Arquivo da tag: Signo de touro

As 12 Noites Sagradas – ESCORPIÃO e a Sombra Humana

scorpio simboloChegamos à decima primeira das 12 Noites Sagradas, a Noite de Escorpião. (Se você não sabe o que são As 12 Noites Sagradas, clique aqui)

Edna Andrade fala sobre esta noite:

Nasce de novo o sol, atravessamos um novo dia e cai a noite e uma nova estrela brilha no céu irradiando da Constelação de Escorpião através da qual emanam as forças espirituais dos Exusiai, os Seres da Forma, também chamados de Potestades ou Poderes. Agora atingimos o âmbito da segunda hierarquia. Eles também foram seres de um estado evolutivo anterior tão avançados em seu processo que podem acolher os planos divinos e torná-los manifestos, de forma que haja uma concordância entre a esfera macrocósmica da consciência do Cosmos e o nosso sistema Solar, que é uma expressão microcósmica onde a nossa existência humana está inserida, onde acontece a nossa biografia, humana.”

angel7
Reprodução

Estamos no âmbito das forças sexuais, que são as forças que oscilam tanto para o egoísmo mais absoluto, aquilo que pode ser caracterizado como o mal, porque ao oferecer a possibilidade da maior satisfação imediata podem subjugar o humano ao nível do animalesco. Mas que também trazem uma das maiores possibilidades para a superação do egoísmo e transcendência de forças. Aqui temos a imagem de uma luta, na nossa vida interior, entre a morte e ressurreição. E esta é uma luta muito individual, onde em liberdade oscilamos entre as sombras que obscurecem o nosso ser, os esconderijos onde vive o Escorpião venenoso, e as forças de expansão do Ser, representadas pela águia que se eleva às alturas e de lá contempla o Todo.

exusiai
Reprodução

O Escorpião é então o signo das forças duplas, tanto destrutivas, retrógradas, que mudam constantemente de aparência e invadem a nossa alma trazendo caos à nossa vida, como é também portador de forças construtivas que têm a ver com transmutação constante e contínua superação, para que a substância divina, o Espírito, possa em nós ser plasmado de novo e sempre! No apocalipse esta característica de forças duplas é apresentada como a espada de dois gumes.

Nesta décima primeira Noite Santa, recebemos através do portal de Escorpião os impulsos espirituais dos Exusiai, ou Potestades, para aceitar por um lado as nossas fraquezas, e por outro lado receber os impulsos espirituais para a superação e transformação dessas forças.

Nesta noite procure ficar em paz consigo mesmo. Da região de Escorpião, os Exusiai, Espíritos da Forma, lhe trazem a capacidade de renascer das crises e de todos os processos de perda, impotência, dor e desespero. (1)

dalizodiac_scorpio
Escorpião – Salvador Dali

Escorpião é signo FIXO, de ÁGUA. É Feminino, Passivo, Negativo. Como se pode pensar na água, sempre fluida, como fixa? De imediato podemos pensar no gelo, como diz Martin Freeman: “Tecnicamente, a única maneira de a água ficar fixa é quando é gelo. Certamente o iceberg, como o Escorpião, revela pouco de si mesmo, a parte maior estando submersa e traiçoeira” (citado por Sue Tompkins) (2). De fato, pouco se vê do Escorpião. Ele tem grande capacidade de penetrar profundamente a alma alheia, descobrindo os segredos e as motivações mais íntimas das pessoas, mas, para desespero e frustração delas, a recíproca não é verdadeira, permanecendo ele para sempre inescrutável, como uma fortaleza fortemente vigiada. Sim, claro, se ele chegar a confiar em você poderá até se abrir um pouco, mas revelará somente aquilo que lhe aprouver, quando e SE lhe aprouver. É o signo dos SEGREDOS e dos MISTÉRIOS. Mistérios são coisas que o fascinam e ele está sempre tentando entender a dinâmica da vida através de investigações metafísicas, mágicas e profundas ou mesmo estudando as filosofias ocultas e iniciáticas.

Escorpião é também associado com as águas paradas, escuras e profundas, cuja calmaria esconde abismos que podem engolir o melhor dos mergulhadores. Essas profundezas são metáforas para a alma abissal do Escorpião, cheia de perigos e volatilidade.

SONY DSC
Escorpião – Vitrais do portão Sul da Catedral de Chartres – Wikimedia Commons

Signo da MORTE, RENASCIMENTO e da TRANSFORMAÇÃO, ele vive muitas vidas numa mesma existência, trocando de pele como as serpentes, quando a forma de vida já não o sustenta ou não representa sua busca interior por viver tudo ao extremo. Tem necessidade de mudança, provocando crises quando percebe que uma situação está impedindo seu crescimento. Por mais possessivo que seja, uma vez determinado a eliminar algo da sua vida, é apenas questão de tempo. As serpentes, repteis diversos, a aranha, além do próprio escorpião são seus “animais”, assim como a águia, por causa de seu olhar agudo e de longo alcance. A Fênix, o pássaro mítico de fogo, é outro de seus símbolos. A Fênix sentia quando se aproximava seu fim, então ela se recolhia e entrava em auto combustão, queimando até as cinzas, para depois ressurgir para uma vida nova.

fenix-11
A Fênix Mitológica – Desconhoeço o Autor Reprodução

No corpo rege os órgãos sexuais e excretores, simbolizando tanto sua associação com o SEXO quanto com a necessidade de ELIMINAÇÃO e expurgo dos detritos inúteis. RECICLAGEM também é algo pertinente a este signo, que é capaz de achar verdadeiros tesouros no lixo ignorado por outros.

IMG_0492
Marte – Maria Eunice Sousa

Regido duplamente por Marte e por Plutão, é um signo de grande CORAGEM e destemor, enfrentando seus medos e inimigos com grande audácia, sem o menor receio de olhar o diabo no olho. Mas, para além das confrontações literais, a maior força de Escorpião é a coragem e a FORÇA EMOCIONAL e psicológica. AUTOCONTROLE e auto-disciplina são palavras-chave porque ele tem que ser Senhor de si mesmo e jamais se permitirá depender de nada ou de ninguém – mesmo quando envereda pelo abuso de drogas e outras substâncias, é mais pela destrutividade intrínseca do que propriamente pela adicção ou dependência. É INSTINTIVO, VISCERAL, penetrante, intenso. Prospera e cresce com as CRISES, funcionando como grande CATALISADOR DE MUDANÇAS aonde quer que vá – aliás, esse é um dos motivos da sua grande má fama: as pessoas são obrigadas a olhar para si mesmas e suas necessidade de mudar na presença do Escorpião e essa é uma tarefa que nem todo mundo quer empreender.

IMG_0488
Plutão – Maria Eunice Sousa

Sua vida é colorida de PAIXÃO e INTENSIDADE, em cores vivas e quentes como o sangue que corre nas veias. Essa passionalidade é o que o faz viver intensamente e NO LIMITE, testando a si mesmo e à vida, expondo-se a perigos EXTREMOS, às vezes até mesmo por pura diversão, só para ver até onde ele agüenta. Nada com ele é morno. Ou é frio glacial ou é fogo calcinante. TUDO OU NADA, não tem meio termo. Ou ama ou odeia e com igual intensidade. É extremamente sagaz e perspicaz, captando as coisas no ar, seu faro e antenas sempre ligados e sondando o ambiente e os arredores. Nada é leve ou superficial com ele, tudo necessariamente tem que ser PROFUNDO e crítico, como se ele estivesse sempre prestes a morrer, como se cada minuto fosse o ultimo de sua vida. Isso porque ele tem uma consciência AGUDA da morte e dos ciclos da vida, uma consciência que é tanto inata, quanto resultado da exposição precoce à crueza da vida e da natureza humana. Por isso, nada o surpreende, nem nele mesmo, nem nos outros, menos ainda no mundo. Não há nada que ele já não tenha visto, sonhado, ou intuído. Essa aguda consciência da morte é o que o faz SENTIR tudo muito intensamente e também o que lhe dá um instinto de sobrevivência invencível, a toda prova. A INTUIÇÃO super aguçada e a capacidade de captar o que os outros sentem lhe conferem uma grande COMPAIXÃO pelos outros.

SONY DSC
Escorpião – De um Livro Medieval de Astrologia – Wikimedia Commons

Escorpião é, talvez, o signo mais LEAL do Zodíaco. Ele é capaz de morrer por você, mas você só erra com ele uma vez. Não há segunda chance, não há perdão! Esse negócio de perdão é para os fracos, diria ele. E claro que vai tentar se vingar na primeira oportunidade, mas de forma planejada e estratégica, porque de tolo ele não tem nada. Na melhor das hipóteses, no caso do escorpião mais “tímido”, ele vai fazer igual àquele provérbio japonês: se você sentar na beira do rio e esperar o tempo suficiente, você verá o corpo do seu inimigo descer rio abaixo. É, ele é IMPLACÁVEL e INTRANSIGENTE, IRRACIONAL, INFLEXÍVEL. Com seu faro super apurado, ele suspeita de tudo e tem grande dificuldade de CONFIAR nas pessoas, podendo mesmo se tornar PARANOICO em certas situações. E ele não confia porque conhece bem demais a natureza humana e suas vilanias e baixezas. Para ele não é questão de “se” alguém vai traí-lo, é uma questão apenas de oportunidade, de “quando” isso acontecerá.

Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender scorpio
Escorpião – Deutsche Fotothek Astrologie & Sternzeichen & Kalender

Daí uma das razões do ciúme e da possessividade. O ciúme também vem da necessidade de controle e de possuir o outro, imiscuindo-se em sua vida da forma mais profunda e inequívoca possível. Essa vontade de controle e de poder não se aplica somente aos relacionamentos, é uma constante na vida. Escorpião, afinal é o signo do PODER! Poder que vem, muitas vezes, da negação de si mesmo e da própria vontade – porque a dele é de aço! É também capaz de grande CRUELDADE, CINISMO e SARCASMO e nem espere pedido de desculpas, porque se ele fez, está feito, não tem retorno, não tem arrependimentos. Pode ser profundamente egoísta e quando negativo torna-se um vampiro sádico que se alimenta do viço daqueles com quem convive. Porque se ele é capaz de gestos grandiosos e compassivos, também pode ser terrivelmente mesquinho, de propósito, porque tem capacidade de ler onde a estocada vai doer mais, onde reside o ponto mais fraco do seu oponente e exatamente aí, dar o golpe final. Seu grande poder de veneno pode tanto curar quanto destruir e ele está ciente disso, mas a forma como age, é mais forte que ele mesmo, é a sua natureza.

escorpio
Escorpião, o inseto – Reprodução

Isso nos lembra aquela fábula do sapo e o escorpião e que nos dá uma boa idéia de como este signo funciona: Um sapo e um escorpião se encontraram às margens de um rio profundo. Ambos precisavam atravessá-lo, mas só o sapo sabia nadar. O escorpião se aproximou dele, e pediu carona nas costas para atravessar o rio. O sapo relutou dizendo: “Não sou doido, se o carregar nas costas, você vai me dar uma picada e eu ficaria paralisado e morreria”. O escorpião ponderou: “Eu é que seria doido se fizesse isso porque também morreria porque não sei nadar”. O sapo, pensou e admitiu que o escorpião tinha razão, era lógico o que ele estava afirmando. Então deixou que ele subisse nas suas costas e começaram a travessia do rio. No meio dessa travessia o escorpião picou o sapo. Este, surpreso, ainda não paralisado, mas já sentindo o efeito da picada, perguntou indignado: “Por que você fez isso se sabe que também vai morrer?”. O escorpião respondeu “Fiz isso porque é da minha natureza”.

Scorpio-bonatti
Escorpião – Guido Bonatti – Wikimedia Commons

Assim é o escorpião, é a sua natureza. Ele pode sabotar tanto a você quanto a ele mesmo porque o instinto destrutivo é forte, assim como a capacidade para subterfúgios, manipulação e corrupção. A diferença é que quando escorpião se torna corrupto, ele o faz sem desculpas, de caso pensado. Não é alguém que se deixa seduzir e finge que foi “corrompido”. Não. Ele se corrompe de forma decidida, seja porque gosta de flertar com o perigo, seja pela vontade de poder, ou porque decidiu que seria assim.

Scorpius_constelacion
Ilustração da Constelação de Escorpão na Uranometria de Johann Bayer – Wikimedia Commons

Sua capacidade de entrega ao que faz é tão intensa que o torna obsessivo, só sossegando quando chega à raiz das coisas, ao núcleo do problema ou da situação que ele está tentando esmiuçar, portanto, nem tente esconder algo de Escorpião, porque é questão de tempo até que ele desvende o mistério. Aliás, às vezes ele nem precisa se esforçar muito, porque as coisas que lhe interessam saber tendem a “cair no colo” dele, de alguma forma misteriosa. Ele é venenoso e tão letal quanto o ferrão do inseto que lhe emprestou o nome. Por isso, não brinque com ele se não tiver igual poder de fogo, ou melhor, de veneno!

Para entender tentar melhor sua psicologia, vamos explorar alguns de seus mitos e figuras emblemáticas.

HerculesHidraGustaveMoreau
Hércule e a Hidra – Gustave Moreau – Reprodução

O mito mais conhecido relacionado a Escorpião é o oitavo dos 12 trabalhos de Hércules, aquele em que ele precisa matar a Hidra de Lerna, um monstro que tinha corpo de cachorro e nove cabeças, uma delas imortal. Seu veneno era tão letal que destruía toda a vida ao seu redor. Ela habitava um pântano fedorento e obscuro e aterrorizava a região. Era quase impossível destruir o monstro porque quando se cortava uma cabeça, três outras nasciam no lugar. Primeiro ele teve que fazer o monstro sair da caverna escura em que se escondia atirando flechas de fogo, enquanto segurava a respiração para não respirar seu veneno. Mesmo assim, ele estava quase perdendo a batalha quando lembrou-se dos conselhos de seu mestre: “nós nos elevamos ajoelhando-nos, conquistamos nos rendendo e ganhamos, desistindo”. Assim, ele ajoelhou-se e levantou a hidra por uma de suas cabeças, tirando-a da água e elevando-a no ar, em direção ao sol. Afastada da água a hidra perdeu sua força e poder e encolheu de tamanho, permitindo que Hércules cortasse suas cabeças e as cauterizasse e cortasse, especialmente, a principal delas. No seu lugar surgiu uma jóia preciosa que ele enterrou debaixo de uma rocha. Da mesma forma, Escorpião precisa trazer à luz da consciência os conteúdos virulentos e obscuros do inconsciente pessoal e às vezes, familiar e coletivo. Se ele não faz isso, essa energia inconsciente e putrefata o envenena, intoxicando também a tudo o que ele toca. quando decide enfrentar o monstro, o resultado é a jóia preciosa da consciência e do domínio de mais uma parcela de si mesmo. (3)

medusa
Medusa – Caravaggio – Reprodução

Outro não menos importante é o mito de Medusa (novamente, os parágrafos em itálico são uma tradução livre e resumida do capítulo de Escorpião do Livro A Astrologia do Destino, de Liz Greene) (4). Havia três Górgonas chamadas Esteno, Euriale e Medusa, elas eram três belas irmãs. Uma noite Medusa se deitou com Poseidon no templo de Atena, que ficou ultrajada pela audácia de profanarem seu templo, transformando Medusa num monstro alado, de olhos petrificantes, dentes pontiagudos, língua saliente, garras agudas e serpentes no lugar de cabelos. Em outra versão do mito diz-se que na verdade Poseidon a violentou e que o olhar petrificante dela era na verdade o ultraje e o horror da experiência.Liz Greene diz que independente da versão “estamos de volta ao tema escorpiônico do estupro e da sexualidade ofendida. Eu diria também, a deusa resolve punir apenas o feminino, que representa, novamente, os  instintos. Se a feiura de Medusa foi resultado de uma Atena ultrajada ou do espírito feminino ultrajado, eles são, de muitas formas, a mesma coisa, pois Atena, a deusa virgem que é a sabedoria de Zeus é uma imagem do julgamento contra o comportamento não civilizado. A face de Medusa é um retrato do ódio e raiva femininos e seu efeito sobre qualquer um que ocorra de olhar para ela é paralisia”.

perseu
Desconheço o Autor – Reprodução

A Perseu coube matar Medusa, do contrário sua própria mãe seria obrigada a casar-se com o Rei Polydectes. Aqui, diz Greene, “temos o motivo da redenção de uma figura feminina conquistando outra, sombria. Mas as duas, em essência, são a Mãe, a Mãe Sombria. E a mãe pessoal só poderá ser redimida se a arquetípica for confrontada”. Ela continua dizendo que é comum que no caso de um homem, a herança da raiva e amargura inconsciente da mãe macule sua própria alma interior, a imagem da sua anima, assim, ele carrega o ódio por ela. Portanto, é importante redimir não só a própria mãe, mas também a anima.

Scorpion zodiac sign, Jantar Mantar, Jaipur, India. 18th century CE.
Escorpião, Jantar Mantar, Jaipur, India. Século XVIII DC – Wikimedia Commons

Para conseguir aniquilar Medusa Perseus recebeu conselhos e presentes de vários deuses: Atena lhe deu um escudo super polido e lhe advertiu para nunca olhar diretamente para ela. O escudo-espelho nos remete à ideia da capacidade de reflexão e de pensamento simbólico. Hermes lhe deu uma foice especial pra  cortar-lhe a cabeça, uma par de sandálias aladas e uma sacola mágica para guardar a cabeça depois. Hades lhe deu um capacete de invisibilidade. Para conseguir tudo isso e descobrir o caminho para Medusa, ele teve que visitar as três Velhas Graiai, que dividiam entre si um único olho e um único dente. Outra versão das Moiras, ou seja, ele está nas mãos do Destino, e a tarefa é Deo Concedente, como diriam os alquimistas, ou seja, é da vontade do Deus. Seguindo estes conselhos e usando os objetos mágicos Perseus então matou Medusa. 

pegaus
Pegasus – Desconheço o Autor – Reprodução

Do corpo dela saiu Pegasus, que era o fruto da união de Medusa e Poseidon, mas por causa de seu ódio ela não tinha conseguido dar à luz. Assim Perseus libera não só a ele, mas a ela também. Pegasus  era um cavalo alado, simbolizando uma criatura da terra que tem o poder de ascender às alturas celestiais. A cabeça de Medusa, Perseus guardou na sacola mágica pra usar depois contra seus inimigos.

Greene diz que tanto Medusa quando a Hidra simbolizam a mesma coisa, a destrutividade com a qual Escorpião tem que lidar. Ela só pode ser decapitada pelo poder da reflexão pois se se olhar diretamente para ela, ou para a própria sombra e escuridão, fica-se petrificado, que é quando se chega aos estados psicóticos. “A luta com o dragão ou com o monstro é outro motivo universal nos mitos e é particularmente relevante para Escorpião, que deve confrontar em talvez maior profundidade essa face reptiliana da vida instintiva com seu poder destrutivo e terrificante”, afirma Greene.

rembrandt
Fausto – Rembrandt – Reprodução

No capítulo sobre Escorpião Liz Greene lembra ainda a estória de Fausto, um mito recontado magistralmente por Goethe, que tinha, ele mesmo, Escorpião no Ascendente. Fausto era um médico comum e obscuro, que tinha anseios de prestigio e sede de poder, riqueza e reconhecimento. Fausto faz um pacto de sangue com Mefistófeles: em troca de seus desejos de poder mundano, Mefistófeles terá sua alma. E ele segue conquistando e conseguindo tudo o que ambicionava. Mas o tempo vai passando. Goethe foca no egoísmo de Fausto, que é a porta de entrada para Mefistófeles, o espírito da negação, aquele que murcha toda a inocência. Ocorre que Fausto negou a Deus, desprezando-o. Essa atitude do cinismo e da negação da vida é um dos males que Escorpião tem que combater dentro de si mesmo. Às vezes, nem ele mesmo percebe ou está consciente dessa negatividade destrutiva da vida.  “É como uma apatia, um tipo de depressão, uma convicção de que, em ultima análise, nada vai funcionar; e geralmente se origina do desespero da infância e da sensibilidade peculiar ao lado sombrio da psique que Escorpião possui desde muito jovem”. A barganha de Fausto com Mefistófeles é a de que ele poderá levar sua alma se ele tentar, em qualquer momento, parar a vida e agarrar-se ao momento presente ao invés de permitir a mudança e o fluxo da vida. Isso tem a ver com a fixidez de Escorpião, que geralmente tenta possuir algo bonito e prazeroso ao invés de deixar a vida fluir. Daí nasce realmente a possessividade e o ciúme de Escorpião.

Dr-Faustus
Dr. Fausto encenado no Teatro Shakeaspeare em Londres – Reprodução

Greene continua: “no fim do poema Fausto quase pronuncia as palavras fatais, mas seu espírito inquieto o salva e embora ele tenha sujado suas mãos e se corrompido, este é um aspecto necessário de sua busca não apenas por poder, mas pela iluminação e pelo amor. Portanto, ele é perdoado”. Ela diz que este negócio entre Fausto e Mefistófeles é um retrato vívido do conflito intrínseco a Escorpião, que, a despeito de sua suscetibilidade ao orgulho e ao egoísmo, seu cinismo e sede de poder, ainda assim, ele não para de aspirar à experiência do Amor, que é a sua redenção.  

Giovanni_Maria_Falconetto,_Mantua,_Palazzo_d'Arco,_Sala_dello_Zodiaco,_Sign_of_Scorpio
Signo de Escorpião – Giovanni Maria Falconetto, Mantua, Palazzo d’Arco, Sala do Zodiaco – Wikimedia Commons

A sombra deve ser confrontada pelo espírito humano e é em Escorpião que essa batalha se dá de forma mais fatídica e decisiva. Escorpião, ao olhar e lidar com todos estes materiais sombrias, em si mesmo e no coletivo, redime não só a si e à sua anima, mas traz à tona conteúdos ancestrais que precisam ser purgados e purificados, para que uma transmutação possa ocorrer. Em algumas situações, talvez ele se corrompa no processo, mas o pecado maior de todos é o cinismo e o ódio à vida, assim como o ódio a si mesmo. Ele tem que aprender a viver com essas imagens monstruosas, não só dentro de si, mas aonde quer que vá. A contradição maior é que suas sublimes aspirações de amor, que podem levar a esse ódio da vida, e sua poderosa sensualidade são complicados de se conciliar. Mas se originam do mesmo núcleo misterioso, metade sexualidade e metade espiritualidade; é uma combinação de eroticismo espiritualizado ou espiritualidade erotizada, mas que não é fácil de ser vivenciada e que normalmente Escorpião reprime uma para vivenciar a outra.

008-escorpiao
Escorpião – Johfra Bosschart – Reprodução

A Casa oito, a casa natural de Escorpião é a casa do sexo no horóscopo, assim como é a casa da morte e das investigações metafísicas. Parece contraditório, mas não é. Porque no sexo, quando há entrega total, o que se busca é eliminar a separatividade através da fusão completa e voltar à unidade com Deus, eliminar a sensação da solidão e do vazio; e no orgasmo, já diziam os franceses, ocorre uma “pequena morte”, porque por frações de segundos, o ego deixa de existir e alça alturas só possíveis no êxtase, seja sexual ou religioso. Se Escorpião for capaz de olhar para si mesmo – ele analisa a todo mundo, menos a si próprio, sendo este um dos seus piores pecados – com honestidade sem se perder no cinismo e no desespero, ele pode achar caminhos dignos e luminosos de conciliar sua busca pelo sublime, pelo amor e sua sensualidade poderosa e transformadora.

Stamp_of_Ukraine_s889scorpio
Selo da Ucrânia – Escorpião

 Figuras e motivos arquetípicos

O Alquimista; O Curador Potente; O Cirurgião ; O Psiquiatra; O Assassino; O Mago Negro; O Sobrevivente; O Lobo solitário; Metamorfoses dramáticas; O Reciclador; O Vampiro; O Investigador; O Sabotador

luna
Ilustração Medieval – Reprodução

A sombra de Escorpião é algo complicado de se falar, sendo ele um signo já bastante sombrio. Mas obviamente tem a ver com Touro, seu oposto complementar. Como diz Frank Clifford, “o maior de todos os mistérios é ele mesmo. Ele evita a auto-análise, recusando-se patologicamente a questionar suas motivações subjacentes. Ao contrário, ele permanece na zona de conforto, livre dos riscos e da imaginação, focando somente no físico e no sexual, adquirindo posses e acumulando riquezas. Com medo da sua própria co-dependência e dos impulsos que espreitam abaixo da superfície. O Escorpião vampiresco é desdenhoso das fraquezas alheias e usa intimidação para controlar e manipular os outros”.

SONY DSC
Escorpião – Escultura no Portão Norte da Catedral de Chartres – Chartres, França – Wikimedia Commons

Sobre a sombra de Escorpião Liz Greene (6) lembra que uma das coisas que ele não consegue ver é o quanto suas intensas reações emocionais são governadas pelas suas opiniões – não, nem tudo é tão instintivo assim! Da mesma forma que os signos de Ar são muito inconscientes dos próprios processos emocionais, assim também os signos de Água são muito inconscientes dos seus processos mentais e racionais. Desta forma, Greene afirma que “um dos seus maiores pontos cegos é o fanatismo em suas opiniões sobre pessoas e sobre a própria vida. E este fanatismo pode, no lugar errado e na hora errada, incitá-lo a algumas atitudes bem desagradáveis baseadas julgamentos tendenciosos ou distorcidos”. Ela menciona, por exemplo, que mulheres de Escorpião, depois de terem tido experiências amorosas ruins tendem a cristalização de opiniões, a rotulações e generalizações do tipo “todos os homens são iguais/infiéis” ou “nenhum homem é digno de confiança”, no que ela chama de Síndrome de Otelo. O ciúme e possessividade de Escorpião vão muito, muito além do ciúme do ser humano comum: chega à paranoia ou ao ciúme patológico que envenena e destrói relações e, em última instância, impede mesmo que o indivíduo desenvolva as parcerias frutíferas pelas quais tanto anseia. Sua enorme negatividade sobre a vida e as pessoas, essa negatividade que colore tudo de negro e descortina apenas cenários áridos e sombrios é uma das partes principais de sua sombra.

Scorpio_-_Horoscope_from_'The_book_of_birth_of_Iskandar-_Wellcome_L0040139
Escorpião – detalhe do Livro de Nascimentos de Iskandar – Coleção Asiática – Wikimedia

O problema, diz Greene, é que Escorpião nunca dá o benefício da dúvida a ninguém. Ele simplesmente decide que você errou, ou o traiu, ou “aprontou” para cima dele e o veredicto é dado. E jamais lhe dará oportunidade de se retratar, muito menos confiará de novo. Nem por um segundo cogita que pode estar errado em suas suspeitas e conjecturas, porque ele viu tanto da podridão humana que não consegue mais confiar em ninguém. Mas é preciso aprender a confiar, mesmo que em algum momento se seja magoado novamente. A vingança, dependendo da situação, pode ser até algo saudável, diz Greene, melhor do que bancar a alma boa que perdoa tudo, enquanto ferve de ódio por dentro e recorre a manobras indiretas de se vingar sem parecer que se vingou – algo com que Bert Hellinger concorda, uma vez que recomenda que se dê “o troco” em nome do equilíbrio nas relações laterais, numa conta que em que se deve devolver as coisas boas em dobro e devolver as coisas ruins pela metade. Mas no caso de Escorpião, ele quer se vingar sempre, e da forma mais dolorosa e terrível possível. Assim não dá para se viver, para se amar ninguém… Assim não dá para ser feliz! Então, Escorpião precisa aprender que amar e viver dói; que a gente tropeça e se machuca aqui e acolá; que as pessoas se ferem mutuamente e na maior parte das vezes isso não é intencional; e nem por isso se tem que sair destruindo a tudo e a todos por uma vingança que só irá nos deixar mais vazios e amargos. Então, Escorpião, vamos dar o benefício da dúvida de vez em quando? Por mais que seus instintos estejam certos na maior parte das vezes, em outras tantas ele pode ficar ofuscado pela sua paranoia. Lembre-se disso!

scorp
Reprodução

Meditação de Escorpião

Esta meditação é tirada do oráculo do Osho: fique sentada(o), braços apoiados nas pernas com as palmas das mãos viradas para baixo, feche os olhos, respire calmamente algumas vezes e pense na intenção deste exercício. A intenção é DEIXANDO IR (aquilo que você precisa se libertar – pensamentos, pessoas, objetos, situações).

E agora veja, sinta ou faça de conta que tem aprisionada em suas mãos a imagem daquilo a que está apegado. Respire uma vez e solte, desprenda, desapegue-se disso, vendo ou fazendo de conta que vê esta imagem se diluir, se desfazer, desaparecer nas profundas águas do Universo. Olhe então para as palmas das suas mãos e imagine uma miríade de pontos de luz com milhões de novas possibilidades para você e sua vida. Então, sentido-se completamente livre, respire e abra os olhos. Se quiser, escreva ou faça alguma arte – ou apenas medite e guaarde para você, como faria Escorpião.

Música para Escorpião

 

Fontes consultadas

(1) Edna Andrade, em Festas Cristãs 

(2) Sue Tompkins – the Astrologer’s Handbook

(3) Howard Sasportas – As 12 Casas

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(5) Frank Clifford – Getting to the Heart of your Chart

(6) Liz Greene – Astrology for Lovers

As 12 Noites Sagradas – TOURO e o mundo dos sentidos

tourooBom. Hoje é o dia de Touro. Certo.

Vamos devagar, porque não precisamos ter pressa.

Edna Andrade (1), na sua programação das 12 Noites, inspirada por Steiner diz sobre esta noite: “Foram as forças do Touro que configuraram a laringe, o órgão da fala que, segundo o Steiner, está em transformação e que nos estágios evolutivos futuros do ser humano a palavra terá de novo a força plasmadora referida nas Gênesis de todas as religiões. No princípio era o verbo e o verbo estava em Deus.

A palavra será como uma lança sagrada de expressão do amor divino.

Nesta Noite Santa através do portal do Touro o Espírito Santo emana a plenitude do amor divino inspirada como persistência em relação ao que se pretende alcançar.”

 

mae e bebe
Reprodução

Nascemos em Áries e em Touro descobrimos que temos um corpo, descobrimos a textura das coisas. Touro é o bebê brincando com a comida, descobrindo novos sabores, novas texturas. É o bebê brincando com os pés, chupando as mãozinhas, perdido nesse mundo de prazeres sensoriais. Descobrindo que o seio da mamãe não alimenta somente sua barriguinha, mas também lhe dá sensação de conforto, segurança, prazer.

Sidney_Hall_-_Urania's_Mirror_-_Taurus
A constelação de Touro – Do Espelho de Urania, um conjunto de cartões celestiais by Jehoshaphat Aspin – Wikimedia Commons

 

Touro é o primeiro signo de TERRA. É Terra Fixa, Feminina, Passiva, Negativa. Ao contrário de Áries que age de forma rápida, impaciente e decidida, TOURO age de modo totalmente deliberado. Leva muito tempo analisando uma situação antes de tomar decisões. Ele nunca se precipita.  E nem adianta tentar apressá-lo, isso só vai fazer com que ele demore mais ainda. De propósito. Touro é prático, cauteloso, paciente. Aliás, ele não está interessado em “fazer” nada, a ele interessa apenas SER. E TER, claro! Quase nada o tira do sério. Quase nada. Mas quando algo de fato o tira do sério, saia da frente porque é o próprio estouro da boiada. Lembra de Ferdinando, o Touro? Pois é.

touro_feat-672x372
Reprodução

Regido por Vênus-Afrodite, a deusa do Amor, da Beleza e do Sexo,  ele é extremamente charmoso e envolvente. Sensual, sensorial e táctil, vive e interpreta o mundo através dos sentidos, aliás, os sete Pecados Capitais são um problema. Amante da BOA VIDA, dos prazeres e da segurança material, um Taurino de bolso vazio, sem mesa farta e sem SEXO torna-se frustrado e terrivelmente mal humorado. Mas não se preocupe, ambicioso como ele é, esse estado de coisas não dura para sempre e ele logo dá um jeito de reverter a situação. Conservador, não é muito afeito a mudanças bruscas. Gosta da TRADIÇÃO e daquilo que já foi exaustivamente testado. Ser original não é uma de suas preocupações – isso é para Aquário, signo com o qual está em desarmonia. Tudo com ele tem que ser mastigado e digerido lentamente, e principalmente, absorvido, tranquilamente. Seu lema é “devagar e sempre”.

dalizodiac_taurus
Touro – Salvador Dali – Reprodução

O mundo de Touro é o mundo tangível, PALPÁVEL, a realidade do aqui e agora. Por isso é o grande CONSTRUTOR. Seu objetivo é construir algo sólido, de preferência que dure pra sempre e que resista aos mais terríveis terremotos. É PERSEVERANTE, determinado e REALISTA, às vezes vendo o mundo com um excesso de literalismo, exigindo “ver para crer”, o que o faz parecer de pouca poesia e, às vezes, de visão estreita. Ele diria que não é visão estreita, apenas questão de BOM SENSO, afinal, quem é louco de querer correr riscos desnecessários? Sim, ele é TEIMOSO e INFLEXÍVEL, Mas tudo bem, isso é adequado para o Touro, que é completamente orientado para a SEGURANÇA e a ESTABILIDADE. Mas o problema é que tanta estabilidade muitas vezes leva à ESTAGNAÇÃO e ao APEGO, um dos grandes problemas do boi, especialmente o apego a coisas materiais, e às vezes também a pessoas – sim, ele acha que você já é parte do PATRIMÔNIO dele. Essa ROCHA que tanto oferece segurança e que é símbolo de CONFIABILIDADE pode, quando negativo, na verdade bloquear mudanças e avanços necessários. Tem uma pedra no meio do caminho…

67904_506987696004621_1700760124_n
Reprodução

Como ele lida com o mundo dos sentidos, também adora uma MASSAGEM, porque, como já disse, ele é extremamente TÁCTIL e  sensual – dizem que tem o beijo mais quente e mais inesquecível de todo o Zodíaco!!! Adora ser tocado – pelas mãos certas, é claro – assim como sentir sob as mãos texturas diferentes, como a textura da seda, do cetim ou de um simples algodão puro, só não lhe traga essas coisas sintéticas, muito menos imitações baratas, por favor! Perfume é outro de seus prazeres, assim como a boa música, tendo talento para apreciação da beleza na sua expressão mais simples e NATURAL.

SONY DSC
Touro – Vitrais da Catedral de Chartres – Chartre, França

No corpo rege a garganta, a laringe, o pescoço. Geralmente o pescoço se destaca por ser forte e transmitir a impressão de estabilidade e força. Taurinos também costumam ter olhos inconfundíveis, são hipnotizantes, com longos e belos cílios, seja homem ou mulher. Quando você vir um par de olhos fascinantes, dos quais não consegue desviar, está diante de um Taurino/a! Isso, claro, é influência de Vênus-Afrodite, que era chamado “a de olhos de vaca”. Você já olhou dentro dos olhos de um boi ou vaca? São estranhamente belos e tristes, profundos e hipnotizantes… Assim são os olhos do Taurino! Não olhe demais! Você pode ficar enfeitiçado/a!

photobox2 (1)
Photobox – Reprodução

Tudo para ele é descomplicado e gosta da VIDA SIMPLES, especialmente da vida no CAMPO, por isso também é associado à imagem do FAZENDEIRO e do JARDINEIRO. Não que Taurinos não saibam apreciar o luxo. É que eles gostam de qualidade mas não gostam de ostentar. Também não quer dizer que não gostem das cidades, mas é que seu amor pela natureza e seus ciclos é tão grande que ele prefere a placidez das paisagens mais bucólicas – idealmente ele vai manter uma mansão na cidade e uma casa de campo. Touro não  gosta de drama. Como já disse, tudo para ele é muito SIMPLES e CLARO, como as águas do riacho daquela fazenda maravilhosa (ou sítio) que ele trabalhou tanto para conseguir. Sim, seu reino é o MATERIAL, o reino dos sentidos, que também pode ser sua principal armadilha quando se deixa levar somente pelo lado instintivo e indulge excessivamente nos PRAZERES da CARNE, seja a da mesa ou a da cama, quando torna-se indolente e preguiçoso, ou ainda quando tudo é medido apenas pelo valor material e sua preocupação primeira é apenas adquirir mais e mais.

Ferdinand_the_Bull_5
Reprodução

Mencionamos a bucólica estória de Ferdinando acima, mas o mito mais conhecido e associado a Touro é o mito do Minotauro. A estória começa quando o Rei Minos, de Creta, numa contenda com seus irmãos pelo trono de Creta, argumentava que o trono era seu por direito divino. Para comprovar isso, orou ao deus Poseidon que fizesse sair do mar um belo touro branco, que seria prontamente sacrificado como agradecimento e oferenda ao deus, após sua conquista do trono. Poseidon concordou e logo fez aparecer o touro mais belo que já se tinha visto e toda a população aquiesceu, assim como os irmãos de Minos, a que ele tomasse posse do trono. Acontece que ao ver tão belo animal, o rei Minos mudou de ideia e resolveu juntá-lo ao seu rebanho ao invés de sacrificá-lo ao deus conforme havia prometido. Ele achou que seria um desperdício sacrificar uma tão admirável e majestosa besta e que beleza que seria conservá-la para si. Assim, ele a substituiu pelo melhor touro de seu rebanho, achando que Poseidon não se importaria e nem mesmo notaria a troca. Porém Poseidon não só não gostou da troca como resolveu retaliar. Convocou Afrodite, a Vênus grega, deusa do amor e da luxúria, (não por acaso, regente de Touro) a infligir em Parsifae, a mulher do rei Minos, uma paixão compulsiva e ingovernável pelo touro saído do mar. Em sua paixão tresloucada, Parsifae recorreu a Dédalus, o melhor artesão do reino, para que construísse uma vaca de madeira, oca, que permitisse que ela se escondesse em seu interior recebesse o tão desejado touro em intercurso sexual. E assim se deu. Dessa união nasceu então o Minotauro, uma besta horrenda que tinha corpo de homem e cabeça de touro e que se alimentava de carne humana. A população de Creta obviamente condenou a rainha, mas o rei Minos sabia que não podia julgá-la pois tinha sido ele quem havia causado todo aquele imbróglio. Em seu medo e vergonha profunda Minos convocou Dédalos, o mesmo artesão, para que construísse um labirinto no qual a odiosa criatura pudesse ser escondida. Nesse labirinto eram deixados grupos de jovens, rapazes e moças, que tornavam-se alimento para o monstro. A culminação do mito se dá quando Theseu, herói ateniense, se oferece para entrar no labirinto e matar o minotauro. Theseu efetivamente mata a besta e consegue sair do labirinto com ajuda de Ariadne, também filha do rei Minos, que tinha lhe dado um novelo, cuja ponta do fio ele amarrou na entrada do labirinto, para que não se perdesse dentro dele.

800px-Theseus_victor_of_the_Minotaur_mg_0114
Teseus vence o Minotauro – Charles-Édouard Chaise, óleo sobre tela, cerca de 1791 – Wikimedia Commons

De quem é a falta principal dessa estória tão fabulosa? Da rainha Parsifae que atua seu desejo bestial de forma tão crua? Claro que não. Parsifae apenas sofre as consequências da ambição cega de seu marido Minos. Liz Greene (2), ao analisar esse mito, cita o mitólogo Joseph Campbell para explicar porque o pecado de Minos foi tão grave: “a falha primária não foi a da rainha Parsifae, mas a do rei; e ele realmente não a poderia condenar, pois sabia o que ele próprio havia feito: convertera um evento público em proveito próprio quando todo o sentido de sua investidura como rei implicava que ele deixasse de ser pessoa privada. O retorno do touro deveria ter simbolizado sua submissão absoluta e impessoal às funções do cargo. O fato de ele ter mantido o touro em seu poder representava então um impulso de auto engrandecimento egocêntrico. E assim o rei, ‘pela graça de Deus’ tornou-se o perigoso tirano Gancho, aquele que reivindica tudo para si. Assim como os rituais de passagem tradicionais costumavam ensinar ao indivíduo que morresse para o passado e renascesse para o futuro, as grandes cerimônias de posse o privavam de seu caráter de pessoa comum e o vestiam com o manto da sua vocação. Esse era o ideal, fosse o homem um artesão ou um rei. Cometendo o sacrilégio de recusar o ritual, todavia, o indivíduo deixava de fazer parte, como unidade, da unidade mais amplas formada pela comunidade como um todo; e, assim, o Uno tornou-se muitos, passando esses últimos a lutar entre si – cada um por si – tornando-se governáveis, tão somente, pela força.” (2)

mino
Theseu lutando com o Minotauro – Escultura em mármore de Étienne-Jules Ramey (1796–1852). 1826. Nos Jardins Tuileries Paris. Wikimedia Commons

A figura desse monstro-tirano aparece em muitas fábulas, mitos e contos de fadas, simbolizando aquele que se apossa de algo que deveria ser usado para o bem comum. O monstro que só consegue pensar em “meu e para mim”. Esse geralmente é o grande dilema do Touro, a posse, seja de riqueza material, de propriedades, de poder, ou mesmo de pessoas. O esquecer que o Poder e a riqueza, em última instância, têm que estar a serviço de um Bem Maior, e não apenas de seu usufruto pessoal.

O_Minotauro_no_labirinto_Conimbriga
O labirinto do Minotauro – Conimbriga, Portugal 3° Século – Mosaico Romano – Reprodução

Liz Greene analisa que o dilema mais pertinente colocado por essa estória, e com o qual os Taurinos têm que lidar, vida afora, é A QUE DEUS VOCÊ SERVE, aos seus instintos ou a um Bem Maior? Você é um escravo dos seus instintos ou coloca-os a serviço de uma vida íntegra e abundante?
E ela conclui dizendo que o touro, como símbolo dos instintos primitivos humanos, em si mesmo não é mau, mas se nos permitirmos ser regidos por ele, seremos levados à destruição, pois estaremos à mercê unicamente de nossos desejos. O ego, como parte consciente da psique, deve então aprender a dançar com esse touro, cada um respeitando o outro, pois simplesmente reprimir esses instintos, como fez o rei Minos ao trancafiar o Minotauro no labirinto também não é uma boa solução, pois ele se alimentará de nossa energia vital, tornando-se cada vez mais poderoso e ameaçador, até o ponto em que poderá irromper de forma descontrolada e destrutiva.

Edward_Burne-Jones_-_Tile_Design_-_Theseus_and_the_Minotaur_in_the_Labyrinth_-_Google_Art_Project
Edward Burne-Jones – Design em Cerâmica- Teseus e o Minotauro no Labirinto – Wikimedia Commons

Nesse mito, cada uma das personagens é uma faceta diferente do signo de Touro: o deus Poseidon, em sua face magnânima e também vingativa; o ganancioso Rei Minos; a Rainha Parsifae cheia de luxúria; o brilhante artesão Dédalus; o próprio Minotauro como face mais sombria do nosso lado instintivo; o herói Theseu, que vem redimir o reino; e até mesmo Ariadne, que nos dá o fio providencial para sairmos do labirinto.

E você, quem é você nessa estória? O Rei Minos? a Rainha Parsifae? O Herói Theseu? E como você vem lidando com o seu Minotauro interior?

As figuras arquetípicas de Touro são:

O Construtor; O Fazendeiro; O jardineiro; O Banqueiro; O Massagista; O Cozinheiro

240px-Taurus2
Touro – De um livro Medieval de Astrologia – Wikimedia Commons

A Sombra de Touro está ligada ao signo oposto, Escorpião. Enquanto Touro quer construir, quer estabilidade, Escorpião destrói e busca uma crise após a outra, até ter se transformando completamente. Touro precisa aprender com Escorpião a se desapegar e a eliminar aquilo que não serve mais. Mas ambos têm em comum a possessividade, enquanto Touro se dedica a possuir e se apega a coisas, Escorpião possui de forma emocional. Outra parte da Sombra tem a ver com o elemento Terra e o seu oposto, Fogo: o excessivo realismo e pragmatismo do Touro pode jogar a questão espiritual e a imaginação no ponto cego, e, sem perceber, ele pode se tornar um verdadeiro fanático e se dedicar com fervor religioso a causas não religiosas, como por exemplo, o próprio ateísmo. Irônico, não? É A gente faz dessas coisas quando nosso consciente não está olhando… Karl Marx é um caso exemplar. Richard Dawkins é outro – ele não tem o Sol em Touro, mas tem uma conjunção Saturno-Urano em Touro e vejam só o fervor com que o cara ataca a religiosidade dos outros… Outra característica que frequentemente cai no ponto cego do Boi é a intolerância. Em seu grande bom senso, ele tem grande dificuldade de se colocar no lugar dos outros e perceber a validade de pontos de vista diferentes dos seus. E  da intolerância para o preconceito é só um pulinho o o preconceito, nós sabemos, nasce do medo de que a tão amada segurança esteja sendo ameaçada pelo “diferente”, pelo “novo”.  E ainda um outro problema desta sombra também é compartilhado com os outros signos de Terra: a tendência a usar as pessoas. Liz Greene (3) diz ainda que o oportunismo e o fanatismo são distorções do Fogo reprimido em Touro. Como sempre, características relacionadas à sombra são inconscientes e certamente o Touro não se dá conta de que tem esses, hum, “predicados”. mas eles estão lá. E ajuda, se ele apenas se der ao trabalho de se observar um pouco mais…

Damon Hellandbrand Touro
Damon Hellandbrand – Touro

Touro é o signo da simplicidade, como disse acima. Tem a missão de descobrir como ser feliz com pouco e de descobrir o que é essencial, o que é de valor vital. Assim, tirada do oráculo do Osho, nossa meditação de hoje vai buscar exatamente isso. Para esta meditação você deverá estar sentado/a, pés firmemente apoiados no chão, mãos sobre as pernas com as palmas viradas para dentro e com os olhos fechados.Respire calmamente três vezes, lembrando-se que a intenção deste exercício é devolver a agradável sensação da Simplicidade.

E veja, sinta, perceba-se sentado num banco que está sobre uma relva macia e verdejante. Respire profundamente e quando soltar o ar imagine que sai pelo topo de sua cabeça uma camada fina de toda a sua pele. Ela se esvai e desaparece no ar. É a sua pele do orgulho que se foi. Respire mais uma vez e ao expirar sinta que uma outra pele fininha sai pelo topo da sua cabeça e se dilui no Universo: é a sua pele da vaidade. Respire mais uma vez e ao expirar imagine saindo pelo topo de sua cabeça uma outra pele fininha de todo o seu corpo. É a pele da prepotência que se desmancha ao vento.

Agora que está livre daquilo que embaça seu verdadeiro ser, entre em contato com o que há de mais verdadeiro e simples dentro de você. E sentindo que ao fazer este exercício lava sua alma e traz de volta sua verdadeira essência, respire e abra os olhos.

Johfra-Bosschart-Taurus-3x4.1
Johfra Bosschart – Touro – Reprodução

Música para Touro

 

 

E Amanhã é o dia de Gêmeos!

Programação das 12 Noites Sagradas:

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Edna Andrade – Festas Cristãs

(2) Liz Greene – A Astrologia do Destino
(3) Joseph Campbell – O Heróri de Mil Faces

(4) Liz Greende – Astrology for Lovers

Escorpião – Confrontando a Escuridão da Alma

scorpio simboloOitavo signo do Zodíaco, Escorpião é signo FIXO, de ÁGUA. É Feminino, Passivo, Negativo. Como se pode pensar na água, sempre fluida, como fixa? De imediato podemos pensar no gelo, como diz Martin Freeman: “Tecnicamente, a única maneira de a água ficar fixa é quando é gelo. Certamente o iceberg, como o Escorpião, revela pouco de si mesmo, a parte maior estando submersa e traiçoeira” (citado por Sue Tompkins) (1).

De fato, pouco se vê do Escorpião. Ele tem grande capacidade de penetrar profundamente a alma alheia, descobrindo os segredos e as motivações mais íntimas das pessoas, mas, para desespero e frustração delas, a recíproca não é verdadeira, permanecendo ele para sempre inescrutável, como uma fortaleza fortemente vigiada. Sim, claro, se ele chegar a confiar em você poderá até se abrir um pouco, mas revelará somente aquilo que lhe aprouver, quando e SE lhe aprouver. É o signo dos SEGREDOS e dos MISTÉRIOS. Mistérios são coisas que o fascinam e ele está sempre tentando entender a dinâmica da vida através de investigações metafísicas, mágicas e profundas ou mesmo estudando as filosofias ocultas e iniciáticas.

Escorpião é também associado com as águas paradas, escuras e profundas, cuja calmaria esconde abismos que podem engolir o melhor dos mergulhadores. Essas profundezas são metáforas para a alma abissal do Escorpião, cheia de perigos e volatilidade.

SONY DSC
Escorpião – Vitrais do portão Sul da Catedral de Chartres – Wikimedia Commons

Signo da MORTE, RENASCIMENTO e da TRANSFORMAÇÃO, ele vive muitas vidas numa mesma existência, trocando de pele como as serpentes, quando a forma de vida já não o sustenta ou não representa sua busca interior por viver tudo ao extremo. Tem necessidade de mudança, provocando crises quando percebe que uma situação está impedindo seu crescimento. Por mais possessivo que seja, uma vez determinado a eliminar algo da sua vida, é apenas questão de tempo. As serpentes, répteis diversos, a aranha, além do próprio escorpião são seus “animais”, assim como a águia, por causa de seu olhar agudo e de longo alcance. A Fênix, o pássaro mítico de fogo, é outro de seus símbolos. A Fênix sentia quando se aproximava seu fim, então ela se recolhia e entrava em auto combustão, queimando até as cinzas, para depois ressurgir para uma vida nova.

fenix-11
A Fênix Mitológica – Desconheço o Autor Reprodução

No corpo rege os órgãos sexuais e excretores, simbolizando tanto sua associação com o SEXO quanto com a necessidade de ELIMINAÇÃO e expurgo dos detritos inúteis. RECICLAGEM também é algo pertinente a este signo, que é capaz de achar verdadeiros tesouros no lixo expurgado ou ignorado por outros.

Regido duplamente por Marte e por Plutão, é um signo de grande CORAGEM e destemor, enfrentando seus medos e inimigos com grande audácia, sem o menor receio de olhar o diabo no olho. Mas, para além das confrontações literais, a maior força de Escorpião é a coragem e a FORÇA EMOCIONAL e psicológica. AUTOCONTROLE e auto-disciplina são palavras-chave porque ele tem que ser Senhor de si mesmo e jamais se permitirá depender de nada ou de ninguém – mesmo quando envereda pelo abuso de drogas e outras substâncias, é mais pela destrutividade intrínseca do que propriamente pela adicção ou dependência. É INSTINTIVO, VISCERAL, penetrante, intenso. Prospera e cresce com as CRISES, funcionando como grande CATALISADOR DE MUDANÇAS aonde quer que vá – aliás, esse é um dos motivos da sua grande má fama: as pessoas são obrigadas a olhar para si mesmas e suas necessidade de mudar na presença do Escorpião e essa é uma tarefa que nem todo mundo quer empreender.

IMG_0492
Marte – Maria Eunice Sousa

Sua vida é colorida de PAIXÃO e INTENSIDADE, em cores vivas e quentes como o sangue que corre nas veias. Essa passionalidade é o que o faz viver intensamente e NO LIMITE, testando a si mesmo e à vida, expondo-se a perigos EXTREMOS, às vezes até mesmo por pura diversão, só para ver até onde ele aguenta. Nada com ele é morno. Ou é frio glacial ou é fogo calcinante. TUDO OU NADA, não tem meio termo. Ou ama ou odeia e com igual intensidade. É extremamente sagaz e perspicaz, captando as coisas no ar, seu faro e antenas sempre ligados e sondando o ambiente e os arredores. Nada é leve ou superficial com ele, tudo necessariamente tem que ser PROFUNDO e crítico, como se ele estivesse sempre prestes a morrer, como se cada minuto fosse o ultimo de sua vida. Isso porque ele tem uma consciência AGUDA da morte e dos ciclos da vida, uma consciência que é tanto inata, quanto resultado da exposição precoce à crueza da vida e da natureza humana. Por isso, nada o surpreende, nem nele mesmo, nem nos outros, menos ainda no mundo. Não há nada que ele já não tenha visto, sonhado, ou intuído. Essa aguda consciência da morte é o que o faz SENTIR tudo muito intensamente e também o que lhe dá um instinto de sobrevivência invencível, a toda prova. A INTUIÇÃO super aguçada e a capacidade de captar o que os outros sentem lhe conferem uma grande COMPAIXÃO pelos outros.

IMG_0488
Plutão – Maria Eunice Sousa

Escorpião é, talvez, o signo mais LEAL do Zodíaco. Ele é capaz de morrer por você, mas você só erra com ele uma vez. Não há segunda chance, não há perdão! Esse negócio de perdão é para os fracos, diria ele. E claro que vai tentar se vingar na primeira oportunidade, mas de forma planejada e estratégica, porque de tolo ele não tem nada. Na melhor das hipóteses, no caso do escorpião mais “tímido”, ele vai fazer igual àquele provérbio japonês: se você sentar na beira do rio e esperar o tempo suficiente, você verá o corpo do seu inimigo descer rio abaixo. É, ele é IMPLACÁVEL e INTRANSIGENTE, IRRACIONAL, INFLEXÍVEL. Com seu faro super apurado, ele suspeita de tudo e tem grande dificuldade de CONFIAR nas pessoas, podendo mesmo se tornar PARANOICO em certas situações. E ele não confia porque conhece bem demais a natureza humana e suas vilanias e baixezas. Para ele não é questão de “se” alguém vai traí-lo, é uma questão apenas de oportunidade, de “quando” isso acontecerá.

Scorpio2
Escorpião – De um Livro Medieval de Astrologia Wikimedia Commons

Daí uma das razões do ciúme e da possessividade. O ciúme também vem da necessidade de controle e de possuir o outro, imiscuindo-se em sua vida da forma mais profunda e inequívoca possível. Essa vontade de controle e de poder não se aplica somente aos relacionamentos, é uma constante na vida. Escorpião, afinal é o signo do PODER! Poder que vem, muitas vezes, da negação de si mesmo e da própria vontade – porque a dele é de aço! É também capaz de grande CRUELDADE, CINISMO e SARCASMO e nem espere pedido de desculpas, porque se ele fez, está feito, não tem retorno, não tem arrependimentos. Pode ser profundamente egoísta e quando negativo torna-se um vampiro sádico que se alimenta do viço daqueles com quem convive. Porque se ele é capaz de gestos grandiosos e compassivos, também pode ser terrivelmente mesquinho, de propósito, porque tem capacidade de ler onde a estocada vai doer mais, onde reside o ponto mais fraco do seu oponente e exatamente aí, dar o golpe final. Seu grande poder de veneno pode tanto curar quanto destruir e ele está ciente disso, mas a forma como age, é mais forte que ele mesmo, é a sua natureza.

escorpio
Escorpião, o inseto – Reprodução

Isso nos lembra aquela fábula do sapo e o escorpião e que nos dá uma boa ideia de como este signo funciona: Um sapo e um escorpião se encontraram às margens de um rio profundo. Ambos precisavam atravessá-lo, mas só o sapo sabia nadar. O escorpião se aproximou dele, e pediu carona nas costas para atravessar o rio. O sapo relutou dizendo: “Não sou doido, se o carregar nas costas, você vai me dar uma picada e eu ficaria paralisado e morreria”. O escorpião ponderou: “Eu é que seria doido se fizesse isso porque também morreria porque não sei nadar”. O sapo, pensou e admitiu que o escorpião tinha razão, era lógico o que ele estava afirmando. Então deixou que ele subisse nas suas costas e começaram a travessia do rio. No meio dessa travessia o escorpião picou o sapo. Este, surpreso, ainda não paralisado, mas já sentindo o efeito da picada, perguntou indignado: “Por que você fez isso se sabe que também vai morrer?”. O escorpião respondeu “Fiz isso porque é da minha natureza”.

Scorpio-bonatti
Escorpião – Guido Bonatti – Wikimedia Commons

Assim é o escorpião, é a sua natureza. Ele pode sabotar tanto a você quanto a ele mesmo porque o instinto destrutivo é forte, assim como a capacidade para subterfúgios, manipulação e corrupção. A diferença é que quando escorpião se torna corrupto, ele o faz sem desculpas, de caso pensado. Não é alguém que se deixa seduzir e finge que foi “corrompido”. Não. Ele se corrompe de forma decidida, seja porque gosta de flertar com o perigo, seja pela vontade de poder, ou porque decidiu que seria assim.

Scorpius_constelacion
Ilustração da Constelação de Escorpão na Uranometria de Johann Bayer – Wikimedia Commons

Sua capacidade de entrega ao que faz é tão intensa que o torna obsessivo, só sossegando quando chega à raiz das coisas, ao núcleo do problema ou da situação que ele está tentando esmiuçar, portanto, nem tente esconder algo de Escorpião, porque é questão de tempo até que ele desvende o mistério. Aliás, às vezes ele nem precisa se esforçar muito, porque as coisas que lhe interessam saber tendem a “cair no colo” dele, de alguma forma misteriosa. Ele é venenoso e tão letal quanto o ferrão do inseto que lhe emprestou o nome. Por isso, não brinque com ele se não tiver igual poder de fogo, ou melhor, de veneno!

dalizodiac_scorpio
Escorpião – Salvador Dali

Edna Andrade, no site de Antroposofia, fala sobre Escorpião: “Estamos no âmbito das forças sexuais, que são as forças que oscilam tanto para o egoísmo mais absoluto, aquilo que pode ser caracterizado como o mal, porque ao oferecer a possibilidade da maior satisfação imediata podem subjugar o humano ao nível do animalesco. Mas que também trazem uma das maiores possibilidades para a superação do egoísmo e transcendência de forças. Aqui temos a imagem de uma luta, na nossa vida interior, entre a morte e ressurreição. E esta é uma luta muito individual, onde em liberdade oscilamos entre as sombras que obscurecem o nosso ser, os esconderijos onde vive o Escorpião venenoso, e as forças de expansão do Ser, representadas pela águia que se eleva às alturas e de lá contempla o Todo. O Escorpião é então o signo das forças duplas, tanto destrutivas, retrógradas, que mudam constantemente de aparência e invadem a nossa alma trazendo caos à nossa vida, como é também portador de forças construtivas que têm a ver com transmutação constante e contínua superação, para que a substância divina, o Espírito, possa em nós ser plasmado de novo e sempre! No apocalipse esta característica de forças duplas é apresentada como a espada de dois gumes.” (2)

Para entender melhor sua psicologia, vamos explorar alguns de seus mitos e figuras emblemáticas.

HerculesHidraGustaveMoreau
Hércule e a Hidra – Gustave Moreau Reprodução

O mito mais conhecido relacionado a Escorpião é o oitavo dos 12 trabalhos de Hércules, aquele em que ele precisa matar a Hidra de Lerna, um monstro que tinha corpo de cachorro e nove cabeças, uma delas imortal. Seu veneno era tão letal que destruía toda a vida ao seu redor. Ela habitava um pântano fedorento e obscuro e aterrorizava a região. Era quase impossível destruir o monstro porque quando se cortava uma cabeça, três outras nasciam no lugar. Primeiro ele teve que fazer o monstro sair da caverna escura em que se escondia atirando flechas de fogo, enquanto segurava a respiração para não respirar seu veneno. Mesmo assim, ele estava quase perdendo a batalha quando lembrou-se dos conselhos de seu mestre: “nós nos elevamos ajoelhando-nos, conquistamos nos rendendo e ganhamos, desistindo”. Assim, ele ajoelhou-se e levantou a hidra por uma de suas cabeças, tirando-a da água e elevando-a no ar, em direção ao sol. Afastada da água a hidra perdeu sua força e poder e encolheu de tamanho, permitindo que Hércules cortasse suas cabeças e as cauterizasse e cortasse, especialmente, a principal delas. No seu lugar surgiu uma joia preciosa que ele enterrou debaixo de uma rocha. Da mesma forma, Escorpião precisa trazer à luz da consciência os conteúdos virulentos e obscuros do inconsciente pessoal e às vezes, familiar e coletivo. Se ele não faz isso, essa energia inconsciente e putrefata o envenena, intoxicando também a tudo o que ele toca. Quando decide enfrentar o monstro, o resultado é a joia preciosa da consciência e do domínio de mais uma parcela de si mesmo. (3)

medusa
Medusa – Caravaggio – Reprodução

Outro não menos importante é o mito de Medusa (os parágrafos em itálico são um resumo do capítulo de Escorpião do Livro A Astrologia do Destino). Havia três Górgonas chamadas Esteno, Euríale e Medusa, elas eram três belas irmãs. Uma noite Medusa se deitou com Poseidon no templo de Atena, que ficou ultrajada pela audácia de profanarem seu templo, transformando Medusa num monstro alado, de olhos petrificantes, dentes pontiagudos, língua saliente, garras agudas e serpentes no lugar de cabelos. Em outra versão do mito diz-se que na verdade Poseidon a violentou e que o olhar petrificante dela era na verdade o ultraje e o horror da experiência. Liz Greene diz que independente da versão “estamos de volta ao tema escorpiônico do estupro e da sexualidade ofendida. Eu diria também, a deusa resolve punir apenas o feminino, que representa, novamente, os  instintos. Se a feiura de Medusa foi resultado de uma Atena ultrajada ou do espírito feminino ultrajado, eles são, de muitas formas, a mesma coisa, pois Atena, a deusa virgem que é a sabedoria de Zeus é uma imagem do julgamento contra o comportamento não civilizado. A face de Medusa é um retrato da do ódio e raiva feminina e seu efeito sobre qualquer um que ocorra de olhar para ela é paralisia”.

perseu
Desconheço o Autor – Reprodução

A Perseu coube matar Medusa, do contrário sua própria mãe seria obrigada a casar-se com o Rei Polydectes. Aqui, diz Greene, “temos o motivo da redenção de uma figura feminina conquistando outra, sombria. Mas as duas, em essência, são a Mãe, a Mãe Sombria. E a mãe pessoal só poderá ser redimida se a arquetípica for confrontada”. Ela continua dizendo que é comum que no caso de um homem, a herança da raiva e amargura inconsciente da mãe macule sua própria alma interior, a imagem da sua ânima, assim, ele carrega o ódio por ela. Portanto, é importante redimir não só a própria mãe, mas também a ânima.

Para conseguir aniquilar Medusa Perseus recebeu conselhos e presentes de vários deuses: Atena lhe deu um escudo super polido e lhe advertiu para nunca olhar diretamente para ela. O escudo-espelho nos remete à ideia da capacidade de reflexão e de pensamento simbólico. Hermes lhe deu uma foice especial pra  cortar-lhe a cabeça, uma par de sandálias aladas e uma sacola mágica para guardar a cabeça depois. Hades lhe deu um capcete de invisibilidade. Para conseguir tudo isso e descobrir o caminho para Medusa, ele teve que visitar as três Velhas Graiai, que dividiam entre si um único olho e um único dente. Outra versão das Moiras, ou seja, ele está nas mãos do Destino, e a tarefa é Deo Concedente, como diriam os alquimistas, ou seja, é da vontade do Deus. Seguindo estes conselhos e usando os objetos mágicos Perseus então matou Medusa. Do corpo dela saiu Pegasus, que era o fruto da união de Medusa e Poseidon, mas por causa de seu ódio ela não tinha conseguido dar à luz. Assim Perseus libera não só a ele, mas a ela também. Pegasus  era um cavalo alado, simbolizando uma criatura da terra que tem o poder de ascender às alturas celestiais. A cabeça de Medusa, Perseus guardou na sacola mágica pra usar depois contra seus inimigos.

pegaus
Pegasus – Desconheço o Autor-Reprodução

Greene diz que tanto Medusa quando a Hidra simbolizam a mesma coisa, a destrutividade com a qual Escorpião tem que lidar. Ela só pode ser decapitada pelo poder da reflexão pois se se olhar diretamente para ela, ou para a própria sombra e escuridão, fica-se petrificado, que é quando se chega aos estados psicóticos. “A luta com o dragão ou com o monstro é outro motivo universal nos mitos e é particularmente relevante para Escorpião, que deve confrontar em talvez maior profundidade essa face reptiliana da vida instintiva com seu poder destrutivo e terrificante”, afirma Greene.

rembrandt
Fausto – Rembrandt – Reprodução

No capítulo sobre Escorpião Liz Greene lembra ainda a estória de Fausto, um mito recontado magistralmente por Goethe, que tinha, ele mesmo, Escorpião no Ascendente. Fausto era um médico comum e obscuro, que tinha anseios de prestigio e sede de poder, riqueza e reconhecimento. Fausto faz um pacto de sangue com Mefistófeles: em troca de seus desejos de poder mundano, Mefistófeles terá sua alma. E ele segue conquistando e conseguindo tudo o que ambicionava. Mas o tempo vai passando. Goethe foca no egoísmo de Fausto, que é a porta de entrada para Mefistófeles, o espírito da negação, aquele que murcha toda a inocência. Ocorre que Fausto negou a Deus, desprezando-o. Essa atitude do cinismo e da negação da vida é um dos males que Escorpião tem que combater dentro de si mesmo. Às vezes, nem ele mesmo percebe ou está consciente dessa negatividade destrutiva da vida.  “É como uma apatia, um tipo de depressão, uma convicção de que, em ultima análise, nada vai funcionar; e geralmente se origina do desespero da infância e da sensibilidade peculiar ao lado sombrio da psique que Escorpião possui desde muito jovem”. A barganha de Fausto com Mefistófeles é a de que ele poderá levar sua alma se ele tentar, em qualquer momento, parar a vida e agarrar-se ao momento presente ao invés de permitir a mudança e o fluxo da vida. Isso tem a ver com a fixidez de Escorpião, que geralmente tenta possuir algo bonito e prazeroso ao invés de deixar a vida fluir. Daí nasce realmente a possessividade e o ciúme de Escorpião.

Dr-Faustus
Dr. Fausto encenado no Teatro Shakeaspere em Londres – Reprodução

Greene continua: “no fim do poema Fausto quase pronuncia as palavras fatais, mas seu espírito inquieto o salva e embora ele tenha sujado suas mãos e se corrompido, este é um aspecto necessário de sua busca não apenas por poder, mas pela iluminação e pelo amor. Portanto, ele é perdoado”. Ela diz que este negócio entre Fausto e Mefistófeles é um retrato vívido do conflito intrínseco a Escorpião, que, a despeito de sua suscetibilidade ao orgulho e ao egoísmo, seu cinismo e sede de poder, ainda assim, ele não para de aspirar à experiência do Amor, que é a sua redenção.  

A sombra deve ser confrontada pelo espírito humano e é em Escorpião que essa batalha se dá de forma mais fatídica e decisiva. Escorpião, ao olhar e lidar com todos estes materiais sombrias, em si mesmo e no coletivo, redime não só a si e à sua anima, mas traz à tona conteúdos ancestrais que precisam ser purgados e purificados, para que uma transmutação possa ocorrer. Em algumas situações, talvez ele se corrompa no processo, mas o pecado maior de todos é o cinismo e o ódio à vida, assim como o ódio a si mesmo. Ele tem que aprender a viver com essas imagens monstruosas, não só dentro de si, mas aonde quer que vá. A contradição maior é que suas sublimes aspirações de amor, que podem levar a esse ódio da vida, e sua poderosa sensualidade são complicados de se conciliar. Mas se originam do mesmo núcleo misterioso, metade sexualidade e metade espiritualidade; é uma combinação de eroticismo espiritualizado ou espiritualidade erotizada, mas que não é fácil de ser vivenciada e que normalmente Escorpião reprime uma para vivenciar a outra. A Casa oito, a casa natural de Escorpião é a casa do sexo no horóscopo, assim como é a casa da morte e das investigações metafísicas. Parece contraditório, mas não é. Porque no sexo, quando há entrega total, o que se busca é eliminar a separatividade através da fusão completa e voltar à unidade com Deus, eliminar a sensação da solidão e do vazio; e no orgasmo, já diziam os franceses, ocorre uma “pequena morte”, porque por frações de segundos, o ego deixa de existir e alça alturas só possíveis no êxtase, seja sexual ou religioso. Se Escorpião for capaz de olhar para si mesmo – ele analisa a todo mundo, menos a si próprio, sendo este um dos seus piores pecados – com honestidade sem se perder no cinismo e no desespero, ele pode achar caminhos dignos e luminosos de conciliar sua busca pelo sublime, pelo amor e sua sensualidade poderosa e transformadora.

008-escorpiao
Escorpião – Johfra Bosschart Reprodução

 Figuras e motivos arquetípicos

O Alquimista; O Curador Potente; O Cirurgião ; O Psiquiatra; O Assassino; O Mago Negro; O Sobrevivente; O Lobo solitário; Metamorfoses dramáticas; O Reciclador; O Vampiro; O Investigador; O Sabotador

A sombra de Escorpião é algo complicado de se falar, sendo ele um signo já bastante sombrio. Mas obviamente tem a ver com Touro, seu oposto complementar. Como diz Frank Clifford, “o maior de todos os mistérios é ele mesmo. Ele evita a auto-análise, recusando-se patologicamente a questionar suas motivações subjacentes. Ao contrário, ele permanece na zona de conforto, livre dos riscos e da imaginação, focando somente no físico e no sexual, adquirindo posses e acumulando riquezas. Com medo da sua própria co-dependência e dos impulsos que espreitam abaixo da superfície. O Escorpião vampiresco é desdenhoso das fraquezas alheias e usa intimidação para controlar e manipular os outros”

luna
Ilustração Medieval – Reprodução

Meditação para Escorpião

Esta meditação é tirada do oráculo do Osho: fique sentada(o), braços apoiados nas pernas com as palmas das mãos viradas para baixo, feche os olhos, respire calmamente algumas vezes e pense na intenção deste exercício. A intenção é DEIXANDO IR (aquilo que você precisa se libertar – pensamentos, pessoas, objetos, situações).

E agora veja, sinta ou faça de conta que tem aprisionada em suas mãos a imagem daquilo a que está apegado. Respire uma vez e solte, desprenda, desapegue-se disso, vendo ou fazendo de conta que vê esta imagem se diluir, se desfazer, desaparecer nas profundas águas do Universo. Olhe então para as palmas das suas mãos e imagine uma miríade de pontos de luz com milhões de novas possibilidades para você e sua vida. Então, sentido-se completamente livre, respire e abra os olhos. Se quiser, escreva ou faça alguma arte – ou apenas medite e guaarde para você, como faria Escorpião.

Música para Escorpião

Fontes consultadas

(1) Sue Tompkins – the Astrologer’s Handbook

(2) http://www.antroposofy.com.br/wordpress/as-doze-noites-santas-6a-noite-santa-constelacao-de-libra/

(3) Howard Sasportas – AS 12 Casas

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(5) Frank Clifford – Getting to the Heart of your Chart

A Semana Astrológica: tempo de solidificar e estabilizar

240px-Taurus2
Touro – De um livro Medieval de Astrologia Wikimedia Commons

Semana de 20 a 26 de abril

A semana é inaugurada com a ingressão do Sol em Touro, abrindo o período do ano em que nos concentramos em solidificar e em dar substância aos nossos objetivos de longo prazo. É tempo de cuidar da segurança material, de focar nos investimentos, de olhar para a vida com pragmatismo e menos romantismo, buscando estabilidade e visando nos preparar para o futuro. A Lua está na fase nova indo para crescente, simbolizando impulso, iniciativa, e desejo de avançar e realizar. Somando estas duas influencias, já temos uma perspectiva de realização prática e concreta. O Sol fica um tanto isolado por alguns dias logo depois de entrar em Touro, sem fazer nenhum aspecto maior, apenas um quincunce a Saturno, pedindo atenção quanto a teimosia e comportamentos inflexíveis.

Sol em touro birth chart
Birth Chart Painting – Reprodução

Mercúrio e Vênus correm ligeiro à frente do Sol, aparecendo belos e faceiros logo após o ocaso – daqui a pouco já irão se preparar para suas próximas retrogradações, a partir de 18 de maio (Mercúrio) e 25 de julho (Vênus). Mercúrio nesta semana faz movimentos interessantes e que ajudam a dar mais desenvoltura às metas, especialmente no campo do trabalho: faz conjunção a Marte e os dois fazem trígono a Plutão em Capricórnio, indicando dias em que temos uma quantidade formidável de estamina física e mental que propicia vigor e foco naquilo que precisamos fazer, assegurando conquistas diversas e aumentando o estofo da nossa segurança material e emocional. Antes, porém, Mercúrio se desentende com Júpiter através de uma quadratura, o que requer cuidados na hora de perseguir certos projetos: é preciso ter cautela e certeza de não estarmos perseguindo moinhos de ventos.

Portinari - dom quixote
Candido Portinari – Dom Quixote – Reprodução
dl.dropbox
Dl.dropbox – Reprodução

Vênus em Gêmeos abre a semana ainda em quadratura a Netuno em Peixes, indicando uma dubiedade para os planetas Taurinos: ao mesmo tempo em que temos todo o foco e poder realizador da Terra, precisamos cuidar para não nos desmotivarmos com a irregularidade da nossa inspiração. Depois de lidar com netuno, porém, Vênus busca a ajuda de Júpiter em Leão e depois de Urano em Áries, sugerindo maior abertura e fluidez tanto nos valores, nas relações amorosas quanto na gestão dos investimentos materiais. Um ponto de atenção é que Vênus também faz quincunce a Plutão em Capricórnio e se permitirmos uma orbe ampla, Plutão vira foco de um Yod que tem por base o sextil entre Vênus em Júpiter. As dádivas recebidas do Pequeno e do Grande Benéficos, Vênus e Júpiter, serão mais efetivas e terão mais repercussão no mundo se de fato forem suporte para uma transformação maior, para além do meu umbigo. É preciso vibrar plenitude de vida não só para mim, não só para meus objetivos individuais, mas fluir luz e bênçãos também ao meu redor. Não se trata de se sentir culpado por ser feliz enquanto há tanta miséria no mundo, mas sim de, a partir do estado pessoal de felicidade, se comprometer com o bem maior, de se responsabilizar pelo estado da alma do mundo, porque eu também sou parte dela.

tumblr_m9dv117dHN1qaonh9o1_500 wishflower
Tumblr.com – Reprodução

A Lua começa a semana na fase Nova, em Touro. Torna-se Crescente em Gêmeos na madrugada de quarta-feira. Segue por Câncer e oficializa o Primeiro Quarto em Leão, no sábado às 20h55min. Na sua viagem ela conversa animada ou briguenta com todos os demais corpos celestes. Vale menção especial os aspectos que a Lua Nova e Crescente fará com Vênus e Júpiter no céu noturno, na segunda e terça (Vênus) e no sábado e domingo (Júpiter). Não deixe de botar reparo no céu nestas noites, que certamente estarão esplendorosas.

Brooke shaden Stuke
Brooke Shaden Photography – Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA começa “devagar quase parando”. Temos um stelium em Touro formado por Mercúrio, Marte e Lua, e adiconado a isso a ingressão do Sol às 6:42. A Lua passa o dia todo vazia.  Touro precisa de tempo para ruminar as coisas e decisões. A Lua vazia não ajuda muito e coloca o dia em standby, bem ao ritmo de um feriado prolongado. Bom para quem de fato emendou o feriadão, mas para quem precisa pegar no batente… Complica! Sensação de estarmos “empacados”, como se estivéssemos presos em situações das quais não conseguimos sair com facilidade, ou como num pesadelo angustiante em que nada parece se mover e até nós mesmos estamos emparedados, presos e asfixiados pelo peso que parece se abater sobre nós. Paralisação, atrasos, a vida parece ter parado… Mas ela flui, num ritmo diferente e mais paciente, com o qual precisamos nos alinhar e afinar… Saborear as horas passando, por a impaciência de lado e degustar as sensações que o dia nos traz. Perceber que há tempo e lugar para tudo na vida e agora precisamos nos ajustar a um tempo de mais vagar. Assim, ao invés de nos ressentir do peso e lentidão podemos na verdade perceber a força concentrada que temos ao nosso dispor, uma força de realização formidável e poderosa, e exatamente por se manifestar com mais vagareza, permite que a usemos de forma mais efetiva e eficaz. É questão de usar as ferramentas e recursos adequadamente.

imgur
Imgur.com – Reprodução

A Lua está em Gêmeos na TERÇA-FEIRA e apesar da oposição a Saturno na madrugada, há um pouco mais de dinamismo. Ao longo do dia a Lua se desentende com Netuno, mas forma uma belíssima e imperdível conjunção com Vênus no céu noturno. Vênus ainda se afina com Júpiter em Leão e Marte está em trígono perfeito a Plutão. Dia de quebrar tabus de forma simples e eficaz, tanto que as pessoas ao nosso redor aplaudem ao invés de se chocar. Apesar de toda a insegurança e vacilação, temos hoje boas chances de colocar em bom e prático uso as influências Netunianas, tornando-nos mais criativos e imaginativos. Tudo é questão de perspectiva. É preciso, porém traçar um cronograma sucinto de atividades e ater-se a ele para que possamos tirar o melhor da grande capacidade de realização de que dispomos – se não nos ativermos a isso, podemos apensas flutuar a esmo por aí e desperdiçar chances que não voltam mais.

teamwork
Weskart.blogspot – Reprodução

O sextil Vênus-Júpiter está perfeito na QUARTA-FEIRA. O Sol Taurino faz quincunce a Saturno em Sagitariano, Mercúrio faz conjunção a Marte em Touro e a Lua fica fora de curso às 02h38min da manhã, após se harmonizar com Urano, fazendo apenas quadratura a Quíron ao longo do dia. Entra em Câncer somente à 01h26min da manhã de quinta – ou seja, temos outro dia inteiro de Lua vazia pela frente. Apesar do longo período de Lua fora de curso, este é um dia mais dinâmico, de mais movimento e fluidez, que embora não favoreça a ações diretas e imediatas, propicia riqueza e profundidade nas análises e avaliações, favorece os trabalhos de equipe e as reuniões em geral, caso se tenha uma agenda sucinta e ordenada – Lua vazia em Gêmeos sempre traz o risco de elucubrações vazias, perda de tempo e grande dispersão. O que dá um tom positivo para essa Lua de hoje é o profundo enraizamento e sobriedade de seu regente, Mercúrio em Touro, aliado a Marte e a Plutão.

A Imperatriz
Arcano III A Imperatriz – Tarô de Nei Naiff

Na QUINTA-FEIRA a Lua está sensível e poderosa em seus domínios Cancerianos. Essa sensibilidade, porém, é ancorada pela harmonia entre Lua e Sol. A Lua ainda faz trígono a Netuno em Peixes, o que a deixa ainda mais compassiva e sensitiva. Há dificuldades, contudo, representadas por dois quincunces: um formado a partir do sextil Sol-Lua e quincunces que os dois fazem a Saturno; e o outro formado por Vênus-Júpiter com Plutão de foco. O momento é de grande fertilidade e particularmente fecundo, propício para avançar, investir e assegurar que nossos projetos se desenvolvam a contento e para isso precisamos entrar em ação e usar todos os recursos e talentos de que dispomos, inclusive a intuição e a sensibilidade. Entretanto, é preciso ficar atento para que receios e incertezas antigas, assim como a desmedida necessidade de segurança, não atravanquem o fluir das ações e avanço da caminhada. Se estamos inseguros, checamos duas vezes e prosseguimos, mas nada de hesitar e vacilar, do contrário, perdemos chances e oportunidades únicas.

alexandra manukian
Alexandra Manukian – Reprodução

Vênus está em quincunce pleno a Plutão na SEXTA-FEIRA, que se revela um dia mais tenso porque a Lua Crescente em Câncer se opõe a Plutão em Capricórnio e os dois em quadratura a Urano em Áries tornam-no foco de uma T-Square Cardinal. Todavia, a Lua busca a ajuda de Marte e Mercúrio em Touro, o que lhe traz uma certa moderação e temperança. De qualquer forma, há risco de precipitação, dramas, rompantes e melindres que podem comprometer a ascensão e o progresso conseguidos nos últimos dias. Ocorre que há fortes energias compulsivas que podem nos levar a agir impulsiva e dramaticamente, contrariamente àquilo que nos beneficia. Confrontos e conflitos abertos nos fazem sentir extremamente pressionados e acuados e reagimos de forma errática, imprevisível e desproporcional ao tamanho da situação. Cair no melodrama, porém, não é a melhor solução. Ao contrário, o dia oferece uma boa oportunidade de confrontarmos nossas ambições mais cruas, que nos fazem encarar a outros com grande competitividade, como fossem inimigos e não apenas colegas de trabalho ou parceiros e amigos. Há força e clareza bastante para olhar fundo dentro dos olhos daquele que nos olha de volta no espelho: se estivermos dispostos a ver o que eles nos mostram, teremos ganhado mais uma batalha no confronto com nossa própria imaturidade, insegurança e receios. A Lua fica vazia a partir das 14h04min, depois de se harmonizar com mercúrio, favorecendo novamente as análises, mas não necessariamente a ação, portanto, as iniciativas e decisões são mais benéficas pela manhã.

indulge
Indulge.com – Reprodução

A Lua ingressa em Leão às 10h13min do SÁBADO, já conversando tranqüila com Saturno, qual criança que volta-se para o pai a pedir-lhe conselhos. À noite temos oficializado o Primeiro Quarto da Lua. Vênus em Gêmeos segue se aproximando do sextil exato a Urano em Áries, enquanto, em parceria com Júpiter em Leão, forma um Yod contra Plutão em Capricórnio. Um dia em que nossa alegria e leveza, o senso de confiança e otimismo são desafiados pela percepção e consciência da dificuldade e infelicidade que grassa no mundo, algo que nos leva a questionamentos sobre o que podemos fazer para “contaminar” esta humanidade positivamente, com nosso entusiasmo e otimismo juvenis. Ser feliz sozinho não tem graça, até porque uma culpa insidiosa pode se instalar fazendo-nos duvidar da legitimidade e do nosso direito a essa felicidade, fazendo-nos sentir vazios e superficiais em nosso riso fácil, que de repente pode soar leviano. Será que somos fortes e confiantes o bastante para contaminar o mundo de positividade? Ou seremos nós tragados pela tristeza e miséria que vemos por aí? Cuidar e se responsabilizar pelas próprias vibrações e pela própria felicidade interior já é muita coisa e pode nos fortalecer para levar um pouco dessa boa nova aonde formos.

newstracklive
Newstracklive.com – Reprodução

Esse clima perdura um pouco no DOMINGO, com a Lua Leonina conjunta a Júpiter e adicionando força a esse Yod contra Plutão. Entretanto o dia é mais auspicioso e animado, pois a Lua está também harmonizada a Urano em Áries, que hoje recebe o sextil pleno de Vênus em Gêmeos. Porem, Vênus já está bem próxima da quadratura a Quíron e o Leão arruma encrenca com o Touro à noite. Domingo bom para relaxar e curtir a vida fazendo coisas diferentes e ousadas, para se aventurar um pouco e sair do lugar comum do passeio no shopping, com suas vitrines perfeitas e sua comida de plástico. Vá para o mato, andar no campo; vá tomar banho de cachoeira; vá à praia; pedale por aí; caminhe, aventure-se! Permita-se descobrir e trilhar novos caminhos, conhecer novas pessoas, expressar-se com mais ousadia. Exponha-se à vida e veja o que ela lhe traz! À noite, porém é preciso domar o gênio, que poderá estar irascível, que nem criança mimada e birrenta. As disputas têm a ver com poder e vontades contrárias, mas também com frustrações não expressas na hora adequada e que agora pipocam azedando o programa romântico ou familiar e tendendo a piorar um pouco a clássica depressão de domingo à noite. Em lugar de se indispor com Deus e todo mundo à sua volta, que tal usar essa energia numa competição aberta? Vamos nos engajar num bom jogo de xadrez, ou no velho e bom War, ou, que seja no moderno vídeo-game, ou o que valha. Importante é perceber que a competitividade não tem que ser expressa, necessariamente, de forma negativa.

Que sua semana seja tranqüila, produtiva, feliz e abençoada!

unperson.
Unperson.com – Reprodução

 

As 12 Noites Sagradas – ESCORPIÃO

scorpio simboloChegamos à decima primeira das 12 Noites Sagradas, a Noite de Escorpião. Meu humor está péssimo, estou intratável e bem escorpiônica – tive um dia super difícil e tenso (Se você não sabe o que são As 12 Noites Sagradas, clique aqui)

Edna Andrade fala sobre esta noite:

Nasce de novo o sol, atravessamos um novo dia e cai a noite e uma nova estrela brilha no céu irradiando da Constelação de Escorpião através da qual emanam as forças espirituais dos Exusiai, os Seres da Forma, também chamados de Potestades ou Poderes. Agora atingimos o âmbito da segunda hierarquia. Eles também foram seres de um estado evolutivo anterior tão avançados em seu processo que podem acolher os planos divinos e torná-los manifestos, de forma que haja uma concordância entre a esfera macrocósmica da consciência do Cosmos e o nosso sistema Solar, que é uma expressão microcósmica onde a nossa existência humana está inserida, onde acontece a nossa biografia, humana.”

Estamos no âmbito das forças sexuais, que são as forças que oscilam tanto para o egoísmo mais absoluto, aquilo que pode ser caracterizado como o mal, porque ao oferecer a possibilidade da maior satisfação imediata podem subjugar o humano ao nível do animalesco. Mas que também trazem uma das maiores possibilidades para a superação do egoísmo e transcendência de forças. Aqui temos a imagem de uma luta, na nossa vida interior, entre a morte e ressurreição. E esta é uma luta muito individual, onde em liberdade oscilamos entre as sombras que obscurecem o nosso ser, os esconderijos onde vive o Escorpião venenoso, e as forças de expansão do Ser, representadas pela águia que se eleva às alturas e de lá contempla o Todo.

Scorpio2
Escorpião – De um Livro Medieval de Astrologia – Wikimedia Commons

O Escorpião é então o signo das forças duplas, tanto destrutivas, retrógadas, que mudam constantemente de aparência e invadem a nossa alma trazendo caos à nossa vida, como é também portador de forças construtivas que têm a ver com transmutação constante e contínua superação, para que a substância divina, o Espírito, possa em nós ser plasmado de novo e sempre! No apocalipse esta característica de forças duplas é apresentada como a espada de dois gumes.

Nesta décima primeira Noite Santa, recebemos através do portal de Escorpião os impulsos espirituais dos Exusiai, ou Potestades, para aceitar por um lado as nossas fraquezas, e por outro lado receber os impulsos espirituais para a superação e transformação dessas forças.

Nesta noite procure ficar em paz consigo mesmo. Da região de Escorpião, os Exusiai, Espíritos da Forma, lhe trazem a capacidade de renascer das crises e de todos os processos de perda, impotência, dor e desespero. (1)

dalizodiac_scorpio
Escorpião – Salvador Dali

Escorpião é signo FIXO, de ÁGUA. É Feminino, Passivo, Negativo. Como se pode pensar na água, sempre fluida, como fixa? De imediato podemos pensar no gelo, como diz Martin Freeman: “Tecnicamente, a única maneira de a água ficar fixa é quando é gelo. Certamente o iceberg, como o Escorpião, revela pouco de si mesmo, a parte maior estando submersa e traiçoeira” (citado por Sue Tompkins) (2).

De fato, pouco se vê do Escorpião. Ele tem grande capacidade de penetrar profundamente a alma alheia, descobrindo os segredos e as motivações mais íntimas das pessoas, mas, para desespero e frustração delas, a recíproca não é verdadeira, permanecendo ele para sempre inescrutável, como uma fortaleza fortemente vigiada. Sim, claro, se ele chegar a confiar em você poderá até se abrir um pouco, mas revelará somente aquilo que lhe aprouver, quando e SE lhe aprouver. É o signo dos SEGREDOS e dos MISTÉRIOS. Mistérios são coisas que o fascinam e ele está sempre tentando entender a dinâmica da vida através de investigações metafísicas, mágicas e profundas ou mesmo estudando as filosofias ocultas e iniciáticas.

Escorpião é também associado com as águas paradas, escuras e profundas, cuja calmaria esconde abismos que podem engolir o melhor dos mergulhadores. Essas profundezas são metáforas para a alma abissal do Escorpião, cheia de perigos e volatilidade.

SONY DSC
Escorpião – Vitrais do portão Sul da Catedral de Chartres – Wikimedia Commons

Signo da MORTE, RENASCIMENTO e da TRANSFORMAÇÃO, ele vive muitas vidas numa mesma existência, trocando de pele como as serpentes, quando a forma de vida já não o sustenta ou não representa sua busca interior por viver tudo ao extremo. Tem necessidade de mudança, provocando crises quando percebe que uma situação está impedindo seu crescimento. Por mais possessivo que seja, uma vez determinado a eliminar algo da sua vida, é apenas questão de tempo. As serpentes, repteis diversos, a aranha, além do próprio escorpião são seus “animais”, assim como a águia, por causa de seu olhar agudo e de longo alcance. A Fênix, o pássaro mítico de fogo, é outro de seus símbolos. A Fênix sentia quando se aproximava seu fim, então ela se recolhia e entrava em auto combustão, queimando até as cinzas, para depois ressurgir para uma vida nova.

fenix-11
A Fênix Mitológica – Desconhoeço o Autor Reprodução

No corpo rege os órgãos sexuais e excretores, simbolizando tanto sua associação com o SEXO quanto com a necessidade de ELIMINAÇÃO e expurgo dos detritos inúteis. RECICLAGEM também é algo pertinente a este signo, que é capaz de achar verdadeiros tesouros no lixo ignorado por outros.

Regido duplamente por Marte e por Plutão, é um signo de grande CORAGEM e destemor, enfrentando seus medos e inimigos com grande audácia, sem o menor receio de olhar o diabo no olho. Mas, para além das confrontações literais, a maior força de Escorpião é a coragem e a FORÇA EMOCIONAL e psicológica. AUTOCONTROLE e auto-disciplina são palavras-chave porque ele tem que ser Senhor de si mesmo e jamais se permitirá depender de nada ou de ninguém – mesmo quando envereda pelo abuso de drogas e outras substâncias, é mais pela destrutividade intrínseca do que propriamente pela adicção ou dependência. É INSTINTIVO, VISCERAL, penetrante, intenso. Prospera e cresce com as CRISES, funcionando como grande CATALISADOR DE MUDANÇAS aonde quer que vá – aliás, esse é um dos motivos da sua grande má fama: as pessoas são obrigadas a olhar para si mesmas e suas necessidade de mudar na presença do Escorpião e essa é uma tarefa que nem todo mundo quer empreender.

IMG_0492
Marte – Maria Eunice Sousa

Sua vida é colorida de PAIXÃO e INTENSIDADE, em cores vivas e quentes como o sangue que corre nas veias. Essa passionalidade é o que o faz viver intensamente e NO LIMITE, testando a si mesmo e à vida, expondo-se a perigos EXTREMOS, às vezes até mesmo por pura diversão, só para ver até onde ele agüenta. Nada com ele é morno. Ou é frio glacial ou é fogo calcinante. TUDO OU NADA, não tem meio termo. Ou ama ou odeia e com igual intensidade. É extremamente sagaz e perspicaz, captando as coisas no ar, seu faro e antenas sempre ligados e sondando o ambiente e os arredores. Nada é leve ou superficial com ele, tudo necessariamente tem que ser PROFUNDO e crítico, como se ele estivesse sempre prestes a morrer, como se cada minuto fosse o ultimo de sua vida. Isso porque ele tem uma consciência AGUDA da morte e dos ciclos da vida, uma consciência que é tanto inata, quanto resultado da exposição precoce à crueza da vida e da natureza humana. Por isso, nada o surpreende, nem nele mesmo, nem nos outros, menos ainda no mundo. Não há nada que ele já não tenha visto, sonhado, ou intuído. Essa aguda consciência da morte é o que o faz SENTIR tudo muito intensamente e também o que lhe dá um instinto de sobrevivência invencível, a toda prova. A INTUIÇÃO super aguçada e a capacidade de captar o que os outros sentem lhe conferem uma grande COMPAIXÃO pelos outros.

IMG_0488
Plutão – Maria Eunice Sousa

Escorpião é, talvez, o signo mais LEAL do Zodíaco. Ele é capaz de morrer por você, mas você só erra com ele uma vez. Não há segunda chance, não há perdão! Esse negócio de perdão é para os fracos, diria ele. E claro que vai tentar se vingar na primeira oportunidade, mas de forma planejada e estratégica, porque de tolo ele não tem nada. Na melhor das hipóteses, no caso do escorpião mais “tímido”, ele vai fazer igual àquele provérbio japonês: se você sentar na beira do rio e esperar o tempo suficiente, você verá o corpo do seu inimigo descer rio abaixo. É, ele é IMPLACÁVEL e INTRANSIGENTE, IRRACIONAL, INFLEXÍVEL. Com seu faro super apurado, ele suspeita de tudo e tem grande dificuldade de CONFIAR nas pessoas, podendo mesmo se tornar PARANÓICO em certas situações. E ele não confia porque conhece bem demais a natureza humana e suas vilanias e baixezas. Para ele não é questão de “se” alguém vai traí-lo, é uma questão apenas de oportunidade, de “quando” isso acontecerá.

Daí uma das razões do ciúme e da possessividade. O ciúme também vem da necessidade de controle e de possuir o outro, imiscuindo-se em sua vida da forma mais profunda e inequívoca possível. Essa vontade de controle e de poder não se aplica somente aos relacionamentos, é uma constante na vida. Escorpião, afinal é o signo do PODER! Poder que vem, muitas vezes, da negação de si mesmo e da própria vontade – porque a dele é de aço! É também capaz de grande CRUELDADE, CINISMO e SARCASMO e nem espere pedido de desculpas, porque se ele fez, está feito, não tem retorno, não tem arrependimentos. Pode ser profundamente egoísta e quando negativo torna-se um vampiro sádico que se alimenta do viço daqueles com quem convive. Porque se ele é capaz de gestos grandiosos e compassivos, também pode ser terrivelmente mesquinho, de propósito, porque tem capacidade de ler onde a estocada vai doer mais, onde reside o ponto mais fraco do seu oponente e exatamente aí, dar o golpe final. Seu grande poder de veneno pode tanto curar quanto destruir e ele está ciente disso, mas a forma como age, é mais forte que ele mesmo, é a sua natureza.

escorpio
Escorpião, o inseto – Reprodução

Isso nos lembra aquela fábula do sapo e o escorpião e que nos dá uma boa idéia de como este signo funciona: Um sapo e um escorpião se encontraram às margens de um rio profundo. Ambos precisavam atravessá-lo, mas só o sapo sabia nadar. O escorpião se aproximou dele, e pediu carona nas costas para atravessar o rio. O sapo relutou dizendo: “Não sou doido, se o carregar nas costas, você vai me dar uma picada e eu ficaria paralisado e morreria”. O escorpião ponderou: “Eu é que seria doido se fizesse isso porque também morreria porque não sei nadar”. O sapo, pensou e admitiu que o escorpião tinha razão, era lógico o que ele estava afirmando. Então deixou que ele subisse nas suas costas e começaram a travessia do rio. No meio dessa travessia o escorpião picou o sapo. Este, surpreso, ainda não paralisado, mas já sentindo o efeito da picada, perguntou indignado: “Por que você fez isso se sabe que também vai morrer?”. O escorpião respondeu “Fiz isso porque é da minha natureza”.

Scorpio-bonatti
Escorpião – Guido Bonatti – Wikimedia Commons

Assim é o escorpião, é a sua natureza. Ele pode sabotar tanto a você quanto a ele mesmo porque o instinto destrutivo é forte, assim como a capacidade para subterfúgios, manipulação e corrupção. A diferença é que quando escorpião se torna corrupto, ele o faz sem desculpas, de caso pensado. Não é alguém que se deixa seduzir e finge que foi “corrompido”. Não. Ele se corrompe de forma decidida, seja porque gosta de flertar com o perigo, seja pela vontade de poder, ou porque decidiu que seria assim.

Scorpius_constelacion
Ilustração da Constelação de Escorpão na Uranometria de Johann Bayer – Wikimedia Commons

Sua capacidade de entrega ao que faz é tão intensa que o torna obsessivo, só sossegando quando chega à raiz das coisas, ao núcleo do problema ou da situação que ele está tentando esmiuçar, portanto, nem tente esconder algo de Escorpião, porque é questão de tempo até que ele desvende o mistério. Aliás, às vezes ele nem precisa se esforçar muito, porque as coisas que lhe interessam saber tendem a “cair no colo” dele, de alguma forma misteriosa. Ele é venenoso e tão letal quanto o ferrão do inseto que lhe emprestou o nome. Por isso, não brinque com ele se não tiver igual poder de fogo, ou melhor, de veneno!

Para entender tentar melhor sua psicologia, vamos explorar alguns de seus mitos e figuras emblemáticas.

HerculesHidraGustaveMoreau
Hércule e a Hidra – Gustave Moreau – Reprodução

O mito mais conhecido relacionado a Escorpião é o oitavo dos 12 trabalhos de Hércules, aquele em que ele precisa matar a Hidra de Lerna, um monstro que tinha corpo de cachorro e nove cabeças, uma delas imortal. Seu veneno era tão letal que destruía toda a vida ao seu redor. Ela habitava um pântano fedorento e obscuro e aterrorizava a região. Era quase impossível destruir o monstro porque quando se cortava uma cabeça, três outras nasciam no lugar. Primeiro ele teve que fazer o monstro sair da caverna escura em que se escondia atirando flechas de fogo, enquanto segurava a respiração para não respirar seu veneno. Mesmo assim, ele estava quase perdendo a batalha quando lembrou-se dos conselhos de seu mestre: “nós nos elevamos ajoelhando-nos, conquistamos nos rendendo e ganhamos, desistindo”. Assim, ele ajoelhou-se e levantou a hidra por uma de suas cabeças, tirando-a da água e elevando-a no ar, em direção ao sol. Afastada da água a hidra perdeu sua força e poder e encolheu de tamanho, permitindo que Hércules cortasse suas cabeças e as cauterizasse e cortasse, especialmente, a principal delas. No seu lugar surgiu uma jóia preciosa que ele enterrou debaixo de uma rocha. Da mesma forma, Escorpião precisa trazer à luz da consciência os conteúdos virulentos e obscuros do inconsciente pessoal e às vezes, familiar e coletivo. Se ele não faz isso, essa energia inconsciente e putrefata o envenena, intoxicando também a tudo o que ele toca. quando decide enfrentar o monstro, o resultado é a jóia preciosa da consciência e do domínio de mais uma parcela de si mesmo. (3)

medusa
Medusa – Caravaggio – Reprodução

Outro não menos importante é o mito de Medusa (novamente, os parágrafos em itálico são um resumo do capítulo de Escorpião do Livro A Astrologia do Destino). Havia três Górgonas chamadas Esteno, Euríale e Medusa, elas eram três belas irmãs. Uma noite Medusa se deitou com Poseidon no templo de Atena, que ficou ultrajada pela audácia de profanarem seu templo, transformando Medusa num monstro alado, de olhos petrificantes, dentes pontiagudos, língua saliente, garras agudas e serpentes no lugar de cabelos. Em outra versão do mito diz-se que na verdade Poseidon a violentou e que o olhar petrificante dela era na verdade o ultraje e o horror da experiência. Liz Greene diz que independente da versão “estamos de volta ao tema escorpiônico do estupro e da sexualidade ofendida. Eu diria também, a deusa resolve punir apenas o feminino, que representa, novamente, os  instintos. Se a feiúra de Medusa foi resultado de uma Atena ultrajada ou do espírito feminino ultrajado, eles são, de muitas formas, a mesma coisa, pois Atena, a deusa virgem que é a sabedoria de Zeus é uma imagem do julgamento contra o comportamento não civilizado. A face de Medusa é um retrato da do ódio e raiva feminina e seu efeito sobre qualquer um que ocorra de olhar para ela é paralisia”.

perseu
Desconheço o Autor – Reprodução

A Perseu coube matar Medusa, do contrário sua própria mãe seria obrigada a casar-se com o Rei Polydectes. Aqui, diz Greene, “temos o motivo da redenção de uma figura feminina conquistando outra, sombria. Mas as duas, em essência, são a Mãe, a Mãe Sombria. E a mãe pessoal só poderá ser redimida se a arquetípica for confrontada”. Ela continua dizendo que é comum que no caso de um homem, a herança da raiva e amargura inconsciente da mãe macule sua própria alma interior, a imagem da sua ânima, assim, ele carrega o ódio por ela. Portanto, é importante redimir não só a própria mãe, mas também a ânima.

Para conseguir aniquilar Medusa Perseus recebeu conselhos e presentes de vários deuses: Atena lhe deu um escudo super polido e lhe advertiu para nunca olhar diretamente para ela. O escudo-espelho nos remete à idéia da capacidade de reflexão e de pensamento simbólico. Hermes lhe deu uma foice especial pra  cortar-lhe a cabeça, uma par de sandálias aladas e uma sacola mágica para guardar a cabeça depois. Hades lhe deu um capcete de invisibilidade. Para conseguir tudo isso e descobrir o caminho para Medusa, ele teve que visitar as três Velhas Graiai, que dividiam entre si um único olho e um único dente. Outra versão das Moiras, ou seja, ele está nas mãos do Destino, e a tarefa é Deo Concedente, como diriam os alquimistas, ou seja, é da vontade do Deus. Seguindo estes conselhos e usando os objetos mágicos Perseus então matou Medusa. Do corpo dela saiu Pegasus, que era o fruto da união de Medusa e Poseidon, mas por causa de seu ódio ela não tinha conseguido dar à luz. Assim Perseus libera não só a ele, mas a ela também. Pegasus  era um cavalo alado, simbolizando uma criatura da terra que tem o poder de ascender às alturas celestiais. A cabeça de Medusa, Perseus guardou na sacola mágica pra usar depois contra seus inimigos.

pegaus
Pegasus – Desconheço o Autor – Reprodução

Greene diz que tanto Medusa quando a Hidra simbolizam a mesma coisa, a destrutividade com a qual Escorpião tem que lidar. Ela só pode ser decapitada pelo poder da reflexão pois se se olhar diretamente para ela, ou para a própria sombra e escuridão, fica-se petrificado, que é quando se chega aos estados psicóticos. “A luta com o dragão ou com o monstro é outro motivo universal nos mitos e é particularmente relevante para Escorpião, que deve confrontar em talvez maior profundidade essa face reptiliana da vida instintiva com seu poder destrutivo e terrificante”, afirma Greene.

rembrandt
Fausto – Rembrandt – Reprodução

No capítulo sobre Escorpião Liz Greene lembra ainda a estória de Fausto, um mito recontado magistralmente por Goethe, que tinha, ele mesmo, Escorpião no Ascendente. Fausto era um médico comum e obscuro, que tinha anseios de prestigio e sede de poder, riqueza e reconhecimento. Fausto faz um pacto de sangue com Mefistófeles: em troca de seus desejos de poder mundano, Mefistófeles terá sua alma. E ele segue conquistando e conseguindo tudo o que ambicionava. Mas o tempo vai passando. Goethe foca no egoísmo de Fausto, que é a porta de entrada para Mefistófeles, o espírito da negação, aquele que murcha toda a inocência. Ocorre que Fausto negou a Deus, desprezando-o. Essa atitude do cinismo e da negação da vida é um dos males que Escorpião tem que combater dentro de si mesmo. Às vezes, nem ele mesmo percebe ou está consciente dessa negatividade destrutiva da vida.  “É como uma apatia, um tipo de depressão, uma convicção de que, em ultima análise, nada vai funcionar; e geralmente se origina do desespero da infância e da sensibilidade peculiar ao lado sombrio da psique que Escorpião possui desde muito jovem”. A barganha de Fausto com Mefistófeles é a de que ele poderá levar sua alma se ele tentar, em qualquer momento, parar a vida e agarrar-se ao momento presente ao invés de permitir a mudança e o fluxo da vida. Isso tem a ver com a fixidez de Escorpião, que geralmente tenta possuir algo bonito e prazeroso ao invés de deixar a vida fluir. Daí nasce realmente a possessividade e o ciúme de Escorpião.

Dr-Faustus
Dr. Fausto encenado no Teatro Shakeaspere em Londres – Reprodução

Greene continua: “no fim do poema Fausto quase pronuncia as palavras fatais, mas seu espírito inquieto o salva e embora ele tenha sujado suas mãos e se corrompido, este é um aspecto necessário de sua busca não apenas por poder, mas pela iluminação e pelo amor. Portanto, ele é perdoado”. Ela diz que este negócio entre Fausto e Mefistófeles é um retrato vívido do conflito intrínseco a Escorpião, que, a despeito de sua suscetibilidade ao orgulho e ao egoísmo, seu cinismo e sede de poder, ainda assim, ele não para de aspirar à experiência do Amor, que é a sua redenção.  

A sombra deve ser confrontada pelo espírito humano e é em Escorpião que essa batalha se dá de forma mais fatídica e decisiva. Escorpião, ao olhar e lidar com todos estes materiais sombrias, em si mesmo e no coletivo, redime não só a si e à sua anima, mas traz à tona conteúdos ancestrais que precisam ser purgados e purificados, para que uma transmutação possa ocorrer. Em algumas situações, talvez ele se corrompa no processo, mas o pecado maior de todos é o cinismo e o ódio à vida, assim como o ódio a si mesmo. Ele tem que aprender a viver com essas imagens monstruosas, não só dentro de si, mas aonde quer que vá. A contradição maior é que suas sublimes aspirações de amor, que podem levar a esse ódio da vida, e sua poderosa sensualidade são complicados de se conciliar. Mas se originam do mesmo núcleo misterioso, metade sexualidade e metade espiritualidade; é uma combinação de eroticismo espiritualizado ou espiritualidade erotizada, mas que não é fácil de ser vivenciada e que normalmente Escorpião reprime uma para vivenciar a outra. A Casa oito, a casa natural de Escorpião é a casa do sexo no horóscopo, assim como é a casa da morte e das investigações metafísicas. Parece contraditório, mas não é. Porque no sexo, quando há entrega total, o que se busca é eliminar a separatividade através da fusão completa e voltar à unidade com Deus, eliminar a sensação da solidão e do vazio; e no orgasmo, já diziam os franceses, ocorre uma “pequena morte”, porque por frações de segundos, o ego deixa de existir e alça alturas só possíveis no êxtase, seja sexual ou religioso. Se Escorpião for capaz de olhar para si mesmo – ele analisa a todo mundo, menos a si próprio, sendo este um dos seus piores pecados – com honestidade sem se perder no cinismo e no desespero, ele pode achar caminhos dignos e luminosos de conciliar sua busca pelo sublime, pelo amor e sua sensualidade poderosa e transformadora.

008-escorpiao
Escorpião – Johfra Bosschart – Reprodução

 Figuras e motivos arquetípicos

O alquimista; O curador potente; O cirurgião ; O assassino; O Mago Negro; O sobrevivente; O Lobo solitário; Metamorfoses dramáticas; O Reciclador

A sombra de Escorpião é algo complicado de se falar, sendo ele um signo já bastante sombrio. Mas obviamente tem a ver com Touro, seu oposto complementar. Como diz Frank Clifford, “o maior de todos os mistérios é ele mesmo. Ele evita a auto-análise, recusando-se patologicamente a questionar suas motivações subjacentes. Ao contrário, ele permanece na zona de conforto, livre dos riscos e da imaginação, focando somente no físico e no sexual, adquirindo posses e acumulando riquezas. Com medo da sua própria co-dependência e dos impulsos que espreitam abaixo da superfície. O Escorpião vampiresco é desdenhoso das fraquezas alheias e usa intimidação para controlar e manipular os outros”

luna
Ilustração Medieval – Reprodução

Meditação de Escorpião

Esta meditação é tirada do oráculo do Osho: fique sentada(o), braços apoiados nas pernas com as palmas das mãos viradas para baixo, feche os olhos, respire calmamente algumas vezes e pense na intenção deste exercício. A intenção é DEIXANDO IR (aquilo que você precisa se libertar – pensamentos, pessoas, objetos, situações).

E agora veja, sinta ou faça de conta que tem aprisionada em suas mãos a imagem daquilo a que está apegado. Respire uma vez e solte, desprenda, desapegue-se disso, vendo ou fazendo de conta que vê esta imagem se diluir, se desfazer, desaparecer nas profundas águas do Universo. Olhe então para as palmas das suas mãos e imagine uma miríade de pontos de luz com milhões de novas possibilidades para você e sua vida. Então, sentido-se completamente livre, respire e abra os olhos. Se quiser, escreva ou faça alguma arte – ou apenas medite e guaarde para você, como faria Escorpião.

Música para Escorpião

Fontes consultadas

(1) http://www.antroposofy.com.br/wordpress/as-doze-noites-santas-6a-noite-santa-constelacao-de-libra/

(2) Sue Tompkins – the Astrologer’s Handbook

(3) Howard Sasportas – AS 12 Casas

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(5) Frank Clifford – Getting to the Heart of your Chart

As 12 Noites Sagradas – TOURO

tourooBom. Chegamos a Touro. Certo.

Meu dia foi às voltas com uma ninhada de gatos bebês que estavam sendo amamentados na mamadeira – a mãe os abandonou, depois fez cirurgia, etc, longa história. Hoje eles se recusavam a mamar e mordiam ferozmente o bico da mamadeira, rasgando três bicos em questão de minutos. Fui ficando desesperada porque os bichos estavam famintos e não conseguiam comer, eles se irritavam e eu também. Comecei a tentar de tudo: leite no pires, papinha especial para gatos bebês, nada funcionava. Como última tentativa resolvi amassar aquela ração molhada e pus num pires. Milagre! Devoraram dois pacotes inteiros! Que alívio, como fiquei feliz! Os gatos estavam saindo da fase do leite e querendo algo mais sólido, queriam mastigar algo com textura e eu não tinha percebido. Emblemático isso para Touro, um signo extremamente sensorial, movido, em grande parte, pelo sentidos, especialmente pelo paladar! E você, teve um dia mais sensorial ou mais prático?

mae e bebe
Reprodução

Em Touro descobrimos que temos um corpo, descobrimos a textura das coisas. Touro é o bebê brincando com a comida, descobrindo novos sabores, novas texturas. É o bebê brincando com os pés, chupando as mãozinhas, perdido nesse mundo de prazeres sensoriais. Descobrindo que o seio da mamãe não alimenta somente sua barriguinha, mas também lhe dá sensação de conforto, segurança, prazer.

Sidney_Hall_-_Urania's_Mirror_-_Taurus
A constelação de Touro – Do Espelho de Urania, um conjunto de cartões celestiais by Jehoshaphat Aspin – Wikimedia Commons

No corpo rege a garganta, a laringe, o pescoço. Edna Andrade, na sua programação das 12 Noites, inspirada por Steiner diz sobre esta noite: “Foram as forças do Touro que configuraram a laringe, o órgão da fala que, segundo o Steiner, está em transformação e que nos estágios evolutivos futuros do ser humano a palavra terá de novo a força plasmadora referida nas Gênesis de todas as religiões. No princípio era o verbo e o verbo estava em Deus.

A palavra será como uma lança sagrada de expressão do amor divino.

Nesta Noite Santa através do portal do Touro o Espírito Santo emana a plenitude do amor divino inspirada como persistência em relação ao que se pretende alcançar.”

67904_506987696004621_1700760124_n
Reprodução

Touro é o primeiro signo de TERRA. É Terra Fixa, Feminina, Passiva, Negativa. Ao contrário de Áries que age de forma rápida, impaciente e decidida, TOURO age de modo totalmente deliberado. Leva muito tempo analisando uma situação antes de tomar decisões. Ele nunca se precipita.  E nem adianta tentar apressá-lo, isso só vai fazer com que ele demore mais ainda. De propósito. Touro é prático, cauteloso, paciente. Aliás, ele não está interessado em “fazer” nada, a ele interessa apenas SER. E TER, claro! Quase nada o tira do sério. Quase nada. Mas quando algo de fato o tira do sério, saia da frente porque é o próprio estouro da boiada. Lembra de Ferdinando, o Touro? Pois é.

touro_feat-672x372
Reprodução

Regido por Vênus-Afrodite, a deusa do Amor, da Beleza e do Sexo,  ele é extremamente charmoso e envolvente. Sensual, sensorial e táctil, vive e interpreta o mundo através dos sentidos. Amante da boa vida, dos prazeres e da segurança material, um Taurino de bolso vazio, sem mesa farta e sem sexo torna-se frustrado e terrivelmente mal humorado. Mas não se preocupe, ambicioso como ele é, esse estado de coisas não dura para sempre e ele logo dá um jeito de reverter a situação. Conservador, não é muito afeito a mudanças bruscas. Gosta da tradição e daquilo que já foi exaustivamente testado. Ser original não é uma de suas preocupações – isso é para Aquário, signo com o qual está em desarmonia. Tudo com ele tem que ser mastigado e digerido lentamente, e principalmente, absorvido, tranquilamente. Seu lema é “devagar e sempre”.

dalizodiac_taurus
Touro – Salvador Dali – Reprodução

O mundo de Touro é o mundo tangível, palpável, a realidade do aqui e agora. Por isso é o grande construtor. Seu objetivo é construir algo sólido, de preferência que dure pra sempre e que resista aos mais terríveis terremotos. é perseverante, determinado e realista, às vezes vendo o mundo com um excesso de literalismo, exigindo “ver para crer”, o que o faz parecer de pouca poesia e, às vezes, de visão estreita.

photobox2 (1)
Photobox – Reprodução

Touro é simples e descomplicado e gosta da vida simples, especialmente da vida no campo, por isso também á associado à imagem do fazendeiro e do jardineiro. Não que Taurinos não saibam apreciar também o luxo. É que eles gostam de qualidade mas não gostam de ostentar. Também não quer dizer que não gostem das cidades, mas é que seu amor pela natureza e seus ciclos é tão grande que ele prefere a placidez das paisagens mais bucólicas – idealmente ele vai manter uma mansão na cidade e uma casa de campo. Touro não  gosta de drama. Como já disse, tudo para ele é muito simples e claro, como as águas do riacho daquela fazenda maravilhosa (ou sítio) que ele trabalhou tanto para conseguir. Sim, seu reino é o material, o reino dos sentidos, que também pode ser sua principal armadilha quando se deixa levar somente pelo lado instintivo e indulge excessivamente nos prazeres da carne, seja a da mesa ou a da cama, quando torna-se indolente e preguiçoso, ou ainda quando tudo é medido apenas pelo valor material e sua preocupação primeira é apenas adquirir mais e mais.

Ferdinand_the_Bull_5
Reprodução

Mencionamos a bucólica estória de Ferdinando acima, mas o mito mais conhecido e associado a Touro é o mito do Minotauro. A estória começa quando o Rei Minos, de Creta, numa contenda com seus irmãos pelo trono de Creta, argumentava que o trono era seu por direito divino. Para comprovar isso, orou ao deus Poseidon que fizesse sair do mar um belo touro branco, que seria prontamente sacrificado como agradecimento e oferenda ao deus, após sua conquista do trono. Poseidon concordou e logo fez aparecer o touro mais belo que já se tinha visto e toda a população aquiesceu, assim como os irmãos de Minos, a que ele tomasse posse do trono. Acontece que ao ver tão belo animal, o rei Minos mudou de ideia e resolveu juntá-lo ao seu rebanho ao invés de sacrificá-lo ao deus conforme havia prometido. Ele achou que seria um desperdício sacrificar uma tão admirável e majestosa besta e que beleza que seria conservá-la para si. Assim, ele a substituiu pelo melhor touro de seu rebanho, achando que Poseidon não se importaria e nem mesmo notaria a troca. Porém Poseidon não só não gostou da troca como resolveu retaliar. Convocou Afrodite, a Vênus grega, deusa do amor e da luxúria, (não por acaso, regente de Touro) a infligir em Parsifae, a mulher do rei Minos, uma paixão compulsiva e ingovernável pelo touro saído do mar. Em sua paixão tresloucada, Parsifae recorreu a Dédalus, o melhor artesão do reino, para que construísse uma vaca de madeira, oca, que permitisse que ela se escondesse em seu interior recebesse o tão desejado touro em intercurso sexual. E assim se deu. Dessa união nasceu então o Minotauro, uma besta horrenda que tinha corpo de homem e cabeça de touro e que se alimentava de carne humana. A população de Creta obviamente condenou a rainha, mas o rei Minos sabia que não podia julgá-la pois tinha sido ele quem havia causado todo aquele imbróglio. Em seu medo e vergonha profunda Minos convocou Dédalos, o mesmo artesão, para que construísse um labirinto no qual a odiosa criatura pudesse ser escondida. Nesse labirinto eram deixados grupos de jovens, rapazes e moças, que tornavam-se alimento para o monstro. A culminação do mito se dá quando Theseu, herói ateniense, se oferece para entrar no labirinto e matar o minotauro. Theseu efetivamente mata a besta e consegue sair do labirinto com ajuda de Ariadne, também filha do rei Minos, que tinha lhe dado um novelo, cuja ponta do fio ele amarrou na entrada do labirinto, para que não se perdesse dentro dele.

800px-Theseus_victor_of_the_Minotaur_mg_0114
Teseus vence o Minotauro – Charles-Édouard Chaise, óleo sobre tela, cerca de 1791 – Wikimedia Commons

De quem é a falta principal dessa estória tão fabulosa? Da rainha Parsifae que atua seu desejo bestial de forma tão crua? Claro que não. Parsifae apenas sofre as consequências da ambição cega de seu marido Minos. Liz Greene (1), ao analisar esse mito, cita o mitólogo Joseph Campbell para explicar porque o pecado de Minos foi tão grave: “a falha primária não foi a da rainha Parsifae, mas a do rei; e ele realmente não a poderia condenar, pois sabia o que ele próprio havia feito: convertera um evento público em proveito próprio quando todo o sentido de sua investidura como rei implicava que ele deixasse de ser pessoa privada. O retorno do touro deveria ter simbolizado sua submissão absoluta e impessoal às funções do cargo. O fato de ele ter mantido o touro em seu poder representava então um impulso de auto engrandecimento egocêntrico. E assim o rei, ‘pela graça de Deus’ tornou-se o perigoso tirano Gancho, aquele que reivindica tudo para si. Assim como os rituais de passagem tradicionais costumavam ensinar ao indivíduo que morresse para o passado e renascesse para o futuro, as grandes cerimônias de posse o privavam de seu caráter de pessoa comum e o vestiam com o manto da sua vocação. Esse era o ideal, fosse o homem um artesão ou um rei. Cometendo o sacrilégio de recusar o ritual, todavia, o indivíduo deixava de fazer parte, como unidade, da unidade mais amplas formada pela comunidade como um todo; e, assim, o Uno tornou-se muitos, passando esses últimos a lutar entre si – cada um por si – tornando-se governáveis, tão somente, pela força.” (2)

mino
Theseu lutando com o Minotauro – Escultura em mármore de Étienne-Jules Ramey (1796–1852). 1826. Nos Jardins Tuileries Paris. Wikimedia Commons

A figura desse monstro-tirano aparece em muitas fábulas, mitos e contos de fadas, simbolizando aquele que se apossa de algo que deveria ser usado para o bem comum. O monstro que só consegue pensar em “meu e para mim”. Esse geralmente é o grande dilema do Touro, a posse, seja de riqueza material, de propriedades, de poder, ou mesmo de pessoas. O esquecer que o Poder e a riqueza, em última instância, têm que estar a serviço de um Bem Maior, e não apenas de seu usufruto pessoal.

O_Minotauro_no_labirinto_Conimbriga
O labirinto do Minotauro – Conimbriga, Portugal 3° Século – Mosaico Romano – Reprodução

Liz Greene analisa que o dilema mais pertinente colocado por essa estória, e com o qual os taurinos têm que lidar, vida afora, é A QUE DEUS VOCÊ SERVE, aos seus instintos ou a um Bem Maior? Você é um escravo dos seus instintos ou coloca-os a serviço de uma vida íntegra e abundante?
E ela conclui dizendo que o touro, como símbolo dos instintos primitivos humanos, em si mesmo não é mau, mas se nos permitirmos ser regidos por ele, seremos levados à destruição, pois estaremos à mercê unicamente de nossos desejos. O ego, como parte consciente da psique, deve então aprender a dançar com esse touro, cada um respeitando o outro, pois simplesmente reprimir esses instintos, como fez o rei Minos ao trancafiar o Minotauro no labirinto também não é uma boa solução, pois ele se alimentará de nossa energia vital, tornando-se cada vez mais poderoso e ameaçador, até o ponto em que poderá irromper de forma descontrolada e destrutiva.

Edward_Burne-Jones_-_Tile_Design_-_Theseus_and_the_Minotaur_in_the_Labyrinth_-_Google_Art_Project
Edward Burne-Jones – Design em Cerâmica- Teseus e o Minotauro no Labirinto – Wikimedia Commons

Nesse mito, cada uma das personagens é uma faceta diferente do signo de Touro: o deus Poseidon, em sua face magnânima e também vingativa; o ganancioso Rei Minos; a Rainha Parsifae cheia de luxúria; o brilhante artesão Dédalus; o próprio Minotauro como face mais sombria do nosso lado instintivo; o herói Theseu, que vem redimir o reino; e até mesmo Ariadne, que nos dá o fio providencial para sairmos do labirinto.

E você, quem é você nessa estória? O Rei Minos? a Rainha Parsifae? O Herói Theseu? E como você vem lidando com o seu Minotauro interior?

240px-Taurus2
Touro – De um livro Medieval de Astrologia – Wikimedia Commons

Touro é o signo da simplicidade, como disse acima. Tem a missão de descobrir como ser feliz com pouco e de descobrir o que é essencial, o que é de valor vital. Assim, tirada do oráculo do Osho, nossa meditação de hoje vai buscar exatamente isso. Para esta meditação você deverá estar sentado/a, pés firmemente apoiados no chão, mãos sobre as pernas com as palmas viradas para dentro e com os olhos fechados.Respire calmamente três vezes, lembrando-se que a intenção deste exercício é devolver a agradável sensação da Simplicidade.

E veja, sinta, perceba-se sentado num banco que está sobre uma relva macia e verdejante. Respire profundamente e quando soltar o ar imagine que sai pelo topo de sua cabeça uma camada fina de toda a sua pele. Ela se esvai e desaparece no ar. É a sua pele do orgulho que se foi. Respire mais uma vez e ao expirar sinta que uma outra pele fininha sai pelo topo da sua cabeça e se dilui no Universo: é a sua pele da vaidade. Respire mais uma vez e ao expirar imagine saindo pelo topo de sua cabeça uma outra pele fininha de todo o seu corpo. É a pele da prepotência que se desmancha ao vento.

Agora que está livre daquilo que embaça seu verdadeiro ser, entre em contato com o que há de mais verdadeiro e simples dentro de você. E sentindo que ao fazer este exercício lava sua alma e traz de volta sua verdadeira essência, respire e abra os olhos.

Johfra-Bosschart-Taurus-3x4.1
Johfra Bosschart – Touro – Reprodução

Música para Touro

E Amanhã é o dia de Gêmoes!

Programação das 12 Noites Sagradas:

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

1 – Liz Greene – A Astrologia do Destino
2 – Joseph Campbell – O Heróri de Mil Faces

TOURO – O Minotauro e a Besta Interior

O Sol viaja por Touro até o dia 20 de Maio.
Vamos olhar de perto os mitos deste signo?
O mais icônico deles é o Mito do Minotauro!