A Semana Astrológica – Enfim, uma luz no fim do túnel!

Reprodução

Reprodução

Semana de 19 a 25 de setembro – Semana de mudanças importantes na direção da energia, que apontam maior otimismo e também recuperação.

Chegamos à metade do ano astrológico com o Equinócio da Primavera (Outono no Hemisfério Norte) ocorrendo na quinta-feira, dia 22, às11h21min no horário de Brasília e às 15h21min no horário de Lisboa. Uma mudança sutil, mas sensível na atmosfera e na orientação da energia: os ares se tornam mais claros e límpidos e parece que respiramos mais livremente. O Sol ingressa em Libra marcando este equinócio e voltando as atenções para as relações e as parcerias, apontando a necessidade de equilíbrio entre o eu e o tu. Ao invés de entrar na briga de cabeça, somos convidados a conciliar, a dialogar, a negociar acordos diplomáticos. Ainda mais agora, que Júpiter trafega Libra, trazendo maior benevolência e magnanimidade a todos estes assuntos. O Sol, aliás, fará conjunção a Júpiter na madrugada de domingo para segunda, dia 26, um dia jubiloso, otimista e cheio de novas promessas e novos começos nos ciclos de expansão anual e individual. Librianos (de Sol, Lua, Ascendente ou meio do Céu) são particularmente beneficiados por esta conjunção.

Catrin Welz-Stein - Reprodução

Catrin Welz-Stein – Reprodução

Além do equinócio também temos outras novidades esta semana e a mais aguardada delas é Mercúrio voltando ao movimento direto! Hip! Hip! Hurra! Mercúrio estaciona já na quinta-feira – fica 48 horas estacionário – e tecnicamente volta ao movimento direto na sexta, mas ainda estacionário. Ele estaciona em trígono quase exato a Plutão – apenas 3 minutos de distância – que aliás, também estaciona já no domingo para ficar direto na segunda, dia 26. Esta parada de Mercúrio em contato tão próximo a um Plutão também quase estacionário intensifica e torna muito aguda a ação do Pequeno Memorável. Isso sugere uma guinada realmente importante no rumo dos nossos pensamentos, na forma como organizamos nossa mente e as informações. Uma grande possibilidade de mudança e transformação nessa esfera e também na esfera das comunicações em geral. Richard Idemon, astrólogo americano já falecido, dizia que um planeta estacionário é semelhante a segurar a mão em cima de uma vela acesa. Você pode passar a mão sobre a vela acesa, de cá para lá, de lá para cá diversas vezes, sem que nada aconteça; mas segurar a mão sobre a chama torna tudo muito intenso, agudo, abrasador e, obviamente, vamos sair queimados se não afastarmos a mão da chama. Considerando-se que Plutão representa os tabus, os assuntos escondidos e misteriosos, o inconsciente, esse momento estacionário de Mercúrio em contato com Plutão pode representar notícias bombásticas vindo à tona e sendo reveladas na mídia e no mundo dos negócios e do trabalho em geral. No estágio de fundo do poço que alcançamos na política brasileira, é de se questionar que ainda haja algo escuso escondido e eu lhe afirmo: pode apostar que não sabemos nem metade de todas as falcatruas que ocorrem nesse país! Eu apostaria que talvez mais algumas coisas venham à superfície nos próximos dias e semanas… As “vozes” se tornam particularmente poderosas e a palavra precisa ser medida porque carrega peso extra – podemos destruir ou elevar com uma simples frase. Do inconsciente surgem outras vozes, também potentes e veementes acerca de fatos passados, conteúdos antes ignorados, ideias que vínhamos elucubrando ou elaborando e que agora talvez estejam finalmente prontas para voar alto e serem assimiladas conscientemente – a chave está à nossa disposição, só nos resta utilizá-la adequadamente!

Reprodução

Reprodução

Plutão volta ao movimento direto no dia 26, segunda-feria que vem. Estaciona a 14°551 de Capricórnio e indivíduos com planetas pessoais próximos a este grau nos signos Cardinais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) podem ter que lidar com uma consciência aguda de morte e renascimento (não se preocupem, Plutão geralmente NÃO representa a morte em sentido literal, Júpiter é quem costuma estar mais proeminente em mapas de morte – novamente: sem sustos, por favor! Não é qualquer trânsito de Júpiter que significa morte!), com alguma luta ou conflito de poder, algum senso de impotência ou a erupção de lembranças avassaladoras que estavam enterradas há muito nos porões mais profundos do inconsciente. Qualquer que seja o caso, é um momento importante de consciência a respeito de algo profundo e inexorável. Com Plutão direto, o trabalho de transformação coletiva vai para um novo nível. Agora já temos acesso a muito mais conteúdos, aqueles que já foram processados no ciclo anterior e podemos dar o próximo passo!

Reprodução

Reprodução

Vênus faz sextil a Marte, ainda em Libra, logo no início da semana, melhorando o clima nas relações. Mas depois deixa deixa este domínios Librianos sofisticados e ultra civilizados e adentra as cavernas escuras e misteriosas de Escorpião. Torna-se voluptuosa, sexy, poderosa e enigmática! Ousada e passional, ela vai onde outras almas delicadas jamais iriam, arrisca e se expõe, porque até o risco a excita e estimula. Mas essa é uma ousadia discreta, não é para plateias vastas, coisa que ela tem horror, pois prefere a discrição das alcovas, longe de olhares enxeridos. Entrega-se profundamente, mas vai exigir em troca nada menos do que alma do seu parceiro, no mínimo o mesmo nível de entrega e comprometimento, porque não meias medidas. É emocional e sexualmente exigente, ciumenta, possessiva, mas também profundamente leal. Como Escorpião é signo Fixo, que não esquece, alguns rancores, ódios e malevolências podem recalcitrar e irromper violentamente, levando a cruzadas vingativas e potencialmente destrutivas, portanto, precisamos olhar para dentro e investigar nossos afetos com honestidade, para identificar situações que podem levar a isso. Vênus fica em Escorpião de 23 de setembro a 18 de outubro.

Reprodução

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Cheia, ainda em Áries. Torna-se Corcunda em Touro e Formaliza o Minguante em Câncer, na sexta-feira, 23. Trava relações fáceis ou complicadas com todos os demais corpos celestes na sua caminhada em direção ao fim do ciclo!

Claudia Lucia McKinney - Reprodução

Claudia Lucia McKinney – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 19 de setembro – A Lua entrou o dia vazia em Áries e ingressou em touro à 01h58min. Indispôs-se de forma indireta com Mercúrio retrógrado em Virgem – já prestes a estacionar – e mais irritantemente com Júpiter em Libra. A Lua também se desalinha com Saturno, com Marte e com o Sol, entrando na fase Corcunda. O único apoio vem de um sextil a Netuno. Vênus hoje está em harmonia a Marte, mas se indispõe também com Netuno. O dia está bem preguiçoso. Tentamos avançar nas coisas, mas volta e meia nos deparamos com pequenos bloqueios que nos fazem parar, checar e só então retomar o curso do que estávamos fazendo. Pelo meio do caminho há algumas surpresas meio irritantes, que são fastidiosas e importunas, especialmente porque quebram o ritmo que gostaríamos de manter. Apesar da falta de sincronia, podemos voltar ao ponto onde paramos e retomar as tarefas com maior diligência e entusiasmo renovado pela cafeína extra, para espantar o sono e a preguiça da segunda-feira modorrenta! E se o dia não está tão favorável para pegar no pesado, está propício para o namoro, os relacionamentos e trocas afetivas em geral e até para as atividades criativas! Estamos mais cordatos de modo que podemos negociar o dar e o receber com mais desenvoltura – ainda precisamos ter cautela quanto a alguns dilemas internos que nos dividem entre ir ou ficar, mas se isso for devidamente canalizado, pode também se manifestar com calor e paixão extra nos contatos!

Brroke Shaden Photography - Reprodução

Brroke Shaden Photography – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 20 de setembro – O Sol vai se despedindo de Virgem e preparando-se para ingressar em Libra. Enquanto isso, a Lua Taurina e Disseminadora hoje se harmoniza com Mercúrio e Plutão, formando um Grande Trígono de Terra, que vira Pipa devido ao amplo sextil a Netuno em Peixes. A Lua ainda se harmoniza com Quíron bem mais tarde, mas se indispõe com Júpiter, Marte e Vênus. Por algumas horas (entrando pela madrugada de quarta) a Lua é foco de um Yod (configuração tensa) que tem por base Vênus e Marte. A primeira parte do dia traz estabilidade, firmeza e o contentamento sutil de usufruir das coisas simples da vida: uma boa noite de sono, um bom café, uma rotina reconfortante que nos faz agradecer ser quem somos e estar onde estamos, independentemente das circunstâncias. Essa estabilidade favorece trabalhos que exijam concentração, praticidade e bom senso. Pelo fim do dia essa tranquilidade se esvai e somos deixados com uma inquietude exasperante: uma sensação de cobrança interna que faz com quem o contentamento da manhã pareça simplório demais e pouco exigente. Duvidamos de nossas próprias sensações, desejos, necessidades e atitudes, porque estão todos discrepantes, fazendo-nos sentir meio inadequados e fora de ritmo, como intrusos apara-velas num jantar romântico. Desejamos a apreciação e o carinho dos outros, mas não nos julgamos merecedores porque nos sentimos desajeitados e inferiores. Talvez dizemos a coisa errada, na hora errada, e nos sentimos deslocados como um caipira simples num jantar elegante e refinado. Como resultado, cozinhamos uma frustração e irritação que é incompreensível até para nós e a harmonia amorosa que vinha fluindo lindamente fica truncada e sujeita a mal-entendidos porque, incertos do que queremos, enviamos mensagens contraditórias que acabam por exasperar ao outro também, que então pode, por sua vez se sentir excluído, deslocado e irritado como nós. De calorosa, a atmosfera se torna fria e tensa e o pior é perceber que nós causamos tudo. Se não paramos a tempo, podemos criar atritos e conflitos dispensáveis e evitáveis. Checar as próprias contradições e inseguranças é o antídoto para tudo isso, para não se agira de forma inconsciente, estragando um clima que poderia ser de harmonia.

Keanu Reeves em Matrix, filme de 1999 - Reprodução

Keanu Reeves em Matrix, filme de 1999 – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 21 de setembro – A Lua Taurina faz sesqui-quadratura a Plutão e trígono ao Sol em Virgem, ficando vazia depois, por poucas horas. Ingressa em Gêmeos ainda na madrugada, de onde se harmoniza lindamente com Júpiter em Libra – ai! Que delícia dizer isso! – Já à noite a Lua faz oposição a Saturno, quadratura a Netuno e forma uma Grande Cruz, já que também quadra Mercúrio, aspecto exato só na quinta. Mercúrio, aliás, estaciona a 14°53’ de Virgem às 02h30min. A manhã está fluida, leve e propensa às conversas, aos escritos, aos contatos, às conexões diversas e socializações leves. A mente está ágil, disposta e super aguçada, captando tudo com rapidez e entusiasmo. Contudo, conforme o dia avança o humor vai azedando, a insegurança se imiscuindo nessa mesma mente e as dúvidas começam a abarrotar o cenário. Demandas e obrigações diversas, compromissos, responsabilidades vão se acumulando na agenda e ficamos feito barata tonta correndo em várias direções, sem saber o que resolver primeiro. Na dúvida, paramos e vamos fazer hora lá fora para ver se acalmamos a ansiedade e a inquietude – os fumantes manterão as mãos bastante ocupadas hoje! Mas “fazer hora” é um grande desperdício de tempo e energia no dia. Se ultrapassarmos todas essas inquietações veremos que elas são apenas distrações, historinhas criadas por nós mesmos, ilusões, maia. Se nos aquietarmos por alguns momentos, podemos ter acesso a um centro onde a mente está limpa e o coração seguro; onde não precisamos nos sentir cobrados, porque já sabemos o que precisamos fazer; onde não precisamos nos sentir desaprovados ou inadequados, porque estamos cientes do que somos e do nosso próprio valor e capacidades; e perceberemos, com clareza, que podemos simplesmente mudar o rumo dos nossos pensamentos, transformá-los; transformar esse fluxo turbilhonante que vai para fora e nos tira do eixo, para o movimento para dentro, para o centro. Se estamos ancorados, nenhum turbilhão nos carrega e podemos, de fato, ter um dia produtivo. Mas se enveredarmos pelos caminhos exteriores, ficaremos à mercê das influências externas obedecendo a um ritmo que talvez nem seja o nosso. O dia oferece uma ótima oportunidade de encarar todos esses receios e descobrir de onde veem essas vozes inquietantes. Se fecharmos os ouvidos aos alaridos que nos descompensam, sejam eles internos ou externos, poderemos nos concetar com a voz maior, a mais poderosa, que ressoa do mais fundo da mente calma e equilibrada e sabermos exatamente o que fazer, sem esforço – como aquele momento mágico em que o Escolhido decifra os segredos e códigos da Matrix: não há mais luta, só atitude!

Reprodução

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 22 de setembro – O Sol ingressa em Libra às 11h21min, sinalizando o Equinócio da Primavera no Hemisfério Sul e do Outono no Hemisfério Norte. Por seu turno, a Lua se desentende com Plutão e arma a maior confusão com Mercúrio em Virgem; a Lua ainda se enfada com Vênus em Libra e briga feio com Quíron em Peixes, enquanto busca o apoio de Urano em Áries. Temos formado um Retângulo místico, já que Vênus ainda está em oposição a Urano e a Lua está em orbe de oposição a Marte – e ainda outra Grande Cruz bem bagunçada! Mercúrio está tecnicamente direto a partir das 02h30min da manhã. O dia, em particular, fica sujeito a muitos altos e baixos, idas e vindas, e revezes diversos. Há muitas preocupações, dispersão, ansiedade, excessos verbais, conflitos entre o que sentimos e o que pensamos ou falamos, que acaba por detonar pequenas crises ao nosso redor – ops! Será que não somos nós que provocamos os furacões por onde passamos? Há uma certa histeria e vale a pena puxar o freio de mão, já que os pedais não estão funcionando, do contrário descemos ladeira abaixo direto para um desastre anunciado – mas perfeitamente evitável! Hoje, mais do que falar, berrar e gesticular, precisamos ouvir, escutar, analisar com cautela a necessidade, real, das coisas. Apesar das turbulências e destemperos, o dia também traz notícias alvissareiras e bastante positivas: o Sol cruza o Equador, vindo do Norte e avançando em direção ao Sul, marcando o Equinócio da Primavera, assinalado pela ingressão do Sol em Libra, às 11h21min. Indica uma mudança na orientação das energias, que se tornam, novamente, mais diretas e cardinais, propiciando atitude e movimento – para a frente é que se anda! Chegamos ao período do ano em que nos orientamos para o outro, para as relações – a energia é mais social, mais coletiva. Essa ingressão vem desanuviar de vez o climão que tivemos por muitos meses: Saturno daqui a pouco vai se afastar de Netuno, os eclipses já se foram e o clima, aos poucos, vai ficando um pouco mais leve. Não é que se vá sair por aí estourando fogos de artifício ou abrindo champanha, mas a parte mais pesada do ano está, finalmente, ficando para trás! Ufa! Pensando bem, acho que aquela champanha seria uma boa ideia!

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 23 de setembro – A Lua Geminiana faz oposição a Marte, mas se harmoniza com Vênus e fica vazia depois disso. Entra em seu domicílio de Câncer às 05h34min, de onde faz quadratura a Júpiter e ao Sol, oficializando o quarto Minguante, às 06h55min. A Lua também conversa sensivelmente com Netuno, mas se desarranja com Saturno. Vênus ingressa em Escorpião às 11h51min. Mercúrio já volta a se movimentar para a frente e plenifica, novamente o trígono a Plutão. A noite pode ter sido um pouco tumultuada, antecipando, talvez o momento de romper com algo que não vinha dando muito certo. A Lua ficou Minguante em Câncer, em quadratura ao Sol em Libra, uma quadratura que tem tudo a ver com os vínculos e as relações. É uma boa oportunidade de finalizar de uma vez por todas as coisas que não estão funcionando, por mais que insistamos. E isso se relaciona com dependências emocionais e expectativas criadas em relação aos cuidados que outros deveriam nos dispensar – ou assim pensávamos nós. É momento de crescer, de romper com os comportamentos infantis, porque se de fato queremos relações baseadas na igualdade e no equilíbrio (Sol em Libra), precisamos abrir mão da fantasia e expectativa de que o outro vá tomar conta de mim e de minhas necessidades (Lua em Câncer), coisa que eu deveria fazer por mim mesmo. Se eu espero que o outro cuide de mim como a mamãe fazia, isso não é uma relação entre iguais, é, antes, uma relação de dependência e de poder. Portanto, identifiquemos quais são as atitudes, comportamentos e ideias que ainda acalentamos neste sentido e façamos as alterações e eliminações necessárias, do que contrário, comprometemos os próximos ciclos e os novos projetos e relações que estão por vir. Em termos práticos, é hora de avaliar as realizações do ciclo que vai terminando. Apossar-se daquilo que deu certo e congratular-se por isso, celebrar. E também ser honesto acerca de tudo o que não deu e adotar as ações que a situação exija. Avaliações e eliminações estão na ordem do dia e da próxima semana. Ação decisiva se faz necessária e não devemos hesitar! E mesmo que tenhamos que eliminar coisas que foram belas no passado, não precisamos encarar isso como um fracasso. Assim como a flor, que foi bela e perfumada enquanto esteve viçosa, as coisas cumpriram sua função em nossas vidas e agora devemos deixa-las ir, para que a planta possa canalizar e concentrar sua seiva nos novos brotos que irão nascer. Então, é agradecer por esta flor que murchou, pela beleza e perfume que nos deu em sua curta vida e podá-la – talvez ela vire adubo rico que fertiliza a terra das nossas experiências. Vênus ingressa em Escorpião, prometendo incendiar as relações de mais paixão, intensidade, profundidade. Ciúmes, rivalidades, possessividade também ficam mais aflorados, assim como antigos rancores, que podem agora emergir à superfície – Pode ser um bom momento para purgar esses sentimentos tóxicos também! Vênus fica em Escorpião até o dia 18 de outubro.

autoacusacao

Reprodução

SÁBADO – 24 de setembro – A Lua Canceriana se opôs a Plutão de manhã cedo, enquanto se harmonizava com Mercúrio. Forma uma ampla T-Square ao longo do dia, já que também quadra Urano em Áries, ficando vazia depois, às 22h43min. Fecha a noite em trígono a Quíron. Mercúrio, já direto, forma outra ampla T-Square, já que está em oposição a Netuno e quadratura a Saturno, sendo este o foco da configuração. O dia começou intenso, um tanto conflituoso e emocionalmente carregado. A cabeça e o coração até cooperam e se comunicam harmonicamente entre si, mas os pensamentos ainda andam um tanto embaralhados e confusos e, se não nos vigiamos, o dia pode ficar permeado de pensamentos tóxicos, auto-acusações e culpas deprimentes, que por sua vez, contaminam nossa auto-imagem, que a este ponto terá se tornado bastante negativa e lastimável. Nossos antagonistas talvez se sintonizem com nosso estado de espírito e conflitos reais podem se manifestar – mas é claro, esse antagonista é parte da nossa sombra. Esses pensamentos, e principalmente os sentimentos pesados, emergem do inconsciente, que hoje têm alguns buracos abertos, por onde emergem esses venenos, de modo que é necessário ter alguma cautela na comunicação porque embora haja essa cooperação entre a razão e os sentimentos, tanto uns quanto outros estão contaminados por estas forças inconscientes, de modo que nossas interações não são claras, e provalmente não são limpas ou livres de complexos antigos. Portanto, é bom lembrarmos disso antes de acusarmos a outros descabidamente por coisas que nós sentimos – nossos pensamentos e sentimentos são responsabilidade nossa. Se conseguimos olhar para tudo isso com algum distanciamento, talvez consigamos iluminar alguns desses complexos e nos liberar deles, sentindo-nos mais livres e leves ao final. Não fosse a extrema subjetividade das nossas percepções, até poderia ser um dia favorável a conversas esclarecedoras, para desentalar a garganta… Mas do jeito que estamos, dificilmente conseguimos nos distanciar emocionalmente o suficiente para ter isenção, de modo que talvez seja melhor apenas analisar a natureza dos conflitos internos e, mais á frente, ter as conversas difíceis necessárias. Não fosse a extrema subjetividade das nossas percepções, até poderia ser um dia favorável a conversas esclarecedoras, para desentalar a garganta… Mas do jeito que estamos, dificilmente conseguimos nos distanciar emocionalmente o suficiente para ter isenção, de modo que talvez seja melhor apenas analisar a natureza dos conflitos internos e, mais á frente, ter as conversas difíceis necessárias.

Tirada de Pixabay.com - Reprodução

Tirada de Pixabay.com – Reprodução

DOMINGO – 25 de setembro – Dona Lua, minguante, mas soberana em seus aposentos, entra o dia vazia, de onde se azeda com Saturno na madrugada e espicaça o mau humor de Marte no começo da manhã. Ingressa em Leão às 10h49min e logo vai arengar com Vênus em Escorpião. Mas ela também faz algumas alianças, com o Sol, seu dispositor, e com Júpiter. Plutão estaciona às 12h02min, a 14°57’ de Capricórnio, de onde continua a receber o contato harmoniosos de Mercúrio. A madrugada talvez traga alguns sonhos pesados, que talvez relembrem fatos passados desagradáveis e acordamos indispostos, com o humor meio azedo feito leite cortado. Felizmente, porém, a azia emocional vai se dissipando pelo fim da manhã, de modo que um clima mais ameno se instala e nos sentimos mais dispostos e propensos aos encontros e às interações em geral. Há uma energia proeminente de colaboração que nos faz buscar contatos, convivência com pessoas afins e que estimula também as trocas nos grupos e atividades em equipe em geral. Arranjos são facilmente feitos e há uma tendência a cooperarmos uns com os outros, de modo que o dia flui com leveza, como uma trégua muito bem vinda nas turbulências recentes. Além disso, talvez nos deparemos com chances fortuitas, oportunidades inesperadas nesses encontros e atividades que podem nos ajudar em situações complicadas sobre as quais nos debruçamos, ou mesmo que levam ao auto-melhoramento. Os amigos desempenham um papel importante em tudo isso e, portanto, o dia está ótimo para a promoção de almoços familiares ou entre amigos e pessoas afins, de preferência ao ar livre. Aproveite muito o seu dia!!

 

Feliz Equinócio para todos! E que venha a leveza… Logo!

Reprodução

Reprodução

 

Lua Cheia e Eclipse Lunar em Peixes – Do Caos à Criação

Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução

Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua foi cheia nesta sexta-feira, dia 16 de setembro, às 16h04min de Brasília e às 20h04min para Lisboa, culminando o ciclo iniciado na Lua Nova de Virgem. Ambas as lunações, da Lua Nova e da Lua Cheia, foram eclipses. O de hoje foi um Eclipse Penumbral Lunar. Num eclipse penumbral ou Apulse a Lua entra somente na penumbra da Terra e não na umbra/sombra, a parte mais escura, ou seja, o alinhamento não é perfeito. Este tipo eclipse acontece quando Sol e Lua estão a mais de 12 graus de distância dos nodos. Para entender a dinâmica e significados de eclipses em geral leia este texto.

Eclipse Lunar - Birth Chart Paiting - Reprodução

Eclipse Lunar – Birth Chart Paiting – Reprodução

Este eclipse fecha a segunda temporada de eclipses do ano e, de certa forma, sinaliza o esmaecimento de um período denso e tenso que já dura muitos meses. De agora em diante a tendência é termos um pouco mais de calmaria do que temos tido ultimamente. É uma lunação e eclipse bastante tenso e melindroso. Lua e Sol se opõe no eixo Virgem-Peixes, a Lua em conjunção a Quíron e todos eles fazendo quadratura a Marte em Sagitário, que fica encurralado e espremido, como foco de uma T-Square Mutável.

Eclipse Lunar em Peixes - 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min

Eclipse Lunar em Peixes – 16 de setembro de 2016, Brasília, 16h04min

A Lua, conjunta a Quíron já sugere muitos melindres, feridas dolorosas e muita sensibilidade ao sofrimento, pessoal ou coletivo. É um posicionamento que tende a nos deixar em carne viva, sentindo-nos emocionalmente expostos e vulneráveis. Como naquela canção do Roberto:

Acabei com tudo
Escapei com vida
Tive as roupas e os sonhos
Rasgados na minha saída

Mas saí ferido
Sufocando o meu gemido
Fui o alvo perfeito
Muitas vezes no peito atingido

Animal arisco
Domesticado esquece o risco
Me deixei enganar
E até me levar por você

Eu sei quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
Eu sei, o coração perdoa
Mas não esquece à toa
O que eu não me esqueci

Eu andei demais
Não olhei pra trás
Era solta em meus passos
Bicho livre, sem rumo, sem laços

Me senti sozinha
Tropeçando em meu caminho
À procura de abrigo
Uma ajuda, um lugar, um amigo

Animal ferido
Por instinto decidido
Os meus passos desfiz
Tentativa infeliz de esquecer

Eu sei que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
Eu sei, as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
O que eu não me esqueci

Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo na alma e no coração

(aqui eu discordo do autor: insistir em não mudar é o pior que podemos fazer!)

Pois é, essa música vem ilustrar bem os temas de Lua-Quíron; Marte-Quíron e Sol-Quíron: “sou fera ferida, no corpo na alma e no coração!”. Sim, as quadraturas a Marte tornam tudo muito volátil e agora, além de nos sentir expostos, ficamos defensivos e espinhosos, receando qualquer um que se aproxime um pouco mais, como a fera ferida de que fala a canção. Marte nessa posição fica meio encurralado e tende a enrijecer em suas convicções, tornar-se inflamado, fanático e extremista. Quanto mais me atacam ou duvidam da minha fé ou convicção, tanto mais eu me enrijeço nelas. Nesse sentido, temos propensão a conflitos que terminam com mágoas ainda maiores, caso alguém não ceda e perceba que outro está atacando como estratégia de defesa. Mas Quíron também nos fala do potencial de cura, a partir da aceitação de nossas limitações, das nossas misérias e fealdades humanas, e porque sabemos o quanto a dor é crua, desenvolvemos empatia pelos outros. Então, há potencial para choro, mas também para conforto e muito consolo, além de cura.

Júpiter em Loibra - Birth Chart Painting - Reprodução

Júpiter em Loibra – Birth Chart Painting – Reprodução

O regente tradicional da Lua Cheia, Júpiter, acabou de se mudar para Libra, um signo muito mais confortável e condizente com a natureza de Júpiter do que o signo anterior, Virgem. Júpiter ainda se afasta da quadratura fora de signo recebida de Marte, mas de modo geral, está em melhores condições agora, sugerindo que busquemos o significado de toda essa dor e raiva, que encontremos o sentido, mesmo que no momento o caos pareça imperar. Libra também sugere a necessidade de equilíbrio, de encontrarmos a exata medida das coisas, e que demos o benefício da dúvida ao nosso opositor/interlocutor. Sendo um signo de relacionamentos, o regente da Lua em Libra indica este tema também é enfatizado nesta lunação. O dispositor moderno de Peixes, Netuno, está numa situação mais desconfortável: recebendo a quadratura de Saturno, da qual já falamos muito em textos anteriores, indicando que devemos abrir mão das ilusões traiçoeiras e viver a partir da verdade.

Reprodução

Reprodução

A Lua Cheia se dá em conjunção ao Nodo Sul, o que sugere a necessidade de liberação, de soltar e abrir mão daquelas fantasias rançosas de que alguém venha tomar conta de nós ou a da tendência de escorregarmos para comportamentos caóticos e infantis… Considerando-se que Peixes é o último signos do zodíaco, associado a fins e conclusões, a Lua Cheia de fato favorece que deixemos ir tudo aquilo que já não serve mais, que nos livremos do lixo psíquico, emocional e até mesmo do lixo literal e físico que mantemos nos nossos armários e casas.

Série Saros 147 - 02 de julho de 1890, 14h08min.

Série Saros 147 – 02 de julho de 1890, 14h08min.

Esse eclipse faz parte da Série Saros 147, que se iniciou em 2 de julho de 1890, às 14h08min GMT. É interessante notar que no mapa do primeiro eclipse da série, temos novamente uma quadratura Saturno-Netuno, também no eixo mutável, só que dessa vez, Saturno está em Virgem e Netuno em Gêmeos e a quadratura é crescente e não minguante – Saturno trafegando atualmente por Sagitário faz oposição a Netuno deste mapa. Netuno está em conjunção a Plutão. Então, é um ciclo importante começando. Outra “coincidência” é Marte estar retrógrado no fim de Escorpião, uma retrogradação que começou também em Sagitário, muito similar àquela que tivemos recentemente. Mais: Marte está em quadratura a Saturno e oposição a Netuno, formando uma T-Square mutável cujos temas são muito parecidos com os que temos vivenciados nos últimos meses – não, definitivamente, não é coincidência! Outra coisa interessante é o fato de Urano estar transitando o terceiro decanato de Libra, em oposição ao Urano atual, que percorre o terceiro decanato de Áries – quer dizer, realmente, uma Série Saros vai repercutir seus temas em todos os eventos da série. Neste mapa também vemos que a Lua é o ponto médio entre Vênus e a conjunção Plutão-Netuno, apontando que as emoções e sentimentos são intensos, de modo que mudamos de humor e reações rapidamente, vertiginosamente, fazendo tempestades em copos d’água, ficando suscetíveis e voláteis facilmente, o que nos leva a atitudes extremistas e desvairadas – uma influência que reafirma a configuração Lua/Quíron x Sol x Marte. Entretanto, a Lua também é o ponto médio entre Quíron e o Nodo Norte, e isso, por sua vez, sugere que sim, para curar é preciso sentir, mesmo os sentimentos e emoções mais perturbadores e desconcertantes, porque a vida só tem sentido, quando nos permitimos sentir. Analisar é fácil, pensar é óbvio, mas sentir… Sentir, sentir realmente, é só para os muito corajosos! Quando falo de sentir, não me refiro a atuar os sentimentos desvairados e usá-los como desculpas para atitudes tresloucadas com relação aos outros e a si mesmo. Sentir profundamente, sabendo conter as reações instintivas e automáticas da fera ferida, ao invés de se derramar indiscriminadamente no mundo lá fora. Quando nos permitimos sentir plenamente a dor, o luto, a raiva, ou qualquer que seja o sentimento, sem atuá-los, temos maior possibilidade de processá-los e digeri-los mais diligentemente e, consequentemente, de nos liberarmos mais rapidamente também. O grande desafio é, pois, sentir toda essa gama de sensações e emoções caóticas e intensas sem se afogar nelas, sem se destruir ou se deixar esmagar por elas. Mas a cura vem pelo sentir. Intenso, visceral, inescapável. Sentir.

Colors of the Mind series. Visually attractive backdrop made of elements of human face and colorful abstract shapes suitable as element for layouts on mind reason thought emotion and spirituality

Reprodução

Peixes é um signo de grande abertura e sensibilidade, portanto, uma Lua Cheia ocorrendo neste signo também é propícia à conclusão de projetos criativos e artísticos e a canalizarmos toda a enxurrada de sentimentos na arte, seja na pintura, na escrita, na música, na dança ou em qualquer outro veículo criativo. Está triste? Cante essa tristeza! Está zangado? Dance essa raiva! Está confuso? Pinte essa confusão! Está saudoso? Poetize essa saudade/nostalgia! E assim por diante. A ideia é traduzir para alguma linguagem inteligível aquilo que o coração não consegue exprimir em meras palavras. Peixes, aliás, representa o caldeirão de conteúdos do inconsciente coletivo de onde podemos pescar toda a sorte de inspiração; é o líquido amniótico que é altamente condutor de eletricidade e excepcionalmente nutritivo; o caos primordial que dá origem à vida, à própria criação, por isso, se nos sintonizamos com as vibrações mais positivas dessa lunação, podemos expressar o manancial de sentimentos caóticos através da infinita criatividade. A arte, em todas as suas formas, também é um canal de cura, que o digam todos os artistas célebres que expressaram seus dilemas e dores através de muitas pinceladas, através obras primas musicais ou literárias. Nilse da Silveira é outra prova do efeito terapêutico da arte na cura dos males e dores da alma. Ponto de atenção: não vale afogar as mágoas no copo ou no pó – porque aí, ao invés de melhorar, piora tudo! Peixes já é propenso ao escapismo, portanto, é melhor não apelar para isso nas próximas duas semanas!

Animação que mostra as fases de um eclipse lunar - Reprodução do Wikipedia

Animação que mostra as fases de um eclipse lunar – Reprodução do Wikipedia

Assim, a Lua Cheia e o eclipse Lunar em Peixes alertam para o risco dos emocionalismos vazios, para o fanatismo e os conflitos egoicos; para a abertura de velhas feridas; alerta para situações de caos e tsunamis emocionais, mas que podem ser conduzidas criativamente se tivermos um mínimo de maturidade e contenção. Todavia, o eclipse também traz potencial de curarmos muitas das dificuldades que carregamos há tanto tempo, no que tange ao gerenciamento das emoções – não, não precisamos nem devemos ser escravos delas! Sentir não quer dizer ficar à mercê dos sentimentos, mas aprender a honrá-los, respeitá-los, exatamente para não ficar à mercê deles. Portanto, apesar de toda a sensibilidade, fragilidade e dor indefinível que possamos sentir, precisamos nos alinhar com o potencial de cura, soltando e liberando qualquer apego que possamos ter ao sofrimento ou à situação de vítima merecedora da simpatia alheia. Porque a sensibilidade também é um tipo de fortaleza e não precisamos nos vitimar por causa dela.

Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico - Reprodução do site da Nasa

Eclipse de 16 de setembro: visível na Europa, África, Ásia, Austrália, oeste Oceano Pacífico – Reprodução do site da Nasa

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 19 e 30 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) são mais “afetados” por este eclipse. Para ter uma ideia dos temas que eclipse aciona no seu mapa, verifique o que estava acontecendo no período anterior ou posterior a 16 de setembro de 1997, que foi a última vez que um eclipse caiu próximo desse grau de Peixes, e anterior ou posterior a 6 de setembro de 1998, que foi quando ocorreu o último evento da Série Saros 147. Verificando os eventos e temas acionados naqueles períodos, temos boas pistas de como este eclipse pode se manifestar para nós.

Desejo que essa lunação traga liberação e purificação, que possamos deixar ir tudo que nos atrapalha e fere, tudo de que já não precisamos mais!

Feliz Lua Cheia para você!

Kindra Nicole - Reprodução

Kindra Nicole – Reprodução

Lua cheia em Peixes - Birth Chart Painting - Reprodução

Lua cheia em Peixes – Birth Chart Painting – Reprodução

A Semana Astrológica – Botando fogo pelas ventas!

Eclipse Penumbral da Lua - Reprodução

Eclipse Penumbral da Lua – Reprodução

Semana de 12 a 18 de setembro – Esta é uma semana que tende a ser bastante volátil e que demanda muita prudência e atenção. 

Estamos num período entre eclipses, que culmina toda a tensão sentida nos últimos meses e que traz vários aspectos importantes tornando-se exatos desde duas semanas atrás. Na semana passada tivemos a última quadratura Saturno-Netuno e na sexta-feira temos um Eclipse Penumbral da Lua em Peixes, além de vários outros aspectos que vão demandar cabeça fria, paciência e muita cautela de todos nós. Parte dessa tensão tem a ver com o fato de o Sol estar se metendo em muitos desafios bastante estressantes: faz quincunce a Urano em Áries, oposição a Quíron em Peixes e ainda uma volátil quadratura minguante a Marte, que vai fechando um ciclo importante de dois anos, cujo apogeu ocorreu durante a retrogradação de Marte. Todos esses desafios nos questionam se realmente sabemos quem somos e do que somos feitos, assim como se temos clareza da validade de nossos propósitos e esforços.

Reprodução

Reprodução

Mercúrio percorre a última semana de retrogradação e daqui a pouco já desacelera para mudar de direção. Últimos dias para revisar aqueles papéis, a forma de trabalhar e de lidar com o cotidiano. Antes de voltar ao movimento direto, porém, Mercúrio faz a conjunção Inferior ao Sol, ficando Cazimi por algumas horas na terça-feira. Com Mercúrio Cazimi temos acesso a grandes insights e iluminações da consciência. Mercúrio, como Relações Públicas e assessor de imprensa do Sol, fica muitas horas em reunião com ele, para coletar as instruções da autoridade máxima do nosso sistema para os próximos meses. Um novo ciclo se inicia para a mente consciente. Quando ele atingir a maior elongação Oeste, estacionará e voltará ao movimento direto, surgindo então como estrela da manhã, nascendo antes do Sol no Horizonte Leste. Esta fase é chamada de Fase Prometeu, uma fase do ciclo Mercurial que predispões a aventuras, a correr riscos, a experimentações.

Tae Lee - Reprodução

Tae Lee – Reprodução

Vênus faz oposição a Urano, num duelo de luvas de boxe versus luvas de pelica… Temos de chacoalhar de novo as relações que andam mornas e insossas. Tempo de ser menos dependentes da opinião do outro, de revitalizar a própria individualidade para que a relação volte a ser interessante. É isso ou há propensão a rupturas estrepitosas, especialmente se os trânsitos no mapa natal do indivíduo sugerirem tensão nas casas ou planetas relacionais. Vênus também faz quincunce a Quíron, indicando alguns dias em que ficamos meio inseguros de nós mesmos e do nosso direito de ser amados pelo mero fato de existir. Como é uma insegurança que vai e vem de forma inconstante, talvez não seja assim tão clara e podemos projetá-la no outro, sentido-nos magoados e feridos por atitudes que não tinham necessariamente essa intenção. Vale manter as sensibilidades em cheque, porque o período traz também o potencial de compreendermos melhor essas dinâmicas relacionais e curarmos o nosso complexo de Patinho Feio, se não de forma definitiva, pelo menos a ponto de nos dar maior segurança e autoconfiança, nascidas da autoaceitação.

Reprodução

Reprodução

Marte faz quadratura a Quíron e nós ficamos muito melindrosos. Defensivos, talvez ataquemos por prevenção, o que, obviamente, leva a mágoas e dificuldades nas interações – não nos damos conta de que o veneno que jogamos no outro também queima nossas mãos. Como Marte também faz trígono a Urano, é possível que fujamos desse desconforto pela via da independência e da liberdade, evitando proximidade com quem quer que ameace chegar perto demais das nossas feridas. De fato, Urano ajuda a nos livrar das limitações e barreiras que antes nos seguravam na nossa zona de conforto. Mas precisamos estar atentos para que isso seja uma liberação genuína e não uma mera fuga daquilo que não queremos ver. Somando esse aspecto Marte-Quíron à quadratura Sol-Marte, entendemos porque a semana está tão volátil e belicosa. Sempre que Marte está desafiado, os egos ficam espinhosos e defensivos e há maior propensão a conflitos e beligerâncias. Qualquer pequena discordância vira uma grande ofensa e o sangue ferve, espalhando fúria cega por todo o corpo, e quando vemos, estamos soltando fogo pelas ventas, pelos olhos, pela boca, por todos os poros! Certo, nem tudo descamba em violência, felizmente, mas ainda precisamos vigiar nosso humor e atitudes para não estragarmos relações por causa de rompantes que não têm que ocorrer, se apenas tivermos a necessária contenção para as nossas emoções.

A Lua abriu a semana ainda no Quarto Crescente. Fica Corcunda em Aquário terça-feira e será cheia na sexta, numa lunação que também é um Eclipse Penumbral da Lua. Fecha a semana já em Áries, cheia de energia e disposição!

rotinaSEGUNDA-FEIRA, 12 de setembro – A Lua segue por Capricórnio e hoje já fez sextil a Quíron, trígono ao Sol e a Mercúrio e ficou vazia às 07h02min, depois da quadratura a Urano em Áries. Ingressa em Aquário somente às 18h29min, portanto, temos o dia inteiro de Lua fora de curso! Mercúrio faz hoje a conjunção baixa ou Inferior ao Sol, ficando Cazimi das 17h15min até a 00h15min da terça-feira. Com Mercúrio Cazimi temos acesso a grandes insights e iluminações da consciência. A segunda começa com muito gás e energia intempestiva logo cedo. Talvez tenhamos acordado até antes do despertador, com algum ruído abrupto ou sonho esquisito. Mas apesar de todo esse gás inicial, logo a energia entra em repouso sugerindo que o ideal é nos concentrarmos nas tarefas rotineiras, organizar a agenda, estruturar todas as atividades e por em ordem todas as coisas que estejam fora do lugar. Não é um dia favorável para ir ao mundo começar coisas novas que demandem investimento de muita energia e clareza. É um dia mais propício para ruminações, observação e planejamentos, mais do que para ação direta. Falta objetividade, mas sobra praticidade e pé no chão e considerando que Mercúrio está retrógrado, estas influências são ótimas para se arrumar gavetas, estantes e por a papelada em ordem – atenção na hora de descartar papéis para não jogar fora coisas importantes! A Lua está vazia por todo o dia e ficou vazia depois de um aspecto tenso a Urano. Isso é um paradoxo, porque a Lua em Capricórnio precisa arregaçar as mangas e buscar resoluções, efetivas e eficazes, que traduzem os propósitos do Sol em Virgem, mas a Lua estando vazia pede um pouco de espera com certos assuntos – isso pode gerar inquietações e ansiedades. Contudo, se insistimos em ir atrás de definições claras, podemos nos deparar com imprevistos desagradáveis, com perda de de tempo e muita irritação, porque não há firmeza ou clareza suficiente à nossa disposição. No mínimo, podemos resolver coisas que depois precisam ser revistas ou que não nos satisfazem completamente. Assim, é seguir o dia sem grandes expectativas.

Reprodução

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 13 de setembro – A Lua trafega o signo de Aquário, prestes a ser cheia (sexta-feira, no Eclipse Penumbral Lunar) em Peixes. Hoje faz sesqui-quadratura a Mercúrio e ao Sol em Virgem, entrando na fase Corcunda. A Lua ainda faz sextil a Saturno e o Sol hoje está em quadratura exata a Marte. O dia traz à tona algumas tensões que vinham se arrastando já há algum tempo. A sensação de bloqueio, de dúvida, de incerteza fica clara e podemos divisar que os entraves que experimentamos na nossa ação exterior estão em ressonância com a dúvida que temos a respeito da legitimidade dessa ação, com o direito de buscarmos o que estamos buscando. É um dilema interno manifestado lá fora. O meu antagonista se afina inconscientemente com a minha insegurança e a mostra para eu reconhecer. Em outras palavras, o dia está propenso a conflitos diversos, conflitos de ego, em que achamos que outros tentam nos impedir de fazer o que queremos o de ser quem somos. Mas o que está em teste é a validade dos nossos esforços e o quanto acreditamos naquilo que estamos fazendo. Isso é mais fácil se, quatro meses atrás, já tenhamos trabalhado nossas inseguranças e dúvidas internas. Se realmente fizemos isso lá atrás, porque foi nos sentimos ainda mais bloqueados, agora já sabemos o que precisa ser feito, já sabemos como ajustar minha vontade e a do outro, de modo que achamos uma conciliação. Contudo, se continuamos muito inconscientes da nossa dinâmica de vítima ou da nossa impotência e hesitação, é mais provável que tenhamos problemas com o chefe e com figuras de autoridade e superiores em geral. Saber o que se quer e por que se quer já é meio caminho andado para não cair nas armadilhas dos conflitos de ego. Estar consciente das motivações pessoais mais profundas é outro passo importante. Em termos práticos o dia traz influências voláteis: muita irritação, impaciência e temperamento explosivo quando as coisas saem diferente do que queríamos e isso requer cautela em todas as atividades, pois há tendência a precipitação e a comprar brigas tolas e sem fundamento. Podemos nos sentir em qualquer um dos lados do extremo: ou nos sentimos bloqueados e avançamos contra outros, ou somos receptáculo da raiva daqueles que se acham ofendidos por medidas que necessitamos aplicar. Qualquer que seja o caso, precisamos ancorar nossa irritação e ter clareza se ela é legítima ou se estamos, de novo, agindo como a criança birrenta que quer o que não lhe pertence. Mesmo que sejam legítimas as nossas queixas, ainda precisamos expressá-las de forma civilizada para poder chegar a alguma conciliação. E ainda precisamos ter cautela se o que dizemos realmente expressa o que sentimos e queremos, porque a mensagem pode sair enviesada por rusgas velhas e inconscientes. Felizmente a Lua dá algum distanciamento e objetividade, de forma que talvez não precisemos nos perder no nosso próprio umbigo e nas nossas próprias reclamações. Tentar ver a situação de fora, pode alargar nossa perspectiva e perceber que há coisas maiores em jogo do que meramente aquilo que “eu quero”.

Primal Source, instalação de Usman Haque - Desconheço o autor da foto - Reprodução

Primal Source, instalação de Usman Haque – Desconheço o autor da foto – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 14 de setembro –A Lua Aquariana faz trígono a Vênus em Libra e sextil a Marte em Sagitário e a seu dispositor, Urano em Áries. Contudo, a Lua se desentende com Mercúrio e com o Sol. Fica vazia depois do contato com Urano, às 12h32min e entra em Peixes somente às 23h23min. Marte marcha para confrontar Quíron, que também é desafiado pelo Sol. Apesar de começarmos com serenidade, o dia traz muitas provocações que desafiam nossa calma e estabilidade. As coisas parecem fluir, mas lá no fundo suspeitamos de que algo está meio fora do lugar, como aquela sensação esquisita que fica indo e voltando e nos tira a tranquilidade e a confiança… Como se algo nefasto fosse pipocar a qualquer momento e estragar nosso humor e a paisagem interior, equilibrada com tanto esforço. Entretanto, se focarmos no que está errado somente, no que está fora de lugar, perdemos a chance de perceber a paisagem maior, em que tudo tem o seu lugar e função, mesmo os pequenos escorregões que nos fazem sentir inadequados e meio tortos. O que podemos fazer, que pode nos ajudar, realmente, é estar plenamente atentos, observando, desapegadamente, os pensamentos, os sentimentos e emoções desencontrados, as raivas e as tristezas, como se estivéssemos no centro de um grande caleidoscópio que gira ao nosso redor. Se ele gira, nós não precisamos girar junto, mas podemos apenas esperar, liberados, pela próxima imagem, pela próxima cor. Deixar vir e deixar ir. Soltar. Liberar-se. Liberar-se das expectativas, boas e ruins e apenas ser, apenas viver, apenas estar no aqui e no agora. Desapegar-se também da dor crua que tira o fôlego, ao respirar profundamente, respirar na própria dor, para compreendê-la e soltá-la. Chegar ao âmago dessa raiva surda, impotente e apoderar-se dela, porque ela é nossa, não é de ninguém mais e concentrar essa energia em nossas mãos, para aplicá-las em outras áreas. Sintonizar-se com a serenidade e com este centro interno que nos ancora e acalenta quando tudo o mais enlouquece. Preocupemo-nos com os problemas quando eles surgirem. “Se” eles surgirem. Se estamos no centro, sabemos o que fazer, quando e como.

Reprodução

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 15 de setembro – De Peixes, a Lua, prestes a ser cheia, faz sesqui-quadratura a Vênus e quincunce a Júpiter. Mais tarde ela se funde a Netuno e entra em litígio com Saturno. O Sol está em oposição com Quíron hoje e forma uma T-Square mutável, da qual Marte é o foco. A Lua ainda se harmoniza com Plutão, mas também se irrita com Quíron. Um dia ultra-sensível, em que temos muita dificuldade de nos diferenciar e diferenciar o que sentimos do que ocorre no ambiente ao redor. Sentimo-nos particularmente fragilizados e vulneráveis, expostos em nossas dores e ressentimentos, numa briga interna que nos torna azedos ou amargos. Podemos bancar os valentões e insensíveis para disfarçar essas inadequações tão afloradas. Mas, em nossa grosseria, não nos damos conta que avançamos o sinal e causamos dor e mágoas em outros, que reagem defensivamente, talvez até com um golpe baixo inesperado – quem mandou cutucar onça com vara curta? Ao contrário, se paramos para realmente sentir o espinho cravado na carne, talvez possamos identificar o que o colocou ali, além de perceber maneiras mais sutis de lidar com o problema e com nossas misérias emocionais. O surpreendente é que, ao fazer isso, ao invés de parecer frágeis, talvez diminuamos o fosse que nos separa dos outros, especialmente aqueles mais próximos de nós. A questão é: temos coragem de realmente sentir? Estamos dispostos a deixar o outro chegar tão perto?

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 16 de setembro – A Lua Pisciana faz oposição a Mercúrio retrógrado em Virgem, quadratura a Marte e conjunção a Quíron, um pouco antes de fazer oposição ao Sol culminando o ciclo na Lua Cheia, que é também eclipse Penumbral da Lua. A Lua culmina o ciclo nessa T-Square pesada, explosiva e super sensível, envolvendo Quíron, Marte e o Sol. A Lua fica vazia logo depois de ser cheia, às 16h04min. Marte está em quadratura plena a Quíron. Um dia cheio de acontecimentos delicados que acionam feridas antigas, purulentas, doloridas, talvez amargas… Mas se velhas feridas se magoam e se abrem e a secreção se espalha, pelo menos sabemos que não estavam tão curadas e cicatrizadas quanto pareciam e o fato de se reabrirem apresenta a oportunidade de serem limpas, higienizadas, e quem sabe, finalmente curadas. O eclipse ocorre a 24° de Pexes, em conjunção a Quíron, oposição a Mercúrio e quadratura a Marte em Sagitário, formando uma T-Square melindrosa, penosa e difícil, que repercute direto na vontade e capacidade de autoafirmação. Insegurança e vulnerabilidade são o resultado imediato. Por estarmos tão suscetíveis, o clima fica explosivo e sujeito a muitos conflitos de ego, porque parece que as coisas mais mesquinhas ameaçam nossa integridade e isso nos arrelia ao extremo, predispondo-nos a reagir desmesuradamente, com quatro pedras na mão ao menor sinal de atrito. Somando-se ao fato de ser Lua Cheia – ânimos mais que alterados! – e eclipse – mais alterados e descontrolados = caos – o dia está mesmo complicado. Há também propensão a extremismos e fanatismos, portanto, hoje vale aquela máxima, às vezes, é melhor ficar em paz do que provar que se tem razão. Contudo, o eclipse também traz promessas de remissão, de cura e redenção. Se conseguimos ultrapassar o nível das emoções apaixonadas e extremadas, talvez consigamos admitir nossa grande frustração, impotência, sensação de isolamento e fracasso, que são a origem de toda a turbulência. E talvez consigamos olhar para nós mesmos com misericórdia, lembrando que não somos super-homens, somos apenas humanos, sujeitos a todas as fraquezas e debilidades humanas, mas também aptos a alcançar estados nobres de abnegação, compreensão e misericórdia – mas esses estados só são genuínos depois que admitimos nossas fraquezas.

Reprodução

Reprodução

SÁBADO – 17 de setembro – A Lua abre o dia vazia em Peixes e ingressa em Áries à 01h23min, de onde logo se opõe a Júpiter em Libra. A Lua ainda faz trígono a Saturno. Marte está em trígono exato a Urano e Vênus faz quincunce pleno a Quíron. Depois dos tsunamis e avalanches de ontem, amanhecemos com a alma lavada, dispostos a sacudir a lama do corpo, a dar a volta por cima. E temos energia para isso. O dia está sim, propício a encararmos os desafios com novo vigor, com ânimo renovado e maior sabedoria e elasticidade. Podemos usar todas as últimas experiências dolorosas como adubo que fomenta uma nova coragem, que nos impulsiona em direção ao novo. Percebemos em nós o que precisamos mudar e entramos em ação para por as mudanças em prática – que podem ser coisas pequenas do nosso cotidiano, mas que têm grande impacto na nossa atitude e estado de ânimo. Inibições e inseguranças que nos tolhiam antes ainda estão presentes, mas talvez ousemos ir adiante a despeito delas. Assim, surpreendemos aos outros e talvez até anos mesmos com nosso arrojo e audácia, correndo riscos que antes nos deixariam nervosos e agora apenas nos estimulam. Tudo muito bem, mas ainda precisamos cuidar dos exageros, da afobação e atentar para a possibilidade de ainda estarmos evitando algo não resolvido. Cientes disso, podemos sim, aproveitar as energias vigorosas para sacudir o lodo da alma e inspirar nossos ares e aspirar novas realizações e façanhas. O dia está favorável a se lançar rumo ao desconhecido!

Leilane Bustamante - Reprodução

Leilane Bustamante – Reprodução

DOMINGO, 18 de setembro – A Lua segue na fase Cheia por Áries e hoje faz quadratura a Plutão, oposição a Vênus e conjunção a Urano, além de trígono a Marte. Termina o dia em quincunce ao Sol. O domingo está inflamado, abrasivo, fervendo mesmo! Há muito dinamismo, mas também muita impaciência no ar, que nos faz nos precipitar e correr para cima do perigo ao invés de nos precaver contra ele. Encaramos as feras, de dentro e de fora e não medramos para ninguém. Entretanto, com tanta intensidade e paixão, urge achar um freio para a boca e para as atitudes, que estão mais que intempestivas hoje. Do contrário, criamos atritos e inimizades aonde vamos e arengamos até mesmo com aqueles mais próximos, talvez por coisas mesquinhas, o que desagrada muito às almas mais delicadas. Nesse cenário revoltoso e agitado, a convivência fica sujeita a muita instabilidade, imprevistos, arranhões e altercações diversas, principalmente entre casais e nas relações de amizades. Porém, se estamos cientes de nossas discrepâncias, de nossa irritação e indocilidade, podemos contê-las, de modo que não precisamos descontar em outros aquilo que só cabe a nós resolver. O dia também traz grande anseio por liberdade, independência, mudança, saída da rotina, inovação e a experimentar e fazer algo diferente. Mas há que se ter cautela nas estradas ou atividades físicas porque com essas energias voláteis ativadas, estamos suscetíveis a muitos atropelos e talvez até, acidentes. Cautela nunca é demais!

Linda semana para você!

Que seja de muita leveza!

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Reprodução

A Semana Astrológica: Crescemos Quando Enfrentamos a Realidade!

Catrin Welz-Stein - Reprodução

Catrin Welz-Stein – Reprodução

Semana de 05 a 11 de setembro – Semana de avançar! Encaremos as realidades e façamos o que tem que ser feito! Se conseguimos transformar a nós, transformamos o mundo! (Aviso, este texto está incompleto!)

Temos pela frente uma semana melindrosa e tensa. Vemos se desdobrar a última quadratura entre Saturno e Netuno, num período entre eclipses e que vai armando também a quadratura Sol-Marte, uma quadratura minguante que finaliza os temas da retrogradação de Marte, ocorrida entre abril e junho. Por tudo isso e mais um pouco, ainda temos alguns dias pesados, que vão requerer de nós muita paciência, jogo de cintura e serenidade para lidar com os desafios e a sensação de cansaço e de exasperação. Mas não há nada de novo sob o céu, já sabemos… Crescemos quando enfrentamos a realidade e este é o grande aprendizado do período!

Claudia Lúcia McKinney - Reprodução

Claudia Lúcia McKinney – Reprodução

Eu analisei essa configuração entre estes dois planetas lentos no ano passado, por ocasião da primeira quadratura exata e se você ainda não viu esta análise, pode ler no texto Saturno-Netuno: o Mundo em Desintegração. O texto analisa basicamente o ciclo dos dois planetas em si e adiciona o trânsito de Júpiter por Virgem. Portanto, o texto tem um tom carregado, de desesperança e desilusão, que aliás, é o tom da quadratura em si. Mas, precisamos lembrar que essa é a última quadratura exata e logo a configuração se desfará, então, já vivenciamos os momentos mais difíceis. Ouso dizer que, a partir de novembro as coisas tendem a ficar mais leves, exatamente porque essa configuração estará se dissipando. O que precisamos é rever as lições simbolizadas por ela, matutar bastante para não cometermos os mesmos erros no futuro.

Reprodução

Reprodução

O Sol faz trígono a Plutão nesta semana, o que nos dá força e capacidade de enfrentar os desafios que precisamos enfrentar, além de nos equipar com a habilidade de perscrutar a nós mesmos profundamente, verificando nossas motivações mais profundas e analisando onde precisamos fazer modificações, e fazendo-as. Esse trânsito também sugere um período em quem nos sentimos com poder suficiente para lidar com as adversidades, porque encontramos dentro de nós força e resistência. Como a quadratura a Marte vai se formando gradativamente, é preciso também cautela, porque podemos nos tornar mais agressivos e exageradamente enérgicos em nossas demandas, de modo que podemos pisar nos calos de outros por aí, o que pode angariar antipatias, para não dizer conflitos abertos. Portanto, olhar para si e as próprias atitudes antes de fazer nossas demandas ao mundo. De toda forma, esse é um aspecto bastante positivo e necessário que nos ajuda a enfrentar essa semana de cabeça erguida! A despeito das sombras pesadas e escuras, alçamos nosso voo!

Catrin Welz-Stein

Catrin Welz-Stein – Reprodução

Mercúrio vai retrocedendo pelo caminho que já havia percorrido e nós vamos os deparando com situações que tinham ficado inacabadas ou pendentes  desde a última retrogradação… É assim mesmo! Nem sempre podemos nos dar ao luxo de escolher quando fazer as coisas e às vezes temos que trocar o pneu com o carro em movimento… Nestes casos, é possível que comecemos coisas ou negociações que ficam enroladas, e vão se arrastando, de modo que elas só se concluem no ciclo seguinte. Por isso que normalmente se recomenda que não se faça negócios importantes ou se inicie coisas vitais, porque as situações tendem a se arrastar e leva-se muito tempo para chegar aos objetivos. Por esses dias Mercúrio se depara com Quíron e Urano novamente: opõe-se a um e faz quincunce ao outro. Quíron vem dizer, pela segunda vez, a Mercúrio, que há coisas que a mente Virginiana não consegue consertar, mesmo com seus métodos mais sofisticados de controle e treinamento mental. Tem horas que o caos assume o comando das coisas e a ordem é subvertida e colocada ao contrário e não há nada que a mente racional possa fazer a respeito, a não ser assistir, de camarote, se tiver sorte! Portanto, em nossos conceitos acurados e pomposos de civilização, precisamos lembrar que por mais que tentemos deixar tudo vistoso e ordeiro, nem sempre conseguimos e isso, não é para nos derrubar, é apenas um meio de nos lembrar de nossa humanidade, de nos perceber humildes. Urano vem adicionar imprevisibilidade nessa receita e dizer que os controles Virginianos às vezes também falham e o trem sai dos trilhos na hora mais improvável. E quanto mais tentarmos controlar, pior estrago faremos! Então, é deixar o trem descarrilar e ver onde ele vai parar e só então, tentar se recompor, se possível, divertindo-se com a coisa toda. Será possível? Diga você!

Adi Dekel on 500px - Reprodução

Adi Dekel on 500px – Reprodução

Vênus se fortalece no contato a Saturno esta semana. Torna-se resiliente de modo que olhamos para as relações com menos expectativas. Mas logo em seguida, ela escorrega de novo e dá ouvidos aos cantos de sereias de Netuno, que pode pôr toda a sobriedade e segurança recém conquistadas por água abaixo. E então já não sabemos a quem dar ouvidos ao anjo ou a demônio das nossas tentações impossíveis! Mas isso é pouco, porque logo adiante ela entra em confronto com Plutão em Capricórnio e é aí que a porca torce o rabo nos relacionamentos! As sutilezas escrupulosas e as delicadezas esmeradas de Libra são desafiadas intensa e cruamente: para quê mentir, fingir que perdoou? Tentar ficar amigos sem rancor? A emoção acabou, que coincidência é o amor, a nossa música nunca mais tocou… Para quê usar de tanta educação, para destilar terceiras intenções…? É, não tá fácil não, mais uma vez é hora de confrontos nas relações. Confronto primeiro conosco mesmos e aquilo que sentimos. Para quê engolir insatisfações e fingir que está tudo bem quando sabemos que não está? Realmente, por mais que queiramos estabilidade e manter as coisas como estão, podemos invocar a ira dos deuses se ignorarmos as sujeirinhas debaixo do tapete em nome dessa estabilidade. Se nos recusamos a virar a mesa porque estamos preocupados com a porcelana chinesa, o outro o fará e trará tudo abaixo. Do contrário, se reconhecermos o que precisa ser visto e mudado, podemos, na verdade, intensificar a cumplicidade e o vínculo da relação. Com honestidade é muito mais fácil… e como diz o ditado, o combinado nunca é caro, certo, Libra?

Cronelis Bos - Leda e o Cisne - Reprodução

Cronelis Bos – Leda e o Cisne – Reprodução

Mas Libra ganha uma ênfase especial e as relações também. Sim, estamos falando da grande boa notícia: a ingressão de Júpiter em Libra! Yesssss! Por que, porque Virgem é tudo de ruim? Claro que não! É só que Virgem não é o lugar mais confortável do mundo para Júpiter, aliás, aqui ele está em detrimento, porque é um signo totalmente alheio `sua natureza. Como se não bastasse, quando trafegou Virgem Júpiter teve embates poderosos com Saturno em Sagitário e Netuno em Peixes, tornando aquela configuração de que falamos lá em cima um verdadeiro lamaçal, sem proporções. Agora em Libra ele está em terreno neutro. Para começar, Libra é regido por Vênus, outro planeta considerado benéfico. Libra é um signo afinado com a ética e a justiça, com o senso de equilíbrio e cooperação e Júpiter, esse bon vivant, também regente da justiça e da lei, fica bastante confortável como hóspede de Vênus. A expansão se dá através das relações, sejam elas afetivas ou sociais e profissionais/de negócios. As relações também são afetadas pela visão filosófica e por uma busca espiritual. Júpiter promete muitas benesses a Libra e, em algumas situações específicas, também aos demais signos cardinais: Áries, Câncer e Capricórnio. Júpiter em Libra a estória de Leda e o Cisne. Leda era uma rainha, casada, mas Zeus se enamorou dela e para seduzi-la, tornou-se num cisne. Ela pôs dois ovos, de um deles nasceram Klitemnestra e Castor, filhos do Rei, marido de Leda. Do outro ovo nasceram Polux e Helena, aquela que causou a guerra de Troia, um dos mitos associados a Libra… Voltamos a este mito em outro post, mas ele traz presente o tema dos triângulos amorosos que tanto complicam a vida de Libra.  Contudo, nem tudo são flores por aqui. Enquanto trafegar Libra Júpiter enfrentará o poder da morte e do renascimento em Plutão e a liberação das amarras sociais representadas pela oposição a Urano… Todos estes, movimentos relativos aos ciclos Júpiter-Urano e Júpiter-Plutão. Vamos assistir de perto e acompanhar com entusiasmo empolgação a esses desdobramentos. Certamente, há dinamismo e mudança no ar e isso também ajuda a melhorar o clima já a partir das próximas semanas. Júpiter ingressa em Libra na sexta-feira, às 09h19min, onde fica até as 10h20 do dia 10 de outubro de 2017.

crescent brooke shaden

Brooke Shaden Photography – Reprodução

A Lua abriu a semana na fase Nova e ficou crescente em Libra ao fazer semi-quadratura ao Sol. Ela se fortalece em Escorpião e formaliza o Primeiro Quarto em Sagitário. Fecha a semana já em Capricórnio. Na sua jornada faz contatos leves ou abrasivos, que vão enriquecendo sua história e vivência… A NOSSA vivência aqui na Terra!

Reprodução

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 5 de setembro – A Lua entrou o dia vazia em Libra – ficou vazia depois da oposição a Urano, ainda ontem à noite. Ainda em Libra ela faz semi-quadratura ao Sol e entra na fase Crescente ou Semi-crescente. Ingressou em Escorpião às 10h39min, onde não faz maiores contatos, até fechar a noite em orbe de trígono a Netuno. O sol está hoje em conjunção ao Nodo Norte e já muito próximo do trígono a Plutão em Capricórnio. Mercúrio retrógrado logo fará a segunda oposição a Quíron. Saturno faz quadratura a Netuno, aspecto exato no sábado. O dia começa meio arrastado e temos dificuldade de concatenar as ideias, talvez precisando de uma dose extra de cafeína para acordar o corpo e a mente – a alma gostaria de continuar hibernando! Pelo fim da manhã as coisas começam gradualmente a entrar nos eixos e conseguimos aviar a agenda, compromissos e obrigações. O dia está propício lidarmos com problemas e situações inconvenientes, mas que precisam ser encarados com sensibilidade, mas sem romantismos, um clima favorável para olhar o demônio no olho, esteja ele em nós, no outro (que é reflexo de nós também) ou nos problemas à nossa volta. Temos estamina emocional para lidar com essas vicissitudes sem fraquejar ou sem ficar bodejando nossas misérias ao vento. Ganhamos mais se resolvemos as coisas com discrição, até porque assim, poupamos muita energia que seria desperdiçada em explicações, justificativas e falas desnecessárias. A sensação é de que não há nada, por pior que seja, que já não tenhamos visto. E isto, por mais duro que pareça, nos equipa com a capacidade de encarar as coisas como elas são e ainda conseguir ter um mínimo de empatia, por nós mesmos e pelo outro. 

Thegirlwiththelittlecurl - Reprodução

Thegirlwiththelittlecurl – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 6 de setembro – A Lua cresce em Escorpião e faz sesqui-quadratura a Quíron, enquanto se depara com Lilith, com quem fica amalgamada, logo depois de fazer trígono a Netuno em Peixes. Mais tarde a Lua faz sextil a Plutão em Capricórnio e ao Sol Virginiano, que está em trígono a Plutão, exato amanhã. Para sermos luz precisamos primeiro confrontar nossa sombra e abraça-la, e aceita-la, e amá-la. Só assim ela deixará de nos assombrar e poderá ser transformada. Isso é algo que Escorpião sabe e entende bem, embora nem sempre tire proveito desta verdade. O dia pede que olhemos nossas fragilidades com compaixão e serenidade e que busquemos transformá-las, aceitando-as e amand0-as, ao invés de odiá-las ou sentirmos vergonha delas. Esse olhar profundo e perscrutador que dirigimos ao outro e ao mundo, precisa primeiro ser dirigido a nós mesmos, para purgarmos e depurarmos as impurezas que identificamos em nós, antes de percebermos aquela do outro. Essa purgação precisa ser temperada de compaixão e misericórdia, porque o objetivo não é cair prostrado diante da imagem negativa e tenebrosa de nós mesmos; antes, é o olhar do aprendiz, que cai e se levanta e começa de novo. Além de nos purificar, essa purgação pode nos redimir, de modo quen podemos recomeçar e renascer, como a Lua surgindo fina e nova no céu. Uma nova vida é possível todos os dias, depende do que fazemos com o tempo que nos é dado, com as escolhas que nos são colocadas. Podemos fazer tudo igual, do jeito amargo, resmungão, indiferente de sempre. E podemos fazer com o coração, com firmeza e verdade, sem ingenuidade, mas também sem amargor, sabendo que a vida está sempre a um passo de nos surpreender, a despeito de todas as desilusões e problemas… Estamos aprendendo! Sempre. Façamos a nossa parte, qualquer que seja ela com amor e alma, com verdade e com o nosso melhor. A vida é. A vida está. Estamos.

Catrin Welz-Stein - Reprodução

Catrin Welz-Stein – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 7 de setembro – Atenção, porque estes trânsitos estão na Revolução Solar do Brasil! O Sol torna exato o trígono a Plutão em Capricórnio enquanto Vênus em Libra faz sextil a Saturno em Sagitário e quincunce a Netuno em Peixes. Ao mesmo tempo, de Escorpião a Lua faz trígono a Quíron, sextil a Mercúrio e a Júpiter em Virgem, ficando vazia após a conversa com Júpiter, às 22h44min. Ingressa em Sagitário às 23h20min. Um dia que parece ser uma trégua antes da tormenta. Há trânsitos muito favoráveis para compensar o peso do mundo sobre a nossa cabeça… É como se percebêssemos a terra devastada diante de nós e, em lugar de nos desesperar, nos resignamos e arregaçamos as mangas para reconstruir tudo a partir dos destroços. Mas Mercúrio, o regente do Sol, está retrógrado em Virgem, em oposição a Quíron e isso nos diz que nem tudo é tão direto e reto como gostaríamos. Ainda há muitas nuances e desdobramentos à frente, muita água para rolar debaixo da ponte, de modo que nem tudo é como parece agora. O dia traz uma intensidade que propicia esse olhar fundo para as coisas, a ponto de penetrarmos para além das aparências e mesmo quando a água está turva por demais, sabemos que ali é necessário ter cautela porque ela pode ser traiçoeira e esconder segredos fatais. Assim, munimo-nos de uma resiliência arguta, uma força serena de quem já viu muito e sabe que o jogo não acabou, talvez esteja só começando e enquanto estamos de pé, estamos no páreo! E vamos para o embate, confrontar a Sombra em nós, assim ela não nos amedrontará lá fora!

anigif-pressaoQUINTA-FEIRA, 8 de setembro – A Lua Sagitariana se junta a Saturno na briga contra Netuno em Peixes. Ela busca a ajuda de Vênus em Libra, que vai se aproximando da quadratura a Plutão, que por sua vez, vê o Sol se afastar do trígono. O dia está permeado de influências conflitantes, as emoções oscilam e ficamos predispostos rabugices e a nos sentirmos isolados. O clima também está corrido e impregnado de um tom de urgência, como se estivéssemos correndo contra o tempo para finalizar tarefas, pendências, trabalhando com prazos que nem são claros para nós. Assim, ocupamo-nos com várias atividades, talvez como reação a essa cobrança interna e à insegurança enorme que sentimos e que tentamos ignorar veementemente. Fazemos listas de tarefas e do que fazer e cobramos, duramente, não só a nós mesmos mas a outros também, o que pode nos indispor com muita gente. Sem perceber, patrolamos a vontade alheia e empurramos nossa opinião ou ordens goela abaixo de quem quer que seja – ou talvez sintamos que fazem isso conosco. Tato é algo completamente em falta no dia de hoje, quem tiver para vender ficará rico! Se estamos por demais inconscientes de nossas próprias inquietações e vulnerabilidades, podemos nos achar criticando a outros e cobrando padrões de excelência que são baseados em nossos receios e falta de autoconfiança, mas que não foram explicados àqueles que criticamos ou cobramos e isso pode azedar as interações, simplesmente porque as pessoas falham em perceber de onde estamos vindo com nossas exigências e porque nós não fazemos questão de nos explicar. Se você é chefe e pode ditar ordens sem maiores explicações, ótimo, mas isso ainda vai afetar o clima organizacional, que tender a ficar pesadão; se você é chefe de coisa nenhuma, prepare-se para oposição ou retaliações, porque ninguém está disposto a lidar com o resultado de suas inseguranças se você mesmo não lida com elas. Toda essa valentia e bravata é na verdade um mascaramento da grande vulnerabilidade e do reconhecimento inevitável de nossas limitações e daquelas coisas que estão além do nosso querer ou potência. Perceber isso e aceitar com humildade que não se sabe tudo – apensar de fingir que sabemos – já um grande começo para alcançar aquela paz de espírito e a esperança que tanto buscamos e que nos dará alento para enfrentar essas mesmas dificuldades, quando elas forem aceitas. E antes de vociferarmos ou nos sentirmos vitimizados pelo mundo, vale fazer um check-up das nossas próprias mazelas! Também vale checar comportamentos hipócritas – faça o que eu digo mas não faça o que eu faço desacredita qualquer um! Num tom mais positivo, podemos nos afinar com a grande determinação e nos incendiar de novo entusiasmo na busca de nossos propósitos, com sobriedade e maturidade, temperadas com uma boa dose de sensibilidade e charme. Temos escolha, juro que temos! É questão de respirar antes de reagir cegamente e ver qual a forma mais madura de agir!

Christian Schloe Digital Art - Reprodução

Christian Schloe Digital Art – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 9 de setembro – Júpiter ingressa em Libra às 09h19min. A Lua oficializa o Primeiro Quarto, o quarto Crescente ao fazer quadratura ao Sol. A Lua também faz conjunção a Marte e mais tarde, quadratura a Quíron e a Mercúrio e trígono a Urano, aspecto depois do qual fica vazia, às 21h52min.  Mercúrio faz quincunce a Urano. A Lua oficializa o Quarto Crescente e sinaliza um momento em que precisamos fazer ajustes nos nossos projetos: limpar a plantação das ervas daninhas e talvez fazer alguma poda aqui e ali… É momento de fazer escolhas e concentrar a energia, sobretudo livrar-nos da nossa descrença e aridez, mas também das fantasias e quimeras vazias. Nem tanto à terra nem tanto ao mar! Como mediamos o realismo com a fé? Como diferenciamos otimismo de ilusões ocas? Em nível mais pessoal, há muitos conflitos em andamento: os sentimentos e necessidades parecem estar em desacordo com nossa natureza básica e com os projetos que são caros à consciência; o coração discorda da razão; o corpo discorda do espírito, de modo que ficamos meio perdidos e perturbados diante das escolhas a ser feitas e aqui precisamos ficar atentos para não agir levados pelo impulso imaturo e desmesurado, sem pensar antes, sem medir consequências, tendo que voltar e juntar os cacos depois… A quem escutamos, a quem atendemos? Não se trata, eu digo sempre, de escolher entre isso ou aquilo, mas antes, de somar isto E aquilo, achar a integração entre as diversas facetas conflitantes. Esses conflitos todos podem bem se manifestar como diversos compromissos e demandas que precisamos atender, ou diversas situações que gostaríamos de viver/estar mas não podemos por causa das leis da física, de modo que temos que fazer as escolhas ingratas. Essas escolhas também têm a ver com perceber e aceitar esses limites terrenos, a despeito de isso ser pesaroso para nossa alma. Júpiter ingressa em Libra, onde ficará por cerca de 13 meses, inaugurando um tempo de crescer através da atitude equilibrada e objetiva, da justiça, da ética e da busca pela conciliação. Buscamos maior cooperação nas nossas relações de modo geral e percebemos que sem ela, pouco podemos fazer. De que adianta crescer sozinho, prosperar sozinho, se a comunidade em que vivo está à míngua? Novas oportunidades surgem através das relações, particularmente para pessoas que têm planetas em Libra. Sendo um signo Cardinal, Júpiter traz movimento e dinamismo e sentimos que precisamos nos mover e fazer algo para voltar a nos desenvolver!

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 10 de setembro – E… Saturno faz a última quadratura a Netuno hoje! A Lua abre o dia vazia em Sagitário e ingressa em Capricórnio às 10h55min. Vênus segue em quadratura a Plutão e Mercúrio faz oposição plena a Quíron. Hoje sentimos duramente a dor de ver muitos dos nossos sonhos esmagados, muitas de nossas ilusões e sonhos perdidos e nos perguntamos se ainda há pelo que lutar, se vale a pena continuar… Precisamos nos lembrar que a vida é cíclica e tudo é processo, tudo está sendo e mesmo a dor e a desilusão tem seu lugar na ordem das coisas. Não podemos voltar atrás e mudar o que houve, não podemos alterar o passado, já foi, já aconteceu afinal, “a pessoa é caminho sem retrocesso”. Mas podemos nos conscientizar dos erros e equívocos que cometemos e que nos trouxeram a esse ponto de lamento em que nos encontramos, de modo a aprender para não repetir tais equívocos. Também é nossa tarefa tornar conscientes as fantasias e quimeras, dar-lhe um lugar no coração, porque elas ainda podem ser adubo para fomentar sonhos possíveis e passíveis de se realizarem. De qualquer forma, ainda precisamos nos comprometer, a despeito de nossas inseguranças, com a realização de tais sonhos, mesmo que eles demorem a se tornar palpáveis. É preciso acreditar em si mesmo, naquilo que se está fazendo e primar pelo melhor, pela integridade, porque isso nos levará a algum lugar e nos acalentará nos momentos mais difíceis, como este que atravessamos. A Lua propicia que esses enfrentamentos sejam feitos sem grandes dramas, com contenção, sobriedade, pesando prós e contras de todas as vivências e colocando-as no balanço das experiências que adicionam sabedoria. Vimos e vivemos e isso nos faz mais fortes, com sorte, também serenos e humildes, ao invés de amargos e azedos.

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 11 de setembro – Vênus em Libra está em quadratura exata a Plutão em Capricórnio, configuração que tem a adição da Lua, que faz conjunção a Plutão. A Lua também dialoga harmoniosamente com Netuno e com o Sol Virginiano. É domingo, mas nos sentimos orientados para atividades sóbrias e conscienciosas, ou mais tradicionais e reservadas. Talvez prefiramos ficar em casa em lugar de nos aventurar em alguma atividade duvidosa por aí afora… Isso porque temos necessidade de segurança, de coisas sólidas e previsíveis, mais do que diversões “bobas” que não passam de perda de tempo. O problema é que talvez não estejamos completamente conscientes da necessidade por paixão, drama e conflito que irrompe dentro de nós. Há um anseio bastante visceral por aproveitar a vida ao máximo, o que contrasta com a necessidade por segurança; mais do que isso, temos dificuldade em expressar o que sentimos, que por sua vez, discorda de outros desejos passionais e igualmente intensos, o que nos deixa tensos e inquietos, cindidos pelo conflito interior, que pode se refletir nas relações e interações. A arena mais provável desse drama se desenrolar são as relações afetivas, que ficam sujeitas a turbulências e momentos críticos. Porque queremos tudo ao mesmo tempo agora e temos dificuldade de conter esses desejos, podemos nos frustrar se o outro não corresponde ao que queremos ou necessitamos – até porque queremos que tudo seja à nossa maneira e outro quer à maneira dele – e isso pode descambar em comportamentos manipulativos ou jogos de poder em que um tentar provar que manda mais na relação, ou que vence o outro a qualquer custo. A coisa toda pode ser exaustiva e se tornar uma situação de perde-perde, esvaziando o vínculo do respeito e do carinho, ficando os jogos de poder. Mas não precisa ser assim. Se estamos conscientes dessas forças potentes e das contradições em nós, podemos encará-las e lidar com elas com honestidade, da mesma forma que lidamos com o outro, com verdade e justeza. E então, essa tensão toda, essa paixão toda pode se manifestar de maneira positiva, estreitando o vínculo, aproximando pessoas, aprofundando a intimidade, ao invés de esvaziá-la. O vulcão pode entrar em erupção, mas ao invés de expelir conflitos e discórdias, pode derramar a lava da paixão, do desejo e da cumplicidade. A energia está aí, à nossa disposição, explodindo dentro de nós… O que fazemos com ela, é de nossa inteira responsabilidade!

Uma semana serena e tranquila a todos!

Reprodução

Reprodução

Lua Nova e Eclipse Anular do Sol: É o que é e não o que você gostaria que fosse

Eclipse Solar em Virgem: o sol, a Lua Nova e o Nodo Norte em Virgem - Birth Chart Painting - Reprodução

Eclipse Solar em Virgem: o sol, a Lua Nova e o Nodo Norte em Virgem – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua é nova nesta quinta-feira, dia 1° de setembro às 06h03min no horário de Brasília e às 11h03min no horário de Lisboa. Esta lunação é também um Eclipse Anular ou Anelar do Sol, um eclipse que é total, mas devido ao fato de a Lua estar no seu apogeu, ou seja, no ponto mais distante da Terra, não cobre totalmente o círculo do Sol, ficando uma espécie de anel de fogo, magnífico, fascinante e ao mesmo tempo, assustador, ao redor da Lua daí o nome anelar ou anular.

Este é um eclipse bastante tenso, porque ocorre no mesmo dia em que o Sol faz quadratura exata, ou seja, ocorre em quadratura a Saturno em Sagitário e também em oposição a Netuno em Peixes, acionando mais uma vez essa configuração que tem estado ativa nos céus desde 2014. Saturno faz uma quadratura minguante a Netuno, uma quadratura que vai fechando o ciclo iniciado entre os anos de 1989 e 1990. Essa configuração simboliza um momento de grande depressão coletiva, de desalento e desânimo coletivos em relação à economia, à política às questões religiosas e espirituais; há uma sensação de grande desapontamento e desilusão no que tange a esses assuntos e esse aspecto está relacionado à depressão econômica. Também é associado a mortes nos cenários artísticos, musicais e de entretenimento em geral. Para entender melhor os significados dessa configuração, leia este texto.

Lua Nova e Eclipse Solar em Virgem - 1° de setembro de 2016, Brasília, 06h03min

Lua Nova e Eclipse Solar em Virgem – 1° de setembro de 2016, Brasília, 06h03min

Então, Lua e Sol fazem oposição a Netuno, um aspecto também bastante próximo, de pouco mais de um grau e fazem quadratura a Saturno, aspecto de menos de um grau. Como se não bastasse, Marte está envolvido na equação, tendo iniciado um novo ciclo Marte-Saturno na semana passada e ambos, Marte e Saturno são o ponto focal da configuração de Cruz T ou T-Square que nasce da oposição Lua-Sol-Netuno. Esse eclipse vem acionar grandemente os temas da configuração, como eu já disse várias vezes, uma semana antes de a última quadratura exata entre Saturno e Netuno ocorrer. A partir de outubro essa configuração vai se desfazendo e as coisas começam a ficar um pouco mais leves. No mapa do eclipse levantado para Brasília, essa grande configuração cai exatamente nos ângulos: Sol e Lua no Ascendente, Netuno no Descendente e casa 7 e Marte-Saturno caindo no IC, Saturno vindo da casa 3 e Marte já na casa 4. Há um tom básico muito claro a respeito dessa configuração: Caia na real! Os véus caem e agora finalmente podemos ver o que de fato está em jogo, agora enfrentamos nossas ilusões e fantasias tolas e vãs e não há para onde correr, ou enfrentamos e crescemos ou crescemos e enfrentamos. Há uma sensação de dor e lamentação diante de uma realidade que é muito fria e muito dura, mais do que podemos suportar, mas não tem jeito.

Por outro lado, Sol e Lua estão conjuntos ao Nodo Norte, que representa o futuro e a direção que devemos tomar. O Nodo Norte em Virgem nos diz que devemos empreender um esforço consciente para discriminar as informações, para trazer um senso de ordem ao nosso cotidiano, para darmos adeus às ilusões infantis de esperar que um salvador ou uma mãe boazinha venham tomar conta de nós e resolver nossos problemas. Sol e Lua junto ao NN nos apontam a necessidade de desenvolvermos autossuficiência, realismo, discriminação e seleção criteriosa dos fatos. Netuno está conjunto ao Nodo Sul, sugerindo esse desejo, esse anseio de salvação e de continuar vivendo no engodo, porque é mais fácil: prefiro continuar vivendo essa mentira dourada a ter que lidar com essa realidade cinzenta… prefiro não saber, prefiro continuar na névoa… Mas, sinto muito, não vai dar! Não vai dar, não! The game is over! Se insistimos em não ver, seremos patrolados pela vida, por essa realidade que está aí e a cada round a coisa se tornará mais e mais difícil, portanto, a hora de crescer é essa! Nos últimos dois anos viemos lidando com isso: com uma aterrissagem forçada na terra das duras realidades; caindo do mais alto dos céus, no mais duro dos chãos, expulsos do paraíso, sem chances de retorno, sem apelação.

Pawel Kuczynski - Reprodução

Pawel Kuczynski – Reprodução

Mercúrio, regente da Lua Nova e do eclipse, está no fim de Virgem, retrógrado, começando sua descida trimestral ao Mundo Inferior; começando sua recapitulação do processamento de informações dos últimos três meses. Mercúrio retrógrado em Virgem sugere um período em que precisamos rever nossos métodos e nossa técnica, a forma como trabalhamos e como nos comunicamos na esfera do trabalho; a maneira como organizamos nosso cotidiano e como cuidamos do corpo e da saúde; como selecionamos o que é útil e o que não é na nossa vida… Tudo isso passa por uma grande revisão e reavaliação e essa retrogradação dá ênfase ao eclipse – ou seria o eclipse que dá ênfase à retrogradação? É um caso de retroalimentação, na verdade. Porque eclipses sinalizam conclusões e encerramentos na área de vida em que ocorrem, um momento em que podemos tomar atitudes e nos liberar de atavismos e comportamentos ocos e sem sentido e se Mercúrio já está fazendo uma revisão geral sobre tudo isso, então, aproveitamos a chance! É unir a fome com a vontade de comer! Felizmente para nós Mercúrio está enquadrado neste mapa por Júpiter e Vênus, os dois queridinhos chamados de Grande Benéfico (Júpiter) e Pequena Benéfica (Vênus). Essa configuração de enquadramento em que se encontra Mercúrio talvez queira nos dizer que no fim, isso é para um Bem Maior, por mais doloroso e amargo que o remédio seja agora – Mercúrio também faz oposição a Quíron em Peixes – o resultado final é positivo, ou seja, lá na frente talvez percebamos o porquê de tudo isso, e talvez as coisas façam sentido, mesmo que isso não ocorra agora.

Visibilidade do eclipse - não será visível no Brasil, a não ser, parcialmente, em João Pessoa, segundo algumas fontes.

Visibilidade do eclipse – não será visível no Brasil, a não ser, parcialmente, em João Pessoa, segundo algumas fontes. Esta imagem é captada do site da Nasa.

Como já sabemos, eclipses não acontecem de maneira fortuita, saídos do nada. Eles pertencem a famílias, as chamadas Séries Saros e analisar a família à qual o eclipse pertence adiciona mais pistas sobre seus temas e possíveis manifestações. Este eclipse pertence à Série Saros 135 na nomenclatura da Nasa (Série Saros 19 Norte, na nomenclatura da Dra. Bernadette Brady, astróloga estudiosa de eclipses da Inglaterra). O primeiro eclipse desta série ocorreu em 5 de julho de 1331, no Polo Norte. E olha só – é por isso que eu adoro astrologia! – como as coisas se repetem: neste mapa do primeiro eclipse, Netuno está também conjunto ao Nodo Sul, só que desta vez, em Capricórnio! Há também uma T-Square Mutável que tem por base Vênus e Júpiter em oposição, desembocando em Saturno em Virgem (o eclipse desta quinta faz conjunção a este Saturno!). Saturno e Netuno estão em trígono bastante próximo e poucas semanas antes houve também uma conjunção Marte-Saturno, uma vez que Marte está em conjunção ampla, de 9 graus, e separativa a Saturno. Se consideramos Quíron em Peixes, temos formada, na verdade, uma Grande Cruz Mutável, pois Quíron está em oposição a Saturno – lembra que no mapa do eclipse atual Quíron também está proeminente recebendo a oposição de Mercúrio? – quer dizer, os temas são muito parecidos! Embora haja alguma diferença nos cenários e nos figurinos, os atores são os mesmos! A Dra. Bernadette Brady, em seu livro The Eagle and the Lark, diz que esta série de eclipses fala de “realismo, uma volta à realidade. O indivíduo se torna consciente de uma situação antiga e a percebe como ela é, ao invés de como ele/ela achava que era. Esse pode ser um momento construtivo de enfrentar a verdade”. Então, o tema principal desta família de eclipses é o enfrentamento da realidade; o fim de ilusões seguido de novos começos baseados na verdade. Situações antigas têm grande potencial de serem esclarecidas e finalizadas. E o resultado é a liberação e a leveza.

Série Saros 135 - 5 de julho de 1331, 19h45min, horário de Brasília

Série Saros 135 – 5 de julho de 1331, 19h45min, horário de Brasília

Pessoas que têm planetas ou ângulos entre os graus 4 e 14 dos signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes) sentem mais fortemente as energias deste eclipse. Vale a pena desacelerar, fazer exercícios de ancoragem e aterramento, porque em períodos de eclipses tendemos a ficar mais irritadiços, tensos e há propensão às coisas saírem do nosso controle, porque é uma energia que não se controla. No final texto geral sobre eclipses há uma parte sobre os efeitos dos eclipses nas casas do mapa natal – dê uma olhada. Além disso, você pode também verificar o que estava acontecendo na sua vida em 1° de setembro de 1997, que foi a última vez que ocorreu um eclipse no grau 9° de Virgem. Outra data que vale a pena checar é 22 de agosto de 1998, a última vez que ocorreu um eclipse da Série Saros 135, que traz esses mesmos temas de agora. Não necessariamente você precisa lembrar do que ocorreu no dia exato, mas sim no período, semanas antes e depois. Os temas certamente estão interligados.

Martin Stranka - Reprodução

Martin Stranka – Reprodução

A temporada de eclipses é aberta com este Eclipse Solar na quinta-feira e é encerrada com o Eclipse Penumbral da Lua no dia 16 de setembro, a 24° de Peixes. Durante este período de duas semanas, precisamos ser mais cautelosos porque estamos mais suscetíveis. É um tempo estranho, em que parece que transitamos entre mundos, o tempo adquire uma qualidade diferente e o ar fica mais denso. O eclipse solar nos predispõe a agir de forma mais inconsciente e instintiva, visto que é o Sol que é eclipsado e o Sol representa a consciência, enquanto a Lua é a reatividade e a instintividade. Portanto, se pudermos nos poupar de estresses e pressões desnecessários, fazemos muito bem. Precisamos fazer o que nos é requerido: encerrar o que precisa ser encerrado, enfrentar o que deve ser enfrentado. Lidar com as coisas como elas são, sem tentar encobri-las ou dourar a pílula, porque por mais tensos que estes eclipses sejam, eles trazem um momento de crescimento e maturidade no nosso processo evolutivo. “Aceita, que dói menos”, diz aquela frase e é assim que precisamos encarar este momento porque há coisas que são maiores do que nós e resistir e lutar contra elas só irá nos desgastar e convenhamos, é insanidade. Precisamos também ser humildes e lembrar que somos apenas uma gotinha no oceano que logo irá se evaporar e nem rastros deixaremos para trás… Então, percebamos tudo como um grande processo de evolução e aprendizado para nós como seres humanos, mas principalmente, percebamos que o universos é muito maior do que nós e não podemos ter a pretensão de entender o que acontece na faixa de tempo  de uma mera vida humana, quando a vida em si mesma é infinita e trata de ciclos milenares. Encarar nossa pequenez e insignificância nessa escala de coisas também é parte desse enfrentamento. E, por incrível que pareça, torna tudo mais leve. Como deve ser. Basta de adicionarmos peso extra desnecessário. Cuidemos do que os cabe, do que é da nossa alçada. Se nos responsabilizamos por nós e nossas escolhas, por sermos mais íntegros, já estamos a meio caminho andado. O resto, vamos aprendendo no que sobra do caminho! Busquemos a leveza, simplifiquemos a vida. Aceitemos essa realidade, porque só assim seremos capazes de mudá-la!

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal – Clique na imagem para ampliá-la

Feliz Novo Ciclo para você! Que seja leve e que traga as liberações e amadurecimentos necessários!

Jialu-d374z6i - Reprodução

Jialu-d374z6i – Reprodução

A Semana Astrológica Enxergando a Realidade Como Ela é

balsamic buzzSemana de 29 de agosto a 04 de setembro: tempo de eliminar o velho para dar abertura ao novo; tempo de encarar a dura realidade e crescer com ela

Nesta semana o Sol percorre o caminho já trilhado por Mercúrio e Vênus e se defronta com o imbróglio Saturno-Netuno (o Sol faz quadratura a Saturno e oposição a Netuno), além de conflituar também, mais à frente, com Marte em Sagitário. É curioso que o Sol venha fazer aspectos a estes dois planetas exatamente uma semana antes da última quadratura exata entre eles, que se dará no dia 10 de setembro. É como se o Sol estivesse a iluminar poderosamente tudo o que esta configuração simboliza para nós, última chance de apreender seus sentidos e significados e fazer as devidas modificações ou soltar o que precisa ser soltado, especialmente porque o Sol faz quadratura exata a Saturno no mesmo dia em que é eclipsado pela Lua Lua Nova e Eclipse Anular Solar – Entenda melhor os significados gerais dos eclipses. O Astro Rei também se indispõe com Urano por sesqui-quadratura, sugerindo irritações e lapsos de incoerência que vêm e vão, mas que nos tiram o sossego, como algo que fica ali, na sombra do coração, a querer nos alertar, embora não consigamos lembrar em cheio do que se trata. Esse aspecto nos deixa predispostos a agir por impulso, a replicar de forma crítica e inconsciente, à ordem rígida em que estamos inseridos. O Sol também faz conjunção ao Nodo Norte que atualmente trafega Virgem, apontando o tempo dos eclipses. Mas o Sol também faz mais, ele traz a oportunidade de nos conscientizarmos uma vez mais sobre nosso destino e nossos propósitos maiores. Isso é particularmente válido para aquelas pessoas que têm o Nodo Norte em Virgem (e o Sul em Peixes), que estão vivenciando um Retorno Nodal, tendo a chance de se realinharem com seus propósitos e a direção de vida escolhida por sua alma para esta encarnação.

River Bank of Truth

River Bank of Truth

Mercúrio entra em retrogradação em Virgem no dia 30 de agosto. Nesta semana ele retorna e se abraça afetuosamente a Vênus e a Júpiter logo após estacionar e engatar a marcha a ré. Na verdade, ocorre um movimento interessante: Mercúrio fez conjunção a Vênus no dia 16 de julho, a 05° de Leão. Passou por ela bem afobado, na carreira… Agora no dia 29 ele estaciona e Vênus o ultrapassa – quase que lembra a estória da lebre e da tartaruga – Mercúrio ficando estacionário a apenas 20 minutos de distância de Vênus e a cerca de um grau e meio de Júpiter, um fato que eu acredito, seja bastante auspicioso para este ciclo de retrogradação, que se concluirá em trígono exato a Plutão, no dia 22 de setembro. Então, em termos gerais, está aberta a temporada trimestral de revisão de pensamentos, processos mentais, comunicação, conceitos, ideias e pontos de vista e opiniões. Especificamente em Virgem, a retrogradação convida a revisar nossa técnica e a maneira como exercemos o sagrado ofício do nosso trabalho. Leia mais sobre Mercúrio retrógrado em Virgem.

venusVênus, depois de ficar em queda por algumas semanas, ingressa em Libra, signo de sua dignidade. Em Libra Vênus traz presente o mito do seu nascimento, a partir do sêmen de Urano no mar. Urano é da primeira geração dos deuses gregos. Deitou-se com Gaia e nasceram os Titãs. Mas Urano, o Deus Celeste hiper idealista, rejeitou seus filhos, que ofendiam seu olhar reformador por serem excessivamente ctônicos e terrosos, imperfeitos como Gaia, a Mãe Terra. Então ele os prendeu no tártaro. Saturno, um dos seus filhos conspirou com sua mãe e uma noite, quando Urano veio se deitar com Gaia, Saturno o castrou com uma foice. Atirou os genitais ao mar e do sêmen nasceu Afrodite, a deusa do amor e da beleza. Do sangue que caiu na Terra nasceram as Fúrias. A Vênus Libriana é a própria Afrodite nascendo do sêmen Uraniano, da castração de um Deus Celeste que primava por ideais de Perfeição. Assim também é Vênus em Libra: sempre em busca do relacionamento perfeito, da parceria de perfeito equilíbrio. Nessa equação não necessariamente há amor. Há, sim, equidade, parceria, afinidades. Vênus em Libra tem senso estético apurado, sendo extremamente graciosa, refinada, classuda e muito sintonizada com as regras sociais e com aquilo que é aceitável. É apaixonada pela ideia da parceria, de ser um casal, talvez mais do que pela própria pessoa à sua frente, assim, nem sempre ela se relaciona com a pessoal real, mas sim com uma imagem que tem dessa pessoa, especialmente quando Netuno está presente. Seu senso de justiça também é muito acentuado e ela vai esperar que haja reciprocidade em absolutamente tudo, a ponto de às vezes se ter a impressão de que há uma conta corrente do dar-e-receber na relação. De fato, as relações laterias implicam equilíbrio no dar e receber, mas Vênus leva isso bem ao pé da letra e vai ficar esperando o retorno quando faz algo bom. Valoriza muito a paz, a harmonia e por causa disso tende a evitar confrontos, a ponto de parecer que carece de personalidade ou de caráter em algumas situações. É que Libra realmente tem essa capacidade de ver todos os ângulos de uma questão, mas essa tendência de evitar conflitos pode ter como resultado exatamente o oposto: ela acaba por se indispor com todos aqueles que tentou agradar, a todo custo. No fim, quando esses conflitos se tornam inevitáveis, Vênus em Libra pode ser tão ou mais feroz do que o pior dos Arianos: torna-se competitiva e vingativa – não esqueçamos que foi Afrodite quem iniciou a Guerra de Tróia! E aqui, nessa faceta menos nobre, ela encarna Hathor, a Deusa Egípcia da alegria, da maternidade, do feminino e da beleza, mas que virava uma guerreira sanguinária quando entrava em batalha – Vale lembrar também das Fúrias, que nasceram do mesmo evento que deu origem a Afrodite. Vênus em Libra precisa aprender a valorizar-se, independentemente do olhar do outro e precisa aprender a ver o outro como ele realmente é, para além da possibilidade de ser um parceiro afetivo. Esse posicionamento confere também gosto refinado e olhar clínico para coisas de valor, gosto para a arte, a música e também para as leis, além de grande senso de justiça.

Annibale Carracci - Júpiter e Juno

Annibale Carracci – Júpiter e Juno

Marte já ganhou velocidade e vai gradativamente se separando a passos largos de Saturno. Agora ele se prepara para confrontar Quíron, movimento que ocorre em algumas semanas. Enquanto isso, vamos fortalecendo nossa vontade e recuperando nosso senso de potência. Júpiter, por outro lado, chega ao fim de Virgem e se despede do signo de sua debilidade. Certamente ele estará bem mais confortável em Libra, já que Libra é um signo que prima também pela justiça, um tema que está sob a alçada de Júpiter. E se em Virgem a justiça e expansão Jupiterianas acontecem por meio das coisas pequenas e prosaicas, concretas e palpáveis, em Libra isso se dá através de conceitos mais refinados e abstratos, através da civilidade e da capacidade de viver em sociedade e respeitar as regras do convívio social. Em Libra Júpiter também favorece os casamentos, já que este é o signo das uniões oficiais, o que nos lembra da união de Júpiter e Juno, sua parceira oficial com quem ele vivia em pé de guerra, devido às suas infinitas escapadas e traições, ás quais Juno/Hera não perdoava. Júpiter ingressa em Libra no dia 09 de setembro, onde fica até 10 de outubro de 2017.

eclipse milky way

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica em Câncer. Finaliza o ciclo em Leão e se renova em Virgem, na quinta-feira, numa Lunação que é também Eclipse Total do Sol e que vem nos desafiar a deixar de vez o passado para trás e a olhar para o futuro, para o Norte das nossas aspirações, para o Norte do nosso desenvolvimento.

Brooke Shaden Photography - Reprodução

Brooke Shaden Photography – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 29 de agosto – Mercúrio estaciona às 10h03min, a 29°01’ de Virgem para entrar em retrogradação, enquadrado por Júpiter e Vênus, os dois Benéficos. Vênus, que tinha recebido a conjunção de Mercúrio em 16 de julho, agora o ultrapassa em direção a Libra e faz uma conjunção meio reversa, em que é Vênus quem vai ao encontro dele. A Lua está Balsâmica em Câncer e se harmoniza com Júpiter, Mercúrio e Vênus em Virgem, ficando vazia depois do contato com Mercúrio, às 03h24min. A Lua ainda se desafina com Marte e ingressa em Leão às 05h12min, de onde faz trígono a Saturno já à noite. Vênus ingressa em Libra às 23h07min, onde ficará até o dia 23 de setembro. O dia traz uma harmonia calma ou uma calma harmônica, mas é uma calma talvez enganosa, porque intuímos que é apenas uma trégua temporária, que nos permite respirar um pouco antes do próximo round – esta semana tem Eclipse Total do Sol! Paramos e olhamos ao redor para identificar onde estamos, para guardar na memória detalhes que funcionem como pontos de referência, um tipo de mapeamento – ou talvez, como João e Maria, saímos deixando pistas na trilha, para conseguir encontrar o caminho de volta. Temos, pois, uma influência favorável para começar a semana de maneira organizada, coesa e estruturada; para fazer nossos back-ups e check-ups e para analisar, pausadamente, o que é que precisa mais da nossa atenção e que tenta atraí-la de forma gritante. O dia traz insights claros e muito lúcidos sobre o que precisamos fazer e onde precisamos ir, qual é o próximo passo, subir ou descer. Revisão de ideias, caminhos, tarefas e métodos estão na lista. É como uma voz que grita: “para tudo!” E nós paramos para ouvi-la, porque vale a pena escutar! Essa é a voz interna, poderosa, nítida e lúcida. A voz da sabedoria, ancestral, arcaica… A voz da Lua Balsâmica olhando para o futuro: o que nos espera? Meditamos e contemplamos no silêncio do nosso coração e decidimos que não vamos esperar que nada aconteça a nós – nós é que iremos acontecer ao que quer que encontremos pelo caminho! Não desperdice essa vibe!

Catrin Welz-Stein - Reprodução

Catrin Welz-Stein – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 30 de agosto – De Leão, a Lua Balsâmica se desentende com Netuno em Peixes e com Plutão em Capricórnio, mas se afina com Marte em Sagitário, fechando a noite em trígono a Urano e quincunce a Quíron. Mercúrio está oficialmente retrógrado a partir das 10h03min. Um dia de contradições profundas e desconcertantes. Queremos brilhar e chamar a atenção para nossos feitos, mas algo parece estar fora de lugar, porque não parece legítimo e nos vemos pressionados internamente a ceder o holofote ou a atenção para alguém mais, o que nos deixa ressentidos e inseguros internamente. Mas, longe de isso nos fazer parar, talvez resolvamos encarnar a prima-dona e encenar grandes dramas no melhor estilo “falem mal, mas falem de mim”, até que a ficha caia e percebamos que nos enredamos numa teia intricada e difícil de desemaranhar, o que nos deixa meio tímidos e desengonçados, porque nos sentimos agudamente expostos. Sim, comportamento meio infantil, mas que é iluminado para ser eliminado. Contudo, fazemos melhor se utilizamos todas essas energias e influências para uma autorreflexão, para iluminar nossos próprios processos e proceder com as devidas finalizações e conclusões, ao invés de investir nos dramas desnecessários. Podemos nos sintonizar com uma reserva de autoconfiança e motivação, para concluir pendências de modo satisfatório, que trazem um senso de realização concreta pela coisa em si, como também pela liberação que a conclusão traz. E então concentramos grande energia e vigor nesse intento. Mas precisamos de atenção, porque, se antes era a insegurança, agora é a obsessividade pode nos fazer perder em objetividade e quando vemos, não sabemos mais porque nos lançamos com tanto empenho em todas essas situações – será que estamos ritualizando outras conclusões além daqueles visíveis diante de nós? Se assim for, talvez a ideia até seja válida, mas ainda é preciso ter consciência e clareza de porquê o fazemos. Bom senso é fundamental! O dia pede alguma cautela porque há necessidade de contenção e de se poupar energias para a próxima etapa. É inútil fazer investimentos grandiosos, além do estritamente necessário, porque a terra descansa, é inverno, os dias são propícios ao recolhimento e à limpeza. Lembremos disso antes de nos empenharmos em ideias afoitas que talvez não levem a lugar nenhum. É mais útil eliminar aquilo que não serve mais, abrindo espaço para o novo entrar.

Reprodução

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 31 de agosto – A Lua Leonina e Balsâmica formaliza o quincunce a Quíron e o trígono a Urano, ficando vazia logo depois, à 01h20min. Ingressa em Virgem somente às 12h22min e faz apenas uma sesqui-quadratura a Plutão em Capricórnio, aproximando-se aos poucos depois da conjunção ao Sol, que está em sesqui-quadratura plena a Urano. A Lua olha mais profundamente para o futuro e os nossos sonhos podem trazer visões e presságios poderosos nesta noite. Que mudanças precisamos fazer em nós mesmos, nossas atitudes e comportamentos que ainda não ficaram claros até aqui? Que parte dessa criança que nós somos precisa ser deixada para trás? Certamente aquela parte birrenta e irascível, a parte que gosta de se quedar vítima do sofrimento – criado por nós mesmos – e das próprias queixas lamuriosas. Quando é possível, a mudança deve ser providenciada; quando não é, a situação deve ser aceita, com humildade e maturidade, do contrário, nossa vida fica miserável e vai parecer sempre fora do nosso controle. Assim, o dia traz essas visões de futuros possíveis a partir das muitas possibilidades de mudanças, mudanças empreendidas por nós, madura e consistentemente. Entretanto, precisamos estar cientes de nossas contradições internas no que tange ao comprometimento que empenhamos nos nossos objetivos – será que são mesmo esses objetivos que alimentam o nosso coração? – do contrário, quando menos esperamos resolvemos chutar o balde num rasgo de autossabotagem que põe tudo a perder no momento crucial. A manhã fica propícia a essas reflexões e às elucubrações sobre como manifestar os potenciais criativos no próximo ciclo; já a tarde fica mais industriosa e prática, de modo que procedemos com as últimos limpezas e aragem do terreno onde lançaremos a rica semeadura dos nossos sonhos e projetos na Lua Nova de Virgem.

Eclipse Anelar do Sol - Reprodução

Eclipse Anelar do Sol – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 1° de setembro – A Lua faz conjunção ao Sol a 09°21’ de Virgem, às 06h03min, num Eclipse Anelar do Sol – que é também total, mas como a Lua está muito distante do Sol, temos um anel ao redor do eclipse. O eclipse ocorre em quadratura de menos de um grau a Saturno – o Sol está em quadratura exata a ele hoje – e oposição muito próxima a Netuno e quadratura mais ampla a Marte. A Lua ainda faz sesqui-quadratura a Urano e trígono a Plutão e estes aspectos também são importantes nesta Lua Nova. Um eclipse que vem jogar ênfase sobre a quadratura pesada e dolorosa de Saturno e Netuno, que perdura nos céus desde 2014 é tudo o que precisávamos para fechar com chave de ouro essa configuração. Um novo ciclo é inaugurado, em que precisamos nos sincronizar com a ordem da natureza, que traz intrínseca em si a semente do caos e da desconstrução das verdades nebulosas, que nem sempre são condizentes com a realidade.

Tiia Reijonen on Behance - Reprodução

Tiia Reijonen on Behance – Reprodução

Este eclipse fala de deixar para trás as ilusões infantis e de encarar a realidade como ela é. De abrir bem os olhos e ver. Ver com os olhos físicos, com os olhos da alma, com os olhos da intuição, com os olhos internos que enxergam mais longe e que só estiveram fechados porque assim nos escolhemos. Abrimos os olhos e vemos a luz excruciante da verdade de dilacera nossa visão. E abrimos os ouvidos. E  ficha cai, finalmente. E cai de forma estridente, a tinir no tímpano dolorosamente. Esse momento de cair na real pode ser muito duro, porque os véus são descerrados e podemos finalmente ver o que antes eram apenas borrões obscuros. Infelizmente, o que vemos não é nada agradável, mas talvez seja tarde demais para voltar atrás, porque o leite já se derramou e não há retorno. Contudo, há aprendizados que, embora sejam duros como sopapos bem dados no meio das nossas fuças, são bastante válidos e talvez agora aprendamos a dura lição. É preciso deixar as ilusões tolas e o passado fossilizado e oco para trás e inaugurar uma vida nova de cara limpa. Por mais difícil que seja a realidade, pode ser um momento construtivo de lidar com a verdade e de crescer. Em termos práticos, a Lua Nova e Eclipse em virgem favorece a eliminação de maus hábitos e comportamentos nocivos que afetam nosso corpo e saúde negativamente – pode ser um ótimo momento para deixar de fumar, por exemplo, ou para eliminar quaisquer outros hábitos que prejudicam a qualidade de vida – e também nosso trabalho e vida cotidiana em geral. É hora de inaugurar hábitos novos e mais saudáveis, de forma que possamos ter uma vida de mais qualidade e muito mais sentido.

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal

Veja o significado dos próximos eclipses por casa no Mapa Natal

Kirrei.com - Reprodução

Kirrei.com – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 2 de setembro – O Sol Virginiano faz oposição plena a Netuno em Peixes, enquanto Mercúrio faz sua segunda conjunção a Júpiter. A Lua segue renovada por Virgem e hoje faz oposição a Quíron, quincunce a Urano e conjunção a Mercúrio e a Júpiter, ficando vazia às 19h13min depois deste contato. A Lua ingressa em Libra às 21h56min. Nosso desejo e necessidade por ordem e perfeição são desafiados ao máximo hoje e nos encontramos miseravelmente dispersos, incoerentes e fragmentados em muitas direções. Além do senso de ordem e estrutura, falta-nos a confiança que nos permitiria ir atrás de nossos objetivos de forma destemida e, como não conseguimos ser suficientemente assertivos e seguros, nossa autoestima fica ainda mais vacilante, de modo que se não vigiarmos, entramos num círculo vicioso doentio e de difícil saída, porque sentimo-nos bastante impotentes para modificar traços em nós mesmos e situações ao nosso redor. Podemos ficar nessa espiral destrutiva por horas e dias. Mas, a sensibilidade que nos faz vacilar é a mesma que nos permite manifestar nossos dons criativos e nosso grande altruísmo, de modo que podemos usá-la em benefício de outros, o desafio é exatamente fazer isso de maneira coesa, como um serviço que oferecemos de bom grado, em lugar de nos sentir vítimas das circunstâncias e até de nós mesmos. A consciência aguda de nossas limitações pode, ao invés de nos colocar para baixo, ser o trampolim de onde damos impulso para mergulhar fundo naquilo que podemos realmente transformar e manifestar criativamente. O pano de fundo mental absorve todas as nuances e variáveis, mas consegue rever onde podemos ter errado no passado, de modo que agora podemos usar esses mesmos erros como lições e aprendizados que nos estimulam a fazer melhor e mais conscientemente desta vez. Sobretudo, precisamos ser humildes e nos ater ao que é possível, sem exigir de nós mesmos ideais de perfeição irrealizáveis e, por isso mesmo, frustrantes. Viemos de uma fonte divina e para lá voltaremos, mas, por enquanto, ainda precisamos lidar com esse plano de limitações que devem ser aceitas, mas isso não deve embotar a fé em nós mesmos, porque a principal lição é acreditar em nós próprios, a despeito de todas as nossas dificuldades e falhas. Olhar para dentro e perceber que a despeito de todos os erros e defeitos que percebemos em nós, no centro há o núcleo indestrutível e perfeito e é esse senso de integridade que deve nos guiar.

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 3 de setembro – A Lua está em Libra e faz conjunção com a dona da casa, Vênus. Mais tarde a Lua também se afina com Saturno enquanto se desentende com Netuno. O Sol segue em oposição a Netuno e quadratura a Saturno e Mercúrio vai seguindo seu caminho descendente no Mundo Inferior, incitando-nos a fazer nossas revisões profundas de pensamentos e ações. Um momento de calmaria e análises mais desapegadas de todas as confrontações por quê passamos: talvez consigamos digerir os resultados sem tantos dramas e com alguma sobriedade, sem ficar chorando ou nos lamentado, afinal, agora é bola para a frente, é acordar para o que dá para consertar e eliminar o que não tem conserto. Em termo práticos e pontuais o dia favorece encontros leves que dispensem os assuntos densos, porque nem nós nem o outro temos muita clareza de nossos sentimentos e reações, de modo que estamos suscetíveis a nos sentir ofendidos ou ignorados num assunto que seja mais sensível, portanto, se não temos certeza de que nossa audiência irá respeitar o que temos a dizer, melhor guardar o assunto para outra ocasião ou para ouvidos mais atentos e respeitosos e ficar nas trivialidades leves, mas seguras.

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 4 de setembro – A Lua Libriana conversa animada com Marte em Sagitário, mas arruma uma baita confusão com Plutão e com Urano. Como se não bastante, ela ainda se irrita com Quíron e fica vazia às 21h32min, depois da briga com Urano. O Sol está em conjunção exata ao Nodo Norte em Virgem. O amanhecer traz tensões difíceis de digerir e impossíveis de evitar: precisam ser encaradas e resolvidas na lata! Com o dia começando já neste clima tenso, ficamos estressados e indóceis, porque lutamos por uma harmonia e uma conciliação que parecem distantes, uma distância inversamente proporcional ao esforço com que buscamos essa harmonia. Precisamos usar de honestidade emocional nas nossas crises e dilemas, especialmente naqueles que envolvem os afetos e as relações em geral: será que secretamente não investimos em tais crises para nos sentir vivos e importantes para aqueles das nossas relações? O dia também requer muita cautela porque estamos impulsivos, de modo que podemos agir precipitadamente, piorando as situações com nosso comportamento imprevisível, altamente reativo e talvez um tanto infantil. No fundo, desconfiamos de nossas emoções e sentimentos, que hoje são intensos e voláteis e só nos impulsionam em direção à criação de mais drama e mais conflito. O que precisamos é perceber essa necessidade de nos sentirmos realmente vivos, com toda a intensidade a que achamos que temos direito e para isso, podemos nos engajar em atividades estimulantes e criativas, que nos façam entrar em contato com as emoções tumultuadas e selvagens que convulsionam o coração, de modo que elas sejam canalizadas construtiva e visceralmente, a ponto de transformar a forma como enxergamos a nós mesmos e aos nossos processos emocionais mais profundos. Podemos convidar as mesmas pessoas com quem travávamos os embates acalorados e descobrimos que a briga a favor é tão ou mais estimulante do que a briga contra e de quebra, ainda aprendemos mais uns sobre os outros e isso, ao invés de nos afastar, nos aproxima porque percebemos que o outro está atrás do mesmo que nós: harmonia e crescimento, então, por que não podemos buscar isso juntos? Por todos os motivos descritos acima, em termos práticos o dia requer cautela nas interações devido à propensão a conflitos e também no trânsito, devido à grande impetuosidade e precipitação.

Desejo a você uma semana de bênçãos e crescimento! Que essa realidade tão dura seja administrável e nos faça, de fato crescer! ótima semana!

Andrea Clare

Tiia Reijonen on Behance - Reprodução

Tiia Reijonen on Behance – Reprodução

Mercúrio Retrógrado em Virgem Tempo de Serendipidade!

Reprodução

Reprodução

Mercúrio ficará 69 dias em Virgem, de 30 de julho a 7 de outubro, o que traz uma ênfase soberba a Mercúrio e a Virgem, visto que este signo é regido por ele. Mas a ênfase se dá também devido ao ciclo de retrogradação de Mercúrio, um dos mais longos dos últimos tempos. Mercúrio estaciona no dia 29 de agosto às 10h04min e ficará retrógrado de 30 de agosto a 22 de setembro, retrogradação que se dará entre os graus 29°01’ e 14°51’ de Virgem – já estamos na zona sombria desde o dia 10 de agosto! É, pois, chegada aquela época trimestral do ano em que olhamos para os últimos capítulos da novela que é nossa vida e checamos se está tudo em ordem, se precisamos retificar alguma coisa ou reformular outras tantas. Recapitular e, se necessário, reescrever algumas partes! E não, não precisa ser um período de dramas, perdas e caos absoluto! Pelo contrário, essa retrogradação ocorre com Mercúrio enquadrado por Júpiter e Vênus, uma condição a meu ver, bastante venturosa e auspiciosa, que nos convida a nos abrir às situações fortuitas, ao invés de temê-las. Entenda melhor a mitologia de Mercúrio e seu simbolismo na Astrologia.

Virgem é o segundo signo regido por Mercúrio. É a Terra Mutável, mais uma areia do que terra. Em Virgem a inteligência mercurial encontra um foco e um uso específico e eficiente, diferentes da expressão de Mercúrio quando em Gêmeos, o outro signo de sua regência. Em Virgem menos é mais. Minimalista, enxuto e sintético, no signo da Donzela Mercúrio estuda muito a ponto de se tornar especialista nos assuntos que lhe interessam. E em Virgem todas as ideias brilhantes nascidas em Gêmeos podem se manifestar no plano concreto, é a encarnação material da ideia abstrata, por isso ambos os signos estão em quadratura natural, porque para que a ideia saia do abstrato e vá para o concreto é necessário passar por ajustes para se adequar às limitações dos materiais, do tempo, da utilidade, da funcionalidade, da técnica.

Fernando Bergamaschi - Reprodução

Fernando Bergamaschi – Reprodução

Virgem também é o signo do trabalho, o ofício que nos permite sobreviver e nos tornar pessoas melhores na execução de uma tarefa fora de nós, que muitas vezes é uma metáfora para o trabalho interior – por isso o trabalho que desenvolvemos diz tanto sobre nós e o que somos, assim como a forma como trabalhamos também revela muito de nosso caráter, porque no fim, se fazemos o que fazemos com amor, se o ofício é executado com alma, isso também dá sentido aos nossos dias. Virgem é o ofício para o qual precisamos estudar e desenvolver uma técnica, um método, um sistema de execução e desenvolvimento; um ofício que é realizado com a eficiência e a eficácia que levam à perfeição.

River Bank of Truth

River Bank of Truth

Quando um planeta fica retrógrado, simboliza um momento em que precisamos rever nossas posições e posturas nos assuntos governados por aquele planeta, assim como a forma como nos colocamos de acordo com o signo, na área de vida representada pela casa em que tal retrogradação se dá no mapa natal. Considerando, pois, todas essas atribuições e simbolismos de Virgem, mais as atribuições de Mercúrio, vemos claramente que temos pela frente um período de revisão e reavaliação das formas como trabalhamos; de fazer uma parada estratégica para reavaliar os métodos e sistemas com que abordamos aquela área de vida em que temos o signo de Virgem. Revisar nosso ofício e nossa técnica para redefini-los e torná-los mais adequados ao nosso momento atual – vai ver nós estruturamos nossas práticas lá atrás, quando ainda estávamos começando… mas tanto tempo se passou… não é hora de rever tudo isso? Reorganizar nossos métodos e nosso pensamento; reordenar nosso cotidiano e nossos planejamentos dentro dele; reconsiderar nossos métodos de comunicação, seja falada, escrita ou mesmo não verbal; repensar nossa relação com as redes sociais e o uso que fazemos delas; reexaminar a forma como processamos e julgamos as informações e, principalmente, nosso senso crítico, análise e visão de mundo, especialmente no que tange às relações de trabalho, com o trabalho em si e com as pessoas que ele nos propicia encontrar.

Virgem também fala do cotidiano e dos rituais diários, incluindo-se aí nossa relação com o corpo e seus ritmos orgânicos. Assim, a retrogradação de Mercúrio é um chamado também a revermos essas questões: revermos nossos rituais e, se for o caso, reorganizarmos algumas coisas; reexaminar a relação com nosso corpo e seus ritmos, corrigindo o que for necessário para que tenhamos mais qualidade de vida, uma vida purificada dos excessos mentais ou dos detalhes dispensáveis; purificada, sobretudo, dos ritualismos vazios, mecânicos e sem valor nos quais talvez tenhamos resvalado sem perceber.

Classicamente os textos astrológicos atribuem atrasos e problemas às retrogradações de Mercúrio. Mas não precisa ser assim. A retrogradação é um momento em que, do nosso ponto de vista na Terra, parece que o planeta para e volta atrás – minha colega Vanessa Couto chama de Moon Walk, aquela dança popularizada pelo Michael Jackson. Assim como na dança Moonwalk, a retrogradação envolve uma certa ilusão, porque o que vemos não é o que acontece realmente. O que parece, não é. Ainda assim, do mesmo modo, nós precisamos parar e voltar sobre nossos passos na última parte do trajeto que viemos percorrendo – e é claro que nós também não vamos sair pelas ruas, literalmente, andando de ré percorrendo os caminhos todos que trilhamos nos últimos meses! E – aí sim! – se nos recusamos a seguir nossa bússola interna e fazer essa parada e esse retorno, se insistimos em manter o mesmo ritmo enlouquecedor de sempre, podemos sim, ter situações de atraso, questões delongadas, atrapalhadas, que nos tiram do eixo e nos obrigam a parar de qualquer jeito.  Já que não paramos por bem, agora paramos por mal. Portanto, o período requer que o naveguemos com paciência e tranquilidade; que sejamos flexíveis e estejamos dispostos a encarar os imprevistos com espírito de curiosidade. Mercúrio é uma criança marota e mesmo em Virgem, pode brincar um pouco, portanto, precisamos olhar para alguns reveses, atrasos, contratempos, adversidades e imprevistos com bom humor e espírito de aventura, como quando nos achamos perdido num lugar e ao invés de nos irritar, resolvemos explorar a região.

Reprodução

Reprodução

A língua inglesa tem uma palavra que eu adoro e que tem muito da qualidade de Mercúrio retrógrado e desse espírito de situações fortuitas: SERENDIPITY. É uma palavra difícil de traduzir e até onde eu sei não há um termo exato para ela no português – já vi o anglicismo serendipidade ou serendipismo, mas não sei se são considerados formais. Significa descobertas afortunadas feitas completamente ao acaso, ou o ato ou faculdade de descobrir coisas agradáveis ao acaso, acontecimentos venturosos e totalmente inesperados. Encontrar algo bom sem estar procurando por isso – como quando a gente se perde em algum lugar e descobre algo incrível exatamente ali naqueles arredores, onde jamais teríamos ido se não tivéssemos nos perdido tolamente. Eu gosto muito dessa palavra e acho que ela tem um quê de magia. Alguns dizem que serendipidade é Deus agindo anonimamente e eu acho que está correto, nem que seja o Deus Mercúrio aprontando das suas! – aliás, muitas descobertas científicas são atribuídas à serendipidade e há uma série da BBC que trata exatamente disso: The Serendipity of Science! Para você ter ideia, veja este texto e este, que falam de descobertas que ocorreram totalmente por acaso – Pasme! Até aquela famosa pílula azul foi descoberta assim!

touch of Lavender - Reprodução

touch of Lavender – Reprodução

A meu ver, quando Mercúrio está retrógrado, precisamos nos sintonizar com essa faculdade de descobrir coisas boas que não estavam nos nossos planos bem desenhados e creio que isso tem muito a ver com nossa vibração e a maneira com que reagimos à descoberta de que algo saiu do plano original e vamos ter que improvisar. Traquinas do jeito que Mercúrio é, acho que ele tende a ser mais gentil e favorável se nos dispusermos a entrar na brincadeira com ele, estando abertos e dispostos a ser surpreendidos – isso se aplica particularmente a esse ciclo de retrogradação atual, que começa em conjunção a Júpiter e a Vênus e termina em trígono exato a Plutão – oportunidades poderosas de encontrar a sorte ao dobrar da esquina! Claro, isso pode ser um pouco complicado para Virgem, um signo que gosta muito de controle, de planos e esquemas milimetricamente formulados… Mas este é exatamente o grande desafio dessa retrogradação: abrir mão, temporariamente, dos planos milimetricamente elaborados. Mesmo que tudo pareça voar em tornar de nós, num caos impensável, perceber que, quando tudo voltar ao seu lugar, talvez tenhamos um senso de ordem mais criativo, menos rígido, menos rigoroso e insosso e mais cheio de vida e alma! Isso vale particularmente para pessoas fortemente Virginianas, mesmo que o Sol não esteja neste signo! Permitir-se ficar sem planos provisoriamente e, no meio tempo, repensar os métodos e planos usuais de se fazer as coisas.

Eliana Esquivel - Reprodução

Eliana Esquivel – Reprodução

Como Virgem é também um signo extremamente crítico, criterioso e detalhista, Mercúrio ficando retrógrado aqui sugere um período em que ficamos, talvez, ainda mais meticulosos, o que pode ser extremamente proveitoso e rico para certos tipos de atividades. Donna Cunningham, astróloga americana, sugere que façamos exatamente isso, que usemos este período para nos engajar em projetos que exijam o apuro da nossa crítica e o rigor da nossa análise. Por exemplo, supondo que você seja escritor, acadêmico, jornalista, pesquisador, etc… este seria um ótimo momento para revisar todos os manuscritos, os apontamentos, as informações coletadas, os dados levantados, etc. Qualquer que seja a nossa ocupação, podemos, sim, encontrar algo em que podemos aplicar essa energia de revisão e reavaliação – pode ser exatamente aquilo que está naquela gaveta há meses! Ou a bagunça aparente daquela caixa!

Rprodução

Rprodução

Por fim, normalmente se aconselha também que não se assine contratos e se tenha cuidado na lida com papéis em geral. Sim, de fato, nossa mente não está funcionando no modo normal, então, no mínimo, precisamos levar em conta que detalhes importantes talvez sejam ignorados – lembra que na retrogradação existe uma ilusão e o que parece, não necessariamente, é? – e é por isso que é melhor checar tudo duplamente e adiar, quando possível, aquelas assinaturas de documentos delicados… Mas, já que a retrogradação traz para a pauta do dia o prefixo RE, podemos também incluir uma cláusula nos contratos e documentos – naqueles em que temos poder para tal, pelo menos – de que aquele contrato sofrerá uma REvisão dali a “x” meses. Claro, precisamos lembrar que Mercúrio é um deus ambíguo, então, a revisão pode favorecer tanto a nós quanto à outra parte – mas isso não é necessariamente um problema, certo? visto que talvez a coisa fique até mais justa! O que eu quero dizer é que Hermes-Mercúrio é um deus escorregadio que não oferece certezas, mas ainda assim, promete grandes aventuras, se apenas estivermos abertos!

Então, abra-se a uma nova temporada de serendipidade e antes de reclamar de um atraso ou imprevisto, lembre-se de que pode ser a vida – e Mercúrio – chamando-o a rever seus conceitos, métodos, fórmulas e certezas! E claro, ache um projeto ou ideia que esteja precisando ser revisado e revisitado e… mãos à obra!

Nota: em termos práticos, não acho que Mercúrio seja responsável por todo o drama e caos atribuído à sua retrogradação, até porque, atrasos e desastres também acontecem quando Mercúrio NÃO está retrógrado, assim como computadores estragam e redes de informações entram em pane – não, nem tudo é “culpa” de Mercúrio retrógrado! Geralmente há outras coisas ocorrendo envolvendo outros planetas como Netuno e Urano, por exemplo. Para quem quer se prevenir, vale a pena fazer back-up nos computadores e aparelhos de tecnologia; revisar planos, projetos, apresentações; checar bagagens e documentos de viagem duplamente e, claro, se é realmente importante, saia de casa mais cedo!

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Reprodução

%d blogueiros gostam disto: