Arquivo da tag: Conflitos

Lua Cheia em Áries – A verdade te libertará, mas primeiro vai te enfurecer!

Reprodução
Reprodução

A Lua é cheia na madrugada deste domingo, às 02h23min no Horário Brasileiro de Verão e às 04h23min para Lisboa, a 23°14’ de Áries. A culminação do ciclo de Libra, o ciclo dos relacionamentos, se dá de maneira ruidosa e elétrica, numa Super Lua que exige atitudes radicais e posturas avançadas no lidar com as situações de crise que possam aparecer. Sim, porque a Lua Cheia é um momento de crise na relação da Lua com o sol, é uma crise de relacionamento, que implica uma decisão, um divisor de águas – daqui para a frente, ou nos engajamos de verdade ou nos separamos.

Reprodução
Reprodução

Separação é um tema chave nessa Lua Cheia de hoje, que ocorre em conjunção de menos de um grau a Urano, o planeta das cisões abruptas e inesperadas. Mas a separação não precisa ser literal em todos os casos, antes é uma tomada de consciência da necessidade de sermos senhoras e senhores de nossa própria vida, desejos e história; de termos nossa autonomia e independência como valor fundamental em equilíbrio à necessidade de estar numa relação. Relações que são baseadas em dependências de qualquer tipo são mais prováveis de enfrentar problemas e crises sérias, assim como relações insatisfatórias que vinham sendo mantidas por mera comodidade ou insegurança – os indivíduos mais afetados são aqueles que têm planetas (particularmente os relacionais e pessoais) entre os graus 18 e 28 dos signos Cardinais – Áries, Câncer, Libra e Capricórnio.

Reprodução
Reprodução

Mas Urano nesta Lua Cheia também chama a atenção para a imprevisibilidade e a qualidade inesperada de tudo: qualquer coisa, absolutamente qualquer coisa, pode acontecer e o desfecho das situações é completamente imprevisível. Os dados estão rolando e enquanto não caírem na mesa, tudo está em aberto. Isso pode trazer uma grande tensão e ansiedade galopantes, mas também traz uma qualidade de excitação, de empolgação e expectativa de mudança, de que as coisas possam dar uma guinada radical para melhor – ou para pior – impossível prever! Precisamos deixar várias possibilidades em aberto – fixidez aqui é a pior pedida!

Reprodução
Reprodução

A individualidade da Lua em Áries faz o perfeito contraponto à conciliação excessiva do Sol em Libra e equilibra, de verdade, os pratos da balança. Quando colocamos Urano na equação, um dos pratos da balança pende para um lado, o lado do eu: “preciso muito de você, mas preciso, mais e primeiramente, de mim mesmo – sem mim, eu não sou ninguém, eu não existo. Sem você eu sobrevivo, com certeza”. Parece óbvio? Claro, mas quantas vezes você já viu apaixonados repetindo aquela frase “eu não existo sem você”? Esse tipo de frase não nasce do amor, nem mesmo da paixão, nasce da dependência, pura e simples e é isso que Urano corta pela raiz, com tesoura afiada! Insights e iluminações poderosas podem surgir de repente, tornando claros como o dia cenários que antes eram nebulosos e confusos – como uma paisagem iluminada pelo fulgor de um raio que cai abruptamente. Então esse é um grito de independência, seja a independência de outra pessoa, de uma relação falida, da dor do fracasso dessa relação, de nossos próprios medos e travas, de nossos hábitos ultrapassados, de atitudes previsíveis e enfadonhas, dos padrões repetitivos e desgastante nas relações… Reflita você, do que você precisa se tornar independente, do que precisa se libertar.

Lua Cheia em Áries, Brasília, 16 de outubro de 2016 - 02h223min
Lua Cheia em Áries, Brasília, 16 de outubro de 2016 – 02h223min

Essa lunação se dá ainda mais dramaticamente porque Sol e Lua ainda estão em quadratura ampla e separativa a Plutão em Capricórnio, que exige que a verdade prevaleça e seja encarada sem disfarces, para que a transformação possa realmente ocorrer. Mais importante ainda: o regente da Lua Cheia, Marte, está em conjunção bem próxima a Plutão, incrementando energia, intensidade e medidas extremas aos acontecimentos, aumentando, também, a necessidade de se lidar com a verdade dos fatos. Mas aqui tem uma questão muito importante: “a verdade te libertará, mas primeiro vai te enfurecer” e te frustrar. E muito. Sim, verdades desagradáveis, mas libertadoras podem pipocar ou vir à tona nos próximos dias, ainda mais que Mercúrio acabou de fazer quadratura a Plutão e a Marte, o que sugere que a comunicação fica ácida, intempestiva e que vomitamos inesperadamente tudo o que vínhamos tentando abafar para não desagradar. O bom-mocismo de Libra fica totalmente à parte e dá lugar a enfrentamentos bem literais. Mas embora fiquemos sim, muito chateados, logo sacudimos a poeira e damos a guinada rumo ao novo.

Arcano XVI do Tarô - A Torre
Arcano XVI do Tarô – A Torre

Outra coisa notável é que Marte, o dispositor da Lua Cheia de Áries, está Fora de Limites já faz algumas semanas, uma condição que torna o outrora disciplinado Marte Capricorniano numa figura selvagem e fora da lei – eu digo sempre que, quando um planeta está Fora dos Limites do Sol, é como se ele tivesse pulado os muros do reino (do Sol) e tivesse desertado, vazado na braquiária – ele não liga para leis ou regras, está fazendo as suas próprias coisas e só obedece aos próprios instintos, daí diz-se que ele fica selvagem. Como se não bastasse tudo isso, a Lua Cheia também está conjunta a Eris, a Deusa da Discórdia, adicionando contenda, luta, conflito e discórdia, como seu nome já diz. Há muita competitividade, rivalidade, como os carneiros selvagens batendo cabeças pela fêmea no cio. Portanto, a equação Lua em Áries + Urano + Marte Fora de Limites + Plutão + Eris é realmente explosiva, inusitada e traz grande potencial de transformações inesperadas na paisagem e nas situações em geral, mas antes, pode nos deixar aflitos e em conflito – atenção para não se apegar aos problemas e aos conflitos! Quem tentar segurar e reter o que quer que seja, poderá se quebrar no processo, portanto, o melhor é deixar fluir. Vou repetir a frase ótima da Glória Steinem: “a verdade te libertará, mas primeiro vai te enfurecer” – na verdade, vai te encher o saco mesmo!

Rprodução
Rprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 24 de Áries (23° – 23°59’) traz uma imagética que é muito interessante e que incorpora um tom muito positivo a todas essas influências: “Sopradas para dentro pelo vento, as cortinas de uma janela aberta tomam a forma de uma cornucópia”. Para mim essa imagem fala que os ventos da mudança às vezes chegam invadindo nossa casa (a consciência e o ego) e podem causar apreensão e receio, mas também podem trazer abundância, mudanças positivas e felizes, desde que deixemos as janelas abertas, desde que nós mesmos estejamos abertos e flexíveis. Então, de certa maneira, precisamos confiar que, qualquer que seja o conflito ou o vendaval que toma nossa casa/vida de supetão, ele vem arejar e trazer prosperidade e transformações positivas nas situações que estavam estagnadas.

Creepypasta - Reprodução
Creepypasta – Reprodução

Dane Rudhyar, analisando este símbolo, lembra que “o vento, pneuma, espírito, sopra sobre a mente-aberta e traz para dentro da casa da personalidade a promessa de um poder que é mais que material. O vento sopra de uma região de alta pressão para uma de baixa pressão. Enquanto as cortinas são sopradas para dentro, a consciência individual representada pela casa recebe um influxo de energias espirituais, capacitando essa consciência a expandir o escopo de seu despertar e de sua expressão criativa”. Assim, do conflito, da perturbação e da turbulência, surgem insights e uma nova consciência, que ilumina a consciência existente e a expande. Por mais distúrbios, surpresas e eventos repentinos – e talvez desagradáveis – que essa Lua Cheia possa trazer, ela traz no seu bojo, também os ventos revigorantes das novas ideias, da ousadia, da coragem e da iluminação, da mudança e liberação que tanto almejamos. Resta-nos ter coragem de abraçar essas novas possibilidades e deixar nossas janelas abertas para que esse vento possa varrer todos os recônditos da personalidade rígida, liberando-a e libertando-a dos ranços e inseguranças antigos. Então, é hora de abrir a cabeça e a consciência para uma nova verdade, que vem do alto, do centro da consciência e não do ego. Essa Lua fala de mudanças inesperadas, mas também de novidades aparecendo no caminho – estamos prontos para nos abrir a elas e abraçá-las?

Em termo bem práticos, a noite está, de fato, explosiva e demanda muita cautela nas interações em geral, pois todos estão irritados, com os ânimos alterados e não dispostos a levar desaforos para casa – a energia atinge seu pico e conflitos que estavam latentes se expressam com toda a sua força, mais potentes ainda porque a Lua está no seu perigeu, o ponto mais próximo da Terra, tendo sua influência exacerbada, o que a torna uma Super Lua. Embora o lendário Dale Carnegie aconselhe a cooperar com o inevitável, quem puder ficar na sua, por hoje, faz um bom negócio!

Uma linda e energética Super Lua para você!

Reprodução
Reprodução

A Semana Astrológica – Crescendo em tempos difíceis

Lua Crescente - Juan Jose Gimenez Gonzalez - Reprodução
Lua Crescente – Juan Jose Gimenez Gonzalez – Reprodução

Semana de 15 a 21 de fevereiro

A semana começa de forma bem dinâmica, com a Lua oficializando o Primeiro Quarto já na segunda-feira, sugerindo uma semana de expansão e de abertura de novos caminhos. Desafios que levam ao crescimento é o que tem no menu dos dias.

O Sol ingressa em Peixes, indicando o fechamento de mais um ciclo anual. Nesta fase da vida mundana ou pessoal, sintetizamos a experiencia vivida ao longo dos últimos onze meses, fazendo avaliações e reflexões sobre o que vamos modificar no novo ciclo anual que se iniciará em março, quando o Sol ingressar em Áries. Até lá estaremos focados em dissolver entraves e apegos a coisas menores que nos identifiquem em demasia com essa experiencia terrena. Nesta fase do ano precisamos olhar para nós mesmos em contraponto à futura dissolvição corpórea e de ego que um dia nos ocorrerá, quando tivermos cumprido nossa missão aqui e estivermos prontos para voltar à presença do Grande Pai e da Grande Mãe. Conseguimos realmente nos manifestar plenamente neste mundo terreno? Conseguimos realizar nosso propósito sem nos identificar demais com estes papeis mundanos? Se morrêssemos hoje, o que levaríamos conosco e o que deixaríamos de legado? Peixes sempre vem propor esse desapego da vida terrena, com uma perspectiva que olha para além do momento presente e dessas dimensão limitada em que nos encontramos atualmente.

white freedom
White Freedom, do Etsy – Desconhço o autor – Reprodução

Vênus também muda de casa. Ingressa em Aquário na quarta-feira, tornando-se mais livre e independente nas relações. Amor à liberdade, é o mote de Vênus em Aquário, que diz “porque te amo, te deixo ir”. Experimentação e gosto pelo excêntrico, pelo diferente são parte da sua expressão afetiva. Não nos atemos a identificações de sexo, gênero, raça, cor: apaixonamo-nos pela pessoa por trás da sua persona social; encantamo-nos com suas ideias; fascinamo-nos por termos os mesmos ideais; e engajamo-nos nas mesmas causas sociais. Essa Vênus se move pela afinidade intelectual, pela comunhão de mentes, muito mais do que comunhão de corpos. A excitação começa na cabeça e nas ideias e só depois alcança a dimensão física. A expressão afetiva é menos romântica, menos apaixonada e prima pela igualdade de expressão. O amor pelos grupos sociais favorece amizades e grupos em geral. O trânsito de Vênus favorece investimentos em tecnologia e no melhoramento das condições de vida nas sociedades.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio anda relativamente quieto, recuperando-se ainda de sua retrogradação. Nesta semana está bastante isolado e só faz um aspecto tímido e bastante inconsciente a Júpiter, sugerindo que temos muitos planos mirabolantes, ideias entusiasmadas mas ignoramos os percalços e detalhes necessários para colocar tudo isso em prática. É possível que tais ideias sejam excêntricas demais, extravagantes, impraticáveis. Talvez até as descartemos sem nem mesmo tentar executá-las, como uma defesa contra o possível fracasso. De qualquer forma, vale a pena colocarmos tais planos em standby e retomá-los no futuro, quando estiverem mais claros – quem sabe, se forem maturados, se provem de grande valor. Por enquanto, quem sabe seja melhor calar até que elas sejam analisadas mais cuidadosamente, porque desconectadas que estão da realidade presente, talvez não sejam inteligíveis ainda. Este isolamento de Mercúrio também sugere problemas na comunicação, propensão a dificuldades em nos fazer entender, em explicar nossas ideias e percepções ou tendência a nos sentirmos não ouvidos, de modo que talvez falemos sem parar. Assim, antes de reclamar que o outro não nos entende, podemos nos questionar se nós estamos transmitindo nossa mensagem de forma efetiva ou se não estamos impondo nossas ideias aos demais.

Reprodução
Reprodução

Temos em andamento uma configuração de Grande Cruz Mutável entre três figuras importantes, que embora não fique exata por enquanto, causa tensão e desassossego no pano de fundo dos dias. Trata-se da oposição de Júpiter retrógrado em Virgem a Quíron em Peixes, ambos em quadratura a Saturno em Sagitário, que chega a alcançar o grau 16 deste signo antes de entrar em retrogradação. Júpiter faz oposição exata a Quíron na semana que vem, dia 23 e em 23 de março faz quadratura a Saturno. Nosso desejo de expansão (Júpiter), além de já estar tímido e se manifestar de modo muito criterioso (Virgem), enfrenta dificuldade irreconciliáveis, obstáculos intransponíveis, que nos lembram dolorosamente de nossos limites mais vergonhosos, os quais nos deixam mais fragilizados (Quíron). Nessa equação, precisamos chegar a um resultado coerente: separar o possível do impossível, reconhecer essa fragilidade não remediável, sem conserto e agir mesmo assim; fazer de nossa fraqueza, força; e transformar tudo em resiliência, reestruturar nossa fé e otimismo, agora sobre bases mais sólidas e coerentes; realizar o que for possível, com responsabilidade, honestidade, critério (Saturno). O que não podemos é ficar paralisados e lastimando a vida – se assim fizermos, ela, a vida, nos atropelará sem misericórdia porque não é hora de bancar a vítima. Problema todo mundo tem e todos estão lidando com dificuldades diversas, alguns mais outros menos. Assim, precisamos nos armar de compaixão, generosidade e bondade, para transformarmos os cenários desoladores ao nosso redor. Manter a fé e a esperança, mesmo diante das dificuldades. Confiar, quando a vida diz para esperar. Porque, como tudo na vida, isso também vai passar! Como diz a oração de São Francisco: “Onde houver ódio que eu leve o amor; onde houver ofensa que eu leve o perdão; onde houver tristeza que eu leve a alegria; onde houver dúvida que eu leve a fé” – veja oração na íntegra ao final do texto. É isso ou resvalaremos no complexo da vítima chorosa, o que não nos ajudará em nada. Quando olhamos ao redor, sempre percebemos pessoas com dificuldades mais graves que as nossas e que, ainda assim, não desistem da luta!

Lua Corcunda - Isnogoodgood.tumblr - Reprodução
Lua Corcunda – Isnogoodgood.tumblr Reprodução

A Lua oficializa a fase do Primeiro Quarto em Touro na segunda-feira, uma fase de crescimento, arrojo, desenvolvimento e conquistas. Em Gêmeos ela busca fazer contatos e conexões que propiciem a abertura dos caminhos. Torna-se Corcunda e mais focada e tenaz em Câncer; expande sua generosidade em Leão e é Cheia, finalmente, em Virgem, na segunda, 22. Nesta jornada conversa com todos os demais corpos celestes, seja harmoniosa ou conflituosamente.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA é marcada pelo Primeiro quarto, o Quarto Crescente. A Lua Taurina faz quadratura ao Sol Aquariano no fim da madrugada. A Lua ainda faz um trígono a Vênus, sua dispositora, que percorre os últimos graus de Capricórnio, e fica vazia logo depois às 08h556min. Ingressa em Gêmeos somente às 12h35min, de onde se alinha ao seu regente, Mercúrio, no início de Aquário. A manhã começa lenta, devagar quase parando. Perdemos a hora ou resmungamos contra o relógio implacável a nos dizer que a cama não é onde deveríamos estar a essa altura… Espreguiçamo-nos a mais não poder para poder acordar. No mundo lá fora as coisas também andam lentas e nos indispomos com o tráfego e a lentidão da vida. Por que, se nós mesmos ainda estamos em estado de repouso? É melhor não exigirmos demais dos outros aquilo que nós mesmos não podemos dar e começarmos as atividades pelo que é mais óbvio e prático: organizar a agenda, dividir o tempo e a energia conforme as prioridades e a importância em nossa vida. A Lua formaliza uma etapa importante no desenvolvimento do ciclo, um momento de crise que demanda ajustes quanto aos projetos semeados pela Lua Nova. Touro exige que sejamos pragmáticos e muito pé no chão, que transformemos os ideais e visões Aquarianos em metas realizáveis, com datas, orçamentos, planejamento e cronograma de ação. Damos conta disso? Aqui é que a porca torce o rabo… Lua e Sol ainda fazem quadraturas separativas a Marte em Escorpião. Conseguimos domar nossa vontade ou a falta dela? Conseguimos alinhar estes propósitos com nossas necessidades, superando as inseguranças e a hesitação? É fácil sonhar e idealizar no mental aquilo que almejamos. Mas estamos dispostos a arregaçar as mangas, a botar a mão na massa e fazer o que for necessário para tornar esses planos realidade? Ou vamos nos deixar vencer pelo cansaço e indisposição? Se não nos comprometermos de verdade com esta visão, nossos sonhos não passarão de anseios ilusórios a serem relembrados tempos depois com amargura, culpa e decepção. O pior não é encarar o olhar do outro. O pior é nos enfrentar no espelho e encarar a desistência de nós mesmos e destes sonhos. Sempre é tempo de retomar a direção! A tarde fica mais dinâmica e movimentada e parece que a mente finalmente entra nos eixos, incendiando-se de ânimo e maior clareza!

Peter Gric - Reprodução
Peter Gric – Reprodução

Já a TERÇA-FEIRA traz desafios outros. A Lua Geminiana faz quadratura a Netuno em Peixes e oposição a Saturno em Sagitário, formando uma T-Square mutável, da qual Netuno é o foco. Ao longo do dia essa T-Square vira Grande Cruz Mutável, pois envolve mais tarde a Quíron e Júpiter. A Lua também faz sesqui-quadraturas a Vênus em Capricórnio e a Mercúrio em Aquário, além de quincunce a Plutão. O único aspecto harmonioso é feito a Urano em Áries. É, o dia tá “pesadão” e cheio de um tom frenético de muitas atividades que talvez levem a nada, se não tivermos cuidado. Não há descanso: a mente pulula em muitas direções, feito bola de ping-pong que vai e volta teimosa, insana-mente. A sensação é de falta de fôlego, tal o ritmo alucinado do dia. Tudo porque estamos divididos e espalhados para todo lado, partidos em mil pedaços: muitos interesses, inúmeras obrigações, necessidades diversas e para completar, inseguranças vorazes que deixam tudo mais ansioso, inquieto, com uma sensação lancinante de que apesar de estarmos assoberbados, falta o essencial. E motivados pela falta, talvez entremos na compulsão e busquemos ainda mais estímulos. Opa! Alerta vermelho! Tudo começa com uma mente entupida de muitos pensamentos, preocupações, inquietações, muitos deles inúteis e desnecessários – medos e antecipações sombrias que talvez nunca aconteçam. Toda essa pre-ocupação compulsiva também pode servir para nos livrar de sentir realmente as coisas – ao invés de sentir perdemo-nos num emaranhado ensandecido de pensamentos. Portanto, o primeiro passo é esvaziar a mente, drená-la dessa super atividade, filtrar o excesso e concentrarmo-nos no essencial. É possível que todo esse frenesi nos dê a ilusão de estarmos realizando muito, mas talvez esteja apenas causando desgaste e dispersão. Para realizarmos algo, precisamos de ancoragem e centramento. Como conseguimos isso? Primeiro respirando, esvaziando a mente, disciplinando as ações, e ouvindo o coração ao invés de simplesmente racionalizar o que não gostaríamos de sentir. Vomitar tudo num papel, num desabafo às antigas pode ajudar muito; para os mais modernos, pode funcionar gravar as reclamações para si mesmo, ao invés de despejá-las sobre incautos passantes… Ouvir a própria voz lamentosa pode nos “acordar” para o nosso próprio absurdo… A partir disso, podemos acalmar a mente e a alma e utilizar o melhor da energia aérea Geminiana.  Como diz o poeminha de Gabriel Rodrigues:

Melody of Rain - Christian Schloe - Reproduçao
Melody of Rain – Christian Schloe Reproduçao

“Moça,
A calma
Da alma
Acalma
O coração.
Não é sempre
Que se deve chorar.
Às vezes
Você só precisa
Da calma
E de mais nada, além
De seu sorriso.”

Egon Schiele – Reprodução

Vênus ingressa em Aquário às 02h17min da QUARTA-FEIRA. A Lua Geminiana oficializa a quadratura a Júpiter em Virgem, faz quincunce a Marte em Escorpião e um trígono benfazejo ao Sol Aquariano, ficando vazia às 14h37min. Ingressa em Câncer às 17h24min. De Câncer a Lua se indispõe com Vênus. Júpiter entra em orbe de quincunce a Urano, aspecto que ficará exato pela segunda vez no dia seis de março. O dia ainda traz alguns dilemas, mas o dia está menos sobrecarregado do que o anterior. Depois das avalanches mentais e de muita fricção sobre se queremos mesmo cumprir com a agenda do dia – que ainda está bem atarefado –  podemos alinhar o coração com os objetivos conscientes e fluir com o dia, colocando algum senso de ordem no caos emocional e mental que nos acometeu. À noite a sensibilidade finalmente aflora e entramos em contato mais prontamente com as inseguranças e carências que tínhamos evitado com tanto empenho, trazendo dilemas antigos, um lado querendo manter a compostura e a atitude de “não preciso de nada nem de ninguém” e o outro ansiando por colo e cuidados. Vênus em Aquário é independente e livre, avessa a apegos e demonstrações efusivas de sentimentos. “Eu sou de ninguém; eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também”, diria ela, algo incongruente com esta Lua Canceriana, que deseja, sobretudo pertencer e se vincular. Contudo, não precisamos levar tudo a ferro e fogo, nem precisamos provar nada para ninguém. Admitir o próprio conflito para o outro e principalmente para si mesmo pode resolver muito da tensão e pode também propiciar uma abertura na expressão dos sentimentos e uma consequente receptividade. Não somos robôs programados para ter sempre as mesmas respostas prontas, assim, podemos receber nossas alterações emocionais e de humor  com menos severidade e compreensão. Se compreendemos a nós mesmos, estaremos mais aptos e ser compassivos também com o outro.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

A Lua Canceriana faz quincunce a Mercúrio em Aquário nas primeiras horas da QUINTA-FEIRA, além de também se irritar com Marte em Escorpião. Mais tarde a Lua se afina com Netuno em Peixes e a sensibilidade transborda. No fim da dia o clima volta a azedar, com a Lua entrando em atrito com Saturno em Sagitário e brigando abertamente com Plutão em Capricórnio, já em orbe de quadratura a Urano em Áries, formando uma T-Square Cardinal. À noite a Lua entra na fase Corcunda. O dia começa meio desconfortável, talvez devido ao sono um tanto conturbado da madrugada. A manhã traz uma sensibilidade profunda, que nos coloca em contato com sentimentos densos, tanto os nossos quanto aqueles na atmosfera ao nosso redor. Talvez captemos frustrações escondidas, dissabores não ventilados, de modo que nos predispomos a irritações e pequenos amuos de criança emburrada. No fim do dia, porém, os amuos que não endereçamos adequadamente tornam-se problemas mais sérios e entram pela noite gerando crises e convulsões emocionais, nas quais nos sentimos vitimizados a lutar contra intimidações e manipulações, sem percebermos que o perpetrador do bullying atendeu a um chamado inconsciente nosso – sim, na verdade ele está dentro. A oposição poderosa com a qual nos deparamos não se resolverá com choros e lamentos – pelo contrário, talvez até estimule ainda mais o sadismo oculto do outro. Antes, precisamos arrebanhar nossa força e maturidade emocionais, nos responsabilizarmos por nossos sentimentos, sensações e carências se queremos ser respeitados e percebidos como gente grande. Perceber que o outro talvez esteja devolvendo na mesma moeda o tratamento que lhe demos pode ajudar a colocar as coisas em perspectiva – então descobrimos que não somos nem vítimas, muito menos inocentes. É preciso sim, honrar nossos sentimentos e, dependendo da situação, expressá-los com franqueza, mas isso não significa promover crises e dramas desnecessários e vexatórios, que talvez só nos leve a perder o respeito dos nossos pares. Um pouco de sobriedade e contenção nos fará perceber tudo o que está em jogo, inclusive nossa independência e respeito próprio.

travis-bedel-1
Travis Bedel – Reprodução

O Sol ingressa em Peixes às 03h34min da madrugada de SEXTA-FEIRA. A Lua Canceriana faz quadratura exata a Urano em Áries, ainda formando uma T-Square Cardinal devido à oposição a Plutão. Contudo, a Lua faz alguns contatos benéficos que ajudam a equilibrar o gerenciamento das emoções: forma um Grande Trígono em Água com marte em Escorpião e Quíron em Peixes, e como está em harmonia também com Júpiter, esta configuração vira uma Pipa que tem Júpiter de foco. A Lua fica vazia às 12h37min, depois do trígono a Marte. A noite e a madrugada ficam bastante tumultuados, mas o dia ganha ares mais sensíveis e compassivos. Estamos mais alinhados com nossas emoções e sentimentos, sensibilizando-nos também com as dificuldades alheias, possivelmente até saindo do nosso caminho para oferecer ajuda a alguém. Sentimo-nos em conexão com a rede da vida de uma forma inexplicável e isso faz os dramas recentes parecerem um tanto sem sentido e infantis ou mesmo muito distantes. O Sol ingressa em Peixes finalizando mais um ciclo anual e sugerindo uma reflexão profunda sobre os propósitos que queremos realizar no ano vindouro. Uma dissolução dos restolhos do ano que finda, uma dissolução de propósitos meramente egoicos para vislumbrarmos a volta à Casa do Pai ou da Grande Mãe. O ciclo Pisciano sugere a inclusão de tudo o que foi excluído da mente racional durante o ano, para nos integrarmos novamente à fonte da vida, para nos regenerarmos e sermos paridos no próximo ciclo, com sorte, com mais maturidade e clareza do nosso papel no mundo e na vida.

Reprodução
Reprodução

A Lua, redondamente grávida, ingressa em Leão à 00h18min de SÁBADO, de onde faz quincunce ao Sol. Ao longo do dia faz oposição a Vênus e Mercúrio em Aquário e sesqui-quadratura a Quíron em Peixes, fechando a noite em trígono a Saturno. O dia traz um tom um pouco mais leve e solto, embora ainda possamos nos deparar com opiniões antagônicas e possivelmente extremistas. Contudo, é pedido de nós que sejamos mais generosos nos confrontos, que não nos identifiquemos tanto com opiniões, que podem bem estar erradas ou, no mínimo, duvidosas; que demos o benefício da dúvida ao nosso interlocutor e percebamos que toda estória pode ter muitas versões e que essa coisa de verdade absoluta simplesmente não existe, ou, é pelo menos nebulosa. Assim, o outro, por mais antagônico que seja na expressão, ainda é um amigo e parceiro. Podemos expressar ideais e ideias com franqueza e honestidade, podemos concordar em discordar; e, em nome da civilidade e do afeto mútuo respeitamos as disparidades, sem permitir que elas cavem um abismo desnecessário entre nós. Nossos projetos, que devem estar indo de vento em popa, precisam ser divulgados e promovidos, mas não à custa de questões essenciais e tão necessárias quanto. Contudo, é necessário conciliar necessidades e valores, para negociarmos sem sentir que vendemos a alma ao diabo.

Oamul Lu
Oamul.com – Reprodução

O DOMINGO traz um Grande Trígono em Fogo formado pela Lua Leonina em contato harmonioso com urano em Áries e Saturno em Sagitário. Entretanto, os auspícios desse Grande Trígono podem ser ofuscados pela inquietação e ansiedade de um Yod do qual a Lua é o foco, uma vez que ela faz quincunces a Plutão e a Quíron. À noite os conflitos podem ficar mais tensos com a quadratura Lua-Marte. Vênus está em sesqui-quadratura a Júpiter. Uma sensação de divisão colore o dia: temos desejos de sair e explorar o mundo, sentimos que finalmente estamos autorizados a escalar aquela montanha, empreender aquela aventura, tomar aquele novo caminho ou nova atividade; todavia, há uma insegurança latente a nos perseguir, como um mau presságio, a acinzentar o arco-íris do nosso entusiasmo. O que nos vence, nossos medos e receios ou nossa fé e esperança? Estamos voando ou despencando no abismo? Onde está nossa intuição no dia de hoje? Que direção ela aponta, o que nos sugere? Somente tolos e incautos ignoram seus instintos de auto-preservação. Igualmente, os fracos e covardes deixam-se congelar por seus receios sem nunca sair do lugar. É preciso pois, calar a voz do medo paralisante e da audácia destemperada, ouvindo a voz serena, a mais verdadeira, no fundo de tudo, que nos dirá, se tivermos ouvidos para ouvir, qual a atitude certa para o momento presente, qual o melhor caminho, qual convite da vida iremos aceitar no dia de hoje. A noite pede cautela e paciência para lidarmos com possíveis conflitos e embates entre vontades inflexíveis e talvez belicosas. Antes de atacar como estratégia de defesa, é aconselhável se questionar se estamos, de fato, sob ameaça ou se estamos indóceis apenas por não receber a atenção que desejávamos, mas que por algum motivo, não recebemos. Ou talvez tenhamos que nos afirmar e fazer respeitar, a despeito de estarmos inseguros e duvidosos de nós mesmos. Reagir cegamente não é uma boa opção e isso só se consegue com auto-escrutínio honesto.

Desejo que a sua seja uma semana frutífera, feliz e abençoada!

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Francisco de Assis

Reprodução
Reprodução