Arquivo da tag: ilusão

Lua Nova em Sagitário – Qual é o seu Plano B?

new-catrin-welzz
Catrin Welz-Stein – Reprodução

Qual é o código para decifrar seus sonhos?

A Lua é nova nesta terça-feira, dia 29 de novembro, às 10h18min no horário de Brasília e às 12h18min no horário de Lisboa, inaugurando o ciclo de Sagitário, a fase do ano em que procuramos maior significado para nossas vidas, buscamos mais aventura e renovamos nosso otimismo. Nossos interesses se expandem e abrimos a mente para abraçar novas ideias e perspectivas. Neste período, também somos convidados a observar nossas crenças e nossa espiritualidade mais de perto; verificar se vivemos o que proclamamos, se cremos no que pregamos, se falamos o que cremos e se somos o que dizemos que somos – essa é uma paráfrase de uma citação de D. Pedro Casaldáliga, que no original diz o seguinte: “Ser o que se é, falar o que se crê, crer o que se prega, viver o que se proclama, até as últimas consequências” – será que podemos dizer isso de nós mesmos? O ciclo de Sagitário vem nos questionar isso… E caso identifiquemos que estamos fora dos trilhos, sempre podemos retomar o rumo certo. Certo? Hummm… Talvez.

Lua Nova em Sagitário - Brasília, 29 de novembro de 2016, 10h18min
Lua Nova em Sagitário – Brasília, 29 de novembro de 2016, 10h18min

O problema é que o rumo está deveras incerto neste ciclo. Ocorre que a Lua Nova se dá em quadratura bem próxima a Netuno em Peixes, o Mestre da Neblina, das Ilusões, das Incertezas… A Lua se renova a 07°42’ de Sagitário, a menos de dois graus da quadratura a Netuno, e a menos de meio grau da quadratura ao eixo nodal, o que nos sinaliza um ciclo um tanto confuso, de nevoeiros densos que atrapalham a visão de longo alcance do Arqueiro. Justamente num período em que precisamos de clareza para olhar para o futuro, depois de todas as tensões e dúvidas que vivenciamos ao longo dos últimos meses, sentimo-nos sem rumo, perdidos, sem saber direito para onde ir a partir daqui, sem saber se nossos sonhos são válidos ou se são apenas quimeras e ilusões douradas… A não ser pela conjunção hiper-ampla a Saturno (quase dez graus) que muitos nem considerariam, a quadratura a Netuno é o único aspecto que a Lua Nova faz, o que o torna muito importante e enfatizado. Então, sim, ainda temos muitas dúvidas à frente… A quadratura aos Nodos Lunares nos sugere que podemos tanto encontrar esse rumo alvissareiro, como podemos nos perder de vez, portanto, precisaremos sair com as lanternas acesas mesmo ao meio-dia…

Reprodução
Reprodução

Como se não bastasse, este mapa traz uma assinatura de Fogo Mutável: há muito ímpeto, muitos projetos, entusiasmo exacerbado, mas pouco se realiza se não se puser os pés no chão; vamos de um projeto a outro, achando que o sentido está sempre ali, logo adiante. Temos muita energia mutável ativada nos céus (Sol, Lua, Saturno, Mercúrio, Netuno, Quíron) e somente temos Marte em signo fixo, em Aquário, então, há pouca consistência naquilo que buscamos realizar, dispersamo-nos em muitas direções, aumentando a sensação de estarmos perdidos; há dificuldade em ser constante e por vezes, vamos ao extremos oposto e nos fixamos numa ideia qualquer, só para provar que estamos certos, mesmo que aquilo seja uma tolice. É preciso cautela com as paixões e com os entusiasmos do tipo “fogo de palha” ou, pior ainda, com entusiasmos do tipo fogo-fátuo, que é mais fugidio ainda e se origina da decomposição daquilo que um dia foi vivo e válido, mas que hoje se decompõe!

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

Mais: no mapa levantado para Brasília Lua e Sol estão interceptados, ou seja, o signo de Sagitário está “preso” dentro da casa 11, estando Escorpião na cúspide da própria casa 11 e Capricórnio na cúspide da 12. Dessa maneira, Lua e Sol ficam presos e meio “sem saída” ou sem canal direto de expressão. Planetas interceptados ou signos interceptados são um tanto controversos e pouco se fala sobre o assunto. Normalmente não presto tanta atenção a signos interceptados numa interpretação de mapa, a não ser que haja planetas ali, mas no meu entender, quando um signo ou planeta está interceptado, a sensação é de que algo está guardado dentro de um quarto que foi construído sem portas ou janelas, sem aparentemente nenhuma via de acesso àquilo que está lá dentro; ou, dito de outra forma, talvez haja uma porta blindada que só se abre com uma chave especial ou um código de acesso, mas esse código não é fácil de decifrar. Ainda, como diz Rainer Maria Rilke num de seus poemas, “é como se fossem salas fechadas ou livros escritos numa língua muito diferente daquelas que conhecemos”. Então, sabemos que há algo ali, mas não acessamos tão facilmente nem diretamente, é um tanto inconsciente, permanece em estado de latência, meio indefinido, carecendo de clareza, até que seja ativado por trânsito ou progressão (no caso de mapas natais); é um quarto que pertence à casa, mas cuja comunicação com o resto dessa casa está comprometida. Dessa forma, o uso dos recursos e talentos representados pelos signos e planetas interceptados são “retardados”, por assim dizer, demoram a se expressar, porque levamos tempo até descobrir a via de acesso, ou até aprender a decifrar o código que nos permita acionar tais energias dentro de nós, o código que decifre os nossos sonhos relativos àquela área de vida! Mas é possível!

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Assim, em se tratando do início de um ciclo em que deveríamos renovar nossa fé e esperança, essa interceptação, somada à quadratura a Netuno, sinaliza que talvez tenhamos dificuldade em tal renovação… Como ser otimista diante dos cenários sociais, políticos e econômicos atuais? Como ter esperança quando parece que tudo desanda e vai de mal a pior? Estamos tão desiludidos, sentimo-nos lesados, tantas vezes, repetidamente… Daí a grande dificuldade em acessar o otimismo que está lá, latente, dentro de nós, mas que é tão elusivo, como elusivo é Netuno, como elusivo é um signo interceptado… Saturno e Mercúrio também estão interceptados em Sagitário neste mapa e eu diria que simbolizam nossa grande desconfiança quanto às ideias de justiça, quanto ao cumprimento de tal justiça… Como fazer cumprir leis tão bonitas, se os infratores parecem escapar por entre os dedos, tal o número de artimanhas, engenhosamente elaboradas? Parecem estar além do nosso alcance, num quarto lacrado, em outra dimensão, divertindo-se às nossas custas – sim, você entendeu, estou falando dos nosso problemas políticos! Ou talvez se dê da forma contrária: nós nos sentimos presos num quarto, incomunicáveis, sem conseguir decifrar o código da porta eletrônica, ou talvez não haja portas, nem janelas, nem telhado, apenas escuridão… Como ganhamos acesso a esses recursos, dos quais precisamos tanto? Como encontrar a saída? Como nos reorientar e achar o rumo perdido? Como encontrar nosso Norte?

Reprodução
Reprodução

A primeira pista é olhar para os aspectos que tais planetas fazem, porque eles são a primeira saída e canal primevo de expressão de tais energias, então, Netuno aqui não pode representar só problemas, precisa representar também soluções. E já que Netuno é subversivo e elusivo, enganoso e liso feito quiabo, precisamos usar isso a nosso favor; ao invés de ir pelas vias diretas, devemos buscar as alternativas não óbvias, usar a imaginação, recorrer à linguagem mágica para tentar entender os tais códigos e, ainda assim, permanecer atentos aos cantos das sereias enquanto estivermos navegando, estejam os mares bravios ou plácidos. Também precisamos acessar nossos sonhos! O que nos faz sonhar? Realmente? Com o que sonhamos atualmente? Ou nem nos permitimos mais? Se deixarmos que roubem nossos sonhos, eles terão vencido a guerra sem disparar nem uma bala, nem umazinha sequer! Mas é claro que precisamos discernir entre sonhos factíveis e meras quimeras… Será que conseguimos perceber a diferença no atual estado de coisas? A outra questão importante quando se trata de Netuno é ser humilde e saber que estamos à deriva e quando se está à deriva, o melhor, muitas vezes, é esperar, ser paciente, soltar-se e abrir mão de saber o que fazer, de saber a direção… Deixar-se conduzir, para variar. Aprender a flutuar, até que as ondas nos levem à praia. Usar como bússola o coração e a intuição, ao invés da cabeça e das vias lógicas.

Reprodução
Reprodução

A outra pista é olhar para o planeta dispositor do signo/planetas interceptados, que no caso, é Júpiter! Júpiter está em Libra, na casa 9, sua casa natural (no mapa para Brasília), avançando para a oposição a Urano e afastando-se da quadratura a Plutão e ainda recebendo a quadratura separativa de sua regente, Vênus, que aliás, está em quadratura exata a Urano, quer dizer, mais idealismo, mais extremismo, mais rebeldia! Júpiter recebe, também um trígono de Marte, que ficará exato três dias depois da Lua Nova. Definitivamente, este não é um Júpiter preguiçoso, pelo contrário, é um Júpiter, mais que idealista, corajoso e bom de briga, iconoclasta, ambicioso na sua expansão, implacável nos seus métodos. Ele quer sua expansão a qualquer custo e vai correr os riscos! E os resultados se manifestarão de forma bem concreta e palpável, concreta como pedra, para o bem ou para o mal! Assim, para ter acesso ao Sol e à Lua – e também a Saturno e Mercúrio – precisamos ter uma atitude dinâmica e questionadora com relação àquilo que pregamos, com relação às nossas crenças; precisamos ser ambiciosos em nossos sonhos, mas ao mesmo tempo ser vigilantes quanto à nossa ética e integridade, para não fazermos vistas grossas ao nossos próprios “pequenos” deslizes, cometidos em nome de “um bem maior”, como costumamos dizer para nós mesmos à guisa de justificativa; a justiça é cega e assim deve ser, não pode ser caolha para favorecer a mim ou aos meus, ou a quem quer que seja, mas nessa configuração, um dos riscos é pensarmos que estamos acima do Bem e do Mal, que somos o próprio Deus onipotente, onipresente  onisciente e que podemos arbitrar conforme nos aprouver e não conforme a justiça de fato requer– soa familiar com aqueles congressistas que só legislam em causa própria? (Com Netuno tão influente neste ciclo, realmente precisamos ficar de olho nas votações desses projetos estapafúrdios que tramitam atualmente no congresso e casas legislativas… Se a gente piscar, o atestado da idiotia nacional será promulgado! Sim, brasileiro, o povo mais idiota do mundo, que elege legisladores e administradores que saqueiam os cofres da nação e só trabalham para se perpetuarem no poder, criando e aprovando leis que os protejam ad infinitum).

Reprodução
Reprodução

E uma terceira pista, na verdade são duas – para quem tem planetas e signos interceptados no mapa natal, principalmente: a auto-observação nos momentos de distração, quando estamos a realizar atividades ligadas àquela casa e planeta/s em questão, porque quando estamos mais distraídos é quando revelamos nossa face mais genuína e espontânea. Não deixa de ser um paradoxo porque no momento em que nos damos conta do que fazemos, a atividade talvez deixe de ser espontânea, mas ainda podemos observar em retrocesso e anotar mentalmente qual era a nossa atitude de então. E, por último, fazer o oposto do sugerido acima, ou seja, buscar executar as atividades relacionadas ao signo/planetas/casas de forma bastante consciente, sendo ao mesmo tempo, observador e observado durante todo o processo e, ao final, fazer mais anotações, para então cruzar e comparar ambos os momentos, a atitude distraída e a atitude consciente, chegando aos pontos em comum. Daí então poderemos ter mais clareza de como o processo se dá para nós.

Mihai82000.Deviantart - Reprodução
Mihai82000.Deviantart – Reprodução

No caso do ciclo em questão, talvez precisemos fazer tudo ao contrário, já que não teremos tempo para observar o que está por vir, visto que já precisaremos estar prontos para o que der e vier: precisamos olhar em retrospecto e nos lembrar do que é que aciona nosso otimismo e nossa esperança; o que, no passado, nos levou a reencontrar nosso Norte quando estávamos perdidos; o que trouxe sentido quando tudo parecia vazio; o que deu um sentido de ordem, quanto tudo resvalava no caos; o que nos tornou humildes quando nos inflamos de arrogância e, ao contrário, o que nos deu confiança quando nos sentíamos por baixo. Em resumo, precisamos ter um “Plano B”, porque o “Plano A”, a princípio, está lacrado e inacessível num quarto sem portas ou janelas e sim, teremos acesso a isso mais à frente, mas enquanto esperamos a clareza, precisamos já ir trabalhando, mesmo que os rumos pareçam incertos e temerários… Qual é o seu Plano B? Se não tem, desenhe um! Alguma vez você já ousou por um Plano B em ação? Isso não deveria ser problema, visto que Sagitário sempre vê muitas possibilidades diante de si.

Reprodução
Reprodução

O Símbolo Sabiano do grau 8 de Sagitário (07°42’) traz a seguinte imagem: “Nas profundezas da Terra novos elementos são formados”. Dane Rudhyar nos lembra que o tom central desse símbolo é “o fogo alquímico que tanto purifica quanto transforma a própria substância da vida interior do homem”. Ele nos lembra que, mesmo quando nada parece estar acontecendo na superfície, processos importantes ocorrem nas profundezas da Terra ou do Mar, da mesma forma, o ego consciente geralmente desconhece os processos alquímicos do inconsciente e só se dá conta deles quando uma mudança importante acontece, a ponto de não ser mais ignorada e então um novo nível de consciência e de resposta à vida é alcançado. Ele completa dizendo que o símbolo chama a nossa atenção para as mudanças internas, que se dão à revelia do ego e da vontade dita “pessoal”, como uma “gestação psíquica”, como um feto sendo gerado no ventre, independentemente da vontade ou do esforço consciente da mãe. Ele cresce e se desenvolve, e assim é, também com nossos processos e transmutações internos. Essa alquimia ocorre à nossa revelia mas, se estamos alinhados com ela, podemos facilitar o processo, ao invés de resistir a ele. Confiar e deixar fluir, mesmo quando nosso impulso seria tentar controlar, ansiosa-mente! Esperar. Agir pela in-ação. Calar na falação. Repousar no excesso de atividade. Amar as próprias dúvidas, mesmo com toda a ansiedade que elas nos trazem.

Arcano II do Tarô - A Sacerdotisa - Tarô de Nei Naiff
Arcano II do Tarô – A Sacerdotisa – Tarô de Nei Naiff

Uma imagem que representa bem este símbolo e a Lua Nova interceptada em quadratura a Netuno é a imagem da Sacerdotisa, o Arcano II do Tarô. Ela é enigmática e não vai revelar seus segredos a qualquer um, muito menos àqueles que não souberem fazer a pergunta certa – sim, aqui a pergunta é mais importante do que a resposta –  ou que forem levianos demais para não aguardarem o tempo certo da resposta. É preciso amar as perguntas, para ter acesso às respostas! É preciso ter timing, estar afinado com o tempo certo das coisas e não se afobar, não se precipitar… Sabe aquela frase, “quando não se sabe para onde ir, qualquer lugar serve”? Pois então, quando chegarmos lá nem poderemos reclamar porque entramos em ação antes de saber o que realmente queríamos ou para onde estávamos indo… Assim, o nosso Plano B precisa incluir uma certa espera, um ouvir da intuição, um decifrar as linguagens mágicas e não óbvias, aquelas linguagens que o ego e a mente consciente ignoram… Ler nas entrelinhas, naquilo que não é dito verbal ou diretamente, encontrar a chave, decifrar os códigos para ganhar acesso aos tesouros, às visões e venturas, no momento certo! Porque se precipitarmos o momento, a criança e mãe podem morrer, assim como nossas ideias e projetos fabulosos que, ao invés de prosperar e frutificar, se desintegrarão feito poeira no ar, diante dos nossos olhos, que se encherão de lágrimas de consternação.

Reprodução
Reprodução

Em resumo, este é um ciclo delicado, em que precisamos ser pacientes conosco mesmos se porventura não soubermos para onde ir ou quando ir; em que precisamos aprender a esperar o momento certo de agir, em lugar de sair às cegas, arriscando-nos a cair no precipício; que precisamos descobrir a chave, decifrar os códigos sutis que nos darão acesso ao nosso otimismo e esperança latentes; que precisamos buscar alternativas – éticas – quando as vias diretas estiverem inacessíveis, ou seja, o “Plano B”; e em que precisamos trabalhar para que a justiça seja, de fato, aplicada, implacável e certeira; e claro, ficarmos vigilantes quanto a essa “justiça”, ou ela naufragará, será afogada por aqueles mesmos que prometeram defende-la e resgatá-la dos mares tempestuosos da corrupção.

E para meditar nessa Lua Nova, cheia de incertezas, dexo-vos com este poema de Rainer Maria Rilke, que já mencionei acima:

Tenha paciência com o não-resolvido, ame as perguntas!

“Se procurar amparo na Natureza,

no que é nela tão simples e pequeno que quase não se vê,

mas que inesperadamente pode tornar-se grande e incomensurável;

se alimentar esse amor pelo mais ínfimo e, se tentar,

humilde como um criado,

ganhar a confiança do que parece pobre,

tudo será para si mais fácil,

mais coeso e de algum modo mais conciliador,

talvez não no intelecto,

que recua atônito,

mas no mais íntimo da sua consciência,

do seu conhecimento e atenção.

Você é tão jovem ainda,

está diante de todos os inícios,

e por isso gostaria de lhe pedir, caro Senhor,

que tenha paciência quanto a tudo o que está ainda por resolver no seu coração

e que tente amar as próprias perguntas

como se fossem salas fechadas

ou livros escritos numa língua muito diferente das que conhecemos.

Não procure agora respostas que não lhe podem ser dadas porque ainda não as pode viver.

E tudo tem de ser vivido. Viva agora as perguntas.

Aos poucos, sem o notar,

talvez dê por si um dia,

num futuro distante,

a viver dentro da resposta.

Talvez traga em si a possibilidade de criar e de dar forma

e talvez venha a senti-la como uma forma de vida particularmente pura e bem-aventurada;

é esse o rumo que deverá tomar a sua educação;

mas aceite o que está por vir com grande confiança,

e se ele surgir apenas da sua vontade,

de uma qualquer necessidade interior,

deixe-o entrar dentro de si e não odeie nada.”

Rainer Maria Rilke, “Cartas a um Jovem Poeta”

plano-b

Um ótimo ciclo para você! Que nosso fogo seja consistente o bastante para fazer borbulhar nosso anseio de justiça! E que possamos viver nossas dúvidas e perguntas, sem ansiedade e sem deixar de viver, verdadeiramente!

Mihai Christie - Reprodução
Mihai Christie – Reprodução

A Semana Astrológica – As mentiras que nos contam ou que contamos a nós mesmos?

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

Semana de 14 a 20 de novembro – Dias de culminação, frutificação e expansão! De preencher os vazios deixados pelas recentes eliminações. De solidificar propósitos e buscar estabilidade!

A semana começa com a Lua Cheia em Touro, que representa a culminação do ciclo, acontecendo já na segunda-feira e colorindo a semana de uma energia de realização, frutificação e sensação de completude. Mas a Lua Cheia também marca o começo do fim do ciclo e gradualmente vamos reorganizando a energia para já nos prepararmos para o desdobramento dos próximos ciclos. O Sol segue pelo terceiro decanato de Escorpião, completando a jornada de confrontar as sombras, mas sem se comunicar com outros planetas, apenas recebendo os aspectos da Lua. São dias de nos assentar em nós mesmos, voltar-nos para dentro e nos realinhar com nossos propósitos mais profundos.

Reprodução
Quantas pernas tem o elefante? – Reprodução

Mercúrio é quem fica muito ativo nestes dias. Nas amplas estradas Sagitarianas ele encontra em Marte um parceiro de explorações e aventuras e ambos dialogam animados sobre as novas experiências, isso ainda no início da semana. Mas depois ele se defronta com as miragens de Netuno, um oásis que ora tá aqui, ora ali, ora acolá… Ilusão de ótica, miragem, chame do que quiser, o fato é que são dias de se ter cautela nos processos mentais e nas comunicações porque está tudo meio fora de compasso, meio borrado e desconexo, nada é como parece, portanto, vale esperar, ver para crer e ainda pedir provas da existência da coisa em questão… Mas o pior não são as mentiras que contam para nós e sim, aquelas que contamos a nós mesmos e escolhemos acreditar de olhos fechados. Por que fazemos isso? Porque às vezes é difícil encarar o vazio do nosso discurso, carente de lastro real; é difícil encarar verdades dolorosas a respeito de nossa vida e da nossa própria falta de substância… Assim, é mais fácil nos enganar, acreditar nas mentiras que contamos por aí, até porque, se nós acreditamos, fica mais fácil convencer a outros, não é mesmo? Juntando com um aspecto menor que Mercúrio faz a Urano, concluímos que a mente não está muito confiável durante este período e é bom analisar tudo com cautela e manter o pé atrás antes de se jogar de cara e assumir riscos que podem se revelar bastante perigosos ali na frente – podemos pular no abismo e o paraquedas não abrir!

Reprodução
Reprodução

Vênus também está sensibilizada por Netuno, o que nos ajuda a trazer uma certa doçura para as relações, que andam sérias demais com a influência de Capricórnio. Vênus em Capricórnio, de quem se pode dizer, às vezes, que tem coração de pedra, amolece um pouco o coração e se permite cogitar em outras possibilidades para além do realismo frio daquilo que é palpável. Vênus se prepara para moldar-se a Plutão na semana que vem, quando virará foco de uma T-Square cardinal, já que também fará quadratura a Júpiter e a Urano, ambos em oposição – sim, a semana que vem está desafiadora no campo das relações, parcerias e investimentos.

Kendra Nicolle - Reprodução
Kendra Nicolle – Reprodução

E por falar em Netuno, ele é o ponto alto desta semana, o que nos aponta que estes são dias meio surreais, em que os acontecimentos têm um tom de realismo fantástico – espere só para ver! Sim, além de estar ativado por Vênus e Mercúrio, o Senhor das Ilusões volta ao movimento direto, especificamente no domingo, dia 20, às 02h39min. Voltando ao movimento direto, depois de cinco meses retrógrado, Netuno sinaliza que as revisões que tenhamos feito com relação à espiritualidade, nossos sonhos e anseios e também na maneira como nos expressamos criativamente – isso vale especialmente para artistas de todas as áreas – comecem a ser efetivadas. É hora de retomar e aplicar as revisões, criando novas linguagens. Por outro lado, Netuno recebe conjunção do Nodo Sul nesta semana, requerendo cautela nas nossas posturas, pois há maior tendência a escapismos, vitimismos, ilusões, a querer permanecer na neblina densa do não-entendimento, do não querer saber das questões duras da realidade, do postergar o enfrentamento de questões dolorosas e desafiadoras… O escapismo pode se dar principalmente através de álcool e outras substâncias que alteram a consciência – por isso, auto-vigilância e auto-controle caem bem! Devaneios vazios e viagens fantasiosas da mente – a verdadeira viagem na maionese – também ficam mais propensas, já que Mercúrio estará em quadratura aos dois, a Netuno e ao Eixo Nodal. Portanto, sempre que algo parecer muito surreal, fantástico demais, vale checar as fontes e até checar a si mesmo para não cair em armadilhas e engodos.

Jarek Kubicki - Reprodução
Jarek Kubicki – Reprodução

Marte em Aquário segue sossegado, descansa dos embates recentes e se atira nas causas sociais, procedendo com experimentações, inovando e quebrando tabus na forma de agir e de executar os desejos do Sol. A vontade pessoal está mais alinhada aos desejos e necessidades do grupo. E assim seguimos. Júpiter fará quadratura a Plutão na semana que vem e nós já sentimos e intuímos o clima desde já: uma força que nos empurra em direção às nossas ambições maiores, embora talvez fiquemos inconscientes quanto à resistência que iremos encontrar pelo caminho. É um excelente trânsito para atividades de reconstrução, reparos, melhoramentos em geral, especialmente, para o auto-melhoramento e a transformação de crenças empedernidas. Mais sobre isso na semana que vem.

Ewung - do flick - Reprodução
Ewung – do flick – Reprodução

A Lua abriu a semana ficando Cheia em Touro. Viaja lenta e depois dispersa-se em Gêmeos, Emociona-se em Câncer, para fechar o domingo já em Leão. Formaliza o Minguante apenas na segunda, dia 21. Trava contatos e interações com todos os demais corpos celestes, pontuando nossas mudanças de humores e interesses ao longo dos dias!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor dessa imagem adorável – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 14 de novembro – A Lua abre a madrugada em Touro, faz trígono a Plutão, quincunce a Júpiter e a Saturno ainda na madrugada, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. Depois ela se indispõe com Vênus, sua dispositora, que tem estado bastante isolada no início de Capricórnio. Durante a manhã a Lua se harmoniza com Quíron e finalmente se opõe ao Sol, às 11h52min, culminado o ciclo na Lua Cheia de Touro – sobre a qual já escrevi. A Lua fica vazia depois da oposição ao Sol, fazendo apenas uma sesqui-quadratura a Júpiter, no início da noite. A Lua ingressa em Gêmeos somente às 23h23min. A Lua Nova de Touro vem culminar o ciclo de Escorpião e falar da necessidade de alimentarmos nossa autoestima e de buscarmos mais estabilidade e segurança, inclusive no plano material. A Lua Cheia se dá em harmonia com Quíron, sendo este o aspecto mais próximo, e também com Plutão, mas este aaspecto é amplo e separativo. De qualquer forma, fala da oportunidade de crua, regeneração, de voltarmos à nossa essência básica. Veja texto sobre a Lua Cheia para entender melhor os temas desta lunação. A Lua fica vazia pelo resto do dia, logo depois de ser cheia, sugerindo que peguemos leve, que reflitamos bem sobre como vamos nos reestruturar e reconstruir, depois de termos nos desmontado e purgado em Escorpião. A tarde pede atividades tranquilas, rotineiras, básicas e práticas. Paz e sossego, para quem está no feriado prolongado, vem bem a calahar a energia do ócio, de “não fazer nada”, sem culpas ou desculpas. Quem puder que descanse e indulja no “nadismo”!

Lola Dupré - Reprodução
Lola Dupré – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 15 de novembro – Mercúrio está em harmonia plena a Marte hoje. A Lua ingressou em Gêmeos ontem à noite e logo se indispôs com Plutão, irritando-se mais ainda com Vênus, ambos em Capricórnio. Brigou com Mercúrio na madrugada, harmonizou-se com Marte e agora durante o dia caça confusão com Netuno em Peixes, formando uma T-Square ampla, pois se oporá a Saturno em Sagitário no fim da noite. À noite a Lua conversa muito com Júpiter em Libra, mas tem problemas com Plutão. A madrugada pode ter sido povoada de muitos sonhos conflitantes. O dia chega abarrotado de ideias, sentimentos confusos, contradições… Queremos ir, mas também queremos ficar. Será que fui? Será que não vou? Porque não me dividir em dois ou três? É, de fato o que gostaríamos, ter clones, para poder estar em vários lugares ao mesmo tempo e curtir a vida adoidado, não perder nenhuma oportunidade. Feliz ou infelizmente, nessa nossa dimensão isso ainda não é possível, de modo que precisamos nos ater à realidade, a despeito de todas as fantasias que povoam nosso coração, que hoje está caótico e cheio de racionalizações. A noite traz outros dilemas e tensões. Queremos continuar na brincadeira, como um Peter Pan que se recusa a sair da Terra do Nunca, mas a realidade nos chama de volta e precisamos encará-la no olho, nem que seja para dormir mais cedo e voltar ao batente amanhã. A noite traz uma solidão difícil de administrar, sentimo-nos isolados, meio abandonados, incapazes de nos comunicar, de expressar o que realmente queremos, porque talvez não nos sentimos autorizados ou tenhamos receio de parecer infantis e carentes. Assim, ao invés de ser sinceros sobre o que precisamos, fingimos que não queremos nada mesmo e acabamos por criar o cenário que antes temíamos. O melhor remédio é não se levar muito a sério porque assim como os ventos, isso também é temporário o mau humor de hoje pode ser a alegria de amanhã.

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

QUARTA-FEIRA, 16 de novembro – A Lua abre o dia em Gêmeos, ainda em oposição a Saturno, trígono a Júpiter e sextil a Urano, formando um Retângulo Místico, já que Júpiter também já está em oposição a Urano. A Lua fica vazia às 08h57min, depois de se harmonizar com Urano. Mas durante o dia, mesmo vazia, ela se indispõe com Marte, se irrita muito com o Sol e desconta o mau humor em Quíron. Ingressa em Câncer às 22h57min. Mercúrio faz uma sesqui-quadratura partil a Urano. Ansiedade, frenesi e muita inquietude dão o tom do dia. Difícil voltar ao batente depois de um feriado prolongado em que nos acostumamos mal com a vida boa de não ter hora para nada, flanando de cá para lá! E o pior é voltar com muitas tarefas acumuladas e cobranças internas e externas que são difíceis de administrar, já que também precisamos atualizar as fofocas do fim de semana – ops! Precisamos mesmo atualizar fofocas? O fato é que há propensão a dispersão, a se dividir em muitas atividades, tendo dificuldade de levar a cabo efetivamente as coisas. O que precisamos mesmo é de uma boa dose de cafeína, de muita concentração e esforço para manter o foco. A Lua está vazia e o dia favorece o andamento de coisas já iniciadas, de aviar com escritos, leituras, etc. As fofocas? Não são úteis nem necessárias, portanto, podemos prescindir delas. Jogar conversa fora pode até ajudar a dispersar o tédio e fazer pipocar algumas ideias inovadoras, naqueles momentos em que estamos meio distraídos e desatentos das coisas ditas “sérias”, mas jogar conversa fora indefinidamente também é perda de tempo e só vai adiar o enfrentamento do cotidiano que precisa ser devidamente retomado.  Há muita propensão à verborragia e isso requer contenção, do contrário, a energia dispersada na fala faltará em outras áreas, ainda mais que com Mercúrio em contato com Netuno não sabemos muito bem do que falamos, menos ainda temos certeza da veracidade das coisas…

J. Kirk Richards - Reprodução
J. Kirk Richards – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 17 de novembro – De Câncer a Lua faz oposição a Vênus em Capricórnio e depois também arruma uma “treta” com Marte em Aquário e Mercúrio em Sagitário, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. Para compensar a Lua vai chorar as mágoas e dissabores junto a Netuno, mas no fim, ainda exagera nas reclamações com Júpiter. A Lua faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Disseminadora, às 16h43min. O dia traz uma tensão e uma belicosidade que causam muita irritação, explosões de mau humor, sensação de estarmos pressionados e instabilidade emocional bastante acentuada. Há forte incongruência entre emoções e pensamentos, entre o que queremos e o que precisamos e isso nos deixa muito divididos e espinhosos. Como resultado há descontrole emocional, dramas e tempestades um pouco difíceis de contornar. Ocorre que estamos muito conscientes de nossas carências, das faltas e buracos não preenchidos e o mundo lá fora está a nos dizer que choramos de barriga cheia, ou, no mínimo, é indiferente às nossas queixas, o que nos faz ficar ainda mais sensíveis e melindrosos com a sensação de que a vida é, de fato, muito injusta – o que parece um problema sério para mim para outros não passa de mimimi! Em lugar de ficar emburrados e e azedos ou de revidar com táticas manipuladoras para conseguir o que queremos, talvez seja o caso de nos recolhermos e darmos colo, nós mesmos, a esse bebê carente que há dentro de nós, afinal, ele é responsabilidade nossa e de mais ninguém. Aceitar esse nosso lado infantil, aceitar o próprio mau humor e a própria carência sem imputá-los a outros, pode nos ajudar a crescer e a nos desidentificar dos buracos sem fundo que carregamos na alma e quem sabe, apenas quem sabe, a aceitação que nós mesmos provemos possa fornecer também o preenchimento do vazio que nos corrói – se nós mesmos não damos conta de aturar esse bebê chorão interno, como esperamos que outros o façam??? Uma vez que tenhamos liberado os outros de resolver nossos problemas e dissabores, quem sabe eles, espontaneamente, nos brindem com algo com o que não se barganha: calor, carinho e amor genuino. Em termos práticos o dia está sujeito a crises e situações do tipo sem saída, em que temos que escolher um mau menor ou fazer escolhas meio ingratas. Em compensação, as crises que estouram tem maiores chances de serem resolvidades de forma definitiva, se formos maduros e contarmos com nossos próprios recursos, sem esperar que outros façam por nós o que é atribuição nossa. A noite e a madrugada estão particularmente turbulentas.

Andrey Brandis - Reprodução
Andrey Brandis – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 18 de novembro – Mercúrio está em quadratura exata a Netuno. Na madrugada, a Lua em Câncer troca farpas afiadas com Saturno, enquanto confronta Plutão, tendo que ainda defender-se no embate com Urano – como ela ainda está em quadratura a Júpiter, temos uma ampla Grande Cruz Cardinal. Dona Lua também se indispõe com Mercúrio e Netuno, aumentando a irritação e as reações inconscientes. À noite a Lua se afina com Quíron e mais tarde com o Sol, formando um Grande Trígono de Água. A Lua fica vazia às 20h03min, depois do trígono ao Sol em Escorpião. A madrugada está cheia de desencontros e as tensões podem interferir no descanso e no sono, de modo que o dia começa novamente tenso e azedo feito leite talhado. Para completar, a mente está nublada, enevoada e clareza é algo que não temos, até porque estamos submersos em nossos próprios sentimentos desencontrados. Sim, a instabilidade emocional continua e precisamos escolher entre abrir o berreiro – o que seria patético, dependendo do contexto – ou tomar providências maduras e eficazes a respeito do que quer que esteja acontecendo conosco ou ao nosso redor. Por mais que nos sintamos pressionados, por antagonismos externos e conflitos internos, temos uma grande oportunidade de crescer e dar nosso melhor, ganhando não só o respeito alheio, mas principalmente, o respeito próprio. Desapegar-se um pouco dos próprios melindres e reclamações pode nos mostrar saídas antes não cogitadas, portanto, distanciamento emocional é uma ótima pedida em algumas situações. Com Mercúrio embotado desse jeito e com os sentimentos tão suscetíveis, seria bom adiar certas conversas para outro dia porque a probabilidade de nos enrolarmos ainda mais é grande. A noite traz um pouco de calmaria nas crises, mas a sensibilidade aumenta – quem sabe agora possamos achar o lugar certo de abrir as comportas? Dar vazão aos sentimentos represados pode ser também curativo – claro, num momento e ambiente que ofereçam a contenção adequada aos desmandos do coração, assim não nos expomos ao julgamento alheio nem perdemos a dignidade. O desabafo na hora e local apropriados pode ser também curador.

Tracie Taylor - Reprodução
Tracie Taylor – Reprodução

SÁBADO, 19 de novembro – Vênus está em conversa sensível com Netuno, aspecto exato hoje, Netuno que aliás, estaciona às 02h37min para voltar ao movimento direto amanhã. A Lua abre o dia fora de curso, em Câncer. Ingressa em Leão à 01h15min e logo tem uma fricção com Saturno. Com Marte o embate é aberto e frontal, mas com Vênus e Netuno, a interação é obtusa e mais irritante, já que ela é foco de um Yod. Netuno recebe a conjunção do Nodo Sul. O dia traz novos rasgos de irritação, mas pelo menos hoje estamos mais diretos, menos sentimentais e vamos para o confronto aberto, falando o que pensamos na lata. Claro, isso pode levantar muitos conflitos, mas também a chance de eles serem resolvidos de pronto, sem ficarem se arrastando indefinidamente, feito correntes arrastadas por fantasma-assombração. Para evitar tais conflitos, podemos investir em atividades que requeiram grande gasto energético, vigor e estamina – é necessário ir para essas atividades com muita presença de espírito, com a atenção focado no momento presente para que as distrações não representem problemas  – especialmente para não nos tornarmos vítimas de ações precipitadas. A noite traz um clima mais amigável e ameno, de modo que podemos encontrar pessoas e nos permitir alguma diversão, depois dos dias carregados que tivemos recentemente. Se o dia era uma criança zangada e pronta para a briga, a noite é uma criança pronta para se divertir! Ponto de atenção: recomenda-se pegar leve com álcool e afins porque o dia e a noite estão propensos a bagaceira geral e aenfiar o pé na jaca, do tipo de perder o tamanco para sempre e no dia seguinte não saber o que rolou… Escapismo e vitimismos estão esperando ali na esquina. Cautela!

Claudia Trembley - Reprodução
Claudia Trembley – Reprodução

DOMINGO, 20 de novembro – De Leão a Lua se harmoniza com Júpiter, enquanto olha, belicosa, para Plutão. A Lua entra em harmonia com Saturno e Urano e forma um Grande Trígono de fogo, que, por causa do sextil a Júpiter, vira uma Pipa ampla por algumas horas no começo da manhã. Dona Lua ainda encrenca com Quíron e fecha a noite indisposta com Vênus. A despeito de algumas incoerências, o domingo está divertido e bastante energético e dinâmico – basta saber aproveitar. Como por milagre, conseguimos conciliar coisas e pessoas aparentemente muito divergentes de forma que acomodamos muitas diferenças e fazemo-las fluir e conversarem entre si civilizadamente. O clima favorece reuniões familiares, encontros com amigos, passeios diversos, especialmente aqueles que estimulem o gosto pela aventura e pelo convívio com os afins. Ufa! Depois de tantas tempestades, nós bem que merecemos um descanso e uma trégua! Favorecidas também estão as atividades criativas, artísticas e as brincadeiras em geral. É dia de botar nossa criança interior para se divertir e brincar sem culpas, sem medos, sem dilemas maiores que não sejam descobrir qual brincadeira, afinal, é mais divertida. Assim, podemos aproveitar e entrar em contato com esse nosso lado confiante e entusiasmado, guiados pela intuição e pelo nosso próprio brilho e generosidade naturais.

Uma ótima semana para você!!

tirado de Mustanggina.tumblr - Reprodução
tirado de Mustanggina.tumblr – Reprodução
Reprodução
Reprodução

 

 

Lua Nova em Libra – Bem me quero!

Christian Schloe between night and day
Christian Schloe Digita Art – between night and day – Reprodução

A Lua inaugurou um novo ciclo nesta segunda, 12 de outubro, às 21h05min no horário de Brasília e à 00h05min do dia 13 no horário de Lisboa. Essa lunação vem fechar a segunda temporada de eclipses do ano, o que não quer dizer que os eclipses não tenham mais efeito. Não. Os eclipses continuam a reverberar, conforme os prazos que falamos nos artigos referentes a eles. Vale lembrar também que a Lua Cheia deste eixo Áries-Libra já aconteceu e foi exatamente o Eclipse Total da Lua ocorrido no dia 27 de setembro, portanto, os temas desta lunação já estão reverberando há alguns dias.

amanda-charchian
Amanda Charchian – Reprodução

A Lua é Nova a 19°20’ de Libra, a menos de um grau de uma oposição exata a Urano, em quincunce a Quíron em Peixes e ainda em quadratura a Plutão em Capricórnio, ou seja formando uma ampla T-Square Cardinal. Em Libra o indivíduo encontra seu espelho, encontra o “outro”, que o obriga a perceber que não está só no mundo e este outro precisa ser acomodado de alguma forma nos seus planos, assim, Libra nos convida a trabalhar em direção a um maior equilíbrio em nossa vida; a buscar beleza e harmonia, a desenvolver relações mais civilizadas, em contraponto à energia Ariana que só foca em si mesmo; relações onde haja equilíbrio no dar e no receber; parcerias pautadas na equidade e no perfeito balanceamento dos interesses individuais de cada um dos parceiros. Em Libra também somos chamados a fazer escolhas, a decidir por nós mesmos, independente das possíveis conseqüências. Mas Libra é um signo que costuma ceder com freqüência. Tem dificuldade de decidir e de se auto-afirmar e simplesmente cede. Precisa tanto do relacionamento para se sentir bem e validado, que às vezes se anula completamente para acomodar o outro em sua vida – sim, precisamos achar formas de “acomodar” este outro na nossa vida, mas não às custas de nossa própria individualidade, é a grande lição que Libra precisa aprender. E esta lição está na cartilha dessa Lua Nova de hoje.

b5fb4ebfe12947fc983c81db1c407c9e
Reprodução

A Lua Nova ocorre poucos dias depois de o Sol Libriano ter confrontado Plutão e apenas um dia depois do embate com Urano, confrontos que a própria Lua também empreendeu para poder chegar ao Sol. Portanto, é uma Lua Nova que tem um tom desagregador, que vem dar um chacoalhão no nosso lado Libriano super envernizado, para nos dizer que precisamos dar um basta nas relações tóxicas às quais viemos tolerando, passando por cima de nossos próprios brios e amor próprio, talvez por receio de encarar a vida de novo sozinho, talvez por medo de julgamentos sociais, por temor da sensação de incompletude. Sobretudo, essa T-Square tem uma mensagem fundamental: só conseguiremos ser realmente livres e ter relações mais saudáveis,  se cessarmos nossas expectativas acerca dos outros e dos relacionamentos em si.

venus-urano flickr11
Do Flickr – Reprodução

Não somos livres de fato. Todos nós temos assuntos mal resolvidos, esqueletos que carregamos de histórias passadas, tabus, preconceitos, e até mesmo frustrações e carências que herdamos da relação com nossos pais e que normalmente projetamos no parceiro, inconscientemente, sem falar no inconsciente familiar, com todos os seus emaranhados que carregamos vida afora. Então, muitas vezes, quando estamos fazendo uma escolha que achamos que é completamente consciente, na verdade, tal escolha pode estar muito condicionada por nossa herança psicológica ou mesmo pelos traumas e histórias passadas. Carregamos expectativas, positivas e negativas, a respeito da próxima pessoa que iremos encontrar, ou mesmo das pessoas com quem convivemos. Então, quando algo dá errado, aquela voz nefasta na nossa cabeça geralmente diz: “não falei?”. Não importa se a expectativa é boa ou ruim, de uma forma ou de outra, ela ajuda a sabotar uma relação que poderia ser, no mínimo, tranquila e comum, ou, na melhor das hipóteses, uma ótima e bem sucedida parceria.

john william waterhouse
John William Waterhouse – Narciso – Reprodução

Do que estou falando? De Vênus em Virgem em oposição a Netuno em Peixes. O que Vênus tem a ver com tudo isso? Por que ela é importante? Porque, além de reger relações em geral, Vênus é a regente da Lua Nova. Vênus se separa de uma quadratura a Saturno e se aproxima da oposição a Netuno –  está enrolada numa T-Square Mutável, super contraditória, com eles dois. A oposição a Netuno nos diz que o nível de expectativas que temos em relação às pessoas é muito alto. Vênus-Netuno, mais do que se apaixonar pela pessoa, se paixona por um espectro, por uma projeção perfeita, uma imagem irreal, em última instância a projeção de seus sonhos e fantasias mágicas colocados sobre a pessoa – ou seja, igual a Narciso, muitas vezes nos apaixonamos pelo reflexo de nós mesmos que vemos no olhar do outro. Então, não se vê a pessoa real, mas aquilo que queremos que ela seja – e é por isso que nos desapontamos tanto, porque quando começamos, de fato, a enxergar a pessoa real, ela não corresponde àquilo que achávamos que ela era e daí nos decepcionamos profundamente e nos sentimos lesados, mas quem foi que nos enganou realmente?

tu ou eu
Reprodução

Entretanto, saindo da influência de Saturno, Vênus está também escaldada e começa a misturar as frequências: fantasias positivas de um doce amor eterno  são misturadas com fantasias mórbidas de rejeição, em que tudo dá errado de novo, criando-se um verdadeiro filme trágico em nossa cabeça. De um jeito ou de outro, nós perdemos. Sabotamos uma relação que tinha tudo para ser promissora e feliz. Portanto, é mandatório que superemos essas expectativas absurdas, sejam elas de uma fusão mágica absoluta com alguém terrivelmente maravilhoso e perfeito ou de rejeições dolorosas e relacionamentos fracassados,  fadados a se repetir infinitamente. Para isso, um primeiro passo é fortalecer nossa própria auto-estima, porque todas essas expectativas, no fundo, nascem do desejo de um amor incondicional que vá nos redimir de todas as mágoas passadas, e até de nós mesmos – mas isso, nenhum parceiro poderá jamais nos dar e é no mínimo injusto cobrar isso do outro, porque só quem pode dar amor incondicional são nossos pais. Então, para estarmos livres das tais expectativas, precisamos nos acertar primeiro com eles, os primeiros amores de nossas vidas: papai e mamãe. Assim, teremos uma auto-estima sólida e madura e não dependeremos mais do outro para nos validar e nos dizer que somos merecedores de amor, porque já sabemos que o somos. E aí, não mais desfolharemos pobres margaridas, em jogos ansiosos de bem-me-quer, mal-me-quer, diremos apenas: bem-me-quero!

É isso que Urano-Plutão demandam de nós neste ciclo, mais uma vez: que tenhamos coragem de encarar a realidade, a nossa realidade; que acordemos para nossas trapaças, nossos próprios engôdos e historinhas bonitinhas, rendadas e envernizadas, mas que só enganam a nós mesmos.

Lua nova libra
Lua Nova em Libra – 12 de Outubro, 21h05min, Brasília-DF

O que queremos realmente, um falso conto de fadas, digno de um Castelo de Caras (que por sinal, é alugado, falso em si mesmo), com prazo de validade super limitado, ou um relacionamento real, com uma pessoal real com quem possamos interagir verdadeiramente, sem joguinhos ou manipulações, com todas as nossas fortalezas e vulnerabilidades? Sejamos honestos, primeiro conosco mesmos, depois com o outro. Superemos a necessidade de ter expectativas e sejamos verdadeiramente livres. Liberemos também o outro, para ser quem é, livre do peso do nosso desejo eterno de agradar incessantemente e de nos dar uma resposta, liberemos o outro do peso da nossa expectativa asfixiante. Só assim teremos uma chance de viver relações saudáveis, autênticas e também verdadeiras.

vforvisual.tumblr
Vforvisual.tumblr – Reprodução

Nesta Lua Nova, renovemos nossas intenções de uma vida mais equilibrada e harmoniosa; reavivemos nossos propósitos de semear e cultivar relações mais genuínas, saudáveis e satisfatórias, não só no plano romântico-afetivo, mas de um modo geral, afinal, a vida é a arte de se relacionar, é isso o que os signos de Ar e, particularmente Libra, vêm nos ensinar. E se não aprendemos essa arte, talvez uma parte de nós fique sempre emocionalmente imatura e então, seremos incompletos, não porque falta um outro na nossa vida, mas porque nem mesmo chegamos a ser inteiros para nós mesmos. Plantemos, portanto, relações mais genuínas e mais saudáveis e cuidemos para que se tornem árvores frondosas, de raízes fortes e floradas e frutos que venham a alimentar nossa alma de alegria e plenitude.

Feliz Lua Nova para você! Que seja Nova de auto-estima, de intenções, propósitos e transformações!

catch your own dreams tumblr
Da página Catchyourowndreams.tumblr Reprodução

A Semana Astrológica – Não fale nada!

moon giibbousSemana de 26 de janeiro a 1° de fevereiro 

Nesta semana Vênus Poderosa, de desapegada e cerebral torna-se romântica, etérea e elusiva ao entrar em Peixes e esse romantismo todo fica ainda mais exacerbado porque ela logo fica conjunta a Netuno, conjunção plena no fim de semana. Em Peixes Vênus está exaltada e seu desejo é a fusão completa e os estados de beleza sublime e perfeita. Porém, está também idealista e não enxerga nada como realmente é, antenada que está com esferas invisíveis, buscando um amor “de outro mundo”, irreal e tão elusivo quanto ela própria. Em Peixes ela é também uma camaleoa ou uma sereia, capaz de se metamorfosear no que quer que o parceiro espere dela, o que pode levar a sentimentos de anulação e vazio profundo. Antes de fundir-se a Netuno ela ainda precisa lidar com a necessidade de limites e contenção simbolizados por Saturno em Sagitário, o que sinaliza mais uma semana tensa para os relacionamentos, em que temos dificuldades de distinguir a ilusão da realidade. Mercúrio Retrógrado faz uma Conjunção Inferior com o Sol em Aquário, enquanto Marte encara mais um desafio pesado: a conjunção com Quíron em Peixes.

mercurio retro11

A semana fica bastante carregada de sentimentos densos e contraditórios e uma vulnerabilidade insidiosa permeia a tudo: às relações, às interações diversas, comunicação e trocas em geral. A mente está particularmente embotada e clareza é tudo o que NÃO temos, porque além de Mercúrio estar retrógrado, nem mesmo podemos recorrer aos demais planetas pessoais para nos dar um senso de direção, pois estão eles também, mergulhados em águas profundas e turvas, confundindo e limitando ainda mais nosso julgamento e criticidade. Marte e Vênus estão amalgamados com pares complicados, sugerindo um período delicado para as relações amorosas, onde há um excesso de ilusões e carência de amor próprio.

A Lua entra no Segundo Quarto e depois fica Corcunda – será cheia no dia três de fevereiro a 14° de Leão. Nesta semana ela viaja ligeira pelos signos de Áries e Touro mas vai desacelerando ao entrar em Gêmeos, Câncer e Leão. Neste caminho ela conversa com todos os demais corpos celestes.

moon i love

Na SEGUNDA-FEIRA temos a Lua Ariana em harmonia com Vênus no fim de Aquário, implicando um dia em que queremos independência e desenvoltura nos relacionamentos e interações e em que temos dificuldade de “pegar no pesado”, perambulando aqui e acolá sem conseguir nos concentrar no que realmente importa. Começamos mil coisas mas concluímos poucas porque entre o desejo de ficar no bate-papo e a limitada capacidade de atenção acabamos dispersando muito da energia. A Lua entra em Touro às 14h38min, signo de sua exaltação. A tarde fica então mais propensa a utilizarmos os talentos e recursos com mais foco e praticidade, coisa que ficou complicada pela manhã. De Touro ela quadra o Sol e Mercúrio em Aquário, mas estes aspectos só ficam exatos no dia seguinte.

Boris Indrikov

Vênus ingressa em Peixes na TERÇA-FEIRA exatamente às 13 horas e a Lua Taurina faz quadratura ao Sol em Aquário, oficializando assim o Primeiro quarto, o Quarto Crescente. A Lua ainda se harmoniza com Netuno e Marte em Peixes e se afina ainda mais fortemente com Plutão em Capricórnio, mas à noite há um grande desentendimento em forma de Cruz T formada pela oposição Mercúrio-Júpiter, com a Lua Taurina de foco. Um dia de grande tensão, mas que podemos fazer do limão uma limonada se soubermos utilizar a praticidade de Touro e a resiliência concentrada de Plutão. Há muitos desafios que precisam de solução, conflitos carecendo de conciliação e ajustes de vontades e interesses. Mas é a noite que demanda mais cuidado, pois estamos cheios de opinião e arrotando verdades absolutas, exigindo ver para crer ou inflexíveis quanto ao sexo dos anjos, que decidimos que nós sabemos. Falar em demasia pode ser prejudicial, mas fechar-se em copas impingindo o silêncio como punição a outrem pode também ser arma de manipulação, através da qual tentamos dobrar os outros à nossa lei, já que nós nos recusamos a nos dobrar ao que quer que seja. Vale a pena lembrar a lição do bambu: seja flexível  ou o vento te quebra – ou até te arranca da base!

bambu-ao-vento

Esse conflito de opiniões inflexíveis abre a QUARTA-FEIRA, porque a quadratura Lua-Júpiter ocorre exatamente às 00:18, com  Lua ficando vazia por todo a noite e o dia, até a sua entrada em Gêmeos às 20: 36. Mesmo vazia a Lua faz uma sesqui-quadratura a Plutão e após entrar em Gêmeos já conflita com Vênus, simbolizando divergências entre o que sentimos e a forma como expressamos. O dia pede que foquemos no básico, no que é essencial. É preciso atenção porque hoje os sentidos podem ser um tanto enganadores. Entre ver para crer ou seguir a intuição e o coração, a duvida nos dilacera. Mas nem tudo precisa ser tão dramático se nos abrirmos a possibilidades outras flertarmos com a ideia de ver as coisas sob outros ângulos. Se conseguirmos vencer a preguiça, a indolência e o marasmo podemos avançar bastante na execução de tarefas que exijam pragmatismo e senso comum.

Melancholy

Uma T-Square Mutável com Vênus e Netuno de foco e envolvendo a Lua em oposição a Saturno em Sagitário dá o tom da QUINTA-FEIRA. A Lua quadra ainda Marte e Quíron, mas também se harmoniza lindamente com o Sol e com mercúrio. O coração está assoberbado de conceitos e idéias abstratas e ficamos confusos, incertos, perdidos e inseguros por boa parte do dia. Somado à influencia de Mercúrio retrógrado, o dia pede cautela nas conversas e discussões em geral porque dizemos “A” e Sicrano entende “Z” – a propensão a fofocas e maledicências está grande. Mais, por um lado precisamos de afeto e garantias do carinho do outro que dirimam nossas duvidas e incertezas, mas por outro, já temendo rejeição fechamo-nos numa reserva defensiva que afasta ainda mais aos outros e à possibilidade de entendimentos. Ficamos mal-amados, racionalizamos acontecimentos e tiramos conclusões precipitadas que dão origens a muitos engodos e decepções. No meio da confusão não sabemos qual o melhor guia, se cabeça ou coração. Essencial é não cair na auto-depreciação mental e voltar-se para os valores básicos como um norte das posturas e do comportamento. Ter uma visão mais desapegada di si mesmo e das situações também pode ajudar a sair do torvelinho destrutivo da auto-flagelação.

A SEXTA-FEIRA começa ainda sob efeito da quadratura da Lua Geminiana com Marte conjunto a Quíron em Peixes. Para piorar um pouco o clima, Vênus, também em Peixes faz uma quadratura plena a Saturno. A Lua ainda faz quincunce a Plutão, sextil a Urano e a Júpiter, aspecto depois do qual fica vazia às 07h26min, entrando em Câncer somente às 05h09min da manhã de sábado.  Ao fazer sesqui-quadratura ao Sol ela se torna Corcunda. Dia espinhoso. Almejamos fundir-nos ao amado, à beleza, ao sublime, mas deparamo-nos com uma frieza que nos faz duvidar do nosso valor e até mesmo do nosso afeto e da sua validade. Instala-se uma grande dificuldade em discernir o que realmente queremos e se temos tanta incerteza assim, podemos nos debater em várias direções, envolver-nos com pessoas diferentes ou em situações nebulosas e arriscadas, que pode até colocar nossa integridade em risco. Na melhor das hipóteses nossa auto-estima fica combalida e o senso de auto-respeito bem fragilizado. Os relacionamentos sofrem grande impacto com estes aspectos e a possibilidade de desentendimentos e mensagens truncadas é alta.

brookeshadenn

No SÁBADO a Lua ingressa em Câncer, e faz trígono a Vênus e Netuno que estão cada vez mais próximos. A Lua ainda se irrita muito com Mercúrio retrógrado e se aproxima da quadratura a Urano em Áries. Marte está em conjunção plena a Quíron. Vênus continua em quadratura a Saturno. Sentimentos densos, sensibilidades gritadas e choradas. Estamos mais do que frágeis ou vulneráveis. Estamos “desmilingüidos”. As barreiras entre nós e os outros ficam muito difusas e há um aprofundamento de sentimentos e emoções que nos fazem sentir muito próximos dos outros. Todavia, a mesma influencia nos faz idealistas ao extremo, vendo as pessoas e as situações através de lentes douradas ou cor de rosa. É preciso ter cuidado com as pessoas que se aproximam de nós porque não as vemos como realmente são e em tal estado de espírito podemos ser presas fáceis para decepções e golpes que abusam da nossa boa fé e idealismo. Nos relacionamentos íntimos estamos tão focados numa visão de fusão perfeita que o parceiro pode se sentir alienado do nosso sonho e projeção. Estamos apaixonados pelo romance, pela idéia de estar apaixonados, não necessariamente pela pessoa com quem partilhamos a cama ou a conversa. Se o outro se dá conta disso, pode se ressentir e se sentir traído, ludibriado. As conversas e mensagens ficam também cheias de duplo sentido e de coisas não ditas, inferidas, mas não completamente desveladas, o que pode dar margem para mágoas e atritos difíceis de dirimir depois. Honestidade emocional consigo mesmo e com o outro é essencial para atravessar esse mar de ilusões e imagens borradas da droga poderosa chamada “romance”! Drogas outras são mais que dispensáveis neste contexto, são absolutamente desaconselháveis.

Irina Karkabi - ImpressioniArtistiche -4

A Lua abre o DOMINGO em quincunce com seu marido, o Sol, indicando que o dia vai ser cheio de influências complicadas de conciliar, impulsos de aconchegar-se no ninho ou descer a cachoeira de rapel… A Lua ainda se envolve numa T-Square ao se opor a Plutão e quadrar Urano em Áries; depois se harmoniza com marte e Quíron em Peixes, além de se indispor com Saturno em Sagitário. O filho rebelde vai ter que se haver com papai e mamãe, que estão, eles mesmos, num cabo de guerra para ver quem manda mais. Dramas, desabafos, manipulações, choros, pequenas e diversas crises permeiam o dia e os encontros familiares. Talvez seja produtivo ver o Poderoso Chefão (ou qualquer outro no estilo) no Bluray porque daí a catarse fica completa e ninguém precisa se engalfinhar à hora da refeição. Pelo fim do dia a Lua ainda faz sesqui-quadraturas a Vênus e Netuno e a depressão de fim de domingo adquire tons mais densos, regurgitados de outras eras e de um passado distante. Podemos aceitar os fortes sentimentos e lidar com eles de forma limpa e direta, sem subterfúgios e sem nos desculpar por nos sentir assim; podemos ainda desaparecer na escuridão do cinema no enredo de um filme triste que também propicie a catarse liberadora dos sentimentos represados; ou podemos ficar amuados fazendo guerra de atenção e joguinhos infantis para atrair a simpatia alheia, tiro que certamente sairá pela culatra. Semelhante a uma grávida – a Lua está Corcunda, já muito robusta e redonda – estamos cheios e arredondados em nosso sentir. Não há nada de errado com isso, nem com o que sentimos, mas é preciso discernimento e cuidado com as atitudes, comportamentos e reações gerados a partir desse estado “interessante” de alma e de coração.

Para finalizar, deixo você com este poema de Mário Quintana, que vem bem a calhar para esta semana cheia de melindres e senibilidades chorosas, de ilusões e imagens borradas…

Epílogo

Não, o melhor é não falares,
não explicares coisa alguma.
Tudo agora está suspenso.
Nada aguenta mais nada.
E sabe Deus o que é que desencadeia as catástrofes,
o que é que derruba um castelo de cartas!
Não se sabe…
Umas vezes passa uma avalanche
e não morre uma mosca…
Outras vezes senta uma mosca
e desaba uma cidade.

Mario Quintana, in: Sapato Florido, 1948.

lingua aspera_thumb[1]

A Semana Astrológica – À Flor da Pele

luacrescente01
Desconheço o Autor – Reprodução

Semana de 24 a 30 de novembro 

Ciclo novo se iniciando, com as bênçãos e o otimismo de Sagitário! A semana começa no terceiro dia da Lua Nova, o período propício para os novos começos. Normalmente se diz que não é bom começar coisas nos dois primeiros dias da Lua nova porque a Lua ainda está muito escura, a energia ainda é muito instintiva e incipiente e não se tem clareza suficiente para divisar longe. Assim, o recomendável é que se aguarde o terceiro dia da fase nova, quando ela começa a aparecer como um anel fino no céu – aliás, reza uma lenda antiga que quando se enxerga a Lua Nova no céu pela primeira vez naquele ciclo, não importa o que você esteja fazendo, é a coisa certa para aquele período ou momento da sua vida.

E nesse início de ciclo temos movimentos e dinâmicas importantes, como sempre há, simbolizando a incessante atividade da vida na Terra. O Sol, que inaugurou sua aventura Sagitariana no sábado, defronta-se com desilusões e desapontamentos na figura de Netuno em Peixes, quadratura que fica exata na quinta, 27. Desorientação, confusão e insegurança podem nublar o horizonte dificultando a visualização das metas tão preciosas ao Arqueiro. Em seqüência, depois de Vênus e do sol entrarem em Sagitário, é a vez de Mercúrio, que ingressa no signo do Centauro na sexta-feira, 28, também já aspectando Netuno por uma quadratura, que só fica perfeita na segunda, 01/12. Antes disso, porém, Mercúrio, ainda em Escorpião, faz conjunção a Saturno, e juntos fazem semi-quadratura a Plutão em Capricórnio (aspecto de 45 graus, metade de uma quadratura, que é 90 graus) e sesqui-quadratura a Urano em Áries (aspecto de 135 graus, ou seja, 90+45), a exatidão dos aspectos feitos por Mercúrio ocorre antes daqueles feitos por Saturno, já que este é mais lento. Esses aspectos de Mercúrio indicam que muitas coisas se modificam no plano mental e na comunicação por estes dias.

lua_crescente12
Desconheço o Autor – Reprodução

Vênus, que fez quadratura a Netuno na semana passada, enfrenta agora os desafios, dores e decepções simbolizados por Quíron. Problemas de auto-estima e feridas antigas podem ser reabertas na área dos relacionamentos ou das finanças, talvez não sem propósito, talvez tenhamos então uma oportunidade de re-significá-las e encontrar algum alívio para essas mágoas. Até porque, em sua jornada Sagitariana, Vênus faz também um aspecto fluente com Urano em Áries, que lhe dá apoio e sugere que ela se desapegue de tais bagagens pesadas e se desimpeça desses trambolhos. Marte é outro que precisa decidir se engata a quinta marcha sugerida por Júpiter ou se vai devagar e sempre como orientado por Saturno. O aspecto Marte-Saturno fica exato somente na segunda, 1° de dezembro, mas já podemos senti-lo no fim de semana.

the art of animation
The Art of Animation – Reprodução

Os aspectos que Netuno recebe do Sol e de Mercúrio, mais a quadratura Vênus-Quíron, fazem dessa uma semana delicada. Parafraseando o Baleiro, estamos tão sensíveis, tão à flor da pele, que qualquer beijo de novela poderá nos fazer chorar. Semana que demanda atenção e cuidado nas decisões, especialmente envolvendo negócios e novas propostas, pois a neblina de Netuno tira a clareza e a lucidez. Quando possível, é melhor adiar decisões sobre investimentos e objetivos importantes e de longo prazo – Isso é especialmente verdadeiro para os próprios Sagitarianos, que têm a benesse de ter Vênus passeando por seu signo, mais o trígono de seu regente Júpiter em Leão, mas que também têm que lidar mais profundamente com os engodos de netuno, já que este planeta trafegando Peixes está em quadratura com os planetas natais de Sagitário.

bubug deviantart
Bubug Deviantart – Reprodução

A Lua na fase nova viaja pelos signos de Sagitário, Capricórnio e Aquário. Completa o Primeiro Quarto no sábado já em Peixes e fecha o fim de semana em Áries. Neste passeio ela faz aspectos com todos os demais corpos celestes, conversando com eles de forma amistosa ou belicosa, dependendo do aspecto, simbolizando os desafios e oportunidades que a sementinha que brota encontrará na sua grande aventura de se tornar planta forte e madura.

A SEGUNDA-FEIRA começa animada, com a Lua se afinando lindamente com seu regente, Júpiter, em Leão, nas primeiras horas da madrugada. Ela fica vazia logo depois e a segunda fica propícia para começar a engrenar a rotina de forma otimista, com alto astral. Às 14h32min a Lua entra em Capricórnio e o trabalho passa a render muito mais, se nosso foco não for desviado pelas agulhadas de incerteza criadas pelas alfinetadas trocadas por Marte e Júpiter. Podemos ficar cindidos entre o trabalho e dever e alguma atividade mais prazerosa e divertida que apareça de repente. Ou então, nosso entusiasmo vai e vem como a maré que ora está cheia, ora vazia. É preciso lembrar-se do que está em jogo para lidar com essa instabilidade na vontade e na motivação.

Damião Martins
Damião Martins – Trabalhadores – Reprodução

TERÇA-FEIRA é dia de se preparar para chumbo grosso porque a Lua se envolve na quadratura Urano-Plutão, como é praxe sempre que passa pelos signos cardinais. Há grande energia e necessidade de ação, portanto, o melhor é arranjar o que fazer com essa alta voltagem. Se não acharmos onde empregar isso de forma criativa, estaremos suscetíveis a nos defrontar com conflitos diversos, jogos de poder e até problemas com o chefe. Começar o dia gastando o excesso de energia na academia ou numa corrida no parque pode ser uma ótima idéia.

A Lua faz conjunção a Marte na QUARTA-FEIRA, sinalizando que as horas continuam super produtivas. Haja trabalho para tanta determinação e estamina! A Lua ainda se irrita com Júpiter em Leão, sugerindo alguma reprovação a outros que parecem viver só para curtir a vida enquanto ficamos aqui cuidando das obrigações. Antes de fazer cara feia, seria melhor ser honesto e admitir que estamos mesmo é com inveja da despreocupação e irresponsabilidade deles. Uma pausa para o lanche e lembrar dos prazeres que nos aguardam depois do dever podem ajudar a dissipar a rabugice, até porque o contato com Saturno nos lembra que a obrigação vem antes do prazer. Vênus faz trígono a Urano neste dia. É aconselhável achar uma brecha na agenda para fazer coisas diferentes e inusitadas no relacionamento. Nada de DR, por favor! É hora de reinventar histórias, de experimentar, de ventilar as coisas na vida de casal, ou então a tensão pode degringolar em rusgas dolorosas, com um se sentindo rejeitado e o outro se sentindo cobrado e sufocado – não esqueçamos que Vênus também está em quadratura com Quíron!

coração meu
Desconheço o Autor – Reprodução

A semi-quadratura entre Saturno e Plutão fica exata na QUINTA-FEIRA. Embora não tão forte nem perceptível quanto na quadratura, há tensão e fricção suficientes para causar desconforto e uma conseqüente necessidade de controle e estruturação das coisas e da vida ao nosso redor. O aspecto fica mais potente e talvez se manifeste de forma não tão negativa porque Saturno está hospedado atualmente na casa de Plutão, e Plutão na de Saturno, ou seja, eles têm alguma afinidade. Um aumento da ambição e do desejo de reformar certas coisas ou situações pode se mover dentro de nós, além do desejo de poder e controle. Se não percebemos a dinâmica que impomos no ambiente a partir dessa tensão interna, podemos evocar oposição ou questionamento de terceiros. É bom ter claras as motivações mais profundas. O Sol quadra Netuno, Vênus quadra Quíron e Mercúrio sesqui-quadra Urano também na quinta, indicando um dia de emoções flutuantes, em que nos sentimos incertos, ora nos afirmando de forma desmesurada, ora quase nos desculpando pela nossa existência. Em alguns momentos o impulso talvez seja mesmo de sumir, porque o mundo parece demasiado sórdido e injusto, e não temos a mínima noção de em quem podemos confiar, já que duvidamos até mesmo de nossas próprias impressões e julgamentos. As car~encias parecem mais agudas do que nunca, nossa fome de amor é infinita, mas temos dificuldade de suprir tais necessidades e carências. Se possível, seria bom não nos comprometermos com muita coisa hoje, talvez sair mais cedo do trabalho, ver o pôr do sol, ver um filme bonito e triste que nos dê a desculpa necessária para nosso choro incontido. Parceiros são aconselhados a pegarem leves um com o outro e novamente evitarem discussões, pois melindrosos como estamos, estamos suscetíveis a ferir e a ser feridos inadvertidamente.

dor do mundo
Desconheço o Autor – Reprodução

Felizmente na SEXTA-FEIRA temos um mínimo de trégua, com a entrada de Mercúrio em Sagitário, obrigando-nos a pôr as coisas em perspectiva e a olhar tudo de ângulos diferentes e mais otimistas. Mercúrio não está muito confortável em Sagitário, pois sendo ele regente da mente racional e do aqui agora, ás vezes ele se perde ou dissipa sua energia com a vastidão de objetivos do Arqueiro, mas sem dúvida, o posicionamento adiciona diversão e leveza, o que é uma mudança e tanto depois da energia densa de Escorpião que permeou nossa mente por tantas semanas. Como se não bastasse, a Lua em Aquário faz oposição a Júpiter, e embora ela se anime um pouco, ali na frente há a quadratura a Saturno, formando uma T-Square. O perigo é a falta de equilíbrio e proporção nas coisas e nas interações, na forma de lidar com nossos próprios sentimentos e necessidades emocionais. Uma hora ficamos hiper expansivos e sociáveis para logo depois recuarmos a uma frieza glacial e desapegada, deixando a todos confusos e incertos quanto ao que esperar de nós, ou então, nós é que somos confundidos pela instabilidade alheia. Melhor não levar nada tão a sério, especialmente não SE levar a sério demais.

945351_576741102370517_694090379_n
Tirado de Open Art Group – Reprodução

O fim de semana chega com a Lua em Peixes conjunta a Netuno no SÁBADO. A Lua ainda quadra Mercúrio, o Sol e Vênus em Sagitário e faz conjunção a Quíron no início da noite, enquanto o próprio Mercúrio quadra Netuno. Tudo isso faz do sábado outro dia choroso, de suscetibilidades difíceis de se conter. Estamos derramados e, feito esponjas psíquicas, entramos em contato com a dor do mundo todo.  Confusos, nostálgicos e saudosos de algo indefinível, nem nos surpreendemos se os céus também resolvem abrir suas compotas e jorrar suas torrentes Terra abaixo – nesse caso o clima só estará combinando com nosso humor instável e nostálgico. “Num dia frio, um bom lugar pra ler um livro” pode fazer milagres pela alma sensível, especialmente se vier acompanhado de um chá ou um cafuné. Os mais criativos, por outro lado, podem se beneficiar grandemente dessas influências, que permitem que ganhemos acesso a outras esferas e dimensões, bebendo de suas fontes e enriquecendo nossa imaginação e inspiração para criar e dar vazão à dor e a toda sensibilidade pelos canais da arte, da escrita, da música… A Influência também é perfeita para as jornadas espirituais, porém deve-se evitar alcóol e substâncias que alteram a consciência de forma geral. 

alan murray
Alan Murray – Reprodução

No DOMINGO a Lua, ainda em Peixes, faz quincunce a Júpiter, sextil a Marte e trígono a Saturno, propiciando um pouco de ancoragem e canal para todo o aguaceiro do sábado. Conseguimos ver as coisas sob uma ótica mais terrena e mais prática, talvez ainda tendo que lidar com alguma insatisfação indefinida, mas já tendo mais compostura para gerir as emoções e sentimentos oceânicos. Domingo à noite a Lua entra em Áries. Subitamente o clima muda e cansamos da pasmaceira, quem sabe até saindo para dançar! O certo é que nos espantamos com o afogamento que vivenciamos, torcemos roupas e centrifugamos a alma para nos liberar de toda a água e principalmente de todo o peso. Agora queremos sair e agitar! É hora de acordar do sono profundo e confuso do fim de semana e despertar para a vida!

Que as inflências Netunianas venham nos ajudar a entrar em contato com nossos sentimentos e vulnerabilidades e que possamos criar tempo e espaço para vivenciar e honrar toda essa sensibilidade.

Linda semana, de radiosa energia para você!

Christian Schloe voyage
Christian Schloe Digital Art – Voyage – Reprodução