Arquivo da tag: Marte retrógrado

A Semana Astrológica – Em Pé de Guerra

Eclipse Total do Sol Março/2016, visto da Indonésia – Desconheço o autor da imagem

… ou Combatendo o Bom Combate!

Semana de 20 a 26 de fevereiro – Semana de muitas tensões e extrema beligerância, que pede muito sangue frio e tolerância. O Minguante propicia as eliminações, reavaliações e projeções para o próximo ciclo.

Começamos uma semana cheia de novidades, de muita ação, mas também de tensão extrema! Uma semana explosiva, que vai demandar muita cabeça fria, flexibilidade, tolerância, e muito espírito de “paz e amor” se for para não nos envolvermos em confusões – e até violência – desnecessárias.

Birth Chart Painting – Reprodução

O Sol, já em Peixes, vai navegando calmamente em direção a Netuno… Até encontrá-lo, não faz aspectos com mais ninguém, apenas recebe os eventuais aspectos lunares… A Lua Nova e Eclipse Total do Sol, aliás, acontece em conjunção com o Senhor dos Mares, e os três, Lua, Sol e Netuno estão fundidos entre si e sem fazer aspectos a outros planetas. Isso sugeriria um período de gentileza, de sensibilidade, de cura e muita criatividade, no sentido mais positivo… Olhando pelo outro lado, pode haver propensão a escapismos, alienação, teimosia em não se encarar a realidade. Este eclipse faz parte da Série Saros 140, que é uma família de eclipses até positiva, que fala de boas surpresas, de golpes de sorte, de eventos afortunados… Contudo, eclipses sempre trazem em si uma qualidade selvagem e imprevisível, as coisas ficam muito intensificadas e podem sair de controle na área de vida representada pela casa do mapa natal em que eles acontecem – e controle é o que parece mais difícil de se ter por estes dias. E no caso deste eclipse em específico, o problema maior é o fato de seu dispositor tradicional estar engalfinhado numa luta estrepitosa com Urano, Marte e Plutão, aumentando a possibilidade de eventos inesperados, humores ácidos, belicosidade e intolerância, que podem facilmente descambar para a violência, caso os envolvidos se deixem levar pela impulsividade e a intransigência.

Reprodução

Tudo isso porque Marte, o planeta da vontade e da assertividade, vem jogar lenha na fogueira dessa configuração, ou funcionar como estopim de um cenário já bastante hostil. Marte faz primeiro quadratura a Plutão em Capricórnio, depois conjunção a Urano e em seguida oposição a Júpiter, botando todo mundo em pé de guerra. E vale se perguntar: por que EU, individualmente, estou neste clima belicoso? Preciso mesmo entrar “nessa onda” de hostilidade? Com que cabeça estou pensando, com a minha ou com a da massa? – e neste caso, nem há “cabeça” pensante! Auto-observação e atenção permanente no presente são vitais!

Reprodução

Por que tudo isso? Marte em Áries já é um amante dos riscos, um guerreiro sanguinário que desafia o perigo só pelo gosto de fazê-lo, chegando mesmo a ser temerário – é o Deus Ares interessado somente em guerra! A conjunção a Urano aumenta exponencialmente essa qualidade temerária, a impaciência e a intolerância, chegando ao ponto do extremismo, agregando ainda a rebeldia e o radicalismo, algo que é ampliado, amplificado, multiplicado muitas vezes pela oposição a Júpiter, que ainda adiciona, ímpeto e fervor ideológico e religioso e joga mais combustível num incêndio já descontrolado… Por fim, Plutão intensifica, adiciona conflitos de poder e torna tudo questão de vida ou morte – ou pelo menos é assim que as pessoas tendem a sentir quando se trata de aspectos tensos entre Marte e Plutão. Outra coisa que torna tudo isso ainda mais volátil é o fato de termos muito Fogo ativado por toda a semana – imagine então na semana que vem, quando a Lua em Áries fizer conjunção a Marte e a Urano! –  somente Plutão em Terra (Capricórnio) e pouco Ar, com apenas Mercúrio e Júpiter neste elemento e a Lua entre quinta e sábado – Mercúrio, aliás, será crucial para nos ajudar a manter a racionalidade nesses tempos intempestivos de instintos enlouquecidos.

Padrão de Mapa Tigela

Também é interessante de se notar que atualmente temos no céu uma configuração de tigela, com todos os planetas compreendidos em 180 graus do cinturão zodiacal, tigela que tem como líder, Júpiter, o planeta da Boa Sorte, mas também dos exageros e excessos, do fanatismo e irresponsabilidade. Na outra ponta da tigela está Urano. Isso cria ênfase e foco na área dessa “tigela”, que vai de Libra a Áries, e também sugere muita subjetividade, a objetividade da leitura do mundo ficando um pouco comprometida – cada um vê os problemas sociais e coletivos (todos os signos de Libra a Áries) a partir de uma visão afunilada e muito pessoal, faltando, talvez, a perspectiva histórica e mais desapegada das coisas. Portanto, é preciso manter a cabeça fria e no seu devido lugar – e olhe que Marte e Áries regem a cabeça! – e ainda fincar os pés no chão, para não dar cabeçadas por aí, literal ou figurativamente, e para poder utilizar essas influências explosivas de maneira positiva, para nos posicionar de maneira assertiva e firme sobre coisas com as quais talvez não tenhamos conseguido lidar até aqui, talvez por insegurança ou incerteza… Positivamente essa configuração representa um momento de romper definitivamente com aquilo que nos impede de avançar rumo aos nosso objetivos, mas tendo essa percepção de que tais impedimentos começam em nós mesmos e apenas reverberam no exterior. Há muito dinamismo e energia que podem ser utilizados para muitas realizações, SE conseguirmos lidar com isso de forma adulta e ajuizada.

Reprodução

Entretanto, para utilizar essas configurações construtivamente, é preciso muita atenção porque essas influências são extremamente voláteis e de difícil controle, demandando que as emoções estejam sob contenção madura e responsável – esta é uma semana em que temos que ser muito racionais e relevar muitas coisas e muitas pequenas irritações. O clima é de guerra, mas nós podemos escolher SE queremos estar em guerra; podemos escolher também quais guerras valem a pena se lutar. Por outro lado, se, em alguma situação nos percebermos sem alternativas a não ser entrar na briga, é essencial ter clareza das nossas motivações para nos envolvermos no conflito. Contra o quê estamos guerreando? Por que? As batalhas egoicas estão fadadas a serem perdidas de maneira bastante destrutiva e até humilhante, mas há outras que podem trazer ganhos substanciais. Podemos combater o bom combate, mas para isso é preciso ter integridade e firmeza de caráter, para primeiro empreender o confronto consigo mesmo: combater, dentro de nós, o dragão da intolerância, o monstro do egoísmo cru e bruto, combater o ogro da irracionalidade, a deturpação de fatos para justificar nossos interesses mesquinhos, combater o ethos de “os fins justificam os meios” – antes de acusar aos outros de todos esses “pecados”… Então, há a guerra boa e frutífera e é aquela combatida contra nossos próprios demônios interiores e essa é uma oportunidade formidável para empreendermos esse combate!

Vebston Rose – Tumblr – Reprodução

Em termos práticos, essa configuração pode representar conflitos violentos, desde os banais, como brigas de trânsito, àqueles motivados por ideologias e crenças; simboliza também acidentes que ocorrem por impulsividade, precipitação e frustrações mal resolvidas; pode significar incêndios que saem de controle; conflitos sociais em que a consciência individual deixa de existir porque desaparece no meio da massa, é suplantada pelo fervor coletivo, algo que pode ser muito, muito perigoso – cuidado com as aglomerações! Devido ao eclipse e aos planetas envolvidos, Marte pode ser o gatilho para “acidentes” com grande número de vítimas ou mesmo cataclismos naturais. Considerando o cenário político e social atual no Brasil e no mundo, essa configuração Júpiter-Urano-Plutão representa um barril de pólvora e Marte é o estopim que dá início à explosão – e com o Carnaval acontecendo bem no ápice de tudo isso, é preciso escolher os programas carnavalescos com muita sabedoria e de preferência maneirar no álcool e na ingestão de substâncias em geral! Portanto, quem puder evitar se envolver em discussões, disputas e conflitos desnecessários, faz muito bem. Evitar propagar o clima belicoso, as “más notícias” ou inverdades por aí também é aconselhável porque com tanta irracionalidade no ar, tudo é motivo para começar uma briga. Precisamos nos responsabilizar pela atmosfera que criamos ao nosso redor, onde estamos e aonde formos. Não podemos “pagar” de ingênuos e inocentes, se não nos responsabilizamos por nossos pensamentos, palavras, atitudes, omissões e emanações energéticas. Para nos ajudar a manter a cabeça fria neste período, é recomendável muita meditação – que pode ser ativa, para movimentar o corpo – exercícios de ancoragem e enraizamento, respiração, e muita, muita paciência e tolerância em todas as interações.

Reprodução

Vênus já está muito desacelerada, a cerca de apenas três graus do seu ponto estacionário. Assiste à briga cardinal de longe, mas antes de entrar nessa luta, ela recua. Mas isso não quer dizer que, a seu modo, não coloque também lenha nessa fogueira. Isso porque vai travar uma outra luta, de outro cunho, em outra dimensão. Ao ficar retrógrada, Vênus desce ao Mundo Inferior, onde fará a Conjunção Inferior ao Sol, ficando entre o Sol e a Terra. Para os antigos povos meso-américos, Maias e Astecas, que acompanhavam muito de perto o trânsito de Vênus em todas as suas fases, essa era uma época bastante temerária, em que eles se preparavam para as guerras, porque a partir da retrogradação e depois que começar a surgir no Leste como Estrela da manhã, nascendo antes do Sol, Vênus, planeta da conciliação e da diplomacia, assume seu lado de guerreira sanguinária, especialmente estando em Áries – portanto, é mais um dado que inspira cuidados nestes tempos inflamáveis.

Rafael Olbinski – Reprodução

Quando Vênus entra em retrogradação é tempo rever e reavaliar nossos valores, nossos afetos e relações, nossa autoestima, a gestão dos nossos recursos, materiais e imateriais. Neste período, é recomendável que se evite fazer investimentos de grande porte, como abrir novos negócios – especialmente se forem em área relacionada à estética, arte, beleza, etc – a possibilidade de prejuízos é grande. Também não é um período favorável para cirurgias estéticas ou outras intervenções de grande impacto na aparência física, como mudanças radicais no corte ou cor do cabelo – talvez nada de trágico ocorra, mas há propensão a desapontamentos e e frustrações com os resultados, às vezes difíceis de serem revertidos. Vênus ficará retrógrada de 04 de março a 16 de abril.

Reprodução

Mercúrio está bastante ativo nestes dias e, como já disse, será crucial para nos ajudar a manter a cabeça no lugar, até entrar em Peixes. Tem conversas afinadas com seus dois dispositores, Urano e Saturno, além de também se harmonizar com Júpiter. Isso, além de trazer fluidez às comunicações, talvez nos ajude bastante e traga um mínimo de frieza e objetividade nos dias mais voláteis que temos pela frente – afinal, combater fogo com fogo só criará um incêndio de grandes proporções, em compensação, se mantivermos a mente em ordem, o fogo poderá ser controlado. Entretanto, Mercúrio ingressa em Peixes no dia 25, sábado, e já não conseguimos ter tanta clareza e distanciamento, pelo contrário, ficamos um tanto confusos, desconcertados, talvez até vacilando em algum momento capital. Por outro lado, Mercúrio em Peixes talvez agregue um pouco de gentileza e empatia a esse clima agressivo da semana.

Claudia Fernety – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Minguante em Sagitário. Torna-se Balsâmica em Capricórnio na quarta-feira, desapega-se dos restos do ciclo em Aquário e finalmente se renova no domingo, dia 26, na Lua Nova e Eclipse Total do Sol em Peixes.

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 20 de fevereiro – A Lua está minguante em Sagitário e tem uma conversa cerebral com Mercúrio em Aquário e bate um papo ainda mais “cabeça” com Marte em Áries e depois com Urano. A Lua também quadra Kíron, se rejubila com seu regente Júpiter e faz conjunção a Saturno, ficando vazia depois deste aspecto, às 20h39min. Mercúrio está em sextil exato a Urano. Marte está já muito próximo da quadratura a Plutão. Começamos uma semana bastante tensa com influências que nos ajudam a olhar longe e a projetar as inúmeras possibilidades diante de nós. É tempo de ponderar tais possibilidades com muita sabedoria, antecipando possíveis desfechos para não nos surpreendermos com resultados desagradáveis por falta de “assuntar” o próprio coração e intuição. A intuição, aliás, está bem aguçada hoje e quem for esperto tirará alguns minutos para sondar a própria alma e essa intuição que se oferece tão generosamente. Já podemos antever a fúria desse Marte e seus planos belicosos para os próximos dias e podemos respirar fundo e nos encher de coragem e vigor, mas lembrando de botar o pé no chão, porque existe sim, muita audácia, destemor, e até entusiasmo para uma boa briga, mas esse ímpeto está um tanto descontrolado e carece de bom senso e o resultado da briga fica muito imprevisível, de modo que temos sim, muito a perder. Assim, o dia traz a oportunidade de irmos nos desfazendo das crenças opiniosas, dos fervores apaixonados que não nos deixam enxergar um palmo adiante do nariz e das certezas absolutas; especialmente, nos desapegar dos sofrimentos, do medo de perder ou de quaisquer outros medos, que paradoxalmente nos deixam mais suscetíveis – de modo que possamos estar mais leves e menos apegados ao que quer que seja, especialmente, desapegados da expectativa de resultados. De modo mais prático, o dia está dinâmico e animado, com muita energia de realização, mas também de diversão, de maneira que podemos nos entregar a tarefas que exigem concentração e comprometimento com alegria e entusiasmo.

TERÇA-FEIRA, 21 de fevereiro – Mercúrio ainda está em sextil exato a Urano. A Lua está fora de curso em Sagitário nas primeiras horas do dia, ingressando em Capricórnio às 04h08min, de onde conversa harmoniosamente com o Sol Pisciano, que está em conjunção ao Nodo Sul. A Lua fecha a noite em sextil a Netuno e quadratura a Vênus, aspectos não exatos. O dia traz boas chances de trabalharmos de maneira focada, continuando a traçar nossas estratégias de longo prazo, reavaliando e descartando as estratégias antigas que já não estão funcionando mais, assim como as ferramentas, ou projetos e ideias que se revelaram não proveitosos ou que não estejam saindo como imaginávamos. É recomendável que sejamos realistas e práticos quanto a isso, que encaremos tais descartes sem apegos e sem ilusões de que “ainda poderia dar certo se apenas…”. O Sol conjunto ao Nodo Sul alerta para a tendência de nos apegarmos a essas fantasias tolas e perdermos tempo e energia devaneando sobre elas, ao invés de focarmos nas formas práticas e concisas de prestar serviço e ajuda. Positivamente, essa conjunção do Sol ao Nodo Sul ilumina os padrões escapistas, fantasiosos ou vitimistas aos quais talvez ainda estejamos atrelados, propiciando a consciência necessária para nos movermos na direção de maior autossuficiência e responsabilidade por nossos processos. A Lua no signo da Cabra traz bom senso e pé no chão, um bom senso que é temperado pela amorosidade de Peixes. Contudo, com a Lua no frio Capricórnio e Marte emaranhado nesta configuração bélica, ainda precisamos cuidar da propensão ao humor mordaz e sarcástico, o que pode fomentar a atmosfera hostil e melindrosa – o dispositor da Lua, Saturno, segue em quadratura a Kíron – que em nada contribui com nossos intentos maiores. Antes de dar aquela “patada”, respirar e pensar duas vezes, contar até 10, até 100…

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 22 de fevereiro – Marte em Áries está em quadratura exata a Plutão em Capricórnio e muito perto da conjunção a Urano e da oposição a Júpiter. A Lua une armas com Plutão e aumenta a tensão na briga com Marte-Urano e Júpiter. Antes ela se afina com Netuno, mas briga com Vênus. A Lua também faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Balsâmica. Um dos dias mais tensos do período, quem sabe até do ano, começa por uma dificuldade grande em expressar o que estamos sentindo de maneira efetiva e essa confusão interna já aumenta o mau humor, que vai escalando com a impaciência, a irritabilidade e o alto grau de intolerância.  Há fortes interesse egoicos em jogo e o desejo de vencer a qualquer preço, custe o que custar, enquanto o “outro lado” também tem tanto ímpeto de ganhar quanto nós mesmos, dessa forma, temos uma conflagração de muita competitividade que pode chegar a disputas bastante irracionais e conflitos de poder, já que não temos nenhum desprendimento e tudo é visto como uma questão de vida ou morte em que os interesses e a própria vida estão ameaçados. A besta selvagem irrompe dentro de nós, mas as forças oponentes são formidáveis e mesmo os “desavisados” podem ser pegos no meio do “tiroteio”. Se por um lado essas influências, de fato, nos incitam à briga, por outro, é bom termos bastante clareza do porquê e pelo quê estamos brigando e de preferência, se temos que brigar, que seja por interesses maiores do que o nosso umbigo, pelo grupo e não apenas pelos nossos interesses egoístas, porque neste caso, é mais provável que percamos de maneira irrevogável, já que as forças contra as quais lutamos são muito poderosas. De qualquer maneira, é necessário todo o autocontrole de que pudermos dispor, se for para lidarmos com tais influências de forma positiva e construtiva. Autocontrole, cabeça fria, paciência, tolerância e sobretudo, alto grau de integridade para sabermos que o “inimigo” que combatemos lá fora é apenas reflexo das forças sombrias que reinam aqui dentro. Esses trânsitos demandam que canalizemos a força, a raiva e a energia intensa em trabalhos construtivos onde possamos jogar toda essa energia beligerante – trabalho árduo e focado em algo que favoreça ao todo. De maneira mais prática, o dia está carregado de muita tensão e animosidade e convém termos muita cautela em todas as interações, mesmo no trânsito, com estranhos, por exemplo; convém evitarmos também nos colocarmos em situações de risco desnecessário, como ficar altas horas em regiões que não conhecemos ou empreender atividades perigosas que não se domina – grande propensão a acidentes. A Lua fica Balsâmica na conjunção a Plutão e nos convida a abrir mão da sede de domínio sobre o outro, priorizando o domínio sobre nós mesmos e nossas emoções e sentimentos intensos; a perceber nossas fraquezas morais, ao invés de simplesmente imputá-las a outros… destruir as estruturas de poder que escravizam o ser humano, em lugar de humanizá-lo… Somente a partir disso poderemos olhar para o futuro e prospectar um amanhã de mais justiça e ética… Do contrário, o futuro poderá ser bastante sombrio…

Reprodução – Desconheço o autor

QUINTA-FEIRA, 23 de fevereiro – De Capricórnio a Lua completa a quadratura a Júpiter em Libra, ficando vazia logo depois, à 00h25min, ingressando em Aquário somente às 14h18min, ficando isolada por muitas horas. Mercúrio está em sextil ao seu outro dispositor, Saturno e ainda em sextil a Urano e trígono a Júpiter. Marte segue marchando para juntar forças a Urano, contra Júpiter e Plutão. Mercúrio e Saturno hoje funcionam como dois mediadores importantes no clima de guerra atual e sugerem que devemos nos ater à verdade, mas sabendo que existem muitas verdades e nenhuma delas é absoluta. Mercúrio-Saturno também trazem alguma ponderação, bom senso e entram na briga entre Júpiter e Marte-Urano com o providencial “deixa disso, vamos conversar!”. Quando não não há bom senso, qualquer rasgo de equilíbrio e ponderação pode fazer algum milagre e é nisso que precisamos nos segurar e ancorar: buscar equilíbrio e sensatez para não espiralar nesse clima hostil que nos cerca… Ponderar nos nossos excessos, enfrentar nossa voracidade por poder, controle e domínio sobre os outros e sobre o ambiente… Aonde nos levará tudo isso? Certamente que já podemos intuir e olhar ao longe para saber que corremos o risco de ser soterrados sob os escombros da nossa própria arrogância, irracionalidade e insensatez e mais tarde não poderemos alegar que “não sabíamos” onde estávamos nos metendo… Será mesmo que os fins justificam os meios? Será que as perdas e danos serão mesmo compensados pelos ganhos? Haverá ganhos, porventura? Em terra de olho por olho, todos acabam por ficar cegos e cega está a razão quando enveredamos por este caminho. A tarde talvez o mau humor e o azedume arrefeçam um pouco porque conseguimos olhar a tudo com uma certa indiferença, a ponto de coisas que antes nos tiravam do sério agora já não nos interessam tanto. Podemos tirar essas horas de isolamento para acalmar os ânimos vertiginosos dos últimos dias, acalmar a mente e o coração e ter uma perspectiva mais fria e isenta de envolvimentos pessoais e subjetivos.

Zero1122 – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 24 de fevereiro – Marte está ombro a ombro com Urano e em oposição, também próxima a Júpiter, enquanto se afasta da quadratura a Plutão. De Aquário a Lua se entende com Vênus em Áries e fecha a noite em harmonia com Marte-Urano, aspectos não exatos. A Lua Aquariana soma forças a Mercúrio – embora não faça aspecto a ele hoje – e vem nos ajudar a ter um pouco mais distanciamento nestes dias em que todos estão de cabeça quente, comprando brigas à toa. Hoje, ter esse distanciamento emocional pode salvar o dia, o humor, as relações e talvez até coisas maiores e mais importantes. Temos alguma clareza para olhar para o futuro e prever alguns desfechos das situações em que nos encontramos, de forma que podemos tomar as atitudes mais adequadas com clareza e objetividade, se conseguirmos manter os instintos e a irracionalidade sob controle, de modo a arrefecer um pouco os ânimos exaltados ao nosso redor. Se estivermos dispostos a nos observar de forma fria e objetiva, podemos entender porque nos incendiamos em certos momentos, o que ativa nossos gatilhos emocionais, a ponto de nos tirar do eixo e de nos tornar tão reativos e desequilibrados. Essa percepção pode nos levar a admitir muitas falhas, esse lado menos nobre e mais feral da nossa natureza, aceitando e iluminando-o, para humanizá-lo, a ponto de não nos amedrontar tanto. A despeito de tudo isso, o clima continua hostil no mundo exterior e segue desafiando nossa serenidade e autocontrole. Atenção total com os gatilhos!

Reprodução

SÁBADO, 25 de fevereiro – A Lua Balsâmica Aquariana se afina com Marte e Urano e depois também com Saturno, ficando fora de curso depois desta conversa, às 15h12min. Ingressa em Peixes às 21h25min e logo faz conjunção a Mercúrio, que ingressa neste signo um pouco antes, às 20h08min. Nesta semana intempestiva de contendas e discórdias inúmeras, tivemos e continuamos a ter a oportunidade de combater a insensatez, os ódios e a agressividade destrutiva dentro de nós – somente assim podemos combatê-los fora de nós, porque só conseguimos combater lá fora o que já vencemos aqui dentro. E hoje, mais uma vez, temos possibilidade de dialogar com esse nosso lado impetuoso, feroz e impulsivo de maneira desapegada, procurando entender suas motivações mais profundas. E, se por um lado podemos ser “animados” por tal ímpeto, por outro, podemos também ter efeito calmante sobre esta pequena besta selvagem, tentando conduzi-la e domá-la minimamente, argumentando com ela e mostrando que há outras maneiras menos selvagens de se buscar e se conquistar o que se quer. Temos uma pequena trégua que nos permite equilibrar a necessidade de autoafirmação que tem estado imperiosa, com a as obrigações e deveres – contra os quais temos nos rebelado recentemente – de maneira menos dramática e menos intensa, com um senso mais acurado de concepção e perspectiva. À noite o clima muda radicalmente e ficamos mais impressionáveis e sensíveis, agudamente mais sensíveis, talvez até tendo pressentimentos indefiníveis, que nos deixam um tanto desassossegados, querendo correr para as montanhas, intuindo o tsunami. Sim, há sensação de tsunami emocional prestes a acontecer e os alarmes, longe de nos deixar em pânico, devem apenas nos ajudar a nos preparar para deixar que as grandes águas levem tudo de que não precisamos mais, que nos banhem e nos purifiquem nossas empresas egoicas, para que elas beneficiem também a outros, para que sejam mais  inclusivas e amorosas; para que percebamos como são efêmeras e irreais as ilusões de poder terreno pelo qual brigamos e nos desgastamos tanto… É inútil, é fútil e já nem entendemos direito porque começamos a tal guerra… Se chegamos a tal ponto, que bom! Estamos prontos a abrir mão do controle e do poder… Se ainda insistimos… Vamos para mais um round de batidas de cabeça, até que uma hora tenhamos a prendido, mesmo a duras penas… Se a cabeça é dura, que aguente as pancadas!

Reprodução – Intervenção: Maria Eunice Sousa

DOMINGO, 26 de fevereiro – Temos a Lua Nova e Eclipse Total do Sol ocorrendo às 11h59min d manhã, a 08°12’ de Peixes – a Lua Nova ocorre em conjunção a Netuno e ao Nodo Sul. Como se não bastasse, Marte está em conjunção partil a Urano e em oposição quase exata a Júpiter. A Lua fecha a noite em sextil a Plutão. A Lua Nova e Eclipse solar ocorrem em conjunção próxima a Netuno e afastando-se de conjunção a Mercúrio (ampla) e estes são os únicos aspectos que Lua e Sol fazem. A Lua Nova Nova convida a lançar ou refazer nossas intenções para o novo ciclo, o ciclo de Peixes, da amorosidade, altruísmo e gentileza. Convida a finalizar processos, já que estamos no ultimo ciclo do ano astrológico, para que possamos iniciar o novo ano desobrigados e leves das pendências inacabadas e de eventuais esqueletos que não tenhamos enterrado devidamente. Por si só, a Lua Nova sugere um tempo de perdão e inclusão, de redenção e cura, da empatia que salva e humaniza, diminuindo as barreiras e os limites humanos. Seria uma Lua Nova gentil e benéfica, não fosse pela configuração em que seu regente tradicional, Júpiter, está emaranhado: como já sabemos, Júpiter está numa dança feroz com Urano e Plutão e justamente hoje, Marte tira o pino da granada que joga tudo pelos ares, ao fazer conjunção partil, exata, a Urano poucas horas depois da Lua Nova/Eclipse e fazer a oposição exata a Júpiter cerca de 24 horas depois da Lua Nova. Tudo isso nos diz que o domingo traz influências muito contraditórias, confusas e indistintas, que podem causar muita ansiedade, comportamentos irracionais, reações imprevisíveis e intensificar soberbamente os ânimos… Cuidado quem for cair na folia no sábado e domingo de Carnaval!! O domingo pede, pois, muita calma, reclusão, retiro, meditação e serenidade. É fundamental manter-se centrado, ficar na sua e não entrar nas ondas de medo e ansiedade que por acaso percebermos. Respirar, confiar, vibrar amor e paz, é o melhor que temos para o dia. O eclipse será visível em boa parte do Brasil, regiões sul, sudeste, parte do Centro-Oeste e parte do Nordeste, o que indica que essas regiões e seus habitantes serão, definitivamente, afetados! Texto sobre o eclipse ao longo da semana!

Uma semana de muita serenidade para você!

A Semana Astrológica – Rompendo com o insustentável

AP Photo/Northern Virginia Daily, Rich Cooley - Reprodução
AP Photo/Northern Virginia Daily, Rich Cooley – Reprodução

Semana de 27 de junho a 03 de julho – Revisões, avaliações e resoluções drásticas 

Semana de avaliações, análises, reciclagens, descartes, limpezas e faxinas, literais ou metafóricas, simbolizadas pela fase minguante da Lua, ocorrendo já na segunda-feira, em Áries. O Minguante em Áries nos convida a analisar e descartar tudo aquilo que nos impede de ser quem somos, de exercer nossa individualidade no mundo; chama-nos a desafiar a asfixia do clã e da tribo, a deixar para trás aquilo que nos priva de ser pioneiros e seguir nosso próprio caminho. Considerando-se que o regente da Lua, Marte, está retrógrado em Escorpião, esse chamado faz-se ainda mais alto: que vínculos usamos como desculpa para não realizar nossa jornada, para não viver nosso mito pessoal? Marte Rx pede que nos liberemos do ranços e amargores, das velhas histórias de fracassos antigos, se não deu certo no passado, não quer dizer que não possa dar agora – o passado fica no passado, escolhemos o futuro – e voamos livres! Em termo práticos, a Lua ficando minguante em Áries favorece a tomada de decisões sobre coisas que vinham se arrastando e sobre a qual hesitávamos por receio das possíveis perdas.

Jason Charnat - Reprodução
Jason Charnat – Reprodução

E sim, o ponto alto desta semana é Marte voltando ao movimento direto, depois de ficar 74 dias retrógrado entre Sagitário e Escorpião. As coisas tendem a voltar ao seu ritmo normal e gradativamente vamos nos sentindo menos bloqueados. Ufa!!!! Só isso já merece uma super celebração! Mas ainda é preciso cautela. De 29 de junho até 16 de julho, quando o sol faz trígono a Marte, ainda há muita apreensão. Eris Sullivan, autora de Retrograde Planets diz a respeito deste momento único: “a função intuitiva corre alta e ‘sabemos’, instintivamente, que uma situação, circunstancia ou condição é insustentável e que uma mudança radical e aberta deve tomar lugar. Um dispositivo auto-regulamentado é acionado na psique e o sistema se organizará ao redor do problema, para proteger-se a si mesmo, frequentemente resolvendo o problema no inconsciente. O eu interior geralmente nos alerta sobre um potencial invisível, mas ameaçador, na nossa própria psique ou no ambiente externo” (1). Se Marte estacionário toca algum planeta natal ou algum ponto sensível no mapa, como ângulos ou pontos de eclipses, por exemplo, isso pode ativar mudanças dramáticas acerca das áreas representadas pelos planetas ou pontos em questão. O fato é que nossos instintos e intuição estão afiadíssimos nas próximas três semanas, como no momento exato antes do golpe que resolverá a luta.

Mytessia.tumblr - Reprodução
Mytessia.tumblr – Reprodução

Assim, este período pode trazer revelações preciosas a respeito de quaisquer problemas que possamos ter concernentes à função marciana: autoafirmação, autodefesa, assertividade, realização da vontade pessoal. Mais: talvez agora consigamos colocar muitas coisas que ocorreram nos últimos dois meses em perspectiva e percebê-las de forma mais impessoal, vendo-as pelo que foram realmente e não como um puxão de tapete dos céus para conosco… Percebemos nossa responsabilidade no engendramento das coisas. Se olharmos bem, veremos que nós mesmos nos colocamos nas tais situações difíceis das quais reclamamos tanto e dar-nos conta disso, por incrível que pareça, empodera-nos sobremaneira porque então deixamos de ser peões nas mãos dos deuses e nos conscientizamos do nosso papel primordial, responsabilizando-nos pelas atitudes e ações que aos poucos criaram os eventos e “problemas” que atualmente atravessamos. Não é deveras libertador pensar nisso? O que quer que tenha se passado conosco nos últimos 74 dias, agora conseguimos dar a arrancada final para mudar o que precisa ser mudado e arrancar o mal pela raiz.

Reprodução
Reprodução

O Sol faz sesqui-quadratura a este Marte, exatamente no dia em que ele estaciona, sinalizando que talvez muito da impotência permanece nos porões do inconsciente, ainda por ser trabalhada, ainda requerendo ajuste entre o desejo e sua realização – mas é assim mesmo, afinal, a vida nunca está pronta, nós nunca estamos prontos, apenas vamos nos refinando e aperfeiçoando… O resto dos temas que não damos conta hoje, ficam para uma próxima rodada… E assim é. Mais do que apropriado para a vida e a alma humanas. O Sol ainda se enternece com Netuno por trígono, mas se indispõe com Saturno por quincunce – a infinita compaixão e altruísmo que tomam conta de nós precisa ter canal concreto de liberação, canal que respeite nossos próprios limites pessoais e os limites do outro enquanto recebedor do nosso afeto e cuidado. Intimidade e laços verdadeiros só existem quando somos capazes de respeitar o desejo do outro (e o nosso) por liberdade e independência – em última instância, quando respeitamos nossas individualidades mutuamente.

Do Tumblr - Reprodução
Do Tumblr – Reprodução

Mercúrio segue rápido pelo terceiro decanato de Gêmeos, de onde faz quadratura a Quíron, indicando que a mente se depara com o enigma indecifrável daquilo que não pode controlar, mesmo que seja a mente mais treinada e controlada de todos. Como já provou a própria Física, não existe objetividade absoluta porque o objeto é, necessariamente, influenciado pelo seu observador. Assim, nunca saberemos como o objeto se comporta quando não é observado, ou seja, não existe esse negócio de neutralidade, não existe racionalidade pura – somos subjetivos, o mundo, conforme o vemos, é uma criação subjetiva, de acordo com a nossa visão. Assim, ainda não sabemos o que fazer com aquela partícula de caos que volta e meia nos assola e ameça nosso estimado controle… Ah! As prosaicas limitações humanas, como lidar com elas? Como consertar o que não tem conserto? Como navegar numa realidade cheia de imperfeições que não atendem aos comandos da nossa mente super treinada? Aceitando o inexplicável, tal qual é, aceitando, com humildade, que a mente não sabe tudo, nem nunca vai saber – e talvez seja melhor assim – e, diante da vastidão infindável de perguntas sem respostas que atormentam essa mente, fastidiosa em seu desejo de saber, apenas lembrar Shakespeare: há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia.

Alex Grey - Reprodução
Alex Grey – Reprodução

Mercúrio ingressa em Câncer na quarta-feira, onde fica até o dia 14 de julho. Com Mercúrio em Câncer nossa comunicação fica mais emocional e menos direta, temos dificuldade de dizer as coisas na lata e vamos comendo pelas beiradas. Se por um lado isso é estratégico, por outro, pode enervar as interações, porque esse movimento tangencial muitas vezes se mistura a manipulação, que pode até ser inconsciente, mas ainda é manipulação – atenção para as manipulações midiáticas, que tentam criar dramas maiores no meio politico e econômico a partir de notícias que nada têm a ver com estes assuntos e que atendem a interesses outros, escusos e obscuros. Também podemos confundir as informações que recebemos, visto que estamos mais subjetivos. Por outro lado, a memória e a preservação de documentos em geral ficam favorecidas e adquirimos também um gosto pela contação de histórias, especialmente aquelas que estimulam a imaginação.

Cara Tahayaer and Louie Von Patten - Reprodução
Cara Thayaer and Louie Von Patten – Reprodução

Vênus em Câncer abre caminho adiante do Sol e aos poucos aparece como Estrela Vespertina. Nesta semana ela faz trígono a Netuno em Peixes, quincunce a Saturno, oposição a Plutão em Capricórnio e sextil a Júpiter em Virgem. Todos estes aspectos simbolizam dias movimentados na área dos relacionamentos, especialmente os afetivos. Algumas discrepâncias surgem e nos obrigam a lidar com nossas idealizações, a tentativa de fuga da realidade e as projeções que jogamos sobre o outro. No início da semana estamos mais sensíveis e amorosos, mas tudo é intercalado por inseguranças e receios, o que nos leva a buscar a reafirmação do afeto do outro, que pode se irritar com nossa insegurança e percebê-la como grude desnecessário, portanto, antes de ventilar tais inseguranças, verifiquemos se elas têm fundamento ou se são apenas nossas neuroses recrudescendo.

Reprodução
Reprodução

Na sexta-feira, dia dela, os anseios de intimidade profunda dessa Vênus ultra-sensível colidem com a frustração seca vinda de Plutão. E quanto menos temos, mais queremos, num jogo compulsivo que pode implodir qualquer relação ou autoestima. Todos esses movimentos Venusianos requerem que estejamos atentos a nós mesmos e às nossas atitudes e reações, para que as relações não sofram desnecessariamente. Podemos agir irracionalmente, compulsivamente, acreditando que o outro é a própria razão da nossa sobrevivência, quando na verdade, estamos distorcendo, e muito, o poder que damos a esse outro sobre nossas emoções e sentimentos. Da mesma maneira, situações de domínio, controle e jogos de poder podem irromper, criando atritos que podem ser tanto extremamente excitantes quanto destrutivos. Subjacente a tudo isso está a necessidade de a relação se transformar e se aprofundar, de termos coragem de nos revelar realmente para o outro, se a confiança da relação permite tal nível de intimidade e desnudamento – mas daí, se não há tanta confiança assim, por que estamos nessa relação, afinal? Perguntas desconfortáveis dos confrontos de Vênus-Plutão. Em termos práticos, Vênus em contato com Netuno e Júpiter sinaliza oportunidades de novos investimentos, mas aponta para riscos no fim da semana quando fizer oposição a Plutão.

Matteo Arfanotti - Reprodução
Matteo Arfanotti – Reprodução

A Lua abre a semana sendo Minguante em Áries. Torna-se Balsâmica em Touro e desebriga-se dos excessos mentais em Gêmeos, para findar o domingo já em Câncer, prestes a ser Nova. A Lua será nova na segunda-feira, dia 04, às 08h01min no horário de Brasília e às 12h01min no horário de Lisboa, a 12°53’ de Câncer.

Ashkan Honarvar - Fragility vs Strength - Reprodução
Ashkan Honarvar – Fragility vs Strength – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 27 de junho – A Lua abriu o dia vazia em Peixes e ingressou em Áries às 04h08min. De Áries ela faz quadratura ao Sol, entrando na fase Minguante às 15h18min. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a seu regente, Marte e fecha a noite já em trígono a Saturno. Vênus está em trígono pleno a Netuno e quincunce, também exato, a Saturno. Mercúrio está em quadratura exata a Quíron. Ao invés da preguiça e do enfado, a “segundona” começa cheia de gás. Motivados pelas muitas coisas que temos a fazer, pulamos cedo da cama e já saímos deixando nossa marca no mundo, super “fazedouros”. Uma crise nos convida, porém, a desacelerar um pouco para verificar que direção tomamos a partir daqui. É hora de avaliar o que fizemos e deixamos de fazer; o que funcionou e o que não deu certo; o que preservamos e o que jogamos fora. Como nos conduzimos no mundo? Como ajustamos a necessidade de independência e autonomia com o desejo de pertencer? Precisamos abrir mão de comportamentos egoístas que previnem a criação dos laços afetivos, sem permitir que tais laços nos tornem dependentes demais ou nos impeçam de ser quem realmente somos. Essas coisas parecem em discrepância, mas são facetas complementares. O sentimento de pertencimento a um clã nos alimenta e dá sentido à individualidade, nos dá senso de propósito; o indivíduo, por outro lado, revigora e desafia a simbiose asfixiante do clã. Como se dá isso em nossa vida? A análise é essencial para sabermos o que devemos deixar minguar dentro de nós e na vida em geral. Há uma colisão entre os ideais de perfeição e a dura realidade, especialmente na esfera das relações. Desejos de vinculação e fusão são desafiados pelas limitações prosaicas do dia a dia, por desentendimentos quanto aos valores básicos e por incongruências difíceis de se harmonizar. Mas aquilo que nos enfastia e irrita, essa chata realidade, pode ser, na verdade, muito salubre e ajudar a tornar nossos afetos mais reais, ajudar-nos a enxergar as pessoas como são e não como gostaríamos que fossem – um dado que pode amadurecer as relações que ainda são muito baseadas em projeções. E podemos descobrir que essa pessoa real e cheia de defeitos é, na verdade, mais fascinante do que aquela fantasia insossa que tínhamos! Sim, a realidade pode nos surpreender positivamente também! As projeções são enganosas e através delas tentamos escapar do que não queremos ver: nossa falibilidade, a constatação de que mesmo a mente mais treinada e sagaz terá que lidar com o plano do real; as restrições de se estar encarnado num corpo e de se precisar funcionar num mundo em que nem tudo pode ser evitado e muito deve ser, ao contrário, apenas aceito. Quando nos damos conta disso, paradoxalmente, libertamo-nos da obrigação de lutar contra ou de tentar escapar a qualquer custo e ficamos livres para curar, transformar ou transmutar aquilo que realmente pode ser curado e transmutado.

TheIndependent.co.uk - Reprodução
TheIndependent.co.uk – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 28 de junho – De Áries a Lua minguante faz quadratura a Plutão em Capricórnio e à sua regida, Vênus em Câncer, formando uma T-Square Cardinal. A Lua ainda faz quincunces a Júpiter, conjunção a Urano e outro quincunce a Marte que – VIVA!!! – estaciona às 20h39min. Pode vir quente que eu estou fervendo, é o mote do dia! Não venha com mimimi ou nhém-nhém-nhém porque não tô com paciência pra frescura… O clima do dia é esse: rápido, vertiginoso, certeiro. Queremos ação e pagamos o preço. O problema é que não contamos com as almas mais sensíveis ao redor que se magoam e tornam tudo mais complicado… Ah! Por que estas pessoas complicam o que é simples? Hummm vamos pensar: será que estas pessoas “complicadas” não carregam uma parte da complicação que seria nossa, mas que teimamos em não admitir? Esse grude xiliquento, que dizemos não ter nada a ver conosco, não demos ao outro de bom grado para carregar? As relações ficam sujeitas a pequenas explosões e conflitos nos desejos: um quer estar solto feito bicho selvagem e o outro quer juntar os troços e os trapinhos, num ninho que é todo amor e  romantismo – equação difícil essa! Alguém tem que ceder ou o caldo entorna, fervente e calcinante! Mas o dia favorece, de fato, às ações independentes e livres – os grudentos que me perdoem, mas liberdade é fundamental! O lado dependente precisa lidar com suas carências hoje, de forma madura, sem dramas, sem manipulações baratas, sem mimimi… Afinal, nem sempre escolher a si mesmo e respeitar a própria individualidade quer dizer, necessariamente, uma recusa definitiva ao outro.

Cara Thayer and Louie Von Patten - Reprodução
Cara Thayer and Louie Von Patten – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 29 de junho – Marte volta ao movimento direto a 23° de Escorpião e testa nosso autocontrole e a gestão de nossas emoções mais brutas e cruas. De Áries a Lua minguante faz sextil a Mercúrio e fica vazia depois disso, às 04h48min. Ingressa em Touro às 07h04min de onde faz sextil ao Sol. Mercúrio ingressa em Câncer às 20h25min. O Sol faz sesqui-quadratura ao Marte estacionário. Os sonhos da madrugada podem ser muito elucidativos acerca das batalhas que andamos travando ultimamente. Talvez alguns insights tragam luz e processos que antes pareciam deveras enigmáticos agora tornam-se simples e acessíveis à compreensão. O resto dia vem num vagar que pede ruminação cuidadosa dos conteúdos emocionais, das sensações corporais e do que quer que tenha ficado retido ou estagnado na alma ou nas entranhas. Um ponto de luz cintila diante de nós, na nossa mente, ou mesmo diante dos nossos olhos… Atraindo nossa atenção para aquilo que talvez não estivéssemos prontos para ver, até agora – é questão de se ficar atento. Em termos práticos o dia está favorável para se adotar posturas pragmáticas e alinharmos objetivos e necessidades de forma harmoniosa. Cuidar do corpo e da alma e permitir-nos um bom e merecido descanso regado a alguns pequenos luxos e prazeres no fim do dia! Com Vênus, regente da Lua, em oposição a Plutão a noite favorece a paixão e a sensualidade – amantes, aproveitem!

Rinha de Touros, Arequipa, Peru - Reprodução
Rinha de Touros, Arequipa, Peru – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 30 DE JUNHO – A Lua, minguante em Touro, faz quincunce a Saturno em Sagitário e sextil a Netuno em Peixes na madrugada. Pela manhã ela forma um Grande Trígono em Terra com Júpiter em Virgem e Plutão em Capricórnio e como também faz sextil a Vênus, esta torna-se foco de uma Pipa – Vênus, aliás, vira a noite em oposição exata a Plutão. A Lua faz oposição a Marte e fica vazia depois, às 21h19min. Um sonho lindo que teima em ser interrompido por ruídos externos ou por algum inconveniente, dentro do próprio sonho, que macula a perfeição onírica… Que pena, acordamos meio ressentidos.  Mas o dia segue firme e nos dá ancoragem para realizar muita coisas, inclusive aquelas tarefas que parecem chatas e corriqueiras – opa, está para nós! Temos oportunidades de sintonizar com um pragmatismo que nos faz tomar boas decisões de cunho concreto e que nos ajudam na administração material e na boa gestão dos nossos recursos, o que, além de nos trazer dividendos reais, pode energizar nossa autoestima. Temos equilíbrio e sobriedade bastante para saber que riscos valem a pena correr e quais são mera especulação, implicando grande potencial de perdas. À noite o tempo fecha geral: Marte, ainda estacionário, recebe a oposição da Lua em Touro. Há grande propensão a inflexibilidade e a conflitos, porque estamos irritáveis e intolerantes, predispostos a bater boca só para nos fazer notar ou talvez para fazer valer nossa vontade, mesmo que ela seja duvidosa. Considerando-se que Vênus, regente da Lua, está em oposição a Plutão, o outro regente de Escorpião, o cenário se torna mais extremo: batemos o pé e ninguém quer ceder. Mas já sabemos o que ocorre com as árvores de tronco muito rígido quando vem o vendaval: elas são arrancadas pela raiz ou se quebram toda! Assim, se não temos cautela, podemos quebrar a cara (ou uma perna, ou o braço, ou até mesmo o pescoço) por causa da nossa teimosia e grande orgulho. Ao invés de bater cabeça com o igualmente teimoso do outro lado da mesa, faríamos melhor se encontrássemos uma atividade que nos permitisse liberar essa energia explosiva, como uma boa caminhada. Tal atividade pode nos colocar em contato profundo com o que realmente nos incomoda e trazer à luz da consciência uma grande revelação sobre o padrão da nossa raiva e o que a aciona. Assim, não precisamos ver o outro como inimigo, porque, na verdade, o outro apenas atendeu ao chamado do inimigo maior, aquele que está dentro de nós.

Cena do filme Dores de Amores - Reprodução
Cena do filme Dores de Amores – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 1° de julho – Vênus está em oposição a Plutão e em sextil a Júpiter, ambos os aspectos exatos hoje. Ela também está em quadratura, ainda distante, a Urano em Áries. A Lua abre o dia vazia em Touro, de onde faz sesqui-quadratura ao Sol, tornando-se Balsâmica. Ingressa em Gêmeos às 08h45min de onde se indispõe com Plutão. Dia de arroubos emocionais intensos. Sentimo-nos atraídos por situações sombrias, carregadas de mistério e drama, propícias a crises que nos façam sentir vivos, sangue latejando nas veias, quente e pulsante… Tudo ótimo como num filme B, exceto pelo fato de que na busca por “esquentar” o clima, podemos criar crises verdadeiras, que podem nos expor e nos deixar vulneráveis, num momento em que seria melhor nos resguardarmos um pouco mais. Enfastiados com a rotina da relação buscamos “incrementar” as coisas, mas nesse afã, talvez vamos de encontro a alguns tabus que fazem irromper nossos ressentimentos e as tensões mal resolvidas. Mas já que a crise explodiu, por que não resolvê-la de vez? Tiremos então proveito e transformemos o que puder ser transformado. Ventiladas as insatisfações, o tempo pode esquentar sob os lençóis realmente e a paixão talvez possa finalmente ser reacesa… No fim, podemos até dar boas risadas da coisa toda e ainda nos divertir muito no processo. Em termos mais neutros, a Luz Balsâmica pede maior recolhimento, estudo e análise quanto aos nossos projetos de futuro. É tempo de solitude voluntária, de entrar no casulo e esperar o momento da metamorfose.

Ben Howe Art - Transmogriphy - Reprodução
Ben Howe Art – Transmogriphy – Reprodução

SÁBADO, 2 de julho – O Sol faz quincunce pleno a Saturno, que recebe também a oposição da Lua Geminiana. Como a Lua também faz quadratura a Netuno em Peixes e a Júpiter em Virgem, temos formada uma Grande Cruz Mutável por boa parte do dia. A Lua ainda faz quincunce a Plutão e a Marte. Lua e Mercúrio estão em recepção mútua. Dia super mental, cheio de zigue-zagues afobados, a mente driblando dúvidas, inseguranças, dando volteios nas incertezas só para cair nos braços da reprovação. Fugimos da reprovação e nos perdemos no nada, nas poças do caos interior. De lá damos um salto mortal sobre nossa própria inflação e histrionismo… Assim seguimos o dia, pululando impacientes, alvoroçados, buliçosos, talvez até, desvairados em nossos arroubos mentais. Talvez essa atividade mental excessiva seja uma dissociação, uma maneira de escapar de sentimentos desconfortáveis de inadequação, de inseguranças que teimam em voltar ciclicamente, da sombra negativa com a qual ainda não conseguimos lidar. Que seja… Fugir não é a melhor estratégia porque ela nos pega ali no canto escuro, quando estivermos distraídos, sem falar que a fuga aumentará potencialmente a preocupação mórbida que já está no controle. Mas já que estamos com as bolas trocadas, já que hoje “pensamos” com o coração e “sentimos” com a cabeça, talvez possamos respirar fundo e tentar acalmar essa enorme inquietude, permitindo que ela nos diga a que veio. Do quê fugimos, exatamente? Para onde vamos? E mesmo que toda essa fluidez nos dê uma certa sensação de segurança, esta talvez seja falsa e não nos exime de buscar ancoragem e fortaleza em nós mesmos. É isso ou o dia está perdido e não realizamos nada nem chegamos a lugar nenhum, apesar de gastar a sola do sapato no zigue-zague enlouquecido de quilômetros infinitos. Respirar, meditar, caminhar e talvez até dançar podem acalmar a mente e trazer a vivência para o corpo, o que pode nos colocar em contato conosco mesmos e ajudar a atravessar o dia sem surtar e sem dispersar nossas energias e vitalidade de forma irrecuperável. Se tivermos com quem jogar conversa fora, conversar pode até ajudar, mas, conversamente, também pode apenas levar a uma maior dispersão.

Reprodução - Desconheço o autor
Reprodução – Desconheço o autor

DOMINGO, 3 de julho – O Sol Canceriano faz um trígono pleno a Netuno em Peixes enquanto a Lua Geminiana faz sextil a Urano em Áries, ficando vazia logo depois, à 00h44min. Ingressa em Câncer às 10h20min, de onde faz sesqui-quadratura a Marte direto em Escorpião. Noite super-povoada de sonhos, sonhos estes superpovoados de multidões de seres e enredos, compreensíveis apenas no mundo onírico. Para compensar a inquietude mental extrema de ontem, o dia hoje está doce e sensível, propício ao aconchego familiar, ao cuidado com quem se ama, ao afeto explícito, à troca apaixonada, dedicada, saudável e carinhosa… Derramar-se no outro e acolher de volta seu transbordamento. Tudo muito caseiro, muito bem guardado no ninho do lar, no ninho do coração… Nada hoje é para ser escancarado, tudo é sagrado, tudo é segredo – segredo inocente e meio tímido, mas ainda assim, segredo. Comunicamo-nos pela via do coração. Sentimentos fluidos, emanamos ternura pelo olhar, exalamos amor pelos poros, cobrimos de carinho e proteção àqueles que nos cercam e que foram selecionados pelas razões inexplicáveis da alma… Deleitar-se no afeto, colar no outro e fundir-se a ele, sem culpas ou asfixias, sem desejos de correr ou de fugir, apenas ficar, deixar-se ficar e expressar o afeto sem medo… Amanhã corremos e viramos bicho solto de novo, mas hoje, hoje apenas nos aconchegamos um pouco mais no ombro quente ao nosso lado. Sim, é dia de vincular!

Que sua semana seja de luz, de atitudes e decisões transformadoras!

Empodere-se!

Criança Keniana - Dvlazar - Reprodução
Criança Keniana – Dvlazar – Reprodução

(1) Erin Sullivan – Retrograde Planets

A Semana Astrológica – Foco, força e fé!

Reprodução
Reprodução

Semana de 20 a 26 de junho – Semana de expansão e frutificação

Esta é uma semana ruidosa, que já começa com movimentos importantes simbolizando uma transição crucial na energia e em sua manifestação concreta. É uma semana de expansão, realização e frutificação, que pode nos trazer grande satisfação ou sensação de fracasso, dependendo dos esforços e investimentos que fizemos em nossos projetos. Lua Cheia é colheita e a colheita depende das sementes que plantamos e do cuidado que tivemos com a plantação.

giphy.com - Reprodução
Giphy.com – Reprodução

Para começar, já tivemos na segunda-feira cedo a segunda Lua Cheia em Sagitário, uma Lua Azul, que marca uma transição nos ciclos lunares, um sinal de que as coisas fluem melhor e de forma mais concatenada a partir de agora. Ainda na segunda tivemos o Solstício de Inverno (Verão no Hemisfério Norte), marcado pela ingressão do Sol em Câncer às 19h34min. A palavra solstício vem do latim e significa Sol e sistere (sol que não se move). É o dia em que o Sol atinge a maior distância angular em relação ao Equador, neste caso, o Sol avançou sobre o Trópico de Câncer no Hemisfério Norte, que tem então o dia mais longo e a noite mais curta do ano. No Hemisfério Sul ocorre o contrário, pois aqui temos a noite mais longa e o dia mais curto do ano. O Solstício assinala uma transição sutil na energia, que vinha descendente e agora se revigora – depois dos meses “pesadões” que tivemos recentemente, vai nos fazer muito bem essa mudança. O Sol fica em Câncer até as 05h30min do dia 22 de julho e enquanto trafegar este signo, fará oposição a Plutão, trígono a Júpiter e quadratura a Urano, entre outros movimentos.

Shnji Ohmaki - Liminal Air - Reprodução
Shnji Ohmaki – Liminal Air – Reprodução

A ação – melhor dizendo, elucubra-ação – dos próximos dias fica por conta de Mercúrio, que trafega signo de sua dignidade, Gêmeos, de onde enfrenta Saturno e Netuno já na segunda-feira, depois também faz quadratura a Júpiter e quincunce a Plutão mais para o meio da semana e ainda faz quincunce a Marte e sextil a Urano no domingo. Isso quer dizer que a mente fica especialmente inquieta e industriosa com tanta atividade mercurial e se não tivermos cuidado, na verdade, não haverá ação nenhuma pois nos perderemos na mera elucubração, que é a divagação sobre a ação… Estamos dormindo ou acordados? Estamos indo ou voltando? De onde? Para onde? Já não estivemos aqui antes? Se parássemos para observar o riscado dos nossos passos, perceberíamos que aos poucos, construímos um labirinto num vai-e-vem frenético da mente e dos pés… Um labirinto que pode exaurir nossas forças e no qual podemos nos perder, caso não estejamos atentos. E de fato, este é o segredo: atenção consciente e constante para conseguirmos divisar o essencial do supérfluo, a informação útil e necessária,da mera “encheção de linguiça”. Estes aspectos podem ser uma armadilha que nos dispersa e afasta do foco, mas podem também oferecer a oportunidade de observar nossas dinâmicas e processos mentais: o que nos deixa eufóricos e sem noção; o que nos deixa incertos e talvez deprimidos; o que torna nossas certezas mais robustas e firmes; o que nos afasta e o que nos aproxima de nossos centro. Tal observação é preciosa e nos ajuda a lidar melhor com as armadilhas mentais que nós mesmos criamos. De resto, é criar mecanismos que propiciem o foco e a concentração. Em termos práticos, estas configurações requerem cautela ao assinar documentos e fechar acordos e negociações porque as informações não estão claras e estão muito soltas – recomendável esperar.

William A. Bouguereau - Vênsu Triumphant - Reprodução
William A. Bouguereau – Vênsu Triumphant – Reprodução

Vênus ingressou em Câncer, onde aciona nossas memórias afetivas, onde buscamos relacionamentos comprometidos, de trocas profundas e verdadeiras. Mas Vênus em Câncer também tem dificuldade de lidar com a dependência emocional e em deixar o passado ir… Por que? Leia mais sobre Vênus em Câncer.

desastrado
Reprodução

Marte está na reta final de sua retrogradação. Volta ao movimento direto na semana que vem – Aleluia!!!  Ao todo, fica mais de 10 dias trafegando o grau 24 de Escorpião (23°00’ a 23°59’) e mais de duas semanas nos graus 24-25. Indivíduos com planetas nesses graus dos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) sentem-se particularmente frustrados e são obrigados a lidar com assuntos antigos ligados à autoafirmação, à assertividade e à gestão da própria agressividade, assim como precisam liberar-se de rancores e mágoas arcaicos que continuam a envenenar a alma, mesmo que o ocorrido já nem faça mais sentido e já tenha se perdido na névoa do tempo. Escorpião não esquece, mas ficaria pasmo em saber que às vezes, o esquecimento é a melhor das dádivas! Pense nisso Escorpião! Esta última semana ainda é um pouco pesada para os assuntos Marcianos: Marte ainda está em quincunce a Urano (propensão a acidentes) e recebe também quincunce de Mercúrio (aumenta a propensão – ficamos estabanados), virando foco de Um Yod-Dedo de Deus, configuração espinhosa que simboliza imprevistos, acidentes e, às vezes, fatalidades. Com Mercúrio envolvido na conversa, precisamos ter mais cuidado, especialmente no trânsito!

Fabio Simone Sebastiano - Reprodução
Fabio Simone Sebastiano – Reprodução

Mas há ainda outro movimento portentoso esta semana. Portentoso por causa do peso dos envolvidos: Júpiter faz trígono pela terceira vez a Plutão, sinalizando um período particularmente favorável para nos recompormos da depleção extrema de nossas energias a que estivemos submetidos nos últimos tempos, sim é tempo de renovar nossas forças e nossa fé – o foco fica por nossa conta! Além de propiciar a regeneração de nosso otimismo e confiança, esse aspecto favorece uma melhor gestão das mudanças que precisamos empreender para poder nos expandir, os recursos são usados de forma concentrada e otimizada, de forma que podemos ousar e administrar melhor os riscos eventuais. Temos chances de fazer mudanças positivas não só na nossa vida pessoal, mas especialmente na vida social e profissional. Podemos nos expandir e ir em busca de nossas ambições de forma constante e focada, percebendo que felicidade boa é felicidade compartilhada, que só somos realmente “ricos” e plenos, quando a comunidade da qual fazemos parte também tem oportunidades de melhoria e de expansão. Temos grande desejo de reformar e transformar o mundo ao nosso redor, não só para nosso próprio benefício, mas em favor de todos que respiram o mesmo ar que nós. E, se quisermos e focarmos, temos as ferramentas e oportunidades que precisamos para empreender tais mudanças. Mas é preciso reconhecer a oportunidade quando ela bater na nossa porta e agarrá-la sem hesitação. Júpiter fez trígono a Plutão em 11 de outubro de 2015, 16 de abril de 2016 e agora no domingo – última chance de agarrar as oportunidades dessa rodada!

SS Kuruganti - Reprodução
SS Kuruganti – Reprodução

Por último, Quíron estaciona no domingo a 25°14’ de Peixes. Ficará retrógrado de 27 de junho até 1° de dezembro. Neste período estaremos assimilando as lições que viemos aprendendo: nossas fraquezas, as dores e feridas não curadas, as cicatrizes que teimam em reabrir, mas também nossa capacidade para a compaixão e a empatia; nosso poder de cura diante da fragilidade humana.

Reprodução
Reprodução

A Lua abre a semana sendo Cheia em Sagitário. Ganha foco e severidade em Capricórnio e torna-se Disseminadora em Aquário. Fecha a semana já em Peixes. Conversa, harmoniosa ou belicosamente com todos os demais corpos celestes.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 20 – Dia de Lua Cheia em Sagitário, dia de Solstício (ingressão do Sol em Câncer), dia de transição. A Lua, depois de ser cheia, entra em Capricórnio. Mercúrio enfrenta a frieza de Saturno (oposição) e a confusão de Netuno (quadratura), aspectos exatos hoje. Dia em que a mente precisa aprender a discernir entre real e irreal, entre inseguranças reais mas contornáveis e dramas exagerados pelo medo irracional. Vale lembrar que esse negócio de “real” é algo bem enganoso. O melhor que fazemos é permanecer abertos e serenos, sem nos apegar a conceitos ou definições rígidas a respeito de nada. A Lua Cheia potencializa essa energia crítica de cisão e precisamos manter os pés no chão para não perder o contato conosco mesmos. Leia mais sobre a Lua Cheia de Sagitário.

Reprodução
Reprodução

TERÇA-FEIRA, 21 – O Sol ingressou em Câncer ontem, marcando o Solstício de Inverno (Verão no HN). A Lua, depois de cheia em Sagitário, ingressou em Capricórnio às 08h55, também de ontem. Hoje ela faz sextil a Netuno em Peixes, quincunce a Mercúrio em Gêmeos, trígono a Júpiter em Virgem e conjunção a Plutão. Depois da euforia e de tantas transições, hoje precisamos voltar à realidade e pegar no pesado, literal ou figurativamente. O dia está propício ao trabalho sério e compenetrado, embora demande esforço para nos mantermos focados em alguns momentos pois há dúvidas que vêm e vão, seja a respeito dos planos em vigor, seja porque corpo e mente estão dessincronizados. De qualquer maneira, se quisermos realmente, há disciplina e estamina bastante para finalizar  muitas coisas que se arrastavam pendentes por vários dias e podemos atacá-las com vigor e decisão, olhar arguto, determinação e capacidade de conclusão. Só precisamos mesmo vencer essa vadiagem da mente que busca estímulo e distrações desnecessários, levando-nos à dispersão. Mas a mente é nossa e hoje, se nos afinamos com nosso coração, que está super pragmático, podemos lidar com suas tramas e enredos e adivinhar suas manobras antes mesmo que se apresentem. Assim, não precisamos ficar presos às suas manhas e traquinagens! O Foco leva ao resultado, mesmo quando este parece longe de nós! E mãos à obra!

Reprodução
Reprodução

QUARTA-FEIRA, 22 – A Lua Capricorniana se afina com Marte em Escorpião mas quadra Urano em Áries, ficando vazia logo depois, às 05h57min. Ingressa em Aquário somente às 17h09min, o que nos deixa com quase 12 horas de Lua Vazia nas mãos, num dia “útil”. Nesse meio tempo a Lua ainda se harmoniza com Quíron. De Aquário ela caça confusão com o Sol e se descuida das traquinagens de Mercúrio e da mente bagunceira. Mercúrio está em quadratura plena a Júpiter e muito próximo do quincunce a Plutão. Temos hoje aquele velho dilema, nosso conhecido: arregaçar as mangas e focar no trabalho, fazendo o que tem que ser feito, ou rebelar-nos contra essas inúmeras regras absurdas, que nos escravizam de cujo sentido e validade muitas vezes duvidamos… Dá até vontade de despedir o patrão e ir procurar coisas mais úteis e satisfatórias para fazer. O tempo de se viver, o tempo de se amar, o tempo como matéria… É tão precioso e enquanto ele passa, estamos aqui, debruçados a perseguir objetivos outros, de  outra ordem e intenção, objetivos que nem são nossos mas que abraçamos porque precisamos sobreviver e trabalhar e funcionar e… A Lua vazia em Capricórnio depois de uma quadratura a Urano nos questiona sobre o uso do nosso tempo… É mesmo racional o uso que fazemos dele? E acaso tem que ser racional? E o tempo de ser livre, de ser nós mesmos e ir atrás do que realmente é vital para nós, não é importante também? Como a Lua Capricorniana só trabalha, é possível que enxerguemos a outros como vagabundos descompromissados com os resultados do “negócio”, o fato é que há um conflito entre a obrigação e a autonomia, entre o compromisso e a liberdade, um dilema que reverbera noite adentro, com a Lua Aquariana em descompasso com o Sol. Mercúrio enfrenta um desafio parecido no embate com o Júpiter Virginiano… Discernir entre o útil e o inútil, o que é realmente essencial para a expansão de nossas ideias e da nossa mente… Talvez precisemos tirar tudo de dentro das gavetas da nossa mente para empreender essa seleção… Diferenciar entre a informação vazia que apenas ocupa espaço no nosso hard-drive do conhecimento precioso que se revela determinante para darmos o próximo passo na direção do nosso objetivo.

Reprodução
Reprodução

QUINTA-FEIRA, 23 – De Aquário a Lua faz quincunce a Vênus em Câncer. Depois ela se afina com um de seus dispositores, Saturno em Sagitário. Mais tarde se desentende com Júpiter e ainda faz uma sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Disseminadora. Mercúrio está em quincunce pleno a Plutão. A mente hoje oscila entre o foco absoluto e a vadiagem relativa… Uma hora leva-se tudo muito a sério e daqui a pouco tudo pode ser uma algazarra. No meio estamos nós, vacilantes. Se utilizamos os momentos de concentração podemos ter instantes de grande percepção, que iluminam os pensamentos e transformam a visão superficial que tínhamos de certas coisas para algo de maior consistência e substância. Ao contrário, ao invés de voltar essa força motriz da mente para dentro, para transformar a nós mesmos, podemos voltá-la contra outros, lançando sobre eles nossa aspereza, maledicência e sarcasmo, em tiradas que podem ser tanto brilhantes quanto profundamente desconcertantes. O que ganhamos com isso? Estamos tão inseguros de nós mesmos que precisamos golpear a outros para nos sentir melhor? Vale uma parada para refletir…

Reprodução
Reprodução

Há conflito também quanto à expressão dos sentimentos e dos afetos, que estão em dissonância. Conflito do tipo “não sei se caso ou se compro a bicicleta”… Ou talvez haja várias coisas e atividades, inclusive culturais, que gostaríamos de fazer mas não conseguimos – ainda- estar em dois lugares ao mesmo tempo… Talvez o parceiro queira uma coisa e nós queremos o contrário, que nem naquela música do Paulinho Moska: “Eu lanço minha alma no espaço, você pisa os pés na terra. Eu experimento o futuro e você só lamenta não ser o que era (…) Eu grito por liberdade, você deixa a porta se fechar. Eu quero saber a verdade e você se preocupa em não se machucar”. Mediação. Mediação é a palavra-chave para tais dilemas. Mediação entre as várias facetas de nós mesmos e também entre nós e o outro e nossos desejos aparentemente discrepantes. Fácil não é, mas talvez seja possível. E, se pensarmos bem, também é bonito – afinal, quem quer uma vida morna e toda certinha e previsível? Definitivamente, não a Lua em Aquário! E que venham os dilemas, porque nos farão crescer! E de repente, a gente até descobre que dá sim, para casar E comprar a bicicleta!

Reprodução
Reprodução

SEXTA-FEIRA, 24 – A Lua faz trígono a Mercúrio e depois quadratura a Marte em Escorpião. Mais tarde ela se afina com Urano, seu segundo regente e fica fora de curso logo depois, às 12h49min. Ingressa em Peixes às 23h31min. Cabeça e coração estão alinhados, mas a vontade e a atitude vão em outra direção – como é possível? É possível, mas temos dificuldade de admitir nossas contradições então as percebemos no outro e no mundo ao redor, assim, o dia fica propenso a conflitos de interesses. Podemos nos sentir bloqueados por aquele sujeito que não tem noção nenhuma de comprometimento e nos deixa a ver navios ou, contrariamente, sentimo-nos “pentelhados” por alguém que vem nos cobrar assiduidade e lealdade quando tudo isso nos causa verdadeira alergia. Temos problemas sérios a tratar, mas sem perceber, fugimos deles e então, por causa de coisas tolas, às vezes ridículas, nos tornamos irracionais, reativos e sujeitos a precipitações e disputas bestas, que depois nem mesmo lembramos porque começaram. É muito provável as disputas tolas sejam uma manobra para evitar confrontar as questões que nos incomodam de verdade e que precisam ser realmente endereçadas, com calma, porem de maneira firme e assertiva. Não precisamos chegar ao ponto de crianças quebrando uma o brinquedo da outra, se apenas formos honestos com o que de fato nos arrelia e incomoda e lidarmos com isso de forma limpa e direta.

Reprodução
Reprodução

SÁBADO, 25 – A Lua está em Peixes e de de suas águas densas e profundas faz trígono aos também emotivos Sol e Vênus em Câncer. À noite a Lua se debulha na frieza dura de Saturno em Sagitário, enquanto se dissolve em Netuno.  O dia está sensível e super emotivo. Há grande nostalgia no ar e enorme propensão a irmos buscar no passado respostas ou alento para dificuldades atuais… Possivelmente rememoramos fases ou episódios da nossa vida em que tudo parecia melhor e mais feliz e temos uma saudade doída de todas essas coisas e até de outras que não conseguimos nominar. Todo esse sentimentalismo pode ser melhor utilizado nos aproximar daqueles que estão, de fato, presentes em nossa vida; para estreitar laços e, se estivermos fortes e com nossas fronteiras saudáveis, podemos até ajudar àqueles que buscam nosso apoio. É um dia para nos permitirmos sentir verdadeiramente, para buscarmos locais de acolhimento que nos façam sentir pertencentes, em segurança – algo que nos faça ancorar e não afundar nas emoções revoltosas e traiçoeiras. A noite ficamos ainda mais melindrosos e suscetíveis. Nossa barreiras caem por terra e sentimo-nos expostos ao julgamento alheio, impressionáveis e instáveis. Receando frieza e o próprio desmoronamento, recolhemo-nos e isolamo-nos e talvez seja essa a melhor pedida mesmo, não para ficarmos remoendo infortúnios ou amargando a solidão, mas para auscultar nossos sentimentos mais profundos, a verdade do nosso coração e também para nos proteger de potenciais invasões das quais não sejamos capazes de nos defender. Solitude e recolhimento farão muito bem à alma! Observação prática: é dia de balada, mas nesses estado de extrema suscetibilidade, é recomendável pegar leve quanto ao álcool e outras substâncias; sugere-se cautela também quanto às companhias porque nossos critérios estão meio frouxos e podemos nos encontrar em lugares ou situações que normalmente escolheríamos não estar.

Anton Jankovoy - Reprodução
Anton Jankovoy – Reprodução

DOMINGO, 26 – A Lua Pisciana faz oposição a Júpiter em Virgem e depois sextil a Plutão em Capricórnio. Mais tarde ela bate-boca com Mercúrio em Gêmeos, busca consolo em Marte e vai chorar as mágoas junto a Quíron. Fica vazia às 16h56min, depois da briga com Mercúrio, que está hoje em quincunce pleno a Marte e em sextil a Urano. Quíron estaciona a 25°14’ de Peixes, às 08h11min. O dia está super sonolento. Estamos um tanto letárgicos e indispostos, demorando a acordar e encarar o mundo, embora um outro lado nosso fique nos lembrando de algumas aventuras e extravagâncias que tínhamos combinado para o domingo… É, de fato, um dia para se pegar leve nas atividades, na comida, na bebida, no que quer que seja… Ainda estamos muito impressionáveis, fronteiras abertas ou muito baixas e em tal condição ficamos predispostos a nos contaminar com conteúdos alheios, com as dores do mundo e quando vemos, já estamos perdidos no meio do tsunami emocional… Há também confusão e conflito entre o que sentimos e o que pensamos, toldando nosso julgamento e até mesmo a intuição. A comunicação também está comprometida em sua clareza e podemos nos envolver em discussões intermináveis e confusas por causa de mal entendidos difíceis de dirimir. Por outro lado, é um dia favorável para se buscar a beleza; para ver um bom filme, uma exposição de arte, um concerto musical, ou outras atividades que alimentem nossa imaginação e eleve nossa alma, melhorando a vibração dentro e fora de nós. Mesmo que sejamos do tipo “bom samaritano” o dia de hoje pede cautela ao selecionar nossas companhias. Companhias tóxicas podem drenar o resto da nossa pouca energia. Programas religiosos ou espirituais também estão mais que favorecidos!

Desejo que sua semana seja de luz, amor e alegria!

Gratidão sempre por sua companhia neste blogue! Receba meu abraço fraterno!

Tirado de Gethappyzine - Reprodução
Tirado de Gethappyzine – Reprodução

Lua Cheia em Sagitário – Meio cheio ou meio vazio?

Doctor Ojiplatico - Reprodução
Doctor Ojiplatico – Reprodução

A Lua foi Cheia hoje, 20 de junho de 2016, às 08h02min no horário de Brasília (12h02min no horário de Lisboa), a 29°32’ de Sagitário, uma Lua Azul Astrológica, que é a repetição da Lua Cheia no mesmo signo que a Lua Cheia anterior. A Lua cheia, como sabemos, representa o ápice do ciclo iniciado na Lua Nova. é um momento de clímax, em que a energia, que vinha num crescendo, finalmente alcança seu apogeu e explode, ou se derrama, frutifica e se revela completamente à consciência. Como o momento do parto – cujos números, aliás, sobem vertiginosamente nesta fase da Lua – como o momento da colheita. é o apogeu, um momento de crise em que a tensão finalmente é liberada, para o melhor ou para o pior. Subimos a montanha e chegamos ao seu topo e a partir daqui começamos a descer, então o apogeu é também o começo do fim. Mas antes de falarmos sobre esta lunação, gostaria de me delongar um pouco sobre uma questão secundária e mais técnica, mas que para mim é importante.

Reprodução
Reprodução

Esta é a segunda Lua Cheia do ano que ocorre em Sagitário, o signo dos exploradores – pois é, temos uma dobradinha! –  um fenômeno que vem “ajustar” a ordem natural dos ciclos lunares. Isso porque, desde março de 2015 essa ordem estava invertida. Explico: a Lua Nova e a Lua Cheia marcam os pontos altos do ciclo lunar e normalmente ocorrem num par de signos opostos, a Lua Nova ocorrendo em um signo e a Lua Cheia acontecendo no signo oposto 14 dias depois, nos eixos de Áries-Libra, Touro-Escorpião, Gêmeos-Sagitário, Câncer-Capricórnio, Leão-Aquário, Virgem-Peixes. Nos últimos meses esta ordem estava invertida porque a Lua Cheia acontecia antes, ao invés de termos a Lua Nova em Áries seguida pela Lua Cheia em Libra, tínhamos primeiro a Lua Cheia de Libra e 14 depois a Lua Nova de Áries, ou, dito de outra forma, os ciclos estavam desencontrados pois a Lua Nova ocorria num eixo e a Cheia avançava para o eixo seguinte, isto é, a Lua Nova acontecendo em Peixes e a Cheia se dando já em Libra, ao invés de Virgem – eu até brinquei semana passada dizendo que seria similar a comer a sobremesa antes do prato principal.

Do site astro.if.ufrgs.br - Reprodução
Do site astro.if.ufrgs.br – Reprodução

Esse fenômeno ocorre porque a Lua tem dois ciclos, o sideral e o sinódico. O ciclo sideral conta o tempo que a Lua leva para dar uma volta ao redor da Terra tendo como referência um ponto fixo e este ciclo é de 27,3 dias. Já o ciclo sinódico é o tempo que a Lua leva para fazer uma nova conjunção ao Sol e este ciclo é ligeiramente mais longo porque o Sol também está em movimento, não é um ponto fixo. Cada signo tem 30 graus, diferente do ciclo lunar sinódico (conjunção Lua-Sol) que tem em média  29 dias e 12 horas, ou seja, 29,5 graus. Essa “inversão” não é algo “tão” importante e impactante e ocorre regularmente a cada  15/16 meses aproximadamente – por exemplo, a última inversão aconteceu em fevereiro de 2015, o “ajuste” acontece agora em junho e uma nova “inversão” se dará em setembro de 2017.

Casa na Alemanha, construída de ponta-cabeça - Reprodução
Casa na Alemanha, construída de ponta-cabeça – Reprodução

O dado mais notável a respeito desse movimento “invertido” é que quando a Lua Nova e a Lua Cheia acontecem num mesmo eixo de signo – por exemplo, Lua Nova em Áries e Lua Cheia em Libra – o ciclo traz presentes os temas pertinentes àquela polaridade – neste caso, o eu x o outro, relacionamentos, equilíbrio, etc. Mas quando a Lua Nova se dá num eixo e a Lua Cheia se dá em outro, precisamos trabalhar, dentro daquele ciclo, os temas de duas polaridades diversas, buscando integrar seus diferentes significados um em relação ao outro. Por causa disso, eu tenho a nítida sensação de que os longos períodos em que ocorre essa inversão no ciclo são períodos mais tensos e que demandam muito mais estamina e consciência da nossa parte na integração das mudanças e transformações maiores que estejam acontecendo no período em questão, porque as coisas não são tão óbvias, então precisamos estar mais atentos. Quando o ciclo está perfeitamente ajustado, fluímos melhor com ele, as coisas seguem um ritmo natural. Por outro lado, quando o ciclo está invertido requerendo maior atenção de nossa parte, pode representar um tipo de desafio extra, que nos obriga a ficar vigilantes e mais despertos, ou seja, é mais tenso, exige mais esforço consciente para fazer a sintonia fina do ciclo. Mas não nos enganemos, como sempre, os testes vêm para nos fortalecer e melhorar nossa, ahn, performance… Não dizem que ler um livro/texto complicado, aprender outra língua, aprender a tocar um instrumento melhoram de um modo geral a inteligência e a performance cerebral? Até mesmo os quebra-cabeças ou a boa e velha palavra cruzada nos obrigam a exercitar melhor os neurônios, certo? Pois então, digamos que seja um princípio semelhante… Agora, a Lua Cheia de hoje marca um período de transição, porque é a culminação de um ciclo que começou em Gêmeos, ou seja, os ciclos voltam a funcionar em congruência. E é transição porque provavelmente nos próximos meses as coisas tenderão a fluir mais, de maneira mais ritmada e concatenada.

Lua Cheia em Sagitário - Brasília, 21 de maio de 2016, às 18h14min.
Lua Cheia em Sagitário – Brasília, 21 de maio de 2016, às 18h14min.

Voltando à lunação… Esta Lua Cheia vem também como uma ‘segunda chance’ de celebrarmos os temas festivos de Sagitário, já que a Lua Cheia anterior ocorrida no mesmo signo veio carregada de tensão e frustração, representadas pela conjunção a Marte retrógrado. Eu não publiquei texto aqui sobre essa Lua Cheia anterior, visto que ela se deu enquanto eu ainda estava visitando minha mãe, mas publiquei um texto enxuto na página no Facebook. Eu dizia, então: “É tempo de celebrar nossa fé, esperança e otimismo, aceitando, contudo, com humildade, nossas limitações, aprendendo a lidar com o senso de impotência e os limites impostos pela nossa condição humana. Equilibrar otimismo com realismo. Enfrentar o aqui e agora, para poder projetar um futuro que seja melhor, porém coerente, sem exageros e ilusões. É tempo ainda de de nos rejubilar pelos conhecimentos que propiciaram que chegássemos até aqui, ao mesmo tempo em que refletimos sobre crenças e filosofias e seus efeitos de longo prazo. Há maior propensão a conflitos e crises, provenientes da eclosão de dificuldades que se arrastavam mas não eram suficientemente claras. Agora ganhamos maior consciência de tais conflitos e dificuldades e temos que reconhecê-los e a partir de tal reconhecimento, tomar decisões e modificar atitudes.” Quem quiser ler o texto todo está aqui.

Reprodução
Reprodução

A Lua Cheia em Sagitário geralmente propõe uma celebração da fé, do otimismo e da alegria simples de se estar vivo; uma celebração da liberdade e da vida nas grande amplitudes, do nosso espírito de aventura e o amor pela estrada; o desejo de expandirmos nossa consciência para além dos fatos e do aqui e agora (Gêmeos), projetando-nos no futuro, com visão e entusiasmo (Sagitário). É o convite para equilibrar a razão com a intuição, a objetividade fria com a fé. Mas será que essa Lua Cheia de hoje ajuda a cumprir essas promessas? Como já disse, a Lua Cheia anterior sugeria exatamente a frustração de tais promessas e a necessidade de desenvolvermos o dom da paciência e da humildade, coisas difíceis para o jovem arqueiro.

Anne T. Boleyn - Reprodução
Anne T. Boleyn – Reprodução

Mas e agora, o que temos? Certamente temos uma lunação menos tensa. Embora Sol e Lua ainda estejam em orbe de quadratura a Quíron, esta é uma quadratura separativa e sugere que talvez estejamos mais conscientes das nossas vulnerabilidades e impossibilidades. E mais importante do que isso é o fato de a Lua Cheia se dar a poucas horas do Solstício de Inverno (Verão no Hemisfério Norte), um momento limiar, de transição, em que o Sol atingiu o limite máximo de distância ao Norte do Equador, e agora começa a retroceder. Os solstícios, assim como os equinócios, simbolizam momentos especiais de mudança na direção da energia e da consciência que, se estivermos atentos, podemos “usar” a nosso favor, alinhando-nos com eles e aproveitando para mudar, também nós, reajustando nossa direção na vida e no mundo. O Sol ingressa em Câncer às 19h34min, ou seja, pouco menos de 12 horas depois da Lua Cheia. Então, temos dois momentos importantes de transição na direção e na forma de manifestação da energia  – não podemos ignorar isso! O Sol também está em conjunção fora de signo a Vênus e, obviamente, a Lua está em oposição a esta Vênus, sugerindo a imprescindibilidade de negociação e conciliação entre nossa necessidade de liberdade (Lua Sagitário) e o desejo e impulso para a vinculação emocional e o comprometimento.

Lua Cheia em Sagitário - Brasília, 20 de junho de 2016, 08h02min
Lua Cheia em Sagitário – Brasília, 20 de junho de 2016, 08h02min

A Lua Nova de Gêmeos, que ocorreu à 00h00min do dia quatro de junho, com Lua e Sol em oposição a Saturno, quadratura a Júpiter e a Netuno, simbolizava um momento delicado de novos começos que poderiam ser ilusórios e fantasiosos, confusos e inseguros, em que precisaríamos lidar com nossos medos e também com nossos excessos. Agora, a Lua Cheia representa o apogeu desse ciclo iniciado lá. Nas configurações de hoje, o dispositor da Lua, Júpiter, está envolvido na mesma Grande Cruz Mutável da Lua Nova, junto com Saturno, Netuno e agora também, Mercúrio, regente do Sol. Então, subjacente aos temas de Sagitário temos um sub-tom Virginiano indicando que é preciso pragmatismo e um certo controle, indicação que fica mais forte dada a configuração mencionada. Júpiter, o princípio da expansão, precisa ser cauteloso quanto às suas visões magníficas de crescimento que, em Virgem, não são tão magníficas assim, ao contrário, são mais sensatas e comedidas; a quadratura a Saturno reforça a necessidade de realismo e de nos ajustarmos aos nossos limites, de termos disciplina e bom senso para não darmos o passo maior que a perna, especialmente porque este Júpiter também está em oposição a Netuno – então, há grande demanda de prudência e moderação no que tange a essas visões e desejos de expansão, porque no momento é difícil distinguir entre realidade e ilusão, entre possibilidades reais e desejos fantasiosos. Como se não bastasse, Mercúrio está neste redemoinho, simbolizando que é muito fácil a mente se perder nos muitos meandros e intricados que colorem o que atualmente chamamos de “real”. Entretanto, algo que pode ajudar é o fato de Mercúrio estar em conjunção ao asteroide Vesta, que simboliza contenção, introspecção, tradição, religiosidade e piedade. Embora a própria Vesta também esteja envolvida na configuração, suas qualidades certamente ajudam a acalmar o caos em que Mercúrio se encontra.

Reprodução
Reprodução

Contudo, do mesmo modo que todos estes aspectos sugerem cautela e uma possível não realização, eles também podem indicar uma moderação nos exageros e a prudência aplicada que reverte os prognósticos de desastres – tudo depende de como vivenciamos tais influências, de como lidamos com elas no nosso dia a dia ou, dito de outra forma, se estamos vendo o copo meio cheio ou meio vazio. Quando lembramos que a segunda quadratura Saturno-Netuno se deu há poucos dias – no último sábado, mais precisamente – e que também envolvia Júpiter, essa metáfora do copo adquire um tom mais extremista, então não é nem questão de ver o copo meio cheio ou meio vazio, mas sim de perceber que há uma propensão a ver o copo (totalmente) vazio ou cheio. Isso porque Saturno é o extremo do realismo (leia-se, pessimismo) e com ele tendemos a ver tudo sob lentes muito sombrias, quer dizer, copo vazio, sem dúvida; Já Netuno é o suprassumo da fantasia e do delírio que, conjugado com Júpiter, fala de um otimismo completamente irreal e enganoso, ou seja, vemos um copo transbordando quando talvez nem exista copo nenhum à nossa frente. Então, mais do que nunca precisamos ter um equilíbrio interno afiado para contermos esses extremos dentro de nós nas próximas duas semanas. Outra forma de ver isso pode ser nos darmos conta de que muitas vicissitudes pelas quais passamos, ou mesmo fracassos, mais tarde se revelam bênçãos, porque então nos damos conta de que a vida foi mais sábia e estamos melhor sem ter conseguido aquilo que nos parecia tão importante naquele momento, mas que descobrimos depois, era apenas uma ilusão.

Loui Jover - Everyday Zen - Reprodução
Loui Jover – Everyday Zen – Reprodução

Júpiter, regente da Lua, já realizou todos os aspectos exatos dos respectivos ciclos com Saturno e Netuno, quer dizer, está atualmente se afastando da oposição a Netuno e da quadratura a Saturno e isso nos lembra que este é um Júpiter menos afoito, mais sábio e ponderado, estando estes aspectos tensos provavelmente mais integrados e menos inconscientes, portanto, estamos menos propensos a extravagâncias e deslizes, embora o potencial para tal ainda exista. Assim, a Lua Cheia nos permite celebrar esta fé mais consciente, este otimismo mais comedido que não ignora riscos nem limites, mas que os leva no bojo dos planejamentos que tornam-se mais meticulosos e menos pretensiosos.

Arcano 5 - O Sacerdote“O Papa abençoando os fiéis” é o Símbolo Sabiano para o grau 30 de Sagitário (29°00 a 29°59’), que nos fala da capacidade de responder àqueles que buscam por nós e retribuir-lhes a fé e a confiança. O Papa é uma figura que representa uma autoridade espiritual e religiosa. Para os católicos ele é um representante direto de Deus na Terra, tendo sido Pedro o primeiro papa da história da Igreja, que teria sido ordenado para pelo próprio Cristo, ao dizer-lhe que apascentasse suas ovelhas e que tudo o que ele conectasse na Terra, seria conectado no céu. A figura do Papa aqui sugere que busquemos formas elevados de fazer as conexões internas e espirituais que nos permitam acessar o divino em nós, usando também nossa intuição. O símbolo nos lembra ainda o arcano O Sacerdote do Tarô e nos sugere a necessidade de buscar orientação espiritual quando sentimos que estamos a ponto de sucumbir e também de estarmos abertos a receber as dádivas e bênçãos que estão por vir – muitas vezes nos perdemos em nossas reclamações mesquinhas e deixamos de perceber as dádivas ao nosso dispor. Independentemente de sermos católicos ou religiosos, este símbolo nos admoesta a buscarmos uma autoridade que nos oriente e abençoe com sabedoria e cuidado, como um pai faria. Este guia pode estar fora, na figura de uma autoridade real, mas também pode ser o guia interno, ao qual chegamos em meditação, e que pode instilar confiança, fé e nos “abençoar” para avançarmos para o próximo passo na concretização (Capricórnio, o signo seguinte) de nossas visões (Sagitário).

Reprodução
Reprodução

Então, este é o desafio das próximas duas semanas: celebrar a fé e a esperança que nos mantém de pé, mantendo a atitude de gratidão, mesmo diante de cenários adversos e sombrios, porque sempre temos muito a agradecer e se nos percebermos sucumbindo à desolação e à desesperança, voltarmo-nos para aqueles que nos instilem otimismo e a renovação de nossas forças, que nos “abençoem” com sua mera presença forte, gentil e sábia. Sendo esta a segunda Lua Cheia no signo da fé e da expansão, temos a chance de fazer essa sintonia fina entre o realismo e o otimismo. E claro, não esqueçamos de aproveitar o momento de transição para transmutar comportamentos e atitudes – como sabe o surfista, o momento de pegar a onda é único e ele precisa estar atento pois se ele perder o timing, terá que esperar a próxima e isso pode durar algum tempo e mesmo quando vem, nunca mais será a mesma onda! Ah! E cuidado com o que você deseja – pode se realizar!

Feliz Lua Cheia para você!

Que todas as coisas boas venham em dobro, assim como a Lunação de Sagitário! 

A Semana Astrológica

Shawna Erback
Shawna Erback

Semana de 13 a 19 de junho – Trazendo expansão, crescimento e transição, a semana vem com a força do Quarto Crescente, mas também nos força a reconhecer os limites da realidade em que vivemos.

O Sol protagoniza boa parte da ação do período, ao fazer quincunce a Marte, sextil a Urano e quadratura a Quíron em Peixes. A falta de sincronia e o embate entre o Rei (Sol) e seu embaixador (Marte) está super irritante porque o acordo parece impossível de ser alcançado, um fala pau o outro pedra; os valores são díspares por demais… O ciclo de retrogradação de Marte vai chegando à sua conclusão – pelo menos da parte mais óbvia – e Marte já desacelera para estacionar em 29 de junho. Os próximos dias irão requerer muito jogo de cintura para harmonizarmos nossos planos e sua correta execução, que estão aparentemente em desajuste. Planejamos tudo de forma desapegada, objetiva e lúcida, mas parece que esquecemos que, humanos que somos, estamos sujeitos a paixões, instintos, emoções traiçoeiras e oscilações de ânimo e da energia, que talvez comprometam a execução dos objetivos desenhados com tanta aplicação. Devido a isso, ainda há muita irritação e desassossego no ar, demandando auto-vigilância e boa gestão da própria agressividade. Tudo vem para o nosso crescimento e maturidade.

Bookspaperscissors.tumblr - Reprodução
Bookspaperscissors.tumblr – Reprodução

Mercúrio ingressou em Gêmeos, uma de suas casas, onde fica super confortável, tão confortável que às vezes se torna mais peralta e traquinas ainda. Nesta semana faz sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio e fica em orbe de oposição a Saturno em Sagitário, aspecto exato na semana que vem. A mente está ágil e super afiada, mas aqui e acolá o inconsciente dá o ar da graça e tanto movimento, inquietude e perspicácia podem cobrar um preço e enfatizar os blues Geminianos, e a oscilação de humor (especialmente para os Geminianos de Sol, ASC ou Lua) pode ficar mais acentuada… Urge investigar do que fugimos em nossa tão grande e tão perseguida mobilidade. De qualquer maneira, Mercúrio em Gêmeos está em ótima forma, mais serelepe do que nunca, propiciando destreza, sagacidade e perspicácia à mente, que dá pulos e cambalhotas, voa cá e lá, aprontando todas em meio às descobertas que vamos fazendo nessa semana de impulso e crescimento.

Vênus Triufante - William A. Bouguereau - Reprodução
Vênus Triufante – William A. Bouguereau – Reprodução

Vênus dá um último voo na liberdade aérea de Gêmeos e mergulha fundo da densidade de Câncer. Antes, porém, precisa lidar com o descompasso com seu par romântico, Marte, retrógrado em Escorpião e ainda com as feridas e fragilidades representados por Quíron, embates que ocorrem já na segunda-feira. O início da semana fica, pois, suscetível a algumas rusgas nas relações, que podem funcionar como motivo de maturação e estreitamento dos laços ou de mágoas e desentendimentos – tudo depende de como nos conduzimos neste campo. Já em Câncer Vênus se expressa de modo mais romântico e sensível e a intimidade fica mais favorecida nas relações. É um signo mais tradicional e conservador, necessitando de maior vinculação emocional, ao contrário da Afrodite livre Geminiana. Vênus ingressa em Câncer na sexta-feira, dia 17, onde fica até 12 de julho, quando entra em Leão.

Reprodução
Reprodução

Marte recebe quincunces de Vênus e do Sol, mas também faz um quincunce a Urano em Áries e como Sol e Vênus estão em sextil a Urano, Marte vira foco de um Yod-Dedo de Deus, uma configuração imprevisível em sua manifestação e classicamente associada com acidentes e fatalidades dependendo de alguns fatores no mapa natal. Assim, precisamos atentar para evitar ações precipitadas ou imprudentes, nascidas da incongruência entre nossos verdadeiros desejos e aquilo que o ego acha que tem que ter/fazer a qualquer custo. Autorreflexão faz-se essencial.

Bayo - Eduardo Flores - Reprodução
Bayo – Eduardo Flores – Reprodução

Mas o principal movimento da semana é a quadratura Saturno-Netuno, que ocorre no sábado, 18, a segunda de uma série de três – a primeira foi em 26 de dezembro e a última acontecerá em 10 de outubro. Já escrevi sobre esta quadratura Saturno-Netuno aqui, mas, em resumo, ela fala de um momento difícil de lidar com nossas ilusões; nossos castelos de areia são levados pela maré porque careciam de estrutura sólida e firme. Esse momento em que os véus são retirados de nossos olhos e vemos as coisas como elas de fato são pode ser um momento doloroso, em que nos sentimos fracassados e desalentados e isso, num plano coletivo, porque a quadratura representa, exatamente, um momento social. Portanto, em linhas gerais, esta sensação de desesperança é algo que todos sentimos no período desde dezembro de 2014 até dezembro de 2016, aproximadamente. Entretanto, longe de nos deixar abater pela desesperança, precisamos levantar a cabeça e aprender com nossos erros, crescer com nossos equívocos e escolhas erradas. Saturno-Netuno é um aspecto que também promete a realização de grandes sonhos, quando nos alinhamos com sua significação mais elevada e deixamos que as ilusões se fragmentem. É um aspecto que fala de perdas necessárias, que propiciam maior maturidade. Em termos práticos, essa quadratura cíclica representa a dissolvição de governos, confusão política e social, engôdos, crises nos sistemas religiosos, políticos e financeiros; também pode representar epidemias e doenças infecto-contagiosas, uma vez que Netuno dilui a eficácia das fronteiras de segurança simbolizadas por Saturno. Esta quadratura ocorre com os dois planetas retrógrados, o que significa que ambos estão no ciclo de oposição ao Sol, um período em que algo emerge do inconsciente, para ser assimilado pela consciência e pelo ego. A oposição Sol-Saturno já ocorreu agora no início de junho; a oposição Sol-Netuno acontecerá somente em setembro, quando o Sol estiver em Virgem. Assim, a despeito da sensação de confusão generalizada, se tivermos paciência e permitirmos a dissolvição da rigidez e nos permitirmos sentir a incerteza sem precisar agir sobre ela, em algum momento poderemos enxergar um pouco de sentido no caos aparente à nossa volta, algo se cristalizará e poderemos avançar um pouco mais no entendimento de nós mesmos e também do mundo; dos ciclos (necessários) de construção e desconstrução de que consistem a vida.

Reprodução
Reprodução

A Lua viaja super lenta na fase do Primeiro Quarto: começa a semana em Libra e torna-se Corcunda em Escorpião na quinta-feira. Está grávida de muitas promessas, que serão paridas na Lua Cheia do dia 20, segunda-feira, a segunda Lua Cheia em Sagitário deste ano – algo não muito comum, termos duas Luas Cheias consecutivas no mesmo signo – uma Lua Cheia que será menos tensa do que a anterior, que ocorreu conjunta a Marte retrógrado. A partir de agora o ciclo lunar se ajusta no eixo zodiacal, ou seja, passamos a ter a Lua Nova num signo seguida da Lua Cheia no signo oposto da mesma polaridade, de modo que no próximo ciclo, por exemplo, teremos a Lua Nova em Câncer e a Lua Cheia no signo oposto, em Capricórnio. Nos meses anteriores (desde março/2015) essa ordem estava invertida, primeiro tínhamos a Lua Cheia e duas semanas depois tínhamos a Lua Nova no signo oposto da polaridade – mais ou menos como comer a sobremesa antes do jantar…  A Lua será Cheia na segunda-feira, dia 20 de junho, às 08h02min no horário de Brasília e às 12h02min no horário de Lisboa, a 29°32 de Sagitário.

Reprodução
Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 13 – A Lua está em Libra separando-se de um trígono a Mercúrio, recém ingresso em Gêmeos. À noite ela se irrita com Netuno em Peixes, que está estacionário para entrar em retrogradação hoje, partir das 17h43min. Dona Lua ainda conversa harmoniosamente com Saturno em Sagitário. Vênus em Gêmeos está em quincunce pleno a Marte retrógrado em Escorpião, que é foco de um Yod-Dedo de Deus, já que também faz quincunce a Urano, que recebe sextil de Vênus. Vênus também faz quadratura a Quíron, exata hoje. A semana começa dinâmica e relativamente animada. Sentimos necessidade de harmonia e a buscamos de toda maneira possível. Contudo, há momentos em que nos sentimos fora de ritmo, um tanto isolados, querendo mais contato e socialização. O problema é que nem sempre a socialização flui, uma vez que em nosso afã de interagir, talvez ignoremos que o outro pode estar em outro clima, desejando solitude. Assim, temos a sensação de falta de sincronia, seja interna, seja com o mundo. É bom lembrar que o comportamento ou reação do outro não pode determinar nossas atitudes, nem mesmo nossos sentimentos.

Margritte - Reprodução
Margritte – Reprodução

O dia está propício para percebermos essas diferenças de tempo, o nosso tempo e o tempo do outro; o fato de, às vezes, esses tempos estarem dessincronizados não quer dizer que haja, necessariamente, um problema, precisamos apenas respeitar e esperar até que as coisas se ajustem e estejamos, de novo, no mesmo ritmo. É provável que a taciturnidade do outro não tenha nada a ver conosco – e vice-versa – portanto, nada de ficar em cólicas, ansiosos, pensando onde nós erramos. Em termos afetivos, o dia está meio contraditório. Parte de nós quer flanar e voejar por aí sem laços nem embaraços, mas tão logo nos lançamos neste movimento, o outro lado se ressente da falta de intimidade profunda com a/o parceira/o, que por sua vez, pode se sentir abandonado e esteja, também, um tanto ressentido, ciúmes acionados. Concretamente, essa influência pode até se manifestar como pequenas ou grandes rusgas entre os casais, causadas exatamente por esse descompasso dos tempos diferentes e do dilema comum da liberdade versus intimidade ou ainda, o dilema entre se entregar ou se proteger por medo de se magoar. Um quer ficar junto, o outro quer estar a sós ou fazer outras coisas mais livremente… Uma boa conversa, de forma madura e amorosa pode esclarecer estes impasses – o único problema é que a DR tem que ser bem conduzida, para que cure, ao invés de aprofundar a ferida e o abismo entre um e outro. Também não podemos resvalar na culpa por sentir o que sentimos, tampouco culpar o outro pela diferença de ritmo, pois isso tornaria um pequeno desarranjo num bicho de sete cabeças – e ninguém quer chegar a esse ponto, certo?

Reprodução
Reprodução

TERÇA-FEIRA, 14 – O Sol está em sextil pleno a Urano. O Mercúrio Geminiano faz sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio, que recebe também a quadratura da Lua em Libra. A Lua ainda faz oposição a Urano em Áries e desentende-se com Mercúrio, mas se harmoniza com o Sol. Netuno está, definitivamente, retrógrado. Dia causticante e cheio de desafios, mentais, emocionais e concretos. Mas é uma energia dinâmica, de ação e resolução, que precisa sair do pingue-pongue mental para a decisão e atitude no mundo objetivo – decisão e ação que ocorrem, principalmente, no âmbito dos relacionamentos. Precisamos atender nossa necessidade de harmonia e equilíbrio, de parceria e socialização, sem no entanto, comprometer nosso amor próprio e o desejo por autonomia, muito menos, sem comprometer a verdade e nossa integridade interior. Há muita tensão no ar, mas é uma tensão criativa, que nos impulsiona a fazer escolhas e caminhar decididamente, em vez de hesitarmos no meio do caminho. No meio de tudo talvez nos sintamos visceralmente divididos, tendendo a achar que o anseio premente por autonomia implique em eliminação ou diminuição da cumplicidade com o outro, porém, isso não precisa ser assim. Se aceitarmos nossa ambivalência interna termos condições de achar saídas inteligentes e perceber que a admissão de um sentimento ou necessidade não implica, necessariamente, na exclusão ou supressão de outros. E se podemos conter nossas ambivalências e permitir que coexistam dinamicamente dentro de nós, podemos também achar soluções para os dilemas aparentemente sem saída que nos oprimem.

Dominique Heidy - Reprodução
Dominique Heidy – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 15 – A Lua Libriana se afina lindamente com sua dispositora, Vênus, que trafega os últimos graus de Gêmeos e fica vazia logo depois, às 04h01min. A Lua ingressa em Escorpião às 10h19min de onde logo se indispõe com Mercúrio em Gêmeos. O Sol Geminiano hoje faz quadratura exata a Quíron em Peixes e quincunce, também exato, a Marte em Escorpião. Saturno está muito próximo da quadratura exata a Netuno. Sono mais tranquilo, despertar harmonioso, embora estejamos um tanto meditativos… Meditamos na complexidade da vida, com suas tramas intricadas de dor e alegria, de beleza e terror… O Sol Geminiano, normalmente leve e descomplicado, hoje se depara com com essas questões inextrincáveis, incompreensíveis para a mente racional que quer ver tudo de forma límpida e direta. Como explicar o inexplicável? Como achar sentido naquilo que não tem sentido, que escapa ao entendimento? Porque tanto sofrimento e pesar? Porque também são parte do tecido da vida e nós, bichos “racionais” precisamos aceitar, mesmo que não compreendamos. O dia fica colorido de uma melancolia indefinível, que por vezes se alterna com cinismo, quando dizemos a nós mesmos que não nos importamos com nada disso, que assim é a vida, que não nos atinge. Mas por dentro sabemos que estamos mais sensíveis e duvidamos de nós mesmos e dessas certezas cínicas. De toda forma, a insegurança e dúvida que carregamos não deve nos acabrunhar ou nos derrubar no solo, deve antes, nos humanizar e nos fazer perceber que somos humanos e na dor todos somos iguais… Essa incerteza que nos torna vulneráveis, pode também nos aproximar uns dos outros, se assim permitirmos. Do contrário, poderá ocorrer o oposto. Quíron, na busca de encontrar a cura para si mesmo e sua ferida, desenvolveu muitos remédios que beneficiaram a outros, embora ele mesmo nunca tenha se curado. Ao invés de tornar-se amargo, tornou-se ainda mais benigno e compassivo, ajudando àqueles que podia. Esta é uma lição que deve ser apreendida do mito: o não se deixar amargurar quando nos deparamos com nossas imperfeições intransponíveis, ao contrário, deixar que elas nos aproximem mais dos outros iguais a nós.

Time Out London - Reprodução
Time Out London – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 16 – De Escorpião, a Lua faz sesqui-quadratura a Quíron e também ao Sol, entrando na fase Corcunda. Mais tarde ela faz trígono a Netuno em Peixes e sextis a Júpiter em Virgem e Plutão em Capricórnio, ambos em trígono. O dia está denso e propenso à introspecção, mas essa introspecção é benéfica porque nos permite elencar nossos recursos e nos orientar de maneira mais focada na direção de nossos propósitos e interesses. Buscamos agregar valor ao nosso trabalho, tarefas e atividades em geral, agregando também sentimento e paixão, de modo que nos concentramos com gosto e vigor naquilo em que nos engajamos, decidida e comprometidamente. O dia está mesmo favorável ao trabalho concentrado, à execução cuidadosa de tarefas que exijam apuro e foco. A cumplicidade, seja afetiva ou amigável, também pode dar maior sentido  àquilo que fazemos e juntos descobrimos formas mais simples, porém mais efetivas e mais coordenadas de fazer as coisas. Acuracidade, feeling e intensidade nos fazem sentir muito vivos de novo e nos levam a testar alguns de nossos limites e nos aprofundarmos porque hoje não queremos a superfície, respiramos fundo e apenas mergulhamos, abraçando o desafio do dia! Que venha a vida, suculenta como fruta madura! Doce ou ácida, degustaremos até o fim!

Robbie Cavanaugh - Reprodução
Robbie Cavanaugh – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 17 – É dia de Vênus e ela muda de casa hoje, ingressando em Câncer às 16h39min. A Lua faz conjunção a Marte e fica vazia logo depois, às 10h53min, ingressando em Sagitário às 22h34min. A Lua ainda faz trígono a Quíron e quincunce a Urano, virando foco do Yod junto com Marte. A sexta-feira fica ainda mais com cara de sexta com uma Lua vazia praticamente o dia todo… Não tem mesmo muito o que inventar, é rever o que foi feito na semana, eliminar obsoletos, reciclar o que for possível e deixar a agenda já pronta para a semana que vem porque o dia pede quietude e reflexão. Reflexão sobretudo sobre nossas raivas mal resolvidas, contidas e putrefatas, que nos envenenam por dentro, mas que não purgamos nem deixamos ir… Pensamentos tóxicos, auto-cobranças, criticismo, dos outros e de si mesmo… A sensação de impotência diante dos próprios sentimentos pode ser algo frustrante e paralisante; sentir algo visceralmente, mas forçar-se ao autocontrole, conter a expressão, seja para provar para si mesmo que se pode, seja por medo de se expor ou de se tornar vulnerável… Mas tanta contenção enche o tanque, às vezes, e então transbordamos, dejetos tóxicos e corrosivos qual arsênico, não purgados devidamente, que podem contaminar as relações e a atmosfera ao nosso redor. O dia oferece essa chance de lidarmos com esses dejetos, com nossas frustrações e com a raiva corrosiva, mas que guardamos e contemos dentro de nós. Podemos olhar para isso e lidar com esses conteúdos e então canalizá-los de forma adequada, de maneira que não contaminem nosso humor e nem nossas relações. Conscientizar-nos daquilo que nos frustra e deixa vulneráveis e desanimados, para que isso não precise nos controlar mais. Quando olhamos com carinho para nossas fraquezas e dificuldades, aceitando-as ao invés de rejeitá-las, damo-lhes lugar em nosso coração e então temos chances de transformá-las e de nos liberar delas, chegando à leveza e à cura. E quando curamos a nós mesmos, curamos um pouquinho do mundo.

Martin Stranka - Reprodução
Martin Stranka – Reprodução

SÁBADO, 18 –  Saturno faz a segunda quadratura a Netuno, ambos retrógrados, exata hoje. Mercúrio em Gêmeos recebe a oposição da Lua em Sagitário, que já se prepara para ser cheia. A Lua também faz quadratura a Netuno em Peixes e conjunção a Saturno, além da quadratura a Júpiter, exata na madrugada de domingo. O sábado começa cheio de ideias, que jorram aos borbotões, misturadas com sentimentos desencontrados, exuberantes, mas caóticos… Nós pensamos ou sentimos? Intuímos ou racionalizamos? No meio do vendaval precisamos achar um abrigo seguro, que nos propicie lucidez e ponderação. Um ponto no espaço-tempo que nos proveja a serenidade de um olhar interno mais cuidadoso, que nos permita repassar o conflito aparente entre a cabeça e o coração, de onde ele vem e para onde nos leva… A sensação de isolamento, longe de atrapalhar, é bem vinda, porque estar a sós nos ajuda a acalmar o rebuliço interno e serenar sentimentos, pensamentos e a própria alma. Assim, conseguimos divisar inseguranças pertinentes de medos irreais, oportunidades reais de conjunturas fantasiosas e, encarar a neblina espessa que confunde e ilude e, como um cego, fechar os olhos da objetividade para enxergar com nosso centro, com a bússola interna. A sensação de peso é grande, mas paradoxalmente, também é libertadora porque muitos véus caem e vemos as coisas como são, sem disfarces ou brilhos enganosos. Tendo lidado com essa desesperança e desamparo, quem sabe conseguimos re-encontrar nossa alegria interior, mesmo que seja tímida; reencontrar uma esperança incipiente de que ainda podemos mudar o rumo das coisas; reencontrar nosso bom humor e espontaneidade, a despeito de quaisquer problemas e dificuldades com os quais precisemos lidar. Primeiro acalmamos a alma e então o mundo também se acalma.

Reprodução
Reprodução

DOMINGO, 19 – A Lua Sagitariana faz quadratura a seu regente, Júpiter. Posteriormente a Lua se afina com o libertário Urano em Áries, enquanto quadra Quíron em Peixes. Marte faz quincunce exato a Urano hoje. Um dia propenso aos excessos e exageros, caso não estejamos atentos à nossa voracidade do que quer que seja: aventura, riscos, comida, álcool, diversão, zoeira, gastanças… Sabe aquela pessoa “sem noção”? Que não percebe a hora de parar? Pois é… Que ferida tentamos esconder, que buraco tentamos encobrir, que vazio tentamos preencher com tantos excessos? Vale a pena nos questionarmos sobre isso antes de nos arriscarmos em aventuras reais perigosas, que desafiam nossa segurança, só para provar que “podemos” fazer isso. O dia está sujeito a acidentes, daqueles idiotas e estúpidos, que ocorrem por descuido e inconsequência, porque, gabolas e exibicionistas que estamos, tornamo-nos desastrados não prestamos atenção a detalhes simples mas fundamentais e, então, nos expomos ao erro, à fatalidade, à palavra errada, na hora errada, à situação sem volta. Contrariamente, podemos nos sentir presos e subjugados e resolvemos “dar um basta” em tudo, mas nosso senso de timing está comprometido, de modo que agimos na hora ou da forma equivocada, o que pode piorar, ao invés de melhorar a situação. Se nos damos conta das inseguranças e anseios que originam nossa histeria, podemos cuidar e lidar com isso e então tirar proveito do lado bom dessa energia esfuziante que permeia o dia e que convida também, depois de reconhecermos nossas limitações e fraquezas, ao bom humor e à alegria e a um olhar mais filosófico sobre esses bloqueios e deficiências de que tanto nos ressentimos. E então a vida pode voltar a ser leve.

Uma linda semana para você, que seja leve e serena!

Lago Emerald - Columbia Britânica, Canadá - Reprodução
Lago Emerald – Columbia Britânica, Canadá – Reprodução

 

Time Out London – Reprodução

A Semana Astrológica – Pavio curto, língua viperina!

Photokamerawork - Reprodução
Photokamerawork – Reprodução

06 a 12 de junho – Semana cheia de impulso e estímulos novos, que nos levam a prospectar ideias e projetos frescos e viçosos, mas que traz muitas tensões e enfrentamentos diversos.

A adaptabilidade e frenesi da Grande Cruz Mutável vai dando lugar a uma rigidez de opiniões e literalismos. É uma semana que traz as influências da Lua Nova e que  começa colorida pela Conjunção Superior de Vênus ao Sol, uma conjunção que marca uma nova fase e um novo ciclo de Vênus, que está desaparecida dos céus depois de ter ficado muitos meses como Phosphoros, a Estrela da Manhã. Daqui a algumas semanas Vênus voltará a aparecer no céu, agora como Héspero, a Estrela Vespertina, sendo visível em sua luz fulgurante logo após o por do Sol, até que comece a se preparar para outra fase de retrogradação, que ocorrerá em março de 2017.

brooke shaden the moment you understand ur value u become valuable.
Brooke Shaden Photography – Reprodução

Vênus também faz quincunce a Plutão em Capricórnio, enchendo nossas relações de mais contradições: ao mesmo tempo em que queremos flanar na superfície das coisas, leve e descompromissadamente, por outro lado, também queremos a profundeza das águas escuras, que prometem intensidade, paixão, mistérios insondáveis… Talvez até nos sintamos divididos entre duas pessoas que representam esses dois apelos, mas vale perguntar, por que é tão difícil aceitarmos que encerramos em nós mesmos muitas contradições numa mesma alma e que isso não é, necessariamente, um defeito ou problema? Aceitar e conviver com nossas incongruências e paradoxos é parte do processo de maturação emocional. Já no fim da semana Vênus ainda faz sextil a Urano em Áries, o que a tornaria mais descomplicada e libertária, não fosse a quadratura próxima a Quíron… O dia dos namorados fica sujeito a tensões e ao recrudescimento de velhas mágoas ou à abertura de novas feridas, se não tivermos tato e delicadeza na forma como conduzimos nossas relações.

Reprodução
Reprodução

Além da conjunção que recebe de Vênus, o Sol faz quincunce a Plutão e quadratura ao eixo nodal nesta semana, o que pode nos trazer sensações de desajustes, de estarmos fora do nosso eixo, saindo fora dos trilhos dos nossos propósitos conscientes. E de fato, é possível que situações ocorram, demandando nossa atenção a ponto de nos desviarmos da trilha original, mas assim é a vida, nem sempre fazemos somente o que queremos e a arte é ajustar todas essas demandas de modo que não tiremos o foco do que é mais central e essencial para nós. Integrar propósitos conscientes com necessidades e motivações inconscientes e mais obrigações e talvez pagamento de dívidas contraídas muito tempo atrás, tudo isso com alegria e bom humor, porque é isso que determinará que tais contratempos não comprometam nosso estado geral de felicidade e satisfação, a despeito das vicissitudes com as quais tenhamos que lidar.

Reprodução
Reprodução

Mercúrio avança pelo terceiro decanato de Touro e nesta semana se harmoniza com Quíron, mas, na sua teimosia, confronta a paixão contida e a frustração de Marte retrógrado em Escorpião, o que sugere uma semana de comunicação dura, ferina e mordaz: pavio curto e língua viperina = receita de confusão. Um dado que pode apaziguar e e suavizar essa irritação é o fato de Mercúrio e Vênus estarem atualmente, em recepção mútua – Vênus trafega Gêmeos que é regido por Mercúrio e Mercúrio viaja por Touro que é regido por Vênus, é como se um morasse na casa do outro. De certa forma, a teimosia de mercúrio pode ser suavizada por Vênus que, em contrapartida, influenciada pelo Mercúrio Taurino, fica menos volúvel e frívola. Mercúrio ingressa em Gêmeos no domingo dia 12, ficando mais confortável por estar em casa, mas também sujeito a muitos contratempos, já que formará outra Grande Cruz Mutável com Saturno, Júpiter e Netuno… Mas isso é mais para a frente… Por enquanto temos que domar nosso gênio teimoso, implacável e ferino para não esculhambar de vez nossas relações devido a uma língua venenosa demais. Mercúrio fica em Gêmeos até o dia 29 de junho.

Crossconnectmag - Reprodução
Crossconnectmag – Reprodução

Marte retrógrado em Escorpião, além de receber a oposição de Mercúrio, faz trígono a Quíron em Peixes nesta semana, um aspecto que pode tornar mais aguda a sensação de impotência e falibilidade humanas, mas tal sentimento também pode suscitar a aceitação serena da vida como ela e a percepção da necessidade de lidarmos com as situações com os recursos que temos, realisticamente, ao invés de esbravejarmos nossas frustrações contra o mundo, infantilmente. Porque, por mais que pareça que nossa vida é muito mais complica e cheia de vicissitudes, precisamos lembrar que essa é apenas nossa percepção subjetiva… Não podemos saber as dores e angústias que se escondem atrás do sorriso benevolente do outro diante de nós; talvez suas dificuldades sejam ainda mais tormentosas e paralisantes, mas a pessoa escolheu vivê-las com graça, paciência e humildade, sem achar que seu sofrimento é maior ou mais importante do que os de qualquer outra pessoa. O fato é que todos temos desafios, alguns mais outros menos, e o fato de enfrentar tantas atribulações não me intitula o direito de despejá-los sobre outros, de cobrar o que for, de quem quer que seja, só porque me sinto vitimizado pela vida… Estamos todos no mesmo barco. Amargura e cinismo não ajudam em nada, só pioram tudo, portanto, colocar nossa própria situação em perspectiva pode fazer maravilhas pelo nosso humor e senso de gratidão. Marte também começa a receber, a partir de sábado, quincunce do Sol e de Vênus, e como ele já está em quincunce a Urano, ele se torna foco de um Yod por alguns dias. Essa configuração exige cuidado, especialmente por se tratar de Marte-Urano, uma influência que pode significar acidentes e fatalidades com repercussões sérias e mesmo desastrosas. É necessário ficarmos atentos e plenamente conscientes de nossas ações e atitudes nesses próximos dias para não nos expormos a esse tipo de situação.

Anne Marieke - Reprodução
Anne Marieke – Reprodução

Netuno estaciona a 12° de Peixes no domingo para entrar em movimento retrógrado na segunda-feira, erodindo e dissipando barreiras internas conscientes ou inconscientes. Em termos mundanos, mais barreiras e fronteiras reais podem também ser fragmentadas, embora de maneira mais sutil a partir de agora. Netuno fica retrógrado de 13 de junho a 21 de novembro.

Shawna Erback
Shawna Erback

A Lua abre a semana Nova, vazia, ainda em Gêmeos. Empodera-se em Câncer e se torna Crescente já em Leão, na quarta-feira. Formaliza o Primeiro Quarto no domingo, dia 12, em Virgem e encerra a semana já em Libra. Nessa caminhada ela faz muitos contatos, com todos os demais corpos celestes, alguns harmônicos, outros agressivos, outros ainda duvidosos, simbolizando nossas alterações de humor e nossas diferentes disposiçãoes de ânimo ao longo da semana.

alex alemany11
Alex Alemany – Reprodução

A Lua começa o dia vazia em Gêmeos, mas ingressa em Câncer à 00h42min da SEGUNDA-FEIRA. Vênus está em Conjunção Superior ao Sol, que é dita superior porque ocorre do “outro lado” da Terra, com o Sol ficando entre a Terra e Vênus. A Lua faz trígono a Netuno, quincunce a Saturno e fecha o dia já em orbe de oposição a Plutão e formando um Retângulo Místico. Um dia sujeito a flutuações emocionais e muita sensibilidade. Os sentimentos fluem e nos levam a sentir de forma contundente e profunda , diferentemente dos dias anteriores, em que talvez tenhamos preferido racionalizar e analisar obsessivamente a tudo, ao invés de sentir. É dia de observar os sentimentos e de honrá-los, sem no entanto, se deixar oprimir por eles. Os contatos pessoais e as confidências íntimas ficam favorecidos, levando a um estreitamento dos vínculos afetivos.

Brooke shaden Photography - Reprodução
Brooke shaden Photography – Reprodução

O Sol e Vênus estão em quincunce pleno a Plutão na TERÇA-FEIRA, que também recebe a oposição da Lua Canceriana. A Lua se afina com Júpiter em Virgem e Netuno em Peixes e como Júpiter está em oposição a Netuno, temos formado um Retângulo Místico na madrugada. Mais para o meio do dia a Lua também dialoga com Mercúrio em Touro e faz trígono a Quíron em Peixes e Marte em Escorpião, formando um Grande Trígono em Água. Mas briga com Urano. A Lua fica vazia depois do trígono a Marte, às 21h20min. O dia traz o dinamismo crítico das quadraturas cardinais, cheias de tensão requerendo ajustes, negociação e resolução. O ajuste principal requerido hoje é entre consciente e inconsciente. Objetivamente queremos presteza, clareza e desapego para, livres, efetivarmos nossa presença lúcida e determinada no mundo. Mas o inconsciente sabotador pode nos puxar pelos pés, e quando menos esperamos, nos vemos no papel da criança carente demandando atenção ou manipulando pessoas e situações para atingir objetivos de outra natureza, não tão diretos ou honestos como gostaríamos. O mundo logo pode se ressentir de nossas manobras e retaliar de forma dura e aberta, entornando o caldeirão de nossas lamentações. Contudo, podemos nos afinar com qualidades mais elevadas desse dia e atacar problemas melindrosos de frente, achando soluções não óbvias e ainda não tentadas para os velhos e rançosos problemas de sempre. Para isso precisamos acionar nossa maturidade emocional e separar situações pessoais daquelas que nada têm a ver conosco, embora a criança carente possa achar que sim. Podemos decidir sentir de forma objetiva, ou seja, autorizar que nossos sentimentos fluam para que possamos identificá-los mais honestamente, sem deixar que eles nos controlem ou controlem nossas ações e atitudes, ao contrário, deixando que eles aflorem de forma curativa e compassiva, gerando empatia e entendimento que transforma as relações positivamente. Temos escolhas e elas devem sempre ser motivadas pela honestidade e a integridade interior, mesmo que no mundo objetivo elas pareçam, às vezes, insanas.

Cam de Leon - Reprodução
Cam de Leon – Reprodução

Mercúrio está em sextil pleno a Quíron na QUARTA-FEIRA e em oposição de menos de um grau a Marte Rx em Escorpião. A Lua abre o dia vazia em Câncer e ingressa em Leão às 03h48min e fica boa parte do dia sem fazer aspectos, iniciando contato com Saturno já à tarde, contato que só se efetiva na madrugada de quinta. O Sol e Vênus seguem se afastando da Grande Cruz Mutável. O dia está um tanto obtuso – nós estamos obtusos. A princípio concentrados em nós mesmos e nossas próprias tarefas e atividades, aos poucos vamos nos dando conta da irritação que permeia o dia, sub-repticiamente, motivada pelo descompasso entre o pensamento e a ação. Mas temos chances de lidar com a irritação efetivamente, colocando a mente a serviço de algo maior, ao invés de ficarmos remoendo ressentimentos ou azedumes, de maneira que nossa comunicação seja menos literal e cortante e mais compreensiva e sensível. A língua está ferina e cortante, portanto, melhor pensar bem antes de abrir a boca e sair causando estragos difíceis de contornar depois…  Será que estamos mesmo sendo “vítimas” de ataques verbais, ou será que nossa hostilidade interna e não reconhecida é que atraiu toda essa agressividade para nós? Sarcasmo é uma manobra de agressividade passiva! Bancar a vitimazinha inocentezinha não vai funcionar… lá, lá, lá…

Reprodução
Reprodução

A QUINTA-FEIRA é marcada pela oposição exata de Mercúrio em Touro a Marte retrógrado em Escorpião. A Lua se desentende com Netuno em Peixes e Plutão em Capricórnio, enquanto se alinha com Saturno em Sagitário e, mais timidamente, com Sol e Vênus em Gêmeos. À noite a Lua faz trígono a Urano em Áries. A irritação que antes quedava ali num canto da nossa mente hoje estoura aberta e provocativa, chamando para a briga àquelas frustrações que ainda não tínhamos ousado enfrentar, ao mesmo tempo em que pode, chamar para a briga, também, a pessoas reais, no mundo lá fora, que talvez sejam os receptáculos perfeitos para nossas projeções inconscientes dessa raiva surda e mal direcionada. Tudo nasce daquele descompasso entre a mente objetiva e a ação consciente e tal descompasso pode facilmente vazar para o mundo exterior e logo saímos dizendo tudo o que pensamos, quer queiram nos ouvir ou não. Como resultado, nos deparamos com toda a sorte de oposição e antagonismos às nossas ideias ou atitudes.

Reprodução
Reprodução

Se fosse um outro dia, talvez aproveitaríamos as divergências para um bom e saudável debate, mas não hoje. Hoje consideramos tais antagonismos como possíveis ameaças à nossa autonomia e, mais inconscientemente, à nossa própria sobrevivência. Se não cuidamos, envolvemo-nos em disputas egoicas grosseiras e mesquinhas, em que recorremos a recursos rasteiros para destruir o outro e eliminá-lo do nosso caminho, como se estivéssemos numa luta de vida ou morte e ainda nos arvoramos de vítimas inocentes. O que precisamos nos dar conta  é que nós andamos vibrando hostilidade e agressividade, sem perceber e isso atraiu para nós exatamente o tipo de situação que acionou esta agressividade inconsciente. Precisamos nos conscientizar de tal hostilidade; precisamos dar ouvidos àquelas vozes apaziguadoras que tentam trazer conciliação, seja nas disputas externas, seja nos conflitos internos; precisamos, também,  lembrar que o outro, por mais que pareça que é ele o obstáculo da vez, não é necessariamente o responsável por nossa frustração e, principalmente, por nossas escolhas mal-sucedidas. O melhor que fazemos para lidar com tais antagonismos é buscar um distanciamento físico e emocional, de modo que tenhamos outra perspectiva menos pessoal de todo o imbróglio, além de finalmente descobrir que fomos nós que criamos toda a confusão em que nos metemos.

john foster
John Foster – Reprodução

A Lua Leonina se envolve na confusão entre Mercúrio e Marte na SEXTA-FEIRA e vira foco de uma T-Square Fixa ao fazer quadratura aos dois. Além disso, a Lua ainda faz quincunce a Quíron em Peixes. Fica vazia depois da quadratura a Marte, às 04h16min. Ingressa em Virgem às 10h46min, de onde faz sesqui-quadratura a Plutão e depois a Urano. A madrugada de sexta fica super tensa, de modo que a tranquilidade do sono é prejudicada. Ou temos um sono inquieto e intermitente, preocupados com algumas discussões mal resolvidas durante o dia, ou pesadelos nos impedem de usufruir do devido descanso… As discussões talvez nos acompanhem no adormecimento e virem enredo central de pesadelos agressivos, em que agressores nos perseguem ou tentam tirar algo de nós… De todo modo, acordamos indispostos e de mau humor, demorando a engrenar nas tarefas essenciais do dia. Pelo meio da manhã a industriosidade é acionada, mas ainda assim, continuamos com a sensação de inquietude e irritação, predispostos a bate-bocas e criticismos ao mero olhar enviesado. Talvez seja mais produtivo atirar-nos ao trabalho decidida e efetivamente, ao invés de ficar procurando inimigos imaginários, porque se eles existem, estão, na verdade, dentro de nós. Engajarmo-nos em tarefas criativas ou mesmo rotineiras pode nos ajudar a estabelecer a ordem interna comprometida e organizar também nossas emoções e sentimentos desencontrados.

Reprodução
Reprodução

A Lua Virginiana faz oposição a Netuno, quadratura a Saturno e conjunção a Júpiter no SÁBADO. Como suporte a Lua busca a ajuda de Plutão em Capricórnio através de um trígono. O dia está abarrotado de tarefas e obrigações das quais nos ressentimos, porque distorcem nosso senso de ordem interna e comprometem o controle que nos é tão caro. O espelho exterior reflete a vulnerabilidade interior e nos faz penosamente conscientes de nossa situação periclitante diante do crítico mordaz interno, que se reflete no julgador externo implacável ao qual invocamos para corroborar a voz mental que teima em nos dizer que não está bom o bastante, seja a tarefa, o trabalho, os números, as palavras, as planilhas, as tabelas, ou, em última instância, nós mesmos. Ocorre que nós mesmos criamos as gaiolas e jaulas que nos prendem e tolhem nossa criatividade, a partir das expectativas e cobranças auto-impostas. Se apenas nos permitirmos sentir, verdadeiramente, toda essa vulnerabilidade, sem disfarces ou escamoteamentos, poderemos nos sintonizar também com as musas da fecundidade criativa e tal insegurança poderá ser assimilada sem se tornar tão ameaçadora; e, ao invés de empecilho, pode até se tornar combustível, pelo confronto honesto de tal fraqueza. Às vezes pode ser mais produtivo permitir que a ordem das coisas seja temporariamente subvertida, só assim podemos nos dar ao luxo de testar outros posicionamentos e alternativas, para então reestruturar tudo novamente.

Brooke shaden Photography - Reprodução
Brooke shaden Photography – Reprodução

A Lua oficializa a fase do Primeiro Quarto no DOMINGO. De Virgem ela faz quadratura ao Sol Geminiano e depois a Vênus. A Lua ainda conversa harmonicamente com Marte Rx em Escorpião, mas se irrita com Urano em Áries e confronta abertamente a Quíron em Peixes. Mercúrio ingressa em Gêmeos às 20h23min. Dia de algumas incongruências e guerrilhas emocionais, em que necessidades estão em desacordo com a mente objetiva, o que nos leva a ações desencontradas e incompreensíveis – masculino e feminino estão em conflito, portanto, a princípio, estas não são influências muito promissoras para um dia dos namorados romântico… De qualquer forma, tal conflito traz desenvoltura e a tensão busca uma resolução que pode ser bastante produtiva e criativa no plano geral. Contudo, a primeira crise séria do ciclo é representada pelo confronto com algumas fraquezas e dificuldades intransponíveis, às quais precisamos analisar para ponderar se vale a pena ir adiante a despeito de tais limitações ou se já abortamos o projeto aqui mesmo. Essencial é perscrutar nossos receios e averiguar se temos mais medo do nosso próprio julgamento ou se é do olhar externo; ou ainda, se temos medo de o controle cair por terra e nos percebermos mais frágeis do que gostaríamos de admitir. A Lua fica vazia depois do contato com Marte, que hoje está em trígono pleno a Quíron, o mesmo que recebe a oposição da Lua. Tudo isso nos coloca em contato profundo com essa impotência que gera a vulnerabilidade paralisante que temos sentido, mas que é tão difícil de assumir; tudo isso nos obriga a nos render, humildemente, às nossas limitações, imperfeições, insuficiências e senões e, se por um lado nos deixa sim, vulneráveis, por outro pode também nos humanizar, ao nos percebermos não como super-homens ou super-mulheres, mas como seres humanos dotados de fortalezas e fraquezas e, por isso mesmo, passíveis de redenção.

Reprodução
Reprodução

Em termos românticos, o dia está meio carregado e mais propenso a nos magoarmos sem querer do que a arroubos românticos e sedutores… É bom ter cautela na comunicação e na forma como expressamos as coisas – o que pode parecer natural e sedutor para mim, pode ser constrangedor para o outro. Desejo a todos os casais e namorados renovação e alegria!

Que sua semana seja serena e abençoada! Que os caminhos se abram, livres de percalços e floridos de oportunidades!

Reprodução
Reprodução

Lua Nova em Gêmeos – Nas encruzilhadas da vida…

gemini sakliresim
Sakliresim – Reprodução

A Lua é Nova no limiar deste domingo, à 00h00min no horário de Brasília (04h00min para Lisboa), o que parece muito adequado para uma Lua Nova Geminiana ocorrendo no meio de uma Grande Cruz Mutável, que por sua vez nos remete diretamente à imagem de uma encruzilhada. Gêmeos é regido por Hermes-Mercúrio, o próprio Deus das Encruzilhadas, portais e limiares do tempo-espaço. No caso do Brasil, é como se estivéssemos mesmo no limiar, num portal, entre mundos e situações… Resta saber se saímos de uma realidade sombria para uma mais luminosa ou se é exatamente o contrário, o que seria uma infelicidade para todos nós… Da panela para o fogo? É o que está parecendo, desafortunadamente…

Belu Bern, "Disperso" - Reprodução
Belu Bern, “Disperso” – Reprodução

O ciclo de Gêmeos é o ciclo que vem nos convidar a uma renovação das ideias e conexões; a nos comunicar mais efetivamente, a reaver o contato com nossos irmãos e com nosso ambiente imediato, a explorar nossa vizinhança e a perceber o que nosso ambiente tem a nos fornecer em termos de informações necessárias para a nossa jornada. É um ciclo para estudar e aprender ou talvez ensinar e informar. É também momento de socializar e fazer os outros saberem das coisas, ou seja, a boa e velha divulgação e conversação, que pode se traduzir na construção de pontes. Sendo o primeiro signo de Ar, um signo mental, em Gêmeos começamos a elaborar conceitos e a dar nome às coisas, a explorar os potenciais da nossa mente e a verbalizar nossas ideias…

Sandra Yagi - Reprodução
Sandra Yagi – Reprodução

Entretanto, devido às configurações ativadas pela Lua Nova, podemos multiplicar tudo isso por dez ou mesmo cem ou mil… A curiosidade e a inquietude Geminianas ficam super potencializadas neste ciclo.  Isso porque essa Lua Nova, de certa maneira, vem prolongar o clima que tivemos durante a semana que passou, que foi colorida pela Grande Cruz Mutável formada por Sol e Vênus em Gêmeos, em oposição a Saturno em Sagitário, estando os quatro em quadratura a Júpiter em Virgem e a Netuno em Peixes, configuração à qual a Lua se junta e na qual se renova  – ou seja, teremos todo o próximo ciclo influenciado por essa dinâmica caótica, desconexa, incoerente e frenética, e no meio de tudo é-nos cobrado coerência e coesão… Como entregar isso, se nem nós estamos nos entendendo nessa ventania descontrolada? O que nos atrapalha também pode nos ajudar: movimento, fluidez, versatilidade, flexibilidade, adaptação e presença de espírito… Preparemos os punhos, é tempo de malabarismos!

Grande Cruz 1
Grande Cruz Mutável

Além desses aspectos da Grande Cruz, que aliás, ocorre em conjunção aos ângulos, o que potencializa seus efeitos, Sol e Lua também estão numa conjunção muito próxima a Vênus – Vênus, aliás, fará a Conjunção Superior ao Sol, que marca a metade do seu ciclo, na segunda-feira. Essa conjunção tripla em Gêmeos aponta para um ciclo mais leve, talvez leve demais, precário, superficial, frívolo, inconsequente… E Vênus, Sol e Lua também estão em quincunce a Plutão em Capricórnio. Tudo nos fala de um ciclo em que precisaremos vigiar nossos pensamentos e palavras, porque tudo acontece num ritmo vertiginoso, delirante, mas nem sempre conseguimos manter o registro ou a referência do que ocorre. Há muita atividade mental, porém não necessariamente essa atividade é produtiva ou leva a algum lugar, podendo, ao contrário, ser fonte de estresse e dispersão, agitação vazia e inquietação e ansiedade.

Lynn Skordal - Reprodução
Lynn Skordal – Reprodução

Gêmeos está associado diretamente a comunicações, que estarão na berlinda neste ciclo. Contudo, apesar de estarem sob grande escrutínio, a influência de Netuno nessa Grande Cruz sugere que desconfiemos de tudo o que vemos e ouvimos reportado pela mídia e meios de comunicação em geral, que desconfiemos, até mesmo daquilo que ouvimos em tete-a-tetes no dia a dia… Notícias bombásticas podem não passar de boatos ou puro sensacionalismo fomentado pela pressa, preguiça, descuido ou irresponsabilidade dos envolvidos; podem ser maldosas ou plantadas ou podem ser fruto apenas da inconsequência e irresponsabilidade de alguns, portanto, é bom ficarmos de olho – aliás, isso já está valendo desde que o Sol ingressou em Gêmeos e começou a fazer quadratura a Netuno, lá pelo dia 24 de maio. Isso também se aplica às relações pessoais… Os mal entendidos e falatórios estão favorecidos e fazemos bem se não ajudarmos a proliferar ou propagar inverdades ou informações de fonte e veracidade duvidosas… Lembra os três filtros de Sócrates? Já falei dele aqui, mas vale repetir: estamos seguros de que a informação é verdadeira? O que ouvimos ou dizemos, é uma coisa boa? E por último, é útil? Se não passar por qualquer um desses três filtros, melhor calar a boca ou os ouvidos… Se não passar pelos três, bom, isso nem deveria estar sendo cogitado!

Lua Nova em Gêmeos - Brasília, 05 de junho de 2016, 00h00min
Lua Nova em Gêmeos – Brasília, 05 de junho de 2016, 00h00min

Quando observamos que Netuno está conjunto ao Ascendente no mapa levantado para Brasília, ficamos ainda mais desalentados, porque Netuno tomará o palco central, então a possibilidade de fraudes e esquemas obscuros fica aumentada, especialmente no cenário político em Brasília… Mas Saturno está lá no Meio do Céu, apresentando a conta e trazendo tudo a público… Parece que essa nossa via crucis não acaba nunca… Netuno no ASC sugere um ciclo muito confuso, propenso a equívocos e malogros diversos, desânimo, desilusão que, paradoxalmente, nos deixam predispostos a novos enganos. Escândalos envolvendo figuras públicas, escândalos envolvendo drogas e entorpecentes, possível aumento da propagação do vírus da Zika e outras doenças… Se conseguirmos driblar nosso desânimo, hesitação e vontade de desistir, talvez consigamos nos alinhar com a infinita criatividade também simbolizadas por Netuno. Vênus, Sol e Lua estão no Fundo do Céu – será que vamos continuar como os bobos da corte, rindo para não chorar, com nossos erros esfregados na nossa cara por todo o sempre? Júpiter em Virgem está no Descendente: viramos mesmo chacota internacional! Por outro lado, talvez isso possa significar alguma ajuda externa no meio desse caos insolúvel e sem saída que nos encontramos… Mas dado o presente cenário, mesmo essa ajuda pode ser duvidosa. É, este é o ciclo da lambança federal (federal, de federação, não é no sentido de gíria!), seguida de de rebordosa e ressaca, seguida de mais lambança… Círculo vicioso. E o povo, assistindo a tudo isso impotente, cai na tentação de voltar a se embriagar e anestesiar, seja com álcool, drogas, crenças, opiniões cheias de certezas ou ilusões… Bem fará quem se mantiver sóbrio!

Emma Dajska - Reprodução
Emma Dajska – Reprodução

De fato, é um ciclo que exigirá de nós muito centramento para que possa ser minimamente produtivo, do contrário, o tempo passará num piscar de olhos e quando nos dermos conta estaremos apenas com a sensação de ter atravessado um furacão, ou melhor, de ter sido levados por ele. Contamos com alguma ajuda nesse quesito “centramento” vinda de Mercúrio, regente da Lua Nova, que está em Touro, um signo bastante pé no chão, pragmático, ponderado, deliberativo e lento na ação, o que, neste caso, equilibra grandemente a pressa e a afobação de Gêmeos e garante que tenhamos alguma substância e não sejamos apenas um balão vazio levado pelos ventos. De qualquer forma, Mercúrio já está em orbe de oposição a Marte em Escorpião, o que exige cuidado dobrado com a língua, que estará letal e com precisão cirúrgica, mas com forte potencial destrutivo!

Reprodução
Reprodução

Contudo, para além do óbvio, Essa Grande Cruz Mutável me lembra, mesmo, uma encruzilhada e nela precisamos decidir que direção tomar: vamos para a direita, pelo lado do otimismo, talvez até um pouco ingênuo ou exagerado? Vamos pela esquerda – e isso também me lembra a via sinistra – a via da fantasia e do sonho, mas também das ilusões tolas e ocas, a via da busca por um salvador/cuidador e das meia-verdades ou mentiras deslavadas? (Em tempo, os termos esquerda e direita aqui referem-se exclusivamente aos posicionamentos de Júpiter e Netuno no mapa da Lua Nova, não têm, absolutamente, nenhuma conotação política). Vamos para a frente, para o confronto com a realidade e com nossos medos e limitações, que nos colocará em contato com inseguranças, mas também com nossa verdade mais firme? Ou vamos ainda voltar por onde viemos, crianças irrequietas, alheias ao que ocorre à nossa volta  e receosas dos comprometimentos que os caminhos e escolhas possam representar?

Puerto Natales, Chile - Reprodução
Puerto Natales, Chile – Reprodução

A encruzilhada demanda reflexão e escolha, que nos elevemos acima do burburinho mental para termos maior clareza, pois se ficarmos paralisados no meio dela poderemos ser atropelados por outros mais apressados e decididos do que nós… Mas serão só estas as nossas opções? Talvez não. Ainda podemos ir para cima ou para baixo – não esqueçamos que Plutão está ali, a nos dizer que pode nos levar numa jornada ao Mundo Inferior também num piscar de olhos! E mais: Hermes-Mercúrio, como Deus dos portais, nos lembra que há outras dimensões além daquelas três às quais estamos acostumados… Talvez possamos pairar acima dessa encruzilhada e nos projetar no futuro, intuindo os vários possíveis resultados das diversas alternativas diante de nós… Poderíamos percorrer todas essas alternativas e voltar ao começo depois? Bem que Gêmeos adoraria, não é, deixar tudo em aberto, experimentar um pouco de cada opção e depois ainda sair solto e descolado feito sabonete escorregadio… Falamos de Gêmeos apenas arquetipicamente, porque essa é uma atmosfera que se aplica a todos por estes dias.

Reprodução

Então, qual é a melhor escolha? Na verdade, não existe tal coisa… Idealmente, deveríamos ser capazes de absorver toda a irreverência e curiosidade de Sol-Lua em Gêmeos, temperá-la com a sobriedade e a contenção de Saturno, equilibrar essa sobriedade com a alegria juvenil de Júpiter e ainda sonhar um pouco e abrir mão do controle com Netuno… Mas estes planetas não representam apenas qualidades positivas e nós precisamos considerar seus paradoxos… E, novamente, no melhor dos mundos, tal como um sábio meditando,  conscientizarmo-nos de tudo o que tais deuses representam, para o bem ou para o mal, por assim dizer, misturar tudo isso dentro de nós, peneirar e finalmente fazer nossa escolha, no cerne da nossa certeza interna simples, tendo a grande humildade de considerar que ainda poderemos estar errados, mas que fizemos a escolha que nos pareceu mais apropriada naquele momento.

É como naquela cena do filme O Último Samurai em que o protagonista, Nathan Algren vem por uma rua tarde da noite, desarmado e é encurralado por cinco guerreiros. Como já ficou muitos meses treinando na arte dos samurais, Algren sabe que se espatifar em todas as direções não é a melhor estratégia. Então, ele fica completamente alerta, em máxima concentração e fixa sua total atenção no momento presente, num estado pleno de atenção consciente. Assim, consegue antecipar os movimentos de seus oponentes e ter perfeito controle de suas próprias ações e reações, conseguindo vencer, sozinho, a cinco guerreiros valentes, puramente pela força mental concentrada… Sim, claro, estamos falando de um filme Hollywoodiano que tenta vender a supremacia americana e blá blá blá… Mas não é disso que estou falando. Quando pensamos nos samurais e todo o corpo de práticas e filosofia que viviam, sabemos que isso não só era possível para eles, mas dependendo do grau de aperfeiçoamento do guerreiro, poderia ser até enfadonho de realizar. Aliás, podemos ver isso nas artes marciais ainda hoje. O que eu quero dizer é que, diante deste cenário de inúmeras possibilidades, de situações se alterando constantemente e das mil e uma tarefas, obrigações, e imprevistos ocorrendo simultaneamente, o melhor que podemos fazer é adotar a prática do guerreiro zen, ou seja, atenção consciente permanente no aqui e agora. Só assim estaremos aptos a responder aos desafios que o ciclo nos traz.

Reprodução
Reprodução

O guerreiro zen sabe que tudo está na mente e que a mente prega muitas armadilhas. Ela pode ser nossa salvação ou danação, depende de nós e de como a usamos. Nas várias horas de treino a que se submeteu, Algren aprendeu que o segredo é manter a mente limpa e vazia: nada na mente. Esvaziar a mente de nossos medos, desejos, expectativas, pressões, opiniões, conceitos, identificações, paixões, inflações. Quando nos desapegamos de tudo isso, nós ficamos livres e leves e assim podemos tomar decisões mais coerentes e tranquilas que, mesmo que se provem equivocadas posteriormente, o que é muito improvável, ainda permaneceremos serenos, porque sabemos que tal decisão não foi fruto de precipitação, inconsequência ou leviandade, mas de uma escolha consciente.

Getty Images - Reprodução
Getty Images – Reprodução

O Símbolo Sabiano do grau 15 de Gêmeos (14° – 14°59’) traz a seguinte imagem: “Duas crianças holandesas conversando e estudando suas lições juntas”. O símbolo é claro: pessoas que se juntam a partir de objetivos similares ou afins. Uma situação de estudo e aprendizado, comunicação e socialização que tem tudo a ver com Gêmeos. O fato de ser apontado que são crianças “holandesas”, implica que talvez sejam estrangeiras em alguma terra alheia, mas nem por isso precisam se sentir isoladas, pelo contrário, podem se aproximar de seus semelhantes e afins e de origens ou metas parecidas. O fato de precisarem executar uma tarefa não necessariamente quer dizer que isso tenha que ser feito de maneira soturna e tediosa, mas pode sim, ser encarado com leveza e alegria, o que nos remete também, como diz Lynda Hill (1), às lições da vida que precisamos aprender e apreender e que podem iluminar e enriquecer a todos os envolvidos na situação. É fundamental manter o espírito de leveza e serenidade, para que não criemos complicações e problemas desnecessários – já teremos o bastante de desafios e problemas reais e também imaginários ou exagerados, logo, não precisamos ficar procurando cabelo em ovo, portanto, quanto mais simples e objetiva for nossa abordagem, melhor. Este é um símbolo que fala de estudos e aprendizados, de comunicação e amizade, de companheirismo e de simplicidade. entretanto, ele também traz riscos e fala de fofocas, de superficialidades, de pontos de vistas grosseiros, de preconceitos, ostracismo e, acrescenta Hill, da possibilidade de ouvir vozes que não fazem sentido algum… Portanto, o Símbolo Sabiano reverbera um pouco da dinâmica da configuração ativada pela Lua Nova e sugere mais cautela.

Maria Eunice Sousa
Maria Eunice Sousa

E nós, como ficamos nessa encruzilhada, afinal? Ficamos no centro. Não no centro do cruzamento, correndo o risco de ser atropelados pela hesitação, indecisão , inconstância e incoerência, mas no centro de nós mesmos e da nossa alma. Só assim poderemos perceber o sentido das coisas e das escolhas que precisamos fazer e das atitudes que precisamos adotar. Como diz Bert Hellinger, “no centro sentimos leveza” e leveza (Gêmeos) com substância (Mercúrio em Touro) é o objetivo final deste ciclo. Será que conseguimos? Havemos de consegui-lo!

lightworkersworld
Lightworkersworld – Reprodução

Praticalidades: Indivíduos com planetas ou ângulos entre os graus 09 e 20 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais impactados por esta Lua Nova e esta Cruz Mutável, nas áreas de vida representadas pela casa que têm Gêmeos no mapa natal.

Para se manter centrados e ancorados neste ciclo tumultuado, podemos recorrer a várias práticas: exercícios de respiração profunda, Yoga, Tai-Chi-Chuan, exercícios de enraizamento, meditação, florais que acalmem a mente e a ansiedade, dança, escrever para dialogar com os próprios receios, andar descalço na terra, contato com a natureza…

Um ótimo ciclo para você!

Con-centre-se! Con-centro-me (com centro em mim). Enraize-se!

Jiwa Lee Robinson - the Huffington Post - Reprodução
Jiwa Lee Robinson – the Huffington Post – Reprodução