Lua Cheia em Câncer – Crescer dói, mas é necessário!

Lua Cheia em Câncer - Birth Chart Painting - Reprodução

Lua Cheia em Câncer – Birth Chart Painting – Reprodução

A Lua foi cheia na manhã desta quinta-feira, dia 12 de janeiro, às 08h34min no horário de Brasília e às 11h34min no horário de Lisboa. É uma Lunação bastante tensa, que sugere que mudemos algumas atitudes no gerenciamento das nossas emoções, sentimentos, afetos e relações, tanto as relações com outras pessoas, quanto a relação que temos conosco mesmos, nosso corpo, nossa casa, família e nosso passado.

Reprodução

Reprodução

Câncer é regido pela Lua e por isso, essa Lua Cheia é particularmente potente, porque a Lua está em casa. Câncer representa nossa necessidade de nutrição física e emocional, de estabelecermos vínculos afetivos duradouros, que nos façam sentir que pertencemos, que amamos e que somos amados; criar laços, construir uma família, um ninho, onde encontramos segurança e amparo. É o signo que fala da família, da casa, da vida doméstica, da ideia de lar que cada um de nós carrega consigo. É o signo do cuidado, consigo e com o outro. Mas é também o signo das dependências emocionais, da imaturidade, das carências, legítimas ou não; do “bebê” chorão e emburrado, fazendo chantagem emocional. Então, todos esses temas ficam enfatizados hoje e pelas próximas duas semanas: nossos pensamentos, atenção e foco recaem sobre assuntos relativos à família, à casa física em que vivemos, aos nossos vínculos afetivos e também ao nosso corpo e como temos cuidado dele, como temos nos nutrido física e emocionalmente.

Lua Cheia em Câncer - Brasília, 12 de janeiro de 2017, 09h34min

Lua Cheia em Câncer – Brasília, 12 de janeiro de 2017, 09h34min

Essa lunação ocorre com a Lua no grau 22°27’ de Câncer, em oposição ao Sol (óbvio) a 22°27’ de Capricórnio, mas também em oposição ampla a Plutão e quadraturas bem próximas a Urano em Áries e a Júpiter em Libra (menos de um grau), formando uma Grande Cruz Cardinal tensa e crítica. Se a Lua Cheia já é um período de intensificação das emoções e das crises que estavam “penduradas”, esperando para acontecer, ocorrendo nessa configuração de Grande Cruz, temos tudo isso intensificado, o que nos obriga a prestar muita atenção ao que que quer que esteja se passando na área de vida representada pela casa do mapa natal em que a Lua Cheia se dá. Como apoio, a Lua faz trígonos a Marte e a Quíron em Peixes, sugerindo maior emotividade, sensibilidade e também a possibilidade de cura e de uma maior compreensão dos dilemas humanos, que se manifestam através das nossas crises.

A Lua quer e precisa de segurança, amparo, proteção, vinculação, mas nessa Grande Cruz parece que tudo isso lhe (nos) é negado: temos que aprender a prover isso por nós mesmos, temos que crescer na marra e talvez algumas verdades duras nos sejam jogadas na cara, com uma honestidade dolorosa, ainda que sejam ditas com educação e delicadeza.

full buzssfeedNormalmente a Lua Cheia vem fazer um contraponto ao Sol. O Sol enfatiza grandemente o signo que trafega e por ocasião da Lua Cheia, somos chamados a buscar um equilíbrio pois o outro extremo da polaridade fica igualmente destacado. No caso, Capricórnio nos fala de independência emocional, de focarmos nas nossas obrigações mundanas, de nos movermos na direção de nossas ambições e objetivos profissionais, priorizando nosso papel social – da família saímos para conquistar nosso lugar no mundo. A Lua em Câncer nos vem lembrar da importância da família, das nossas origens e do nosso passado naquilo que somos hoje, onde quer que estejamos; vem nos lembrar que mesmo que já sejamos capazes de nos manter independentes, material e emocionalmente, ainda precisamos construir laços e relações duradouras, porque é isso que dá sentido à vida e às nossas ambições de ganhar dinheiro, projeção, prestígio e poder mundanos.

Catrin Welz-Stein - Reprodução

Catrin Welz-Stein – Reprodução

No caso da lunação de hoje, a Lua está muito pressionada e esse equilíbrio faz-se ainda mais necessário. Como é que temos cuidado de nossas necessidades físicas e emocionais? Será que temos dado atenção suficiente ao nosso bebê carente? Será que temos sido uma mãe boa o bastante para nossa criança interna? Quão saudável é a relação com a nossa mãe interna, com a nossa mãe arquetípica? Como está o equilíbrio na nossa vida familiar e doméstica? Se houver problemas no que tange a estas questões, é provável que levemos esses problemas para as nossas relações e assuntos no mundo exterior, cobrando de outros o suprimento de necessidades que deveríamos prover por nós mesmos e talvez nos deparemos com respostas duras que, no mínimo, frustram nossas expectativas.

Reprodução

Reprodução

Também precisamos reconhecer nossas enormes e profundas contradições internas: o forte impulso para a vinculação versus o desejo de independência; o comprometimento diante de obrigações assumidas no passado e o ressentimento pela liberdade que tais obrigações nos tiram, além das renúncias que implicam; o ímpeto por permanecer no casulo familiar, confortável e conhecido versus a ânsia de ganhar o mundo e descobrir outras realidades, pular algumas fronteiras, desafiar alguns limites, dar de ombros para o conservadorismo e as expectativas familiares e dos outros…

full let go

Reprodução

São muitos os desafios e questionamentos, que nos levam a uma encruzilhada: por mais que ainda possamos voltar atrás, talvez não queiramos, porque aquele conforto antigo já não nos satisfaz, já não nos preenche como antes… E talvez nosso senso de lealdade fique martelando dentro de nós e nos cobrando voltar… Mas já não podemos. É impossível fingir que somos os mesmos. Não podemos ignorar que crescemos e que certos comportamentos já não são adequados nem apropriados para a pessoa que somos hoje. É impossível “des-ver” o que já vimos, “des-ouvir” o que já ouvimos, des-viver todas as experiências que tivemos…

Reprodução

Reprodução

Assim, nosso grande desafio nessa Lua Cheia Canceriana é: como sermos leais ao nosso passado, às nossas origens, àquilo que nos trouxe até aqui, sem deixar que isso nos prenda e nos impeça de alçar outros voos, mais altos e mais audaciosos; como conciliar todas as nossas contradições, ser fieis a nós mesmos, cultivando as relações importantes, as ambições de realização, com a independência e a liberdade que também nos são tão caras; como manter a sensibilidade e a delicadeza, a doçura e a ternura, tendo que crescer e enfrentar a realidade do mundo-cão em que vivemos hoje…

David J Burbenick - Reprodução

David J Burbenick – Reprodução

Crescer dói e é para os fortes! Essa Lua de hoje nos obriga a ser fortes, mesmo com toda a nossa doçura, carências, vulnerabilidades… E ser forte implica, imediatamente, em nos responsabilizar por nós mesmos e nossas necessidades, sejam físicas ou emocionais ou de qualquer outra natureza. Porque, mesmo que sejamos parte de um casal, mesmo que estejamos protegidos no seio da família, no colo da mamãe, mesmo sejamos o presidente da empresa, o maioral do pedaço, tem coisas que ninguém pode fazer por nós! E nisso estamos sós e com isso precisamos lidar! Talvez ainda precisemos cortar algum cordão umbilical que arrastamos por aí, atrás de nós; o cordão umbilical das dependências de vínculos que já não fazem sentido na nossa vida; algum laço que ainda nos mantém cativos e dependentes dos provedores errados e que provavelmente estão a nos prevenir de construir laços mais maduros, autênticos, saudáveis.

Lwonard Weisga - Reprodução

Lwonard Weisga – Reprodução

Assim, a Lua de Câncer, que tanto precisa de laços e vínculos, hoje precisa proceder com algumas cisões, separações necessárias, nem que seja a separação de partes de nós que já não servem, que são por demais infantis, ou que morreram e que não nos demos ao trabalho de enterrar adequadamente. O bebê carente precisa entender que cresceu e que a mamãe já não está disponível e que agora ele precisa tomar conta de si mesmo, como adulto, se responsabilizar por todas as suas necessidades e desejos. Somente assim estaremos mais livres e maduros para viver os vínculos verdadeiros, aqueles que realmente nos abastecem de bons sentimentos e que significam boa nutrição; e então seremos capazes de conciliar nossas contradições e achar tempo e espaço para honrar os sentimentos e os profundos desejos da nossa alma e viver as relações mais serenamente, sem a necessidade dos dramas, das crises infindáveis, das manipulações, das cobranças e das inseguranças que tanto comprometem a realização plena das nossas relações. A despeito de toda essa dureza, temos a magia e o romantismo da conjunção Vênus-Netuno em Peixes, que funcionam como alento e que ajudam a sanar o coração das feridas e garantem que não nos endureçamos em demasia, nem nos tornemos amargos nos embates da vida! Feliz Lua Cheia para você!

Nota: pessoas com planetas ou ângulos entre os graus 17 a 27 dos signos cardinais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) sentem mais fortemente as influ~encias dessa lunação, de acordo com a natureza do planeta envolvido e da casa do mapa natal em que a lunação acontece.

Reprodução

Reprodução

Lua Cheia em Câncer - Birth Chart Painting - Reprodução

Lua Cheia em Câncer – Birth Chart Painting – Reprodução

A Semana Astrológica – Tempo de entrar em ação!

Reprodução

Reprodução

Semana de 09 a 15 de janeiro – Momento de colheita, em que chegamos ao ápice do ciclo. Uma colheita dramática que vai demandar um forte equilíbrio emocional. 

Nesta semana o Sol Capricorniano enfrenta a muventude e o arrojo de Urano em Áries e a pegada aventureira mas justa de Júpiter em Libra. O sol se torna foco de uma T-Square Cardinal, que tem por base a oposição Júpiter-Urano. Essa T-Square vira Grande Cruz na Lua Cheia de Câncer, que vai ocorrer na quinta-feira – uma Lua Cheia que vai lembrar as crises de 2014, quando tivemos o ano inteiro de Urano-Plutão formando Grandes Cruzes. Período de tensão, mas também de grande liberação de energia, com possibilidade de crescimento e de muitas resoluções importantes.

Mercúrio volta ao movimento direto em Sagitário e já no dia 12 ingressa de novo em Capricórnio. temos chances de recuperar oportunidades perdidas lá atrás e de retomar histórias e projetos que estavam em espera. Mercúrio ainda fica na zona de retrogradação até o dia 27 de janeiro.

Reprodução

Reprodução

Vênus em Peixes se dissolve ainda mais na conjunção a Netuno, sugerindo um período de grande romantismo nas relações, mas também uma propensão a nos anularmos e nos perdermos e no outro… Idealismo exacerbado que pode levar a desapontamentos, caso não nos lembremos que o outro é falível, assim como nós. No que tange aos investimentos, esse trânsito requer cautela nos negócios porque não temos clareza das negociações em que nos envolvemos e podemos levar gato por lebre. é um período favorável para artistas e criativos em geral.

O Marte Pisciano faz um contato positivo com Plutão, indicando uma oportunidade de sermos mais práticos na busca dos nossos ideais e objetivos maiores. Podemos também ter a chance de encontrar pessoas mais influentes que podem cooperar conosco, ou nos dar um empurrãozinho, se estivermos dispostos a fazer a nossa parte destemidamente. Esse contato pode se manifestar a partir de encontros reais com essas pessoas que propiciam uma transformação nos nossos empreendimentos, como também pode significar nós mesmos encontrando uma força extra que nos abastece de novo vigor e garra, para ir atrás das nossas metas e propósitos.

Reprodução

Reprodução

Sobretudo, essa é uma semana muito especial porque temos um momento raro em que TODOS os planetas estão em movimento DIRETO no céu! Não há NENHUM planeta retrógrado no momento e isso é, decididamente, algo positivo e pode significar uma arrancada na nossa vontade, nas nossas realizações e no desenrolar davida no mundo! Só isso já poderia ser comemorado, porque as energias e forças estão aí, à nossa disposição. Só precisamos agarrá-las, como quem agarra oportunidades sem receios, entusiasmadamente! Vamos que vamos porque é para frente que se anda! É tempo de ação!

A Lua abriu a semana na fase Crescente em Gêmeos, onde também se tornou Corcunda na segunda. Será Cheia em Câncer na quinta-feira, numa configuração tensa de Grande Cruz Cardinal. Rejuvenesce em Leão e fecha o domingo em Virgem!

Reprodução

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 09 de janeiro – A Lua está em Gêmeos e faz quadratura a Vênus, a Netuno e a Marte, todos em Peixes. Faz quincuncio a Plutão e sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Corcunda. Mercúrio já está em movimento DIRETO!

O dia está super dinâmico, cheio de muitas atividades que deixam nossa cabeça e coração a mil por hora, num vai e vem que pode tirar o foco e criar desgastes, caso não respiremos adequadamente para ancorar e aterrar a ansiedade.

Notícias desagradáveis e desconcertantes podem causar desapontamentos e nos obrigar a mudar de planos e ajustar as velas ou até mesmo o curso inteiro da jornada. De qualquer forma, temos recursos e possibilidades de fazer essas alterações, já que a Lua Geminiana é, de fato, cheia de recursos e habilidades e mestre na improvisação e na escapada, desde as mais embaraçosas saias justas, às mais melindrosas e complicadas situações! Não nos afobemos e respiremos; confiemos nessa infinita versatilidade e então, encontraremos a saída certa, no momento exato! Está nas nossas mãos mudar o que precisa ser mudado, seguindo os ditames da consciência superior em nós e do nosso coração, desde que tenhamos humildade e saibamos silenciar a mente ilusória para ouvir a voz que realmente vale a pena escutar!

Reprodução

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 10 de janeiro – O Sol está em quadratura plena a Urano, ainda se afastando da conjunção a Plutão e em quadratura também a Júpiter, exata na madrugada de quarta para a quinta – assim, o Sol é foco de uma tensa T-Square Cardinal. A Lua Geminiana está em quincúncios a Plutão e ao Sol, em sextil a Urano, quadratura a Quíron, trígono a Júpiter e oposição a Saturno e a Mercúrio, ambos em Sagitário e Quíron é então, foco de outra T-Square, desta vez, mutável – a Lua fica vazia depois do contato tenso a Mercúrio, às 19h39min. Ingressa em Câncer às 20h49min, onde será cheia na quinta-feira. Ufa!!!

Esse é um dia elétrico e estrondoso, em que somos desafiados a nos livrar de crostras e mais crostras de armaduras petrificadas ao redor do ego, com as quais aprendemos a nos identificar, esquecendo que não são aquilo que somos verdadeiramente. Podem até ter sido úteis, mas não resumem aquilo que somos. A consciência precisa se desligar de tais identificações, visto que já não são válidas e o dia está propício a termos rasgos de iluminação que nos empurrem nessa direção – caso resistamos ou façamos ouvidos moucos aos chamados de Urano, poderemos nos deparar com muitos dissabores, imprevistos, incidentes e situações que nos irritarão – no mínimo – desnecessariamente, até que tenhamos visto e reconhecido aquilo que precisamos ver. Hábitos, comportamentos, atitudes, conceitos… Aquilo que costumava nos dar um senso de segurança, aquilo sobre o quê se sustentavam nosso ego e persona e que agora precisa ser questionado com honestidade e clareza.

A Lua Geminana está extremamente industriosa e nos vemos desejando ter muitas mãos ou ter clones para nos virar com tantas demandas. A mente pula cá e lá, sobe e desce e dá cambalhotas, vertiginosamente! E o coração? Vai atrás da enganosa-mente, gerando ansiedade e vertigens, feito corrida na montanha-russa – sim, para alguns pode pode ser divertido, para outros, desesperador! Haja fôlego para tanto impulso e afoiteza! Falamos demais, respiramos de menos, pensamos mais ainda e no fim, ficamos exaustos e meio perdidos sem saber qual seria o próximo passo mais recomendável… Há muitas conjecturas, mudança constante de ideias, de sentimentos e de humor, de modo que o dia fica nervoso, ansioso e colorido por uma inquietude difícil de serenar. A respiração correta vale ouro neste cenário, assim como a aquietação da mente, em cinco minutos que seja de meditação.

É necessário muita cautela e centramento no dia de hoje, porque Sol em quadratura a Urano somado à Lua em oposição a Saturno e Mercúrio podem nos predispor a acidentes causados por ansiedade, falta de atenção e impaciência. Proceder com um cuidadoso auto-exame para identificar a origem da irritação e mau humor também pode fazer maravilhas e prevenir muitos problemas. E já que está também muito imprevisível, armar-se de paciência e fluir com os acontecimentos!

Ainda em termos práticos, o dia está propenso a termos problemas com tecnologia e máquinas em geral, dificuldades no trânsito, problemas mecânicos (Mercúrio está bem lento, ainda na zona de retrogradação), problemas de comunicação e discussões que começam por ninharias e escalam a níveis inacreditáveis, caso não se seja flexível e não se busque alternativas dentro do diálogo. Tudo isso é evitável, se mantivermos a cabeça fria, o coração sereno e a presença de espírito – além de muito bom humor! Ah! E claro: disposição em mudar e fluir com a vida e disposição em sair da zona de conforto, permitir-se buscar alternativas àquelas velhas formas de fazer as coisas e de ver o mundo! É dia de trocar a roupa da vida e ousar ser um pouco diferente, para variar; vestir nossas próprias cores, buscando conciliação com o nosso lado mais tradicional e conservador e com a necessidade (a legítima) de segurança – mudar só por mudar também pode trazer muitos transtornos e até nos fazer regredir, em lugar de avançar, assim, é preciso ponderar bem em quais mudanças são necessárias e quais são originadas por mera ansiedade.

Tomaz Alen Kopera - Reprodução

Tomaz Alen Kopera – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 11 de janeiro – A Lua já está em seus domínios Cancerianos e dialoga gentilmente com Vênus em Peixes e depois com Netuno, que estão ambos já praticamente fundidos um ao outro. Fecha a noite de quarta já em oposição, não exata, a Plutão. O Sol está em sextil exato a Quíron hoje e ainda em quadratura a Urano e a Júpiter. Este é um dia de gentileza, de influências delicadas e sutis, que nos colocam em contato com sentimentos profundos, antigos, imemoriais, que podem trazer lembranças doces e afetuosas, que colorem o dia de uma nostalgia terna e ao mesmo tempo airosa, que vem e vai e nos embala suavemente. Pode ser uma influência que cura como um bálsamo, que propicia uma trégua que nos refaz e nos nutre para novos embates e desafios, sim, porque eles estão logo ali e nos já os intuímos e sabemos que precisamos nos preparar para eles. Mas por hoje, apenas por hoje, deitamo-nos nos braços de amáveis lembranças, demonstramos nossa compaixão a quem dela precisar, buscamos amparo também nós, naqueles em quem confiamos e que sabemos que podemos contar, permitimo-nos ser doces, com quem podemos nos dar a esse luxo, enquanto sabemos que com outros, talvez tenhamos que ser firmes e categóricos, estabelecer limites claros e quem sabe até, proceder com rupturas, dolorosas, mas necessárias. O dia também propicia um maior entendimento de muitas de nossas feridas e sofrimentos, de modo que aceitamos, sem amargura, a tudo que vivemos, de bom e de ruim, sabendo que tudo é parte do que somos hoje, da pessoa que nos tornamos. Sentimo-nos capazes de perdoar, não só àqueles que nos feriram, mas principalmente a nós mesmos, por nos ter deixado ferir, pelo sofrimento que inflingimos a nós mesmos. Essa compreensão e aceitação serenas, assim como o perdão, também são como bálsamo. E podem nos curar e nos liberar do passado, abrindo-nos para novas possibilidades! Um lindo e delicado dia para você!

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 13 de janeiro – A Lua está em Leão de onde faz quincúncio a Mercúrio, já de volta a Capricórnio – reingressou ontem. A Lua também faz sesqui-quadratura a Marte e a Quíron em Peixes e a Saturno em Sagitário. Vênus está em conjunção plena a Netuno em Peixes e ambos recebem quincúncio da Lua Leonina. A Lua segue pela fase cheia e depois dos arroubos e percepções de ontem, estamos hoje mais aptos a empreender as mudanças criativas que nos levem às correções que foram identificadas como necessárias. Sentimo-nos capazes também de iluminar outras situações que careçam da nossa reflexão e apreciação e talvez até ofereçamos insights a outros, mas isso precisa ser feito com cautela e precisamos contar com a possibilidade de que a outra pessoa não esteja aberta às nossas considerações e respeitar isso – é importante seguir o feeling! Talvez nem precisemos falar ou expressar diretamente, porque se estivermos suficientemente seguros e serenos a respeito de nós mesmos e nossas resoluções, nossas atitudes inspirarão o melhor nos outros, sem que precisemos impor ideias ou interferir nos assuntos alheios como se fôssemos alguma autoridade – cuja opinião nem foi pedida!

O dia traz influências que, a princípio, parecem contraditórias, mas que podem bem ser conciliadas, se tivermos paciência conosco e com outros. Uma faceta quer encontros efusivos, onde possa expressar uma alegria gratuita, que chega a ser contagiante; a outra faceta sente as coisas de forma mais delicada e sensível e talvez até se ressinta de tal efusividade, visto que prefere viver as coisas com vagar, degustando os sabores sutis que vão se mesclando no coração…

Em comum temos o desejo de uma entrega inquestionável, inteira, apaixonada! A quê ou a quem queremos nos entregar? Em comum também temos um anseio pelo amor completo, irrestrito e incondicional, vivido dramaticamente, transbordante e generoso. A quem ou ao quê amamos? Será mesmo amor? Será apenas narcisismo nascido da imagem brilhante de nós mesmos que vemos refletida no olhar do outro? Será apenas anseio de ser adorados como um deus, algo que vá arremedar nossa autoestima esburacada? Será que ansiamos pelo contrário, achar um deus para adorar, para dar sentido à nossa existência oca?

Esses questionamentos não invalidam a profunda sensibilidade e a grandeza e vastidão de sentimentos que nos acometem hoje. Apenas nos pedem para ficar atentos, para não nos perdermos em nossos próprios anseios, para termos um pouco de clareza e honestidade acerca de nossas reais motivações. Tendo feito isso, podemos sim, nos entregar e autorizar a expressão dos sentimentos nobres, desse amor abnegado que sentimos em relação àqueles que são tão preciosos para nós, e até mesmo a expressão do amor universal, que emanamos a toda a humanidade e que pode unir-se a outras vibrações e reverberar pelo mundo, trazendo um pouco de alento àqueles que mais precisam.

Reprodução

Reprodução

O dia está assim, sensível e delicado, transbordante de sentimentos nobres, afeto, amor, aceitação, inclusão, perdão e uma percepção nítida da efemeridade da vida, do qquanto é vão é inútil cultivarmos rancores, conflitos, opiniões rígidas… Para quê? Tudo vai passar um dia e virar poeira e teremos deixado de viver tantas coisas belas e sublimes por causa de umas bobagens egoicas e estreitas… Vivamos no hoje, a beleza e o amor que ele nos traz! Amanhã, nem sabemos se chegará! O que fica é o que nos permitimos viver e amar! Como diz Cecília Meireles, “E tudo o que era efêmero, se desfez. E ficaste só tu, que é eterno”.

Dima Dimitriev - Reprodução

Dima Dimitriev – Reprodução

SÁBADO, 14 de janeiro – A Lua Leonina faz quincúncio a Plutão e a Marte e, como ambos estão em sextil, ela vira foco de um Yod-Dedo de Deus durante a madrugada. Já pela manhã, também se harmoniza com Júpiter e faz quincúncio a Quíron, tornando Quíron e Marte foco de outro Yod. Mas a Lua também faz trígonos a Urano e a Saturno, formando um bonito Grande Trígono de Fogo e, devido ao sextil a Júpiter, o Grande Trígono vira uma Pipa. Fica vazia depois do aspecto a Saturno, às 13h18min. Já vazia ela se desentende com o Sol em Capricórnio. Mercúrio está sem aspectos no início de Capricórnio e Vênus ainda conjunta a Netuno.

A madrugada pode ser um tanto conturbada e propícia a desentendimentos, particularmente para quem resolve ir para a balada. Quem dorme mais cedo pode ter sonhos pesados e desgastantes, que perturbam o descanso. A manhã traz uma sensação de ressaca, um certo desgosto por algo que nem mesmo sabemos definir, mas que não nos abate por muito tempo, porque logo sacudimos a poeira e a lombra e nos enchemos de ânimo e empolgação, vislumbrando as muitas possibilidades que o dia nos traz de fazer coisas diferentes, de melhorar nossas atitudes, de sair da rotina e de ousar algo novo, que amplie nossos horizontes e perspectivas e que possa ter uma aplicação concreta e prática. O dia fica bastante promissor e, se estivermos abertos ao novo e dispostos a experimentar caminhos incomuns e até desconhecidos, ele fica propício a encontros auspiciosos, a vislumbres de ideias inovadoras ou, no minimo, à boa diversão e aos encontros animados! Atividades ao ar livre, que nos coloquem em contato com a Natureza e com a nossa natureza interior também podem fazer maravilhas pela nossa alma e possibilitar a efervescência de insights que ocorrem espontanemante. A conjunção Vênus-Netuno ainda está operante e somada a tudo isso favorece às reuniões entre amigos ou aos encontros mais intimistas entre casais.

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 15 de janeiro – A Lua rasga o dia vazia em Leão e ingressa em Virgem à 01h53min, de onde faz trígono a Mercúrio e sesqui-quadratura a Plutão, ambos em Capricórnio. Também se indispõe com Urano em Áries e à tarde faz oposição a Netuno e sesqui-quadratura ao Sol, entrando na fase Disseminadora. Fecha a noite em oposição a Vênus, exata na madrugada de segunda. Marte está em conjunção a Quíron, aspecto exato também na segunda. A manhã de domingo está incomumente industriosa e, ao invés de simplesmente descansar, acordamos co uma energia fazedoura, que precisa de um canal de liberação para que não fomente preocupações e ansiedades. Explorar a criatividade através de trabalhos manuais, artesanato ou mesmo arte pode ser exatamente o canal que estavámos precisando e podemos nos atirar a isso com gosto e entusiasmo! Entregues a tais tarefas que ocupam as mãos, preenchem a mente e animam  o coração, não precisaremos ser presas de anseios lúgubres e estranhos, nem de nostalgias paralisantes e dolorosas.

Reprodução

Reprodução

Para aqueles afeitos à prestação de serviço, o dia fica favorável à oferta do nosso tempo e ajuda abnegada, desde que não seja imposta aos outros. Isso pode ser feito através de visitas a hospitais, asilos, amigos doentes e necessitados de uma atenção mais concentrada ou qualquer outra ação em que possamos exercer a empatia e a compaixão de maneira respeitosa e não invasiva. Contudo, caso optemos por essas atividades, ainda precisamos estar cientes de nossas motivações mais profundas para fazer isso. Aquele que “ajuda” precisa conscientizar-se de que não é mais nobre ou melhor do que o ajudado e que também tem muito a ganhar e a receber nessa troca que parece desigual, mas que não é, caso se esteja consciente. À noite talvez estejamos mais nostálgicos e um tanto divididos pelo anseio por contatos mais próximos com as pessoas e o desejo por solitude… Nada que uma rápida negociação interna não resolva. É apenas questão de ponderar qual é a necessidade mais premente no momento.

Um ótimo fim de semana para você!

 

 

 

A Semana Astrológica

Crescent moon rising over the sea

Crescent moon rising over the sea

Semana de 02 a 08 de janeiro de 2017 – O Quarto Crescente aponta para um período de nos conectarmos com o vigor e a coragem exigida para realizar nossos objetivos mais altos.

 O Ano Novo nasceu e já chegou fazendo burburinho, infelizmente um burburinho nefasto de violência e incerteza, que inspira terror e medo do caos. O que é o caos? É o estado de dissolução completa, em que tudo se mistura e fica indistinto, em que tudo volta ao estado original da totalidade, de unicidade com o todo. O caos é representado pelo signo de Peixes, que fica grandemente acentuado por estes dias. A ordem, no caso, fica a cargo dos planetas em Capricórnio, Sol, Mercúrio e Plutão. Mas a ordem, para ser estabelecida, precisa ser exercida com compaixão e sensibilidade, do contrário, se for imposta com dureza, as forças tornam-se subversivas e caóticas novamente, num círculo vicioso sem fim, até que aprendamos a respeitar sua necessidade. O caos absoluto traz em seu cerne o princípio da ordem, mas não se consegue este negando àquele! Atualmente temos trafegando o signo de Peixes Vênus (ingressou na terça, 03), Netuno, Marte, Lua (até 14h19min de quarta, 04) e Quíron. É muita Água ativada nos céus e apenas Júpiter em Ar, o que cria oscilações nos humores e comportamentos: ora desmesuradamente sentimentais, ora demasiado frios e distanciados. Faz-se míster encontrar um ponto de quilíbrio interno para que tais oscilações não causem estragos ou desarranjos.

O Sol vai escalando a montanha Capricorniana e nesta semana encontra Plutão na subida, colorindo o período de uma intensa consciência da necessidade de transformação premente, no mundo e em nós mesmos; uma intensa consciência do poder pulsante da vida e de como ele se manifesta nas mínimas coisas ao nosso redor. Essa conjunção nos coloca em contato próximo com o inconsciente e a sombra, pessoais e coletivos – no caso, uma sombra sedenta de poder e domínio dos mecanismos sociais, do status e do prestígio pelos quais tanto ansiamos mas não ousamos admitir. Com tal conjunção não nos é permitido ficar na superfície das coisas, ser ingênuos e simplistas ou pior, simplórios! É preciso irmos fundo, além do óbvio e das aparências bonitas e enganosas. É preciso estarmos dispostos a ver o negrume da nossa alma e da alma do mundo, o lado mais obscuro da natureza humana, sem nos melindrar, sem nos apavorar… Com estoicismo e serenidade, sabendo que as coisas são como são, deixando romantismos vazios de lado, permitindo-nos crescer diante da feiura e, igualmente, da beleza com que nos deparamos. Ficar firmes para não nos deixar sugar pelo buraco negro dessa sombra, não nos assustar em demasia com o que quer que vejamos no espelho individual ou coletivo. É apenas o que é. Existe terror no mundo? O terror está em nós! Existe violência? Existe o mal? O desespero? A dor? A crueldade e a vilania? Está tudo em nós e não lá fora! E para redimir o mal e o terror no mundo, precisamos redimi-los em nós mesmos primeiro. Quando olhamos diretamente para o problema, sem fugir dele e das impressões e receios que nos causam, temos possibilidades de lidar com ele, quer tenha ou não uma solução viável. Somente quando encaramos a profundeza e escuridão do nosso abismo é que podemos perscrutar as saídas possíveis e acionar o impulso transformador que nos permitirá transmutar a condição presente de forma positiva, que resulte em crescimento.

Mercúrio retrógrado reingressa em Sagitário na quarta-feira, estacionando no grau 28°55’ no sábado, dia 07, para voltar ao movimento direto no domingo. As coisas que estavam em standby no campo das comunicações, negociações, comércio, estudos, pesquisas, tecnologia, viagens, etc voltam lentamente a caminhar normalmente, depois de terem passado por mais uma revisão no que tange à estruturação e ordenamento do seu funcionamento. Mercúrio sai da zona de retrogradação no dia 27 de janeiro e até lá, convém manter ainda os olhos e ouvidos bem abertos e os sentidos bem apurados na hora de julgar informações e tomar decisões. Como o regente de Sagitário, Júpiter, segue em oposição a Urano, é possível que tenhamos mais notícias bombásticas na mídia. Essa oposição Júpiter-Urano é significadora dos recentes acidentes aéreos e náuticos, assim como dos incidentes diplomáticos dos assassinatos dos embaixadores russo e grego. Escândalos ou revelações chocantes relativos a religões e grupos espirituais também estão suscetíveis de acontecer. Júpiter fica retrógrado em 06 de fevereiro e faz nova oposição a Urano em 03 de março.

Reprodução

Reprodução

Como já disse acima, Vênus ingressa em Peixes na terça, dia 03, engrossando o caldo urubórico do anseio por perfeição, redenção e fusão. Em Peixes Vênus é a sereia que enfeitiça marinheiros incautos, a diva glamourosa do cinema que fascina e hipnotiza multidões, a princesa do reino encantado da mente masculina, perfeita porque intui e se molda à ânima a que habita o inconsciente de todo homem. É compassiva, amorosa, sensível e sonhadora. De um romantismo imensurável, anseia pelo amor perfeito e pela fusão absoluta, dizendo-se frequentemente desse posicionamento, que a pessoa se apaixona pelo amor e pela ideia de estar apaixonado, mais do que pelo indivíduo com quem está se relacionando.

A empatia desmesurada é uma grande qualidade, mas pode também ser um problema, porque pode nos colocar em risco e comprometer nosso julgamento na hora de oferecer nossos préstimos: algumas vezes acreditamos que estamos ajudando uma alma necessitada, que na verdade, só quer tirar vantagem de nós; ou então, acreditamos que nos doamos sem nenhum interesse escuso, quando outras partes de nós clamam por reconhecimento e validação.

Com Vênus em Peixes é preciso ficar atentos quanto à idealização excessiva de situações e pessoas: só vemos o que queremos ver e nos recusamos a enxergar as partes menos nobres das pessoas e o lado sombrio e selvagem da natureza humana. Mas às vezes, pode ser exatamente o contrário: estamos agudamente conscientes e vemos tudo isso, mas não julgamos nem excluímos, pelo contrário, incluímos e aceitamos, porque estamos cientes de que somos parte daquilo e que aquilo também é parte de nós, o que agrega uma qualidade forte de cura, extamente pela aceitação serena das pessoas como elas são, fazendo também com que essas pessoas se sintam confortáveis e à vontade na companhia da Vênus Pisciana. Quem somos nós para julgar quem quer que seja? Cada um está lutando a sua luta e se não posso ajudar, também não vou julgar nem jogar pedras. Assim é Vênus em Peixes, com uma forte consciência de que tudo é parte do todo.

Assim como nos outros signos mutáveis, Vênus em Pexes tem dificuldade em se comprometer emocionalmente, porque dizer sim a alguém significa dizer não a tantas outras possibilidades, então, como ter certeza de que essa é a escolha certa? Neste receio de compromisso, pode-se ficar muito tempo envolvido com parceiros impossíveis e indisponíveis: porque são casados com outras pessoas, porque moram muito longe, porque nem sabem da nossa existência, porque “não são para o nosso bico”… Justificativas práticas para o receio de se comprometer e o medo de se desapontar ao constatar que o parceiro perfeito e ideal não existe no juntar das escovas de dentes.

Vênus está exaltada em Peixes porque é da natureza de Vênus querer se fundir e se entregar e em Peixes ela é capaz de um abandono apaixonado, como em nenhum outro signo. Está sempre em busca de salvar ou resgatar o outro ou de ser salva e redimida. Tem um anseio incomensurável pelaas coisas de um outro mundo e um outro tempo, pelo eterno, pelo belo e o sublime, um anseio de voltar para casa, através da fusão romântica com o outro. Não há outro posicionamento mais compassivo, abnegado e altruísta, a ponto de negar a si mesmo e de fazer os maiores sacrifícios por aqueles que ama. O grande amor pela arte e a grande sensibilidade e facilidade de acessar os conteúdos inconscientes seus e do coletivo favorecem a expressão artística e criativa, através de várias linguagens: na música, na dança, nas artes plásticas e, principalmente, no mundo do cinema, onde se transmuta na deusa etérea que todos desejam ser ou ter. Sue Tompkins lembra que Vênus em Peixes gasta dinheiro em arte, música e… sapatos!
Vênus em contato próximo com Netuno se expressa de maneira similar.

Vênus fica em Peixes até o dia 03 de fevereiro, quando ingressa em Áries. Atualmente Vênus aparece no céu do entardecer, logo após o pôr do Sol, como Héspero, a Estrela Vespertina, na sua maior elongação Leste e surge mais fulgurante do que nunca, propiciando um belo espetáculo no céu nas primeiras horas da noite, especialmente quando a Lua faz conjunção a ela, como ocorreu neste domingo e segunda-feira. Vênus se distancia à frente do Sol e se prepara para mais um ciclo de retrogradação, que começa no dia 04 de março, a 13 de Áries. Vênus entra na sombra de retrogradação já no dia 30 de janeiro, a 26° de Peixes.

Júpiter segue em oposição a Urano, quincúncio a Quíron e sextil não exato a Saturno. Saturno cruzou o portal do terceiro decanato de Sagitário e costura aliança com Urano, enquanto trava um embate melindroso, encenado em três atos, com Quíron… Esses aspectos descrevem o painel de fundo dos movimentos coletivos, dolorosos e tristes, que temos visto se descortinando no Brasil e no mundo, e que são acionados pelos movimentos mais rápidos da Lua, Sol, Mercúrio, Vênus e Marte.

A Lua abriu a semana entrando na fase semi-crescente, em Aquário. Transborda empatia em Peixes e formaliza o Quarto Crescente no fogo de Áries, na quinta-feira. Fecha a semana entrando em Gêmeos na noite de domingo.

DepositPhotos - Reprodução

DepositPhotos – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 02 de janeiro – A Lua abriu o dia em Aquário, fazendo semi-quadratura ao Sol e entrando na fase Semi-Crescente. Mais tarde fez conjunção a Vênus no último grau de Aquário e ficou vazia às 06h01min. Ingressou em Peixes às 07h58min, de onde faz sesqui-quadratura a Júpiter. Fecha a noite em conjunção a Netuno, de quem Marte vai se afastando. O Sol se aproxima da conjunção a Plutão. Depois das festividades de Ano Novo, acordamos muito aéreos e talvez ainda ressaqueados, o corpo ressentindo-se da falta de descanso e a mente meio embotada na retomada forçada da rotina. O que não daríamos por um feriado caindo na segunda? Mas a vida segue e nos exige espírito e presença! Assim mesmo, com todo o sono, indisposição, sensibilidade e sensação de estarmos perdidos no meio de eras, vamos para o mundo retomar o calendário oficial, organizar agendas, compromissos, tarefas… A grande sensibilidade pode ajudar a nos sintonizar com aquilo que realmente importa e é, de fato, importante nos afinar com aquilo que faz nossa alma cantar, que tenha sentido e que nos faça sentir mais conectados conosco mesmos, com a natureza, com a vida. Talvez dê muito trabalho e demande um esforço hérculeo, mas precisamos estar presentes no aqui e agora ou o dia se perderá em devaneios e dispersões.

Reprodução

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 03 de janeiro – Vênus ingressou em Peixes às 05h47min. A Lua também está em Peixes e varou a madrugada conjunta a Netuno e a Marte. Durante o dia a Lua faz quadratura a Saturno em Sagitário, quincunce a Júpiter e conjunção a Quíron. Há uma enormidade de Água atiavada nos céus e apenas Júpiter em Ar. Todas as fantasias e sonhos que andamos tendo de ontem para hoje deparam-se com os desafios representados pelas limitações do real. Podemos ou não realizar tais coisas? O coração está deveras mergulhado em muitos sonhos e fantasias, transbordando de sensibilidade e desejos de infinito, indefiníveis, indecifráveis… Queremos redimir o mundo de todas as dores e atrocidades, quando não conseguimos salvar nem a nós mesmos… Isso talvez nos deixe um tanto cabisbaixos e meditativos, mas também pode nos fazer tomar tento do que é necessário para sairmos das situações melindrosas em que porventura nos encontremos, assumir responsabilidades e deveres, por mais ingratos que eles pareçam. Deixar-se levar pelas marés enganadoras, sejam elas de otimismos infundados ou de pessimismos exagerados não é a melhor pedida do dia, mas sim, encontrar dentro de nós uma bússola confiável, um farol que nos guie em meio ao mar revoltoso da vastidão das nossas emoções, sentimentos e desejos, um muro de contenção para o tsunami emocional. Paradoxalmente, a bússola é a certeza da impermanência, abrir mão da necessidade e desejo de controle, aceitar a vida e as coisas conforme se apresentem e com elas dançar; confiar na bondade intrínseca da própria natureza, na própria compaixão, desapegadamente, sem incorrer na soberba de nos acharmos especialmente bons e generosos, tendo consciência de que apenas somos, assim como os outros apenas são, conforme damos conta – será que sabemos, realmente, como é que reagiríamos se estivéssemos na mesma situação e condição em que se encontra aquele irmão a quem julgamos tão duramente? Ter empatia e não julgar, tanto ao outro quanto a si mesmo, são o farol a nos guiar, assim como a intuição, que está bastante aguçada por estes dias. E cada uma/um pode ter seu próprio farol que a/o guia quando a noite está por demais escura e o mar demasiado revoltoso – qual é o seu? Qual é a contenção confiável quando as emoções a/o afogam? A vida pode PARECER excessivamente pesada, às vezes, para almas sensíveis, mas ela vem na justa medida dos nossos recursos e forças. Se recusamos o papel confortável da vítima, encontramos fortaleza e resiliência, à nossa disposição – e assim crescemos. A apreciação do sublime, da beleza e da bondade, em todas as suas formas ajudam a lidar com o terror que grassa no mundo. O terror e o sublime estão dentro de nós, ambos são parte intrínseca da vida e da natureza humana – é um fato que precisamos aceitar. Aceitar o terror em nós não quer dizer que tenhamos que atuá-lo, mas ele já não precisará nos assombrar nem eclipsar o sublime.

Playbuzz - Reprodução

Playbuzz – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 04 de janeiro – A Lua em Peixes abre o dia se separando da conjunção a Quíron e da quadratura a Saturno. Mercúrio regressa a Sagitário às 12h17min e recebe a quadratura da Lua Pisciana, que fica vazia depois deste contato, às 14h15min. A Lua fica vazia apenas CINCO minutos e ingressa em Áries às 14h20min. A Lua fica muitas horas sem fazer novos aspectos. Marte, seu regente, trafega Peixes e se afasta da conjunção a Netuno, enquanto se aproxima do sextil a Plutão, exato na semana que vem. Os sonhos são pesados e culposos, como se estivéssemos enredados numa trama de erros que se repetem indefinidamente… Acordamos meio asfixiados, assustados e procurando por ar, para cair em outros sonhos mais profundos e restauradores. A despeito dos sonhos pesados, a manhã começa fresca e traz a possibilidade de executarmos as tarefas criativa e imaginativamente. Um tom sonhador permeia as horas e se não for bem canalizado, pode levar à dispersão e ao desperdício de tempo e energia. Pelo fim da manhã o clima fica tenso, devido a contradições difíceis de dirimir: a mente quer uma coisa e o coração quer outra, dando origem a ansiedades, inquietude e uma insatisfação que talvez nos deixe predispostos a uma irritação indefinível, que pode por a perder a boa disposição que antes nos animava ou, no mpinimo, contaminar a atmosfera com nossa indocilidade e incerteza. Grandes ideais carecem de grande coragem e muito empenho e talvez duvidemos muito da nossa determinação e dessa coragem… Contudo, a tarde traz uma energia revigorante, que nos faz retomar o movimento e a determinação e até conseguimos ter maior clareza daquela insatisfação e canalizá-la construtivamente em algumas tarefas enérgicas que porventura precisemos executar. Mas que a força e a coragem sejam acionadas é preciso se conectar os desejos e propósitos mais profundos e caros à nossa alma e precisam estar a serviço de algo maior.

Reprodução

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 05 de janeiro – A Lua em Áries faz quadratura ao Sol em Capricórnio, entrando na fase Crescente. Depois disso a Lua quadra Plutão e fecha a noite em conjunção a Urano em Áries e oposição a Júpiter em Libra, juntando-se à T-Square Cardinal, da qual Plutão é o foco. O ciclo iniciado em Capricórnio alcança um momento de ajustes na estratégia para realizarmos os objetivos. Em Áries a Lua aponta para a necessidade de observarmos onde as posturas conservadoras e tradicionalistas estejam atrapalhando o andamento dos projetos. O velho precisa ceder lugar ao novo, com dignidade, sob pena de ser suplantado de forma crítica e até vexatória, proporcional à resistência empregada. Assim, precisamos nós também ajustar nossas atitudes e, abrir mão da cautela e do medo, para adotar ação e conduta mais arrojadas e destemidas, que nos permitam conquistar o prêmio que tanto cobiçamos. A Lua também quadra Plutão e isso sugere que tenhamos uma coragem ainda maior para desafiar nossos medos e fraquezas, para confrontar nossas frustrações e crescer com elas. O dia traz crises e desafios que demandam presença de espírito, coragem e audácia. É essencial proceder com uma avaliação cuidadosa dos possíveis problemas e antecipar as soluções, para não sermos pegos inesperadamente tendo que agir de forma precipitada e temerária. Honestidade, presença de espírito e coragem para fazer o que tem que ser feito, é o que o dia pede! Temos isso para entregar? A noite está um tanto tempestuosa e exige flexibilidade e jogo de cintura nas interações.

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 06 de janeiro – A Lua Ariana faz conjunção a Urano e oposição a Júpiter em Libra, tornando Sol e Plutão focos de uma ampla T-Square Cardinal na madrugada. À tarde a Lua faz trígono a Mercúrio e fica vazia depois deste aspecto, às 16h44min. Ingressa em Touro às 18h18min e fecha a noite já em sextil à sua dispositora, Vênus. A madrugada fica um pouco agitada e sujeita a acontecimentos inesperados, sonhos tumultuados, sono inquieto… Um anjo do futuro visita os sonhos e acordamos com todo o gás, dispostos a botar pra quebrar nas tarefas, a mudar de atitude no que for preciso, ativando o fogo do entusiasmo e da ação. Cabeça e corpo estão bem alinhados e as coisas fluem com agilidade e presteza – só precisamos ter cuidado para terminar uma tarefa antes de passar para a próxima e de nos assegurar que estamos fazendo bem feito da primeira vez – com Mercúrio retrógrado, se não fazemos com cuidado e atenção, talvez tenhamos que voltar atrás e refazer tudo e quem é que quer retrabalho?? Assim, precisamos conter a impaciência, respirar fundo e focar nas prioridades, uma de cada vez. Temos muita inspiração e bons palpites e talvez até nos sintonizemos com algumas ideias antigas que haviam ficado esquecidas e que agora se incendeiam novamente, podendo ser aproveitadas e postas em prática. À noite o clima fica aconchegante, preguiçoso e favorável a compartilhar uma boa refeição e a camaradagem das pessoas que se gostam e que têm intimidade profunda, que se aceitam como são. Clima bom para curtir momentos sensuais a dois porque há romantismo e muita sensualidade no ar.

Tomaz Alen Kopera - Reprodução

Tomaz Alen Kopera – Reprodução

SÁBADO, 07 de janeiro – O Sol está em conjunção exata a Plutão. Exaltada em Touro, a Lua Crescente se afina com sua regente, Vênus, que está exaltada também, em Peixes e conjunta ao Nodo Sul. A Lua faz sesqui-quadratura a Saturno, sextil a Netuno e a Marte, sesqui-quadratura a Mercúrio e trígono a Plutão e ao Sol, exato amanhã. Dia intenso, de entrarmos em contato com nossa ambição mais profunda, com a determinação mais afiada e ser honestos a respeito das desculpas tolas que damos a nós mesmos para não ir atrás de executar nossos grandes propósitos. É um dia em que temos a oportunidade, a força e o espírito para fazer mudanças importantes em nós mesmos, nossas atitudes, comportamentos e objetivos conscientes, isso porque ganhamos um raro acesso ao poder interior que nos propicia olhar fundo dentro de nossas próprias motivações e razões para fazer ou não fazer as coisas. Podemos também ter encontros de grande impacto, com figuras influentes e poderosas que podem nos empurrar na direção da realização de nossas metas ou que podem se mostrar particulamente dominantes e controladoras em relação a nós ou ainda, que nos inspiram grande inveja – qualquer que seja a situação, convém nos perguntar o que esta pessoa está carregando para nós, que ainda não conseguimos admitir que é nosso. Sol-Plutão em Capricórnio também chamam a atenção para a honestidade e a verdade com que exercemos nossa autoridade (ou a falta de) no mundo, a verdade de nossa realização mundana, que precisamos encarar a qualquer custo… Estamos realizados nesta esfera de nossa vida? Se não estamos, por que? Cadê a força da nossa ambição? Será que temos mais medo da nossa luz do que da nossa sombra? Mais medo do nosso poder do que da nossa fraqueza? Às vezes é muito conveniente parecer fraco, invisível, insignificante, porque então não despertaremos invejas ou rancores, competição e futricas… E então nos protegemos, dizendo que não queremos o que desejamos com tanto ardor! Debalde nos enganar porque no fundo a fome sempre estará lá, insatisfeita, não há como negar o desejo mais profundo da nossa alma, portanto, o melhor que fazemos é descobrir qual é essa fome e ir atrás de satisfazê-la, com gosto e determinação. E então não precisaremos reclamar do sistema, das estruturas rotas que usam e abusam de nós… Os sistemas estão podres e decaídos? É responsabilidade nossa transformá-los, demoli-los e criar condições para que sejam reconstruídos e que sejam mais seguros e límpidos, como dizemos querer… Enquanto continuamos a fugir de nossa responsabilidade diante de nossos sonhos e diante das questões maiores e coletivas, não temos o direito reclamar de nada… Esta semana temos que encarar nossa responsabilidade em como o poder tem sido exercido em nosso meio, positiva ou negativamente, seja nos meios políticos, econômicos, sociais ou espirituais… Lavar as mãos como um Pilatos moderno não nos exime de nossas culpas ou obrigações, afinal, o pecado da omissão é tão grave qanto o ato culposo/doloso em si. Assim, Plutão convida a mergulhar na escuridão de nossos motivos, desculpas, mentiras e verdades… A assumir responsabilidades por aquilo que somos e pelo lugar que ocupamos no mundo, qualquer que seja ele; a assumir nosso poder pessoal e a usá-lo apropriadamente, para a transformação de nós mesmos, de nossa vida e daquilo com que não concordamos. Ausentar-se, eximir-se, esquivar-se simplesmente não são opções – e se insistimos, arcaremos com graves consequências lá adiante. Em termos mais práticos o dia está favorável para fazer reparos ou para recuperar coisas quebradas e situações pendentes, para reciclar e restaurar coisas valiosas que estejam esquecidas ou enconstadas em algum canto. A intimidade entre os casais também pega fogo e é regada a muita paixão e romantismo, sensualidade e cumplicidade. Quem puder, que aproveite!

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 08 de janeiro – O Sol se afasta da conjunção a Plutão e começa a se aproximar da quadratura a Urano. A Lua Taurina completa o trígono ao Sol em Capricórnio, e fica vazia depois deste aspecto, à 00h24min. Já vazia ela faz quincúncios a Júpiter e a Saturno, virando foco de um Yod-Dedo de Deus. Dona Lua ainda trava diálogo harmonioso com Quíron – e torna Júpiter foco de outro Yod – mas se desentende com Mercúrio. Ingressa em Gêmeos somente às 20h07min, o que nos dá um dia inteiro de Lua vazia – felizmente é domingo! O dia está para lá de preguiçoso, ideal para acordar mais tarde e fazer programas básicos e simples, ficar em casa, descansar e se refestelar com uma boa comida e ótima companhia. Contudo, há influências incongruentes, que podem trazer alguma culpa por nos permitimos tanta preguiça e vida boa… Outras vozes nos mandam correr mundo, aventurar-nos sair do nosso conforto e tudo isso talvez gere alguma ansiedade, que possivelmente se manifeste num apetite voraz por mais conforto ainda. Apesar de tudo isso, é possível aproveitar o domingo, se conseguirmos conciliar as tais incongruências. O fim de tarde pode ficar meio pesadão e arrastado, mas a noite fica mais dinâmica e animada, a ponto de sairmos do casulo e finalmente nos aventurarmos porta afora.

Uma bela e tranquila semana para você! que seja de paz e luz!

Nota: Pessoal, tirei uma semana de recesso no período do Natal e por isso não houve artigo sobre a Lua Nova de Capricórnio. Aproveitei e deixei o laptop na assistência (sim, de novo, mais uma vez) e vou ter que deixar novamente – vou ter que reinstalar o windows 10!! (isso virou uma saga que qualquer hora eu conto aqui – Mercúrio retrógrado é fichinha perto disso!). Bom, estou no meio do artigo sobre 2017 e depois que resolver esse negócio do laptop, provavelmente semana que vem, eu publico as tendências para 2017.

Reprodução

Reprodução

 

A Semana Astrológica – Apertem os cintos…

Reprodução

Reprodução

Semana de 26 de dezembro a 1° de janeiro de 2017 – Apertem os cintos… Estamos atravessando uma área de turbulência! Semana de muita imprevisibilidade, tensões e conflitos… Consciência aguda de nossa impotência e de nossa falibilidade humana… Mas os propósitos se renovam, com mais realismo!

Última semana do ano, que chega trazendo eventos inesperados, sustos e comoção. Sim, estamos falando de Urano, que recebe esta semana a primeira oposição de Júpiter em Libra, a primeira de uma série de três. Nesta semana que termina já vimos muitas coisas chocantes acontecendo, desde atentados terroristas, clipes que chocaram os costumes moralistas dos brasileiros e até mesmo neve no deserto! Sim, nevou no Saara pela primeira vez em quase 40 anos! Veja a matéria, em inglês.

The Independent - Reprodução

The Independent – Reprodução

Como se não bastasse, Urano volta ao movimento direto também nesta semana, mais precisamente no dia 29, dia da Lua Nova de Capricórnio! Urano fica, assim, bastante enfatizado nesta semana, o que indica que são dias cheios de imprevisibilidades, de surpresas, de alterações bruscas nos acontecimentos e de notícias bombásticas. Num cenário como o que temos atualmente, isso é realmente preocupante, dado os conflitos que estão em andamento.

Reprodução - Desconheço o Autor

Reprodução – Desconheço o Autor

Quíron está bastante ativado também, há a sensação muito aguda de impotência e derrota; uma sensação de vergonha de pertencermos à raça humana, de lutarmos tanto e não conseguirmos superar diferenças simples; de causarmos tanto sofrimento uns aos outros, mesmo que indiretamente, ou de forma cabal, como é o caso de tantos conflitos e corrupção… Onde foi que erramos? E por que erramos tão feio, tão contundetemente? Teremos conserto ainda? Qual a fundura do abismo para o qual estamos caminhando? Com Quíron-Saturno, quadratura que fica exata na quarta, somos ao mesmo tempo julgado e juiz e o julgamento é por demais severo, porque não percebemos abolvição possível para essa humanidade tosca e primitiva… Mas não, realmente não podemos tomar este caminho tão penoso… Há que se ter perspectiva, empatia e uma abordagem mais filosófica… Há que se contabilizar a beleza, o altruísmo de muitos, o esforço e entrega de outros tantos… Estamos numa jornada difícil e longa, em que só vemos com clareza o que ficou para trás, o caminho já trilhado… E só porque não conseguimos ver com limmpidez, não podemos sucumbir à insegurança, nem nos dobrar ao medo, ou nos render ao desespero. A força está dentro de nós e o acesso a ela se dá pela calma e humilde aceitação da paisagem em que nos encontramos, das pedras do caminho… A serenidade resultante nos animará a retomar a caminhada e a olhar o futuro com mais tranquilidade e confiança.

Cam de Leon - Fall - Reprodução

Cam de Leon – Fall – Reprodução

Além da quadratura de Saturno, Júpiter também faz um quincúncio a Quíron, indicando incongruências na vivência da nossa espiritualidade, uma dificuldade em conciliar a fé com a realidade que precisamos encarar na nossa experiência terrena cheia de deficiências e insuficiências. Júpiter quer se expandir para além de todas as fronteiras do conhecido, inspira e aspira a grandes alturas, dando de ombros para aqueles que dizem que não é possível, porque para ele sempre há outras possibilidades. Mas Quíron vem lembrar que sim, podemos e devemos aspirar a toda essa expansão, mas ainda precisamos lidar com os ditames e regras da experiência da encarnação, do corpo, dos limites, das fragilidades que nunca vão embora eque jamais serão superadas. Sentimo-nos então, como anjos caídos, envergonhados de nossa falta de fé, da falta de esperança, da incapacidade de superar nossos medos. A busca de sentido pode ajudar a serenar a vida e essas dores incompreensíveis; encontrar um significado pode nos ajudar também a combater a amargura e a estreiteza de sentimentos, além de nos dar uma perspectiva mais filosófica da vida e suas ironias.

Catrin Welz Stein - Reprodução

Catrin Welz Stein – Reprodução

O Sol Capricorniano vai escalando a montanha do status social e por estes dias ele busca a cooperação de Marte e Netuno em Peixes, agregando criatividade e sonho aos projetos grandiosos de projeção social e de realização mundana. De seco e frio, esse Sol fica levemente doce e menos taciturno. Quem sabe até capaz de alguma gentileza para consigo e com os outros. Sim, a Cabra costuma ser taciturna, até para não demonstrar fraqueza e não parecer mole demais… Com os contatos de Peixes, essa Cabra precisa se irmanar, ter alguma compreensão das falhas alheias e das próprias, ter compaixão pelo outro e por si mesmo. Mercúrio em Capricórnio também faz contato com Netuno e Marte, mas na ordem inversa, já que Mercúrio está em marcha à ré. Pode ser que a introspecção fique mais acentuada em função disso, mas também recordações podem emergir das profundezas do inconsciente, trazendo nostalgia e a necessidade de rever o que fazer com tais conteúdos, se os descartamos de vez ou se os arquivamos num lugar especial da mente. Mercúrio também faz uma conjunção Inferior, simbolizando o início de um novo ciclo mental e novas ideias brotando, em sintonia com os novos propósitos, já que essa conjunção se dá um dia antes da Lua Nova.

Soldado russo toca um piano abandonada na Chechênia em 1994 - Reprodução

Soldado russo toca um piano abandonada na Chechênia em 1994 – Reprodução

Marte está em conjunção a Netuno, o que nos deixa um tanto dispersos, talvez um pouco letárgicos, querendo um oceano inteiro de desejos e coisas intangíveis, que nem nós conseguimos dar nome, daí a dificuldade em ir atrás de tais desejos, porque são muitos e vastos, coloridos e caleidoscópicos, indefiníveis e vagos… Queremos tantas coisas e tão diversas que não sabemos na verdade o que realmente queremos. Também é possível nos sentirmos desautorizados a ir atrás de tais desejos, quando o mundo parece estar se desintegrando à nossa volta e crianças têm seus sonhos esmagados pelas bombas da intolerância, do ódio e do amor ao poder – o coração se parte em muitos pedaços. De um idealismo incurável, Marte-Netuno está sempre em busca de sonhos impossíveis e devido a esse idealismo, pode também ser presa fácil da má fé alheia – isso quando ele mesmo não se torna um fraudador: por se sentir lesado e vítima do mundo, pode trapacear, como uma forma distorcida de “equilibrar” o jogo, já que pode se julgar injustiçado. Obviamente isso é uma auto-ilusão. Para lidar com a dispersão, é essencial saber o que preenche o coração, o que faz dançar a alma, o que nos faz querer pular da cama, acima de qualquer outra coisa. A assertividade é meio frouxa, porque ficamos incertos de nós mesmos e de nossos direitos – como também dos deveres, o que pode nos fazer esperar que outros resolvam o que é responsabilidade nossa. Tal insegurança e dúvidas a respeito da própria força e coragem podem levar a demonstrações exageradas de força, como os esportes arriscados, as competições ousadas e outras formas de se provar a própria determinação. E sim, algo terá que ser sacrificado, porque não é possível ter, fazer e realizar tudo… com Marte em Peixes e junto a Netuno, também colocamos nossa vontade a serviço de algo maior do que o ego ou realizações pessoais. Em termos práticos, com Marte em Peixes e conjunto a Netuno, fazemos bem se evitamos o álcool e drogas em geral, porque a sensibilidade está aumentada e os limites muito frouxos, de modo que não sabemos quando parar – particularmente nos dias em que a Lua estiver em Sagitário, fazendo quadratura a esses dois, porque Sagitário é o signo dos exageros e também tem dificuldade com limites.

Reprodução

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Balsâmica, vazia em Escorpião. Ingressa em Sagitário ainda nas primeiras horas da segunda-feira. Renova-se em Capricórnio na quinta e finda a semana em Aquário, prestes a entrar na fase Semi-Crescente.

Anne Wipf - Reprodução

Anne Wipf – Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 26 de dezembro – Júpiter está em oposição exata a Urano e Saturno também em trígono muito próximo ao mesmo Urano. A Lua abre o dia vazia em Escorpião, já na fase Balsâmica. Ingressa em Sagitário à 01h19min e logo faz quadratura a Marte e ao Nodo Sul em Peixes, quadrando também a Netuno mais tarde. Saturno está em quadratura a Quíron, exata daqui a dois dias. Este é um dia inusitado, extravagante até, onde coisas extraordinárias podem acontecer – acontecimentos auspiciosos, mas também violentos e dramáticos. É preciso estarmos preparados para qualquer coisa, qualquer eventualidade e estar dispostos a mudar de planos e improvisar, conforme as horas vão se desdobrando. Enrijecer-se e resistir ao vendaval pode criar toda a sorte de problemas e nos quebrar ao meio. Ainda é melhor encontrar-se perdido num lugar desconhecido, mas inteiros, do que ter que contabilizar inúmeros estragos depois. Com a devida sabedoria e flexibilidade, podemos fluir com esse vendaval e crescer com ele, acessando informações, conhecimentos e revelações que antes eram invisíveis para nós. Os caminhos estão abertos para mudar: mudar de opinião, de postura e atitude, de crença, de filosofia de vida… Expandir-se. Se insistirmos em permanecer igual a sempre, quando a vida convidar para uma aventura, estamos convidando a encrenca a bater na porta – é a chance que temos de nos liberar daquilo de que mais reclamamos. Em termos mundanos, as energias estão bastante voláteis, imprevisíveis e violentas, portanto, coisas estranhas e inesperadas podem ocorrer, especialmente considerando-se o cenário tenso que se descortina na Europa e Oriente Médio. Conflitos religiosos ficam mais agudos, potencializados pelo fanatismo e rigidez de posturas e crenças. Cataclismas naturais também não estão descartados. Respiração, meditação ativa e exercícios de ancoragem podem ajudar a manter o centramento e a serenar a inquietude. Apesar, ou melhor, exatamente por causa de todas essas influências, precisamos vibrar coisas positivas e emanar amor em todas as direções.

Reprodução

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 27 de dezembro – O Sol Capricorniano está em sextil pleno a Marte em Peixes hoje, enquanto Mercúrio retrógrado se afina com Netuno, também em Peixes. A Lua Sagitariana faz conjunção a Saturno, sextil a Júpiter, trígono a Urano, quadratura a Quíron e finalmente, sextil a Vênus, ficando vazia depois deste contato, às 23h46min. Júpiter segue em oposição a Urano e quincúncio a Netuno. Nossos propósitos mais conscientes e objetivos de desenvolvimento, que talvez estivessem muito austeros e cinzentos, ganham pinceladas de cor, imaginação e criatividade. Se nos empenhamos, conseguimos divisar maneiras de realizar tais intentos de forma criativa, buscando alternativas imaginativas quando nos depararmos com bloqueios, assim como a água contorna a pedra para fluir no seu curso. Às vezes, ao invés de bater de frente com os obstáculos, fazemos melhor se buscamos alternativas, inclusive, de perspectiva: quando nos sentirmos por demais cabisbaixos e depressivos, podemos recorrer às lembranças de outras situações em que conseguimos superar dificuldades parecidas. O dia traz uma sobriedade bastante útil, que nos ajuda na concentração e na resolução de problemas, sem perder a serenidade, além de nos aventurarmos nessa busca das alternativas. Embora possamos ter dificuldades com sensações de derrota e de impotência, a resiliência também está à nossa disposição, se procurarmos nos afinar com ela.

Reprodução - Desconheço o Autor

Reprodução – Desconheço o Autor

QUARTA-FEIRA, 28 de dezembro – Saturno está em quadratura partil (exata) a Quíron, Júpiter faz quincunce ao mesmo Quíron, aspecto já quase exato também. Enquanto isso, Mercúrio faz conjunção Inferior ao Sol, ficando Cazimi (conjunção de até 17 minutos de distância, aplicativa e depois separativa) por algumas horas e ainda dialoga com Marte em Peixes. A Lua abre o dia vazia em Sagitário e ingressa em Capricórnio às 13h12min. Urano estaciona às 07h29min, a 20°33’ de Áries, para voltar ao movimento direto amanhã. Um dia em que Quíron e seus temas ficam bastante realçados, assim como Urano, o que traz um peso e uma ansiedade bastante peculiares. Um peso que nos faz sentir soterrados, porque nos damos conta das nossas impossibilidades, das coisas que não conseguimos mudar, por mais otimistas e resilientes que tentemos ser. O peso de se perceber vivendo uma experiência humana, numa realidade bastante difícil, com situações que estão muito além do nosso controle e poder de resolução e isso, além de nos deixar deprimidos, nos envergonha, porque olhamos o mundo ao redor, vemos as notícias e sentimos vergonha de ser humanos, diante de tantas tragédias e dramas, causados pelo próprio ser humano, em sua ganãnica por poder; pessoalmente, nos sentimos cobrados duramente por todas essas mazelas, por tudo o que não conseguimos mudar. Olhamos para nosos modelos buscando orientação e guiança, e percebemos que são tão frágeis quanto nós, seja moralmente, seja fisicamente e nos decepcionamos e desapontamos, percebendo-nos num beco sem saída. Ao mesmo tempo, sentimos uma inquietação, uma ansiedade, que nos dão o impulso de correr para lugares mais seguros, feito bicho selvagem antecipando o terremoto. Embora pareçamos não ter saída, ainda temos escolha. Podemos nos colocar como vítima, podemos sucumbir diante das cobranças e da nossa própria vergonha e falta de esperança, podemos disistir e achar que nada vale a pena… Mas podemos também olhar as mesmas situações sob diversas perspectivas; podemos aceitar a realidade conforme se apresenta, cientes de que só estamos vendo uma parte do todo e de que mesmo essa pequena parte que vemos, está colorida pela nossa subjetividade; podemos nos olhar no espelho e, ao invés de nos julgar e nos envergonhar do que vemos, podemos oferecer amor, bondade, compaixão, empatia e dar colo e aceitação para esse lado quebrado, trincado, desconjuntado, aleijado, torto, imperfeito, sombrio que carregamos em nós e, da mesma maneira, dar um lugar no nosso coração para a imperfeição do mundo e da vida, entendendo que estamos aqui para lidar com com essas mesmas imperfeições, as nossas e as do mundo. Ao invés de fechar as mãos e apontar dedos em riste, podemos abrir os braços e acolher à nossa própria dor, vergonha, sofrimento. Nesses momentos, precisamos nos lembrar: “mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir” (parte de um poema atribuído a Cora Coralina, mas cuja autoria é incerta). E podemos simplesmente decidir parar um pouco, lamber as feridas, dar uma trégua ao nosso coração alquebrado, antes de nos reerguer e seguir em frente. E sim, há energias poderosas sendo liberadas hoje, que podem alterar o curso de muitas situações, da vida, num piscar de olhos. Precisamos estar atentos e disponíveis às mensagens dos deuses, aos lampejos luminosos da mente inconsciente, que pode nos premiar com visões inusitadas que trazem soluções impensadas e, por isso mesmo, preciosas. Quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça!

Reprodução

Reprodução

QUINTA-FEIRA, 29 de dezembro – Urano retorna ao movimento direto às 07h29min, dando uma ênfase especial à Lua Nova de Capricórnio (04h53min, horário de Brasília e 06h53min no horário de Lisboa), que traz Urano estacionário. Antes de se encontrar com o Sol, a Lua faz conjunção a Mercúrio, sextil a Marte e, já renovada, conversa também com Netuno. À noite faz conjunção a Plutão. A Lua Nova inaugura um tempo de sermos mais conscienciosos com nossos objetivos mundanos, especialmente aqueles que se referem ao trabalho, profissão/carreira e nossa posição na sociedade. É um tempo de renovar nossa disciplina, perseverança, comprometimento e de nos responsabilizar pelos nossos sonhos, por esses objetivos que tanto almejamos realizar. Urano está estacionário neste mapa e recebendo trígono do regente da Lua Nova, Saturno e avisa que precisamos agregar inovação, flexibilidade e um olhar novo e inventivo a todos esses objetivos, porque se insistirmos em manter tudo como era ontem, se mantivermos uma abordagem escessivamente conservadora, poderemos ter surpresas desagradáveis, que nos obrigarão a refazer todo o caminho, a rever esses objetivos e talvez até voltar ao começo de tudo. Mercúrio também está retrógrado em Capricórnio, salientando que este período é não só favorável, mas recomendável para se reavaliar nossas metas e propósitos nestas áreas de vida. Enquanto Urano esteve retrógrado, todas as revoluções e mudanças representadas por ele e ocorridas entre dezembro de 2015 e julho de 2016 passaram por revisões, algumas para serem descartadas, outras para serem confirmadas. Agora, com Urano voltando ao movimento direto, as mudanças que estavam travadas e em standby voltam a fluir, especialmente questões relacionadas com a tecnologia e com avanços científicos. E olha que coisa interessante: Urano também estava estacionário-direto na Lua Nova da Cabra em 2014 e eu dizia assim, no artigo daquela Lua Nova: “Com Urano voltando ao movimento direto justamente hoje, um aviso nos é dado: há que se buscar estabilidade, mas sem se tornar estagnado, sem esquecer que a única constante na vida é a impermanência. Lembrar que nossa tarefa é desenvolver solidez e buscar longevidade, mas cientes de que tudo pode mudar num átimo, como o cair de um raio”. Isso está valendo mais do que nunca, com Urano sendo cutucado por todos os lados! Impermanência! Tudo pode mudar num átimo!

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 30 de dezembro –  Júpiter está a minutos do quincúncio a Quíron. A Lua Capricorniana se afasta da conjunção a Plutão, faz quadratura a Urano e a Júpiter, virando foco de uma T-Square Cardinal, já que ambos estão em oposição. A Lua fica vazia depois da quadratura a Júpiter, às 06h09min e fica fora de curso o resto do dia. Ingressa em Aquário às 23h29min. A tendência da semana a imprevisibilidades e mudanças abruptas de humor ou de curso das situações fica mais acentuada hoje. A influência favorece um exame cuidadoso e das nossas insatisfações mais íntimas e das frustrações mais gritantes, com as quais devemos lidar honesta e diretamente, para não termos que lidar com pequenas bombas que caem nas nossas mãos desavisadamente. As alterações das nossas crenças e visão de mundo precisam de um receptáculo concreto e palpável, precisam ser aplicadas de maneira prática e objetiva, para serem críveis e efetivas. É possível que o dia traga situações em que nos sentimos muito pressionados por obrigações e deveres que nós mesmos assumimos ou situações de dramas e crises em que nós mesmos nos metemos, o que nos leva a ansiar por liberdade e por estar desobrigados e soltos… Mas não tem jeito, ajoelhou, cabrito, tem que rezar! Já que estamos no inferno, vamos beijar o Diabo, certo, Hades-Plutão? Não tem muita escapatória, o negócio agora é lidar com a crise de maneira madura, pragmática e, principalmente, digna, porque ninguém tá a fim de perder a compostura e estragar o humor nos feriados… Assim, atenhamo-nos ao que é possível, façamos o que tem que ser feito. É preciso expulsar? Expulsemos! É preciso dizer verdades? Digamos! É preciso quebrar os ovos para fazer a omelete? Procedamos com isso… De sorte que não adianta reclamar, o negócio é crescer e aprender com a confusão e tentar sair ileso do bombardeio!

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 31 de dezembro – O quincúncio Júpiter-Quíron fica exato hoje e Marte faz conjunção a Netuno, que também recebe sextil do Sol. A Lua está bastante isolada e sem aspectos no início de Aquário. Um dia que está mais do que sensível, nostálgico e melancólico, tão sensível que possivelmente muitos de nós escolham, inconscientemente dissociar-se das emoções e sentimentos e desapegar-se do sofrimento e do desconforto tão crus que temos sentido recentemente… Quando uma pessoa é exposta a situações críticas de trauma por um tempo demasiado longo, ocorre uma dissociação, uma cisão na psique, que é a única maneira de sobrevivermos… Muitos têm vivido situações críticas e dramáticas mundo afora e é possivel que isso esteja acontecendo de verdade, com muita gente. É um mecanismo de defesa, uma maneira de nos protegermos do sofrimento atroz e aniquilador. A dificuldade de conciliar a fé e o otimismo com os cenários lúgubres e pesados que nos cercam, com as notícias tristes e preocupantes que recebemos minuto a minuto, cria uma outra cisão em nós, como se desse uma pane na mente, um bug no hard drive em que as contas não fecham, os números não batem… Isso pode realçar a sensação de impotência e fragilidade e os mais sensíveis podem ser tragados pelo sofrimento do mundo, ficando paralisados, sofrendo junto. Mas não podemos sucumbir a tal pessimismo e terror, em vez disso, podemos continuar emanando amor e compaixão por todos os que sofrem, de perto ou de longe; podemos enviar orações, vibrações e podemos nos sintonizar com as energias de cura do mundo e do planeta. Ter noção da fragilidade da vida e também da sua efemeridade nos ajuda a valorizá-la um pouco mais. E em lugar de lastimar, precisamos nos lembrar que, se somos humanos e estamos aqui, todas essas experiências têm algo a nos ensinar. A ingestão de álcool e drogas em geral, por mais tentadora que seja, por nos oferecer anestesia e escape, está mais que desaconselhada neste período. Isso pode parecer careta e chato considerando-se que é revéillon, mas, acredite, a ressaca do dia seguinte pode trazer mais dissabores do que uma mera dor de cabeça! Ressca moral das brabas, para dizer o mínimo! De qualquer forma, desejo uma passagem de ano feliz e abençoada para você, onde quer que esteja!

Reprodução

Reprodução

DOMINGO, 1° de janeiro- Virada do Ano – Marte completa a conjunção a Netuno na virada do dia e do ano. Júpiter segue em quincúncio a Quíron, que também recebe quadratura de Saturno, exata dias atrás. A Lua em Aquário faz trígono a Júpiter e sextil a seus dois dispositores, Saturno e Urano. Júpiter está em oposição a Urano e sextil a Saturno e Saturno em trígono a Urano – este é o clima da virada do ano, um clima de apreensão, mesclado com empolgação, inquietude, uma leveza dissociada e um desejo enorme de escapar e desaparecer em algum lugar desconhecido onde a vida seja mais leve e mais bonita… É um tom bastante agridoce: ao mesmo tempo em que queremos nos animar e ter esperança no novo ano que se desvela, em que nos empolgamos com amigos e celebrações, uma incerteza incômoda não nos deixa acreditar nisso completamente. Como, se estamos perfeitamente cientes de que o mundo está de cabeça para baixo? Se sentimos que andamos sobre um campo minado e que a qualquer momento tudo pode ir pelos ares? O clima está bastante tenso pelo mundo afora e a isso não conseguimos ignorar. Contudo, também não podemos nos deixar levar pela ansiedade e pelo pessimismo que nada nos acrescentam. Sim, a despeito de toda a incerteza, a escolha ainda é nossa: sobre que tipo de vibração queremos emanar e que tipo de vida queremos levar, se uma vida baseada no medo ou uma vida baseada no amor. A Lua Aquariana traz uma perspectiva objetiva e desapegada, de quem observa de longe e de quem busca unir o melhor do mundo velho com o melhor do mundo novo: como conseguimos essa façanha? Confiando em nós mesmos e em nossa experiência e simultaneamente nos abrindo a novas vivências, que possam alargar nossos horizontes e visão. Não podemos nos apegar demasiadamente ao que já vivemos e nos fechar para o novo, nem podemos desprezar e demolir tais experiência achando que somente a novidade tem valor. É um novo ano! Que possamos nós, também, ser novas pessoas, mais amáveis e verdadeiras; menos conectadas às máquinas e mais próximas das pessoas, menos duvidosas de nós mesmos e mais confiantes no fluxo eterno da vida…

Feliz Ano Novo para você! Que seja de luz, amor e muitas bênçãos! E, sobretudo, que seja de PAZ!

feliz-ano-novo1

A Semana Astrológica – De cair o queixo!

Reprodução

Reprodução

Semana de 19 a 25 de dezembro – Semana de soltar e liberar o velho que não serve mais e abrir-se para o novo, de maneira harmoniosa, sem sofrimentos desnecessários. Revisões e reavaliações estão duplamente na agenda do período!

Reprodução

Reprodução

A Penúltima semana do ano vem marcada por muitos acontecimentos astrológicos importantes, que a tornam forte e intensa, além de ser uma semana especial no calendário convencional. Uma semana que, apesar de todo esse dinamismo, traz um tom melancólico de desamparo como pano de fundo, devido a todos os acontecimentos recentes, no Brasil e no mundo. Todas essas “reformas” aprovadas por um congresso que só legisla em causa própria, descaramente – queria ver eles reformarem e enxugarem mesmo era os números de deputados e senadores, isso sim! Os conflitos e manifestações nas ruas, o clima de incerteza e desolação… Mas, principalmente o conflito na Síria, com destaque para as notícias sobre Aleppo – que coisa trágica e terrível, o que seres humanos são capazes de fazer com outros seres humanos, por poder, controle, dinheiro, intolerância… Eu tinha falado que a semana passada tinha um pouco mais de leveza, devido à Lua Cheia de Gêmeos, à culminação do ciclo, sem me atentar para o mundo. Sinto muito, pessoal. A gente quer trazer um tom otimista, elevado, mas tem horas que é bem difícil. Oremos, vigiemos e cuidemos da nossa vibração, para não nos deixarmos levar pela desesperança. E oremos muito pela Síria e por todas as pessoas que estão em áreas de conflito. Edição: há rumores de que algumas das notícias e vídeos sobre Aleppo seriam forjados e falsos. No mundo de hoje, nem sempre conseguimos verificar a veracidade de tudo, mas é inegável que há um grave conflito em andamento já há dois anos, independentemente dessas notícias supostamente falsas. Eu assisti a vídeos de canais sérios, que não deixam dúvidas quanto à gravidade da situação. Não se trata de discutir aqui as razões e os porquês, o terrorismo ou a legitimidade do governos ou as razões dos rebeldes, apenas de enviarmos nossas orações àquelas pessoas que estão expostas a toda a violência, vivida em inúmeras formas.

Reprodução

Reprodução

Falando em poder, Mercúrio abre a semana ficando retrógrado, na segunda-feira, inaugurando o tempo das revisões, reflexões e reanálises, que neste caso ganham ares de reflexões anuais, pois todos estão reflexivos acerca do ano que finda e das expectativas para o outro ano que vai começar. Mercúrio fica retrógrado em conjunção a Plutão e Fora dos Limites do Sol e isso nos diz que nesta retrogradação Mercúrio cavará muito fundo para descobrir os segredos e assuntos escondidos e os podres dos podres poderes estabelecidos – perdão pelo trocadilho irresistível – trazendo à superfície muitos esqueletos petrificados, que poderão causar muito espanto e indignação. Mas sempre é tempo de se falar a verdade e de se escancarar informações que interessam a muitos mas que foram suprimidas e obstruídas por poucos – obviamente, devido a interesses escusos. Mercúrio também é foco de uma T-Square, já que faz quadraturas a Júpiter e a Urano, que estão em oposição: é preciso identificar quais são as ideias e conceitos ultrapassados que funcionam como prisões mentais e que inibem ou impedem nosso crescimento – neste caso, não precisamos que ninguém de fora nos limite em nada, porque nós mesmos já fazemos isso, ao nos fechar ao novo, às novas ideias, ao nos recusar a ver o mundo de perspectivas diferentes daquelas a que estamos acostumados – Mercúrio retrógrado nessa T-Square nos dá de presente a oportunidade de rever todas essas ideias retrógradas. Em termos pessoais, Mercúrio retrógrado em Capricórnio sugere que revisemos nossas metas e objetivos profissionais e de carreira, assim como nosso papel social e nosso lugar na comunidade. E, claro, revisão da nossa comunicação e dos conceitos mentais que temos a respeito dessas áreas! De forma mais prática, não é um bom período para se comprar aparelhos eletrônicos, especialmente telefones celulares e computadores; também não é um bom momento para se assinar contratos e documentos importantes – quem puder, faz bem em esperar. Mercúrio volta ao movimento direto no dia 08 de janeiro de 2017.

Reprodução

Reprodução

O Sol ingressa em Capricórnio, marcando o Solstício de Verão no Hemisfério Sul e de Inverno no Hemisfério Norte. Um novo ciclo trimestral começa e uma mudança sutil na energia toma lugar. Lá no Norte a Terra descansa e dorme, cá no Sul é tempo de abrir-se à força da vida e de cuidar das plantações para que a colheita seja boa e plena. No Solstício temos o dia mais longo do ano no Hemisfério Sul, porque o Sol está na declinação mais meridional, a 23°27’, atingindo o Trópico de Capricórnio. Como é a posição em que o Sol está mais distante do Hemisfério Norte, naquela região dá-se, o contrário, o dia mais curto e a noite mais longa do ano. De Capricórnio o Sol faz sextil a Netuno, mas este aspecto só se completa na semana que vem. O trânsito do Sol por Capricórnio ressalta a necessidade de cuidarmos das nossas obrigações mundanas, de investirmos na profissão e na carreira, verificando o comprometimento e disciplina necessários para atingirmos nossos objetivos materiais e sociais. Prestígio é o reconhecimento público por aquilo que fazemos bem feito, com maestria; pela autoridade desenvolvida no longo e incansável aprendizado, sem queimar nenhuma etapa. Em Capricórnio somos convidados a refinar nossa autoridade e ocupar com maestria nosso lugar no mundo.

Group Of Friends Making Toast Around Table At Dinner Party

Group Of Friends Making Toast Around Table At Dinner Party

Vênus em Aquário faz aspectos de harmonia com Júpiter, Saturno e Urano, aumentando a aproximação e sendo uma ponte entre Saturno e Urano, que atualmente estão numa conversa amistosa, uma conversa que dura quase todo o ano de 2017, como já ressaltamos no texto da semana passada. Em contato com esses planetas, Vênus convida a expandir nossas relações para além do escopo meramente pessoal; as relações precisam ter um impacto de mudança, benéfico e transformador, no mundo em que vivemos. Em termos mais pessoais, esses contatos nos falam de um tempo de maior entendimento e estabilidade nas relações, propiciando aos parceiros crescerem e se ajudarem mutuamente, a relação ajudando-os a superar dificuldades individuais ou vice-versa. Favorece também a convivência e a camaradagem entre amigos.

Reprodução

Reprodução

Marte ingressa em Peixes, abrindo uma temporada desconfortável para a assertividade, visto que Marte neste signo avança de maneira incerta em direção aos objetivos. Com Marte em Peixes precisamos empenhar o coração e engajar a imaginação e a sensibilidade para realizar nossos projetos. É um posicionamento poético, sutil e gentil quando positivo – a força da gentileza é uma boa tradução para este posicionamento. Quando negativo pode recorrer à agressividade passiva, pode ser manipulador e agir na surdina. Tem receio de confrontações diretas e dificuldade em se defender ou em perceber a própria vontade como legítima, porque geralmente há uma sensação de sacrifício acompanhando este posicionamento. Tem dificuldade também em perceber quem são seus inimigos e assim pode ser meio paranoico e explodir em horas inapropriadas, por não saber dosar a liberação do impulso agressivo e nem a quem dirigi-lo assertivamente. É ótimo para as artes e profissões criativas em geral. Surpreendemente, também é excelente para os esportes competitivos, porque nos esportes a pessoa aprende a descobrir sua vontade, seu desejo pessoal, assim como sua força e seu instinto agressivo e aprende a canalizá-los adequadamente. As atividades físicas, especialmente as artes marciais são ótimas ferramentas para se lidar com problemas de gestão da raiva, que às vezes aparece quando Marte está neste signo, principalmente fazendo aspectos tensos.

Reprodução

Reprodução

Saturno em Sagitário faz o primeiro trígono exato a Urano em Áries, exatamente no domingo, dia de Natal, faz quadratura a Quíron na semana que vem e Júpiter fecha a semana também em oposição quase exata a Urano, de maneira que este fim de ano provavelmente trará muitas surpresas, muitos eventos abruptos e estranhos, especialmente no campo das leis e da justiça, das religiões, do conhecimento e das riquezas. Notícias de última hora podem nos deixar de boca aberta e queixo caído, literalmente, especialmente considerando-se que Mercúrio estará retrógrado. Conflitos já em andamento podem ser piorados e outros podem surgir, muitos deles motivados por questões religiosas. Fiquemos todos muito atentos e tomemos cuidado para não nos deixarmos levar pela empolgação de outros  ou mesmo nossa, empolgação que não tenha razão de ser, que não tenha fundamento. A primeira oposição Júpiter-Urano fica exata na segunda-feira, dia 26.

waning-backdrop-drop

Reprodução

A Lua abre a semana na fase Disseminadora, em Virgem, onde também fica Minguante, na terça-feira. Reequilibra-se em Libra, mergulha fundo na intensidade de Escorpião, onde se torna Balsâmica e onde encerra o domingo e a semana. A Lua será Nova a 07°59’ de Capricórnio na quinta-feira, dia 29.

Reprodução

Reprodução

SEGUNDA-FEIRA, 19 de dezembro – Marte ingressa em Peixes às 06h23min e Mercúrio está oficialmente retrógrado a partir das 07h55min. A Lua Virginiana faz conjunção ao Nodo Norte, sesqui-quadratura a Urano e oposição a Netuno. A Lua ainda faz quincúncio a Vênus e trígonos a Mercúrio e Plutão, fechando a noite em quadratura não exata a Saturno. O dia traz influências contraditórias: ao mesmo tempo em que amanhecemos cheios de uma energia industriosa, dispostos a resolver problemas, trabalhar e seguir em frente com os compromissos, por outro lado, uma certa letargia também nos acomete, causando confusão, dúvidas e dispersão. Talvez esta influência se manifeste na forma de situações diversas que ocorrem ao nosso redor, tirando a concentração ou exigindo nossa atenção e causando preocupações, pois despertam nosso desejo de ajudar e ser úteis àqueles que precisam de nós. Para lidar com tais dilemas, precisamos fazer o que Virgem faz de melhor: organizar as tarefas e o dia e priorizar o que é mais importante, estando muito conscientes de que não é possível fazer tudo, muito menos salvar o mundo de todas as suas mazelas, mesmo que estejamos agudamente cientes desse sofrimento e dessa dor. Pequenos gestos e atitudes podem fazer a diferença para quem está perto de nós e podem reverberar para locais e situações que nem imaginamos. Para o sofrimento lá de longe, mandamos uma prece sincera e nossas melhores vibrações. E focamos no trabalho, focamos em fazer a nossa parte bem feita, o melhor que podemos dar.

Brooke Shaden Photography - Reprodução

Brooke Shaden Photography – Reprodução

TERÇA-FEIRA, 20 de dezembro – De Virgem a Lua quadra Saturno e se opõe a Quíron, formando uma T-Square Mutável e ativando muito a quadratura Saturno-Quíron. Dona Lua ainda se irrita muito com Urano e faz quadratura ao Sol, entrando na fase Minguante, às 22h55min, ficando vazia logo depois deste aspecto, às 22h57min. Ingressa em Libra às 23h40min. A sensação de frieza e solidão está forte hoje e acordamos desassossegados, meio deprimidos, muito cientes de tudo que não vai bem, seja conosco, seja no mundo. Um peso enorme se abate sobre nós e talvez nos julguemos muito duramente por causa de todos os nossos pequenos (ou grandes) defeitos, problemas e dores. Se não nos damos conta disso a tempo, podemos azedar as interações, criticando e julgando com a mesma dureza aos outros que topamos pelo caminho, ou nos sentimos criticados e julgados injustamente, o que nos deixa mais cabisbaixos. Mas podemos aproveitar essas influências para verificar o que podemos fazer, de fato, sobre tais questões ou problemas. Ao invés de ficar remoendo internamente, podemos tomar medidas práticas que nos façam sentir melhor, algo realista e factível, que, se não resolve tudo, pelo menos nos permite sentir menos passivos e vitimizados. Ainda assim, precisamos observar que há coisas que não são passíveis de modificação e a essas, só podemos abraçar e aceitar, sem sucumbir à desesperança nem à anestesia que torna a vida mais fácil, mas também mais cinzenta e insossa. Somos quem podemos ser e só conseguimos mudar e aspirar a um futuro diferente, quando fazemos as pazes com aquilo que somos no presente. Ademais, cada dia traz a oportunidade de alargarmos nossa percepção, se apenas nos abrirmos a isso.

Reprodução

Reprodução

QUARTA-FEIRA, 21 de dezembro – O Sol ingressa em Capricornio às 08h45min (10h45min para Lisboa), marcando o Solstício de Verão no Hemisfério Sul (Inverno no Hemisfério Norte). A Lua, Minguante e Libriana, faz quincúncio a Marte, recém ingresso em Peixes e depois a Netuno. Chegamos ao último trimestre do ano astrológico. A ingressão do Sol dá o tom de como vai ser esse trimestre, até o Equinócio de Outono, em março de 2017. O mapa da Ingressão avisa que muitas coisas estão ocultadas das nossas vistas e da nossa consciência. Embora o que aparece no alto pareça positivo e promissor, é preciso cautela, porque coisas essenciais não estão sendo consideradas, especialmente na política e no que tange ao Poder Executivo e à autoridade máxima do país. Muita coisa pode mudar num piscar de olhos, quando menos se espera. Em termos mais práticos, temos uma mudança sutil, que nos torna mais pragmáticos e realistas, dispostos a lidar com os problemas conforme de apresentam. Por sua vez, o dia traz discordâncias entre nossa predisposição interna e os encontros que temos no mundo. O desejo forte por harmonia e tranquilidade é quebrado por uma percepção de que as situações são menos do que ideais e uma sensação de desapontamento quebra o sossego interior. Isso pode se dar a partir de discussões bobas ou divergências na forma de de sentir o mundo ou de fazer as coisas, como se estivéssemos andando contra o vento. Achar pontos em comum com o outro faz-se muito difícil, mas isso não tem que ser impedimento para a convivência civilizada, desde que se respeite as diferenças e até se perceba valor nelas. Para que consigamos ir adiante com as tarefas e obrigações é necessário chegar ao entendimento tácito de que não é possível agradar a todos, nem mesmo àquelas vozes internas que teimam em nos cutucar irritantemente, demandando atenção. Qual criança que não vai se aquietar enquanto não lhe dermos ouvidos, podemos escutar as tais vozes e, mesmo que não consigamos atendê-las, elas se aquietarão se forem reconhecidas e adequadamente endereçadas. E poderemos andar a favor do vento e ver onde ele nos leva.

the Marazmo - Reprodução

the Marazmo – Reprodução

QUINTA-FEIRA, 22 de dezembro – A Lua Libriana se desequilibra na contenda com Mercúrio e Plutão. Porém a Lua também se harmoniza com sua dispositora, Vênus, faz conjunção a Júpiter e dialoga, tranquila, com Saturno. Mas ela ainda se opõe a Urano e fica vazia depois, às 17h33min, tendo problemas ainda com Quíron e outros mais inconscientes com Netuno. As discussões podem ser inflamadas e duras hoje, de modo que é preciso muita cautela na comunicação – indubitavelmente, a palavra pode ferir ou curar dependendo de como a proferimos e da nossa intenção primeira, portanto, é preciso estar muito atentos às nossas motivações mais profundas, para não sermos destrutivos e sarcásticos na comunicação e nas interações em geral e sem recorrermos à agressividade passiva também. Transformar as relações e ter uma comunicação mais honesta e verdadeira, sem que isso signifique uma comunicação civilizada e contida na expressão, mas cheia de veneno no conteúdo, tudo sob o disfarce da “sinceridade”. É preciso ser honestos conosco mesmos e não ceder somente para agradar, do contrário, incorreremos no pior tipo de deslealdade: a deslealdade consigo mesmo. Dizer não e eliminar da vida as insiceridades que fazem mal e que empesteiam as relações. Identificar as práticas espúrias e insidiosas, disfarçadas sob o verniz da civilidade e do bom tom e eliminá-las de uma vez por todas. Chega de tolerar o intolerável, em nome da civilidade e da boa convivência. Não somos obrigados a aceitar e conviver com aquilo que não concordamos, com aquilo que vai contra nossos valores, com aquilo que é visivelmente injusto e desonesto. E isso pode ser feito ser feito com firmeza, de forma decidida e até enérgica, mas ainda assim, gentil, enxergando que o outro é meu espelho e carrega muito de mim e, mesmo que não respeite suas práticas, preciso respeitar o humano por trás delas. Não temos que ser rudes desnecessariamente. É possível ser íntegro e firme e ainda assim ser respeitoso e gentil.

Reprodução

Reprodução

SEXTA-FEIRA, 23 de dezembro – A Lua abre o dia fora de curso em Libra e ingressa em Escorpião somente às 12h33min, de onde faz trígono a Marte e sextil ao Sol. Saturno marcha para completar o trígono a Urano e Júpiter também caminha para a oposição a ele. A manhã traz horas propícias à reflexão calma de todas as coisas que precisamos eliminar de nossa vida que vão contra nossos valores, mas que viemos tolerando pela política da boa vizinhança. Jogos de interesses; a postura excessivamente diplomática que esconde o medo de perder regalias ou posição social;  a atitude morna de quem vive permanentemente em cima do muro, por medo de se posicionar e manchar a própria figura sob o olhar da sociedade… Identifique nas suas relações o que precisa ser eliminado de forma categórica e cirúrgica, para tornar as relações mais íntegras e plenas. A manhã também fica sujeita a muitos imprevistos que perturbam a harmonia e o desejo por paz. Contudo, é debalde indispor-se contra isso e o melhor é fluir com os acontecimentos. À tarde as energias ficam mais densas e nos sintonizamos mais intensamente com os sentimentos, sensações e com nossa vontade mais profunda. Assim, podemos ganhar nosos insights sobre as eliminações que ainda precisamos fazer e trabalhar apaixonadamente naquilo que faz mais sentido para o nosso coração. Ainda assim, imprevistos continuam a ocorrer e precisamos estar preparados para lidar com eles, conforme acontecerem.

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 24 de dezembro – A Lua está minguante em Escorpião e faz trígono a Netuno em Peixes e sextil a Mercúrio retrógrado e a Plutão, ambos em Capricórnio. Saturno está em trígono a Urano. Energias bastante densas colorem o dia, convidando-nos a uma reflexão aprofundada das sensações e pensamentos que nos ocorram, buscando maneiras de vivenciá-los de forma prática, agregando sensibilidade e imaginação às tarefas diárias e prosaicas, colocando o coração e a alma naquilo em que estamos envolvidos. Podemos identificar muitas situações que demandam resolução, que exigem ser transformadas. Talvez não consigamos alterar tudo, mas podemos ter uma percepção mais clara das possibilidades, o que podemos mudar e o que tem valor do jeito que está. Sabemos que a mudança pela mudança pode ser tão destrutiva quanto não mudar de jeito nenhum, assim, analisamos quais modificações são, de fato, necessárias e traçamos planos concretos para realizá-las. As dificuldades, ao invés de nos desanimar, devem nos dar impulso e funcionar como combustível para fazer o que tem que ser feito. O clima da ceia de Natal está intimista e sensível, de modo que não queremos reuniões que acontecem somente pela obrigação ou pelas convenções. Queremos estar com pessoas que nos são caras, verdadeiramente, sem falsos laços, sem vínculos de mentirinha… E se temos tudo isso, precisamos agradecer. Caso isso não seja possível e nos vejamos forçados estar onde não queremos, com quem não gostamos realmente, talvez nos deparemos com situações melindrosas e constrangedoras nas reuniões familiares, onde verdades são cuspidas com intenção de ferir e chocar. Tendo isso em mente, podemos nos preparar para uma ceia cujo prato principal seja a compaixão e o amor verdadeiro, tanto os sentimentos pessoais por aqueles que nos cercam, quanto no plano impessoal, humanitário, vibrando amor, compaixão e cura a todos os seres vivos da Terra. Os presentes? Nesse mundo consumista e hiperconectado, o mais importante é estar presente, verdadeiramente, quando estamos com as pessoas.

Candido Portinari - Reprodução

Candido Portinari – Reprodução

DOMINGO, 25 de dezembro – Saturno em Sagitário está em trígono pleno a Urano em Áries. Vênus faz trígono a Júpiter, sextil a Saturno e a Urano. A Lua míngua em Escorpião e faz quadratura a Vênus em Aquário, ficando vazia depois, às 05h24min. A Lua ainda se desentende com Urano, se afina com Quíron e faz semi-quadratura ao Sol, entrando na fase Balsâmica. O dia traz influências e emoções agridoces. Por um lado, há uma sensação de contentamento simples, um calor de quem se percebe estar no lugar certo, fazendo as coisas certas, com as pessoas com quem se queria estar. Há uma aceitação serena da vida como ela é e a percepção das coisas que podem ser melhores e do que fazer para melhorá-las, sem que isso implique numa destruição completa daquilo que nos dá suporte. Contudo, há também percepções de que certas crenças e visões estão ultrapassadas e estas precisam ser endereçadas sem demora, do contrário nos acharemos lutando batalhas inglórias, vazias de sentido, como um Dom Quixote que precisa combater inimigos fantasiosos, porque é incapaz de lidar com os inimigos e desafios reais da vida que se apresenta. A batalha mais dura e mais difícil, é sempre conosco mesmos, com nossa preguiça e acomodação, com o desejo de ter as coisas facilitadas e abrandadas, quando deveríamos ir de peito aberto em busca de uma vida mais íntegra e com mais significado. Da mesma maneira, a mais doce e saborosa das vitórias é essa vitória sobre as nossas desculpas e retrocessos. A fase Balsâmica nos convida a deixar para trás, de vez, essas desculpas e olhar para o futuro com mais confiança em nós mesmos, revendo essas crenças e abrindo-se ao novo e às mudanças necessárias.

Desejo a todos uma ótima semana e um Natal de paz, harmonia e bênçãos, junto àqueles que lhes são caros!

Image result for feliz natal presépio

Reprodução

Reprodução

A Semana Astrológica – Respirar o amor, aspirando liberdade

Reprodução

Reprodução

Semana de 12 a 18 de dezembro – Semana de expansão, colheita, frutificação e resultados… De aspirar à liberdade, de amar com leveza…

…tudo isso simbolizado pela fase cheia da Lua, que se consuma na terça-feira à noite, em Gêmeos. Mas outras influências sugerem um tempo de avançarmos e progredirmos, a despeito da contundente consciência de nossas fraquezas e receios; conciliar, com sabedoria, o peso que o reconhecimento de tais fraquezas e falhas nos traz, com a perspectiva de transformar algumas – ou muitas – delas, a partir, primeiramente, de sua respeitosa aceitação. Estou falando dos aspectos que o Sol faz nesta semana a Quíron e a Urano. Enquanto um nos confronta com nossas mazelas, o outro nos aponta maneiras de superá-las, se estivermos dispostos a nos desapegar do sofrimento e da posição de vítimas.

Reprodução

Reprodução

Mercúrio está Fora dos Limites do Sol, selvagem e rebelde – o que é uma contradição com o disciplinado signo de Capricórnio – e se aproxima lentamente da conjunção a Plutão, conjunção que não chega a se completar porque Mercúrio fica retrógrado antes que isso aconteça, no dia 19, segunda-feira da semana que vem. Assim, ele passa a semana toda (e a próxima também) juntinho de Plutão, confabulando, cavando, sondando os segredos do poder, para revelá-los na hora certa, porque, para Capricórnio, informação é ouro e não deve ser usada levianamente. Tudo tem seu tempo e lugar e nada é dito ou feito com afoiteza, tudo é calculado estrategicamente, para ter o máximo impacto e o melhor dos resultados. Como diz Racine, “não há segredo que o tempo não revele” e é disso que Mercúrio está se inteirando com Plutão em Capricórnio. Esse Mercúrio vai dar o que falar nas próximas semanas!

Reprodução

Reprodução

Vênus ingressou em Aquário e está isolada, sem conversar com ninguém, a não ser quando dona Lua passa para bater papo ou bater boca. Vênus em Aquário pede que olhemos as relações de maneira mais desprendida, mais solta e livre dos preconceitos e dependências; pede que vivamos as relações com mais honestidade e liberdade, sem ranços ou expectativas de que o outro vá tomar conta de nós e resolver nossos pequenos problemas. Como diz aquela canção, respirar o amor, aspirando liberdade! Estando isolada dessa maneira, Vênus sugere algumas dificuldades em termos clareza de nossos gostos e preferências; não temos muita certeza de nossos afetos ou de como expressá-los adequadamente, dando a impressão de sermos frios e inabordáveis, uma impressão que atrapalha a troca afetiva; outra possibilidade é que oscilemos nessa expressão dos afetos, estando extremamente afáveis e amorosos num momento e indiferentes e secos no momento seguinte, algo que confunde o outro e até a nós mesmos. Assim, é preciso estar atentos as essas oscilações antes de achar que existem problemas reais na relação. Marte segue pelo terceiro decanato de Aquário, preparando-se para entrar em Peixes – segunda, dia 19 – e também não faz aspectos neste período, apenas sugerindo experimentação e idealismo nas relações e na forma de nos afirmarmos no mundo.

Shutterstock - Reprodução

Shutterstock – Reprodução

Saturno vai ganhando terreno e chegando cada vez mais perto do trígono a Urano e da quadratura a Quíron. O trígono a Urano, já falamos antes, pode ser bastante positivo e fala da possibilidade de casarmos o velho e o novo, tirando o melhor dos dois mundos, numa combinação que nos permite mudar sem precisar passar por graves crises ou grandes ansiedades . Estamos falando de mudanças planejadas e mudanças graduais; planos estratégicos de mudança; progredir de forma estruturada; avançar com cautela e responsabilidade, e assim por diante. É um tempo deveras favorável para as ciências, as áreas de pesquisa e do conhecimento em geral. Novas ideias (Urano) ganham forma (Saturno), harmoniosamente. Assuntos antigos (Saturno) ressurgem com novas roupagens ou abordagens (Urano). E quando a vida nos apresenta com mudanças imprevisíveis, nós conseguimos assimilá-las e digeri-las sem grandes traumas ou dificuldades, investindo no nosso desenvolvimento pessoal, sem que isso precise ir contra tudo e todos. Esses aspectos ocorrem três vezes, entre dezembro de 2016 e de 2017. O primeiro trígono Saturno-Urano se dá no dia 24 de dezembro de 2016; o segundo, no dia 19 de maio, com Saturno retrógrado; e o terceiro e último, em 11 de novembro de 2017, com Saturno direto e Urano retrógrado.

Daunhaus.Deviantart - Reprodução

Daunhaus.Deviantart – Reprodução

Já a quadratura a Quíron é um espinho venenoso enfiado na carne, que infecciona e doi excruciantemente! Um aspecto bastante difícil de se lidar, porque estamos falando de dois princípios pesados, significadores de inseguranças, bloqueios, medos, incertezas, feridas, dificuldades… Numa conversa tensa e deveras conflituosa… Extremamente espinhoso. Defensivo. Desagradável. Doloroso. É preciso ter muita coragem e serenidade para olhar as profundezas da própria alma dispostos a enfrentar nossos piores pesadelos e fragilidades de cabeça erguida, com dignidade, para poder usar isso como mola de crescimento. O mais provável é que sintamos de maneira muito crua que todo esse sofrimento é inútil e sem sentido e nos sintamos amargos e cínicos, com uma sensação de futilidade a nos assombrar dia após dia. Olhamos para o nosso abismo pessoal, social e coletivo e ele olha de volta para nós, mais fundo e obscuro do que ousaríamos pensar. Uma reação possível dos mecanismos de defesa é recorrer a verdades prontas, frases feitas, crenças bonitas mas inócuas ou rígidas e excessivamente severas, para nos dar algum senso de segurança ou de sentido. Nosso alter-ego, aquele severo guardião moral que diz o que é certo e errado, aponta o dedo para o nosso lado mais frouxo e desmazelado, aquela parte de nós mais desamparada e vulnerável, que então se encolhe e se amiúda, querendo desaparecer. Desnecessário dizer o quanto isso é difícil e paralizante, além de possibilitar reações instintivas de animal ferido mortalmente que, para se defender vai revidar da pior maneira… É claro que isso é um extremo. Sempre podemos tirar proveito desses momentos de fragilidade para nos conhecer melhor, recorrer a alguma prática terapêutica, a alguém em quem se confia para propiciar um olhar externo e apaziguador de tal sofrimento. Não precisamos resvalar nos extremos!

Magritte - Reprodução

Magritte – Reprodução

A manifestação desse aspecto é muito provável de se dar nas relações mais próximas, particularmente relações que envolvam figuras paternas ou de poder, como a relação com o próprio pai, chefes, professores, ou outros tipos de autoridades, inclusive religiosas, acadêmicas etc. É preciso compreensão, sensibilidade, compaixão e doçura para consigo mesmo e para com o outro que porventura percebamos estar lidando com esse tipo de dilema. Em termos mundanos, podemos bem associar essa quadratura com todas essas reformas em andamento no Brasil. Novas leis (Saturno em Sagitário) que versam sobre a saúde coletiva, aposentadoria, etc (Quíron em Peixes). E como vimos, a aprovação das tais leis não favorece nem um pouco ao povo e à maioria. É possível também vermos figuras eclesiásticas e religiosas em geral – de todas as religiões – tendo suas fraquezas e vulnerabilidades expostas, sendo julgadas socialmente, seus pés de barro esfacelando-se debaixo do seu peso de ferro e ouro… A mesma coisa se aplica a autoridades acadêmicas e altos postos universitários. A exposição dessa vulnerabilidade pode ser no sentido moral, mas também físico, ou seja, pode implicar questões de saúde ou mesmo de morte nesses meios mencionados. Se Saturno-Netuno simboliza a morte e o desaparecimento de figuras importantes nas artes em geral, Saturno-Quíron sugere a mesma coisa para os meios acadêmicos ou da saúde. A implicação dos meios eclesiásticos e religiosos tem a ver com o trânsito de Saturno por Sagitário.

A exemplo do aspecto Saturno-Urano, a quadratura Saturno-Quíron se dá por três vezes entre 2016 e 2017. O primeiro evento ocorre já no dia 28 de dezembro de 2016; Saturno fica retrógrado e quadra Quíron de novo em 30 de abril; e, finalmente, já direto, Saturno quadra Quíron pela última vez em 2 de novembro de 2017.

Lua Disseminadora - Reprodução

Lua Disseminadora – Reprodução

A Lua abre a semana na fase Corcunda, em Touro. Torna-se Cheia na terça-feira, em Gêmeos. Dignifica-se em Câncer e entra na fase Disseminadora em Leão, no sábado. Fecha a semana ingressando em Virgem, no domingo. Nessa caminhada cíclica ela conversa com todos os demais corpos celestes, ora delicada, ora tempestuosamente, simbolizando as mudanças diárias de humores na Terra.

Reprodução - Desconheço o autor

Reprodução – Desconheço o autor

SEGUNDA-FEIRA, 12 de dezembro – O Sol está em trígono a Urano e quadratura a Quíron, ambos os apsectos exatos hoje, enquanto se afasta da conjução a Saturno. A Lua abriu o dia e a semana em Touro, em quadratura a Marte em Aquário, ficando vazia depois, às 02h06min. Ainda se indispôs com Mercúrio em Capricórnio. Ingressou em Gêmeos às 10h42min, de onde tem contendas inconscientes com Plutão e Júpiter, que estão em quadratura. À tarde a Lua se harmoniza com Vênus e fecha a noite em quadratura a Netuno, exata amanhã. O dia traz influências que parecem contraditórias a princípio, mas que podem funcionar como compesação mútua. Lidamos com a sensação de desapontamento conosco mesmos, com aquilo que somos ou pensamos saber a respeito de nós. Talvez tenhamos tido revezes recentes que nos obrigaram a recuar nas expectativas ou projetos nos quais estamos engajados. A Luz solar da consciência é eclipsada temporariamente por influências insuspeitas vindas da obscuridade do inconsciente, aquela parte de nós com a qual não queremos ter nada a ver nem lidar, porque nos lembra do nosso lado manco, trôpego, inadequado. Aquela parte de nós que tem dificuldade de se enraizar na realidade, de lidar com esse mundo dito “real” de forma direta, por ser ele, doloroso por demais, imperfeito em demasia… E se admitimos que tal mundo e realidade são imperfeitos, nós, como parte disso tudo, imperfeitos somos – uma verdade difícil de engolir e conciliar com os sonhos dourados narcisistas que temos a respeito de nossa própria importância, talentos especiais e senso de grandeza. É como uma nuvem pesada e sombria a obscurecer a luz desse sol tão brilhante: falhas, medos, inseguranças, fraquezas e todas as questões mal resolvidas que ameaçam o brilho do nosso ego tão lustroso… Entretanto, não somos mais criacinhas indefesas para ficar paralizados pelas revelações do inconsciente sobre nossas incapacidades e lástimas. Temos alguma maturidade e resiliência que nos permitem acolher tais revelações com serenidade e humildade, sabendo que não somos nem piores nem melhores do que outros andantes humanoides desta terra, somos apenas diferentes em nossas idiossincrasias, que são muitas sim, mas humanas. Assim, tal serenidade pode nos trazer alento e a capacidade de diferenciar, a exemplo daquela oração de mesmo nome, quais são as falhas e problemas que podemos mudar e quais precisamos aceitar, porque não têm conserto possível. A mudança desses problemas que identificamos que temos o poder de alterar está favorecida por estes dias. Uma mudança criativa e benéfica, que nasce a partir de novos insights e ideias a respeito da maneira de nos conduzir, de nos movimentar e agir no mundo. Se estamos atentos, podemos visualizar com mais clareza o que podemos fazer para avançar e progredir nessas frentes passíveis de transformação e melhoria. A questão depende de estar dispostos a agarrar a oportunidade. Estamos? Em termos práticos, a segundona começou pesada e arrastada, demandando guindastes para arrancar pessoas de suas camas… Pelo meio da manhã a máquina finalmente engrenou – provavelmente lubrificada por muita cafeína – de modo que a tarde segue mais agilmente, com as ideias fluindo, os contatos e tarefas avançando e o dia transcorrendo muito ativo e bem humorado, caso consigamos lidar com aquelas influências inconscientes a contento. O perigo maior é de nos perdermos em socializações e conversas sem fim, elucubrações vazias, como meio de evitar pegar no pesado ou de fugir daquelas sensações incômodas e sombrias das quais falávamos no começo deste texto. Se administramos isso, o dia torna-se bastante produtivo.

Reprodução

Reprodução

TERÇA-FEIRA, 13 de dezembro – De Gêmeos a Lua quadra Netuno em Peixes nas primeiras horas do dia. Faz quincunces a Mercúrio e a Plutão em Capricórnio, oposição a Saturno, quadratura a Quíron, sesqui-quaadratura a Vênus, sextil a Urano – Ufaaa!!! – tudo isso antes de se opor ao Sol Sagitariano e entrar na fase Cheia, às 22h05min no horário de Brasília (00h05min do dia 14/12 no horário de Lisboa). Essa é uma Lua Cheia super ocupada, falante e movimentada, o que sugere um dia igualmente agitado, cheio de atividades frenéticas, de vai-e-vem, conversas, ebulição mental, tráfego pesado nas cidades, mudanças repentinas de planos, bloqueios previstos ou imprevistos… Sim, a Lua Cheia precipita crises nas situações que vinham se arrastando. Só respirando muito e profundamente para organizar as emoções desencontradas no meio de tanta atividade. Não podemos correr o risco de, no meio de todo esse dinamismo e correria, nos perder de nós mesmos, de nossos propósitos e do nosso centro. Na encruzilhada, em caso de dúvida, estacione, respire fundo, acalme o coração e escute o que a alma precisa e busca! Assim teremos mais clareza de em qual esquina virar, qual caminho seguir, qual bifurcação tomar, quais palavras dizer, quais calar ou que mensagem comunicar. Se a cabeça e a mente souberem escutar a alma, não haverá espaço para confusão e saberemos como administrar, tanto a falta quanto o excesso, saberemos usar as palavras e o silêncio com maestria, recorrendo ao seu poder de elevar ou derrubar, de prender ou liberar… Como usamos o poder da palavra? Há que se ter sabedoria com as palavras hoje… É dia de celebrar a comunicação das ideias e dos sentimentos; de celebrar a vida e, mesmo que não haja grandes vitórias ou conquistas, podemos agradecer e celebrar as pequenas alegrias e a companhia daqueles que fazem parte da nossa vida diária; podemos celebrar pequenas mudanças no nosso ambiente imediato, que facilitam o fluir da vida; podemos agradecer o ar que respiramos! E se os desafios parecerem árduos por demais, respiremos o amor, a leveza e a beleza para dentro da alma e do espírito e expiremos para fora de nós, o peso e a desesperança. “Respirar o amor, aspirando liberdade”. A vida é desenhada e sonhada nas grandes visões, mas é nos detalhes pequenos do aqui e agora que ela se faz e se concretiza, em como exercemos a criatividade no dia a dia. Não temos certezas nem garantias acerca do futuro, mas temos a escolha e a responsabilidade de fazer do presente, do aqui e agora, o melhor que pudermos! E para isso precisamos estar plenamente conscientes, atentos e inteiros! Esse é o nosso desafio! Consciência e inteireza! Feliz Lua Cheia para você! Leia o artigo sobre a Lua Cheia de Gêmeos.

Ernesto Arrisueno - Reprodução

Ernesto Arrisueno – Reprodução

QUARTA-FEIRA, 14 de dezembro – A Lua Geminiana se afina, toda harmoniosa e faceira, com o Marte Aquariano e fica fora de curso depois, às 03h59min, ingressando em Câncer às 10h09min, de onde instiga a frieza de Vênus em Aquário. Fecha a noite em contato favorável com Netuno. O dia começa com uma revisão tranquila e mental das nossas tarefas e o que elas vão requerer de nós. Repassamos nossos recursos, nossa vontade – ou falta de – de avançar e executar com determinação essas tarefas. Talvez tenhamos alguma nova ideia que facilite o desenvolvimento de tais atividades, mas o começo da manhã propicia muito mais a análise calma e desapegada do que a ação propriamente dita. Pelo fim da manhã a energia muda radicalmente. A inquietude mental dá lugar à necessidade de sossego e, ao invés de nos espalhar por aí, queremos segurança e conforto, um ambiente adequado para entrar em contato com necessidades emocionais que andaram sendo negligenciadas nos últimos dias. Os sentimentos ficam mais densos e profundos e a sensibilidade mais acurada, favorecendo a proximidade e a intimidade nos contatos, em contraponto à frivolidade e leveza recentes. A dificuldade fica por conta da inconstância e irregularidade das respostas emocionais, visto que ora nos sentimos afetuosos e doces, ora queremos distancia e a preservação de nosso espaço. Precisamos ter mais nítidas quais são as nossas motivações no dia, para não nos comprometermos com coisas que mais tarde poderão ser um peso ou uma chateação, tanto para nós quanto para os outros.

Reprodução - Desconheço o autor

Reprodução – Desconheço o autor

QUINTA-FEIRA, 15 de dezembro – A Lua está poderosa em sua casa Canceriana, sensibilidade ainda mais aguçada pelo contato harmonioso com Netuno em Peixes. Mais tarde ela trava embates com Mercúrio e Plutão em Capricórnio, com Júpiter em Libra e com Urano em Áries, formando uma Grande Cruz Cardinal, tendo ainda que lidar com as inseguranças de um contato irritante com Saturno. A Lua ainda faz trígono a Quíron e fica vazia depois da quadratura a Urano, às 19h38min. O dia está tempestuoso, carregado de sentimentos e emoções viscerais, que vão demandar equilíbrio e contenção extras para não afundarmos em dramas, sejam eles mesquinhos ou grandiosos. Situações que talvez comecem pequenas podem escalar e tornar-se desproporconais e quando vemos, já não há volta. Sentimo-nos pressionados e encurralados, com nossas necessidades ignoradas ou diminuídas pelo que percebemos como atitudes paternalistas e condescendentes, que nos fazem sentir incompreendidos, injustiçados, humilhados e infantis. Quanto mais tentamos consertar, maior fica o estrago, seja da situação ou do nosso estado emocional. As situações que ocorrem hoje parecem apertar “todos os nossos botões”, especialmente aqueles mais sensíveis, de modo que temos dificuldade de controlar nossas reações e em dado momento parece que somos meras marionetes sendo manipulados pela vontade ou poder de outros. Mas quem manipula quem? Quem detém o poder e o controle? Será que nossa frustração não vem exatamente de percebermos que nós mesmos falhamos na nossa tentativa de manipulação? E que talvez seja por isso mesmo que nos sentimos ridicularizados? Há várias maneiras de se exercer poder sobre outros. Algumas delas são diretas, honestas e limpas; outras são indiretas, subreptícias, desonestas e minam a confiança nas relações, assim como os afetos ou o respeito, sejam essas relações pessoais ou impessoais. Assim, ao invés de darmos chiliques e apelarmos para o drama, fazemos melhor se tentarmos entender a ebulição de sentimentos e conter as reações infantis, de quem se sente no direito de cobrar o que quer que seja de outros. O impulso natural seria nos amuar num canto para chamar a atenção ou fazer outros se sentirem culpados, mas o tiro sai pela culatra e tal atitude vem em nosso detrimento. Em vez disso, podemos nos responsabilizar por nossas reações, carências, oscilações e lidar com as crises com maturidade, dignidade e compostura. Podemos acolher e cuidar, oferecer compreensão, afago e consolo, dar a outros aquilo que gostaríamos de receber ou que achamos que estamos precisando. Nutrir as relações, ao invés de azedá-las. Como naquela oração, é dando que se recebe. Lembrar que todo mundo tem problema e todo mundo está travando suas próprias lutas, portanto, nossos problemas não nos dão o direito de ser grosseiros e mal educados ou de dar chiliques, no máximo podemos pedir ajuda, com respeito, honestidade e dignidade. Jogar o jogo com objetivo final de ganha-ganha e não de vencer o outro a qualquer custo. Em termos práticos, o dia traz vários dilemas que demandam algumas escolhas difíceis, que requerem conciliação ou renúncia. Ter noção clara dos próprios valores e prioridades ajuda a fazer as melhores escolhas. Como diz o Dalai Lama: “Abra seus braços para as mudanças, mas não abra mão dos próprios valores”.

Martin Stranka - Reprodução

Martin Stranka – Reprodução

SEXTA-FEIRA, 16 de dezembro – Júpiter está a apenas 20 minutos (menos de um grau) do sextil a Saturno, um aspecto que não vai ficar exato antes de agosto de 2017, mas cuja influência sentimos sutilmente. A Lua inaugura o dia fora de curso em Câncer. Torna-se foco de um Yod ao fazer quincúncios ao Sol e a Marte. Ingressa em Leão às 11h15min, de onde se indispõe com Saturno. Depois do dia tempestuoso de ontem ainda estamos tentando restaurar nosso equilíbrio, mas a manhã traz novos conflitos e desafios, que podem comprometer essa restauração. As irritações se dão entre nossa sensibilidade e a alma mais feminina versus o lado mais objetivo, a vontade, o consciente – um antagonismo que pode mesmo se manifestar com pessoas, entre esses princípios feminino e masculino. Alguém tem que ceder, uma negociação é necessária, interna e externamente, se é para conseguirmos avançar com nossos projetos e atividades. Em função dessas incompatibilidades, os humores oscilam e variamos entre a irritação, o mutismo, a fragilidade e o mau humor escancarado. Contudo, é importante não levarmos demasiado a sério tais conflitos e oscilações e tentarmos encontrar um mínimo de estabilidade emocional para não estragarmos de vez o dia e as nossas relações – tudo é aprendizado e experiência! Ter compaixão por si mesmo e rir dos próprios dramas ajuda a colocar as coisas em perspectiva. Nem tudo precisa ser levado a ferro e fogo, não é o fim do mundo! Lembremos disso!

Reprodução

Reprodução

SÁBADO, 17 de dezembro – A Lua entra na fase Disseminadora ao fazer sesqui-quadratura ao Sol Sagitariano. Antes porém, ela se opõe a Vênus e faz quincúncio a Netuno. A Lua ainda faz outros quincúncios a Mercúrio e a Plutão, trígono a Saturno e a Urano, formando um Grande Trígono de Fogo, que vira Pipa, devido ao sextil a Júpiter. Por fim a Lua se irrita com Quíron através de um quincúncio. O dia traz uma sensação de estarmos um tanto desconjuntados. Contudo, a despeito da sensação de cisão interna, o dia também traz boas oportunidades de diversão, de alegria e camaradagem. Se conseguimos aceitar nossas idionsicrasias e contradições internas, conseguimos aceitar também as “esquisitices” e excentricidades dos outros ao nosso redor e, aquilo que antes parecia estranho, torna-se na verdade, uma qualidade singular que torna meu amigo/a (e eu mesmo) único e especial para mim e para o mundo e o olhar de estranheza vira de encantamento. Os contatos hoje são intensos e cheios de vitalidade e energia. As pessoas com quem escolhemos estar são, de fato, caras e preciosas ao nosso coração e isso deve ser expresso com honestidade e simplicidade. Celebrar a amizade, a alegria, a vida! Com verdade, criatividade e generosidade e desprendimento. Deixar os rancores, rusgas e dissabores para lá, focar no que temos de melhor, focar no que o outro tem de melhor. Assim nos damos a chance de estreitar laços e ainda permitir ao outro ser o que ele é, sem expectativas ou cobranças, achando o ponto de equilíbrio para nós mesmos e para as relações. E com equilíbrio, podemos nos expandir e viver melhor!

Steven Hanks - Reprodução

Steven Hanks – Reprodução

DOMINGO, 18 de dezembro – Mercúrio estaciona a 15°02’ de Capricórnio, às 08h56min para ficar retrógrado de 19/12/2016 até 08/01/2017. A Lua Leonina se harmoniza com o Sol Sagitariano e, junto com Urano em Áries, formam um Grande Trígono de Fogo. Pelo meio da tarde a Lua briga com Marte em Aquário e fica vazia depois dessa briga, às 14h56min. Ingressa em Virgem às 15h52min e logo se desanima a partir de contatos com Mercúrio e Plutão. O dia traz energias livres, alegres e animadas na parte da manhã, que nos convidam a nos aventurar, a sair da casca e dos limits do previsível, a ousar manifestar nossa alegria e espontaneidade, rir até estourar, contar piadas bobas, tentar brincadeiras ou atividades inusitadas. Deixar nossa criança interior vir à tona e assumir o posto, espontânea, leve e feliz! Nesses momentos de distração e alegria, podemos nos surpreender com insights acerca de formas inovadoras de unir nossas necessidades com os desejos conscientes. À tarde o clima fica tenso e requer cautela nas mesma atividades arriscadas em que nos lançávamos pela manhã. Algo ou alguém nos irrita e tira do sério e nossa alegria e espontaneidade ficam sombreadas por discussões e altercações que azedam a brincadeira e a leveza de outrora. A criança tem uma ótima oportunidade de se observar e aprender a se conhecer a partir das próprias reações. Talvez as coisas que nos animavam antes agora nos irritam, mas é preciso perceber que talvez isso não tenha a ver com outros e sim, conosco mesmos e nossas alterações de humor e de interesses. Só porque nos cansamos, nos irritamos ou perdemos no jogo, não precisamos bancar  o dono da bola que acaba com o jogo levando a bola embora porque não gostou de alguma coisa que alguém fez ou disse. Se algo nos incomoda de verdade, devemos manifestar de forma direta e honesta e não através de jogos ou birras. Assim temos chances de crescer. Em termos práticos essas energias requerem cautelas porque ficamos mais impulsivos e propensos a acidentes. À noite preferimos algum resguardo e solitude, para meditar nos desgastes ou simplesmente nos refazer. A solitude pode sim, fazer bem, desde que não fiquemos remoendo os dissabores, julgando a outros ou a nós mesmos.

Uma ótima e positiva semana para você!

Tirado de Playbuzz - Reprodução

Tirado de Playbuzz – Reprodução

 

Steven Hanks - Reprodução

Steven Hanks – Reprodução

%d blogueiros gostam disto: