Arquivo da tag: Generosidade

Lua Nova em Leão – Fogo Solar, Fogo da Consciência

Desconheço o autor – reprodução

Você anda se sentindo meio para baixo, desanimado? Anda duvidoso da vida e de si mesmo? Sente que só trabalha e lida com problemas sem ter tempo para brincar? Seus problemas acabaram! Vem aí a Lua Nova de Leão, que vem incendiar sua vida de entusiasmo, coragem, confiança, otimismo e paixão! E de quebra, ainda a/o convida a abraçar sua natureza única, seja ela aceita pelas tribos “in” ou totalmente outsider! Brincadeiras à parte, a Lua Nova que acontece em Leão neste domingo realmente vem dar uma sacudida no pessimismo e na falta de ânimo que tem nos acometido nos últimos tempos. A Lua se renova no grau 00°44’ (tecnicamente, grau 1) de Leão, conjunta a Marte, separando-se da quadratura a Urano e do trígono a Quíron, ambos os aspectos fora de signo. A lunação ocorre às 06h46min no horário de Brasília e às 09h46min no horário de Lisboa.

Reprodução

Marte esteve muitas semanas em Câncer, signo que é muito desconfortável para ele e agora, em Leão, Marte se sente à vontade, na casa de um amigo, da mesma forma que o Sol, dono da casa Leonina, se sente à vontade na casa de Marte, Áries. E onde Marte chega ele aviva, atiça, anima, põe fogo e sendo Leão um signo de fogo, já vimos que os ânimos se incendeiam e, neste caso, positivamente! Portanto, uma vez que a Lua Nova ocorre em conjunção a Marte, este é um ciclo em que nossa vontade está mais firme, em que temos mais ânimo e gosto de lutar.

Reprodução

Leão é o signo de Fogo Fixo, o fogo constante, da fogueira que aquece a noite toda. Ao falar sobre o Símbolo Sabiano para o grau 1 de Leão, Dane Rudhyar, um dos mais importantes astrólogos do século XX, diz que a nota-chave deste símbolo é “uma irrupção de energia bio-psíquica no campo da consciência controlada pelo ego”. Bom, vamos olhar isso com calma. O Símbolo Sabiano traz a seguinte imagem: “O sangue se precipita à cabeça de um homem enquanto energias são imobilizadas sob o estímulo da ambição”. Rudhyar nos lembra que na tradição oculta três tipos de fogo são mencionados: o elétrico, o fogo solar e o fogo por fricção e cada um deles corresponde a um dos signos de fogo do Zodíaco.  Áries corresponderia à eletricidade, o fogo que desce do espírito, pela Palavra Criativa, o Verbo. Sagitário representa o fogo por fricção porque representa processos sociais, que são baseados em relações interpessoais, em polarização, em conflito. Já Leão representa o Fogo Solar – até porque é regido pelo Sol – e Rudhyar diz que isso representa a energia de uma pessoa integrada, “seja através de radiações espontâneas de formas de energias aparentemente nucleares, ou, no nível verdadeiramente humano e consciente (e também sobre-humano em domínios transcendentes), através de emanações  conscientes (e-manações, de manas, que significa ‘mente’ em sânscrito).

Reprodução

Rudhyar prossegue dizendo que o símbolo de Leão mostra uma elevação de energia do coração para a cabeça, uma mentalização, um processo que pode ser perigoso, dependendo de como é conduzido e ele se refere ao clarividente que “viu” todas as cenas simbólicas dos Símbolos Sabianos, dizendo que ele teria visto uma cena de ‘apoplexia’, ou insolação, excesso de sol na cabeça e na pele. O Sol dá a vida ou pode destruí-la, depende da relação que estabelecemos com ele. Da mesma maneira é o fogo. Rudhyar vai adiante e diz que a realização do eu espiritual depende de o ego se tornar um cristal puro, capaz de focalizar a luz cósmica, sem ser maculado pelo orgulho, vaidade e possessividade. “A transmutação da vida na mente é um processo difícil”, diz Rudhyar. Podemos ser iluminados ou incinerados – depende do quanto estamos preparados e do equilíbrio entre a confiança e a humildade. O fogo que aquece e dá vida pode facilmente se tornar destrutivo e virar um incêndio descontrolado. Uma combustão. Os processos de combustão geralmente têm subprodutos, que dependem dos elementos geradores da combustão original. Mas a combustão é geradora de energia e de onde vem essa energia e como a utilizamos, define se somos transformados ou destruídos por ela.

Um vídeo que mostra um homem fazendo experimentos com uma “lente” gigante (uma tela de TV descartada) sobre a qual é projetada a luz do Sol.

Essa imagem do fogo solar nos lembra o processo em que o fogo é gerado quando a luz do sol é projetada sobre algum tipo de lente. Esse é literalmente o Fogo Solar – pode salvar ou destruir vidas, dependendo de como é utilizado. Essa lente, como diz Rudhyar, é o ego. Se o ego é forte e saudável, ciente de suas limitações e de que está a serviço do espírito e da alma, ele será um transmissor, um transmutador da luz solar num fogo criativo que transforma e liberta; ao contrário, se o ego é fraco, logo se infla e se enche de auto importância, levando a situações desastrosas, porque é frágil, inseguro e vai usar símbolos exteriores de poder para camuflar essa insegurança. Essa é uma diferença básica entre o Leão positivo e o negativo e esse é um tema básico do Leão – um tema que está bastante realçado na Lua Nova e, por conseguinte, no ciclo todo. É essencial, pois sabermos, qual é o fogo que nos move, se é o fogo que cria ou o fogo que destrói; se é o fogo da criatividade e da alegria ou o fogo do orgulho e da vaidade vazios. Se este fogo está a serviço do espírito e da vida ou apenas a serviço de um ego oco e inflado.

Reprodução

Vigiar o ego e suas escorregadelas é essencial neste ciclo, iniciado por Lua e Sol conjuntos a Marte, planeta do “eu primeiro, segundo eu, terceiro, eu de novo!”. Sim, é importante darmos prioridade a nós mesmos, porque, afinal, somos a pessoa mais importante de nossas vidas, como diz a canção popular, “sem mim, eu não sou ninguém”. Mas quando isso sai de proporção, perdemos a noção da convivência e da civilidade, porque esquecemos que há outros ao nosso redor e o fogo que deveria trazer um calro agradável torna-se asfixiante e destrutivo.

Reprodução

Rudhyar diz que essa é a nona cena da primeira etapa da vigésima-quinta sequencia de símbolos, cujo tema e discurso é a ‘combustão’ e cujo nível é o da ação. Combustão dispensa interpretações, mas tomando-a por base, a palavra-chave para este grau de Leão é CONFLAGRAÇÃO. Ou seja, fala das “energias dos impulsos biológicos à medida que irrompem, de forma mais ou menos agressiva, no campo da consciência”. Então, a combustão pode levar a uma conflagração, que é uma tomada de consciência, a posição e consequente ação do eu (fogo) sobre a matéria para transformá-la positivamente. Ou pode, simplesmente, destruir, no seu ímpeto desvairado, como quando o conflito-conflagração desconhece os limites e o sujeito fica possuído, tomado pelo ego, identificado demais com os poderes do espírito, acreditando que são seus, sem perceber que ele é apenas um vaso, um receptáculo de tais forças. O fogo pode, ainda, simplesmente extinguir-se, ser desperdiçado, sem criar ou transformar nada. O que nos leva à pergunta: que tipo de lente nós somos sob este Fogo Solar? Como estamos utilizando o fogo sagrado em nós? Ele é faísca criadora de vida? É labareda da pira sagrada que calcina e purifica nossa matéria mais bruta e inferior? É chama transmutadora de processos e de consciência? Ou é apenas fogo de oba-oba de quem solta fogos de artifícios para “se mostrar” e fazer ruído? Pois então, o fogo ganha vigor e força neste ciclo e depende de nós utilizá-lo criativa e positivamente. E não é qualquer fogo, é o Fogo Solar, trazedor de consciência, para aqueles que estiverem atentos e disponíveis.

Voltando ao mapa da Lua Nova, lembramos que a conjunção a Marte vem ressaltar esse fogo da paixão, do entusiasmo, do fervor. O que nos leva a outras perguntas: pelo quê ou por quem estamos apaixonados? Essa paixão nos transforma positivamente? Marte também traz ímpeto, dinamismo, coragem, garra e vigor, tudo isso temperado com nobreza, portanto, podemos esperar um ciclo mais dramático, mais vivo, mas possivelmente, também mais justo.

Reprodução

Leão, como já disse em outros artigos, é o signo da criança – assim como é um dos signos do Pai – da espontaneidade, da alegria de viver, de viver pelas verdades do coração. E o que isso diz do ciclo? Que é hora, justamente, de recuperar ou reviver esses valores. De viver com mais autenticidade, com mais honra e também mais alegria. Como? Dando-se conta do que nos alegra no dia a dia, desde as coisas mais simples, às coisas mais significativas e, percebendo isso, dar um jeito de trazer isso para nossa vida. Leão também é signo generoso e leal e vem nos conclamar a viver esses valores também.

Outro ponto digno de nota é que Mercúrio faz um Grande Trígono de Fogo, ao fazer trígono a Saturno em Sagitário e a Urano em Áries, ou seja, constrói uma ponte de imaginação e inspiração entre duas forças opostas, atualmente dispostas a dialogar: o velho e o novo, a tradição e a inovação, a estabilidade e o progresso. E a mente (Mercúrio) é a ponte para tal diálogo. Temos, pois, oportunidade de costurar e conciliar esses conceitos e princípios que parecem tão díspares e a partir de tal conciliação, alterar a vida sem grandes e terríveis turbulências. As oportunidades estão aí, depende de nós agarrá-las ou não.

Reprodução

Vemos também que a Lua se afasta da quadratura a Urano e do trígono a Quíron. Ambos, Urano e Quíron, de formas diferentes, representam o “outsider”, o forasteiro, o esquisito, o estranho. Urano faz questão e se compraz em ser estranho, porque adora chocar; já Quíron, resigna-se nesse papel, afinal, ele não o escolheu. De qualquer forma, ambos representam a originalidade, os caminhos diferentes, muitas vezes dolorosos, porque podem ser ou parecer “inaceitáveis” para as correntes convencionais. Para Leão, que precisa tanto da admiração de seus pares, é necessário algum trabalho para aceitar as peculiaridades que o coloquem como muito diferente do seu meio, especialmente quando essa diferença o faz vítima de algum preconceito ou segregação. Por fora ele pode esbanjar confiança, mas internamente pode ser afligido pela insegurança. Assim, a Lua Nova sinaliza um tempo de grande potencial de integração das nossas diferenças e inseguranças; um tempo, de abraçar nossas esquisitices, reconhecê-las e integrá-las à nossa identidade, aceitá-las e, consequentemente, aceitar-nos mais integralmente. E quando estamos inteiros, temos mais chances de realizar nossos potenciais e ao realiza-los, transformar e iluminar o mundo à nossa volta. Portanto, a Lua vem sinalizar um tempo de nos darmos conta e tomarmos posse do nosso Fogo Interior, do Fogo Solar que nos sustenta e sustenta nosso espírito, dando ignição para a consciência realizar-se no mundo. É tempo de ficar atentos ao que move nosso coração, figurativa e literalmente: o que faz seu coração bater mais rápido? Isso pode nos dar muitas pistas sobre aquilo que nos incendeia e motiva e também sobre os potenciais latentes e ainda não expressos, esperando a “lente” certa, através da qual serão despertos ou acesos. Aproveite o ciclo de Leão e se observe, observe o que traz alegria o que faz o coração parar ou acelerar! É tempo, pois, de viver a alegria e a espontaneidade da nossa criança, segura, confiante, alegre e feliz!

Reprodução

É importante lembrar que vamos viver dois ciclos seguidos de Leão. Sim! Temos esta Lua Nova ocorrendo domingo, a zero de Leão, culminando no eclipse e Lua Cheia de Aquário no dia sete de agosto; depois teremos outras Lua Nova em Leão, a 28°52’ deste signo, lunação que é um Eclipse Total do Sol – que aliás, cai em conjunção exata ao ASC e marte do presidente americano Donald Trump e que passa sobre os EUA, dividindo-o ao meio, de Leste a Oeste, prometendo muitas reviravoltas na política americana! Este segundo ciclo Leonino culmina na Lua Cheia de Peixes, no dia seis de setembro. Quer dizer, é uma baita ênfase na energia de Leão, certo? Quer recado mais potente do que esse? Portanto, é hora de nos apossarmos desse Fogo e permitir que ele queime o que precisa ser queimado e que gere nova vida, que incendeie nosso espírito de vigor, coragem e confiança. Além de alegria!

Dreamstime – Reprodução

Leão é o signo que rege o coração, figurativa e literalmente. Tendo dois ciclos seguidos regidos por esse signo, e ainda, considerando-se que teremos um eclipse bastante tenso ocorrendo aqui, as pessoas que têm qualquer problema ou propensão a problemas de coração precisam ficar muito atentas e ter cuidados dobrados com a saúde – é um tempo de emoções intensas e o coração fica mais “excitado” e pode ser exigido demais, portanto, vamos cuidar do nosso coração, também no plano físico!

Para este ciclo, vale se perguntar: com qual fogo você está alinhado? Quais “esquisitices” você carrega que ainda precisam ser integradas? Que paixões positivas podem trazer mais vigor e gozo ao seu dia a dia? Que tipo de lente o seu ego propicia ao fogo sagrado do espírito? Esse fogo que você carrega, vai aquecer ou vai destruir?

Crystal Hazelton – Reprodução

Eu desejo a você um maravilhoso ciclo de Leão! Que possamos ter coragem para expressar o fogo dos nossos potenciais criativos e a audácia de viver a alegria, pelos valores do nosso coração!

Reprodução

Feliz Lua Nova para você!

Desconheço o autor – reprodução

Lua Nova em Leão – O Tempo da Inocência

Reprodução
Reprodução

“A cada nascimento vem ao mundo algo singularmente novo” (Hannah Arendt). Eu diria que a cada Lua Nova algo singular e único também nasce, um ciclo novinho e com ele oportunidades de mudança, de melhoria, de consciência, de se viver mais plenamente… Depende de nós o que fazemos com esse tempo, com essas oportunidades e também com os desafios.

Hanne Lore Koheler - Reprodução
Hanne Lore Koheler – Reprodução

Um novo ciclo foi inaugurado nesta terça, dia 02 de agosto, com a Lua Nova ocorrendo a 10°57’ de Leão, às 17h44min no horário de Brasília e às 21h44min no horário de Lisboa. O Símbolo Sabiano deste grau de Leão traz uma imagem que é, ao mesmo tempo calmante, bela e inspiradora: “Crianças brincam num balanço pendurado nos galhos de um imenso carvalho”. A leveza dessa imagem já é um bálsamo, independentemente de qualquer interpretação. Mas o símbolo também é instigante. A brincadeira do balanço é uma das mais gostosas e certamente uma das favoritas de toda criança que tem a oportunidade de conhece-la. O vento no rosto e nos cabelos nos traz a sensação de liberdade; o impulso que é dado por um adulto atrás de nós nos remete ao apoio e suporte que precisamos  para conquistar essa liberdade, mas a partir de uma certa idade, já não precisamos de um adulto atrás de nós, porque, grandes os bastante, alcançamos o chão e damos o impulso nós mesmos, com nossos próprios pés. E essa brincadeira, tão divertida quanto revigorante, é metáfora para o impulso que devemos tomar na vida, primeiro apoiado pelos nossos pais, depois assumido por nós. O impulso de ser nós mesmos e de expressar nossos potenciais criativos – que nem sempre têm a ver com ser artístico, mas com fazer o que fazemos do nosso jeito único e especial, de forma criativa.

Reprodução
Reprodução

Porém, antes mesmo de haver um adulto atrás de nós dando esse impulso encorajador, para haver balanço, é preciso haver árvore! É a árvore que sustenta o balanço, seus galhos/braços fortes e vigorosos propiciando nosso pequeno voo de liberdade. Essa árvore é a Árvore da Vida, que sustenta a criatividade, a inocência, o futuro em potencial, a descoberta, a promessa do vir a ser. Essa árvore simboliza uma força ancestral, o conhecimento e a tradição de toda a humanidade, passados de geração em geração, a árvore que sustenta, com sua seiva, o anseio de cada nova geração de preservar e dar continuidade ao legado herdado. Esse é o tema para este símbolo, de acordo com Dane Rudhyar, que coloca como tom principal “o poder da tradição enquanto amparador do início da auto expressão individual”. Rudhyar diz que “cada galho dessa árvore é um Professor espiritual, ensinando a partir do tronco da Revelação primordial. Quando um homem começa sua jornada na vida, ele é como uma criança num estado de grande entusiasmo, lidando com seus altos e baixos rítmicos de humor. Ele brinca com palavras e conceitos que estão ‘pendurados’ nos ‘galhos’ da Tradição – e frequentemente, a busca inteira é, sobretudo, um jogo para ele. Ainda assim, ele é firmemente sustentado pela árvore, protegido pela sua folhagem, da luz excessiva e ardente” (1). Ele diz que este símbolo trata, essencialmente, do lançamento da intensidade emocional a vários níveis de consciência individualizada e que estamos lidando, aqui, com a atividade da mente inocente.

PixieWinksFairyWhispers - Reprodução
PixieWinksFairyWhispers – Reprodução

Lynda Hill, outra autora estudiosa dos Símbolos Sabianos, nos lembra que “é mais fácil desfrutar das brincadeiras infantis de forma despreocupada quando nos sentimos seguros” (2), em outras palavras, ambientes estruturados e seguros dão melhor suporte e permitem o livre fluir da criatividade.

Este símbolo e as subsequentes análises refletem, de certa forma, os temas ressaltados no mapa da Lua Nova, temas com os quais lidaremos neste ciclo. Obviamente isso não é coincidência.

Lua Nova em Leão - 02 de agosto de 2016, 17h44min, Brasília.
Lua Nova em Leão – 02 de agosto de 2016, 17h44min, Brasília.

O mapa da Lua Nova traz Sol e Lua a 10°57 de Leão, em trígono (aspecto de 120 graus) muito próximo a Saturno em Sagitário e em quincunce (aspecto de 150 graus) mais próximo ainda a Netuno em Peixes. Estes são os dois únicos aspectos que Sol e Lua fazem, por isso, adquirem peso maior. Aqui Saturno é a árvore que sustenta o balanço e que permite que as crianças brinquem – podemos associar o balanço a Netuno. Saturno é a própria Tradição. Por causa da segurança oferecida pela árvore (Saturno), podemos nos dar ao luxo de brincar com nossa criatividade (Netuno), mesmo que ela muitas vezes oscile para lá e para cá, assim como nosso humor, que sobre e desce.

Andy Prokh - Reprodução
Andy Prokh – Reprodução

Esses dois aspectos formados pela Lua Nova, querem nos lembrar, ainda, do ciclo Saturno-Netuno que se desdobra atualmente numa quadratura minguante – é, não adianta tentar fugir ou escapar, não temos escapatória, precisamos lidar com isso – a propósito, a última quadratura exata entre Saturno-Netuno se dá em 10 de setembro! O quincunce a Netuno parece aumentar as qualidades Netunianas: é oscilante, inconstante, instável, a liberação da energia se dando de forma incontrolável, de modo que temos que soltar e fluir. O trígono, por outro lado, tem um pouco a natureza de Saturno no que tange à estabilidade: é constante e previsível, tão constante e previsível que às vezes o damos por garantido e acabamos por não utilizá-lo. De modo que um compensa o outro, creio eu! A inconstância do quincunce nos obriga a ficar atentos e a estabilidade do trígono nos dá segurança e descanso.

Reprodução
Reprodução

Assim, a Lua Nova de Leão, que fala da expressão da individualidade, no que temos de mais singular e individual, nos diz que precisamos conter, em nós, a um só tempo, a certeza e a dúvida, a estabilidade e a inconstância, a solidez e a fluência/liquidez… Porque, no fundo, elas se retroalimentam, elas são opostos complementares, que ficam melhor quando juntas, apesar – ou por causa de – sua natureza antagônica.

Reprodução
Reprodução

Entretanto, um ponto requer atenção: Netuno está conjunto ao Nodo Sul da Lua, um ponto que representa o passado, desperdício, um ralo por onde podem escoar os recursos, aquilo que já vivenciamos, mas que precisa agora ser levado na bagagem, mas não buscado. O Nodo Sul representa o ponto de menor resistência, para onde corremos quando o “bicho pega”. É um ponto de conforto, mas também de acomodação – é como insistir em continuar usando as rodinhas laterais da bicicleta, mesmo depois de já se ter aprendido a pedalar. O Nodo Norte, ao contrário, representa as qualidades que precisamos desenvolver, é o futuro e nos dá a direção para onde estamos indo. Netuno conjunto ao Nodo Sul em Peixes (e em oposição ao Nodo Norte em Virgem) nos fala do risco de resvalarmos no caos, da ingenuidade e do vitimismo, de queremos escapulir pelas vias da inconsciência, de almejarmos que outros façam por nós o que é função nossa fazer; de permanecermos vivendo num estado de torpor, alheios aos nossos melhores potenciais, usando as dificuldades como desculpas para a não ação. Assim nos deixamos levar pelos caminhos mais fáceis, deixando que outros tomem por nós as decisões que nós deveríamos tomar – e é claro que depois esbravejaremos vitimados! como está conjunto a Netuno, significa que também está em quincunce ao Sol e à Lua, portanto, precisamos vigiar essas tendências! Devemos ser inocentes, mas não ingênuos. O Nodo Norte em Peixes nos fala da ingenuidade e de se deixar levar, quando se deveria ter critérios bastante claros para resolver as coisas.

Reprodução
Reprodução

E que intenções precisamos lançar ao universo nesta Lua Nova? Um pequeno parêntesis: sim, o momento da Lua Nova é poderoso para se lançar intenções, mas na verdade, os três dias da Lua Nova são propícios a isso, sendo que, iniciar mesmo qualquer coisa, somente depois de três dias, quando a Lua começa a aparecer como um anel fino no céu… Os três dias da Lua Nova são para ponderação, para cogitarmos tudo, absolutamente tudo o que gostaríamos/poderíamos fazer com o tempo, recursos, oportunidades que temos; para cogitarmos até naquilo que pareça absurdo, fora de cogitação e nos perguntarmos: “por que não?”… Porque afinal, os limites são colocados por nós mesmos! Então, nos permitimos ser livres para cogitar possibilidades diversas e depois averiguamos quais delas falam mais alto e mais sonoramente ao nosso coração, quais delas realmente engajam nossa paixão e nossa energia.

Adrian McDonald - Reprodução
Adrian McDonald – Reprodução

Voltando à pergunta: que intenções lançamos agora ao Universo? A intenção principal deveria ser de vivermos cada vez mais autenticamente, de nos dedicar de forma comprometida à busca por nós mesmos e por viver de acordo com o nosso coração, uma vida mais consciente; de nos comprometer com a alegria, a despeito – ou, justamente, por causa de – de tanta desolação que vemos no mundo atualmente; e de cultivar esse coração inocente de criança livre e feliz, que confia na solidez do braço da árvore e ganha impulso para atingir as alturas. Inocência não é o mesmo que ingenuidade, a ingenuidade nos faz tolos e nos expõe a muitos perigos, especialmente aos perigos de achar que sabemos e dominamos tudo, e nisso esquecemos a Sombra. Já a inocência, é outra coisa. “Inocência decorre do reconhecimento da infinita riqueza da vida e da perplexidade, tão humana, diante do reconhecimento de que a existência excede e ultrapassa, em muito, nossas tentativas de capturá-la. É a inocência, com essa mistura de falta e desejo que a acompanham, que possibilita que a vida nos apareça como uma aventura possível, como uma alteridade que não cessa de nos interrogar” (Ricardo Fenati, Centro Loyola).

Reprodução
Reprodução

Leão representa exatamente essa criança inocente, que não cansa de se deslumbrar com as perplexidades da vida, que encara como uma grande aventura, tanto à dor quanto ao prazer; que se joga, ávida por sentir e viver, por desvendar os segredos da própria alma, mesmo quando esses segredos parecem obscuros; representa a capacidade de não se armar, de não se  deixar vencer pelo medo e pelas armadilhas humanas que dizem que temos que temer uns aos outros; de não ser o tempo todo defensivo, mesmo sabendo que há o risco de se machucar; a criança que abre os braços a acolher a vida amorosamente, inocentemente, confiantemente, vivendo pelo coração. E mesmo que já tenhamos visto de tudo, mesmo para Escorpião (ou Sol/Lua Plutão), que eu costumo dizer, nunca teve a dádiva de ser inocente, eu lembro essa frase, que acabei de descobrir: “Nós não nascemos inocentes, mas podemos morrer inocentes” (Cristina Campo).

The State pf Art - Lolla Fine Art - Reprodução
The State pf Art – Lolla Fine Art – Reprodução

E se essa chama da inocência, da confiança e do entusiasmo está meio apagada, ainda podemos acendê-la dentro de nós! Para isso precisamos nos conectar, novamente, com aquilo que nos move, emociona, motiva, fascina e deslumbra! Você se lembra o que o extasiava quando criança? O que o fazia pedir por mais? o que o fazia rir até chorar? O que lhe animava, só de pensar? Isso pode ser uma boa pista, porque esse prazer, esse gosto, ainda estão aí! É hora de se conectar com o coração e deixá-lo falar!

A partir dessas intenções básicas de valores, estabelecemos também as intenções de realização prática, aquilo que queremos trabalhar, fazer, realizar, construir. Que projetos queremos iniciar, que tenham a ver com a criatividade, com a alegria, com os anseios do coração? Esses projetos têm a ver, diretamente, com os assuntos da casa em que a Lua Nova cai no seu mapa natal – ao final do texto veja uma explicação curta.

Tirado de Melisaki.tumblr - Reprodução
Tirado de Melisaki.tumblr – Reprodução

Para finalizar, algo que chama atenção nos trânsitos atuais e que fica bastante salientado nessa Lua Nova é o fato de Saturno estar em conjunção com a estrela fixa Antares, uma das quatro estrelas reais ou Sentinelas, junto com Aldebaran, Regulus e Formalhaut. Está localizada no Coração do Escorpião, na constelação de mesmo nome, mas na Astrologia Tropical ela trafega o signo de Sagitário, a 09°54’, exatamente onde Saturno “passeia” no momento! Antares é uma estrela bastante controversa. Muitos astrólogos lhe atribuem qualidades maléficas, outros dizem que é afortunada, mas todos concordam que é uma estrela das mais poderosas e que não deve ser ignorada. Tem a natureza de Marte então, tanto pode ser belicosa quanto pode acionar a vontade. Uma interpretação dada a ela, por exemplo, é “sucesso que pode ser obsessivo”. Eu vou voltar a essa conjunção mais à frente, provavelmente no post da próxima semana, mas aqui, acho que podemos nos sintonizar com a vontade de aço que essa conjunção pode representar: o foco e a disciplina, combinados com o ímpeto de sobrevivência. Essa conjunção pode representar também algumas dificuldades no próximo ciclo, mas eu voltarei a isso depois. Por hora, sintonizemo-nos com suas melhores qualidades marcianas, para ativar nossa vontade e determinação, para fazer desse ciclo, um ciclo de realização e alegria! Pela força do Leão!

Reavivemos, pois, nossa inocência e alegria e que elas possam, por sua vez, incendiar nossa criatividade! 

Reprodução
Reprodução

Lua Nova, por casa – veja onde você tem o signo de Leão aqui: 

Casa 1 – focar em projetos pessoais. A energia e o entusiasmo ficam acentuados e você se sente fazendo maior impacto no ambiente e no mundo em geral. Pode ser um bom período para fazer mudanças na aparência física. É um ciclo para se destacar e aparecer – se esse destaque é positivo ou negativo vai depender das ações e atividades desenvolvidas até aqui, assim como dos aspectos que a Lua Nova possa fazer a planetas natais.

Casa 2 – A ênfase aqui recai sobre os valores, sejam eles materiais ou imateriais. Finanças, posses, patrimônio material vêm para a linha de frente. Pode ser um bom período para reavaliar investimentos e a gestão dos recursos; para aprender uma nova habilidade que se transforme também em recurso e valor; especialmente para refletir sobre nossos valores mais essenciais e como eles influenciam nossas decisões e escolhas. Dependendo dos aspectos, pode ser um bom momento para compras e aquisições de bens duráveis ou patrimônio.

Casa 3 – Pode ser um bom momento para iniciar novos estudos e aprendizados, que serão, ou não, estimulados e favorecidos, dependendo dos aspectos da lunação. Comunicação, veículos, viagens curtas, viagens diárias para o trabalho e deslocamentos em geral também são influenciadas por estas energias. Irmãos e parentes próximos podem também se tornar foco da nossa atenção por diferentes motivos.

Casa 4 – Assuntos ligados à família de origem, assim como à família formada pelo indivíduo. A atenção é para os assuntos domésticos, do lar e da casa física em que se mora, assim como para a faceta mais íntima da vida privada. Inícios de reformas e mudanças na residência são possíveis.

Casa 5 – A criatividade e expressão pessoal recebem grande injeção de ânimo, assim como os romances e atividades de lazer e relaxamento. Filhos, como expressão mais óbvia de nossa criatividade também se tornam o centro das atenções, especialmente o filho mais velho; novas atividades criativas ficam favorecidas, como artes, danças, música, etc. Aconselhável ter cuidado com especulações e jogos de azar. E claro, se as manifestações são benéficas ou estressantes, depende dos aspectos feitos pela Lua Nova.

Casa 6 – Trabalho diário, emprego, colegas de trabalho, relação com empregados e servidores, saúde, corpo, cotidiano, bichos de estimação… É um momento de avaliar com seriedade a forma como cuidamos da saúde e especialmente avaliar o impacto de maus hábitos sobre ela, como fumar, por exemplo. Então, pode ser um ótimo momento para iniciar um novo programa de atividades físicas, de emagrecimento ou ganho de massa, e para parar com os maus hábitos. Reorganização do local de trabalho assim como programas de reeducação alimentar ficam beneficiados.

Casa 7 – Todas as relações próximas ficam sob os holofotes, sejam parcerias afetivas ou de negócios, assim como amigos mais chegados e também os tais “inimigos declarados”. Propostas de casamento ou de sociedades são possíveis, assim como rupturas, dependendo de como a lunação “conversa” com o resto do mapa e dos demais movimentos que estejam acontecendo neste mapa.

Casa 8 – Casa dos valores dos outros, da morte (não necessariamente literal) e renascimento, de crises, de impostos, seguros e heranças. E também do sexo como expressão da parceria íntima. Então todos estes assuntos podem demandar nossos cuidados e nosso tempo, trazendo benefícios ou preocupações. O período pode ser particularmente “quente” sob os lençóis e novos amantes podem aparecer à nossa porta. Intenções de regeneração da alma; projetos conjuntos com parceiros afetivos ou de negócios.

Casa 9 – As viagens de longa distancia, assim como as buscas espirituais e a mudança de crenças ocupam nossa atenção quando uma lunação cai nesta casa. Cursos superiores e vida acadêmica, assim como publicações também estão enfatizados. Os parentes do cônjuge também são vistos aqui e podem representar problemas ou alegrias. Novos conhecimentos que expandem a consciência podem ser iniciados a partir de novos contatos ou até mesmo por um livro que começamos a ler. Viagens internacionais são favorecidas, dependendo dos aspectos gerais do mapa.

Casa 10 – A casa da nossa imagem pública, da carreira, da vocação e também da mãe ou da figura materna arquetípica. Pode ser um bom momento para iniciar um novo projeto profissional, ou pleitear uma promoção. Podemos ficar literalmente sob os holofotes em situações públicas e que agregam valor à nossa persona pública e status profissional. Publicidade gratuita pode nos favorecer. Eventos ligados à mãe também podem nos afetar.

Casa 11 –  Período bom para se iniciar novas amizades, participar de grupos e associações que sempre quisemos mas nunca tomamos a atitude. Aqui vemos os amigos e as relações sociais, que obviamente ganham ênfase especial. As esperanças de futuro e projetos de longo prazo também ficam favorecidos, ou sua realização, reavaliação ou desilusão.

Casa 12 – Possivelmente a casa mais difícil de expressão de uma lunação. A casa da introspecção e do inconsciente. Esqueletos tendem a sair do armário e demandar que lidemos com eles; é uma casa de serviço, então somos convidados a prestar serviços que implicam sacrifício ou oferenda de nosso tempo e energia em favor de outros. Podemos nos sentir particularmente introspectivos e sentir o desejo de isolamento e reclusão.

(1) Dane Rudhyar – Uma Mandala Astrológica

(2) Lynda Hill – Sabian Synbols – 360 degrees of Wisdom

A Semana Astrológica – O que move o seu coração?

Alexandra Ethell - Reprodução
Alexandra Ethell – Reprodução

Semana de 1° a 7 de agosto – Semana de semear novas intenções, de plantar criatividade e de nos conectar com os anseios do nosso coração!

Findamos mais um ciclo, o ciclo de Câncer e agora nos preparamos para começar outro, que já se inicia na terça-feira, dia primeiro, com a Lua Nova de Leão. Esta Lua Nova vem nos convidar a integrar nossos melhores talentos e potenciais, a visão que temos de nós mesmos, no que ela tem de mais sonhadora e fantasiosa e que que traz de mais austera e sóbria. É tempo de lançar para o universo e semear aquelas intenções que vêm do mais profundo do nosso coração! Você está pronto para se comprometer com o que seu coração realmente quer?

E começamos também um mês novinho em folha! Agosto, a gosto de quem? Ao seu, obviamente! E já que coincidiu o início do mês com o da semana, vamos falar rapidamente dos eventos astrológicos de agosto:

Ingressão de Marte em Sagitário no dia 2

– Ingressão de Vênus em Virgem no dia 5

– Júpiter em quincunce a Urano no dia 13

– Saturno volta ao movimento direto também no dia 13

– O Sol ingressa em Virgem no dia 22

– Marte faz conjunção a Saturno, em Sagitário, no dia 24

– Vênus ingressa em Libra também no dia 29

– Mercúrio entra em retrogradação no dia 30

Reprodução
Reprodução

Mas temos muitos movimentos significativos ocorrendo já nesta semana. O Sol faz trígono a Saturno já na segunda-feira, indicando um potencial de integrarmos o fulgor do brilho Leonino, sua criatividade, alegria e diversão com a disciplina e a sobriedade saturninas, o que pode ser um excelente equilíbrio para alguns destemperos de Leão. Mas o Sol também faz quincunce a Netuno e aqui precisamos ficar atentos às fantasias que criamos a respeito de nós mesmos e de nossa auto-imagem, o pior de todos os enganos é o auto-engano! Devaneios e sonhos de grandeza sem ação concreta só nos distanciam daquilo que realmente queremos. Atenção também com os escapismos, que são uma forma de autossabotagem. Esse aspecto também pode aumentar a proverbial insegurança Leonina (especialmente para os nascidos entre 1° e 4 de agosto, que estão recebendo este aspecto de Netuno ao Sol natal), levando-nos, por compensação, a uma possível inflação de ego ou a fazer julgamentos errados de nossos propósitos e objetivos. Cautela e auto-escrutínio ainda são a melhor maneira de lidar com isso!

Everainsplanet tumblr - Repdorução
Everainsplanet tumblr – Reprodução

E gradativamente a energia de Fogo vai migrando para o pragmatismo da Terra, mas pelas próximas semanas ainda teremos bastante Fogo e Terra ativados nos céus, tendo, contudo, menos Água e nada de Ar, exceto pelos eventuais trânsitos da Lua. Isso sugere um período de grande capacidade de transformarmos visão em realidade, de aliarmos otimismo e realismo, mas por outro lado, indica que carecemos de objetividade no trato com as situações diárias e isso pode atrapalhar porque estamos demasiadamente envolvidos emocionalmente. Tenhamos isso em mente antes de levar tudo para o lado pessoal! Também podemos nos sentir meio asfixiados nas situações em geral, como es estivesse faltando ar nas situações e quando for assim, vale mesmo ir lá fora e espairecer, nem precisa reclamar de nada ou de ninguém, é só ir dar um tempo, para clarear as ideias e ter mais perspectiva.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio ingressou em Virgem, onde vai passar exatos 42 dias!!! Isso porque Mercúrio vai entrar em retrogradação neste signo, um dos períodos de retrogradação mais longos dos últimos tempos: 24 dias! Se contarmos os dois dias a mais em que fica estacionário, temos na verdade, 26 dias de movimento incomum de Mercúrio! De 30 de agosto (estaciona dia 29) até 22 de setembro (fica estacionário até 23), Mercúrio anda de marcha a ré no signo de sua regência. Antes que todos entrem em pânico eu digo: CALMA! O mundo não precisa virar de pernas para o ar e destrambelhar o senso de ordem tão amado por Virgem! A sugestão de Donna Cunningham, astróloga e escritora americana, para não só navegar sem grandes traumas e ainda tirar proveito da retrogradação de Mercúrio é se engajar em algum projeto que tenha a ver com o prefixo RE (revisões, reavaliações, replanejamentos, etc) e com a natureza do signo em questão, no caso, Virgem! Para quem é estudante, por exemplo, pode ser uma boa hora de fazer uma grande revisão de tudo o que se estudou no semestre ou no ano até aqui – atenção quem vai prestar Enem! Para quem lida com escritos, essa também é uma ótima hora para reexaminar e corrigir possíveis equívocos nos manuscritos; para quem lida com documentos e papéis em geral, vale a mesma sugestão; para todo mundo, vale retomar projetos antigos que estejam engavetados por qualquer motivo e refletir se vale a pena se empenhar para concretizá-los ou se é melhor descartá-los de vez, liberando a energia que está “pendurada” ali naquele projeto que nunca sai da gaveta dos “e se…?”. Para quem conhece o próprio mapa, estes projetos podem ter a ver com a casa pela qual Mercúrio trafegará durante a retrogradação.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Enquanto estiver trafegando por Virgem, Mercúrio fará quadratura a Saturno e oposição a Netuno, mas felizmente estes planetas ficam fora da orbe de retrogradação de Mercúrio, portanto, os aspectos acontecerão uma única vez (ufa!!!). Em compensação, Mercúrio fará três trígonos a Plutão (quando estacionar para voltar ao movimento direto estará em trígono exato!!), três conjunções a Júpiter e três oposições a Quíron, este, o aspecto mais “chatinho” de todos! Preparemo-nos e encontremos um bom projeto onde colocar a energia revisora desse Mercúrio industrioso e super concentrado! Em termos ainda mais práticos, podemos usar as próximas semanas para deixar tudo em ordem: fazer backups nos computadores e arquivos, por exemplo.

Camp Half-Blood Roleplaying - Reprodução
Camp Half-Blood Roleplaying – Reprodução

Vênus é outra que também ingressa em Virgem por estes dias, precisamente dia cinco de agosto. Ela fará os mesmos aspectos que Mercúrio, com a diferença que não estará retrógrada. Ao entrar em Virgem Vênus inaugura um período de maior discrição e contenção nos relacionamentos. Vênus em Virgem nos remete à Deusa da Lareira, Héstia para os gregos e Vesta para os romanos, a Deusa do Fogo Sagrado, que era responsável por manter o fogo aceso em todos os templos, assim como em todos os lares. O fogo não podia nunca se apagar, sob pena de acontecimentos catastróficos se abaterem sobre a comunidade. Vênus em Virgem tem como valor principal a integridade interior, o senso de completude e inteireza, porque a palavra VIRGEM não significa necessariamente intocabilidade sexual, antes, significa a mulher (ou homem) que é uma em si mesma, senhora de si, autossuficiente e independente. Discreta, reservada e contida, tem ojeriza da intromissão alheia em seus assuntos. Crítica e seletiva, é também capaz de grande gentileza e delicadeza, podendo ser uma artesã habilidosa não só com as mãos, mas também com as palavras e coisas em geral. Prestativa, demonstra afeto sendo útil, cuidando de detalhes práticos da vida, ou ainda respeitando a privacidade e necessidade de reclusão dos outros. Gosta de ser apreciada e reconhecida por suas qualidades de precisão e por fazer seu trabalho com cuidado e devoção. E também espera gentileza em troca. Com Vênus em Virgem podemos encontrar parceiros românticos no ambiente de trabalho, ou através do trabalho.

Reprodução
Reprodução

Para os Virginianos, este trânsito é um bom período para cuidar da aparência, cuidar mais de si mesmo; *comprar perfumes, loções ou artigos de beleza em geral; para sair um pouco de sua famosa reserva e socializar um pouco mais; sentindo-se mais atraentes, também acabam atraindo mais atenção e potenciais pretendentes. No quesito compras é melhor esperar Vênus se distanciar da oposição a Netuno ou podemos nos exceder em tais compras ou mesmo nos desapontar com elas depois.

Reprodução
Reprodução

Tão logo ingresse em Virgem Vênus fará quadratura a Marte. O tom principal dessa quadratura é a dificuldade de conciliarmos o desejo de liberdade e privacidade com o desejo de intimidade, particularmente a sexual. Há muita impulsividade, rebeldia, fricção e tensão nos relacionamentos, uma coloração amor-e-ódio, ou, dito simplesmente, o tipo de amor que vive entre tapas e beijos, como popularizado naquela canção sertaneja. De modo mais geral, esse aspecto também sugere que nossos valores mais profundos e os desejos que motivam nossa ação estão em discrepância com essa ação, o que pode comprometê-la ou, no mínimo, atrasá-la e causar desperdícios de recursos e oportunidades. Investimentos e compras precisam ser feitos com cautela porque estamos propensos a agir por impulso, intempestivamente, e isso, obviamente, é uma faca de dois gumes, podendo nos levar a fazer ótimos negócios ou a ter grandes prejuízos. Fiquemos atentos!

20160112191132-HIS-sao-sebastiao-historiaMarte, recuperando-se ainda da retrogradação, ingressa em Sagitário na terça-feira, dia dois, onde fará conjunção a Saturno, quadratura a Netuno, sesqui-quadratura e depois trígono a Urano. Mas ele está relativamente quieto nos próximos dias, apenas recebendo os aspectos da Lua e uma quadratura de Vênus, sua amante arquetípica, aspecto que indica tempo turbulento dentro das relações amorosas e do qual já falamos acima. Marte em Sagitário é um guerreiro cruzado, que precisa estar apaixonado por uma causa; é movido por suas crenças e ideais, pelas quais pode se sacrificar e morrer  – especialmente quando em contato com Netuno. Mas precisa ter algum distanciamento de tais crenças, para não se tornar fanático e extremista, acreditando que somente seus princípios, convicções e moral são válidos.

Galeria do Meteorito - Reprodução
Galeria do Meteorito – Reprodução

Nesta semana começamos a ver nos céus um belo alinhamento de planetas que só será visível novamente em 2018. Teremos, em sequência, Vênus, Mercúrio, Júpiter, marte e Saturno, com a adição da Lua na fase crescente. Já no dia cinco, sexta-feira, será possível ver todos eles e o arco fino da Lua logo após o por do sol, a partir das 17h30min. A sequência é aberta por Vênus, seguida de Mercúrio, Lua e Júpiter, todos logo acima do horizonte oeste. Mais acima, vindo do Leste e próximos à culminação, estarão Marte e Saturno. Este alinhamento será visível por praticamente todo o mês de agosto. Em termos astrológicos, todos estes planetas estão ocidentais ao Sol, são estrelas vespertinas e protegem a retaguarda do Sol, enquanto ele vai triunfante em busca dos seus propósitos. Mercúrio, Vênus e Lua estão acidentalmente dignificados quando ocidentais, isso lhes confere uma ênfase ou força extra – desde que não estejam combustos, ou seja, em conjunção de até 8 graus e meio ao Sol.

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana viajando rápida na fase Balsâmica, em Câncer. Renova-se em Leão e desacelera, tornando-se Crescente em Virgem. Fecha a semana já em Libra, buscando equilíbrio e equalidade no gerenciamento das emoções. Conversa com todos os demais corpos celestes, simbolizando nossas alterações de humor e de disposição ao longo dos dias.

Manuela Unterbuchner - 500px - Reprodução
Manuela Unterbuchner – 500px – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, dia 1° – O Sol Leonino está em trígono exato a Saturno em Sagitário e em sesqui-quadratura a Quíron em Peixes. A Lua está em Câncer, Balsâmica, de onde faz oposição a Plutão em Capricórnio, sextil a Júpiter em Virgem e quadratura a Urano em Áries e já à noite faz trígono a Marte, nos últimos minutos de Escorpião. Fica vazia por pouco tempo e logo ingressa em Leão. Vênus em Leão está em trígono pleno a Urano e em quincunce a Quíron. O dia está propício ao uso concentrado das energias, com foco e disciplina, de modo que com o que quer nos engajemos hoje, trará resultados duradouros e de efeitos no futuro próximo. Nossos objetivos parecem mais claros e o modo de atingi-los também parece mais factível. Há mais coerência entre o que somos, o que queremos e aquilo que fazemos no mundo, ou seja, há maior alinhamento e consciência entre nossas intenções maiores e o trabalho requerido para manifestá-las. Nos relacionamentos há um certo cansaço com a rotina e com o óbvio. Contudo, podemos ir em busca de novos estímulos sem necessariamente entornar o balde, para isso basta estarmos conscientes de nosso quinhão de responsabilidade no clima relacional, ou seja, é preciso dois para dançar tango! Culpar o outro somente não resolverá nada. Por mais que a influência venha de um aspecto harmonioso, ainda pode causa instabilidade nas relações, especialmente naquelas coloridas por forte possessividade porque existem incongruências internas que podem se manifestar como atritos, especialmente para a alma feminina, que está cindida entre os papéis e demandas tradicionais e o desejo de maior liberdade e independência. O Sol está em Leão, a Lua em Câncer e Mercúrio em Virgem, todos muito empoderados em seus próprios domínios: o pai, a mãe e o filho. Desconsiderando os aspectos que cada planeta faz, poderíamos dizer que há uma grande fortaleza no senso de propósitos e intenções, sustentado e alinhado pela adequada satisfação das necessidades emocionais de segurança e conforto e pela clareza e acuidade mentais. De forma que o dia oferece muita produtividade, foco, estamina, e potencial de muita realização. Cabe a nós canalizar as energias adequadamente!

Sybil Carmen, no Ziegfried Midnight Frolic - Reprodução
Sybil Carmen, no Ziegfried Midnight Frolic – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 2 de agosto – Marte ingressa em Sagitário. A Lua fica muitas horas sem grandes conversas no início de Leão, até fazer trígono a Saturno em Sagitário e finalmente se amalgamar ao Sol, dando início ao ciclo de Leão, às 17h44min no horário de Brasília e às 21h44min no horário de Lisboa. A Lua depois faz quincunce a Netuno. Depois de firmarmos nossos vínculos afetivos e familiares e termos trabalhado mais conscientemente em nossa segurança emocional no último ciclo, estamos prontos para relaxar e nos permitir ser mais criativos e focar em nós mesmos. A Lua Nova de Leão é um convite a definir nossas intenções a partir dos desejos mais caros ao nosso coração, aquilo que realmente nos move e trabalhar com foco para realizar essas promessas que fazemos a nós mesmos. É momento de recuperar nossa alegria e inocência e acreditar que podemos mudar o mundo, porque podemos mudar a nós mesmos. Mas essa é também uma Lua para nos conscientizarmos da necessidade da diversão e alegria na vida. Por mais que precisemos trabalhar e nos comprometer com as coisas sérias e com os objetivos de longo prazo, nada disso terá sentido se não conseguirmos criar tempo e espaço para gozar daquilo que criamos e construímos, para relaxar e aproveitar a vida sem maiores preocupações. Passamos o tempo todo trabalhando arduamente, teoricamente para termos uma vida melhor, mas chegamos ao ponto em que esquecemos o propósito inicial, de modo que trabalhamos demais e gozamos de menos, o lazer e a diversão sendo vistos, muitas vezes, como perda de tempo, como coisa de gente irresponsável e imatura. Qual o sentido de tudo isso se não pudermos celebrar o mero fato de estarmos vivos? Assim, este é um ciclo que traz possibilidade e potencial de integrarmos o trabalho, as obrigações com o lazer, a diversão e a alegria. Se nos comprometemos tanto com os deveres, por que não nos comprometermos igualmente com nosso bem-estar e alegria de viver? Como diz aquele ditado em inglês, só trabalho e nenhuma diversão deixam a vida muito chata! Se nos empenhamos muito no trabalho, podemos nos empenhar mais ainda na hora de usufruir de seus frutos e resultados, na hora de nos divertirmos – não é para isso – também – que damos um duro danado?

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 3 de agosto – Renovada, a Lua segue por Leão e hoje faz quincunce a Plutão e a Quíron e trígono a Urano, fechando a noite já em conjunção a Vênus. O Sol Leonino está em quincunce exato a Netuno em Peixes. O dia traz muita motivação e entusiasmo por um lado, um impulso pueril de ir para o mundo sem estribos ou cuidados. Mas por outro lado, há muita desarmonia e incompatibilidades também. A alegria e jovialidade são nublados por inquietações e imprecisão na hora de escolher e decidir as coisas, de modo que duvidamos de nós mesmos e nos percebemos portadores de uma vulnerabilidade insidiosa, inexplicável. Lançamo-nos em busca de algo indefinível, quase inefável, embora não consigamos clarificar, nem para nós mesmos, o que seja isso, o que acaba por nos deixar com uma sensação indizível de insatisfação. Podemos ter um pressentimento ou sensação de que, embora tudo esteja bem, algo parece estar fora do lugar e fica ali, num canto qualquer da alma, a nos perturbar e incomodar, e no fim, não conseguimos mesmo relaxar ou nos soltar, receosos do que virá a seguir, seja no virar da esquina, seja a partir do outro, seja do fluir das nossas próprias emoções. Em função de todas essas discrepâncias, sem perceber, inconscientemente, nos colocamos em situações críticas, caóticas, que podem nos expor à má fé alheia ou, pelo menos, ao desperdício de oportunidades pela incapacidade de sustentarmos o que realmente queremos, porque não há clareza sobre isso, por acharmos que está lá fora. O que precisamos mesmo é nos conscientizar dessas disparidades internas, da nossa ingenuidade e tendências à autossabotagem, para então darmos colo a essa criança insegura e indefesa que ainda há em nós, mas que às vezes resolvemos ignorar, para não lidar com o que ela representa: essa vulnerabilidade tão grande que nos faz tão humanos. O adulto que somos hoje pode ser pai e mãe para essa criança frágil e descobrir que ela também carrega consigo a alegria mais genuína e os talentos mais preciosos, mas para acessarmos a estes, primeiro temos que lidar com aqueles! Estamos dipostos?

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 4 de agosto – A Lua abre a madrugada em conjunção a Vênus, no fim de Leão. Fica vazia às 02h14min e ingressa em Virgem às 05h34min. De Virgem ela faz quadratura ao guerreiro cruzado Marte, em Sagitário e conjunção a Mercúrio, fechando a noite em quadratura também a Saturno e oposição a Netuno, formando uma T-Square mutável. O Sol está como foco de um Yod super amplo, fazendo quincunces a Netuno em Peixes e Plutão em Capricórnio. Uma Lua Virginiana e industriosa, ainda nova e impulsiva, nos sugere um dia igualmente industrioso e impulsivo, especialmente porque esta Lua está em tensão a Marte. Considerando-se que a Lua encontrará a desaprovação também de Saturno, temos um dia propício a muito criticismo e julgamentos, às vezes destrutivos ou disfarçados de “conselhos bem intencionados”. Mas é possível também que estejamos ultra sensíveis e nos irritemos por coisas pequenas e tolas,  criando um clima organizacional pesado e chatinho, por não conseguir gerenciar nossas suscetibilidades. Ou pode ser que encontremos alguém assim no nosso caminho, a nos acusar de frieza e dureza de julgamento, quando na verdade estamos apenas apontando uma dificuldade real na execução e condução daquilo em que estamos envolvidos. Qualquer que seja a situação, precisamos separar a necessidade objetiva de comunicar um problema, do mero hábito de criticar por falta de algo melhor para fazer, só pelo gosto de apontar a falha alheia, para mascarar nossa própria insegurança e dúvida. Antes de revidar cegamente e dar o troco  em forma de um comentário aparentemente inocente, mas maldoso, fazemos melhor se checamos nossas sensibilidade excessiva e nosso complexo de impostor.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 5 de agosto – É dia de Vênus, que ingressa em Virgem às 12h27min, onde ficará até o dia 30 de agosto. Vênus está em quadratura a Marte, exata amanhã. A Lua se afasta da quadratura a Saturno em Sagitário enquanto torna exata a oposição a Netuno em Peixes na madrugada. Durante o dia ela faz trígono a Plutão em Capricórnio e finda a noite em conjunção a Júpiter, formando um lindo par no céu noturno – atenção para o alinhamento planetário após o por do Sol, que possivelmente começa a ser visível hoje! Mercúrio está muito perto da quadratura a Saturno e o Sol muito próximo do quincunce a Plutão. Dia de muitos caprichos e oscilações. Apesar da diligência e meticulosidade, estamos um tanto “realistas” demais e, por que não dizer, pessimistas em nossa perspectiva, talvez com uma percepção mesquinha ou um senso de humor mordaz e obscuro, de modo que tendemos a afastar as pessoas mais próximas com nossa forma sombria e meio intolerante de interagir e emitir opiniões – precisamos pensar sobre isso antes de reclamar de solidão. Em termos práticos o dia favorece a atividades que requeiram concentração, apuro técnico, diligência, esmero e afinco. A capacidade de concentração peculiar que conseguimos hoje nos ajuda a realizar muito, se formos bem-sucedidos em lidar com as inseguranças e medo de falhar ou de não sermos bons o bastante.

Cara Tahayer and Louie Von Patten - Reprodução
Cara Tahayer and Louie Von Patten – Reprodução

SÁBADO, 6 de agosto – A Lua Virginiana faz conjunção a Júpiter, quincunce a Urano, oposição a Quíron e semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Crescente. Fica vazia depois do contato com Júpiter, à 00h21min. Ingressa em Libra às 13h57min, de onde se harmoniza com Marte em Sagitário, que hoje recebe a quadratura de Vênus em Virgem. Mercúrio também está num dia tenso, em quadratura plena a Saturno e em oposição quase exata a Netuno. O dia estaria favorável para se dormir um pouco mais, não fosse o censor interno que nos obriga a levantar e sair fazendo coisas para nos sentirmos “úteis” e prestativos. Mas talvez devamos mesmo calar essa voz mal-humorada e opressiva que teima a nos ditar ordem em nossos ouvidos, mesmo quando já entregamos nossas tarefas… Ops! Será que entregamos mesmo todas as tarefas? Se entregamos ou não, já foi o tempo e agora é esperar os resultados e… relaxar, porque não há objetividade suficiente para ir pra mundo fazer coisas úteis ou produtivas, assim, é melhor cuidar de si, fazer um cafuné – sombra e água fresca também é parte da vida, Virgem! À tarde as influências estão mais dinâmicas e sociáveis, de modo que podemos sair e bater pernas, encontrar pessoas, ver a vida e buscar o equilíbrio necessário para lidar com os dilemas amorosos, que hoje pipocam tensos. A coisa é mais ou menos assim: se estamos juntos, não está bom porque brigamos feito cão e gato e sentimo-nos presos e cerceados em nossa liberdade; mas daí nos separamos e nos sentimos perdidos e largados, à deriva no mundo, sentindo falta do outro e da força da sua presença em nosso dia, em nossa vida… Como chegar a um acordo? Conversando, dialogando, negociando, conciliando – não existe fórmula mágica! Relacionamentos em que as pessoas não lidam abertamente com os problemas e insatisfações estão mais propensos a terem dificuldades com este trânsito. Em compensação, as relações mais maduras e saudáveis se beneficiam enormemente, pois há muita energia amorosa e desejo sexual à disposição, de modo que os casais podem, ao invés de brigar, unirem-se mais ainda, fortalecendo a cumplicidade e as afinidades mútuas.

Dani Lopez - Reprodução
Dani Lopez – Reprodução

DOMINGO, 7 de agosto – De Libra a Lua conversa com Saturno, toda sociável, mas se indispõe com Netuno em Peixes e briga frontalmente com Plutão em Capricórnio. A Lua ainda se harmoniza com o Sol, enquanto Mercúrio faz oposição exata a Netuno. O clima de ontem perdura por hoje nas relações, com a adição de algumas dúvidas e da necessidade de escolher.  Por que cobrar do outro algo que eu dei espontaneamente? Por que usar isso como barganha ou como arma de manipulação? Se não temos clareza sobre o que queremos realmente e a forma como comunicamos isso, abrimos brechas para todo o tipo de mal-entendidos e decepções e ainda nos sentiremos lesados, quando na verdade, talvez não tenhamos sido muito honestos na coisa toda, para começo de conversa e ainda queremos bancar a vítima lesada… Novamente, o que mais se precisa hoje é a honestidade emocional, especialmente consigo próprio. Achar o equilíbrio adequado entre o que eu quero e o que o outro quer e fazer a escolha certa para o momento. E novamente, negociar, mediar, conciliar… se conseguirmos fazer isso, em lugar de controvérsia, teremos relações mais honestas e autênticas, além de mais frutíferas e satisfatórias. E a vida fica mais leve e mais feliz – já temos problemas demais no mundo lá fora – que está desabando diante dos nossos olhos – para ficar criando problemas imaginários aqui dentro!

Desejo que sua semana seja de luz, alegria e paz! Que seja também criativa, produtiva e animada!

Reprodução
Reprodução

Lua Cheia em Escorpião: purgar e transcender

lua fernando
Fernando Tavares – Lua Cheia em João Pessoa

A Lua é cheia na madrugada de domingo para segunda, dia 04 de maio, às 00h42min no horário de Brasília e às 04h42min no horário de Lisboa (23h42min do domingo, 3, no horário de Cuiabá), a 13°22’ de Escorpião. Se a Lua Nova simboliza o casamento da Lua e do Sol ou um momento de fecundação, a Lua Cheia, como ápice do ciclo, simboliza um momento de crise, um divisor de águas a partir do qual ou o casal se separa ou a relação se fortalece, se aprofunda, ficando o casal mais cúmplice e ainda mais unido. No caso da fecundação a Lua Cheia simboliza o nascimento da criança. É muito comum, embora não seja regra, que pessoas nascidas na Lua Cheia tenham passado pela experiência do divórcio dos pais, ou que mesmo que não tenha havido separação, os pais viviam “em pé de guerra” por assim dizer, e a criança sentia-se angustiada por se sentir pressionada a escolher entre um e outro. Em outras palavras, a divisão é entre os princípios masculino e feminino da psique, ou um conflito entre os propósitos conscientes e as necessidades de nutrição e segurança emocional.

taurus - josephine wall -
Josephine Wall – Touro – Reprodução

O eixo Touro-Escorpião está relacionado com “sexo, desejo e propriedade e enquanto Touro se preocupa em construir, Escorpião cuida de destruir. Os dois signos lidam com questões de adquirir e manter dinheiro, posses e amantes/amores. Os dois podem ser extremamente possessivos com pessoas ou recursos, mas enquanto Touro se inclina mais para a acumulação de coisas, Escorpião se inclina para a posse emocional”, afirma Sue Tompkins (1). Ela continua dizendo que Touro busca satisfazer necessidades básicas de comida, abrigo e sexo, gozando da fartura da Natureza e dos prazeres sensuais dos sentidos, enquanto constrói estabilidade sem questionar suas motivações, uma vez que vê a vida de forma simples e descomplicada.

Escorpião11
Escorpião – Reprodução

Já Escorpião busca experimentar a vida de forma intensa, acumulando experiências, querendo sempre mais e mais, compulsiva e obsessivamente, destruindo no processo, tudo o que ameaçar restringir seu desenvolvimento, provocando crises que visem eliminar o obsoleto, antes mesmo de se tornar como tal. Em busca das novas experiências, destruirá aquilo que já existe, não importa quão doloroso isso seja. “Touro ensina a Escorpião aceitação e paciência, enquanto Escorpião convida Touro à paixão e a viver a vida mais profundamente”. Esse eixo também está relacionado com a carta do Diabo, por suas associações com instinto, poder, posse, luxúria e apegos.

O Diabo
Arcano XV, O Diabo – Tarô de Nei Naiff

Em Escorpião também entramos em contato com os valores alheios e nos misturamos ao outro na intimidade, no quarto de dormir, ou seja, estamos falando do que trocamos e de como trocamos na intimidade: carícias, fluidos, energias, valores, amor, prazer, experiências… Em contato com os valores dos outros talvez transformemos os nossos ou os reiteremos. Por valores leia-se posses materiais, dinheiro, como também os valores mais profundos sobre os quais baseamos nossas atitudes, decisões e vivências.

06-amantes
Reprodução

Vemos então, a partir disso, qual é a tarefa proposta pela Lua Cheia de Escorpião: eliminação do obsoleto, eliminação dos apegos, transformação dos valores e da intimidade. Eliminação daquilo que se solidificou e cristalizou em demasia, a ponto de impedir nosso movimento, o avançar para novas experiências. Mas aqui não se trata apenas das coisas materiais às quais Touro se apega tão ferrenhamente; precisamos ir além e eliminar principalmente os sentimentos venenosos que infestam e contaminam nosso coração de toxicidade; eliminar rancores e mágoas, que Escorpião tantas vezes carrega como se fossem verdadeiros tesouros e que impedem que nos conectemos verdadeiramente aos outros e à vida. É sempre bem mais fácil se desapegar de coisas do que de sentimentos, sejam eles bons ou ruins.

Lua Cheia Scorpio 2015
Lua Cheia em Escorpião, Brasília, 04 de maio de 2015, 00h42min

O mapa da Lua Cheia traz uma configuração que exagera e amplifica ainda mais estes temas, porque Lua e Sol fazem uma quadratura quase exata, de apenas 12 minutos de orbe, com Júpiter em Leão. Aqui, a tarefa da Lua é eliminar o inútil e sem vida, os rancores virulentos, as mágoas traiçoeiras que queimam o coração e envenenam a vida. Porque só depois de termos feito essa limpeza e purgação é que conseguiremos viver com mais intensidade e paixão, e, principalmente, com mais integridade e verdade. Júpiter é o foco da T-Square fixa que tem por base a oposição Sol-Lua. Além de expandir e dramatizar estes temas, Júpiter nos fala que o resultado positivo dessa alquimia que transforma possessividade em liberação e incinera o lixo tóxico dos apegos físicos e emocionais, é um coração que volta a ser inocente, juvenil, limpo do fel que nos entristece e nos amesquinha. Libertos dos ressentimentos e animosidades, podemos liberar também a criatividade, a alegria, a fé e a vontade de viver de forma mais autêntica. Um coração limpo e renovado também é mais justo, generoso e magnânimo! E também mais apaixonado e verdadeiro. Sendo a Lua Cheia uma colheita, o que faremos com seus frutos, aqueles plantados lá na Lua Nova? Seremos avaros e os guardaremos somente para nosso próprio prazer e usufruto, ou abriremos nosso celeiro e coração para partilhar a abundância que nos foi dada? Podemos nos agarrar a esses frutos com medo de perdê-los ou podemos partilhá-los e perceber que se multiplicam.

natgeo
National Geographic Reprodução

Júpiter como foco dessa T-Square também aponta para o risco de nos enrijecermos e nos apegarmos ao nosso orgulho de forma teimosa e arrogante; por causa do nosso orgulho, então, não cedemos um milímetro e nos apegamos ainda mais obstinadamente à nossa mágoa ou à ofensa que achamos que o outro nos imputou – e viva o senso da auto-importância! Criamos crises desnecessárias e viramos rainhas ou reis do drama, para chamar a atenção e manipular nossa audiência, aumentando, de novo, esse senso de auto-importância, sem perceber que perdemos com isso o respeito dos outros e até o próprio – viramos meros bufões no palco da grande ópera. É preciso, sim, abrir o coração para a generosidade e a doçura, abrir mão das mágoas e aceitar, beber do copo de magnanimidade que nos é oferecido.

julien pacauld - perpendicular dreams
Julien Pacauld – Perpendicular Dreams  Reprodução

O que me leva ao Símbolo Sabiano do grau 13 de Escorpião, o grau da Lua Cheia: “um instalador de telefones trabalha instalando novas conexões”. O símbolo fala de conexões, de ser capaz de se conectar com pessoas ou situações, às vezes através de equipamentos ou mesmo de forma psíquica, diz Lynda Hill. “Isso fala de networking e o desejo de falar com as pessoas e juntá-las para melhorar a comunicação. Se pessoas fracassaram em expressar completamente seus pensamentos, idéias ou emoções, nada conseguirão se ficarem somente se preocupando com isso; antes, é preciso fazer algo para consertar as linhas de comunicação. Fazer isso pode causar novas conexões surpreendentes, com pessoas se conectando mesmo dos lugares mais isolados” (2). O símbolo está relacionado com a comunicação, telefones, emails, internet e todo o tipo de networking. Também sugere linhas cruzadas, fracasso nas comunicações ou fofocas e ressentimentos, manipulação. Este símbolo também é importante porque os dois responsáveis por conexões, Vênus e Mercúrio, estão ambos Fora de Limites atualmente, indicando que tudo pode acontecer no que tange ao estabelecimento destas associações – e mais: Mercúrio entra na sombra de retrogradação já na segunda-feira e estará estacionário no mapa da próxima Lua Nova. Assim, a Lua Cheia neste grau de Escorpião convida e propõe uma abertura nos canais de comunicação com as outras pessoas, a tornar-nos mais receptivos se queremos resolver querelas, desentendimentos e rixas; se queremos de fato limpar e liberar nosso coração e nossa alma do azedume que por acaso tenha tomado conta de nós. É preciso limpar os canais para que a conexão seja restabelecida e seja efetiva – mas se preferirmos, podemos continuar com o fone fora do gancho, com as linhas cortadas, emburrados e apegados ao nosso orgulho, deixando a vida murchar ao nosso redor.

Hedy-Lamarr-Ziegfeld-Girl
Hedy Lamarr, que tinha Vênus fora de Limites – Reprodução

Por fim, não posso deixar de falar de Vênus, a regente de Touro que está em Gêmeos, fora de curso, praticamente sem aspecto, apenas se separando da quadratura a Quíron, já com mais de 5 graus de orbe; mais: Vênus está Fora de Limites até o dia 1° de junho. Esses dois fatos sobre Vênus apontam para uma expressão radical e extravagante dos afetos e dos apegos, indicando uma manifestação imprevisível destes afetos e da própria sexualidade. Por que Vênus é importante? Porque além de ser regente do Sol, ela é também regente de um dos dispositores da Lua Cheia, Marte, regente de Escorpião, que está em Touro. Marte também está quase sem aspectos, se separando de um sextil ao mesmo Quíron. O outro regente de Escorpião, Plutão, já sabemos, está em Capricórnio em quadratura a Urano, recebendo trígono do Sol, sextil da Lua e quincunce de Júpiter – ou seja, bem integrado e indicando que estamos mais que conscientes da grande necessidade dessa transformação. De modo que precisamos fazer um esforço consciente e altruísta na direção da limpeza, do perdão, da liberação das mágoas para que as conexões sejam restabelecidas – não podemos deixar nas mãos do acaso e dos caprichos de uma deusa do amor extremada que pode tanto nos juntar, quanto nos separar mais ainda. Não só as conexões com as pessoas lá fora, mas também a conexão conosco mesmo, com nossa criança e alegria interiores, com nossa fé e, principalmente, com nosso coração generoso e magnânimo!

582715_335531906558542_1411932644_n
Samarelart – Reprodução

Vênus Fora de Limites está focada nas próprias coisas, ao invés de seguir os ditames do Sol, que, aliás, é seu regido. Assim, a tendência é focarmos no prazer e na alegria e buscarmos a expressão livre e mais espontânea dos afetos. Vênus nesta posição também sugere uma transformação radical na forma como vivenciamos nossa sexualidade, caso ela tenha caído na previsibilidade, no mero hábito e no conservadorismo, como simbolizados pelo Sol em Touro. Escorpião nos convida a questionar o hábito e o costume, a repetição, a satisfação meramente carnal e a ir além, a viver a sexualidade de forma passional e intensa, a uma entrega visceral e completa, com o intuito último de chegar mais perto de Deus, porque em última instância, para além da dimensão físico-biológica, essa é a função do sexo: diminuir a separatividade humano-humano e nos conectar com o divino no outro e no mais profundo da nossa alma, conexão propiciada pela perda do senso de ego ocasionada pelo orgasmo – a pequena morte. Uma sexualidade que é mais que satisfação dos instintos e dos impulsos biológicos pela reprodução, que nos coloca no caminho da transcendência.

thespiritscience
Thespiritscience – Reprodução

Permitamos então, nesta Lua Cheia, que as águas de Escorpião nos purifiquem de nossas mágoas e dissabores; libertemo-nos das velharias, do ranço, do bolor, do azedume da alma, para que nosso coração possa voltar a ser criança e amar inocentemente, apenas pelo gosto e satisfação de amar; vivamos a sexualidade também como forma de conexão profunda e não apenas como descarga física. Demo-nos ao luxo dos luxos de ser generosos, espontâneos, criativos, apaixonados e verdadeiros em tudo o que fizermos; de viver intensamente, com entusiasmo e alegria, porque Escorpião, melhor do que ninguém, sabe que nos ciclos que se repetem vida afora, os dias não voltam e a dádiva do hoje é um presente único e irrepetível!

Desejo a você uma feliz Lua Cheia, cheia de alegria, de generosidade, de paixão, entusiasmo, de transcendência!

moon magicalnaturetour
Magicalnaturetour – Reprodução

OBSERVAÇÃO: Com Vênus Fora de Limites e Júpiter como foco dessa T-Square Fixa, é preciso ter cuidado também com exageros. Júpiter e Vênus são focados no prazer e na diversão e aqui podemos perder a mão e errar feio na gestão dos nossos afetos, valores, recursos, tornando-nos vorazes consumidores de comida, luxos, sexo, bens, pessoas… É bom manter em cheque os apetities!

marina mollares
Marina Mollares Reprodução

(1) Sue Tompkins – the Astrologers handbook

(2) Lynda Hill – The Sayan Oracle