mais tarde faz sesqui-quadraturas a Quíron e Vênus em Peixes e a Saturno em Sagitário, virando foco de um Martelo. Fecha a noite em trígono ao Sol. Marte está em trígono quase exato a Plutão, que também recebe a quadratura próxima do Sol. A madrugada traz incongruências entre corpo e mente, que podem se traduzir em inquietude ou pensamentos obsessivos, atrapalhando o sono. Como resultado, a manhã começa um pouco atrapalhada, com imprevistos perturbando o andamento natural das coisas, incertezas inconscientes pinçando nervos expostos das nossas inadequações, que hoje parecem dar pistas de suas origens. Ao mesmo tempo que pode haver momentos desconcertantes conosco mesmos, podemos também ter aqueles momentos mágicos de “A-há! – então é isso!”, que nos clarificam muitas questões inconscientes, levando talvez a uma maior integração desses traços sombrios de nós mesmos. Contudo, ainda há grande reatividade no ar, especialmente à noite, quando o humor volta a ficar carregado e as reações, cortantes. Por isso, precisamos manter em cheque as emoções desencontradas e conflitantes, para que gerem energia de iluminação e não de conflito no mundo exterior, porque ainda que precisemos nos posicionar firmemente sobre algo, ainda podemos fazê-lo de forma amistosa e, de novo, se for para reagir, reaja com amor!

Katie Grinnan – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 06 de abril – Marte está em trígono partil a Plutão. A Lua faz trígono ao Sol, sextil a Júpiter, quincúncio a Plutão, quadratura a Marte e trígono a Urano e a Saturno, formando um Grande Trígono de Fogo. Fica vazia depois do trígono a Saturno, às 21h17min. Saturno entra em movimento retrógrado às 02h06min. O Sol está muito próximo da oposição a Júpiter. Estamos um tanto irritados pela manhã e, embora ao longo do dia o humor melhore, estamos cientes de que há questões importantes a serem endereçadas e tratadas, questões que estão aflorando à superfície da consciência e que certamente nos obrigarão a novas mudanças em nossas posturas, códigos morais e atitudes concretas. A despeito de nos darmos conta do desconforto, porém, também estamos dispostos a fazer o que for necessário para confrontar tais questões e a ir fundo nessa auto-investigação. Isso porque, embora haja o desconforto, também há a percepção da possibilidade de melhorias, de conseguirmos superar bloqueios e entraves, se formos honestos o bastante conosco mesmos e se estivermos dispostos a abrir mão da rigidez e dos nossos pré-conceitos. Saturno entra em retrogradação e nos convida a fazer uma revisão do trabalho que empreendemos nos últimos meses – desde agosto/16 – no sentido de nos definirmos como indivíduos e de nos realizarmos concretamente no mundo tangível.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 07 de abril – O Sol está em oposição exata a Júpiter e muito próximo da quadratura a Plutão. A Lua abre o dia vazia em Leão, mas ingressa em Virgem à 01h20min, de onde se harmoniza com Mercúrio em Touro. A Lua também faz sesqui-quadraturas ao Sol (entra na fase Corcunda) e a Plutão, virando foco de um Martelo e ainda segue a fazer outra sesqui-quadratura a Urano e fecha a noite em oposição a Netuno. Vênus está em quadratura a Saturno, aspecto quase exato. Na superfície, estamos hoje entusiasmados e animados, com a confiança e otimismo de que nada pode dar errado, exceto que, sim, muita coisa pode sair errado, especialmente se ignorarmos detalhes importantes e nos inflarmos de nossa própria importância, achando que somente nossos desejos – extremamente imediatistas – são justos e apropriados. Temos, de fato, muita força e recursos em nossas mãos, com os quais podemos transformar muitas coisas, mas se não começarmos por dentro, por nós mesmos, pouco adianta e nada conseguiremos mudar no entorno, muito menos nos outros, especialmente se tentarmos impor nossas visões e nossa vontade a quem quer que seja. É preciso vigiar a tendência aos exageros, à inflação do ego, às bravatas. Também há uma sensação de cisão interna, em que conscientemente temos essa autoconfiança, até desmesurada, mas, subjacente à superfície, há dúvidas e ansiedades que podem se manifestar de duas formas: ou colocam um freio e equilibram os excessos; ou os alimentam porque a insegurança pode nos tornar ainda mais afoitos e aflitos por auto-compensação e por provar que tudo está bem, quando talvez não esteja – mecanismo de camuflagem. De uma forma ou de outra, ficamos tensos e nos expressamos de forma desajeitada, como a esperar o momento que nossa máscara bonachona cairá e revelará nosso lado desgracioso, desastrado e inepto.

Reprodução

SÁBADO, 08 de abril – O Sol está em quadratura plena a Plutão e Vênus em quadratura a Saturno, aspecto também pleno. Por seu turno, a Lua se opõe a Netuno, faz quincúncio ao Sol e trígono a Plutão e a Marte, formando um Grande Trígono de Terra. Fecha a noite em oposição a Quíron. Mercúrio estaciona às 20h15min, para entrar em retrogradação amanhã. Nossa individualidade e objetivos conscientes hoje se deparam com forças potentes que, a princípio, parecem se opor a nós e a nossos quereres. Na verdade, passamos por mais uma prova, que vem testar o quanto conhecemos a nós mesmos e às nossas facetas secretas e sombrias, que hoje podem se revelar um pouco mais através dos conflitos com os poderes que parecem contrários àquilo que somos e buscamos, assim como através de inseguranças que afloram à superfície da consciência. Se nos identificamos apenas o lado mais luminoso e grandiloquente, o entusiasmo e a generosidade dos grandes espíritos, podemos nos enganchar em dificuldades com figuras “tenebrosas” que se interpõem em nosso caminho e nos obrigam a lidar com nossa própria escuridão, desejos de poder e controle, emoções virulentas e abissais, que talvez mascarem o medo profundo de rejeição e abandono. Contudo, para que já está mais acostumado aos confrontos com essas forças, o dia se apresenta como mais uma oportunidade de integrarmos esses traços ditos menos nobres e enriquecermos nossa experiência e maturidade – o regente do sol, que quadra Plutão, é Marte, que faz um aspecto harmonioso ao mesmo Plutão, possibilitando um diálogo promissor e uma ponte entre o Sol e Plutão, de modo que o confronto talvez não precise ser negativo. De qualquer forma, por mais oportunidades que possa trazer, é fato que o dia está pesado, carregado de conteúdos tóxicos, inseguranças, vulnerabilidade, desconfiança, dúvidas e medos. É necessário uma parada básica para olharmos os nossos melindres, as dúvidas e incertezas que são nossos, a despeito de acharmos que nascem das interações com outros – não, as interações com outros apenas trazem à tona algo que já existe em nós. Recomenda-se cautela em todas as interações, especialmente aquelas com pessoas mais próximas e nas relações afetivas, visto que estamos todos muito defensivos, vulneráveis e quebradiços, podendo tanto ofender quanto nos sentir ofendidos inadvertidamente. Por outro lado, a Lua oferece uma boa contenção e sustentação emocional e se conseguimos conter nossos ímpetos mais selvagens e as reações mais primitivas e defensivas, também revigoramos nossa força interior, que nos capacita a olhar para tudo sem medrar, aceitando e transmutando tais poderes sombrios em recursos de conscientização e crescimento. De qualquer forma, tirar um tempo para si, para refletir sobre os afetos – ou desafetos – pode ser uma boa pedida. Talvez seja bastante inteligente refletir bastante nesses dias mais carregados, antes de tomar decisões difíceis ou mesmo antes de enfrentar situações  mais delicadas.

Reprodução

DOMINGO, 09 de abril – A Lua Virginiana se opõe a Quíron e a Vênus em Peixes e também quadra Saturno, ficando fora de curso logo depois, às 05h23min. Ingressa em Libra às 09h35min e logo se desentende com Mercúrio e, de forma diferente, também com Marte. Mercúrio entra em retrogradação às 20h15min. Vênus fecha a semana em conjunção a Quíron e o Sol segue se separando da quadratura a Plutão, enquanto ruma para a conjunção a Urano. O domingo está deveras penoso e complicado. Feridas expostas, exigindo limpeza e purgação, doem excruciantemente e parecem não dar trégua para nosso coração combalido. Mas, embora estejamos ultra suscetíveis e espinhosos, defensivos e sorumbáticos, há grande oportunidade de cura, de perdão, de serenar e sanar tais feridas pela percepção de que não precisamos ser vítimas de nada nem de ninguém, muito menos de nós mesmos. A questão principal aqui tem a ver com confiança, tanto a confiança em nós mesmos e no nosso valor, quanto a confiança na integridade e no amor do outro. E se estamos muito inseguros, a tendência é nos precavermos por mecanismos de controle, tentando controlar o outro ou às circunstâncias, algo que pode tornar tudo mais difícil e até precipitar a crise que estava ameaçando eclodir. É fundamental não resvalar em pensamentos sombrios de menos-valia, nem se colocar para baixo, vigiando pensamentos negativos que só piorarão o humor e tudo o mais. Fazer um balanço maduro da situação, tendo serenidade e empatia para consigo mesmo, assim como para com o outro, que provavelmente está tão sensível e vulnerável quanto nós. Encarar a realidade da situação e por mais difícil e dolorosa que ela seja, não sucumbir diante dela – se há despedidas para acontecer, se há lutos para se sofrer, se algo morreu realmente e não tem recuperação, o luto é necessário, mas ainda pode ser vivenciado com dignidade e não precisamos depauperar nosso amor próprio ainda mais. Com o tempo e a compaixão, tanto nossa quanto de amigos e aqueles que nos querem bem, sempre podemos nos lembrar de quem somos, sempre podemos nos lembrar da nossa luz a brilhar fulgurante, apesar dos momentos difíceis pelos quais estejamos passando. E o amor, o amor sempre estará lá, dentro de nós, só precisamos nos lembra de onde o guardamos.

Uma ótima e serena semana para você! Que traga paz e luz!

Reprodução
The Heartache – Christian Schloe – Reprodução

A Semana Astrológica – Tempo de Conclusões

eclipse solar - gobelinus regius
Coroa do Sol, visão permitida por um Eclipse Total do Sol – via Gobelinus Regius.Tumblr – Desconheço o autor.

Semana de 07 a 13 de março

Semana de eclipse começando, um eclipse Total de Sol que se dá na Lua Nova a 18°56′ de Peixes, que vem simbolizar muitas conclusões e fechamentos de histórias e situações e que será seguido do eclipse Parcial da Lua em 23 de março, a 03°17’ de Libra. Os eclipses ocorrem em duas temporadas ao ano, geralmente em pares, às vezes podendo ocorrer até três seguidos. Seus efeitos duram vários meses e até anos e suas influências simbólicas já são sentidas algumas semanas antes de ocorrerem. As semanas entre eclipses de uma mesma temporada são particularmente tensas e estranhas, como se portais entre mundos permanecessem abertos. Ficamos mais sensíveis e suscetíveis e convém nos observarmos e ao mundo ao redor com cuidado, especialmente nas semanas seguintes a um eclipse do Sol, quando as pessoas reagem de forma mais instintiva e menos racional. Portanto, fiquemos atentos e estejamos presentes em nós mesmos e no aqui e agora. Vale lembrar que eclipses solares favorecem mais a mulheres e ao feminino – interessante que este eclipse ocorra exatamente no Dia Internacional da Mulher! Leia sobre as dinâmicas e ciclos dos eclipses.

etssy
Tirado do Etsy.com – Reprodução

Depois de uma semana incrivelmente tensa e caótica, cheia de imprevistos e situações incontornáveis, o Sol, que ficou toda essa semana enquadrado por Netuno e Kíron, completa a conjunção a este, Kíron, um asteroide que simboliza o máximo das contradições humanas, pois representa vários arquétipos paradoxais: ele constela o arquétipo do professor e mentor; o arquétipo de uma natureza extremamente benigna e civilizada, num corpo animalesco e instintivo; o arquétipo da criatura imortal que é ferida mortalmente; o arquétipo da cura e do curador e também da ferida que não tem cura. Kíron, é pois, o símbolo das contradições de ser humano e nesta semana estaremos lidando com estes paradoxos. O Sol também faz sextil a Plutão, oposição a Júpiter e conjunção ao Nodo Sul da Lua. Há grandes desafios à nossa consciência por estes dias e parte desses desafios será manter a lucidez e a serenidade em meio ao caos, à insegurança e à sensação de vulnerabilidade frequente. Como exercitamos a compaixão e o amor por nós mesmos quando nos vemos tão falíveis e miseravelmente humanos? Como concebemos nossa expansão e otimismo diante de nossas dificuldades mais recorrentes e mais debilitantes? Como manter a fé na vida, no divino, no futuro, quando duvidamos até de nós mesmos, quando nos sentimos não merecedores até mesmo do amor do Pai? Como manter a fé no elemento humano, quando o mundo caminha para o abismo, levado por este mesmo humano? Aceitar tal vulnerabilidade e insegurança, sem nos identificar com a o papel da pobre vítima, sem cair no coitadismo é a peleja dessa semana, que testará nossa maturidade e consciência.

Way Up - Alex Garant Art - Reprodução
Way Up – Alex Garant Art – Reprodução

Mercúrio mergulha fundo nas águas Piscianas e funde-se a Netuno, indicando que a mente passa por um período bastante confuso, em que o pensamento e a função do logos não se dão de forma linear e lógica, antes, dão-se de maneira irracional, incoerente, talvez até absurda, até que percebamos que precisamos usar a imaginação e fluir com ela, intuindo, mais do que analisando de maneira lógica e fria. Os limites entre racional e irracional ficam indistintos e tendemos a confundir realidade com fantasia ou a ter dificuldade em analisar em discernir o que é verdade e o que é engôdo. A mente está embotada e não tem certeza de nada. O resultado é confusão e caos na forma como pensamos e nas nossas interações com o mundo. Seguimos como se vivêssemos numa realidade separada, correndo o risco de sermos presas de muitas ilusões, embustes, tapeações e enredos criados para nos levar a acreditar em algo que é, no mínimo, duvidoso. Mercúrio rege as comunicações e logo estará também em oposição a Júpiter, que rege a propagação em grande escala da comunicação, sugerindo que nas próximas semanas precisamos ficar atentos a manipulações midiáticas e aos jogos de cena montados para vender opiniões e “verdades” que interessam a muito poucos. Entretanto, se por um lado esse trânsito não favorece as atividades cotidianas, racionais e lógicas, por outro, beneficia grandemente aos artistas em geral, especialmente a músicos, compositores, escritores, poetas e artistas plásticos, pois a imaginação está especialmente realçada e elevada e a inspiração super ativada.

matteo arfanotti
Matteo Arfanotti – Reprodução

Vênus, a Pequena Notável, abandona sua abordagem super desapegada e livre de Aquário, para tornar-se sensível, romântica e sonhadora em Peixes, signo de sua exaltação. Vênus, um planeta de relacionamento por excelência, gregário por natureza, está exaltado em Peixes exatamente por isso, porque aqui tudo que ela deseja é se fundir ao outro, desaparecer como entidade separada e tornar um o que antes eram dois. Esse anseio por fusão absoluta imbui-nos de grande sensibilidade e romantismo, compaixão e altruísmo, visto que não percebemos limites entre nós e os outros; por outro lado, torna-nos vulneráveis a muitos desapontamentos, porque temos uma visão por demais idealizada, chegando a ser ingênua, e expomo-nos a decepções, seja porque o outro abusa de nossa boa fé, ou porque nós mesmos nos recusamos a vê-lo como de fato é.

sereia_casal_6Outra manifestação comum deste posicionamento é o padrão de buscar amores impossíveis ou inalcançáveis: apaixonamo-nos por alguém que está do outro lado do mundo, ou que já é comprometido, ou que não está minimamente interessado em nós. Criamos enredos dignos de filmes hollywoodianos, mas que só existem em nossa fantasia, ou seja, namoramos alguém que não sabe que está namorando conosco. Isso nasce do desejo de perfeição, do anseio por encontrar o par perfeito, uma incongruência completa com a realidade terrena. Então, se não convivemos com essa pessoa no dia a dia, se não a percebemos como pessoa comum, cheia de defeitos e contradições como todo mundo, nós preservamos nossa fantasia de perfeição e assim, nunca nos desapontaremos, a imagem perfeita desse bem-amado – que só existe em nossa cabeça, diga-se de passagem – ficando para sempre protegida de ser quebrada ou trincada pela realidade dura dos reles mortais. Na verdade, quando nos envolvemos nesse tipo de relacionamento, estamos fugindo da possibilidade da decepção, do confronto com a pessoa real, do risco de sofrer e de nos magoar que um relacionamento de verdade, com uma pessoa de carne e osso sempre traz. Assim, Vênus em Peixes busca apenas a magia e o canto da sereia e diz-se que ela se apaixona pela ideia de estar apaixonada, pelo romance e não pela pessoa com quem está se relacionando. Vênus ingressa em Peixes no dia 12, sábado, onde ficará até cinco de abril, quando entrará em Áries. De 12 a 20 de março teremos então quatro planetas mais o Sol em Peixes. Preparemos os lenços, porque o período fica choroso e confuso! O Sol ingressa em Áries no dia 20 e Mercúrio no dia 21. Vênus fecha a semana em quadratura já quase exata a Marte em Sagitário, sugerindo muitas desavenças e complicações nos relacionamentos.

Matteo Arfanotti - Reprodução
Matteo Arfanotti – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica em Aquário. Ingressa em Peixes ainda na segunda, onde será Nova na terça-feira, a 18°56’ de Peixes, às 22h54min no horário de Brasília e à 01h54min do dia 09 no horário de Lisboa. Fica mais que impulsiva em Áries na quarta-feira e torna-se Crescente já em Touro, no sábado, fechando a semana neste signo super sensorial. Nessa caminhada ela conversa com todos os demais corpos celeste, de forma harmoniosa ou briguenta!

Matteo Arfanotti - Reprodução
Matteo Arfanotti – Reprodução

O Sol está em sextil a Plutão na SEGUNDA-FEIRA. A Lua, balsâmica em Aquário, faz conjunção a Vênus e fica vazia logo depois, às 05h47min. Ingressa em Peixes somente às 16h09min e já faz quadratura a Marte em Sagitário e depois conjunção a Mercúrio. Embora nos sintamos com a energia mais forte e um senso de presença consciente, o dia está propício a atividades mais discretas, a avaliarmos cuidadosamente o que precisa ser eliminado e descartado, antes que avancemos em nossos projetos ou comecemos outros. Um longo e profundo perscrutar interno pode nos auxiliar a identificar o que são essas coisas, atitudes, situações que precisam ser terminadas. A Lua Balsâmica em Aquário é particularmente visionária e profética, portanto, fiquemos atentos aos insights e estalos que tivermos hoje, porque se provarão valiosos em nossos planejamentos e mesmo nas atividades futuras. A sociabilidade está favorecida, conquanto seja verdadeira e realmente necessária – não é dia de frivolidades e de gastar energias em coisas inúteis. O ócio, hoje, precisa fazer sentido.

Eclipse, by Anne Magil - Reprodução
Eclipse, by Anne Magil – Reprodução

A Lua Pisciana faz conjunção a Netuno na TERÇA-FEIRA. Ao longo do dia ainda faz quadratura a Saturno em Sagitário e sextil a Plutão em Capricórnio. O Sol está em oposição plena a Júpiter em Virgem e nesta oposição recebe a conjunção da Lua, numa Lua Nova que também é um Eclipse Total do Sol e que ocorre com todos estes aspectos ativados. A Lua fica vazia depois de ser nova. Dia de eclipse, dia denso, estranho, misterioso. Embora o eclipse seja visível somente no Pacífico, podemos sentir na atmosfera algo de extraordinário, enigmático, insólito. Este eclipse vem falar de finalizações que levam a novos começos, separações afetivas, separações na área das amizades, mas que abrem as portas para que novas pessoas entrem em nossa vida. O Sol em Peixes se opõe a Júpiter e coloca o questionamento super importante de como nos expandir sem causar o caos e a destruição ao nosso redor, como nos expandir de forma responsável, visto que os dois fazem quadratura a Saturno em Sagitário. Como prestar atenção ao medo, apreendendo suas lições e avisos, sem deixar que ele nos paralise? Como conter a sensação de vulnerabilidade, usando-a como um recurso e não como uma debilidade? Como conciliar tantas disparidades, medos, inseguranças, fé, alegria, esperança, dor, sofrimento, desejo de crescer e tantos outros sentimentos paradoxais em nós e no mundo em que habitamos? Para isso precisamos discernir entre o que podemos mudar e o que precisamos aceitar que está além de nossas forças. Eclipses geralmente marcam  finais seguidos de novos começos e cabe-nos identificar o que morre em nós, para que possamos contribuir com o processo de despedida. Nos eclipses solares a luz solar é bloqueada, simbolizando que a consciência também é temporariamente eclipsada, portanto, estamos mais instintivos e selvagens, o que demanda muita cautela e ancoragem de nossa parte, para não agirmos de modo compulsivo e inconsciente. Lai mais sobre este Eclipse Total do Sol. OBS: Veja ao final deste artigo uma tabela com os significados deste e do próximo eclipses e qual a influência por área de vida. Veja o signo do seu ASCENDENTE!!!

Amanda Cass - Reprodução
Amanda Cass – Reprodução

A Lua está renovada em Peixes, mas abre o dia vazia na QUARTA-FEIRA. Ingressa em Áries às 16h40min e faz trígono a Marte em Sagitário. Mercúrio está muito próximo de Netuno. Dia sensível, em que estamos ensimesmados e contidos. Ainda muito instintivos, convém nos resguardarmos de ações impulsivas, porque ainda não é hora de começar projetos ou dar o pontapé inicial em nada, visto que a Lua ainda está imersa nos raios do Sol, completamente escura e irracional, especialmente considerando-se que está vazia e separando-se do Nodo Sul. O Sol está em conjunção muito próxima a Kíron, sugerindo a conscientização acerca de muitas dificuldades, inadequações não contornáveis, feridas abertas carecendo de serem vistas, reconhecidas e, finalmente, aceitas. O fim da tarde traz uma mudança brusca e de repente nos vemos emergindo das grandes águas, sensação de asfixia, buscando por ar e movimento. Finalmente conseguimos fazer todas as coisas que ficaram paradas e enganchadas no remanso e entramos em franca atividade, mais alertas do que estivemos nos últimos dias. Embora ainda não completamente emersos, já conseguimos ativar a verve “fazedoura” e recuperar o atraso recente.

shutterstock
Shutterstock – Reprodução

A QUINTA-FEIRA está super ativa e dinâmica, com a Lua Ariana cheia de atitude impulsiva, impulsividade que é beneficamente freada pelo trígono a Saturno. Contudo, a Lua faz quadratura a Plutão em Capricórnio e conjunção a Urano, além de quincunce a Júpiter em Virgem e sesqui-quadratura a Marte. Feito um furacão, é como estamos hoje. Um furacão de atividade, que vai de cá para lá varrendo tudo em sua passagem, ativando a uns, estimulando a outros, instigando a outros mais. Ainda que todo esse dinamismo seja mais que bem vindo e que seja um belo contraponto a toda a letargia dos dias anteriores, convém respirarmos fundo e buscarmos ancoragem antes de embarcarmos na onda realizadora que nos acomete. Isso porque a Lua ainda está Nova, super instintiva e em Áries, um signo impulsivo e irrefreado; mais: a Lua está conjunta a Urano e quadrando Plutão, apontando possíveis conflitos, precipitação, atitudes extremistas e “descabeçadas”. A Lua ainda espicaça Marte, seu dispositor, incrementando essa sensação de impaciência e urgência, que pode nos fazer pisar nos calos alheios ou ter os nossos esmagados. Cautela, tolerância e paciência devem ser o tempero das emoções e atividades hoje, do contrário, estaremos nos expondo a conflitos, pequenos ou grandes acidentes, ou simplesmente a deixar coisas inacabadas, o que nos prejudicará lá na frente. Usemos o impulso e a energia incipiente da Lua Nova de forma sábia e concentrada.

Putyourpawsup - Reprodução
Putyourpawsup – Reprodução

O Sol está em conjunção plena a Kíron e Mercúrio está em conjunção exata a Netuno na SEXTA-FEIRA. Haja pé no chão para conter tanta sensibilidade! A Lua vem trazer essa ancoragem, mas só depois de ter feito sextil a Vênus e ficar vazia por cerca de uma hora, ingressando em Touro às 16h44min. De Touro ela se indispõe com Marte em Sagitário e mais inconscientemente com Júpiter. O Sol também está em conjunção ao Nodo Sul da Lua. O dia pede uma contenção e canalização criativa para o manancial de sensibilidade que está ativado. Como numa grande inundação, um tsunami de dores e debilidades aflora à nossa consciência, toldando a razão e a lucidez, deixando-nos com a sensação de ser engolidos por uma onda caótica que dissolve os últimos fiapos de clareza que mantínhamos a muito custo. Contudo, as influências que ativam toda essa dor e fragilidade também nos fazem ganhar acesso às vias da cura e liberação dos nossos males. Se Kíron inunda a consciência solar de sofrimento, o Sol também ilumina os motivos e razões de tais flagelos, permitindo maior auto-entendimento, propiciando que encontremos alívio e o caminho para a cura e fortalecendo nossa resiliência. O Sol joga luz também sobre a necessidade de aceitarmos nossas dificuldades e limitações, humanos que somos, sem nos deixar vitimizar ou paralisar por elas, exercitar o amor e a compaixão, conosco mesmos e com o mundo ao nosso redor. A conjunção do Sol ao Nodo Sul alerta para a necessidade de manifestarmos as qualidades mais elevadas de Peixes, em lugar de nos deixarmos abater pelos escapismos, pela confusão e falta de limites benfazejos propiciados por um ego forte e saudável; o Nodo Norte em Virgem realça a necessidade de ordem e discernimento. Considerando que estamos num período de entre-eclipses, precisamos fazer um esforço para nos mantermos conscientes e lúcidos, portanto, o uso de substâncias como álcool e drogas poderá nos fazer entrar numa verve bastante destrutiva e obscura. Exercícios de respiração profunda podem nos ajudar a ter maior clareza mental; exercícios de ancoragem e enraizamento também podem auxiliar a encontrar nosso próprio eixo e nos alinhar com ele. Em dias como hoje convém lembrarmos a Oração da Serenidade, de Francisco de Assis: “que eu tenha a serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para discernir entre uma e outra”.

Reprodução
Reprodução

A Lua entra na fase Crescente no SÁBADO ao fazer semi-quadratura ao Sol. Ela também forma um Grande Trígono em Terra ao fazer trígonos a Plutão em Capricórnio e a Júpiter em Virgem. Este Grande Trígono vira uma Pipa pois a Lua faz ainda sextil a Mercúrio em Peixes. Mas há inadequações simbolizadas pelo quincunce a Saturno. Um dia que oferece boas possibilidades de contenção a todo o aguaceiro ativado nos céus, proporcionando também a possibilidade de canalizarmos nossa sensibilidade, insights, imaginação e inspiração em atitudes e ações criativas e ao mesmo tempo bastante práticas e concretas. Podemos arregaçar as mangas e entrar em ação, inaugurando nossos novos projetos, lançando a pedra fundamental daquilo que queremos realizar neste ciclo. A hora é agora e as energias estão mais que propícias. Mas ainda precisamos estar atentos quanto à qualidade fantasiosa de alguns deste planos, submetendo-os a alguns testes antes de nos lançarmos a eles de corpo e alma. Mercúrio, a mente, é o ponto chave de elaboração e expressão de toda essa força criadora e criativa, portanto, precisamos fornecer os receptáculos adequados a essa imaginação fecunda e receptividade afloradas.

Photobox - Reprodução
Photobox – Reprodução

O Grande Trígono formado por Lua-Júpiter-Plutão segue pela madrugada de DOMINGO e forma outra Pipa quando a Lua se harmoniza a Quíron em Peixes e depois ao Sol, que estão, por sua vez, em sextil a Plutão. A Lua fica vazia depois do sextil ao Sol, às 06h48min, entra em Gêmeos somente às 18h04min e fecha a noite de domingo numa contenda super confusa e chorosa ao se opor a Marte em Sagitário e quadrar Vênus em Peixes, que vira foco da T-Square mutável. O dia de domingo está adequado ao descanso, ao lazer descompromissado e vagaroso, sem grande esforço. Todo o esforço que precisamos empreender hoje resume-se a “ser” e “estar”. Podemos nos dar ao luxo de usufruir, sem culpa, o merecido descanso, do corpo e da alma, depois da semana densa e melindrosa que tivemos.

photobox...
Photobox – Reprodução

À noite uma nova tensão se instala. O coração, ambivalente, leviano e fugidio, debate-se em dilemas vários. Sentimo-nos inseguros e desafiados e arvoramo-nos de enciclopédias amorosas ambulantes. Boquirrotos, lançamos desafios voláteis e descuidados, sem nem esperar para ver os resultados, ou surpreendendo-nos quando são aceitos por outro tão estouvado quanto nós. Desejando ficar livres de comprometimentos, atiramos para todo lado, colecionando emoções fugazes, obedecendo a impulsos volúveis e frívolos, que acabam por nos esvaziar a alma, deixando-nos com a sensação de termos sido roubados de e por nós mesmos. Essa volubilidade, a falta de critérios sólidos e o anseio por nos perder no outro desejando acabar com todo o senso separação, podem levar a comportamentos de promiscuidade, levianos e fúteis. Contatos da profundidade de um pires são iniciados com espalhafato e terminados com a mesma velocidade.

Reprodução do Uol
Reprodução do Uol

Nas relações já existentes discussões tolas podem magoar de maneira indelével, dando início a crises mais sérias, visto que estamos hiper-sensíveis e mesmo aqueles que se pronunciam não-ciumentos podem ter os egos arranhados por atitudes impensadas, suas ou de outrem. Antes de jogarmos pelos ares uma relação que foi, até então, de grande cumplicidade, fazemos bem em checar de onde vem tanta inquietude emocional e sexual; indagar-nos se existem motivos reais para que questionemos essa relação ou se estamos apenas sendo levianos e imaturos. Agir por impulso pode deixar marcas que serão difíceis de ser apagadas depois, tanto no coração do outro, quanto no próprio senso de integridade interior. Cuidado com o canto das sereias – eles são belos e sedutores, mas podem ser também desastrosos e destrutivos. Outra possibilidade, no que tange aos casais, é iniciarem brigas para fazer as pazes com sexo depois, porque é “mais excitante”. Mas o tiro pode sair pela culatra e a briga se tornar um caminho sem volta!

Que sua sema seja de luz, amor e paz! Que tenhamos compaixão por nós e também pelos outros!

By Nethskie - on Deviantart - Reprodução
By Nethskie – on Deviantart – Reprodução

Influências dos eclipses desta temporada, por área de vida. Veja o signo do seu ASCENDENTE!!!

Eclipses 2016 - Copia