Arquivo da tag: Liberação

Lua Cheia em Escorpião – A maldição – ou a bênção – do Eterno Retorno

Reprodução

O ciclo de Touro chega ao seu ápice na Lua Cheia de amanhã, dia 10 de maio, que ocorre às 18h42min – 22h42min para Lisboa – , a 20°24’ de Escorpião. Esta é uma Lua Cheia de términos, visto que Escorpião fala de encerramentos de ciclos, para começarmos outros, o que nos dá um vislumbre da eternidade se descortinando diante de nós. É o tempo de trocar de pele, de eliminar energias antigas, limpar o coração de todas as toxinas, abrir-se à compaixão. Enquanto Touro constrói estabilidade, Escorpião a destrói, para que não caia na estagnação. Escorpião destrói tudo aquilo que ameaça impedi-lo de se desenvolver, de avançar para a próxima fase, mesmo que isso não seja necessariamente, um avanço positivo, mesmo que não seja um movimento de crescimento. Entre ficar estagnado ou piorar um pouco, é provável que opte pela segunda opção, se isso implicar movimento, liberação de alguma forma. Mas Escorpião, apesar de não se apegar a coisas e não se deixar possuir por elas, relaciona-se com a posse emocional e aqui há grande dificuldade de abrir mão, de soltar e liberar, mas uma vez que isso ocorra, é definitivo, para sempre. Pode demorar muito tempo até se atingir esse ponto, mas uma vez cruzado esse limiar, não há retorno!

Reprodução

Como sabemos, a Lua Cheia é um momento crítico, em que a energia atinge seu apogeu e todas as coisas que estavam se avolumando e se arrastando, atingem um ápice e são finalmente liberadas, boas ou ruins. Tensões que foram se acumulando atingem um ponto crítico e explodem e as coisas se resolvem, por bem ou por mal. Como Escorpião é o signo das emoções e sentimentos intenso e profundos, quando a Lua Cheia ocorre neste signo, esse ponto crítico fica intensificado.

Kali, a deusa que cria e destrói a vida – reprodução

A Lua Cheia de Escorpião anuncia um período de destruir tudo aquilo que nos prende e nos impede de dar o próximo passo: apegos a coisas, pessoas, regras; expectativas, medos, inseguranças; situações e coisas que representam segurança e estabilidade, mas das quais reclamamos e nos ressentimos, porque sabemos que tal segurança é fajuta, que usamos isso como desculpa para não fazer o que precisamos fazer, para não agir de acordo com nossa consciência – em resumo, aquilo com que o ego se identifica, mas que não é sua verdadeira essência. Há momentos e situações em que ir contra a maré e destruir algo torna-se muito positivo e pode ser o ato mais criativo e libertador que podemos cometer. Então destruição nem sempre é algo negativo – depende do quê, como e quando. O que é que você precisa destruir hoje?

Lua Cheia em Escorpião, Brasília, 10 de maio de 2017, 18h42min

No mapa desta lunação, a Lua está em sextil muito próximo a Plutão em Capricórnio e, claro, o Sol faz trígono a ele. Plutão é o deus da transformação, da morte, do renascimento, do Mundo Inferior e é o regente moderno de Escorpião. Ao receber aspectos harmoniosos dos dois luminares, sinaliza que estamos abertos, neste ciclo, a enfrentar algumas verdades, a lidar com elas, a nos desapegar e proceder com as mudanças necessárias. Conseguimos olhar para a nossa sombra sem nos chocar tanto com ela e conseguimos perceber o que precisa ser destruído, demolido, pulverizado. E mesmo que doa, destruímos, porque percebemos que de tal destruição, algo novo surgirá, possivelmente, quiçá, mais verdadeiro. A Lua também faz trígonos amplos a Netuno e a Quíron em Peixes – sete graus de orbe – e este trígono, na verdade, cai exatamente no Ponto Médio entre Netuno e Quíron. Além de potencializar a grande sensibilidade dos sentimentos Escorpiônicos, faz aflorar uma grande compaixão por nós mesmos e por aqueles todos com quem estamos envolvidos e, ao invés de raiva, ódio e vingança, queremos apenas nos livrar e liberar dos conteúdos densos, permitindo que sejam purgados e curados. O trígono ao Ponto Médio entre Netuno e Quíron possibilita a mediação, a integração das nossas aspirações e sonhos mais elevados e até os mais fantasiosos, com a percepção do que podemos e não podemos. Uma conciliação torna-se possível, talvez sem amargor e sem ranger de dentes – uma aceitação, quem sabe até resignação, mas ainda assim, algo que vem com sabedoria e serenidade e não precisa ficar apodrecendo dentro de nós e nos intoxicando de amargura. Vemos, reconhecemos e soltamos. E assim, liberamo-nos.

Reprodução

O regente tradicional da Lua, Marte, está em Gêmeos, em quadratura de menos de um grau a Netuno e em trígono a Júpiter, também bastante próximo. Por um lado, isso nos fala do risco de sonharmos alto demais, de sermos ingênuos e embarcarmos na nau das ilusões criadas por nós mesmos e depois nos desapontarmos tristemente – a mente e os nossos desejos podem nos enganar e iludir. Por outro, assinala uma imaginação poderosa, uma qualidade mágica e ainda a enorme capacidade para a abnegação, além do entusiasmo quase inocente das crianças. Felizmente, tal atitude pueril é compensada pela sagacidade da Lua em Escorpião e pela conjunção Mercúrio-Urano, de modo que talvez se consiga sintonizar mais fortemente com os aspectos mais positivos dessa quadratura Marte-Netuno. Se formos mais longe e considerarmos essa conjunção Mercúrio-Urano em Áries – já que Mercúrio rege Marte – veremos que essa lunação também traz uma energia de rebeldia, de subversão, de ser capaz de desagradar para ser fiel e leal a si mesmo e aos ditames da própria consciência. Mercúrio estando conjunto a Urano no dia da Lua cheia, é outro intensificador da energia, trazendo iluminações, mas também transtornos, imprevistos, desordem, caos. Então há um aumento da instabilidade, uma intensificação da “crise” representada pela Lua Cheia e isso pode se manifestar de várias maneiras, tanto em nível pessoal, quanto em termos coletivos. Na verdade, a Lua Cheia potencializa a conjunção Mercúrio-Urano e vice-versa.

Ouroboros, a serpente mítica que engole a própria cauda, representando a eternidade e os ciclos de morte e renascimento – Ficheiros do Google –
Reprodução

Mas a Lua Cheia de Escorpião também traz presente a ideia do eterno retorno, um conceito filosófico que nasce com o estoicismo e que propõe que a vida é uma constante repetição de si mesma e que o mundo se extingue para voltar a criar-se, um conceito que é bem ilustrado pela figura da Uroboros, a serpente mítica que engole a própria cauda, se extingue e voltar a renascer. É um símbolo da eternidade. Nietzsche discute o mesmo conceito em sua obra e nos provoca se rangeríamos os dentes e amaldiçoaríamos o demônio que sussurrasse tal ideia da recorrência no nosso ouvido, ou se ficaríamos felizes e o bendiríamos, diante da ideia da eterna repetição? O eterno retorno nos fala dos ciclos repetitivos da vida, algo que Escorpião entende bem. Mas será que a repetição é sempre igual? Será que seguimos em movimento circular, repetitivo, quase instintivo? Não seria esse movimento espiral, alterando algo sutilmente, a cada novo girar da moenda? E estamos sujeitos a tal repetição, feito cordeiros sem vontade, ou na verdade, contribuímos e ansiamos por ela? Será a repetição uma maldição ou uma bênção? Não pretendo esgotar esse assunto aqui, até porque não o domino, a ideia é apenas provocar, porque são temas pertinentes a Escorpião e a essa Lua Cheia e porque sempre vale nos perguntar por que somos tão repetitivos, mesmo quando buscamos ser originais. A Lua Cheia, pois, convida a quebrar – ou pelo menos tentar – a repetição, a destruir a roda que nos prende a essa moenda, a esse moinho, que sempre nos joga na cara aquilo que achamos que já havíamos superado.

Reprodução

O Símbolo Sabiano para o grau 21 de Escorpião diz o seguinte: “obedecendo à sua consciência, um soldado resiste às ordens que recebe”. Aqui há um conflito claro entre obedecer e atender às expectativas sociais, às regras e leis e seguir a própria consciência, arcando com as consequências por tal desobediência. Quando o meio social e suas regras tornam-se poderosos por demais, diz Rudhyar, “o indivíduo não precisa se sentir atado espiritualmente, nem mesmo aprisionado. Ele ainda pode demonstrar sua liberdade interior e provar-se um ‘indivíduo’” e não apenas um seguidor cego de ordens absurdas e alheias ao seu coração. Essa é uma verdade de Escorpião, que geralmente está disposto a pagar o preço por suas escolhas impopulares, por não seguir a manada, nem fazer questão de ser aceito e aprovado. Aqui há o conflito entre os códigos morais exteriores e os nossos valores pessoais – às vezes é preciso transgredir, quebrar as regras, mesmo que arquemos com consequências duras. Linda Hill, outra estudiosa dos Símbolos Sabianos, nos lembra que “há uma escolha difícil entre nossa lealdade a um relacionamento, a um trabalho, um país, etc. e nossas crenças internas, nossa verdade interior e nossas ambições pessoais. Liberdade verdadeira só pode ser encontrada dentro, quando se confronta essas situações com um senso de integridade e um completo entendimento das consequências possíveis”. Nem tudo o que é legal, é necessariamente correto e temos visto bastante disso recentemente. E por mais que muitas vezes nossas escolhas nos coloquem em colisão com forças maiores do que nós, sejam essas forças mundanas ou de outra esfera, ainda precisamos ser capazes de ser leais a nós mesmos, o que quer que isso signifique. E longe de nos sentir desajustados, talvez isso reflita um desvio salutar da norma, porque, como diz Krishnamurti “não é um sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade profundamente doente”. Então, a Lua Cheia sugere destruir o que nos prende e nos ata, quebrar as regras distorcidas, as normas que não promovem a vida, mas apenas fazem cumprir ordens sem sentido e que vão contra aquilo que acreditamos, aquilo que nossa consciência diz. E há um preço a pagar. Sempre há. Mas, como diz um outro pensador, Kipling, “nunca é alto demais o preço a pagar pelo privilégio de se pertencer a si mesmo”, e de escolher a própria integridade interior, mesmo que isso também seja parte do eterno retorno e da ilusão da novidade. E é por isso que Escorpião briga e paga o preço!

Reprodução

Para além de tudo isso, essa Lua Cheia também nos faz sentir profundamente conectados com a rede da vida, em toda a sua poderosa manifestação e percebemos que, mesmo em situações de conflito e de morte aparente, a vida segue seu ciclo, ela é mudança constante, ela pulsa, viceja, modifica-se, muda de corpo, de invólucro, mas continua a pulsar, em nós, no outro, no mundo à nossa volta. Talvez sejamos apenas efêmeros demais para perceber as mudanças reais, porque, o que é uma vida humana diante da eternidade? Essa percepção pode nos revigorar e nos dar uma nova perspectiva sobre as coisas, os erros, as “perdas”, aquilo de que precisamos abrir mão, nos desfazer, para viajarmos mais leves, menos enferrujados, menos pesarosos e defensivos, menos apegados ao controle dos resultados. E aquilo que deixamos para trás, as cascas e peles antigas, vão virar adubo, irão se transformar, no eterno ciclo do vir a ser.

Numa nota mais pontual, o Ascendente do mapa levantado para Brasília é Sagitário, que é regido por Júpiter, que está retrógrado em Libra, na casa 11, em quadratura a Plutão e quincúncio quase exato a Netuno. Júpiter segue como carro chefe da locomotiva, como tem estado há vários meses. Isso tudo repete um pouco o tema do entusiasmo pueril, visto que Júpiter está retrógrado e em tensão a Netuno. Parte de nós simplesmente não quer ver, não quer enxergar a verdade, os dissabores, as tristezas e desalentos e prefere continuar a se enganar. Olhando para a situação do Brasil, Júpiter faz quadratura a Plutão retrógrado e talvez alguns movimentos na esfera social e das instituições públicas levem a mais perdas, concretas, materiais e também no senso de autoestima do povo. Netuno está na 4 – somos feitos de bobo dentro de casa, pelos nossos, como tem ocorrido há séculos! Mais do mesmo! Se se considera o mapa do Brasil que tem Aquário Ascendente, a Lua Cheia ativa o MC; se se considera o mapa que tem Peixes como Ascendente, o Ascendente desta lunação para Brasília, também vai ativar o MC do mapa natal. De um jeito ou de outro, essa lunação mexe bastante com figuras de autoridade e com a imagem do Brasil, com o rumo do país.

OBS: A Lua fica Cheia numa condição chamada “Wobble”. Nunca estudei isso a fundo, mas como já me perguntaram, isso é um termo astronômico, que representa uma oscilação, uma instabilidade, quando parece que a Lua “dança” da esquerda para a direita, parecendo “bambolear”. Esses períodos de Lua Wobble, de acordo com alguns estudiosos,estão relacionados com catástrofes, começos e fins de guerras, conflitos e situações fora de controle. Mas antes de se desesperar, saiba que a Lua entra nessa condição cerca de três ou quatro vezes por ano, então, não é nada tão raro assim!

Travis Bedel – Reprodução

Uma ótima Lua cheia para você! quebre as regras distorcidas, destrua aquilo que não gera mais vida, que perdeu o viço e apodreceu e já não alimenta, nem entusiasma! Ou se renova, ou será destruído!

Ouroboros, a serpente mítica que engole a própria cauda, representando a eternidade e os ciclos de morte e renascimento – Ficheiros do Google –
Reprodução

 

A Semana Astrológica – À sombra do vulcão

Reprodução

Semana de 27 de fevereiro a 05 de março – a semana pede cautela e prudência. O eclipse ocorrido no domingo ainda reverbera por bastante tempo e requer mais consciência, discernimento e inteireza de intenções. 

Acabou a primeira temporada de eclipses do ano, mas os dias continuam intensos ainda por bastante tempo, tanto por causa do eclipse – leia o artigo sobre a Lua Nova e Eclipse Solar em Peixes – quanto por causa dessa T-Square Cardinal Júpiter-Urano/Marte-Plutão! Nesta semana Marte faz oposição a Júpiter, que por sua vez faz a segunda oposição a Urano (agora retrógrado!) e a configuração ainda ganha o reforço da Lua que trafega Áries de terça até as primeiras horas da quinta-feira! O tempo fica fervente! Tempos intensos e extremos, de fato e, se por um lado sugerem embates e muitos desafios – especialmente à nossa paciência e tranquilidade – por outro, esse mesmo desassossego nos tira do sério e nos obriga a fazer coisas que vínhamos protelando e enrolando, ou seja, nos obriga a fazer o que tem que ser feito: eliminar as restrições, a preguiça, a acomodação, as desculpas esfarrapadas, o “faço amanhã”, ou quaisquer que sejam as correntes que andamos arrastando por aí feito alma penada condenada aos grilhões da inconsciência… A questão é que não somos almas penadas e não estamos condenados à inconsciência e nem a arrastar correntes, a não ser que queiramos permanecer no limbo da alienação – atenção para a conjunção Sol-Netuno em Peixes ativa durante a semana… Nos últimos anos temos tido muitas e muitas chances de dar muitas viradas… Esta é mais uma! Quem quiser agarrar, pode começar a viver, quem quiser continuar reclamando… Bom, depois não diga que não foi avisado! Diante dos problemas, é preciso ter atitude e resolvê-los – reclamar não é resolver, é estar apaixonado pelo problema e pelo próprio drama e, às vezes, parece que precisamos dar “cabeçadas” por aí para poder aprender a lição e com essa configuração, pode ser que tenhamos que aprender do pior jeito: errando, fazendo uma grande tolice, para finalmente cair a ficha da atitude errada, mas que pode no final das contas, ter um efeito positivo e nos colocar de vez no caminho da mudança – não sem prejuízos, claro! Marte também faz trígono a Saturno, que ajuda a assentar a cabeça depois de todas as revoluções Uranianas, propiciando verificarmos o que restou de tais revoluções… Vamos aplainar o terreno para começar uma nova construção!

O caminho percorrido por Vênus em oito anos, com cinco ciclos de retrogradação, forma a imagem de uma Flor de Lótus – Reprodução

Vênus fica retrógrado nesta semana, estacionando no dia 03 e mudando de direção no dia 04, no grau 13° de Áries. Fica retrógrado até o dia 15 de abril. Com Vênus retrógrado todos os tipos de relacionamentos e parcerias entram em período de revisão profunda, particularmente as relações amorosas. Estamos mais introspectivos e introvertidos e fazemos um balanço geral da nossa autoestima, daquilo que buscamos nas relações, daquilo que temos para oferecer… Os acordos e negociações diplomáticas podem ficar travados e isso pode levar a um recrudescimento dos conflitos, principalmente quando Vênus está em Áries, como agora, que é um signo avesso à diplomacia. Como Vênus tem a ver com valores, também representa nossa capacidade de gerar recursos, inclusive materiais – sim, dinheiro e posses! – e quando está retrógrado é aconselhável se ter cautela nos investimentos mais vultosos e reavaliar nosso gerenciamento financeiro. Não é um período favorável para casamentos ou celebração de parcerias, compra de imóveis ou bens de valor elevado, abertura de empresas, lançamentos de produtos ligados à beleza, estética e à arte em geral, abertura de casas de espetáculos ou empreendimentos culturais. Da mesma forma, cirurgias ou outros procedimentos estéticos importantes são desaconselhados, inclusive cortes de cabelo, ou coloração, que representem uma mudança grande na aparência – Não é que algo trágico vá acontecer, necessariamente, mas os resultados podem sair muito diferentes do esperado, gerando decepções e angústia. Esta retrogradação de Vênus tende a ser mais tensa, já que Áries é um signo de debilidade para este planeta… Escrevi um artigo extenso sobre a psicologia e simbolismo de Vênus retrógrado no mapa natal e em trânsito em 2014, quando Vênus estava retrógrada em Capricórnio. Você pode ler este artigo aqui. Na terça e quarta-feira ainda será possível ver a bela conjunção Lua-Vênus – e também Marte mais acima – no céu depois do por do Sol, conjunção que só voltaremos a ver no entardecer no ano que vem, já que Vênus passa a aparecer como Estrela da Manhã, Phosphorus/Eósforos, depois da retrogradação e só volta à forma de Estrela Vespertina, Héspero, semanas depois da conjunção superior ao Sol, que ocorre em janeiro de 2018.

Jon Jaylo – Reprodução

Mercúrio está em Peixes, sonhador, imaginativo, no mundo da Lua! E mais ainda porque vai fazer conjunção a Netuno! Então, cautela com a comunicação, que pode estar meio nebulosa e propensa a mal-entendidos diversos… A mente tende a divagar e ir parar lá no País das Maravilhas! Ops! Que horas/onde foi que eu caí nesse buraco de coelho??? Pode ficar difícil manter o contato com a realidade em alguns momentos e a tendência é pular de uma coisa a outra de maneira meio caótica – por esses dias só temos Plutão no elemento Terra, muita energia cardinal e mutável nenhuma energia fixa (a não ser quando a Lua passar por Touro e então será singleton). Caos e descontrole ficam nos rondando o tempo todo! Exercícios de aterramento – e até mesmo andar descalços na terra – podem ajudar. Mas podemos tirar muito proveito de tudo isso também. Toda essa sensibilidade de Mercúrio e Sol junto a Netuno expandem e aumentam a criatividade e a inventividade, favorecendo principalmente a artistas e criativos, mas de modo geral, a todos que queiram ter uma abordagem mais fértil e menos ortodoxa da vida.

Ho Jun di – Reprodução

O Sol também está em conjunção a Netuno o que significa que o altruísmo está em alta porque a empatia também está aumentada: sentimos os problemas alheios como se fossem nossos e genuinamente queremos ajudar, ficando até meio deprimidos se não o conseguimos. Todavia, é necessário cautela dobrada com idealismos excessivos (inclusive a respeito de si mesmo, os auto-enganos) não podemos esquecer que as pessoas continuam sendo humanas e sujeitas a falhas! Por outro lado, como já disse semana passada, os planetas de Peixes podem suavizar um pouco os bate-bocas e destemperos provocados pela T-Square Cardinal, já que trazem sensibilidade, empatia, flexibilidade, gentileza e a possibilidade de relevar muita coisa, até pela falta de ânimo que Peixes tem de se engajar em certas disputas, mas também porque tende a pensar no benefício do todo e a ter menos investimento nas questões egoicas – estou falando de Peixes positivo! No aspecto negativo, podemos vender para nós mesmos a imagem da abnegação e do desinteresse nas questões do ego, mas inconscientemente estar completamente investidos em garantir nosso próprio quinhão, seja a que custo for e ainda enganando a nós mesmos quanto às nossas motivações – autoconhecimento vale ouro aqui! A conjunção de Sol e Mercúrio a Netuno também pode trazer desânimo diantes das muitas agruras e da sordidez que vemos no mundo e sentimos um cansaço imenso de ter que lidar com as mesmas questões de novo e de novo… E, ao invés de lidar com os problemas diretamente, podemos nos dispersar em fantasias, devaneios, procrastinando nas atividades, desperdiçando tempo, energia, oportunidades, o que pode abater a autoestima porque o respeito próprio vai por água abaixo, junto com o tempo escoado pelo ralo – particularmente num céu que tem pouca energia fixa. Essa combinação Sol-Mercúrio-Netuno mais a T-Square Lua/Urano/Marte x Júpiter x Plutão também pode se manifestar em situações em que um lado é uma vítima ingênua, poderia se dizer, sacrificial, e o outro é o perpretador da violência implacável e podemos descobrir esses dois lados habitando e conflituando dentro de nós, como assisti-los manifestados no mundo exterior. Conselho prático: com todo esse fogo ativado nos céus, Marte conjunto a Urano e em oposição a Júpiter e ainda essa conjunção Sol-Netuno-Mercúrio, e quase nenhuma Terra, é mais que aconselhável evitar álcool e drogas em geral porque não temos nenhum senso de limites e estamos predispostos a exagerar e a perder a noção completamente – hashtag SemNoção – e no dia seguinte não se sabe se ter amnésia alcóolica é bênção ou maldição – isso se coisas mais graves não acontecerem! Num cenário assim, “acidente” não é acidente, é irresponsabilidade e até crime.

Dreamstime – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 27 de fevereiro – Marte está em oposição exata a Júpiter, que também está bem perto de fazer a segunda oposição a Urano… É fogo contra fogo! A Lua está renovada em Peixes e se harmoniza com Plutão, faz conjunção a Kíron, quincúncio a Júpiter e quadratura a Saturno, ficando vazia depois, às 20h09min. Esse é um dia de excessos e extravagâncias! Exageramos na ênfase que damos ao que estamos fazendo, talvez colocando energia demais e nos desgastando desnecessariamente – quem sabe até colocando a saúde em risco; talvez metendo os pés pelas mãos e fazendo alguma tolice da qual nos arrependemos depois, apostando todas as fichas em algo sem ponderar adequadamente, correndo riscos mal calculados… O certo é que há muita energia, mas talvez não saibamos bem o que fazer com ela e se esse for o caso, podemos nos pegar nos exaltando em alguma situação em que sentimos que precisamos nos impor, batendo o pé arrogantemente e insistindo que sabemos mais e melhor, que podemos e acontecemos… O balão está inflado, mas é preciso cautela porque quanto mais inflado, mais sensível a agulhas, espinhos e afins, que podem aparecer de lugares insuspeitos… Talvez nossa arrogância mascare alguma insegurança quanto às nossas reais capacidades, mas o certo é que precisamos estar conscientes de nossas ações e daquilo que estamos realizando ou tentando realizar e, principalmente, estarmos cientes das razões para fazê-lo. Também precisamos lembrar que não é todo dia que estamos “com a bola toda” portanto, nada de sair pisando nos calos dos outros só porque podemos fazê-lo! Afinal, o mundo dá voltas – oh! se dá! E nada de querer abraçar o mundo com as pernas, porque logo poderemos descobrir que prometemos mais do que damos conta de entregar! Em vez disso, podemos realizar muita coisa positiva com todo esse vigor e entusiasmo de que dispomos por esses dias, SE soubermos nos ater aos nossos limites humanos e pessoais e buscar transpor tais limites (aqueles passíveis de serem superados) de forma inteligente e perspicaz, sem achar que precisamos patrolar todo mundo no processo. Então, se soubermos tirar proveito, podemos nos afinar com oportunidades de ouro de nos expandir realmente, de progredir em áreas em vínhamos patinando sem sucesso. Mas isso requer pé no chão, respeito aos limites nossos e dos outros, respeito às leis da Física – esse trânsito nos deixa propensos a acidentes idiotas – e atenção cuidadosa em tudo o que formos fazer. É um ótimo dia para nos conscientizar de nossas próprias limitações, nos conscientizar de crenças ultrapassadas e que não fazem mais nenhum sentido para nós, embora continuemos repetindo a ladainha herdada da família, de grupos, de amigos, etc… Ser honestos e identificar, realmente, o que é que nos prende e nos restringe e nos comprometermos com nossa própria liberação e independência – e lembrar que o mundo não foi feito em um único dia! Se conseguimos manter a cabeça no lugar, podemos inclusive ser bafejados pela boa sorte de maneiras completamente inesperadas, caso estejamos sintonizados com a intuição e com o tempo certo das coisas!

Do tumblr – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 28 de fevereiro – A Lua está fora de curso em Peixes na primeira hora do dia, mas ingressa em Áries à 01h53min, onde faz conjunção a Vênus. Marte acelera o passo para conversar com Saturno, mas ainda está bastante esquentado, enquanto o Sol já bate na porta de Netuno. A Lua está nova e super impulsiva e o trânsito por Áries salienta mais essa qualidade, de modo que nos próximos dias precisamos segurar as rédeas da pequena selvagem dando cabeçadas dentro de nós. A conjunção da Lua a Vênus talvez suavize um pouco esse lado impulsivo, contudo, ainda há muita imprevisibilidade no ar, já que Urano está muito ativo e essa Vênus prestes a mudar de direção, o que altera sua forma de expressão, além de estarem ambas em quadratura a Plutão. De fato, os instintos estão muito aguçados e demandam esforço hercúleo contê-los porque a via natural seria soltar as rédeas e dar livre curso a tais ímpetos, mas o dia pede que nos preparemos para amanhã, quando teremos desafios maiores pela frente, de modo que hoje, se for possível, seria bom já ir pensando em quais desafios vamos abraçar e quais não valem mesmo o esforço. Contenção é diferente de supressão ou mesmo repressão. A repressão ou supressão dessas energias voláteis pode ser perigosa porque ela pode implodir dentro de nós e causar muitos estragos, inclusive para a saúde. A contenção se dá quando vemos e reconhecemos as tensões, ficamos cientes delas, mas não permitimos que nos controlem, nem as atuamos de maneira errática ou inconsciente, pelo contrário, tomamos decisões maduras e claras a respeito das situações. Podemos fazer alongamentos para relaxar um pouco a tensão física e podemos ainda fazer alguma atividade física que não implique grandes riscos, como uma boa caminhada, que permita transpirar a ansiedade, e canalizar a energia de alta voltagem que circula pelas veias e músculos. Vale a pena olhar para o céu do entardecer para ver a última conjunção Lua-Vênus neste horário. Depois da retrogradação Vênus passará a aparecer com a Estrela Dalva, Estela da Manhã e para vê-la, só madrugando mesmo!

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 1° de março – De Áries a Lua faz quadratura a Plutão, conjunção a Urano e a Marte e oposição a Júpiter, incendiando de vez os humores e as cabeças. A Lua ainda faz trígono a Saturno e semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. A conjunção Sol-Netuno ficando exata na última hora do dia talvez ajude a aplacar muitas disputas e jogar água na fervura. O dia está explosivo: há grande necessidade de ação e movimento e a Lua Ariana conjunta a Marte e a Urano adiciona mais fogo à impulsividade reinante de modo que nos sentimos como um vulcão entrando em erupção e assim também fica o clima geral! Emoções intensas, obstinação, ações impensadas, disputas de ego e humor para lá de abrasivo deixam a todos com a sensação de estar à sombra do vulcão cuspindo fogo e fumaça tóxica. Tóxicas podem ficar as relações com tal clima belicoso, portanto, é necessário prudência nas ações e nas iniciativas tomadas: é preciso ter moderação em tudo o que fizermos hoje e canalizarmos a energia intensa e turbulenta de transformação em realizações criativas, buscando mudar e transformar a nós mesmos e nossos vícios e problemas, ao invés de bater de frente com outros. O Sol conjunto a Netuno nos convida a sonhar e dar vazão à nossa criatividade e toda a energia cardinal ativada propicia que realmente  façamos algo produtivo com essa imaginação e sensibilidade, em lugar de ficar só viajando pelo mundo da Lua. Positivamente, Sol-Netuno também podem trazer um pouco de doçura, pacificidade e compreensão do outro. Por outro lado, como estamos também muito suscetíveis e impressionáveis, podemos nos contaminar e intoxicar com o clima carregado e hostil, sentindo-nos perdidos, paralizados, massacrados, expondo-nos à brutalidade de outros. Talvez também teçamos fantasias de que as coisas melhorem por si só, se apenas ficarmos quietinhos e invisíveis no nosso canto… Mas isso é ilusão! Crescer pressupõe “entender que nada em nossa vida acontece sem a nossa participação efetiva. É deixar a ingenuidade de que o mundo possa melhorar sem que façamos nossa parte” (Ilda Baddauhy) e este é o nosso maior desafio: fazer a nossa parte de maneira criativa, construtiva, utilizando as fortes energias a nosso favor e não contra nós ou contra quem quer que seja!

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 2 de março – Júpiter, retrógrado em Libra, faz oposição exata a Urano hoje, que está direto (na primeira vez que ocorreu esse aspecto, Urano estava retrógrado e Júpiter direto), oposição que fica partil por algumas horas, no fim do dia. O Sol em Peixes segue conjunto a Netuno, enquanto a Lua abre o dia vazia em Áries. Ingressa em Touro às 04h43min e logo faz sextil a Mercúrio. Fecha a noite também harmonizada a Netuno, aspecto exato amanhã. Os movimentos liberatórios aventados ou iniciados no fim de dezembro agora sofrem uma revisão importante quando precisamos avaliar se de fato nos liberamos do que nos cerceava ou apenas tomamos medidas paliativas. Estamos empenhados em reformar a vida e o mundo exterior, mas é preciso estar cientes de que primeiro é necessário uma reforma interna, uma reforma individual que inclua mudanças não só das atitude, mas principalmente das crenças, convicções e princípios que norteiam tais atitudes. Positivamente, o dia traz influências que dão ancoragem, bom senso e pragmatismo para lidarmos com isso de forma direta e responsável… Por outro lado, talvez tentemos ganhar tempo e protelar as coisas mais um pouco, por receio de abrir mão das comodidades e apegos que viemos acumulando ao longo do tempo. Mas a transição precisa ser feita e quanto mais adiarmos, mais difícil poderá ser. O que precisamos é refinar nosso timing para saber a hora de agir, porque em algumas situações, se agirmos rápido demais, poderemos nos precipitar e por tudo a perder e, ao mesmo tempo, se deixarmos o tempo passar, poderemos perder ótimas oportunidades de desenvolvimento e melhorias.  Em certos momentos precisaremos agir imediatamente e em outros, será melhor esperar. Como diferenciar e ter esse timing correto? Estando conectados com nosso relógio interno, com a intuição e o centro de nós mesmos. De qualquer forma, se nos colocamos no caminho com perseverança, confiando neste centro e dispostos a abrir nossos horizontes mentais, saberemos o que, quando e como fazer!

Brooke shaden Photography – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 3 de março – A Lua Taurina conversa placidamente com Netuno e com o Sol em Peixes e depois mais intensamente, com Plutão em Capricórnio, aspecto depois do qual fica vazia, às 12h22min. Mais tarde Dona Lua se afina com Kíron e os dois estão indispostos com Júpiter, tornando este foco de um Yod-Dedo de Deus. O dia traz a oportunidade de percebermos com mais clareza a natureza dos nossos sentimentos e de expressá-los mais adequada e criativamente, podendo até mesmo ajudar a outros de maneira prática e arrazoada, sem contudo perder o feeling e a capacidade de entender as motivações mais profundas, tanto as nossas quanto as de outros com quem interagimos. Essa criatividade hoje se mostra mais funcional e pé no chão, de modo que podemos encontrar saídas para nossos dilemas com uma boa dose de bom senso, mesclado com muita sensibilidade. Em alguns momentos pode ser que duvidemos do nosso discernimento e da capacidade de realizar as escolhas, mas talvez olhar as dificuldades de outros possa nos ajudar a aceitar nossas próprias contradições e idiossincrasias, sem precisarmos ser tão severos no julgamento. De qualquer maneira, ainda precisamos ter alguma vigilância quanto a certas inseguranças ou dificuldade de pesar apropriadamente o potencial das coisas, o que pode levar a atitudes impensadas e irracionais. A tarde traz um tempo propício a empreender uma regeneração silenciosa e tranquila, caso saibamos usar o tempo e os recursos sabiamente, cessando as ações objetivas e permitindo-se ser e estar, sem a obrigatoriedade do fazer mecânico e indistinto. Quem puder começar o fim de semana mais cedo que o faça porque a tarde de sexta está mais propensa ao descanso e à contemplação do que às iniciativas de natureza determinada e concreta. Anoite de sexta pede programas comedidos e mais caseiros e talvez nos vejamos até indo para a cama mais cedo.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SÁBADO, 4 de março – A Lua está vazia em Touro, tornando o sono mais profundo e repousante. Ingressa em Gêmeos às 07h06min e fica algumas horas sem conversar com os demais corpos celestes – algo difícil para Gêmeos – fazendo apenas oposição a Lilith e quadratura ao eixo nodal. Fecha a noite já em quadratura a Netuno. Vênus estaciona às 06h09min, a 13°07’ de Áries. Depois de uma semana bastante intensa e super agitada, o sono restaurador nos permite revigorar as energias e o ânimo. Acordamos com a corda toda, revitalizados e querendo interagir com o mundo ao redor, buscando estímulos mentais no ambiente… Contudo, a sensação é de estarmos isolados porque não conseguimos conexão efetiva com outros, de modo que isso pode resultar em inquietude, ansiedade e oscilações vertiginosas de humor, podendo nos levar a sentir um humor bastante sombrio apenas minutos depois de estarmos leves animados. Talvez seja o contrário: pode ser que nos deparemos com outras pessoas que querem permanecer na quietude tranquila e meditativa e quando as interrompemos em sua contemplação elas se indispõem contra nós. Os contatos e interações nas relações são sentidos de forma mais aguda e intensa e é possível que nos demos conta de algum padrão que se repete nessas relações e que só agora fica claro para nós. Sombras de nós mesmos que surgem do inconsciente, prontas para serem trazidas à luz, ou, melhor dizendo, prontas para nos levarem numa jornada ao Mundo Inferior do nosso próprio coração e dos nossos afetos mais profundos.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

DOMINGO, 5 de março – Vênus entra em retrogradação às 06h09min e ficará retrógrada até 15 de abril, voltando aé o grau 26° de Peixes. A Lua Geminiana tem uma conversa super tensa e confusa com Netuno e com Mercúrio em Peixes e também faz quadratura ao Sol, oficializando a fase do Quarto Crescente. A Lua ainda dialoga animada com Vênus, briga com Plutão e se afina lindamente com Júpiter e Urano. Fecha a noite e a semana em oposição a Saturno em Sagitário. O domingo está super agitado e nos vemos puxados para inúmeras atividades, algumas das quais, apesar do estímulo que propiciam, acabam por nos deixar meio cansados e irritados. Há conflitos internos entre as necessidades e instintos e a consciência e ficamos indecisos sobre qual dos dois seguir e a despeito de toda a atividade mental e do impulso para interagir com o ambiente, uma outra parte de nós deseja calma e sossego e talvez seja mesmo uma boa ideia ficar um pouco quietos, ao invés de pululando por aí, até que tenhamos noção da origem de tais conflitos e possamos achar maneiras de conciliá-los. O Quarto Crescente ocorre no ângulo Gêmeos-Peixes, sugerindo que precisamos filtrar os sonhos e fantasias da Lua Nova e torná-los mais objetivos e claros, não uma névoa difusa de desejos e esperanças confusos, mas uma ideia límpida de quais sonhos podem se tornar planos realizáveis.

Uma ótima semana para você! Que seja de luz e discernimento!

Reprodução
Reprodução

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Peixes – Do Caos à Criação

Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução
Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua foi cheia nesta sexta-feira, dia 16 de setembro, às 16h04min de Brasília e às 20h04min para Lisboa, culminando o ciclo iniciado na Lua Nova de Virgem. Ambas as lunações, da Lua Nova e da Lua Cheia, foram eclipses. O de hoje foi um Eclipse Penumbral Lunar. Num eclipse penumbral ou Apulse a Lua entra somente na penumbra da Terra e não na umbra/sombra, a parte mais escura, ou seja, o alinhamento não é perfeito. Este tipo eclipse acontece quando Sol e Lua estão a mais de 12 graus de distância dos nodos. Para entender a dinâmica e significados de eclipses em geral leia este texto.

Eclipse Lunar - Birth Chart Paiting - Reprodução
Eclipse Lunar – Birth Chart Paiting – Reprodução

Este eclipse fecha a segunda temporada de eclipses do ano e, de certa forma, sinaliza o esmaecimento de um período denso e tenso que já dura muitos meses. De agora em diante a tendência é termos um pouco mais de calmaria do que temos tido ultimamente. É uma lunação e eclipse bastante tenso e melindroso. Lua e Sol se opõe no eixo Virgem-Peixes, a Lua em conjunção a Quíron e todos eles fazendo quadratura a Marte em Sagitário, que fica encurralado e espremido, como foco de uma T-Square Mutável.

Eclipse Lunar em Peixes - 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min
Eclipse Lunar em Peixes – 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min

A Lua, conjunta a Quíron já sugere muitos melindres, feridas dolorosas e muita sensibilidade ao sofrimento, pessoal ou coletivo. É um posicionamento que tende a nos deixar em carne viva, sentindo-nos emocionalmente expostos e vulneráveis. Como naquela canção do Roberto:

Acabei com tudo
Escapei com vida
Tive as roupas e os sonhos
Rasgados na minha saída

Mas saí ferido
Sufocando o meu gemido
Fui o alvo perfeito
Muitas vezes no peito atingido

Animal arisco
Domesticado esquece o risco
Me deixei enganar
E até me levar por você

Eu sei quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
Eu sei, o coração perdoa
Mas não esquece à toa
O que eu não me esqueci

Eu andei demais
Não olhei pra trás
Era solta em meus passos
Bicho livre, sem rumo, sem laços

Me senti sozinha
Tropeçando em meu caminho
À procura de abrigo
Uma ajuda, um lugar, um amigo

Animal ferido
Por instinto decidido
Os meus passos desfiz
Tentativa infeliz de esquecer

Eu sei que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
Eu sei, as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
O que eu não me esqueci

Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo na alma e no coração

(aqui eu discordo do autor: insistir em não mudar é o pior que podemos fazer!)

Pois é, essa música vem ilustrar bem os temas de Lua-Quíron; Marte-Quíron e Sol-Quíron: “sou fera ferida, no corpo na alma e no coração!”. Sim, as quadraturas a Marte tornam tudo muito volátil e agora, além de nos sentir expostos, ficamos defensivos e espinhosos, receando qualquer um que se aproxime um pouco mais, como a fera ferida de que fala a canção. Marte nessa posição fica meio encurralado e tende a enrijecer em suas convicções, tornar-se inflamado, fanático e extremista. Quanto mais me atacam ou duvidam da minha fé ou convicção, tanto mais eu me enrijeço nelas. Nesse sentido, temos propensão a conflitos que terminam com mágoas ainda maiores, caso alguém não ceda e perceba que outro está atacando como estratégia de defesa. Mas Quíron também nos fala do potencial de cura, a partir da aceitação de nossas limitações, das nossas misérias e fealdades humanas, e porque sabemos o quanto a dor é crua, desenvolvemos empatia pelos outros. Então, há potencial para choro, mas também para conforto e muito consolo, além de cura.

Júpiter em Loibra - Birth Chart Painting - Reprodução
Júpiter em Loibra – Birth Chart Painting – Reprodução

O regente tradicional da Lua Cheia, Júpiter, acabou de se mudar para Libra, um signo muito mais confortável e condizente com a natureza de Júpiter do que o signo anterior, Virgem. Júpiter ainda se afasta da quadratura fora de signo recebida de Marte, mas de modo geral, está em melhores condições agora, sugerindo que busquemos o significado de toda essa dor e raiva, que encontremos o sentido, mesmo que no momento o caos pareça imperar. Libra também sugere a necessidade de equilíbrio, de encontrarmos a exata medida das coisas, e que demos o benefício da dúvida ao nosso opositor/interlocutor. Sendo um signo de relacionamentos, o regente da Lua em Libra indica este tema também é enfatizado nesta lunação. O dispositor moderno de Peixes, Netuno, está numa situação mais desconfortável: recebendo a quadratura de Saturno, da qual já falamos muito em textos anteriores, indicando que devemos abrir mão das ilusões traiçoeiras e viver a partir da verdade.

Reprodução
Reprodução

A Lua Cheia se dá em conjunção ao Nodo Sul, o que sugere a necessidade de liberação, de soltar e abrir mão daquelas fantasias rançosas de que alguém venha tomar conta de nós ou a da tendência de escorregarmos para comportamentos caóticos e infantis… Considerando-se que Peixes é o último signos do zodíaco, associado a fins e conclusões, a Lua Cheia de fato favorece que deixemos ir tudo aquilo que já não serve mais, que nos livremos do lixo psíquico, emocional e até mesmo do lixo literal e físico que mantemos nos nossos armários e casas.

Série Saros 147 - 02 de julho de 1890, 14h08min.
Série Saros 147 – 02 de julho de 1890, 14h08min.

Esse eclipse faz parte da Série Saros 147, que se iniciou em 2 de julho de 1890, às 14h08min GMT. É interessante notar que no mapa do primeiro eclipse da série, temos novamente uma quadratura Saturno-Netuno, também no eixo mutável, só que dessa vez, Saturno está em Virgem e Netuno em Gêmeos e a quadratura é crescente e não minguante – Saturno trafegando atualmente por Sagitário faz oposição a Netuno deste mapa. Netuno está em conjunção a Plutão. Então, é um ciclo importante começando. Outra “coincidência” é Marte estar retrógrado no fim de Escorpião, uma retrogradação que começou também em Sagitário, muito similar àquela que tivemos recentemente. Mais: Marte está em quadratura a Saturno e oposição a Netuno, formando uma T-Square mutável cujos temas são muito parecidos com os que temos vivenciados nos últimos meses – não, definitivamente, não é coincidência! Outra coisa interessante é o fato de Urano estar transitando o terceiro decanato de Libra, em oposição ao Urano atual, que percorre o terceiro decanato de Áries – quer dizer, realmente, uma Série Saros vai repercutir seus temas em todos os eventos da série. Neste mapa também vemos que a Lua é o ponto médio entre Vênus e a conjunção Plutão-Netuno, apontando que as emoções e sentimentos são intensos, de modo que mudamos de humor e reações rapidamente, vertiginosamente, fazendo tempestades em copos d’água, ficando suscetíveis e voláteis facilmente, o que nos leva a atitudes extremistas e desvairadas – uma influência que reafirma a configuração Lua/Quíron x Sol x Marte. Entretanto, a Lua também é o ponto médio entre Quíron e o Nodo Norte, e isso, por sua vez, sugere que sim, para curar é preciso sentir, mesmo os sentimentos e emoções mais perturbadores e desconcertantes, porque a vida só tem sentido, quando nos permitimos sentir. Analisar é fácil, pensar é óbvio, mas sentir… Sentir, sentir realmente, é só para os muito corajosos! Quando falo de sentir, não me refiro a atuar os sentimentos desvairados e usá-los como desculpas para atitudes tresloucadas com relação aos outros e a si mesmo. Sentir profundamente, sabendo conter as reações instintivas e automáticas da fera ferida, ao invés de se derramar indiscriminadamente no mundo lá fora. Quando nos permitimos sentir plenamente a dor, o luto, a raiva, ou qualquer que seja o sentimento, sem atuá-los, temos maior possibilidade de processá-los e digeri-los mais diligentemente e, consequentemente, de nos liberarmos mais rapidamente também. O grande desafio é, pois, sentir toda essa gama de sensações e emoções caóticas e intensas sem se afogar nelas, sem se destruir ou se deixar esmagar por elas. Mas a cura vem pelo sentir. Intenso, visceral, inescapável. Sentir.

Colors of the Mind series. Visually attractive backdrop made of elements of human face and colorful abstract shapes suitable as element for layouts on mind reason thought emotion and spirituality
Reprodução

Peixes é um signo de grande abertura e sensibilidade, portanto, uma Lua Cheia ocorrendo neste signo também é propícia à conclusão de projetos criativos e artísticos e a canalizarmos toda a enxurrada de sentimentos na arte, seja na pintura, na escrita, na música, na dança ou em qualquer outro veículo criativo. Está triste? Cante essa tristeza! Está zangado? Dance essa raiva! Está confuso? Pinte essa confusão! Está saudoso? Poetize essa saudade/nostalgia! E assim por diante. A ideia é traduzir para alguma linguagem inteligível aquilo que o coração não consegue exprimir em meras palavras. Peixes, aliás, representa o caldeirão de conteúdos do inconsciente coletivo de onde podemos pescar toda a sorte de inspiração; é o líquido amniótico que é altamente condutor de eletricidade e excepcionalmente nutritivo; o caos primordial que dá origem à vida, à própria criação, por isso, se nos sintonizamos com as vibrações mais positivas dessa lunação, podemos expressar o manancial de sentimentos caóticos através da infinita criatividade. A arte, em todas as suas formas, também é um canal de cura, que o digam todos os artistas célebres que expressaram seus dilemas e dores através de muitas pinceladas, através obras primas musicais ou literárias. Nilse da Silveira é outra prova do efeito terapêutico da arte na cura dos males e dores da alma. Ponto de atenção: não vale afogar as mágoas no copo ou no pó – porque aí, ao invés de melhorar, piora tudo! Peixes já é propenso ao escapismo, portanto, é melhor não apelar para isso nas próximas duas semanas!

Animação que mostra as fases de um eclipse lunar - Reprodução do Wikipedia
Animação que mostra as fases de um eclipse lunar – Reprodução do Wikipedia

Assim, a Lua Cheia e o eclipse Lunar em Peixes alertam para o risco dos emocionalismos vazios, para o fanatismo e os conflitos egoicos; para a abertura de velhas feridas; alerta para situações de caos e tsunamis emocionais, mas que podem ser conduzidas criativamente se tivermos um mínimo de maturidade e contenção. Todavia, o eclipse também traz potencial de curarmos muitas das dificuldades que carregamos há tanto tempo, no que tange ao gerenciamento das emoções – não, não precisamos nem devemos ser escravos delas! Sentir não quer dizer ficar à mercê dos sentimentos, mas aprender a honrá-los, respeitá-los, exatamente para não ficar à mercê deles. Portanto, apesar de toda a sensibilidade, fragilidade e dor indefinível que possamos sentir, precisamos nos alinhar com o potencial de cura, soltando e liberando qualquer apego que possamos ter ao sofrimento ou à situação de vítima merecedora da simpatia alheia. Porque a sensibilidade também é um tipo de fortaleza e não precisamos nos vitimar por causa dela.

Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico - Reprodução do site da Nasa
Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico – Reprodução do site da Nasa

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 19 e 30 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais “afetados” por este eclipse. Para ter uma ideia dos temas que eclipse aciona no seu mapa, verifique o que estava acontecendo no período anterior ou posterior a 16 de setembro de 1997, que foi a última vez que um eclipse caiu próximo desse grau de Peixes, e anterior ou posterior a 6 de setembro de 1998, que foi quando ocorreu o último evento da Série Saros 147. Verificando os eventos e temas acionados naqueles períodos, temos boas pistas de como este eclipse pode se manifestar para nós.

Desejo que essa lunação traga liberação e purificação, que possamos deixar ir tudo que nos atrapalha e fere, tudo de que já não precisamos mais!

Feliz Lua Cheia para você!

Kindra Nicole - Reprodução
Kindra Nicole – Reprodução
Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução
Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Semana Astrológica Enxergando a Realidade Como Ela é

balsamic buzzSemana de 29 de agosto a 04 de setembro: tempo de eliminar o velho para dar abertura ao novo; tempo de encarar a dura realidade e crescer com ela

Nesta semana o Sol percorre o caminho já trilhado por Mercúrio e Vênus e se defronta com o imbróglio Saturno-Netuno (o Sol faz quadratura a Saturno e oposição a Netuno), além de conflituar também, mais à frente, com Marte em Sagitário. É curioso que o Sol venha fazer aspectos a estes dois planetas exatamente uma semana antes da última quadratura exata entre eles, que se dará no dia 10 de setembro. É como se o Sol estivesse a iluminar poderosamente tudo o que esta configuração simboliza para nós, última chance de apreender seus sentidos e significados e fazer as devidas modificações ou soltar o que precisa ser soltado, especialmente porque o Sol faz quadratura exata a Saturno no mesmo dia em que é eclipsado pela Lua Lua Nova e Eclipse Anular Solar – Entenda melhor os significados gerais dos eclipses. O Astro Rei também se indispõe com Urano por sesqui-quadratura, sugerindo irritações e lapsos de incoerência que vêm e vão, mas que nos tiram o sossego, como algo que fica ali, na sombra do coração, a querer nos alertar, embora não consigamos lembrar em cheio do que se trata. Esse aspecto nos deixa predispostos a agir por impulso, a replicar de forma crítica e inconsciente, à ordem rígida em que estamos inseridos. O Sol também faz conjunção ao Nodo Norte que atualmente trafega Virgem, apontando o tempo dos eclipses. Mas o Sol também faz mais, ele traz a oportunidade de nos conscientizarmos uma vez mais sobre nosso destino e nossos propósitos maiores. Isso é particularmente válido para aquelas pessoas que têm o Nodo Norte em Virgem (e o Sul em Peixes), que estão vivenciando um Retorno Nodal, tendo a chance de se realinharem com seus propósitos e a direção de vida escolhida por sua alma para esta encarnação.

River Bank of Truth
River Bank of Truth

Mercúrio entra em retrogradação em Virgem no dia 30 de agosto. Nesta semana ele retorna e se abraça afetuosamente a Vênus e a Júpiter logo após estacionar e engatar a marcha a ré. Na verdade, ocorre um movimento interessante: Mercúrio fez conjunção a Vênus no dia 16 de julho, a 05° de Leão. Passou por ela bem afobado, na carreira… Agora no dia 29 ele estaciona e Vênus o ultrapassa – quase que lembra a estória da lebre e da tartaruga – Mercúrio ficando estacionário a apenas 20 minutos de distância de Vênus e a cerca de um grau e meio de Júpiter, um fato que eu acredito, seja bastante auspicioso para este ciclo de retrogradação, que se concluirá em trígono exato a Plutão, no dia 22 de setembro. Então, em termos gerais, está aberta a temporada trimestral de revisão de pensamentos, processos mentais, comunicação, conceitos, ideias e pontos de vista e opiniões. Especificamente em Virgem, a retrogradação convida a revisar nossa técnica e a maneira como exercemos o sagrado ofício do nosso trabalho. Leia mais sobre Mercúrio retrógrado em Virgem.

venusVênus, depois de ficar em queda por algumas semanas, ingressa em Libra, signo de sua dignidade. Em Libra Vênus traz presente o mito do seu nascimento, a partir do sêmen de Urano no mar. Urano é da primeira geração dos deuses gregos. Deitou-se com Gaia e nasceram os Titãs. Mas Urano, o Deus Celeste hiper idealista, rejeitou seus filhos, que ofendiam seu olhar reformador por serem excessivamente ctônicos e terrosos, imperfeitos como Gaia, a Mãe Terra. Então ele os prendeu no tártaro. Saturno, um dos seus filhos conspirou com sua mãe e uma noite, quando Urano veio se deitar com Gaia, Saturno o castrou com uma foice. Atirou os genitais ao mar e do sêmen nasceu Afrodite, a deusa do amor e da beleza. Do sangue que caiu na Terra nasceram as Fúrias. A Vênus Libriana é a própria Afrodite nascendo do sêmen Uraniano, da castração de um Deus Celeste que primava por ideais de Perfeição. Assim também é Vênus em Libra: sempre em busca do relacionamento perfeito, da parceria de perfeito equilíbrio. Nessa equação não necessariamente há amor. Há, sim, equidade, parceria, afinidades. Vênus em Libra tem senso estético apurado, sendo extremamente graciosa, refinada, classuda e muito sintonizada com as regras sociais e com aquilo que é aceitável. É apaixonada pela ideia da parceria, de ser um casal, talvez mais do que pela própria pessoa à sua frente, assim, nem sempre ela se relaciona com a pessoal real, mas sim com uma imagem que tem dessa pessoa, especialmente quando Netuno está presente. Seu senso de justiça também é muito acentuado e ela vai esperar que haja reciprocidade em absolutamente tudo, a ponto de às vezes se ter a impressão de que há uma conta corrente do dar-e-receber na relação. De fato, as relações laterias implicam equilíbrio no dar e receber, mas Vênus leva isso bem ao pé da letra e vai ficar esperando o retorno quando faz algo bom. Valoriza muito a paz, a harmonia e por causa disso tende a evitar confrontos, a ponto de parecer que carece de personalidade ou de caráter em algumas situações. É que Libra realmente tem essa capacidade de ver todos os ângulos de uma questão, mas essa tendência de evitar conflitos pode ter como resultado exatamente o oposto: ela acaba por se indispor com todos aqueles que tentou agradar, a todo custo. No fim, quando esses conflitos se tornam inevitáveis, Vênus em Libra pode ser tão ou mais feroz do que o pior dos Arianos: torna-se competitiva e vingativa – não esqueçamos que foi Afrodite quem iniciou a Guerra de Tróia! E aqui, nessa faceta menos nobre, ela encarna Hathor, a Deusa Egípcia da alegria, da maternidade, do feminino e da beleza, mas que virava uma guerreira sanguinária quando entrava em batalha – Vale lembrar também das Fúrias, que nasceram do mesmo evento que deu origem a Afrodite. Vênus em Libra precisa aprender a valorizar-se, independentemente do olhar do outro e precisa aprender a ver o outro como ele realmente é, para além da possibilidade de ser um parceiro afetivo. Esse posicionamento confere também gosto refinado e olhar clínico para coisas de valor, gosto para a arte, a música e também para as leis, além de grande senso de justiça.

Annibale Carracci - Júpiter e Juno
Annibale Carracci – Júpiter e Juno

Marte já ganhou velocidade e vai gradativamente se separando a passos largos de Saturno. Agora ele se prepara para confrontar Quíron, movimento que ocorre em algumas semanas. Enquanto isso, vamos fortalecendo nossa vontade e recuperando nosso senso de potência. Júpiter, por outro lado, chega ao fim de Virgem e se despede do signo de sua debilidade. Certamente ele estará bem mais confortável em Libra, já que Libra é um signo que prima também pela justiça, um tema que está sob a alçada de Júpiter. E se em Virgem a justiça e expansão Jupiterianas acontecem por meio das coisas pequenas e prosaicas, concretas e palpáveis, em Libra isso se dá através de conceitos mais refinados e abstratos, através da civilidade e da capacidade de viver em sociedade e respeitar as regras do convívio social. Em Libra Júpiter também favorece os casamentos, já que este é o signo das uniões oficiais, o que nos lembra da união de Júpiter e Juno, sua parceira oficial com quem ele vivia em pé de guerra, devido às suas infinitas escapadas e traições, ás quais Juno/Hera não perdoava. Júpiter ingressa em Libra no dia 09 de setembro, onde fica até 10 de outubro de 2017.

eclipse milky way
Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica em Câncer. Finaliza o ciclo em Leão e se renova em Virgem, na quinta-feira, numa Lunação que é também Eclipse Total do Sol e que vem nos desafiar a deixar de vez o passado para trás e a olhar para o futuro, para o Norte das nossas aspirações, para o Norte do nosso desenvolvimento.

Brooke Shaden Photography - Reprodução
Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 29 de agosto – Mercúrio estaciona às 10h03min, a 29°01’ de Virgem para entrar em retrogradação, enquadrado por Júpiter e Vênus, os dois Benéficos. Vênus, que tinha recebido a conjunção de Mercúrio em 16 de julho, agora o ultrapassa em direção a Libra e faz uma conjunção meio reversa, em que é Vênus quem vai ao encontro dele. A Lua está Balsâmica em Câncer e se harmoniza com Júpiter, Mercúrio e Vênus em Virgem, ficando vazia depois do contato com Mercúrio, às 03h24min. A Lua ainda se desafina com Marte e ingressa em Leão às 05h12min, de onde faz trígono a Saturno já à noite. Vênus ingressa em Libra às 23h07min, onde ficará até o dia 23 de setembro. O dia traz uma harmonia calma ou uma calma harmônica, mas é uma calma talvez enganosa, porque intuímos que é apenas uma trégua temporária, que nos permite respirar um pouco antes do próximo round – esta semana tem Eclipse Total do Sol! Paramos e olhamos ao redor para identificar onde estamos, para guardar na memória detalhes que funcionem como pontos de referência, um tipo de mapeamento – ou talvez, como João e Maria, saímos deixando pistas na trilha, para conseguir encontrar o caminho de volta. Temos, pois, uma influência favorável para começar a semana de maneira organizada, coesa e estruturada; para fazer nossos back-ups e check-ups e para analisar, pausadamente, o que é que precisa mais da nossa atenção e que tenta atraí-la de forma gritante. O dia traz insights claros e muito lúcidos sobre o que precisamos fazer e onde precisamos ir, qual é o próximo passo, subir ou descer. Revisão de ideias, caminhos, tarefas e métodos estão na lista. É como uma voz que grita: “para tudo!” E nós paramos para ouvi-la, porque vale a pena escutar! Essa é a voz interna, poderosa, nítida e lúcida. A voz da sabedoria, ancestral, arcaica… A voz da Lua Balsâmica olhando para o futuro: o que nos espera? Meditamos e contemplamos no silêncio do nosso coração e decidimos que não vamos esperar que nada aconteça a nós – nós é que iremos acontecer ao que quer que encontremos pelo caminho! Não desperdice essa vibe!

Catrin Welz-Stein - Reprodução
Catrin Welz-Stein – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 30 de agosto – De Leão, a Lua Balsâmica se desentende com Netuno em Peixes e com Plutão em Capricórnio, mas se afina com Marte em Sagitário, fechando a noite em trígono a Urano e quincunce a Quíron. Mercúrio está oficialmente retrógrado a partir das 10h03min. Um dia de contradições profundas e desconcertantes. Queremos brilhar e chamar a atenção para nossos feitos, mas algo parece estar fora de lugar, porque não parece legítimo e nos vemos pressionados internamente a ceder o holofote ou a atenção para alguém mais, o que nos deixa ressentidos e inseguros internamente. Mas, longe de isso nos fazer parar, talvez resolvamos encarnar a prima-dona e encenar grandes dramas no melhor estilo “falem mal, mas falem de mim”, até que a ficha caia e percebamos que nos enredamos numa teia intricada e difícil de desemaranhar, o que nos deixa meio tímidos e desengonçados, porque nos sentimos agudamente expostos. Sim, comportamento meio infantil, mas que é iluminado para ser eliminado. Contudo, fazemos melhor se utilizamos todas essas energias e influências para uma autorreflexão, para iluminar nossos próprios processos e proceder com as devidas finalizações e conclusões, ao invés de investir nos dramas desnecessários. Podemos nos sintonizar com uma reserva de autoconfiança e motivação, para concluir pendências de modo satisfatório, que trazem um senso de realização concreta pela coisa em si, como também pela liberação que a conclusão traz. E então concentramos grande energia e vigor nesse intento. Mas precisamos de atenção, porque, se antes era a insegurança, agora é a obsessividade pode nos fazer perder em objetividade e quando vemos, não sabemos mais porque nos lançamos com tanto empenho em todas essas situações – será que estamos ritualizando outras conclusões além daqueles visíveis diante de nós? Se assim for, talvez a ideia até seja válida, mas ainda é preciso ter consciência e clareza de porquê o fazemos. Bom senso é fundamental! O dia pede alguma cautela porque há necessidade de contenção e de se poupar energias para a próxima etapa. É inútil fazer investimentos grandiosos, além do estritamente necessário, porque a terra descansa, é inverno, os dias são propícios ao recolhimento e à limpeza. Lembremos disso antes de nos empenharmos em ideias afoitas que talvez não levem a lugar nenhum. É mais útil eliminar aquilo que não serve mais, abrindo espaço para o novo entrar.

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 31 de agosto – A Lua Leonina e Balsâmica formaliza o quincunce a Quíron e o trígono a Urano, ficando vazia logo depois, à 01h20min. Ingressa em Virgem somente às 12h22min e faz apenas uma sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio, aproximando-se aos poucos depois da conjunção ao Sol, que está em sesqui-quadratura plena a Urano. A Lua olha mais profundamente para o futuro e os nossos sonhos podem trazer visões e presságios poderosos nesta noite. Que mudanças precisamos fazer em nós mesmos, nossas atitudes e comportamentos que ainda não ficaram claros até aqui? Que parte dessa criança que nós somos precisa ser deixada para trás? Certamente aquela parte birrenta e irascível, a parte que gosta de se quedar vítima do sofrimento – criado por nós mesmos – e das próprias queixas lamuriosas. Quando é possível, a mudança deve ser providenciada; quando não é, a situação deve ser aceita, com humildade e maturidade, do contrário, nossa vida fica miserável e vai parecer sempre fora do nosso controle. Assim, o dia traz essas visões de futuros possíveis a partir das muitas possibilidades de mudanças, mudanças empreendidas por nós, madura e consistentemente. Entretanto, precisamos estar cientes de nossas contradições internas no que tange ao comprometimento que empenhamos nos nossos objetivos – será que são mesmo esses objetivos que alimentam o nosso coração? – do contrário, quando menos esperamos resolvemos chutar o balde num rasgo de autossabotagem que põe tudo a perder no momento crucial. A manhã fica propícia a essas reflexões e às elucubrações sobre como manifestar os potenciais criativos no próximo ciclo; já a tarde fica mais industriosa e prática, de modo que procedemos com as últimos limpezas e aragem do terreno onde lançaremos a rica semeadura dos nossos sonhos e projetos na Lua Nova de Virgem.

Eclipse Anelar do Sol - Reprodução
Eclipse Anelar do Sol – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 1° de setembro – A Lua faz conjunção ao Sol a 09°21’ de Virgem, às 06h03min, num Eclipse Anelar do Sol – que é também total, mas como a Lua está muito distante do Sol, temos um anel ao redor do eclipse. O eclipse ocorre em quadratura de menos de um grau a Saturno – o Sol está em quadratura exata a ele hoje – e oposição muito próxima a Netuno e quadratura mais ampla a Marte. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a Urano e trígono a Plutão e estes aspectos também são importantes nesta Lua Nova. Um eclipse que vem jogar ênfase sobre a quadratura pesada e dolorosa de Saturno e Netuno, que perdura nos céus desde 2014 é tudo o que precisávamos para fechar com chave de ouro essa configuração. Um novo ciclo é inaugurado, em que precisamos nos sincronizar com a ordem da natureza, que traz intrínseca em si a semente do caos e da desconstrução das verdades nebulosas, que nem sempre são condizentes com a realidade.

Tiia Reijonen on Behance - Reprodução
Tiia Reijonen on Behance – Reprodução

Este eclipse fala de deixar para trás as ilusões infantis e de encarar a realidade como ela é. De abrir bem os olhos e ver. Ver com os olhos físicos, com os olhos da alma, com os olhos da intuição, com os olhos internos que enxergam mais longe e que só estiveram fechados porque assim nos escolhemos. Abrimos os olhos e vemos a luz excruciante da verdade de dilacera nossa visão. E abrimos os ouvidos. E  ficha cai, finalmente. E cai de forma estridente, a tinir no tímpano dolorosamente. Esse momento de cair na real pode ser muito duro, porque os véus são descerrados e podemos finalmente ver o que antes eram apenas borrões obscuros. Infelizmente, o que vemos não é nada agradável, mas talvez seja tarde demais para voltar atrás, porque o leite já se derramou e não há retorno. Contudo, há aprendizados que, embora sejam duros como sopapos bem dados no meio das nossas fuças, são bastante válidos e talvez agora aprendamos a dura lição. É preciso deixar as ilusões tolas e o passado fossilizado e oco para trás e inaugurar uma vida nova de cara limpa. Por mais difícil que seja a realidade, pode ser um momento construtivo de lidar com a verdade e de crescer. Em termos práticos, a Lua Nova e Eclipse em virgem favorece a eliminação de maus hábitos e comportamentos nocivos que afetam nosso corpo e saúde negativamente – pode ser um ótimo momento para deixar de fumar, por exemplo, ou para eliminar quaisquer outros hábitos que prejudicam a qualidade de vida – e também nosso trabalho e vida cotidiana em geral. É hora de inaugurar hábitos novos e mais saudáveis, de forma que possamos ter uma vida de mais qualidade e muito mais sentido.

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal
Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal
Kirrei.com - Reprodução
Kirrei.com – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 2 de setembro – O Sol Virginiano faz oposição plena a Netuno em Peixes, enquanto Mercúrio faz sua segunda conjunção a Júpiter. A Lua segue renovada por Virgem e hoje faz oposição a Quíron, quincunce a Urano e conjunção a Mercúrio e a Júpiter, ficando vazia às 19h13min depois deste contato. A Lua ingressa em Libra às 21h56min. Nosso desejo e necessidade por ordem e perfeição são desafiados ao máximo hoje e nos encontramos miseravelmente dispersos, incoerentes e fragmentados em muitas direções. Além do senso de ordem e estrutura, falta-nos a confiança que nos permitiria ir atrás de nossos objetivos de forma destemida e, como não conseguimos ser suficientemente assertivos e seguros, nossa autoestima fica ainda mais vacilante, de modo que se não vigiarmos, entramos num círculo vicioso doentio e de difícil saída, porque sentimo-nos bastante impotentes para modificar traços em nós mesmos e situações ao nosso redor. Podemos ficar nessa espiral destrutiva por horas e dias. Mas, a sensibilidade que nos faz vacilar é a mesma que nos permite manifestar nossos dons criativos e nosso grande altruísmo, de modo que podemos usá-la em benefício de outros, o desafio é exatamente fazer isso de maneira coesa, como um serviço que oferecemos de bom grado, em lugar de nos sentir vítimas das circunstâncias e até de nós mesmos. A consciência aguda de nossas limitações pode, ao invés de nos colocar para baixo, ser o trampolim de onde damos impulso para mergulhar fundo naquilo que podemos realmente transformar e manifestar criativamente. O pano de fundo mental absorve todas as nuances e variáveis, mas consegue rever onde podemos ter errado no passado, de modo que agora podemos usar esses mesmos erros como lições e aprendizados que nos estimulam a fazer melhor e mais conscientemente desta vez. Sobretudo, precisamos ser humildes e nos ater ao que é possível, sem exigir de nós mesmos ideais de perfeição irrealizáveis e, por isso mesmo, frustrantes. Viemos de uma fonte divina e para lá voltaremos, mas, por enquanto, ainda precisamos lidar com esse plano de limitações que devem ser aceitas, mas isso não deve embotar a fé em nós mesmos, porque a principal lição é acreditar em nós próprios, a despeito de todas as nossas dificuldades e falhas. Olhar para dentro e perceber que a despeito de todos os erros e defeitos que percebemos em nós, no centro há o núcleo indestrutível e perfeito e é esse senso de integridade que deve nos guiar.

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 3 de setembro – A Lua está em Libra e faz conjunção com a dona da casa, Vênus. Mais tarde a Lua também se afina com Saturno enquanto se desentende com Netuno. O Sol segue em oposição a Netuno e quadratura a Saturno e Mercúrio vai seguindo seu caminho descendente no Mundo Inferior, incitando-nos a fazer nossas revisões profundas de pensamentos e ações. Um momento de calmaria e análises mais desapegadas de todas as confrontações por quê passamos: talvez consigamos digerir os resultados sem tantos dramas e com alguma sobriedade, sem ficar chorando ou nos lamentado, afinal, agora é bola para a frente, é acordar para o que dá para consertar e eliminar o que não tem conserto. Em termo práticos e pontuais o dia favorece encontros leves que dispensem os assuntos densos, porque nem nós nem o outro temos muita clareza de nossos sentimentos e reações, de modo que estamos suscetíveis a nos sentir ofendidos ou ignorados num assunto que seja mais sensível, portanto, se não temos certeza de que nossa audiência irá respeitar o que temos a dizer, melhor guardar o assunto para outra ocasião ou para ouvidos mais atentos e respeitosos e ficar nas trivialidades leves, mas seguras.

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 4 de setembro – A Lua Libriana conversa animada com Marte em Sagitário, mas arruma uma baita confusão com Plutão e com Urano. Como se não bastante, ela ainda se irrita com Quíron e fica vazia às 21h32min, depois da briga com Urano. O Sol está em conjunção exata ao Nodo Norte em Virgem. O amanhecer traz tensões difíceis de digerir e impossíveis de evitar: precisam ser encaradas e resolvidas na lata! Com o dia começando já neste clima tenso, ficamos estressados e indóceis, porque lutamos por uma harmonia e uma conciliação que parecem distantes, uma distância inversamente proporcional ao esforço com que buscamos essa harmonia. Precisamos usar de honestidade emocional nas nossas crises e dilemas, especialmente naqueles que envolvem os afetos e as relações em geral: será que secretamente não investimos em tais crises para nos sentir vivos e importantes para aqueles das nossas relações? O dia também requer muita cautela porque estamos impulsivos, de modo que podemos agir precipitadamente, piorando as situações com nosso comportamento imprevisível, altamente reativo e talvez um tanto infantil. No fundo, desconfiamos de nossas emoções e sentimentos, que hoje são intensos e voláteis e só nos impulsionam em direção à criação de mais drama e mais conflito. O que precisamos é perceber essa necessidade de nos sentirmos realmente vivos, com toda a intensidade a que achamos que temos direito e para isso, podemos nos engajar em atividades estimulantes e criativas, que nos façam entrar em contato com as emoções tumultuadas e selvagens que convulsionam o coração, de modo que elas sejam canalizadas construtiva e visceralmente, a ponto de transformar a forma como enxergamos a nós mesmos e aos nossos processos emocionais mais profundos. Podemos convidar as mesmas pessoas com quem travávamos os embates acalorados e descobrimos que a briga a favor é tão ou mais estimulante do que a briga contra e de quebra, ainda aprendemos mais uns sobre os outros e isso, ao invés de nos afastar, nos aproxima porque percebemos que o outro está atrás do mesmo que nós: harmonia e crescimento, então, por que não podemos buscar isso juntos? Por todos os motivos descritos acima, em termos práticos o dia requer cautela nas interações devido à propensão a conflitos e também no trânsito, devido à grande impetuosidade e precipitação.

Desejo a você uma semana de bênçãos e crescimento! Que essa realidade tão dura seja administrável e nos faça, de fato crescer! ótima semana!

Andrea Clare

Tiia Reijonen on Behance - Reprodução
Tiia Reijonen on Behance – Reprodução

A Semana Astrológica – Defina as prioridades e mire no alvo!

Lua Corcunda - Creuza Medeiros, em Chapada dos Guimarães-MT
Lua Corcunda – Creuza Medeiros, em Chapada dos Guimarães-MT

Semana de 15 a 21 de agosto – é tempo de Lua Cheia, que simboliza a colheita, o pináculo do ciclo, portanto, é tempo de expansão e frutificação, que vêm nutridos de muita determinação e de objetivos mais definidos!

Queridos, consegui escrever sobre os principais movimentos da semana, aqueles que dão o tom geral do período. Só não consegui escrever o dia a dia e essa parte será escrita nos próximos dias, dia a dia mesmo, desculpem o trocadilho – então, quem tiver paciência, pode voltar aqui para ver todos os dias.

Reprodução
Reprodução

Saturno voltou ao movimento direto e agora arregaçamos as mangas e retomamos as tarefas sobre as quais refletimos tanto! Agora vamos para o último round do embate com a nossa desesperança, com a nossa desilusão, mas vamos preparados e munidos de muita resiliência. Principalmente, agora as coisas se tornam mais definidas e claras, tanto no campo dos nossos objetivos e ambições maiores, quanto no campo das relações – especialmente para quem tem Vênus ou os Ângulos em signos mutáveis. Depois de definirmos nossas prioridades, a partir dos muitos aprendizados, estamos dispostos a abrir mão e nos livrar de tudo o que não contribui e não nos acrescenta, de tudo o que nos puxa para trás e se isso incluir relacionamentos, que seja! Bye bye, so long, farewell! É tempo de ser pragmáticos,  de afinar e refinar nossa determinação, coragem e foco, representados pela conjunção de Marte a Saturno no grau 10 de Sagitário, exata na próxima semana – aliás, merece nota o fato de Marte estar atualmente Fora dos Limites do Sol e eu vou falar disso na semana que vem, quando falar da conjunção Marte-Saturno. Elejamos o foco da nossa determinação e da nossa paixão, miremos o target com concentração máxima e finalmente disparemos a flecha, certeira, matadora, vitoriosa! Tudo isso no ritmo da galopada vertiginosa, porque o mundo continua a girar! LEMBRETE: Marte em contato com Saturno também indica riscos de acidentes, principalmente quando ambos estão em aspecto também co Urano! CAUTELA!!!!

Doctor Ojiplatico - Reprodução
Doctor Ojiplatico – Reprodução

O Sol faz trígono a Urano em Áries nesta semana e também quincunce a Quíron, indicando um período de inovarmos, de progredirmos, de sairmos das caixinhas limitadoras em que nos colocamos, dando um basta nos rótulos, ao mesmo tempo em que lidamos com o desconforto daquilo que não pode ser mudado. Como é isso? É preciso sabedoria, autoconhecimento, olhar crítico, porém amoroso para si mesmo para identificar em qual categoria nossos problemas estão: daquilo que é não só passível de se mudar, mas que demanda mudança de postura, e daquelas coisas que demandam aceitação humilde da impossibilidade humana.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio faz oposição a Quíron e quincunce a Urano no mesmo dia ainda e conjunção a Júpiter no outro, quase a nos dizer que, depois de confrontarmos nossas mazelas, de cair a ficha que a mente não dá conta de tudo – pelo contrário, pode ser bastante traiçoeira – ainda podemos nos imbuir de novo ânimo e, mais sábios, projetar novo ciclo de expansão que inclua o reconhecimento de nossas fragilidades e também nosso grande potencial de cura e de ajuda aos outros, seja pela comunicação de nossas ideias, seja pela modificação de nossos conceitos, seja de forma mais direta, pela energia de cura que carregamos em nossas mãos e voz! Mercúrio em oposição a Quíron também nos lembra que a cura está na forma como encaramos nossos problemas, nos deixamos abater por eles e nos vitimizamos? Fugimos deles ao nos imolar no sacrifício da dedicação extremada ao outro? Encaramo-los como parte da trajetória, como parte do nosso aprendizado nessa vida? Permitimos que nos tornem mais humanos, compassivos e amorosos para conosco mesmos e com os outros, ou deixamos que nos tornem amargos, azedos, pessimistas e niilistas? Mercúrio fará todos esses contatos três vezes (Quíron, Urano, Júpiter e Plutão), devido ao ciclo de retrogradação, que se inicia no dia 30 de agosto – um tempo de rever os métodos pelos quais resolvemos nossos problemas e dificuldades.

Barbed Wire Art - Reprodução
Barbed Wire Art – Reprodução

Vênus, depois de embate doloroso com Saturno e Netuno, regenera-se na amizade com Plutão e enche-se de uma força renovada, renascendo das cinzas, simbolizando a percepção do sentido mais profundo de todas as feridas, dores, rompimentos e transformações pelas quais viemos passando nos últimos tempos. É, a vida não para e não dá tempo nem espaço de chorarmos por muito tempo, porque as demandas continuam – tem que trocar o pneu com o carro andando, por mais insano que possa parecer! Podemos tirar um tempo para nós, um retiro ou sabático afetivo, mas ainda precisamos continuar funcionando no mundo, ainda precisamos existir afetivamente, nem que seja para os amigos, a família, o bicho de estimação – que certamente contribuem com nossa cura e recuperação! Aliás, é providencial que Vênus faça esse contato com Plutão, para se fortalecer, antes de dar de cara também com Quíron, na semana que vem. A exemplo de Mercúrio, Vênus encontra com Júpiter depois do confronto com Quíron e isso também será um bálsamo curativo para as feridas e vulnerabilidades com que teremos que lidar.

Reprodução
Reprodução

Finalmente, a Lua abre a semana na fase Corcunda, plenamente grávida, em Capricórnio. Será Cheia a 25°51 de Aquário, na quinta-feira, dia 18, às 06h26min, em sextil a Urano e quincunce a Júpiter. Um momento de crise, de iluminação, de frutificarmos nossa singularidade em prol do coletivo, dos grupos, do mundo – a obra maior que somos nós mesmos não pode ser cultivada e burilada somente para enaltecer nosso próprio ego e vaidade, antes, deve iluminar nosso entorno, deve jogar luz sobre a vida e sobre o mundo, senão, nossa realização criativa ocorrerá pela metade, será vivida com o intuito único de atrair o olhar do outro, a mando de nossa grande insegurança. O tanto que somos especiais e únicos é o mesmo tanto que precisamos nos lembrar que ainda pertencemos a uma comunidade, que deve se beneficiar de todos esses talentos que carregamos e que julgamos tão extraordinários!

A Lua fecha a semana já em Áries!

keep-calm-and-sem-mimimi-4

SEGUNDA-FEIRA, 15 de agosto – O Sol em Leão está em trígono a Urano em Áries e em quincunce a Quíron em Peixes, aspectos exatos amanhã. A Lua está Corcunda em Capricórnio e hoje está corridíssima, ocupadíssima: faz sextil a Netuno, conjunção a Plutão, quincunce ao Sol, quadratura a Urano, sextil a Quíron e ainda trígono a Vênus, Mercúrio e Júpiter em Virgem, ficando vazia depois do aspecto a Júpiter, às 23h46min. Vênus segue se afastando da T-Square mutável que formou com Saturno e Netuno. Uau! Que tal isso para uma segunda-feira? Temos gás o bastante? Temos! Com certeza! O dia está colorido de muita determinação, disposição e capacidade realizadora. Conseguimos atacar problemas de frente e não temos o menor interesse em fugir de nada, pelo contrário, a política é: ou resolve ou me despacha porque não tenho tempo para ficar empacado aqui esperando por quem não tem comprometimento com nada! Sim, é curto e grosso, mas é também pragmático. Não é queiramos brigar ou conflituar com ninguém – é que nem mesmo temos tempo ou paciência para isso, então, vamos fazer a fila andar, seja a fila do banco, a da repartição, a da pilha de trabalho, a fila da vida! Com tal disposição de ânimo, podemos aproveitar para olhar nossa própria vida e tirar algumas lições e aprendizados. Podemos nos lembrar do que é que acende toda essa determinação dentro de nós e nos lembrar disso no futuro, em momentos em que talvez duvidemos dos nossos intentos. Podemos também abandonar o mimimi e as ladainhas reclamatórias que temos a respeito dos nossos próprios problemas e encará-los com sobriedade e resiliência: o que não me mata me fortalece, então, se não morri, se isso tudo que me acontece é duro, pesado e avassalador mas ainda estou vivo e atuante, então, eu dou conta, aos trancos e barrancos, eu dou conta! E vou vencer essa parada! Porque sobretudo, somos sobreviventes!

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 16 de agosto – Dona Lua abriu o dia vazia em Capricórnio, depois de ter feito trígono a Júpiter em Virgem, no fim da noite de ontem. Ingressou em Aquário, signo onde vai ser cheia, às 08h53min. Faz sextil a Marte, enquanto se indispõe de maneira bem inconsciente com Mercúrio e depois também com Júpiter. Fecha a noite em harmonia com Saturno, seu dispositor.

Depois de começarmos o dia ainda concluindo coisas de ontem que porventura tenham carecido de finalização, pelo meio da manhã a energia muda e sentimos vontade de sair da rotina. Pois sim, é dia de inventar, fazer algo diferente, experimentar, buscar olhar as mesmas coisas com olhar novo, ou simplesmente ir atrás de novos ares.

O dia traz uma energia sociável e muito mental, propiciando um bom distanciamento e objetividade. Ótimo para focar em atividades mais mentais que exijam raciocínio lógico, desprendimento e pouco envolvimento emocional – podemos, inclusive, olhar nossos próprios dilemas de maneira mais solta, como se assistíssemos a um filme porque isso pode ajudar a perceber outras possibilidades e perspectivas que antes não enxergávamos porque estávamos próximos e envolvidos demais.

Se insistimos em fazer tudo igual, tudo como sempre, mecanicamente, podemos ter imprevistos e surpresas, algumas delas irritantes, portanto, o ideal é buscarmos o novo e o diferente voluntariamente, com espírito de curiosidade

 

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

QUARTA-FEIRA, 17 de agosto – A Lua segue por Aquário, signo onde vai ser cheia, amanhã. Hoje ela faz sextil aSaturno, seu dispositor e sesqui-quadratura a Júpiter em Virgem. Faz quincunce a Vênus e fecha a noite já em orbe de sextil a Urano e oposição ao Sol. Vênus está em trígono pleno a Plutão. Mercúrio, que já está na zona de retrogradação, também já se opõe a Quíron, estando muito próximo da conjunção a Júpiter – uma manifestação disso são as notícias equivocadas que se alastram pelas redes, causando problemas reais ou, no mínimo, difamando pessoas, como foi o caso do técnico francês que NÃO disse que o atleta brasileiro ganhou graças ao Candomblé e o caso da mulher americana que foi fotografada olhando o celular enquanto seu bebê dormia no chão do aeroporto. Notícias não checadas, não averiguadas que se alastram feito pólvora causando estragos nas vidas das pessoas.

A princípio, as energias continuam favoráveis à abordagem desapegada da vida e das emoções. Estamos leves e sentimo-nos independentes. Entretanto, lá no fundo da alma já sentimos uma trepidação, uma espécie de antecipação de algo prestes a acontecer… E um outro lado de nós, contraditoriamente, gostaria de mergulhar mais profundamente nessas situações e elucidá-las apaixonadamente, porque sabemos que logo precisaremos nos posicionar a respeito de todas estas questões. Logo chegaremos à confrontação das situações que vieram se prolongando nas duas últimas semanas. Mas, se por um lado estamos distanciados, por outro, temos exatamente a disposição necessária para todos os confrontos e nos sentimos capazes e fortes o bastante para lidar com estes dilemas, de forma madura.

A alma feminina, particularmente, pode se ver dividida entre a entrega apaixonada versus a independência e a autonomia; dito de outro modo, o que é mais importante, a afinidade intelectual e de ideais ou a paixão intensa, pura e ardente? Podemos estreitar nossas relações de forma intensa e verdadeira, aprofundando a intimidade, conhecendo e dando-nos a conhecer… Mas vem a dúvida: será que realmente queremos isso? Será que podemos confiar nesse outro? Será que não é melhor nos mantermos livres e soltos ao invés de apaixonados e entregues? O que queremos realmente?

A alma masculina, por outro lado, pode experimentar essas influências na relação com as mulheres, que poderão parecer particularmente contraditórias hoje.

Em termos mais gerais o dia favorece o contato com amigos e com pessoas com quem temos afinidades intelectuais; para tomar decisões motivadas pela razão e não pela emoção; e, se der tempo, para ir ao parque ou outras áreas naturais onde possamos relaxar, nos refazer e regenerar.

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 19 de agosto – A Lua Cheia trafega hoje por Peixes. Fez quadratura a Marte nas primeiras horas do dia e depois também a Saturno. Durante o dia faz conjunção a Netuno e oposição a Vênus em Virgem, enquanto se harmoniza com Plutão em Capricórnio. Mercúrio está hoje em quincunce exato a Urano, enquanto Marte segue decidido em direção a Saturno.

O dia traz conflitos delicados, especialmente para o feminino, mas não somente. Sentimo-nos divididos entre as atribuições e obrigações mundanas, laborais, cotidianas e práticas e as necessidades mais sutis por um descanso, um retiro, uma introspecção. A exposição ao mundo é massacrante, porque estamos muito sensíveis, sensitivos até, de modo que sentimos na pele dores que nem são nossas e isso nos faz impotentes, porque, ao mesmo tempo em que isso aciona nossa compaixão, percebemos imediatamente que a tarefa está além do nosso alcance e da nossa capacidade. Assim, há uma sensação de vulnerabilidade e impotência permeando tudo.

Para fugir dessa sensação tão desconfortável, talvez nos enchamos de tarefas que visam “salvar” esse outro, que decidimos prontamente que precisa muito de nós. Entretanto, podemos nos deparar com o que chamamos de “ingratidão” e falta de reconhecimento aos nossos esforços. Ao invés de dar boas vindas à nossa “ajuda”, o “ajudado” pode se indispor e se sentir invadido, enfraquecido, desrespeitado e não recebe de bom grado os nossos préstimos. Antes de ficarmos ressentidos e vociferar contra a ingratidão alheia, vale olhar para si mesmo e averiguar se realmente não fomos desrespeitosos, invasivos, pressupondo que o outro quer nossa ajuda sem pergunta se isso é verdadeiro.

No fundo, é mais fácil lidar com os problemas alheios do que com os nossos próprios e nisso que investimos, algumas vezes, quando ajudamos tanto. Então, vale nos questionarmos hoje – e sempre – por que nos ocupamos tanto, por “ajudamos” tanto, por que tanto empenho em salvar este outro, quem quer que seja ele. Claro que todas essas ações são louváveis e de fato podem fazer a diferença. Mas não podemos nos enganar e ignorar nossas motivações mais íntimas e profundas para fazer o que fazemos, que muitas vezes, é ganhar o senso de validação que vem da necessidade que o outro tem de mim; às vezes também tem a ver com relações de poder, em que eu me sinto mais forte e ao outro resta ser o fragilizado, quando na verdade, talvez ele não seja nada disso.

Assim, vale a pena mantermos nossos julgamentos das situações em cheque, porque nem tudo é o que parece e, em lugar de ajudar, podemos na verdade arrumar problemas com quem não pediu e não quer a nossa ajuda, porque é perfeitamente capaz de cuidar de si mesmo. E pior: os esforço que colocamos em ajudar o outro, poderiam muito ser aplicados em lidar com nossas próprias questões.

Uma linda, produtiva e super determinada semana para você!

Reprodução a partir de Daily Mail - Guerreiros da etnia Awá, na Amazônia, demonstram suas habilidades com o arco e flecha
Reprodução a partir de Daily Mail – Guerreiros da etnia Awá, na Amazônia, demonstram suas habilidades com o arco e flecha

A Semana Astrológica – Tempo de renascer!

Reprodução
Lua Balsâmica – Reprodução

Semana de 04 a 10 de abril 

Esta semana começa com a Lua ainda Minguante, ficando Balsâmica na segunda e renovando-se na quinta-feira, na Lua Nova de Áries, abrindo um novo ciclo de iniciação, ação e conquistas! Esta Lua Nova ocorre em conjunção a Urano e em quadratura a Plutão, ativando essa configuração que está operante desde 2010 e que ficou exata por sete vezes entre 2012 e 2015. Diferentemente dos últimos meses, em que temos tido muita hesitação e pasmaceira, muita energia mutável ativada devido à T-Square Júpiter-Saturno-Netuno, este ciclo/mês traz uma coloração de crises mas também de maior resolução e atitude, simbolizadas pela Lua Nova ocorrendo em contato com Urano-Plutão, além do fato de ocorrer em Áries. É provável que muitos dos dilemas e conflitos que têm se arrastado sem solução aparente nos últimos meses cheguem finalmente a um apogeu nas próximas semanas e sejam finalmente resolvidos. As lunações do ciclo de Áries podem ser gatilhos para novas liberações das energias dos últimos eclipses.

Imgfave.com - Reprodução
Imgfave.com – Reprodução

Parte dessas resoluções já se desenham por estes dias pois o Sol, a maior autoridade do nosso sistema, brilha como nunca e toma o palco central para protagonizar o grande drama da semana ao fazer quincunce a Júpiter, trígono a Saturno, quadratura a Plutão e conjunção a Urano. O Sol vem preparado, visto que Mercúrio já lhe enviou os relatórios e análises de como lidar com tudo isso, uma vez que Mercúrio fez exatamente estes mesmos movimentos na semana passada – nós já estamos cientes do que precisamos fazer e se estivermos atentos, não precisaremos sofrer com os desafios, pelo contrário tiraremos proveito deles, porque já não são nenhuma novidade para nós! O Sol envolvido nestes conflitos simboliza uma nova fase de mudanças importantes que precisamos empreender em nós mesmos, em nossos propósitos e objetivos. A conjunção a Urano é apoiada pelo trígono a Saturno, sugerindo a capacidade de implantação das inovações alinhadas com as estruturas que ainda são válidas e necessárias, de sermos capazes de usar tais estruturas para dar o salto inovador em direção à mudança e ao novo. O duelo se dá mesmo na quadratura a Plutão em Capricórnio que requer honestidade e integridade e uma percepção altamente refinada de quais dessas estruturas são realmente válidas e quais estão completamente anacrônicas, bitoladas, verdadeiros fósseis do atraso e do medo. Os desafios são muitos e grandes e sinalizam uma semana tensa mas muito enérgica e movimentada.

Andrej Pejic fotografada por Mert Marcus - Reprodução
Andrej Pejic fotografada por Mert Marcus – Reprodução

Outras movimentações interessantes ficam a cargo de Mercúrio e Vênus, que mudam de signo no mesmo dia. Mercúrio ingressa em Touro e Vênus entra em Áries, ambos na terça-feira. Depois de duas semanas de falas impulsivas e afoitas, Mercúrio em Touro torna a comunicação mais ponderada e deliberada, fazendo um contraponto aos destemperos mentais do trânsito de Mercúrio por Áries. As análises mentais demandam tempo e nada é decidido sem muita ruminação interna. Mercúrio em Touro agrega uma voz suave e aveludada a uma comunicação econômica e cautelosa, do tipo que só se abre a boca quando se tem certeza e quando se percebe que há algo de valor a ser agregado… Mercúrio em Touro não é de ficar falando à toa. Negativamente, o posicionamento de Mercúrio neste signo pode deixar a mente excessivamente literal e rígida, com tendências a opiniões inflexíveis e dogmáticas, dependendo dos aspectos que este Mercúrio fizer.

Fundraw - Reprodução
Fundraw – Reprodução

Já de Vênus em Áries diz-se que está em queda. Mas por que? Porque o princípio básico de Vênus é gerar relacionamento, é conciliar, visto que Vênus é um planeta super gregário e em Áries ela é menos gregária, tornando-se super independente e valorizando mais a autonomia e a liberdade do que a vinculação na sua forma tradicional. Áries é o signo do “eu”, oposto de Libra, o signo do outro, regido por Vênus. Não é que ela não queira se relacionar, é que essas relações se baseiam em outros valores e ela não está disposta a abrir mão dos seus desejos pessoais só para se relacionar. Em Áries Vênus sugere o amor à independência, à livre expressão dos desejos e da individualidade. Para esta Vênus, amor e relacionamento podem até ser equacionados com competição e luta porque é uma guerreira destemida; ao invés de esperar o príncipe do cavalo branco, ela mesma resolve matar o dragão salvando-se a si mesma e ao príncipe também; ou talvez ela apenas ache que o príncipe está demorando demais e não tem paciência para esperar por ele porque acabará se atrasando para a próxima batalha! Vênus em Áries também adora esportes e atividades físicas, tendendo a ser prática na sua estética, que visa expressar esse desejo por liberdade e independência.

Rodolfo Ledel - Reprodução
Rodolfo Ledel – Reprodução

Marte segue devagar, quase parando em Sagitário, preparando-se para depor as armas e entrar em repouso. Estaciona daqui a 12 dias pra entrar em movimento retrógrado, indicando revisão da nossa ação executiva, dos nossos desejos e do modus operandis que empregamos para realizar tais desejos. Ficará retrógrado de 17 de abril até 29 de junho e durante este período precisaremos recorrer a toda a nossa tolerância e paciência para lidar com os inúmeros desafios à execução de nossa vontade. Com marte retrógrado precisamos lembrar da oração da humildade máxima: “que não se faça a minha, mas sim a Tua vontade”.

Rene Magritte - Reprodução
Rene Magritte – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica em Aquário. Intui o futuro em Peixes e se renova em Áries na quinta-feira. Testa a sustentabilidade e o pragmatismo dos projetos Arianos em Touro e fecha a semana comunicando e divulgando esses projetos, ideias e sentimentos em Gêmeos.

Eugenia Loli - Rayguns - Reprodução
Eugenia Loli – Rayguns – Reprodução

A SEGUNDA-FEIRA começa com a Lua ainda fora de curso em Aquário. Ingressa em Peixes às 02h46min e logo faz semi-quadratura ao Sol, ficando Balsâmica. Ao longo do dia a Lua faz quadratura a Marte em Sagitário e conjunção a Netuno, fechando a noite numa armação de Grande Cruz mutável, já em oposição a Júpiter e quadratura a Saturno. O dia traz uma sensibilidade muito apurada e aguda. Como se tivéssemos olhos de lince, podemos ver longe, no túnel do tempo, olhando para o futuro e suas diversas possibilidades e devires. Essa grande e especial sensibilidade pode nos ajudar especialmente em nossos planejamentos do próximo ciclo, mas ainda precisamos aterrar os pés na terra, para canalizar e centrar essa receptividade e utilizá-la adequadamente.Isso porque com o passar das horas conflitos surgem e demandam pé no chão para que não entremos no “mode” do melindre e da irritação gratuita, que só nos fará desgastar energia desnecessariamente. O melhor que fazemos é perceber que a irritação vêm de um descompasso interior que se reflete fora de nós e não o inverso. Assim, precisamos alinhar as incongruências internas para harmonizar o mundo ao nosso redor. A energia gerada pela irritação e raiva podem muito bem ser canalizadas para o trabalho de maneira criativa, mobilizando-as efetivamente naquilo que precisa ser feito, nas diversas tarefas e compromissos da nossa agenda lotada. O desafio é conseguir optar pela ação efetiva de maneira sutil e não ruidosa, lembrando que, por enquanto, esta ação ainda deve ser orientada para as finalizações e encerramentos e não para novos começos. Para abraçar o novo precisamos criar espaço para ele na vida e no coração!

Homako, on /flickr - Reprodução
Homako, on Flickr – Reprodução

Na TERÇA-FEIRA a energia está bem caótica e gera tensões que demandam muita flexibilidade. A Lua Pisciana faz oposição a Júpiter em Virgem, quadratura a Saturno em Sagitário e conjunção a Quíron. Como ajuda ela busca o apoio de Plutão em Capricórnio, aspecto depois do qual fica vazia, às 07h34min – ingressa em Áries somente na quarta. O Sol está em trígono pleno a Saturno, mas quase exato na quadratura a Plutão. Vênus ingressa em Áries às 13h51min e Mercúrio adentra os domínios Taurinos às 20h10. Um dia inteiro de Lua vazia e ainda por cima, em Peixes, na fase Balsâmica. Chamada geral para se finalizar quaisquer coisas que porventura estejam pendentes na vida ou penduradas na memória, ocupando energias que poderiam ser utilizadas de formas mais benéficas e produtivas. O tumulto emocional maior se dá na madrugada e se tivermos sorte, será processado e assimilado por meio dos sonhos… Durante o dia precisamos lidar com a dispersão extremada, a sensação de irrealidade que prejudica a concentração e o anseio profundo por desaparecer na névoa do tempo, deixando para trás as demandas mundano-funcionais… A princípio bastante confuso, o dia vem favorecer as limpezas e encerramentos que possam nos liberar para os novos começos. Arquivamento e organização de papéis e de materiais podem ajudar a por a cabeça e o coração em ordem, ritualizando e metaforizando a faxina mais essencial de todas: a da alma. Contudo, este é apenas um dos muitos meios de se empreender tal limpeza e de se aplicar tal energia porque, estando a criatividade tão favorecida, podemos expurgar o que precisa ser liberado também através de artes diversas: escrita, pintura, música, artesanato, poesia… Não propícias estão mesmo as atividades objetivas e mundanas, estas, fazemos melhor se pudermos aguardar para correr atrás delas depois, ou pelo menos precisamos estar muito flexíveis para nos ajustarmos às guinadas abruptas e inadvertidas que vão dobrando as quinas do dia de forma impensável… Se permanecermos abertos, poderemos tirar muito proveito de tais guinadas!

Akira Kirai - Reprodução
Akira Kirai – Reprodução

O Sol está em quadratura exata a Plutão na QUARTA-FEIRA. A Lua abre o dia ainda fora de curso em Peixes e ingressa em Áries às 03h36min, de onde faz trígono a Marte em Sagitário. Mercúrio está em sesqui-quadratura a Saturno. Dia de grandes e importantes confrontos, especialmente conosco mesmos. A batalha maior e imprescindível é sempre interna e nossos demônios interiores têm o péssimo hábito de escapulirem para fora quando não conseguimos lidar com eles adequadamente, vindo nos assombrar na forma de chefes, maridos/esposas, ou quaisquer pessoas que tenham poder/influência sobre nós. A energia direta e honesta de Sol e Lua em Áries ganha mais honestidade hoje e oferece a oportunidade de rompermos com o passado e quitarmos nossas inadimplências conosco mesmos, ajustando nossa vontade com as necessidades e obrigações, lidando com maturidade com estes desafios, que ajudarão a forjar maior comprometimento com os propósitos mais autênticos que se revelam agora para nós agora. Precisamos encarar com justeza e verdade nosso anseio de poder e de domínio sobre outros; geralmente, desejos de manipulação e controle nascem da sensação de impotência extrema vivenciada no passado, mas de que nos vale a sensação de poder sobre outros quando não passamos nem mesmo no enfrentamento conosco mesmos e nossos próprios medos?  O verdadeiro poder nasce do enfrentamento dos demônios interiores – não da sua aniquilação, mas do seu reconhecimento e integração e quem sabe eles possam nos brindar com seus infinitos dons. Como diz Mia Couto, “cada um descobre seu anjo tendo um caso com o demônio”.

Rgul-osr1113.deviantart - Reprodução
Rgul-osr1113.deviantart Reprodução

QUINTA-FEIRA é dia de Lua Nova, ocorrendo a 18° de Áries, às 08h23min. Antes de ser nova a Lua faz quadratura a Plutão e quincunce a Júpiter, aspectos que influenciam esta lunação. Dona Lua, já renovada, faz conjunção a Urano e fica fora de curso logo depois, às 11h58min. Mercúrio está completamente isolado no início de Touro. A Lua Nova de Áries dá o empurrão que faltava para acionar, de uma vez por todas, a energia de iniciação e ignição que porventura estivesse nos faltando. É tempo de renascer para uma vida nova e transformada! De inaugurar modelos novos de existência, que permitam a continuidade da vida, que promovam sua sustentação e não sua falência ou decadência. Para isso, precisamos voltar no tempo e questionar os projetos de futuro, as verdades que nos venderam e que compramos de bom grado, porque queríamos muito acreditar nelas, fechando os olhos e as narinas para aquelas coisas que não pareciam “cheirar muito bem”, mas que demandariam tempo para serem investigadas. Sempre é tempo de mudar os paradigmas, de rever posturas e conceitos, de mudar a ação individual, que repercutirá na atitude coletiva. Precisamos inaugurar maneiras mais livres e honestas de ser e de agir, conciliando as responsabilidades e obrigações inerentes à condição de sermos humanos, neste tempo, neste planeta tão depredado pelas campanhas pioneiras do passado. É possível ser inovador e pioneiro sem depredar, aliás, este é o grande desafio do século XXI, como prosperar sem depredar; como conquistar sem aniquilar, sem que isso seja ao altíssimo custo da vida do planeta. O que talvez falhamos em perceber, repetidamente, é que a conquista maior de todas é a conquista de si mesmo, da nossa própria força primitiva e selvagem. Mais sobre a Lua Nova na quinta-feira.

Andy Prokh - Reprodução
Andy Prokh – Reprodução

Renovada, Dona Lua ingressa em Touro às 03h11min da SEXTA-FEIRA, de onde faz sesqui-quadratura a Saturno, quincunce a Marte e sextil a Netuno. Mas o ponto alto do dia é a conjunção Lua-Mercúrio, que promete trazer centramento e praticidade aos nossos planejamentos. O Sol está em conjunção quase exata a Urano. Pés no chão, olhos nos céus! O dia está assim e propicia o alinhamento entre o corpo, coração, mente e espírito, a possibilidade de visionarmos propósitos elevados mas que possam ser realizados, de maneira prática e palpável. Os sentidos estão aguçados e despertos e oferecem pistas de como elucidar a equação misteriosa da impregnação do espírito na matéria, que frutificará e alimentará nossa fome por soluções concretas para os dilemas básicos que nos confundem tanto quanto essa equação original. Como superar a distância entre o plano do agora e a realização futura; como sair do plano teórico e da visão espiritual para a versão encarnada e materializada de tal visão; como integrar o espírito e a matéria, num mundo que teima em colocá-los como antagônicos inconciliáveis… São equações sem soluções fáceis ou definitivas, que demandam sutileza na sua interpretação, no dia a dia, um pouco hoje, outro tanto amanhã e que dispensam a pressa dos afoitos, em favor da paciência dos que estão dispostos ao engajamento amoroso com os mistérios da vida, deixando-se seduzir por eles, sem necessidade alguma de desvendá-los completamente porque isso, ainda que fosse possível, seria finalizar o jogo deixando escapar sua melhor parte: o jogo em si mesmo e não o seu final. De pés firmes no chão e olhar nas alturas, podemos aproveitar o que o dia tem de melhor: prazer e ousadia!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

O Sol está em conjunção plena a Urano no SÁBADO, enquanto ainda se afasta da quadratura a Plutão! Como contraponto a essa energia extremamente rebelde, a Lua viaja por Touro e forma um Grande Trígono terroso com Júpiter em Virgem e Plutão em Capricórnio. A Lua ainda faz sextil a Netuno e fica fora de curso depois do aspecto a Plutão, às 06h50min. Novamente somos beneficiados por um chão firme que nos ancora e dá suporte num dia em que há forças voláteis e extremistas no ar. O desafio de hoje é rebelarmo-nos contra as forças obscuras e arcaicas dentro de nós, permitindo-nos uma liberação daquilo que nos cerceia sem que isso se dê de forma destrutiva e desnecessariamente agressiva. Temos grande energia para atacar aquilo que nos prende e limita, mas principalmente, para perceber que as verdadeiras limitações começam em nós, na maneira como nos vemos e como agimos, naquilo que escolhemos acreditar a respeito de nós mesmos e de nossos potenciais – em resumo, perceber que estamos presos dentro de nós mesmos! O dia está propício a questionar todos os “não posso”, “não consigo”, “não devo”, “não mereço”, “não é possível” que carregamos conosco ao longo da vida e que podem ser fonte de grandes frustrações. Será que “não posso” e “não consigo” mesmo ou estou apensas com medo de falhar? É bom sairmos da rotina e nos expormos a novos ambientes, situações, propostas e perspectivas, do contrário estaremos por demais inquietos, ressentidos e frustrados, o que poderá nos levar a agir impulsiva e destrutivamente. Felizmente a Lua Taurina dá um pouco de freio e bom senso a toda a energia impulsiva e rebelde de Sol-Urano em Áries, de modo que podemos tirar grande proveito dessa combinação, é só estarmos abertos e nos deixarmos surpreender!

Desconheço o autor - Reprodução
Desconheço o autor – Reprodução

No DOMINGO a Lua ainda está em Touro, fora de curso. Ingressa em Gêmeos às 02h59min e logo faz sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio. Ao longo do dia ela ainda se opõe a Marte em Sagitário, faz sextil a Vênus em Áries e quadratura a Netuno em Peixes, fechando o dia já armando uma Grande Cruz mutável que se prolongará por toda a segunda-feira. Mercúrio está em quincunce a Marte. Domingo é dia de descanso, de relaxar e por as pernas para o ar, mas hoje as energias discordam disso, tornando o dia super movimentado e caótico, de modo que descansar talvez seja a última coisa que consigamos fazer. Estamos inquietos, ansiosos, envolvemo-nos com inúmeras atividades sem conseguir driblar a inquietude ou insatisfação que paira no fundo da mente e do coração. Nada parece ser suficiente ou capaz de acalmar os anseios e vamos de um ponto a outro, de uma atividade a outra sem conseguir encontrar o alívio para aquilo que nos corrói por dentro. Queremos fazer várias coisas ao mesmo tempo e o conflito gera irritação, embora isso não seja claro para nós imediatamente, predispondo-nos a discussões e beligerâncias verbais. Entretanto, a verborragia está apenas denunciando a ansiedade da alma e neste contexto, antes de falar pelos cotovelos espalhando e dispersando energias sem necessidade, cabe um exame interno rápido que nos faça voltar ao cerne de nossas motivações básicas. A partir disso, podemos lidar com toda a necessidade de movimento programando atividades ao ar livre ou ainda passeios urbanos que propiciem a satisfação da grande curiosidade e onde possamos canalizar nossa inquietude e frustração de forma positiva. Bate-papos e programas que nos permitam a troca de ideias também são uma boa pedida, desde que tenhamos maturidade suficiente para não nos identificarmos demais com nossos pontos de vistas nem ficarmos melindrados com as discordâncias a eles. A noite demanda mais cautela nas interações porque todos estamos mais sensíveis e suscetíveis a nos sentir rejeitados e isolados, mesmo não intencionalmente.

Desejo a você uma semana de soluções e belos recomeços! Que possamos nos livrar das amarras que criamos para nós mesmos e que impedem nossa verdadeira realização!

Chechetta - Reprodução
Chechetta – Reprodução

Para lidar com os desafios da semana, Patrícia Vilela, terapeuta de florais, traz as seguinte sugestões:

Beijinho
Beijinho

“Para a mudança de signo de Vênus, a essência floral indicado pertence ao sistema filhas de Gaia, é o doce “Beijinho” – ele reaviva a capacidade de fluir na vida com leveza, sem resistir às marés, nem remar contra a correnteza. Traz a leveza necessária para lidar com o ritmo estressante da vida, mantendo uma atitude de eficiência e comprometimento, porém sem ser envolvido pela sensação de urgência e sem mergulhar em um turbilhão de intensidades. Favorece o estabelecimento de um ritmo de vida produtivo e eficiente, porém descontraído, no qual há espaço físico e psíquico para se usufruir as belezas da vida e os momentos prazerosos. Pegar leve! Ajuda a reconhecer, aceitar e conviver com os ritmos e ciclos próprios a cada situação e pessoa sem se irritar, impacientar ou estressar, através de uma atitude bem humorada, leve e cooperativa.”

Blackberry
Blackberry

 

“Para a mudança de Mercúrio e para os momentos em que a Lua ficará fora de Curso durante a semana, a sugestão para termos foco e evitar a procrastinação é o Blackberry e o Tansy do sistema da Califórnia. A qualidade que a essência floral Blackberry traz é a da vontade claramente direcionada no mundo, com uma ação decidida, afinal de contas temos que aproveitar a manifestação de um Marte que ainda encontra-se direto. E o Tansy vem combater a letargia, a procrastinação e a incapacidade de agirmos de modo direto, quando temos hábitos que subvertem a nossa verdadeira vontade.”

tansy
Tansy

Patrícia Vaz Vilela
Terapeuta Floral – ASTERFLOR/MS 43
Rua Dourtor Arthur Jorge, 2455
Bairro Monte Castelo
Cep 79010-210
(67) 9245-6604
Campo Grande – MS

Rgul-osr1113.deviantart - Reprodução
Rgul-osr1113.deviantart – Reprodução

Lua Cheia em Virgem: curar e liberar a vida

Justin Ashton
Justin Ashton – Reprodução

Chegamos ao ápice de mais um ciclo, um ciclo de suma importância nas mudanças e transformações individuais e sociais que tomam lugar na nossa era. A Lua é cheia em Virgem hoje, 05 de março, às 15h05min no horário de Brasília e 18h05min no horário de Lisboa. Este ciclo é importante porque, entre outras coisas, temos a última quadratura exata entre os colossos Urano e Plutão, embora eles continuem essa dança tensa ainda por muitos meses, e em dezembro ainda estarão a pouco mais de um grau de distancia da quadratura exata, com Urano estacionário direto, exatamente no dia de Natal. Mas todo ciclo de lunação é importante, porque marca nossa vivência imediata, os desdobramentos dos temas maiores na tessitura dos dias e precipita acontecimentos de grande porte simbolizados pelos aspectos feitos entre os planetas lentos, como a quadratura Urano-Plutão mencionada acima. Numa Lua Cheia as emoções ficam à flor da pele, e sentimos nitidamente que algo está se completando, às vezes de forma ruidosa e explosiva.

alex alemany1
Alex Alemany – Reprodução

O eixo Virgem-Peixes simboliza a experiência arquetípica do serviço e da cura; da ordem e do caos, controle e descontrole; das coisas mundanas e cotidianas versus as coisas etéreas e numinosas; da delimitação e discriminação versus a dissolução de todos os rótulos e categorias. Virgem se preocupa com a limpeza, cuidado e manutenção adequada do corpo, daí sua grande preocupação com a saúde e os rituais que se afinam com os ritmos orgânicos deste corpo. Já Peixes busca dissolver os limites deste corpo tão pesado e o olha de forma mais holística, como um todo que é parte de uma rede, uma teia maior e mais intrincada, ou seja, o próprio cosmos. Por isso este par é associado com a cura e o serviço. Com sua grande habilidade manual, destreza intelectual e busca de perfeição, Virgem é o signo do artesão e Peixes, com sua imaginação luxuriante e ilimitada e a constante busca da beleza, formam um par de grande talento artístico, pois enquanto Peixes capta as vibrações de outros planos e esferas, Virgem manifesta essas captações celestiais em forma de arte, uma arte que pode até curar.

E do que fala essa Lua Cheia? Fala de um grande potencial de cura e liberação de dores e conteúdos antigos e purulentos, feridas supuradas que precisam ser limpas, purgadas, sanadas, curetadas, para que possam finalmente ser deixadas em paz. Sejam estas feridas no corpo ou na alma. 

Lua Cheia em Virgem
Lua cheia em Virgem, mapa para Brasília – 5 de março de 2015, 15h05min

Isso porque a Lua é Cheia a 14°50’ de Virgem, em oposição ao Sol em Peixes, que está em conjunção a Quíron, o símbolo das feridas purulentas, mas também de sabedoria e cura. Os dois luminares estão, pois, envolvidos com essa figura dúbia que é o Centauro Quíron, normalmente chamado de o Curador Ferido, que traz tanto potencial de dor quanto de alívio, indicando que estão afloradas tanto feridas as no feminino quanto no masculino, assim como a as feridas da própria relação masculino-femino.

ULC by yd84
ULC by Yd84deviantart – Reprodução

Apesar da orbe ampla de mais de sete graus, a Lua está ainda em oposição a Netuno. E há pelo menos duas formas de se olhar pra esta configuração Virgem-Peixes formada nesta lunação. Por um lado, a Lua Cheia em Virgem vem nos convidar a tomar pé de situações que tenham andado soltas e largadas, caóticas, descontroladas; a conter os excessos e os dramas emotivos que nos afogam e turvam a capacidade de sermos racionais e objetivos na resolução dos problemas. Assim, Virgem vem nos dizer: “Contenha-se! Controle-se, haja com mais dignidade e coerência!”, advertindo-nos para usar as experiências a nosso favor e não contra. Por outro lado, esse controle não pode ser excessivo ou nos tornamos rígidos e incapazes de sentir. A oposição da Lua em Virgem a Netuno, Sol e Quíron em Peixes solicita um equilíbrio na polaridade, e, a despeito do poder e brilho intenso da Lua, enfatizada está, a necessidade de relaxarmos o controle, quando ele é tão árdua e exageradamente mantido pelo nosso lado Virginiano. De permitirmos que as feridas e dores venham à superfície para serem vistas pelo nosso lado racional, mas que sejam, principalmente, sentidas, transbordadas, limpas, purificadas e re-significadas, sem que isso signifique que iremos encenar um grande drama choroso e sem fim. Não. Virgem é um signo por demais digno e senhor de si para resvalar nisso e mesmo que se permita algumas lágrimas copiosas, elas serão choradas na solidão de sua auto-suficiência. Por isso mesmo é o momento mais adequado de acessarmos esses conteúdos tão estoicamente guardados, porque em Virgem temos a capacidade de lidar com eles sem que eles nos destruam. Liberados tais materiais, podemos proceder com os rituais de purificação, que são tão caros a Virgem e quem sabe até transformar a experiência numa obra de arte que traduza a beleza do que vivenciamos.

De que forma experimentamos a manifestação dessa lunação, depende do extremo em estamos: se nos sentimos perdidos no caos emocional, funcional ou doméstico, é hora se mandar ter vergonha na cara, secar as lágrimas, fazer a faxina, seja da casa ou da alma e ordenar a vida e agir como gente grande; se, por outro lado, viemos retendo tudo, controlando, checando, eretos e rígidos feito uma corda de violino, tentando conter a rachadura do dique com a ponta do dedo, então, talvez seja o momento de deixar a represa estourar e se permitir relaxar o controle. Qual é o seu caso?

Alex Alemany-
Alex Alemany – Reprodução

A Lua cheia também faz outros contatos muito interessantes, tanto por causa da proximidade quanto pela qualidade dos planetas. Faz quincunces a Vênus e a Urano em Áries e faz trígono a Plutão em Capricórnio. Para mim, isso adiciona peso à necessidade de liberação representada conjunção Vênus-Urano em Áries e a capacidade de ser honestos representada por Plutão, além do potencial de grande transformação embutido na relação com estes dois planetas coletivos. Plutão ainda oferece força interior e resiliência para fazermos o que tem que ser feito, já Urano não é tão gentil: ou libera ou libera! Urano e Vênus em Áries também vêm questionar a honestidade do nosso serviço, se somos mesmo tão abnegados ou se ajudamos apenas como forma de fugir de nossas próprias necessidades individuais e nos empurra a perceber que essas necessidades são tão legítimas quanto as daqueles a quem socorremos.

kim sun jim
Kim Sun Jim – Reprodução

Há um ponto de atenção, porém: Mercúrio, regente da Lua Cheia, está um tanto isolado em Aquário, fazendo apenas aspectos separativos (que já aconteceram) e muito amplos, a Júpiter em Leão e a Vênus e Urano em Áries. Há o risco de nos encastelarmos e nos isolarmos em nossa dor, ou pior, em nossa mente, racionalizando de forma excessiva e usando a dádiva do serviço ou o controle, já mencionado, como escudo que nos proteja de tudo, inclusive da vida em si.

Nessa mesma linha, o símbolo Sabiano do grau 14 de Virgem traz a imagem de “um fino lenço ornamental de renda, relíquia de família”. Lynda Hill diz que este símbolo fala de “emoções e da delicadeza de sentimentos, além de se estar preparado para expressar as próprias emoções. Freqüentemente o lenço ornamental mostra alguém que tem problemas em se mostrar sentimental, emocional e em perder o controle e chorar. Entretanto, pode também mostrar alguém que está sempre pronto e disponível para as pessoas que precisam de um ombro amigo para chorar ou um ouvido gentil que as ouça”. O símbolo fala ainda da “atenção aos detalhes, de valor e bravura, hipersensibilidade, maquiagem, acessórios, perfumes e coisas bonitas e delicadas, mas também de estórias chorosas artificiais, de falsa compaixão pelos outros, do passado que deve ser esquecido, de perfeccionismo doentio, de lágrimas de crocodilo”. Como vemos, realmente é uma questão de controle, de manter ou relaxar. De acessar os sentimentos em toda a sua delicadeza, permitindo-se ter e expressar compaixão na hora adequada. No extremo oposto, requer cuidado para não nos deixarmos manipular por sentimentos artificiais, fabricados para nos impressionar, como lágrimas de crocodilo.

yd84
Yd84 em Deviantar – Reprodução

Aproveitemos as energias dessa lunação poderosa mas humilde e nos perguntemos: onde, na minha vida, preciso exercer mais controle e ordem? Onde preciso relaxar? Onde preciso soltar, largar e liberar conteúdos antigos e dolorosos que só ocupam espaços na alma e na vida? Que áreas de vida preciso limpar e purificar e me tornar de novo, “alvo como a neve”? Quando é que permito que a ajuda e os cuidados com o outro sejam fuga das minhas próprias questões? Porventura em algum momento da vida me pego “fabricando sentimentos” para controlar e manipular a outros? Ou me percebo caindo nas estórias artificiais engendradas por terceiros para iludir e enganar?

entidade
Reprodução

Sendo Virgem um signo de limpeza e purificação, essa, especialmente, sugere liberação de mágoas, cura de feridas antigas  e uma volta ao estado virginal original da alma, um estado virginal que não significa uma página em branco e sem escritas simbolizando falta de experiências, mas antes, um estado virginal de quem tem compaixão por si mesmo e suas imperfeições, de quem se aceita e se perdoa, tornando-se puro e imaculado. É um dia favorável para os rituais de purificação, que sejam feitos com banhos de ervas, com limpeza da casa, com liberação de coisas obsoletas que não usamos mais; para liberação e doação de itens que não usamos, mas que ainda podem ser úteis para outros. Como Virgem rege os animais domésticos, a energia também é propícia para passar mais tempo com os bichos de estimação, que, além da troca afetiva, também prestam grande serviço a nós, funcionando como filtro energético e limpando e ativando as energias paradas da casa.

Escolha seu ritual e purifique-se! Libere a dor, as mágoas, libere a vida!

Feliz Lua cheia para você!

Ego x Self
Reprodução

Nota: Pessoas que têm planetas entre os graus 8 e 20 de Virgem e Peixes e também de Gêmeos e Sagitário são mais afetadas por esta lunação. Os efeitos são sentidos de acordo com a casa em que a lunação ocorre.