Arquivo da tag: Esperança

A Semana Astrológica – Plantando para o futuro

Rob Gonçalves – Reprodução

Semana de 28 de agosto a 03 de setembro – Semana de Lua Crescente, tempo bom para fermentar os negócios e os projetos, de podar os excessos e depois avançar de forma focada.

O Sol ingressou em Virgem e fica vários dias sem fazer muitos contatos, preparando-se para enfrentar Netuno e Saturno daqui a pouco. Mercúrio, ainda retrógrado, regressa ao signo de Leão, onde vai estacionar no dia cinco no grau 28. Ao voltar a Leão, Mercúrio ensaia outro trígono a Urano, mas o aspecto não chega a se concretizar, pois Mercúrio estaciona antes para voltar ao movimento direto.

Reprodução

Vênus está toda poderosa, na sua versão realeza, em Leão. Também fica muitos dias sem fazer aspectos maiores a outros planetas, apenas recebendo os contatos lunares. A ação maior fica mesmo por conta de Marte, no terceiro decanato de Leão, que nesta semana faz quincôncio a Quíron e trígono a Urano e passa a semana em formação de Grande Trígono de Fogo, já que ainda está também em trígono a Saturno em Sagitário. Esse Grande Trígono traz uma renovação de esperanças no futuro, uma percepção de que mesmo que o presente e o passado sejam tortuosos, a vida é impermanência, é surpresa, é inconstância e se, em muitos momentos a ideia da impermanência assusta, em períodos como os que vivemos atualmente, ela vem como um verdadeiro bálsamo, porque sabemos que os tempos sombrios podem até durar, mas não são permanentes.

Contudo, o fim de semana requer cuidados porque Marte e Mercúrio se encontram e trocam informações exatamente no grau do último eclipse total do Sol, no dia 21 de agosto. O fim de semana pode trazer tensões, conflitos e acontecimentos inesperados.

Lua Corcunda na Chapada dos Guimarães – Creuza Medeiros – reprodução

A Lua abre a semana ainda na fase Semi-Crescente, em Escorpião. Entra no Quarto Crescente a partir de Sagitário, na terça-feira. Torna-se Corcunda no sábado, já em Capricórnio e fecha o domingo em aquário. Faz contatos tranquilos ou estressantes com todos os demais corpos celestes, simbolizando, no céu, os “perrengues” ou delícias que vivemos aqui na Terra.

Catrin Welz-Stein- Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 28 de agosto – A Lua abre o dia em Escorpião, e quadratura a seu dispositor tradicional, Marte, atualmente em Leão. Fica vazia depois deste contato, às 06h39min. Faz ainda trígono a Quíron, quincôncio a Urano e ingressa em Sagitário às 16h48min, de onde faz quadratura a Mercúrio, que hoje está em sesqui-quadratura a Plutão. A Lua faz ainda trígono a Vênus em Leão. O dia está favorável a reflexões profundas acerca de assuntos ocultos e dos mistérios da vida. O que quer que façamos hoje, precisamos fazer com paixão e compromtimento, estando profundamente envolvidos e engajados, sem meio-termos, sem “mas” ou “se”… É um bom dia para refletir sobre a natureza das nossas raivas, mágoas e rancores; sobre as frustrações mais doídas e difíceis e fazer um esforço para dissolvê-las e deixá-las ir, porque estão a comprometer muito do nosso desenvolvimento, liberdade e entrega aos novos projetos ou novos relacionamentos. Também vale a pena investigar as origens mais obscuras de tais sentimentos e as razões para nos agarrarmos a eles. É, de fato, um ótimo dia para análises e sessões terapêuticas, porque podemos alcançar profundezas que em outros dias seriam inalcansáveis. Contudo, a ação objetiva está comprometida, portanto, se possível, o ideal é adiar decisões e ações importantes para mais tarde e refletir melhor sobre seus impactos no futuro. Em termos práticos é dia de observar quais eliminações serão necessárias, onde precisaremos podar as ideias e projetos nascidos ou iniciados recentemente, para que frutifiquem em todo o seu potencial.

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 29 de agosto – A Lua entrou em Sagitário ontem e fez quadratura ao Sol ainda na madrugada, oficializando o Quarto Crescente. No fim  do dia a Lua também faz quadratura a Netuno e sesqui-quadratura a Urano. É dia de olharmos além, muito além dos fatos e detalhes menores, para podermos acrescentar visão e perspectiva aos nossos projetos e propósitos. Nossa plantação brotou e segue vicejante, mas junto vicejam também as ervas daninhas, que precisam ser eliminadas, para que o plantio cresça forte e livre das pragas. É tempo também de poda, de eliminar os excessos desnecessários e reconhecer que por mais otimistas que sejamos, não damos conta de tudo – é humanamente impossível! Assim, precisamos escolher, precisamos deixar algumas coisas de lado, para conseguirmos focar no que realmente interessa. Se a árvore ou a planta é podada, desbastada dos galhos ou ramas “inúteis”, concentrará sua seiva e crescerá mais rápido e talvez mais forte. Assim também somos nós, muitas vezes precisamos proceder com podas providenciais na vida, no trabalho, nos projetos… Assim cresceremos mais rápido e mais fortes, porque a seiva e a energia estarão concentradas. É dia também de observar onde nossa percepção excessivamente detalhista nos impede de captar a visão maior do futuro; onde só vemos a árvore diante de nós, sem perceber a floresta na qual a árvore está inserida e assim, deixamos de ver o todo do qual tudo é parte. É preciso equilibrar, conseguir perceber o micro e o macro e entender que se integram, em nós e fora de nós.

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 30 de agosto – De sagitário a Lua se harmoniza com seu dispositor, Júpiter, que está em Libra. A Lua faz sesqui-quadratura a Vênus, conjunção a Saturno, trígono a Marte e a Urano (não exato), formando um Grande Trígono de Fogo. É dia de nos animarmos um pouco, apesar de todas as dificuldades e más notícias. É dia de ter otimismo e esperança, afinal, tudo passa, nada é permanente. Não estamos falando de um otimismo bobo e ingênuo, mas daquele que olha mais longe, que sabe que a vida é uma Roda da Fortuna, que gira, e gira e gira… Uma hora estamos embaixo e daqui a pouco estamos em cima… E vice-versa. E se nos perguntamos por que insistir em fazer o correto, em ser íntegros e decentes enquanto o mundo desmorona debaixo dos escombros de valores esfacelados, lembremos do provérvio árabe (creio que seja árabe) que diz: “quem planta tamareiras não colhe tâmaras”. Diz a estória que um homem plantava tâmaras quando foi abordado por um jovem que lhe perguntou por que plantava algo que nunca iria colher – isso porque antigamente uma tamareira levava de 80 a 100 anos para dar frutos. E o homem respondeu: “se todos pensassem como você, ninguém jamais comeria tâmaras”. Assim, não importa se o que fazemos agora talvez pareça não dar frutos imediatos; plantamos para a longevidade, as ações de hoje se refletirão no futuro, boas ou más, então, não é melhor que sejam boas as nossas ações? Aquilo que fazemos ou deixamos de fazer, repercutirão lá na frente, positiva ou negativamente. Se fazemos e vivemos com integridade, com correção, mesmo que não colhamos “as tâmaras” plantadas, ainda teremos a satisfação que nossos filhos ou netos o farão. Do contrário, se vivemos de forma inconsequente, irresponsável, sem ligar muito para o resultado de nossas atitudes e ações, talvez não só nós mesmos arcaremos com seu peso (o castigo vem a cavalo, diz o ditado antigo), como ainda deixaremos uma herança maldita para os que vierem depois. Portanto, é dia de pensar no futuro, com responsabilidade, integridade e correção. Agir corretamente, mesmo que não sejamos nós a colher os resultados. E vale sempre lembrar: as “tâmaras” que comemos hoje, foram plantadas por alguém, muito tempo atrás! Da mesma forma, muitos dos benefícios que facilitam nossa vida hoje, foram conquistados por outros indivíduos, outras gerações, que talvez nem tenham chegado a usufruir de seus feitos e nem por isso deixaram de brigar por tais conquistas.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 31 de agosto – Mercúrio retrógrado regressa a Leão e Vênus está em sesqui-quadratura a Saturno. Enquanto isso a Lua Sagitariana completa o trígono a Urano e fica fora de curso depois deste aspecto, à 01h43min. Ingressa em Capricórnio às 05h19min, de onde se desalinha com Vênus, mas se afina com o Sol Virginiano. Nosso brilho e alegria ficam um pouco sombreados hoje, embaçados por alguma insegurança não muito nítida, alguma sensação de algo fora do lugar, que incomoda, embora não consigamos confrontar. Consequentemente, nosso humor fica mais sombrio também, podemos nos fechar um pouco e nossas interações e relações podem sofrer com isso. Bom ficar atentos sobre os sinais inconscientes e involuntários que enviamos aos outros, que podem contradizer nossos desejos e discurso consciente e depois não sabemos porque criamos um conflito… O dia traz também uma atmosfera favorável ao trabalho e à execução de tarefas práticas que exijam presteza, comprometimento, persistência, disciplina e empenho. Não é dia de se voejar por aí sem rumo – é dia de ter foco, responsabilidade. De se levar a sério o que quer que esteja acontecendo conosco e de ter uma abordagem prática e objetiva de tais assuntos. Nada de romantismos ou sentimentalismos. É pé no chão e mão na massa!

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 1° de setembro – Marte está em quincôncio a Quíron. De Capricórnio a Lua tem um desentendimento com Marte, mas se afina com Netuno e se funde a Plutão. Fecha a noite em quadratura não exata a Júpiter. A energia de realização está oscilante, vai e vem, vem e vai e isso nos deixa um tanto inquietos e frustrados, porque não conseguimos terminar as tarefas como gostaríamos e pior, isso compromete o resultado final do trabalho e pode nos deixar predispostos a pisar nos calos alheios como consequência de nossa irritação e oscilação. É possível também que estejamos no módulo “rolo compressor” e tentemos apressar a outros ou passar por cima deles de forma consciente e bem direta, sem nem nos desculparmos, coisa que também não vai acabar bem, afinal, cadê a civilidade? Ou ainda, talvez farejemos crítica, ofensa, competitividade onde não existem e isso também contribui para o clima tenso, mas indireto que fica na atmosfera. Mas da mesma forma que as oscilações e irritação nos atrapalham, elas oferecem a oportunidade de as confrontarmos em nós, se estivermos dispostos a empreender a descida até as profundezas da nossa alma. Uma vez lá embaixo, podemos encarar inseguranças, dúvidas, ambiguidades, medos, constrangimentos e embaraços que podem ter se emaranhado nos nossos pés ao longo do caminho e que agora atrapalham nossa livre movimentação, deixando-nos irritadiços e propensos a descontar em outros problemas que são apenas nossos. Assim, ao invés de entrincheirar-se contra tudo e contra todos, vale a pena um olhar honesto sobre as próprias feridas e tratar de sua limpeza e saneamento, talvez não fiquem completamente sanadas, mas podem propiciar um novo entendimento sobre nossas dinâmicas de raiva e defensividade gratuitas. E a raiva, a irritação, se persistirem, podemos utilizá-las como combustível para o trabalho árduo que nos espera!

Reprodução

SÁBADO, 2 de setembro – Marte está em trígono pleno a Urano. A Lua Capricorniana quadra Júpiter e faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda. A Lua também faz sextil a Quíron e quincôncios a Marte e a Mercúrio, tornando estes dois focos de um Yod – Mercúrio e Marte formam uma parelha perigosa como foco desse Yod, porque estão no grau do Eclipse do Sol do dia 21 e mercúrio ainda está retrógrado, prestes a voltar ao movimento direto. Dona Lua ainda quadra Urano, aspecto depois do qual fica vazia, às 13h31min. Ingressa em Aquário às 17h07min. Marte e Mercúrio estão próximos à conjunção exata a poucos minutos do ponto exato do eclipse do Sol do dia 21. O dia traz uma mistura interessante de entusiasmo, energia dinâmica e empolgação com o futuro, com um certo receio e hesitação sobre se estamos no caminho certo, porque olhamos para trás e temos medo de abandonar algumas estruturas, ou mesmo as trilhas antigas. A mente briga com as emoções e lhes diz que não são válidas; o corpo briga com a mente porque se sente pressionado a fazer coisas para as quais não está disposto ou com as quais não concorda; a subjetividade pode nublar a objetividade e dessa forma nos perdemos em nós mesmos e nossos dilemas. Assim, ficamos meio que presos entre ir ou ficar, entre aceitar ou nos rebelar e o resultado de tais incongruências pode ser algumas atitudes impulsivas, precipitadas que podem não só se revelar infrutíferas, mas nos expor a acidentes, eventos infortunados e desastrados, para os quais talvez não haja muito conserto no futuro. Portanto, por mais que estejamos inspirados e animados, é preciso um pouco de cautela com as contradições, irritações e ambiguidades; cautela, especialmente com comportamentos e ações impulsivas no trânsito, nas relações, nas atividades esportivas e nas ações em geral. O período mais crítico vai das 11 da manhã até as 4 da tarde. A noite traz uma atmosfera um pouco mais leve e sociável e talvez nos ajude a espairecer um pouco da tensão.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

DOMINGO, 3 de setembro – Mercúrio faz conjunção a Marte, uma conjunção às avessas, já que Mercúrio está em marcha à ré – ambos estão em trígono a Urano. A Lua Aquariana faz oposição a Vênus e quincôncio ao Sol. Fecha a noite e a semana em trígono não exato a Júpiter. O dia está cheio de um entusiasmo incontido, que pulula dentro de nós e que anseia por ganhar espaços amplos e abertos, longe das clausuras, das regras, das contenções, pequenezas e mediocridades do dia a dia. Mas tal entusiasmo, mesmo que nos chame para as alturas, precisa ser absorvido e vivenciado com alguma cautela, por mais paradoxal que pareça. Isso porque estamos conectados com pontos e impulsos obscuros em nós, que foram momentaneamente eclipsados, permanecendo sensíveis e ocultos, misteriosos para o nosso entendimento diurno e básico. Então, quanto mais insólito e compulsivo o impulso, mais cautela precisamos ter – que gatilhos acionará em nós? Que forças moverá? Serão positivas ou destrutivas? O que nossa intuição nos diz? A intuição hoje será o farol na escuridão. Se conseguirmos nos conectar a ela, verdadeiramente, poderemos acessar as mensagens mais elevadas que a alma e o espírito tentam nos enviar. Podemos sim, nos permitir a exuberância da novidade e da aventura, desde que esta intuição seja a autoridade a dar o aval. Em termos práticos, mesmo que estejamos muito animados e dinâmicos, o dia requer cautela no trânsito, nas interações, nas discussões, nas ações. Atitudes impulsivas não são muito recomendadas.

Desejo a você uma ótima semana, de confiança e esperança. Plantemos tâmaras, mesmo que sejamos nós a colhê-las!

Reprodução

A Semana Astrológica – Costurando Novas Possibilidades

Reprodução

A SEMANA DE 21 A 27 DE AGOSTO – Semana de recomeços, de lançar intenções potentes de uma nova vida!

A semana mais aguardada do ano traz eclipse total do Sol, Saturno voltando ao movimento direto e recebendo sextil de Júpiter! Pois é! Muitas novidades e movimentos importantes!

Reprodução

Na segunda tivemos a Lua Nova e Eclipse Total do Sol a 28° de Leão, a segunda lunação consecutiva neste signo. Na segunda também tivemos o Sol em trígono a Urano, aspecto forte na lunação, sinalizando um olhar para o futuro, uma expectativa de como podemos nos modificar e mudar a vida e os rumos de forma harmoniosa, sem precisar ser na dor. No mesmo dia o Sol esteve em quincôncio a Quíron, falando também de dor, uma dor que até tentamos, não podemos ignorar permanentemente. Exatamente a dor daquilo que não podemos mudar. Mas, muitas vezes, aquilo que causa desconforto e dor, é parte integral do que somos e se finalmente conseguíssemos mudar, talvez já não seríamos os mesmos.

Reprodução

Depois de ter essas conversas com Quíron e Urano e de ser eclipsado, o Sol ingressa em Virgem, inaugurando o tempo de vermos a vida em detalhes minuciosos e preciosos; de organizarmos nossa rotina, nossos métodos; de revalorizarmos nossa relação com o trabalho diário, nosso ofício sagrado; É o tempo de estar a serviço, de ser útil e prestativo; e também é o tempo de cuidar dos ritmos orgânicos, do corpo, da saúde, física e mental; é tempo de purificação e de buscar viver com mais inteireza e integridade!

Reprodução

Já em Virgem, o Sol recebe a conjunção de Mercúrio, Conjunção Inferior, visto que Mercúrio está retrógrado. Sobre esta conjunção, Erin Sullivan diz que “Mercúrio está voltando para casa para checar seu status; sandálias viradas para trás, o deus Hermes faz um esforço valente para se harmonizar com o Deus Apolo, para propor alguma reparação pelo roubo do gado de Apolo” – para entender melhor essa “treta” entre Hermes e Apolo, leia este artigo.  Este é o momento em que Mercúrio, porta-voz do Sol e da consciência, reconecta-se com a vontade solar e uma semente é plantada nessa fase escura (Mercúrio está invisível no céu), complementa Sullivan. “Marca um tempo de descanso e recuperação, reduzindo ação iniciatória (e egoica) e permitindo que o inconsciente trabalhe. Do ponto de vista do Sol, essa é uma conjunção de Mercúrio com a Terra”, portanto, de sondar como manifestar os conceitos de forma palpável. A Conjunção Inferior também marca o fim da fase Epimeteus de Mercúrio e o início da fase Prometeica, de juntar novos recursos. Mercúrio fica Cazimi das 13h59min até as 21h36min do sábado. Mercúrio Cazimi simboliza um momento de genialidade e de grandes insights!

Reprodução

Mercúrio, além de fazer a Conjunção Inferior, também volta aos domínios do Sol, Leão. Continua retrógrado, sinalizando um tempo de revisões e análises, de revermos decisões, ações e atitudes passadas, na área de vida onde temos Virgem/Leão no mapa. No domingo ele fará conjunção a Marte no mesmo grau em que tivemos o eclipse na segunda. Mais: Mercúrio estaciona e volta ao movimento direto no dia cinco, neste mesmo grau. Situações ou eventos simbolizados pelo eclipse e que tenham ficado em standby por causa da retrogradação de Mercúrio, podem agora se manifestar.

Emile Friant – Woman with a Lion – Reprodução

Vênus faz quadratura a Urano e trígono a Quíron na quinta-feira, sugerindo eventos inesperados e chocantes na esfera das relações, eventos que são o estopim para possíveis rupturas. Tais rupturas só ocorrem se estamos muito inconscientes da monotonia da relação e do desejo de renovação e novidade. Essas crises podem trazer revelações importantes e ser uma boa oportunidade para nos curarmos das feridas causadas por eventos passados, já que agora temos mais maturidade para perceber nossa própria contribuição nos eventos e, finalmente, nos liberar da amargura. Vênus ingressa em Leão no sábado, trazendo tempos de alegria e mais prazer para os leoninos. Em Leão Vênus é estilosa, criativa e tem um gosto apurado, olho clínico para as coisas de valor – a não ser que esteja muito mal aspectada. É também orgulhosa e opiniosa. Precisa admirar e se orgulhar da/o parceira/o para poder amar e se entregar. Gosta de drama, porque sem um pouco de cor e drama, a vida fica meio insossa. É leal, corajosa e foca na alegria. Pode ser também possessiva.

Reprodução

Marte faz trígono a Saturno e é a ponte da vez que propicia um diálogo ainda mais fluido entre Saturno e Urano. Ao fazer estes contatos, Marte tempera sua ação com uma boa dose de cautela, foco, disciplina e estratégia, para poder fazer os movimentos necessários, planejadamente, sem riscos desnecessários ou com riscos calculados. Marte ingressa em Virgem no dia cinco de setembro.

Reprodução

Júpiter faz sextil a Saturno (domingo), aspecto que vem sendo ensaiado desde outubro do ano passado, com Júpiter ficando a poucos minutos da exatidão do aspecto, mas sem nunca completá-lo. Essa conversa entre os dois aponta um tempo de costurar novas possibilidades e achar brechas por onde possamos nos elevar acima das dificuldades – quais as saídas possíveis para as limitações e problemas presentes? O aspecto fala da perspectiva de cooperação entre dois princípios também antagônicos – a exemplo de Saturno-Urano. Buscamos nos expandir e crescer, mas sem oba-oba, com realismo, prudência e cautela. Não acreditamos em crescimentos mirabolantes e nem em promessas mágicas. “Estamos muito interessados naquilo que poderia ser, mas tal interesse é bem balanceado com aquilo que já é; não somos nem idealistas, nem excessivamente conservadores” (Robert Hand). Assim, há oportunidades de verificar onde queremos crescer e acessarmos nossas limitações e reais capacidades. Nosso otimismo é temperado de realismo, de modo que, como diria Suassuna, temos um “realismo esperançoso”.  De qualquer forma, Saturno também está em quadratura a Quíron e, falando num contexto de Brasil, esse aspecto não é páreo para todo o desmantelo que estamos vendo. Traz a oportunidade de nos levantarmos e fazermos algo, dentro de nossas possibilidades – mas será que o faremos? Pois é, contradizendo a mim mesma, pessoalmente falando, tá difícil manter um otimismo esperançoso nos dias atuais. Mas ainda estamos vivos e enquanto há vida, há esperança!

É importante notar que tanto Júpiter quanto Saturno estarão diretos quando da ocorrência deste sextil. Sim, Saturno volta ao movimento direto na sexta-feira! Chega de revisar quem é que tá devendo, vamos logo partir para as cobranças! Essa é a última fase retrógrada de Saturno em Sagitário, já que ele entra em Capricórnio em dezembro e não volta mais ao Signo do Arqueiro. Portanto, é hora de arregaçar as mangas e voltar ao trabalho, sem desculpas! O período de dormência e elucubração sobre as tarefas acabou, agora é atacá-las sem mais demora. Veja onde você tem Saturno no seu mapa para saber onde precisa encarar o trabalho final de amadurecimento da visão espiritual, onde precisa definir melhor suas crenças, sua filosofia; onde precisa estruturar a visão e a perspectiva de um futuro mais amplo.

Reprodução

A Lua abriu a semana ainda na fase Balsâmica, já em Leão e se renovou às 15h30min, na lunação que foi também Eclipse total do Sol. Ingressou em Virgem no mesmo dia. Entra na fase Semi-Crescente em Libra, na sexta-feira e fecha a semana em Escorpião. Faz aspectos a todos os demais corpos celestes durante sua caminhada para coletar impressões e disseminar os propósitos do Sol.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 21 de agosto – Eclipse Total do Sol – O Sol está hoje em trígono a Urano em Áries. A Lua Balsâmica Leonina abriu o dia conjunta a Marte e em trígono a Saturno. Ao longo do dia faz conjunção ao Nodo Norte, quincôncio a Quíron, trígono a Urano e, finalmente, conjunção ao Sol, na lunação mais potente do ano, porque é um Eclipse Total do Sol. A Lua fica vazia depois da conjunção ao Sol, às 15h31min. Ingressa em Virgem às 17h25min e faz sesqui-quadratura a Plutão à noite. É dia de eclipse e há uma sensação de expectativa no ar, expectativa que se mistura com ansiedade. O dia traz uma energia potente de renovação, mas para nos renovarmos, precisamos primeiro deixar para trás o medo, os erros passados, a preguiça, o “amanhã eu faço”, o postergar da vida… A vida não acontece amanhã, nem daqui a pouco. Ela está acontecendo AGORA e o agora é a única coisa que temos, que podemos mudar, estando plenamente conscientes. A consciência hoje é momentaneamente eclipsada, para que possamos acessar em maior profundidade os anseios verdadeiros da alma, mas só conseguiremos nos conectar com esses anseios verdadeiros, se estivermos devidamente centrados, serenos e ancorados, na nossa luz interior, porque se estivermos voltados para fora somente, para as influências exteriores, corremos o risco de simplesmente nos alinhar com vibrações baixas, de confusão, de medo, de descontrole e podemos espiralar no caos no mundo. A luz externa está apagada, para que a interna possa brilhar mais intensamente. Qual é a sua luz? Qual a potência? Qual seu propósito? A quem ou ao quê ela ilumina? Qual a sua utilidade? Ela está sendo bem utilizada ou está sendo desperdiçada? Uma coisa muito positiva sobre este eclipse, é que ele acontece conjunto ao Nodo Norte da Lua, simbolizando um momento único e uma grande oportunidade de nos alinharmos com nosso destino e propósitos mais nobres. O que quer que aconteça, traz em si, a semente do futuro, da evolução e de uma maior consciência; o que quer que aconteça, acontece para nos levar a dar nosso melhor, a superar nossas limitações e nossos apegos ou amarrações ao passado, à insegurança e à acomodação. Nisso precisamos confiar! Marte traz o poder da vontade de aço, da determinação, então, aproeveite e veja aquela situação muito difícil de mudar, com a qual você vem lutando já há tempos e foque na mudança positiva dessa situação; tome posse da energia marciana e coloque-a a seu favor! Vista a armadura do guerreiro nobre e gentil e lute com seus demônios e com aquilo que precisa combater em si mesmo, para ter uma vida melhor, mais íntegra, mais plena, em qualquer que seja a área que precisa ser trabalhada. O eclipse simboliza o momento em que aquilo que estava latente e que vinha sendo “preparado” já há algum tempo, chega à maturação, ao ponto de eclosão e pode vir à luz, porque agora estamos prontos para ver e para lidar com isso – ou talvez, simplesmente, porque PRECISAMOS lidar com isso! O melhor que podemos fazer é buscar nos centrar para nos alinhar com as vibrações mais elevadas, meditar sobre qual é o nosso destino e propósito maior e permanecer nesse estado de presença plena em nós mesmos. Em termos práticos, para estar mais tranquilo e centrado, durante estes dias, evite álcool ou outras substâncias que alteram a consciência; evite/diminua a cafeína, que é excitante e estimulante e aumenta a ansiedade; medite; ancore-se com exercícios de enraizamento, respiração, visualização; ande descalço na terra; emane vibrações de serenidade, de amor e gentileza para você mesmo, os outros ao seu redor e o planeta; ache seu ponto de equilíbrio e permaneça nele!

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 22 de agosto – O Sol ingressa em Virgem às 19h21min. A Lua está renovada, também em Virgem. Fez conjunção a Mercúrio logo cedo e agora à tarde se opõe a Netuno, faz sesqui-quadratura a Urano e, à noite, trígono a Plutão. Marte está em trígono exato a Saturno. Vênus se aproxima do trígono a Quíron e da quadratura a Urano. O dia começou ligeiro, com a manhã (ou o despertador) nos sacudindo da cama e nos alertando para compromissos e tarefas diversos. Uma coisa emenda na outra e isso nos ocupa muito por boa parte do dia, o que é ótimo, desde que estejamos realmente inteiros nas atividades. À tarde nossa industriosidade cede e nos sentimos um tanto desanimados, à mercê de devaneios, sentimentos confusos, uma certa indisposição e até sono. O humor e as sensações oscilam e muito da ansiedade que andamos reprimindo pode agora ressurgir e nos deixar amedrontados, ansiedades indefinidas, receios de julgamentos ou opiniões alheias, suscetibilidade extrema… elemntos que podem atrapalhar não só  aprodutividade mas o clima no ambiente de trabalho e consequentemente, as relações, que ficam permeadas de inseguranças, suspeitas sobre o que outro está pensando/sentindo a nosso respeito. Contornamos isso ao pegar de volta as possíveis projeções que tenhamos jogado sobre outros; recolher para nós os receios e ansiedades sobre opiniões alheias, assim como nosso próprio criticismo e julgamentos. Estudar tais elementos para descobrir suas origens e assim evitar que contaminemos as relações com questões, dúvidas e inseguranças que são nossos. Se conseguirmos lidar com tais inseguranças, podemos nos sintonizar com outras forças, mais positivas e resilientes; com a capacidade de trabalhar com paciência, diligência e disciplina e resolver coisas bastante intrincadas que requeiram cuidado e tempo. O Sol ingressa em Virgem, inaugurando o tempo de vermos a vida em detalhes minuciosos e preciosos; de organizarmos nossa rotina, nossos métodos; de revalorizarmos nossa relação com o trabalho diário, nosso ofício sagrado; É o tempo de estar a serviço, de ser útil e prestativo; e também é o tempo de cuidar dos ritmos orgânicos, do corpo, da saúde, fisica e mental; é tempo de purificação e de buscar viver com mais inteireza e integridade!

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 23 de agosto – O dia é de Mercúrio, que está exaltado e regendo Sol e Lua – todo poderoso, mas recluso, porque retrógrado. A Lua Virginiana abre o dia harmonizada com Plutão, mas arruma treta com Saturno logo cedinho, além de fazer, mais tarde, oposição a Quíron e formar, assim, uma ampla T-Square Mutável. A Lua faz ainda sextil a Vênus e fica vazia depois deste aspecto, às 17h04min. Ingressa em Libra às 22h05min. Lua e Vênus ficam, então, em recepção mútua. Estamos cheios de dedos, em cólicas, porque sentimo-nos cobrados e julgados, numa pressão que cria preocupações e ansiedades e que nos faz sentir expostos e inseguros e, em tal estado de espírito, tentamos controlar a tudo e a todos para recuperar um mínimo da sensação de segurança que é tão necessária. Mas isso apenas nos afasta e isola mais dos outros, que se sentem criticados e indignos de confiança e, dessa forma, as relações ficam ainda mais desastradas e complicadas, quando na verdade, queríamos apenas nos assegurar de que tudo saísse como o previsto. É um círculo vicioso, em que eu critico ou julgo e o outro se defende e critica de volta, deixando um clima pesado e ressentido, que perturba a todos. Tudo pode ser evitado, ou pelo menos minimizado, se permanecermos flexíveis e empáticos para com as limitações dos outros – e para com as nossas também – afinal, ninguém é perfeito e por mais que tenhamos a excelência como meta, perfeição é uma coisa diferente e, além de muito chata, paradoxalmente, também muito limitante. Portanto, é dia de nos sintonizarmos com a gentileza e a benevolência, de ter a elegância de perceber e louvar o esforço do outro, mesmo que as coisas não estejam exatamente como esperávamos. Em tempo: vale ficar atentos para não jogarmos o jogo de diminuir o outro para nos sentir melhores, já que talvez estejamos nos sentindo meio por baixo. Melhor conter a irritação e o criticismo e verificar o que ele conta sobre nós mesmos.

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 24 de agosto – Saturno estaciona a 21°10’ de Sagitário, às 09h09min (Brasília) para voltar ao movimento direto. Vênus em Câncer está em quadratura Plena a Urano em Áries e em trígono a Quíron Peixes, além de ainda fazer uma sesqui-quadratura a Netuno, também em Peixes. A Lua Libriana, regida por Vênus – ambas estão em recepção mútua – também faz quincôncio a Netuno e fecha a noite já em quadratura a Plutão. O dia está sujeito a chuvas e trovoadas, aguaceiros e tempestades – pelo menos no âmbito das relações afetivas! O foco hoje está nas relações. É dia de confrontos entre a nossa faceta mais tradicional, doce e romântica e o outro lado mais radical, livre e selvagem. Os dois gritam alto para se fazerem ouvir dentro de nós e a quem damos ouvido? O lado que estiver se sentindo ignorado e suprimido pode nos criar problemas hoje e o problema aparece travestido de namorada/o. Se eu sou grudenta/o, deixo de viver minha vida para viver a do outra/o e não percebo minha necessidade de espaço e tempo para mim, talvez a/o outra/o vá embora para que eu possa me dar conta disso; ou vice-versa: se eu tenho dificuldade de me comprometer, talvez o outro me pareça excessivamente possessivo e carente, me obrigando a lidar com esse aspecto de mim mesmo – mas claro, é provável que apenas acusemos o outro de ser carente, grudento ou o oposto, de insensível, frio, não comprometido, etc. O quanto estamos conscientes de nossas contradições? O quanto estamos dispostos a trabalhar para integrar esses desejos tão díspares? Ou será que queremos tanto um relacionamento que abrimos mão de ser nós mesmos e de expressar nossa individualidade? É o dilema que Vênus enfrenta hoje! No fundo, queríamos mesmo não ter que escolher nada e apenas ceder, abrir mão da luta e nos perder no outro… mas isso, além de não resolver, faz com que permaneçamos imaturos emocionalmente e inaptos a viver relações verdadeiramente significativas. Saturno estacionário ajuda a ver essas – e outras – questões com mais acuidade, exatamente porque estão muito agudas. A casa em que Saturno estaciona no mapa natal – e planetas que fazem aspecto ao grau 21° de Sagitário – é a área onde precisamos estar atentos para percepções agudas da realidade, como não a tínhamos percebido antes.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 25 de agosto – De Libra a Lua quadra Plutão e faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. A Lua também faz conjunção a Júpiter, e sextis a Saturno e a Marte – atenção para a linda conjunção no céu noturno! O Sol faz sesqui-quadratura a Plutão. Saturno volta ao movimento direto em Sagitário. É tempo de emergir para a realidade, depois de ficarmos imersos em muitas revisões das estruturas que nos dão segurança – ou deveriam dar. A realidade é brutal, mas precisamos lidar com ela e se não gostamos, precisamos trabalhar para modificá-la – para isso temos a ajuda e os insights de Júpiter e Urano. que nos dizem para acordar para essa realidade, mas precisamos nos mexer, porque não vão fazer nada por nós, sozinhos, não. O que é seguro e válido, permanece, o que é falso e desprovido de sentido, deve ser deixado para trás e substituído, ou talvez nem seja necessária substituição nenhuma, como no caso em que o conceito todo perdeu o sentido – isso tudo deve estar claro para nós, depois de tantos meses de retrogradação. Depois de ousarmos olhar-nos no espelho da verdade e de perceber aspectos menos nobres ainda não assimilados (sempre vai haver algum), podemos trabalhar sobre tal aspecto com afinco e nos regozijar com os resultados, a consciência de não termos fugido à luta conosco mesmos, uma luta conscienciosa, travada com honestidade, disciplina e honra. E podemos então nos rejubilar com a tarefa cumprida, que certamente adiciona valor ao que somos e à forma como nos vemos! Nada como festejar e celebrar depois do dever cumprido, é o recado de Lu/Júpiter + Saturno e Marte!

Reprodução

SÁBADO, 26 de agosto – Vênus ingressa em Leão à 01h30min. A Lua, regida por Vênus, faz quincôncio a Quíron e oposição a Urano, fiando vazia depois deste aspecto, às 02h40min. Ingressa em Escorpião às 05h53min. Mercúrio faz a Conjunção Inferior ao Sol e fica Cazimi das 13h59min até as 21h36min. A madrugada de sábado pode trazer inquietude, ansiedade relacional, conflitos, que reverberam da nossa dificuldade de nos aceitar – e aos outros – com nossas muitas discrepâncias. Tais conflitos podem ser assimilados e digeridos no sono posterior, de modo que pela manhã, estamos mais cientes de nossas contradições, querendo perscrutá-las mais de perto. O dia traz então uma atmosfera densa e propícia para atividades que demandem investigação, concentração, pesquisa. É dia também de tirarmos alguns minutos para relembrarmos dos nossos propósitos, desejos, projetos, para relembrarmos de quem somos nós e do que queremos nos tornar e assim, tendo lembrado de tudo isso, verificar os recursos e mecanismos mentais e intelectuais que vamos precisar para tornar essa tarefa mais compreensivel e executável no mundo. Dia de insights e ideias novas sobre a organização da vida, o ordenamento do cotidiano, a sacralidade do corpo – para quem estiver atento e aberto!

DOMINGO, 27 de agosto – Júpiter está em sextil pleno a Saturno. A Lua Escorpiana faz trígono a Netuno, sesqui-quadratura a Quíron, sextil a Plutão e passa boa parte do dia como Ponto Médio entre Júpiter e Saturno. O dia traz humores estranhos e instáveis, emoções em falso, ora sobem ora despencam vertiginosamente, deixando aos outros e a nós mesmos, confusos. Há tendência a desentendimentos entre mulheres que convivem proximamente, porque as diferenças parecem estar mais realçadas hoje. Contudo, é necessário, exercer a tolerância e a empatia, exatamente quando nos sentimos mais irritadiços e indóceis, porque é fácil viver as relações quando tudo está bem com o outro e conosco mesmos; mas as relações também se fortalecem quando enfrentam desafios, dependendo de como tais desafios são encarados. De modo geral, é dia de olhar com paciência e perseverança para nossas metas e objetivos de desenvolvimento pessoal, especialmente se no momento eles parecem um pouco fora de alcance. Traçar planos sóbrios e realistas de como realizar essas ambições e metas e traçar junto um cronograma de ações, para não ficarmos somente no papel a ser engavetado depois de ter cumprido a missão de acalmar as ansiedade do ego e até da alma. Um plano de ação só funciona se a ação realmente for executada e o dia está perfeito para traçarmos os planos, nos comprometermos com ele e entrarmos em ação tão logo seja possível! Costurar novas possibilidades de ter um pequeno céu na vida diária. Não desperdicemos o momento!

Desejo uma ótima e serena semana para você!

Reprodução

Lua Cheia em Gêmeos – Aceita que dói menos!

Reprodução
Reprodução

O ano chega ao fim e o fechamos com chave de ouro, com uma Lua Cheia super ativa e cheia de estímulos, bem ao gosto de Gêmeos! A Lua será cheia nesta terça-feira, dia 13 de dezembro, às 22h05min no horário de Brasília e à 00h05min no horário de Lisboa, a 22°25’ do signo de Gêmeos, o primeiro signo de Ar. A Lua Cheia é sempre um momento de colheita e de celebrar essa colheita. Mas essa é uma celebração bastante sóbria e contida, austera e realista, em contradição à energia elusiva da Lua Nova. Mas vamos por partes, ao gosto de Gêmeos!

Reprodução
Reprodução

Gêmeos, detalhista e imediatista, vem fazer o providencial contraponto às grandes visões futuristas de Sagitário, lembrando-nos que, se não nos atentarmos para os detalhes e o aqui e agora na feitura dos projetos, nenhuma visão jamais se realizará. Queremos nos expandir, ir além dos fatos prosaicos do dia a dia, queremos conhecer mais, saber mais, ultrapassar as fronteiras do conhecido, mas para isso precisamos dar um primeiro passo, sair das nossas vizinhanças, começar a ler aquele livro, nos matricular naquele curso, pegar o telefone e ligar para a agência de viagens para comprar a passagem para aquela viagem ao exterior… Sem Gêmeos, Sagitário fica perdido eternamente no futuro que nunca vai virar presente porque nunca se atentará para os detalhes imediatos necessários à sua execução. É uma polaridade que fala da dicotomia do Puer e do Senex que aqui está duplamente enfatizado na figura de Saturno; a Criança e o Velho; a brincadeira e a seriedade; a juventude e a maturidade/velhice; a inconsequência x a responsabilidade. Temas que ficam realçados para nós nestes dias.

Reprodução
Reprodução

O mapa da Lua Cheia levantado para Brasília traz uma mistura proeminente de Ar e Fogo e muita mutabilidade, o que nos sugere muita atividade mental, uma busca enorme por estímulos, propensão à dispersão e uma avidez por estar no centro de tudo o que acontece, avidez por mudança, assim como ansiedade e diversidade de interesses. O Ar é o elemento da mente, das elaborações conceituais, da razão e do logos. Misturado ao Fogo, temos uma imagem de elevação, de inspiração e aspiração às grandes alturas. De ideias e conceitos abstratos muito elaborados e intelectualmente sofisticados. Isso dá a tônica das próximas duas semanas. A água e os sentimentos ficam meio embotados e damos prioridade ao pensamento.

Lua Cheia em Gêmeos - Brasília, 13 de dezembro de 2016, 22h05min
Lua Cheia em Gêmeos – Brasília, 13 de dezembro de 2016, 22h05min

Porém, mais do que isso, se a Lua Nova de Sagitário só fazia contato com Netuno, a Lua Cheia em Gêmeos está ocupadíssima, falando e se conectando com todo mundo, como um dínamo que ativa e movimenta todos os cantos do mapa, exceto Mercúrio-Plutão em Capricórnio, mas ainda assim, ela está ligada a Mercúrio por ser regida por ele. A Lua faz oposição à conjunção Sol-Saturno, faz quadratura a Quíron em Peixes, sextil a Urano em Áries e forma um Grande Trígono em Ar, com Júpiter em Libra e Marte em Aquário, Grande Trígono que dá origem a uma Pipa, da qual o foco é a conjunção Sol-Saturno em Sagitário. Isso indica que temos uma colheita de oportunidades sociais, de interagirmos amplamente tanto local, quanto num sentido mais amplo e global. A superficialidade do Grande Trígono é compensada pela oposição da Lua a Saturno, como foco da Pipa: não há espaço para coisas rasas aqui, os fatos precisam ser analisados, digeridos e aprofundados de maneira a embasar e ampliar um conhecimento mais consistente, interações mais coerentes, corretas e éticas. Saturno sugere ainda que tenhamos cautela nessas interações, que estejamos muito cientes de nossas conexões e que não sejamos levianos no que dizemos e com quem nos relacionamos.

Alfredo Araujo Santoyo - Reprodução
Alfredo Araujo Santoyo – Reprodução

A Lua participa de outras configurações e forma uma T-Square Mutável da qual Quíron é o foco. Talvez tenhamos que lidar com uma colheita que é menos do que perfeita, que nos lembra que algo foi avariado, estragado, irremediavelmente nas nossas aspirações da Lua Nova. Talvez sejamos – e certamente já estamos – confrontados com muitos dissabores e decepções nas nossas expectativas, tanto aquelas lá do início do ciclo, quanto algumas mais antigas, relativas ao ano que se fecha. Mas sempre que falamos de Quíron, falamos também da empatia, falamos de humildade e aceitação do nosso lado mais humano e falível. E falamos também de cura, que só vem depois dessa aceitação humilde. Assim, a Lua Cheia nos aponta para a necessidade da aceitação humilde dessas coisas que estão além do nosso controle pessoal; de reconhecer e assimilar nossas feridas, porque elas apenas nos lembram de nossa humanidade. Falando em bom português: aceita, que dói menos!

Lua Nova em Sagitário - Brasília, 29 de novembro de 2016, 10h18min
Lua Nova em Sagitário – Brasília, 29 de novembro de 2016, 10h18min

É interessante notar que este ciclo, iniciado com a Lua Nova de Sagitário, trazia a influência difusa mas perturbadora de Netuno, como já disse acima, como único aspecto feito pela Lua de então. Eu dizia no texto da Lua Nova dos riscos de nos iludirmos, da propensão à desilusão, além de outras coisas. Agora, a Lua Cheia acontece em oposição a Saturno e quadratura a Quíron, dois “caras” que sempre nos lembram de nossas inseguranças, limites, problemas, mazelas e falibilidade… É como se essa lunação viesse mesmo fechar com chave de ouro este ano tão triste, pesado e sombrio, um ano de grandes perdas, de muitos desmantelos, que foi marcado e colorido pela quadratura Saturno-Netuno, configuração que mesmo já estando distante, ainda tem seus temas relembrados pelas ilusões da Lua Nova (Netuno), desmontadas pelo realismo da Lua Cheia (Saturno). Esse foi um ano de muitos aprendizados e o maior deles foi acordar das ilusões, cair na real, ver sonhos e esperanças desfeitos diante dos nossos olhos. E este tema se repete no último ciclo do ano, com essa ênfase de Netuno na Lua Nova e o destaque de Saturno na Lua Cheia.

Reprodução
Reprodução

Entretanto, esta ênfase em Ar e Fogo e na conjunção Sol-Saturno nos lembra, mais do que nunca que, a despeito de tudo o que vimos, ouvimos e vivemos de pesado e difícil neste ano, a vida continua. E que não podemos ficar soterrados sob os escombros de 2016. Precisamos usar tais escombros na reconstrução do futuro ali adiante, imbuídos de uma esperança realista, como já enfatizei em outros textos, de um otimismo muito pé-no-chão. Afinal, tudo o que passamos, tanto em nível pessoal quanto social e coletivo pode ter sido devastador, mas também nos trouxe maturidade. Falando especificamente do Brasil, estamos todos insatisfeitos, desolados, indignados e revoltados com a forma de se fazer política, com esse mar de lama em que temos visto os poderes da república chafurdando nos últimos meses e anos… Mas eu ainda acho que é melhor estarmos cientes de tudo isso do que vivermos naquela bolha ingênua de antes – pelo menos alguns viviam – quando não sabíamos de tudo o que se passava. Por mais desolador que seja, esse confronto com a verdade era necessário e inevitável. E isso não pode nos fazer perder a esperança de dias melhores, uma melhoria pela qual precisamos nos responsabilizar, em todos os níveis da nossa vivência, desde o nosso comportamento no dia a dia, nossas práticas profissionais e de cidadãos, nossa ética nessas práticas e relações e por aí afora.

Douglas Smith - Reprodução
Douglas Smith – Reprodução

Mercúrio, regente e dispositor da Lua Cheia, está em Capricórnio, conjunto a Plutão, prestes a entrar em retrogradação – dia 19 de dezembro – e atualmente Fora dos Limites do Sol nas declinações. Mercúrio e Plutão são os únicos pontos em Terra, o que lhes dá realce especial. É, este Mercúrio faz pensar! Todas as últimas retrogradações de Mercúrio se deram em contato próximo a Plutão, ou quando ele estava ficando retrógrado ou quando estava voltando ao movimento direto. Particularmente, na retrogradação de janeiro deste ano, Mercúrio voltou ao movimento direto a 14°55’ de Capricórnio em conjunção a Plutão. Agora, Mercúrio fica retrógrado a 15°07’ de Capricórnio, apenas a 12 minutos de distância do mesmo ponto e, mais uma vez, em conjunção a Plutão. Isso sugere que além da regular revisão mental simbolizada pelo movimento retrógrado de Mercúrio, estamos sendo chamados, de novo e de novo, repetidamente, a transformar nossa forma de pensar o mundo, a quebrar paradigmas conceituais, a modificar a maneira como absorvemos informações, a ter, mais do que nunca, senso crítico e honestidade na comunicação e processamento de ideias, fatos, informações. E nessa Lua Cheia estamos assoberbados de ideias e sentimentos difusos, ansiedades e inquietações.  Contudo, precisamos voltar ao básico, conter pré-ocupações e conjecturas irreais e ater-nos ao real. Mercúrio está Fora dos Limites do Sol Sagitariano; está em Capricórnio e conjunto a Plutão, virando a esquina da retrogradação… Uma retrogradação que vai causar rebuliço e trazer à tona revelações que continuam a detonar o poder estabelecido. Mercúrio Fora de Limites está se lixando para regras e controles, em Capricórnio, ele vai buscar deturpar ou questionar exatamente essas regras que se provarem vazias, hipócritas e sem sentido. Apesar da ênfase em Fogo e Ar, o espírito precisa se atentar aos limites da matéria, representada por Saturno e por Mercúrio-Plutão em Capricórnio.

Reprodução
Reprodução

“Três bruguelos num ninho no alto de uma árvore” é o Símbolo Sabiano para o grau 23 de Gêmeos (22°25’). Um símbolo que nos reporta às qualidade do Ar. Dane Rudhyar nos diz que a nota chave deste símbolo é o “crescimento dos processos espiritualmente criativos, numa mente que finalmente está relativamente integrada”. Ele vai em frente e nos lembra que no simbolismo tradicional, as aves geralmente representam o mundo e as forças espirituais ou os aspectos mais elevados da mente humana. Os bruguelos, que são filhotes ainda sem plumas, referem-se a algo incipiente, “o início de um processo no que também poderíamos chamar de ‘câmara superior’ da consciência, onde o poder criador do espírito pode ser recebido e assimilado. Fecundado pelo espírito e apoiado por uma tradição cultural e vitalista profundamente enraizada, o homem pode gradualmente desenvolver uma personalidade integral”. É curioso notar ainda que os filhotes são três, o número da Trindade Divina, que se origina do Um. O Pai, o Filho e o Espírito, que na Doutrina cristã são três expressões diferentes da mesma pessoa, a Unidade.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Colocando a imagem deste símbolo com a análise que fazíamos da Lua Cheia, uma Lua Cheia de Ar-Fogo, a última Lua Cheia do ano e que, portanto, conclui as lunações de 2016, podemos dizer que todos os aprendizados que vivenciamos ao longo deste ano difícil foram etapas importantes na integração da nossa consciência incipiente de humanos em busca de evolução; um processo que está apenas no começo do despertamento, como filhotes que acabaram de nascer e carecem de plumas e de cuidados. Como diz Rudhyar, este é o início de uma integração relativa da consciência. Eu diria que tal integração tem a ver, principalmente, com o confronto dos reinos do espírito e da matéria, das esferas do real e do irreal, como simbolizados por Saturno-Netuno. Assim, longe de nos abater, tal desencanto e despertar para o real devem sim, ser motivo de celebração. Por mais dolorosas que tenham sido as lições, elas fazem parte de um processo de integração, despertamento e humanização – talvez estivéssemos por demais anestesiados no nosso egocentrismo narcisista, consumidores histéricos a olhar somente as próprias “necessidades”, ditadas por um mercado perverso, fabricante inveterado da ilusão da felicidade comprada. Sim, precisávamos de doses cavalares de realidade e cá estamos nós, sorvendo desse elixir amargo, mas necessário. Novamente: quando a gente aceita, encontra forças para lidar com o problema e mudar. Aceita, que dói menos!

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

Concluindo, a Lua Cheia de Gêmeos fecha a contento a temática mais importante do ano: o confronto do real, o despertar das ilusões, auto-criadas ou não, e a consequente integração desses conteúdos difíceis de assimilar. E lembrando o mote básico de Saturno em Sagitário: “A verdade te libertará, mas primeiro vai te desestabilizar”. O Sol em Sagitário nos fala para olhar o futuro com esperança e fé, mas a presença de Saturno tão enfatizada nessa Lua Cheia nos lembra que essa esperança não pode ser ingênua e tola. Vimos, ouvimos e vivenciamos demais e não podemos esquecer porque tudo isso está entranhado em nós; aliás, não devemos esquecer, para não cometer os mesmos erros lá na frente – eu digo sempre, se é para cometer erros, pelo menos que sejam erros novos! A Terra continua a girar – pelo menos por enquanto – e o mundo segue em frente! Enquanto há vida, há esperança! O Espírito continua a dar vida à matéria e, aos trancos e barrancos, a vida viceja em todo lugar! Celebremos isso!

Um ótima e realista Lua Cheia para você!

Reprodução
Reprodução

A Semana Astrológica – O deserto que somos nós

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

Semana de 5 a 11 de dezembro – Semana de prosperar, de alavancar nossos propósitos com consistência, disciplina e perseverança! Sem perder a esperança, sintonizando-nos com um otimismo realista!

Semana de Quarto Crescente, que sinaliza um momento no ciclo em que encontramos uma crise na realização dos nossos propósitos, momento que requer ajustes e negociação. Precisamos ajustar esses planos e propósitos à realidade, trabalhar por eles com perseverança e disciplina; passar nossa visão de futuro e nossas crenças pelo crivo do realismo e do pragmatismo; perseverar na esperança, mesmo que ela pareça duvidosa no momento; sobretudo, assumir a responsabilidade e o trabalho requerido por aquilo que queremos realizar, pelo destino onde queremos chegar e aquilo que queremos ser. Tudo isso é representado pela conjunção Sol-Saturno ocorrendo nesta semana, um contraponto bastante significativo em relação à sensibilidade e incerteza da semana passada, que foi grandemente colorida por Netuno. A visão de futuro e a fé Sagitarianas são buriladas pelo bom senso e realismo do Mestre do Tempo e isso nos traz de volta à terra e às nossas possibilidades reais. É hora de nos sintonizar com a disciplina, a paciência, a firmeza e a dedicação que existem em nós: resiliência sim, reclamação, não! Mas o Sol também conversa harmoniosamente com Júpiter, que também está em aspecto favorável ao mesmo Saturno, claro! Isso nos sugere a possibilidade de lidar com a realidade de maneira tranquila, com alegre aceitação e o firme compromisso de modificar as facetas dessa realidade que não nos favoreçam. Aceitamos e cooperamos com ela, buscando as oportunidades de melhorá-la. O Sol fecha a semana já em aspecto favorável a Urano, aspecto que se completa na semana que vem. Pondo tudo junto, Sol, Júpiter, Saturno e Urano, a semana oferece chances de nos empenharmos e comprometermos com o futuro auspicioso que queremos para nós, percebendo que ele não se fará sozinho, nós é que teremos que construí-lo e assim, angariamos toda a nossa disposição e nos colocamos a caminho!

Norman Duenas, artista americano - Reprodução
Norman Duenas, artista americano – Reprodução

Mercúrio, que já está na zona de retrogradação desde o dia 1° de dezembro, aos poucos vai desacelerando e nesta semana sensibiliza-se e torna-se ligeiramente mais empático no contato com Netuno. A brusquidão e secura da comunicação Capricorniana é suavizada, de modo que conseguimos perceber que existem outras coisas para além da apresentação dos resultados numéricos e frios. A concentração mental pode também ser enriquecida por outros tons além do cinza escuro do concreto que buscamos erigir do chão dos nossos objetivos. E então percebemos que os planos a obra não serão menos sérios se forem finalizados com beleza e sensibilidade. Mercúrio entra em movimento retrógrado no dia 19 de dezembro, a 15°07’ de Capricórnio e volta ao movimento direto em 08 de janeiro, a 28°51’ de Sagitário. A zona de retrogradação vai, então, de 1° de dezembro (quando Mercúrio passou direto, pela primeira vez, pelo grau 28°51’ de Sagitário) a 27 de janeiro (quando Mercúrio ultrapassa o grau 15°07’ de Capricórnio, onde havia ficado retrógrado). O período mais crítico, obviamente, é o período em si da retrogradação. Em Capricórnio implica fazermos revisões acerca de nossos conceitos, atitudes e posturas no que tange a nossos objetivos mundanos de longo prazo, à nossa posição e papeis na sociedade – quaisquer que sejam eles – à nossa relação com o que chamamos de realidade; nossa relação com o tempo objetivo; nossa relação com o mundo dos negócios e das grandes corporações, grandes estruturas e hierarquias; revisão sobre como vemos nossa carreira, profissão, status social, contribuição que damos à sociedade. E, claro, tem a ver também com a casa do mapa natal em que a retrogradação de Mercúrio se dará.

Reprodução
Reprodução

Vênus ingressa em Aquário e nossos valores e amores ganham um tom progressista, libertário e mais desprendido. Estamos menos apegados e mais compreensivos quanto ao direito de ir ou de ficar, de querer ou “desquerer”, porque nos damos conta de que afinal, ninguém é de ninguém; os contratos sociais servem apenas de formalidade e de nada valem se o sentimento verdadeiro não estiver por trás de tais arranjos – aliás, quem quer tais arranjos se eles não são baseados na verdade do que se é? A Vênus Aquariana é, definitivamente, mais desapegada e desprendida e colore as relações de maior leveza e liberdade, primando pela compreensão mútua e pelas afinidades de ideais. Às vezes pode ser adepta do poliamor ou simplesmente gostar de experimentar, porque, na verdade, ela detesta rótulos, detesta ser enquadrada nesta ou naquela classificação, porque entende que todos somos livres para ser o que quisermos, quando quisermos, com quem quisermos, SE quisermos!

sol-marte-saturno-jupiter-uranoMarte, o Senhor da Vontade, está atualmente em recepção mútua com Urano, visto que Marte rege Áries, onde Urano trafega atualmente e Urano é co-regente de Aquário, a casa correntemente ocupada por Marte. Ambos estão em mútua cooperação e camaradagem, influência que se cristaliza um pouco mais nestes dias, porque eles resolvem bater um papo sobre seus ideais revolucionários. Marte ainda se separa de aspecto também positivo ao outro co-dispositor, Saturno, com quem também teve uma conversa harmoniosa dias atrás, além de também conversar com Júpiter. Assim, novamente, temos outra equação bastante auspiciosa nos céus destes dias: Marte, misturado com Júpiter, Saturno e Urano, os mesmos camaradas com quem o Sol está em diálogo – o Sol, aliás, fará sextil a Marte daqui a algumas semanas, no fim de dezembro. Os contatos feitos por estes planetas formam a imagem de um Trapézio, uma forma geométrica em que dois lados são de igual tamanho, tendo uma base menor e outra maior. É interessante notar que os dois planetas pessoais masculinos o Sol e Marte, estão ambos envolvidos com os dois planetas sociais, um que representa os limites e responsabilidades (Saturno) e outro que representa a necessidade de crescimento e expansão (Júpiter) e ainda adicionamos o transpessoal, Urano, que implica em mudanças para além do escopo indivíduo-sociedade, atingindo o coletivo de forma ampla, na esfera física, mental, espiritual e transgeracional. Júpiter e Urano estão atualmente em oposição, um aspecto que simboliza a capacidade de nos liberarmos de muitas restrições que antes impediam nosso crescimento, restrições impostas por leis ou costumes, modos de visão ou percepções e crenças ultrapassadas e estagnadas.

Laser Bread - Reprodução
Laser Bread – Reprodução

Sol e Marte em contato benéfico com ambos indicam que podemos trazer tais mudanças para o âmbito da vontade pessoal e, ao invés de nos sentirmos vítimas das mudanças coletivas, podemos fluir com elas e incorporá-las em nossa vida, adaptando-nos e utilizando-as a nosso favor. A presença de Saturno, que está em trígono a Urano por várias  semanas, nos garante que isso seja feito de forma estruturada, coesa, sem necessidade de rupturas destrutivas com o que já foi construído e que ainda é útil e adequado. Visto no sentido contrário, podemos dizer que nossos propósitos e vontade pessoais podem nos impulsionar a romper com paradigmas limitantes e estagnados, de forma que avancemos para um novo mundo e uma nova realidade. O que sugere que temos a promessa e a capacidade de permitir que o velho e o novo dialoguem dentro de nós, assim como, no mundo lá fora; podemos efetivar esta novidade harmoniosamente e ela então coexistirá com a solidez daquilo que já é. O que será, nasce daquilo que é, num processo de progressão em espiral contínua e não circular. Se tais promessas se concretizarão, de fato, depende de nosso esforço e empenho pessoais – sextis e trígonos são aspectos ditos “benéficos”, mas são passivos, ou seja, se não nos mexermos, os potenciais não se manifestarão. Essa configuração traz a promessa de nossas ideias saírem da formulação e alçarem voos mais altos, até pousarem em terremos onde possam ser concretizadas.

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana na fase Semi-Crescente, em Aquário. Formaliza a fase do Primeiro Quarto em Peixes, enche-se ímpeto em Áries e fecha o período já em Touro, confortável e preguiçosa no domingo. Nesta caminhada ela conversa com todos os demais corpos celestes. A Lua será Cheia na terça-feira, dia 13 de dezembro, às 22h05min (dia 14/12, à 00h05min para Lisboa), a 22°25’ de Gêmeos.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 05 de dezembro – A Lua está em Aquário, conjunta a Marte e também dialogando, harmoniosamente, com seus co-dispositores, Saturno e Urano e ainda em aliança com Júpiter em Libra. Fica vazia depois da conversa com Urano, às 09h24min. Ingressa em Peixes somente na madrugada de terça, portanto, tempo praticamente o dia todo de Lua Fora de Curso.  A madrugada de segunda traz sonhos auspiciosos, imagens bem elaboradas de planos venturosos, visões de um outro mundo, melhor e mais evoluído. Imbuídos e estimulados por tais imagens e auspícios, começamos a semana com energia positiva e cheios de ânimo. Entretanto, o dia pede paciência com nossa impaciência e ansiedade. É como se, logo após iniciarmos as atividades, precisássemos parar e rever os planos, colocar tudo no lugar, burilar os insights e intuições, certificar-nos de que temos todas as ferramentas e recursos necessários para por em prática tais ideias luminosas . Embora o dia não esteja favorável à ação direta e imediata, está sim, propício à observação dos pensamentos, emoções e sentimentos, das ideias e clarões que surgem em nós ou mesmo à nossa frente, como acontecimentos fortuitos e aparentemente sem importancia. A observação e identificação dos padrões pode nos ajudar a construir novas estratégias na execução dos objetivos. A ação mesmo fica para depois – o dia é adequado à observação da subjetividade, da elucubração das ideias e intuições. Em termos práticos as influência pedem flexibilidade e abertura a imprevistos e ao inusitado. Coisas inesperadas podem acontecer, mas, ao invés de nos irritarmos, procuremos aprender com elas e delas tirar proveito.

Reprodução
Reprodução

TERÇA-FEIRA, 06 de dezembro – A Lua abre o dia fora de curso em Aquário e ingressa em Peixes às 02h31min, de onde logo se indispõe com Júpiter em Libra. Mais tarde a Lua conversa com Mercúrio em Capricórnio e à noite está fundida a Netuno. Marte segue em direção ao sextil a Urano, aspecto exato amanhã, enquanto o Sol se aproxima da conjunção a Saturno. A sensibilidade está favorecida no dia de hoje e a melhor parte é que nossa mente está afiada, concentrada e pragmática, mas está também em boa sintonia com os ritmos orgânicos e com o coração, de modo que sentimos que o dia flui e se desdobra de maneira hamônica e tranquila. Há bons palpites sobre os melhores e mais inovadores métodos de realizar nossso desejos e intentos. A intuição acurada é somada à sensibilidade refinada, o que nos traz uma sensação de bons presságios, de expectativa positiva, de coisas boas por acontecer. À noite a percepção e receptividade aumentam, ampliando os sentidos e impressões, de modo que captamos com maior facilidade as influências que boiam na atmosfera. Apesar da sensação de vulnerabilidade, temos os pés no chão e uma adequada ancoragem, sendo capazes de ser corentes, sem nos deixar levar por fantasias nebulosas, ao contrário, integrando o realismo com as percepções, o que enriquece nossa experiência e capacidade de leitura e interpretação do mundo e dos eventos. Quem souber respeitar tais percepções e intuições poderá se beneficiar bastantes delas, achando as respostas que buscava de formas inusitadas e inesperadas, no mínimo vivenciando um dia com mais cor, mais doçura, mais delicadeza, sem perder-se de si mesmo e sem perder o senso da realidade.

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 07 de dezembro – A Lua Pisciana faz quadratura ao Sol Sagitariano, formalizando o Quarto Crescente. Ela também se harmoniza com Plutão, se irrita com Júpiter e leva bronca de Saturno, ficando vazia depois deste aspecto, às 12h06min. Mais tarde a Lua ainda faz conjunção a Quíron. Vênus ingressa em Aquário às 12h52min e Marte está em sextil partil a Urano, com quem está, também, em recepção mútua. Chegamos ao Quarto Crescente, quando nossos projetos encontram desafios que nos fazem parar e rever nossas estratégias. Encontramos bifurcações na estrada que podem nos deixar confusos e incertos, ponderando sobre pistas eventuais que tenhamos interpretado erradamente… Agora nossas certezas são entremeadas por algumas dúvidas e talvez precisemos de uma ação mais drástica e decisiva. Contudo, antes das decisões drásticas: precisamos rever nossos anseios e grandes ideais, controlar a enorme inquietude e as possíveis insatisfações que tais ideais e anseios geram no confronto com a realidade do dia a dia. A Lua ficando Crescente em Peixes pede que refinemos as grandes visões germinadas em Sagitário; que burilemos cuidadosamente a vivacidade e os ímpetos do fogo mutável e que entremeemos esse grande propósito com sensibilidade, compaixão e empatia, sem permitir que tais qualidades nos amoleçam ou nos fragilizem, antes, que sejam combustível para nos tornar mais fortes, lembrando que só os verdadeiramente fortes são capazes de ser gentis. Há gmuita força transformadora, necessidade de ser responsáveis por nossos desejos e de enfrentar a realidade das nossas limitações. Ainda assim, nada disso precisa ser impedimento para a realização e efetivação da nossa busca. A tarde está favorável à meditação do grande significado dessas mesmas limitações: o que elas têm a nos ensinar?

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 08 de dezembro – A Lua está fora de curso em Peixes e ingressa em Áries às 08h16min, de onde tem uma conversa direta e desapegada com Vênus em Aquário. Mais tarde ela tem uma discussão dura e belicosa com Mercúrio em Capricórnio. Marte vai se distanciando de Urano, Júpiter, e Saturno. O dia começa meio confuso e paradão, como se tivéssemos caído do caminhão da mudança, no meio de lugar nenhum… Mas logo recobramos nossos sentidos e damos ignição ao dia e às atividades, encontrando nova energia, disposição, combatividade e coragem. Temos pressa em avançar, mas achamos tempo de socializar com aqueles que nos importam, encontrando prazer em interações que dão alegria ao dia. À noite o clima fica tenso e propenso a discussões duras e inflamadas. A cabeça quer uma coisa e o coração quer outra, instintos e razão fora de sintonia, o que nos leva a possíveis conflitos com o mundo que nos cerca, por não dirimir o dilema interno. As emoções estão em ebulição e diante de discordâncias, reagimos de forma irracional e desproporcional, provavelmente imaturamente, para choque e surpresa daqueles próximos a nós. Talvez precisemos mesmo dar um passo atrás e admitir que podemos estar errados e que mudar de opinião não precisa ser um problema. As emoções e opiniões talvez oscilem, portanto, antes de nos comprometer rigidamente com qualquer coisa, é preciso observar se aquilo realmente está alinhado com nossos valores mais profundos, para não corrermos o risco de decidirmos baseados somente em emoções e reações passageiras.

Tory Island, Ireland, 1995 - tirado de the New Yorker - Reprodução
Tory Island, Ireland, 1995 – tirado de the New Yorker – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 09 de dezembro – O Sol está em sextil pleno a Júpiter, seu dispositor, que recebe a oposição da Lua Ariana, que também briga com Plutão, mas se entusiasma com Sol e Saturno e ainda se une a Urano. A Lua ainda dialoga com seu dispositor Marte e fica vazia depois deste contato, às 23h08min. Energias bastante combustíveis, é o que temos no menu do dia. Deparamo-nos com algumas crises que exigem de nós presença de espírito e decisões rápidas, além de atitude honesta e autêntica. Mas não tem problema, porque disposição é o que não nos falta hoje. Há uma gradiosidade de atitude, amplitude de movimentos e confiança na vida e no futuro, que nos fazem abraçar os desafios com entusiasmo e coragem – talvez até de maneira exagerada, meio gabola, o que pede alguma contenção para não nos precipitarmos e metermos os pés pelas mãos. Se conseguirmos esse mínimo de contenção, estamos aptos a identificar muitos dos entraves que nos prendem ao passado, às velhas artimanhas e desculpas pobres e caquéticas, a ponto de dar o salto de fé que precisamos, apostando alto que conseguiremos chegar do outro lado, transpondo muros, limites e barreiras que já não fazem mais tanto sentido, que só existiam na nossa mente e percepção – a percepção se aviva e vê além da ilusão repetida dos espelhos do labirinto das nossas falíveis crenças, estilhaçando-se diantes de nossos próprios olhos, abrindo portas e janelas que descortinam novos cenários, caminhos invulgares e insólitos para nós, se apenas ousarmos dar o primeiro passo na direção da ruptura do espelho viciado para repetir o mesmo cenário “adequado” e aceitável… Os muros e limites, o adequado e o aceitável, nos servirão de trampolim a nos dar o impulso e a força de que precisamos para ir além do improvável, adotar caminhos e soluções não trilhados e ainda não experimentados, até que a transformação ocorra de fatom – é unir o útil e necessário ao agradável; é pisar no solo firme para alçar vovos mais altos.  O dia está propício a este movimento e a estas identificações, cabe a nós encarar o desafio!

Avery Palmer - Reprodução
Avery Palmer – Reprodução

SÁBADO, 10 de dezembro – É dia de Saturno que recebe a conjunção do Sol Sagitariano. Mercúrio está em conversa sensível com Netuno, representado por um sextil, exato hoje. Enquanto isso, a Lua Ariana segue vazia na madrugada e ingressa em Touro somente às 10h41min, de onde logo fecha o tempo com sua senhoria, Vênus em Aquário. A Lua encontra distúrbios inconscientes no contato com Saturno e Sol e, devido a este aspecto ao Sol, entra na fase Corcunda. Este é um dia para voltar a atenção para nossos propósitos de longo prazo, verificando, com vagar e muito apreço, o esforço e comprometimento que eles vão requerer de nós e percebendo que os resultados serão duradouros, quaisquer que sejam esses resultados, bons ou ruins. É um ótimo dia para nos olhar no espelho com realismo, congratulando-nos por tudo aquilo que já realizamos, por tudo o que já crescemos e amadurecemos e percebendo com clareza e simplicidade onde ainda precisamos melhorar, quais inseguranças ainda precisamos superar. Diferenciar entre o que é real e o que não faz sentido nenhum para nós. Perceber quais medos e crenças, limitantes ou não, continuam a nortear nossas vidas e buscar modificá-las (quando for o caso) de acordo com os novos rumos que queremos dar aos nossos passos. Perscrutar o vazio interno, esvaziar-nos das visões enganosas que porventura tenhamos sobre nós mesmos.

Reprodução
Reprodução

Pode ser que haja um sentimento desconfortável de solidão e isolamento, mas isso é um lembrete de que de fato, nascemos e morremos sós, e de que precisamos conviver conosco mesmos, sem fugir de tal sensação, antes, abraçando a integralidade do ser que somos nós – porque em nós há uma multitude de seres e de dons. É perceber-se na vastidão e solidão do deserto interior e entender que, paradoxalmente, no fundo, não estamos sós, estamos em nossa própria companhia e a vida, essa vida infinita, também nos faz companhia e nos presenteia com o que precisamos. A solidão da qual reclamamos, pode trazer, na verdade, a paz de que tanto precisamos. Dar-nos conta de que o que precisamos já temos dentro de nós, todos os recursos estão aí, sempre estiveram, só precisamos acessá-los e desenvolver consistência e autossuficiência, algo difícil, mas possível. Achar o oásis dentro de nós, porque é inútil ir procurar lá fora! A Lua ajuda a dar corpo e base para as resoluções tomadas pela consciência, de modo que podemos realmente aproveitar essas influências para planejar o ano à frente, para buscar aplicar nossa visão de futuro de forma bem concreta e efetiva e para nos dedicar ao trabalho e aos objetivos, seriamente, comprometidamente!

Ilustração do poema de Cecília Meireles "Ou isto ou aquilo" - Desconheço o autor - Reprodução
Ilustração do poema de Cecília Meireles “Ou isto ou aquilo” Desconheço o autor – Reprodução

DOMINGO, 11 de dezembro – De Touro a Lua se harmoniza com Netuno e depois, mais visceralmente, com Plutão. Depois ela tem interações irritantes com Sol-Saturno e Júpiter, que estão os três, em harmonia entre si, tornando a Lua foco de um Yod-Dedo de Deus. A Lua se afina também com Quíron e como este recebe quincunce de Júpiter, Júpiter vira também foco de outro Yod por algumas horas. A Lua fecha a noite em quadratura não exata a Marte enquanto o Sol está bem próximo do trígono a Urano. O dia está preguiçoso e lento e queremos apenas sombra e água fresca… Entretanto, parte de nós gostaria de viver algumas aventuras, de encontrar pessoas novas e ampliar o escopo de atuação e das atividades… Um dilema que traz desconforto para a alma e o espírito, porque então ficamos inquietos, sem saber se descansamos e nos refestelamos no sossego da indolência ou se atendemos ao apelo de uma aventura não planejada; “ou guardo o dinheiro e não compro o doce ou ou compro o doce e gasto o dinheiro”… Esse desconforto fica mais agudo à tarde e pode se refletir na siesta domingueira sendo perturbado pela música alta do vizinho, pela balbúrdia dos parentes ao redor de um jogo qualquer, pela turma querendo experimentar algo novo… Quando tudo o que queríamos era ser deixados em paz… Ou talvez seja o contrário – nós estamos mais aventureiros enquanto os outros estão mais acomodados… O certo é que pode haver desencontros e inseguranças nas interações, a ponto de nos sentirmos deslocados em alguns momentos, talvez nos arrependendo de estar ali, com aquela sensação chata de desencaixe. Mas nada precisa ser levado tão a sério… Se formos flexíveis, mesmo o programa que parecia ter desandado de vez pode, de fato, se revelar uma surpresa ou, no mínimo, um aprendizado na arte da convivência e da mediação de vontades e desejos. Nem tudo precisa ser levado a ferro e fogo! A rigidez de opinião e de posturas não levará a lugar nenhum e talvez nos faça parecer mais imaturos do que realmente somos.

Uma excelente semana para você!

Sempre gratidão por sua companhia neste blogue! Deixo-vos com o poema de Cecília Meireles, que traduz bem o clima do domingo:

Ou isto ou aquilo

Cecília Meireles

Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Becca-Standler - Reprodução
Becca-Standler – Reprodução
Reprodução
Reprodução

A Semana Astrológica – Miragens à vista!

Reprodução
Reprodução

Semana de 28 de novembro a 04 de dezembro – Dias de se renovar o otimismo, o entusiasmo e a fé na vida! De regenerar nossa coragem e esperança! Contudo, é preciso cautela com as miragens!

O ano está acabando e muitos dizem “ufa!” porque o ano foi mesmo uma paulada, da qual ainda estamos nos recuperando, meios zonzos e receosos de ser atingidos novamente. Vale adiantar que 2017 ainda traz muitos desafios (o texto está o forno), mas será sim, um pouco mais leve do que 2016. Aliás, 2016 é fechado com chave de ouro, porque dezembro, que está começando, traz alguns aspectos desafiadores e, ao mesmo tempo, muito estimulantes. Vamos dar uma olhada na agenda estelar de dezembro?

02 – Mercúrio ingressa em Capricórnio – onde ficará retrógrado

02 – Marte faz trígono a Júpiter

03 – Marte faz sextil a Saturno

07 – Vênus ingressa em Aquário

14 – Lua Cheia em Gêmeos

19 – Marte ingressa em Peixes

19 – Mercúrio entra em retrogradação a 15° de Capricórnio

21 – Solstício de Verão Hemisfério Sul (Inverno Hemisfério Norte) – O Sol ingressa em Capricórnio

25 – Saturno em trígono exato a Urano

26 – Júpiter em quadratura exata a Urano

29 – Urano volta ao movimento direto

29 – Lua Nova em Caprícórnio

Como se vê, Urano estará bastante ativado neste mês, representando possibilidades de mudanças importantes nas nossas perspectivas de futuro e nas revoluções pessoais ou coletivas. É um mês que fecha o ano com um otimismo sutil, face aos tempos tenebrosos que vivemos desde 2014…

Brooke Shaden Photography - reprodução
Brooke Shaden Photography – reprodução

Mas voltemos à presente semana! O Sol ingressou no signo do Arqueiro e por estes dias se embrulha em muitas ilusões, fantasias, visões mágicas e miragens, tudo isso representado pela quadratura a Netuno… Cuidado com propósitos ilusórios, com falsas promessas e, principalmente, com os auto-enganos. Netuno tem uma forte influência em toda a semana e no ciclo como um todo, porque a Lua será nova em Sagitário na terça-feira, tendo como único aspecto essa quadratura a Netuno: um ciclo para se olhar para o futuro, para apontar nossas flechas para o infinito, para reavivar nosso otimismo, mas em que precisamos navegar de olhos muito abertos, aprendendo a fluir e mergulhar, divisando redemoinhos e rebojos traiçoeiros, diferenciando desejos e objetivos válidos daqueles que são verdadeiras sumidouros de energia e recursos, ou seja, barcas furadas. Otimismo é um coisa, ingenuidade é outra bem diferente!

Kit Photos - Reprodução
Kit Photos – Reprodução

Mercúrio ingressa em Capricórnio na sexta-feira, dia 2, onde ficará retrógrado no dia 19 de dezembro. Retorna a Sagitário no dia 04 de janeiro e volta ao movimento direto no dia 08 do mesmo mês. Ingressa em Aquário em 07 de fevereiro. Em Capricórnio, Mercúrio sinaliza uma comunicação sóbria e circunspecta.  A mente trabalha de forma concentrada e se volta para as coisas práticas, para se ter segurança e estabilidade, além de desenvolver estratégias que nos permitam progredir no trabalho e conquistar status social. Mercúrio no signo da Cabra detesta o nonsense: a mente e a comunicação são programadas para serem realistas, diretas e decididas, não tem volteios, não tem “mas nem meio mas”. Logo que ingressar neste signo Mercúrio ficará bastante isolado por alguns dias, praticamente sem aspectos, o que sugere muita concentração e excessos nas análises mentais; podemos também nos expressar no extremos oposto: falando em demasia ou de forma muito dura e pessimista a respeito do que vemos e ouvimos. Mas esse “pessimismo” e excessso de realismo podem nos ser muito úteis e nos propiciar ancoragem num ciclo que tem muito para ser fantasioso e propenso a miragens e a planos mirabolantes sem muito lastro ou substância. Mercúrio nesta posição pode ajudar a manter a cabeça no lugar.

tirado de Highlike-Sten-lex - Reprodução
tirado de Highlike-Sten-lex – Reprodução

Vênus em Capricórnio, depois de amalgamar-se a Plutão e regenerar nossa paixão, defronta-se agora com os desafios de reaver sua individualidade na figura de Urano em Áries. Comprometemo-nos ou buscamos mais espaço, independência e liberdade? Relações muito rígidas e engessadas, seja pelo tempo ou pela falta de respeito à liberdade e à individualidade um do outro estão sujeitas a crises e conflitos… É preciso encarar as próprias dependências (especialmente financeiras ou materiais), a necessidade de controle, o autoritarismo nas relações e se permitir mais espaço, seja físico ou emocional… Relações que se sustentam somente por causa das aparências, dos costumes ou do status social também ficam na berlinda. Quem quiser ignorar esse chamado, que pague o preço depois!

Reprodução
Reprodução

E de Marte recebemos ótimas notícias! O Planeta Vermelho, que está atualmente ultra idealista e revolucionário em Aquário, faz aspectos harmoniosos a Júpiter e a Saturno, seu dispositor tradicional. Júpiter, que aliás, fica em harmonia a Saturno, seu arqui-inimigo, por muitas semanas: desde meados de outubro até o fim de fevereiro; isso porque esse aspecto é ensaiado, mas não se efetiva ainda, devido à retrogradação de Júpiter, na primeira semana de fevereiro… É como a promessa de uma cooperação ou acordo em que os dois lados nunca conseguem se encontrar para conversar pessoalmente e ficam apenas trocando mensagens indiretas.  O aspecto, um sextil, e a consequente promessa de cooperação fica exato somente em 27/08/2017 mas, de qualquer forma, se faz sentir nestas semanas, mesmo que sutilmente, e sugere a possibilidade de voltarmos a crescer de maneira mais responsável, mesmo que timidamente. Marte funciona como um elo que aproxima os dois nesta semana, pois os três estão em harmonia: Marte faz trígono Júpiter e sextil a Saturno. Assim, nossa coragem e entusiasmo para executar e realizar os objetivos ganham reforços! Estamos mais otimistas e estimulados, sem, no entanto, meter os pés pelas mãos e sem tentar abraçar o mundo com as pernas. Estamos prontos para lutar por nossos ideiais, mas sem cabeça quente ou precipitação. O entusiasmo é bem temperado pela coerência e ainda temos um ótimo senso de timing! O grande idealismo também é mesclado com pragmatismo, de modo os exageros ficam contidos. É um otimismo e um idealismo bem pé no chão e, novamente, esses são ótimos aspectos com que contar no mês de Sagitário, pois as chances de exagerarmos e nos excedermos fica diminuída.

Reprodução
Reprodução

Quíron volta ao movimento direto nesta semana. As feridas recentes já foram suficientemente lambidas e re-significadas. Agora procedemos com a aceitação efetiva e a cura, enquanto nos preparamos para lidar com outros limites e fragilidades. Aos poucos vamos desnudando nossos medos e vulnerabilidades no que tange à dissolução do ego, à resistência a nos soltar e deixar ir o sofrimento desnecessário. Para parar de sofrer, é preciso se desprender e desapegar do sofrimento. A dor é parte intrínseca da vida, mas não é a única parte, embora muitas vezes nos acostumemos demais com ela. Se olharmos por tempo suficiente, veremos que depois da chuva, pode haver o arco-íris!

N. C. Winters - Persistent Gaze - Bein Art Gallery - Reprodução
N. C. Winters – Persistent Gaze – Bein Art Gallery – Reprodução

Assim, gradativamente o céu vai se preparando para aspectos cíclicos formados entre Júpiter-Saturno – já mecionado acima – Júpiter-Urano (oposição) e Saturno-Urano (trígono), que se darão em dezembro, mas que também já são sentidos algumas semanas antes. Essas influências sugerem maior abertura nas oportunidades, assim como chances de nos reestruturarmos, progredirmos e avançarmos em direção ao novo, sem no entanto destruirmos aquilo que nos sustenta; temos também possibilidades ampliar nossa visão de mundo e despertar para cenários, alternativas e probabilidades que antes não enxergávamos… Contudo, Júpiter-Urano simbolizam muita inquietude e turbulência, especialmente no meio político e jurídico, mas também representam chances de ruptura com formas rançosas e viciadas de se fazer a justiça – um sopro de renovação, vendavais que podem ser turbulentos, mas que transformam a paisagem e obrigam a todos a se adaptar e inventar novas maneiras de crescer!

Tirado de Blossonfab.tumblr - Reprodução
Tirado de Blossonfab.tumblr – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica, em Escorpião. Renova-se em Sagitário na terça-feira. Com sobriedade, entra na fase Semi-Crescente em Caprícórnio e fecha o domingo no inovador e sociável Aquário. Na sua jornada ela encontra com todos os demais corpos celestes e com eles trava interações harmônicas ou tensas, sinalizando nossos humores e alterações emocionais.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 28 de novembro – A Lua abre o dia e a semana na fase Balsâmica, fora de curso, em Escorpião e fica nessa condição por todo o dia, ingressando em Sagitário somente às 18h46min. Ainda em Escorpião ela se harmoniza com Quíron e se desentende com Urano (esses aspectos não contam no curso normal da Lua, porque quincunce é aspecto menor e Quíron é asteroide). Vênus em Capricórnio está em quadratura a Urano em Áries e em harmonia com Quíron em Peixes, aspectos exatos amanhã. O dia e a semana começam meio arrastados. Estamos em standby, em compasso de espera e, mesmo tendo muitas demandas e obrigações a cumprir, intuímos que talvez seja melhor mesmo esperar que o tempo clareie e se faça mais nítido. A Lua está escura como breu, reclusa em sua caverna, incomunicável. Está invisível no céu, obscurecida pelo Sol, assim como fica obscurecida nossa objetividade. Dessa forma, ganhamos mais se nos sintonizamos com esse ritmo balsâmico de ser e meditamos sobre as coisas que estão por vir, abrindo espaço, jogando todos os entulhos fora, liberando a escrivaninha, as gavetas, os armários, o coração e a mente de tudo que não serve mais, de tudo que apenas atravanca o livre fluir das energias e das intenções. Limpeza e depuração. Afinal, como podemos segurar as novas oportunidades que estão por vir no amanhã, se nossas mãos estão ocupadas com o liso de ontem ou de muito tempo atrás? Em termos práticos, o dia pede rotina e repouso das expectativas fazedouras. É melhor sentir o clima, sentir a atmosfera antes de se lançar a qualquer empreitada desavisadamente…

Mihai82000.Deviantart - Reprodução
Mihai82000.Deviantart – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 29 de novembro – Vênus torna plena a quadratura a Urano e o sextil a Quíron. A Lua se renova em Sagitário, em quadratura a Netuno, o que pede cautela na forma como vamos realizar nossos propósitos e objetivos neste ciclo. É hora de renovar o otimismo e a fé e se abrir a novas possibilidades de futuro, mas, ao mesmo tempo, não podemos descuidar do bom senso, porque muitas oportunidades de ouro que sugem, podem ser, na verdade, apenas armadilhas para nossa imensa credulidade. Um novo ciclo começa, o ciclo de Sagitário, o momento do ano em que somos convidados a olhar para o futuro cheios de esperança, entusiasmo e alegria! Um período de nos tornarmos mais aventureiros, de correr riscos e nos lançar a novas estradas, a ultrapassar limites que antes nem sabíamos que existiam, ou que não conseguíamos a coragem necessária para transpor. É momento também de rever nossas crenças, nosso senso de ética e de justiça e examinar como estamos exercendo esses valores no mundo – são valores reais e vividos realmente no dia a dia ou são apenas enfeites de um discurso vazio e hipócrita? No que realmente acreditamos, o que mobiliza nossa fé e nosso entusiasmo? A Lua Nova se dá em aspecto tenso a Netuno, requerendo cautela no lançamento das nossas novas intenções, nas sementes que desejamos plantar no novo ciclo. Hámuitas dúvidas, receios, inseguranças… Será que daremos conta? Será que ousaremos correr atrás de nossos sonhos? Serão sonhos válidos? É preciso cuidar para não confundirmos projetos realizáveis com meras miragens, ilusões e fantasias plantados em nosso coração, seja por outros ou por nós mesmos. Excessos de otimismo podem se provar enganadores e problemáticos mais à frente. Extremismos de pensamento, fala ou atitude também precisam ser vigiados, já que Júpiter, regente da Lua Nova, está em quadratura a Plutão e oposição a Urano. A Lua Nova também torna agudas as crises relacionais, simbolizadas pela quadratura Vênus-Urano. Nossas dependências estão na berlinda, assim como relações baseadas puramente nas convenções. Quem somos, quando estamos sós, quando não somos parte de um casal? Ainda temos clareza disso ou nos perdemos no outro, esperando que ele suprisse nosso senso de valor próprio e sanasse nossa solidão crônica?

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 30 de novembro – O Sol Sagitariano está em quadratura a Netuno em Peixes. Em Sagitário a Lua faz conjunção a Saturno e, para equilibrar, ela se harmoniza e se estimula com Júpiter, o dispositor dos dois. Dona Lua ainda conversa, animada e sociável, com Marte em Aquário e fica elétrica no contato com Urano em Áries, mas briga com Quíron, que estaciona às 07h53min, a 20°40’ de Peixes, para voltar ao movimento direto amanhã. O dia traz uma carga nostálgica e meio pesada, uma sensação de letargia e incerteza qe nos faz questionar se estamos no lugar certo, fazendo a coisa certa… Questionar até mesmo sobre quem somos e o que queremos. Sentimo-nos desencorajados e duvisodos, meio tristonhos e talvez até fúteis, com uma sensação de que tudo é muito inútil, tudo é muito fútil na escala maior das coisas e da vida… Quem somos nós, afinal, para querer aspirar a grandes alturas e projetos vultosos? Precisamos pegar leve conosco mesmos e lembrar que nada dura para sempre. Respeitar a letargia e não nos cobrar em demasia. Não levar tudo tão a sério nem mesmo aquela proposta que parece maravilhosa, tanto quanto duvidosa… Lembrar que tudo passa e que nosso humor e disposição podem estar diferentes amanhã é um grande bálsamo e nos dá um senso de perspectiva. Miragens existem e também precisam ser colocadas em perspectiva, tanto as miragens positivas quanto aquelas que nos fazem ver demônios que não existem ou que fazem parecer que nossos problemas são mais medonhos do que realmente são… Ao invés de nos quedar depressivos e sorumbáticos, podemos usar os devaneios – não tão tolos – para investigar o que nos faz sonhar, realmente e, mesmo que tais sonhos e devaneios não sejam, de todo, realizáveis, ainda podem nos fornecer pistar sobre o que nos faz ir além, o que nos faz percorrer mais uma milhar, a despeito do cansaço, da dificuldade, da dúvida… O que nos faz sonhar? O que nos leva adiante? O que nos faz acreditar? Serão sonhos palpáveis ou apenas quimeras? E, em sendo apenas quimeras, em que nos ajudam a descobrir mais sobre nós mesmos e sobre a substância de que somos feitos? Mesmo nossos devaneios mais tolos não podem ser desprezados como inúteis. Eles revelam muito de quem somos e do que realmente desejamos quando estamos distraídos.

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 1° de dezembro A Lua Sagitariana faz conjunção a Mercúrio e fica vazia depois deste contato, às 02h09min. Ingressa em Capricórnio às 06h53min, onde fica muitas horas isolada, sem conversar com ninguém, começando a acenar a Netuno apenas no fim do dia. – Marte em Aquário está em trígono a Júpiter em Libra, aspecto exato amanhã. O dia está ótimo para nos concentrarmos no trabalho, com toda a nossa estamina física e emocional, com o nosso vigor e disposição, sem nos dar tempo ou espaço para distrações e ou perdas de tempo. Depois dos últimos dias de dispersão e sonhos, é como se nos sentíssemos obrigados a recuperar o tempo perdido, a dar de nós tudo o que temos e mais um pouco porque nos lembramos que “sonhos não se materializam, a menos que nós mesmos o trabalhemos nisso”. A concentração é máxima, o a disciplina está no ponto e a persistência muito afiada, de modo que sim, podemos trabalhar, produzir e concentrar nossos impulsos de forma muito prática e objetiva, já divisando como nos aplicar concretamente naquilo que desejamos realizar mais à frente. Os sonhos e visões nascidos do fogo ousado de Sagitário agora começam a tomar forma e se manifestar de forma muito concreta e palpável nas terras rochosas da nossa vontade e determinação. E não permitiremos que nada nem ninguém nos desviem de tais objetivos! Então, podemos nos concentrar de corpo e alma, sangue, músculos e, principalmente, ossos e articulações, naquilo que queremos e buscamos. Primeiro o dever, depois o prazer! Primeiro o trabalho, depois a diversão e a curtição! Mas, não se engane, trabalhamos duro, mas quando paramos para celebrar, celebramos e festejamos mais decidiamente ainda! Aproveite o dia para avançar em tudo o que você achava que estava parado, enganchado, travado ou atrasado! Arregace as mangas e ao diabo com as desculpas esfarrapadas! Trabalhe! Resistência, vigor e entusiasmo não faltarão!

Furstset - Reprodução
Furstset – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 2 de dezembro – Marte em Aquário está em trígono partil (exato) a Júpiter em Libra, que também recebe a quadratura da Lua Capricorniana. A Lua, depois de se suavizar no contato com Netuno em Peixes, empodera-se na conjunção com Plutão e, claro, na quadratura com Júpiter. Mercúrio ingressa em Capricórnio às 19h19min. O dia está, decididamente, sujeito a convulsões, pequenas crises e distúrbios, mas todas essas situações são encaradas como desafios estimulantes e até excitantes, que nos fazem dar o melhor de nós, que buscamos provar nossos próprios limites, não para outros, mas para nós mesmos! Estímulo, otimismo, ousadia e uma saudável inquietude são temperados com a cautela necessária, de modo que ponderamos e nos percebemos capazes de tomar boas decisões, mesmo quando a impaciência ameaça roubar o melhor de nós. Os desafios, longe de nos deprimir ou desanimar, parecem trazer mais impulso e inspiração e nos sentimos particularmente poderosos, vigorosos e capazes de enfrentar o que quer que venha pela frente. E, o que é melhor, não o fazemos somente por nós mesmos e nossos objetivos egoístas. Não, buscamos a melhoria para todos, estamos interessados no que é melhor para o grupo, num crescimento que seja constante, sustentável e perene, porque percebemos que tudo é melhor quando todos estão bem e prosperando. Assim, trabalhamos com resolução, determinação, graça e vigor e nos preparamos para o que der e vier, seja individualmente, seja em equipe. Quem puder, faça seu melhor para não desperdiçar um minuto que seja dessa energia positiva e auspiciosa, uma energia que une inspiração, transpiração e concretização – decididamente, uma fórmula de sucesso, o que quer que sucesso signifique para você!

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 3 de dezembro – É dia de Saturno e hoje ele recebe um contato favorável de Marte, que atualmente é regido por ele. A Lua está em quadratura a Urano em Áries, mas faz conjunção a Vênus, ficando vazia logo depois, às 08h18min. Já vazia, ela faz uma semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Ingressa em Aquário às 17h44min. Um dia para alinhar nossos impulsos mais idealistas e positivos com nossa maior resiliência, disciplina e perseverança. Mesmo que haja impulsos contrários, rebeldes e anárquicos nos desafiando a domar, dentro de nós o potro selvagem que corcoveia indócil, sabemos que tal potro, mais do que problemas, pode incendiar nossa paixão, ardor e nossas melhores intuições, indicando o caminho certo a seguir e as manobras certas a fazer, conforme as curvas do caminhos vão surgindo. Agora ganhamos um novo impulso sim e, mesmo que tenhamos que esperar pelo momento certo de agir, sabemos que quando ele chegar, estaremos prontos, com tudo o que nos será requerido e exigido de nós. E daremos tudo e mais um pouco, sem reclamar, porque estamos dispostos a pagar o preço por algo que é precioso e que somente se revelará inteiramente bem mais à frente, embora já o tenhamos conhecido nitidamente, em nossa mente, coração e alma… É questão de esperar, pacientemente, por um encontro que já é nosso, que sempre foi – e pelo qual trabalhamos e esperamos pacientemente!

Reprodução
Reprodução

DOMINGO 4 de dezembro – De Aquário a Lua se harmoniza com o Sol Sagitariano e mais tarde com Júpiter em Libra, fechando a noite e a semana em conjunção a Marte, que segue se afastando dos aspectos positivos a Júpiter e a Saturno. O domingo traz tudo o que se podia querer de um domingo perfeito: energia positiva, sociável, alegre e festiva. Necessidades, desejos e intenções se afinam adequadamente e podemos simplesmente relaxar e ser felizes dentro de nossas possibilidades, sejam elas suntuosas ou modestas. Estamos satisfeitos com o que temos e mesmo quando não estamos, aceitamos e vamos em busca da melhoria, onde quer que ela esteja, sem brigar, sem reclamar, apenas aproveitando as chances que o destino e a vida nos trazem, agradecidos. É um dia propício para estar em família, com amigos, ou aventurando-se, experimentado e fazendo coisas diferentes e fora do “normal”; para ficar a sós, para estar no campo, para fazer o que nos dá vontade e o que nos dá prazer, sem nos preocupar com cobranças, obrigações, explicações. É dia para experimentar a leveza, em toda a sua plenitude, em todos os seus melhores auspícios, sem nos importar com o que o amanhã nos trará, embora acreditemos firmente que o amanhã também é venturoso e feliz! Assim, não nos perguntemos que hora a noite cairá – aproveitemos a luz e o calor do sol, o canto dos passarinhos, a companhia agradável dos que nos cercam, enquanto estamos vivos. Sejamos felizes. Hoje. Agora. O amanhã cuidará de si mesmo e virá conforme o destino nos aprouver. E ele nos favorecerá. Assim cremos!

Uma linda e auspiciosa semana e um excelente novo ciclo para você!

Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução

Lua Cheia em Sagitário – Meio cheio ou meio vazio?

Doctor Ojiplatico - Reprodução
Doctor Ojiplatico – Reprodução

A Lua foi Cheia hoje, 20 de junho de 2016, às 08h02min no horário de Brasília (12h02min no horário de Lisboa), a 29°32’ de Sagitário, uma Lua Azul Astrológica, que é a repetição da Lua Cheia no mesmo signo que a Lua Cheia anterior. A Lua cheia, como sabemos, representa o ápice do ciclo iniciado na Lua Nova. é um momento de clímax, em que a energia, que vinha num crescendo, finalmente alcança seu apogeu e explode, ou se derrama, frutifica e se revela completamente à consciência. Como o momento do parto – cujos números, aliás, sobem vertiginosamente nesta fase da Lua – como o momento da colheita. é o apogeu, um momento de crise em que a tensão finalmente é liberada, para o melhor ou para o pior. Subimos a montanha e chegamos ao seu topo e a partir daqui começamos a descer, então o apogeu é também o começo do fim. Mas antes de falarmos sobre esta lunação, gostaria de me delongar um pouco sobre uma questão secundária e mais técnica, mas que para mim é importante.

Reprodução
Reprodução

Esta é a segunda Lua Cheia do ano que ocorre em Sagitário, o signo dos exploradores – pois é, temos uma dobradinha! –  um fenômeno que vem “ajustar” a ordem natural dos ciclos lunares. Isso porque, desde março de 2015 essa ordem estava invertida. Explico: a Lua Nova e a Lua Cheia marcam os pontos altos do ciclo lunar e normalmente ocorrem num par de signos opostos, a Lua Nova ocorrendo em um signo e a Lua Cheia acontecendo no signo oposto 14 dias depois, nos eixos de Áries-Libra, Touro-Escorpião, Gêmeos-Sagitário, Câncer-Capricórnio, Leão-Aquário, Virgem-Peixes. Nos últimos meses esta ordem estava invertida porque a Lua Cheia acontecia antes, ao invés de termos a Lua Nova em Áries seguida pela Lua Cheia em Libra, tínhamos primeiro a Lua Cheia de Libra e 14 depois a Lua Nova de Áries, ou, dito de outra forma, os ciclos estavam desencontrados pois a Lua Nova ocorria num eixo e a Cheia avançava para o eixo seguinte, isto é, a Lua Nova acontecendo em Peixes e a Cheia se dando já em Libra, ao invés de Virgem – eu até brinquei semana passada dizendo que seria similar a comer a sobremesa antes do prato principal.

Do site astro.if.ufrgs.br - Reprodução
Do site astro.if.ufrgs.br – Reprodução

Esse fenômeno ocorre porque a Lua tem dois ciclos, o sideral e o sinódico. O ciclo sideral conta o tempo que a Lua leva para dar uma volta ao redor da Terra tendo como referência um ponto fixo e este ciclo é de 27,3 dias. Já o ciclo sinódico é o tempo que a Lua leva para fazer uma nova conjunção ao Sol e este ciclo é ligeiramente mais longo porque o Sol também está em movimento, não é um ponto fixo. Cada signo tem 30 graus, diferente do ciclo lunar sinódico (conjunção Lua-Sol) que tem em média  29 dias e 12 horas, ou seja, 29,5 graus. Essa “inversão” não é algo “tão” importante e impactante e ocorre regularmente a cada  15/16 meses aproximadamente – por exemplo, a última inversão aconteceu em fevereiro de 2015, o “ajuste” acontece agora em junho e uma nova “inversão” se dará em setembro de 2017.

Casa na Alemanha, construída de ponta-cabeça - Reprodução
Casa na Alemanha, construída de ponta-cabeça – Reprodução

O dado mais notável a respeito desse movimento “invertido” é que quando a Lua Nova e a Lua Cheia acontecem num mesmo eixo de signo – por exemplo, Lua Nova em Áries e Lua Cheia em Libra – o ciclo traz presentes os temas pertinentes àquela polaridade – neste caso, o eu x o outro, relacionamentos, equilíbrio, etc. Mas quando a Lua Nova se dá num eixo e a Lua Cheia se dá em outro, precisamos trabalhar, dentro daquele ciclo, os temas de duas polaridades diversas, buscando integrar seus diferentes significados um em relação ao outro. Por causa disso, eu tenho a nítida sensação de que os longos períodos em que ocorre essa inversão no ciclo são períodos mais tensos e que demandam muito mais estamina e consciência da nossa parte na integração das mudanças e transformações maiores que estejam acontecendo no período em questão, porque as coisas não são tão óbvias, então precisamos estar mais atentos. Quando o ciclo está perfeitamente ajustado, fluímos melhor com ele, as coisas seguem um ritmo natural. Por outro lado, quando o ciclo está invertido requerendo maior atenção de nossa parte, pode representar um tipo de desafio extra, que nos obriga a ficar vigilantes e mais despertos, ou seja, é mais tenso, exige mais esforço consciente para fazer a sintonia fina do ciclo. Mas não nos enganemos, como sempre, os testes vêm para nos fortalecer e melhorar nossa, ahn, performance… Não dizem que ler um livro/texto complicado, aprender outra língua, aprender a tocar um instrumento melhoram de um modo geral a inteligência e a performance cerebral? Até mesmo os quebra-cabeças ou a boa e velha palavra cruzada nos obrigam a exercitar melhor os neurônios, certo? Pois então, digamos que seja um princípio semelhante… Agora, a Lua Cheia de hoje marca um período de transição, porque é a culminação de um ciclo que começou em Gêmeos, ou seja, os ciclos voltam a funcionar em congruência. E é transição porque provavelmente nos próximos meses as coisas tenderão a fluir mais, de maneira mais ritmada e concatenada.

Lua Cheia em Sagitário - Brasília, 21 de maio de 2016, às 18h14min.
Lua Cheia em Sagitário – Brasília, 21 de maio de 2016, às 18h14min.

Voltando à lunação… Esta Lua Cheia vem também como uma ‘segunda chance’ de celebrarmos os temas festivos de Sagitário, já que a Lua Cheia anterior ocorrida no mesmo signo veio carregada de tensão e frustração, representadas pela conjunção a Marte retrógrado. Eu não publiquei texto aqui sobre essa Lua Cheia anterior, visto que ela se deu enquanto eu ainda estava visitando minha mãe, mas publiquei um texto enxuto na página no Facebook. Eu dizia, então: “É tempo de celebrar nossa fé, esperança e otimismo, aceitando, contudo, com humildade, nossas limitações, aprendendo a lidar com o senso de impotência e os limites impostos pela nossa condição humana. Equilibrar otimismo com realismo. Enfrentar o aqui e agora, para poder projetar um futuro que seja melhor, porém coerente, sem exageros e ilusões. É tempo ainda de de nos rejubilar pelos conhecimentos que propiciaram que chegássemos até aqui, ao mesmo tempo em que refletimos sobre crenças e filosofias e seus efeitos de longo prazo. Há maior propensão a conflitos e crises, provenientes da eclosão de dificuldades que se arrastavam mas não eram suficientemente claras. Agora ganhamos maior consciência de tais conflitos e dificuldades e temos que reconhecê-los e a partir de tal reconhecimento, tomar decisões e modificar atitudes.” Quem quiser ler o texto todo está aqui.

Reprodução
Reprodução

A Lua Cheia em Sagitário geralmente propõe uma celebração da fé, do otimismo e da alegria simples de se estar vivo; uma celebração da liberdade e da vida nas grande amplitudes, do nosso espírito de aventura e o amor pela estrada; o desejo de expandirmos nossa consciência para além dos fatos e do aqui e agora (Gêmeos), projetando-nos no futuro, com visão e entusiasmo (Sagitário). É o convite para equilibrar a razão com a intuição, a objetividade fria com a fé. Mas será que essa Lua Cheia de hoje ajuda a cumprir essas promessas? Como já disse, a Lua Cheia anterior sugeria exatamente a frustração de tais promessas e a necessidade de desenvolvermos o dom da paciência e da humildade, coisas difíceis para o jovem arqueiro.

Anne T. Boleyn - Reprodução
Anne T. Boleyn – Reprodução

Mas e agora, o que temos? Certamente temos uma lunação menos tensa. Embora Sol e Lua ainda estejam em orbe de quadratura a Quíron, esta é uma quadratura separativa e sugere que talvez estejamos mais conscientes das nossas vulnerabilidades e impossibilidades. E mais importante do que isso é o fato de a Lua Cheia se dar a poucas horas do Solstício de Inverno (Verão no Hemisfério Norte), um momento limiar, de transição, em que o Sol atingiu o limite máximo de distância ao Norte do Equador, e agora começa a retroceder. Os solstícios, assim como os equinócios, simbolizam momentos especiais de mudança na direção da energia e da consciência que, se estivermos atentos, podemos “usar” a nosso favor, alinhando-nos com eles e aproveitando para mudar, também nós, reajustando nossa direção na vida e no mundo. O Sol ingressa em Câncer às 19h34min, ou seja, pouco menos de 12 horas depois da Lua Cheia. Então, temos dois momentos importantes de transição na direção e na forma de manifestação da energia  – não podemos ignorar isso! O Sol também está em conjunção fora de signo a Vênus e, obviamente, a Lua está em oposição a esta Vênus, sugerindo a imprescindibilidade de negociação e conciliação entre nossa necessidade de liberdade (Lua Sagitário) e o desejo e impulso para a vinculação emocional e o comprometimento.

Lua Cheia em Sagitário - Brasília, 20 de junho de 2016, 08h02min
Lua Cheia em Sagitário – Brasília, 20 de junho de 2016, 08h02min

A Lua Nova de Gêmeos, que ocorreu à 00h00min do dia quatro de junho, com Lua e Sol em oposição a Saturno, quadratura a Júpiter e a Netuno, simbolizava um momento delicado de novos começos que poderiam ser ilusórios e fantasiosos, confusos e inseguros, em que precisaríamos lidar com nossos medos e também com nossos excessos. Agora, a Lua Cheia representa o apogeu desse ciclo iniciado lá. Nas configurações de hoje, o dispositor da Lua, Júpiter, está envolvido na mesma Grande Cruz Mutável da Lua Nova, junto com Saturno, Netuno e agora também, Mercúrio, regente do Sol. Então, subjacente aos temas de Sagitário temos um sub-tom Virginiano indicando que é preciso pragmatismo e um certo controle, indicação que fica mais forte dada a configuração mencionada. Júpiter, o princípio da expansão, precisa ser cauteloso quanto às suas visões magníficas de crescimento que, em Virgem, não são tão magníficas assim, ao contrário, são mais sensatas e comedidas; a quadratura a Saturno reforça a necessidade de realismo e de nos ajustarmos aos nossos limites, de termos disciplina e bom senso para não darmos o passo maior que a perna, especialmente porque este Júpiter também está em oposição a Netuno – então, há grande demanda de prudência e moderação no que tange a essas visões e desejos de expansão, porque no momento é difícil distinguir entre realidade e ilusão, entre possibilidades reais e desejos fantasiosos. Como se não bastasse, Mercúrio está neste redemoinho, simbolizando que é muito fácil a mente se perder nos muitos meandros e intricados que colorem o que atualmente chamamos de “real”. Entretanto, algo que pode ajudar é o fato de Mercúrio estar em conjunção ao asteroide Vesta, que simboliza contenção, introspecção, tradição, religiosidade e piedade. Embora a própria Vesta também esteja envolvida na configuração, suas qualidades certamente ajudam a acalmar o caos em que Mercúrio se encontra.

Reprodução
Reprodução

Contudo, do mesmo modo que todos estes aspectos sugerem cautela e uma possível não realização, eles também podem indicar uma moderação nos exageros e a prudência aplicada que reverte os prognósticos de desastres – tudo depende de como vivenciamos tais influências, de como lidamos com elas no nosso dia a dia ou, dito de outra forma, se estamos vendo o copo meio cheio ou meio vazio. Quando lembramos que a segunda quadratura Saturno-Netuno se deu há poucos dias – no último sábado, mais precisamente – e que também envolvia Júpiter, essa metáfora do copo adquire um tom mais extremista, então não é nem questão de ver o copo meio cheio ou meio vazio, mas sim de perceber que há uma propensão a ver o copo (totalmente) vazio ou cheio. Isso porque Saturno é o extremo do realismo (leia-se, pessimismo) e com ele tendemos a ver tudo sob lentes muito sombrias, quer dizer, copo vazio, sem dúvida; Já Netuno é o suprassumo da fantasia e do delírio que, conjugado com Júpiter, fala de um otimismo completamente irreal e enganoso, ou seja, vemos um copo transbordando quando talvez nem exista copo nenhum à nossa frente. Então, mais do que nunca precisamos ter um equilíbrio interno afiado para contermos esses extremos dentro de nós nas próximas duas semanas. Outra forma de ver isso pode ser nos darmos conta de que muitas vicissitudes pelas quais passamos, ou mesmo fracassos, mais tarde se revelam bênçãos, porque então nos damos conta de que a vida foi mais sábia e estamos melhor sem ter conseguido aquilo que nos parecia tão importante naquele momento, mas que descobrimos depois, era apenas uma ilusão.

Loui Jover - Everyday Zen - Reprodução
Loui Jover – Everyday Zen – Reprodução

Júpiter, regente da Lua, já realizou todos os aspectos exatos dos respectivos ciclos com Saturno e Netuno, quer dizer, está atualmente se afastando da oposição a Netuno e da quadratura a Saturno e isso nos lembra que este é um Júpiter menos afoito, mais sábio e ponderado, estando estes aspectos tensos provavelmente mais integrados e menos inconscientes, portanto, estamos menos propensos a extravagâncias e deslizes, embora o potencial para tal ainda exista. Assim, a Lua Cheia nos permite celebrar esta fé mais consciente, este otimismo mais comedido que não ignora riscos nem limites, mas que os leva no bojo dos planejamentos que tornam-se mais meticulosos e menos pretensiosos.

Arcano 5 - O Sacerdote“O Papa abençoando os fiéis” é o Símbolo Sabiano para o grau 30 de Sagitário (29°00 a 29°59’), que nos fala da capacidade de responder àqueles que buscam por nós e retribuir-lhes a fé e a confiança. O Papa é uma figura que representa uma autoridade espiritual e religiosa. Para os católicos ele é um representante direto de Deus na Terra, tendo sido Pedro o primeiro papa da história da Igreja, que teria sido ordenado para pelo próprio Cristo, ao dizer-lhe que apascentasse suas ovelhas e que tudo o que ele conectasse na Terra, seria conectado no céu. A figura do Papa aqui sugere que busquemos formas elevados de fazer as conexões internas e espirituais que nos permitam acessar o divino em nós, usando também nossa intuição. O símbolo nos lembra ainda o arcano O Sacerdote do Tarô e nos sugere a necessidade de buscar orientação espiritual quando sentimos que estamos a ponto de sucumbir e também de estarmos abertos a receber as dádivas e bênçãos que estão por vir – muitas vezes nos perdemos em nossas reclamações mesquinhas e deixamos de perceber as dádivas ao nosso dispor. Independentemente de sermos católicos ou religiosos, este símbolo nos admoesta a buscarmos uma autoridade que nos oriente e abençoe com sabedoria e cuidado, como um pai faria. Este guia pode estar fora, na figura de uma autoridade real, mas também pode ser o guia interno, ao qual chegamos em meditação, e que pode instilar confiança, fé e nos “abençoar” para avançarmos para o próximo passo na concretização (Capricórnio, o signo seguinte) de nossas visões (Sagitário).

Reprodução
Reprodução

Então, este é o desafio das próximas duas semanas: celebrar a fé e a esperança que nos mantém de pé, mantendo a atitude de gratidão, mesmo diante de cenários adversos e sombrios, porque sempre temos muito a agradecer e se nos percebermos sucumbindo à desolação e à desesperança, voltarmo-nos para aqueles que nos instilem otimismo e a renovação de nossas forças, que nos “abençoem” com sua mera presença forte, gentil e sábia. Sendo esta a segunda Lua Cheia no signo da fé e da expansão, temos a chance de fazer essa sintonia fina entre o realismo e o otimismo. E claro, não esqueçamos de aproveitar o momento de transição para transmutar comportamentos e atitudes – como sabe o surfista, o momento de pegar a onda é único e ele precisa estar atento pois se ele perder o timing, terá que esperar a próxima e isso pode durar algum tempo e mesmo quando vem, nunca mais será a mesma onda! Ah! E cuidado com o que você deseja – pode se realizar!

Feliz Lua Cheia para você!

Que todas as coisas boas venham em dobro, assim como a Lunação de Sagitário! 

Lua Nova em Aquário – Tempo de Despertar!

new christian
Christian Schloe – Reprodução

A Lua é Nova a 19°15’ de Aquário hoje, 08 de fevereiro, às 12h38min no horário de Brasília e às 14h38min no horário de Lisboa. É tempo de renovar nossas intenções, de recomeçar e plantar novas sementes de justiça, igualdade, liberdade. De projetarmos um futuro mais promissor na área e nos assuntos do mapa natal em que cai esta Lua Nova e de revermos, de modo geral, nossos grandes sonhos, nossos projetos de longo prazo, estabelecendo metas e prazos para eles, para que sejam não somente sonhos vagos perdidos nas brumas de “um dia” num futuro distante, mas planos factíveis e estruturados, com os quais nos comprometemos e pelos quais trabalhamos. Aquário também é o signo das amizades, dos grupos e networking, sugerindo um período de renovação nestes assuntos, de renovação e novas oportunidades de expansão das nossas conexões.

Reprodução

O ciclo de Aquário é o ciclo do despertamento, de acordarmos para a realidade bruta em que vivemos e também despertarmos para as mudanças que precisam ser empreendidas, ativa  e conscientemente. Este tema é particularmente enfatizado pelos aspectos que a Lua Nova faz a Saturno e a Urano, seus dois dispositores. O sextil a Saturno é amplo, mas ainda assim, representa a habilidade de fazermos o que tem que ser feito com sobriedade, disciplina e responsabilidade; de trazermos o progresso (Aquário) com sabedoria, de forma planejada e estruturada (Saturno); respeitamos a tradição, porque vemos que ela tem seu valor e tem muito a nos ensinar; encaramos a realidade sem disfarces, com maturidade, sem vitimismos. Tudo isso está latente e demandará esforços, mas está previsto em potencial. Já o sextil a urano, aspecto mais próximo, simboliza o surgimento de novas ideias, progresso e inovações que podem ser integrados à vida de maneira coordenada e harmoniosa, sem necessidade de crises traumáticas; podemos, por exemplo, “construir o novo sobre as fundações daquilo que era velho”, ou seja, aproveitando o que ainda serve, sem refutar só pelo gosto da rebeldia. Colocando os dois juntos, Saturno e Urano, temos o melhor de dois mundos, do velho e do novo, convivendo harmoniosamente – isso tudo em potencial, e´claro, se seremos capazes de trazer este potencial à fruição, depende exclusivamente de nós.

Reprodução
Reprodução

Entretanto, o ciclo também traz em sua semente potenciais de conflitos – e é bom que assim seja porque é o conflito que nos faz crescer! Lua e Sol fazem quadratura a Marte em Escorpião, uma quadratura de menos de um grau, ou seja, muito próxima! Este aspecto implica dificuldade em gerenciar nossa energia, inclusive física, em alguns momentos trabalhando em excesso, em outros ficando muito desmotivados; há dificuldade também em alinhar os objetivos com as habilidades e competências necessárias para executá-los; há insegurança quanto à nossa capacidade de realizar tudo a que nos propomos, o que agrega inquietude, instabilidade, incerteza. Sobretudo, há muita irritação e propensão a conflitos e a nos sentirmos ofendidos e melindrados excessivamente, ficamos no modo defensivo, reativos e prontos para briga, o que não só demanda muita energia, como cria uma atmosfera tensa ao nosso redor, gerando desgaste e estresse desnecessários. Em termos mais positivos, o aspecto nos obriga a fazer ajustes e a nos observar mais cuidadosamente, a observar onde somos intempestivos e imaturos, com chances de nos refrearmos antes de uma ação impensada. Também temos coragem e vigor e enfrentamos as dificuldades com destemor. Mas é preciso controlar a impaciência e a irritação, canalizando-as em atividades onde possam ser transformadas em combustível; é preciso cabeça fria e muita maturidade para não levarmos as coisas para o lado pessoal em demasia. É exigido de nós conciliar a fria racionalidade que clareia a mente, com a paixão que motiva e incendeia o coração.

Lua Nova em Aquario 16Há ainda um quincunce a Júpiter, aspecto aplicativo e muito potente, que vem enfatizar a insegurança e a incerteza. Precisamos nos expandir para além das fronteiras do que já dominamos, mas isso parece colocar em risco nossa segurança. A discrepância entre as duas necessidades igualmente importantes faz surgir a instabilidade nos nossos impulsos: ora avanço, ora retrocedo, ora faço demais, ora não faço nada. A melhor forma de contornar essa instabilidade e insegurança é planejar cuidadosamente o que queremos realizar antes de entrar em ação e botar a mão na massa. Analisar, estudar, imaginar, conceber, projetar, planejar… Levar o tempo que for necessário, considerando todos os prós e contras, pode nos ajudar a lidar com os possíveis reveses e com nossa própria insegurança.

change
Reprodução

Saturno, regente de Aquário, está em Sagitário, em quadratura a Netuno por todo o ano e requer que deixemos cair por terra nossas crenças fajutas e limitantes, nossas ilusões e encaremos a realidade, pois só assim conseguiremos diferenciar entre sonhos possíveis e fantasias irrealizáveis. Urano, o outro dispositor da Lua, está em Áries, ainda em quadratura a Plutão, indicando que ainda há muito a ser feito na direção de se construir este mundo novo, um longo caminho de transformação individual e social até que possamos divisar a utopia da justiça social.

Pandora - Jules Joseph Lefbvre - Reprodução
Pandora – Jules Joseph Lefbvre – Reprodução

Todos estes aspectos contraditórios me lembram a famosa Caixa de Pandora, no mito de Prometeus, um dos mitos do signo de Aquário. Pandora foi criada por Hefesto e Atena, por ordem de Zeus, e enviada a Epimeteu, irmão de Prometeus. Prometeus, temendo a vingança de Zeus por haver roubado o fogo dos deuses, havia recomendado a seu irmão que não recebesse nada vindo de Zeus, pois já sabia que poderia ser problema, e, de fato, Epimiteu a recusou a princípio, mas depois, preocupado com o destino do irmão que fora preso no tártaro, Epimeteu decidiu tomá-la como esposa. Pandora abriu a caixa, que Prometeus, novamente, havia instruído que não fosse aberta jamais, pois nela ele havia aprisionado todas as dores que pregueiam a humanidade: velhice, trabalho, doença, insanidade, vícios e paixões. Pandora abriu a caixa e soltou todas as pragas. Mas também havia Esperança, que impediu que a humanidade cometesse suicídio em massa – alguns argumentam que esperança é a maior de todas as pragas, pois nos mantém em expectativa. Então, temos sim, muitas dificuldades, como parte da vida e da condição humana. Mas também temos esperança e promessas de renovação.

Reprodução
Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 20 de Aquário (19°00’ – 19°59’) traz uma imagem que confirma os bons augúrios para este ciclo: “Uma grande pomba branco trazendo uma mensagem”. Primeiro, a simbologia da pomba é geralmente muito positiva e umas associações mais imediatas é com o Espírito Santo. A pomba é um símbolo de paz, uma mensageiro de paz e uma das primeiras referências a esse tema é a passagem bíblica em que Noé solta uma pomba branca após o dilúvio, para que encontrasse terra firme. A pomba também é um dos símbolos de Afrodite, a deusa do amor e neste caso ele é símbolo de harmonia e realização amorosa. E o pombo, por sua capacidade de retornar ao ninho e de encontrar o caminho de volta, mesmo em longas distancias, já foi muito utilizado como mensageiro.

white-dove-message-244x176-custom
Reprodução

Dessa imagética depreendemos auspícios benéficos. Recebemos uma mensagem positiva, de alegria e contentamento. “Uma grande pomba branca”, diz Lynda Hill, “traz mensagens, possivelmente aquelas pelas quais estivemos esperando. Talvez tenhamos que resolver nossa situação confiando em mensagens de paz que vêm do nosso centro espiritual. Elas devem ser oferecidas com gentileza e sem malícia. Pode indicar que somos vistos como salvadores ou alguém que precisa ser salvo, já que em alguns momentos nós somos aqueles que ‘trazem a mensagem’ e em outros, somos aqueles que a recebem. Qualquer que seja a nossa situação, há alívio e conforto quando assimilamos a mensagem que é revelada”. Assim, este símbolo fala de um novo tempo, de conseguirmos, finalmente, receber e apreender a mensagem que esperávamos, aquilo que precisamos fazer. Mostra ainda que há esperança no meio de todas as dificuldades e desafios e que em tempos duros, precisamos confiar em nossa alma e nos voltarmos a ela em busca de conforto e orientação. Confiar no espírito, na intuição.

O Julgamento – Arcano XX do Tarô – Reprodução

Este símbolo também me lembra do Arcano 20 do Tarô, o Julgamento. Traz anúncios e notícias auspiciosas, mudança, renascimento e renovação, após um longo período de sombras e dificuldades. Temos a chance de levar a paz, de ser a paz aonde formos; ao invés de levar angústia e conflito, levamos a harmonização de que tanto precisamos e que é tão necessária no mundo. Renovação, celebração, boas notícias, esperança e, a capacidade de implementar as inovações em consonância com um planejamento cuidadoso e eficiente. A pomba da paz nos acena com boas possibilidades. O que faremos com elas? Depende de nós fazer essas mensagens de paz e esperança manifestadas no real.

Pessoas com planetas e ângulos entre os graus 15 e 25 dos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) sentem mais fortemente as energias potentes desta Lua Nova.

Feliz Lua Nova para você! que seja de renovação e bons augúrios!

Reprodução
Reprodução