PEIXES – A Saudade da Unidade

PEIXESA professora Edna Andrade, no site Festas Cristãs (1) quando fala sobre o signo de Peixes dentro do programa das 12 Noites Sagradas, idealizado por Rudolf Steiner, nos diz o seguinte: “A sabedoria antiga nos conta que foram as forças espirituais de Peixes que configuraram os pés humanos – regidos por Peixes. Quando observamos os pés verificamos que eles são formados em forma de uma abobada que vai propiciar, simultaneamente com a verticalização da coluna, o andar ereto, primeiro grande aprendizado da vida. Quando criança nos arrastamos, engatinhamos e finalmente nos erguemos e nos apoiamos nos nossos próprios pés superando as forças da gravidade, significando isto uma grande conquista e a condição para o desenvolvimento do pensamento, sendo o pensar o que diferencia o Humano dos outros reinos da natureza”.

dalizodiac_pisces

Salvador Dali – Peixes – Reprodução

Ao longo da vida seguidamente fazemos uma analogia íntima com este fato: ‘andar nos meus próprios pés, saber por onde ando, seguir os meus próprios passos, não vou andar nos passos de ninguém’. São expressões que exprimem uma correta relação com a terra e com o destino em termos de liberdade pessoal.” (1)

De Peixes recebemos “os impulsos para nos firmarmos nos próprios pés e nos erguermos, condições básicas para alcançar a liberdade individual, meta à qual nos destinamos como seres individualizados”.

pisces (2)

Peixes – Vitrais da Catedral de Chartres França

Em PEIXES chega-se ao fim do ciclo zodiacal e encerra-se o escopo arquetípico da experiência humana. Por isso se diz que Peixes, de certa forma, é a síntese de todos os outros signos. Por ser tão inclusivo e abarcar tanto dos outros, é muito difícil definí-lo. É um signo extremamente impessoal, em que o Ego, que levou os outros 11 signos para se definir, agora busca sua dissolução completa. Mas por ser o último, também é o primeiro, é o material e a promessa de onde nasce o novo ciclo e a Casa 12 no mapa natal, a casa natural de Peixes, é considerada a casa pré-natal, porque é a casa imediatamente anterior ao Ascendente, que marca o arquétipo do parto.

240px-Pisces2

Peixes – coleção antiga – Reprodução

Signo de ÁGUA MUTÁVEL, NEGATIVO, FEMININO, PASSIVO, YIN, Peixes absorve as influências do ambiente com facilidade, assim como a água, que se mistura a tudo o que toca e está sempre mudando de forma conforme o recipiente que a contém. Pessoas com grande ênfase em Peixes são como “ESPONJAS PSÍQUICAS”, diz Clare Martin: “Se alguém deprimido ou zangado entra na sala, o Pisciano pode facilmente começar a se sentir deprimido, zangado ou infeliz, sem saber porquê. Se essa capacidade para a fusão simbiótica é conscientemente reconhecida e aproveitada, pode ser um dom extremamente útil nas profissões de AJUDA e de CURA”. (2) Peixes não julga e sua compaixão e altruísmo imensos podem ser dirigidas a qualquer coisa ou pessoa que precise.

Pisces-Larger_600

Atlas Coelestis – Reprodução

Porém, quando não vivenciadas conscientemente, essas qualidades podem causar problemas, porque a pessoa tem dificuldade em estabelecer limites saudáveis entre seus conteúdos e os dos outros, ou até mesmo em separar realidade do que percebe de outras dimensões e esferas.  Ele é INCLUSIVO, porque não percebe barreiras entre as pessoas e é ABSORVENTE de tudo o que “boia” ao redor e por isso mesmo, pode ser muito influenciável pelas correntes invisíveis na atmosfera, sendo necessário que aprenda a erigir limites e barreiras que o protejam da invasão exterior ou mesmo de se misturar excessivamente com os conteúdos alheios. Peixes é famoso por sua SENSITIVIDADE e MEDIUNIDADE, e muitos, ao não entender, ou não conseguir lidar com isso, bloqueiam esse dom cedo na vida, tornando-se CÉTICOS depois – falamos deles mais abaixo.

Pisces

Birth Chart Paiting

E por que ele é tão inclusivo? Porque para Peixes não existe melhor ou pior, superior ou inferior, tudo são condições transitórias, ditadas pela impermanência e pelo estágio de evolução particular de cada um, por isso Peixes não julga nem separa e para este signo tanto faz se a pessoa é prostituta, pobre, presidente da empresa ou do país, um mendigo na rua, um adicto, um louco ou deficiente mental, uma pessoa comum, um trabalhador, uma criança ou um velho, negro ou branco… Todos são iguais, assim como todos eram iguais para o Cristo. Em sua compaixão ele não vê separação ou diferença porque, afinal, todos viemos da mesma fonte e para lá voltaremos um dia. Somo todos partes do mesmo todo, interconectados, interdependentes numa rede infinita que liga todas as formas de vida e de energia. Essa tendência a abraçar e incluir a tudo e a todos frequentemente o coloca em confusão e o torna influenciável, muitas vezes CRÉDULO e IMPRESSIONÁVEL, podendo ser uma presa fácil para espertalhões, porque toda essa inclusão o torna também muito IDEALISTA e incapaz de perceber as pessoas pelo que elas realmente são, na sua versão humana mais primitiva. Vê o mundo sob lentes cor-de-rosa e é claro, quando se é muito idealista, está-se fadado a decepções e desapontamentos.

the fool

O Louco – Arcano do Tarô

Peixes é o signo menos “mundano” de todos e aquele que tem o senso mais frágil de “self”, de si mesmo e até de ego, porque em primeiro lugar, ele nem mesmo queria estar encarnado! A experiência da encarnação na matéria é extremamente dura e difícil para Peixes, mais do que para qualquer outro signo. Ele é de outro mundo, de outra dimensão, de outra galáxia. Ele vem de um mundo onde tudo é perfeito, onde não há separação, doença, morte, onde tudo é belo, tudo é unidade e amor, onde o universo respira em uníssono. E quando se vem de um tal mundo perfeito, a experiência humana é realmente dolorosa e sem muito sentido, por isso Peixes odeia a sordidez e a mesquinhez da vida mundana, das contas a pagar, do emprego, da competição desenfreada, da miséria e escassez de amor que muitas vezes personifica a vida na terra. Estar encarnado num corpo para Peixes é pesado demais e por isso mesmo é um dos signos que mais tem propensão para adicções porque através delas ele tentar voltar para o Paraíso Perdido do Éden, da Unidade com o Pai e a Fonte da Vida.

ce47a332af018b21f585d2a1860376b2Dizem que o rio sente saudades do mar, assim como a alma sente saudades de Deus, da Unidade. E Peixes é o signo onde essa saudade é mais aguda e mais doída. Essa nostalgia e essa saudade de algo indefinido e inominável é a saudade do Inefável, mas que Peixes leva uma vida inteira para reconhecer. Neste anseio e nesta fome, ele vai pela vida tentando encontrar o objeto da sua saudade em coisas, pessoas, situações, em vão. Daí desenvolvem-se as adicções de todo o tipo. Outros talvez busquem em caminhos menos tortuosos, pela arte ou pelo misticismo. Outros ainda, sem um ego forte o bastante que suporte e contenha as forças do Inconsciente, simplesmente sucumbem a ele e entram em estados de psicose. E ainda tem os que, ao perceber o mundo de imperfeição em que caíram, emprestam seus dons para ajudar e curar, porque sua grande compaixão e altruísmo demandam que façam algo concreto para minimizar o sofrimento e essa imperfeição que vêem no mundo, são os curadores e os servidores. Assim, o drogado, o alcoólatra o louco, o místico, o artista, o curador… Todos estão buscando a mesma coisa, só que de formas diferentes: todos estão tentando ESCAPAR da miséria humana, todos buscam voltar a Deus, retornar à fonte, mas alguns o fazem de maneira muito destrutiva. Isabel Hickey, astróloga americana dizia a respeito de indivíduos com fortes posicionamentos em Peixes ou na casa 12: “Ou sirva ou sofra!”. E assim é. Peixes é o grande mártir do Zodíaco, porque capta o sofrimento de toda a humanidade e os vivencia, tornando-se, muitas vezes, o paciente identificado, a vítima ou a ovelha sacrificial. Ou ele se identifica com o salvador ou com a vítima, ou com o Redentor ou com o redimido.

sacrificio2

Reprodução

Mas claro, há o Peixes cético. Aquele que, ao ser confrontado com os limites tênues da “realidade” e perceber outras realidades espirituais, algumas delas absurdamente assustadoras, erigiu defesas extremamente eficientes contra os poderes do inconsciente, contra as forças irracionais e incompreensíveis que ele não controlava e foi para o extremo oposto da ultra-racionalidade, negando suas percepções e dons, abafando-os completamente até que eles se extinguiram ou viraram apenas uma lembrança borrada de um passado distante. Esse tipo de Peixes costuma se dar muito bem nos meios acadêmicos que endeusam a lógica e a razão, ele se sobressai nos mercados financeiros, porque inconscientemente usa seu feeling para intuir o caminho certo. Mas ele não acredita em nada. Ele nega veementemente que sinta coisas diferentes. E costuma ter insônia. E se dorme, jamais sonha. Tudo como parte de um elaborado e super eficiente sistema de defesa. Mas um dia ele terá que se render. O Inconsciente encontrará maneiras de minar essa barragem e então o dilúvio e a inundação virão. É quando o indivíduo se encontra muito infeliz na sua vida super ajustada, mas completamente árida e sem sentido – então ele terá que voltar aos braços da Grande Mãe e fazer as pazes com ela e com tudo o que ela representa.

jupiter maria

Júpiter, regente tradicional de Peixes – Maria Eunice Sousa

Devido a tudo isso Peixes geralmente evita se comprometer. São indivíduos extremamente ELUSIVOS, como elusivo é Netuno, seu co-regente. São INDEFINÍVEIS, como indefinível é o grande mar. Sue Tompkins cita Richard Idemon em seu livro The Astrologer’s Handbook, que dá uma definição sobre Peixes: “Não eu, Não aqui, Não agora” (3). Não é perfeito? Ele não quer ser, nem quer estar, não está aqui, nem lá. Quando? Não sei, um dia, talvez…

MERMAID

Reprodução

E quais os mitos de Peixes? São muitos, mas invariavelmente envolvem uma mãe e seu filho redentor. Os parágrafos a seguir são uma tradução livre e resumida de parte do texto sobre Peixes, do livro A Astrologia do Dsstino, de Liz Greene, no capítulo Mith and Zodiac (4), que coloco em itálico para destacar a fonte:

babytammuz1

O Infante Tammuz – Reprodução

Como ocorre com os demais signos, há muitos mitos, antigos e variados, relacionados a Peixes, alguns deles bem mais antigos do que os mitos gregos. Invariavelmente esses mitos nos levam ao arquétipo da Grande Mãe, de onde tudo nasce e para onde tudo retorna. Há muitas versões, em culturas diferentes, da estória de dois peixes celestiais, associados com o culto da deusa Atargatis, que também está conectada ao signo de Virgem, oposto complementar de Peixes. Seus templos tinham piscinas onde nadavam peixes sagrados, que só podiam ser tocados ou comidos ritualisticamente. Atagartis tinha um filho chamado Ichtis, que era, ele mesmo, um peixe e que depois evoluiu para Ea, a cabra-peixe que encontramos em Capricórnio. Outras versões desse par são Ishtar e Tamuz, Cibele e Átis, Afrodite e Adônis. O mito babilônico conta que um ovo gigante foi encontrado no Eufrates por dois peixes, que o empurraram para a terra, onde uma pomba pousou sobre ele. Deste ovo surgiu Atagartis, que honrou os peixes colocando-os nos céus. Na versão grega do mito, Afrodite e seu filho Eros fugiam do monstro Tifão disfarçados como peixes, ou teriam sido salvos por eles e foram também honrados pela gentileza sendo colocados nos céus como constelação. Os peixes geralmente aparecem amarrados juntos e jamais se separam, embora aparentemente pareçam nadar em direções opostas. Um dos peixes é a Grande Mãe, a deusa da fertilidade que representa a origem de toda a vida. “Ela é devoradora, lasciva e destrutiva, o mundo primordial dos instintos. Ele é o Redentor, ichtis, o Cristo. Estão unidos pra sempre e não podem fugir um do outro. Ele é tanto o filho como o amante, e deve ser sacrificado ritualisticamente, ano a ano. O filho é desmembrado e morto pela própria mãe ou por um dos seus animais totens: um lobo, uma serpente monstro, um javali. Depois ressuscita. As sereias são associações consequentes dessas deusas-peixe, e assim como a Grande Mãe-Amante, seu apelo e canto são irresistíveis, porque não são desse mundo, falam de imagens etéreas e oníricas. No capítulo sobre Peixes Liz Greene cita Jung:

AdonisAwakeningWaterhouse

The awakenig of Adonis – John William Waterhouse Reprodução

“As Grandes Mães mitológicas são geralmente um grande perigo para seus filhos. Jeremias menciona a representação de um peixe numa lâmpada cristã, que traz um peixe devorando outro. O nome da maior estrela da constelação conhecida como Peixes do Sul, Formalhaut, que é ‘a boca do peixe’ – pode ser interpretada neste sentido, justamente como no simbolismo, toda forma de concupiscência devoradora é atribuída aos peixes, que são tidos como ‘ambiciosos, libidinosos, vorazes, lascivos, avaros – em suma, um emblema da vaidade do mundo e dos prazeres terrenos (voluptas terrena). Eles devem essas más qualidades ao relacionamento com a mãe e deusa do amor, Ishtar, Atagartis e Afrodite. Não por acaso, Vênus tem sua exaltação em Peixes.” (4)

Desenho-símbolo-peixe-cristão

O Peixe como Símbolo Cristão

A associação chega à era Cristã e temos a Virgem Mãe e o Cristo, que tem o peixe como um de seus símbolos principais e que disse aos discípulos que os faria “pescadores de homens”, enquanto os Evangelhos estão cheios de referências a peixes e pescadores. O próprio Cristo é desmembrado e ritualisticamente comido na Eucaristia, seu sangue bebido pelos fiéis. O tema da vítima e do redentor é muito caro a Peixes, que pode vivenciá-lo num extremo ou outro da polaridade, já que são duas face da mesma moeda. Nenhum outro signo se presta tanto ao papel de vítima sofredora e perdida, como também nenhum outro é tão genuinamente altruísta e compassivo pelo sofrimento alheio.

signo_de_peixes

Reprodução

Outra figura mítica associada com Peixes é Dionísio, o deus da dissolução, do vinho e dos cultos orgiásticos. Dionísio aparece como filho de Demeter, outras vezes como filho de Perséfone. Mas a versão mais comum é que era filho de Zeus com Semele, filha do Rei Cadmos de Tebas. Hera, ciumenta ao extremo, aparece para a jovem ingênua disfarçada de velha e a convence a exigir que Zeus aparecesse para ela em toda a sua força e glória. Sem perceber que isso a destruiria, Semele faz Zeus prometer que atenderia a qualquer um de seus pedidos e preso pela promessa, é obrigada a aparecer para ela tal qual era, como Raio e Trovão, no que a jovem é instantaneamente fulminada. Semele estava grávida de Dionísio e Hermes conseguiu salvá-lo e costurou-o na coxa de Zeus, por isso ele era chamado “nascido duas vezes”.

dionisio

Dionísio – Reprodução

Ele era um macho nascido de outro macho, mas era um deus extremamente feminino, um deus das mulheres, geralmente retratado com feições femininas e jovens. Hera o odiava, como fazia com todos os filhos bastardos de seu marido. Hera o perseguia constantemente e ordenou que os Titãs o pegassem e rasgassem em pedaços, que foram cozidos num caldeirão. Uma árvore de romã nasceu no lugar onde seu sangue caiu. Porém sua avó, Rhea, o salvou e o trouxe de volta à vida. Ele cresceu escondido, mas de novo Hera o encontrou e o tornou louco. Louco, ele saiu pelo mundo acompanhado pelo seu tutor Silenos (um sátiro) e pelo séquito de selvagens mênades. Era um deus dissoluto e onde ele passava as mulheres enlouqueciam e o seguiam. Um dia ele chegou a Tebas, a terra de sua mãe. O então Rei de Tebas, Penteus, não gostou nada da idéia de ter aquele deus dissoluto em suas terras e mandou prendê-lo e a seus acompanhantes. Dionísio fez o rei ficar louco e achou que tinha prendido um boi ao invés do deus. As mênades escaparam e desapareceram nas montanhas, onde rasgavam animais e destruíam tudo o que viam pela frente. A própria mãe do Rei Penteus liderava o grupo de mênades, completamente enlouquecida, e, quando o rei tentou pará-las, elas o desmembraram totalmente, empalando sua cabeça e fixando-a nas montanhas. A grande ironia é que o rei teve o mesmo fim trágico do deus que ele se recusou a receber.

Supplizio_di_Penteo

O suplício de Penteo – Reprodução

Esse é um mundo muito próximo para os piscianos: o êxtase orgiástico, a loucura mística que pode ser encontrada tanto no mosteiro, quando através das drogas ou da própria insanidade. O impulso que faz o artista compor verdadeiras obras-primas, seja na música ou nas belas artes é o mesmo que torna outros terrivelmente autodestrutivos, a se afundarem na dissolução das drogas ou do álcool; outros podem, de fato, sucumbir ao poderio imenso do inconsciente e resvalar na loucura, enquanto outros ainda vão vivenciar isso numa religiosidade profunda e mística, como foi a vida de muitos santos, uma entrega completa ao divino e à Grande Mãe. Não é à toa que vemos tantos Piscianos se refugiarem num intelectualismo estéril, porém seguro, encastelando-se na mente o no mundo racional, uma tentativa de fugir desse impulso primitivo de vida, mas que pode ser muito destrutivo. Nos mitos, cada figura representa uma faceta do mesmo tema, assim, Peixes é, a um só tempo, Dionísio, as mênades, Zeus, Hera, e até o próprio Rei Penteus, que o rejeita.

IMG_0006

Símbolo de Netuno – Regente de Peixes Maria Eunice Sousa

Mas, como já dissemos, acontece que Peixes não é desse mundo. Ele está ainda muito próximo à fonte divina, onde tudo é uno, onde tudo é Unidade. Para lá ele almeja voltar e por isso essa destrutividade e o impulso de morte. Há uma saudade indefinida e um desgosto pela realidade da carne e das contas a pagar no dia a dia, porque ele preferia estar em outra dimensão menos densa e menos pesada. Por isso é constantemente acusado de ser aéreo e distraído. “A carne pode ser uma prisão e uma devoradora do espírito, mas o espírito, da mesma forma, é não só o redentor, mas um devorador da carne”. Em Peixes é onde essa dicotomia corpo-espírito é mais desconfortável e a adicção a drogas e substancias é nada mais que uma tentativa de desmembrar esse corpo-prisão e voltar para os braços da Grande-Mãe-Amante. Porem, o destino de Peixes é mediar esse mundo, sem sucumbir a ele de forma destrutiva e sem repudiá-lo, o que é igualmente perigoso. Muitos grandes artistas – e cientistas, como Einstein! – conseguiram e no processo premiaram a humanidade com obras-primas magistrais – o que não quer dizer que tenha sido fácil para eles, ou simples – que o diga Bach, que tinha quatro planetas em Peixes, incluindo a Lua conjunta a Netuno. A proximidade com este mundo aquático é perigosa, mas muito frutífera, já que dá acesso a conteúdos universais e a uma infinita criatividade só igualável com a própria fecundidade da vida. Mas para isso é preciso ter um ego forte e bem estruturado que possa ser capaz de mediar imagens e conteúdos tão poderosos sem se destruir no processo. Isso pode ser feito por diversos canais: música, artes, profissões de cura e ajuda, religiosidade, serviço… Também há que se permanecer atento à tentação da identificação messiânica, de ser redentor ou vítima; de oferecer-se em libação ou de recusar a vivência dos sentimentos e a intermediação desses conteúdos de uma vez. Achar o caminho do meio nunca é fácil, mas é o que precisa ser feito.

As figuras arquetípicas ligadas a Peixes são:

O Salvador, O Redentor, A Vítima, O Curador, O Sonhador, O Artista, O Místico, O Religioso, O Santo, O Dissoluto, O Alcóolatra, O Louco, O Adicto

menades2

As Mênades – Gustav Doré – Reprodução

Peixes, como já foi dito, tem grande sensitividade e habilidade psíquica. Mas às vezes é difícil lidar com estes dons, especialmente na primeira parte da vida, quando os conteúdos podem ser assombrosos. Para mediar e nos ajudar a lidar com tal dom, podemos invocar nosso Guia Interior, e a ele que vamos encontrar na meditação de hoje, que pego emprestada de Elizabeth Broke, do livro A Woman’s Book of Shadows (4):

MEDITAÇÃO PARA PEIXES

Primeiro, concentre-se nas imagens simbólicas de Peixes. Deixe que conversem com você! Observe-as sem pressa. Em seguida, contemple o sentido desta frase: Eu deixo a casa do Pai e, voltando atrás, eu salvo. E a Palavra disse: Ide encarnar na matéria. (5)

Deite-se no chão; faça-se confortável e solte qualquer peça de roupa que esteja apertada ou incomodando. Deixe que o chão segure seu peso e respire fundo algumas vezes para liberar tensões no corpo… Imagine que está num prado verdejante, num dia quente de verão, Olhe as plantas crescendo ao seu redor, sinta a brisa suave na sua pele. Ali perto há um portão. Caminhe para o portão e passe pra o outro lado… Do outro lado há um caminho. Olhe para o caminho e decida se você quer seguí-lo. Se você decidir seguir o caminho, comece a caminhar. Ele vai subindo gentilmente, contornando uma montanha. Enquanto caminha observe o que há ao seu redor: plantas, árvores, animais, como é o ar e a atmosfera… Conforme você sobre o sol ainda brilha, caminhe no seu próprio ritmo. Conforme avança, você percebe que o ar fica mais claro, mais refinado e que há, ao longe, um eco de música… Quanto mais avança, mais alta a música se torna, é como o gotejar de água numa fonte… finalmente você chega ao cume. Você passa sob um arco e chega ao pátio de um templo, que tem uma fonte ao centro. Você pára para descansar na fonte… Quando faz isso, você se torna consciente de uma figura que vem em sua direção… Este é o seu guia. Saúde-o e escute o que ele tem a lhe dizer. Você pode perguntar a ele/ela qualquer pergunta que queira… Leve o tempo que for necessário para conhecê-lo/a… (permita que a imagem evolua e se desenvolva sem esforço mental da sua parte). Então perceba que é hora de ir embora… Seu guia lhe dará um presente de despedida e confirmará que você pode voltar quando quiser… Devagar, faça o caminho de volta descendo a montanha, trazendo seu presente, volte ao prado inicial. Então abra os olhos e volte pra onde estava inicialmente. Escreva sua experiência. Você pode optar por ouvir música, tocar um instrumento (se for o caso), escrever poesia… Guarde o presente com você, ele será um talismã que lhe dará conforto quando você se sentir desenraizado/a na vida. Este guia é um Mestre Interior que poderá ser consultado sempre que você precisar de ajuda ou clareza sobre qualquer assunto ou questão. Quanto mais você o/a visitar, mais profunda será a relação com ele/ela, Ele/ela poderá lhe ajudar com questões práticas ou com assuntos espirituais profundos e esotéricos.

Música para Peixes:

Osvaldo Montenegro – Aos Filhos de Peixes

 

Zeca Baleiro – Brigitte Bardot

Peixes Voadores – Álcool, Carne e Rock’Roll

Zeca Baleiro – Minha casa

Mariana Aydar – Peixes

Daft Punk – Lose Yourself to Dance

Cat Power – Sea of Love

Mika – One foot boy

Guillemots – Sea out

Faça suas sugestões! que músicas você acha que traduzem Peixes?

Johfra-Bosschart-Pisces-3x4.1@150

Peixes – Johfra Bosschart – Reprodução

Amanhã será o dia/noite de Áries. Conecte-se com essa energia desde cedo e observe como o seu dia se desdobra.

Programação das 12 Noites Sagradas:

 

26/12 – Capricórnio

27/12 – Aquário

28/12 – Peixes

29/12 – Áries

30/12 – Touro

31/12 – Gêmeos

01/01 – Câncer

02/01 – Leão

03/01 – Virgem

04/01 – Libra

05/01 – Escorpião

06/01 – Sagitário

(1) Edna Andrade, Festas Cristãs 

(2) Clare Martin – Mapping the Psyche

(3) Sue Tompkins – The Astrologer’s handbook

(4) Liz Greene – A Astrologia do Destino

(5) Elizabeth Broke – A woman’s Book of Shadows

(6) Alice Bailey ‘Esoteric Astrology’, Lucis Press 1951, p. 653

 

A Semana Astrológica – Cartas na mesa

Reprodução

Semana de 13 a 19 de fevereiro – Tempo de disseminar boas ideias e levar adiante aquilo que deu certo… O que é bom, deve ser passado adiante!

Estamos no período entre eclipses, que traz uma tensão latente, que ora se mostra intensa e escancarada, ora fica ali no segundo plano, trazendo alguma sensação incômoda, embora não saibamos porquê. Este é um período em que podemos já ver se manifestando algumas das “promessas” dos eclipses, conforme eles acontecem no mapa pessoal e convém ficarmos mais atentos, prestarmos mais atenção à intuição sobre onde ir e o que fazer… Essa temporada termina com o Eclipse total do Sol que ocorre no dia 26 de fevereiro a 08° de Peixes. Até lá talvez tenhamos muitos insights sobre o arco compreendido entre os signos de Leão até Peixes (e as casas do mapa natal em que cai), que é o arco trafegado pela Lua durante essa fase “especial”, de 10 a 26 de fevereiro. Isso porque a Lua, como símbolo dos sentimentos e emoções, está ainda mais sensível, como nossas emoções também ficam mais suscetíveis. Memórias podem aflorar espontaneamente acerca de coisas antigas, mal resolvidas, podendo ser finalmente liberadas, particularmente concernenetes ao eixo Leão-Aquário e Virgem-Peixes.

Travis Bedel – reprodução

E por falar no Sol, nesta semana ele ingressa em Peixes, exatamente às 09h32min do dia 18, sábado, onde encerra o ciclo astrológico anual. Antes disso, o Sol ainda dialoga frutíferamente com Saturno, o regente tradicional de Aquário, que oferece conselhos práticos e sábios acerca de como manifestar concretamente a visão Aquariana de melhoria e avanços. Em Peixes o ego, que esteve numa jornada para diferenciar, separar e individuar através das experiências de todos os 11 signos, agora volta para a fonte primordial de vida e se dissolve… Acaba-se o senso de separatividade, de “eu” e o desejo, o anseio profundo e intenso é voltar para os braços do Pai. Em Peixes sentimos com o outro, verdadeiramente e por isso nos inundamos de altruísmo e compaixão, muitas vezes sacrificando a nós mesmos pelos outros. Pessoas fortemente Piscianas têm essa aura meio etérea, como se não “estivessem aqui” – e eles não gostariam mesmo de estar, essa vida aqui é pesada demais, imperfeita demais! – como se fosse “de outro mundo”, daí a propensão a escapismos, para aguentar a “barra” e o peso da encarnação. Mas essa mesma proximidade com o mundo do inconsciente também propicia uma imaginação rica, sensibilidade infinita e grande talento para as artes em geral, particularmente para a música. Leia mais sobre Peixes.

Reprodução

Quem também está num clima cooperativo é o Mercúrio Aquariano que faz sextil a Marte em Áries. A mente trabalha afinada com a ação, de modo que essa ação se torna mais efetiva porque há um planejamento prévio que nos permite antever para onde estamos indo, ao invés de simplesmente fazer as coisas cegamente, por impulso e sem preparo. Tanto pensamento quanto ação se tornam mais diretos, honestos, ágeis e eficazes e podemos tirar bastante proveito de tal sincronia.

Artstreet – Flickr – Reprodução

Essa ajuda de Mercúrio, contudo, não é suficiente para segurar o destempero de Marte mais para o fim da semana, porque ele se aproxima da quadratura a Plutão, oposição a Júpiter e conjunção a Urano, fechando a semana já em ponto de bala. Vamos colocando nossas barbas de molho, porque nas próximas semanas o tempo vai ferver, especialmente em se considerando que estamos neste período de eclipses. Já vamos observando o que nos deixa impacientes e irritados para lidarmos com isso, sem deixar ressentimentos cozinhando em fogo lento, porque isso não será uma boa ideia. Marte está muito forte em seu próprio signo, mas fica muito estourado… em oposição a Júpiter essa tendência se amplia e fica exagerada; em quadratura a Plutão o desejo de poder e a tendência a confrontos violentos também aumentam e Urano põe na equação o extremismo, radicalismo e ainda mais impulsividade, para dizer pouco… Mas a Lua Disseminadora em Libra pede que disseminemos harmonia e equilíbbrio, sem vender a alma ao Diabo – será que damos conta? Nesta semana temos a chance de fazer as últimas negociações, de colocar as cartas na mesa, antes que as hostilidades eclodam… Mas falamos mais de Marte na semana que vem.

Reprodução

Lilith ingressa em Sagitário já na segunda-feira, às 21h32min, onde fica até 09 de novembro. Não sou expert em Lilith e ainda estou estudando sobre isso. Lilith é o arquétipo do feminino sombrio e selvagem, descontrolado, rebelde, que não atende a regras e a leis, visto que se rebelou de imediato contra seu Criador, lá no começo, recusando-se a ser submissa a Adão e às leis do Deus Javé. Foi desterrada, mas não se importou muito com isso, passando a viver livre, conforme suas próprias leis… Negativamente fala do desregramento, do excesso, de sentimentos turbulentos, ciúmes, a raiva destruitiva que irrompe feito um vulcão em erupção. É um aspecto selvagem da natureza feminina – que também está presente no homem. Positivamente, mostra onde há potencial de empoderamento ao lidarmos com todos esses conteúdos de forma direta, buscando o equilíbrio interno. E agora ela ingressa em Sagitário! A despeito de toda a “luminosidade” do signo do Centauro, talvez Lilith se torne ainda mais selvagem neste signo, galopando furiosamente feito mustangues indômitos, totalmente fora de controle, sem tato, sem noção de delicadezas ou sutilezas sociais. Pode tornar-se extremamente focada em algum objetivo ou crença, perseguindo-os tão apaixonada e entusiasmadamente, que talvez pisoteie e esmague a outros incautos pelo caminho, no seu galope furioso e cego… Positivamente convida a nos conscientizar desses padrões no que tange a crenças e ao contato com outras culturas; como as ideologias, filosofias e crenças incendeiam nossas paixões e as excedem e talvez tragam à tona um lado “besta selvagem” que precisa ser reconhecido e trabalhado dentro de nós. Nos próximos nove meses temos a oportunidade de observar como e quando fazemos isso e de aprender a moderar nosso entusiasmo, de modo que nos sirva melhor, ao invés de apenas nos tornar fanáticos e extremistas, sem que percebamos.

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Cheia, em Virgem. Entra na fase Dissemionadora em Libra, na terça-feira e na fase Minguante já em Sagitário, no sábado. O Minguante se dá em conjunção a Lilith. A Lua fecha a semana ainda no signo do Arqueiro. Na sua jornada ela faz contatos, tensos ou harmoniosos, com todos os demais corpos celestes.

Steve Kenny – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 13 de fevereiro – A Lua segue na fase cheia pelo signo de Virgem, fazendo hoje quincúncio a Urano em Áries e ao Sol em Aquário. Faz oposição a Kíron em Peixes e quadratura a Saturno em Sagitário, que vira foco de uma T-Square mutável. A Lua fica vazia depois do aspecto a Saturno, às 10h38min. Ingressa em Libra às 18h43min. Lilith, a Lua Negra, ingressa em Sagitário às 21h32min. A semana começa nervosa, inquieta, porque nos damos conta das muitas tarefas e obrigações que temos pela frente e talvez duvidemos um pouco da nossa habilidade em lidar com tudo a contento, particularmente porque temos um ideal de perfeição em mente e lidamos com o julgamento interno e o externo. Por vezes nos sentimos mesmo tentados a nos rebelar contra as obrigações, mas o senso de dever fala mais alto, a necessidade da ordem, da estrutura e da perfeição são como que mandatórios, até para camuflarmos nosso receio do descontrole e da desordem que estão ali, sempre à espreita, a ameaçar nossos planos e desejo de controle. A tarde nos oferece muitas horas para meditar sobre essa necessidade tão premente do controle e da ordem. Seria para nos antecipar a possíveis críticas e julgamentos, não dando chances a outros de perceberem nossas falhas e inseguranças? Seria para preservar o papel “forte” do ajudador/resolvedor de problemas que ajuda mas nunca é ajudado, porque isso seria demonstrar alguma fragilidade? Seria para nos convencer, a nós mesmos, de que não precisamos daquilo de que carecemos tanto? Um mecanismo de parecer maiores e mais fortes quando nos sentimos tão pequenos? Vale ficar atentos porque a tarde traz pensamentos e sensações meio pesados e grandes chances de sermos duros demais conosco mesmos – ou com outros – resvalando em julgamentos, culpas, preocupações pesadas que não nos prestam nenhum serviço, além daquele mórbido de dizermos para nós mesmos que estamos “ocupados” com a situação… Mas pré-ocupar-se é inútil. Perda de energia e de tempo e fazemos melhor se lidamos com isso de forma racional e prática: se nada há que possamos fazer agora, é debalde se degladiar com monstros que não existem e que talvez nunca irão existir. No caminho inverso, é possível que haja julgamentos e críticas duras e até injustas nas interações… Uma crítica severa disfarçada de conselho/ajuda? Vale lembrar que às vezes há várias maneiras de se fazer a mesma coisa; que cada pessoa tem seu próprio senso de ordem e de método e só porque diferem dos nossos não quer dizer que estejam errados. A Lua ficou vazia às 10h38min, o que indica que a segunda-feira começa industriosa, mas depois pede atividades menos afoitas, mais rotineiras ou contemplativas. À noite o clima fica um pouco mais leve e buscamos maior harmonia nas interações.

Eugenia Loli – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 14 de fevereiro – O Sol Aquariano está em sextil pleno a Saturno em Sagitário. De Libra a Lua se opõe à sua dispositora, Vênus, que está em Áries e também a Marte, o dono da casa. A Lua ainda se desentende com Netuno, mas conversa toda sociável, com Mercúrio. Faz sesqui-quadratura ao Sol e entra na fase Disseminadora. A despeito de buscarmos harmonia e coerência, encontramos algumas situações que desafiam nossa compostura e nos obrigam a tomar atitudes, embora preferíssemos manter as coisas “como estão” para não ter que fazer alguma escolha difícil. Mas a Lua Libriana vem equilibrar, realmente, a tendência da “dupla dinâmica” Vênus-Marte em Áries à abrasão nas relações e interações em geral. Não que isso seja fácil de se conseguir! Há tendência a muita irritação, impulsividade e impaciência, além da propensão a criar conflito onde muitas vezes o diálogo seria mais adequado. Aqui entra Libra com sua diplomacia e tato, apta a ver os outros ângulos da questão, que não apenas aqueles egoístas. Em Libra somos multilaterais. Assim, faz-se necessário o contraponto, ver as coisas pelo olhar do outro também, pesar, ponderar, antes de sair chutando e esbravejando… Se conseguimos ter essa perspectiva mais distanciada, podemos resolver as coisas pela via do diálogo e da cooperação, e a energia que seria gasta no conflito certamente terá melhor uso. De fato, o dia traz dinamismo e disciplina para realizar muitas coisas, de forma coerente e longeva. Mas se insistimos nas manhas e em ter tudo apenas do nosso jeito, perdemos ótimas chances de avançar nos nossos intentos e até mesmo de melhorar relações que poderiam significar boas alianças futuras.  A Lua fica Disseminadora em Libra e nos lembra e em oposição a Marte e nos lembra precisamos disseminar essa mensagem do equilíbrio nas relações; de que sempre vale a pena buscar o diálogo e a conciliação antes de partir para a briga, irrefletidamente. À noite o clima fica mais pesado e vai exigir mais calma, paciência e jogo de cintura na resolução das divergências que porventura surgirem.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 15 de fevereiro – A Lua Libriana faz quadratura a Plutão, oposição a Urano e conjunção a Júpiter, formando uma T-Square Cardinal da qual Plutão é o foco. Dona Lua ainda se irrita com Kíron, mas costura cooperação com Saturno e uma forte parceria com o Sol, ficando fora de curso depois deste aspecto, às 23h55min. O dia pede que nos posicionemos e confrontemos nossos receios: não é possível agradar sempre e nem a todos e há momentos em que precisamos deixar claros nossos limites, ao invés de simplesmente ceder “só mais uma vez”, ou nosso amor próprio irá por água abaixo. E já sabemos, se tentamos agradar a todos, agradamos a ninguém e, falando a verdade nua e crua, gente simpática “demais” costuma ser chata pra caramba porque farejamos de longe a falsidade ou a falta de firmeza e de integridade. Integridade, aliás, é mandatório no dia de hoje, para que possamos conduzir nossos negócios de maneira, limpa diligente e correta. Assim, o dia pede que reconheçamos nossa necessidade de aceitação e de pertencimento, mas sem com isso “vender a alma ao diabo”. Pelo contrário, é necessário analisar com cuidado o preço que pagamos por tal aceitação, até porque há outras necessidades igualmente válidas que precisam ser vistas. O desafio é achar o equilíbrio entre as necessidades e  interesses pessoais diversos e antagônicos, ser honestos a respeito do que realmente queremos e confrontar em nós a doce tentação do não escolher, do deixar que escolham por nós, como saída fácil dos dilemas. Mas os conflitos que ocorrem hoje podem ser muito positivos e produtivos, porque nos empurram para essa auto-análise, que por mais turbulenta que possa ser, oferece no encalço mais um pouco de autoentendimento. De quebra, o trio Lua-Sol-Saturno nos ajuda a ter firmeza para não nos deixarmos levar por essas turbulências e nem resvalarmos em dramas desnecessários.

Eugenia Loli – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 16 de fevereiro –A Lua abre o dia vazia em Libra e ingressa em Escorpião às 04h41min, de onde espicaça a Vênus Ariana. O regente da Lua, Marte está em diálogo franco com Mercúrio, mas já muito próximo da quadratura a Plutão. A Lua fecha a noite em harmonia a Netuno. As tensões abertas dos dias anteriores ficam novamente em “repouso” relativo, mas paradoxalmente, estamos muito mais cientes delas, porque as sentimos de forma aguda, na carne e nas entranhas. E assim nos preparamos para lutar com os dragões, venenosos e letais, loucos e incendiários, venham de onde vierem, inclusive do nosso próprio inconsciente. Mas enquanto os confrontos não ocorrem, observamos e farejamos o ar em busca de respostas e pistas e logo as econtramos. A despeito dessas tensões, ou talvez por causa delas, trabalhamos de forma concentrada nos projetos concretos e também nas questões interiores. E podemos alinhar iluminar com a mente clara e razão límpida, o instinto primitivo e impulsivo, talvez domando-o, instruindo-o, disciplinando-o, de forma que já não reaja tão cegamente na hora dos embates. De modo mais prático, o dia favorece que nos debrucemos sobre as relações mais íntimas para estreitá-las ainda mais; que lidemos com assuntos que demandem concentração, foco, comprometimento e arguteza de espírito.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 17 de fevereiro – O dia está sensível e sujeito a altos e baixos. A Lua se harmoniza com Netuno em Peixes, mas tem sérias altercações com Mercúrio em Aquário, irritando-se muito, também com seu dispositor, Marte e com Urano, ambos em Áries. No fim do dia tem conversa mais amena com o outro dispositor, Plutão e fica vazia logo depois, às 17h40min – vai ficar vazia por quase 24 horas! Os sonhos da madrugada são densos e profundos e podem nos trazer ótimas pistas sobre nossos dilemas atuais. A despeito da boa noite de sono, os humores estão bastante indóceis e as línguass ferina, de modo que precisamos vigiar para não nos metermos em assuntos que “não são da nossa conta” e levarmos “voadoras” logo cedo. As emoções estão sombrias e, como se não bastasse, em desacordo com os pensamentos e as atitudes e essas incongruências afetam as relações interações. Sentimos uma coisa, pensamos outra e agimos de forma totalmente diferente. É essencial cuidar dos próprios problemas – que já são suficientes – e deixar que cada um cuide dos seus. Mas claro, se nos ressentimos de que se metam nas nossas coisas, também precisamos vigiar para não jogar sobre outros respingos de nossa irritação e mau humor. Lidar com algum problema bastante intrincado pode nos ajudar a canalizar esse mau humor em algo produtivo, e ainda funcionar como metáfora para a resolução dos nossos enigmas e dilemas interiores.

Eugenia Loli – Reprodução

SÁBADO, 18 de fevereiro – O Sol ingressa em Peixes às 09h32min, onde fica até o dia  20 de março. A Lua, vazia em Escorpião, faz trígono a Kíron e fica muitas horas sem fazer outros contatos, até entrar em Sagitário, às 16h53min, de onde faz quadratura ao Sol, entrando na fase Minguante, às 17h33min. A Lua ainda faz conjunção a Lilith e quadratura ao eixo nodal. Como é bom quando o calendário convencional coincide com o estelar, não? É, eu sei, já disse isso antes, mas sempre vale relembrar! A Lua está vazia o dia todo e… é sábado! Podemos realmente indulgir num descanso sem culpas, ou abraçar atividades que nos apaixonem de fato, que nos permitam contemplar nossos processos mais de perto ainda e proceder com a providencial regeneração da alma e por que não, do corpo também! O dia está propício à meditação profunda sobre os mistérios da vida e ao mergulho na natureza humana e suas motivações mais secretas, começando por nós mesmos… Tais mergulhos e investigações podem ter efeitos terapêuticos e curativos, de apenas nos permitirmos ser e estar, se deixarmos ir o que tiver que ir. O Sol ingressa em Peixes e, entre muitas outras coisas vem nos lembrar que a cura também depende da confiança no processo, de soltar e relaxar, de confiar no nosso centro e na unidade da vida, nesse caos ordenado que, por mais louco que pareça, responde a diretrizes imemoriais, a arranjos cósmicos que escapam à nossa compreensão, mas que ainda assim, vão nos levar onde devemos ir, se confiarmos e fizermos a nossa parte… Mesmo que no momento assim não pareça. A Lua entra na fase Minguante em Sagitário, com o Sol em Peixes, talvez seja tempo de abrir mão das crenças, dos conceitos, do “conhecimento enorme” que tanto nos faz seguros e simplesmente fluir, sem a necessidade de “entender”, de filosofar, de elaborar… Sentir, mergulhar no encanto e na totalidade do ser; deixar para trás a necessidade de estar certo, de catequizar, deixar os proselitismos e simplesmente praticar a religião da gentileza, da aceitação e inclusão, do apoio, do não julgamento…

Do flickr – Reprodução

DOMINGO, 19 de fevereiro – De Sagitário a Lua brinca feliz com Vênus em Áries e mais tarde com Marte. Mas tem uma bate-boca confuso com Netuno. Domingo de brincadeiras, de alegrias e de não levar nada a sério demais… A Lua está minguante e nos convida a abrir mão dos discursos inflamados e exaltados e ir pros terreiros e pros campos, fazer o que o Arqueiro faz de melhor: aventurar-nos, buscar as amplitudes, esticar as longitudes, inflar nosso bom humor, cercar-nos de boas companhias e arranjar algo divertido e prazeroso para fazer, mas sem cobranças, sem compromissos rígidos… Aspirar o ar límpido e expirar as dúvidas e as incertezas… Sim, elas sempre estarão por aí, são parte da vida e volta e meia as encontramos pelo caminho… Cabe a nós olhar para elas e sondar se são de verdade, se precisamos lhes dar algum crédito ou se são apenas miragens criadas pelo nosso medo e insegurança… E assim o dia segue, mais leve e auspicioso… Contudo, como o Arqueiro costuma exagerar, é bom pegar leve para não nos excedermos nas brincadeiras. Também é uma ideia evitar o consumo de álcool e afins, porque nossos limites estão meio frouxos hoje.

Uma ótima semana para você!

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Leão – Do coração, para o mundo!

Reprodução

A Lua Cheia de hoje, sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017, 22h33min no horário de Brasília – eclipse ocorrendo às 22h45min (00h33min do dia 11 de fevereiro no horário de Lisboa – o eclipse ocorre à 00h45min) é também um eclipse Penumbral da Lua, que ocorre a 22°28’ de Leão. Este eclipse marca a culminação do ciclo Aquariano, iniciado em 27 de janeiro a 08°15’ de Aquário. A princípio, a Lua Cheia e Eclipse de Leão vem nos convidar a expandir nossa criatividade, nosso poder criador, a partir da força do nosso coração, a partir do amor mais genuíno e da alegria mais plena, para ofertar à comunidade humana algo que só nós podemos ofertar: algo que seja singular e único, como nós mesmos.

Lua Cheia em Leão – Brasília, 10 de fevereiro de 2017, 22h33min. Eclipse ocorrendo às 22h45min

A Lua Cheia ocorre em trígono aos dois dispositores do Sol Aquariano, Saturno e Urano, com quem o Sol também dialoga harmoniosamente. A Lua também faz sextil a Júpiter, quincúncio a Kíron e sesqui-quadratura a Vênus, mas o mais importante é que ela forma um Grande Trígono de Fogo e é a base de uma Pipa da qual o Sol, que é o regente/dispositor da Lua Cheia, é o foco. Na verdade, este mapa da Lua Cheia tem várias configurações interessantes: o Grande Trigono origina outra Pipa que tem Júpiter de foco e Urano de base; tem um Retângulo Místico formado por Lua, Urano, Sol e Júpiter; esse mesmo Retângulo Místico é a base de um Envelope que tem Saturno como foco… Ufa!! Super dinâmica e movimentada essa Lua Cheia! Ela faz contatos com a maioria dos planetas, sugerindo a grande possibilidade de integração de seus temas e potenciais – configurações grandiosas e importantes, bem ao gosto de Leão!

Reprodução

Como eu dizia no post da semana, o mapa desse eclipse sugere que precisamos conciliar as estruturas antigas, mas ainda válidas (Saturno), com aquelas que ainda precisamos construir e os avanços que buscamos manifestar (Urano), além do desenvolvimento pessoal e social que traga mais equilíbrio para todos (Júpiter). E como fazemos isso? A Lua em Leão é a base de uma Pipa que tem o Sol como foco, dizendo que precisamos engajar o nosso coração, a mais pura alegria e a mais destemida coragem, para criar algo que somente nós podemos criar, algo que nos distingue e realça nosso brilho, mas que não é feito para o aplauso ou o benefício do ego, mas sim, para o benefício do grupo e da grande comunidade humana.  Isso tudo com muita criatividade (Lua Leão), inventividade (Urano), justiça (Júpiter), senso de bem comum (Sol em Aquário) e responsabilidade, de modo que permita estruturar novos conhecimentos e horizontes (Saturno como foco do Envelope). Outra coisa digna de nota é o fato de o Sol ser o Ponto Médio entre Saturno e Urano, o que deixa claro que a consciência é primordial para mediar essas forças antagônicas que atualmente se propõem a dialogar e negociar e que nossa força e poder de resistência serão testados. Esse Ponto Médio também sugere separações, pois os dois planetas, Saturno e Urano, de formas diferentes estão relacionados a separações. Mercúrio em Aquário está no Ponto Médio entre Sol e Plutão, sugerindo a necessidade de prudência, organização e, novamente, alta consciência de objetivos e propósitos.

Hereisout.tumblr – Reprodução

De modo que concluímos que o mapa deste eclipse parece bastante “benéfico”, especialmente porque o eclipse lunar ocorre em conjunção ampla ao Nodo Norte, enquanto o Sol está em conjunção ao Sul. O Nodo Norte representa o futuro, o Sul, o passado. Então, esse eclipse fala para olharmos para o futuro e focarmos naquilo que ainda precisamos aprender – no caso, a técnica, a organização e a seletividade de Virgem, que darão suporte à criatividade Leonina – antecipando o trânsito do eixo nodal pela polaridade Leão-Aquário (O eixo nodal ingressa nessa polaridade em maio próximo). O futuro está ali e no futuro precisamos fazer a nossa luz brilhar, por algo maior que nós mesmos, pela melhoria do todo, não apenas pelos nossos desejos egoístas. Podemo dar este salto de fé e pular nesse futuro, ou podemos voltar para a Era das Sombras, por medo do desconhecido. A escolha é nossa.

Série Saros 114 de Eclipses Lunares, iniciada no Polo Norte (o mapa está levantado para Brasília) a 13 de maio de 971, às 04h03min.

Mas é só isso? Não. Como já sabemos, eclipses não acontecem sozinhos nem de forma aleatória. Eles pertencem a famílias chamadas Séries Saros, que duram mais de mil anos e que viajam de um polo a outro do globo, cada eclipse da série ocorrendo a aproximadamente 18 anos e 11 dias um do outro – entenda melhor a natureza e dinâmica dos eclipses. Este eclipse em Leão pertence à Série Saros 114 de eclipses lunares, que começou em 13 de maio do ano 971, no Polo Norte e terminará em 22 de junho de 2.233 no Polo Sul. O mapa de origem desta série mostra a Lua Cheia em Escorpião em oposição ao Sol em Touro (também ocorrendo na qualidade Fixa, como o eclipse de hoje), ambos fazendo quadratura a Plutão a 23°31’ de Leão, a cerca de um grau da Lua Cheia de hoje; o eclipse ocorre do lado do Nodo Norte, mas o dispositor tradicional da Lua, Marte, está em Touro, conjunto ao Nodo Sul, opondo-se a Urano em Escorpião, que está conjunto ao Nodo Norte. Vênus, além de reger o Sol, é o Ponto Médio entre Sol e Plutão. Vênus e Plutão estão Fora dos Limites do Sol neste mapa.

Eclipse Penumbral Lunar – Reprodução

Vemos então que esta família de eclipses tem um tom bastante Escorpiônico, duplamente enfatizado pela posição da Lua neste signo e pela quadratura a Plutão; uma segunda ênfase recai sobre Urano, que está conjunto ao NN e oposto ao regente da Lua. Tudo isso nos sugere que é uma série que vem falar de eliminações definitivas, de términos abruptos, que podem ser sentidos como muito dolorosos e difíceis devido à posição de Marte em Touro (apego) conjunto ao Nodo Sul (passado). O futuro chama, implacável, impessoal e aponta para a transcendência (Urano, NN e Lua Escorpião), mas a vontade pessoal ainda está apegada ao passado e à matéria (Marte NS touro). Se conseguimos vencer a nós mesmos e aos nossos apegos (Touro-Escorpião), adentramos um espaço magnífico de transformação pessoal (Plutão em Leão) que pode finalmente trazer à tona o melhor do nosso poder e brilho pessoais, alicerçados pela coragem do auto-confronto, pela generosidade e nobreza de espírito e pela expressão autêntica da criatividade transformadora. Esse confronto da consciência com a sombra precisa ser mediado pelo amor sincero, sensibilidade e compaixão (Vênus = Sol/Plutão).

Biscodeja-vu.vu.tumblr – Reprodução

Agora, olhando novamente o mapa do eclipse de 2017 e tendo o mapa da Série Saros 114 como pano de fundo principal, podemos concluir que, para brilharmos com todo o fulgor e potência do nosso coração amoroso e criativo e da nossa consciência comunitária, precisamos de fato, nos desapegar do que quer ainda nos prenda à nossa versão mais primitiva; abandonar a preguiça e a acomodação; eliminar a teimosia e a resistência ao novo e ao futuro; desapegar-nos das culpas, das frustrações e dos fracassos passados porque eles não podem definir o que somos; e claro, confrontar o medo da nossa própria luz e nos responsabilizar por fazê-la brilhar esplendidamente, para o bem comum, como nossa oferta e contribuição especial a toda a comunidade humana, seja no nosso bairro, na nossa cidade, na escola, no blog, na família… Usar nosso poder criador em todas as suas possíveis manifestações, na arte, na música, ou simplesmente na nossa cozinha, cozinhando com amor, contando uma piada engraçada para fazer o outro rir ou qualquer outra coisa que você faça de um jeito só seu… afinal, criativas não são só as atividades artísticas, mas tudo aquilo que expressa nossos talentos e dons mais especiais, em qualquer que seja a área. Proliferar o poder transformador do amor, a despeito das dificuldades, incertezas e do medo, esse bicho-papão tão insidioso que se retroalimenta sem que nos demos conta e que nos faz ver o outro como um inimigo. Eclipses já falam, naturalmente, de eliminações, de encerramento de ciclos e de conclusões. Pois esta série fala mais ainda, enfatiza e replica, que é para não deixar dúvidas.

Eclipse Penumbral da Lua – 00h45min do dia 11 de fevereiro de 2017 GMT – Nasa – Reprodução

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 17 e 28 dos signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) sentem mais fortemente as influências deste eclipse, que devem durar por quatro meses e mais ou menos uma semana, já que o eclipse tem duração de 4h19min. O eclipse e a Série Saros 114, de modo geral não são terrivelmente pesados ou tensos ( a não ser em termos mundanos, em que eclipses geralmente são tensos e esta série, iniciada em Escorpião com Plutão e Urano proeminentes pode representar problemas com energia nuclear, conflitos e cataclismos naturais), mas como essas influências se manifestam na vida de cada um, depende também dos planetas aspectados no mapa natal e do tipo de aspecto. Para você ter uma ideia de como isso pode se dar na sua vida, pesquise o que estava acontecendo por volta de 31 de janeiro de 1999, que foi a última vez em que ocorreu um eclipse desta série, a 11° de Leão – os temas são os mesmos. E você pode relembrar também a última vez que houve um eclipse lunar próximo desse grau, que foi em 09 de fevereiro de 2009, a 20°59’ de Leão. Embora não pertença à mesma Série Saros, este eclipse pode ter acionado situações parecidas ao tocar os mesmos planetas e ângulos do seu mapa, quando for o caso. Christine Arens, astróloga americana e estudiosa de eclipses afirma que, independentemente de o eclipse tocar ou não pontos do mapa natal, se você puder ver o eclipse, você é afetado. Neste caso, se não há aspectos ao mapa natal, o indivíduo será afetado de forma indireta, a partir de situações e acontecimentos coletivos e sociais. Este eclipse será visível no Brasil, já que ocorre à noite por aqui, portanto, sim, o Brasil, e todos nós, sentiremos seus efeitos. Além do Brasil, o eclipse será visível em toda a Europa e África e parte Oeste da Ásia. Será visto parcialmente na América do Sul e do Norte e também no restante da Ásia, conforme você pode ver no gráfico da Nasa acima, em que a parte em branco destaca os países que verão todo o eclipse. Veja aqui nesta tabela as influências de todos os eclipses de 2017 por casa, de acordo com seu signo ASCENDENTE:

Clique na imagem e ela será ampliada. Caso não consiga visualizar aqui no blog, sugiro que baixe a imagem e dê um zoom. Algumas pessoas lá na página do Facebook disseram que não conseguiam visualizar. Infelizmente não sei explicar porquê. Aqui no meu computador e no celular eu visualizo sem problemas e outros leitores também confirmaram visualizar normalmente.

Quer saber mais detalhadamente onde este e os outros eclipses caem no seu mapa natal, quais aspectos fazem e quais as suas influências na sua vida pessoal? Agende uma consulta astrológica comigo: psicologica.astrologia@gmail.com 

Reprodução

Quer mais insights? Olhemos o Símbolo Sabiano para o grau 23 de Leão (22°28’): “Num circo, uma amazona cavalgando sem sela mostra sua perigosa habilidade”. Dane Rudhyar, astrólgo precursor da Astrologia Psicológica, nos lembra que o cavalo é símbolo da libido, dos instintos humanos mais primitivos, das energias vitais impetuosas. Mas essas energias precisam estar sob o controle do ego e, mais precisamente, da consciência. Indo mais além, “o ego está no controle, ele é o grande showman, mas ele serve a um propósito. A performance mexe com a imaginação da consciência jovem. Eleva a mente acima do lugar comum”, diz Rudhyar. A palavra-chave, diz ele, é virtuosismo. Linda Hill, astróloga australiana que tem um livro publicado sobre os Símbolos Sabianos, diz algo similar em sua análise deste símbolo. Ela nos lembra que “talvez acreditemos apaixonadamente no que estamos fazendo mas, para nos provarmos para o mundo, precisamos apresentar nossas talentos e sentimentos corajosa e habilmente”. E para desafiar o perigo e se expor, é preciso estar preparado, ter o timing correto… Não é para amadores, definitivamente! Sobretudo, exige que domemos nossos instintos mais primitivos e mais básicos, como também disse Rudhyar. Avançar por onde outros dariam meia-volta, ou como diz Linda, “correr em terrenos onde os anjos temem pisar”; controlar os instintos e desafiar o medo, de forma habilidosa, virtuosa, no sentido de excelência. Algo que nos lembra, bem nitidamente, o Arcano 11 do Tarô, A Força!

Arcano 11 do Tarô – A força

Colocando tudo junto, o eclipse de hoje, a Série Saros 114 e o Símbolo Sabiano, podemos resumir que o desafio é deixar o passado e os apegos para trás, domar habilmente os instintos e o próprio medo, confrontar a própria sombra e lançar-se no futuro, com fé, audaciosamente! E como já dito lá no começo, buscar no âmago de si, aquela faísca, aquilo que nos faz únicos, singulares e especiais e criar, a partir daí, a nossa obra também singular, a contribuição que somente nós podemos dar. Deixar o coração se expandir de amor e a partir desse amor, criar uma nova vida, dar o Salto de Fé do Louco!

Arcano 0 do Tarô – O Louco – Tarô de Nei Naiff

Dessa forma, podemos sim, concluir que este é um eclipse que pode ser benéfico, se nos alinharmos com o que ele nos pede, se amealharmos toda a coragem, alegria e amor do nosso coração e nos lançarmos rumo ao futuro, criando e gerando o nosso melhor como oferta de gratidão à humanidade e a tudo o que permitiu que chegássemos até aqui!

Amanda Cass – Reprodução

Um ótima, linda e feliz Lua Cheia para você! Deixe para trás o que não serve mais e abra-se ao novo!

Reprodução

A Semana Astrológica – Por que parou?

Semana de 06 a 12 de fevereiro – A Lua Cheia e Eclipse Lunar em Leão deixam a semana tensa, apesar de haver oportunidades de resolução de muitas situações

O Sol vai seguindo pelos caminhos inusitados de Aquário e atinge o terceiro decanato, onde irá receber a oposição da Lua, na Lua Cheia e Eclipse Lunar de sexta-feira, a 22° de Leão. Esse eclipse ocorre em trígono a Urano e sextil a Júpiter, planetas com quem o Sol estará em boas graças por estes dias, simbolizando um período de nos desapegarmos do passado e nos abrirmos para novas oportunidades de futuro. O trígono Sol-Júpiter é parte do ciclo de retrogradação de Júpiter e ocorre poucos dias depois de estar planeta ficar retrógrado, no caso, Júpiter fica retrógrado a partir da segunda-feira, 06.

Birth Chart Painting – Reprodução

Mercúrio ingressa em Aquário, signo onde fica mais confortável devido à afinidade da triplicidade do Ar, sendo um signo bastante mental. Aqui Mercúrio pensa de forma inovadora e progressista, às vezes até excêntrica, dependendo dos aspectos que faz. Prima pela liberdade de pensamento e expressão, mas também pode se manifestar como ideias fixas e estranhas. A mente é inventiva e original e a comunicação muitas vezes gira em torno de inovações tecnológicas, pesquisas e progressos científicos. O aprendizado se dá de maneira diferente e não convencional, não linear. Mercúrio faz contato harmonioso com Vênus logo que ingressa em Aquário, indicando harmonia nas interações, que ficam mais leves e soltas e também mais desapegadas. Mercúrio fica em Aquário de 07 a 25 de fevereiro, quando ingressa em Peixes.

Reprodução

Marte em Áries já está dizendo a que veio, rebentando beligerâncias diversas em vários setores, particularmente na segurança pública e na política – espere até março chegar… Júpiter ficou retrógrado já na segunda-feira, indicando que avanços e crescimento ficam em espera, assim como negociações e acordos que vinham sendo costurados. Se as coisas parecem paralisar e estagnar, vale se questionar se nós também ainda temos o mesmo ímpeto e paixão em relação a essas coisas… Talvez elas precisem de mais tempo, de mais negociação… Se nos sentimos impotentes e sem saber o que fazer, talvez seja hora de revermos nossas expectativas e perspectivas…

SEGUNDA-FEIRA, 06 de fevereiro – A Lua está em Gêmeos e hoje faz trígono ao Sol, quincúncio a Plutão, quadratura a Kíron, sextil a Urano, trígono a Júpiter e oposição a Saturno, ficando vazia depois deste aspecto, às 20h55min. Lua, Sol, Júpiter e Urano formam uma Pipa que fica ativa por boa parte do dia. A Lua também forma uma T-Square Mutável com Kírom e Saturno. Mercúrio já está no fim de Capricórnio e ingressa em Aquário amanhã. O dia traz algumas tensões bem desagradáveis que podem aparecer na forma de coisas que tenhamos procrastinado e que agora nos pressionam e nos fazem sentir espremidos como fruta no espremedor. Atividades inúmeras, imprevistos, mudanças de planos, julgamentos, fazem com que tenhamos que equilibrar e fazer malabarismos com o tempo e nossa energia. Contudo, também há ótimas oportunidades de ultrapassarmos as inseguranças e o caos e até de utilizar os problemas e tensões como propulsores de novas soluções, que nos catapultam para regiões mais elevadas da mente e da alma, focando não no que está errado, mas naquilo que podemos fazer dar certo. Assim, a despeito das confusões, do tempo corrido, das dúvidas e apertos, também temos otimismo, alguma leveza e a perspectiva de que, afinal, tudo leva ao nosso desenvolvimento, principalmente as dificuldades! É dia fazer do limão uma limonada com entusiasmo e bom humor!

Dana Berry – Colisão de Estrelas – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 7 de fevereiro – Mercúrio ingressa em Aquário às 07h36min. A Lua abre o dia fora de curso em Gêmeos mas ingressa em Câncer às 05h03min, de onde logo quadra Vênus e depois também a Marte em Áries, num conflito em que estão ambos, Lua e Marte, muito poderosos – quem ganha a briga? Mais tarde a Lua se harmoniza com Netuno e ainda faz sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda. É dia de Marte e de fato, o dia está um tanto tempestuoso, sujeito a dramas, humores oscilantes, emoções tumultuadas e muita beligerância. A energia balouça e titubeia e com ela nossa tranquilidade. Confundimos necessidades com desejos e sentimos que estão em grande antagonismo, de modo que ficamos irritados e belicosos. É como se houvesse duas crianças birrentas e briguentas, competindo para ver quem berra mais alto e quem “tem mais direitos” sobre o brinquedo da vez ou sobre o amor da mamãe… Um dos lados até gostaria de ser direto nos intentos, mas o “outro lado” parece optar por ir pelas beiradas, numa estratégia indireta e talvez manipulativa, que acaba por atrair de forma mais que direta a hostilidade que tanto tentava evitar, tornando uma briga que poderia ser legítima e limpa, numa coisa dissimulada, obscurecida pela irracionalidade infantil e narcisista. A sensação é de um caldeirão borbulhante, fervente e prestes a transbordar, tal é a sensação de impaciência, irritação. Raiva. Se não ficarmos atentos, podemos mesmo nos envolver em conflitos reais, seja na vida pessoal ou no trabalho e talvez até na rua, com estranhos… Mas, a vida é violenta. E nós mesmos e a própria vida na Terra, nascemos da violência do universo, que é dinâmico, mas cujo dinamismo selvagem cria e destrói vida… A questão é o que fazer com essa violência em nós, para que ela não imploda dentro de nós e nem expluda sobre outros, fora de nós. A questão é cuidar para que o choque, se tiver que acontecer, que seja honesto e limpo e não escamoteado e sorrateiro; que seja para crescermos e amadurecermos e não para manipularmos e ferirmos; que seja para melhorarmos a vida e não para torná-la ainda mais densa e ignóbil. Que seja para clarear o ar e não para pesar ainda mais a atmosfera… Mas sim, o conflito pode ser criativo! Que seja, pois, criativo e construtivo esse choque, assim como a violência constante da colisão de estrelas criou e cria vida universo afora. Porque choques e colisões hão de haver, em um momento ou outro. Mas como agimos (ao contrário de meramente reagirmos) antes, durante e depois do conflito, é que determina a grandeza ou pequenez da nossa alma. Em termos mais práticos, o dia está intempestivo e há excesso de impulsividade, o que requer cautela nas atitudes e nas interações para se evitar precipitações, acidentes e conflitos mesquinhos dispensáveis. Contudo, é necessário se questionar se não estamos brigando por questões mesquinhas, para evitar confrontar as situações graves que realmente demandam atitude e resolução da nossa parte. Estas, se houver, devem ser clarificadas e adequadamente endereçadas, com honestidade, prudência e sensatez. Nessa esteira, o dia pode ser também extremamente criativo e muito produtivo, basta canalizar a belicosidade e a estamina no lugar certo!

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 8 de fevereiro – Além de fazer quincúncio ao Sol, Lua Canceriana arma uma grande cruz Cardinal ao se opor a Plutão e quadrar a URANO em Áries e JÚPITER em Libra. A Lua ainda faz trígono a Kirion e quincuncio a Saturno. O dia está como uma panela de pressão: irritação, melindres, tumulto emocional. Exige muito equilíbrio e jogo de cintura para lidarmos com as diversas crises emocionais, relacionais, concretas e bastante reais com que nos deparamos hoje. Há possibilidade de vários confrontos ao longo do dia, o principal deles conosco mesmos, nossas carências, faltas, sentimentos e emoções que viemos tentando evitar até aqui. Quanto mais fingirmos que está tudo bem, tanto mais difícil será o confronto, assim, o melhor que fazermos é lidar de vez com o bicho papão e tentar negociar com ele, admitindo o que houver para admitir, sem vitimismos, reconhecendo as fragilidades, nem que seja só para nós mesmos. Temos, pelo menos, tres opções aqui: assumir a raiva, o medo, a carência, a preguiça e a procrastinação, a infantilidade, a birra e o desejo de sermos cuidados por outros que não nós mesmos e nos responsabilizar por tudo isso, adotando as medidas e atitudes necessárias para mudar as circunstâncias que nos deixam tão zangados ou deprimidos; ou podemos culpar a outros por tudo o que nos acontece e criar ainda mais caos e conflitos à nossa volta, fazendo da vida um inferno; ou podemos continuar fingindo que está tudo bem, deixando a conta e a insatisfação ficarem cada vez mais altos e insustentáveis, até que a vida mude, por nós e de forma bem desagradável, aquilo que não conseguimos mudar por nós mesmos. O que vai ser? De qualquer forma, essas crises, cada vez que acontecem, trazem a chance de mudarmos um pouquinho mais, então, nem tudo precisa ser um cabo de guerra ou ser resolvido na hora, Afinal, Roma não foi feita num dia!

John Wilhem – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 9 de fevereiro – Hoje o Sol está em sextil pleno ao seu dispositor moderno, Urano. A Lua está vazia em Câncer nas primeiras horas do dia e entra em Leão às 07h41min. Ao longo do dia faz oposição a Mercúrio em Aquário e trígono a Vênus e a Marte em Áries. O dia está um pouco mais leve, com muitas possibilidaddes de encontros interessantes e intrigantes, que talvez nos façam questionar, de forma positiva, nossos velhos modos de ser e de viver. Seria proveitoso sair um pouco da rotina tradicional, buscar expor-se ao desconhecido, para variar e ver o que a vida esconde atrás da próxima esquina… Há boas possibilidades de surpresas agradáveis, se estivermos abertos a dialogar com o diferente, se permitirmos que a curiosidade supere o medo do que é estranho a nós e ao nosso mundo arrumadinho e previsível. Mas se tivermos posturas intransigentes e acharmos que apenas o nosso modo é o possível, as surpresas podem ser um tanto chocantes e irritantes. É dia de ser flexível, de se permitir surpreender pela vida, de ouvir o outro sem preconceitos, sem estar armado ou impermeável ao que ele possa dizer que talvez altere minhas preciosas ideias do que é certo ou errado. Talvez os dois estejamos certos; talvez estejamos ambos errados… Não importa. Importante é abrir-se ao diálogo e perceber que há várias e diferentes maneiras de pensar e enxergar o mundo!

Birth Chart Painting – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 10 de fevereiro – De Leão a Lua torna exato trígono a Marte, enquanto se irrita muito com Netuno de um lado e Plutão de outro. Dona Lua se afina com Urano poucas horas antes de se opor ao Sol Aquariano, na Lua Cheia e Eclipse Lunar em Leão. A Lua ainda faz sextil a Júpiter e fecha a noite em trígono a Saturno, formando uma Pipa com Saturno e Urano, da qual o Sol é o foco. Mercúrio está em sextil pleno a Vênus. A despeito de uma sensação interna de harmonia, temos irritações com situações externas que são difíceis de conciliar porque parecem alienígenas a nós. Ainda assim, precisamos percebê-las como oportunidades de asimilar o e de tolerar aquilo com o que não estávamos contando. O ciclo Aquariano chega ao seu apogeu num eclipse, trazendo uma resolução para as tensões que vinham se arrastando de forma indefinida nas últimas semanas. A Lua Cheia se dá numa configuração de Grande Trígono/Pipa, que tem o Sol por foco, envolvendo Saturno e Urano, os dois dispositores do Sol, que, por sua vez, é regente da Lua. Como conciliamos nossas estruturas antigas e ainda válidas com as coisas novas que ainda precisamos construir? Unindo dentro de nós facetas que parecem opostas, mas que podem dialogar, para criar algo único e especial, algo em que colocamos o nosso melhor, nossa coragem, generosidade e brilho, para ofertarmos ao mundo como forma de contribuição com a comunidade humana… O que é que há em nós, ou que podemos criar com nossa singularidade, que somente nós podemos ofertar ao mundo? Cada um tem a sua resposta singular…

Hopeful businessman searching for the future

SÁBADO, 11 de fevereiro – O Sol está em trígono exato a Júpiter, aspecto que faz parte do ciclo de retrogradação de Júpiter e que será seguido depois pelo quincúncio e oposição, ápice do ciclo dos dois. A Lua faz trígono a Saturno e fica vazia logo depois, às 02h08min. Ingressa em Virgem somente às 11h52 e logo faz conjunção ao Nodo Norte, quincúncio a seu regente, Mercúrio, e a Vênus, virando foco de um Yod. Bons augúrios e otimismo colorem o dia. De modo geral, estamos reflexivos sobre as nossas jornadas mais recentes, nossa evolução e processos de ampliação, sejam profissionais, espirituais ou materiais. Se tais processos parecem ter paralisado de repente, podemos agarrar a chance para verificar o porquê e decidir sobre medidas necessárias, se houver; podemos lubrificar as  engrenagens que porventura estejam emperradas; podemos analisar como avançamos no quesito equilíbrio nas relações… E mesmo que identifiquemos algum desajuste, este não é para nos desmotivar, mas para que cresçamos com mais solidez. Talvez precisemos negociar com alguma força ou figura acima de nós; talvez precisemos de mais tempo para que os projetos ou relacionamento se desdobrem mais frutiferamente… É preciso ser honesto para saber se ainda continuamos tão motivados por tais projetos… Porque, se parecem estagnados, não seria porque já não animam tanto nosso coração? O que seria realmente justo para você e para todos os envolvidos? São algumas reflexões pertinentes ao dia… Do meio da tarde até a noite surge alguma indisposição, dúvidas sobre a melhor escolha em alguma situação, alguma preocupação gerada pelo perfeccionismo… Talvez haja uma certa confusão e incerteza permeando todas essas reflexões e um certo cansaço, mas o melhor que fazemos é esperar até que as coisas se revelem mais claramente.

Fxnc.Flickr – Reprodução

DOMINGO, 12 de fevereiro – A Lua se afasta do quincúncio a Mercúrio e faz oposição a Netuno e quincúncio também a Marte, ainda na madrugada. À tarde faz trígono a Plutão e fecha o dia em oposição a Kíron.  O domingo está propício a fazermos reparos pela casa, limpezas seletivas, arrumação de armários e gavetas da casa, para quem se dispuser… Também está favorável ao artesanato e aos hobbies do tipo “faça você mesmo” e que permitam transformar móveis, roupas, partes da casa, etc… Num plano mais profundo, podemos nos beneficiar da meditação, atividades relaxantes que trabalham o corpo enquanto elevam a alma, como Yoga, Tai Chi Chuan e atividades similares. Como pano de fundo de tudo isso, está a necessidade de nos comprometermos a termos uma vida mais autêntica, a transformarmos aquelas pequenas coisas do nosso dia a dia que ainda causam insatisfação, que ainda “enchem o saco” mas que nunca conseguimos tempos para lidar com elas de forma efetiva. De qualquer forma, é bom não exagerarmos nos esforços, na auto-exigência ou no perfeccionismo, do contrário, poderemos ficar, além de exaustos, muito frustrados. Serviço e ajuda ao outro também podem ser boas alternativas. À noite talvez haja um sentimento de tristeza inexplicável, uma nostalgia que nubla um pouco o coração… Um carinho, compressnão consigo mesmo são essenciais, assim como lembrar que isso também vai passar.

Um ótimo fim de semana para você!

Reprodução

Hopeful businessman searching for the future

A Semana Astrológica – Qual o sentido de tudo isso?

Zodiac Arts – Reprodução

Semana de 30 de janeiro a 05 de fevereiro – A Lua Crescente no fim da semana nos alerta para fazermos ajustes na liberação da energia… É preciso foco para se tirar o melhor proveito! Também precisamos reavalaiar a maneira como viemos nos expandindo até aqui.

Há dois grandes acontecimentos astrológicos esta semana: Júpiter fica retrógrado e Vênus ingressa em Áries, signo onde também ficará retrógrada a partir de 04 de março. Júpiter fica cerca de quatro dias praticamente sem se mover, até estacionar e mudar de direção. Como já sabemos, a retrogradação de todos os planetas exteriores (de Marte a Plutão) necessariamente envolve a oposição ao Sol e um pouco antes ou logo depois de ficarem retrógrados, esses planetas fazem trígono ao Sol, um trígono que costuma ser enganoso, exatamente porque implica que o planeta entrará em retrogradação logo depois (e possivelmente nas progressões, no caso de mapa natal). Depois de ficar várias semanas com todos os planetas em movimento direto, algo que é relativamente incomum, Júpiter abre o caminho das retrogradações, seguido depois por Vênus (04 de março a 15 de abril), Saturno (07 de abril a 25 de agosto) e Mercúrio (10 de abril a 03 de maio). Daí seguem Plutão e os demais. Quando Júpiter muda a direção, a expansão e crescimento que vinham acontecendo de forma livre e até impetuosa (naquela área de vida representada pela casa do mapa natal) desacelera e talvez até experimentemos a sensação de parada, de que as coisas travaram um pouco… Uma oportunidade nos é dada de reavaliar e refletir sobre o crescimento conseguido nos meses anteriores e fazer os devidos ajustes. Em Libra, a retrogradação de Júpiter enfatiza a lentidão, atrasos e desaceleração de processos jurídicos; negociações que estavam em andamento, parcerias que estavam engatilhadas são paralisadas por algum motivo e as partes são obrigadas a rever todos os planos; acordos diplomáticos que estavam sendo . Contudo, o retardamento do crescimento que vinha em franca expansão não deve nos desencorajar – é apenas a chance que precisávamos para descansar e rever nossas estratégias. Até que Júpiter faça a oposição ao Sol, temos a sensação de que o progresso estacionou, mas tal parada sugere a necessidade de se refletir se a forma como os avanços e desenvolvimentos estão acontecendo realmente estão de acordo com o que a consciência (o Sol) quer e precisa. Talvez seja a hora de se perguntar qual o sentido de tudo isso, se esse desenvolvimento e expansão ainda é aquilo que realmente queremos, do jeito que queremos. Júpiter fica retrógrado de 06 de fevereiro a 09 de junho. Estaciona a 23°08’ de Libra e retrograda até o grau 13°12’ deste signo.

Rihana, que tem Ascendente e Vênus em Áries. Uma de suas marcas é a mudança constante de estilo dos cabelos – Reprodução

Vênus ingressa em Áries, onde se expressa no seu modo guerreira. É independente, livre, audaciosa, uma conquistadora em busca de uma causa! Tem forte senso de justiça mas pouca paciência para mimimis, demonstrações muito dengosas de afeto ou cerceamento de sua liiberdade – machistas não passarão! Nos mapas femininos simboliza a mulher que tem como valor máximo sua liberdade, independência e autonomia. Nos mapas masculinos indica homens que admiram e buscam uma companheira com essas qualidades. Essa Vênus gosta de esportes e precisa se engajar em atividades físicas para canalizar seu estilo competitivo e um tanto abrasivo. Mesmo seu estilo pessoal de se vestir tende mais para o esportivo e o confortável e ela atrai parceiros principalmente por ser direta e franca, assim como se sente atraída por pessoas que têm as mesmas qualidades. Vênus fica em Áries de 03 de fevereiro até 03 de abril, quando, retrógrada, retorna a Peixes. Reingressa em Áries dia 28 de abril, onde fica até 06 de junho.

Hybridlava.com – Reprodução

Mercúrio está bastante ativo nesta semana. Depois de ter feito conjunção a Plutão ele faz agora quadratura a Urano em Áries e a Júpiter em Libra, além de fazer também sextil a Kíron em Peixes. Mercúrio em Capricórnio gosta de ordem e estrutura na forma de pensar e se expressar, os conceitos são tradicionais e coerentes. Mas nesta semana a mente recebe uma descarga de alta voltagem e é obrigada a se revolucionar novamente, a destruir conceitos e preconceitos, ideias e opiniões que já não estão servindo aos propósitos maiores da nossa alma e da consciência. É tempo de nos liberar das opiniões rançosas, de abrir mão de ter “aquela velha opinião formada – e rígida – sobre tudo”. O Mercúrio Capricorniano precisa temperar suas ideias tradicionais enormes pitadas de ousadia e a capacidade de experimentação para pelo menos se perguntar “e se?”… Esses movimentos demandam que sejamos bastante flexíveis e que estejamos abertos às situações inusitadas, porque há grande propensão a imprevistos, mudanças de última hora – particularmente para quem estiver viajando – de modo que precisamos aprender coisas novas e nos expor a experimentações – é isso ou ao invés disso, estaremos expostos a irritações, controvérsias desnecessárias, conflitos e rupturas. Atenção no trânsito porque também há propensão a acidentes.

The Mind Unleashed – Reprodução

Além do Sol continuar isolado ainda por alguns dias no começo de Aquário, Netuno é outro que agora fica sem aspectos por longos períodos. Esse isolamento é quebrado quando planetas pessoais trafegarem o começo do segundo decanato dos signos de Água ou dos signos mutáveis. Com Netuno sem aspectos sua manifestação pode se dar de forma extrema e ficamos mais suscetíveis a idealizações e fantasias; a sensibilidade e sentividade ficam mais aguçadas, embora não necessariamente consigamos identificar e ter clareza a respeito das coisas que captamos. Para pessoas que estão vivenciando trânsitos de Netuno no mapa natal, a sensação desconfortável de confusão e falta de rumo pode ficar mais acentuada. Positivamente, também fica realçada a imaginação, a criatividade, o refinamento e a busca pelo sublime. Movimentos subversivos também estão propensos a aparecerem e ganharem destaque neste período, que vai até meados de abril, quebrado, como já disse, pelos trânsitos eventuais da Lua e dos planetas de trânsito rápido.

A Lua abre a semana na fase Nova, em Peixes. Ainda em Peixes ela entra na fase Semi-Crescente na terça-feira. Torna-se guerreira em Áries e formaliza o Quarto Crescente em Touro, no sábado. Fecha o domingo já em Gêmeos. Na sua jornada ligeira ela vai conversando com todos os demais corpos celestes, simbolizando as mudanças rápidas do humor das massas e sendo gatilho para acontecimentos maiores mundo afora.

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 30 de janeiro –  A Lua Nova está em Peixes, onde se funde a Netuno. Mais tarde trava uma conversa harmoniosa, mas tímida com Plutão e Mercúrio em Capricórnio. A semana começa de maneira saudosista, nostálgica e talvez seja até difícil nos arrancar da cama, já que os sonhos e o sono estão pesados, além de os lençóis parecerem irresistíveis. A tentação é permanecer na cama, simplesmente mergulhados em sonhos, sejam os do sono sejam os da vigília, seja dormindo ou acordado. Haja café para dar o tranco e a arrancada inicial do dia e da semana! Num tom mais positivo, o dia está cheio de criatividade, imaginação e inspiração e se nos agarrarmos a esses ímpetos e aos nossos projetos inventivos e significativos para nós, podemos vencer mais facilmente a tentação de continuar nos braços de Orfeu. Pelo final do dia estamos mais animados, mas a sensibilidade continua salientada e o nosso faro, bastante aguçado, de modo que seria bobagem desperdiçar tanta inspiração, portanto, faz bem quem conseguir dar outros usos para essas influências para além do trabalho e da tal da “produtividade”.

Bertha Worms – 1895 – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 31 de janeiro – A Lua faz sextil a Mercúrio, conjunção a Kíron e qincúncio a Júpiter. Depois ainda quadra Saturno e fica conjunta a Vênus, aspecto depois do qual fica fora de curso, às 15h37min. Já vazia, faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Semi-Crescente. Ingressa em Áries às 19h47min e fecha a noite conjunta ao dono da casa, Marte. Mercúrio está em quadratura quase exata a Urano. A noite traz um sono tranquilo mas a manhã começa com tensões e uma grande sensação de cansaço e talvez até desânimo, como se as tarefas que nos esperam fosse pesadas por demais e isso, de certa forma, nos indispõe contra o mundo e suas obrigações e deveres, porque gostaríamos de estar mais livres, para criar conforme nossa vontade e não apenas cumprir tarefas chatas e obrigatórias. Contudo, é preciso fazermos um ajuste com a alma porque é dia em que o dever realmente precisa vir antes do prazer, se é para termos prazer sem culpa. Se nos dispusermos a abraçar as tarefas e obrigações com alegria, podemos descobrir dentro de nós a disciplina e o pragmatismo necessários para concretizar a criatividade caótica e desproporcionada. À tarde há maior inspiração, mas há também maior langor e necessidade de socializar um pouco mais, portanto, quaisquer tarefas que exijam maior concentração e ordem devem ser executadas pela manhã. A tarde também pede que evitemos nos expor a energias mais densas como fofocas, notícias tristes, particularmente do tipo “mundo-cão”, porque há maior tendência a absorvermos as coias como se fossem nossas.

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 1° de fevereiro – Mercúrio está em quadratura plena a Urano e em quadratura próxima também a Júpiter, enquanto a Lua Ariana faz conjunção a Marte e sextil ao Sol Aquariano. A Lua fecha a noite em quadratura a Plutão e Mercúrio vira o dia também em sextil exato a Kíron. Ao contrário dos dias anteriores, hoje estamos com a disposição a mil por hora, a cabeça fervilhando de ideias, que pululam em ritmo caótico, causando inquitude mental e corporal. Há muita necessidade de ação de nos envolvermos em atividades onde possamos gastar energia física. Impaciência e talvez uma certa irritação causada pela “lerdeza” de outros podem trazer muitos conflitos, assim como o embate acirrado de ideias onde uns defendem o que é aceito e já testado e outros buscam experimentação e diferenciação do velho. Rigidez de opiniões e de conceitos pode, de fato, levar a conflitos sérios nas interações e antes de partir para as rupturas definitivas vale a pena sair um pouco do próprio umbigo e ouvir a si mesmo falando, com isensção e distanciamento. Será que estamos mesmo tão certos do que dizemos? Quem disse que a verdade é uma só? Qual o problema de mudar de opinião? Entrincheirar-se em opiniões apenas demonstra que talvez estejamos inseguros e nos sentindo ameaçados e isso diz muito sobre nós e nossa (i)maturidade emocional. Vale a pena desacorrentar a mente, desapegar-se das ideias e cogitar sobre outros modelos de pensamento, cogitar, apenas cogitar sobre o que o interlocutor está dizendo, antes de simplesmente se recusar ao diálogo.

Up North – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 02 de fevereiro – Mercúrio está em quadratura exata a Júpiter e sextil pleno a Kíron. A Lua também plenifica a quadratura a Plutão, faz conjunção a Urano e se opõe a Júpiter, enquanto quadra também a Mercúrio, tornando-o foco de uma T-Square Cardinal. A Lua ainda faz trígono a Saturno, ficando vazia logo depois, às 14h51min. Ingressa em Touro somente às 23h50min. A mentalidade vigente, especialmente aquelas ideias referentes à ordem no trabalho e à ordem social estão sob grande pressão hoje. Conceitos e modelos acerca de como o mundo funciona ou deve funcionar passam por questionamentos a respeito de sua justeza, seu equilíbrio e o quanto tais ideias ou conceitos permitem ou impedem o progresso e o avanço de melhores condições sociais para todos. Conceitos estruturados e aceitos por todos precisam se renovar para que haja mais equilíbrio, independência e liberdade de pensamento e de expressão… Será que podemos sonhar com isso ou será que se dará justamente o contrário e talvez nos percebamos mais e mais amordaçados e/ou alienados? Em termos pessoais, o dia traz muitas possibilidades de mudança nos padrões de pensamentos e na forma de olhar e pensar o mundo e a própria vida e, quem se recusar a ver as situações, pessoas e até a si mesmo sob novos ângulos, talvez se defronte com cenários extravagantes e indivíduos excêntricos que lhe obrigará a expandir sua visão e as ideias estreitas que porventura ainda se acalente. Há tendência a embates formidáveis de ideias, que podem ser muito frutíferos e criativos, caso as pessoas envolvidas estejam abertas ao diálogo e a rever seus conceitos. Caso haja rigidez nas posturas, os conflitos podem ser desagradáveis. Se percebermos que o frescor das novas ideias não precisa ser uma ameça, temos boas chances de aproveitar a ponte entre aquilo que foi e aquilo que se descortina diante de nós. É possível que também haja muita inquietação e ansiedade e se não cuidamos, o sistema nervoso pode entrar em pane com o excesso de atividade mental – meditação e exercícios de aterramento podem ajudar. Do meio da tarde até a noite temos muito tempo para meditar e ponderar sobre todas essas questões. As atividades práticas e objetivas dão lugar à contemplação.

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 03 de fevereiro – A Lua, exaltada em Touro, faz um contato discreto com Netuno em Peixes e se prepara para o Quarto Crescente. Vênus ingressa em Áries às 13h52min e Mercúrio segue em quadratura a Júpiter e a Urano. Um dia mais calmo em que há muito bom senso à nossa disposição para digerirmos as “revoluções” de ideias dos últimos dias. Coração tranquilo, alma mais plácida, visualizamos com pragmatismo para onde ir a partir daqui: ruminamos, refletimos, ruminamos mais um pouco, enquanto seguimos com nossas tarefas, que nos dão uma bem vinda sensação de ordem, rotina e clareza de como as coisas são. E percebemos que, a despeito de toda a inquietude, de todos os conflitos e de tudo aquilo que ainda precisa ser resolvido e melhorado, tudo está no seu devido lugar. Esse sentido de ordem traz tranquilidade ao dia, que fica um pouco mais dinâmico à tarde, com a regente da Lua ingressando em Áries.

Jules Breton – Reprodução

SÁBADO, 04 de fevereiro – De Touro a Lua faz quadratura ao Sol, entrando na fase Crescente. Mais tarde ela se afina com Plutão e mais discretamente com Kíron. Dona Lua ainda se irrita com Júpiter e com Saturno por quincúncios, virando foco de um Yod-Dedo de Deus e, por causa do sextil a Kíron, também torna Júpiter foco de outro Yod. A Lua fica vazia depois do trígono a Mercúrio, às 20h42min. As revoluções imaginadas e projetadas por ocasião da Lua Nova enfrentam o desafio do pragmatismo, do bom senso e da necessidade. É possível colocá-las em prática? Ou será que vamos nos deixar vencer pela preguiça e o medo do novo? São necessárias? Serão sensatas todas essas mudanças? E precisam, realmente, ser sensatas, para serem necessárias? De fato, a acomodação pode ser ligeiramente sacudida se aproveitarmos o momento em que a energia se avoluma dentro de nós e o desejo de por a mão na massa nos faz antever o prazer da realização, ganhando da inação e do receio de sair do previsível. De qualquer forma, ainda precisamos lidar com grandes oscilações na liberação da energia, porque ora estamos cheios de entusiasmo, ora estamos incertos e receosos do que queremos ou da nossa capacidade para realizar o que queremos. É preciso ir com fé e disciplina, ciente das inseguranças, mas sem deixar que elas nos derrubem ou nos impeçam de avançar. Insegurança se resolve, muitas vezes, com a prática, pondo a mão na massa, dando a cara a tapa, permitindo-se errar e tentar de novo… É dia de aprender fazendo porque a teoria  somente vai nos deixar ainda mais preguiçosos e cheios de desculpas para nada fazer!

Reprodução

DOMINGO, 05 de fevereiro – Júpiter estaciona a 23°08’ de Libra às 04h53min para entrar em retrogradação amanhã. A Lua abre o dia fora de curso em Touro. Ingressa em Gêmeos às 02h45min de onde logo se alinha com Vênus, ainda na madrugada e com Marte pelo fim da manhã. Pelo fim do dia arma uma confusão complicada com Netuno. O domingo traz muita atividade mental, versatilidade e muitas possibilidades de estímulos e novidades. Está favorável para leitura, socializações, encontros leves, viagens curtas e conversas dinâmicas que nos permitam por o papo e as novidades em dia. Mas os assuntos são leves e prosaicos porque a profundidade não está muito favorecida, chega mesmo a ser entendiante, porque preferimos abarcar muitos tópicos descompromissadamente, assim como queremos variedade de interesses e de atividades. Viagens curtas, jogos em que se use as mãos e que permitam interação entre as pessoas também estão favorecidos. A noite está propensa a aml-entendidos causados por inseguranças, sentimentos confusos ou atitudes descuidadas na interpelação da pessoas, portanto, vale se certificar do que estamos realmente sentindo, antes de imputar impressões receios aos outros – somente nós somos responsáveis por nossas inseguranças. Vale buscar contençao nas palavras e também na ingestão de álcool e de outras substâncias.

Uma ótima semana para você!

Totalbeauty – Reprodução

 

Lua Nova em Aquário – Qual revolução você precisa fazer na sua vida?

Catrin Welz-Stein – Reprodução

A Lua é Nova a 08°15’ de Aquário nesta sexta-feira, dia 27 de janeiro, às 22h07min no horário de Brasília e à 00h07min do dia 28 no horário de Lisboa. A Lua Nova é o período de se renovar intenções e objetivos e de focar nos assuntos relacionados com o signo e com a casa do mapa natal em que ela acontece. Em Aquário a Lua convida a renovar os laços de amizade, a expandir nossa rede de relações sociais, a melhorar nossa atuação na comunidade de que fazemos parte, buscando um mundo melhor para todos porque afinal, Aquário é o signo das causas humanitárias. Sobretudo, é o período do ano em que devemos desafiar a mentalidade tacanha, identificada em nós ou nos outros; rebelar-nos contra as regras que só existem para manter o status quo, para nos manter no nosso “devido lugar” longe das posições em que poderíamos provocar mudanças reais e reformas necessárias. A ir além daquilo que é esperado de nós, a não nos conformarmos com a situação “porque sempre foi assim”.

Heinrich Fueger – Prometeu rouba o fogo dos Deuses – Reprodução

Aquário é o signo que nos convoca a “roubar o fogo dos deuses”, a exemplo de um dos mitos mais importantes deste signo, o mito de Prometeu. Neste mito, o titã Prometeu cria a humanidade a partir do barro e da água, à semelhança dos deuses (mito similar ao judaico). Prometeu, cujo nome significa “aquele que prevê o futuro”, ou o “previdente”, enxergava além e já havia previsto o resultado da luta entre Zeus e seu pai, Cronos e ficou do lado de Zeus, inclusivamente ajudando-o no nascimento de Atena, que nasceu adulta, direto da cabeça de Zeus e, por causa dessa ajuda, ensinou a Prometeu a arquitetura, matemática, astronomia, navegação, medicina, etc… Artes e conhecimentos que ele passou para a humanidade, por isso ele é tido como o daemon do impulso cultural. O homem não podia ver nada com clareza, não percebia os ciclos da natureza, portanto, não conseguia tirar proveito deles com a agricultura, por exemplo; ele também não sabia como criar animais e não enxergava um palmo diante do nariz no sentido de se projetar no futuro. “Então, aqui está a verdade em uma palavra: toda habilidade e ciência humana é um dom de Prometeu”. E Aquário é o signo que representa esse impulso cultural, civilizatório, tecnológico. E representa, também, o impulso para a consciência, oposta à inconsciência e instintividade dos ritmos orgânicos.

Reprodução

No mito, Prometeu também deseja dar o fogo à humanidade, mas Zeus o propibe de fazê-lo, porque já estava muito enciumado de todo o conhecimento que Prometeu havia dado ao homem. Prometeu faz ouvido de mercador à ordem de Zeus e se rebela. Entrando no templo na calada da noite, ele rouba o fogo e o dá aos humanos. Esse ato traz presente uma das principais características de Aquário: a rebeldia, a recusa em se sujeitar a normas que não fazem sentido ou que já estão ultrapassadas. O fogo dos deuses corresponde à centelha divina, aquilo que faz com o homem se perceba como mais que um mero animal, como tendo um espírito imortal e uma visão que pode enxergar o futuro e, a partir disso se planejar e se precaver. O fogo dos deuses também representa os segredos da natureza e Aquário está constantemente roubando os segredos da natureza, através das pesquisas científicas e tecnológicas e do desejo de reformar o mundo e a humanidade.

Lua Nova em Aquário – Brasília, 27 de janeiro de 2017, 22h07min

Neste mapa, Lua e Sol não fazem aspectos maiores a outros planetas, ou seja, estão bastante isolados, formando um “dueto”, só conversam entre si, o que enfatiza as qualidades do signo, tornando-os até um tanto extremistas. O símbolo Sabiano para o grau 09 (08°15’) de Aquário traz a seguinte imagem: “Uma bandeira que se transforma numa águia”. Dane Rudhyar, o precursor do que nós chamamos hoje Astrologia Psicológica, ao analisar este símbolo, nos diz que “o que está implicado aqui é a revitalização de um símbolo poderoso, sua encarnação numa realidade viva, ou seja, numa pessoa capaz de voar, em consciência, para a dimensão espiritual mais elevada. Ao arquétipo são dadas asas e substância viva. A imagem se tornou um poder”. Ele acrescenta que o que o símbolo sugere, é que “ver” este novo arquétipo vai além de meramente percebê-lo os novos padrões de valores com a mente. O vidente deve se tornar o fazedor, ver, compreender não é suficiente, é necessário agir. Não adianta ter acesso ao conhecimento, à verdade, se não permitimos que ela nos transforme, se não agimos em cima daquilo que vemos e compreendemos. E aqui, nos damos conta de que não é suficiente termos a visão Aquariana, se com ela nada fizermos para mudar algo, para reformar concretamente nossa realidade. Não basta roubar o Fogo dos Deuses para desperdiça-lo, para quê ter acesso ao conhecimento se nada transformamos? Somente para alimentar nossa vaidade e orgulho? Para nos colocarmos como mais superiores ainda aos reles anônimos (pecado-mor de Aquário)?  Então, algo precisa ser feito a partir do conhecimento, da iluminação. O quê?

Reprodução

O Símbolo Sabiano enfatiza a qualidade extremista da Lua Nova, ocorrendo sem aspectos a outros planetas, um realce extra das qualidades de Aquário mais puras. A Lua Nova nos urge a roubar, nós mesmos, o Fogo dos Deuses, naquelas áreas da nossa vida que estão estagnadas, onde perdemos a visão, onde sucumbimos à previsibilidade e à monotonia e perdemos o ímpeto e o estímulo pelo novo dia, pelo futuro… Aquela área onde estamos acomodados, repetindo o mesmo enredo, todo dia, toda semana, entra mês, sai mês, entra ano, sai ano… E além de meditar para ganhar acesso à Visão, precisamos agir a partir dela. Onde, em nossa vida e vivência, precisamos “voar em consciência para a dimensão mais elevada”? Onde é que precisamos nos rebelar? Onde precisamos ser mais independentes, mais livres, revolucionários? Onde precisamos mudar radicalmente?

Shutterstock – Reprodução

É interessante que temos ajuda! Aquário é regido por dois planetas antagônicos, Saturno e Urano. Como sabemos, no mito Urano é suplantado por seu filho Cronos-Saturno. Depois de castrar seu pai, Urano, Cronos assume o seu lugar como regente dos deuses. Assim, Cronos-Saturno suplantou Urano, embora, na Astrologia diz-se o contrário, é o Novo (Urano) que suplanta o Velho (Saturno) e hierarquicamente, Urano é mais forte do que Saturno, pois é um poder que está além da consciência humana. Então, Saturno e Urano representam forças inimigas e opostas. Entretanto, atualmente essas forças aparentemente incompatíveis estão em harmonia. Saturno, trafegando Sagitário até o fim de 2017, está correntemente em trígono – aspecto harmonioso – a Urano, indicando um período em que o velho anda de mãos dadas com o novo, e vai lhe ensinando tudo o que há para saber, enquanto vai lhe cedendo o lugar, amigavelmente – claro, nem tanto, porque, embora haja harmonia, inimigos, mesmo de armas depostas, ainda são inimigos e essa conversa, por mais amigável que seja, ainda requer muita conciliação entre os dois princípios. De qualquer forma, o importante é que os dois dispositores da Lua Nova estão em trégua e isso nos diz que, em termos de circunstâncias, talvez tenhamos mais facilidade de fazer a migração da nossa condição atual para aquela que desejamos, de maneira gradual e planejada.

Reprodução

Outra coisa interessante é que exatamente hoje, Vênus em Peixes faz uma quadratura a Saturno em Sagitário. Esse aspecto, em linhas gerais, sugere crises e testes pelos quais passam aas relações afetivas e pede cautela na gestão dos recursos e investimentos, pede que sejamos austeros. Hierarquicamente, Saturno está acima e é mais forte do que Vênus. Contudo, isso não quer dizer que Vênus também não possa ter efeito sobre a rigidez do Velho Saturno. Saturno vem equilibrar o idealismo e credulidade da Vênus Pisciana, tornando-a mais realista e ponderada; mas Vênus também suaviza a dureza de Saturno, tornando-o menos frio e um pouquinho mais afável. Quando projetamos isso para o ciclo, antevemos que é possível que seja um ciclo um pouco tortuoso para as relações, que enfrentarão testes de maturidade, independência e desapego mas, por outro lado, o contato de Vênus a um dos regentes da Lua Nova pode diminuir, mesmo que sutilmente, o distanciamento e a indiferença características de Aquário. Além de, em termos mais gerais, sugerir que agreguemos os princípios de Vênus em Peixes à essa ação radical que precisamos empreender: benevolência, inclusão, altruísmo, sensibilidade, criatividade, imaginação!

Mas não nos enganemos: a Lua sem aspectos alerta que ainda precisamos tomar a decisão radical, é necessário e urgente dar a arrancada, dar o primeiro passo, decidir! E agir!

Desejo uma ótima Lua Nova para você, cheia do radicalismo saudável e necessário para nos arrancar do marasmo que anda estagnando a vida. Que você tenha a clareza e a consciência que dá acesso à visão e, a partir da visão, que faça a revolução que precisa fazer, qualquer que seja ela!

A Liberdade guiando o povo – Delacroix – Reprodução

 

 

 

A Semana Astrológica – A beleza está nos olhos de quem vê

Reinamaker-Tumblr - reprodução

Reinamaker-Tumblr – reprodução

Semana de 23 a 29 de janeiro – Semana de se proceder com as finalizações e análises, de planejar o futuro, para se renovar e inovar!

A semana que passou foi bem pesada, com terremotos, rebeliões em presídios, “acidente” aéreo matando magistrado, incêndios florestais no Chile ainda não controlados, posse do Trump com discurso um previsível inflamando manifestações no mundo todo… Enfim! Muito peso para uma semana só! Muito disso simbolizado pela quadratura Marte-Saturno que ficou exata na quinta-feira, ambos, tanto Marte quanto Saturno, regidos atualmente por Júpiter (Júpiter é o regente tradicional de Peixes), que está em oposição a Urano e em quadratura a Plutão. Essa oposição Júpiter-Urano fica ativa por quase todo o ano de 2017, até Júpiter mudar para Escorpião… Irei analisar isso por aqui depois.

Reprodução

Reprodução

E esta semana, como fica? O começo da semana ainda favorece as finalizações e fechamentos de processos e pendências. Limpezas, arquivamentos, eliminações. Mas na sexta-feira a Lua se renova em Aquário, simbolizando um novo ciclo, de se viver com mais ênfase os valores Aquarianos da liberdade, fraternidade e igualdade; de olharmos para o futuro, de nos preocuparmos e fazermos algo de efetivo quanto aos problemas sociais; de darmos mais atenção à amizade e às amizades na nossa vida, à nossa inserção na comunidade, assim como a projetar nosso futuro, sem medo de errar, sem medo de mudar e sem medo de ambicionar nos tornar realmente melhores! É interessante notar que o Sol ingressou em Aquário e não faz aspectos maiores por algumas semanas, apenas fazendo semi-quadraturas a Saturno e a Quíron e recebendo os eventuais aspectos lunares – ou seja, fica isolado por muitos e muitos dias, aumentando a sua fixidez, extremismo, radicalismo e possivelmente dando ênfase mais ao lado excêntrico de Aquário e ao seu espírito ultra reformador. A Lua Nova acontece nesse contexto, sem aspectos maiores ao resto do mapa.

Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes, na série "Sherlock", produção da BBC - Reprodução

Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes, na série “Sherlock”, produção da BBC – Reprodução

Mercúrio finalmente sai da zona sombria de retrogradação nesta semana e volta à sua boa forma, já acelerado na sua caminhada em volta do Sol. Por estes dias faz sextil a Netuno indicando uma injeção de imaginação e criatividade à mente Capricorniana, que de outra forma, seria sóbria e e prática em demasia. Mercúrio também faz conjunção a Plutão, sugerindo maior estamina mental, grande sagacidade e capacidade investigativa. A mente é instigada pelo mistério, pelos segredos das grandes corporações e organizações de poder. É um bom momento para lidarmos com assuntos e tarefas que demandem foco, perspicácia e comprometimento.

Eugene Emmanuel Amaury Pineux Duval - La Naissance de Venus - detalhe - Reprodução

Eugene Emmanuel Amaury Pineux Duval – La Naissance de Venus – detalhe – Reprodução

Vênus (e também Júpiter) já está em marcha lenta, desacelerando para entrar em retrogradação daqui a pouco, em março, no signo de Áries. Ainda em Peixes, ela faz conjunção a Quíron, quincúncio a Júpiter e quadratura a Saturno, tudo nesta semana. Precisamos ser capazes de nos permitir expandir nossa compaixão, mesmo sabendo que corremos o risco de nos ferir. Vênus-Quíron nos faz muito conscientes das feridas que podem ocorrer nas relações, mas, da mesma forma, nos apresenta com o imenso potencial da cura, da aceitação de nós mesmos e do outro, de vermos beleza no diferente. Essa enorme sensibilidade nos aproxima e nos faz sentir que, não importa quantos equívocos as pessoas cometam, não importa quão “desajeitadas e insensíveis” elas pareçam quando nos magoam, lá no mais profundo do seu ser, talvez elas só estejam tentando ser felizes e se proteger ao mesmo tempo, de uma maneira meio tosca e equivocada, assim como nós muitas vezes fazemos… Vênus-Quíron também nos fala que talvez haja uma ferida no arquétipo do feminino, na forma como vemos e compreendemos a beleza no mundo e como nós mesmos nos valorizamos e como lidamos com esse arquétipo feminino em nós, sejamos nós homens ou mulheres. E, se pode significar uma imensa dificuldade em nos aceitarmos tal qual somos, fora dos padrões estéticos vigentes e ditos aceitáveis e até “esperados”, também pode propiciar crescimento, após entendermos que o fato de não nos encaixarmos nos tais padrões não faz de nós menos belos ou menos merecedores de amar e ser amados. Quem dita o que nós achamos bonito ou amável? A sociedade, o outro? De onde nascem nossos valores? Será que temos que nos guiar por padrões desenhados por uma indústria que só pensa em vender? O que é bonito para você? Assim, essa configuração propicia essa abertura do coração, essa compreensão amorosa e a consequente inclusão das fragilidades que carregamos, a percepção de que beleza é um conceito muito relativo e por mais que os padrões estéticos tenham o seu lugar no mundo, eles têm muito a ver com as questões culturais e não podem decidir sobre como nos sentimos internamente a respeito de nós mesmos, do nosso corpo, nossos talentos e do nosso valor como pessoas. Bonito mesmo é ser humano de verdade, ser bom, ter compaixão, estar ciente das próprias falhas, mas estar também comprometido em se melhorar… É ver além da aparência, enxergar a alma.

Desconheço o autor - Reprodução

Do filme Eternal Sunshine of the spotless mind – Reprodução

Contudo, como também “há uma pedra no caminho”, representada por Saturno, os efeitos mais densos dessa conjunção Vênus-Quíron ficam mais realçados e nos vemos lidando com muitas inseguranças e sensação de inadequação e, ao nos tornarmos hiper defensivos, paradoxalmente, estamos mais suscetíveis de sermos magoados, porque então, vemos a tudo como ofensa, rejeição, indiferença, mesmo que o outro só esteja mesmo ocupado e envolto com seus próprios problemas. As relações atingem, então, um momento crítico em seu desenvolvimento, desafios que têm a ver com o que quer que estava acontecendo lá no final de outubro de 2016. Não, não é momento para mais sofrimento e desengano. É momento para mais crescimento, para autoaceitação, para maturarmos mais um pouco nosso coração sensível e crédulo. Devemos ficar mais cínicos e rechaçar qualquer possibilidade de aproximação? Exatamente o contrário: devemos abrir mais os olhos, desafiarmo-nos a enxergar as pessoas como elas realmente são e não como queremos que sejam e, ainda assim, amá-las, com todas as suas dificuldades e defeitos, mesmo sabendo que elas carregam as armas que podem nos ferir, armas que nós mesmos lhes demos, ao permitir que se aproximassem de nós e partilhassem da nossa intimidade. É preciso sabedoria para identificar quando há uma necessidade legítima e saudável de nos protegermos (quando, por exemplo, tentamos salvar àqueles que não querem ser salvos ou nos atraímos por quem só deseja tirar proveito de nós) e quando estamos apenas sendo excessivamente defensivos e melindrosos, vendo ameaças  onde há apenas a mesma insegurança que carregamos.

Arturas Slapsys - reprodução

Arturas Slapsys – reprodução

Marte ingressa em Áries, onde fará conjunção a Urano e “esquentará” ainda mais esse embate Júpiter-Urano. Em Áries Marte está em casa, domiciliado e dignificado, rei do pedaço… Isso deveria ser bom, certo? Até certo ponto, porque Marte em Áries, dependendo do contexto, pode ser um problema, por ser muito impulsivo, cabeça quente, briguento, precipitado, imaturo… Howard Sasportas o comparava ao Ares grego, pela qualidade destemperada e altamente volátil, propensa à violência, que o deus Ares tinha e que pode se manifestar mais facilmente quando Marte está em Áries. Quando ele se juntar a Urano, a partir do final de fevereiro até início de março, as coisas podem ficar mesmo bastante explosivas, partiuclarmente no cenário geopolítico. Mas não vamos botar o carro adiante dos bois… Júpiter já está bastante desacelerado, para entrar em retrogradação daqui a duas semanas.

Christian Schloe - Reprodução

Christian Schloe – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Minguante, em Sagitário, onde fica Balsâmica, já na segunda. Torna-se ainda mais sisuda e impermeável em Capricórnio e finalmente se renova em Aquário, na sexta-feira. Finda a semana sensível e compassiva em Peixes, no domingo. Ao longo dos dias conversa com todos os demais corpos celestes, às vezes alegre, às vezes furiosamente.

Reprodução

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 23 de janeiro – Mercúrio está em sextil a Netuno, que também recebe a quadratura da Lua Sagitariana. A Lua ainda faz semi-quadratura ao Sol em Aquário, entrando na fase Balsâmica. Fecha a noite em quadratura não exata a Vênus –  O dia traz contradições conhecidas, mas nem por isso mais fáceis de se lidar. Estamos numa grande vibração de criatividade, bom humor e otimismo, que nos entusiasma e anima para começar a semana dispostos a fazer as coisas dar certo, a encarar as dificuldades como desafios que tornam o caminho mais interessante e divertido. Entretanto, em alguns momentos talvez percamos a noção da realidade e dos limites com os quais temos que lidar e, no nosso otimismo ingênuo talvez nos deixemos levar por algum sonho de grandeza que pode nos decepcionar. É essencial nos inspirarmos e darmos asas à nossa imaginação, que hoje está bem realçada, mas no nosso afã de expansão e superação, também precisamos lembrar que há pontos cegos, aqueles detalhes que não queremos ver, seja dentro ou fora de nós. É importante também, dar o benefício da dúvida antes de julgar as situações como maravilhosamente positivas ou terrivelmente negativas. E manter os pés no chão! Um pouco de ponderação trará mais segurança e equilíbrio ao nosso voo, um equilíbrio que é fundamental, visto que estamos olhando para o futuro, buscando enxergar, com os olhos espirituais, como ele se desdobrará no próximo ciclo. No momento, os fatos podem ser enganosos e obscuros e talvez seja melhor se guiar pela intuição.

Reprodução

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 24 de janeiro – De Sagitário, a Lua faz quadratura a Vênus e a Quíron, que estão em conjunção em Peixes. Dona Lua faz ainda sextil ao seu dispositor, Júpiter, trígono a Urano e conjunção a Saturno. Por fim, faz quadratura a Marte e fica vazia depois desse embate, às 15h34min. Ingressa em Capricórnio às 20h44min. Mercúrio se aproxima de Plutão e o Sol está sem aspectos em Aquário. A madrugada talvez traga sonhos de grandes inundações, nas quais fluímos ou nos sentimos ameaçados – os sonhos sempre vêm nos alertar sobre os conteúdos inconscientes que estão sendo trabalhados naquele momento específico na nossa vida e o sentimento geral do sonho nos dá pistas sobre como esse processamento se dá. Acordamos numa névoa densa, que ao se dissipar nos deixa diante de desafios práticos e concretos, com os quais temos que lidar de imediato, sem postergar. Assim, estamos imbuídos de um entusiasmo bastante pragmático, olhamos para o futuro com esperança, mas também com realismo. À tarde esse entusiasmo pragmático talvez entre em conflito com outras partes de nós – ou com pessoas fora de nós – que nos parecem excessivamente ingênuas e sonhadoras e que, a nosso ver, tentam dar o passo maior do que a perna ou abocanhar mais do que dão conta de mastigar, o que fatalmente leva a azia, indigestão e mal estar emocional. Essa azia emocional gera irritação e indisposição e, se não nos contemos, quando vemos, estamos vomitando falta de tato sobre os outros, de forma meramente reativa. Se há problemas reais em curso, eles devem ser ventilados e clarificados com quem de fato se relacionam, mas é preciso atenção para não resvalarmos nas disputas fúteis e vazias, a respeito de coisas insignificantes, que faríamos melhor se simplesmente dexássemos de lado. Para evitar isso, precisamos colocar toda essa energia que pulula dentro de nós em algo que possamos transformar, que nos dê a possibilidade de “fazer” algo, que nos faça sentir minimamente ativos, potentes e que nos ajude a colocar as emoções voláteis sob controle – de preferência atividades que não ofereçam riscos desnecessários, porque essas influências também falam de propensão a acidentes causados por precipitação – e que nos ajude a acalmar o potro selvagem dentro de nós. A noite traz a sobriedade de que tanto precisávamos para acalmar as emoções desenvontradas.

Desconheço o autor - Reprodução

Desconheço o autor – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 25 de janeiro – Vênus está em conjunção partil a Quíron e se aproxima do quincúncio a Júpiter e da quadratura a Saturno. A Lua faz sextil a Netuno e conjunção a Mercúrio. O dia traz uma sensibilidade bastante acentuada, que nos põe em contato com partes agridoces de nós mesmos: anseios, temores, esperanças, expectativas, feridas… E, pela frestras da pele e da alma, absorvemos também os anseios pungentes e dores que se propagam ao nosso redor, assim como vaza de dentro de nós um compadecimento generalizado, talvez até indefinido, por outros que, assim como nós, se sintam muito diferentes, estranhos e desencaixados na sua forma de amar, de se doar e de se relacionar. É possível que a autoestima esteja um pouco combalida hoje, porque nossos “defeitos” talvez estejam mais salientados do que as qualidades ou talvez vejamos como defeito ou deficiência, uma característica que é apenas diferente da maioria, mas que nos faz sentir deslocados. E a beleza, e o encanto daquilo que foge da norma, não tem lugar? Quíron tem a ver com as histórias que contamos a nós mesmos e neste caso, precisamos nos perguntar quais histórias e estórias estamos repetindo a respeito das feridas femininas que fomos acumulando ao longo da vida… E o poder, e o aprendizado que essas feridas nos trouxeram? Isso não conta? Será que seríamos as mesmas pessoas se não tivéssemos passado por tudo o que passamos? Vale questionar e abrir mão das lembranças ruins e substitui-las por gratidão pelas coisas benéficas que elas nos trouxeram, a despeito de quisquer dores que tenham significado. A Lua Capricorniana talvez não ajude, exatamente porque precisa se encaixar e ser aceita, porque está faminta por aprovação e assim, é possível que nos refugiemos no trabalho com todo o vigor e até aparentemos uma frieza que não sentimos, mas que representamos tão bem que até nós mesmos acreditamos – uma máscara eficiente de estoicismo e firmeza. Por outro lado, é provável que esse estoicismo e firmeza sejam exatamente o que precisamos, para não nos perdermos em melindres e para canalizarmos adequadamente a sensibilidade que está à nossa disposição hoje. Sim, no final das contas, a resiliência de Capricórnio vem nos socorrer e dar chão, justo quando achávamos que íamos afundar nos flagelos da nossa sensibilidade descontrolada. Então, podemos sim, nos permitir ver e identificar, sentir e experienciar essas dúvidas e sensação de desencaixe, mas sem ficar chapinhando no lodo, canalizando isso com realismo, para realizações que nos permitam fazer algo de concreto para sanar nossas feridas e a de outros, nem que seja uma palavra amiga, um olhar de reafirmação, um gesto de conforto ao próximo, literalmente, àquele que está mais próximo de nós.

Maria Eunice

Maria Eunice

QUINTA-FEIRA, 26 de janeiro – Vênus faz quincúncio exato a Júpiter em Libra, signo regido por ela. Vênus também está em quadratura a Saturno. A Lua em Capricórnio faz conjunção a Plutão, quadratura a Urano em Áries e a Júpiter, virando foco de uma T-Square Cardinal. A Lua trava conversa harmoniosa com Vênus e Quíron.  O dia está denso, com um tom severo que nos faz emergir de alguns sonhos pueris para uma realidade seca e árida, de confrontos e cobranças duras. Situações diversas, conflitos internos ou externos nos obrigam a olhar para algumas expectativas infantis que provavelmente ainda carregamos a respeito de pessoas, relações e do próprio mundo, e pelas quais precisamos nos responsabilizar. Nossa fome é grande demais, estamos emocionalmente famintos e exigentes e talvez não percebamos o peso que nossas expectativas representam para o outro, que simplesmente não dá conta de carregá-las; ou talvez nos encontremos na situação inversa, tendo que lidar com as exigências e cobranças que pesam demais em nossos ombros. O fato é que é dia de levar um tranco! Qualquer que seja nossa posição, é preciso agir de forma madura, responsável, identificando nossos conteúdos e separando-os dos conteúdos alheios. Pegar de volta nossa parcela de culpabilidade no estado em que as coisas estão e, em cima disso, tomar as atitudes cabíveis. Se nos deparamos com rejeição e frustração de nossos desejos, precisamos refletir sobre como nós mesmos nos colocamos em tal situação de fragilidade e exposição. Assim, o melhor que fazemos é ser objetivos e aqui Capricórnio, novamente, vem nos ajudar! A Lua em Capricórnio sabe que não existe almoço grátis e não só aceita essa verdade, como resolve tirar proveito dela abrindo um restaurante e quem sabe, apenas quem sabe, uma vez ou outra o coração se abra e se resolva alimentar àquele outro coração faminto, e se descubra que indiretamente estamos alimentando a nós mesmos, ao não nos dobrarmos ao cinismo e ao impulso de permancer na retranca da vida. Vênus em Peixes em quadratura a Saturno vem nos lembrar que temos que nos responsabilizar pelas expectativas que criamos as positivas ou as negativas… Se, feito criança ingênua criamos castelos inverossímeis e depois eles são despedaçados pela luz do dia, ou, se ao contrário, vacinados pelas prévias rejeições ficamos na retranca prometendo a nós mesmos nunca mais nos abrir, afastando aqueles que poderiam suavizar a vida, numa situação ou na outra, criamos a realidade com a qual lidamos e enquanto não encararmos esse fato, estaremos fadados a repetir esse enredo triste. Assim, Saturno vem temperar as fantasias da Vênus Pisciana com algum realismo, de modo que não sejam mais fantasias inverossímeis, mas sonhos realizáveis. Essa é uma influência que se aplica a várias áreas: relacionamentos, finanças, investimentos, estética, criatividade… é possível que haja crises nas relações, causadas pela insegurança e defensividade dos parceiros… Antes de tomar decisões drásticas, talvez valha a pena tirar um tempo para si e refletir e só então snetarem as duas pessoas para a conversa honesta, lembrando que ambos podem estar fragilizados e carentes, portanto, cautela com acusações e julgamentos.

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 27 de janeiro – É dia de Vênus e hoje ela está insegura, em quadratura plena a Saturno em Sagitário. Saturno rege Capricórnio, por onde trafega a Lua, que se harmoniza com Marte e fica vazia às 05h19min. Ingressa em Aquário às 06h37min e se renova na conjunção ao Sol às 22h07min, sem fazer aspectos maiores a nenhum planeta. Sol e Lua estão incomunicáveis nesta lunação de hoje, o que agrega ênfase especial aos arquétipos e significados de Aquário. Assim, o ciclo é voltado, de forma extremada, às inovações, à busca e luta pelo progresso – às vezes, a qualquer curto – a olharmos para o futuro, talvez esquecendo lições do passado. O ciclo traz o potencial de voarmos pelos dias no extremo do desapego, do distanciamento, tendo dificuldade de nos conectarmos com os sentimentos e com outras perspectivas das coisas, particularmente aquelas que diferem das nossas. Talvez haja uma certa sensação de alienação, um encastelamento nos ideais humanitários que nos impedem de nos relacionar com o humano próximo de nós e por isso, é preciso ficarmos atentos. A parte boa é que os dois dispositores da Lua e do Sol, Saturno e Urano, estão em harmonia atualmente, possibilitando que construamos uma ponte entre o passado e o futuro, entre o desejo e necessidade de mudar, sem desonrar aquilo que nos trouxe aqui. Essa conversa atual entre Saturno e Urano fala da possibilidade de conciliarmos o tradicionalista e o revolucionário dentro de nós e tirar o melhor da união deles dois. É tempo de renovar intenções, propósitos e planos de futuro!

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 28 de janeiro – Marte chega em casa, seu campo de batalha particular. Ingressa em Áries às 03h39min. A Lua, renovada em Aquário, fica toda a madrugada sem aspectos e pela manhã começa a acenar para Júpiter, com quem faz trígono. A Lua faz sextil ao seu regente moderno, Urano e fecha a noite conversando também com o regente tradicional, Saturno. Mercúrio está bem próximo da conjunção a Plutão e hoje sai da zona de retrogradação. O dia está animado e cheio de energia, trazendo também uma sensação de expectativa, de algo novo pairando no ar… Intuição aguçadíssima, perspicácia acentuada, novas ideias, novos planos, novos rumos… Toda essa expectativa nos enche de entusiasmo e impulso, tonando este um ótimo dia para traçar planos que tenham a ver com nossas esperanças de futuro, com aquilo que desejamos reformar em nós, no nosso cotidiano, na nossa alma e na área de vida correspondente à casa em que a Lua está trafegando no mapa natal (veja onde você tem Aquário). Para isso, podemos fazer um brainstorm, um exercício simples em que anotamos todas, absolutamente TODAS as ideias que nos ocorrerem a respeito daquilo que queremos realizar ou mudar. Neste momento não há ideia absurda, todas são bem vindas, por mais malucas que pareçam… Podemos fazer isso por um período de tempo, alguns minutos, meia hora… E aqui não nos preocupamos com limites, com o que seja factível, nada disso… apenas autorizamos a emergência das ideias e lhes damos as boas vindas… Depois vamos para o segundo passo, que é analisar cada uma dessas ideias do ponto de vista prático para ver quais são viáveis e realizáveis no curto, médio e longo prazo… Avaliamos o fator tempo, recursos, possibilidades e, a partir disso, já teremos algumas ideias claras de para onde ir e o que fazer para realizar nossos sonhos e visões, sejam esses planos para o ano, para alguns anos ou mesmo, apenas para o ciclo vigente! E Boa sorte! De modo mais prático, o dia está favorável para encontrar amigos, para socializar e fazer coisas diferentes da nossa rotina básica. É bom estarmos abertos ao improviso e permanecermos desapegados quanto á forma como as coisas devem fluir.

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 29 de janeiro – Mercúrio está em conjunção exata a Plutão. A Lua faz trígono a Júpiter e sextil a Saturno, aspecto depois do qual fica vazia, às 03h53min. Ingressa em Peixes às 14h11min e fecha a noite em conjunção a Netuno. O Sol segue sem se comunicar com ninguém. Um novo ciclo do Poder das Ideias começa hoje e temos a chance de olhar com uma lupa para nossos conceitos e preconceitos, com o objetivo de transformá-los e nos tornarmos mais conscientes do que é necessários fazermos para pôr nossas ideias em prática, sendo éticos e íntegros na forma como nos comunicamos com o mundo, tendo clareza sobre o que precisamos abrir e revelar e o que é aconselhável manter apenas para nós mesmos. A manhã de domingo está aberta a ponderações, análises das nossas atitudes passadas e presentes que podem estar atrapalhando ou ajudando na execução dos objetivos e no nosso desenvolvimento como pessoa. É um bom momento para reafirmarmos as atitudes positivas e para nos liberarmos daquelas que atrapalham e nos afastam do caminho que queremos tomar. A tarde fica mais sensível e pede introspecção, limpezas energéticas ou programas que alimentem a alma de beleza e esperança. Meditação, oração, arte, música, dança, contemplação… São todas atividades recomendadas. Já o álcool, é melhor ficar de fora da equação!

Uma ótima semana para você!

Antonio Siqueira - Reprodução

Antonio Siqueira – Reprodução

%d blogueiros gostam disto: